Capítulo Único

Point Of Vison

31, december, 2017 – Miami.

estava mais sóbria do que eu, mas as duas gargalhavam alto o suficiente para que, por mais que a musica estivesse no ultimo volume, ainda atraíssemos vários olhares. Os meninos estavam comemorando horrores, tinham pouco tempo de “estrada”, porém foi um ótimo ano, apostaram todas as fichas agora em 2018 e se não fosse dar certo eles iriam desistir. Em resumo, todos estavam ou bêbados ou muito felizes em uma festa em algum lugar de Miami, minutos antes do ano novo.
- Adivinha quem não para de te olhar? – disse no meu ouvido e me agarrou.
- Aparentemente todos que estão em volta, eu to berrando – gargalhei.
- É o Liam,sonsa.
- Isso é um bom sinal – falei me desvencilhando dela.
Ela me olhou animada.
– É?
- Sim – assenti e dei um gole na minha cerveja – Isso significa que ele enxerga – ela me empurrou e eu ri.
- Ou gatas – Zayn apareceu atrás da e beijou o pescoço da mesma.
- Eca – fiz careta.
- Quê? – fez a egípcia.
- Nada demais, só que minha melhor amiga e meu irmão se comem.
- O meu melhor amigo também come minha irmã – Zayn falou rindo.
Se ele estivesse em sã consciência ele nunca falaria isso, então ele estava bem mal.
- Tá comendo ninguém não – falei – Pelo o que eu saiba – arqueei a sobrancelha.
- Ainda – falou rindo e Zayn riu junto – Para de cozinhar o menino.
- Sem homens para mim por um bom tempo.
- Eu aposto que você vai pegar alguém em menos de uma semana – Zayn falou – E esse alguém é o Liam.
Eu neguei com a cabeça.
– Não mesmo, só se eu estiver bem louca.
- Vocês vieram para bater papo ou dançar e beber e comemorar e descer até o chão e rebolar e tudo mais? – Niall chegou falando – Vem, Louis e Harry nos esperam.
Niall puxou minha mão e eu o acompanhei, segurou minha cintura e formamos o “trenzinho da alegria”, como Zayn gritou. Estava muito alegre mesmo quando eu vi terminar de subir as escadas para a área VIP, eu congelei e desaprendi a respirar. Quando voltei a respirar e olhei desesperada para , ela também estava congelada. Olhei de novo, ela estava pálida, ela amava e não ficaria daquele jeito por ele, estava do lado do mesmo, quando voltei a olhar estava encarando, ele cutucou com o braço e o também começou a encarar.
- Vem logo – Niall me puxou.
Tentei dançar, tentei agir normalmente, Liam chegou algumas vezes perto e fez palhaçadas, eu forcei o riso, mas quando vi ir em direção ao banheiro eu cambaleei atrás da mesma. Quando entrei no banheiro ela estava encostada na parede, olhando para baixo e respirando fundo.
- Você ta tonta, passando mal ou acalmando o coração? – ela me olhou e sorriu.
- Acho que a primeira e terceira opção.
- Que ótimo, vou fazer isso também – encostei do lado dela e ela riu – Quanta coincidência.
- Não exatamente – ela revirou os olhos.
- Como assim? – semicerrei os olhos.
- Zayn abriu a boca, maior confusão, nem briguei com ele, além de não entender nada, ele também entrou em pânico porque o veio junto – eu ri.
- Zayn maior talarico do grupo, ganhou de todos – assentiu e rimos.
- Cara, eu sei que eu meio to com o seu irmão, mas tipo, eu não sei o que aquele vadio fez comigo, eu só... – ela parou de falar – Ou talvez eu esteja muito bêbada.
- Você não tá muito bêbada, você na verdade tá bem lucida, só tá falando a verdade, o termino de vocês foi todo errado e confuso.
- Por isso eu tentei outras várias vezes, fomos o casal ioiô – ela revirou os olhos – E você, o que sentiu com o ?
- Na real? – ela assentiu – Foi um choque e depois eu só pensei em dar para ele – ela arregalou os olhos – Eu sei, to errada.
- Tá nada, vai que é tua, depois coloca a culpa na bebida.
- Você deveria falar para eu me controlar.
- Não, eu devia te ajudar a tirar essas teias de aranha do meio das tuas pernas, é isso que to fazendo.
