FFOBS – MV: You Belong With Me, por Letty
mvyoubelongwithme
Finalizada em: 15/04/2018
Music Video: Taylor Swift - You Belong With Me

Capítulo Único

24 de outubro de 2011.
- Alguém está aí? - bateu na porta do armário, na esperança que alguém pudesse o ajudar. Normalmente, quem o fazia era o inspetor. Mas hoje o mesmo não deu o ar da graça.
suspirou e abriu sua barra de chocolate Twix. Pegou seu celular e iluminou o ambiente em busca de algo que pudesse o tirar dali.
Enquanto isso, espiava o corredor, vendo se o inspetor não estava ali para que aí, pudesse escapar da aula chata da Sra. Jenkins. A menina ajeitou a bolsa no ombro e começou a andar rápido em direção a saída da escola.
Quando estava quase perto, ouviu um suspiro baixo.
- Olá? - ela levantou a sobrancelha.
O que ela não esperava ao ficar parada em frente aos armários era que um deles fosse aberto e com ele um menino caísse em cima dela, a derrubando no chão.
- Ai! - ela exclamou em surpresa.
O menino, que ela descobriu ser seu velho amigo , se levantou e estendeu a mão para ajudá-la a se levantar.
- Me desculpe por isso. Não deve ser todo dia que alguém cai em cima de você. - ele esfregou a nuca, rindo sem graça.
- Não por isso - ela pegou a bolsa do chão. - O mesmo de sempre, ?
- O de sempre. - deu de ombros.
Ele pegou o óculos do chão, que agora se encontrava partido em dois.
- Eles são uns escrotos mesmo. - ela olhou para as mãos dele e segurou a que não estava segurando o óculos. - Vem! Vamos dar um jeito nisso aí.
- Não precisa, . Eu me viro.
- Para de ser bobo. Quero te ajudar.
parou em frente ao seu armário, o abriu e pegou uma fita, colocando entre as junções das lentes, para que elas ficassem no lugar. Ao finalizar, deu a armação para .
- Prontinho! Não está lá essas coisas, mas dá pra se virar. - ela riu.
- Obrigado - ele agradeceu sem jeito.
- Não foi nada. - ela sorriu para ele - E aí, topa matar aula?
- Prefiro não. Tenho uma prova importante para fazer que, aliás, já deve ter começado. Melhor eu correr.
- Ok. A gente se esbarra por aí, . - ela riu ao ver o menino correr e entrar na sala de matemática.

conhecia desde seus oito anos de idade quando a família do garoto se mudou para casa de herança ao lado da dela. Eram melhores amigos desde sempre, mas depois que entraram no ensino médio as coisas entre eles mudaram drasticamente e o garoto preferiu não conversar mais com com a mesma frequência na qual fazia antes, pois achava que como ela andava com os populares e até namorava um, pra que conversar com um nerd atrapalhado, não é mesmo?
Mas não via dessa forma. Ela sentia falta de conversar com o garoto até tarde da noite, até um deles fracassar e dormir enquanto estavam conversando. Ela não conseguia compreender o jeito como passava por ela sem nem ao menos sorrir ou fazer um mínimo gesto possível para demonstrar que aquela amizade ainda estava ali, viva, e que nada mudou entre os dois. Mas mudou.

