Dia, lugar e hora

Postada em: 25/05/2019
Contador:

Capítulo Único

"Se a moça do café não demorasse tanto
Pra me dar o troco
Se eu não tivesse discutido na calçada
Com aquele cara louco
E ó que eu nem sou de rolo"


Teoria do Caos

Dizem os estudiosos que existe uma tal de Teoria do Caos. Dizem, ainda, que tal teoria, quando realizada, tem o efeito de mudar toda uma situação em forma de cadeia. Dizem ainda mais que, quando ela entra em ação, seu futuro se transforma, de forma a tomar um rumo completamente diferente do previamente imaginado.
Um exemplo disso: você para no meio da rua para pegar uma moeda caída no chão. Você não esperava encontrar aquela moeda, esperava menos ainda parar para pegá-la. Agora imagine se, nas suas costas, vem um carro a toda velocidade. E esse carro, sem conseguir parar, te atropela.
Você não queria pegar a moeda, mas pegou. O carro não queria te atropelar, mas atropelou. Uma situação adversa, não imaginada, que transformou tudo. O que era para ser já não era mais, já ficou perdido e esquecido em algum lugar vazio entre o que você tinha e o que você ficou.

Quando saiu de casa naquela manhã, pensando apenas em chegar ao centro de treinamento do Bayern de Munique, ele jamais imaginou que o pneu do seu carro fosse encontrar com um prego. Ele jamais imaginou que fosse precisar parar no acostamento da rodovia por aquele motivo. Ele jamais imaginou que fosse precisar usar o telefone e, pasme, fosse descobrir que o aparelho tinha ficado em casa.
Eram coisas demais para alguém que, como ele, sequer acreditava em casualidade.
claramente não acreditava na Teoria do Caos. diria que as coisas aconteciam, ora, porque tinham que acontecer.

"Não existe destino, ou universo conspirando a seu favor. Isso é só uma besteira para vender horóscopo".


E ele continuaria firme naquela ideia, continuaria acreditando naquilo que ele tanto pregava, simplesmente porque acreditar em destino era complexo demais.

Duas pessoas estão predestinadas a ficarem juntas.


Akai Ito
O fio vermelho do destino

Diz a lenda chinesa que, ao nascermos, um fio vermelho invisível é entrelaçado entre duas pessoas que são destinadas a ficar juntas.
Essa lenda ainda diz que passe o que passe, seja como for, o fio vermelho sempre vai encontrar sua outra ponta. Ele pode se esticar, se embolar, se juntar, mas, jamais, arrebentar.

Destino


"O Destino é geralmente concebido como uma sucessão inevitável de acontecimentos relacionada a uma possível ordem cósmica. Portanto, segundo essa concepção, o destino conduz a vida de acordo com uma ordem natural, da qual nada que existe pode escapar."


não acreditava em destino. Certamente ele riria na cara da outra pessoa, de forma totalmente não educada, caso essa pessoa lhe dissesse que ele passaria por a situação onde o destino agisse de forma a prosperar com ele.
E era exatamente esse destino que fazia um afago sutil nas costas do goleiro, quando um carro que vinha na mão oposta estacionou do outro lado do acostamento e com o vidro abaixado. Colocando quase metade do corpo para fora, uma mulher surgiu.
— Você precisa de ajuda?
Ela era morena, dos olhos escuros. Pelo menos era o que ele podia ver aquela distância. E, então, um clique silencioso surgiu dentro da sua mente. O fio vermelho estava ali, diante dos olhos dele, o mais incrédulo entre os incrédulos.
Claro que ele jamais daria o braço a torcer ou diria que o destino tinha agido. Qualquer coisa que assumisse que ele tinha mudado de pensamentos.
— Acho que sim. — ele respondeu, terrivelmente envergonhado.
Não, não costumava ficar envergonhado, mas ele estava. Tudo parecia dentro e fora do lugar.

"Eu não teria te encontrado
Eu não teria me apaixonado
Mas aconteceu
Foi mais forte que eu e você"


Ela desceu do carro e, tomando todo o cuidado possível, atravessou os dois lados da rodovia antes de se aproximar dele. E, assim que o fez, foi impossível não se sentir arrebatar.
O perfume que o homem usava, certamente, já tinha perfumado algum sonho passado. Impossível ela nunca ter sentido aquele cheiro antes, mas jurar que ele fazia parte de suas memórias mais bonitas.

Akai Ito

— O que você precisa exatamente? — ela perguntou assim que se aproximou o suficiente para que ele pudesse ouvi-la.
— No momento, de uma forma de chamar o seguro para trocar o pneu do meu carro, que foi furado por um prego.
— Mas para que o seguro, se nós mesmos podemos trocar esse pneu?
— Podemos?
— Sim, podemos. E, a propósito, me chamo .

E ela se afastou na direção do porta-malas, ditando ordens e informações que sequer conseguia acompanhar.
Era óbvio que ele sabia trocar um pneu, o conhecimento básico da sua “masculinidade”, que havia sido ensinado antes mesmo dele sequer ter idade para, responsavelmente, se sentar no banco da frente de um carro, do lado do passageiro.
Mas aquela mulher em questão, ela era quem estava mexendo com tudo o que ele achava que sabia. Perto dela, ele não sabia nada. Ao mesmo tempo em que sabia de tudo.