- Você é louca.
- Amor, eu sou a sua melhor amiga, você me conheceu em um dia que eu estava seminua na frente do colégio todo – ela piscou e eu ri.
saiu do banheiro e eu resolvi realmente ir ao banheiro antes de sair, lavei as mãos e fui até o bar, pedi um energético e me sentei.
- Oi – alguém falou no meu ouvido, dei um pulinho de susto – Você sumiu.
- Que susto, Liam.
- Está tudo bem? – eu assenti.
- Só fui ao banheiro e vim pegar um energético.
- Ah sim, então tá tudo bem?
- Melhor do que nunca – sorri.
- Certo, me espera aqui? Minha vez de ir no banheiro – ele riu.
- Eu vou lá pular com o povo na pista, não curto ficar sozinha – o barman voltou com meu energético.
- É verdade, então me espera lá – eu peguei o copo.
- Vou tentar não sumir – eu sorri, ele me deu um selinho e saiu.
Levantei do banquinho e fui para a pista de dança.
- ! - Eu o encarei e não sabia se devia falar com ele.
- Oi.
- Podemos conversar?
- Não – tentei andar, mas ele pulou na minha frente.
- Por favor, eu vim aqui só para te encontrar, eu sei que fiz muita merda, mas eu preciso falar com você, por favor, por favor!
- , não tem o que falar. Acabou, é isso, não pedi para você vir atrás de mim.
- Cara, eu fui para Londres te procurar, mas não consegui nada, por favor.
- Vai perder seu tempo – revirei os olhos.
- Olha, a gente pode sair daqui, ir para sua casa ou pra minha, ou qualquer lugar que não seja esse barulho – para ele falar chegou perto demais e isso me preocupou.
- ... – comecei.
- Só conversar, nem se for para você falar tudo de mau que eu te fiz.
Eu ponderei um pouco, foram horríveis esses últimos meses, porém de algum modo isso ia ser bom.
- Certo, vamos para sua casa.
Ele estranhou, mas assentiu, ele fez um tipo de sinal para que eu o seguisse e foi o que eu fiz. O caminho foi silencioso, eu enrolei um monte para tomar meu energético, comecei a ficar nervosa quando percebi que aquele não era um caminho conhecido para ir à casa de , mas ele estacionou o carro na frente de uma enorme.
- Wow!
- Gostou?
- Que casa!
- Vamos entrar – ele disse abrindo a porta do carro.
- Por que não coloca o carro lá dentro? – questionei e abri a porta.
- Depois eu te levo em casa.
Não falei mais nada, ele trancou o carro e entramos, pegou o copo da minha mão e foi jogar fora, quando ele voltou trouxe um pote de Nutella junto.
- Toma – ele me entregou o pote e uma colher.
- Pra quê? – arqueei a sobrancelha.
- Doce corta o efeito do álcool mais rápido e foi o primeiro que eu vi – eu peguei.
Abri o pote e peguei uma colher, ele fez sinal para que eu sentasse no sofá e foi o que eu fiz, ele começou a falar e eu juro que só pensava nas noites de sexo que já tivemos, e eu sempre tive a vontade de lamber algum doce em cima dele, mas ele nunca me dava tempo para isso, agora estava ele na minha frente, comigo semi bêbada e isso estava me fazendo achar ele o cara mais sexy do mundo, e eu estava comendo algo que poderia usar nele.
-... Londres e eu imagino que tenha caras se jogando em cima de você, mas se tiver essa possibilidade, pensa, por favor.
- Oi? Desculpa, eu viajei.
- Acho que você não tá prestando atenção em nada – ele riu pelo nariz.
- Desculpa, estava pensando em você.
- Mas não está me escutando, complicado – o sorriso não saiu do rosto dele.
- Sabe, quando fazíamos sexo... – ele arqueou a sobrancelha – Sempre quis usar comida em você, mas você era muito... Rápido, digamos – ele riu.
- Queria usar comida em mim? – eu assenti.
- Tipo pegar isso – balancei o pote de nutella na frente dele – E jogar no seu corpo e depois comer, claro que primeiro você tinha que tomar banho, mas você era incapaz de esperar trinta segundos para começar o ato sexual.
- Eu tinha coisas para fazer, digamos.
