Inefable

Última atualização: 18/09/2018

Capítulo 1


Mulher decidida sabe o quer
O papo é reto e não tem trelelé
Sexy conquista o que quer, reggae tem samba no pé
O jogo é dela e nunca vai mudar, a arma que ela usa é se valorizar
Essa mina é linda, essa mina é linda de mar
Linda de Mar - Atitude 67



— Você vai pra Barcelona! — Luísa gritou empolgada assim que sua melhor amiga contou a novidade.
— Eu queria ir pra Madri. — se jogou na cama do seu quarto, afundando a cabeça no travesseiro como uma criança que não teve seus desejos realizados. No fundo a sensação era mais ou menos essa, um misto de alegria e, ao mesmo tempo, decepção.
— Ah não , para com isso! — Ela sabia que a amiga tinha ficado brava, afinal, sempre a chamava pelo apelido. Quando Luísa falava o nome todo ou a situação estava feia, ou era mais uma de suas zoeiras. Nesse caso, era a primeira opção mesmo.
— Calma amiga, embora não pareça, eu tô feliz... Vai ser uma oportunidade incrível pra minha carreira, muitos médicos sonham em trabalhar em um time como o Barcelona. — fez uma pausa. — Mas meu sonho era trabalhar no Real Madrid, meu time do coração! — Ela terminou de falar e sua amiga não conteve a risada.
— Ai , você não existe... — Luísa balançou a cabeça negativamente, mas mantendo um sorriso divertido nos lábios ao entender o motivo da “tristeza” da amiga. — Pensa pelo lado positivo, quando tiver jogo com o Real Madrid você provavelmente vai esbarrar com alguém do seu time, e é bem melhor do que trabalhar no Santos como você tem feito nos últimos anos. Apesar de que o Gabigol joga lá e ele é uma gracinha...
— É né sua safada! — jogou uma almofada na amiga. — Você também não reclamou do meu trabalho no Santos quando eu te levei na festa do Campeonato Paulista e você ficou com o Lucas Lima... Agora já tá de olho no Gabigol?
— Que horror, ! Me senti a maior Maria Chuteira agora! — Luísa fez cara de ofendida. — Imagina que louco ser convidada pela MTV pra uma nova versão de “De férias com o ex” só com jogadores de futebol e ter 3 ex na casa tipo a Gabi Prado teve na 2ª temporada? — Ela falou e as duas gargalharam. — Apesar de adorar o programa eu não teria coragem de participar, Deus me livre de pagar micão ou fazer papel de trouxa em rede nacional, até porque no fundo os dois são praticamente a mesma coisa.
— Olha as ideias da pessoa! — falou enxugando as lágrimas dos cantos dos olhos, ela riu tanto que ficou sem ar. Sempre que estava com Luísa era assim, não sabia quem era mais palhaça.
— Mas se o Lucas Lima tiver afim de um remember até que eu aceito viu? — Luísa mordeu o lábio inferior se lembrando do after da festa a qual se referiu e a lembrança era boa. Muito boa, diga-se de passagem.
— Terra chamando Luísa! — estalou os dedos frente ao rosto da amiga, rindo da cara que ela havia feito.
— O assunto aqui é você, não tenta mudar o foco pra mim... Quando você vai pra Barcelona? — Luísa perguntou, retornando ao assunto inicial da conversa entre as duas.
— Daqui duas semanas, Lu. — O tom de voz de mudou de brincalhão para melancólico imediatamente.
— Tão rápido assim? — Luísa entendeu a aflição da amiga, afinal, ela iria mudar de país. Sentiu um aperto no peito, pois ela e eram amigas de infância, nunca tinham ficado separadas desde que se conheceram na escola (há mais de 20 anos, no maternal). Foram pra São Paulo juntas, ela para estudar moda na USP; já , medicina na Unifesp.
— Também fui pega de surpresa, o André me disse que o fisiologista do Barcelona estava com um projeto novo e iria sair de lá, então uniu o útil ao agradável por que eu tava merecendo uma oportunidade como essa, e que quanto mais rápido eu for, melhor. — Ela respondeu contando o que seu chefe tinha dito.
Assim que se formou, se especializou em medicina do esporte e nutrologia. Seu trabalho consistia em analisar a biomecânica do exercício e aliá-la à uma alimentação correta para melhorar a performance de atletas de alto nível. Ela foi contratada pela Nike para potencializar os resultados dos atletas que a fornecedora de material esportivo patrocinava e atualmente desenvolvia um projeto no Santos, mas surgiu a oportunidade de ir para Barcelona.
— Tenho tanto orgulho de você! — Luísa abraçou . — Vai ser a melhor médica esportiva que a Europa já viu, os espanhóis vão se apaixonar por você, até por que os brasileiros já são, você é foda.
— Até parece, Lu... Já disse que eu tenho a melhor amiga do mundo? — sorriu, o apoio da amiga era muito importante para ela, ainda mais em um momento como esse, de mudança radical.
— Hoje ainda não! — Luísa riu e a amiga pulou em cima dela, apertando o abraço.
— Eu amo você sua ridícula, e distância nenhuma vai separar a gente. É só mais uma fase e vamos superar isso juntas, como sempre fizemos! — Luísa fez carinho no cabelo da amiga.
— Sempre juntas.

