FFOBS - The Day We Met, por Laysa F. e Lele S.

Última atualização: 21/03/2018

Capítulo 1


Flashback: South Korea, Year 1830, Last Fail Destiny.

- Sabes muito bem sobre os sentimentos de , senhor! - o homem mais velho que trabalhava arduamente respirou fundo e com pura pena em seu tom de voz, seus olhos permaneciam estáveis na garota do outro lado do salão, que vestia um lindo vestido de camurça azul, mas que com toda sua beleza trazia tristeza em sua face. Já os olhos da mais jovem se encontravam em seu lastimável primeiro e último amor, porém, o mesmo estava ocupado fixando seus olhos na incrível mulher de olhos azuis e cabelos incrivelmentes compridos e cheios de seus fios loiros que estava a poucos metros do mesmo.
- Ela me amar nao quer dizer que eu simplesmente a ame de volta, Yoby, e olhe, isso não é de tudo uma verdade porque sim, a amo, mas não da mesma forma, ela me vê com um tipo de olhos e eu a vejo com outros - o rapaz mais jovem ainda tinha seus almejos de carne, em muitas das vezes não via mais que prazeres. Por mais que naquela época não fosse tão correto agir dessa forma, seus pensamentos eram de que simplesmente ele era homem e precisava mais do que apenas amor. Não, ele não era uma pessoa má, ele não agia com desdém e muito menos fazia com que as pessoas se sentissem desconfortáveis, assim como fazia questão de sempre se assegurar de não estar fazendo mal algum a , a estrangeira que por um instante se tornou sua melhor amiga, que por um instante entrou em seu coração, porém, não da mesma forma em que ela queria que fosse.
- Tudo o que o senhor mais faz é dar falsas esperanças àquela pobre criança – Yoby, o empregado leal e sincero, deixou muito bem imposta sua posição naquela situação - Se não a quer machucar, seja sincero com ela ou Miosótis podem crescer e a sufocar.
- Não diga bobeira, Yoby, você sabe que definitivamente não acredito nessas coisas! - Yoby o olhou de soslaio e sorriu de canto, mas seu sorriso não era qualquer um, seu sorriso era perverso e penoso.
- Pobre ! - Yoby suspirou - Senhor , por favor, tenha cuidado com as palavras, alguém… - seus olhos foram na garota que os encarava - pode escutá-lo e entrar hoje mesmo em um estágio maior.
- Já avisei para não dizer bobagens, por favor, Yoby. Veja se os convidados estão bem e confortáveis em vez de me dizer a respeito de superstições ridículas - apenas se direcionou ao meio do salão cumprimentando algumas pessoas em seu caminho e tomando o tom da palavra deixando Yoby para trás a cumprir ordens.
- Pobre garota! - ele lamentou - Nem mesmo o destino evitou, o que será que ela fez de tão errôneo para seguir com esse castigo? Realmente é como as regras dizem, “amor demasiado, castigo enfadado.”
sorriu breve a em algum momento de seus passos, mas de qualquer forma foi breve e doloroso, já que em seguida o mesmo disse meras palavras vazias e juntou seu desejo com os da mulher loira.

Unilateral, Nivel 1: πέταλα, 花弁, 꽃잎, 花瓣, Pétalas.
Unilateral, Nivel 2: λουλούδια, 花, 꽃, 花卉, Flores.
Unilateral, Nivel 3: μπουκέτο, ブーケ, 꽃다발, 花束, Buquê.


Unilateral, Nível 1, 2, 3

- ? - ela chamou por ele, que se encontrava conversando com algumas pessoas no centro do salão, a loira ali se encontrava com ele, a seu lado e isso fez com que ela, por um segundo, sentisse um incômodo sobre o peito.
- Huh? - ele respondeu desviando sua atenção apenas por um momento para a mesma.
- Podemos conversar por um momento? - ela perguntou insegura - E-eu preciso te dizer algo, podemos ir por um minuto ao jardim de Miosótis?