***

26 de outubro de 2011
Os alunos nas salas de aula ouviam atentamente o comunicado que a diretora Audrey estava fazendo sobre o baile.
- ... Espero que dessa vez eu não tenha o desprazer de encontrar uma cena escandalosa no banheiro, certo meninas e meninos? Então está avisado. Arranjem seus pares e roupas para, no dia, estarem impecáveis e apreciarem a banda convidada para tocar aqui. Por enquanto é surpresa, mas tenho certeza de que irão gostar. E repito: Sem gracinhas!
Todos riram ao se lembrarem do episódio Luke e Emma, que, no baile passado, foram pegos com menos trajes do que seria aconselhável num lugar público e que a senhora Audrey pegou enquanto entrava no banheiro com uma das mães, que ficaram extremamente horrorizadas com a cena.
- Já tem par pra ir, ? – Lauren, uma de suas amigas, perguntou.
- Ainda não. Na verdade, nem sei se irei.
- Ah, mas e o Brian? – ela quis saber do namorado de .
- Ah, o Brian... É complicado. – ela suspirou.
Ultimamente os dois não estavam se entendendo como era de costume. não concordava com muitas das atitudes do namorado e, em contra partida, Brian não entendia do porquê ela agir do jeito que agia, pois, de acordo com o que tinha em mente, devia agradecer aos céus por namorar um cara popular. No momento, ambos não estavam se falando, mas esperavam resolver as desavenças o quanto antes.
- Eu irei com o Landon! – Lauren bateu palminhas e riu – Acho que eu tô gostando dele de verdade, , sabe? – Lauren apoiou o queixo na mão e sorriu, toda abobada ao falar do namorado. – E acho que ele sente o mesmo por mim.
- Isso é realmente ótimo, Lauren! Estou torcendo por vocês! – ela sorriu amarelo para amiga enquanto mantinha os polegares para cima, em aprovação.
Ela sentia inveja da amiga no momento. Sim, inveja. Ela se envergonhava do sentimento? Claro que sim, mas era um sentimento involuntário, que veio sem que ela pedisse. Ela queria sentir aquilo. Ela queria um amor para si. Era errado se sentir assim?
suspirou ao ver todos se levantarem e irem para o refeitório.
- , te espero lá, ok? Eu guardo seu lugar.
- Certo. Obrigada, amiga.
terminou de guardar suas coisas e estava prestes a se levantar, mas quando o fez, esbarrou em alguém e derrubou tanto seu fichário quanto os livros e cadernos da pessoa.
- Desculpa, hoje estou meio distraída. – ela se abaixou para pegar seu fichário e ajudar a pegar as coisas do estranho. Quando levantou sua cabeça, viu que era ali, bem na sua frente e riu da situação.
- Está ficando normal nos encontrarmos assim, huh? – ele brincou e sorriu de lado e, naquele momento, ela quis o amaldiçoar por fazer aquilo com ela.
não era feio. Longe disso. Ele era corpulento, mas usava roupas que não o favorecia. Usava roupas largas demais. Também era bem alto, porém muito atrapalhado para andar. Possuía olhos , esses os quais sempre se perdia enquanto falava com ele. Quando menos esperava, no meio de uma conversa quando eram mais novos, lá estava ela, toda abobada olhando fundo em seus olhos. Não podia negar, ele era lindo. E fofo. Muito fofo. E a coisa que mais gostava nele era em como ele a ouvia e entrava na conversa junto com ela, tentando entendê-la e até mesmo se questionar algumas vezes.
- Pra você ver como as coisas são. – ela riu também e se levantou com alguns dos livros que ele carregava, e ele os pôs ao lado do corpo. – E aí, animado para o baile?
- Não sou de festas, . Mas tenho certeza de que irá. – ele sorriu.
- Pois dessa vez se enganou, meu caro.
- Não vai? Por quê? – ele estranhou.
saiu sala, sendo seguida pelo menino.
- Dessa vez não estou no pique.
- Problemas no paraíso? – ele se referiu a Brian.
- Como assim paraíso? – ela arqueou as sobrancelhas. – Mas não, não tem a ver com Brian. Apenas não estou no clima.
- Ah, mas suas amigas não ficarão chateadas com você? Quer dizer, meninas ficam chateadas pela amiga não a acompanhá-las, né?
- Não sei, mas ainda não contei pra Lauren ainda. Mas sei que não será fácil. – ri e ele me acompanhou. Parei de rir e fiz a pergunta que há tanto tempo me incomodava – Por que paramos de conversar, ? – ela parou e o garoto fez o mesmo. – O que aconteceu com a gente? Com a nossa amizade?
Ele suspirou e a encarou nos olhos.
- As coisas mudaram, . Você mudou. Eu mudei. Não somos mais do mesmo mundo.
- O que você quer dizer com isso?
- Sejamos francos? Por que você conversaria com um simples nerd? Ou faria as coisas que fazíamos antes?
- E por que só agora você passou a se importar com isso, ? Você não se importava antes.
- Porque... – ele suspirou pela décima vez – você mudou, , e eu... eu continuo o mesmo cara simples, atrapalhado, que gosta de estudar e que é zoado de todas as maneiras possíveis pelos caras da escola. Você só passaria vergonha ficando ao meu lado, ok? É por isso que as coisas mudaram entre nós.
Ao ouvir aquilo, tentou, tentou mesmo se segurar, mas aquilo foi maior que ela. Ela deu uma bela de uma gargalhada, que a fez segurar os joelhos de tanto que ria.
apenas arqueou a sobrancelha, tentando entender a situação.
- Você acha isso engraçado? – ele perguntou.
- Desculpa... – ela se endireitou e suspirou, tentando conter as lágrimas que escorriam pelo seu rosto. – desculpa, mas é que você não vê o ridículo disso tudo? Meu Deus, , sério que paramos de nos falar por isso?!
- Para mim isso foi o certo a se fazer, , não vejo nada de errado nisso.
A garota o encarou, agora séria. Não acreditava no que estava ouvindo do cara que julgou um dia ter sido seu amigo.
- Pois você é um escroto se não vê nada de errado nisso! – ela vociferou – Não acredito que sofri todo esse tempo sentindo falta do amigo que um dia acreditei que sentia o mesmo sentimento que eu com a nossa amizade. Simplesmente não consigo acreditar. Realmente, , como você disse, as coisas mudaram, mas não por MINHA causa, mas sim por você! Porque... porque... Ah, não vou perder meu tempo!
Ela saiu dali pisando duro e deixou um passado.
Ele tinha mesmo feito errado em se afastar? Mas ele apenas queria o bem ela, que ela não sentisse vergonha dele por ele ser... ele. Na concepção dele, merecia algo melhor, algo como... Brian.

