Contador:
Última atualização: 17/04/2020

Capítulo Único

não sabia dizer, ao certo, quando aconteceu.
Tão de repente quanto o dia virava noite, suas madrugadas tornaram-se o momento preferido de seu dia.
Não apenas porque, à meia noite, ela começava a anestesiar seu corpo com as primeiras doses de Cosmopolitan.
Nem porque, à uma da manhã, o álcool a fazia se sentir leve como caminhar entre as nuvens.
Também não tinha nada a ver com o fato de que, às duas, melódica e serena, ela subia ao palco para deslumbrar o público do TBA Brooklyn, noite após noite.
O ápice de suas madrugadas acontecia exatamente sessenta minutos mais tarde.
Quando os ponteiros do relógio cravavam exatas três horas da manhã, fechava os olhos, respirava fundo e permitia sentir, no fundo do seu ser, as sensações que apenas ele era capaz de lhe causar.
No bar underground, diariamente lotado e que mais parecia uma velha garagem incrementada com uma iluminação moderna, subia ao palco com uma guitarra vermelha nas mãos e a voz áspera com a qual era podia conquistar qualquer um, até mesmo a milhas e milhas de distância.
Há pouco mais de um mês, os olhos azuis de não precisavam matutar muito para, durante a uma hora que sua banda embalava o bar, se concentrar na mesa solitária localizada ao canto direito do palco, praticamente grudada aos pés do baixista.
Era ali onde a garota que cantava exatamente uma hora antes dele estava.
Não era apenas uma informação aleatória – ele sabia bem – pois fora exatamente nos momentos em que ela deixava o palco e ele se preparava para tomar o seu lugar que as trocas de olhares e galanteios começaram a acontecer.
Ela adorava as tatuagens espalhadas pelo corpo dele. Ele adorava a forma que seus cabelos negros se bagunçavam e se misturavam com as penas brancas que ela fazia questão de usar em seus shows. Ela adorava como, ao final de toda noite, ele bolava um baseado para que eles pudessem dividir. Ele adorava como ela, graciosamente, tirava seus saltos e se aninhava em seu peito nu após as primeiras tragadas.
Ela gostava do fato de que o romance deles acontecia sempre de madrugada – parecia algo tirado do roteiro de um filme piegas dos anos cinquenta.
Ele gostava do fato de que o romance deles aconteceia sempre de madrugada – era a desculpa perfeita para ter o corpo da garota junto ao seu durante a noite inteira.
Ela era a calma, como águas cristalinas de um oceano fleumático.
Ele era o caos, como labaredas ardentes e tempestades frenéticas.
não ligava para o que diziam.
Que aquilo não ia funcionar. Que era apenas a distração rebelde que aparecia antes de ela encontrar o cara certo. Que paixões assim, tão intensas, eram as primeiras a se apagarem. Que ela era ainda muito nova para entender o que significava amar alguém.
– Você estava ótimo lá em cima. – O elogio veio acompanhado de um beijo carinhoso nos lábios doces do garoto.
– Não tanto quanto você. – E as mãos de , em um estalar de dedos, estavam emaranhadas no cabelo de , trazendo-a para mais perto dele pela nuca.
Ela mordeu os lábios e os entortou em um sorriso, do jeito que ela sabia que o enlouquecia.
– Me leve lá pra trás, rockstar.
Ele não precisava olhar para saber para onde ela apontava.
Atrás do palco. No lugar deles.
Onde dividiam risadas, segredos e luxúria.
Onde tentavam, noite após noite, escrever uma só letra que não fosse sobre o que acontecia entre os dois.
Onde ele a segurava em seus braços e fazia com que ela se sentisse a garota mais especial que havia passado por sua vida.
não sabia dizer, ao certo, quando aconteceu.
Mas, de repente, para ela, aquela noite tinha o gosto de despedida.
não ligava para o que diziam.
Ainda assim, ela sabia que aquilo não ia funcionar. Sabia que era apenas a distração rebelde que aparecia antes de ela encontrar o cara certo. Sabia que paixões assim, tão intensas, eram as primeiras a se apagarem. Sabia que ela era ainda muito nova para entender o que significava amar alguém.
Sabia, ou então deixou-se convencer, ao vê-lo tão vulnerável, descansando a cabeça em seu colo enquanto ela acariciava os cabelos dele e sentia seu coração bater na mesma velocidade amorosa que sua respiração.
Ela fechou os olhos, segurando as lágrimas que ameaçavam rolar por seu rosto. As mãos, ligeiramente trêmulas, seguraram o rosto do garoto com delicadeza, apenas para que ela pudesse deslizar pelo sofá e colocar-se de pé.
Seja mais legal que ele.
Talvez não soubesse como fazer caber no peito o que pensava sentir por ele. Talvez não conseguisse lidar com o fato de que ele conseguia fazê-la se sentir tão viva como jamais havia sentido. Talvez fora o fato de ter sentido o beijo de especialmente mais carinhoso do que em outros dias e, então, sentir-se mergulhando cada vez mais fundo em águas em que, claramente, se afundaria.
Ela o olhou mais uma vez, querendo gravar todos os traços do rosto delicado que ela tanto admirava. Precisou colocar a mão no peito antes de, silenciosamente, chegar até a porta.
ligava para o que diziam. E o medo de ter o coração partido por aquilo que os outros criaram sobre o garoto por quem ela estava se apaixonando fora maior do que a coragem de deixar descobrir onde os desejos chegariam.
Talvez ela tenha apenas escolhido antecipar o que acontecia naturalmente quando calor e frio colidem – a briga eterna e destrutiva que podia resultar somente em dois lados machucados.
A menos que um decida se sacrificar antes.


Fim.



Nota da autora: "Olá, amores!
Espero, de verdade, que tenham gostado da leitura. Sendo bem sincera, eu tinha algo completamente diferente sobre o que escrever com essa música – mas meus dedos são inquietos e eu tenho certeza que não conseguiria parar antes da história se tornar um pouco cansativa pois, mesmo tentando trezentas vezes, eu simplesmente não consigo encontrar um conflito concreto na letra da maravilhosa Brooklyn Baby! hahaha Então acabou virando isso… meio fanfic, meio conto. Uma pequena reflexão sobre tomar alguma decisão e, então, viver com o frustrante “e se…?”
Nos vemos em outras histórias!
Beijos ♥"



OUTRAS FANFICS DA AUTORA:

Chaos Theory [Originais - Shortfic]
Me, My Teacher and Our Secrets [Originais - Em Andamento]
Midnight in Hollywood [Restritas - Originais - Em andamento]
Shades of Cool [Originais - Finalizada]
The Beauty of Being Broken [Originais - Em Andamento]


Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.


comments powered by Disqus