As entrevistadas desse mês foram as autoras da fic Give Me Novacaine, a Daniela e a Mariana. Muito simpáticas, responderam as perguntas do site com muito bom humor e você confere agora:

Fanfic Obsession: De onde vem a inspiração pra fic de vocês? Televisão, Tv, Seriados, Livros ou simplesmente vem?

Daniela: Pra mim a inspiração surge de lugar nenhum, só vem. Às vezes ver um seriado ajuda, um filme, ler um livro, mas normalmente surge mesmo quando eu e Penis conversamos sobre a fic e tal.

Mariana: A idéia principal da fic, do protagonista ser envolvido com drogas, foi da Piru. Eu fiquei super empolgada assim que ela me falou sobre isso, e a gente logo começou a traçar mais ou menos como a história seria, criamos a protagonista feminina, etc. Eu tiro bastante coisa da minha cabeça, mas não tem como a gente não ser influênciada com os livros que estamos lendo, ou se alguma coisa num filme chama nossa atenção. Acho que um pouco de cada coisa.

FFOBS: Clichê. A favor ou contra?

D:Se for bem escrito, não vejo problemas. E depende do enredo, senão fica um saco de ler.

M: Eu sou contra. Acho que quanto mais original uma história, melhor. É cansativo ler sempre sobre a mesma coisa, quando tem uma novidade o leitor sempre se sente mais atraído, fica com mais curiosidade. Dá pra perceber pelo enredo da Give Me Novacaine que a gente gosta do desafio de estar sempre inovando. Mas sempre rolam alguns clichês, é normal isso acontecer em histórias de romance.

FFOBS: Como conheceu e onde começou a ler fic? E o que as motivou a escrever?

D: Minha amiga encontrou o FFADD, começou a ler fic e me mostrou. De imediato eu viciei em ler, mesmo sem nunca ter ouvido falar em nenhuma das bandas que tinham lá. Comecei a fazer fics enquanto conversava com essa minha amiga, então um dia achei que seria divertido passar pro papel. Acabou que me viciei em escrever também, mesmo fazendo isso muito mal.

M: Eu leio fanfic desde os meus 14 anos, tenho 19 agora, então dá pra perceber que não sou nova nesse meio. Comecei com as de Harry Potter, no Floreios e Borrões, e fiquei lá durante bastante tempo. Eu já escutava McFLY há um tempo quando, em 2007, eu acho, tropecei, quase literalemente, num link de uma fanfic de McFLY. Ele tava no scrapbook de uma amiga minha e eu cliquei por pura curiosidade, querendo saber o que o McFLY teria a ver com fanfiction. Respondi as perguntinhas achando aquilo extremamente estranho, engraçado até. Me surpreendi quando cheguei ao final da história, porque eu realmente não imaginava que aquilo pudesse ser tão legal e prazeroso de ler. Logo fiquei com vontade de ler outra. E outra. E outra. A partir daí vocês já sabem!

FFOBS: Uma fic com um português correto é necessário ou é somente estética visual?

D: Extremamente necessário. Acho que tudo com um português correto é necessário. Acho que um texto mais elaborado pode ser considerado estética visual, mas acho também muito legal ter na fic, fica mais interessante.

M: Completamente necessário. Um texto com frases sem concordância, com a pontuação errada, erros de ortografia, não flui. Na narrativa, a leitura agarra, fica cansativa, os diálogos não soam bem. Então, mesmo que o enredo tiver tudo pra ser bom, sem saber usar o português de uma maneira correta a história não fica boa.

FFOBS: Você já recebeu alguma crítica rude? Qual foi sua reação? Se não, como você reagiria?

M: Nunca ninguém foi rude com a gente, ainda bem. Rolaram algumas críticas sim, mas elas foram bem-vindas. É claro que quando escrevemos uma história, queremos que todo mundo goste dela, mas as críticas construtivas podem ser uma enorme ajuda. Elas fazem a gente perceber quando alguma coisa não está agradando e que, em alguns casos, o que foi criticado seja repensado e venha a mudar para o melhor. Acho que se alguém fosse rude eu provavelmente ignoraria! As leitoras de Give Me Novacaine deixam comentários maravilhosos pra gente, não vai ser uma pessoa sem educação que vai me abalar.