***

- Minha nossa senhora, o que aconteceu, ? Você parece um vulcão prestes a entrar em erupção. – Lauren observou a amiga bufando a cada cinco segundos e mantinha os braços cruzados em uma pose defensiva.
- Nada, ok? Nada aconteceu!
- Nossa... Desculpa.
Ok. respirou fundo e contou até 10. Ninguém tinha nada a ver com o que acabara de acontecer e não cabia a ela descontar em quem viesse em sua direção.
- Desculpa, é que aconteceu um problema, mas nada importante. Me desculpa? – ela segurou a mão da menina por cima da mesa e fez um bico enorme. Lauren riu.
- Está perdoada, agora tira esse bico aí!
Landon se aproximou da mesa onde as garotas estavam, junto de seu amigo Brian.
- Oi, gatinha. – Brian se sentou ao lado de e passou um de seus braços ao redor do pescoço da garota. – Sentiu minha falta? Claro que sentiu. – riu e revirou os olhos. – Já pegou seu almoço, gatinha? – fez que não com a cabeça e ele se levantou no momento seguinte, indo até a parte da frente do refeitório, onde serviam o almoço.
- Meu Deus, como eu odeio quando ele me chama de gatinha. – revirou os olhos e os outros dois presentes na mesa riram em resposta.
Landon era amigo de Brian, mas era completamente o oposto de Brian, e Lauren agradecia aos céus por Landon não ser escroto como Brian. O garoto se apossou de tal modo em que chegava a dar vontade de vomitar ver os dois juntos ou simplesmente pensar neles juntos. Lauren já aconselhou a dar um pé na bunda de Brian milhões de vezes, mas continuava lá por pena, mas já estava se cansando de toda aquela situação entre os dois.
já ouviu várias histórias de que Brian a traía com as cheerleaders da escola, mas ela, de fato, nunca conseguiu o pegar no pulo.