Miosótis: a flor simboliza o amor sincero e desesperado. Também pode ser conhecida como “Não-me-esqueças”


- Teria que ser nesse exato momento? - ele perguntou sem olhá-la - Eu necessito estar presente para meus convidados, . Há algum problema se adiarmos essa conversa para o final do baile? Te prometo que a última dança será guardada para você.
Ela nem mesmo teve tempo de respondê-lo ou dizer que realmente era importante, ele deixou o local, deixando um primeiro sintoma à vista. Seus olhos ardiam e o peito fluía em dor constante, então, com uma simples tosse, foi possível perceber os primeiros efeitos em que a bendita flor Não-Me-esqueças estava trazendo, a dor absurda do primeiro nível, o nível das pétalas.

- É melhor que o esqueças, encontre alguém que possa amá-la intensamente - Yoby apareceu ao lado da garota que tentava controlar sua respiração.
- Eu não posso! - ela disse sentindo a dor intensa mais uma vez fluir em seu peito.
- Se você acredita que pode, então sim, pode! - ele complementou - Não acredito que o destino tenha escolhido isso para você - o mais velho apontou seu olhar para a mão de , que segurava fortemente a primeira pétala que havia aparecido.
- Se ele não quisesse, não teria o colocado em minha vida, Yoby! - a garota deixou o local, não esperou sua última dança e muito menos para que fossem conversar, decidiu que esperaria mais alguns dias.
O que ela não contava seria com os níveis avançando vagarosamente.

Dias depois


Sua condição não era das melhores, seus pulmões doíam, seu coração parecia a ponto de explodir, sua garganta estava péssima de tanto que cuspia já não mais pétalas, mas sim flores inteiras, flores de seu grande e não correspondido amor.
- Minha criança! - a senhora baixinha com seus cabelos brancos chegou com suas grandes malas. não era de família rica, sua família sempre fora muito simples e ainda assim lutaram para que ela pudesse partir de seu país para conhecer outros lugares. Por mais que não fosse tão comum mandar suas crianças em uma interminável jornada da vida sozinhos, sua família sempre agira muito diferente dos outros, eram modernos, eram sempre um passo a frente, só não contavam que há anos, para que tudo isso acontecesse, poderia afetar o futuro de alguém que tanto amavam, uma maldição talvez? Um amor não correspondido ou poderíamos dizer um amor proibido? - Pobre criança fadada ao erro de terceiros - Amma disse de maneira baixa vendo o estado em que ela se encontrava - Você aguenta por mais um tempo? Temos que te levar a ele.
- Amma, eu tenho que tentar uma última vez, já não sei o que está acontecendo ou o que sempre cochicham ao me ver, mas sei que não passo por uma situação boa neste momento, então preciso ver , por conta dos pais, sempre fora muito persistente no que queria - Eu havia lhe dito que o encontraria hoje pelos jardins de Não-me-esqueças.
- Vê-lo não te fará melhorar, criança, apenas piorará a situação! - Desde que apareceu pela cidade em um barco vindo da Grécia, Amma ficou encarregada por cuidar da garota, conhecerá seus pais há muito tempo e então, desde que pensaram em enviar a garota para o local onde Amma se encontrava, pediram para que cuidasse da mesma, afinal, já sabiam exatamente o que havia chances de acontecer se a mesma continuasse com eles, porém de nada adiantou. - Vou buscar água morna e toalhas para podermos baixar essa febre, por favor, não se mexa - assim como era persistente, também recebia o título de teimosa, não levou muito para se levantar, vestir-se em trajes confortáveis - já não ligava para como a vissem, mas da mesma forma se encontrava linda -, caminhou até a porta, e antes de sair, olhou novamente em direção a Amma, que se encontrava ocupada procurando por toalhas.
- Espero que me perdoe por desobedecê-la - Assim que disse apenas respirou fundo e saiu pela porta silenciosamente.

