UNH - Especial de Natal



Última atualização: 25/12/2016

Capítulo único


O homem abriu a porta de casa e, assim que passou pela mesma, começou a retirar boa parte das roupas que usava. Sentia seu rosto gelado, e mal conseguia sentir as orelhas, pois esquecera a touca que ganhara de Sra. Weasley em seu aniversário, no escritório. Retirou o casaco grande pendurando-o no cabideiro próximo à parede. Deixou os sapatos junto com os três pares de botas de neve que estavam por ali, e, no caminho até a sala, tirou as luvas, cachecol e moletom, deixando-os em cima do sofá. Finalmente pode respirar direito, o corpo, aos poucos, aquecendo-se.
Passou mais tempo que o previsto inicialmente na rua, procurando indícios de um bruxo mal intencionado que o Ministério recebeu informações, mas acabou apenas sendo um burglar de trouxas.
Reparou então no silêncio em que a casa se encontrava, andando até a cozinha e não encontrando quem procurava, voltou para a sala, seguindo diretamente para as escadas de acesso ao segundo andar. As portas estavam fechadas, e ao abrir a primeira do lado direito, apenas encontrou o cômodo vazio, seguiu para o quarto no final do corredor, logo focalizando dois corpos deitados na cama de casal.
dormia de lado, a barriga de sete meses já incomodava para outras posições, ao seu lado, coberto com uma manta xadrez, o pequeno James ocupava boa parte da cama, deitado de barriga para cima, com os braços abertos. Harry sorriu para os dois, antes de andar em silêncio até o banheiro do quarto, pegando algumas roupas no caminho.

Ao sair, já de banho tomado e sentindo-se muito melhor e confortável ao vestir uma calça de moletom e uma camiseta, notou James mexendo-se na cama, fazendo desenhos abstratos no ar, com as mãos pequenas. Harry aproximou-se, chamando a atenção do filho, que sorriu engatinhando até a ponta do colchão, erguendo os braços para o pai pegá-lo no colo. Assim que a porta se fechou, e eles começaram a descer as escadas, James começou a tagarelar sobre o dia que teve; as últimas compras de Natal feitas e a ida até a Plataforma 9 ¾, para buscar Ted que voltava de Hogwarts, e passaria o feriado em casa. Potter estava sentado no sofá, vendo o filho brincar no tapete da sala, enquanto continuava conversando.
Algumas vezes ainda era difícil entender o que o garoto falava, mas ele tinha evoluído bastante nas últimas semanas, embora ainda falasse embolado na maior parte do tempo. Era incrível a semelhança do filho com a mãe, a única exceção eram os cabelos, pretos e rebeldes iguais aos do pai. O menino já parecia ter algumas características de , embora, é claro, ainda fosse difícil confirmar, já que ele era tão pequeno, mas se continuasse daquele jeito, Harry já imaginava a reação de Minerva quando o menino entrasse em Hogwarts. Na verdade, não seria exatamente uma surpresa, levando em consideração que os pais do garoto passaram tanto tempo perdendo pontos para a Grifinória…
Potter sorriu lembrando-se de alguns momentos, antes de sentar-se ao chão, na frente de James, que andou apressado para o pai, apontando para a varinha em cima do sofá. O homem pegou o objeto, rindo ao ver a animação do filho, os olhos brilhando em expectativa. A risada alta de James logo preencheu a sala, enquanto gritava para as luzes que o pai fazia, parando apenas quando viu sua mãe descendo as escadas, chamando-a com gritinhos animados.
- Luínha, mamãe!!!! Pega!!!
Harry virou-se sorridente quando a mulher quando ela sentou-se no sofá e passou as mãos por seus cabelos curtos, inclinou o rosto de lado quando ela aproximou-se, beijando-lhe a bochecha.
- Como foi o dia? - perguntou recostando-se no sofá, vendo o marido e o filho brincando animados no tapete.
- Nada tão agitado no setor, pelo menos não no meu… Passei algumas horas fora para vigiar um cara, nada demais… E Mundungo está vendendo alguns artefatos para os trouxas, como presentes de Natal… - suspirou cansado - Contrabando como sempre, vendeu ovos de Explosivins para um cara da romênia, - negou com a cabeça, bocejando, antes de erguer o braço, já que James foi tentar pegar sua varinha - um deles chocou no caminho para o aeroporto!
negando com a cabeça.
