CAPÍTULOS: [01][02][03][04][05][06][07][08][09][10]




Confiram o trailer da fanfic aqui.






Última atualização: 01/08/2017

Decepções: O início.
NÃO. Isso não está acontecendo!
Não. Isso é um pesadelo!
Por favor, Deus. Me diz que isso é um pesadelo!
Sabe um daqueles momentos que você começa a ver tudo em câmera lenta? Mas para mim, é o fim do mundo.
Assim que pisei o pé no corredor da escola, vi vários casais se beijando e trocando carinhos. Não, o pior não era isso. Era que tudo acontecia em câmera lenta em minha cabeça.
Maldita cabeça de merda!
Nojo. É o que eu sinto. Ai, acho que vou vomitar!
Passei pelo corredor a passos largos ignorando os olhares de pena que passaram a me olhar quando me perceberam.
Por que essas pessoas não podem simplesmente me ignorar?
Por Deus, eu estou no meio de um drama e não preciso que me olhem dessa forma! Não quero me sentir ainda pior!
Sabe o porque disso tudo?
Meu término com Freddie Pierce.
Olá, meu nome é , tenho 16 anos. E a história que vou contar pra vocês, não é nada bonita. Ok, já foi bonita.
Eu e o Fred éramos o casal. Todos nos amavam, o que é muito óbvio. Eu, líder de torcida da The Kennedy High School, Portsmouth, estado de Oregon. Considerada a mais gata do colégio. A mais gostosa. A mais popular. Era um título que eu costumava ter orgulho. Vai por mim, o ensino médio se resume a ocupar um lugar na cadeia alimentar. Freddie, o quarterback do time de futebol. O mais sexy do time, o mais educado, o que arranca suspiro das garotas por onde passa. E é claro que a única garota que teve a chance de ter algo com ele, fui eu.
Por quê?
Simples. Nossos pais são amigos de infância. Colegas de medicina e um clichê total. Mas não vamos focar em nossos pais, ok? Preciso continuar contando isso aqui. E por anos nós fomos o casal. The couple. Até recebemos um nome de casal superfofo. Fofo, não acha? Foi até certo ponto.
O ponto é que meu coração foi rasgado e jogado para os leões comerem. Um momento de silêncio, por favor!
Certa vez, numa festa na casa dos Pierce, peguei o Fred dando amassos na cama com duas garotas. Chutem quem eram as duas garotas? Valendo um ingresso pro Show dos Backstreet Boys... Se vocês chutaram minhas duas melhores amigas, vocês acertaram. Minhas companheiras na torcida feminina do colégio. Vadias!
Entenderam meu drama do coração rasgado?
O que fiz pra merecer isso? Será que foi por que eu não dei o que ele queria? Por que garotos não se contentam em dar uns amassos e pegar nos nossos peitos? Por Deus, por que é tão importante entrar em nossas calcinhas e descobrir o que tem lá? Nunca fui uma pervertida e nunca vou ser. Mas eu não quero perder minha virgindade antes de me casar. Chamem do que quiserem, realmente não me importo em dizer isso. Eu sou uma garota sonhadora, ok? Ok.
Essa não foi a primeira vez que Freddie partiu meu coração. Houve outras vezes, mas eu o perdoei porque eu realmente o amava muito. Mas isso foi muita sacanagem comigo. Dos três.
Mas isso acabou! Isso me fez ver que o amor não existe. O amor é estúpido, idiota e nos deixa retardados. É isso. Não quero mais amar, meu coração tá partido! Coloquei um bloqueio antiquebramento aqui. Não sei se essa palavra existe, mas enfim.

[...]

Quando vi Olivia e suas duas companheiras inseparáveis vindo pelo corredor, tentei colocar meu sorriso triunfante na cara, mas o que eu consegui foi um mero cair de lábios. Muito triste. E pra acabar com toda a minha vida, Olivia me empurrou e eu caí de cara no chão.

- Bem vinda ao mundo, loser! - A ouvi dizer e as amigas rirem. Fiquei deitada no chão até que boas almas me levantaram do chão e me levaram pra enfermaria.
- Você fraturou o nariz. - A enfermeira disse. - Vai ter que usar um molde por pelo menos uma semana. - Eu arregalei os olhos.
- O QUÊ? - Eu gritei. - Você não pode fazer isso comigo. - Eu falei.
- Desculpe, senhorita . - Ela sorriu com pena. - Peça seu pai pra dar uma olhada, ok? - Ela disse e saiu da sala.
- Que maravilha! Vou virar chacota na escola toda! - Caí pra trás na cama.

[...]

Ok. Isso é pior do que aconteceu no corredor. Todos me olhando e rindo como se eu fosse uma palhaça. Eu pareço uma, agora, com essa coisa ridícula em meu nariz. Tentei ignorar o máximo que eu pude as pessoas até chegar à quadra da escola. Freddie e seus amigos me olharam fazendo caretas.

- O que é isso, ? - Perguntou a treinadora ao se aproximar de mim. Todo mundo parecia ter parado pra me olhar.
- Isso é o que eu chamo de fúria do recalque! Olha só o que a Olivia fez comigo! - Eu apontei pro meu nariz.
- , eu sinto muito, mas você não pode dançar assim! - Ela disse.
- O quê? Não, não pode fazer isso comigo, treinadora! Eu sou a estrela desse grupo. Você não... - ela deu de ombros.
- Brittany, assuma o lugar da ! - A treinadora disse e eu fechei meus olhos, tentando engolir o ódio que me tomou.
- AAAAHHH! - Sai gritando empurrando as pessoas. - SAI DA MINHA FRENTE!

Cinco minutos depois eu estou sentada no chão de um dos banheiros, borrando minha maquiagem e chorando feito um bebê. Por que eu? Por que eu estou perdendo tantas coisas depois que perdi o Freddie?
Eu quero minha vida de volta!
Quando escutei o sinal tocar, me levantei do chão e saí do banheiro. Me olhei no espelho e tentei limpar meus olhos o máximo que pude sem precisar parecer um filhote de panda. Eu estou acabada nessa escola!
Quando passava pelo corredor, vi um tumulto perto do quadro de anúncios. A maioria das pessoas que se encontravam ali eram os tachados “losers”. Bom, parece que eu agora me encaixo no clube deles. As pessoas que eu sempre tratei como lixo.
Ao me aproximar deles, todos me olharam com caras fechadas. Eu ri fraco, mas eles cruzaram seus braços. Fiquei tão sem jeito que a única coisa que eu fiz foi dar as costas e sair correndo.

- Ei, , ouvi dizer que você foi retirada da torcida feminina! - Ouvi uma voz e me virei. Não sabia realmente quem era, mas eu tentei dar o meu melhor.
- Eu apenas fui dispensada, ok? Não estou fora! - Eu falei.
- Mas é apenas uma questão de tempo pra você ser cortada, não é? Sem o seu quarterback pra te proteger, você é uma fracassada, ! - Ela disse e começou a rir.

Logo as lágrimas vieram e eu comecei a chorar. Sai correndo pelo corredor até chegar do lado de fora da escola. Me encostei no muro pra não cair.

- Por que isso ta acontecendo comigo? - Eu funguei.
- Você está bem? - Olhei em direção à voz masculina.
- Eu... Eu estou bem! - Eu disse e saí correndo novamente. Eu preciso de sorvete e do meu quarto.

P.O.V on

Ah como ela está linda! Tão linda quanto à última vez que a vi. Com seus olhos tão brilhantes e sorriso perfeito. Cara, tenho que confessar que sempre fui louco pela . Mesmo que ela sempre me tratou mal, eu sempre nutri sentimentos por ela. Tudo bem que ela nunca me olhou, porque eu sempre fui estranho. Eu também não me olharia!
Começamos a ser colegas na 5ª série. Ela já era tão linda! Com suas saias rodadas e cabelos presos em presilhas fofas. Eu a admirava, sempre em câmera lenta.
Mas ela nunca me olhou. Porque sempre fui um dos losers esquisitos. Usava aparelho, roupas esquisitas escolhidas por minha mãe. Acostumado a ser jogado nas lixeiras do pátio. Acabou virando um estilo de vida. Depois a gente se acostuma.
Na 8ª série, me mudei pro Canadá. Foi a pior época da minha vida. Eu tive que deixá-la. Ela nem sabia da minha existência, mas ela sempre foi minha rainha. Uau, estou ficando meloso. Melhor parar por aqui.
Continuando... Minha mãe resolveu se casar novamente, 5 anos após se separar do meu pai. Eu fiquei puto da vida no início, porque achei que o Kurt queria roubar o lugar do meu pai. Mas com o tempo até me acostumei com ele. Fiquei com dois pais e foi legal.
3 anos depois, aqui estou novamente. Nessa escola onde eu sempre fui chamado de loser. Bom, os dois não deram muito certo, então minha mãe resolveu voltar. Mas como será que vai ser agora?
Ao entrar na escola, joguei minha mochila nas costas e comecei a andar. Logo fui notado por algumas garotas. Algumas me cumprimentaram e eu sorri para elas. Vi algumas se abanando e cocei a nuca.

- Oi, gatinho. Você é novo por aqui, certo? - Olivia estava ali na minha frente. Diferente de quando eu fui embora. Gostosa era a palavra certa.
- Uhum, é, eu sou novato! - Eu falei colocando as mãos no bolso. Ela e suas amigas se entreolharam.
- Nossa, você é muito gostoso! - Olivia falou rindo me olhando de cima a baixo. Gostosa e piranha. - Você precisa andar comigo. Sério, vai ser bom pra você ser popular. Eu posso te fazer o rei da escola num estalar de dedos! - Eu balancei a cabeça.
- Me desculpe, mas não estou interessado em ser popular. - Eu disse e sai andando.
- O quê? Você acabou de me dar um fora? - Eu apenas olhei pra ela. - Você vai ser massacrado nessa escola! - Eu dei de ombros.
- Não tenho medo! - Eu falei e continuei meu caminho.

Passei pelo mural de anúncios e algo me chamou atenção. Voltei alguns passos e me virei pro anúncio.

- Faça seu teste pro Clube do Coral. - Eu arqueei a sobrancelha ao ver poucos nomes na lista. - As pessoas por aqui não gostam de cantar? - Eu perguntei pro cara que estava ao meu lado.
- Cara, parece que ninguém quer ser um loser! - Ele disse e riu. O assisti assinar seu nome.
- Bom, acho que nós não temos medo, certo? - Eu peguei a caneta e assinei meu nome. - . – e=Estendi a mão pra ele.
- . - Ele apertou minha mão.
- Nos vemos amanhã na apresentação! - Dei dois tapinhas em seu ombro.

Atenção The Kennedy High School, está de volta!

Você Sabe cantar?
POV on

Finalmente hoje eu vou mostrar meu talento pra essa escola. Sempre gostei de cantar, mas isso era só no banheiro. Quando me mudei para o Canadá, eu comecei a fazer aula de canto oferecida pela escola e acabei descobrindo meu dom de cantar e hoje é o que eu amo. E essa ideia de coral me agradou muito, por isso estou pronto para fazer o teste. Ajeitei meu violão no ombro e entrei na sala. Um cara que parecia muito feliz me olhou.

- Olha só, temos mais um membro! - Ele se aproximou. - Como se chama? - Ele perguntou.
- . - Eu disse. - Vim fazer a audição. - Ele assentiu sorrindo.
- Claro, claro. O que vai cantar pra gente? - O assisti ir sentar-se numa cadeira.
- Hum... Heaven? - Eu falei rindo.
- Ok. Vá em frente! - O cara que eu não sei o nome disse.

As duas garotas pareciam muito animadas com a minha apresentação e eu sorri nervoso.

- Oh thinkin' about all our younger years
There was only you and me
We were young and wild and free
Now nothin' can take you away from me
We've been down that road before
But that's over now
You keep me comin' back for more

And baby you're all that I want
When you're lyin' here in my arms
I'm findin' it hard to believe
We're in heaven
And love is all that I need
And I found it there in your heart
It isn't too hard to see
We're in heaven

I've been waitin' for so long
For somethin' to arrive
For love to come along
Now our dreams are comin' true
Through the good times and the bad
Ya - I'll be standin' there by you

As meninas me acompanhavam balançando os braços. Pareciam muito animadas comigo. Isso me deixa feliz, talvez. Eu amo cantar! Só quero me expressar.

- Oh, que lindo! - As meninas gritaram juntas.
- Nossa, isso foi incrível! Sua voz é linda, . - Uma delas veio até mim. Bem bonita até. Me diz que vai ficar? - Ela deu pulinhos, animada.
- Diz que ele está dentro, Sr. Wall! - A outra veio toda saltitante, o que me fez rir.
- É claro. Claro que sim! Bem-vindo ao clube, ! - Sr. Wall disse parecendo animado. Vi passar pelo corredor rapidamente.
- Desculpe, tenho que ir! - Eu disse apressado.
- Ensaio amanhã às 16! - Ouvi sr. Wall dizer.
- Hey! - Eu a chamei.
- Quem é você? - Ela se virou pra mim. - Olha, eu não preciso de ninguém mais no meu pé me zoando, ok? E se vai fazer isso, pode parar por aí! - Ela falou rápido.
- Nossa! - Eu falei rindo. - Eu só ia perguntar se você está bem. - Falei baixo.
- Por que eu não estaria bem? Quero dizer, ser traída pelo meu namorado e depois perder meu posto de líder de torcida não me faz ser uma loser, não é? - Eu franzi a testa sem entender nada. - E por que você se importa? - Por fim ela olhou em meus olhos. Fiquei meio paralisado na hora. Seus grandes olhos verdes brilhantes não me deixam pensar direito.
- Hum... Porque eu vi você chorando ontem e perguntei se estava tudo bem. - Eu disse.
- Oh, era você! - Ela olhou para o chão. - Me desculpe se eu fui grossa. Não estou tendo dias muito legais. - Eu assenti.
- Ah, tudo bem. Eu só quis ser gentil! - me olhou novamente.
- Ah, obrigada. Eu preciso ir agora. Obrigada por... Se preocupar, sei lá. - Ela pareceu sem jeito ao sair andando.

Vi as garotas da torcida passarem pelo corredor e parei alguns segundos para ver, assim como vários outros caras. Nossa, como elas são gostosas! E seus pequenos uniformes... Mas então eu vi o rosto triste de vendo-as dançarem juntas. Ela se encostou em um dos armários e olhou pro chão. Preciso dizer que aquilo me deixou muito triste? Parece que ela pertencia aquele grupo antes. Espera... , uma líder de torcida? Meu Deus, é muita coisa pra minha cabeça!

[...]

P.O.V off

Céus, quando é que isso vai parar? Me sinto horrível! Como eu pude tratar as pessoas tão mal? E olha só, agora estou recebendo meu troco. A aula de francês já havia perdido a graça pra mim. Eu viajava em outro mundo, que não era na sala de aula, claro, mas algo me chamou atenção. Não só a minha.

- Eu posso cantar. - Alguém arrisca a falar essa frase em francês? - Perguntou o professor após escrever a frase no quadro.
- Je peux chanter. - Ouvi alguém dizer baixo. Notei que era o novato. Bem gatinho ele. Não, , você não pode! Eu me repreendi em pensamento.
- O que disse? - O professor foi até ele.
- Hum, eu... - ele parecia meio sem jeito.
- Você disse a frase. Pode repetir? - Eu franzi a testa ao ver o brilho nos olhos do professor.
- Je peux chanter? - O garoto falou e eu abri meus olhos interessada.
- Où avez -vous appris cela? - ¹ Perguntou o professor.
- Pas d'école, évidemment - .² Respondeu o gati... o meu colega.

Todos pareciam perdidos na conversa, embora algumas meninas faziam cara de apaixonadas. Rolei os olhos.

- Ai meu Deus, isso foi muito sexy! - Jessy, umas das colegas, disse se abanando.
- Era disso que eu estava falando! Crianças, temos o nosso bilíngue colega dessa aula. Sr. ! - Disse e todos aplaudiram. As meninas mais ainda. Ok, foi muito sexy ouvi-lo falar francês. Logo, algumas garotas o cercavam. Espera... ? Eu acho que já ouvi esse nome!
- Tira o seu cavalo da chuva, . Ele vai ser meu! - Olívia parou perto da minha mesa.
- Faça bom proveito, Olívia! Realmente não tenho interesse. - Eu falei. Ouvi o sinal e fechei meu caderno. - Chienne³! - Eu disse ao me levantar.
- O quê? - Ouvi-a dizer e ri por dentro. Dei uma olhada para o novato e ele deu um mega sorriso e uma piscadela. Fiz uma cara estranha e saí da sala.

[...]