- Esses meses foram frustrantes, eu via suas fotos com aquelas putas e eu imaginava elas fazendo isso – fiz cara de nojo.
- Se te deixa mais tranquila, nenhuma delas fez isso, na real eu quase nem pratiquei o “ato sexual” – ele fez aspas no ar e depois riu.
- Então me deixa fazer isso agora – eu me aproximei dele, que me olhou espantado.
- Ok, talvez você tenha bebido mais do que eu imaginava – ele se afastou um pouco.
- Eu te fiz o favor que me pediu, há meses você quer conversar comigo, o que estamos fazendo agora?
- Conversando? – ele respondeu perguntando.
- Exato, agora realize meu pedido que eu quero há meses: transe comigo, aqui e agora. Isso é algo que você também quer – beijei o pescoço dele.
- , você esta chapada, não dá – ele levantou, eu deixei a nutella e a colher no sofá e levantei, ficando na frente dele.
- Você já transou comigo enquanto eu estava chapada – coloquei os braços em volta do pescoço dele.
- É, estávamos namorando e você não me odiava – ele tirou meus braços do pescoço dele.
- Por favor – rocei meus lábios no dele – Ajude alguém com sexo, tu sabe fazer isso – eu mordi os lábios dele.
- , eu não... .
Eu o puxei para mim e me joguei no sofá, acredito que algo nele foi mais forte e ele me beijou. Eu sentia tanta falta do beijo dele, de ficar embaixo dele, enfim, senti falta de tudo que envolvia ele, menos a parte totalmente errada.
- Você vai acordar arrependida – ele falou entre o beijo.
- Eu to bem. Só que, pelo amor, deixa acontecer, não espere que eu durma e faça aquela cena clichê de me cobrir e bancar o bom moço. De bom moço você só tem a cara – revirei os olhos, ele riu e voltou a me beijar.
beijou meu pescoço e eu já estava querendo chegar nos finalmentes, mas ele resolveu ficar de joelho no sofá e me puxar, ele tirou a camisa e me entregou a nutella.
- Faça o seu fetiche se tornar realidade.
Eu sorri e peguei a mesma, abri, ele se sentou e me encarou.
- Eu tenho que pegar a colher? – ele deu de ombros.
Eu virei o pote de nutella em cima dele e ele fez uma careta, eu comi a mesma e enquanto isso senti meu vestido abrir.
- Apesar de ser super sexy, é estranho, grudento e... .
- Você fala demais – eu falei e ele arqueou a sobrancelha.
me deu uma leve empurrada, abaixou meu vestido e não esperava que eu estivesse sem sutiã, pegou o pote da minha mão e me fez deitar no sofá, ele tirou o chocolate com os dedos e passou nos meus seios, chupou os mesmo e depois jogou o pote em algum canto do sofá.
- Precisava da meia calça? – reclamou.
- Minhas noites em Miami são tão frias sem você para me esquentar – gargalhei.
Ele me beijou novamente, quando me dei conta ele já havia tirado a meia calça e estava beijando minha coxa. Eu só precisava que ele tirasse o tênis, a calça, a cueca e minha calcinha. Era isso que faltava para que eu fosse fodida fisicamente e da melhor maneira. Ele tirou os tênis e eu tirei a calça dele, queria ser rápida e ele parecia perceber isso e fazer de propósito a lentidão. Ele tocou minha intimidade com um dedo e deu o sorriso mais safado do mundo, colocou o segundo dedo e brincou um pouco com o clitóris, apertei os lábios e procurei algo para apertar. Eu sentia que o pau dele estava duro, isso me deixava mais louca pelo sexo dele. penetrou os dedos em mim e sussurrou no meu ouvido, eu sequer entendi, apenas fiquei mais excitada por ouvir a voz rouca dele. Com um pouco de dificuldade, vinda dele claro, eu consegui tirar a cueca, ele fez pressão na minha vagina com o pênis e eu queria chorar. Não disse por onde. Eu o empurrei e ele se sentou me encarando, olhei em volta e vi o pote de nutella, peguei um pouco de chocolate e passei no pênis dele, em seguida comecei a chupá-lo, ouvi pequenos gemidos e me animei mais, ele puxava meu cabelo, apertava minha cintura, forçava minha cabeça para que eu colocasse o pau dele inteiro na boca. Quando ele não aguentava mais, me puxou pelo cabelo para cima.