- Olha, Mundungo era realmente uma pessoa que poderia passar mais algumas semanas preso. Eu disse que era besteira deixá-lo sair. Ele não muda!
- Não fui eu que o soltei… - deu de ombros, deixando mais uma chuva de luzes coloridas sair para o filho brincar, antes de deixar a varinha no sofá, próximo a esposa. - De qualquer forma não seria suficiente, não é? Ele passou seis meses preso e continua igual…
Harry levantou-se, sentando ao lado da mulher, passando um braço por seus ombros.
- Mas não quero mais falar dele… - sorriu para a esposa, deixando uma mão sobre a barriga dela, sentindo vez ou outra a criança chutar - Que horas eles chegam?
- Às oito, preciso que você me ajude, já está quase tudo pronto, e Astória ficou de trazer as sobremesas…
Harry concordou, coçando a barba rala, viu o filho ficar em silêncio por alguns instantes, quase imóvel, antes de sorrir travesso e começar a correr em direção a cozinha.
- James? - chamou virando-se por sobre o ombro, vendo o que o garotinho fazia.
Com certa resistência do animal, que acabara de acordar e ainda espreguiçava-se na entrada da cozinha, James conseguiu pegar o gato da família no colo, levando-o com certa dificuldade até os pais, já que o felino era grande e pesado.
- Qualquer dia ele vai levar um arranhão, e eu nem quero ver… - negou com a cabeça, quando o gato tentou se soltar, e o filho o puxou pelo rabo - James, não!
- Catinho… - choramingou quando o animal saltou de seus braços, pulando no sofá. O Auror pegou Buzz, o gato de pelos claros, o qual usava uma coleira verde com um pingente vermelho, em forma de árvore de natal, mantendo-o no colo para que o filho pudesse acariciar seus pelos. O problema entre o animal e seu filho, era que James dava gritos histéricos, e o felino se assustava, e, por mais que seus pais tentassem dizer para o garoto falar mais baixo, não resolvia. Por fim, o bicho se estressou novamente quando o menino deu um grito mais alto, afastando-se da família, correndo escada acima. James olhou para os pais com os olhos cheios de lágrimas, antes de começar a chorar, entretanto, a mãe o puxou para sentar junto com eles, distraindo-o rapidamente.
- Você já mostrou para o papai o que a gente comprou? - perguntou sorrindo, vendo o filho negar com a cabeça - Mostra o presente do Ted, e pede ajuda para embrulhar os outros!
James pulou novamente para o chão, andando até a grande árvore de Natal ao canto da sala, e apontou para um embrulho comprido e fino;
- Atí papai! Atí!
Harry virou-se com a sobrancelha arqueada.
- Você comprou uma vassoura?
- Ele está no time da Lufa-Lufa agora, achei que seria útil! - deu de ombros - Alguém tem que fazer aquele time ter chances de vencer não é?
Harry negou com a cabeça, rindo de leve, enquanto levantava-se para ajudar o filho com os presentes sem pacotes.
- Ted vai perceber no mesmo instante que olhar…
- A gente esconde! - sorriu, já imaginando a felicidade do afilhado.
Enquanto o marido e o filho terminavam de embrulhar os presentes que faltavam, andou até a cozinha, acenando com a varinha para alguns utensílios. Harry entrou minutos depois, com o filho nos braços, o qual tentava pegar seus óculos de aros redondo, logo vendo as louças guardando-se no armário, uma colher de pau mexendo um molho claro e batatas sendo cortadas na tábua em cima da mesa, enquanto checava se o peru já estava chegando ao ponto certo.
- Não era para eu ajudar em alguma coisa?
- Com o James - pediu ao aproximar-se - Ele ainda não tomou banho!
Potter olhou o relógio de pulso, ainda tinham uns quarenta minutos até os convidados chegarem, o que era quase nada, quando se tratava de arrumar o filho. Colocando-o no chão, após a terceira tentativa do garoto de arrancar os óculos do pai, Harry virou-se para a esposa.