Parece que o novato ganhou as meninas depois daquela aula de francês. Ele agora está sentado no refeitório, cercado de meninas. E como ele gosta de sorrir. Nossa, ele está olhando pra mim? Ai meu Deus, ele se levantou e está vindo até mim... Corre, ! Corre! Peguei meu suco de caixinha e me levantei.

- , espera! - Ouvi ele me chamar.
- Oi. - Eu me virei para ele. - Precisa de alguma coisa? - Eu perguntei.
- Na verdade, sim. - disse colocando as mãos nos bolsos. - Eu estava pensando se... Eu estou meio deslocado por aqui. Será que você pode me ajudar com algumas matérias? - Eu arqueei a sobrancelha.
- Por que não pede pra uma das suas fãs? - Eu apontei para elas.
- Por que você acha que eu vim pedir a você? Se eu quisesse que fosse uma delas, eu já teria pedido! - Ele disse e fiz bico. - Além disso, fui aconselhado pelos próprios professores a procurar você! - Eu ri fraco.
- Por que precisa da minha ajuda? Pelo jeito, você já é bom demais em algumas matérias! - Falei irônica.
- Ah, qual é? Eu aprendi francês na minha última escola. No Canadá eles falam francês, também. - Eu arqueei a sobrancelha.
- Você é Canadense? - Comecei a me interessar.
- Bom, não. Eu sou daqui. - Eu franzi a testa.
- Mas você é novato aqui, certo? Eu me lembraria de você! - Falei.
- Sim, sou. - Ele respondeu.
- ! - A voz cantarolada de Jessy me fez querer vomitar.
- Já vou, ma belle*! - disse virando-se para ela.
- Vai. Suas fãs te chamam! - Falei. - Nos vemos por aí. - Sai andando antes que elas me comessem viva na frente de todos.

Quando estava passando pelo corredor, ouvi música. Era o Clube do Coral cantando. Meu Deus, isso ainda existe? Me aproximei da sala e pude ver pelo vidro.
dançava e cantava com duas meninas. Espera... Ele sabe cantar?
Uau! Que voz linda ele tem! E dança também?

- ? - Ouvi a voz de Freddie e arregalei os olhos. - O que está fazendo? - Me virei pra ele.
- Não é da sua conta! - Eu disse e me afastei da porta.
- Não está pensando em entrar pra esse clube idiota, não é? - Eu cruzei os braços. - Quer dizer, você nem canta! - Ele riu.
- Isso não é mesmo da sua conta, Pierce! - Eu tentei passar por ele, mas seus 1,80m de altura não me deixaram.
- Qual é, . Não podemos esquecer isso? - Ele segurou meu braço e foi me empurrando contra a parede. - Você pode voltar a ser popular de novo. O que acha? - Freddie passou o dedo em minha bochecha, depois em meu queixo. Meu coração acelerou. Essa não, estou cedendo aos encantos dele novamente. Ele começou a se curvar pra me beijar.

- Não! - Eu o empurrei. - Como pode fazer isso comigo? Você primeiro me humilha, me trai com minhas duas melhores amigas e quer voltar comigo? - Eu quase gritei. Algumas pessoas já pararam pra ouvir. - Você é mesmo um idiota, Freddie! - Eu falei e comecei a andar.
- Você vai voltar, ! Não vai aguentar ser uma loser por muito tempo! - O ouvi dizer e me abracei.

Ok, talvez vocês vão rir de mim, mas... Eu escuto Backstreet Boys quando estou deprimida. Eles são incríveis e lindos! Eu amo essa banda desde que eu aprendi a falar. Eu sei todas as músicas deles e algumas coreografias também.
Ok, não são as únicas bandas que eu escuto, tá bom? Também gosto de ouvir rock pesadão quando estou arrumando meu quarto. Tá, eu às vezes gosto de ouvir eletrônica também. Isso me faz uma estranha musical ou algo pior? Não, é apenas questão de gosto musical. Enfim, isso não tem nada a ver!
Mas o sabe cantar. E ele dança também. E é fofo, atencioso... Não! Eu quase pude ouvir minha consciência gritando com sua voz mandona.

- Argh! Isso é ridículo! - Fui até meu iPod e coloquei um rock bem pesado pra tocar.

Ótimo, isso vai manter a raiva em meu coração bloqueado anti-amores-que-me-machucam.

P.O.V on

Uau! Eu estou impressionado. Por que a não usa mais esse uniforme de líder de torcida? Ela fica muito gostosa com ele. Eu admirava sua foto no espaço reservado para troféus e fotos do pessoal da escola.

- Vai por mim, muito fútil! Louca por popularidade. Embora agora ela seja só apenas mais uma na escola. - Olhei para uma garota parado ao meu lado.
- E você é...? - Eu perguntei.
- , mas pode me chamar de ! - Ela riu.
- O que aconteceu com a popularidade da ? - Eu perguntei interessado.
- Cara, em que terra você estava? - Ela perguntou rindo. - Vem, eu vou te contar tudo! - me arrastou pela mochila.

Compramos um lanche na cantina e nos sentamos para conversar. Gostei do estilo da , talvez possamos ser amigos.
- Você é novo aqui? - Ela perguntou e eu ri. Pelo visto ninguém me reconhece. Isso pode ser bom...
- Pois é! - Falei rindo. - Então... Sobre aquela história... - Eu pressionei interessado.
- Ah, claro! - Ela falou. - Sabe, a e o Freddie eram o casal mais popular da escola. Ela era a principal líder de torcida e ele o quarterback do time de futebol. Todos os amavam. Sinceramente, não sei pra que isso... São só dois adolescentes normais, mas vestidos uniformes, sabe? É tipo um rótulo. – Ela falou rindo. - O fato é que o Freddie a traiu com suas duas melhores amigas e aí a bomba explodiu. Foi um bafão dos grandes na escola! Os dois terminaram, ela o perdeu e perdeu também sua popularidade. Sério, de cem pra zero de uma vez só! Tadinha, ninguém merece isso! - Falou pegando uma batata frita e jogando dentro da boca.
- Nossa, deve ser muito triste pra ela. - Eu falei.
- É claro que é! Eu quero dizer, ninguém quer perder o Freddie-gostoso-mas-nenhum-cérebro-Pierce! Foi questão de segundos. - Eu ri do jeito que ela falou.
- Vai dizer que não queria ser popular também? - Eu perguntei rindo.
- Pra quê? Estou bem no meu lugar, ok? Não preciso disso. Além do mais, meu amigo, eu sempre fui uma loser. Você é novo aqui, então se quer ser popular, sugiro que pegue uma das líderes de torcida ou entre para o time de futebol ou basquete. - Eu ri alto.
- Não me vejo fazendo nada disso. Ok, talvez pegar uma das gostosas de uniforme seria legal! - rolou os olhos. - Mas... Meu lance é cantar. - Ela me olhou.
- Cantar? - Eu assenti. - Ah! Agora eu saquei. Você deve ser o novo cara do coral que as meninas não param de falar. - Eu ri. – “Ai meu Deus, ele é tão fofo”, “Ai ele dança tão bem...”, “Uh, eu quero que ele dance daquele jeito comigo!”. - Eu franzi a testa. - Não me olhe assim, só estou imitando minhas colegas. - riu.
- É legal, sabe? Digo, cantar no coral. - Ela deu de ombros.
- Se você ficar no coral, meu amigo, se prepare! Eles vão pegar pesado com você. - disse.
- Você quer dizer, os populares? - Ela assentiu.
- Eles massacram mesmo sabe? Sem pena! - Eu dei de ombros.
- Então deixa eles virem. Eu realmente não ligo em ser popular ou não! - Ela me olhou rindo.
- Cara, eu gostei de você! - Lou disse. - Vem, vou te apresentar minha galera! - Nos levantamos e saímos andando, rindo e conversando.

_______________________________________
¹ - Onde você aprendeu isso?
² - Numa escola, obviamente.
³ - Vadia/cadela.
* Minhas lindas


De volta
Cara, me sinto tão enganada! O McFly me enganou! Amar não é fácil como diz a música, pelo contrário, é muito difícil. E quando tudo acaba, parece que nada faz sentido, como não está fazendo agora.

- Era pra ser fácil! - Eu gritei, enquanto batia o travesseiro contra meu urso enorme.

Teddy está comigo desde quando comecei a namorar o Freddie. Ele recebeu esse nome pra rimar, sabe? Isso é ridículo... O fato é: Eu ainda não consegui me desfazer dele. Teddy sempre esteve ali pra me abraçar durante a noite. Ele tinha um significado muito grande pra mim.
Mas isso acaba, agora!
Peguei uma tesoura grande e olhei pra ele com os olhos estreitos.

- Não faça essa cara de urso bonzinho, Teddy. Seu dono e você partiram meu coração! Vocês merecem uma morte lenta e dolorosa! - Falei como se o urso fosse me ouvir.

Comecei pelas orelhas, depois os braços, pernas e, depois, fui picotando - e fiz com muita raiva. Pensei no Freddie enquanto matava o Teddy. Muito dramático, eu sei, mas eu preciso me desfazer dessa única lembrança que eu tenho do Freddie. Só assim eu poderei seguir em frente.
Minutos depois eu olhava o Teddy. Ou melhor, as partes do Teddy pelo chão do meu quarto. Sorri satisfeita e comecei a colher a sujeira do meu quarto. Agora isso vai para o lixo, junto com as memórias do Freddie.

[...]

Um novo dia começou para mim. Espero que agora eu consiga, pelo menos, meu lugar principal nas líderes de torcida. Peguei meu uniforme e entrei no banheiro.
Enquanto passava pelo corredor, todos pararam pra me olhar. Um sorriso vitorioso surgiu em meus lábios. Passei por , que conversava com uma garota. Ri dele quando deixou todo o refrigerante derramar em sua roupa. Vi Olívia conversando com algum cara e mandei um beijo para ela. A vi dar um soco nele quando ele me olhou.
Andei pela lateral do campo de futebol, até onde as meninas ensaiavam, e parei cruzando os braços. A treinadora me olhou.

- O que faz aqui usando esse uniforme? - Ela perguntou.
- Eu vim ocupar meu lugar novamente. - Eu disse confiante.
- Não, , você está fora. - Ela disse e deu as costas.
- Mas por quê? Você não pode me excluir assim! Meu nariz está ótimo se você consegue ver. - Eu apontei para ele. - Você não pode fazer isso comigo, Suzan. Já ganhamos muitos campeonatos porque eu estava na frente dessa equipe. - Eu falei.
- Isso é verdade, treinadora! Desculpe, Brittany, mas você não sabe coreografar como a . - Lucy me defendeu. Brittany me olhou e eu arqueei a sobrancelha.
- Ok, você pode voltar. - Suzan fa por fim. - Brittany, de volta para a base! - Eu sorri vitoriosa. Andei até Brittany.
- Você pode ter roubado meu namorado, mas não vai roubar meu lugar nessa equipe. - Eu falei.
- Vamos ver! - Ela disse e saiu andando.
- Bem-vinda de volta, . - Uma das meninas disse e eu ri. Olhei em direção aos meninos treinando e meu olhar se encontrou com o de Fred.
- Vamos lá, meninas! Vamos aquecer! E um, dois, três... - Eu disse voltando minha atenção às meninas.

P.O.V on
ria de mim, enquanto eu olhava pra minha roupa molhada de refrigerante. Acabei me distraindo com a passando perto de mim com seu uniforme minúsculo. Cara, eu tive várias fantasias com ela naquela roupa. Nossa, como eu amo essa escola!

- Você é lesado, meu filho? - falava rindo de mim.
- Qual é, você viu ela passando por aqui? - Ela rolou os olhos.
- Ela é só uma garota de uniforme, ! Cai na real, ela nunca vai olhar pra você. - Eu dei de ombros.
- Não fique com ciúmes, gata, tem pra todas! - Eu passei o braço por seus ombros.
- Cala essa boca! - disse e nós rimos.
- Hey, por que você não entra para o coral? - Eu perguntei e me olhou. Ela caiu na risada, e eu fiquei sem entender.
- Eu sabia que esse povo do Canadá puxava “unzinho”. - Disse rindo. - Tá doido, ? O que eu vou fazer num coral se eu nem canto? - Ela perguntou.
- Oras, mas eu sei que você dança. - Eu a empurrei pelo ombro. - Também precisamos de dançarinos. - Ela me olhou rindo. - E quem sabe bem aí no fundo não existe uma Celine Dion pronta pra dar o ar da graça! - Ela balançou a cabeça.
- Tsc, tsc, você não é certo da cabeça, jovem! - Ela disse rindo. - Ah, não tenho certeza... Meu nível de popularidade vai ir menos cem. - riu sem graça. - Mas quer saber? Que se foda! - Ela me olhou rindo de lado. Rimos cúmplices. - Vamos botar pra foder nesse coral! - Ela disse.
- É assim que se fala! - Fizemos high-five.

Estávamos andando de boa pelo corredor, rindo de coisas idiotas, quando, de repente, sinto algo gelado me molhar a cara.

- Bem-vindo ao clube dos losers! - Dois caras bateram as mãos e saíram correndo.
- Que merda foi essa? - Eu perguntei olhando pra .
- Isso é seu cartão de bem-vindo. Droga! - Ela passou a mão pelo rosto. - Se acostume a receber raspadinha na cara se quiser continuar no coral e andar comigo. - Eu respirei fundo. Não ligo pra essas coisas e a foi a mais legal comigo desde que cheguei aqui. - Vem, vamos limpar nossos rostos que eu tenho certeza que tem mais. - Ela me olhou e depois riu.

Pelo que notei dessa escola, tudo está mudado. São as mesmas pessoas, mas elas evoluíram... Para pior. Não quero sair do Clube do Coral ou deixar de andar com a só pra parar de receber raspadinha na cara. Isso não é legal, mas não estou nem aí pra esse lance de status. Isso é tão imaturo! Vou tentar continuar vivendo aqui, se tudo der errado, peço pra minha mãe me transferir, muito simples. Embora eu não queira deixá-la novamente. E quando eu digo “ela”, quero dizer a , não a escola!
Avistei se alongando na lateral do campo e acenei pra ela. Ela fez uma cara estranha e deu um tímido aceno pra mim. Parece que esse lance de popularidade importa muito pra ela. Parece que eu tenho algo com que competir para tê-la.
P.O.V off

[...]

Horário de educação física, um dos melhores horários que existem na face da terra. Nada de livros, cadernos, lápis... É quase um paraíso! Bom, seria meu paraíso, se não existisse Olivia e sua tropa para atrapalhar minha vida. Como essa garota pode ser tão piranha? E ela dando em cima do professor na cara dura? Balancei a cabeça ao ver a cena e rolei os olhos. Vi e a garota que sempre está com ele na arquibancada. Eles riem alto e fazem gracinha um com o outro. Ele a abraçou de lado e beijou sua cabeça. Eles andam bem juntos desde que ele chegou! Bom, não que isso seja da minha conta. Dei de ombros e fui até onde todos estavam. Comecei a me alongar junto de todos. Vi Olivia ir até e puxá-lo pela mão. Ela falava bem próxima dele, passando a mão em seu ombro. Af, eu mereço!
Tudo corria bem na aula, até eu ver Olivia e conversando muito próximos - lê-se: quase se fundindo - fora do campo de futebol. Não dei muita importância, afinal de contas, eu já sabia que ela cairia matando no novato! Quando ouvi gritos, olhei em volta procurando por algo que merecesse tamanha atenção. Os dois estavam se beijando. Bom, ele parecia meio surpreso, mas ainda assim não se afastou. Olivia tinha um sorriso vitorioso no rosto ao olhar todas as pessoas em volta gritando. Rolei os olhos e fui andando em direção ao vestiário. Não sei o porquê de eu ficar assim, eu nem quero nada com aquele cara. Mas por que me senti tão incomodada com aquele beijo? Olha o recalque, ! Pude ouvir com clareza a interior falar.
Quando estava saindo da escola, vi o pessoal do coral saírem da sala de música. Todos conversavam alto e riam. e sua amiga estavam entre eles. Será que ela também faz parte do coral? Ai, o que eu tenho a ver com isso?

P.O.V on
É, lá está ela... Linda como sempre. Eu estava escorado à parede enquanto esperava e observava conversando com algumas meninas. Nossa, que sorriso! Que cabelo! O jeito que ela mexe nos cabelos é a melhor cena que eu poderia ficar olhando.

