Última atualização: 27/11/2017

Un

abriu a porta de seu apartamento no centro de Londres enquanto cantarolava uma música que não saía de sua cabeça desde que a escutara no rádio pela manhã, quando dirigia até Cobham, o centro de treinamento do Chelsea Football Club. Não sabia quem cantava, como se chamava, e certamente estava pronunciando um monte de frases desconexas, mas era uma canção animada o bastante para merecer fazer parte da trilha sonora daquele sábado que parecia mais colorido do que todos os outros dias daquela semana, e não apenas porque o sol havia resolvido dar as caras. Dali a poucas horas estaria indo buscar sua namorada no aeroporto e mal via a hora de vê-la depois de mais de um mês separados.
De vez em quando, tinha dúvidas de que não estava sonhando e realmente namorava com a garota por quem suspirava nos tempos de escola, quando mal tinha coragem de olhar nos olhos dela. era a melhor aluna da turma, bonita e inteligente demais para dar bola para um garoto que se sentava no fundão e só queria saber de jogar futebol. Em sua cabeça, pelo menos, ela parecia inalcançável para alguém como ele.
Os anos se passaram, entretanto, os dois acabaram se reencontrando graças a alguns amigos em comum e se surpreendeu quando, assim que bateu os olhos em em uma pequena reunião na casa de seu melhor amigo, se pegou sentindo a mesma curiosidade que ela despertava nele no passado. A diferença era que ele havia se tornado , um jogador de futebol prestigiado o bastante para achar que, finalmente, poderia ter alguma chance com a melhor aluna da turma. A noite que passou com ela na casa que tinha em , a cidade natal de ambos, acabou se repetindo diversas vezes pelo ano seguinte.
Apesar disso, sentia que algo estava errado. Por mais que conhecesse não apenas na cama, mas também quem ela realmente era como pessoa, parecia que faltava alguma coisa. Diversas vezes sumia do mapa, não respondia suas mensagens e não dava explicações plausíveis quando ressurgia. Aquilo o intrigava, mas ele acabava relevando, já que as oportunidades que tinha de vê-la pessoalmente não eram assim tão constantes graças à sua agenda atribulada como jogador do Chelsea, até o dia em que se deu conta de que um dos sumiços dela parecia que seria permanente.
foi até e não desistiu até encontrá-la. Foi então que descobriu que tinha uma filha de, na época, 5 anos, fruto de um caso que teve com um professor da faculdade de quem era monitora. Os dois foram casados por alguns anos, até a mulher descobrir que ele a traía com outra aluna, mas, depois de um tempo separados, tentaram reatar o casamento por acharem que era o melhor para Jade. Aquilo tudo foi um balde de água fria para o que, naquela altura, estava completamente apaixonado por e ele achou melhor se afastar. Mas é claro que, eventualmente, eles voltariam a se encontrar, afinal, o melhor amigo dele namorava com a melhor amiga dela.
Esse primeiro reencontro aconteceu na França alguns meses depois de descobrir toda a verdade. Estava lá para disputar a Eurocopa com a Seleção e ela para assistir. Seus melhores amigos estavam lá, assim como Jade, a filha de por quem ele logo se viu completamente encantado. havia decidido se divorciar de Lukas, daquela vez para valer, e, os dois de cabeça fria, puderam sentar, conversar e resolver as pendências que tinham. Ambos concordavam que o que tinham não havia acabado, ainda gostavam de estar juntos e sentiam que valia a pena tentar de novo. Antes de sua seleção ser eliminada do campeonato, a convidou para um jantar romântico no terraço de um hotel parisiense, de onde podiam ver a Torre Eiffel toda iluminada, e, no final da noite, a pediu em namoro. Aquele dia estava a pouco mais de um mês de completar um ano.
se via cada dia mais apaixonado por , pela mulher que ela havia se tornado. A via mais madura do que quando eles se envolveram pela primeira vez, assim como se sentia mais maduro também. Quando parava para pensar em como seria seu futuro, sempre estava ao seu lado e em todos seus planos.