- Não vai se trocar?
- Querido, com essa barriga enorme, eu poderia vestir pijamas, sinceramente! - suspirou dramática - Nada me serve!
O Auror riu negando com a cabeça, antes de passar os braços pelos ombros dela.
- Continua sendo a mulher mais linda que eu já conheci.
arqueou a sobrancelha, colocando as mãos na cintura.
- Se me lembro bem, você babou por Chang e Delacour no quarto ano! - Harry gargalhou ao ver a cara séria que a bruxa fazia, parecendo sentida com o acontecimento de tantos anos.
- Meu amor, você lembra como eu me vestia mal no quarto ano? Lembra do meu cabelo? - argumentou sorrindo - Não podemos levar essas coisas em consideração, eu não tinha muita noção do que era bom ou bonito… Se a Sra. Weasley não tivesse me comprado aquele traje a rigor, eu provavelmente iria com um parecido com o do Rony!
gargalhou, principalmente por lembrar da imagem de Rony com o vestido da tia-avó. Harry aproximou-se para beijá-la, ainda rindo junto do marido, passou a mão pelo rosto dele, sentindo a barba pinicar seus dedos. Harry sentiu um puxão na barra da camisa, mas ignorou por um primeiro momento, sentindo o filho puxar novamente.
- Você tem um arranhão novo aqui - soprou contra os lábios do marido, quando seus dedos chegaram em uma marca particularmente grande próxima a seu pescoço.
- Esse foi o gato, ontem, quando fui tirá-lo do meio da árvore de natal, lembra?
- Paaai! - James chamou, com os braços cruzados, chateado por estar sendo ignorado. Harry suspirou, afastando-se da mulher, após mais um selinho rápido, então virando-se para o filho.
- Para o banho, James, um, dois! - bateu palmas, vendo o garoto correr rindo em direção as escadas, parando no primeiro degrau, para que o pai o pegasse no colo.

Harry desceu as escadas com o filho em seus ombros, gritando animado e puxando os cabelos do pai vez ou outra, não forte o suficiente para doer, mas o pai chamava-lhe a atenção da mesma forma. O garotinho estava com uma calça jeans escura e uma blusa de tricô verde, com o desenho de uma rena com o nariz vermelho, presente dado pela Sra. Weasley no ano anterior, e uma touca de natal que piscava na ponta. Harry usava uma roupa um tanto parecida com a do filho, calças escuras e um moletom de Natal, vermelho com desenhos brancos, simbolizando a neve. Mal deixara o filho no chão quando a campainha tocou e o garoto saiu correndo para se esconder. Potter riu andando até o hall da casa, sorrindo para o afilhado assim que abriu a porta. O garoto não demorou a abraçá-lo animado, enquanto Andrômeda ria, segurando alguns pacotes.
- Você está cada dia maior, ein? Não está comendo algum daqueles produtos que o Hagrid usa para as abóboras crescerem, não é? - perguntou rindo, escutando a risada animada do garoto, que entrou retirando a jaqueta, usando uma touca de Natal com seu nome em letras brilhantes e uma blusa com um desenho de rena, porém na cor roxa. - Andy, como vai? - sorriu para a mulher, cumprimentando-a antes da senhora entrar, pegando os pacotes que ela carregava e levando-os para perto dos outros presentes, enquanto a mesma tirava o casaco e colocava-o no cabideiro.
- Muito bem, com exceção desse frio, - comentou desgostosa - não consigo sair de casa com toda essa neve!
- Tia, a minha vó tá fazendo de novo... - Ted entrou gritando, ao localizar descendo as escadas - Reclamando de tudo!
- Não fale assim da sua avó! - Harry repreendeu, ao mesmo tempo que escutava a voz da esposa.
- É a idade! - Black piscou, sorrindo, usando um vestido vermelho com a barra e as mangas em branco, como se fosse neve.
Andy colocou as mãos na cintura, olhando para a sobrinha.
- Espera só até chegar a sua vez! - avisou, apontando para a barriga da mulher.
- Não seja exagerada, sou jovem! - deu de ombros, rindo antes de abraçá-la.
- Segundo filho e Harry continua sendo o mais responsável desta casa? - questionou rindo baixo.
