Última Atualização: 30/12/2018

YOUNG


O DIA ESTAVA quente em Seul e devido ao atraso para manutenção do ar condicionado, tentava se refrescar sentada perto da janela do apartamento, enquanto lia atentamente algum livro em seu Kindle, sem conseguir se concentrar totalmente, já que os barulhos dos carros na rua, que estava estranhamente movimentada naquela noite, incomodavam seus ouvidos. havia chegado em casa à cerca de meia hora, e após ter tomado banho, organizou a mesa da cozinha para ela e as duas amigas jantarem. Elas dividiam funções, e como certificou-se de lavar toda a louça da noite passada, preferiu poupar a amiga, e convenhamos, não havia problema em realizar essa atividade. Só faltava , a amiga não era de se atrasar, porém, como havia avisado às outras que chegaria um pouquinho mais tarde, ambas estavam tranquilas, e decidiram esperá-la para o jantar.
As três garotas eram amigas desde o colégio, e estudaram juntas por mais tempo, porém assim que se matriculou no mesmo colégio que elas no ensino médio, não demoraram para fazer amizade. Logo após se formarem, ingressou a faculdade de Arquitetura, tendo seu emprego garantido na empresa que estagiou antes mesmo de se formar, estudou gastronomia e se tornara chef em seu próprio restaurante — MoMo Gourmet, e iniciou na faculdade de odontologia, para poder sair de casa e viver longe de sua família que vivia a pressionando, mas logo largou tudo para seguir seu sonho de tornar-se fotógrafa, se estabelecendo em uma das melhores revistas da cidade, onde fazia cobertura de diversos eventos. As amigas moravam juntas em um apartamento próximo ao centro de Seul, eram como três irmãs, brigavam de vez em quando, porém acima de tudo se respeitavam e se amavam, resolvendo qualquer desavença em questão de pouco tempo, tornando as discussões motivos de risada posteriormente.
O dia tinha sido longo e cansativo, logo se juntou a mais nova que já se encontravam na sala a algum tempo, a primeira acabou largada no chão com algumas almofadas debaixo da cabeça, após desistir de ler qualquer coisa, e a outra no sofá. A mais nova prestava atenção enquanto lhe contava os acontecimentos do restaurante naquele dia, logo mencionou sobre seu chefe ter avisado que a chamaria no dia seguinte para conversarem sobre uma grande reforma.
— E você já sabe quem serão os clientes dessa reforma tão importante? — perguntou, debochando ao falar da importância da obra que a amiga citara e bufou enquanto dava de ombros, negando. Antes que pudesse responder de forma coerente, ouviu o barulho da chave na porta.
— Finalmente, meu umbigo está nas costas de tanta fome — choramingou quando viu a terceira entrar pela porta e riu da caçula enquanto revirava os olhos para as duas.
— A fome pode esperar — Falou animada mostrando o envelope que trazia em mãos — Depois que vocês verem o que tenho aqui vão até esquecer disso. — pulou do chão animada, subindo no sofá junto com que empurrou a maknae a provocando.
— Se comporta. — Debochou e a mais nova mostrou a língua em resposta, revirou os olhos, mas logo voltou a atenção para a fotógrafa. — Conta looogo!
— Tenho aqui nada mais, nada menos que 3 ingressos para Shinee - The Shining Special Party — Disse se abanando com os três papéis em mãos, enquanto as outras olhavam sem reação.
— Calma, isso é real?! — saltou nas mãos da amiga, roubando um ingresso e segurando perto dos olhos, como se para analisar se era verdadeiro.
— Deixa eu ver essa maravilha de perto! — fez o mesmo, com a voz esganiçada — Como você conseguiu? Ainda não abriram as vendas! — Perguntou, ignorando que abraçava e beijava seu rosto inteiro, a fazendo rir.
— Custou meio ano de salário de cada uma, mas o que a gente não faz pra ver o Shinee? — dizia, se sentindo a rainha do momento sendo bajulada pelas duas amigas. — Vai demorar um pouquinho, mas pelo menos já podemos nos programar e ficar tranquilas por ter conseguido comprar sem medo de ficar sem. Enfim, o que vamos jantar hoje? — perguntou já se sentando na mesa, enquanto as outras duas ainda olhavam bobas para os ingressos em suas mãos. — Vocês não estavam morrendo de fome?!
— E desde quando eu consigo comer com a barriga desse jeito? — fez drama e a olhou estranhando.
— Ah, não. Usa o banheiro do seu quarto! — Choramingou e a mais velha riu.
— É ansiedade, — A mais nova bufou.