Assobiando despreocupadamente, o jogador largou a mochila que levava nas costas sobre a cama e tirou o casaco que fazia parte do uniforme de treino do Chelsea. Quando deu meia volta com o intuito de ir até a sala de estar para jogar videogame até a hora de ir até o aeroporto buscar , constatou que não estava sozinho em casa como pensava quando seus olhos pousaram em outros dois que o observavam atentamente, acompanhados de um sorrisinho de canto.
- Fuck! - berrou, dando um pulo para trás, e levou uma das mãos ao peito, exatamente a região onde seu coração pulava, e uma gargalhada alta preencheu o ambiente silencioso.
- Você tinha que ter visto a sua cara! - exclamou a mulher que estava próxima à porta do banheiro, ainda em meio a risos. - “Fuck”, é? Olha ele, tá todo inglesinho - debochou e o outro mostrou a língua em resposta.
- Quer me matar, mulher? - disse, se recuperando do susto. - Posso saber o que a senhorita tá fazendo aqui? Você não chegava só mais tarde?
- Surpresa - falou, abrindo os braços, e caiu na risada mais uma vez. - Eu menti o horário do meu voo pra te fazer uma surpresa. Ou, talvez, tenha sido pra conferir o que o senhor apronta aqui em Londres sem mim - disse em um tom divertido, semicerrando os olhos para se fingir de desconfiada.
- Ufa, ainda bem que não trouxe nenhuma das minhas inglesas comigo hoje - o jogador retrucou em um tom aliviado e abriu um sorriso travesso em seguida.
- É o que, ? - disse a outra, cruzando os braços, e foi a vez dele de rir escandalosamente.
- É óbvio que é brincadeira. Vem cá - ele falou, se aproximando da namorada, e tentou a segurar pela cintura, mas a mulher se desvencilhou. - Para, amor. Você sabe que eu só tenho olhos pra uma mulher nesse mundo e essa mulher é você mesma.
- Eu não sei de nada - rebateu, deixando que a puxasse para perto, mas ainda estava de braços cruzados e emburrada enquanto prendia o riso.
enterrou a cabeça em seu pescoço para depositar beijinhos pela região que ele sabia ser um dos pontos fracos de e subiu os lábios até encostar levemente nos dela.
- Eu estava morrendo de saudade - disse e mordiscou o lábio inferior da outra.
- Estava mesmo? - ela questionou com um sorriso de canto.
- Você sabe que sim - o outro respondeu, a puxando para ainda mais perto.
envolveu o pescoço dele com os braços e beijou sua boca rapidamente, um beijo estalado.
- E por que ainda não estamos ali na sua cama matando essa saudade toda?
O camisa 10 do Chelsea soltou uma risada alta antes de pegar no colo, a fazendo soltar um gritinho de susto e abraçá-lo com mais força. Ele a carregou até a cama, a jogou sobre o colchão e logo estava tomando os lábios dela com os seus. As pernas da mulher o envolveram pela cintura e os dois se entregaram a um beijo sedento que extravasava toda a saudade que sentiam um do outro.
Contudo, se lembrou de um pequeno, falante e bastante risonho detalhe, e isso o fez quebrar o beijo.
- Espera aí - falou e a outra franziu o cenho sem entender o motivo da interrupção. - Cadê a Jade?
- Ah, acabei desistindo de trazer ela.
- Mas por quê? Eu tinha pensado em um monte de programas infantis pra gente fazer.
- É que o aniversário do Lukas é na semana que vem e ele resolveu que quer comemorar com a filha esse ano - explicou e mostrou um sorriso irônico.
- Inventou essa só porque vocês vinham pra Londres? - questionou, abismado.
- Pois é… - a outra rebateu, rolando os olhos.
- Babaca - ele disse e riu, balançando a cabeça negativamente. - Mas tudo bem, fica pra uma próxima oportunidade. Agora a gente tem coisa melhor pra fazer do que ficar falando do seu ex.
sorriu quando sentiu a boca de tocar seu pescoço e distribuir beijos molhados e mordidinhas que a faziam sentir cócegas ao mesmo tempo que um calor subia por todo seu corpo.