Um alvoroço chamou atenção da garota. Entre uma das fileiras de mesas estava , estirado no chão, com todo seu almoço em cima de si. Brian estava logo atrás com seus companheiros de time rindo da situação e Landon estava mais atrás deles, balançando a cabeça negativamente. Aquilo esquentou a garota, que se levantou e foi ajudar o amigo.
mantinha a cabeça baixa e tentava limpar as lentes dos óculos que estavam meladas de molho de tomate. A blusa branca, agora colorida por causa da sujeira que o almoço causou. tirou o prato de cima do garoto, pegou sua mochila e o ajudou a se levantar. Após, olhou feio para Brian, indicando que teriam uma conversa muito séria mais tarde.
- Que foi, gatinha? – ele se fez de desentendido. – Não fiz nada de errado.
tentou se levantar, mas escorregou e caiu novamente no chão, de bunda. Todos riram da situação. Depois, ao tentar de novo, conseguiu e saiu do refeitório o mais rápido que conseguiu, sendo seguido por uma que corria para o acompanhar.
- O que você quer, ?! Quer rir mais da minha cara como seus amigos acabaram de fazer? Eu estou cheio disso!
- Você para de ser grosso! Eu estou tentando te ajudar!
- POR QUÊ?! Por que você quer me ajudar?
- Porque diferente de você, , eu prezo amizades. – ela falou no mesmo tom alto que ele.
Ambos ficaram se encarando até enfim dizer:
- Me desculpa, ok? Eu errei. De todas as formas possíveis. Eu apenas achei...
- Achou o quê, ?!
- Achei que seria melhor, ok?! Desculpa por me importar demais com a opinião dos outros, mas eu não queria, não, eu não suportaria ver você ser caçoada por minha causa. Você combina mais com aquelas pessoas.
- Que pessoas?
- Lauren, Landon... Brian.
- Lauren e Landon são como a gente, , e o Brian é um caso perdido.
Ele a encarou.
- Me desculpa? Por tudo? Poderíamos passar por cima desses dois anos e seguir em frente e tentarmos voltar ao que éramos antes?
- Até que enfim! Sabe há quanto tempo espero você poder falar isso e podermos voltar a nos falar? DOIS ANOS, seu bocó!
Ele sorriu, e logo após o sinal começou a tocar, indicando que os alunos voltassem para suas devidas salas.
- Eu... – olhou para roupa – tenho que me livrar disso aqui.
- Claro. – sorriu. – Acho que posso te ajudar com isso. Vem! – puxou pela mão até o estacionamento onde seu carro estava estacionado. Ela abriu o porta-malas e pegou ali uma camisa, jogando-a na direção de .
- Ãhn...? – o rapaz arqueou as sobrancelhas.
- Brian deixa as roupas aqui por emergência. Mas ele não vai se importar de você usar as roupas dele, já que foi o próprio idiota que fez essa bagunça em você.
deu de ombros e levantou a camisa e a menina quis morrer ali mesmo com a visão que teve. O magrinho de antes não estava mais ali na sua frente, mas sim um com gominhos e braços fartos. A blusa preta lisa de Brian lhe caiu super bem.
balançou a cabeça e o olhou novamente.
- Você se importa...? – ele indicou a calça que tinha em mãos.
- Claro que não – ela sorriu e desviou o olhar enquanto ele trocava de calça.
- É... obrigado. – o encarou, confusa, enquanto ele coçava a nuca. - Acho que vou voltar lá pra...
- Você só pode estar louco em querer voltar lá pra dentro! Qual é, , já temos meio caminho andado e, para completar, poderíamos dar o fora daqui. O que acha?
- E ir pra onde?
- Vamos dar um pulo no píer de Santa Mônica, ué. Está um dia lindo e perfeito para andar.
- Ok.
Ela se surpreendeu, pois achava que ele iria recusar a proposta.
- Certo, então.
Ambos entraram no carro e pôs seus óculos escuros, jogando um na direção de . Ele o pegou e retirou as suas de grau. A menina ligou o rádio e começou a tocar We Will Rock You, do Queen e começou a cantar no ritmo da música.
- Canta comigo, ! – ela pediu enquanto entrava na rodovia.
- We will, we will rock you – os dois berravam enquanto ouviam a música - We will, we will rock you – ambos sorriam um para o outro.

