Between the Two of Us

Última atualização: 09/10/2019

Capítulo 1

Na vida existem algumas pequenas vitórias. E posso considerar que tive grandes também, como me formar na faculdade, assinar um contrato com a Island Records para trabalhar no Marketing, sair de lá e trabalhar diretamente com Shawn, e no último ano, conciliar este contrato com um novo desafio: abrir meu estúdio num co—work space com alguns amigos, o que me possibilitou ser minha própria chefe tendo meu estúdio lá dentro. Mas sobre as pequenas vitórias, talvez a melhor e mais satisfatória delas, era acordar naturalmente sem o despertador me lembrar que eu sou adulta. Bocejei algumas vezes, antes de me arrastar pra fora da cama. Talvez um café me ajudasse. Vi a luz da sala acesa, o que significava que estava na sala trabalhando. era minha melhor amiga, e uma das pessoas mais dedicadas ao trabalho que conheço. Ela revisava scripts de filmes e analisava possíveis roteiros, o que consumia muito tempo e a fazia parecer um zumbi às vezes.
— Você tá com cara de quem não dormiu — Comentei ao ver concentrada atrás do computador, sem nem mesmo piscar.
— Eu não dormi nada. — Ela confirmou dando um gole no café — Tem café pronto. Que horas você chegou ontem?
— Umas 22h — Despejei o café da jarra da máquina em uma xícara, bocejando. — A gente não deixou muita coisa da reunião pronta, esse job foi em cima da hora.
— Sem planejamento isso não é meio difícil? — passou as mãos no rosto tentando afastar o sono.
— Um pouco. Mas como a gente prefere ter tudo meio engatilhado, também é um exagero. — Concordei sentando na frente dela.
— Saquei — Ela fechou o notebook. — Vou nessa, dormir um pouco tá?!
— Ahn, ... mais tarde tem churrasco no trabalho. — Levantei da mesa — Quer ir junto?
— Te ligo, relaxa. — piscou, antes de ir na direção do quarto.
Terminei meu café, e tomei um banho. Decidi por colocar um macacão verde oliva pantacourt de sarja, com uma camiseta branca por baixo e um converse preto de cano alto. Arrumei a bolsa e desci para pegar carona com Cameron, meu amigo, até o local da palestra. O sol tinha começado a nascer quando entrei no carro.
— E aí, ansiosa com a palestra? — Ele perguntou ao me ver quase dormindo encostada no vidro do passageiro.
— Mais ou menos — Admiti fazendo careta. — Nem é mais minha área.
— Na minha época de vine era mais simples tudo isso... — Cameron comentou. — Era mais fácil ter mais alcance e conteúdo de qualidade sabe? Eu fazia toda essa análise também, de melhores horários para postar, as hashtags que ajudavam a subir o post, mas sei lá. É muita coisa pra mudar e entender.
— Será que a sua vida ia ser muito diferente se não tivesse mídias sociais? — Indaguei olhando pela janela.
— Nunca pensei nisso — Cam pareceu surpreso com a pergunta — Quer dizer, sei que sim, mas não consigo imaginar como. A internet fez minha vida ser o que é, e eu ando tão ocupado que não consigo focar em algo diferente disso. Pergunta profunda, , gostei.
— Obrigada. — O Shawn não exige demais no trabalho? — Ele arqueou as
sobrancelhas. — Com o Shawn deve ser corrido.
— Cansativa, mas não é como se eu não desse conta, sabe? — Respondi — Com ele trabalho as ideias de marketing, eu dirijo isso. No co—work eu meio que sou a fotógrafa e o marketing junto.
— Ah, meio que você é o melhor dos dois mundos. — Ele continuou o assunto. — Qual você prefere?
— Eu gosto dos dois. — Dei de ombros — Não saberia escolher.
— Eu iria preferir ser fotógrafo, — Cam comentou — Deve ser melhor no seu caso, não ter chefe e tudo mais,
— É uma opção, já que você odeia depender dos outros — Confessei rindo e ele concordou dando de ombros.
— Também tem a ver com o fato de que eu odeio trabalho mal acabado — Ele explicou estacionando o carro na frente do local onde a palestra rolaria.
