Última atualização: 15/09/2018

Capítulo Único

não estava exatamente feliz na situação atual, mas se pudesse voltar atrás, ele faria a mesma coisa. Afinal, não se arrependia de ter se entregado aos encantos de logo no primeiro dia.

Flashback
tentava não deixar de acreditar que o primeiro dia de aula em uma nova escola seria bom, mesmo que o dia tivesse começado péssimo. Ele acordou atrasado, perdeu a carona e ainda caiu do skate pouco antes de chegar à praça próxima à escola, onde já estava sentado.
- Que merda é essa no seu queixo?- perguntou assim que viu o amigo.
- Caí de skate enquanto tentava não me atrasar. - resmungou, já aceitando que aquele dia seria horrível.
- Toma, isso vai fazer você melhorar. - entregou a lata de cerveja para o amigo, fazendo arquear a sobrancelha enquanto encarava o amigo.
- Você quer que eu beba antes de ir para aula? - riu, vendo concordar com a cabeça. - Você não bate bem da cabeça.
- Pensei que você já soubesse disso. - falou e riu ao ver o amigo bebendo.
pousou a lata na mesa, olhando para a rua e sentindo-se preso no olhar que a garota lhe lançara. Ela possuía um cigarro preso entre os dedos e sua boca marcada por um batom vermelho estava semiaberta, enquanto seus olhos analisavam . Se o garoto já estava fascinado nela, ele não conseguiu esconder a cara de bobo ao vê-la sair do carro e ir para a escola.
- Você viu isso?- parou de encarar o local que a garota estava, encarando o amigo e vendo que olhava para o mesmo local que ele olhava segundos atrás.
- Acho que é uma boa nós entrarmos na escola.


riu fraco, sabendo que ali fora o exato momento que comprometera sua amizade por causa de uma garota. Ele não se orgulhava por ter brigado com , amizade sempre devia vir antes de mulheres, mas não parecia concordar muito com aquilo.

Flashback

A idade mais festeira é sem dúvida alguma, a adolescência. estava feliz por ir a sua primeira festa em Roundview, mas também estava nervoso. Ele nunca tinha ido em uma festa sem estar acompanhado de , e naquela noite seu amigo não poderia acompanhá-lo, pois iria com . sabia que não tinha nada com a garota, mas desde o início tinha deixado explícito para o amigo que estavam bem mais que atraído por , e mesmo assim ficou com ela. Ele sabia que não tinha como resistir aos encantos da garota, mas ele esperava que pelo menos não repetisse o ato.
já tinha noção de há quanto tempo estava naquela festa, seus neurônios já não se esforçavam mais em trabalhar. A bebida batizada deixava imensamente feliz, o garoto sequer lembrava que não tinha curtindo ao seu lado.
- Acho que você está um pouco alegre de mais. - a voz de pareceu falar dentro de sua cabeça, e percebeu que talvez tivesse exagerado um pouco.
- Eu estou me divertindo, eu precisava disso. - ele murmurou, finalmente achando a garota próxima ao seu corpo. - Você não deveria estar com o ?
- Só pelo fato de que eu vim com ele? - questionou com um sorriso brincando nos lábios.
- Sim? - a afirmação de saiu em tom de questionamento, fazendo rir.
- Você precisa de um pouco de ar, se não vai começar a passar mal. - a garota falou, segurando no pulso dele e arrastando-o entre o mar de pessoas.
- Eu estou bem, não estou me sentindo mal. - ele murmurou tempos depois.
- Eu já passei pela minha primeira festa em Roundview, já estive na sua posição. - ela falou, enquanto sentava no balanço do quintal. - Nunca é uma boa ideia beber a cerveja dessas festas.
percebeu que não estava bem quando sentiu o estômago começar a revirar diversas vezes seguidas, sentindo o enjoo tornar-se crescente. Botou a mão na barriga, enquanto tombava o rosto para frente e vomitava tudo o que tinha ingerido essa noite. Sentiu sua cabeça ser levantada e fechou os olhos, apreciando o carinho que fazia em sua cabeça.
- Por que você está sendo tão legal comigo? - murmurou com a voz rouca.
- Não é como se eu fosse uma má pessoa. - ela riu fraco.
- Também não é como se você fosse perder uma festa só para cuidar de um bêbado que ainda nem estava mal. - ele rebateu, fazendo o silêncio durar bastante tempo.
- Eu me importo com você. - ela falou tão baixo, que questionou se realmente tinha escutado certo.
- Pensei que você não se importasse com ninguém, apenas com você. - falou e mordeu o lábio inferior. Malditos bêbados que falam tudo o que pensam.
- Eu me importo com você, porque eu gosto de você. - ela murmurou, rezando para que ele estivesse bêbado demais e não se lembrasse.


adorava, sem dúvida alguma, aquele dia. Ele não se importava por ter passado mal na frente da garota que ele gosta, a simples e pequena frase que ela falara, o deixou em estado de êxtase, e ainda deixava sempre que ele se lembrava da voz baixa de dizendo que gostava dele. Mas por mais que aquele dia tenha lhe marcado positivamente, o dia posterior não lhe agradava de ser lembrado.