•••


— Vamos, ? — Luísa gritou pegando a chave do carro, era hora de ir para o aeroporto. Pois é, as duas semanas passaram assustadoramente rápido. fez uma viagem rápida à Goiânia para ver seus pais e seus irmãos, Luísa aproveitou e também foi junto para matar a saudade de sua família.
Nenhuma das duas ficou pensando muito na despedida, apenas aproveitaram da melhor forma possível os últimos dias juntas.
— Tô indo! — gritou de volta pegando sua bolsa e dando uma última olhada em seu quarto. “Vou sentir falta daqui”, ela pensou.

No carro, elas foram cantando Atitude 67 durante o caminho. Esse clima de tristeza não combinava nem um pouco com as duas, elas tinham o poder de levantar o astral de qualquer lugar que tivessem. Lá encontraram com Clara, Renatha, Diego e Fernando, que também foram se despedir da amiga.

— Trouxe pra você comer no voo. — Renatha entregou uma caixa para , era Ferrero Rocher, um de seus chocolates preferidos.
— Obrigada, Rê! — sorriu e abraçou a amiga. — Ainda bem que você lembrou, vocês sabem que eu não sou a maior fã de aviões, só de pensar em turbulência me dá um calafrio. — Ela passou as mãos nos braços, na tentativa de espantar aquela sensação ruim. — E apenas doces me acalmam.
— Viciada, açúcar é tipo droga sabia? — Foi a vez de Fernando se manifestar, ele não entendia como conseguia comer tantos doces.
— Vai fazer seu crossfit e deixa a ser feliz com os chocolates dela! — Clara revirou os olhos com o comentário do amigo.
— Você já sabe onde vai morar lá? — Diego perguntou.
— Por enquanto vou ficar na casa do João, mas já comecei a dar uma olhada em alguns lofts... Quero comprar meu carro e ter meu cantinho o mais rápido possível.

Atenção passageiros do voo 3741 com destino à Barcelona, embarque no portão 5. Voo 3741, embarque no portão 5. — Era a voz da comissária de bordo anunciando que já estava na hora de partir. Todos se despediram da amiga com abraços apertados e desejando boa sorte. Quando foi a vez de Luísa, não foi diferente.

— Não preciso dizer mais nada, né?! — Luísa estava com o coração apertado. — Isso é pra você lembrar de mim todos os dias, eu vou tar do seu lado sempre. — Ela completou entregando um presente para a amiga, que logo abriu a caixinha de madeira. Lá dentro havia uma carta com os dizeres “Para ler quando estiver em Barcelona”, várias fotos delas juntas tiradas com uma Polaroid e uma pulseira de ouro bem delicada, com o desenho de uma onda.
— Porra Luísa, eu disse que não ia chorar! — limpou as lágrimas dos olhos. — Eu amei, não vou tirar nunca mais.
— A onda é por que você é linda de mar. — Luísa fez referência à música do Atitude 67, uma das preferidas de , colocou a pulseira no braço da amiga e abraçou-a pela última vez.

