Última atualização: 05/12/2017
Contador:

I

Kobe, Japão – Setembro, 2017



Cadê vocês?
Recebida às 11:55pm

rolou os olhos, mas não conseguiu esconder o sorriso convencido que surgiu em seus lábios pintados de vermelho assim que a mensagem de Hanbin chegara. No momento em que ela leu a pequena frase, saiu do banheiro com os cabelos já secos, reclamando de fome.
– Eles já estão lá – avisou a amiga que caminhou até a mala para pegar um moletom limpo e vesti-lo por cima da blusa cropped fina –, Hanbin acabou de mandar mensagem perguntando pela gente.
O modo como a mais velha a olhou fez rir.
– Tenho certeza que de mim ele não quer saber... – provocou, com um sorriso espertinho nos lábios.
Não conseguia evitar implicar com a amiga quando o assunto era o líder do iKON, com quem mantinha um relacionamento não nomeado e não resolvido. Entre eles as coisas pareciam um eterno jogo em que ambos disputavam quem ficaria por cima por último. O problema era que sempre que um ganhava, o outro não podia negar uma deliciosa revanche. Era divertido de acompanhar, achava, e ela poderia apostar que seria duradouro. Se não houvesse um terceiro elemento, é claro.
– Só que ele vai ter que esperar porque eu tô morrendo de fome – fez uma careta e apertou a barriga para provar seu ponto –, e tudo que eles devem ter naquele quarto é álcool e alguma besteira empacotada. Eu tô com fome de verdade!
riu do drama e se aprumou na cama de solteiro, no quarto que dividia com a amiga naquele hotel em Kobe, e começou a digitar uma resposta para o rapaz, que estava uns dois andares acima e que deveria estar descansando depois de entreter uma arena lotada naquela noite. Descansar, no entanto, seria a última coisa que fariam.

Vamos comer primeiro. não para de reclamar de fome.
Recebida às 00:01am

Não acredito que já está com tanta saudade de mim assim...
Recebida às 00:01am

Hanbin soltou um riso anasalado ao ler a resposta da mulher na tela do celular, que tinha a janela da conversa com ela aberta desde que ele enviara a primeira pergunta. O rapaz se remexeu na poltrona do quarto que Jinhwan dividia com Junhoe, e onde eles se reuniriam naquela noite após o terceiro show na importante cidade portuária do Japão, e colocou uma das pernas no braço do estofado antes de compartilhar com os outros a informação que lhe dera.
– Elas vão comer primeiro. está com fome.
Yunhyeong, que estava à esquerda tirando algumas coisas das sacolas que estavam na pequena mesa que tinham ali, virou para o amigo, levantando uma sobrancelha.
– Mas compramos comida! – quando viu que mais novo ia contra-argumentar, continuou – Comida de verdade, Bin.
– Também tô com fome! – Jiwon não tirou a atenção da TV enquanto falava, concentrado no jogo de videogame que disputava com Chanwoo.
O rapaz mais velho, que saía do banheiro secando os cabelos em uma toalha branca, se jogou na cama e virou para Hanbin logo em seguida.
– Diz pra que elas podem vir logo e pra ela avisar pra que pedi nabe yaki udon e ainda deve estar quentinho. – ele sorriu no final, lembrando do quanto a mulher gostava de camarão, elemento principal naquele prato.
O líder do grupo arqueou uma sobrancelha para ele, enquanto Donghyuk e Junhoe riam como se estivessem compartilhando uma piada interna que Hanbin não entendia.

Vem logo, espertinha. Jin-hyung mandou avisar que pediu nabe yaki udon pra .
Recebida às 00:10am

