Última atualização: 18/10/2017

Capítulo Único


Pela pouca transparência do vidro fosco da porta, a garota conseguia ver a silhueta dele, movendo-se lentamente ao ritmo do que parecia ser seu mais novo projeto. Ela amava quando ele ficava envolvido dessa forma com as produções, como o olho dele brilhava quando entrava naquele estúdio, a forma como seu rosto iluminava toda vez que conversavam sobre uma nova ideia ou algo que ele estivesse envolvido no momento, a paixão pelo que fazia deixava sem ar e ela podia, dali, do outro lado da porta, sentir aquela paixão toda exalando de cada poro do corpo do garoto.
abriu a porta com cuidado, trazendo uma bandeja com alguns sanduíches e uma xícara de café que ela tinha acabado de preparar. Ao entrar no cômodo, colocou a bandeja sobre uma das prateleiras que estavam vazias, fechou a porta sem fazer barulho e parou alguns passos atrás da cadeira onde ele estava sentado com seus grandes fones nos ouvidos.
Ele ainda não tinha notado a presença dela no local e ficou alguns minutos observando como ele ficava sexy quando estava produzindo, com seu cabelo bagunçado, usando uma camiseta branca larga e seu moletom cinza que caia perfeitamente nos quadris, era mágico como aquela cena a deixava com um misto de tesão e ternura. Dando mais alguns passos e chegando bem próxima as costas dele, ela envolveu seus ombros em um abraço e depositou um beijo leve em sua nuca.
Sendo pego de surpresa com o toque da garota, esbarrou no porta retrato com a foto de todos os membros do grupo que ele tinha em sua mesa derrubando no chão e deixando a moldura de madeira em pedaços. se afastou dele, se desculpando e se abaixando para ajuntar aquela bagunça, mas ele a segurou pelo braço impedindo seu ato e afirmando que estava tudo bem, que não havia problemas.
Abrindo um sorriso largo, um que podia jurar que era a coisa mais linda desse mundo, ele se curvou, pegando os pedaços de madeira e jogando no cesto de lixo, colocando a foto novamente sobre a mesa, brincando com ela que nem um vidro novo ele tinha colado na moldura desde de a última vez que o acidente havia acontecido.


Enquanto falava que fazia questão de comprar outra moldura, a puxou para seu colo, fazendo com que a garota se sentasse de lado, sobre suas pernas. Ainda sorrindo, perguntou a ela o que fazia acordada tão tarde, olhando para o relógio do computador viu que já passavam das duas da manhã e respondeu que como ele estava tão envolvido com o projeto notou que ele estava há muito tempo sem se alimentar e havia preparado um lanche, apontando para a bandeja que ainda estava onde ela a colocou. sorriu ainda mais, ele amava como ela cuidava dele, como ela era doce, como seus olhos eram grandes e de um castanho que o encantava e como ela ficava irresistível quando vestia a camiseta preta preferida dele.
Seus devaneios foram interrompidos com o toque macio dos dedos de percorrendo toda a extensão de seu rosto e com a outra mão segurando delicadamente seu ombro. Então, ele levou uma das mãos que estavam repousando nas coxas dela até a nuca de apertando de leve e trazendo o rosto mais próximo do seu.
Sentindo a respiração quente e densa dela, ele olhou em seus olhos, agradecendo mentalmente as forças do universo por poder ter aquela visão, então dando um longo suspiro disse que a amava e iniciou um beijo calmo e doce, sentindo o frescor de menta de quem havia acabado de escovar os dentes, inalando o perfume de flores do creme corporal que entorpeceu seus sentidos, ele intensificou mais o beijo apertando um pouco mais forte a nuca e com a outra mão na parte externa da coxa da garota.
arranhava de leve um de seus braços e puxava de leve seu cabelo, sentindo aquele gosto que, de uns meses para cá, era seu sabor preferido, de tudo o que ele já havia experimentado em toda a sua vida.
Ele finalizou o beijo mordiscando os lábios dela, que ainda estava de olhos fechados e afastou um pouco o rosto do dela para poder admirar a beleza, pensando como estar com ela o fazia bem e no quanto ele a amava, chegando a acreditar que nada, nem mesmo seu amor pela música, nunca iria chegar nem aos pés do que ele sentia por .
Com uma mão ainda na nuca da garota, ele desceu a outra para a lateral do seu pescoço, aproximando novamente seus rostos e passando os lábios de leve sobre a bochecha, chegando ao seu ouvido e sussurrando o quanto ela ficava sexy com aquela camisa e como ele queria tirar aquilo o mais rápido possível, dando uma mordidinha no local que fez com soltar um gemidinho. Ele sabia que ali era seu ponto fraco, a sentiu rebolar lentamente sobre seu pau, que já estava duro e sorriu safado, mordendo o lábio inferior e apertando com um pouco de força a coxa dela.
, que a essa altura já havia aumentado o ritmo da rebolada, se levantou subitamente, sorrindo ao ver que ele estava de olhos fechados, curtindo o momento. Ela limpou a garganta e foi rebolando até a porta, parando de frente a ela como se fosse abrir para sair da sala. já estava se levantando para impedir a garota de sair quando ela pediu para que ele não se movesse, girou então a chave, trancando a porta e voltando a atenção para ele, dizendo que não estava afim de nenhuma visita surpresa mais tarde, rindo foi caminhando mais devagar de volta para ele.