foi em direção ao embarque, antes de entrar na sala virou e acenou para os amigos, que retribuíram com carinho. Ela fechou os olhos, respirou fundo e voltou a caminhar até a fila. Quando chegou sua vez, entregou para a aeromoça a passagem e o seu passaporte, assim que foi liberada entrou no avião. Ao sentar na poltrona e afivelar o cinto de segurança um filme passou pela sua cabeça, desde a infância em Goiânia, a paixão por esportes (que foi decisiva na escolha do curso que iria fazer), as lembranças das viagens com a família, a mudança para São Paulo, os porres na faculdade, as desilusões amorosas, o trabalho no Santos, os amigos... Todos os detalhes de sua vida foram recordados. Barcelona era mais um desafio que ela enfrentaria de peito aberto e, realmente, se entregaria de corpo e alma, fazendo o possível para ser a melhor médica. Além disso, saber que tinha amigos em um lugar completamente novo acalmava o coração de . João tinha se mudado para lá três anos antes e estava amando a Espanha, o comentário positivo dele deixou-a mais animada. Ela aproveitou os últimos minutos antes da decolagem e verificou o celular, que indicou duas notificações.

João Vasconcelos:
“Assim que chegar me avisa, estarei no aeroporto te esperando, ;). Beijos!”

:
“Pode deixar. Beijos!”

Luísa Bernardi:
“Já deu tudo certo. Te amo e tô com saudade <3”

:
“Também te amo e já tô com saudade. Obrigada por tudo <3”

Logo colocou seus fones de ouvido e pegou na bolsa um dos chocolates que tinha ganhado de Renatha, na primeira mordida já sentiu a calmaria percorrer sua corrente sanguínea. Nunca se pode subestimar o poder de um chocolate, principalmente quando se trata de . Não demorou muito para ela pegar no sono, até por que quanto menos tempo acordada naquele avião, melhor.

•••


— Quando você vai contar pra que se inscreveu no estágio da sede da Stradivarius em Barcelona? — Clara questionou Luísa ainda no aeroporto, pouco depois que a amiga partiu.
— Você não tá pensando em ir pra Espanha também, né? — Fernando perguntou meio desconfiado.
— Ai gente, vocês sabem que a é como uma irmã pra mim... Eu sei que lá ela tem o João e outros amigos da Nike e do Barcelona, mas sei lá... — Luísa deu de ombros. — Sem falar que estágios nessas grifes internacionais valorizam muito o currículo...
— Se é isso que você quer mesmo vai fundo, eu sou a favor de mudar os ares de vez em quando! — Diego disse incentivando Luísa, seria muito bom para a carreira dela trabalhar em uma grande marca.
— Nem tem motivo pra fazer esse auê todo, as chances são muito pequenas por que a Stradivarius é uma grife espanhola famosa que pertence ao mesmo grupo que é dono da Zara, ou seja, pra tar lá tem que ser muito foda. — Luísa tentou explicar.
— Mas você já foi convidada pra fazer um estágio nos Estados Unidos e um na Itália, o que prova que você é boa no que faz e tem chances sim! — Renatha afirmou.
— Não tem nada a fazer além de esperar... E a não pode nem sonhar com isso, estamos entendidos? — Luísa fez os amigos prometerem que não contariam nada, ela não queria que criasse expectativas sobre essa possível ida dela para Barcelona.
— Combinado! — Todos confirmaram e os cinco amigos foram em direção à saída do aeroporto de Guarulhos.

•••


Mais ou menos 10 longas horas de voo e uma escala depois, finalmente pisava em solo espanhol. Era hora de dar start em mais uma fase. Ela pegou o celular e começou a falar com João enquanto ia para mais uma fila, essa para pegar suas malas.

:
“Cheguei, mi ángel! Já tô entrando no clima espanhol hahaha”

João Vasconcelos:
“Quero só ver o seu sotaque espanhol, chica hahahah já estou na porta do desembarque”

:
“Só tô esperando minhas malas, não aguento mais ficar em filas”

Não demorou muito para ver as malas rosa metálicas na esteira. Essa era a vantagem de ter malas, como diria sua mãe, espalhafatosas. Enquanto a maioria das pessoas se perdia com a imensidão de malas pretas, as de se destacavam. Ela dizia que era pura estratégia, mas foi o seu lado adolescente que não resistiu aos chaveiros de pompom cor de rosa e escolheu aquelas malas. Assim que cruzou a porta do desembarque, viu João com a camisa amarela da seleção brasileira de futebol. Não era só ela que usava esses artifícios.

