Fanfic finalizada.

Capítulo Único

Ouvi os gritos de meus amigos ao terminarem alguma espécie de discurso e simplesmente bati minha caneca de cerveja com as deles, brindando a algo que eu não fazia ideia do que era, mas pareciam não notar.
Sinceramente, não tinha ideia do que estava fazendo ali naquele lugar quando tudo dentro de mim protestava, insistindo para que eu me fechasse em meu próprio casulo já que, por mais que o meu eu do passado aprovasse aquele tipo de coisa, as coisas haviam mudado e eu não era mais o mesmo. Além de não ver mais graça nenhuma naquilo, agora eu tinha um vazio dentro de mim que tinha certeza de que o álcool ou as festas seriam incapazes de preencher.
Naquela noite, no entanto, eu me forcei a estar ali porque tudo o que eu mais precisava era de um tempo para mim mesmo. Para colocar as minhas ideias no lugar e buscar a força que eu precisava para seguir com a minha decisão.
Eu olhava ao meu redor, no entanto, e tudo o que encontrava me fazia lembrar dela. Se eu passava os olhos pelas bandejas dos garçons, via algum drinque que eu sabia que ela gostava. Se observava as pessoas à minha volta, dava de cara com alguém com características muito semelhantes às dela ou vestia roupas semelhantes às que a mulher costumava usar.
Era como se o universo estivesse descaradamente lutando contra mim e rindo da minha cara.
Tive a certeza disso quando uma melodia conhecida começou a tocar e eu desviei meu olhar imediatamente para a minha caneca de cerveja. Como se não bastasse tudo, a nossa música ainda tinha que ecoar por onde quer que eu fosse?
Fiz uma careta, me empenhando em beber todo o líquido do conteúdo de meu copo, mas um vulto semelhante ao que eu tentava evitar passou pelo meu campo de visão, fazendo com que eu me afogasse. Procurei normalizar minha respiração e enquanto fazia isso tomava mais uma decisão. Eu não podia ficar ali daquele jeito porque certamente apenas me afundaria na bebida. O melhor a fazer era ir embora.
Lancei um olhar na direção de meus amigos. Estes pareciam se divertir tanto que estavam completamente alheios ao que eu fazia ou deixasse de fazer, o que facilitava o meu plano.
Da forma mais discreta que consegui, me levantei da cadeira, começando a caminhar na direção oposta a eles com a maior naturalidade possível.
A música que tocava subitamente parou e por algum motivo interrompi minha caminhada rápida até a saída para descobrir o que acontecia no pequeno palco. No entanto, antes mesmo que eu pudesse de fato enxergá-lo, uma gritaria tomou conta de todo o local, indicando que quem quer que tivesse acabado de subir certamente era famoso.
— Boa noite a todos!
Congelei onde estava ao ouvir aquela voz. Mesmo que se passassem mil anos, eu tinha certeza de que a reconheceria.
Involuntariamente, meus olhos a procuraram com mais afinco, ameaçando inundar-se de lágrimas quando perceberam a silhueta feminina daquela que havia esmagado meu coração, arrancado e o levado consigo.
— Com certeza a maioria de vocês sabe quem eu sou. A maioria me conhece de alguns outdoors ou do instagram, quem sabe até tenham ouvido alguma coisa minha nas rádios locais. Meu nome é e eu faço parte de um grupo chamado The Cherry Bombs.
Fiz menção de virar as costas e ir embora. Mais uma vez, tudo se tornava sobre ela e a fama.
— Mas eu não vim até aqui falar sobre mim. Tampouco vim aqui cantar para vocês. — Ouviu-se alguns resmungos frustrados. — Eu subi aqui porque cometi a pior burrada da minha vida pela… milésima vez? — indagou quando seus olhos se encontraram como os meus certeiramente, como se ela soubesse onde eu estava desde o início.
Eu nunca estava preparado para a conexão que emanava de nossos olhares.
Suspirei, querendo correr para longe dela e ao mesmo tempo querendo ficar ali.
— Uns meses atrás, eu descobri que tinha um paparazzi que não importava onde eu estivesse e nem como tentava me esconder, ele sempre me encontrava e conseguia suas fotos. Eu morria de ódio desse cara porque eu não tinha absolutamente nem um minuto de paz e cada foto minha que ele tirava vinha acompanhada de alguma teoria mirabolante. Até em cartomante eu já andei, segundo algumas fofocas.
Algumas risadinhas ecoaram.
Foi inevitável que as lembranças invadissem minha mente. Desde a primeira vez em que eu vi aquela mulher, que devia ser apenas mais um trabalho e acabou se tornando muito mais que isso, senti que ela mexeria comigo de alguma forma. Ela era muito mais do que as câmeras registravam e quanto mais eu a observava de perto, mais percebia o quanto os tabloides eram venenosos quando se tratava de .
— Ele nunca se aproximava de mim a ponto de desrespeitar o meu espaço, o que com certeza contou pontos para ele, até o dia em que eu fui fazer minha corrida matinal e um maluco se aproximou de mim, tentando me assaltar. Meu paparazzi me salvou e depois daquele dia todo o meu mundo passou a girar em torno dele. Eu pensava nele quando me levantava até o momento de ir dormir. Quando dormia, ele invadia os meus sonhos. Me vi completamente apaixonada. Escondido, começamos nosso relacionamento, mas como nem tudo são flores, começaram os boatos.
Suspirei, desviando meu olhar porque cada palavra dela me fazia relembrar um momento.
— Eu deixei que esses boatos ficassem entre a gente. Deixei que pessoas de fora me convencessem de algo que se tratava apenas de nós dois. — A voz dela vacilou um pouco, então parou, respirando fundo e não consegui mais desviar meu olhar dela quando voltou a falar. — E no fundo eu sei que não mereço uma milésima chance, mas ainda assim eu resolvi tentar. Eu compus essa música como uma forma de te mostrar, , que posso sim ser apenas o seu amor.
Me assustei ao ouvi-la dizer meu nome daquela forma, declarando para todo mundo que cada uma de suas palavras era dirigida a mim e não apenas isso, havia composto uma música inteira para mim. Ninguém nunca tinha me feito sequer um poema.