Píer de Santa Mônica
Já faziam duas horas que estavam ali. Já haviam tomado sorvete, andado na roda gigante, andaram por um tempo e depois ganhou um urso no tiro ao alvo, que fez questão de dá-lo a ela. Agora o levava abraçado, perto das sandálias que carregava na mão enquanto caminhavam lado a lado na praia. Estavam quietos, apenas sentindo a brisa fria de fim de tarde que os acercava, bagunçando os cabelos de ambos.
- Sabe, eu não posso apenas te culpar por não nos falarmos. – ele levantou o olhar, curioso com o que ela dizia. – Eu também tive uma parcela de culpa, pois tive inúmeras chances de puxar conversa, mas apenas preferi não o fazer. – ela deu de ombros. – Eu gosto de praias – ela sorriu, contente. – me faz lembrar do verão que tivemos em 2009.
- Ah, sim, esse verão – ele sorriu de lado. – Eu também lembro um bocado de coisas daquele dia, principalmente daquela parte da noite que demos um perdido nos nossos pais e fomos para o farol.

FLASHBACK ON
Verão de 2009
- Vem, ! – ela sussurrou, pulando a janela da sala da casa dos .
- , eles vão perceber...
- Que percebam, oras! Mas do jeito que eles estão animadinhos por causa da bebida eu duvido muito.
Eles correram em direção até a praia e pararam.
- Você me trouxe pra ficar na praia? – ele parou em frente a ela e arqueou uma das sobrancelhas. – Sério...
- Olha lá! – ela apontou para um lugar atrás do garoto. – Eu sempre quis ir lá. – se virou para descobrir do que ela falava.
- O quê? O farol?
- Sim! – ela pulou – Vem! Vem comigo. – pegou na mão de e o puxou até o farol.
- , se nos pegarem aqui estaremos MUITO encrencados.
- E quem liga? Você liga?
- Não, mas estou preocupado...
- Aprecie o momento, . Pare de se preocupar tanto. – ela o puxou e se sentaram no chão, observando o lugar, até que depois de um tempo ela subiu no colo do garoto. – Sabe o que eu estava pensando?
- Hum? – ele a encarou, colocando uma mão na cintura dela.
- Que eu nunca senti por ninguém o que eu sinto por você e... – Sem pensar duas vezes, ela deu um beijo rápido em , o surpreendendo.
- , o que... – mas foi interrompido pela garota novamente, dessa vez o beijando de verdade.
Ele constantemente ficava sem palavras perto dela. o desconcertava de uma maneira quase impossível, mas ele gostava. Gostava desse jeito elétrico da menina, pois o fazia se sentir vivo, o fazia sair da sua zona de conforto e tentar o novo. Porque gostava de sempre experimentar o novo. E ele gostava mais ainda de estar ali, do lado dela, experimentando essas novas coisas junto a ela.
Ele resolveu então limpar sua mente e só pensar no depois somente quando o momento acabasse. E, ali, naquele farol, ambos se entregaram pela primeira vez um para o outro.
FLASHBACK OFF

- Não acredito que fizemos aquilo naquele lugar... – o rapaz riu, se sentando na areia da praia, juntamente com .
- Eu gostei. – deu de ombros. – E repetiria se tivesse a chance.
- Repetiria? – a olhou espantado. – Tenho certeza que Brian toparia.
revirou os olhos, mas o garoto não viu. Resolveu mudar de assunto para algo mais normal.
- E aí? Vai pro jogo de hoje à noite? Será contra os Rivers.
- Não perderia por nada. Algo que eu faço questão de participar e não ligo pras zoações, é de ir para o jogo.
- Sim, eu sei. Eu sempre te via lá, de longe. Brian tá machucado do último jogo, mas o Landon irá participar.
- Foi tão sério assim?
- Na verdade, acho que ele só está fazendo caso. – riu.
O celular de começou a tocar e ao ver o visor, suspirou. Era Brian.
- Oi. – ela atendeu. – Sim, eu vou. Pode me pegar às 18h.
logo se tocou com quem ela falava. desligou o celular em seguida.
- Brian – sinalizou para o celular.
- Ok. – olhou para o mar e franziu os lábios. – , melhor irmos. Tenho umas coisas para fazer antes de ir pro jogo.
- Tudo bem, então.

