FFOBS - Miss Stark, por Gabi Sensulini

Última atualização: 29/05/2018

Capítulo 1

Era a noite perfeita e Tony Stark não poderia estar mais feliz.
Estava arrumando a gravata enquanto saía da sala de controle da nova e grandiosa sede dos Vingadores quando Pots apareceu. O cabelo ruivo estava solto e muito bem escovado e suas sardas e batom rosa claro combinavam com a elegância que o vestido midi azul bebê dava a ela quando unidos ao scarpin também de mesma cor. Tony sorriu e pegou-a pela cintura trazendo-a até si e dando-lhe um beijo na têmpora. Ela sorriu de volta.
A imagem da família perfeita ficou completa quando a garota ruiva de dezoito anos apareceu logo atrás com um vestido longo e branco de alças finas. A filha deles se parecia extremamente com a mãe em praticamente todos os sentidos, tanto físico quanto pessoal. Pietra, com seu corpo alto e esguio, já comandava os setores da Stark Enterprises junto à mãe e apesar de não saber muito sobre tecnologia como o pai, gostava dele tanto quanto gostava da mulher que a pôs no mundo.
- Olha só se eu não sou o homem mais sortudo do mundo! – ele falou se posicionando entre as duas e oferecendo o braço que ambas aceitaram para que continuassem caminhando andar abaixo.
- Seja o mais sortudo e o mais sensato! – Pietra falou. – Lembre-se de que o Capitão estará na festa hoje!
- E você provavelmente está entusiasmada com a possibilidade de tirar uma foto com ele, estou certo? – Clichê ou não, ela gostava do picolé.
- Correto em gênero, número e grau.
Eles riram e desceram as escadas, grande parte dos super heróis já estava ali. Natasha, Banner, Clint, Thor. Cada qual com suas respectivas famílias, comemorando a paz na qual a Terra se encontrava.
Quando colocaram os pés no térreo Stark se deparou com quem menos queria ver ali: Bucky. Ele estava elegante num terno preto e com os cabelos bem penteado para trás. Ambos se encararam por um tempo até que Steve Rogers parecesse.
- Stark!
- Rogers! – eles falaram quase que na mesma entonação.
Steve e Tony se cumprimentaram e em seguida as mulheres. Pietra estava estupefata, tanto por estar frente a frente com o Capitão quanto seu amigo que permanecia inerte ao seu lado. A conversa não se prolongou e a família Stark então seguiu caminho até serem parados por Thor, Jane e a filha.
O Deus parecia ainda mais forte, se é que isso é possível e Jane ainda mais bela em seu vestido curto e verde. A garota, de seus dezoito anos parecia alienada da conversa dos adultos que insistiam em se gabar por ter a melhor mulher o que abriu uma brecha para a conversa entre as garotas:
- Você deve ser Tayla, certo?
A garota finalmente fitou-a com seus olhos azuis, uma mecha de seu cabelo loiro insistia em ficar caindo sobre o rosto, mas, ela não parecia se importar com aquilo.
- Sim! - ela sorriu – E você é?
- Pietra Stark.
- Ah, claro. – ela sorriu enquanto ambas apertavam as mãos – Meu pai falou que vocês têm a incrível mania de saber sobre tudo e todos.
A garota levou aquilo como um elogio e sorriu de volta. Quando ia falar novamente, Pietra sentiu alguém tocar seu ombro e ao virar se deparou com o jovem alto e loiro envolto num terno branco.
- Harley! – eles se abraçaram – Quanto tempo!
Stark apareceu olhando-os e para quebrar o abraço falou em voz alta.
- Olha só, quem é vivo sempre aparece.
O garoto de cabelos loiros se afastou da garota rapidamente, mesmo sabendo que Stark não se importava, e o cumprimentou com um aperto de mão seguido de um abraço.
- Como vai senhor Stark?
Tayla olhava de Pietra para o rapaz até que a ruiva a encarou.
- Quem é o bonitão?
Pietra sentiu as bochechas corarem mesmo que ela tenha dito isto em voz baixa.
- Um amigo do meu pai.
Tayla olhou-o de cima a baixo e aquilo causou desconforto na ruiva.
- Vamos beber alguma coisa?
A loira assentiu e as duas se afastaram.
- Veio para ficar desta vez? – Tony perguntou.
- Sim. Agora eu aceito aquele estágio na Stark Enterprises. – ele sorriu.
- A vaga ainda está aberta!
- Senhor Stark? – uma voz mais fina falou atrás deles.
Ele virou-se e deparou-se com um jovem de cabelos castanhos quase de mesma idade que Harley.
- Peter! – eles se cumprimentaram com entusiasmo.
Anthony fez questão de apresentar os dois rapazes e eles tiveram uma longa e quase adorável conversa se não fosse por um disputando com o outro a atenção do anfitrião. Salvo pelo gongo! Ele pensou quando ouviu Fury chamar a atenção de todos em cima do palco para fazer um não tão breve discurso.
Muito obrigado a todos por estarem aqui nesta maravilhosa noite com suas famílias e obrigada principalmente por não se matarem!
Fury levantou ataca de champanhe em sua mão em direção a Stark e Rogers.
Apesar de sabermos que não existe a verdadeira paz no mundo, hoje nós a comemoramos. Porque passar tanto tempo sem nenhuma invasão alienígena ou de algum semi Deus revoltado é um grande triunfo para os humanos. Até mesmo passar este mesmo tempo sem nenhum problema com nossos meta humanos. É quase um milagre!
Ele riu para aliviar a tensão. Maria Hill permanecia firme e atenta ao seu lado. Algo do lado de fora dos vidros estava chamando sua atenção e ela não hesitou em deixar claro em seu olhar esse problema.
Espero que nós continuemos... Fury continuou a falar, mas, a mulher ignorou-o completamente. Saiu de seu lado e chamou dois guardas que estavam posicionados na escada. Eles a seguiram. Aparentemente os Vingadores e o resto dos convidados meta humanos não estavam preocupados com aquilo inicialmente, mas, tudo mudou quando a porta principal foi reaberta e eles escutaram um tiro ir de encontro com o vidro, que não quebrou por ser a prova de balas.
A atenção foi desviada e aos poucos alguns deles começaram a encaminhar-se para fora.
Hill estava do lado de fora olhando para o escuro quando os guardas finalmente obedeceram suas ordens e ligaram as luzes dos refletores externos mo topo do prédio que iluminaram metade do campo.
Quando isso aconteceu Hill se deparou com uma garota de cabelos castanhos caindo em direção ao vidro que substituíra as paredes de concreto do lugar. Havia sangue escorrendo por um furo no ombro de seu braço esquerdo e ela ainda estava consciente. O rosto estava roxo, com alguns inchaços, vindo de alguma provável luta e as roupas escuras ainda pareciam limpas.
- Eles estão armados! - ela balbuciou e apontou com o braço direito para frente.
A mulher se deparou com três homens armados e encapuzados. Apontou a arma para eles sem ao menos questionar o motivo de estarem ali.
Eles então baixaram as armas e o que estava mais a frente gritou:
- Nós só queremos a garota!
A mulher, que estava cercada de guardas e com uma tropa dos mais bem preparados super-heróis já conhecidos logo atrás ficou com pena, mas, antes de responder à pergunta dele fitou-a dizendo:
- Me dê um bom motivo para te ajudar!
- S...Star... Stark. Tony Stark. – ela balbuciou antes de finalmente apagar.


Continua...



Nota da autora: Sem nota.

Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.


comments powered by Disqus