Flashback

sentiu sua cabeça latejar assim que abriu os olhos. Ele arrependia-se totalmente pela noite de bebedeira, mas sabia que faria novamente, como sempre. A cabeça que antes latejava pela dor da ressaca, agora doía ao lembrar a frase de . A voz da garota parecia ecoar em sua cabeça, enquanto a frase repetia diversas vezes em sua cabeça, como um disco arranhado. Um sorriso bobo estava estampado no rosto do garoto. Ele tinha certeza de que de agora em diante, tudo daria certo.
saiu de casa após um banho longo e um lanche acompanhado do remédio para sua dor de cabeça. O garoto estava decido em ir até a casa de , ele lhe diria que também gosta dela e tudo estaria certo.
Ele não sabia ao certo qual era a casa dela, mas sabia sua rua. Ao entrar na rua, caminhou devagar, olhando cada casa, tentando adivinhar qual era. Ao chegar próximo ao final da rua, viu parada na janela, encarando-o sem expressão alguma no rosto. sorriu, satisfeito por ter achado a casa da garota, mas seu sorriso morreu ao perceber que ela não estava sozinha no quarto.
A cortina logo fora puxada para o lado, e o corpo de apareceu ao lado do de , enquanto o homem a abraçava pela cintura e encarava , abrindo um sorriso sujo e logo começando a distribuir beijos pelo pescoço da garota, enquanto continuava a encarar sem demonstrar qualquer coisa. O garoto abaixou a cabeça, não acreditando que tinha caído tão fácil no papo de e saiu dali.


Sem dúvida alguma, aquele fora o dia que percebeu que sua amizade com estava balançada demais para que eles agissem como antigamente. parecia não se importar com o efeito que causava na amizade entre dois, e tentou ignorar o que sentia por ela.

Flashback
sentia-se um grande otário por nutrir sentimentos com a garota que parecia apenas querer brincar com seu coração enquanto ficava com seu amigo, mas tinha algo em que o impossibilitava de se afastar. Ele continuava ali, atrás dela, enquanto eles sequer tinham se beijado.
- Espero que não tenha problemas eu sentar aqui.- falou, enquanto arrumava o material na mesa ao lado da de .
- Você pode sentar onde quiser. - ele murmurou com o olhar fixo no quadro, disposto a ignorar o máximo que podia a presença dela ao seu lado.
- Eu não esperava que você fosse lá em casa após a festa. - ela falou, após os dois ficarem em silêncio.
- Nós não esperamos muitas coisas, eu, por exemplo, eu não esperava ver você ficando com o meu amigo após você dizer que gostava de mim. - ele riu de modo forçado, fazendo morder o lábio e aproximar-se, roçando levemente seus braços.
- Você já escutou o que todos falam sobre mim, não deveria criar esperanças. - ela falou, fazendo-o soltar um longo suspiro.
- Escutei que eles acham que você não deixa ninguém se aproximar, pois tem medo que quebrem seu coração.- falou e acariciou levemente a mão de .
- Eu não deixo ninguém se aproximar, para que eu não tenha que quebrar seus corações. - ela falou, afastando a mão do carinho de . - É por isso que eu não deixo você se aproximar, não quero quebrar o seu.
- Bem, talvez eu quebre o seu. - ele falou, encarando pela primeira vez no dia.
- Ninguém quebra meu coração. - falou enquanto encarava sem demonstrar nenhuma expressão.

...


não sabia mais o que fazer, sua mente não parecia disposta a deixar que ele ignorasse . Na hora de dormir, quando ouvia uma música triste, quando lia Hamlet ou até mesmo quando andava de skate, estava sussurrando em sua mente. Nem conseguir fumar um baseado sem pensar nela, ele conseguia.
subiu no skate, decidido a dar um jeito naquela história, ele não aguentava mais. Foi até a casa de , batendo desesperado na porta, antes que a coragem que sentia se esvaísse.
- A está? - questionou assim que uma mulher abriu a porta.
- Não. - a mulher murmurou.
- Sabe onde ela está? - perguntou enquanto rezava para que a mulher lhe respondesse positivamente, vendo a mesma abaixar o olhar. - Por favor.
- Acho que ela está no parque. - a mulher falou e sorriu enquanto lhe agradecia.
subiu no skate e passou rápido pelas ruas, indo o mais rápido que conseguia. Diminuiu a velocidade assim que o concreto das ruas abaixo de si fora trocado pela grama do parque e começou a gritar o nome da garota, após constar que ela não estava na grama.
ficou de costas para o lago e sacou o celular do bolso, ligando para a garota. O som abafado do toque de podia ser ouvido, e virou para o lago, vendo a garota em pé na madeira que ficava presa no meio do lago.
Ele jogou o celular na grama e tirou os tênis com os pés, enquanto jogava a blusa no chão. entrou correndo no lago, começando a nadar na direção da garota, enquanto pulava na água e vinha em sua direção.
Antes que pudesse falar algo, colou seus lábios, assim que viu o garoto a sua frente.
- , eu vim de te dizer que...
- , acho melhor você não...
Aproveitando que tinha cortado sua fala, cortou a da garota, porém juntando seus lábios novamente, enquanto acariciava o rosto da menina. cortou o beijo, sem que realmente querer fazer aquilo e acariciou o rosto de .
- Acho que agora você sabe. - ele sorriu, dando as costas para a garota e voltando a nadar, dessa vez para terra.


