Capítulo Único

2 de janeiro

Uau! Já é janeiro outro vez!
A terra concluiu mais uma volta ao redor do sol, um novo ano começou e o mundo continua essa loucura.
Dá pra acreditar que faz tanto tempo desde que nós nos vimos a última vez? Desde que essa coisa começou e já faz duas décadas, dez longos anos com o mundo todo devastado por essas coisas que nós mesmo criamos, que nossa espécie criou, esses monstros, nossos predadores.
Toda vez que penso sobre isso, percebo o quanto tudo é louco. Vimos isso tantas vezes, existia uma lista infinita de livros, filmes e séries sobre o tema e mesmo assim chegamos aqui... no fim do mundo, por causa de um vírus criado em laboratório que transformou grande parte da população em coisas horríveis que atacam qualquer criatura que se mova.
Zumbis.
Ainda acho isso patético. A palavra é patética.
Se alguém me dissesse que nós íamos nos acabar em fogo, gelo, água ou com bombas nuclear, eu até acreditaria. Mas zumbis? Se há dez anos atrás me dissessem que o mundo ia se encher dessas coisas, eu com certeza riria da cara dessa pessoa. Quer dizer, sempre pensei que Deus fosse mais criativo e faria asteroides colidirem com a terra ou algo bem mais emocionante. Sempre achei essa coisa de mortos-vivos bem chata, completamente entediante.
Bem... você já sabe de tudo isso. Você também vive nesse mundo de merda e me conhece bem o suficiente para saber que estou decepcionado com esse episódio final do planeta terra. Não estou escrevendo para falar sobre essas coisas idiotas, só me deixei levar pelos meus pensamentos inúteis e acabei os escrevendo nesse pedaço de papel. A verdade, é que eu apenas queria te dar os parabéns, seu aniversário está chegando e eu gostaria de estar com você nesse momento...
Estou com saudades de você, já disse isso nas outras milhões de cartas que te mandei, mas só queria enfatizar. Sinto que isso logo vai mudar, sinto que em breve nós nos veremos.
Espero estar certo.

-

11 de Janeiro

Sofremos outro ataque daquelas coisas.
Espero que por aí isso não aconteça com a mesma frequência que aqui, pois tudo fica uma bagunça, uma verdadeira loucura.
Desta vez foi ainda pior que todas as outras vezes.
Um grupo daquelas coisas conseguiu derrubar uma parte da grade e invadiu a zona segura aqui de Boston. Foi um caos, uma correria e gritaria louca que resultou em vários corpos no pátio. Tanto daquelas coisas quanto de pessoas que foram mordidas por elas.
Foi horrível.
Eu e os outros membros da guarda tivemos que atirar em todos eles, arrastá-los do pátio até o lado de fora e queimar tudo.
Vi pessoas chorando enquanto a grade de proteção era restaurada, olhando com rancor para mim e o restante da guarda. Algumas até nos xingaram de assassinos e jogaram pedras na gente até que um dos meus colegas se irritou, bateu em uma das pessoas que estava causando desordem e ameaçou atirar em quem se metesse com a guarda novamente.
Não sei o que pensar sobre tudo isso, então apenas fiquei na minha, imaginando se fosse você no lugar de alguma daquelas pessoas mordidas em quem atiramos.
Me pergunto se fiz o certo.
Eu sei que aquelas pessoas iam se transformar em breve, mas ainda tinham um tempo até lá, um tempo para se despedir de suas famílias, um tempo que tiramos delas.
Odeio essa merda de apocalipse zumbi, odeio matar as pessoas que acabaram de ser mordidas, acabaram de ser infectadas... Já faz dez anos que faço isso e ainda não me acostumei...
Você não vai gostar de saber disso, mas confesso que não me lembro qual foi a última vez que juntei minhas mãos, fechei meus olhos e fiz uma oração.
Talvez seja a hora para voltar a rezes e pedir um milagre. Apesar de não ter certeza de que Ele vai me escutar. Quero dizer, será que Deus ainda nos escuta? Porque, toda vez que vejo uma coisa daquelas, começo a acreditar que ele nos abandonou, decepcionado com o que fizemos com esse planeta que era para ser sua obra prima.
Enfim... Hoje à noite eu vou rezar.
Talvez funcione para alguma coisa.

