Por mais que eu quisesse, seria impossível, não, isso não acontece, é uma chance em 100! Mas... Mas... Como eu ia pedir isso? Ela iria falar que eu estava era ficando louca e não mais uma fã... Mas poxa, eu queria tanto... Tá, vocês devem estar achando que possuo problemas, sim, possuo distúrbios! Brincadeira! Digamos que é um pouco de paixão mais vicio de fã mais amor!

O Natal estava chegando e eu queria pedir um presente pra minha mãe, era simples, poxa! Assim, em algumas partes. Não agüentei, ainda de pijama meia desci as escadas, o vento entrava pelas janelas. Caramba, se continuar assim eu viro gelo, brhh! "Ôh Mããããããããããe", gritei, escutando um barulho na cozinha. Devia ser ela ou algum espírito querendo brincar comigo - tá, parei.

- Mãe! - olhei com aquela carinha de anjinho e os olhos brilhando.
- Que foi, ? - ela me olhou com uma cara de cansaço.
- Credo, mãe, eu venho te cumprimentar e você me trata assim? - fiz voz de choro.
- Eu sei o que você quer, diga logo o presente que você escolheu.
Realmente, ela me conhecia!
- Poxa, manhê! Me dá um Dean de Natal? - Sim, eu tinha vicio em Supernatural, é perfeita a história e, bem, eu queria ter aqueles irmãos, foi com eles que eu aprendi a verificar espíritos. (n/a: -Q)

- Haha, você está pedindo demais, né, ?
- Não estou não, mãe, poxa, eles gravaram aqui perto outro dia e eu viajei, COMO ASSIM? AAAAAAAAAAAH - desmontei pelo chão que se seguia até o quintal.
- , querida, entenda, encontrar os artistas de hoje é difícil, sei que você é realmente uma fã, mas...
- Mas nada, mãe, eu vou encontrá-los, são pessoas normais como nós, apenas mais conhecidas. - olhei com uma cara óbvia.
- , está certo que eu mexo com cinema, vou tentar arranjar contato.
Soltei um mísero 'okay' e subi para meu quarto, deitei em minha cama e pensei a tarde inteira, acabei caindo nos sonhos...

Acordei de noite, minha mãe não estava, provavelmente tinha ido comprar comida. Faltava uma semana para o Natal, ela estava certa, era realmente impossível achar um artista, ainda mais o Jensen Ackles. Droga, por que ele não vem conferir os fantasmas que tem em casa? (n/a: Hum u_u)

Os dias foram se passando e eu me trancafiava em casa, principalmente no meu quarto, vendo a 2ª temporada de novo, meu refúgio feliz! Que patético, eu estava deprimida por algo que nunca ia acontecer, preciso de um psicólogo e urgente...

~ No Natal.

Vesti uma calça jeans, uma blusa e um moletom, mas que frio que faz aqui em Massachusetts! Ouvi vozes na sala, quem iria visitar alguém logo na entrega de presentes? Então desci as escadas com curiosidade, minha mãe escutou meus passos e me chamou.

- , venha cá.
Mas que mer... precisava gritar tanto assim?!
- Já vou, mãe!
Fui de encontro à sala rapidamente. Quando entrei, senti um par de olhos sobre mim e virei-me pra ver, quando vi, OHMYPRECIOUSGOD! (n/a: vozinha de Smeagol [Senhor dos Anéis]) *brincadeira!*
Diante de mim, estava nada mais que JENSEN ACKLES, COMO? QUÊ? MAS COMO ASSIM? Minha cabeça não conseguia ter raciocínios lógicos, como minha mãe o trouxe?!
- Ahn... Er... Ah... Hm... Oi! - Acenei timidamente.
- Então, filha, trouxe seu presente de Natal, uma visita apenas!
- Mãe, como você...? - gaguejei.
Enquanto isso, Jensen sorria, tá, Deus, pode me levar agora, morro feliz!
- Bom, como você estava louca, eu procurei a parte em que o Jensen trabalhava e conversei com ele, ele é tão simpático! Concordou em vir, agradeço muito. E desculpe minha filha, Jensen, sei que deveria estar com a família. - Minha mãe sorriu pra ele, eita.
- Não precisa se desculpar Sra. Clearwesp, fico feliz que eu esteja fazendo outra pessoa feliz! Admiro que sua filha goste de Supernatural, recebemos muitas críticas, de Igreja ainda por cima! - Jensen fez uma careta.
- Ótimo! Bem, vou arrumar a mesa; , espero que tenha gostado!
Corei por um instante, minha mãe saiu deixando eu e Jensen na sala.
- Ahn, olha, obrigada mesmo por vir, desculpe... - ele não me deixou prosseguir.
- Haha, vamos, aproveite seu presente em vez de pedir desculpas!
Bom, aposto que ele riu de mim porque eu fiquei mais vermelha do que meu próprio sangue!
- Acho que você veio como Dean, né? Vamos sentar no jardim, lá é bom! - sorri.
Fomos para o jardim e sentamos na grama.
Ele se virou pra mim e disse:
- Bem, o seu Dean chegou - sorriu.
- Em que sentido tem esse 'seu'? - indaguei
- Que tal de posse? - piscou
- Que tipo de posse? - pisquei
- Bom, pretendo analisar isso agora.
Ele se aproximou de mim, passou sua mão em minhas bochechas e me beijou.

JÉZUS! Sim, eu tive um ataque!

Eu estava realmente vermelha, separamo-nos e ele olhou pra mim, dizendo:
- I’m a Batman! - sorriu.
- Dean, tem alguma coisa aí que seja real? - fiz uma cara de má.
- Meus peitos! - ele deu uma risada sarcástica.
- Será? - Me aproximei dele
Ele sorriu. Depois disso, ficamos praticamente sentados abraçados na grama e depois, bem, Jensen passou a vir em casa, tá, se eu soubesse que esse presente seria real, teria pedido há mais tempo. Suspirei.
Aaah, Dean... *-*


Fim.




' Créditos para Juu que tem uma paciência enorme e vai viajar e me deixar -Q e tem talento pra beta, mas se ela ler isso vai falar que é modesto da parte dela/ mentira, ela tem talento mesmo u_u/ Para a bruuuh também *-* que me ajudou a dar vida pra essa fic, escrevendo na aula de inglês IUEHAUIEHIAHEUIAEH Oh, gosh, why doesn't Dean come to me?


comments powered by Disqus