— A minha tá revirando de fome — Reclamou novamente, olhou para o ingresso uma última vez e então falou pras amigas — Melhor comer tudo que eu posso, não sei se sobrevivo a esse show. — Refletiu dramaticamente, indo sentar-se ao lado da amiga na mesa.
— Então vamos comer, eu trouxe risoto de camarão para as madames — disse Julia indo até a cozinha e as três se juntaram para jantar, como de costume, mas dessa vez com a ansiedade de aguardar o tão esperado dia e uma pontinha de esperança de vê-los de pertinho dessa vez, mesmo que só uma vez e bem rapidinho.


01. HANA

A ARQUITETA ALISOU os cabelos, nervosa, prestando atenção ao que a moça ao telefone lhe dizia, finalmente seu chefe lhe contaria que reforma tão importante era essa que teria que comandar. não era inexperiente, tampouco era uma de suas primeiras obras, já fazia alguns anos desde que passara a trabalhar sozinha, comandar suas próprias obras e atender seus próprios clientes, não era atoa que havia conquistado a confiança dos seus superiores e do presidente do escritório, que confiava nela de olhos fechados.
— Já estou indo. — disse desligando o telefonema com a assistente de seu chefe, que havia pedido que ela fosse ao seu escritório para passar informações sobre o novo projeto que estariam encarregados. A moça se dirigiu confiante ao escritório do presidente, parando no caminho para conversar com um de seus estagiários e lhe passar algumas instruções para que confirmasse todas as medições de vistoria final da última obra, e trouxesse para ela após o almoço para que pudesse confirmar se todos os dados estavam dentro do projeto. Logo, chegou à porta da sala do chefe e, ao ter sua entrada autorizada pela assistente, entrou no escritório
— Bom dia, — saudou seu chefe logo que ela entrou na sala. Ele estava sentado em sua mesa com alguns papéis os quais ela julgou serem novos projetos da empresa. Sorrindo, a chamou para se aproximar — Você é a arquiteta que mais confio para entregar esse projeto, não me decepcione. São clientes novos, que queremos manter a todo custo. — entregou para a funcionária uma pasta, que assinalavam “Sr. Choi & Sr. Lee”, a moça abriu a pasta analisando os dados dos clientes, deixando-a interessada, adorando a idéia de pela primeira vez trabalhar com clientes homossexuais, achava lindo o fato de se assumirem dentro de uma sociedade tão fechada quanto a coreana.
— Parece ser uma reforma grande. — analisava os documentos e dados de metragem quadrada e localização da residência, atenta à cada uma das informações. — Quando começo? — Questionou, vendo que havia muito a se fazer dentro do prazo estabelecido, percebendo que teria até mesmo que criar o Programa de Necessidades* dos clientes, antes de poder enfim começar o projeto.
— Tem uma visita inicial marcada para as duas horas. Você já sabe como funciona. — A moça assentiu e se retirou da sala para estudar um pouco sobre o projeto e os clientes, de acordo com o que tinham informado na ficha, fez algumas anotações e preparou a documentação para levar a entrevista inicial, já colocando dentro da bolsa, pois iria direto do restaurante da amiga.
Ao dar o horário de seu almoço, pegou sua bolsa e dirigiu até o MoMo Gourmet, onde encontrou as amigas para almoçar. Sempre que as três podiam almoçavam e jantavam juntas, não era uma regra, mas era algo que gostavam de fazer, e quando uma não podia encontrar as outras, enviava uma mensagem no grupo Dazzlings*, onde passavam parte do dia se comunicando.
O trio era como irmãs de mães diferentes, e se amavam, muitas vezes viam aquilo mais como uma família do que a família da qual vieram, encontraram umas nas outras um lar e mesmo que às vezes brigassem e implicassem entre si, não saberiam viver sem qualquer uma delas.
Ao entrar no restaurante, a mais nova logo encontrou as outras duas na mesa habitual, sempre almoçavam um pouco mais tarde, de forma que o restaurante estava relativamente mais vazio, fazendo com que não tivesse problemas em deixar a cozinha nas mãos do souschef*.
— Eu estou morrendo de fome — Reclamou, se sentando.
— Novidade. — Murmurou e riu.
— Já pedimos pra você. — A mais velha respondeu e sorriu pra ela. sempre cuidava delas de uma forma extremamente maternal, e ambas cultivavam um carinho grande pela mais velha, apesar de sempre a provocar com isso.