- Wow, escutou essa? - Harry sorriu para a esposa - Cheguei ao patamar de ser o mais responsável da casa!
- É o mínimo que a gente espera do Chefe dos Aurores, não? - a mulher ironizou.
- Cadê o James? - Ted questionou, depois de rir da conversa, estranhando o primo não estar por perto, viu Harry rir apontando para o canto próximo a árvore. O garoto abriu um sorriso, entrando na brincadeira - Já que ele não está aqui, posso abrir os presentes? - questionou sorrindo, Andy foi sentar-se no sofá, aproveitando o calor que vinha da lareira.
- Pode ficar com os dele também, acho que James não vai querer… - Harry comentou displicente, colocando a mão no bolso na calça.
- Esse aqui é enorme, é pra mim? - segurou a risada, aproximando-se de uma caixa grande, e escutando risadas baixas vindo da mesma. Os três adultos olhavam rindo para a cena, o rapaz de cabelos azuis colocou a mão na abertura, quando James pulou, gritando “supesa”.
- James! - Ted riu, fingindo surpresa. - Quem diria! Está ficando bom no esconde-esconde! - puxou-o para fora da caixa, abraçando-o por alguns instantes, antes do garotinho correr em direção a Andy, sendo esmagado pela mulher, que lhe deu um beijo na bochecha.
- Esse aqui também, cada dia que eu vejo está maior, assim como os cabelos! - sorriu passando a mão pelos cabelos bagunçados do garoto.
- Se você descobrir como arrumar o cabelo dele, me avisa, que aproveitamos para arrumar desse aqui também - riu apontando para o marido, sentado ao seu lado, que passava a mãos pelos próprios cabelos, parando na metade do movimento quando escutou o comentário.
- Ei!
- Vamos torcer para o próximo, ou próxima, não ter herdado esse detalhe! - Andy riu e ergueu as mãos, como se implorasse aos céus. Após fingir-se de ofendido, recebendo um beijo na bochecha, como pedido de desculpas. Harry então puxou assunto com o afilhado, que sentava junto com o primo, começando a mexer com um dos brinquedos do garotinho.
- E como está indo em Hogwarts, Ted?
- Está tudo ótimo, McGonagall brigou comigo algumas vezes, e me tirou alguns pontos porque eu esqueci de fazer a lição… - deu de ombros - Mas… - coçou o pescoço, levemente constrangido.
- O que aconteceu? - perguntou confuso, Ted deu uma rápida olhada para as mulheres, negando com a cabeça em seguida. arqueou a sobrancelha, suspirando.
- Entendi essa deixa, mas não sei se estou feliz com ela! - reclamou, levantando-se e virando-se para a Andy - Vamos deixar os homens conversando, e vamos falar mal deles na cozinha?
- Ótimo, Ted chegou não tem doze horas, e já virou a casa de cabeça pra baixo! - saiu resmungando, escutando a risada baixa do neto. - Não é engraçado, Ted Lupin!
- Eu sei, desculpa… - rolou os olhos, esperando as duas saírem de perto.
Harry aguardou alguns instantes, antes de tornar a perguntar o que tinha acontecido.
- Eu… Entrei para o time de Quadribol…
- Eu sei, meus parabéns, Lufa-Lufa estava precisando de um jogador tão bom quanto você! - sorriu para o garoto, que concordou rindo.
- Mas o problema não é esse…
- O que foi? - curvou-se para frente, olhando o afilhado com o cenho franzido.
Ted suspirou, colocando a mão no bolso e retirando um bilhete amassado do mesmo, entregando-o para o padrinho.
- Por favor, não ria! - pediu em voz baixa, vendo o Auror confirmar, abrindo o bilhete em seguida. Uma frase pequena, com uma letra bonita estava escrita;
“Ted, você quer me levar para dar uma volta depois das férias? X Mika”.
Potter precisou fazer um grande esforço para não rir, não que achasse cômico, mas por entender perfeitamente o nervosismo que o garoto devia estar sentindo. Embora já tivesse passado pela situação contrária também, pois já tinha mandando um bilhete para a esposa quando estavam no segundo ano, embora não tivesse se identificado, e fosse apenas uma brincadeira.