Aliás, isso quer dizer alguma coisa que eu não saiba?
Recebida às 00:10am

riu abertamente ao ler as novas mensagens que chegaram, o que fez com que parasse com a mão na maçaneta da porta e virasse para a amiga, questionando-a com o olhar.
– Vamos subir logo. Eles compraram comida. – respondeu, ainda entre risos – Jin-hyung mandou avisar que pediu nabe yaki udon pra . – ela leu, afetando a voz de propósito para provocar a outra.
– É o quê? – perguntou, curiosa e se aproximando pra ler as mensagens no celular da mais nova.
– Hanbin ainda quer saber se isso significa algo que ele não saiba! Será que o Jin deixou escapar alguma coisa? – riu mais ainda enquanto a amiga olhava seu celular com atenção – Eu mudo o meu nome se vocês dois não estiverem se beijando loucamente até a gente voltar a Kobe no final da tour!
gargalhou e mordeu um sorriso, que veio junto com uma sensação de frio que rodopiou em seu ventre. Era engraçado como essas sensações sempre estavam presentes quando o nome de Kim Jinhwan estava envolvido.
Enquanto tratava de responder a mensagem avisando que estavam subindo, abriu a porta e checou os corredores antes de saírem caminhando até o elevador, tomando cuidado para não serem vistas subindo. Não que as outras pessoas da equipe não soubessem que eram mais próximas dos membros que a maioria, mas era melhor que mantivessem o máximo de discrição a fim de evitar problemas e para que pudessem continuar a se relacionar com os rapazes da forma que já faziam.
– Ainda vamos nos meter em encrenca por causa desses malucos, isso sim. – cochichou, colocando o cartão-chave do quarto e o celular no bolso frontal do moletom.
– Eu já tô metida numa encrenca enorme, mas meu emprego continua garantido, né? – virou para ela quando entraram no elevador – Confia em mim, amiga.
riu ao encostar-se à parede de aço enquanto a máquina subia após a outra apertar o botão do andar dos rapazes. Uma loucura a mais ou a menos no currículo delas não faria a menor diferença, pensou.
Assim que a porta se abriu as duas jovens caminharam para o corredor silencioso do hotel em direção ao quarto no fim do corredor à direita. puxou as mangas da camisa xadrez de flanela em preto e vermelho que tinha por cima da blusa preta antes de tocar a campainha. A porta foi aberta de pronto.
– Boa noite, madames. – Junhoe as saudou se curvando exageradamente, fazendo-as rir quando ele lhes deu passagem.
– Gente... – torceu o nariz olhando ao redor – Que bagunça, hein.
O quarto era ligeiramente maior que o delas, com as duas camas de solteiro ocupando maior parte do espaço, junto com uma estante baixa com TV e videogame, uma pequena mesinha ao lado do frigobar e duas poltronas, uma em cada canto oposto do lugar. O adicional era a quantidade de coisas jogadas por todo canto, que eram desde roupas até presentes que eles recebiam das fãs. Olhando rápido, achou que parecia até o camarim depois de um show.
– Ihhh, falei pra não chamarem a manager... – Jiwon riu, brincando com ela enquanto cumprimentava com um abraço.
fez uma careta para ele, que lhe jogou um beijo ao pausar o jogo, fazendo-a rir. Livre dos sapatos, as duas se acomodaram entre eles, já completamente à vontade, acostumadas à presença deles e vice e versa.
– Bom, me prometeram comida. Cadê? – a mais velha começou, sentando-se no chão ao lado da mesa baixa, procurando pelos olhos gentis de Jinhwan, que lhe sorriu timidamente.
– A tigela maior é sua. – ele indicou com a cabeça o recipiente de barro – Pedi sem os cogumelos, pode ficar tranquila.
sentiu o estômago afundar pelo sorriso fofo que ele lhe deu e se perguntou se ele poderia ser mais adorável. Como poderia passar impassível diante dele?
, que logo se sentou na cama ao lado de Junhoe, se segurou para não rir ao trocar um olhar cúmplice com o rapaz. Eles davam muito na cara. Tinha vontade de empurrar Jinhwan no colo da amiga de uma vez.
Aishhhh, por que a dela é maior? – Jiwon continuou a implicar, sentando ao lado da mulher para comer também.
– Damos sempre muito trabalho pra , não custa nada retribuir um pouco de vez em quando. – o mais velho argumentou e sentiu as bochechas corarem logo em seguida, quando ela voltou a lhe olhar com um sorriso lindo nos lábios.
