Contador:
Postada em: 06/06/2020

Capítulo Único

Meu nome é , sou filha de brasileira com um americano, meus pais se conhecerem no Brasil, quando meu pai veio a trabalho e acabou conhecendo minha mãe, mas isso é algo para outro momento.
Hoje eu vim contar para vocês como me tornei a primeira mulher a jogar pelo time principal masculino do Barcelona. Minha mãe sempre disse que nasci com o futebol no sangue, que desde que me entendo por gente eu jogo futebol. Aos 7 anos meus pais me matricularam em uma escolinha de futebol chamada Julia Machado Futebol Clube, após isso eu me dediquei aos estudos e futebol integralmente.
Aos quinze anos eu entrei no time de base dos Santos, ali eu me desenvolvi e aprendi muito no futebol, mas com dezessete anos tive que sair e deixar as Sereias da Vila, meu pai foi transferido do emprego aqui do Brasil para a Espanha, mais precisamente Barcelona. Ao chegar, a primeira coisa que procurei saber foi sobre o futebol feminino e assim que abriram os testes lá estava eu para entrar no time feminino do Barcelona.

No começo foi difícil me acostumar ao idioma, mas aos poucos fui me adaptando, quando completei dezenove anos já havia conquistado com o time a Liga espanhola feminina e a copa de la reina. Quando completei vinte e um anos a FIFA anunciou um projeto que vinha sendo discutido há uns três anos sobre homens e mulheres poderem formar um time misto, a FIFA queria clubes voluntários para aderirem o projeto, três clubes do profissional masculino abraçaram a causa e bom eu não poderia perder a oportunidade.
O Barcelona, Paris Saint-Germain e Real Madrid iniciaram os testes, eu fiz o do Real Madrid e o do Barcelona, mas o Real Madrid me recusou no mesmo dia, mas eu sabia que quando o vi no campo ele mudaria minha vida em algum momento, mas naquele dia eu não fazia ideia disso, já o Barcelona mesmo após uma semana eu não havia recebido resposta, então implorei para os meus pais deixarem eu ir para a França para o teste do PSG, fui fazer o teste e na mesma hora me recusaram, dois dias depois o Barcelona me liga dizendo que querem outro teste comigo e que o novo técnico Ernesto Valverde queria me ver jogar pessoalmente, eu surtei, fiquei supre nervosa, mas no dia combinado eu estava lá com minha mãe, para o novo teste.

Flashback On
? – Um homem acenou. – Sou Lorenzo, conversamos por telefone.
– Oi Lorenzo, essa é minha mãe Melissa.
– Prazer em conhece-las, vou te levar no vestiário e depois para o campo. – Disse Lorenzo.

Quando sai do vestiário já devidamente vestida, Lorenzo conversava com um homem.

esse é Maxwell, ele é o preparador físico do time.
– Oi é um prazer te conhecer. – Apertei a mão dele.
– Eu te conheço, você é a Fischer, joga no feminino, estou certo? Já ouvi coisas ótimas sobre você.
– Fico feliz em saber disso. – Sorri.

Assim que adentramos o campo, os olhares se voltaram para mim, minha mãe me desejou sorte e se sentou na arquibancada.

– Ernesto essa é a . – Disse Maxwell.
– Pontual, já gostei. – Disse o treinador. – Você vai treinar com o time e depois no final faremos um jogo entre vocês.
– Tudo bem. –Disse e vi que minhas mãos estavam geladas de nervosismo.
– Pessoal essa é a , hoje ela irá treinar conosco. – Ernesto disse e eu acenei para os rapazes. – Agora anda, vão se aquecer.
Flashback Off

Aquele dia foi pesado, o que mais gostei foi que fui tratada de igual pra igual com todos, no final do dia Ernesto disse que eu precisava melhorar em alguns pontos, mas nada que os treinos não pudessem resolver e era isso, eu estava oficialmente no time principal do Barcelona, depois daquele dia tudo mudou.

"É oficial, Barcelona contrata Moraes Fischer para o profissional masculino."


"Em primeiro jogo oficial Fischer recebe vaia de parte da torcida."


"Ela está quebrando barreiras e isso é incrível. Sabemos o nível que o jogador precisa estar para entrar no Barcelona, se ela está ali é porque tem esse nível. - Diz torcedor sobre Fischer."