Enquanto era sempre a mais brincalhona e de certa forma “infantil” do grupo, tomando o lugar que era seu de maknae, odiava demonstrar seus sentimentos e sempre guardava tudo dentro de si, pois não queria preocupar as amigas com coisas bobas; era extremamente falante e estava sempre espalhando amor, cuidava das amigas como uma mãe cuidava de seus filhotes, adorava fazer um drama e provocar a mais nova - farpa trocada, já que a outra não ficava para trás - todos sempre se encantavam por seu jeitinho delicado e gentil. E para fechar, era o ponto de paz e equilíbrio do trio, era a combinação perfeita dos dois opostos que as amigas formavam, e para ela, mais do que para as outras, as amigas eram sua família de verdade no mundo, que lhe apoiavam e estavam sempre ao seu lado quando ela precisava.
O trio começa a conversar então, sobre assuntos aleatórios que nunca lhes faltava, e a mais nova conta, toda animada, sobre o projeto que havia para qual seu chefe a encaminhara:
— Nem acredito que vou fazer parte disso, vocês têm noção? Além de tudo meu chefe disse que só confia em mim para o projeto, estou sentindo a pressão, apesar de não ser a mais antiga do escritório estou sentindo que ele vêm colocando muita confiança em mim. — respirou fundo, bebendo mais um gole de seu vinho, sem conseguir tirar aquilo da cabeça.
— Ai, amiga, ele confia em você porque você é totalmente capaz e talentosa — Julia disse começando servir mais um pouco de vinho nas taças das três. — Com certeza , você é competente, relaxa. — disse erguendo sua taça, propondo um brinde — Vamos, um brinde ao seu novo projeto e muitos outros que estão por vir! Sucesso pra nós três! — As taças soaram ao se encontrar e o visor do celular de se acendeu lembrando a da visita aos clientes.
— Come devagar, garota, já disse que isso faz mal — Julia ralhou e mostrou a língua, fazendo revirar os olhos, terminou de raspar os últimos resquícios da massa que a chef pedira e levantou-se.
— Beijo, beijo, passo para buscar vocês mais tarde — Avisou mandando beijinhos no ar para as duas, trabalhava em uma revista a apenas duas quadras do restaurante, então acabava ficando com o carro mais vezes, pois trabalhava a uma distância maior e muitas vezes tinha que rodar por Seoul para ir a diversas obras, na maior parte dos dias, simplesmente passava para pegar as meninas para que pudessem ir pra casa, exceto nas quartas feiras onde jantavam no restaurante na companhia de um belo vinho.
Estacionou o carro na vaga em frente ao endereço que recebera e desceu, bateu na porta e foi recebida por um homem nos seus 40 anos, alto com cabelos escuros.
— Boa tarde, a senhorita deve ser a arquiteta designada ao projeto não é mesmo? — disse o homem, esticando a mão para cumprimentar a garota, que correspondeu — , certo? — perguntou, fazendo com que ela assentisse com um sorriso simpático e o moço correspondeu, cerrou os olhos, com uma sensação de que o conhecia de algum lugar, mas tentou não se prender a isso e se concentrar em seu trabalho.
— E o senhor é o Sr. Lee ou Choi? — a garota questionou com a pasta em mãos, já pronta para escrever em suas anotações quem havia à recebido na obra, já que gostava de ter todos suas informações detalhadamente organizadas.
— Nenhum dos dois — riu simpático — Me chamo Gyeongshik — se apresentou, dando espaço para que a mulher entrasse na casa — Sou manager dos proprietários da casa, como estão um pouco ocupados, pediram para que eu a recebesse e passasse alguns detalhes, mas logo devem estar chegando para poderem te explicar melhor como querem tudo.
— Tudo bem… — apenas concordou, sentindo que também já ouvira seu nome em algum lugar, mas novamente não teve tempo de pensar muito já que o homem não parava de falar mostrando toda a casa para ela — Vocês já encaixotaram tudo, isso realmente vai adiantar o trabalho. — Ela elogiou sorrindo novamente.
— Ah sim, tentamos adiantar ao máximo todo o trabalho, porque os garotos não queriam algo demorado, já que vão voltar aos palcos agora em Setembro e... — antes que ele conseguisse terminar de falar, é interrompido pelo som da porta de entrada batendo.
— Estou em casa — A voz masculina soou no ambiente, nas costas da Arquiteta.
Assim que virou o rosto na direção da voz, foi como se o mundo estivesse girando tão rápido que ela se encontrara sem eixo. Aquele definitivamente não era um cara qualquer, como estava esperando, mas sim Choi Minho, integrante do seu grupo musical favorito. E se ele era o senhor Choi, seria Lee Taemin ou Onew?
Sua cabeça girava em mil perguntas diferentes, tentando entender desde como fora escolhida para aquele projeto até qual coisa esplêndida fizera em sua vida para o carma lhe recompensar de tal forma.
só voltou à realidade quando os homens da sala ficaram lhe encarando, Gyeongshik com uma expressão preocupada no rosto - como se esperasse que ela fosse surtar a qualquer momento - e o mais novo com um semblante risonho, a fazendo ficar levemente corada de vergonha por ter paralisado daquela forma na frente deles.