- ? ?! - Tomei um susto com a voz de . - Meu filho, se olho secasse, a estaria mais seca que já é. - Ela disse me tirando do meu transe.
- Af, você sempre corta meu barato! - Falei.
- Cara, na boa, o que você quer? Já não foi suficiente pegar a piranha da Olivia? - perguntou. - A propósito, sugiro que prepare a pomada, ok? - Ela disse rindo.
- Pomada pra quê? - Perguntei.
- Oh, amor... Você teve muita coragem de beijar aquela boca. Todo mundo sabe que a Olivia já chupou metade do time de futebol e outra metade do time de basquete. E dizem que o professor também! - Eu fiz uma cara de nojo.
- Isso é sério? - Eu perguntei e ela assentiu. - E você me avisa só agora? - Ela deu de ombros.
- Eu não quis cortar o seu barato. - Ela piscou e começou a andar. - Mas sério, ache uma garota decente pelo menos, por favor! - falou. - Menos a ... Muita areia pro seu caminhão e está indisponível! - Eu franzi a testa.
- Por que “indisponível”? - Perguntei curioso. - Ela não terminou com o tal do Freddie? - Ela confirmou com a cabeça.
- Sim, e é justamente por isso que eu sei que ela não está disponível. Ela está com o coração quebrado! - fez drama.
- Mas eu sempre fui a fim dela! - Eu disse suspirando.
- Sempre foi? Como assim? - perguntou.
- Se eu te contar uma coisa, promete que vai manter segredo? - Ela assentiu. - Vem, eu vou te contar... - A puxei para um canto contando toda a história pra ela.
- Caramba, você tá muito mudado! - Ela disse com a mão na boca.
- Ok, pode dizer que eu tô gostoso. - Falei e ela rolou os olhos.
- Tá gatinho, mas não se ache muito. Enfim... Cara, você sempre foi a fim dela! Que romance mais triste. - Ela deu tapinhas em meu ombro.
- Mas eu vou conseguir conquistá-la, você vai ver. - Eu falei decidido.
- Uh, boa sorte, querido! Duvido muito que consiga, mas vai na fé! - disse rindo.
- Quer fazer uma aposta? - Eu ri de lado.
- Aposta? Que tipo de aposta? - Ela perguntou rindo.
- Se eu conseguir, você vai ter que fazer minhas tarefas de matemática durante um mês! - Ela rolou os olhos.
- Vou fazer com prazer, queridinho! - Apertamos as mãos.
P.O.V off

[...]

Se tem uma coisa que odeio, essa coisa é esperar. Minha mãe poderia me dar um carro e resolver esse problema. Eu estava parada na frente da escola vendo todos entrar em seus carros ou ônibus escolares e irem embora, enquanto eu parecia uma pateta parada.
Vi e sua amiga - agora eu penso que não é só amiga - irem em direção a um carro preto, muito bonito, por sinal, meus olhos chegam doer de tanto brilho. Eles me olharam e acenou. Dei uma acenada rápida e bufei.

- Hey, , por que tá aí sozinha? Esperando alguém? - Ele perguntou.
- Esperando minha mãe vir me buscar. - Falei cruzando os braços.
- Não quer carona? Posso te levar, se quiser. - Mordi a boca. O novato sendo legal comigo?
- Mas ela deve vir ainda. Às vezes ela demora. - Eu ri fraco. O anda com uma dos losers, isso não vai ser bom pra mim.
- Uma ligação resolveria o problema! - A menina disse rindo.
- É! Liga pra ela e diz que vai com a gente. - insistiu.

Olhei em volta, não vendo quase ninguém. Dei de ombros, indo em direção a eles. Ele abriu a porta de trás pra mim, me fazendo rir fraco. Ai meu Deus! Além de lindo, fofo e talentoso, o cara ainda é cavaleiro? Por favor, eu quero morrer agora!

- E aí, estão a fim de um sorvete? - perguntou.
- Eu acho que você lê mentes, gato! - Disse a garota.
- Ah! Eu ainda não apresentei minha amiga. Essa é a ! - falou.
- Amiga não... - Eu gelei ao ouvir. - Melhor amiga, seu idiota! - Eu quase respirei aliviada. Ai, qual o meu problema? Sem relacionamentos, !
- Tá, tá, BFF! - Ele disse rindo. - E então, , vai com a gente? - Eu fiz bico.
- Hm, não sei. Meu pai não gosta que eu saia sem avisar. - Falei.
- Já que vai ligar pra sua mãe, aproveita e avisa. É só um sorvete, garota, não estamos te sequestrando. Apesar de que o adoraria fazer isso... - Eu arregalei os olhos.
- Cala essa boca! - Ele deu um tapa na cabeça dela.
- Vai dizer que é mentira? - Eu ri fraco.
- Fica quietinha, tá? - Ele disse dando partida no carro.

E minha tarde foi melhor do que eu pensei. e são muito divertidos, me fizeram até chorar de rir. Eles têm uma amizade muito legal, o que me fez ficar com inveja, pois não tenho ninguém assim pra passar o tempo comigo. Bom, eu não posso me envolver muito com eles, não quero ficar com fama de perdedora.
Ai, o que eu tô dizendo? Preciso muito rever meus conceitos!

Aprendendo com os erros
Ah! O doce som dos aplausos das pessoas... Lá estava eu, sendo coroada como rainha do baile. Linda, como sempre. Cabelos perfeitos, vestido perfeito, acompanhante perfeito... Espera! O que o faz ao meu lado?

- Au! - Eu disse quando senti meu corpo de encontro ao chão. Olhei em volta e caí na real. - Uffa, foi só um sonho... - Eu disse me levantando.

Engraçado como o não para de me atormentar. Ele é engraçado, legal, divertido, mas ele anda com aquela loser e eu não estou lá no meu melhor status.
Perder o Freddie me fez perder cinquenta por cento da minha popularidade na escola. Eu mereço? É claro que não! Quero dizer, ninguém sobrevive naquela escola se não for popular. Eu sei que isso é muito fútil, mas, sério, o ensino médio é um inferno se você não tiver algo pra se sustentar.
O tem me dado bastante atenção, tenho ficado depois da aula dois dias da semana pra ajudá-lo com as matérias. Ele é muito inteligente e pega tudo muito rápido. Preciso dizer que isso o deixa mais interessante? Foco, , FOCO! Eu preciso focar no campeonato. Tenho que bolar uma coreografia nova pra gente ganhar. Se eu conseguir novamente, vou recuperar meus cem por cento de popularidade. Não preciso de homem nenhum pra obtê-la.
Eu estava passando perto do auditório quando ouvi uma música que eu adoro. Reconheci a voz do e resolvi espiar. Meu Deus, o Clube do Coral cantando Backstreet Boys?! Essa eu preciso ouvir. Nossa! Eles são realmente bons, e o fica muito bonitinho cantando. Eu meio que fiquei perdida ao vê-lo abraçar uma menina. Todos começaram a pular animados.

- Muito bem, gente, vocês foram incríveis! - Disse o sr. Wall, professor de música.

Não fiquei muito tempo. Apenas fui espiar por que... Porque é uma música linda e se eles a estragassem, eu protestaria. É!

[...]

Enquanto eu passava pelo corredor, conversava com a Olivia, mas seus olhos não saíram de mim. E assim eu fui andando, olhando para trás, perdida em seu olhar...

- Au! - Eu trombei em alguém.
- Ai, garota, olha por aonde anda! - Disse colocando a mão na testa.
- Me desculpe, estava distraída. - Falei.
- Tá legal, . Da próxima te dou um soco bem no meio da cara. - Ela disse e eu arregalei os olhos. - Ai, eu tô brincando! - Disse rindo, e eu ri aliviada.
- Hey, ! - Nós duas nos viramos em direção à voz de .
- Olha só você, pegando a baranga da escola. Já te disse pra parar antes que pegue alguma doença. - disse o fazendo rolar os olhos. Eu escondi um sorriso, abaixando a cabeça. - Não levou a sério o que eu te disse? - Ela perguntou rindo.
- Cala essa boca! Não tô pegando ninguém. - Ele disse. - Oi, colega. - Ele disse me olhando com um enorme sorriso dos lábios.
- Oi. - Eu falei rindo fraco. - Hm, eu vou na... biblioteca. Até mais! - Eu falei a primeira coisa que me veio na cabeça.

De longe eu via várias pessoas me olhando e eu logo tratei de me afastar deles. Saí andando rápido, me escondendo atrás de uma pilastra. Quando dei um passo, dei de cara com o peito de alguém.

- Oi, . - Freddie e seu sorriso estavam na minha frente. Parece que hoje é o dia de sair trombando nas pessoas.
- Af, você... - Eu falei e sai andando.
- Eu tenho uma proposta pra te fazer. - Freddie veio me seguindo.
- Não estou interessada em nada que venha de você. - Ele parou na minha frente e eu cruzei os braços.
- Por que está andando com aqueles perdedores? - Ele perguntou. Bufei e desviei dele.
- Não é da sua conta! - Eu falei irritada.
- Espera aí! - Ele puxou meu braço. - Vamos dar uma trégua, gata. Estou sentindo tanto sua falta... - Rolei os olhos e ri.
- Ai, cala essa boca, Freddie! - Eu quase gritei. - Eu não vou cair na sua, ok? Já chega disso, eu não quero mais ficar com você. - Falei irritada. - E vê se para de me seguir ou eu juro que vou te dar um soco na cara! - Eu falei e me virei de costas para ele.

Ai. Meu. Deus. Eu disse isso? Socorro! Acho que a me fez ficar agressiva também. Preciso fugir disso um pouco.

[...]

Na hora do intervalo, eu estava sentada em uma mesa sozinha, como sempre. Engraçado como minha mesa vivia cheia de gente e agora não tem ninguém. Suspirei triste, olhando para as outras pessoas rindo, conversando, brincando. e entraram no refeitório fazendo barulho e rindo alto. Todos olhavam para eles, mas os dois pareciam não se importar. Ri fraco ao ver os dois se empurrando na fila do lanche.
Por que eu tenho que ser tão ridícula? Me diverti tanto com os dois e agora eu estaria com eles se não fosse essa coisa de popularidade que me afeta. Esperei os dois se sentarem em uma mesa no canto e respirei fundo. Peguei minha bandeja e fui andando em direção aos dois.

- Oi, gente. Posso me sentar com vocês? - Eu perguntei parada na frente deles.
- Tem certeza? Seus amiguinhos populares não vão se importar? - perguntou rindo. Olhei para o chão e bufei.
- É, você tem razão. Eu vou procurar outro lugar... - falei dando meia volta. Isso que dá ser tão idiota.
- Hey, espera! Eu estava brincando. - Ouvi a voz de .
- Não, tudo bem, eu sei que agora ninguém me quer por perto. - Eu falei indo em direção à outra mesa. Peguei meu lanche da bandeja e sai do refeitório.

Ótimo, nem os chamados losers me querem por perto. Isso é para eu aprender que nem tudo é sobre popularidade. Droga, e agora como vai ser minha vida nesse lugar?

P.O.V on
- Você não devia ter dito aquilo. - Eu falei assim que ela saiu.
- Ah, qual é? Eu estava brincando! Não tenho culpa se ela não tem senso de humor. - deu de ombros. - Ela não vai andar com a gente, , ela se preocupa mais com a popularidade dela nessa escola. - Eu balancei a cabeça.
- Mas não é por isso que vamos tratá-la mal. - fez um estalo com a boca. - Eu vou procurar por ela. - Eu falei me levantando.
- Af, deixa de ser apaixonadinho, ! - Ela se levantou também. - Eu vou com você... - Eu dei de ombros. - Caras quando estão apaixonados ficam tão idiotas. - Ela falou rindo.
- Você vai ver quando encontrar alguém também! - Eu a empurrei.
- Mas até lá, estou bem, obrigada. - disse jogando os cabelos e andando na frente. Balancei a cabeça rindo.

Saímos à procura de , a encontrando no pátio, sentada debaixo de uma árvore. Ela estava com fones nos ouvidos e parecia cantar.

- Ok, boa sorte. - me empurrou.
- Você não disse que ia comigo? - Eu perguntei.
- É você quem gosta dela, bocó, não eu. Agora vai e chama ela pra sair. - Ela disse rindo.
- E se ela não aceitar? - rolou os olhos.
- Você volta correndo pra mim e eu vou te consolar, como a bela amiga que eu sou. Agora vai, ! Você quer a garota, não quer? - Eu assenti. - Então ela está bem ali, sozinha e pronta pra você. - Eu ri.
- Adoro seus conselhos. - Falei rindo.
- Eu sei, eu também. Agora vai! - Ela disse me empurrando.

Fui andando devagar, ainda olhando para Lou. Ela acenou com a mão pra mim e tinha um sorriso esperto nos lábios. Testei meu hálito e fui em direção a ela.

- Oi, . - Eu falei parando na sua frente. Ela me olhou e tirou seus fones de ouvido.
- Oi. - Ela disse baixo. - Tá fazendo o que aqui? - Ela perguntou, parecendo chateada.
- pediu desculpas pela brincadeira, ela não quis dizer àquilo. - Falei me sentando ao seu lado.
- Foi exatamente o que ela quis dizer, . Mas tudo bem, eu entendo. Estou pagando por ter sido tão ruim com as pessoas. Agora sou eu que estou sozinha. - falou.
- Você não está sozinha. Você tem a mim... e a também, por incrível que pareça. - Falei rindo. Ela apenas me olhou, mas não riu.
- Ela não gosta de mim, eu sei... - Ela falou.
- Ela é assim mesmo: um poço de delicadeza, mas ela é legal, você vai ver. - riu fraco. - Tava ouvindo o quê? - Eu perguntei rindo.
- Backstreet Boys. - Ela falou.
- Sério que você gosta? Eles são bem legais! - Falei rindo.
- Eles são tão lindos, e ainda por cima dançam e cantam. Eles são a maior boyband que já existiu! - Ela disse com cara de apaixonada. - E eu ouvi vocês cantando. - Ela disse rindo esperta.
- Ok então, boybander, vamos para a sala? - Ela assentiu rindo. Me levantei primeiro, a puxando pelas mãos. Ficamos bem próximos quando ela se levantou. olhou para cima, por ser bem mais baixa que eu e riu fraco.
- Por que você é tão legal comigo? - Ela perguntou.
- Porque eu gosto de você. - Falei abertamente.
- Você é muito fofo, sabia? - Ela alisou meu rosto. Senti algo muito bom por dentro.
- Eu tento. - Falei e ela sorriu. - Vamos para a nossa aula de biologia. - Saímos andando lado a lado.
P.O.V off

[...]

sabe como ser gentil, de todas as formas. Eu tentei ignorar seu sorriso, que surgia enquanto falava comigo. Todos nos olhavam, comentando e cochichando. Eu estava até feliz, mas quando vi Olívia vindo em nossa direção igual um furacão, eu achei que ela fosse me bater.

- , onde você estava? Eu te procurei por toda a escola! - Eu me afastei dele.
Me procurando pra quê? - Ele perguntou. Todos pareciam muito interessados na cena.
- Oras, por que... Porque nós estamos juntos! - Eu abri a boca.
- Nos vemos outra hora, . - Eu falei saindo dali antes que sobrasse pra mim.
- Não, não, espera! - Ele pediu e eu parei onde estava. - Olha, Olivia, deixa eu te esclarecer uma coisa: nós não estamos juntos, nem mesmo temos nada ok? - Eu coloquei a mão na boca. Olivia sendo detonada? Meu Deus, isso é um sonho pra mim!
- Mas... - Ela me olhou. - A culpa é sua, sua mosca morta! - Ela veio em minha direção.
- Hey, espera aí! - - entrou na minha frente. - Ela não tem culpa de nada, sou eu quem não quero. Desculpe, Olivia. - Todos comentavam enquanto eu tentava não rir da cara de ódio dela. - Vamos, ! - Quando passou o braço por cima de meu ombro, eu tive certeza que aquilo ia repercutir por muitos dias.
- Ah, seu idiota! Você vai se vê comigo! - Olivia gritou.
- Parece que você tá ferrado. - Falei rindo.
- Quem se importa? Não tô a fim dela, nunca estive. - falou me olhando, e eu ri fraco.

Uma coisa que não devo negar: ele mexeu comigo de uma forma que eu não sei explicar, mas, então, a imagem de Freddie na cama com Brittany e Kim veio em minha mente. Não, eu não posso me apaixonar por ninguém! Ainda está muito recente o que me aconteceu. Não quero passar por isso de novo. Preciso colocar uma barreira entre qualquer garoto e eu. Não posso ser tão idiota e acreditar em alguém de novo. É, não vou me permitir apaixonar por ninguém!

Os melhores amigos
P.O.V on

Eu via e conversando animados em um canto e ri de lado. Aposto que ele ta dando em cima dela. É bem a cara dele!
Estamos na sala de dança, estamos montando um grupo para nos divertirmos, sem nenhum fim. Fizemos um cartaz e anunciamos no mural durante a semana. Pra minha surpresa, veio muita gente. Quando vi entrando na sala, meu coração deu um salto. Ela tinha um sorriso bonito nos lábios.