- Tira a calcinha e sobe em mim – ele ordenou.
Eu levantei ficando na frente do mesmo, tentei tirar a calcinha da forma mais sexy possível, coloquei uma perna de cada lado do quadril dele e ele agarrou minha bunda, quando eu sentei – gemendo – ele me deu um tapa estalado e eu gemi no ouvido dele, ele começou a mover meu quadril em cima do pênis dele e eu não fiz a mínima questão de reprimir meus gemidos. beijava, chupava, sugava, mordia, lambia meus mamilos, ele brincava com meus peitos só com a língua enquanto eu agarrava o pescoço dele com uma mão e apertava meu próprio seio com a outra. Ele levantou comigo no colo e me deitou no sofá, foi quando eu senti realmente o pau dele dentro de mim, ele ia e voltava rápido, fundo e eu só queria mais, mais e mais, eu pedia por mais, ele me obedecia. As mãos dele passaram a ajudar o que antes só a boca fazia. Agarrei o cabelo com uma mão e enfiei as unhas no sofá, minhas costas arquearam involuntariamente e eu não tinha mais controle do que eu fazia.
- Fica de quatro – ele sussurrou no meu ouvido.
Ele cessou qualquer movimento e tirou o pau da minha boceta. Eu fiz o que ele pediu e antes do que eu esperava ele já estava dentro da minha vagina de novo. agarrou meu cabelo e puxou, arqueei a coluna e ele meteu em mim. Meu corpo chegou ao ápice, ele percebeu, soltou meu cabelo, debruçou em mim e me segurou, ele saiu de mim e gozou nas minhas costas e na minha bunda. Me joguei no chão de barriga para cima, para não sujar o sofá de gozo – dele – e o chamei com um gesto da mão para deitar em cima de mim.
- Fica dentro de mim – sussurrei quando ele deitou a cabeça no meu ombro.
Ele se mexeu um pouco e colocou o pênis na minha vagina de novo. Eu o abracei e ele fez o mesmo.
- Você se envolveu com alguém seriamente nesses últimos meses? – ele quebrou o silencio.
- Não.
- E aquele cara que te deu um selinho? – eu ri pelo nariz.
- Depois de tudo isso tu pensa nele? – eu senti que ele sorriu.
- Digamos que agora eu me sinto mais à vontade para perguntar – eu ri.
- Ele é um amigo do meu irmão que quer ficar comigo.
- Então está esperando alguém?
- Não.
- Não? – ele levantou a cabeça.
- Não, não posso namorar sem confiança e eu perdi a confiança em homens, estou cansada de desilusões.
- Então é não para mim também?
- Não quero saber de um destruidor de corações! pareceu ter levado uma facada no coração.
- Feliz ano novo, princess! – ele mudou de assunto e tentou sorrir. Ele costumava me chamar de princess...
- Verdade, tinha fogos durante o sexo – ele riu – Feliz ano novo, bae! – eu sorri.
- Posso te dar um beijo? – eu assenti sorrindo.
Esse foi só o primeiro beijo de nós dois em 2018...


Fim.



Nota da autora: OLÁ! Vocês estão bem? Primeiramente: Espero que tenham gostado e eu espero que esse ficstape não tenha polemica. Segundamente: Essa ficstape é uma spin-off de Nothing Like Us, que tem aqui no site (ou você pode ignorar e nunca mais ler nada desse casal), não era para ser mas de ultima hora eu resolvi que ia ser. Terceiramente: Essa spin-off é no futuro, então tem spoiler da historia original uehehehe. Quartamente (essa palavra nem existe): Quero agradecer a “dona” desses personagens (ela escreve a historia original comigo) por ter me ajudado a desenvolver e me dar apoio para que eu não desistisse de escrever (uma da madrugada ela me ajudou hsuasha). É isso um beijo, Nathy ♥





Outras Fanfics:
Nothing Like Us (Restrita – Em Andamento - fanfic em parceria)
All I Ever Need (Restrita – Em Andamento – Dé Rodriguês)
Royal Princess (Restrita – Em Andamento – Nathy Gomes)
Spotlight (Restrita – Em Andamento – Nathy Gomes).

Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.


comments powered by Disqus