Lover of mine, maybe we'll take some time
Meu amor, talvez levemos algum tempo
Kaleidoscope mind gets in the way
Mente de caleidoscópio atrapalha
Hope and I pray, darling, that you will stay
Espero e rezo, querido, para que você fique
Butterfly lies, chase them away, mmm
Borboletas mentirosas, afaste-as



A melodia agradável foi iniciada e por alguns segundos eu me questionei em como tudo parecia estrategicamente preparado para aquele momento. Talvez realmente não fosse algo movido pelo impulso e um olhar breve na direção de meus amigos apenas confirmou minhas suspeitas. A insistência interminável deles para que eu fosse até aquele pub era porque viria em algum momento.


Dance around the living room
Dançando ao redor da sala de estar
Lose me in the sight of you
Me perco ao ver você
I've seen the red, I've seen the blue
Eu vi o vermelho, eu vi o azul
Take all of me
Tome tudo de mim

Deep to where your secrets hide
Profundamente até onde seus segredos se escondem
Where we've been a thousand times
Onde estivemos milhares de vezes
Swallow every single lie
Engula cada mentira
Take all of me
Tome tudo de mim



Cada uma de suas palavras era certeira. Sua voz combinava tão bem com a melodia que eu sentia meu corpo todo arrepiar. Uma enxurrada de lembranças tomou conta de meus pensamentos. Lembranças onde dançávamos no meio da sala exatamente como a composição dizia.


I'll never give you away
Eu nunca vou abrir mão de você
'Cause I already made that mistake
Porque eu já cometi esse erro
If my name never fell off your lips again
Se meu nome nunca sair dos seus lábios novamente
I know it'd be such a shame
Eu sei que seria uma pena

When I take a look at my life and all of my crimes
Quando dou uma olhada na minha vida e em todos os meus crimes
You're the only thing that I think I got right
Você é a única coisa que eu acho que acertei
I'll never give you away
Eu nunca vou te mandar embora
'Cause I already made, already made that mistake
Porque eu já cometi, já cometi esse erro



Eu estava cada vez mais embasbacado, sem saber exatamente o que dizer enquanto meu peito parecia querer explodir com os sentimentos que agora eu sabia serem retribuídos pela jovem cantora.
Durante o restante da música, cada verso trazia uma lembrança diferente e no fim das contas eu nem ao menos consegui deixar que ela a terminasse por completo.
Atravessando a pequena multidão, sem nada me importar além daquela mulher, assim que consegui subir ao palco, se aproximou de mim.
. — Pude ouvi-la murmurar antes que eu unisse meus lábios aos dela em um beijo que exprimia todos os sentimentos que tive naquele lugar.
Abracei-a contra mim, aprofundando minha língua em sua boca, sendo imediatamente retribuído com alguns apertões pelos meus ombros,
Ao nos afastarmos, juntamos nossos rostos, encostando uma testa na outra e ouvindo diversos aplausos.
— Eu te amo, .
Sorri feito um bobo ao ouvir aquilo.
— E eu te amo, — respondi prontamente.
Não sabia como seria dali para frente. Se ela assumiria nosso relacionamento publicamente ou se as coisas continuariam as mesmas, mas no fundo realmente não se importava. me amava.


FIM



Nota da autora: Olá, meu amor. Espero que goste da fic. Ela é curtinha, mas eu gostei muito desse casal.
Caso queira saber mais sobre minhas histórias e meu processo de escrita, me siga no instagram e entre nos grupos do whatsapp e do Facebook.
Beijos e até a próxima.
Ste.





Outras Fanfics:
Acorrentados no Inferno [Restritas — Originais — Em Andamento]
Aliferous [Restritas — Originais — Em Andamento]
Bellum Vincula [Restritas — Originais — Em Andamento] — Parceria com Vanessa Vasconcellos & G.K Hawk
Extermínio [Restritas — Originais — Em Andamento] — Parceria com Sereia Laranja
Histeria [Restritas — Originais — Em Andamento]
Hold me Tight or Don't [Restritas — Livros/Harry Potter — Em Andamento]
Lover of Mine [Restritas — Originais — Em Andamento] — Parceria com Dany Valença
Lycanthrope [Restritas — Originais — Em Andamento]
Mindhunters [Restritas — Originais — Em Andamento] — Parceria com Vanessa Vasconcellos
Reckless Serenade [Restritas — Livros/Harry Potter — Em Andamento]
Unholy Darkness [Restritas — Livros/Harry Potter — Em Andamento] — Parceria com G.K Hawk
Trilogia Sweet Psychosis:
Sweet Monster [Restritas — Seriados — Shortfic] — Parte I
Sweet Symphony [Restritas — Originais — Shortfic] — Parte II
Sweet Psychosis [Restritas — Originais — Shortfic] — Parte III
Acesse minha página de autora para encontrar todas as minhas histórias


comments powered by Disqus