- Pensando bem, até que ele fez um favor pra gente, uh? - disse , adentrando as mãos pela blusa que ela vestia. - Claro que a Jade seria muito bem-vinda aqui, mas passar uns dias sozinho com você vai ser interessante.
- Ah, é? O que você tem em mente? - perguntou, provocativa, passando as unhas suavemente pela nuca dele.
- Só sair dessa cama quando estiver exausto - falou, piscando um olho. - E você sabe que eu tenho energia de sobra.
- E tem a língua grande demais também. Só quero ver se vai ser isso tudo que tá dizendo mesmo.
- Você tá duvidando de mim, ? - questionou e abriu a boca, ofendido, quando ela assentiu com a cabeça. - Eu vou começar te mostrando o tamanho da minha língua.
A mulher riu alto, deixando que ele tirasse sua blusa, e soltou um longo suspiro cheio de expectativa quando apertou seus seios enquanto descia os lábios por sua pele. Ele mostrou um sorriso torto antes de abrir a calça jeans justa que ela vestia.

😜💙⚽

O Stamford Bridge estava completamente azul e barulhento depois da última rodada da Premier League da temporada 2016-2017. O Chelsea tinha acabado de vencer o Sunderland por um placar de 5x1 em uma partida que havia sido como uma grande festa desde o apito inicial, pois eles já eram campeões desde a penúltima rodada. Enquanto os jogadores estavam no vestiário se recompondo depois de todo o suor derramado durante os 90 minutos de jogo, um palco era montado no centro do campo para que o capitão John Terry pudesse levantar a taça mais desejada do futebol inglês.
vestia uma camisa do Chelsea com o nome de estampado nas costas que o próprio fizera questão de que ela vestisse antes de os dois saírem de casa mais cedo. Estava na arquibancada ao lado de Adriana, a esposa de César Azpilicueta, e os dois filhos pequenos do casal, uma menina e um garotinho. A espanhola, dentre as esposas dos jogadores que eram amigos mais próximos de , era com quem tinha mais contato desde que passara a ir com frequência para Londres. não era fluente em inglês, apesar de possuir um conhecimento bastante amplo do idioma, e o fato de Adriana saber um pouco de francês e ter sido bastante receptiva desde o momento em que as duas foram apresentadas havia contribuído para tal, além, é claro, de as duas serem mães e terem assunto de sobra.
Quando voltaram ao campo, os blues foram recebidos com muita euforia. Os jogadores foram apresentados um a um ao receberem suas medalhas de campeões ingleses e se encheu de orgulho quando o estádio inteiro saudou com palmas e gritos, mostrando como ele era querido por ali. Depois que o troféu foi entregue ao time, familiares e amigos foram liberados para irem até o gramado para se unirem aos jogadores na tradicional volta de honra pelo campo.
procurava por em meio à confusão de pessoas, mas sua busca se tornou desnecessária assim que foi abraçada por trás.
- Eu tô tão feliz que você tá aqui - disse a voz de próxima ao seu ouvido, a fazendo esboçar um pequeno sorriso.
Ela se soltou dos braços dele e deu meia volta para encará-lo.
- Parabéns, meu amor. Vocês mereciam esse troféu - ela falou, o abraçando com força.
- Eu sei - rebateu o outro, esnobe, e recebeu um tapa estalado no braço como resposta.
- Deixa de ser metido.
- Tô só brincando! - se defendeu, esfregando o local atingido. - Obrigado, eu não estaria aqui sem a sua ajuda.
apenas sorriu, se lembrando das tantas vezes em que passou horas conversando no telefone ou mesmo pessoalmente com o namorado e ouviu uma série de desabafos sobre o time estar indo de mal a pior. Isso no início da temporada, quando haviam acabado de trocar de técnico e o time ainda não estava entrosado o suficiente. Ela não entendia muito de futebol, mas seus anos estudando Psicologia a ajudavam a dar bons conselhos e não permitir que deixasse de acreditar no time ou em si mesmo.