O local onde aconteceria essa palestra sobre engajamento de redes sociais, algoritmo e uma porrada de outras coisas, era em um salão de eventos no centro da cidade. Embora não fosse longe de casa, eram uns bons 20 minutos de carro até lá. Algumas pessoas se aglomeravam em volta da máquina de café, e Cameron conversava com algumas delas, ao mesmo tempo que eu procurava meus colegas de trabalho. Olivia e Brent demoraram um pouco para chegar, o que me deu um tempinho nas redes sociais.
— Tá fazendo o que? — Olivia esticou o pescoço para ver a tela do meu telefone.
— Postando uma foto. — Sussurrei — Por que vocês chegaram atrasados?
— Ah sabe como é — Ela balançou a cabeça de um lado pro outro — 15 minutos a mais na cama, 5 esperando o café e 30 segundos a mais em cada semáforo, e bum, você tá 30 minutos atrasado pro seu compromisso. Mas é LA, quem liga? — Olivia riu pelo nariz, o que me fez rir também.
Minha colega de trabalho era uma mistura de Lilly de How I Met Your Mother com Miranda de Sex and the City. Uma pessoa centrada e madura, mas totalmente descontraída e doce. Depois de , ela havia se tornado uma das minhas melhores amigas. Todo trabalho se torna menos cansativo quando você tem alguém para rir junto. Olivia era contadora, e havia entrado no co—work para trabalhar com toda questão financeira e organizar tudo que envolvesse dinheiro.
A palestra foi totalmente chata, o que não era uma novidade.
Aproveitamos o coffeebreak e o intervalo entre a nova palestra para darmos uma conversada.
— Vai ficar na palestra de marketing? — Brent perguntou copiando algumas anotações minhas no iPad dele.
— Acho que sim — Afirmei dando tchau para Cameron, que se despediu de mim com um aceno, já que ele só participaria da primeira palestra e desapareceu no meio da multidão. — Você fica Olivia?
— Fico sim! — Ela assentiu — Eu peguei a tarde de folga, vou ficar até fim.
— Mas a última palestra é sobre fotografia — Comentei sem entender e Olivia me lançou um olhar julgador.
— Exatamente por isso, e por que eu paguei integral, por que me matriculei de última hora — Ela argumentou enchendo o copo de café e colocando açúcar.
— Eu já falei que trabalhar com você às vezes é melhor que ver filme do Adam Sandler? — Ri e ela deu uma risada forçada pra mim, tomando o café.
As palestras pareciam não ter fim. Meu telefone não parava de receber mensagens por causa do grupo do trabalho e os preparativos para a reunião com o cliente. Nós teríamos que decidir os ajustes de uma campanha publicitária de uma coleção de roupas, fora do expediente. Brent tinha dado a ideia de fazermos um churrasco, para pelo menos nos distrairmos um pouco e vermos o pôr do sol. Não era de todo uma má ideia. Digitei que encomendaria alguns donuts quando meu telefone tocou e vi o nome de Shawn aparecer na tela.
— Se fosse uma emergência eu já tinha morrido — Shawn debochou , desandando a falar assim que atendi o telefone.
— Onde você aprendeu a ser tão dramático? — Ri.
— Você sabe, a gente aprende a atuar — Ele brincou, com aquele tom de voz que deixaria qualquer um louco.
— Sei sim. — Entrei na brincadeira, ouvindo ele dar uma risadinha.
— Tá fazendo o que? — A pergunta mais parecia uma entrevista, o que me deixou atenta.
— Palestra — Enchi o copo de café. — E você?
— Na verdade nada, por isso liguei pra você. Vai fazer algo hoje? — Ele pigarreou.
— Sabia — Ri pelo nariz. — Não vou fazer nada, caso quiser me buscar e comer minha comida, e depois ir jantar no co—work, pode vir.
— Pode ser, — Shawn sentou no sofá e o ouvi ele se espreguiçar — Onde você tá?
— Te mando a localização. Vem de carro, por que eu vim de carona — Parei na porta lateral do evento, já que tinha saído para atender o telefone. — Só não esquece de trazer um casaco, a gente vai voltar meio tarde, e pode dormir lá em casa.
— Ótimo — Ele concordou. — Te vejo logo então.
O fim da palestra estava próximo e acabamos engatando uma conversa coletiva, o que criou um clima descontraído. Pudemos dividir algumas experiências, o que nos fez perder noção do tempo. Olivia e eu aproveitamos para organizarmos o moodboard básico para apresentar na reunião que teria no fim do dia.
