Promove #019

Publicado por Vivi em 15 de julho de 2015

Todos os meses autora, fic e shortfic do mês são escolhidas pelo twitter do site. A autora do mês tem direito à entrevista, e agora as outras premiações também terão um espacinho para destaque nos posts. É o nosso singelo “Parabéns” a elas.
Depois de decididas, as autoras das fanfics escolhidas por votação redigirão um pequeno texto sobre a própria história ou liberarão um teaser. Se em algum momento surgiu a curiosidade sobre o que era a fic/shortfic do mês, agora é a hora de conhecê-la pelas mãos das autoras.

04. Eye Of The Needle by Bella Fontaine — Shortfic do mês de Julho/2015

“Você depende dos antipsicóticos para estar sã e viver o lado real de sua mente… Já pensou no caos que você tornaria a sua vida caso fizesse alguma besteira por causa do lado irreal dessas suas percepções?”

04. Eye of the needle transcende as barreiras da realidade — não só por ser uma fanfic, gente: é um suspense 100% psicológico. A personagem principal, Alea, é uma interna esquizofrênica de um hospital psiquiátrico que tem sérios problemas em se lembrar de quem ela, de fato, é, e vive procurando em sua vivência coisas que tornem sua realidade um pouco mais suportável; ao se deparar com a ausência delas, todavia, Alea cria a sua própria. O problema é que essa situação acaba tomando proporções muito maiores… E é por causa disso que além da música da Sia, minha grande inspiração para escrever EOTN foi o trecho de uma do McFLY, Ultraviolet, Intoxicate my mind; I know the love is blind and I’m not seein right, I’m not alright, com a qual toda a personalidade de Alea foi traçada: ela está cega por não saber quem é e intoxicada e vendada, sobretudo, por um amor que ela mesma criou.

The Velvets by Ana Aguiar — Fic do mês de Julho/2015

Minha inspiração pra escrever The Velvets foi minha paixão por amores proibidos. O que me motiva na hora de escrever um romance são os obstáculos que o casal principal precisa vencer para ficar junto, e com The Velvets não é diferente: uma chantagem injusta faz com que o protagonista tenha que ficar longe da protagonista, enquanto ambos disputam uma batalha de bandas regada pelo passado conturbado dos dois. A história tem bastante drama e segredos que ainda vão ser revelados, é uma verdadeira teia de aranha cheia de camadas onde tudo está interligado e nada é o que parece.
Minha outra motivação além da paixão por amores proibidos foi o momento que nós, mulheres, estamos passando atualmente. Através das redes sociais a gente está começando a ter mais consciência da importância da independência feminina em relação ao sexo oposto, e por isso eu construi uma personagem feminista que luta, dentro da história, contra questões como preconceito e hipocrisia. Ela vai vestir a carapuça que a “sociedade” colocou em cima dela e vai lutar pela sua liberdade como mulher.
Espero que todo mundo goste da história, é um colegial repleto de intrigas!

Deixe seu comentário

Este artigo não possui comentários