Harry apenas sorriu para o afilhado, arqueando a sobrancelha.
- Parece que você tem uma admiradora, garotão!
O rapaz pareceu assustado, arregalando levemente os olhos, o rosto vermelho.
- Qual o problema? Não gosta dela? - tornou confuso, estendendo a mão para James, quando o filho entregou-lhe algumas peças de lego, alheio a conversa dos dois.
- Eu… Não sei… Ela é bonita! - sorriu para o homem - Mas… - baixou o tom de voz, novamente constrangido - E se ela quiser me beijar?
Potter abriu e fechou a boca, sem realmente saber o que dizer.
Sabia que em algum momento da vida aquela conversa surgiria, com o afilhado e futuramente com o filho, mas esperava ter mais alguns anos para pensar sobre o assunto.
Ted tinha apenas treze anos e já estava encaminhando para o primeiro beijo. E ele, Harry Potter, namorando a mesma garota desde os dezessete anos, casado há seis, não sabia qual era o tipo de conselho que poderia dar. Nem mesmo ele sabia como, de fato, tinha acabado casado com .
Lembrava-se perfeitamente bem de como tudo acontecera entre eles, mas não era um exemplo normal. Ele nem mesmo tinha chamado a mulher para um primeiro encontro decente, se conheciam há anos, e ambos sabiam como se sentiam com relação ao outro. Harry não precisou convidá-la para sair, nem nada do tipo. E, a única vez que chamou alguém para um encontro foi Cho Chang, em seu quinto ano, e o ‘relacionamento’ tinha sido um desastre. Talvez tivesse conselhos melhores que ele para dar ao afilhado, já que, por mais que Potter não gostasse de lembrar desses momentos, a mulher tinha namorado com Cedrico Diggory por alguns meses, relacionamento que aparentava ser bom, o que o fazia ter ainda mais ciúmes na época.
Ted continuava olhando cheio de expectativa para o padrinho, aguardando uma resposta, algum conselho maravilhoso, quando a campainha tornou a tocar, fazendo com que Harry suspirasse, quase aliviado, por não dar continuidade aquele assunto no momento.
- Eu… - começou, antes de levantar-se em direção a porta - Continuamos essa conversa depois, tudo bem? Não se preocupe, até você voltar para Hogwarts vai estar tudo certo! - piscou para ele, que sorriu animado, agradecendo.
Potter passou a mão nos cabelos, respirando fundo antes de recepcionar os convidados, ainda pensando sobre o que poderia dizer ao garoto.
- Draco! - sorriu, quase agradecendo com o olhar pela chegada do mesmo. Malfoy o olhou confuso por um segundo, estranhando a animação - Astória! - virou para a mulher, beijando-lhe a bochecha, enquanto ela entrava com as sacolas de presentes - Como vai, Escórpio? - agachou-se na frente do garotinho de cabelos claros, iguais ao do pai. Usava a blusa igual dos outros garotos, mas na cor azul, a touca de natal em mãos. Um pouco envergonhado, o menino sorriu, dizendo um “oi” baixinho, e abraçando rapidamente o homem, antes de correr para dentro da casa, encontrando os primos.
- O que aconteceu? - Draco perguntou, enquanto o cumprimentava, segurando duas travessas cobertas, as quais Harry assumiu que tivessem as sobremesas.
- Depois eu te conto… - falou baixo, apertando-lhe a mão. - Nada demais…
- Finalmente! - disse animada, abraçando a enfermeira - Só faltavam vocês e eu estou morrendo de fome!
Draco riu da prima, adiantando-se para abraçá-la.
- Tem certeza que não está nascendo? - sorriu olhando para a barriga enorme da mulher, que negou fazendo uma careta e dizendo algo como um “infelizmente, não” - E o Weasley? - estranhou ao não ver nem o ruivo, nem Hermione.
- Eles só vem amanhã, vão jantar com a família dele, os pais da Mione também estarão lá… Os homens se espalharam pela sala, enquanto as três mulheres voltaram para a cozinha, para guardar as sobremesas e começarem a arrumar a mesa para o jantar.