- Hm, nada mal hein? Tem bastante gente! - Ela se aproximou de mim.
- E você, veio participar também? - Eu perguntei rindo.
- Não, só vim olhar mesmo! - falou.
- Oi, gente! - chegou toda animada.
- Oi. - respondeu.
- Nossa, , seu amigo é um gato! E superinteressante. - Ela disse me abraçando de lado. - Acho que vou chamá-lo pra fazer um dueto comigo. - Ela riu de lado.
- Você entrou para o coral? - perguntou.
- Sim. E eu até que gostei, sabe? Tudo bem que eu nem canto, mas eu sou uma das dançarinas! Você devia tentar também! - disse e riu.
- Acho que não é muito a minha cara! - Ela falou.
- Você não sabe o que está perdendo, gata! - piscou. - Vai, vamos começar a ensaiar nossa coreografia. - Ela falou.
- Tem certeza que não quer dançar? - Eu perguntei.
- Tenho. Olha, eu vou indo. Esqueci-me de que eu tenho que ir à biblioteca devolver alguns livros. Mas eu prometo que outro dia eu venho ver vocês. - Ela disse me dando um beijo no rosto. - Tchau. - Ela saiu andando rápido.
- , para de babar nela e anda logo! - saiu me puxando.

Preciso ficar com essa garota, ou eu juro que vou ficar louco! Ela me persegue o tempo todo. Em meus sonhos, ela é minha, como eu sempre quis. AH, ... Se você soubesse que eu sempre gostei de você!

[...]

não para de me olhar enquanto a professora explica a matéria. Mal consigo olhar para frente. Ele me deixa tão sem graça, que nem consigo olhar pra ele. Coloquei o cabelo atrás da orelha e procurei algo pra ler no meu caderno.
E bem ao meu lado, Olivia me olha com seu olhar mortal. Acho que ela quer arrancar minha cabeça agora! Na verdade, estou adorando isso.
Quando estava passando pelo corredor, vi um anúncio que logo me interessou. O show de talentos da escola que acontece todo ano. Eu amo participar e sempre faço alguma apresentação. Eu já ganhei muitas competições.
Já até sei o que fazer! Vou chamar as meninas do time de torcida para fazermos alguma coisa. Isso, e vamos ganhar novamente!

[...]

Ah, como eu amo ter horário vago! Ficar sem fazer nada pra fazer é ótimo! Eu e estamos sentados na arquibancada, jogando conversa fora e rindo. sabe como divertir uma garota.
- E aí, você viu o anúncio do show de talentos? - perguntei.
- Sim, eu vi. E vou me apresentar também! - ele disse.
- É mesmo? E vai fazer o quê? - perguntei curiosa.
- Vou cantar, claro! É o que eu faço de melhor. - ele piscou.
- Que legal! Mas você vai competir comigo, então boa sorte! - falei rindo me gabando.
- Ê, tá me tirando, ? Eu vou ganhar essa competição! - disse rindo.
- Então que vença o melhor! - eu o provoquei.
- Ótimo! - ele apertou meu nariz.
- OI, CASAL! - gritou, começando a subir as arquibancadas. - Então é aqui que vocês vêm se pegar? - eu pisquei algumas vezes.
- Não estamos nos pegando. - eu falei.
- Ah não? Desculpa, achei que tava rolando um clima entre vocês! - riu cínica e eu estreitei os olhos pra ela. - Vocês não vão acreditar... O me chamou pra sair no fim de semana! - ela falou animada.
- Hm, safada! Enfim você conseguiu! - disse rindo.
- Ai, ele é tão sexy, com suas roupas largas e estilosas. - eu fiz uma cara engraçada.
- Ele me dá um pouco de medo! - falei e ela me olhou.
- Medo por quê? - ela perguntou.
- Ah, sei lá! Ele tem aquele jeito de malandro e um jeito estranho de falar. - ela rolou os olhos.
- Impressão sua, gata. Ele é um amor, chega até a ser sonso! - disse rindo. - Enfim, por que estão aqui? - ela perguntou.
- Horário vago. - respondeu. - E você? - ela riu.
- Matando aula de Geografia. Eu já sei onde fica meu país, tá bom por demais! - nós rimos.
- Ai, , só você mesma! - falei. - Hey, eu e as meninas da torcida vamos ensaiar um número de dança pra apresentar no show de talentos. Não quer entrar? - perguntei.
- Ah sei lá, não gosto dessas coisas! - disse fazendo bico.
- O vai cantar, mas nós vamos ganhar, claro! - falei convencida.
- Você vai ver que eu vou ganhar! - apontou para o peito.
- Não, eu! - falei.
- Eu! - ele disse se aproximando mais de mim.
- Ai, parem de viadagem e se beijem logo! - falou e eu me afastei toda sem jeito. - , você ta vermelha! - falou rindo.
- Hm, é culpa sua! - falei.
- Ah deixa disso, garota! Eu só estava brincando! - ela disse.
- Não precisa ficar assim. - disse. - Me beijar é muito bom! - Eu ri.
- Nossa! Seu ego é do tamanho do mundo ! - eu o empurrei.
- Vocês formam um casal bonitinho - falou. - Espera, deixa eu tirar uma foto de vocês. - ela disse pegando o celular.
- Ah não, pra que tirar foto? - eu falei tapando o rosto.
- Vamos, só uma foto! Nós não temos uma foto juntos! - insistiu chegando mais perto de mim.
- Ok, vocês são muito chatos! - eu me dei por vencida. passou o braço por minha cintura, me puxando para mais perto. Senti um arrepio me percorrer.
- Vocês não vão rir? - perguntou. Nos olhamos e caímos na gargalhada. - Pronto, tirei! Hm, não é que ficou bonita! - ela disse. - Vou fazer uma amarração pra vocês dois! - eu ri alto.
- Não precisa! Eu sou muito gato e ela vai cair de amores por mim! - falou.
- Af, convencido! - eu o empurrei, mas ele me abraçou forte.
- Hm, outra foto de vocês demonstrando afeto. Agora só falta imprimir e distribuir pela escola toda! Caralho, eu vou ganhar muito dinheiro! - Eu rolei os olhos.
- Você é louca, garota! - falei rindo.
- Você me ama que eu sei! Agora eu vou voltar pra minha aula e deixar vocês namorarem! - ela falou rindo de lado. – Bye, bitchies - eu balancei a cabeça.
- Ela é muito doida! - falou.
- Completamente! - falei rindo.

[...]

Na hora da saída da escola, disse que precisava falar comigo. Fiquei a esperando na frente da sala dela, morrendo de ansiedade pra saber o que era. Quando a vi saindo da sala, fui até ela.
- Ai me conta! To morrendo de curiosidade! - falei a puxando pelo braço.
- Caaalma! - ela disse rindo. - Preciso te falar algo sério... - ela falou. - É sobre o ! - eu gelei.
- O que houve com ele? - perguntei.
- Não houve nada. - paramos na saída. - Ok, eu vou te falar, mas não surta! - eu assenti. - O tá a fim de você. - eu arregalei os olhos, piscando rápido.
- Claro que não, engano seu! Somos só amigos! - ela bufou rolando os olhos.
- Ai, , para de ser sonsa! O cara ta caidinho por você! - eu respirei fundo.
- Mas é que... Eu não posso me apaixonar de novo, eu não quero! - me puxou para um canto.
- Não vai me dizer que ainda gosta do idiota do Freddie? - eu dei de ombros.
- É muito recente! Eu não quero me machucar de novo! - falei me abraçando.
- Com o você não vai, tenho certeza! - eu olhei pra ela.
- Eu sei. Mas eu não acredito no amor mais, . Eu nunca vou esquecer o que ele fez comigo! - ela suspirou.
- Ai que bobagem! Mas ok, tudo em seu tempo. Mas não cai nessa que amor não existe! Quantos caras você namorou? - eu ri.
- Só o Freddie! - ela riu.
- Só o Freddie. E tem certeza que o amor não existe? Cara, você precisa andar mais comigo! - nós rimos.
- Às vezes eu sinto uma coisa muito boa quando o me toca, sabe... Mas aí eu me lembro do que o Freddie me fez e tudo vira uma bagunça! - - ela balançou a cabeça.
- Ta tudo bem. Esquece o Freddie, ok? Ele é um babaca! Dá uma chance pro , amiga. Aposto que ele vai te fazer muito feliz! - eu ri.
- Eu vou tentar! - falei. - Mas não quero ninguém me pressionando!
- Assim que se fala! E para de ser tão tímida! - ela disse rindo.
- Eu sou assim! - dei de ombros. - Você não vê como eu fico quando ele me elogia? Fico parecendo um tomate! - nós rimos.
- Você tá precisando de umas aulinhas com Johnson! - ela fez uma dancinha.
- Oi, garotas! Ainda estão aqui por quê? - veio até nós.
- Eu estava te esperando pra me dar carona! - disse piscando os olhos.
- Ah, claro! Vou comprar uma plaquinha escrito “motorista da ”. - nós rimos.
- Oh, , você sabe que eu te amo, né? - ela disse rindo.
- Sei... E você? - ele se virou pra mim.
- E eu o quê? - Perguntei.
- Em que mundo você tá, garota? - ele perguntou rindo.
- Ah, eu tava viajando aqui! - Menti, olhando para . Ouvi uma buzina e olhei para a rua. Minha mãe acenou para mim. - Minha mãe! Nos vemos amanhã. - beijei os dois no rosto.
- Tchau. - disse rindo. - Vou te ligar hoje, ok? - eu assenti.

Enquanto eu andava até o carro, a notícia que me deu sobre martelava em minha cabeça. Será que é verdade? Tudo bem que ele fala umas coisas, mas eu pensei que fosse apenas para zoar. E ele vai me ligar pra quê?

P.O.V on

- Ela ainda está sofrendo! - disse enquanto víamos acenar para nós.
- O quê? - eu perguntei.
- Ela ainda está sofrendo com o término com o Freddie. Tsc tsc... Vai ser difícil você conquistar aquela ali, meu amigo. Ela não acredita mais no amor! - eu mordi a boca.
- Mas ela vai acreditar quando ela provar do aqui! - me mediu.
- Af, deixa de ser ridículo! - nós rimos. - Ok, se você gosta mesmo dela, eu vou dizer pra você ir adiante! Mas se for pra ela ser apenas mais uma conquista, eu não vou deixar! - eu arqueei a sobrancelha. - Tá, eu disse que ela era fútil e tal, mas eu mudei minha opinião, ok? Tirando essa coisa dela querer ser popular, ela é legal e até um pouco boba. Eu gosto dela! - eu ri fraco.
- , você sabe que eu sou gamado naquela garota desde que eu nem tinha pelos na virilha! - Ela caiu na gargalhada.
- E agora você tem? - ela perguntou e eu ri de lado.
- Você quer ver? - eu perguntei.
- Ah, por favor, ! Não é pra mim que você tem que mostrar! - ela arqueou a sobrancelha.
- Eu tenho fantasias com ela naquele uniforme todas as noites! - falei mordendo a boca.
- Coitada da ! Agora para de viajar e vamos embora! - ela saiu me puxando pelo braço.

Um sorriso idiota surgiu em meus lábios ao me lembrar da foto que nós tiramos hoje mais cedo. Eu fico cada vez mais apaixonado por ela. E olha que ela nem me dá bola. Mas eu não vou desistir.
P.O.V off

A maldita raspadinha
Ah! Não me sinto bem assim há muitos dias! Os dias se arrastam e eu nem vejo passar. e têm sido bons amigos e eu tenho me esquecido de toda a dor que eu sinto quando estou sozinha em meu quarto. Eu estava em meu armário, colocando minhas coisas para ir para a aula de laboratório.
Eu estava andando linda e diva como sempre, rindo feliz como não fazia há dias. Foi quando senti algo gelado me atingir o rosto. Ainda fiquei parada, tentando entender o que tinha acontecido.

- LOOOOSER! - me virei para ver quem era. Ninguém mais, ninguém menos, que Freddie Pierce.

Ele saiu rindo da minha cara com seus amigos, enquanto eu sentia meus olhos se encherem de lágrimas. Saí correndo em direção ao banheiro, não acreditando que ele fez isso comigo!
Eu me olhei no espelho e chorei ainda mais. As lágrimas rolavam por meu rosto enquanto eu me limpava com um pedaço de papel. Ouvi vozes de meninas e corri para um dos banheiros, trancando a porta. Coloquei a mão na boca, para que meu choro não saísse muito alto. Isso é humilhante! E eu sempre ria quando alguém levava raspadinha na cara. Como e aguentam isso?
Me sentei no chão, continuando a chorar. Não sei se é por ter levado raspadinha na cara, ou por quem jogou em mim. Eu estou acabada nessa escola!

P.O.V on

não apareceu na aula de laboratório, nem no intervalo e nem nos últimos horários. O que será que aconteceu? Será que ela foi embora? Já estamos na hora de saída e ela simplesmente sumiu.
Peguei meu celular e disquei seu número. Chamou umas 5 vezes e ela não atendeu. Ok, agora estou preocupado. Vi vindo andando com algumas pessoas e se despedir delas.

- Que cara é essa? - ela perguntou.
- A sumiu da escola e não atende o celular. - eu disse preocupado.
- Será que ela não foi embora? - perguntou. - Você procurou por ela? - eu neguei.

Foi quando eu a vi saindo da escola. Ela tinha a cabeça baixa e estava com a roupa molhada e vermelha. O que será que aconteceu? Mostrei e fomos andando até ela. começou a fazer o caminho oposto ao nosso.

- ! - eu chamei correndo até ela. - , espera! - eu a alcancei, puxando seu braço. Ela tinha os cabelos molhados e roupa suja de raspadinha. Seus olhos e nariz estavam vermelhos.
- Quem fez isso com você? - perguntou ao nos alcançar.
- Foi o Freddie! - falou. - Eu tenho que ir! - ela disse.
- , espera! Por que não vem com a gente? Eu te deixo na sua casa. - eu falei.
- Isso aconteceu comigo justamente por andar com vocês! Não percebem? - ela falou irritada. - Depois que comecei a andar com vocês, tudo ficou ainda pior pra mim! - eu olhei pra .
- Eu sinto muito. - falei.
- Vamos, ! Ela não merece andar com a gente! - disse e saiu andando. - É uma pena você estar passando por tudo isso! Mas nós nunca deixamos de apoiar você em nada. Deveria pelo menos ser grata! - ela virou-se e saiu correndo. olhava para o lado, menos para mim.
- Eu estou decepcionado com você. - eu disse e saí andando.

Vi sair andando para o outro lado e depois começar a correr. Balancei a cabeça e fui atrás de .

P.O.V off

[...]

Três dias se passaram sem que me desse pelo menos um bom dia. Durante as aulas, ele até se senta mais longe de mim, não me olha e eu tenho que ficar ouvindo as risadas e comentários maldosos de Olivia e suas amigas. No intervalo, eu fico observando o pessoal do coral rindo e fazendo gracinhas. Eles são tão felizes! Na quarta-feira fiquei esperando pra gente estudar, mas ele não apareceu. Nunca me senti tão sozinha! Mas isso tudo é culpa minha.
Mas eu bem que mereço isso!
Eu andava de um lado para o outro dentro do meu quarto, pensando se era uma boa ideia ligar para e e pedir desculpas. Como pude ser tão dura com eles?
Eu nunca soube o que é um amigo de verdade até conhecer os dois. E agora eu coloquei tudo a perder! Vou continuar andando sozinha, porque ninguém mais gosta de mim naquela escola.
Bem feito! Todas as coisas que eu fiz, voltando em dobro para mim.
Mas o que eu vou fazer pra recuperar meus amigos? Eu não quero ficar sozinha!

[...]

Depois de passar um tempo me lamentando, decidi que fazer algo que eu gosto seria melhor que ficar me martirizando por meus erros.
Peguei meu som e selecionei algumas músicas para tocar no Ipod. Preciso criar a coreografia do campeonato que está chegando. E depois vou me dedicar a ensaiar com as meninas para o show de talentos.
Passei quase a tarde toda inventando passos. Bom, eu tentei. Porque não consegui me concentrar em nada que eu fazia, caindo várias vezes.
Preciso fazer alguma coisa urgente!
Pedi meu pai dinheiro e peguei um táxi. Logo, eu estava em frente à casa de . Eu bem que queria voltar para trás, mas o taxista já tinha ido embora. Meu coração parecia que ia sair pela boca de tanto medo. E se ele me tratar mal? Me ignorar? Não vou suportar isso!
Depois de tomar coragem, apertei o interfone.