D: Nenhuma que eu me lembre. Claro, já criticaram, mas sempre foram construtivas. Eu provavelmente ignoraria, não tem como agradar a todos. E como a Piru falou, as nossas leitoras realmente deixam os melhores comentários na fic, isso compensa qualquer crítica rude.

FFOBS: O que vocês acham de nota da autora (vulgo, n/a) no meio da história? Atrapalha ou ajuda?

D: Eu acho muito ruim, na verdade. Atrapalha demais, principalmente quando você tá lendo a parte mais importante da fic e do nada aparece aquela n/a com um “Eu morro com o Danny!”. Broxa completamente. RS

M: Na grande maioria dos casos atrapalha. Quando eu leio uma história que gosto, fico completamente envolvida. Chegar no meio de um parágrado e encontrar um comentário do autor quebra completamnete o clima, é como se, de uma hora pra outra, alguém te acordasse! Quando é sobre uma música, pra avisar que é naquele momento que você deve começar a ouvir, eu acho aceitável, mas nos outros casos geralmente fico bastante irritada. Se algum comentário sobre o capítulo for extremamente necessário é melhor colocá-lo no início ou no final.

FFOBS: O que vocês procuram passar pros seus leitores em Give Me Novacaine?

D e M: O enredo de Give Me Novacaine é apoiado, basicamente, no encontro de duas pessoas que não estão emocionalmente bem e acham, uma na outra, exatamente o que estava faltando antes. A história deles é, principalmente, sobre superação. Mostra que, mesmo quando as coisas parecem não ter jeito, você pode achar uma maneira de ser feliz. O problema deles, o menino com as drogas, e a menina com a bulimia, retrata a escapatória que eles encontraram quando estavam no “fundo do poço”. A história passa idéia de que é possível sim superar os vícios e os problemas, mesmo que esse seja o caminho mais difícil. Mas que pra isso acontecer é imprescindível que essas pessoas tenham atenção, carinho, que achem alguma coisa pra se motivarem, que não sejam tratadas como meros doentes, com preconceito, como muitos são tratados.

FFOBS: Cenas de sexo. Vocês sentem algum desconforto ao ler/escrever alguma cena mais picante?

D: Isso pode soar tarado, mas todo mundo que me conhece sabe que eu ADORO cenas de sexo. Aliás, minha fic preferida é uma restrita. E Give Me Novacaine não tem nada de santinha. Eu me sinto muito confortável lendo, mas escrevendo acho que sempre fica ruim.

M: Não me sinto nem um pouco desconfortável ao ler, nem ao admitir que leio. Escrever já é outra história. Tudo que a gente escreve retrata, de certa forma, a maneira como a gente pensa. Colocar cenas íntimas no papel é um pouco estranho, mas não chega a ser desconfortável. Seria desconfortável se, sei lá, a minha mãe estivesse lendo. Mas como aqui quem lê, na maioria das vezes, pensa como a gente, o desconforto não é muito grande.

FFOBS: O que podemos esperar de Give Me Novacaine daqui pra frente?

D: Podem esperar uma história mais quente, digamos assim, com personagens ainda mais envolvidos e, aos poucos, as revelações do passado do protagonista. Claro que com a mesma dose de drama e mistério de sempre.

M: Pra ter um “daqui pra frente” sem que as leitoras morram de curiosidade por causa da demora, eu preciso muito da ajuda de vocês. Encham BASTANTE o saco da Piru pra ela escrever, porque só eu sei como é difícil convencer essa criatura a fazer isso. Sério, gente, nós duas já até brigamos por conta disso, é MUITO importante que vocês infernizem a vida dela! hihi (6) Dito isso, posso garantir que os capítulos que estão por vir são uns dos mais importantes da história! Se preparem pra cenas mais quentes, revelações sobre o passado do protagonista e mais participação da fofa da Joanna!

FFOBS: Bom, chegamos ao final da entrevista. Vocês gostariam de agradecer alguém? Sintam-se à vontade!

D e M: A gente queria aproveitar pra agradecer ao Fanfic Obsession pelo convite (ficamos que nem pinto no lixo por isso! hahaha), desejar sucesso ao site novo, mesmo que a gente tenha absoluta certeza que com uma equipe dessas não tem como algo dar errado, e, principalmente, agradecer às leitoras de Give Me Novacaine, porque a fic não seria absolutamente NADA sem elas.