- Ted, soube que entrou para o time da Lufa-Lufa, não é? - Draco sorriu para o garoto - Meus parabéns!
- Obrigado! - o rapaz agradeceu, enquanto, aos poucos, via Escórpio ainda um pouco constrangido começar a mexer nos brinquedos espalhados, que James já o estendia animado.
- Tio, - o pequeno Potter virou-se para Malfoy - vasôiá!
Draco negou com a cabeça, abrindo os braços para o garoto.
- Hoje eu não trouxe, James, amanhã a gente brinca, ok? - o garotinho concordou sorrindo, voltando sua atenção para o castelo que montava com os primos.
- Eu não acredito que vocês ainda não deram outro brinquedo para o garoto, Potter… - Draco o encarou, referindo-se a vassoura de brinquedo que Escórpio tinha em casa, e James adorava brincar.
- Eu já falei para voltarmos a deixá-lo brincar, comprar outra, mas disse que ele está muito agitado, e como não passo o dia em casa, não tem como ficar correndo atrás dele… - deu de ombros.
Depois que o filho caiu da vassoura, machucando o braço meses antes, a esposa o proibiu de comprar outra, enquanto não tivessem tempo ou disposição para cuidar do menino em tempo integral, já que com a barriga crescida, seus movimentos no momento já não estavam tão ágeis como antes, e ela não conseguiria evitar um novo acidente.
Harry serviu uma taça de Hidromel, e os dois logo entraram em um assunto sobre o Campeonato de Quadribol, comentando sobre as chances da Inglaterra do Mundial do próximo ano e Harry aproveitou para dizer que ganhou alguns ingressos para ver o time de Olívio Wood, que estaria jogando em Londres na próxima semana, combinando de irem os dois, e as três crianças, já que a partida seria antes de Ted voltar para Hogwarts.
Alguns minutos depois, os chamou para o jantar que já estava servido.

A ceia foi tranquila, com todos conversando e rindo bastante durante o jantar, elogiando a comida preparada pela grávida, que aproveitava para dizer o quão trabalhoso tinha sido tudo aquilo, e que eles tinham mesmo que agradecer, além de emendar que no próximo ano era a vez dos Malfoy serem os anfitriões, o que fez Draco negar, lembrando que da última vez Potter acabou bêbado em sua casa.
- Não sei do que você está falando, Draco… - negou com a cabeça, enquanto escutava as risadas.
- Que belo exemplo para o Chefe dos Aurores dar, ein? Trabalhando de ressaca no dia seguinte…
- Trabalhando? - riu irônica - Harry estava dormindo na mesa dele, em cima de alguns papéis, Hermione ficou histérica quando viu! - relembrou, ouvindo mais risadas, ao tempo que o marido a encarava, descrente.
- De que lado você está, mulher?
Ainda estavam na sobremesa, que também fora muito elogiada por todos e deixou Astória envergonhada, quando as três crianças começaram a pedir para abrir os presentes, principalmente os dois menores, que estavam com medo de seus pais os mandarem para a cama, já que passara muito do horário de dormir. Com os dois menores chamando os pais a cada cinco segundos, para irem para a sala, acabaram deixando o restante da conversa para mais tarde, logo todos se espalhando pela sala de estar dos Potter, vendo os três mais novos animados demais para começarem a distribuir os pacotes.
- Papai! - James riu levando o presente dado por ele e sua mãe. Assim que terminou de rasgar o papel pardo, Harry retirou de dentro um livro grosso, e, ao abrí-lo notou que se tratava de um álbum de fotografias, com imagens de vários momentos de sua vida;
Bebê com seus pais, algumas sozinhos, em uma delas Sirius o segurava rindo, na outra ele e estavam sentados no chão, com os pais fazendo caretas para as duas crianças rirem. Teve uma que não se mexia, estava com seu primo Duda, ainda quando eram pequenos, sentados um ao lado do outro na mesa da cozinha, comendo suas papinhas. Essa foi uma das que mais o surpreendeu, por não saber que poderia existir, tanto a foto, quanto o momento em que estava tão bem cuidado e parecia tão feliz com os tios…
As fotos seguintes eram já em sua época de Hogwarts; com seus três melhores amigos, jogando Quadribol, com a Taça das Casas... Uma dele após a prova do Torneio Tribruxo, no qual segurava o Ovo de Ouro e estava abraçado com , tendo Rony e Mione ao seu lado. Novamente tinha uma com Sirius, na época do Natal no quinto ano, os dois sorriam felizes, segurando suas taças. Uma com todos os membros da A.D. E outra foto com todo o pessoal da Ordem. Uma foto no casamento de Gui e Fleur, no qual olhava para , que sorria ao seu lado enquanto conversavam - essa ele teve certeza que nenhum dos dois sabia da existência, porque nem mesmo olharam para a câmera -, uma foto com Rony e Mione no casamento dos dois. Outra na noite de seu noivado, foto que era uma de suas preferidas até aquele momento, e ele tinha uma cópia em seu escritório no Ministério.