– Viram? Alguém se importa com o meu trabalho duro! – ela se virou para os outros, só por implicância, antes de voltar para Jinhwan – Obrigada, Jin.
desejou que ele sustentasse o olhar no dela por mais tempo, mas não se surpreendeu quando ele abaixou o rosto para o celular em suas mãos e seus olhos logo ficaram escondidos pelas mexas de cabelo descolorido. Lidar com a timidez dele era seu maior incentivo, mas também sua maior dificuldade.
Depois de comerem, todos se espalharam pelo quarto ouvindo a música que saía baixa da TV, dividindo o soju e a cerveja, aproveitando que o dia seguinte seria de folga e que tinham alguns dias até o próximo show, em Nagano.
– Espero que a gente consiga alguns dias livres – comentou, deitada no chão de barriga para baixo –, queríamos voltar em Osaka. – apoiou o queixo no travesseiro e olhou para a amiga, que concordou.
O show na Kyocera Dome, em Osaka, fora o primeiro da tour, mas como ainda estavam sob a correria das promoções do último comeback e com todos os acertos sobre a gravação do DVD da turnê, foi impossível aproveitar a cidade devidamente. Por isso as duas mulheres queriam voltar, especialmente porque , que não era lá muito apaixonada pelo Japão como era, adquirira um carinho muito especial pela terceira cidade mais populosa do país.
– Se tivermos uma boa folga de vocês – ela apontou para os jovens idols –, vamos pegar o primeiro shinkansen pra lá.
Hanbin tomou um gole da cerveja e piscou para ela.
– Vamos com vocês então. Gosto de Osaka.
rolou os olhos.
– Qual parte do “tirar uma folga de vocês” você não entendeu? – o sorriso mínimo podia ser visto em seus lábios apesar do tom afiado.
– A parte em que você não consegue ficar tanto tempo assim longe de mim.
A mulher apenas rolou os olhos novamente e os outros riram, acostumados com as provocações rotineiras dos dois.
– Onde estão as cartas? – Yunhyeong perguntou, olhando ao redor – Vamos jogar.
– Ah não! – Junhoe fez uma careta – Vamos jogar algo mais divertido... – ele arqueou as sobrancelhas e sorriu – Jogo da verdade ou desafio!
– Ihhhh!
– Começou...
– Não tô bêbada o suficiente pra essa brincadeira! – argumentou, rindo.
– Não seja por isso! – Hanbin não demorou mais do que alguns segundos para se levantar até o frigobar e pegar mais garrafas de soju, abrindo uma delas e enchendo o copo da mulher imediatamente – A cada pergunta ou desafio cada um toma uma dose cheia!
não negou e tomou todo o líquido imediatamente, assistindo Jinhwan fazer as honras em seguida e encher o copo de todos, que prontamente os seguraram com as duas mãos e beberam, assistindo o líder colocar uma garrafa no centro da roda desajeitada deles.
Após as primeiras perguntas bobas e desafios sem sentido, e com o teor alcoólico aumentando entre eles, as rodadas seguintes finalmente chegaram onde Junhoe queria quando sugeriu a brincadeira. A graça em insistir em um jogo tão infantil era justamente poder dar uma conotação sexual a qualquer coisa que fosse colocada na roda. Era uma forma divertida de passar o tempo que tinham juntos.
A garrafinha verde foi girada mais uma vez e parou apontando de Donghyuk para .
– Sem desafios nessa rodada, por favor! – a mulher disse logo, abanando as mãos.
O rapaz pensou em que pergunta fazer e soltou a primeira que lhe veio à mente, provocando risinhos de todos assim que falou.
– Você já... Se excitou pensando em alguém da empresa? – ele arqueou uma sobrancelha para ela, tentando se manter sério, mas sendo muito pouco sucedido na intenção.
– Imagina se não! – respondeu antes dela, provocando mais risos.
– Já, oras! – respondeu simplesmente, dando de ombros ao tomar mais um gole da bebida.
– Quem? – Junhoe perguntou, se inclinando para ela, curioso.
– Ei, é só uma pergunta!
– Ora, quem! – Jiwon riu, olhando diretamente para , que ria – Começa com Seung e termina com Hyun.
Uma série de murmúrios e gritinhos foi ouvida depois, o que fez com que Jinhwan pedisse um pouco de silêncio a eles.
– Que nojo! – foi a vez de Hanbin implicar, forçando uma careta com a língua para fora.
– E você, noona? – Junhoe olhou para , que rolou os olhos.
– Todo mundo já fez isso! – ela abanou uma das mãos, como se não fosse nada demais.
– Quem? – o olhar que Donghyuk lhe deu ao perguntar deixou explícito para a mulher o que ele queria que ela dissesse.