— Senhorita ? — Um dos seguranças se aproximou de mim checando meu crachá — Tem um carro esperando no estacionamento do prédio.
— Essa é a minha deixa — Dei tchau para Olivia e agradeci ao segurança.
Peguei o elevador para o térreo, e uma caminhonete deu sinal de luz. Shawn saiu do carro e abriu um sorriso pra mim, vindo ao meu encontro e me abraçando.
— Quanto tempo eu não te vejo? — Shawn me afastou do abraço e me encarou, voltando a me abraçar — Eu senti tanta falta de você!
— Você raramente vem pra LA — Repliquei dando um soquinho nas costelas dele. — Saudade de você também, pirralho.
— Andrew sempre tenta fazer você viajar com a gente, não inventa história. — Ele protestou, cruzando os braços. — Qual a agenda?
— Almoço lá em casa e depois pro estúdio — Sentei no carro e coloquei o cinto.
— Beleza — Shawn ligou o carro e seguiu até minha casa.
O sol iria se pôr em algumas horas e a luz distribuída pela cidade era muito bonita. Shawn parecia perdido olhando a paisagem, assim como eu. O sol deixava a cidade com um aspecto de alegre, diferente, e eu nunca me cansaria da diversidade e beleza de LA. Chegamos relativamente rápido, considerando o tráfego.
— E aí, preparado pra Nova Zelândia? — Perguntei adentrando o apartamento.
— Tá tudo tranquilo até agora. — Ele se atirou no sofá, colocando os braços pra trás. — Quer que eu peça algo?
— Tá tudo ok, eu vou fazer macarrão. — Larguei as chaves na bancada da cozinha, que separava o ambiente da sala. — Você quer mais alguma coisa?
— Nada! — Shawn levantou do sofá e tirou as botas, ficando de meia e me seguindo até a cozinha.
— Tá ligado que eu odeio companhia na cozinha né? — Murmurei e ele tirou os anéis, colocando na bancada da cozinha.
— Uhum — Ele me puxou, me dando uma mordida na bochecha, e me segurando num abraço. — E eu não tenho medo de você.
— Percebi — Ri bagunçando o cabelo dele. — Você corta a salada.
— Vai ficar um desastre mas eu vou tentar – Shawn argumentou, lavando as mãos – Sabe, às vezes eu fico meio chateado sem você por lá. Na tour.
— Chateado? — Arqueei a sobrancelha e ele meneou a cabeça positivamente.
— Acho que seria mais... injuriado, isso sim — Ele cortava a alface americana em filetes finos com muita atenção — É que eu me sinto estranho sem você por perto.
— Não tem ninguém pra levar chá, você sente falta disso — Devolvi dando de ombros e ele riu.
... — Shawn parou o que estava fazendo, me fitando.
— Você é impossível às vezes. Eu tô falando sério. — Ouvi meu amigo rir pelo nariz, revirando os olhos.
— Eu sei. — Despejei a carne na panela e liguei o fogo.
— Gosto de ver você nervoso, tentando se justificar — Dei um tapinha no ombro dele, e Shawn gargalhou.
— Cadê o jogo que você prometeu? — Shawn indagou, lavando as mãos novamente.
— Na prateleira — Despejei o molho de tomate, e fiz sinal para que ele buscasse.
— Jenga?
— Esse mesmo — Limpei as mãos, e fiquei do lado da cozinha.
Shawn ficou despejando as peças do jogo na mesa, enquanto eu montava. Demorou um pouco, mas jogamos enquanto o fogo fazia o trabalho dele e conversamos um pouco. Organizamos algumas coisas da tour já que estávamos juntos e o almoço logo ficou pronto também.
— E ela finge que não me conhece, sempre fica “como é seu nome mesmo?” ‘’prazer, Hailey’’ — Shawn bufou, concluindo a história enorme que tinha começado a contar sobre Hailey Baldwin.
— Não adianta ser bonita por fora e esnobe assim — Argumentei e ele concordou comigo — É sério, por que você tá rindo?
— Quem tá rindo? — adentrou o apartamento, prestando atenção na conversa.
— O Shawn — Respondi e ela soltou um ‘’ahh’’, tirando os calçados e sentando no sofá. — Uma menina despreza ele, e ele ainda tá afim dela.