Também tinha uma dos dois junto com Draco e Astória no casamento de Malfoy. Noutra estava com Ted, correndo com o garoto por um gramado grande, na seguinte, o ensinava a jogar Quadribol. Tinha algumas fotos do dia de seu casamento, na qual estava com os convidados ou com a esposa…
sabia que tinha escolhido um bom presente ao notar os olhos marejados do marido, apertando-lhe a mão, gentilmente. Harry inclinou-se para ela, beijando-lhe a cabeça e agradecendo baixinho.
- E eu? - James pediu ao reparar que não aparecera em nenhuma das imagens.
- Você não tinha nascido ainda, filho - Harry tentou explicar, mas não deu muito certo, já que o menino começou a virar as páginas, procurando por suas fotos.
- Atí! - apontou para uma das imagens, na qual e Harry o seguravam, ainda bebê, sorrindo para a câmera. - Atí! - apontou para a seguinte, na qual estavam em um parque, juntos de Ted, o qual ria segurando as mãozinhas do primo, enquanto James tentava dar seus primeiros passos. - É eu, papai! - sorriu satisfeito.
- É claro que é você, James! - riu da animação do filho, puxando-o para o colo, enquanto os demais terminavam de abrir seus presentes.
O Auror também algumas peças de roupa, livros e uma garrafa de hidromel envelhecido, além de uma caricatura muito realista feita pelo afilhado. ganhou várias peças de roupa, o que a fez agradecer imensamente, já que vivia dizendo que não tinha mais nada para vestir por causa da barriga, um livro de receitas, um desenho de James e uma caricatura de Ted, além de um anel, colar e brincos com pequenas pedrinhas da cor Vermelho-Grifinória, vindos de Harry.
- Cabô? - James perguntou olhando para todo mundo. Escórpio estava no chão, abrindo um dos brinquedos que ganhara, com a ajuda de Ted e Draco, enquanto os demais continuaram espalhados no sofá.
- Acho que sim, querido - sorriu para o menino.
- Ted? - estranhou apontando para o primo - Vasôia? - cruzou os braços, confuso.
Lupin virou-se com o cenho franzido, sem entender o que acontecia. Já tinha ganhado seus presentes, inclusive dos padrinhos; um jogo novo de Snap Explosivo, vários doces da Dedos de Mel, e um novo uniforme de seu time de Quadribol.
- Não consegue guardar segredo esse aí… - Potter negou com a cabeça, levantando-se - Claramente não me puxou. - falou rindo, enquanto andava em direção ao armário embaixo da escada.
- Está me chamando de fofoqueira, Potter? - reclamou indignada - Alguém mais está escutando isso?
Ted levantou-se no mesmo instante que viu Harry voltar com mais um embrulho em mãos; fino, comprido e com uma parte volumosa, sorrindo ansioso para o padrinho.
- Feliz Natal, Ted! - o casal sorriu para o garoto, que segurou com as mãos trêmulas o pacote, antes de começar a rasgá-lo, os olhos brilhando assim que focalizou sua mais nova Firebolt 360, edição limitada.
- Wow! - foi tudo o que conseguiu dizer no momento.
- Uma Firebolt nova? - Draco pareceu surpreso - É realmente linda!
Harry virou-se para a esposa, a boca ligeiramente aberta.
- Você não me disse que era a nova Firebolt!
A mulher deu de ombros, rindo com a animação dos homens.
