1 – O quanto de você tem na personagem principal de A Garota da Porta Vermelha?
Quem me conhece pessoalmente diz que o jeito que a principal fala e se expressa é muito “Bruna”. E o jeito todo nervosinho. Acho que só isso, porque eu definitivamente não sou chorona e nem medrosa como ela. HAHA

2 – Em AGPV, é perceptível a influência do seriado One Tree Hill no desenrolar da história. Ele foi sua maior inspiração?
Os poemas, frases e citações de One Tree Hill sempre mexeram comigo e me fizeram criar histórias na minha mente maluquinha. Pra responder a pergunta corretamente, preciso explicar uma coisa primeiro: eu começo a criar fics pelo final. Sim, eu só consigo desenvolver uma história se souber exatamente como ela termina, o ambiente da cena e as falas principais. Mas para ter o final que eu queria, o casal precisaria passar por alguns problemas e ter uma espécie de mistério que fizesse com que eles se afastassem, e um dia, vendo OTH a inspiração veio. Então AGPV toda se formou na minha cabeça. Então sim, One Tree Hill é minha maior fonte de inspiração; principalmente em momentos de completo bloqueio, quando as músicas, os filmes, simplesmente nada me dava novas idéias, nem motivação… OTH sempre ajuda. Sempre.

3 – Qual foi a sua reação quando AGPV ganhou Fiction do Mês?
Eu soube por um SMS. Fiquei olhando para o celular durante alguns minutos, me perguntando se a Camila tinha mando a mensagem pra pessoa errada. Fiction do Mês? Eu nem sabia que a votação estava aberta, não tinha pedido votos… Não fazia sentido. Só me dei por convencida quando vi no site meu nome e os parabéns. Confesso que gritei feito uma louca, pulando na cadeira e repetindo “Não acredito!”. Melhor ainda foi saber que uma leitora tinha feito uma espécie de campanha para AGPV, quase chorei a agradecendo.

4 – Qual foi a cena mais difícil de ser escrita em AGPV?
A última, sem dúvida alguma. Apesar de ter sofrido muito pra escrever a cena da “Grande Briga”, a última foi a mais cruel. Parecia que as minhas mãos tinham vontade própria e não faziam o que a minha mente criava. Eu achava tudo horrível. Mas depois que uma das minhas leitoras VIP leu e chorou, na minha frente, eu decidi que estava boa o suficiente pra ser mandada para o site.

5 – Qual foi a sensação de finalizar AGPV, depois de 2 anos e 7 meses?
Alívio. Não! Brincadeira! Eu senti… Não é fácil definir um sentimento só. Eu estava feliz por finalmente saber o que as meninas achariam do final que tinha esperado tanto pra escrever, mas também estava triste por não ter mais a minha fofinha que me tirava o sono, mas eu amava, não teria mais as leitoras me cobrando… Ok, eu consigo definir em uma palavra: surreal.

6 – Você pretende escrever outras fictions, agora que AGPV terminou, ou até mesmo uma segunda parte da história?
Sim! Claro que sim. Escrever fictions é quase tão viciante quanto lê-las! Está para entrar no site uma short fic mais caliente, estou apavorada pensando o que as leitoras vão achar, já que é a primeira vez que escrevo algo para maiores de 16 anos. E sobre a segunda parte de AGPV, bem, tudo é possível, certo? Vontade e idéias não me faltam. A história está pronta na minha cabeça, só falta tempo e coragem.

7 – Ano passado, você escreveu uma fiction para o Especial de Natal FFOBS, When Love Comes to Town. Como foi essa experiência?
Controversa. Eu não sou uma pessoa natalina, e tive que escrever uma história que se passasse nessa época do ano. Se dependesse só da minha Alma Gringh, o casal principal detestaria o Natal. Mas como tinha que pensar na fic como um todo, alguém tinha que gostar da data, certo? E pra melhorar, eu sofri um ataque! Siiiiim, o mundo todo conspirava pra que essa fic não saísse! Primeiro foi meu aniversário que atrasou minha escrita, depois uma queda de energia que apagou quase metade da fic, depois meu computador que não salvou nada… Resumindo, escrevi WLCTT em 7 horas. Não li antes de mandar… Mas a reação de quem leu foi positiva. Ainda bem. Já imaginaram? Detesto fim de ano e a minha fic se torna uma vergonha pública? Hoje, se parar pra pensar, eu gostei de escrever algo sobre o Natal. Oi FFOBS, se quiser, to aqui hein? HAHA

8 – Qual a sua relação com as fãs da fiction?
De AGPV? A melhor possível! Elas são uns amores. Eu entendo a cobrança, apesar de que às vezes ela passa dos limites, eu tento me focar no fato de que: se cobram é porque gostam. Adoro minhas leitoras, adoro responder scraps, conversar no MSN, dar replies… Mas confesso que receber emails com elogios e “declarações de amor” para AGPV, nossa! Me deixa toda boba. Espero poder contar com elas não só na nova etapa da fic, mas como também nas outras que estão por vir!

9 – Bru, a entrevista chegou ao fim! Obrigada por tudo, e caso você queira fazer algum comentário final para os leitores, fique à vontade!
É agora que eu dou gritinhos afetados? Autora do Mês de Dezembro! Justo o mês de aniversário de AGPV, do meu próprio e do FFOBS? Quanta honra pra uma menina tão pequena.
Muito obrigada, de verdade. Curtam o site. Comentem as fics. Tenham um ótimo fim de ano. Nos vemos em breve, muito breve.