— O não ele já tem — Ela comentou, colocando as pernas pra cima do sofá — Talvez você tá atrás da humilhação, pirralho? Quem é a rainha que acha que é boa demais pra você?
— A Hailey Baldwin — Shawn respondeu, caindo em si — Queen? , você acabou de me dar ideia de música.
— Dei? Legal, vê se eu te dou um pouco de amor próprio também, enquanto eu vou me trocar pra levar os dois bebês ai no churrasco — deu dois tapinhas no ombro de Shawn, indo para o quarto.
— Ela é assim sempre? — Ele riu digitando algo no telefone.
— Mais ou menos. — Concordei — Ela é sarcástica mas tem um coração bom.
— Minha bunda é maravilhosa também — replicou, dando uma piscadinha, com a toalha em mãos.
— Então leva ela pro chuveiro por que a gente tem hora. — Shawn murmurou se espreguiçando no sofá, colocando os pés no meu colo — E por que eu tô morto de fome.
— Teve comida a 15 minutos, Mendes — Resmunguei procurando algo na netflix.
— Cancela a netflix — Aquela mão parou em minha coxa, chamando a atenção — Tem uma coisa pra você que eu recebi a um tempo.
Shawn pegou o telefone, desbloqueando o telefone e abrindo uma mensagem.
— Só pra você entender: eu falei que o John Mayer e a Julia Michaels iam ajudar no disco mas teve uma pessoa de última hora... acho que você vai gostar. — Ele falou de um jeito doce e ansioso, dando o play e amplificando o som com a mão extra.
“ — Hey mate — A voz inconfundível de Ed Sheeran apareceu num tom tranquilo — Eu consegui achar uma musica perfeita . Amanhã eu gravo e te mando alguma coisa. Se cuida garoto. Paz”
— Tá falando sério? — Arregalei os olhos e ele confirmou com a cabeça, e um sorriso convencido surgiu nos lábios dele.
— Eu vou ter uma música do Ed Sheeran toda pra mim — Shawn abriu os braços – Uma música que era pra ser dele. FALA ALGUMA COISA .
— Difícil. — Confessei encarando Shawn, que tinha um semblante muito radiante. – Muito difícil — Tem certeza que tá tudo certo?
— Sim! — Ele esfregou o rosto, e apoiou os cotovelos nas pernas com os olhos arregalados — A uns meses atrás a gente falou sobre, mas aí o Ed perguntou pro John se eu queria ainda, e eu mandei a mensagem pro Ed perguntando se ele ia querer colaborar. Insano.
— Pelo amor de Deus, lembra de tocar essa música pra mim — Insisti com a voz afetada e Shawn concordou, meneando a cabeça e respondendo Ed com um ‘’legal, a gente se fala quando você puder”.
— Todo mundo pronto? — pegou a chave do carro na mão.
— Deixa eu só fazer xixi antes da gente sair — Shawn disparou para o banheiro.
— CUIDADO PRA NÃO CAIR — Gritei e ouvi o barulho da fricção do tênis no porcelanato.
— Assim ele deixa a concorrência com os homens do mundo mais fácil. — sussurrou, me arrancando uma gargalhada.
— Você não tem a mínima vergonha na cara — Rolei os olhos ainda rindo.
— Tenho mais beleza mesmo — Ela respondeu me empurrando porta afora, e gritando para Shawn, que apareceu em segundos.

— Anda pirralho — Shawn me imitava pelo estacionamento do condomínio, fazendo peso para que eu não conseguisse empurrá – lo pelas costas e tirava sarro da situação — Sobe nas minhas costas, com essas pernas de umpalumpa você demora uma década para chegar no carro.
— Garoto, você tá abusado hoje. — Pulei nas costas de Shawn, e dei um tapa no rosto dele, provocando.
— Vocês moram longe pra caralho do estacionamento e resolvem sair na hora que todo mundo chega em casa. — Ele murmurou agarrando minhas coxas com raiva.
— Late mais alto Mendes, daqui de cima eu só consigo prestar atenção como isso parece montar em uma girafa. — Zombei e ouvi Shawn bufar.
— Anda a pé, estressada. — Shawn me colocou no chão, devolvendo a brincadeira. — Falando sério, é sempre assim?