https://br.pinterest.com/pin/264868021820339631/

— Que saudade, pequena! — João deu um abraço apertado em , girando-a no ar. Os dois não se viam desde que ele havia ido para Barcelona, o contato era feito por mensagens ou chamadas de vídeo.
— Você gostou tanto daqui que nunca mais voltou para o Brasil, também tava com saudade seu puto. — deu um tapinha nas costas do amigo, que fingiu sentir dor mas logo os dois caíram na gargalhada.
— Garanto que você vai gostar também, no Barcelona todo mundo é muito de boa. Sem falar que com Philippe Coutinho e a resenha tá garantida, né? Eles até ensinaram muitas coisas em português pros caras, o Ney quando ainda tava lá, também. — João falava enquanto empurrava o carrinho com as malas de .
Droga, nem vou poder te xingar em português então! — Ela brincou com João e eles foram conversando banalidades até chegarem no carro. Ele guardou toda a bagagem e conectou seu celular ao som do carro, colocando uma música extremamente conhecida por no Spotify.
— Eu adoro essa música! — deu um gritinho animado ao ouvir o início de “Ta tum tum”, do MC Kevinho com Simone e Simaria.
— Percebi nos seus stories e da Luísa dançando essa música no réveillon! — João riu. — Mas ela é muito boa mesmo, tá na minha playlist de favoritas.
— Você tem que ir com a gente passar o réveillon em Ilhabela, as praias são simplesmente incríveis! — Ela respondeu o amigo, quando a música chegou no refrão começou a cantar e João a acompanhou. Foi assim o caminho todo até a casa de João, quando chegaram lá ele levou as malas da amiga até o quarto em que ela ficaria hospedada.
— João, eu nem sei como... — começou a falar e foi interrompida.
— Nem começa, viu ! — Ele a repreendeu. — Sinta-se em casa, toma um banho, descansa e depois vai pensando por que a gente vai na concessionária escolher seu carro.
— Mas já? — riu ao ver a empolgação dele.
— Sim, não vou ser seu uber aqui não! — João gargalhou. — Brincadeira pequena, vamos ver isso com calma e procurar o loft. Por enquanto só descansa mesmo, tá?!
— Pode deixar! — Ela respondeu pegando um pijama bem confortável e uma toalha em uma das malas. Depois de uma viagem como essa o descanso era mesmo merecido.

•••


— Bom dia, preguicinha! — João brincou ao ver de pijama na sala, ainda sonolenta.
— Oi! — Ela sorriu coçando os olhos, na tentativa de se acostumar com a claridade das lâmpadas. — Que horas são?
— Exatamente 20:13. — João respondeu ao checar em seu notebook, estava finalizando o planejamento de exercícios para a recuperação de Sergio Busquets, que tinha sofrido um estiramento no músculo posterior da coxa direita no último jogo pela La Liga. João era o fisioterapeuta do time, que já tinha feito parte da equipe da Nike assim como e acabou sendo contratado pelo Barcelona. Foi ele que indicou a amiga para esse cargo e estava muito feliz por tê-la por perto novamente, trabalhando na mesma equipe.
— Esse jet lag acaba comigo, e olha que nem foram tantos fusos assim. — sentou no sofá ao lado de seu amigo, colocando uma almofada no colo.
— Relaxa, em uns três dias passa... Tá com fome? — João perguntou.
— Um pouquinho. — sorriu, ela tinha chegado pela manhã e dormiu até à noite, então não tinha comido nada. Apesar de ter dormido um pouco no avião, aquele era um sono que não descansava; já o em seu quarto na casa de João, foi reparador.
— Que tal jantar fora? — João sugeriu, a primeira noite da amiga em Barcelona merecia algo especial! — Tem um restaurante aqui pertinho que faz uma paella muito boa, a gente aproveita e anda um pouco na praia.
— Hummm, só de ouvir você falar me deu água na boca. — Prontamente aceitou o convite de João e foi se arrumar para eles irem comer.



Capítulo 2



This ain't for the best
My reputation's never been worse, so
You must like me for me
We can't make
Any promises now, can we, babe?
But you can make me a drink
(Delicate — Taylor Swift)