Dentre os rapazes, ele era o único que sabia o que ela sentia pelo mais velho do grupo e quem achava a maior besteira do mundo que eles perdessem tempo com aquelas formalidades por causa do trabalho.
– Ridículo! – ela apontou o dedo para ele, que estava ao seu lado – Não posso falar porque sou manager dele... – munida de uma coragem que só o álcool lhe daria, completou um pouco mais baixo, porém não o suficiente para que todos no quarto não ouvissem e fizessem um pequeno escândalo com a revelação inesperada.
se contorcia ao gargalhar e Jiwon e Chanwoo conservavam o olhar chocado para a mulher mais velha. Como assim? Pelo que sabiam, ela já havia entrado na YG para trabalhar com eles, então não havia sido manager de qualquer outro grupo, o que queria dizer que tinha pensamentos indecentes com alguém que estava ali, naquele quarto.
Jinhwan riu fracamente, olhando para ela por um breve momento, encontrando seus olhos em si, por cima do copo que ela levava aos lábios. Por mais que se sentisse envergonhado só com o pensamento, queria que ela estivesse falando dele, mesmo que achasse impossível.
– Conta logo, ! – Hanbin chamou atenção dela para si, soando um tanto convencido, o que fez ter certeza de que ele achava que a amiga se referia a ele; coitado, pensou – Que aí a gente já resolve isso logo hoje!
– Não vou contar nada! – ela respondeu, entre risos – Gira logo a garrafa de novo!
Rindo, o líder completou.
– Tudo bem – ele pegou a garrafa novamente, girando-a –, a gente descobre na brincadeira.
Quando o objeto parou de girar, apontando de Jiwon para , eles explodiram em gritos e risadas, o que fez com que a mulher ficasse vermelha e escondesse o rosto no peito de Donghyuk.
– Verdade ou desafio, ! – ele perguntou, soando espertinho e lhe dando uma feição provocadora.
Ali ela sabia como era difícil para resistir.
– Vocês não vão me pegar! – ela apontou para os outros, que ainda riam – Desafio!
Olhando para ela, que ainda se apoiava no amigo ao seu lado enquanto ria, ele soube exatamente o que pediria para ela fazer. Esfregando uma mão na outra e arqueando uma sobrancelha na direção dela, Jiwon soltou:
– Eu te desafio a beijar o Donghyuk...
– Puta merda!
– Beijo de verdade! Por mais de trinta segundos! – ele completou, fazendo os outros urrarem em aprovação.
se apressou em capturar a reação de Jinhwan, que parecia envergonhado enquanto tomava mais um gole de sua bebida.
– Jiwon! – gritou o que mais pareceu com um gemido frustrado, já que não esperava por aquilo.
– Vai logo, !
Apertando os lábios, a mulher se colocou de joelhos de frente para o rapaz, que ria da feição incerta dela. Como Donghyuk era bem mais alto, mesmo que ele estivesse sentado seus olhos ficaram alinhados, o que fez com que soltasse um suspiro, tentando relaxar ao fixar seus olhos nos dele, risonhos e calmos. Não que ele não tivesse sentido um incômodo no estômago com o desafio do amigo, porque mesmo que ele e não tivessem aquele tipo de relação, ela era uma mulher linda e atraente, então vê-la se aproximar com o lábio inferior entre os dentes, enquanto baixava o olhar para os lábios dele, era uma visão e tanto.
Tentando não pensar que Jinhwan estava naquele mesmo quarto vendo tudo, fechou os olhos quando sentiu a pontinha do nariz de Donghyuk tocar seu rosto. Logo ela sentiu suas respirações muito próximas e como que para acabar com aquilo de uma vez, venceu a pouca distância entre eles para juntar seus lábios. Ignorou os gritos dos rapazes e da amiga no instante em que a boca dele se abriu contra a sua, permitindo que a língua do rapaz deslizasse por entre seus lábios numa lentidão que ela poderia achar até sensual. Quando ele começou a guiar seus movimentos, ela não ignorou a vontade de intensificar aquilo e deslizou suas mãos pelos braços dele até seus cabelos, que ela fechou em suas mãos ao se apertar contra ele.
A reação de Donghyuk veio na forma como ele agarrou sua cintura com as duas mãos, apertando-a por cima do jeans e seguindo o caminho sinuoso de suas curvas. Que Jinhwan-hyung o perdoasse, mas puta merda, era incrível daquele jeito e a forma como ela moveu a bunda sobre seu colo ao se sentar o fez segurar o gemido na base da garganta, coisa que ela não conseguiu fazer, pois o atrito de seus corpos, mesmo que de forma superficial, junto ao teor alcoólico envolvido, fizeram com que a mulher gemesse em sua boca, mordendo seu lábio antes de se afastar minimamente.
