Near to Me

(flashback)


- , eu te amo- falou do nada para a namorada. adorava quando ele fazia isso. Quando não podia prever o que ele falaria, ou quando o faria.
- Eu também te amo , muito - disse vendo o garoto sorrir
- hum... , eu vou estar sempre por perto, não importa onde, quando ou porque, eu vou estar sempre aqui, você é a garota mais importante da minha vida - disse olhando nos olhos da garota, ela não entendia o porque daquilo, mas o que importava? Ela estava com a pessoa que ela mais amava, e isso já bastava.
(end flashback)


As imagens não paravam de vir em sua mente.
estava atordoada e tudo que queria naquele momento era dar um abraço em seu namorado.
Foi para o quarto e andou lentamente, contando os passos até a janela.
Olhou para fora observando o movimento das pessoas que passavam, e sem que percebesse, mais uma lembrança vinha a tona.
(flashback)


Trim, Trim, Trim
- Alô - correu até o telefone para atendê-lo
-, olha só, você não quer vir pra cá? Os meninos estão aqui, o já ligou pro e ele também ta vindo, daí sei lá, a gente aluga algum filme ou faz alguma coisa divertida, quer vir? - dizia do outro lado da linha
- Ah, ok, espera então que daqui a 10 minutos to ai, ta? Só vou colocar um tênis e já vou.
- Ok, então tchau.
- Tchau.
correu para o quarto, vestiu um all star e saiu. A casa de não era muito longe então decidiu que iria a pé mesmo.

A rua estava vazia e escura, o vento gelado cortava a sua pele, e a fazia arrepiar com o frio.
Ouviu alguns passos, mas não olhou para trás, percebeu que ficavam mais fortes a cada segundo, como se alguém estivesse correndo em sua direção.
Sentiu alguém tocar seus cabelos e então se virou.
- Se fosse um assassino te matava. - disse abraçando a namorada
- Sabia que era você. - a garota sorriu
- Como? - disse arqueando a sobrancelha
- Bom... sei lá, você disse que estaria sempre por perto não disse? - disse fazendo careta
- É, eu disse sim, mas... ta indo pra onde?
- Pra , ela me ligou agora pouco
- Ah, também vou pra la, só passei aqui pra te pegar.
- Hum... então vamos - disse beijando a garota
- Vamos- disse pegando na mão do namorado e andando
(end flashback)


Quando percebeu tinha voltado a chorar, aquilo era demais para ela, precisava vê-lo, mesmo que não do jeito que desejava.
Colocou um casaco sobre os ombros e saiu de casa, as lagrimas corriam pelo rosto, dando-lhe uma aparência horrível.
Como se o mundo tivesse acabado, e ele agora realmente não fazia mais sentido para ela.
(flashback)


- , to saindo, ok? O ligou e disse que o carro dele quebrou, vou dar uma carona pra ele até o estúdio - berrou
- Ok, te amo - despediu-se do garoto
- Também te amo, pequena, tchau - disse fechando a porta
sentia-se a garota mais feliz do mundo, tinha definitivamente tudo o que queria.
Ligou o radio e deitou na cama, se perdendo em pensamentos e adormecendo. Acordou minutos depois com o telefone tocando insistentemente
- Alô - disse sonolenta
-... eu sinto muito...- falava pausadamente como se estivesse chorando
- ? O que houve?
- O ...
- Que que tem? O que houve, ? - já estava nervosa.
- Ele vinha me buscar quando... um carro desgovernado bateu no carro dele e...
- E... , fala logo - chorava desesperadamente
- Sinto muito...- começou a chorar mais
- Não...não, ... não aconteceu, diz que é brincadeira, por favor!
- ... eu não posso
- Mentira!!! Por que você ta fazendo isso ? Mentira!!!- berrava ao telefone
(end flashback)


parou em frente ao túmulo de , pousou suas mãos sobre sua foto, e se agachou ficando de joelhos. Ela amava aquela foto, ele sorria, o sorriso mais lindo que ela já vira.

Ele estava com o olhar fixo em algum lugar, como se estivesse vendo uma paisagem.
Colocou as mãos sobre o rosto abafando o choro.
- Desculpa por ter deixado você ir, tudo poderia ser diferente...e... eu não consigo me acostumar com a idéia de que você me deixou - falava entre soluços - hoje seria nosso aniversario de dois anos... eu queria tanto que estivesse aqui comigo, eu faria tudo por você... tudo que você me pedisse... você era e continua sendo tudo pra mim.
Eu queria tanto você aqui...
Eu sinto tanto...tanto a sua falta... - tirou as mãos do rosto e olhou para a foto do garoto no tumulo - porque você teve que ir? Você parecia tão feliz... eu estava feliz...
Eu não sei se vou conseguir viver sem teu sorriso...
Sem poder te olhar nos olhos...
Sem poder te beijar...
Eu não consigo viver sem você....
Eu te amo ... eu te amo muito.- ouviu o barulho de um carro e olhou pra trás.
- Passei na sua casa e você não estava... imaginei que estivesse aqui - disse se aproximando
- Hoje era nosso aniversario de namoro... a gente faria dois anos... era especial pra nós - disse ainda sem tirar os olhos da foto.
- Eu sei, mas... já se passou um mês, você precisa aceitar...
- Eu sei, mas é difícil. Eu sinto tanta falta dele!
- Eu sei, mas você não pode ficar se torturando vindo todo dia aqui
- Eu acho que vou andar um pouco, preciso ficar sozinha - disse saindo do cemitério
- Quer que eu te leve? Já ta escuro - gritou
- Não obrigada, eu realmente quero andar - respondeu já distante
Passou pela rua da sua casa, a mesma rua onde estiveram um dia. Ainda o mesmo vento gelado que cortava a sua pele batia. Andou pensando em todos os momentos que passaram juntos e voltou a chorar. Ouviu alguns passos e olhou para trás, ninguém, a rua estava vazia. Voltou a andar e sentiu os passos pesados, como se alguém corresse. Olhou para trás novamente, a tempo de sentir um vento mais forte bater em seu corpo.

Sorriu levemente, sabia que era ... O seu ...
- Eu sempre soube que você estaria por perto- sussurrou para o vento antes de voltar a se virar lentamente.

comments powered by Disqus