-
14 de Janeiro

Depois do último ataque e todas aquelas mortes, eu realmente achei que nós teríamos um pouco de paz por aqui, mas estava completamente enganado. Eu e Max, um dos meus colegas da guarda, estávamos fazendo a patrulha pela zona segura quando ouvimos alguns gritos vindo da uma das casas. Corremos até lá e vimos uma garota sendo atacada por uma recém transformada. Max atirou naquela coisa sem dó e eu fui até a garota para ver se ela estava bem, se não tinha sido mordida. Ela começou a chorar e foi na direção da recém transformada e afagou os seus cabelos, então percebi que se tratava de alguém que aquela menina amava, uma mulher que provavelmente foi mordida no último ataque e conseguiu fugir e se esconder antes que nós a encontrasse.
Tentei tranquiliza-la enquanto Max arrastava o corpo para fora da casa e avisava o resto da guarda sobre o ocorrido. Avisei para a garota que teria que verificar se ela não tinha nenhuma mordida, se não estava infectada também e ela pareceu ficar apavorada, antes de pegar uma faca, enfiar na minha perna e fugir.
Sei o que você deve estar pensando nesse momento. Que eu me tornei um fraco, pois antigamente nunca deixaria algo assim acontecer, mas acontece que ela... Eu vi o desespero em seus olhos, soube naquele momento que ela estava infectada e não queria fazer aquilo com ela, sabe... Matá-la, mas depois que parei para pensar nela se transformando e atacando outras pessoas me arrependi profundamente de não tê-la impedido de fugir.
Me responde , você acha que fiz o certo? Preciso da sua opinião porque ela é a única que ainda me importa nesse mundo de merda.

-


18 de janeiro

Eu não sei muito bem o que eu esperava quando rezei pedindo por um milagre, mas com certeza não era algo como o que aconteceu.
Na última vez que te escrevi, há quatro dias atrás, falei sobre uma garota que provavelmente estava infectada e fugiu porque eu permiti.
Bem... Hoje eu a vi novamente.
Nós estávamos fora da zona segura, atendendo a um pedido de reforço, pois aparentemente tinha duas mulheres tentando contrabandear armas.
Eu e o resto da guarda, estávamos vasculhando a área próximo onde ela foi vista a última vez, quando ouvi alguns barulhos de dentro de um dos prédios abandonado. Agora me sinto um idiota por ir até lá sozinho, me afastar do resto da guarda sem avisar, mas na hora não se passou pela minha cabeça que as coisas dariam tão errado.
Eu entrei naquela maldita estrutura que a qualquer momento poderia cair sobre minha cabeça. Por um tempo não escutei e não vi nada, já estava voltando para me juntar ao resto dos meus colegas quando ouvi o grito de uma delas. Corri o mais rápido que consegui naquela direção e me deparei com aquela garota novamente, acompanhada por uma mulher que estava sendo atacada por dois... duas daquelas coisas. A garota gritava por socorro e tentava atirar nas criaturas.
Eu as ajudei, aceitei em cheio na cabeça daquelas merdas e vi a garota chorar e ir na direção da mulher que estava no chão, sangrando.
Ela ia se transformar e aquela garota ia perder mais uma pessoa que amava. Ela tentou acalmar a mulher que reclamava da dor das mordidas e eu apenas fiquei parado observando elas duas. Aquele momento não durou muito, pois logo ouvi mais daquelas coisas se aproximando de nós. Fui obrigado a arrastar a garota para longe da mulher praticamente me implorou para salvar a garota.
Bem, não foi fácil, mas eu a salvei. Nós dois acabamos parando no sistema de esgoto daqui, enquanto a noite caia e conversamos um pouco.
Quando finalmente saímos daquele lugar fedido, procuramos abrigo em uma casa abandonada e eu tentei convencer a garota de volta para a zona segura, mas ela não quis. Disse que estava a caminho de Washington e que se eu quisesse impedi-la de ir, teria que atirar nela. E bem... Ela sabia que eu não ia fazer isso.
O nome dela é , exatamente igual o seu nome.
Será que isso é um sinal? Não sei o que fazer.