— Me desculpem, não fui informada sobre os donos da casa, assumo que fiquei surpresa quando o vi — sorriu sem graça para Minho que sorriu de volta, já estava acostumado com tais reações vindas de outras pessoas, inclusive, estava acostumado com reações muito maiores e mais extremas e já havia se preparado para isso. Querendo ou não, era um idol coreano, conhecido.
então voltou à realidade, ralhou consigo mesma e respirou fundo para se concentrar, estava trabalhando e como prometera ao seu chefe, iria se dedicar ao máximo, não poderia deixar suas emoções de fã falar mais alto naquele momento. — Bom, voltando a falar da reforma, seu manager me passou algumas informações, Choi-ssi, mas gostaria de saber se tem algo a acrescentar, preferências, detalhes que ele não passou…
— Primeiro, pode me chamar de Minho mesmo, acho que não sou muito mais velho que você — disse de forma brincalhona, o que a deixou um pouco corada — E eu tive ideias para a área externa, mas gostaria da sua opinião, porque obviamente, não entendo muito disso e pode ser que não fique bom.
— Okay, Minho, acho que posso me acostumar com isso — brincou também, não querendo que o clima se tornasse estranho apenas por estar na frente de um de seus maiores ídolos — Vamos lá, me mostre o que você pensou. — seguiu o mais velho até a área externa da obra, sendo informada por ele de algumas idéias sobre um espaço gourmet, piscina com borda infinita e um mini playground que ele disse que era imprescindível, já que sempre recebia filhos pequenos de amigos, principalmente Sian, de Lee Dong Gook. A garota ria mentalmente, lembrando do quanto ela e as amigas surtavam com a fofura das diversas fotos de MinHo com a criança, mas com todo seu profissionalismo não transpareceu sua inquietude interna.
— Ótimas ideias, porém a borda infinita temos que avaliar por causa do terreno, mas vamos fazer o possível — disse simpática, anotando tudo que Choi falava, porém foi interrompida por uma voz grave surgindo por detrás dela, não se surpreendendo com quem avistou, já tinha um conhecimento prévio de que os amigos provavelmente moravam juntos.
— Boa tarde, você que é a arquiteta que está comandando nossa reforma? — o homem que acabara de chegar pergunta diretamente à ela, analisando a garota de cima a baixo, levemente confuso por achá-la um pouco jovem para o trabalho, mas não questionou, assim que ela assentiu, respondendo sua pergunta, logo tratou de se apresentar — Prazer, sou Lee Jinki, o outro proprietário da casa. — estendeu sua mão à ela, que correspondeu de prontidão.
— Prazer, sou , vou sim cuidar da reforma de vocês e foi bom que você tenha chegado, estava discutindo alguns detalhes com Sr. Choi…
— Minho — Choi a interrompeu.
— Minho, isso — consertou sua fala, um pouco tímida e desajeitada, tentaria se acostumar com essa proximidade, jurou pra si mesma que faria um esforço, eram seus ídolos, meu Deus, a garota gritava muito internamente a cada suspiro dos dois homens ao seu lado — e sua opinião pode nos ajudar bastante — completou com um sorriso para os donos da casa.
Era possível ver de longe os olhos de brilhando pelo simples fato de ambos estarem parados à sua frente. A garota estava tentando ao máximo deixar de lado seu fanatismo, e agir totalmente profissional, porém, suas reações eram impossíveis de serem controladas, ela não conseguia evitar, como, seu coração acelerado, suas mãos suando e o brilho em seus olhos a cada fala deles.
— Pode me chamar de Onew ou Jinki se preferir, sem tratamentos formais, por favor. — Onew disse pegando três garrafas de suco de laranja de uma sacola que trazia — Trouxe para vocês, passei no mercado a caminho daqui . — sorriu entregando para os outros dois, que o agradeceram. Não tinha como estar mais encantada e com sua idolatria mais alimentada. Além de maravilhosos e talentosos, seus ídolos eram educados, gentis… perfeitos, isso, perfeitos era a definição que ela encontrou para descrevê-los.
Os dois homens a levaram para um tour na casa, comentando o que desejavam em cada cômodo e a arquiteta anotava tudo, já avisando o que poderia ou não dar certo e discutiam mudanças que poderiam fazer, caso o que quisessem não fosse possível de ser realizado.