Deixou que ele pressionasse as mãos em suas bochechas para beijá-la com carinho, mas foram interrompidos quando o mascote do time os envolveu com seus braços. soltou uma gargalhada enquanto era espremida entre o corpo de e a fantasia de leão, e o jogador se desvencilhou do abraço e ameaçou partir para cima do mascote, que saiu correndo. correu atrás dele e a mulher ficou apenas os assistindo com um sorriso no rosto quando ele achou uma bola perdida no campo e a jogou de um pé para o outro, driblando o mascote, antes de enfiá-la entre as pernas do rapaz.
- E aí, ? - uma voz disse, a fazendo tirar os olhos do namorado, que ria como uma criança, para encontrar os outros dois jogadores do Chelsea conterrâneos a ela.
- Oi, Thibaut. Michy - falou, sorrindo, e cumprimentou os dois com um beijo rápido na bochecha de cada um. - Parabéns pela conquista, garotos.
- Valeu - o goleiro agradeceu, piscando um olho, e voltou a seguir o fluxo de jogadores, que caminhavam pelo campo em meio às crianças que corriam e jogavam bola.
Mesmo após quase um ano se relacionando com oficialmente, ainda não se sentia completamente à vontade com Thibaut. Sabia que ele não era seu maior fã depois de tudo que ela havia feito passar ao omitir que estava se divorciando e, principalmente, que tinha uma filha. Não tirava a razão dele, se sentia envergonhada pelas péssimas decisões que havia tomado, fazendo as coisas se complicarem desnecessariamente, mas esperava que um dia os dois pudessem ser amigos.
voltou a se aproximar, dessa vez segurando a taça da Premier League, e puxou para os dois posarem para os fotógrafos que acompanhavam o momento. Em seguida, os dois se uniram aos outros na volta pelo campo para saudar e agradecer o apoio da torcida por mais uma temporada.
- É uma pena a Jade não estar aqui - disse , observando a festa que os filhos de seus companheiros de equipe faziam pela grama.
- É mesmo, ela ia adorar. Tá virando torcedora do Chelsea por sua causa - comentou, fazendo uma careta, mas sorriu ao se lembrar de como Jade vinha se apaixonando cada dia mais por futebol e não aceitava perder um jogo do Chelsea ou da Seleção . Era muito bom ver que, apesar de todos seus erros, tratava Jade como se fosse sua filha.
- Eu amo essa garota - ele falou, rindo, e abraçou a namorada de lado. - Te amo também.
- Eu também te amo - a outra rebateu e os dois sorriram um para o outro antes de trocarem um beijo estalado.

😜💙⚽

tateou o colchão e resmungou algo incompreensível ao encontrar o vazio no outro lado da cama. Abriu os olhos, se deparando com o quarto escuro, e se espreguiçou antes de se levantar completamente nua. Procurou por sua calcinha dentre o bolo de roupas jogadas no chão e vestiu a peça íntima quando a encontrou, assim como a camisa do Chelsea que usava quando chegou ao apartamento de no final da tarde, depois que os dois voltaram do estádio. Saiu do quarto em seguida e encontrou, na sala de estar, dando uma mordida generosa em um hambúrguer enquanto assistia televisão.
- Pensei que jogadores de futebol não podiam ficar comendo essas porcarias - acusou, se sentando ao lado do namorado no sofá, e não pôde evitar uma risada quando o outro a encarou com um olhar culpado.
- Eu tava morrendo de fome - ele falou de boca cheia, se defendendo.
- E não tem comida saudável nessa casa?
- Fome de hambúrguer - acrescentou o jogador, a fazendo rir. - Eu fiz um pra você também, tá lá na cozinha.
- E minha dieta vai pro espaço, né? - falou, fazendo uma careta, e recebeu um olhar incrédulo.
- Dieta pra quê?
- Pra emagrecer - respondeu com uma mistura de obviedade e incerteza.
- Pra quê? - o outro voltou a perguntar, mas não esperou por uma resposta e continuou: - Você tá gostosa, . Não precisa ficar grilada com nada disso, não.