No meio do caminho, ela parou e retirou a calcinha minúscula de renda, jogando na direção de , dizendo que era uma recompensa por todo aquele trabalho duro.
De imediato, ele entendeu o jogo que ela estava planejando, ao vê-la voltar para a porta com o sorriso mais descarado estampado no rosto ele retirou o plug dos fones de ouvido e deu play na música que ele ainda não tinha finalizado, e, sentindo seu pau pulsar, ele apertou por cima da sua calça com a calcinha na mão.
Mordendo o lábio, virou de costas mais uma vez dessa vez, rebolando ao ritmo da música que invadia todos os cantos do lugar, passando a mão por todo seu corpo, por cima da roupa que vestia, fazendo subir as vezes, mostrando intencionalmente parte de sua bunda.
assistia tudo se deliciando com a visão daquela bunda, que o deixava louco, ficando a cada segundo mais excitado e ela então se virou para ele, caminhando de um modo sedutor, rebolando cada frase da canção sem perder o ritmo antes de chegar ao seu destino.
Ela parou, tirou a camisa e jogou a peça em um canto, ficando completamente nua. Se aproximou de , abriu um pouco as pernas dele e se posicionou no meio delas, enfiando as mãos nos cabelos dele e começando a beijá-lo de maneira tão feroz, como se aquele beijo fosse a salvação da sua vida. Ela brincava com a sua língua enquanto ele envolvia suas nádegas com as mãos, apalpando tão gentilmente que ela soltou um gemido abafado pelo beijo, após afastar os lábios de sua boca. Ela começou a beijar cada centímetro do rosto dele, descendo para seu pescoço, onde deu umas chupadinhas leves para não marcar demais a pele dele e, enquanto as mãos dele envolviam seus seios, ela desceu uma das mãos para a barra da camisa dele, puxando para cima e o fazendo tirar por completo, então ela foi passando a língua pelo pescoço dele, descendo para o peitoral e dando algumas mordidinhas, descendo mais pela barriga até parar sua língua no cós da calça, ajoelhando no meio das pernas abertas dele, o olhando com a cara mais safada que conseguia fazer ao morder o lábio e apertar seu pau por cima da calça, dizendo que era desse jeito mesmo que ela gostava de ver o Joonie.
O rapaz abriu um sorriso largo e acariciou os cabelos dela.
então puxou o cós da calça dele, juntamente com a cueca, fazendo o pau saltar para fora, praticamente na sua cara, e puxou as roupas dele até onde conseguiu, colocando as duas mãos na extensão do pênis dele, movendo para cima e para baixo vendo jogar a cabeça um pouco para trás e soltar um gemido tímido.
Ela aumentou a velocidade de seus movimentos, lambendo seus lábios, e, quando o garoto olhou para ela, suplicando com o olhar seu corpo, ela parou o que estava fazendo e passou a língua pela ponta do pau dele e terminou de tirar a roupa dele, se aproximando mais do corpo do garoto ao voltar a passar a língua no mesmo local de antes, só que dessa vez o movimento foi seguido pela boca dela descendo pela base do pênis e o envolvendo quase todo com os lábios. Ela começou a movimentar a cabeça para cima e para baixo, de início lentamente, depois aumentado a velocidade, passando sempre que dava sua língua pela ponta.