Estavam no que disseram ser o quarto de Onew, e conversavam sobre alguns detalhes destinadas aquele cômodo, quando MinHo recebeu uma ligação, fazendo um sinal para que o amigo o acompanhasse e para de que a mesma poderia esperar ali mesmo. Com essa deixa, aguardou ouvir os passos dos homens pela escada e se certificando de que estavam longe, logo pegou seu celular e rapidamente abriu o grupo com as amigas “Dazzling Girls” e iniciou uma vídeo chamada, agradecendo mentalmente pelo fato das mesmas terem atendido rápido.
— Adivinhem aonde eu estou! — disse em meio a cochichos, tomando cuidado para não ser ouvida. Causou certo estranhamento por parte das amigas que olharam confusas e, de certa forma, preocupadas.
— Ué, você está na sua obra, não? — disse como se aquilo fosse óbvio, claro, a amiga havia saído a pouco mais de duas horas com esse destino, onde mais poderia estar?
— Ai meu Deus, você não foi raptada né, ? Tá tudo bem? Por que você tá falando baixinho assim? — Preocupada lançou uma pergunta atrás da outra, já mostrando que se levantou de onde estava sentada editando algumas fotos do último evento que havia comparecido.
— Shiiu. — disse fazendo sinal para que as mesmas logo se calassem e lhe dessem atenção. Deu dois cliques na tela de seu smartphone, virando a imagem para a câmera traseira, filmou todo o cômodo em que estava e, por fim, focou a imagem na pasta que segurava com os nomes de seus atuais clientes “Sr. Lee & Sr. Choi”. — MENINAS EU TO NO QUARTO DO JINKI! — contou finalmente, perdendo um pouco a noção do volume de sua voz, mas logo se recompondo, e caminhando até a porta do quarto, constatando que ainda estava sozinha.
— O QUE? — ouviu em uníssono as duas amigas se espantarem. que antes estava aparentemente cozinhando algo, se mostrou apressada em retirar o avental que usava por cima do dólmã, passando alguma informação para que um funcionário continuasse o que ela estava fazendo, e , que já havia se espantado com a primeira frase de na conversa, agora andava apressada até a cozinha pegando um copo de água.
— Os clientes importantes eram eles, vocês não fazendo i-de-ia do quanto eles são simpáticos e… — começava a dizer, explicando para as amigas porém ouvir algumas vozes e passos subindo as escadas, fazendo com que a mesma se calasse instantaneamente.
— Ai meu Deus, , você tá ouvindo a voz deles? — dizia contendo um surto, enquanto apenas balançava a cabeça concordando, boquiaberta.
— Preciso desligar — alertou segundos antes de apertar para encerrar a chamada, posicionando o celular de maneira que fingiu estar registrando fotos do cômodo.
— Você estava conversando com alguém? — MinHo questionou sorrindo, retornando ao quarto com Jinki ao seu lado.
— Eu? — apontou para si mesma, balançando a cabeça negativamente — Ah sim, eu gravo alguns áudios e mando pra mim mesma, sobre alguns detalhes que eu preciso saber sobre a reforma. — Apontou para o celular, explicando para os dois homens que a olhavam atentamente. — Até te mostraria, mas são apenas dados técnicos. — sorriu amarelo, tendo certeza que haviam comprado sua mentira, já que ambos concordaram com a garota.
— Nós temos um ensaio com o grupo agora, precisamos nos retirar, mas pode ficar à vontade, faça o que precisar — Onew disse, caminhando na direção de , apertando a mão da garota. Que internamente gritava “ENSAIO? ME CHAMA, EU QUERO”, porém se conteve em concordar e sorrir, extendeu sua mão, apertando as mãos de ambos.
— Qualquer coisa pode ligar para Gyeongshik, ele soluciona suas dúvidas ou entra em contato conosco — MinHo finalizou, antes dos dois agradecerem e elogiarem a arquiteta, que também agradeceu pela confiança, e enfim se despediram.

A MOÇA TAMBÉM não se demorou muito e logo se retirou da casa dos ídolos, claro, que não antes de tirar uma selfie no quarto de Jinki, a qual mostraria para , já que ele era seu preferido do grupo e surtaria. Já no carro, encaixou o celular no suporte e ligou de vídeo chamada para as amigas novamente, podendo agora surtarem juntas de maneira decente, ou não, depende do ponto de vista.
— Eu to saindo de lá agora. — Falou assim que as amigas atenderam, como se fosse uma bandeira branca de surto, dando partida no carro e saindo do condomínio dos ídolos.
— Você não está brincando com a nossa cara, né, ? — A mais velha ralhou em um tom choroso, como se dissesse que aquilo não era assunto para brincadeiras e a arquiteta sabia bem disso.
— Eu não estou. — Suspirou. — Eles são tão lindos… e perfeitos… e simpáticos — Falou em tom pausado, com a voz que as amigas chamavam de “miado” que nada mais era do que uma voz fraca de tanto amor.