- O Lukas nunca hesitou em falar que eu engordei depois que a Jade nasceu - a mulher comentou e riu anasaladamente.
- Que bom que eu não sou o Lukas - disse, lançando um olhar torto em sua direção, e riu levemente, um riso irônico. - Você ainda se importa com o que esse babaca pensa?
- Não, não é isso - se apressou em dizer ao ver que o namorado havia interpretado seu comentário errado. - É que você me ajuda a perceber como ele me tratava mal. Eu tinha acabado de botar a filha do cara no mundo e ele não perdia a oportunidade de dizer que eu estava gorda.
ficou em silêncio por algum tempo, terminando de comer seu hambúrguer e perdido em seus próprios pensamentos.
- O que te fez se apaixonar por ele? - questionou algum tempo depois, fazendo uma intrigada virar a cabeça para fitá-lo.
- Sei lá, , que pergunta - respondeu, franzindo o cenho. Encarou as próprias unhas e, ao refletir sobre o assunto, tentou pensar como a de 18 anos. - Acho que foi o fato de ele ser um cara culto, inteligente… Eu me identifiquei bastante com a disciplina de neuropsicologia que tive com ele, acho que isso tudo contribuiu.
meneou a cabeça, assentindo, e quase se viu perguntando o que havia a feito se apaixonar por ele, que não era um cara muito inteligente, muito menos culto, e não tinha ideia do que era neuropsicologia. No entanto, se poupou de fazer tal questionamento, pois não queria demonstrar a insegurança que sentia sempre que se comparava com Lukas, por mais que soubesse que ele era um grande babaca e nunca havia feito por merecer uma mulher como .
- Obrigada pelo apoio moral - a voz feminina disse, chamando sua atenção -, mas, na verdade, não estou seguindo uma dieta mais saudável apenas pra emagrecer. É que eu fiz alguns exames recentemente e estou com algumas coisas alteradas, preciso cuidar mais de mim. Emagrecer é só uma consequência, não o objetivo.
- Eu vou fazer um lanche pra você então - disse, esboçando um sorriso fechado, e se inclinou para beijar os lábios da namorada antes de se levantar e ir até a cozinha.
Alguns minutos depois, voltou com um sanduíche natural feito de pão integral e um copo de vitamina de banana. encarou aquela simples atitude com bastante apreço. Sabia que tinha sido sincero ao dizer que ela não precisava emagrecer, mas, o fato de ele respeitar sua decisão de ter uma alimentação mais saudável e aproveitar a deixa para tentar perder alguns quilos, era o tipo de coisa que a fazia sorrir com muita facilidade.
Quando terminou de comer, o jogador pegou o tablet que havia largado sobre a mesinha de centro mais cedo e deu alguns toques na tela antes de entregar o aparelho para ela, que o pegou com a curiosidade estampada no rosto.
- Eu fui visitar essa casa outro dia. O que você acha?
- Ué, você tá querendo se mudar daqui? - a mulher perguntou, surpresa, já que não havia dado qualquer indício de que estava planejando ir morar em outro lugar.
- Eu preciso de mais espaço pros meus troféus - ele retrucou, tentando soar sério, mas gargalhou quando a outra revirou os olhos.
- Você se acha demais, - falou, rindo. - Onde fica essa casa?
- Em Surrey, a maioria dos caras mora por lá. Morar mais perto de Cobham vai facilitar minha vida.
A outra balançou a cabeça em sinal de compreensão e, em seguida, desceu os olhos para o tablet em suas mãos e passou as fotos dos cômodos espaçosos da casa uma a uma.
- Mas não acha que é grande demais pra você morar lá sozinho? - externalizou o primeiro pensamento que passou por sua cabeça.
- Não é tão grande assim pra eu, você e Jade - pontuou, fitando os olhos de , e sentiu um frio na barriga devido à expectativa que a falta de reação por parte da namorada desencadeou.
- Você tá pensando em comprar essa casa pra que a gente venha morar com você? - perguntou após algum tempo e o outro levantou os ombros.