Jinhwan, do outro lado da roda, apertou os dedos ao redor do copo que segurava e prendeu a respiração sem sequer perceber. Agradeceu mentalmente por ela ficar de costas para ele, de forma que ele não pudesse ver aquele beijo em detalhes, mas a forma como as costas dela se arquearam quando seu amigo a tocou, como seu quadril girou contra ele, fez com que o rapaz mais velho apertasse seus olhos, incomodado e excitado ao mesmo tempo. Ele a queria tanto que era difícil lidar com o fato que não era para ele.
Os gritos e as risadas ao redor fizeram com que uma careta aparecesse no rosto de assim que o beijo acabou. Devagar, como se tivesse com receio do que iria encarar, ela abriu os olhos apenas para ver o sorriso lindo de Donghyuk, de quem estava achando muito engraçado vê-la daquela forma.
– Eu vou guardar isso pra sempre! – Hanbin virou o celular para , que estava ao seu lado, mostrando o beijo dos dois gravado ali.
– Que horror, Hanbin! Apaga isso! – pediu ao voltar para o seu lugar.
– O hyung beija tão mal assim? – Chanwoo perguntou, mas logo o interrompeu, balançando as mãos de maneira exagerada.
– Muito pelo contrário! Ela até gemeu!
gritou e escondeu o rosto no colo do amigo, que gargalhava com a situação. Sabia que o beijo havia sido bom para ambos, mas sabia também que não significava nada além de uma brincadeira entre amigos.
– Odeio vocês! – ela respondeu, a voz soando abafada pelo rosto escondido.
– A gente já sabe de quem você tava falando, ! – Jiwon riu, olhando dela para o amigo de maneira maliciosa.
– Não sou eu, gente. – Donghyuk respondeu, ainda rindo e levantando as mãos, como se não tivesse nada com aquilo.
Ele, e Junhoe trocaram um olhar cúmplice antes de Hanbin questionar.
– Quem é então? – ele arqueou uma sobrancelha – Fala logo que sou eu, !
A gargalhada debochada de tomou a atenção dele.
– Quem é que vai te querer, Hanbin?
O olhar espertinho dele denunciou a resposta à altura.
– Você!
Os gritos e barulhos de provocação voltaram e foi a vez de Yunhyeong pedir silêncio. Já era alta madrugada e eles só ficavam mais barulhentos.
Rindo levemente, agradeceu pela amiga tirar a atenção sobre si e aproveitou para levar seus olhos até Jin, que tinha a cabeça baixa e ria fracamente da provocação do outro casal enquanto brincava distraidamente com os fiapos do tapete felpudo do quarto. Mesmo dali ela conseguia ver as bochechas rosadas, o que imaginava ser efeito do álcool, e imaginou o que ele estava pensando, o que ele havia achado do beijo dela com Donghyuk.
– Vira logo essa garrafa de novo! – pediu, querendo mudar de assunto e Junhoe o fez, rindo dela.
O objeto apontou de para .
– Desafio, amiga! – a mais nova respondeu sorrindo, imaginando que inventaria qualquer besteira com Hanbin.
gostava dos dois juntos e não escondia isso. achava engraçado, especialmente porque a amiga nutria uma antipatia por ele antes, mas que acabou se dissipando com o tempo. É que para , e Hanbin se encaixavam de um jeito impetuoso e que era tão a cara dos dois que era difícil não querer que dessem certo.
Naquele momento, no entanto, tinha outra coisa em mente.
Ela sabia como a amiga se sentia em relação à Jiwon e acompanhava a confusão que era para a mais nova estar entre aqueles dois. Normalmente – ou seja, estando sóbria –, ela não colocaria aqueles sentimentos confusos naquela rodinha em meio a uma brincadeira infantil, mas já havia ingerido soju o suficiente para falar o que falaria em seguida.
– Agora sim eu vou me vingar! – soltou uma risadinha bêbada ao que protestou.
– Mas eu nem fiz nada!
– Ele fez! – ela apontou para Jiwon, que até então ria das duas e que parou o copo com a bebida no meio do caminho para olhar para – O seu desafio, amiga, é deixar o Jiwon duro. – sorriu para a outra, piscando.
O pedido deixou metade em euforia e metade em choque. Junhoe soltou uma exclamação animada e Yunhyeong cobriu o rosto com um travesseiro, achando que aquilo era demais até para o nível maluco deles.
– Que absurdo!