ELES SÃO CHEIROSOS? — foi a primeira a iniciar o surto, não sabia como a amiga estava tão calma, talvez a ficha ainda não tivesse caído, a pergunta não causou espanto nas outras, que a acharam extremamente plausível e de tamanha importância, com certeza seria uma das primeiras coisas que perguntariam também.
— MUITO! O MinHo usa um perfume meio amadeirado e o Jinki um mais cítrico — respondeu, colocando a mão no queixo, se lembrando bem dos aromas, por fim soltou um suspiro, ao mesmo tempo em que lembrava de ligar a seta para a esquerda. — Eles são perfeitos! Simpáticos, maravilhosos, gentis…
— CONTA DO JINKI, ANDA — interrompeu a amiga, se mostrando atenta, esperando que respondesse ao seu questionamento.
— Ele trouxe suco de laranja pra gente, um fofo e atencioso. Aí meninas queria que vocês pudessem estar comigo. — disse parando no farol, e aproveitou para guardar as documentações da obra no porta luvas do carro.
— E VOCÊ GUARDOU A GARRAFINHA NÉ? — perguntou, e mostrou a garrafa na câmera, fazendo uma feição de que era óbvio que teria sim guardado, suspirou tranquila.
— MEU DEUS, ! VOCÊ TÁ VIVA? — se exaltou, e as três riram nervosas, aquilo tudo parecia um sonho. — Conta como foi! Anda! Quero detalhes.
— Eu não sei se estou viva — disse rindo, tomando um gole de seu suco de laranja, recebendo suspiros das amigas do outro lado da ligação — Eu acho que a ficha não caiu ainda, to meio aérea, parece que foi um sonho. Eu cheguei lá e fui recebida pelo Manager deles. Mas logo o MinHo chegou — disse, sendo constantemente interrompida por reações como “Ai meu Deus”, “Puta merda”, vindo das amigas. — Me explicou algumas coisas da reforma. AAAA, VOCÊS NÃO ACREDITAM, ELE QUER FAZER UM PLAYGROUND PRO SIAN — e as três de derreteram e soltaram um “Awwwwwn” em conjunto, seguido de um suspiro.
olhou no painel do carro e percebeu que já era tarde, não percebera que passara tanto tempo na casa dos meninos, mal vira o tempo passar e já estava ansiosa para finalmente começar a obra.
, tô chegando na revista, se quiser descer pra portaria, estou a uns dois minutos daí. Eu vou desligar, chegando no MoMo a gente surta mais. — Encerrou a conversa, mandando um beijo pras amigas e desligando o celular.
Após desligar a chamada, uma vaga lembrança de uma certa pessoa passou por sua mente, e não pôde conter uma lágrima que formou em seus olhos, “era para ele estar fazendo parte disso tudo também, podia ter sido ele”, sorriu tristemente, controlando-se para que as lágrimas não caíssem, as recordações ainda mexiam consigo, balançou a cabeça para afastar tais pensamentos e estacionou em frente a portaria do prédio em que a amiga trabalhava, com os pensamentos ainda a mil sobre o dia que tivera e preparando o coração para os que viriam.

ALGUNS MESES SE passaram desde o início das reformas e com isso a intimidade de com os dois idols foi crescendo. Em nenhum momento deixaram de ser profissionais, principalmente ela, que tinha seu emprego e nome em jogo, mas como passavam um certo tempo juntos, ficarem próximos foi inevitável.
Fazia um dia muito quente em Seul, a reforma da casa estava uma loucura, por estarem finalizando a parte interna, havia móveis novos a serem colocados nos devidos lugares por todo canto, onde os cômodos estavam sendo finalizados, enquanto em muitos outros ainda eram realizados o assentamento dos revestimentos, se arrependeu por decidir já mobiliar os cômodos finalizados, pois a falta de espaço estava confundindo os funcionários que acabavam confundindo tudo.
avistou um funcionário com um quadro na mão, indo direto para o quarto de Jinki, fechou fortemente os olhos, sentindo-se cansada, não era possível que ele não tinha visto a etiqueta indicando o local que o objeto deveria ser colocado. As horas gastas tentando organizar tudo da melhor maneira, para que ficasse mais prático e fácil o trabalho, foram em vão, o tempo que passou explicando aos funcionários o sistema de organização que tinha montado, não serviu muito. Era essa a impressão que ela tinha, mas precisava de paciência, contou até 10, respirou fundo, expelindo o ar com força pela boca, indo em direção ao homem:
— Ei, não, por favor! — disse caminhando apressada até um de seus ajudantes — Esse quadro não é o da sala, o do quarto é o que está embalado com um escrito “QUARTO DO ONEW” — tentava não soar grosseira com os funcionários terceirizados que a empresa contratou, porém não conseguia compreender a dificuldade que eles encontravam em certas situações.