"Se eu não tivesse atravessado aquela hora
No sinal vermelho
Se eu não parasse bem na hora do almoço
Pra cortar o cabelo
E ó que eu nem sou vaidoso"


O pneu foi rapidamente trocado, o que era bem diferente da demorada troca de olhares que eles tinham, vez ou outra, quando esbarravam um dedo ou dois trocando as ferramentas.
Assim que as peças foram substituídas, a moça lhe sorriu de lado, como se contasse alguma piada que nunca seria verbalizada.
Ou seria o destino rindo do pobre coitado e lhe dizendo que sim, ele existia, nas pequenas coisas, e que o jogador devia parar de lutar contra a sua existência.
Nenhum dos dois sequer saberia dizer. Nenhum dois sequer poderia entender.
atravessou novamente a rodovia e, com uma última olhada por cima do ombro, antes de entrar no carro e seguir seu rumo, ela sorriu. E sorriu seu melhor sorriso, aquele que ela destinava às coisas boas do destino.

Destino

Uma sucessão inevitável de acontecimentos relacionada a uma possível ordem cósmica


Era o que tinha acontecido ali, entre eles.
Era a ordem cósmica que tinha colocado os dois juntos, por alguns minutos que fosse, como forma de dizer que eles estavam ligados.

Akai Ito

Um fio vermelho invisível é entrelaçado entre duas pessoas que são destinadas a ficarem juntas

Não importava o tanto que eles se afastassem, o fio sempre os traria de volta, um para perto do outro. O destino os ligaria, novamente, em algum momento do futuro.
Mas, naquele instante, o que realmente os uniu tinha sido a teoria do caos.
Porque um pneu furado fora de hora podia, sim, ser o elo que faltava para que ele passasse a acreditar em destino, para que ela encontrasse a ponta solta do seu fio vermelho.
Bastava, apenas, que o destino mais uma vez colaborasse.

"Ou faça minha vida, se encaixar na sua?
Aqui mesmo na rua
Era pra ser agora
Quando é pra acontecer
Tem dia, lugar e tem hora"


Fim



Nota da autora: Oi gente linda, tudo bom?
Olha eu aqui com mais uma fic sobre… Adivinha? Claro que é sobre futebol né… Mais a minha cara, impossível… Essa fic nasceu de um desejo de homenagear uma autora que eu conheci não tem muito tempo, mas que tem me inspirado MUITO a crescer não apenas como pessoa, mas também nesse meio aqui em que estamos... Lia me ensinou a ter (ainda mais) fé na minha escrita, e a dar valor ao que eu penso, antes e sobre qualquer coisa. Liazinha, sem nem saber, escolheu o principal dessa história, e me deu (com a escrita dela) a tal da Teoria do Caos, que foi de onde começou essa pequena história que eu comecei a escrever aqui... Não sei se ela vai continuar, talvez eu até tenho algum plano pra ela, mas, por hora, prefiro me manter neutra e deixar que a criatividade me guie...
A escolha da música tema da história, veio porque essa música do Luan fala exatamente sobre essa ideia de coisas que fogem do nosso controle... Coisas que mudam o nosso dia a dia, e que nos fazem sair de uma situação e entrar em outra... Essa música fala bastante sobre a ideia da Teoria do Caos, mas também sobre o destino, e até mesmo, nas entrelinhas, sobre Akai Ito... E eu, como uma boa crente que sou (diferente do nosso principal!), acredito fielmente nessas três coisas, além de tantas outras teorias interessantes que temos espalhadas por ai...
Vocês conhecem alguma diferente que inspiraria uma escrita? Vai que essa teoria forma um capítulo novo pra essa história... Conta aqui nos comentários!!
Bom, caso queiram conversar, falar sobre a fic, ou, simplesmente, divulgar algo que vocês escrevam, é só me mandar nas redes sociais linkadas aí embaixo. Vou ficar muito honrada com o retorno!
Não se esqueçam de deixar um comentário... Incluso, lembra do que eu falei ali em cima... Vai que você tem alguma teoria, música, jogador, personagem, plot... Nunca se sabe! Vai que a próxima história eu dedico pra você?
Vejo vocês na próxima!
Um beijo, um queijo e um cheiro,
Ju ❤





Todas as minhas outras fics no site se encontram na página de autora.


Outras fanfics com temática de futebol:
Perfect - Mixtape: "Girlbands and Boybands" - One Direction
07. A Tu Lado - Ficstape: Nuestro Amor - RBD
08. Love In The Dark - Ficstape: 25 - Adele
10. Sometimes - Ficstape: Dangerous Woman - Ariana Grande
15. Blue - Ficstape: Mind Of Mine - Zayn
Rêve à Deux - Esportes/Futebol/Em Andamento
Ba - Esportes/Futebol/Shortfic
Happy thirty years old, dear baby! - Esportes/Futebol/Shortfic
Mírame - Esportes/Futebol/Shortfic
San Valentín - Esportes/Futebol/Shortfic
Te amo, desgraça - Restritas/Esportistas/Shortfic
Toda Sua - Restritas/Esportistas/Shortfic
Três de Novembro - Esportes/Futebol/Shortfic
You'll never walk alone - Esportes/Futebol/Shortfic



Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.


comments powered by Disqus