- Eu vim morar nesse apartamento em outra fase da minha vida. Era sozinho, só precisava de espaço pra mim e queria estar perto do centro porque aqui tem tudo o que um cara solteiro precisa. Agora, eu tenho você e a Jade, acho que preciso de mais espaço pra receber vocês. Inclusive, a Jade pode ter um quarto na casa nova com todas as coisas que ela gosta, aonde ela vai se sentir mais à vontade - explicou calmamente, sob o olhar atento da namorada. - Mas, respondendo a sua pergunta, eu gostaria que vocês viessem morar comigo, sim. Em Londres vocês duas vão ter mais oportunidades do que em . Aqui tem ótimas escolas pra Jade e você também pode voltar a estudar, aperfeiçoar seu inglês e terminar sua faculdade de Psicologia… Ou fazer qualquer outra coisa que queira.
mordeu o lábio inferior enquanto o encarava, estava totalmente sem palavras.
- Eu tenho medo de que a gente acabe se precipitando - respondeu, sincera, e soltou um longo suspiro.
- , já estamos há um tempão juntos - rebateu e riu anasaladamente. - Não acho que você vir morar comigo seja precipitado depois de tudo pelo que passamos.
- É que não depende só disso, amor - a outra disse cautelosamente. - Minha vida inteira tá em .
- O que te prende lá? Você mal tem contato com a sua família e tem um emprego que não gosta.
- Mas, ainda assim, é o meu emprego - retrucou, soando um pouco ofendida. - Pra mim, significa a minha independência, algo que eu consegui por conta própria. Não quero viver às suas custas.
- Eu só vou te dar uma força pra voltar a estudar, jamais tiraria a sua independência - o jogador disse na defensiva.
- Também tem o Lukas, . Ele vai surtar se eu, simplesmente, trouxer a Jade pra Londres.
- Ela pode visitá-lo quando quiser - ele disse, mas bufou, desistindo daquela conversa e de mostrar outras casas para a mulher, e tirou o tablet das mãos dela. - Tá bom, eu já entendi que você não quer morar comigo. Esquece isso.
Um pouco assustada, o observou se levantar do sofá e largar o aparelho de volta na mesinha de centro.
- Não quer dizer que eu nunca vá querer morar com você, só acho que ainda não é o momento. Não seja mimado, . Esse não é você.
- Eu vou tomar banho - foi o que ele disse antes de dar meia volta e sumir pelo corredor.
soltou um longo suspiro frustrado. Entendia que queria tê-la por perto e ela também queria o mesmo, mas não era tão simples assim fazer as malas e ir morar em Londres. Ela tinha uma filha com outro homem, alguém que também tinha poder de decisão em tudo que envolvesse Jade, e não achava que Lukas aceitaria aquela mudança de forma amigável. Precisava de tempo para pensar, amadurecer a ideia e fazer tudo muito bem pensado. Havia agido por impulso tantas vezes no passado e feito escolhas que haviam a feito sofrer muito, aquilo tudo a fez amadurecer e aprender a ser mais cautelosa. Precisava que entendesse seu lado também.
Depois de desligar a televisão e deixar a louça suja dentro da pia da cozinha, foi até a suíte do apartamento. Seguiu o som do chuveiro e adentrou o banheiro, onde tomava banho. Se despiu da camisa do Chelsea e da calcinha que vestia e se juntou ao namorado no box.
a encarou com olhos inexpressivos enquanto se ensaboava, mas não demonstrou ter se importado por ter seu banho invadido.
- Eu vim pra gente aproveitar um tempo juntos, não pra gente se desentender - disse, o abraçando pela cintura. - Podemos começar a conversar sobre essa ideia de morarmos juntos, não tenho nenhuma ressalva quanto a isso, só te peço que tenha um pouco de paciência.
- Tudo bem, - o outro disse, sentindo o coração amolecer como sempre acontecia quando estava diante daquela mulher.