— Não assuste os funcionários, bossy* — A arquiteta ouviu a voz de MinHo, não sabia de onde ele havia surgido, porém virou-se e sorriu para o rapaz, ainda não havia se acostumado totalmente com o fato de encontrar eles com certa frequência, os surtos ainda eram presentes dentro de si, claro. A garota sorriu para ele, enquanto roubava de suas mãos uma garrafa fechada de suco gelado, que julgou ser para ela, já que ele tinha duas em mãos.
— Obrigada pelo suco — sorriu abrindo o mesmo e bebendo uma grande golada, estava ansiando por algo que a refrescasse, e a bebida caiu como uma luva. Checou se seu funcionário estava agora abrindo o quadro certo, e após o mesmo olhá-la pedindo aprovação, fez um sinal de “certo” com o polegar, finalmente virando para Choi — Vou deixar colocarem o quadro com a foto do Onew no seu quarto, então, vai ficar uma graça. — Ouvindo um resmungo “Aish”* de insatisfação vindo de Minho, bebendo o líquido da garrafa que ainda estava em suas mãos. — Olha, não precisa morrer de saudades da melhor arquiteta que vocês poderiam ter contratado okay? Estou adiantando tudo por causa do feriado, não vai comprometer o prazo.
— Feriado? — Minho perguntou para a mulher, realmente não se recordando, era tanto trabalho e tanto cansaço que às vezes ele nem se tocava de qual mês/dia da semana estavam. Sem contar pelo fato de que, a vida de integrante de um grupo famoso nacionalmente tinha seus “contras”, geralmente trabalhavam independente de ser recesso ou não. — Ah sim, o Dia da Libertação*, tinha me esquecido completamente.
— Vai ser um pouco triste ter a casa tão quieta — Onew chegou de repente, entrando na conversa, o que surpreendeu os outros dois — Desculpa, acabei ouvindo o que vocês falavam — coçou a nuca e sorriu de forma sem graça — Vamos sentir falta de você e das suas broncas.
— Meu Deus, mas vocês invocaram que eu sou briguenta! — Resmungou a arquiteta, aproveitando da deixa para olhar o funcionário atrás dos meninos — E até parece que vão sentir minha falta! — riu de forma sarcástica, como se se eles fossem sentir falta dela, com a vida corrida que tinham, cheia de compromisso, iam ficar lembrando da mera arquiteta que estava reformando a casa deles?
— Pra provar que vamos ficar com saudades, por que você não aparece em um show especial que vamos realizar agora em setembro? — Minho olhou para Onew pedindo aprovação para a ideia que teve, que foi consentida de imediato pelo mesmo, com um aceno de cabeça e um leve sorriso nos lábios rosados e volumosos — O que acha? Você pode levar suas amigas também, as que você mencionou que mora junto.
A mulher ficou um pouco pensativa, pois a amiga já tinha conseguido comprar os ingressos para o show e só podia ser o mesmo, o Shinee não estava em época de turnê. À espera pela resposta estava deixando os dois outros intrigados e confusos, com receio de terem ultrapassado os limites, então logo uma ideia incrível veio em sua mente a deixando animada.
— Olha, sei que não tenho intimidade suficiente com vocês para pedir isso — fez uma pausa misteriosa, mordendo o lábio inferior, indecisa, fazendo com o que os homens a olhassem atentos — Acontece que uma das minhas amigas é fotógrafa, ela trabalha em uma revista e vai fazer cobertura da estreia do seu novo filme, Minho, tenho certeza que ela ficaria muito feliz se pudesse ter algum privilégio, alguma foto exclusiva, para poder ajudar a alavancar a carreira dela. Eu não sei se é pedir muito e se fui indelicada, me desculpem, mas se você puder trocar os ingressos do show para uma exclusiva, eu ficaria super grata. — Os rapazes a olharam confusos, estranhando a atitude e sem saber se tinham feito errado em oferecer os ingressos do show. Mas logo Minho sorriu e respondeu:
— Posso sim, acho que não tem problema nenhum, só me passa os dados dela para eu deixar avisado com os organizadores do evento.
Com o fim da fala de Minho, fica tão empolgada que acaba abraçando os dois ao mesmo tempo em forma de agradecimento.
— Muito obrigada, de verdade, ela vai ficar super feliz. Agora me dêem licença que ela não pode esperar para ouvir essa novidade. — com isso ela sai de perto deles praticamente pulando de felicidade, já tirando o celular do bolso, discando o número da amiga.