— Pronta para o seu primeiro dia de trabalho no melhor time da Europa? — João falou assim que apareceu na cozinha, onde ele já tomava o café da manhã. Já fazia uma semana que ela tinha chegado em Barcelona, tempo esse que foi utilizado para ela se organizar.
— Esse dia ainda vai chegar quando eu for transferida pra acompanhar algum jogador do Real Madrid. — brincou com o amigo. — Mas tô pronta sim pra trabalhar no Barcelona, mesmo sendo torcedora merengue, preciso reconhecer que é um ótimo time. — Ela piscou enquanto se sentava à mesa e pegava um iogurte natural com mel.
— Nossa, que fitness — João curtiu com a cara dela.
— Iogurte é gostoso pra caramba e eu não sou muito fã de café, então... Mas se tivesse pão, ovo, cheddar e bacon no maior estilo americano bom também! — começou a rir, mas logo pensou em como a refeição estadunidense era uma bomba calórica. — Eu só ficaria uma baleia comendo isso todo dia.
— É só dar uma corridinha que tá tudo certo. — João respondeu rindo também. — Bom, eu já vou indo. Qualquer coisa é só ligar. — Ele disse assim que terminou de comer e pegou sua mochila e as chaves.
— Daqui a pouco eu vou, quero ver nem que seja um pedacinho do treino. Até mais, beijos. — se despediu do amigo e tomou o restante do seu iogurte, não demorou muito para que ela saísse de casa.

No decorrer da semana ela e João tinham saído para comprar o carro, o escolhido foi um Mini Cooper, branco, perfeito para atender às necessidades dela e bem estiloso. fazia tranquilamente o caminho da casa de João para a sede do Barcelona, quando um Audi prata tentou lhe ultrapassar pela direita e acabou batendo na lateral do seu carro. Felizmente não foi nada grave, só alguns amassados em ambos os carros.

Lo siento por eso, no era mi intención. — Um rapaz moreno, alto, desceu do Audi, ele estava de short e camiseta, óculos escuros e cabelo bagunçado, parecia estar com pressa.
— Era só o que me faltava, daí-me paciência Senhor. — respirou fundo e falou mais pra ela mesma, mas a altura foi suficiente para o rapaz ouvir.
— Você é brasileira? — Ele tirou os óculos e perguntou intrigado ao ouvi-la reclamar, gesto que foi suficiente para o reconhecer.
— Sim, e você é o deu de ombros, encontrar um jogador do Barcelona nessa situação seria cômico se não fosse trágico. — Deixa eu adivinhar, atrasado pro treino?
— É. — respondeu sem a olhar nos olhos, um pouco sem graça com a situação e percebendo a irritação da mulher. A resenha na casa do André Gomes na noite anterior terminou mais tarde do que esperava, e ele acabou perdendo a hora.
— Claro né, e isso te dá o direito de ultrapassar pela direita. — Ela revirou os olhos, estava possessa de raiva pela imprudência do motorista do Audi.
— Desculpa, de verdade, eu vou ligar pro seguro e... — pegou o celular no bolso e quando começou a discar os números foi interrompido por .
— Olha, você tá atrasado e eu não quero me atrasar também então cada um arca com seu prejuízo e tá tudo certo. — A loira sugeriu prontamente, queria acabar com essa situação o mais rápido possível.
— Não, eu faço questão, realmente fui imprudente. — escutou argumentar, pelo menos ele reconheceu que estava errado. — Vou te dar meu telefone e depois a gente vê isso com mais calma, mas é pra ligar mesmo, tá?! — pegou um papel no carro, anotou seu número e entregou para ela, ele parecia mesmo estar se sentindo culpado.
— Tudo bem! — suspirou pegando o papel das mãos dele, mal sabia que os dois se encontrariam muitas vezes, provavelmente todos os dias.

Depois disso ele entrou no carro e foi para o treino, já ela parou em uma loja de conveniência antes de seguir para o trabalho, para comprar um chocolate. Só uma dose extra de glicose tinha o poder de acalmá-la depois de um stress como esse.

•••


No final do treino estava conversando com Vivian, a assessora de imprensa do Barcelona, sobre a entrevista coletiva que ela daria em breve para apresentar seu projeto no clube. Vivian estava indo para a parte administrativa e , que estava de costas, ia junto com ela, até que João a chamou para lhe apresentar a alguns jogadores.

— Essa é a nova médica do time, ela tá entrando no lugar do Dr. Javier. — João explicou a eles. — Vem cá, ! — Quando ela virou em direção ao seu amigo deu de cara com Philippe Coutinho, acompanhado de ninguém menos que , o causador de acidentes.