As reações sobre uma mulher em um time completo de homens eram diversas, é complicado, mas estou aprendo a lidar com o preconceito e tento na me abalar. Finalmente chegamos no momento que está para acontecer, estou no túnel pronta para entrar em campo, para a minha primeira final de Champions League em casa.
– Nervosa? – Perguntou Messi.
– Surtando internamente. – Ri acompanhada dele.
– Respira fundo e quando entrarmos em campo você foca no jogo que todo o resto some. –Sorriu.
– Obrigada Lio, você sempre me acalma.
– Eu tento. –Sorriu. – Melhores amigos servem para isso
Desde que entrei no time Lionel me ajudou muito, nos tornamos próximos, como ele mesmo acabou de dizer melhores amigos. O hino da Champions League terminou e cumprimentamos os adversários do Paris Saint-Germain, que também tinha uma mulher no time.
O jogo ia começar, estávamos jogando em casa a torcida maior era nossa e o peso de ganhar também. O PSG estava com a marcação forte em cima da gente, só tínhamos feito um chute a gol em vinte e cinco minutos de jogo, eu não conseguia me movimentar, sempre que encostava na bola vinham três jogadores do time adversário em cima de mim, já havia sofrido mais de sete faltas e estava começando a me irritar.
Iniesta tocou para mim, mandei pra Coutinho que driblou o adversário e viu Messi passando, ele recebeu a bola, eu estava livre e recebi a bola de Messi, segundos depois dois jogadores do PSG me derrubaram perto da área do goleiro deles, levantei irritada e fui na direção deles.

– Se quer me quebrar, fala logo. – Disse irritada. – Se não saber jogar igual gente, sai do campo.
– Tá louca? Você que não aguenta uma pancada e fica aí chorando. –Ele veio para cima de mim e então Messi e Iniesta entraram no meio e Piqué me puxou.
– Se acalma . – Ele disse.
– Eu estou calma. – Disse vendo o juiz vir em minha direção.
– Fischer, mais uma e você tá fora.
– Eu? O cavalo ali que deveria sair. – Mostrei o sangue no meio meião e baixei o mesmo, ele viu o sangue e a pele arrancada com a trava da chuteira do jogador do PSG.
– Sai do campo e troca isso aí, só entra quando o sangramento parar. – Disse o juiz e eu sai em direção ao banco.
– Você está bem? – Perguntou Ernesto.
– Estou, só está ardendo um pouco. – Disse sentando na beira do gramado e tirei a chuteira para receber o curativo.
Enquanto isso Ernesto me falava sobre algumas jogadas e erros que estávamos cometendo, quando o juiz autorizou minha entrada, gritei para meus companheiros de time os números das jogadas que o técnico havia me passado.
E lá estava eu de novo levando pancada, quando Iniesta passou a bola para mim, eu corri o mais rápido que podia com a bola e toquei para Messi, continuei correndo ele me acompanhou e lançou a bola na área, eu cabeceei caindo no campo com força, quando olhei a bola estava dentro do gol e o grito da torcida tomou conta do estádio, corri para com meus companheiros, minutos depois o juiz finalizou o primeiro tempo.

Inicio do segundo tempo, o Paris Saint-Germain voltou com alteração e nós voltamos com o mesmo time e com um gás a mais, já que estávamos com um gol de vantagem. O PSG começou a apertar se aproximando do nosso gol, mas Ter Stegen fez defesas belíssimas, novamente a posse de bola era nossa, eu corria com ela nos pés e passei para Coutinho que driblou o jogador adversário e passou para Rakitic que correu com a bola e tocou para Messi que sofreu falta, estávamos perto da área, Messi ia bater a falta, era especialidade dele, a bola passou por todos e bateu na trave, o rebote veio em mim, eu chutei e a bola foi novamente na trave e saiu do campo, olhei sem acreditar, duas bolas na trave.

Na metade do segundo tempo o PSG empatou, mas isso não abalou a gente, fomos a luta e com o passe de Iniesta lá estava a bola na rede novamente com o gol de Messi, mas faltando dez minutos para acabar a partida o PSG nos assustou com um gol, era hora de reagir. Paulinho passou para Iniesta que tocou para Rakitic, observou o jogo tocou para Messi que tentou avançar mas a bola sobrou e eu a peguei, driblei dois jogadores, pensei e chutar mas desisti, passei para Coutinho que estava livre, ele tentou chutar mas foi impedido pelos adversários, que acabaram fazendo o passe errado e Messi pegou a bola, eu estava livre, fora da área , Messi passou a bola para mim, era tudo ou nada, chutei o mais forte que eu conseguia e de repente tudo parou para mim, vi a bola fazer seu trajeto em câmera lenta até entrar no gol e segundos depois a gritaria tomou conta dos meus ouvidos o estádio todo em euforia.

A partida retomou apenas por formalidade, minutos depois o juiz apitou o centro do campo e era real, havíamos conquistado a Champions League de 2017 e saber que ele assistia minha vitória me fazia dar pulos de alegria por dentro.


Fim.



Nota da autora: 06/06/2020 - Oi, primeiro quero te agradecer por ter lido, se puder deixar um comentário eu agradeço, eles me incentivam muito.
Essa short é a primeira de outras que virão, nas próximas o pp será introduzido, então não percam. Enquanto ela não chega, leiam minha outra fic, o link está ai em baixo, beijinhos.





Outras Fanfics:
Change Your Life
My Heart Is In Love


comments powered by Disqus