— Não — deu uma pausa — Deve ter uma festa por aqui.
— Hoje deve ter alguma reunião também — Bedelhei e Shawn me encarou.
— Reunião?
— Você nunca ouviu falar do La Brea Park ne? — Indaguei.
— Nope — Shawn apontou o lugar que estava o carro e deu a chave para ele. — Na verdade muito pouco.
— Tem muita sala comercial por aqui também — Expliquei, mostrando algumas lojinhas do outro lado do estacionamento.
— Eu só vi isso hoje — Shawn meneou a cabeça — Nunca tinha notado.
mexia no telefone e entrou no banco de trás do Renegade dela, conectando o bluetooth e dando play no spotify. Shawn fez uma careta a ouvir Britney Spears tocar, e arrancou o carro. Aproveitei que o GPS do destino já estava programado e durante a mini viagem, salvei alguns itens do no pinterest para a reunião, e salvei alguns posts específicos do instagram também. Chegamos junto com Olivia.
— Trouxe companhia? — Ela correu abraçar .
— Ela me troca fácil, viu?! — Shawn apareceu ao meu lado, dando um susto em Olivia e recebendo um abraço da mesma.
— Eu nem acredito que vocês vieram. — A ruiva bateu palmas — A noite vai ser bem legal. Pelo que o pessoal que atendeu ela falou, a dona da marca trouxe o projeto meio que pronto. Eu só fiquei pelo churrasco mesmo.
— Que alívio — Respirei fundo. — Ela já tá aqui?
— Sim. — Olivia respondeu dando um beijo em — Mas ela mesmo disse que veio cedo pra ver os valores e já deixar tudo organizado.
— Eu achei que a gente ia fazer todo o projeto, tava tendo um ataque por que ela quer pra bem logo — Encarei minha colega que revirou os olhos.
— Vocês são muito emocionados. — Ela me empurrou pra dentro. — E os donuts?
— Vou pedir por postmates — Respondi entrando na recepção, dando oi para Cinthia, a secretária.
— A gente vai ficar onde? — Shawn sussurrou, roendo as unhas.
— Na minha sala ou na piscina junto com todo mundo — Abri a porta da sala, e entrou sem nenhuma cerimônia.
— Entra Mendes, relaxa. É sexta — riu, se atirando em um puff.
— Posso olhar o seu estúdio? — Ele parecia curioso.
— A vontade, pode tirar até umas fotos suas. Aquela porta de correr tem o estúdio, a porta da direita é pra maquiagem e a esquerda do banheiro. — Indiquei os locais. — Aliás, a gente vai ficar na parte coberta da piscina, vocês podem ir pra lá também. A galera da agência de modelos que tem aqui ia fazer alguma coisa, e o pessoal é da sua idade Shawn. A pode ir com você.
— Pode? — Shawn olhou para ela, buscando resposta.
— Posso — concordou. — Você quer ir agora?
— Daqui a pouco . Agora eu preciso fazer xixi — Ele foi para o banheiro, fazendo rir. — Eu tô ouvindo , se você estivesse tomando água tava fazendo xixi e não cuidando da vida dos outros.
— Garoto escuta aqui — Ela gargalhava — Você não tem medo da morte?
— Não muito. — Meu amigo respondeu fazendo pouco caso. — Vamos?
— Vamos, Mendes. — esperou por ele na porta, e logo os dois saíram para o local onde o pessoal da agência de modelos estava tendo alguma espécie de casting.

A reunião era numa mesa perto da piscina, e a vista do lugar era muito boa. A cliente era Sheri, ela tinha uma boutique, e era muito simpática. Além do videomaker que iria trabalhar na campanha, estávamos com Olivia ajudando a anotar e pesquisar algumas coisas, Daniel e eu na fotografia. A campanha seria em Palm Springs. Brent havia buscado sua noiva, Rachel para o churrasco e chegou no meio da reunião.
— Eu trouxe algumas roupas dessa coleção pra vocês darem uma olhada. — Sheri colocou uma caixa grande na mesa — Assim dá pra visualizar melhor o que eu quero.
— Dá sim — Concordei vendo ela abrir a caixa e despejar as peças na mesa. — Você vai ir junto?
— Sim — Ela respondeu arrumando as peças — Eu e a minha filha, ela que desenha as peças.