- Quem é? - uma voz de mulher perguntou.
- Meu nome é . Preciso falar com o . Ele está? - perguntei.
- Sim, só um momento. - ela disse e logo eu vi o portão destravar.

Empurrei-o e entrei na casa. Uau, a casa dele é enorme! Só havia visto por fora uma vez que passamos na frente da casa dele de carro.
Eu quase infarto ao ver um cachorro preto e grande vindo em minha direção.

- Ai meu Deus, eu vou morrer! AAAHH! - gritei colocando as mãos no rosto e travei onde estava.

Mas nada aconteceu. Tirei as mãos do rosto e olhei em volta. O cachorro estava me cheirando apenas. Quase respirei aliviada.

- Oi cachorrinho. - falei com a voz trêmula.
- NORTON! - ouvi a voz de gritar. O cachorro saiu correndo em direção a ele, parando ao seu lado.
- Se eu soubesse que tinha um cachorro quase maior que eu, não tinha entrado! - falei.
- O Norton não ataca ninguém! - ele disse. - Ta fazendo o que aqui? - ele veio andando até mim.
- É que eu... - abaixei minha cabeça, colocando meu cabelo atrás da orelha. - Eu preciso falar com você. - falei por fim.
- To ouvindo - falou cruzando os braços.
- Eu me sinto uma idiota por ter dito aquelas coisas pra vocês! Eu vim te pedir que você me desculpe por isso. - eu falei. Ele olhou em outra direção. - , por favor! - eu pedi chorosa.
Eu não devia! - ele disse. - A sente sua falta, sabia? - eu abaixei minha cabeça.
- Só a ? - perguntei olhando para ele.
- Não... - ele respondeu. - Eu também. - eu suspirei. - Por que ser popular é tão importante para você? - eu dei de ombros.
- Acho que me acostumei a ser bajulada por todos. Mas não faz diferença agora! - me encolhi.
- Eu posso bajular você, se quiser! - eu ri fraco.
- Mas você está com raiva de mim. - eu falei fazendo bico.
- Não tem como ficar com raiva de você por muito tempo! - me puxou para um abraço. De repente senti uma vontade de chorar ao me lembrar do Freddie rindo da minha cara depois de me jogar raspadinha. Escondi meu rosto em seu peito, deixando que as lágrimas caíssem. - Hey, o que aconteceu? Por que ta chorando? - ele perguntou.
- É que... Eu me senti tão mal pelo Freddie ter jogado raspadinha em mim! Logo ele! - Eu falei soluçando.
- , esquece esse cara! Ele é um idiota! - falou. - Olha pra mim... - ele segurou meu rosto com uma mão e com a outra limpou minhas lágrimas. - Ele não merece suas lágrimas e nem que fique tão triste por ele... - eu assenti fungando. - Não me obrigue a dar uma surra naquele bastardo! - Eu ri fraco.
- ! - eu falei rindo fraco.
- O quê? Eu posso te defender se quiser! - Ele disse rindo. O abracei novamente.
- Então estamos bem? - eu perguntei com a voz abafada por seu peito.
- Sim. Agora você tem a missão de convencer a ! - Nós rimos.
- Eu vou fazer o meu melhor! - Falei me soltando dele. - Alguma sugestão? - ele negou. - Droga! - falei socando o ar.
- Vem, vamos tomar café. Depois você pensa nisso! - ele me puxou pela mão.

[...]

Me larguei em minha cama ao chegar em casa com um sorriso leve no rosto. sabe como agradar uma garota. Talvez ele faça isso com todas. pode ter quem ele quiser com todo aquele charme dele. Menos eu, claro. Não posso me deixar cair nas garras dele. É, não vou.
Estive pensando um jeito de ficar mais próxima dos meus amigos. É uma ideia absurda, na verdade, mas deve funcionar, tem que funcionar! Quero provar pra todo mundo que eu não me importo o que pensam de mim. Eu quero mudar esse meu jeito de agir. Ser popular é bom até certo ponto. Ter amigos de verdade é muito melhor.

A escolha da música perfeita.
Naquela quinta-feira, cheguei à escola totalmente confiante. Eu estava passando pelo mural, quando vi um anúncio que me chamou atenção.

- Perfeito! - disse rindo de lado. - 16 horas no auditório, estarei lá! - Saí andando rindo.

Comecei a ensaiar a coreografia com todos da torcida, e fui muito elogiada por Suzan. Quando olhei em meu celular, já passavam alguns minutos das 5 horas. Droga, estou atrasadíssima!
Saí correndo, do jeito que estava, de uniforme e descabelada. Enquanto entrava no auditório, soltei meus cabelos e dei uma ajeitada neles.

- Oi, gente! - Eu falei totalmente ofegante entrando no palco. Todos me olharam.
- Desculpe, querida, a audição já acabou! - Uma das meninas disse.
- Não, pessoal! Mais uma pessoa! - Sr. Wall disse animado. - Qual o seu nome? - Ele perguntou.
- . - Falei. e me olhavam com caras surpresas. Não só eles, como todos.
- Ok , você tem uma música pra gente? - Eu assenti. - Tudo bem, o palco é seu! - Eu ri indo até o microfone e o tirando do suporte.

Andei até o pessoal da banda e perguntei se eles sabiam tocar uma música, das minhas preferidas. E era perfeita pro momento.

P.O.V on

Uau, ela está tão linda lá em cima! De uniforme e cabelos bagunçados. sabe como fazer uma entrada! Seu rosto está vermelho e suado, o que a deixa ainda mais fofa. Preciso dizer que estou surpreso? Muito! Ao mesmo tempo orgulhoso por ela ter se candidatado a entrar para o clube, mesmo sabendo o que pode enfrentar.
andou até o microfone novamente após falar alguma coisa com o pessoal da banda. Fiz “joia” com o polegar e ela riu fraco.
Os acordes de Dream On do Aerosmith começou a tocar e eu me endireitei na cadeira, debruçando meu corpo sobre outra cadeira da frente. Ela fechou os olhos por alguns instantes.

Every time that I look in the mirror
Toda vez que me olho no espelho
All these lines in my face gettin' clearer
Todas estas rugas no meu rosto aparecendo
The past is gone
O passado se foi
It went by like dusk to dawn
Passou como o crepúsculo à aurora
Isn't that the way?
Não é assim?
Everybody's got their dues in life to pay
Todo mundo tem suas dívidas na vida para pagar

Uau. Eu olhei pros meus colegas que tinham a mesma cara de surpresos pela voz dela. Ela parecia tão insegura parada no meio do palco, mas ainda assim, estava incrível.

I know, nobody knows
Eu sei que ninguém sabe
Where it comes and where it goes
De onde vem e para onde vai
I know it's everybody's sin
Eu sei que é o pecado de todo mundo
You got to lose to know how to win
É preciso perder para saber vencer

abriu os olhos e nos olhou. Havia tanto sentimento em sua voz. Talvez a música signifique algo para ela.

Half my life's in books written pages
Metade da minha vida está escrita em páginas de livros
Lived and learned from fools and from sages
Vivi e aprendi dos tolos e dos sábios
You know it's true
Você sabe que é verdade
All the things
Todas as coisas que você faz
Come back to you
Voltam para você

começou a andar pelo palco. Ela agora parecia mais solta e segura. Sua versão mais acústica da música deixava tudo ainda mais melancólico.

Sing with me
Cante comigo
Sing for the year
Cante pelo ano
Sing for the laughter n' sing for the tear
Cante pelo riso e cante pelas lágrimas
Sing with me
Cante comigo
If it's just for today
Se for apenas por hoje
Maybe tomorrow the good lord will take you away
Talvez amanhã o bom senhor a levará

Dream on, dream on, dream on
Sonhe, sonhe, sonhe
Dream yourself a dream comes true
Sonhe um sonho se torna realidade

balançou a cabeça na batida da música. Meus colegas pareceram gostar, pois estavam gritando feito loucos. Me levantei também e começamos a gritar.

Dream on, dream on, dream on
Sonhe, sonhe, sonhe
And dream until your dream comes true
E sonhe até que seu sonho se realize
Dream on, dream on, dream on
Sonhe, sonhe, sonhe

Nossa, isso foi incrível!
Ao final, ela estava descabelada e ofegante, o que me fez rir fraco. Todos começamos a aplaudi-la.

- Uau, ! Estou chocado com a sua voz! - Sr. Wall disse sorrindo.
- Cara, ela tem que entrar! - Jake disse animado. - Desde quando você canta, ? - Ele perguntou rindo.
- Nunca canto além do banheiro! - falou rindo encolhendo os ombros.
- Bem, acho que não tenho o que dizer mais! Seja bem-vinda ao clube! - Sr. Wall disse e batemos palma.
- Parabéns, ! - Gritaram juntos. Amber e Cindy não tinham caras muito boas. Talvez por medo de perderem o solo delas.
- Obrigada! - se curvou e saiu do palco. Andei até ela, a encontrando saindo do palco.
- Você foi incrível! - Eu parei na frente dela.
- Você achou? Eu estava um pouco nervosa no início, mas depois eu me senti mais solta, sei lá! Nossa, me sinto outra pessoa! - Ela me abraçou de repente. Eu apenas a abracei de volta.
- Sério, você impressionou todo mundo! - Eu disse ao soltá-la.
- Então quer dizer que você canta também! - se aproximou de braços cruzados.
- Acredite que eu estou tão surpresa quanto vocês. Nunca cantei na frente de ninguém. - falou rindo. - Amiga, você ainda ta com raiva de mim? - deu de ombros.
- O que você acha? - Ela perguntou.
- O que eu preciso fazer pra você me desculpar? Até o já me desculpou! - fez bico.
- Porque ele é a fim de você! - Eu olhei pra ela de olhos estreitos. - Ok, por que você entrou para o coral? O que você pretende? Não está com medo de continuar recebendo raspadinha na cara? - arqueou a sobrancelha.
- Não, se eu estiver com vocês! - disse.
- Eu não vou receber raspadinha na cara só pra te acompanhar, minha filha! - falou e nós começamos a rir.
- Ai, sua idiota! Cadê o amor? Cadê o companheirismo? - a abraçou.
- Ah que lindas, o amor está de volta! - eu abracei as duas.
- , ta me sufocando! - falou com a voz abafada.
- Eeeh amigos para sempre, muita cor e viadagem! - disse e nós rimos alto. Nos soltamos.
- Você não é amorosa! - falou.
- Vamos para nosso coral! Achamos nosso solo! - falei animado.
- Vejo altos duetos de nós duas no horizonte! - esfregou as mãos.
- Claro! Muitos e muitos! - a abraçou de lado e saíram andando. Balancei a cabeça rindo.
P.O.V off

[...]

Nunca pensei que seria tão bem recebida por todos do coral. Bom, eu nunca tratei ninguém bem, então posso dizer que estou surpresa. Tudo bem que Amber e Cindy, acho que são esses seus nomes, não ficaram muito contentes quando eu recebi um solo. Cara, eu cantando como principal logo de cara? E olha que eu achei que nunca ia cantar pra ninguém. Neguei por diversas vezes, mas todos falaram que minha voz era ótima, então acabei me contagiando por isso.
Conheci a Andy, a Kim, o Francis e o Harry, que também entraram para o grupo. Agora somos um total de 12 pessoas.
Depois da aula, eu e fomos para a biblioteca. Hoje é dia de estudarmos. Eu acho que essa é só uma desculpa pra gente passar mais tempo juntos, mas eu vou ficar fingindo assim como o . Porque querendo ou não, ele é uma ótima companhia.
Eu lia a matéria no livro enquanto ele fazia algumas anotações. Peguei uma mecha do cabelo e fiquei enrolando no dedo. Estava tão concentrada que nem notei que me encarava. Quando percebi, ele tinha o queixo apoiado na mão e me olhava como se eu fosse a oitava maravilha do mundo.

- O que foi? - Eu perguntei sem jeito.
- Nada! Só admirando sua beleza mesmo! - Eu senti meu rosto queimar imediatamente.
- Como você é bobo, ! - Falei rindo.
- Olha, quer saber? Eu já entendi toda essa matéria de hoje. Por que não vamos tomar um sorvete e dar uma volta? - Ele falou fechando o caderno.
- Hum, tem certeza? - Perguntei.
- Absoluta! - Ele disse com um mega sorriso. Sua boca vermelha e carnuda é algo a se admirar nele. Eu arregalei os olhos e olhei pra mesa quando percebi que estava o encarando. Ele riu de lado e eu engoli seco. - E então? Você vem comigo? - perguntou.
- OK. - Eu falei.

se mostra cada vez mais próximo e cada vez se mostra mais interessado. Ele nunca disse com palavras, mas seus gestos tem demonstrado isso. E covarde como eu sou, eu estou fugindo dele. Eu ainda não me sinto pronta pra um novo relacionamento, e eu gosto muito do como amigo.
Agora eu preciso me concentrar no campeonato e continuar ensaiando. Talvez eu até entre para o grupo de dança que formou. É uma coisa que eu gosto e pelo jeito é apenas por diversão. E grupos de dança sempre são legais!

Garotos x Garotas
Na tarde de sexta-feira, resolvi pegar a sala de dança para ensaiar com as meninas a música que vamos apresentar no show de talentos.
O bom da sala de dança é o enorme espelho que tem pra gente se ver. É até melhor pra ver quem está errando e fica melhor pra acompanhar.
Acabei convencendo Amber e Cindy para dançarem com a gente e elas logo toparam. Agora somos um grupo de 15 meninas. Isso vai ser lindo e épico!
Começamos nos alongando ao som de uma música da Rihanna. Comecei a dançar na batida da música e algumas das meninas começaram a me acompanhar. Logo estávamos todas dançando cada uma do seu jeito.
E então a música parou de repente.

- Mas o quê? - Eu me virei para ver o que tinha acontecido. - Por que você desligou? - Andei até .
- Nós temos horário marcado para ensaiar nessa sala! - eu ri.
- Ah tá! Conta outra! Eu reservei horário há mais de uma semana, querido. A sala é nossa! - Eu cruzei os braços.
- E vocês vão ensaiar o que exatamente? - Amber perguntou.
- Se esqueceram que nosso grupo de dança usa a sala? - perguntou com todo seu jeito de malandro.
- Tá, mas outro dia! Hoje nós temos que ensaiar pro show de talentos! - Eu falei dando as costas para eles.
- Dancem com a gente! - Michael deu de ombros. Me virei de volta. - Quem sabe vocês podem entrar para o grupo? - Eu olhei para as meninas.
- E aí, meninas? - Perguntei olhando para elas.
- Hum, pode ser legal! - Cindy disse.
- Ok, vamos lá! - disse colocando um CD no som.

Uma música conhecida do Chris Brown começou a tocar. Nos entreolhamos rindo ao ver os meninos começarem a dançar.

Okay
Tudo bem
Check it, check it, check it out
Saca, saca, saca só
It's Jake again
É o Santana de novo
One of them brand new big boy toys
Quero brinquedos novos de responsa
I do big boy things
Faço coisa de responsa
I make big boy noise cuz
Crio um som de responsa, porque
I know what girls want
Eu sei o que as garotas querem
I know what they like
Eu sei do que elas gostam
They wanna stay up, and party all night
Elas querem ficar acordadas, E farrear a noite toda
So bring a friend
Então traga uma amiga

Os meninos começaram a dançar e nós paramos lado a lado pra assistir.

Let me talk to you
Me deixe falar com você
Tell you how it is
Dizer como é
I was thinkin when I saw that body gotta get shawty
Eu estava pensando quando vi aquele corpo, tenho que chegar na gata
Tell her what the young boy gon do
Dizer a ela o que o menino novo vai fazer
So tell me what ya'll gon do
Então me diga o que vocês todas vão fazer -
cantou dançando bem próximo de mim.

I got friends, and you got friends
Eu tenho amigos, você tem amigas
They hop out, and you hop in
Eles saltam e você entra
I look fly, and they jockin
Eu chego maneiro e elas comentam
The way you drop, drop makes me wanna pop
O seu gingado me deixa louco - comecei a dançar com ele e joguei meu cabelo em seu rosto, me afastando.

[Meninos]

Is your man on the floor?
O seu namorado está na pista?
If he ain't
Se não estiver
Let me know
Me avise
Let me see if you can run it, run it
Deixe me ver se você dá conta, conta
Girl indeed I can run it, run it
Garota eu sei que dou conta, conta - os meninos cantaram juntos. Isso está ficando interessante.