Ela sabia que aquilo o deixava louco, apertando as mãos que estava apoiando nas coxas dele.
Quando ela percebeu que ele não aguentaria por muito mais tempo, se levantou, dando um selinho nos lábios dele e caminhando até um armário, pegando uma camisinha em uma das gavetas antes de voltar para a cadeira onde ainda respirava com certa dificuldade.
Ela então fechou um pouco as pernas dele e colocou a camisinha, passando as pernas uma de cada lado e deixando ele no meio de suas pernas dessa vez, encaixando o pênis bem na entrada dela, se sentando lentamente, sentindo cada centímetro dele preenchendo ela, soltando com a voz rouca da maneira mais sexy que o momento permitia que o amava antes de descer com força, o fazendo soltar um gemido alto e colocar as mãos na bunda dela, que começou a subir e descer com tanta vontade que parecia que era a primeira a primeira vez que ele comia ela e realmente era a primeira vez, naquele estúdio.
Aumentando a intensidade dos movimentos, tentava gemer mais baixo que a música que estava tocando, ainda que a essa altura nenhum dos dois conseguisse identificar em qual faixa estava.
envolveu um de seus seios com a boca, brincando com a língua, dando umas chupadinhas e apertando a bunda dela com as mãos. , sentindo que estava chegando no ápice, diminuiu a velocidade, estava tão lenta que tirava o pau quase que totalmente de dentro de si e voltava com força a cada estocada.
sentia como se estivesse em outra dimensão, pensando em como alguém podia ser tão gostosa daquele jeito, e, não aguentando mais, ele segurou ela pelos quadris e aumentou velocidade dos movimentos da garota, fazendo com que ela gemesse ainda mais alto, até que ela agarrou seus cabelos e ele sentiu o corpo dela estremecer com os espasmos do orgasmo, então ele começou a movimentar ainda mais os seus próprios quadris, soltando um gemido rouco e gozando, também sentindo como se estivesse tendo algum estímulo elétrico percorrendo todo o seu corpo.
Com a respiração de ambos desregular, ele envolveu a cintura de num abraço e ela começou a fazer carinhos nos cabelos dele.
Algum tempo depois ela estava deitada em um dos puffs do local, dormindo, e ele ficou alguns minutos observando ela, como se fosse a coisa mais preciosa que ele já tinha visto. A levou para a cama, voltou para o estúdio, pegou o café que já estava frio e foi para a sua mesa, para finalizar seu trabalho.


FIM




Nota da autora: Primeiro quero dizer que eu never, niemals, 절대로, أبدا, когда-либо, nunca na minha vida imaginei escrever uma nota de autora haha, segundo confesso que tenho um carinho extremo por essa história, não só por ela ser a minha primeira da vida, ultimo e não menos importante quero agradecer minhas amigas lindas por me incentivarem. Espero que gostem :) :) , e não deixem de comentar <3



Qualquer erro nessa fanfic e reclamações somente no e-mail.




comments powered by Disqus