– Ah, qual é! – Junhoe saiu em defesa de – Não é como se a gente não tivesse visto algo assim antes – ele deu de ombros –, só foi com outro personagem.
Ele olhou diretamente para Hanbin, que ria com a língua para fora. Em seguida o rapaz olhou para a mulher ao seu lado, que rolava os olhos e mantinha uma expressão de quem achava todo mundo ali um tédio. Ele a conhecia o suficiente, no entanto, para saber que ela deveria estar no mínimo nervosa. Havia algo de extremamente sexy em como ela não se deixava abalar por pouca coisa, inclinando o queixo pra cima como se fosse sentar no pau de Jiwon e fazê-lo gozar só com algumas reboladas.
odiaria dizer, mas Hanbin estava certo. Por que diabos inventara aquilo?! O olhar de incentivo do líder espalhou um formigamento gostoso em seu peito, mas quando pousou seus olhos em Jiwon, o frio em sua barriga subiu por suas costas e se espalhou em sua nuca na forma de arrepios. A carinha envergonhada dele fez com que ela mordesse os lábios, esquadrinhando a coloração rosada que suas bochechas adquiriram.
– Isso merece uma trilha sonora específica! – cochichou, se inclinando para o lado de Jinhwan e puxando o celular de Junhoe que estava aparelhado com a TV, procurando uma faixa em específico.
Jiwon engoliu em seco quando You Know de Jay Park começou a tocar, no instante em que começou a engatinhar para ele, que não soube dizer se ela estava mesmo fazendo aquilo lentamente ou se era só sua percepção desfocada das coisas.
engoliu seu nervosismo e se concentrou em executar o desafio da melhor forma possível.
– Oi. – ela sorriu para o rapaz a sua frente e viu seu pomo de adão subir e descer, demonstrando seu nervosismo.
A forma como ele desceu o olhar para seus lábios a esquentou de uma forma absurda, o que fez com que sua respiração começasse a ficar irregular. Jiwon a atraía de uma forma muito peculiar. Era diferente de Hanbin porque parecia muito mais com uma melodia regular que buscava seu ápice. Kim Hanbin era a batida frenética. Kim Jiwon era o maravilhoso caminho até o refrão.
Como se apenas seguisse o ritmo, se aproximou dele ainda mais e o assistiu fechar seus olhos quando ela roçou seus lábios, sugando o inferior em uma lentidão sôfrega. Não iniciou um beijo, como era esperado pelo próprio rapaz e pelos amigos, que encaravam atentos, mas começou uma trilha de beijos molhados pelo maxilar bem marcado do rapaz, enquanto ainda muito lentamente sentava em seu colo.
Sentindo-o tenso abaixo de si, ao passo que todo o seu corpo reagia pela proximidade inédita, tomou seus braços e os colocou ao redor de sua cintura bem marcada pela calça de cós alto, incentivando-o a tocá-la e segurá-la por ali. Timidamente Jiwon segurou sua cintura, mas suas mãos se apertaram nela em reação ao beijo que ela deixou bem atrás de sua orelha direita.
desceu as carícias para a curva de seu pescoço, sugando a pele sensível dele e sentindo-o reagir muito rapidamente. A forma como suas mãos se espalmaram em suas coxas, subindo por elas para forçar seu quadril para baixo fez com que ela sentisse o coração acelerar ridiculamente e o ponto sensível entre suas pernas começasse a formigar por mais contato. Só que era ele quem precisava ficar excitado primeiro e foi pensando nisso que ela rebolou em seu colo, inclinando o quadril para frente e para trás enquanto deslizava a língua rumo ao outro lado do pescoço dele.
Jiwon tinha os olhos fechados e o rosto escondido entre os cabelos cheios dela, respirando mais pesadamente ao passo que sentia a bunda dela roçar em seu pau, que começava a ser diretamente estimulado. A vontade de levar as mãos até seus seios era reprimida com a veemência com que ele segurava em suas nádegas, ajudando-a a se movimentar circularmente sobre si e, puta merda, como era bom. Ele já começava a sentir o sangue se concentrar em um único ponto e sua mente embriagada já borbulhava em pensamentos nada decentes. Será que ela estava ficando tão excitada quanto ele? Como seria se ele pudesse deslizar uma das mãos por dentro de seus jeans e encontrar sua intimidade molhada por ele?
Hanbin era um filho da puta de um sortudo por já ter estado com ela daquele jeito.