- Eu sou uma ótima madrinha, vou fazer o quê?
- Vocês estão mimando demais esse menino! - Andy reclamou, embora também sorrisse da animação do neto.
- Obrigado, tia! - Ted riu, deixando a vassoura de lado e abraçando a mulher. - É incrível!
- De nada meu amor, agora treine bastante para ganhar aquela Taça, entendido?
O garoto riu concordando animado, abraçando Harry apertado, e agradecendo, mesmo sabendo que quem escolheu o modelo não tinha sido ele.

Depois de deixarem James e Escórpio sentarem e rodarem por poucos minutos na Firebolt de Ted, dentro de casa, os Malfoy se despediram, juntando os presentes, em sua maioria do filho, para irem para casa, agradecendo por tudo e marcando o horário do almoço do dia seguinte.
Ted, ainda eufórico, foi para seu quarto no segundo andar levando a vassoura e os demais presentes, vestindo seu pijama já que ele e Andy passariam a noite na casa dos padrinhos. Andy levou James para ajudá-lo a se vestir e colocá-lo na cama, enquanto Harry ajudava a esposa a guardar as coisas e organizar, minimamente, a casa para o almoço do dia seguinte.
Quando foram se deitar, quase uma hora depois, Harry ainda passou alguns minutos acordado, olhando para a esposa, já sonolenta ao seu lado, enquanto acariciava lhe a barriga.
- Feliz Natal, ! - sussurrou antes de beijá-la, sorrindo junto com a mulher - Você me deu o melhor presente que eu poderia pedir, sabe disso não é?
A mulher o encarou por alguns instantes, fazendo carinho em seus cabelos.
- Eu escolhi muito bem esse ano, não foi? - riu para o marido, que negou com a cabeça.
- Eu adorei as fotos, mas não é disso que eu estou falando - sorriu terno, vendo-a franzir o cenho em confusão. Harry então baixou o olhar para a barriga da esposa, mantendo o sorriso e o olhar calmo - Você me deu uma família, não poderia pedir nada melhor do que isso.
demorou alguns instantes para se pronunciar e, quando o fez, com um sorriso grande no rosto e a voz ligeiramente falha, Harry sorriu, beijando-a novamente antes de dormirem.
- Eu te amo, Harry Potter.
- Eu te amo, Potter.

---


Harry acordou no meio na noite, virando-se assustado para o lado, o suor escorrendo por seu corpo, grudando suas roupas.
A respiração acelerada, a mente confusa.
Precisou de alguns minutos para se acalmar e entender o que acontecia, acendendo a luz do abajur ao lado da cama. A claridade incomodou seus olhos verdes por alguns instantes, mas não o suficiente para fazê-lo esquecer do que estava em sua cabeça.
Parecia tudo tão real…
Respirou fundo, fechando os olhos por alguns instantes, tornando a abri-los e olhando para o lado da cama no qual ela deveria estar, mas estava vazio, assim como em todas as outras noites. Passou a mão pelos olhos, evitando que lágrimas caíssem, e, após alguns instantes, virou-se para apagar o abajur, vendo o relógio marcar meia noite e vinte. Com um único pensamento em mente, voltou a fechar os olhos, sussurrou baixinho para si mesmo, antes de voltar a dormir;
- Feliz Natal, Harry… Feliz Natal… Seu presente vai chegar logo, logo.

Continua...?



Nota da autora: 25/12/2016 OOi!
Eu vou dizer que, DESCULPA GENTE EU IA DEIXAR TUDO FOFO, mas um certo @ me deu a ideia de finalizar dando margem pras att da fic, não posso dizer que não gostei! Enfim ne? FELIZ NATAL MEUS AMORES <3 Espero que tenham gostado, mesmo com esse finalzinho triste, faz parte ne? hahaha
Até logo menos,
xx Reh






comments powered by Disqus




Qualquer erro nessa atualização são apenas meus, portanto para avisos e reclamações somente no e-mail.
Para saber quando essa linda fic vai atualizar, acompanhe aqui.



TODOS OS DIREITOS RESERVADOS AO SITE FANFIC OBSESSION.