— Ótimo. — Daniel analisava as peças e parecia tramar algo — Eu acho que as ideias da , da Olivia e suas são o suficiente.
— Mesmo? — Ela arqueou a sobrancelha.
— Aham, pode ter certeza — Cole, o videomaker sorriu para ela mostrando alguns lugares que poderiam ser utilizados na campanha. — Eu acho que esses lugares são perfeitos. O que você acha?
— A piscina desse hotel, e a lateral são ótimos — Sheri aprovou. — Vocês são ótimos, não sei nem o que dizer. É isso garotas, e garotos. Vou ir embora então, já tomei muito tempo de vocês.
— Até semana que vem — Sorri apertando a mão dela, e a acompanhei até a saída.

Shawn parecia ter se enturmado com algumas pessoas da agência de modelos com a ajuda de , quando o pedi para ir buscar a entrega dos donuts que chegaria a qualquer momento. Dei oi para Ruppert, o agenciador de modelos, já que ele tinha terminado o casting e algumas das modelos da agência estavam por lá discutindo algo com ele também.
— Oi meninas, Oi Ruppie, cheio de trabalhos também? — Voltei para a área da piscina, sentindo um vento mais frio aparecer.
— Acabei agora — Ele passou a mão no rosto, dando um riso fraco. — Mas e a do seu amigo ai, qual é? Eu lembro dele aqui mas não lembro no que você trabalha com ele.
— Eu trabalho pra ele, no marketing — Sentei no sofá do lado de Ruppert, que estalou a língua, virando para mim.
— Mas não é a Sylvie, aquela que vem aqui, que faz isso? — Ruppie parecia interessado.
— Não, ela é a shawnaccess — Expliquei. — Eu trabalhei com redes sociais do Shawn, mas ela agora é a responsável.
— Ah, sei — Ele meneou a cabeça — Você que cuida da imagem dele, basicamente.
— Mais ou menos — Shawn interrompeu a conversa. — A é responsável por transformar as ideias em visual. Se o Andrew pede pra ela criar um conceito mais intimista para um Q&A, ela faz. Basicamente ela é quem dita se o azul bebê ou elétrico causa mais efeito num cartaz, e ajuda o Andrew e o Cez a não pirarem.
sendo conceitual? — Ruppert riu — Por que não é nenhuma novidade pra mim?
— Como você conhece a Sylvie? — Mendes arqueou a sobrancelha.
— Ela veio algumas vezes aqui, enquanto o Ruppert tava por perto. — Rolei os olhos.
— Ei — Samantha, uma das modelos entrou na conversa. — Foi mal interromper, mas já que o Rupp é meu agente e você tá aí, teria como me encaixar nesse shoot?
— Por mim sem problemas, a não ser que você tenha algo pra fazer no dia, mas é só cruzar agenda. — Consenti.
— Tudo bem. — Ela gaguejou — Eu faço só pelo portfólio, juro.
— Não posso fazer isso. — Neguei — Todas vocês vão receber dinheiro.
— Ainda bem — A modelo se tranquilizou — Obrigada, de verdade. Eu amo quando você faz as campanhas.
— De nada.
— Ah, você vai no boliche também? — Samantha virou – se para Shawn, que por sua vez olhou pra mim.
— Tem como eu ir? — Shawn me encarou, esperando alguma resposta. — O pessoal me convidou. Não precisa dizer que eu não tô de férias, mas… eu queria ir.
— Sua agenda tá livre hoje e amanhã pela manhã — Rolei os olhos. — Vai precisar que eu te busque?
— Não, tranquilo — Ele meneou a cabeça. — Eu pego um uber.
— Tudo bem — Concordei. — Vem que eu abro a sala pra você pegar as suas coisas.
— Eu não sou uma criança — Shawn falou irritadamente, num tom de voz baixo.
— Tudo bem que você se se deu bem com os modelos ali da agência, mas eu me preocupo — Suspirei, repetindo aquilo pela milésima vez desde que conhecia Shawn, ajeitando o topete do cabelo dele. — Sem bebida, sem telefone desligado e mantém o gps ligado. Se cuida.
— Eu sei — Shawn concordou, sem se importar.
— Bom passeio, e fica tranquilo. Eu te espero acordada. — Acariciei a bochecha de Shawn, que por sua vez beijou a minha mão.