***

vestia o blusão do time da escola e estava saindo de casa quando avistou , que também estava saindo de sua casa não muito diferente dela, mas com as costumeiras roupas largas e o óculos remendado que havia feito há alguns dias. Ela sorriu involuntariamente.
- Hey, quer carona? – a menina gritou. se virou, meio assustado.
- Ah, é você – riu. – Ah, certo, eu aceito. Não estou muito no clima de pegar um ônibus.
- Pra que pegar ônibus sendo que você pode ter euzinha aqui como sua motorista? Uma belíssima companhia, huh? – riu da própria piada.
“Sim, uma belíssima companhia, , pensou , mas disse o oposto em voz alta.
- Não seja tão convencida. – revirou os olhos mas mantinha o sorriso de lado.
- Vem, vamos! Ainda quero ver a entrada do outro time.
- Certo.

Eles seguiram o trajeto todo em silêncio até chegar na escola.
- Certo, acho que é aqui que nos separamos. – disse com pesar. – Tenho que encontrar Lauren. Depois, se te achar, sentamos todos juntos na arquibancada, pode ser? – deu de ombros.
- Por mim beleza.
E ali se separaram. foi procurar Lauren e desejar boa sorte a Landon. Foi em direção ao vestiário, onde sabia que encontraria ambos. Ao chegar, encontrou Lauren sentada entre as pernas de Landon no banco, enquanto o mesmo tinha um dos braços ao redor dos ombros da namorada e debatia animadamente sobre algo com Peter, um dos jogadores da noite. O restante do time estava todo se aquecendo para enfrentar um dos maiores rivais da casa: Rivers. passou direto por Lauren e Landon, os cumprimentando com um aceno, logo indo em direção a Brian, que estava quieto, milagrosamente, em um canto. Ele tinha a feição séria. Ao ver a menina a sua frente, pareceu que algo instantaneamente se alertou no rapaz.
- ! Acredito que... – ele começou, mas foi interrompido.
- Olha, sei que nosso relacionamento não está lá dos melhores, mas vim aqui pra conversarmos. Sei o quanto deve estar te sobrecarregando por ser o capitão e todas essas coisas de time... Ok, eu fiz de novo, né? – ela riu.
- Me interromper? Sim. – riu com ela. Enquanto o abraçava para poder, enfim, despejar a bomba que estava entalada em sua garganta há séculos, um pensamento passou pela cabeça do rapaz.
“Ela não descobriu ainda. Ufa!”
Mas ambos se surpreenderam com o furacão que se deu logo após, esse intitulado como Lindsay, uma das cheerleaders. Ela estava de frente para os dois, puxou pelo braço e encarava ambos, com as mãos na cintura.
- Mas que merda é essa?! – questionou .
- Que merda digo eu, querida! – Lindsay gritou com . – Por que você estava abraçando ele? Resolveu o perdoar depois de tudo? Esperava mais de você, !
- Hm... Acho que não te devo nenhuma explicação, minha cara. Aliás, por que mesmo você está dando uma de louca? Quer um show? Porque acho que está conseguindo – apontou para a plateia que se formava logo atrás dela. Todos do time e Lauren os encaravam.
- Eu não ligo pra isso. – ela rolou os olhos e olhou pra Brian. – Você contou pra ela, Brian? Ou você quer que eu mesma dê a notícia? – ela mantinha as mãos na cintura, olhando para com um ar de superioridade.
- Contar o quê? – olhou de Lindsay para Brian.
- Hm... não é nada. Não se preocupa, . Acho melhor você esperar lá fora e depois nos falamos, certo? – ele agora parecia exasperado e andou em direção à Lindsay, querendo tirar ela da frente da namorada.
- Não é nada? Não fala assim, amorzinho. Pelo que vejo, você não deu a notícia. Acontece, , - ficou na ponta dos pés, fitando por cima do ombro de Brian – que Brian e eu teremos uma bela de uma coisinha daqui a nove meses e não quer assumir, acredita?! – estapeou Brian – Aconselho que se afaste desse cafajeste antes que ele faça o mesmo com você, pois tenho certeza absoluta que ele deve ter feito isso com todas as garotas que ficaram com ele enquanto ainda estava com você. Mas ora, não me olhe com essa cara de assustada, , porque eu tenho certeza que você já deve ter desconfiado desse aqui nem que fosse um pouquinho. Mas de uma coisa eu tenho certeza: Você não vai escapar dessa, Brian! Você vai honrar com o que tem no meio das pernas que, cá entre nós, não é lá essas coisas. – e logo foi ouvida risadas do pessoal de time.
- , eu posso explicar...
- Explicar o quê, Brian? Está mais do que clara a situação pra mim, meu amor. – a menina começou a sair do vestiário, sendo seguida de Lauren.
- ! – chamou Lauren no mesmo momento em que Lindsay gritava com Brian.
- Eu aplaudo em sair disso tudo enquanto pode – riu sem humor. – Ainda temos muito o que conversar, seu cretino.
- Me deixa, Lauren. Quero ficar sozinha.