apertou os lábios e impediu que um gemido saísse quando sentiu os lábios de Jiwon em seu pescoço, beijando-a de um jeito tão gostoso que a fez puxar seus cabelos. Foi a crescente protuberância no meio de suas pernas, no entanto, que fez com que ela rolasse os olhos de prazer e esfregasse ainda mais a bunda por ali.
Hanbin, que olhava tudo muito atento, teria levado a mão para dentro de suas próprias calças, caso tivesse sozinho.
Com seu objetivo alcançado, e antes que perdesse a cabeça e não conseguisse mais parar, subiu seus beijos até a boca dele, roçando seus lábios novamente antes de deixar um beijo rápido por ali. Quando se afastou minimamente, soube que aquele olhar de Jiwon, nublado por um desejo que a aqueceu por inteiro, não sairia de sua mente tão cedo.
– Jesus Cristo! – exclamou, colocando a mão no peito e tentando ignorar o formigamento entre suas pernas.
– Satisfeitos? – perguntou, tentando não parecer tão abalada.
Sorte sua que ninguém poderia saber o quanto estava molhada.
– Toma, cara. – rindo, Jinhwan deslizou uma latinha para o amigo assim que a mulher voltou ao seu lugar – Cerveja gelada vai ajudar.
– Porra! – Junhoe também parecia chocado – Achei que a gente ia ter que sair e deixar vocês terminarem o negócio completo.
– Vocês vão me traumatizar! – Yunhyeong fez careta e jogou o travesseiro para Jiwon, que o colocou sobre o colo, rindo sem jeito antes de tomar um generoso gole da bebida.
– Acho que depois dessa a venceu. – Hanbin riu, passando o braço sobre os ombros de , que escondeu o rosto ruborizado em seu pescoço – Zerou o jogo.
– Chega desse jogo! – protestou, fazendo todos rirem.
– Obrigada, queridos. É só o meu trabalho! – a mulher mais velha brincou, brindando mais uma dose de soju com Donghyuk.
Rindo, Jinhwan balançou a cabeça, se levantando para ir até o banheiro.
– Vocês malucos, isso sim.
– A gente pode jogar cartas agora, hyung. – Junhoe falou para Yunhyeong, que também se levantou e começou a alongar as costas.
– Nem a pau!
riu e olhou para a amiga que tinha os olhos fechados, ainda nos braços de Hanbin.
– Acho que depois dessa só nos resta dormir.
Apoiando-se no amigo ao seu lado, ela também se levantou e se colocou de frente para , puxando-a pelo braço. aceitou a ajuda, mas não sem antes reclamar.
– Te odeio! – apontou para a mais velha, que ria – Ridícula!
– Também te amo, amiga! – respondeu, abraçando-a de lado e se inclinando para falar ao ouvido da mais alta – E de nada!
não respondeu, apenas tentou lhe fuzilar com o olhar, antes de cair na gargalhada.
– Deixa a e leva o Donghyuk, -noona. – Chanwoo sugeriu, rindo quando ela lhe olhou de maneira chocada.
– Até você?
Depois de recolherem as latinhas de cerveja, de organizarem as garrafas de soju e catarem todos os pacotes de salgadinhos, as duas se despediram dos rapazes, que deixaram Jinhwan e Junhoe e se espalharam pelo corredor, cada um em direção a seus quartos enquanto elas entravam no elevador, com um pouco menos de dignidade do que quando haviam feito aquilo mais cedo.
– Já está recuperada, amiga? – perguntou, rindo fracamente.
– Doida! – a empurrou com o ombro assim que a máquina começou a descer – Eu vou te matar, sua maluca!
gargalhou.
– Não foi bom, por acaso?
– Claro que foi bom, porra! Eu não vou mais conseguir tirar isso da cabeça?!
A outra riu mais ainda e quando saiu para o corredor no andar delas, puxou o cartão-chave do bolso e olhou para a mais nova.
– Torce pra ser escalada pra voltar com ele pra Seul – falou ao destrancar a porta –, que aí, né? Coisas podem acontecer...
– Para!
Ainda rindo, se jogou na cama à esquerda, vendo a amiga fazer o mesmo ao seu lado.
– Eu não vou nem conseguir dormir! – ela parecia indignada só pelo tom de voz – Puta merda, por que ele tem que ser tão gostoso?!
virou de lado para olhar para ela.
– Toma um banho gelado – pegou o celular para olhar as horas –, e se prepara porque eu não dou dez minutos pra alguma mensagem indecente do Hanbin, comentando sobre o que aconteceu, chegar.
bufou, mas acabou rindo.
– Eu tô ferrada com esses dois, né? – perguntou, também virando para olhar para a amiga.
– Tá sim, mas pelo menos eles são gostosos.
Antes que pudesse responder, o celular dela vibrou na cama e as duas tiveram uma crise de riso antes mesmo da mais nova olhar o conteúdo.
Já tinham loucuras demais na conta e era só a terceira cidade da turnê.