— Oi Philippe, tudo bem? — o cumprimentou com um beijo no rosto e fez o mesmo com , que parecia não acreditar no que via. — Oi, apressadinho. Prazer, . — Ela estreitou o olhar e deu um sorriso sínico ao cumprimentar .
— Vocês já se conhecem? — Philippe perguntou confuso.
— Uai , normalmente ninguém te chama assim. — João também ficou sem entender. — E que cara é essa?
— É a minha felicidade ao reencontrar o cara que bateu no meu carro quando eu estava vindo pra cá. — Ela explicou, exalando ironia no tom de voz. Hoje não tinha a obrigação de ser simpática com ele, ainda estava com raiva pelo estrago em seu carro, que era o seu mais novo xodó.
— Então ela é a brasileira que você comentou?! — Philippe deu um sorriso malicioso. tinha passado o treino inteiro falando sobre a mulher que, por coincidência, era . — Porra Princesa, que bola fora hein? — Philippe balançou a cabeça negativamente. Claro, em tom de brincadeira.
Princesa? — questionou curiosa.
— É coisa do Neymar, agora os caras quando tão de resenha só me chamam assim. — explicou para , definitivamente o “apelido carinhoso” dado pelo amigo pegou. — Sinto muito pelo seu carro, já liguei pro seguro e como foi coisa simples eles vão resolver tudo hoje mesmo. Se você quiser deixar a chave comigo...
— Desde que você não destrua meu carro eu deixo, se não o João vai ter que ser meu uber até eu resolver isso. — alfinetou . Quando ela estava com raiva era assim mesmo, não perdia uma oportunidade sequer.
— Me inclui fora dessa, por favor. — João brincou com a amiga, bagunçando o cabelo dela e levando um tapa em seguida. — Ai ai , desde quando você tem essa força toda?
— Tô comendo espinafre. — Ela ironizou fazendo referência ao desenho do Popeye e tanto quanto Philippe caíram na gargalhada, sendo acompanhados por João posteriormente. — Agora eu preciso trabalhar, tchau pra vocês. — entregou a chave do carro dela para e saiu em direção à parte administrativa do clube.

— Agora eu entendi o seu interesse pra encontrar com a garota... Com certeza não era só pra consertar o carro dela. — Philippe começou a zoar .
— Claro que não, pirou? — ignorou a piadinha do amigo.
— Quer mentir pra mentiroso agora? — Coutinho continuou, gesticulando com os braços abertos frente ao outro jogador em sinal de desaprovação. — Fazer o quê se ela é linda pra caralho mesmo...
— E você é casado, pode parar de gracinha. — retrucou, mas tinha que concordar com o amigo. Definitivamente, era muito linda.
— Ei, nem vem tentar mudar o rumo dessa conversa, estamos falando de você. Apenas verbalizei a verdade que tá escrita na sua testa. — Philippe contestou.
— Eu ainda tô aqui escutando tudo, viu? — João se manifestou. — Por fora ela tem esse jeito “foda-se” mas por dentro já deve ter imaginado mil e uma maneiras de te matar, . — Ele gargalhou. — Se tem uma coisa que tira a do sério é trânsito, ela fica muito estressada, chega a ser engraçado.
— Preciso ligar pro Ney e contar essa história, ele vai adorar saber. — Philippe saiu rindo em direção ao vestiário.
Vai pro inferno, Coutinho. — gritou, xingando o amigo, mas riu logo em seguida, não conseguia ficar bravo com ele. E se conhecia bem Philippe e Neymar, essa zoeira tava só começando. — O que eu faço pra ela me desculpar? — Ele perguntou para João, pois já que ele e iriam ter que conviver diariamente, não queria que ficasse um clima ruim entre eles.
— Deixa eu pensar... — João fez uma pausa. — Olha, a é louca por doces, talvez um chocolate amoleça o coração dela. — Ele deu um tapinha nas costas de e foi para o departamento de fisioterapia, enquanto o outro seguiu para a academia do clube.

•••


— Coutinho, me empresta seu carro, o meu tá na seguradora e eu preciso resolver uma coisa. — A empresa havia buscado os carros de e na sede do Barcelona e, por sorte, disseram que devolveriam no final da tarde.
— E essa coisa a resolver por acaso tem algo a ver com a Dra. ? — Philippe questionou enquanto eles almoçavam.
— O João falou que ela gosta muito de chocolate, é só uma forma de pedir desculpas depois do que aconteceu hoje. — Ele explicou para o amigo.
— A cada segundo que passa essa história fica melhor — Philippe começou a pensar no que Rafinha poderia fazer. — Só empresto se você postar uma foto no instagram pedindo desculpa pra ela, mas tem que ser foto mesmo, não vale stories.
— Ah não Philippe, não inventa. — protestou.
— É pegar ou largar. — Coutinho balançou a chave do carro.
Filho da puta. — Rafinha reclamou mas acabou pegando a chave da mão do amigo e aproveitou o horário de almoço para comprar o tal chocolate. Ele foi até uma das melhores confeitarias de Barcelona, comprou duas caixas de bombons com diversos sabores, afinal, não sabia qual era o preferido de e algumas flores.