- Não fica com essa cara - ela falou, fazendo um biquinho, e apertou a barriga do namorado. - Mostra um sorrisinho pra mim, vai.
não pôde impedir um sorriso de despontar em seu rosto, mas não disse nada. Empurrou até que as costas dela se chocassem à parede e grudou os lábios aos dela para um beijo que logo os tirou da realidade, os fazendo esquecer completamente do conflito de opiniões que haviam acabado de ter enquanto, juntos, tomavam um banho delicioso.

😜💙⚽

estava emburrado desde o dia anterior, depois da derrota para o Arsenal na final da FA Cup. Nem o título de campeão inglês conquistado uma semana antes fora capaz de tornar aquele segundo lugar menos intragável. Havia sido, oficialmente, a última partida do Chelsea da temporada e o jogador teria alguns dias livres até ter que se concentrar com a Seleção para alguns amistosos e, só então, estar de férias. Ele e decidiram passar aqueles dias de folga na cidade natal de ambos, , onde poderiam reencontrar os amigos e, principalmente, Jade. Uma semana longe da filha havia sido o suficiente para fazê-la morrer de saudade.
- Eu vou dar um pulinho na casa do Lukas pra buscar a Jade - avisou enquanto ajudava a colocar as malas para dentro da casa que o jogador tinha na cidade e onde ela e a filha estavam morando desde que haviam oficializado o namoro. Não que tivesse aceitado a oferta de primeira, mas, depois de muita insistência por parte de , acabou topando; a casa não ficaria vazia enquanto ele estivesse em Londres e, pelo menos, era um custo a menos tirado de sua renda mensal.
- Quer que eu vá com você? - o outro questionou, prestativo.
- Não precisa, vai descansar um pouquinho - ela respondeu, mostrando um sorriso fechado. Estava estampado no rosto de que ele não estava nem um pouco a fim de ter que sair de casa naquele momento, tendo acabado de chegar de viagem depois da partida difícil que tivera no dia anterior. - Até daqui a pouco.
se aproximou do namorado para beijá-lo rapidamente e, em seguida, saiu da casa, batendo a porta atrás de si.
Ao se ver sozinho, o outro carregou as malas para o andar superior e encontrou o quarto principal um pouco bagunçado, o que denunciava a correria com que havia saído de casa quando foi para Londres na semana anterior e isso o fez rir levemente. Foi até o banheiro em seguida, disposto a tomar um banho antes que chegasse de volta com Jade. Tirou a camiseta que vestia, a jogou no cesto de roupa suja e, quando abria a calça jeans para dar um destino idêntico à mesma, parou no meio da ação assim que seus olhos pousaram em uma embalagem que havia sido largada sobre a pia. Levantou as sobrancelhas, surpreso, quando, mesmo de longe, se deu conta de que se tratava de um teste de gravidez.
Ele não se conteve em dar alguns passos e pegar a caixa sobre a pia para descobrir que a mesma se encontrava vazia. Ficou a encarando por algum tempo, chocado demais para conseguir entender a confusão de pensamentos que o tomou. Estaria grávida? Ou era apenas uma desconfiança e o teste havia sido feito por precaução? Mas por que ela não comentara nada com ele? se sentia perdido e, inclusive, um pouco decepcionado. Era o tipo de coisa que ele esperava que compartilhasse com ele mesmo que fosse apenas um alarme falso.
Acabou, por fim, largando a embalagem no mesmo lugar em que a encontrou e voltou a se despir para entrar no box. Enquanto tomava um banho rápido, não pôde evitar pensar sobre como seria ter um filho ou uma filha com . Ele adorava crianças e, com certeza, receberia a notícia com muita alegria, ser pai um dia era um sonho que ele tinha desde moleque. Foi impossível não imaginar também as mudanças que isso traria para sua vida e a de e se ela, enfim, aceitaria o convite para morarem juntos em Londres, pois ele faria questão de estar por perto durante a gravidez e, principalmente, quando a criança nascesse.
Pôde ouvir vozes no andar inferior quando saiu do banho e, após colocar uma roupa confortável, desceu as escadas para encontrar e Jade vendo algo no celular da mais velha e conversando animadamente.