Espero que você saiba que o Jiwon não vai ser o único a dormir duro hoje.
Recebida às 3:45am

Maldade, , maldade...
Recebida às 3:45am




Continua...



Nota da autora: Alguma iKONic no site?
Mais uma fanfic de KPOP e mais uma minha em andamento com um grupo da YG!
Essa estória é completamente dedicada à minha amiga Vic que, como sempre, deu corda pra mais uma invenção minha e está ajudando essa fic ser escrita, contribuindo com ideias para muitas das cenas que virão pela frente.
Espero que gostem e que acompanhem a tour. Próxima parada: dois shows em Nagano!
Até lá!
xx
Thainá M.





Outras Fanfics:
02. Transformer (Ficstape #062 – EXO: EXODUS)
02. We All Roll Along (Ficstape #057 – The Maine: Can’t Stop Won’t Stop)
03. Drunk In Love (Ficstape #020 – Beyoncé: Beyoncé)
07. No Promisses (Ficstape #043 – Shawn Mendes: Illuminate)
08. Emily (Ficstape #051 – Catfish And The Bottlemen: The Ride)
09. Long Way Home (Ficstape #030 – 5 Seconds Of Summer: 5 Seconds Of Summer)
09. Mid Season (Ficstape #065 – Super Junior: Mamacita)
09. Outro: HER (Ficstape #070 – BTS: Love Yourself: HER)
10. Freedom (Fictape #064 – Beyoncé: Lemonade)
10. Sorry (Ficstape #034 – Jonas Brothers: A Little Bit Longer)
11. Outside (Ficstape #051 – Catfish And The Bottlemen: The Ride)
12. Broken Home (Ficstape #067 – 5 Seconds Of Summer: Sounds Good Feels Good)
12. Don’t Stop Me Now (Ficstape #011– McFly: Memory Lane)
12. Foreigner’s God (Ficstape #033 – Hozier: Hozier)
14. You & I (Ficstape #023 – John Legend: Love In The Future)
Amor em Irlandês (Especial Equinócio de Setembro)
Beside You (5 Seconds Of Summer/Shortfics)
Calling in Love (BTS/Shortfics)
Can You Feel It? (Outros/Shortfics)
Date Night (EXO/Restritas/Shortfics)
Don’t Close The Book (Jonas Brothers/Shortfics)
Love Me Love Me (Winner/Em Andamento)
Love Affair (One Direction/Em Andamento)
Mixtape: Listen To Your Heart (Awesome Mix: Volume 1: “80/90’s”)
Thankful (Especial Extraordinário)

Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.
Para saber quando essa fic vai atualizar, acompanhe aqui.


comments powered by Disqus