You'll see
Você vai ver
Girl I can set you off
Garota eu consigo te ajustar
Don't believe my age is gonna slow us down
Não pense que a minha idade vai atrapalhar
I can definitly show you things
Eu definitivamente posso lhe ensinar coisas
That's gon have you sayin I can't be 16
Você nem vai acreditar que tenho 16 anos - me puxou pela cintura e cantou em meu ouvido. O empurrei rindo e ele riu de lado.

Once I get in you won't wanna go
Uma vez que eu entrar você não vai me deixar ir
(and I...)
(e eu)
I'll have yo girls wishin they were you
Eu vou ter suas amigas desejando ser você
(and I...)
(e eu)
I know your heard about me
Sei que já ouviu falar de mim
But guess what's goin down if we leave
Mas adivinhe o que vai acontecer se sairmos daqui

Eu e as meninas começamos a dançar na frente de cada um deles. tinha um sorriso sapeca no rosto. Estávamos nos divertindo naquele momento.

Girl you feel right
Garota, você se sente bem
(feel right)
(sente bem)
Make me feel like
Me dá vontade de
(feel like...)
(vontade de)
I wanna do a little something
Eu quero fazer uma coisinha - ele segurou minha cintura fazendo uns movimentos e eu o segui naquela dança. Preciso dizer que dançando me deixa agitada.
(do a little somethin)
(fazer uma coisinha)
Girl the way that your wearin them jeans is turnin me on
Garota a maneira que você veste seu jeans está me excitando
I'm the hottest thing thats in these streets
Sou o cara mais quente da rua
So baby won't you rock me
Então amor, você não quer me balançar?
Make it drop honey
Vai tirando querida
Make it pop honey
Vai mostrando querida
Whip, whop Tick, tock to da clock fo me
Vamos lá tique -taque no relógio pra mim
Don't stop doin that
Não pare de fazer isso
And shawty know I mean
E gata você sabe o que quero dizer
so she won't stop doin dat
Então ela não vai parar de fazer isso
Plus I heard if you can dance you can bump
Ouvi que quem dança manda bem na cama
Well dance, time is up, let's go, let's go (yup)
Bem dance, o tempo acabou, vamos lá, vamos lá (sim)
We can get it in
Nós podemos ganhá-lo
We can gets some friends
Nós podemos chamar alguns amigos
Do it like the ying yang twins and start
Fazer como os gêmeos ying yang e começar - vi puxar Malu pela mão a puxando para si.

[whisperin']
[Sussurrando]
Wait til' you see my
Espere para ver o meu
Wait til' you see my
Espere para ver o meu - ele cantou próximo ao seu ouvido e ela o empurrou morrendo de rir.

You tell your friends
Diga para as suas amigas
To get wit my friends
Ficarem com os meus amigos
We can be friends
Nós podemos ser amigos
Switch and meet friends (switch)
Trocar e encontrar amigos
We can do it all night long, and
Nós podemos fazer a noite toda, e
Til' da clock hit mornin ya dign
Até o relógio marcar o amanhecer

Is your man on the floor?
O seu namorado está na pista?
If he ain't
Se não estiver
Let me know
Me avise
Let me see if you can run it, run it
Deixe me ver se você dá conta, conta
Girl indeed I can run it, run it
Garota eu sei que dou conta, conta

Fomos andando até nos encontrarmos. Começamos a dançar juntos e logo estávamos misturado. Foi a vez deles nos afrontarem com sua dança. Rolei os olhos e ri. Paramos frente a frente com eles, de braços cruzados.

- Uau, foi muito divertido! - Amber falou animada.
- Ok foi divertido... Mas ainda assim, a sala é nossa! Desculpa mesmo meninos! - Eu disse.
- Tá, mas vocês não vão ficar livre da gente. - falou rindo. - Vamos nessa, galera! - Eles saíram fazendo a maior algazarra. piscou para mim e eu tentei esconder um sorriso. Ele tem que parar com isso!
- Ok, o que foi isso que acabou de acontecer aqui? - Amber perguntou quase se descabelando.
- Foi uma disputa de dança, amiga! E foi muito sexy! - Cindy falou rindo. - Cara, vocês viram o gingado do Jake? Nossa, eu confesso que fiquei atraída por ele. - Ela falou rindo.
- Tá, tá, foi sexy e tudo. Mas vamos nos focar na dança, por favor? - Eu falei.
- Ah vá! Você e o aproveitando da dança foi quase não notado! - falou rindo. - Deu pra ver que vocês tem muita química dançando! - eu rolei os olhos.
- Isso é verdade! - Amber disse rindo.
- Ok, vamos parar de falar dos meninos e vamos ensaiar! - Eu disse andando até a frente delas. Esperei as meninas ficaram atrás de mim. - Do início, ok? - Eu falei e começamos a dançar.

Ficamos uma hora mais ou menos ensaiando. Esperei que as meninas fossem embora e fiquei ali fazendo hora. Me deu uma vontade de dançar. Coloquei um hip hop pra tocar e comecei a dançar de frente para o espelho.

P.O.V on

não sai da minha cabeça. Cara por que ela tem que ser tão linda? E o que dizer daquela calça frouxa e baixa demais? Por que ela tem que mostrar a barriga também? Ela complica as coisas pra mim sem nem notar!
Vi passar pelo corredor com Amber e Cindy, mas não vi a .

- Oi, meninas! Cadê a outra do quarteto fantástico? - perguntei rindo.
- A outra ficou na sala de dança, senhor eu-sei-seduzir-dançando! - falou me fazendo rir.
- Tá, não sei de onde tirou isso, mas ok! - As meninas riram cúmplices. - Vou ver se ela ainda ta por lá! Vejo vocês amanhã! - Falei andando de volta para a sala de dança.

Parei na porta e fiquei olhando ela dançar. Seu rosto estava um pouco vermelho e suado, seus cabelos bagunçados. Ela girou o corpo e parou ao me vê.

- ? O que ta fazendo aqui? - Ela perguntou com os olhos arregalados e eu ri.
- Só te assistindo! Não pare por minha causa. - Andei até ela. Ela me encarou com seus olhos grandes.
- Ahm, eu vou ficar com vergonha agora! - disse rindo.
- Mas você estava tão bem! - Eu disse rindo. - Já sei! Por que não dança comigo? - Eu perguntei rindo.
- Vai virar uma rotina agora? - Nós rimos.
- É... Nós temos química juntos, não percebeu? - Peguei meu celular e conectei o cabo no som. Coloquei uma música para tocar e ela riu.
- Você ta de brincadeira comigo! - colocou as mãos na cintura. Love, Sex And Magic começou a tocar e ela riu. A batida da música é envolvente e sexy.
- Vai, vamos apenas nos divertir. - Eu falei começando a fazer uns passos na frente dela.

me surpreendeu quando começou a dançar comigo. Quando eu ia me aproveitar dela, ela se afastou com um sorriso no rosto.
Fui dançando até ela, segurando em seus quadris enquanto fazia um movimento de vai e vem junto ao seu corpo. Fiz com que ela pulasse em meu colo, envolvendo meu pescoço com uma mão. Ela desceu seu corpo para trás e depois subiu novamente. Seus cabelos grudados no rosto e sua pele brilhando me faziam querer beijá-la. Ficamos nos encarando por alguns segundos até que ela desceu do meu colo e se afastou.
Segurei seu braço a girando e puxando para mim.
Ela começou a dançar longe de mim. Comecei a dançar em volta dela, enquanto ela passava as mãos pelo corpo. Parei atrás dela, segurando em sua cintura. Fiz impulso para que ela saísse do chão e a levantei no ar. A coloquei no chão, segurando suas duas mãos. A puxei para mim segurando sua perna em volta de mim. Ficamos nos encarando totalmente ofegantes.

- Uau! - ela disse rindo.
- É, estamos ficando bons nisso! - ela desceu sua perna e se afastou.
- Ok, agora eu preciso ir! - andou até sua bolsa e a jogou nas costas.
- Não quer carona até em casa? - perguntei e ela mordeu a boca.
- Hum, ta bom. - ela respondeu. Saímos juntos da sala e fomos andando pelo corredor. - Foi divertido hoje mais cedo! - ela falou.
- É, nos divertimos muito dançando com vocês! Devíamos fazer mais vezes! - eu esbarrei em seu ombro de brincadeira. - Eu conheço um clube... Aonde as pessoas vão só pra dançar. Eles tocam todos os ritmos! A gente pode combinar com o pessoal de ir um dia, o que me diz? - riu de lado.
- É, pode ser legal! Se tem dança envolvida, eu to dentro! - nós rimos.

P.O.V off

Boyband x Girl Group
Eu já disse que amo Boybands? Já? Pois eu vou falar de novo! HAHAHA
Sério, eu simplesmente amo o jeito que eles cantam, dançam.
Mas a minha preferida? Backstreet Boys. Mas isso todo mundo já sabe!
Eu simplesmente sou apaixonada por eles. Sei todas as músicas e coreografias. E eu sempre danço e canto no meu quarto. Ninguém nunca viu, é claro!
Eu cheguei animada na escola. O show de talentos está chegando e tudo está correndo bem nos ensaios com as meninas. Então, eu estou tranquila.
Eu contava os minutos para ir logo para o coral. Eu até me animei com essa coisa de cantar e tudo. Não gosto tanto como dançar, mas eu até que me viro bem.

- Bom dia, gente! - Eu cumprimentei ao entrar na sala.
- Hmmm, que animação! Aconteceu alguma coisa? - perguntou rindo.
- Nada demais, oras! Apenas acordei animada! - Beijei seu rosto e me sentei ao seu lado. - Cadê o ? - perguntei olhando em volta.
- Ainda não chegou! Por quê? Sentindo falta dele? - eu rolei os olhos.
- Cala a boca! - Eu a empurrei e nós rimos.
- Bom dia, crianças! - Sr. Wall entrou na sala com seu habitual sorriso iluminado.
- Bom dia, Sr. Wall! - Eu e as meninas falamos em coro e rimos.
- Wow! Que animação! - Ele riu sem jeito. - Onde estão os meninos? - Ele perguntou.
- Não sabemos! - disse. - Devem estar sendo jogados nas lixeiras! - Nós rimos alto. Ele deu de ombros e foi escrever algo no quadro.
- Bom, esse mês nós vamos ter o show de talentos. O diretor nos convidou para fazer a abertura do evento! - ele disse animado.
- Aeee! - batemos palmas animadas.
- Já tive várias ideias! - eu me levantei. - Vamos fazer um número de dança e música bem legal, sabe? Vamos animar essa escola e... - fui cortada por Amber.
- , não se empolga não, tá? Essa escola nos odeia! Vão jogar tomate na gente! - ela disse cruzando os braços.
- Meninas, se animem! É uma boa oportunidade para mostrar o nosso talento! - disse Sr. Wall.
- É, talvez seja! - falou.
- Olá, garotas! - Os seis meninos chegaram juntos. - Bom dia, Sr. Wall! - Falaram.
- Hum, todos animados hoje! Gostei de ver! - Sr. Wall disse rindo. - Eu estava aqui dizendo às meninas que fomos convidados para abrir o show de talentos, não é legal? - nos entreolhamos.
- E você já tem algo em mente? - perguntou rindo.
- Vamos tentar todas as possibilidades. Era exatamente sobre o que eu quero falar com vocês! Vocês têm a missão de me mostrar alguns números. Eu vou escolher! - gritamos animados.
- Eu já tenho a ideia meninos! - se levantou. - Boybands! - ele falou rindo.
- Cara, é uma boa ideia! Podemos mostrar todo o nosso gingado e matar as meninas! - Jake se levantou fazendo uma dança sensual.
- Ótimo! Vamos competir, meninas contra meninos! Eu sou fanática por boybands e é claro que já ganhamos! - eu falei rindo vitoriosa.
- Legal, uma competição! - Sr. Wall disse. - Vocês estão livres essa semana para prepararem seus números. Os meninos se apresentam na quarta, e as meninas na sexta, no auditório. Vamos começar pelo tema “Boybands”. Boa sorte! - Começamos a gritar e sair pulando.
- Eu já sei até que música vamos cantar, meninas! Vou preparar toda a coreografia e nós vamos ganhar! - eu falei animada.
- Não tenha tanta certeza, ! O nome já diz tudo, Boyband, não Girl group! - disse rindo e os outros o acompanharam.
- Argh que preconceituoso você, hein? - Cindy fez uma cara engraçada.
- Veremos, então! - se apoiou em meu ombro.
- Nos vemos por aí, meninos! E boa sorte porque vão precisar! - Amber falou e nós saímos rindo.
- Meninas, se preparem. Hoje nós vamos lá pra casa e vamos fazer uma seleção de músicas de boybands. De Backstreet Boys à N'Sync! - falei rindo.
- Ai meu Deus, tem que ter Westlife também! - Cindy falou quase se descabelando e eu ri.
- Tá, criança feliz. Tem muitas bandas pra gente escolher! - eu a abracei de lado.
- Que tal a gente cantar um trechinho agora? Saca só! - Amber disse andando em nossa frente. - You're insecure, Don't know what for, You're turning heads when you walk through the door, Don't need make up, To cover up, Being the way that you are is enough. - Ela cantou e nós começamos a dançar de qualquer jeito. Algumas pessoas que estavam no corredor pararam pra ver.
- Everyone else in the room can see it, Everyone else but you. - Foi a vez de Cindy cantar. Nos entreolhamos rindo.

Baby you light up my world like nobody else
The way that you flip your hair gets me overwhelmed
But when you smile at the ground it ain't hard to tell
You don't know, oh oh
You don't know you're beautiful

If only you saw what I can see
You'll understand why I want you so desperately
Right now I'm looking at you and I can't believe
You don't know, oh oh
You don't know you're beautiful oh oh
But that's what makes you beautiful

Saímos pelo corredor pulando e cantando, fazendo a maior algazarra. Então ouvimos palmas e nós paramos de cantar. Olhamos para o lado e nossos colegas de coral tinham um sorriso idiota nos lábios.

- Uau, que coisa bonitinha! - falou rindo. - É só isso que vocês têm? Isso não vai fazer vocês ganharem, gatinhas! - rolei os olhos.
- Estávamos apenas aquecendo, , não se engane! - disse ofegante.
- Sejam boas perdedoras e nos assistam... - falou. - The sun goes down, The stars come out, And all that counts, Is here and now, My universe will never be the same, I'm glad you came. - Ele deu uma risadinha de lado, parando ao meu lado.
- You cast a spell on me, spell on me, You hit me like the sky fell on me, fell on me, And I decided you look well on me, well on me, So let's go somewhere no -one else can see, You and me. - cantou fazendo uma dança bem perto de e ela me olhou.
- Turn the lights out now, now I'll take you by the hand, Hand you another drink, drink it if you can, Can you spend a little time, time is slipping away, Away from us so stay, stay with me I can make, Make you glad you came. - Foi a vez de Jake cantar passando entre Amber e Cindy. Rolamos os olhos e começamos a andar.
- The sun goes down, The stars come out, And all that counts, Is here and now, My universe will never be the same, I'm glad you came. - Eles cantavam juntos, dançando entre a gente. - Oh oh oh oh oh oh oh I'm glad you came! - as pessoas olhavam parecendo gostar do que viam. Eles pararam na nossa frente impedindo nossa passagem.
- The sun goes down, The stars come out, And all that counts, Is here and now, My universe will never be the same, I'm glad you came, I'm glad you came! - cantou e eles fizeram uma pose no final.
- Nossa, estou chocada com tanto talento! - falou. As meninas ao redor começaram a gritar o nome dos meninos e eu rolei os olhos.
- Eu sei, eu sei, nós arrasamos! - Jake falou mexendo no cabelo e eu olhei pra ele, o medindo.
- Eu hein! Vocês estão muito prepotentes! - Falei rindo. – Vamos, meninas, vamos mostrar pra eles como se faz! - eu disse rindo de lado e começando andar.
- Até depois, meninos, se preparem! - Cindy deu um selinho em Jake, que pareceu meio chocado com a atitude e saímos andando rindo.

P.O.V on

Cara, tenho que admitir que elas têm muito talento. Mas não podemos deixar que elas nos ganhem. Como eu sei que a é louca com os Backstreet Boys, já tenho até uma ideia para chateá-la. Eu tenho certeza que o número delas vai ser uma música deles. Depois da nossa pequena apresentação nos corredores da escola, que rendeu muitos elogios, decidimos ir para o auditório já começar a treinar.