Alguns minutos depois


- Senhor? - Yoby disse, tirando a atenção do mais novo.
- Huh? - Disse sem olhá-lo, ainda com a atenção mais ou menos presa em se livro.
- A senhorita se encontra no jardim de Miosótis dizendo que havia marcado com o senhor e que precisa dizer-lhe algo importante - O serviçal disse com pesar em suas palavras ja que ja sabia do que tratava - Senhor, ela não me parece muito bem, está fraca, pálida e creio que traz febre e muita tosse.
- Eu tenho uma reunião em 30 minutos, não tenho tempo para conversar neste momento, Pode dizer a ela para que venha mais tarde? - ainda não havia dado atenção ao serviçal.
- Não creio que ela virá. - o senhor disse - Já disse a ela sobre sua reunião, senhor, e ela insiste em vê-lo, porque o senhor não vai escutar o que ela tem a lhe dizer, não creio que seja uma conversa tão longa.
- Tudo bem! - ele disse fechando seu livro - Vou dizer para que venha mais tarde. Já pode se retirar, Yoby, por favor vá arrumando os cavalos, partimos em alguns minutos.
- Como o senhor preferir! Com licença - disse o mais velho se retirando.
se retirou do local em seguida, se dirigindo até seu enorme jardim das flores mais diferentes que existiam naquela época, essas flores em si nasceram de grandes e trágicos mitos, trazendo ao próprio a mais pura curiosidade e favoritismo.
- Você veio - disse ela o tirando do transe que trazia por admirar as flores. Ela sorriu, mas definitivamente não se via vividez ou brilho de juventude em seu rosto, apenas tristeza tirada de momentos antigos e calafrios doloridos.
- Desculpe, , não me recordava de ter marcado nada! - ele simplesmente disse - Acabei de marcar uma reunião com os donos do projeto das fazendas sudestes, você pode ser breve? Ou pode voltar mais tarde e conversaremos com tempo.
- Eu preciso dizer, sempre precisei: eu amo você. - apenas resolveu dizer logo, com decepção e pesar, disse o que sempre evitou e ele, como de costume, fingiu não escutar com seu próprio coração.
- Eu também amo você, , eu já te disse isso várias vezes! - ele riu de forma infantil e passou a mão pelos cabelos da garota - Você é a melhor amiga que alguém poderia ter. - sim, ele foi cruel.
- A-amiga? - sua voz trêmulou pelo calafrio que aquelas palavras provocaram em seu corpo de repente.
- Sim, por quê? - perguntou ela, o olhando estranho - Você não achou outra coisa todo esse tempo, não é?
- E-eu…- ela tentava, mas palavras já não saiam de sua boca.
- Ah, , se pelo menos houvesse alguém que te ama nesse lugar, não passariamos por essa situação. É apenas um mal-entendido, somos muito próximos, eu deveria ter imaginado que isso poderia acontecer. - já sentia seus pulmões arderem demasiado para continuar escutando aquilo daquela forma, suas mãos tremiam, seu corpo também, sua situação claramente não era boa, e sentia que a qualquer momento poderia desmaiar, mas ainda assim continuou ali, parada e buscando verdade nos olhos de - Eu não espero que você entenda, na verdade, ninguém entende o coração e muito menos a mente de ninguém, mas eu espero que você pense sobre isso.
A garota não aguentou escutar tudo aquilo, ela apenas deu as costas a ele e seguiu em frente para se retirar, porém, foi impedida, seu corpo não correspondia seus comandos, seus pulmões a sufocavam e seu coração claramente batia fora de ritmo a deixando em colapso. Quando foi notar, já estava ao chão com seus ouvidos totalmente incapazes de produzir algum ruído, ela não escutava nada, sua respiração era incapaz de sair, ela respirava descompassado e debilmente, seus sentidos estavam tão entorpecidos que apenas via borrões e formas em sua frente. a chamava incessantemente, mas ela não podia respondê-lo, o que o deixou mais desesperado e sem saber o que fazer.