-
25 de Janeiro

Faz alguns dias que não te escrevo, uma semana que pareceu quase um mês.
Tanta coisa aconteceu de lá para cá.
Aquela garota... Ela... Ela chegou para mudar tudo.
Não pense que estou apaixonado, não é isso.
É que essa garota, ela é o milagre que pedi nas minhas orações. E sei que essas palavras podem parecer ter um tipo de sentido romântico, mas não é nada disso que você está pensando.
Não sei se você vai acreditar nas palavras que escrevo nesse papel, mas... Essa garota, a , está infectada. Ela foi mordida no dia do ataque na zona segura, há exatas duas semanas atrás. Já era para sua transformação ter acontecido, mas simplesmente não aconteceu.
Aquela mordida está se cicatrizando no braço dela como se fosse um ferimento normal. Dá para acreditar nessa coisa? Aposto que não, pois eu também não acreditaria se não tivesse visto como aquelas coisas a ignoram como se ela fosse um deles.
Eu sei que parece loucura, mas é a mais pura verdade.
Passamos por muitas coisas no caminho que estamos trilhando até Washington e se não fosse essa invisibilidade dela diante desses bichos, nós com certeza estaríamos mortos.
Sem contar que as coisas aqui fora estão uma loucura. Quando você pensa que a raça humana não pode ser pior ela mostra que está aqui para superar expectativas. Encontramos com alguns caras, eles roubaram nossas coisas e nos prenderam. Eles iam me matar e iam... Estuprar a ...
Foi tudo bem intenso, mas conseguimos fugir e recuperar nossas coisas antes que algo ruim acontecesse.
Eu sei que eles estão nos procurando porque tivemos que ferir gravemente alguns deles para escapar. Sinto que ainda vamos passar por mal bocados até chegar em Washington.
Pretendo ir ao seu encontro quando deixar em um local seguro. Ela disse que em Washington tem um laboratório onde eles continuam tentando achar uma cura para essa coisa.
Então prepara algo legal para a chegada desse teu irmão idiota que está com muitas saudades de você.

-

27 de Fevereiro

Faz mais de um mês que não te escrevo.
Não é porque me esqueci de você ou algo do gênero, mas sim porque as coisas tem sido bem intensa todos os dias. Além de todas essas coisas que parecem estar em todos os cantos, tem esses caras... Que continuam no nosso encalço. Fui obrigado a matar alguns deles para conseguir fugir com a e acabei descobrindo o por que eles continuam insistindo em nos seguir.
Parece que o líder deles, um tal de Mark, está obcecado pela . Quer a todo custo que a encontrem e a levem com vida para ele.
Nunca te contei como é fisicamente, não é?
Pois bem, ela é muito bonita. Tem a pele parda, olhos castanho mel, cílios grandes, sorriso doce, lábios carnudos e um grande cabelo no tom castanho claro.
Você consegue imaginar a imagem dívida dessa garota? Se sim, então já deve saber o motivo para esse tal de Mark querer colocar as mãos nela.
Eu quero protege-la de tudo, mas não sei se vou o cara ideal para isso, acho que vou acabar falhando com ela e comigo mesmo.
Tenho que chegar logo em Washington.

-


13 de Março

Não tinha mais nada em Washington.
Conseguimos nos livrar daqueles caras, pegamos um carro e dirigimos por longos dias, desviando de ruas e rodovias que estavam bloqueadas para chegar em Washington e... Não ter ninguém, NADA.

Parece que o prédio foi deixado as presas e que sofreu alguns ataques de pessoas, pois tem muitas marcas de tiros nas paredes.
achou um bilhete, onde nos dá um novo endereço em Baltimore.
Me pergunto se vale a pena passar por todo aquele inferno novamente para chegar em outro que possa estar abandonado.
Eu só queria mesmo ir até você, te abraçar e entregar todas essas cartas que estão se acumulando na minha mochila, mas não posso abandonar a no meio do caminho.
Ela ainda tem esperança e isso me lembra você.
Acho que vocês se dariam bem. As duas ... Gostaria de ver essa cena um dia.