Arquibancada
estava na arquibancada esperando que o pessoal viesse, assim como havia dito que fariam, mas nada aconteceu e o jogo já estava pra começar.
Depois de quase uns 15 minutos depois, avistou Lauren subir a arquibancada e se sentar ao seu lado. estranhou não ver junto com ela, mas nada disse, apenas ofereceu sua pipoca para a menina, que se serviu.
- Obrigada. – ela suspirou. – Você não sabe o barraco que rolou no vestiário...
- Algo interessante? – perguntou desinteressado, comendo sua pipoca enquanto via os times entrarem em campo.
- Sim, das grandes. É com a . – começou a prestar mais atenção no que Lauren falava. – Brian engravidou uma menina. – suspirou – E essa menina é a Lindsay.
- Como ela tá, Lauren?
- Mal, né. Imagina só descobrir que era traída na cara dura e receber uma notícia dessa em frente ao time. A foi embora, Lindsay e Brian ficaram batendo boca no vestiário e só pararam quando o treinador entrou e colocou um basta naquilo tudo, mas nada foi resolvido ainda.
- Desculpa perguntar, mas por que você está aqui? Quer dizer, amigas ajudam nessas horas, não? – Lauren suspirou mais uma vez, derrotada.
- Eu bem que tentei, mas ela não quis minha companhia. – pegou o saquinho de pipoca de e começou a devorar. Se tinha uma coisa que a acalmava nessas horas era comida.
O jogo prosseguiu, mas o time não estava muito bom. Estava apanhando feio para os Rivers. No fim, os Rivers ganharam de 35 à 21. Nada bom pro time da escola.

[]: Como você tá, ? Sei que provavelmente não muito bem. Que bomba, hein?
Ele enviou a mensagem, mas realmente não esperava obter resposta.
[]: Daquele jeito. Mas sejamos francos: uma hora isso ia acabar acontecendo, eu apenas...
[]: Apenas estou em choque, sabe?
[]: Entendo completamente... Quer dizer, mais ou menos. Nunca passei por isso, sabe? Mas tenta se animar e pensar que pelo menos não foi você que ele engravidou. Filho é ótimo, claro, mas apenas quando você tem uma boa condição financeira e os dois estão cientes da decisão feita.
[]: 😆😆 Só você mesmo pra me fazer rir... Exato. Mas eu me ponho no lugar dela, sabe? As coisas vão ficar complicadas daqui pra frente pra ela se ele não assumir realmente a criança... Mas a Lindsay vai conseguir se virar, tenho certeza.
[]: Quer companhia?
[]: Eu seria muito rude se dissesse que no momento não?
[]: Claro que não. Depois nos falamos quando você estiver melhor.
[]: Certo. Te procuro, ok?
[]: Fico no aguardo então.

Os dias haviam se passado desde o ocorrido e com isso a notícia , Brian e Lindsay virou notícia velha na escola. Brian, no dia seguinte do ocorrido, levou um belo de um soco no olho de e fez com que o jogador jurasse não importunar mais ou ele teria uma bela de uma conversa com novamente.
Agora e se falavam com mais frequência do que antes e até trocavam mais mensagens de texto.
Landon e Lauren estavam mais felizes do que nunca.
E o dia do baile estava próximo. Apesar de não querer muito ir, Lauren a importunou até que ela aceitasse e ambas fossem juntas, com Landon sendo o acompanhante das duas garotas, já que quando perguntou a se ele iria, ele apenas se desculpou e disse que tinha umas coisas para resolver no centro com o pai. O que ele não disse, e nem quis, era que essas coisas eram referentes a ela.