- E então, você já tem a música? - Michael perguntou jogando a mochila no chão.
- Já! - eu disse abrindo meu notebook. - As meninas vão entender que Boyband é pra meninos! - nós rimos.
- Ok, vamos ver. Vocês conhecem alguma Boyband? - eu perguntei.
- Hum... The Wanted! - Jake deu de ombros e nós rimos.
- One Direction! - disse colocando o dedo na boca como se vomitasse.
- Westlife. - Michael fez uma pose gay.
- Backstreet Boys! Everybody, yeah! Rock your body, yeah! Everybody, rock your body now. Backstreet Back, all right! - ele fez uns passos legais.
- É disso que eu tô falando, caras! As meninas são piradas nessas bandas. Mas precisamos atingir o coração delas, pra elas se derreterem e perderem a competição. Por isso eu tenho a música perfeita. - falei rindo de lado.
- Então, vai mostrar como vamos fazer ou vamos ficar de conversinha? - perguntou. - Preciso conquistar a nesse número! - eu fiz uma careta.
- Boa sorte, meu amigo! Eu conheço a minha amiga, vai por mim. Ela não se encanta só com isso! - bati em seu ombro. - Apesar de que é meio óbvio que ela já tá perdida! - nós rimos.
- Isso é só o início! Você vai ver! - ele piscou.
- Ok, eu já sei a coreografia da música, então hoje vou passar para vocês, amanhã ensaiamos a letra e depois ensaiamos a dança com a música! - eu disse me posicionando na frente.
- Vamos detonar com essas meninas! - Jake e Michael bateram as mãos no ar.

Essa competição vai ser muito divertida! Não vejo a hora de quarta-feira chegar!

P.O.V off

[...]

Ai, estou ansiosa pra hoje! O que será que os meninos prepararam? Eu tenho certeza que vamos ganhar com nossa música! É meio óbvio que vamos cantar Backstreet Boys, né? Pois é! As meninas concordaram com a música que escolhi.
Nos sentamos na fileira atrás do Sr. Wall e ficamos conversando. No palco tinha seis cadeiras uma ao lado da outra. Havia garotas, muitas garotas, o que eu achei estranho.

- O que será que esses meninos vão dançar? - perguntou.
- Aposto que vão dançar Buttons das Pussycat! - Amber disse e nós rimos alto. Os meninos entraram no palco vestindo regata branca, calça preta e um moletom jogado por cima da roupa.
- Uau, que sexy! - Cindy disse se abanando.
- Silêncio, meninas! - pediu o Sr. Wall. - Estão prontos, meninos? - ele perguntou.
- Se deliciem com nossa apresentação, meninas! - foi até a frente e disse.

Eles se posicionaram sentados na cadeira, menos , que fez uma pose de pé. A luz do palco diminuiu, e nos entreolhamos.

[]

I don't know what he does to make you cry
Eu não sei o que ele faz para te fazer chorar
but I'll be there to make you smile
Mas eu estarei lá para te fazer sorrir
I don't have a fancy car
Eu não tenho um carro caro
to get to you I'd walk a thousand miles
Mas para chegar até você eu andaria mil milhas
Oh yeah

[Jake]

I don't care if he buys you nice things
Eu não ligo se ele compra coisas legais para você
Does his gifts come from the heart - I don't know
Os presentes dele vem do coração? Eu não sei
But if you were my girl
Mas se você fosse minha garota
I'd make it so we'd never be apart
Eu faria de tudo para nunca ficarmos separados

Os meninos se levantaram da cadeira e começaram a dançar juntos. Nós ficamos de bocas abertas. Isso está mesmo acontecendo? Eles estão cantando Backstreet Boys?
As meninas gritavam feito loucas.

[Todos]

But my love is all I have to give
Mas amor é tudo que eu tenho para dar
Without you I don't think I can live
Sem você eu não acho que posso viver
I wish I could give the world to you... but
Eu gostaria de poder dar o mundo para você... Mas
Love is all I have to give
Amor é tudo que eu tenho para dar

Os meninos dançavam sempre apontando o dedo para nós. Olhei para as meninas e elas pareciam derretidas com a apresentação deles. Ah não, o efeito Backstreet Boys entrando em ação! Me afundei na poltrona e encolhi os ombros.
Não posso me permitir entrar nessa!
As meninas se levantaram e começaram a gritar e bater palmas e dançar. Continuei sentada em minha cadeira olhando aquele circo que se formou.

[Michael]

When you talk - does it seem like he's not
Quando você fala? parece que ele
Even listening to a word you say?
Nem está ouvindo uma palavra que você diz?
That's okay baby, just tell me your problems
Tudo bem querida, apenas me diga seus problemas
I'll try my best to kiss them all away
Eu farei o meu melhor para acabar com eles

[]

Does he leave when you need him the most?
Ele te abandona quando você mais precisa dele?
Does his friends get all your time?
Os amigos dele ficam com todo o seu tempo?
Baby please... I'm on my knees
Querida, por favor... Eu estou de joelhos
Praying for the day that you'll be mine!
Rezando para o dia que você será minha

Quando os vi descendo do palco e vindo andando até nós, eu quase tive um infarto. cantou segurando minha mão e olhando bem dentro dos meus olhos. Os meninos nos levaram até o palco nos fazendo sentar nas cadeiras. Olhei para as meninas e todas estavam entretidas demais com a dança sensual dos meninos para verem meu desespero.

[Francis]

Hey Girl, I don't want you to cry no more - inside
Ei garota eu não quero mais que você chore - Por dentro

[Harry]

All the money in the world could never add up to all the love
Todo o dinheiro do mundo nunca poderia se igualar a todo amor

[]

I have inside... I Love You baby
Que eu tenho por dentro... Eu te amo

[]

And I will give it to you
E eu vou dar para você - alisou o rosto de , que parecia travada na cadeira.

[Todos]

All I can give, all I can give
Tudo que eu posso dar, tudo que eu posso dar
ooooooooohhh
Everything I have is for you
Tudo que eu tenho é para você
But love is all I have to give
Mas amor é tudo que eu tenho para dar

Os meninos começaram a dançar. Confesso que o começou a me deixar ofegante com sua dança. Ele cantava olhando para mim. Meu Deus, eu to ficando louca! É só uma apresentação, ! Eu tentei ficar com isso em minha cabeça.

But my love is all I have to give
Mas amor é tudo que eu tenho para dar
Without you I don't think I can live
Sem você eu não acho que posso viver
I wish I could give the world to you... but
Eu gostaria de poder dar o mundo para você... Mas
Love is all I have to give...
Amor é tudo que eu tenho para dar

[]

To you
Para você

No fim eles apontaram para nós. As meninas começaram a gritar e bater palmas de pé. Eu nem mesmo consegui sair do meu lugar. Eu ainda estava presa naquela atmosfera que parecia ter sido criada depois daquela dança. Eu via a gritaria dali de cima e eu até arregalei os olhos por ver tantas meninas se descabelando. Por Deus! Se fossem os Backstreet Boys de verdade, tudo bem!

- Meninos, isso foi demais! - Sr. Wall falou animado. - Meninas, vocês vão ter que trabalhar bastante, hein? - eu cruzei os braços.

Ok. Eles roubaram nossa boyband! Isso não vai ficar assim!
Aposto que isso tudo foi obra de !
Enquanto as meninas se derretiam pelos meninos, desci as escadas do palco com me chamando.

[...]

- Tá bom, eles roubaram nossa ideia! - eu disse emburrada.
- Ah, não seja assim! Eles arrasaram! - Amber falou toda derretida. - Nossa, e aquela dança? Por Deus, eu quase tive um orgasmo ali mesmo! - eu rolei os olhos.
- Não foi pra tanto, gente! - Eu falei.
- Ah, vai dizer que o não estava te seduzindo! - riu. - Viu àquele gingado, garota? Não imagina as coisas que ele é capaz de fazer com aquele corpo? - ela deu uma rebolada.
- Ai, cala essa boca! - eu falei. - Não vamos poder mais usar Backstreet Boys! Que ódio, já estava tudo pronto! - eu falei irritada.
- Relaxa, temos dois dias! - Cindy disse animada. De repente eu tive uma ideia.
- Hey, Amber, se lembra de quando comentamos sobre as cadeiras no palco? Pareciam que eles iam dançar Pussycat, certo? - ela assentiu. - Meninas, se preparem! Eu acabei de ter uma ideia incrível! - nos entreolhamos rindo.

Boyband x Girl Group (parte II)
P.O.V on

Estamos todos ansiosos para saber o que as meninas fizeram. Sabemos que acabamos com elas depois da nossa apresentação. Mas durante os últimos dois dias, elas andaram muito misteriosas pro meu gosto. Fico até com medo do que vem por aí. Garotas são vingativas, cara, e eu sei que elas têm uma vingancinha contra nós. Quero ver o que vai acontecer aqui!
Nos entreolhamos ao ver o auditório enchendo de meninos.

- O que ta acontecendo aqui? - eu perguntei aos outros.
- Cara, não tenho ideia! - Michael disse.
- E aí, caras! Ficamos sabendo que as meninas vão se apresentar aqui hoje. Garotas dançando, caras! - um deles disse animado.

Foi então que elas entraram no palco. Cada uma delas usava blusa e short preto curto. Uau, agora eu estou mais animado! Assovios, gritos e elogios também eram ouvidos por todos os meninos. É de se esperar, claro! Elas estão incríveis!

- Meninos, meninos, por favor! - Sr. Wall pediu de pé. - Se acalmem ou todos vão para fora! - Ele disse e todos foram se acalmando. - Meninas, quando vocês quiserem! - Ele sentou-se em seu lugar.

- Olá, meninos, obrigada pela presença de vocês! - foi até a frente e alguns assobiaram. - Essa apresentação é para mostrar que girl group é bem melhor que boybands, ok? Nos assistam! - Ela falou olhando para nós.

estalou os dedos no ar e a música começou. Só de início, já tive um miniataque cardíaco. Elas começaram a balançar os quadris no ritmo da música de costas para nós.

[]

I know you like me (I know you like me)
Eu sei que você gosta de mim
I know you do (I know you do)
Eu sei que gosta
That's why whenever I come around
É por isso que toda vez que eu me aproximo
She's all over you
Ela está dando em cima de você
And I know you want it (I know you want it)
Eu sei que você quer isto
It's easy to see (it's easy to see)
É fácil de ver
And in the back of your mind
E na sua cabeça
I know you should be on with me
Eu sei que você deveria estar comigo

Eu franzi a testa quando cantou descendo as mãos pelo corpo. Só ouviam-se gritos por toda parte. Ver garotas se esfregando umas nas outras e passando as mãos pelo corpo é demais para os olhos. Puta que pariu! E por que cantou olhando pra mim?

[Todas]

Don't cha wish your girlfriend was hot like me?
Você não queria que sua namorada fosse gostosa como eu?
Don't cha wish your girlfriend was a freak like me?
Você não queria que sua namorada fosse maluca como eu?
Don't cha?
Não queria?
Don't cha?
Não queria?

Don't cha wish your girlfriend was wrong like me?
Você não queria que sua namorada fosse cruel como eu?
Don't cha wish your girlfriend was fun like me?
Você não queria que sua namorada fosse engraçada como eu?
Don't cha?
Não queria?
Don't cha?
Não queria?

As meninas ficaram uma ao lado da outra, dançando sensualmente. Elas se abaixaram, subindo cada uma de um jeito diferente. Puta merda! Ah como eu queria que fosse minha namorada!

[Louise]

Fight the feeling (fight the feeling)
Lute contra o sentimento
Leave it alone (leave it alone)
Deixe pra lá
'Cause if it ain't love
Porque se não for amor
It just ain't enough to leave a happy home
Não é o bastante para deixar seu lar feliz (lar feliz)
Let's keep it friendly (let's keep it friendly)
Vamos continuar como amigos
You have to play fair (you have to play fair)
Você tem que jogar limpo
See I don't care
Olha, eu não me importo
But I know she ain't gonna wanna share
Mas eu sei que ela não vai querer dividir

andou até a frente e cantou. Andando lentamente, passando as mãos pelo corpo. Arregalei os olhos. Oi? Eu to desejando minha melhor amiga? Eu olhei para , que me olhou com os olhos arregalados.

[Amber]

I know she loves you (I know she loves you)
Eu sei que ela o ama
So I understand (I understand)
Então eu entendo
I probably be just as crazy about you
Eu provavelmente também seria louca por você
If you were my own man
Se você fosse meu homem
Maybe next lifetime (maybe next lifetime)
Talvez na próxima vida
Possibly (possibly)
Provavelmente
Until then, old friend, your secret is safe with me
Até lá, velho amigo, seu segredo está seguro comigo

- DEIXA EU SER SEU NAMORADO, AMBER! - alguém gritou.

[Todas]

Don't cha wish your girlfriend was hot like me?
Você não queria que sua namorada fosse gostosa como eu?
Don't cha wish your girlfriend was a freak like me?
Você não queria que sua namorada fosse maluca como eu?
Don't cha?
Não queria?
Don't cha?
Não queria?
Don't cha wish your girlfriend was wrong like me?
Você não queria que sua namorada fosse cruel como eu?
Don't cha wish your girlfriend was fun like me?
Você não queria que sua namorada fosse engraçada como eu?
Don't cha?
Não queria?
Don't cha?
Não queria?

As meninas começaram a dançar juntas, arrancando suspiros dos meninos. Elas dançaram no chão, jogando os cabelos para os lados e se levantando devagar.
Elas finalizaram fazendo pose. Eu tive que levantar pra aplaudir porque isso sim é que eu chamo de apresentação.
Gritos e mais gritos por toda parte.

- Muito bem, meninas! - Sr Wall disse ao microfone. - Vocês foram todas muito bem. Espero ansioso para ver o que vão preparar para a semana que vem. Até lá! - ele disse. As meninas desceram do palco e logo fomos até elas.

P.O.V off

[...]

Ai meu pai, de onde foi que saíram esse tanto de garotos? Até pediram pra tirar fotos com a gente. Me senti uma popstar por alguns minutos.

- Dá licença, da licença! - vi empurrando alguns deles e eu ri.
- Veio pedir autógrafo e tirar foto também? - eu perguntei rindo.
- HAHA, não preciso disso! - ele disse rindo. - Preciso dizer, vocês estavam super bem! Tiveram até plateia! - eu dei um beijo em meu ombro.
- É, mas não acredito que o Diretor Crowell vai permitir um número desse na frente da escola! Eu nem sei se tenho coragem também! - falei rindo.
- Ah qual é! É disso que adolescentes gostam! Músicas implícitas sobre sexo é o que há de melhor. - eu engoli seco.
- Se você está dizendo, ! - eu falei totalmente desconcertada. - Apesar de que não foi essa a mensagem que nós quisemos passar! - ele arqueou a sobrancelha.
- , não seja tão inocente! Vocês quase nos fizeram ter um ataque cardíaco com essa dança e essa música, pode admitir! - eu rolei os olhos.
- Não, ! Foi apenas... Nós só quisemos mostrar que meninas também podem ser uma girlband ou girl group, sei lá! Não era essa a brincadeira? - falei rindo.
- Não sei... O que eu sei, é que você me deixou ainda mais louco por você! - se aproximou de mim segurando meu rosto.
- , o que você ta fazendo? - eu perguntei olhando em seus olhos. Eu estou num daqueles momentos de negação. Eu comecei a sentir coisas por ele depois de tudo isso. Mas foi a música, certo? Certo.
- Até quando vai ficar me ignorando? - eu ofegava devido à proximidade dele. Será que ninguém está vendo isso? Alguém tem que me ajudar!
- , espera... - eu virei meu rosto quando ele tentou me beijar. - Eu não posso. - falei baixo.
- Por que não? - ele perguntou.
- Você sabe que eu não tô pronta ainda. - eu falei e ele se afastou. respirou fundo.
- Tudo bem. Me desculpe, não vai se repetir de novo! - eu mordi a boca. - Nos vemos por aí. - ele colocou as mãos nos bolsos e saiu andando.
- ! - Eu chamei. Fiquei olhando seu caminho até ele sair do auditório.
- O que houve? Por que o saiu daquele jeito? - se aproximou.
- Ai amiga, eu sou uma idiota! - falei fazendo bico.
- Mas, gente, o que aconteceu? - ela perguntou.
- Eu acabei de dar um fora no , sabe? - bateu a mão na testa. - Ele tentou me beijar e eu virei o rosto!
- Ainda naquela de que amor não existe? - eu dei de ombros. – Af, ninguém merece você, ! - Ela riu.
- Faz tempo que não me chamava assim! - falei rindo.
- É que eu tinha esquecido o quanto era bom te chamar assim! - ela me empurrou rindo. - Vem, vamos tomar um refri e tomar um banho. To morrendo de calor! - saímos andando, passando entre os vários meninos que estavam ali.

[...]