- O que eu tenho que fazer? - ele perguntava desesperado – , me responda, o que você está sentindo?
Quanto menos sinal de que iria respondê-lo ele tinha, mais desespero lhe batia, foi então que resolveu agir por si mesmo, a pegou em seus braços e a levou em direção aos cavalos, onde Yoby se encontrava, já esperando com os cavalos selados, nesse meio tempo ela já se encontrava desmaiada.
- O que aconteceu com ela, senhor? - Yoby perguntou mesmo já sabendo a resposta.
- Não são horas para perguntas! - O mais novo disse um pouco alterado - Nos leve ao Dr. , imediatamente.
O mais velho nada disse, apenas fez o que ordenou seu patrão e se dirigiu apressadamente assim que a colocaram na carruagem, mas o universo não estava tão a favor mais uma vez. Ele mais uma vez colocou empecilhos, pingos grossos de chuva começaram a cair no meio do caminho, dificultando em excesso para que prosseguisse.
- Senhor, não posso mais seguir, a carruagem já não sai do local, o que vamos fazer? - Yoby também se encontrava preocupado neste momento, seu olhar distribuía pura tristeza e preocupação. - Pobre criança!
não pensava muito no momento, então apenas desceu na chuva com ela em seus braços, desfez um dos cavalos que ali estava e a colocou sobre seu colo.
- Yoby, vá e avise Amma sobre e sobre onde estamos, mande minha irmã em meu lugar com os negociadores e não demore, nos encontre no Dr. assim que terminar de fazer o que disse. - o rapaz simplesmente foi em disparada com o cavalo e segurando para que fosse em segurança. Era difícil a visibilidade por conta da chuva, que cada vez mais aumentava e também porque cada vez mais o cavalo se cansava pela dificuldade para avançar, afinal tudo se enchia de lama.
- Por favor, me dê alguma resposta. - implorou baixinho e sentiu suas preces serem ouvidas com muita rapidez, a escutou murmurar algo e em seguida a viu tossir, porém se assustou ao ver puro sangue escorrendo por sua boca e em grande quantidade, seus olhos vagamente estavam abertos também, mas ela não parecia ver nada em si.
Poucos minutos depois foi possível ver a casa do médico. Dali mesmo, desistiu do pobre cavalo, que já não aguentava cavalgar, a pegou no colo e, entre a chuva, correu com a mesma em direção a casa, já próxima.
- - ele gritou - Doutor ! - gritou mais forte, também depositando na porta fortes chutes, fazendo com que em segundos fosse aberta por um homem que já demonstrava puro canso em seu rosto - Sei que acabou de chegar de viagem, mas preciso da sua ajuda. - não mediu formalidades, conhecia o outro há muito tempo e sabia que não era momento para isso.
- O que aconteceu com ela? - perguntou o Doutor - Caiu do cavalo em que estavam?
- Não, estávamos conversando e a mesma desmaiou minutos depois. No caminho para virmos para cá, a vi resmungar coisas que não haviam nexo algum, mas o que me assustou foi o sangue em sua boca - se atrapalhava um pouco com as palavras de tão nervosos que se encontrava - Pode nos ajudar?
- Claro, vou apenas buscar minhas coisas, coloque-a sobre a mesa e traga uma bacia de água gelada e toalhas, rápido.
O rapaz, que já era médico, havia recém adquirido o título, mas sempre fora muito renomado, desde que começara a estudar. e ele não haviam se conhecido, ele sempre foi o garoto estudioso e conhecido da cidade, sempre fora muito gentil e amável, todos o adoravam, por isso ele resolveu que ajudar as pessoas seria seu bem maior e o mínimo que poderia fazer, já que quando passou por situações difíceis e as pessoas o ajudaram, aquilo não passava de mais do que pura obrigação. Assim que saiu da Coreia para estudar sobre medicinas diferenciadas na Grécia, foi diretamente à Coreia para viver com Amma. Realmente o destino não parecia muito a favor de nada, já que a primeira vez que se viram, depois de tanto tempo, ela sequer podia abrir os olhos por completos, já ele, sequer podia vê-la sem sentir calafrios intermináveis sobre seu corpo.
O rapaz pegou suas coisas e já estava a ponto de descer as escadas de sua casa para revisar , até ouvir gritos de chamando por ele com certo desespero, então desceu com rapidez para ver o que acontecia.