Já se passava mais de um mês que continuava tentando se aproximar de após o beijo, enquanto ela continuava a fugir dizendo que não queria machucá-lo. já estava cansado do mesmo papo, cansado de insistir tanto e ela não se importar a mínima.
estava decidido a ignorar a atração que sentia por , ele queria alguém que curtisse ele do mesmo modo que ele curtisse a garota. E foi com esse pensamento em mente, que ele decidiu que daria uma chance a Katie.
A garota era totalmente o oposto de , em todos os sentidos. Com Katie não tinha jogos, era tudo direto e admirava isso na garota. Ele já estava ficando com Katie por uns bons dias, e ele não se arrependia de sua decisão.
- É legal da sua parte me trazer aqui. - Katie sorriu enquanto sentava no colo de .
O garoto segurou a cintura da menina com as duas mãos, começando a beijá-la intensamente. separou seus lábios e desceu os beijos para o ombro de Katie, enquanto ela abria os olhos e assustava-se ao ver parada ali.
- Karen, eu disse... - a voz abafada de fora cortada por Katie.
- Oi, . - Katie falou, ainda encarando a garota que estava estática encarando-os.
mordeu o lábio, afastando-se de Katie e encarando . A garota estava diferente de qualquer uma das vezes que ele tinha visto-a. O cabelo de estava bagunçado, seu rosto não possuía nenhuma maquiagem, exceto o rímel borrado abaixo do olho que dava uma aparência ainda mais acabada para a garota.
sentia-se completamente estúpida ali, parando próxima a porta enquanto via os dois juntos. Deveria ser ela ali, não Katie. E ela sabia que seria ela ali, se não tivesse tratado tão mal.
- Eu não estou brincando, você está horrível. - Katie falou debochada, enquanto encarava dos pés a cabeça. - O que aconteceu?
- Nada. - deu de ombros e abriu um sorrindo forçado, virando-se para sair daquele lugar.
- Que bom que está aqui. - Katie falou levantando-se do sofá e fazendo recuar e virar em sua direção. - Você sabe dirigir?
- Sei, por quê? - questionou, não entendo onde Katie queria chegar.
- e eu vamos dar uma festa no bosque. - Katie sorriu e virou na direção de , que levantava do sofá. - Qual é o nome, querido?
- Globbers End. - falou e aproximou-se de Katie, parando ao lado da garota.
- Isso mesmo, venha com a gente. - Katie falou, mas só conseguia focar em Katie e de mãos dadas.
- Eu ia sair com o carro do meu pai, mas ele vai sair com a Karen. - falou e Katie concordou com a cabeça.
- Sempre fazemos isso. - Katie falou sorrindo e segurou-se para não revirar os olhos.
- Tenho que pedir o carro para a minha mãe. - murmurou enquanto encarava .
- Legal. Podemos fazer uma pergunta? - Katie aproximou-se de e não esperou resposta para começar a falar. - e eu não queremos chamar muita gente. Não queremos uma baderna.
- E daí?- perguntou, sentindo a vontade de sair correndo dali tomar conta de seu corpo.
- não está convidado. - Katie sorriu de modo falso e encarou .
- Não gostamos dele. - falou encarando fixamente.
- Veja se vai poder ir e nos responda. - Katie soltou mais um de seus sorrisos falsos. - Vou tomar banho, amor, você vem?
- Depois. - falou, sentindo-se desconfortável com o modo que Katie agia. - Você deveria ir.
- Você quer que eu vá? - perguntou ao ver parado a sua frente, que apenas deu de ombros.
- Por que está aqui? - perguntou antes que cruzasse a porta.
- Vim lhe dizer uma coisa. - ela murmurou, virando-se de frente para o garoto.
- Então diga. - falou.
- A garagem mudou. - ela murmurou encarando as paredes.
- . - murmurou, vendo os olhos da garota se encherem de lágrimas.
- A gente se vê. - sorriu fraco, virando-se de costas.

“Se liga, que o mundo dá voltas não deixe a vida querer te ensinar
Se liga, amanhã pode ter outra no seu lugar”




Fim



Nota da autora: Admito que escrevi essa história diversas vezes e apaguei diversas vezes, pois não sabia como queria ela exatamente. Ela foi escrita inspirada totalmente em Effy e Freddie, de Skins, recomendo vocês a assistirem. Espero que vocês tenham gostado de ler, por mais que ela tenha sido curtinha. Queria dizer que sinto muito por eles não acabarem juntos, mas eu não sinto haha



Outras Fanfics:
Are You The One?
O Namorado da Minha Namorada
MV: Last Friday Night
MV: Give Me Love
MV: Criminal
MV: The One That Go Away
MV: We Belong Together

Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.


comments powered by Disqus