Assim que atendeu, já deu um gritinho no telefone, assustando a garota do outro lado da linha, que estava equilibrando o celular entre a cabeça e o ombro para poder editar as fotos do último ensaio fotográfico enquanto atendia o telefonema.
— Meu Deus, o que foi isso? Aconteceu alguma coisa? Você tá bem ? — perguntou preocupada por causa da reação da outra.
— Está preparada para me amar para o resto da sua vida?
— Lá vem, estou até com medo. — deu uma risadinha de nervoso — Fala logo, senão vou morrer de curiosidade!
— Sabe aquela cobertura que você vai fazer da estreia do novo filme do Minho? — a outra respondeu com um “uhum”, um pouco desconcentrada no assunto, por estar mexendo no computador ao mesmo tempo — Parabéns, melhor fotógrafa do mundo, você acaba de ganhar fotos exclusivas com Choi Minho.
A cabeça de girou com a informação, os pensamentos rolavam a mil com a oportunidade, seria incrível algo assim para sua carreira. Naquele momento não sabia se amava a amiga ou se surtava e chorava, mas sabia que aquela premiere seria incrível.
*Programa de Necessidades: Conjunto de necessidades de uma obra, um programa de necessidades costuma ter uma lista com nome dos ambientes e espaços da construção, além das suas características, como tamanho, requisitos, observações e etc.
*Dazzlings: Da música Dazzling Girl do Shinee, que em tradução para português significa Garota Deslumbrante.
* Souschef: O sous chef de cuisine, ou sub-chef, é o segundo em comando em uma cozinha profissional, logo abaixo do chef, responde diretamente ao chef, mas também tem alguma autoridade sobre o resto do staff de cozinha, a chamada “brigada”. Se o chef não está presente no momento, é o sous chef quem assume o comando da cozinha e é esperado que o staff tenha por ele/ela o mesmo respeito que eles teriam pelo chef.
*Bossy: Expressão em inglês para designar uma pessoa “mandona, autoritária”, porém de uma maneira não agressiva.
*Aish: É uma expressão informal coreana usada para demonstrar descontentamento com algo. No Brasil, o utilizamos como o “aff”.
*Dia da Libertação: Comemora-se a libertação da Coreia do Sul, pelos aliados durante a II Guerra Mundial. No dia 15 de agosto de 1945 foi finalizado o período de 35 anos de colonização japonesa. Três anos depois, nessa mesma data, foi proclamada a República da Coreia.


Continua...



N/A Ju D.: Não poderia estar mais feliz em escrever essa fanfic com minhas duas luzinhas azuis que a vida colocou no meu caminho. As duas responsáveis por me apresentar direito esse grupo maravilhoso que eu me apaixono cada dia mais. Quando a Larys surgiu com a ideia, logo acatamos e decidimos escrever essa long, tentando mostrar cada um dos personagens com seu jeitinho, abordando alguns pontos importantes da vida, bons e ruins, não só as maravilhas. Espero que gostem e surtem com a gente a cada capítulo, porque é o que mais fazemos escrevendo: surtar.

N/A Minra: Não sei nem expressar o tamanho da minha felicidade com essa fic, primeiro por ser escrita com meus amores, o SHINee, um grupo que em tão pouco tempo roubou todo meu coração, e segundo por estar escrevendo com as duas pessoas que mudaram minha vida esse ano e me mostraram o verdadeiro significado de amizade! Quando a Larys apareceu com esse plot tão incrível e nos convidou para escrever com ela, quase morri de emoção, só que ao mesmo tempo fiquei super insegura de não conseguir, mas elas me ajudam muito, estou sempre aprendendo com as duas (obrigada por tudo ❤️). Espero muito que amem a fic, assim como nós amamos escrever!! 😘

N/A L. Borges: Gente do céu, essa é minha primeira longfic e to muito nervosa real e ansiosa pra tudo dar certo. Como 99% das fics que eu escrevo esse plot surgiu num surto maluco, o que rendeu muitos áudios no nosso grupinho do whats e depois de um dia inteiro de surto e divagação, embarcamos com tudo nessa história e deixamos rolar. Essa fic é bem importante pra mim, estou amando escrever ela com tanta força que só quero gritar e prender todo mundo de frente pro computador pra ler. Queria agradecer as minhas luzinhas azuis por embarcarem nessa comigo (e em toda roubada que eu proponho haha amo vocês demais!), não podemos esquecer também a Maria, nossa helper maravilhosa que nos deu o maior incentivo helper a escrever essa fic e as nossas meninas Mayh e Vicky! Enfim, é isso. Esperamos que gostem e vemos vocês na próxima atualização ❤️ AH, COMENTEM!


comments powered by Disqus