Quando eu acho que já vi de tudo nessa vida, acontece algo pior do que eu pensei. Eu estava passando pelo corredor depois de tomar um banho, quando vi Brittany e Freddie andando pelo corredor de braços dados na maior cara de pau. Abri minha boca sem acreditar no que via. Além da humilhação que me fizeram passar com a traição, ainda tem que esfregar a falta de vergonha na cara que eles não têm na minha?
Tentei ignorá-los, juro que tentei. Mas a idiota parecia que queria esfregar mesmo na minha cara.

- Oi, . - Freddie foi o primeiro a falar parando na minha frente.
- O que vocês querem? - eu cruzei os braços.
- Queremos te dizer que agora estamos juntos. Não é legal? - Brittany falou rindo vitoriosa.
- Oh é mesmo? Que legal, Brit! - eu falei irônica.
- Mas não fique com inveja, querida! Saiba que agora estamos muito bem. O Freddie achou em mim o que ele não achou em você. Ou seja, tudo, né? - Ela falou rindo. Olhei para Freddie.
- Ah claro! Você dá pra ele o que eu nunca dei. Mas faça bom aproveito! - eu falei me desviando deles e saí andando.
- Não fique com raiva, você já deveria saber que isso ia acontecer! - a ouvi dizer e fechei as mãos em punho.

Ok, eles estão enganados se estão pensando que me atingiram com essa ceninha! Isso só me fez ter mais raiva do Freddie e ver que eu não sinto mais nada por ele. E também me fizeram ver que tipos de amigas eu tinha. Vadias!
Era disso que eu precisava para me desligar completamente daquela traição.
Eles estão juntos? Ótimo, agora o Freddie para de insistir para eu voltar pra ele.
Entrei na sala feito um furacão. Passei por , que me olhou, mas não disse nada.

- Ah que ódio daqueles dois! - falei sozinha.
- O que houve? - perguntou.
- Hum, nada. - eu falei.
- Ok. - ele disse voltando sua atenção para outra coisa.

Ai que vontade de enfiar a cabeça daquela vadia na privada! Que cínica ela foi!
Podiam pelo menos me deixar em paz. Se querem ficar juntos, ótimo. Mas não esfreguem na minha cara.
Senti meu celular vibrar em meu bolso e o peguei. Quando abri a mensagem que havia chegado, meu ódio só aumentou.

, não ligue para a Brittany. Não estamos namorando, só fiz isso pra te fazer ciúmes. Ainda te quero de volta
.

Eu não consegui acreditar no que acabara de ler.

- Esse idiota só pode estar de brincadeira com a minha cara! - me levantei da cadeira, a derrubando no chão e fazendo o maior barulho. Todos me olharam.

Nunca brinque com sentimentos
What goes around comes back around (hey my baby)
Tudo que vai, volta (ei, meu amor)
What goes around comes back around (hey my baby)
Tudo que vai, volta (ei, meu amor)
What goes around comes back around (hey my baby)
Tudo que vai, volta (ei, meu amor)

Eu andei as pressas pelo corredor à procura de Freddie. Quem ele pensa que é pra fazer isso comigo? E o que ele acha que eu sou? Ele não vai brincar comigo dessa forma. De todas as coisas que eu imaginei que Freddie poderia ser, ele vem com algo muito pior. Pra que fazer isso? Pra que me humilhar mais do que já humilhou?
Logo agora que eu estava começando a me recuperar! Idiota, imbecil, babaca, cretino! Eu gostaria de saber mais adjetivos praquela peste de cabelos loiros!
O avistei no fim do corredor conversando com alguns dos caras do time de futebol e a piranha da Brittany pendurada em seu braço.

There was a time
Houve uma época
I thought, that you did everything right
Em que eu achava que você fazia tudo certo
No lies, no wrong
Nada de mentira, nada de erros
Boy I, must've been outta my mind
Cara, eu devia estar fora de mim
So when I think of the time that I almost loved you
Então quando eu penso na época em que eu quase te amei
You showed you ass and I saw the real you
Você mostrou que é um idiota e eu vi quem você era de verdade

- Qual é o seu problema, garoto? - eu quase gritei ao me aproximar dele. Todos me olharam assustados.
- Ai, por que você ta gritando? - Brittany perguntou.
- Fica na sua aí, oh, piranha! - Eu apontei pra ela. Ouvi manifestações por toda parte. Até a própria pareceu meio chocada. - O que você acha que eu sou, hein, Freddie? Acha que pode brincar comigo desse jeito? - eu perguntei.
- Do que ta falando, garota? - Freddie perguntou rindo.
- Do que eu to falando? Deixa eu refrescar sua memória. - Peguei meu celular. - Abre aspas “, NÃO LIGUE PARA A BRITTANY. NÃO ESTAMOS NAMORANDO, SÓ FIZ ISSO PRA TE FAZER CIÚMES. AINDA TE QUERO DE VOLTA”. - Eu gritei no meio do corredor. Todos pareciam ter saído de onde estavam pra ver o escândalo. E é isso que eu vou fazer. - E então, o que me diz, idiota? - eu cruzei os braços. - Você é tão burra que nem percebeu que ele está te usando pra me atingir! E você ainda quis esfregar na minha cara! - Falei para Brittany.
- Então você tá comigo pra fazer ciúmes para ela? - Brittany virou-se para ele. Então eu a vi dar um tapa no rosto dele. - Cretino! - ela disse e saiu andando.
- Viu o que você fez? - ele me enfrentou.
- Você merece muito mais! - eu falei com raiva. - Deixa eu só te lembrar de uma coisa, Freddie! Não pense que eu vou deixar você brincar com meus sentimentos dessa forma, ok? Eu não sou idiota! - eu ia me virar pra ir embora quando ele me puxou pelo braço. Fechei os olhos, respirando fundo, mas não consegui segurar minha mão. Só me virei para dar um belo tapa em seu rosto. Até minha mão ardeu.
- UHHH! - ouvi todos falarem.
- Nunca mais coloca as mãos em mim, tá me ouvindo? - puxei meu braço e saí andando rápido.

As pessoas foram abrindo espaço para eu passar. Isso, façam isso! Essa foi a gota d'água pra mim. Esse idiota pensa que eu sou burra, mas ele tá muito enganado!

I wanted you bad
Eu queria tanto você
I'm so through with it
Mas não sinto mais isso
Cuz honestly you turned out to be the best thing I never had
Porque, sério, você acabou sendo a melhor coisa que eu nunca tive
You turned out to be the best thing I never had
Você acabou sendo a melhor coisa que eu nunca tive
And I'm gon' always be the best thing you never had
E eu sempre serei a melhor coisa que você nunca teve
I bet it sucks to be you right now
Aposto que é uma droga estar no seu lugar agora
So sad, you're hurt
É tão triste, você está mal

Boo hoo, oh, did you expect me to care?
Buá buá, você esperava que eu fosse me importar?
You don't deserve my tears
Você não merece as minhas lágrimas
I guess that's why they ain't there
Acho que é por isso que elas não estão aqui

When I think that there was a time that I almost loved you
Quando eu penso na época em que eu quase te amei
You showed you ass and I saw the real you
Você mostrou que é um idiota e eu vi quem você era de verdade
Thank God you blew it
Graças a Deus que você estragou tudo
Thank God I dodged the bullet
Graças a Deus eu me desviei da bala
I'm so over you
Já superei você
So baby good lookin' out
Então, amor, é melhor cair fora

Agora eu estou livre desse imbecil! Freddie nunca havia demonstrado que se importava comigo. Acho que para ele, eu era apenas a filha do melhor amigo de seu pai, enquanto eu era a idiota que o amava demais e o colocava num pedestal como se fosse um rei.
Como eu pude ser tão cega?
É claro, eu estava apaixonada por ele. Estão vendo? Como eu posso acreditar em alguém de novo? Homens são todos iguais!

I know you want me back
Eu sei que você me quer de volta
It's time to face the facts
Está na hora de encarar os fatos
That I'm the one that's got away
Que fui eu quem fui embora
Lord knows that it would take another place
Deus sabe que seria preciso outro lugar
Another time, another world, another life
Outra época, outro mundo, outra vida

Thank God I found the good in goodbye
Graças a Deus eu encontrei o bem no adeus

I used to want you so bad
Eu costumava te querer tanto
I'm so through it that
Mas não sinto mais isso
Cause honestly you turned out to be the best thing I never had
Porque, sério, você acabou sendo a melhor coisa que eu nunca tive
Oh you turned out to be the best thing I never had
você acabou sendo a melhor coisa que eu nunca tive
Oh I will never be the best thing you never had
E eu sempre serei a melhor coisa que você nunca teve

Oh baby, I bet it sucks to be you right now
Ah, meu amor, aposto que é uma droga estar no seu lugar agora

Goes around, comes back around (Bet it sucks to be you right now)
Tudo que vai, volta (aposto que é uma droga ser você agora)

[...]

Na hora do intervalo, todos me olhavam comentando. Empinei o nariz e fui procurar uma mesa para lanchar. Respirei fundo olhando em volta. Balancei a cabeça começando a comer meu sanduíche. Vi e vindo em minha direção com um sorriso no rosto.

- Menina, me conta que babado foi esse que rolou com você e o Freddie! Tá todo mundo comentando! - ela sentou na minha frente.
- É, foi verdade! - eu falei. - E me pergunto por que você não apareceu por lá! Você adora um barraco! - falei rindo.
- Ah, é que eu... Você sabe. - ela me olhou rindo maliciosa.
- Não, não sei. - falei rindo já sabendo do que se tratava.
- Mas conta como foi! Você saiu parecendo um furacão da sala! Você está bem? - perguntou. Como ele consegue agir normalmente depois de eu ter dado um fora nele?
- Bom, ele estava desfilando com a Brittany mais cedo, e é claro que ela fez questão de esfregar na minha cara. Acontece que segundos depois, o cretino me manda uma mensagem falando que era só pra me fazer ciúmes, que me queria de volta. Ele despertou minha ira, isso sim! Por isso eu quase levei a sala junto comigo. - Eu contei gesticulando. - Eu dei um show no corredor na frente de todo mundo, inclusive da Brit piranha. - e eu rimos. - Por fim, ela deu um tapa na cara dele depois que eu li a mensagem em voz alta. E recebeu outro de mim quando tentou me segurar. End of the story! - falei rindo.
- Caramba! Você deu um tapa na cara dele? - perguntou com a boca aberta. - Caralho, como eu perdi essa cena linda? - Nós rimos.
- Estou tão chocada quanto você, acredite! É que eu não consegui me segurar! - respirei fundo. - Mas isso foi bom, sabe? Eu acabei de perceber que ele não me afeta mais! Eu só tenho raiva dele. - falei nervosa.
- Ok, respira... Um, dois, três... - falou. - Ótimo, agora você pode dar uma chance para o ! - eu olhei pra ela.
- Não força não, . Já entendi que ela não me quer! - falou parecendo chateado.
- Af, vocês são ridículos! E você ainda mais, sabia? - ela apontou pra mim.
- Amiga, eu estou tentando me reerguer ainda. Agora que eu me sinto livre do que eu sentia pelo Freddie, vou começar a trabalhar nesse lance de não acreditar no amor. - eu disse.
- Então eu ainda tenho chance? - perguntou rindo. Olhei pra ele de braços cruzados. - Ok, Ok... Não vou te encher mais com isso. Mas fique sabendo que eu serei o primeiro a me candidatar quando você se livrar desse ódio no coração! - eu ri alto.
- Ai, , só você mesmo! - falei rindo.
- Termina logo, porque nós precisamos nos reunir para nossa próxima apresentação. - falou animada.
- Ok, só não nos mate do coração de novo, por favor! - disse rindo.
- Essa é nossa missão e intenção, querido! - riu maliciosa.

[...]

Nossa, um horário nunca demorou passar tanto!
É impressão minha ou os ponteiros do relógio pararam? Comecei a bater a ponta do lápis na carteira, sem conseguir prestar atenção em mais nada. A voz do professor parecia looooonge...

- ? ! - Senti alguém me sacudir.
- Hmmmm... - abri meus olhos devagar. Olhei para , ainda sonolenta.
- Você dormiu. - ele disse rindo. Vi que não havia mais ninguém na sala. Então arregalei meus olhos ao me lembrar do sonho que acabara de ter com . Mas não foi qualquer sonho.
- Puta merda! - falei começando a pegar minhas coisas e jogar dentro da mochila.
- O que foi? – ele perguntou rindo.
- Ah, não é nada não! Eu só... Minha mãe já deve ta me esperando! - eu disse apressada. Eu só queria ir pra longe dele.
- , você ta elétrica, calma! - quando segurou meu braço, eu quase me derreti ali mesmo. O sonho veio em minha mente, bem vívido.
- Nos vemos outra hora, eu preciso ir! - falei e saí correndo.

Puta merda, preciso falar com ! Urgente! Eu acho que to ficando doida com o !
Sabe o que eu disse sobre não me apaixonar e tal? Pois eu acho que depois desse sonho, eu posso começar a pensar em mudar. Nunca me senti tão atraída por alguém.
Como eu já sabia, minha mãe me esperava. Logo quando cheguei em casa, peguei meu celular e me joguei na cama. Disquei o número de e esperei chamar.

- Fala, amor da minha vida! - ela atendeu.
- Amiga, eu to surtando! - falei.
- Mas o que aconteceu pra você surtar, minha filha? - ela perguntou rindo.
- Eu tive um sonho erótico com o hoje, durante a aula! - eu falei.
- WHAAAAAAT? - ela gritou. - Porra, como assim? - ela perguntou.
- Eu dormi durante a aula e tive um sonho que... Puta merda, amiga, se eu te contar os detalhes! - eu falei ofegando. - Eu ainda posso sentir tudo, bem vívido sabe? - riu.
- Isso se chama desejo reprimido! Aposto que o charme do já te atingiu e você tá num momento de negação! - disse rindo.
- Nossa, só de lembrar, puta que pariu, eu sinto coisas que nunca senti! - falei rindo. - E hoje quando ele segurou meu braço, nossa... Foi como se eu tivesse entrado em combustão! - passei as mãos pelos cabelos.
- Isso se chama tesão! - eu rolei os olhos.
- Eu sei! - nós rimos. – Ai, amiga, o que eu faço agora? - mordi a boca.
- Já sei como isso se resolve! Transa com ele que passa! - eu ri alto.
- Ai, deixa de ser ridícula! - eu falei. - Eu não vou transar assim, do nada! Eu nem tenho nada com ele! - riu.
- E se tivesse, iria? - eu rolei os olhos.
- Talvez eu mude de ideia! - mordi a boca.
- Hmm, safadinha! Se revelando, hein! - eu ri.
- Ta, eu só queria te contar porque eu fiquei surtada quando acordei. Estava ofegando e agitada! E ainda fui acordada por ele. Meu Deus, eu só queria sair correndo! - riu alto.
- Af, deixa de ser boba. Isso é tudo muito normal, relaxa! - eu respirei fundo.
- Como você consegue ser tão relax com essas coisas? - eu perguntei me sentindo frustrada.
- Você tem que ser mais aberta, amiga. Só isso! - parecia segura do que dizia.
- Ok, agora eu vou tomar um banho e comer alguma coisa! - falei me levantando.
- O do sonho te cansou muito, né? - eu ri.
- Você é nojenta! E isso morre aqui, ta me ouvindo? - eu falei.
- Mas é claro! Eu vou contar isso pra quem? Pro ? - Eu arregalei os olhos.
- Nem ouse! Ta maluca? - eu quase gritei.
- To brincando! Relaxa e goza e para de ficar pensando nisso. Bye, bitch! - ela disse e desligou.
- Ok, relaxar e gozar... - respirei fundo. - Não, melhor não! - fiz uma careta e saí andando para o banheiro.

E agora? Me sinto tão confusa em relação ao que sinto pelo ! Eu sei que sinto algo muito além do gostar de amigo. Eu já senti isso com o Freddie. É uma atração que me puxa para ele de um jeito que não sei explicar.
Preciso parar de pensar nisso ou vou acabar ficando doida! É preciso me concentrar no campeonato, no show de talentos, no coral, em outra coisa que não seja no tesão pelo .

Continua...



Nota da autora: (01/08/2017) Olá pessoas! Já faz um tempão que não apareço HAHA Se ainda tem alguém lendo essa história, vou dar continuidade a partir de hoje. Espero que gostem da história e continuem comigo até o fim. Bjs

Outras fanfics:
Dirty Money (Restrita – Finalizada)
Dirty Money - Returns (Restrita – Andamento)
Um Dia Com O Mcfly (McFly – Finalizada)





> comments powered by Disqus




Qualquer erro nessa atualização e reclamações somente no e-mail.
Para saber quando essa fic vai atualizar, acompanhe aqui.



TODOS OS DIREITOS RESERVADOS AO SITE FANFIC OBSESSION.