Por volta de 17h, quando estava terminando o treino de cobrança de faltas, a seguradora entregou os carros devidamente consertados. Ele colocou os bombons e as flores sob o banco do motorista, decidiu escrever um cartão e também colocou junto. Tirou uma foto (assim como Philippe Coutinho tinha estabelecido) e postou no Instagram:

https://br.pinterest.com/pin/264868021820339671/


@93: “Será que ela vai me desculpar? @

finalizou seu trabalho no fim da tarde, quando estava saindo de sua sala a esperava do lado de fora.
— Oi. — cumprimentou-o.
— Seu carro está novinho em folha. — Rafinha falou entregando a chave para ela. — E a propósito, curti o chaveiro. — Ele obviamente estava zoando o chaveiro da Minnie no carro dela.
— Obrigada Princesa, eu sei que eu tenho bom gosto. — brincou enfatizando o “Princesa” e acabou dando um sorriso sincero, talvez o primeiro desde que os dois se conheceram.
— Então... Até amanhã? — quebrou o silêncio que havia se formado entre eles.
— Até amanhã. — se despediu e foi em direção ao seu carro no estacionamento. Quando abriu a porta ela colocou sua bolsa no banco do passageiro e encontrou os bombons, as flores e o cartão, pegou-os e se sentou. Abriu o cartão cor de rosa, que tinha escrito:

, desculpa pelo péssimo jeito de te dar boas vindas, foi uma coincidência meio ruim. Será que eu posso começar de novo? Hahahah fiquei sabendo que você adora chocolate =)
Con cariño,


riu ao ler o cartão, ela reconhecia que tinha sido meio antipática com e ele estava se sentindo culpado pelo incidente. Ela procurou em sua bolsa o papel que ele havia lhe dado mais cedo com seu número, no momento em que pegou o celular para ligar para ele viu inúmeras notificações no seu instagram, com marcações, comentários e solicitações para seguir. viu a foto que Rafinha tinha lhe marcado e não conteve a risada ao ler os comentários.

@phil.coutinho: , desculpa ele kkkkk
@neymarjr: Vamos fazer uma campanha #DesculpaAPrincesa
@brumarquezine: Super apoio hahahah amiga, tadinho dele #DesculpaAPrincesa
@joaovasconcelos: Mitou irmão @neymarjr kkkkk vou aderir #DesculpaAPrincesa
@phil.coutinho: É, #DesculpaAPrincesa vai
@maycardoso: Hmmmmmm #DesculpaAPrincesa
@thiago6: Tinha que ser o idiota do fazendo merda... #DesculpaAPrincesa
@matheuscardoso: Aiai #DesculpaAPrincesa
@luisabernardi: Depois de um pedido fofo desse tem que aceitar, amiga... #DesculpaAPrincesa


A foto deu tanto o que falar que virou destaque na aba “explore” no instagram e a hashtag DesculpaAPrincesa” foi um dos assuntos mais comentados no twitter. ficou um tempo ali, parada, lendo os comentários da foto, até que seu celular tocou.