- Ei, baixinha - ele disse, chamando a atenção das duas, e a garotinha se virou para ele com um sorriso que ia de orelha a orelha.
- Oi, tio - falou ela, se levantando do sofá.
O jogador a cumprimentou com um abraço apertado, a tirando do chão.
- Tá ficando enorme, hein? Daqui a pouco não vou aguentar mais te pegar no colo - brincou ao soltá-la. - Senti sua falta lá em Londres.
- É que teve o aniversário do meu pai - Jade respondeu, dando de ombros. - Mamãe falou que vocês se divertiram muito no estádio.
- Ela até tirou foto com a nossa taça, acredita? - o outro disse, cruzando os braços, e sorriu para a namorada.
- Eu queria tanto ter ido - a menina murmurou, demonstrando a tristeza que sentia por ter perdido aquele momento.
- Quem sabe ano que vem, uh? - disse e a consolou com um carinho no topo da cabeça.
- Mas e se o Chelsea não for campeão? - ela perguntou, preocupada.
- Eu não acredito que ouvi isso - ele rebateu, ofendido, e estreitou os olhos. - Essa menina não tem amor à vida, .
- É sério, tio ! Como que eu vou tirar foto com a taça se o Chelsea não for campeão?
- É claro que vamos ser campeões, sua bobona - o jogador falou, mostrando a língua, e se inclinou para fazer cócegas em Jade, que soltou um gritinho e saiu correndo para perto da mãe mais uma vez.
- , tá com pique pra sair mais tarde? - questionou ao mesmo tempo que digitava algo no celular. - A Florence acabou de chamar a gente pra jantar fora com ela e o Nicolas. Disse que vai ver com a Yana e o Vincent também.
- Pode ser - ele respondeu, dando de ombros. Apesar do cansaço, estava louco para rever os amigos. - Eu posso falar com você rapidinho, ?
- Claro - ela respondeu um pouco desconfiada quando o viu apontar para a escada discretamente. Se virou para a filha e a entregou o celular. - Aqui, Jade, continua vendo as fotos. Daqui a pouco termino de te contar como foi a viagem.
- Tá bom - a garota disse, se entretendo com o aparelho, e sequer notou a troca de olhares entre os outros dois.
seguiu até o quarto e o observou fechar a porta enquanto imaginava mil e um motivos para o namorado querer conversar com ela a sós, sendo que durante toda a viagem de Londres até nada parecia fora do normal.
- Aconteceu alguma coisa? - perguntou, franzindo o cenho, e o outro respirou fundo.
- , você tá grávida?





Continua...



Nota da autora: Mais uma filha colocada no mundo! 😂
Já tem mais de um ano que planejo (e prometo) escrever essa continuação de “Honesty” e “Tous en France” (você vai conseguir entender essa daqui se não tiver lido as duas, mas, se ficar curiosa sobre o passado desses personagens, corre lá!). A ideia inicial era fazer mais uma fic curtinha dividida em poucos capítulos, mas acabou que, depois de meses pensando nessa história, achei que poderia abordar melhor tudo que pretendo se ela fosse um pouco mais longa do que as outras. Então, sim, ela será um pouco mais longa!
Espero que tenham curtido esse início! O que vocês acham? Ela tá grávida ou não? 👀
Se quiser bater um papo e saber quando o próximo capítulo estiver pra sair, é só entrar no grupo do Facebook. Até a próxima!





Nota da beta: Eu odeio a expressão “coração quentinho”, MAS MEU CORAÇÃO TÁ QUENTINHO COM A VOLTA DESSES PERSONAGENS NA MINHA VIDA 😂 😂
Estou glorificando que Bárbara finalmente nos mandou essa delícia, mas sacanagem acabar o cap assim eim. Mas vou apostar que ela não está grávida, apesar de que quero muito isso, mas só depois deles casarem e estarem com a vida certinha juntos. Enfim, manda mais Babi, quero saber se tô certa pra medir minha sorte pra Mega da Virada. Xx-A

Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.
Para saber quando essa fic vai atualizar, acompanhe aqui.


comments powered by Disqus