Em algum lugar no centro da cidade; 27 de novembro de 2011.
- Mas ficou bom? Eu estou me sentindo estranho, pai. Estou parecendo um pinguim.
- Para de bobeira, menino! Tá ótimo! – riu. – Agora passe já esses óculos pra cá.
o obedeceu e, ao entregar os óculos, colocou as lentes que o pai segurava na outra mão.
- Será que ela vai gostar?
- Com o que você irá fazer, tenho certeza que sim! Você está certo com o que vai fazer, filho?
Ele abriu o maior sorriso que pôde e respondeu:
- Sim, pai.
- Esse é meu garoto!
Logo o pai do garoto se entreteve com outra coisa, deixando-o livre para dar continuação a etapa do plano.

[]: E aí, como ela tá?
[Landon]: Entediada, como você pediu.
Landon mandou em anexo uma foto de sentada, toda linda no vestido azul que usava, com o queixo apoiado na mão, olhando pro lado.
[Landon]: Já estou ficando com dó dela. Se apressa aí, boneca. Do contrário, tirarei ela pra dançar.
[]: hahahaha Já estou a caminho. Relaxa.

Outro fato é que com a aproximação de , pegou mais intimidade com Landon e Lauren.

***

Era estranho para chegar em um lugar e ser notado, pela primeira vez. Era um estranho bom? Talvez. Mas ele estava fazendo tudo aquilo por ela, pois ela sim era especial para ele. E que forma de demonstrar essa gratidão, do que se vestindo a caráter e fazer coisas que nunca se imaginou fazendo, já que estava fora da sua zona de conforto. Mas estar com era como andar em uma montanha-russa, certo?
Suas mãos formigavam e ele apertava o papel firmemente nas mãos já suadas, com medo de perdê-lo. Ao entrar no local, ele procurou por Landon e logo o achou em uma mesa mais afastada. se aproximou por trás e cutucou o ombro de .
- Quer dançar? É quase um crime você vir a um baile e não dançar.
o olhou sem interesse.
- Ah, não... Obrigada.
Mas pareceu dar-se por si e olhou para o rapaz com mais atenção.
- ? É você? – o garoto balançou a cabeça em concordância. Minha nossa! O que aconteceu com você?
- Tomei uma banho de loja. – riram. segurou a mão estendida do rapaz e se levantou, indo até o centrou do salão, onde tocava alguma música de um cantor famoso. – Mas antes...
abriu o papel que segurava onde mostrava-se um enorme I LOVE YOU.
- ... – ela pôs a mão na boca. – Eu também te amo! Sempre te amei! – pulou no pescoço do rapaz, logo depois o beijando nos lábios. Céus, como sentiu falta daquilo...
- Espero que dessa vez dê certo – riu, abraçado à . – Se não for com você, não será com mais ninguém.
sorriu com o que ouviu e ambos ficaram assim, agarradinhos, até o fim da noite.
E juntos para todo o sempre, até o fim de suas vidas.




FIM.



Nota da autora: Para você que leu até aqui, um imenso obrigada! Eu já tenho essa fic gravada na cabeça já fazia algum tempo, ainda na época de Best Song Ever onde, na época, também foi o casamento da Anne, mãe do cantor Harry Styles. Lembro que saiu algumas fotos do Harry todo de terno e meio que comparei com o Marcel no vídeo de BSE e... bum! Mas nunca tive realmente coragem de escrevê-la, até que a Naty, beta do site, super me encorajou a enviar (obrigada, Naty! ❤) e também surgiu esse projetão no site...
Espero realmente que tenham gostado e, se gostaram, deixem um comentário depois HAHAHAHAHA. Mas se não, deixe-me um comentário também, pois essa é a minha primeira fic postada no site e críticas construtivas são sempre bem-vindas para nos fazer melhorar, certo? Até uma próxima, pessoal!



comments powered by Disqus