— Provavelmente eu chego antes — Ele vestiu a jaqueta indo para fora da sala, rumo ao estacionamento.
— Ele não vai comer? — Dan levava um saco com pães de hambúrguer para o churrasco.
— Não, resolveram ir no boliche — Resmunguei seguindo – o e abrindo a porta de acesso a área da piscina.
— Bom que a gente pode terminar isso logo.— Rachel comentou sorrindo — Eu tenho tanta coisa do casamento pra dar conta…
— Acho vocês dois tão bonitinhos. — Admiti encolhendo os ombros — Não tenho a mínima vontade de casar.
— Com o Phillip você tinha — Ela rebateu.
— Passou — Ergui as mãos — Francamente Rachel, eu não acredito que eu superei ele e vocês ainda lembram.
— Uh, a gente tá falando do Phillip? — Olivia bateu palmas ao ouvir o nome do meu ex namorado.— Por favor diz que vocês voltaram. O John gostava da companhia dele.
— Olivia, não — Estalei a língua — Vocês três são péssimas amigas as vezes.
— Eu convidei você pra ser madrinha e sou tratada assim — Rachel fingiu decepção, me dando um jogo de quadril e rindo em seguida.
Conversamos mais um pouco e entre conversa de casamento de Rachel, logo cansou, me pedindo para ir embora, fazendo Olivia e Rachel reclamarem em uníssono. Apesar da insistência eu também estava exausta e cedi ao pedido de .
Já que minha amiga havia tomado banho antes de ir ao churrasco, aproveitei para encher a banheira e tomar um banho com alguns sais. Coloquei minha calça de flanela com uma camiseta grande preta e arrumei o quarto de hóspedes para Shawn. Ainda era relativamente cedo, e The Goonies passava por algum dos canais que eu colocava aleatoriamente. Peguei uma taça de vinho e coloquei um pouco do líquido dentro dela, sentando no tapete da sala para assistir o filme.
— Can you hear me? Run — Um dos personagens falava quando Shawn abriu a porta e deu oi.
— Voltou cedo — Cochichei bocejando.
— Não quis ficar tempo demais — Ele sentou do meu lado e esticou o braço por trás de mim, de modo que a mão acabou parando em meu ombro.
— Tô vendo. — Olhei para ele que parecia com cara de sono. — O filme demora só uns 30 minutos e acaba. Quer ver junto?
— Sobre o que é? — Shawn parecia intrigado.
— Um bando de crianças vai atrás de um mapa do tesouro, é do Steven Spielberg — Me acomodei nas almofadas e Shawn pegou mais uma almofada para colocar nas costas.
— Parece ser péssimo. — Ele bocejou roubando um pouco da minha coberta — Tô dentro.
Desmutei o filme e Shawn deitou em meu ombro para assistir.
— The Goonies? — passou pela sala — Esse filme é tudo pra mim.
— Achei muito estranho — Shawn admitiu. — Diferente de filme infantil, sei lá.
— Por que ele não é infantil?! — Minha melhor amiga deu risada — Anos 80 era tudo muito sinistro.
— Demais — Ele chacoalhou a cabeça e estalou a lingua. — Depois dessa eu vou até dormir. Amanhã tenho um encontro e não tô afim de me atrasar.
— Encontro? — Indaguei afetada — Mendes, eu não te larguei 3h num boliche e você me sai com essa.
— É só um smoothie com a Samantha e mais um pessoal — Shawn justificou.
— A vida é sua — Dei de ombros, depositando um beijo na testa dele — Preciso dormir. A sua cama tá pronta. Me chama quando levantar amanhã e dorme bem.
— Pode deixar. Mãe. — Mendes riu melodiosamente. — Amo você e boa noite.
— Um encontro, em menos de três horas? — parecia indignada dando um tapa na nuca de Shawn — Isso é o cúmulo da galinhagem. Você me decepciona.
Tomei um gole do chá que carregava e não pude não rir. Aqueles dois eram minha vida e faria tudo por eles sem pestanejar.


Continua...



Nota da autora: Se você chegou até aqui, obrigada. Pode me encontrar nos links a seguir, e a pp também tem um insta.

insta da pp | meu insta | grupo no facebook | meu facebook



Qualquer erro no layout dessa fanfic, notifique-me somente por e-mail.


comments powered by Disqus