-

18 de Março

Oi, , irmã do .
Eu não sei como escrever para você ou o que escrever, mas como o sempre fazia isso durante a nossa viagem, me sinto na obrigação de fazer o mesmo já que no momento ele não pode...
Nem só por isso, mas também porque sinto que preciso desabafar sobre os últimos acontecimentos antes que eu pire.
Acho que você sabe sobre mim, eu sou a , a amiga dele, aquela que teve a sorte de encontrar seu irmão quando mais precisava.
Que louco não é?
diz que o que me aconteceu, de ser mordida e não se transformar, foi um milagre, mas acho que o milagre mesmo foi eu ter encontrado ele e não outro guarda que atiraria na minha cabeça antes mesmo que eu pudesse terminar de explicar minha situação.
é bondoso.
Percebi isso no primeiro momento que o vi e sinto remorso até hoje por ter enviado uma faca na perna dele deixando uma cicatriz horrível que ele me mostrou esses dias. Ele é tão maravilhoso que parece não sentir rancor disso, ele ri enquanto fala sobre como foi terrivelmente perturbado por seus colegas por deixar uma garotinha como eu escapar.
É agoniante e doloroso vê-lo agora, deitado, inconsciente por minha culpa...
Estávamos bem, tinha escrito sua carta para você, eu tinha procurado por suprimentos nas redondezas da casa abandonada que ocupamos quando ouvimos barulhos por perto. Achamos que fosse os zumbis, mas eram aqueles caras que estavam me perseguindo.
pediu que eu ficasse escondida e tentou enfrenta-los sozinho, mas eles eram muitos, acertaram tiros no seu irmão e eu fui obrigada a desobedece-lo e salva-lo.
Eu consegui fugir com , mas ele perdeu muito sangue no processo... Eu... Eu estou há cinco dias cuidando dele, que passa a maior parte do tempo inconsciente.
Não gosto de deixa-lo sozinho, mas tenho que sair para procurar comida e remédios para ele.
Estou preocupada.
Não quero que você o perca.
Não quero perde-lo também.
Estou rezando para que ele abra os lindos olhos azuis que tem e sorria dizendo em tom de brincadeira que eu sou uma péssima enfermeira.
Queria que você estivesse aqui.
precisa de alguém que saiba exatamente o que está fazendo e eu preciso de um abraço, e pelo o que o fala, você é boa com essas duas coisas.

- , a amiga.

22 de Março

Eu acordei.
Abri os olhos meio confuso e fui recebido por um abraço caloroso de . Ela me contou que fiquei a maior parte dos últimos dias inconsciente e quando acordava começava a delirar por causa da febre. Também me mostrou que te escreveu uma carta enquanto eu estava meio... Machucado.
Preciso melhorar logo para seguirmos nosso caminho, não é seguro ficar tanto tempo no mesmo lugar. Eles podem nos encontrar, me matar e levar a .
E eu não posso deixar que isso aconteça.
Preciso mantê-la segura.
Isso é tudo que importa agora.

-


7 de Abril

Eu fiz uma grande merda.
Caralho! Eu mesmo não acredito no que fui capaz de fazer.
Você sabe que eu nunca gostei de multidões, que sempre preferi ficar sozinho no meu quarto e no máximo gostava de estar com você e nossos pais. Eram as únicas pessoas com as quais eu não me preocupava em compartilhar o mesmo ambiente.
Eram só vocês, mas agora também tem ela.
.
Eu não tinha reparado até o momento, mas desde o começo, desde que a conheci, não me incomodei nem sequer um minuto em dividir o mesmo espaço que ela, de estar sozinho com ela porque achava bom.
Devia ter percebido.
Devia ter notado que sou um filho da puta igual o tal do Mark.
Meu Deus!
Eu a beijei.
De forma intensa e apaixonada.
Não devia ter feito isso... Eu não devia... Ela só tem 18 anos e eu... 37.
Mas... Com ela me senti vivo outra vez...
Droga!
Amanhã tudo isso vai acabar.
Estamos chegando em Baltimore.
vai ficar a salvo e eu vou embora.
É assim que as coisas devem ser.