Como assim você já tá causando em Barcelona, com o gato do te pedindo desculpas publicamente? — Mayara atropelou as palavras, arrancando uma gargalhada da irmã mais velha, elas estavam em uma chamada de vídeo.
— Oi Mayara, eu tô bem sim, e você? — brincou.
Para de enrolar e me conta logo o que tá acontecendo. — Ela resmungou.
— Se até o Neymar e a Bruna tão sabendo, eu tenho certeza que você também tá...
É óbvio que eu tô, por que o mundo inteiro já sabe, mas eu quero ouvir cada detalhe da sua boca. — May insistiu, exagerada como sempre. Ela conhecia muito bem a irmã, e essa displicência ao falar do assunto poderia indicar que já tinha rolado um certo clima com o jogador, mesmo que negasse. No entanto, ao mesmo tempo não poderia deixar de zoar a irmã. Ela escutou atentamente contar tudo o que aconteceu, desde o incidente com os carros até o cartão, as flores e os bombons.
— Satisfeita? — perguntou assim que terminou de detalhar os fatos.
Agooora sim. — Mayara fez uma cara de alívio, provocando mais risadas em . — Mas você vai desculpar ele né?
— Claro que vou né May, não quero causar nenhuma torta de climão... E o parece ser gente boa, então não tem porquê levar isso adiante.
Hmmmm já tá chamando de ... Nem parece que tava toda nervosinha quando o João foi te apresentar pra ele hein . — Mayara provocou, ahhh como ela tava com saudade de fazer isso. Por FaceTime não era a mesma coisa, mas era o que dava para fazer nas atuais circunstâncias.
— Eu vou desligar na sua cara, Mayara . — ameaçou-a. Quando May colocava alguma ideia na cabeça era quase impossível de tirar, portanto, era bom ir se preparando para ouvir muitas brincadeiras do gênero. Se Mayara se juntasse com Luísa então... Melhor nem pensar. Mas, convenhamos, as amizades sem frescuras em que existe liberdade entre as partes são as melhores. — Espera aí... Você já falou com o João?
Se for pra ligar pro eu nem reclamo. — Ela riu maliciosa dando ênfase no apelido do jogador e revirou os olhos. — E não fui eu que falei com o João, foi o Matheus.
— Depois eu falo com o , agora a gente vai se ver todo dia mesmo... Só espero que o João não tenha inventado coisas e que nem o Matheus comece com as crises de ciúmes. — encerrou o assunto " ".
Você conhece o nosso irmão né, então... — Mayara falou e elas conversaram mais um pouco sobre como estavam as coisas em Barcelona e em São Paulo e assim que finalizaram a chamada, foi para casa.

•••


— Nem começou a trabalhar direito com o time e já tá famosa em Barcelona por causa do . — João brincou assim que entrou em casa.
— Hoje vocês me acharam hein. — Ela gargalhou. — Até a Mayara me ligou exigindo explicações sobre isso, sem falar no meu Instagram que tá lotado de mensagens. E você foi falar o quê pro Matheus, seu fofoqueiro? — deu um tapinha nas costas do amigo.
— Ele só perguntou o que tinha acontecido e eu contei... Pelo menos sua carinha tá bem melhor, o chocolate te acalmou? — João deu de ombros e a mulher mostrou uma das caixas de bombons com 4 espaços vazios, fazendo-o rir. — E pro , você já ligou?
— Que perseguição, misericórdia... Até onde eu sei não sou uma Kardashian e minha vida não é um reality show, muito menos tá tão interessante assim pra todo mundo querer acompanhar. — se jogou no sofá, colocando os pés no colo de João.
— Não muda de assunto... Eu vou ligar pra ele e você fala. — João pegou o celular e começou a discar os números.
— Não! — Ela deu um grito, levantando bruscamente e tomando o celular da mão dele. — Cê tá louco?
— Tô só facilitando as coisas já que você fica aí enrolando. — João deu de ombros e os dois ficaram um tempo parados, se encarando.
— Aff, que saco. — revirou os olhos, se dando por vencida. — Eu vou ligar pra ele agora. — Ela discou o número de Rafinha e no segundo toque ele atendeu.
Alô? estranhou ao ver um número que não estava em seus contatos.
— Oi , é a , tudo bem? — Ela falou assim que ouviu a voz dele, ainda estava na sala. Sorriu falsamente para João, que observava com uma cara maliciosa, e foi para seu quarto conversar com .

O clima entre os dois era bem mais leve, ela agradeceu-o verdadeiramente pelos chocolates, as flores e o cartão, além de também pedir desculpas pela rispidez com ele durante todo o dia.





Continua...



Nota da autora:
Oi meus amores, tudo bem? Apesar de ser fascinada por futebol, é a minha primeira história sobre (e a primeira que envio para o FFOBS também). Me encantei quando passei a acompanhar mais de perto a carreira do Rafinha, então juntei todo esse amor por ele e pelo esporte e o resultado vocês vão acompanhar aqui na Inefable. Espero que vocês se apaixonem assim como eu me apaixonei por esse homem com alma de garoto, que ama a família e que sorri com os olhos e com o coração. Um beijo enorme e não se esqueçam de comentar, a opinião de vocês é importantíssima e me ajuda a melhorar como escritora.

Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.


comments powered by Disqus