- Ela acordou! - ele gritou, mas ainda trazia desespero pela garota cuspir flores de sua boca juntamente a sangue, demasiado sangue.
- Você pode me ouvir? - disse analisando suas pupilas, a garota balançou a cabeça como sim e apenas fez cara de dor em seguida - Consegue me mostrar ou demonstrar o que está sentindo ou onde dói? - ela dessa vez não o respondeu, mas o encarava bem ao fundo dos olhos e ele poderia ter a mais pura certeza de que nunca havia visto algo como ela antes, mas seu sentimento de familiaridade era enorme.
- Minha criança! - Amma chamou por ela - Eu disse para não ir, criança teimosa, eu disse que amar demasiado e saber que não é amada te traria piora.
- Amma…- ela pronunciou baixo pela primeira vez, em seguida deixando uma lágrima escorrer por seu olho o fechando forte, podia ser por sentir demasiada dor ou por saber o que poderia vir em seguida – , meu pequeno, você não veio a tempo, mais uma vez.
- Eu estou aqui, Amma! - não entendia a situação, mas também sentia que não havia chegado a tempo - Por favor, as compressas. - o rapaz pegou cada toalha e colocou através do corpo quente de , ela ardia em febre e a mesma não cessaria até que fizessem com que ela baixasse - Vai ficar tudo bem! - ele pegou uma das mãos de e a segurou fortemente esperando com que ela correspondesse aquele aperto, mas apenas um olhar bastou para ele saber que aquela promessa não seria tão real.
- Minha criança! - Amma chamou mais uma vez e os olhos dela que estavam presos em se dirigiram a Amma - Você pode ir, não é necessário sofrer mais do que já sofreu nessa vida, que na próxima você tenha sorte e que algo interfira para que nada disso aconteça antes de você ganhar o devido coração que merece.


Infelizmente a história foi interrompida como um foco de luz perdido em meio toda escuridão que poderia existir, já não havia mais vida naquele corpo pequeno e que deveria estar cheio de sonhos e paixões. era determinada e teimosa, mas não soube vencer seu futuro determinado por pequenos detalhes. Mais uma vez eu digo: seria, talvez, por uma maldição? De fato, amor não correspondido? ou poderíamos dizer um amor proibido?
Eu sei que pode parecer confuso e sem sentido, afinal quem deixaria uma pobre “criança” sofrer por seus erros? Ou quem sabe por seus acertos imprevisíveis ao destino?
Dessa vez, o destino pensou a respeito, não era justo que ela sofresse tanto por algo que aconteceu antes mesmo de seu nascimento.
Erros e acertos, qual você acha que poderia acontecer se ela o conhecesse antes de tudo?
Esse corpo, onde décadas atrás já não trazia vida por amar demasiado, poderia amar sem limites algum um dia?
Quem sabe eu, o destino, a linha vermelha, a predestinação, o que te faz pensar que aquele com quem você está é sua alma gêmea possa mudar algo?


Continua...



Nota da autora: E ai meninass??? Gostaram desse capítulo? Espero que sim, porque eu e a Laysa estamos muito animadas pra escrever essa história e a gente tá a mais de 2 meses planejando ela nos mínimos detalhes. Vamos agradecer a Lay que é uma ótima escritora e ta aguentando minha enrolação e atualmente meus horários loucos da faculdade, a nossa beta incrível que aceitou betar nossa história muuito em cima da hora e também o amor da minha vida que fez essa nossa capa que ficou sensacional.
Eu prometo que se vocês tiverem algum problema para entender esse começo o próximo capítulo vai te ajudar a juntar as peças então não perde esse próximo capítulo.

Outras Fanfics:
11. Sea (Ficstape BTS - Love yourself: Her)
10. Lost (Ficstape BTS - You Never Walk Alone)
05. Exodus (Ficstape Exo - Exodus)
12. While Listening (Ficstape The Maine - Pioneer)
07. It's a Lie (Ficstape The Vamps - Night & Day)
MV: Remember That
When It Comes 2U

Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.
Para saber quando essa fanfic vai atualizar, somente na página de controle


comments powered by Disqus