-

10 de Abril

Eles tentaram matá-la.
Ao que parece, o vírus se instalou no cérebro dela igual em todos os outros hospedeiros, mas ao contrário dos demais casos, o vírus sofreu uma mutação em .
Quando chegamos no laboratório em Baltimore, eles doparam a , fizeram todos os exames que precisavam e descobriram que seria possível fazer uma vacina. Fiquei feliz com a notícia porque a ia salvar o mundo.
Eles a levaram para a sala de cirurgia e eu perguntei sobre o procedimento.
Quando o médico me explicou, caiu a minha ficha.
Não tinha como retirar uma amostra da mutação do vírus sem que isso tirasse a vida de .
Eu não sei o que deu em mim, acho que fiquei louco ao saber que ela morreria, por isso fiz o que possível e o impossível para tira-la de lá.
Eles tentaram me impedir e eu... Eu fiz o necessário.
Sei que estou sendo egoísta e que essa não era a coisa certa a se fazer, mas foda-se.
Estou indo até você e levando comigo.
Chega dessa merda de salvar o mundo, eu apenas quero ficar com a minha família e minha garota.

-

21 de Abril

Eu menti para ela.
Quando acordou, me perguntou o que tinha acontecido em Baltimore e eu fui obrigado a mentir. Disse que eles fizeram todos os exames e que não encontraram nada que pudesse ajuda-los a desenvolver a cura.
Ela ficou decepcionada com a notícia, vi nos olhos dela isso.
Eu pensei em dizer a verdade, mas desisti porque eu sabia que ela me faria voltar para Baltimore. Os dias ao lado de me fizeram perceber que ela se sacrificaria pela humanidade e foi por isso que não consegui dizer a ela a verdade.
Eu não suportaria perde-la.

-


26 de Agosto

Aconteceram muitas coisas desde a última vez que te escrevi.
ficou cabisbaixa e calada por uns dias depois de Baltimore e eu fiquei me sentindo um merda por mentir para ela. Tudo parecia péssimo, até que o que eu estava evitando ao máximo que acontecesse, aconteceu.
me perguntou novamente sobre Baltimore e me pediu para jurar que estava falando a verdade. Eu tentei continuar afirmando a mesma coisa, mas não consegui continuar olhando no fundo dos olhos dela e despejar mentiras.
Disse a verdade.
ficou louca de raiva, me xingou e saiu pela porta decidida a voltar para Baltimore.
Eu fui atrás, pedi desculpas, tentei conversar, mas ela não queria me ouvir. Estava tão brava por eu ter tomado uma decisão que cabia somente a ela...
Então eu tive que dizer.
Tive que contar o motivo pelo qual não poderia deixa-la fazer aquilo.
Tive que confessar que não suportaria perde-la.
Tive que falar sobre meus sentimentos por ela.
Porque eu percebi existem milhares de coisas erradas acontecendo no mundo nesse momento e o que eu sinto por ela, não é uma dessas coisas. Porque quando ela está perto de mim, quando ela apaga as luzes e beija meus olhos, me sinto como uma pessoa por um momento da minha vida, me sinto vivo. É uma sensação boa, é bom fica sozinho com ela.
Então não estou indo até você, achei um lugar, um grupo de pessoas que são boas e nos acolheram. Eles tem sido como uma família para nós. Cuidado de agora que ela descobriu a gravidez...
Bem, estou escrevendo essa última carta porque arrumei alguém que irá leva-la a você junto com todas as outras que escrevi anteriormente.
Só queria que soubesse que estou bem, feliz e com saudades.
Espero que você também esteja maninha.

-




Fim.



Nota da autora: Gostei tanto de escrever To Be Alone nesse estilo diferente <3 HSUHAUSH Se alguém é fã de games, está lendo isso e já jogou The Last Of Us e está se perguntando se me inspirei no jogo. A resposta é: SIIIIM! Porque eu estava jogando ele esses dias, eu tinha que escrever essa fic e Like Real People Do e não conseguia pensar em mais nada além do jogo e no fim praticamente escrevi sobre ele HSUAHUSHAUHU Espero que gostem <3
Beijinhos ;*





Outras Fanfics:
We need to talk about your father, 10. Feelings, 13. Sex and Candy. Boys don’t Cry I e II, In The Woods, 9. Not In That Way, 9. Free The Animal, 14. For The Love Of A Daughter, 9. The Lazy Song, 1. Take Me To Church, 10. Like Real People Do;

Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.


comments powered by Disqus