CAPÍTULOS: [Prólogo] [2] [3] [4]





07 Long Way Down






Prólogo


Harry - Turnê Lyon
Harry está cantando seu solo em Ready To Run quando de repente é atingido por um sutiã no rosto. Após terminar de cantar sua parte, ele pega o sutiã, o veste e fica dançando a moda Styles durante o refrão. Assim que o refrão termina, Harry sai correndo ao encontro de Niall e o atrapalha enquanto ele tenta fazer o seu solo. Quando a música termina, Harry joga o sutiã de volta para a plateia.
- Espero que a Gemma não tenha visto isso. – Harry brinca. – Não conte para a mamãe.

– LA
está se preparando para sair do estúdio quando Alejandro Iñárritu a intercepta.
- Foi incrível trabalhar com você, . – Alejandro fala.
- Eu que agradeço por essa oportunidade. – diz, surpresa com o elogio. – Ainda não consigo acreditar que Emmanuel Lubezki me indicou para o trabalho.
- Claro que indicou, depois daquele curta metragem maravilhoso. – diz o diretor. – Depois de Cannes, o Oscar. – ele brinca.
- Seria um sonho. Foi demais poder trabalhar com você.
- Bom, nos vemos na festa de estreia. – Alejandro se despede com dois beijinhos no rosto de e a deixa para trás.


Capítulo 1


Harry – Paris
Gemma deixa o quarto de Niall, no exato momento em que me despeço de Kendall, na porta de meu quarto. Kendall vai embora sem ver Gemma, que vem em minha direção e me empurra para dentro do quarto, com cara de brava.
- Harry!
- O que foi agora, Gemma? – pergunto rolando os olhos e me sentando na cama.
- A Kendall, Harry? De novo?
- Calma, irmãzinha. Ela só estava me dando umas dicas de moda. – finjo seriedade.
- Primeiro o sutiã e agora a Kendall? – Gemma diz enquanto se joga na poltrona perto da cama.
- De onde você está vindo a essas horas? – me faço de desentendido e tento mudar de assunto.
- De Nárnia, você sabe muito bem de onde eu venho, e o assunto aqui não sou eu.
- Muito menos eu. – falo.
- Soube que terminaram as gravações do filme. – Gemma me olha incisivamente.
- Que filme? – pergunto, ligando a televisão.
- Aquele dirigido pelo Alejandro Iñárritu. – Gemma responde, desligando a televisão e me olhando brava.
- Qual? O Regresso? – me faço de desentendido.
- Não, aquele polêmico com a diretora de fotografia. Dizem que ela vai ser a primeira mulher a ganhar o Oscar nessa categoria.
- Não quero falar sobre a . – digo irritado.
- Harry...
- Gemma, eu tenho show amanhã, preciso descansar. – abro a porta do quarto, e faço gesto para que Gemma saia, ela me abraça contrariada, mas vai embora sem dizer mais nenhuma palavra.

Saio do banho e sento-me à janela do quarto, observando a chuva que cai sobre a torre Eiffel. Apesar de contemplar o monumento não consigo esquecer do nome de , faz alguns meses que as memórias dos momentos que passamos juntos já não me assombram mais. Porém, agora que Gemma fez questão de tocar no assunto, não consigo evitar que as lembranças do dia em que nos conhecemos me atinjam em cheio.

Harry (Flashback)
Estava em casa a dois dias, eu havia chegado sem avisar para fazer uma surpresa para Anne. E também queria passar mais tempo com Gem, que não pode me acompanhar na turnê desta vez. Porém, Gemma esteve muito ocupada esses dias com a sua nova amiga. Não me recordo o nome dessa amiga, só sei que essas duas estavam cheias de compromissos.
Não era sempre que eu estava em casa e queria passar um tempo em família, o que incluía Gemma. Estava começando a ficar irritado, mas não queria falar com a minha irmã, ela tinha que perceber por si mesma que deveria passar um tempo comigo e não só com aquela garota.
Desci até a cozinha e acabei pegando uma parte da conversa de Gemma com Anne, enquanto as duas faziam um chá.
- Não se preocupe com nada, mãe. – Gemma dizia. – Já tenho tudo sobre controle.
- Veja bem o que você vai aprontar, Gem.
- Não vou aprontar nada.
Estava claro na expressão de minha mãe que ela não acreditava, e disse: - Seja o que for, provavelmente, vai me fazer chorar.
Antes de mais nada devo dizer que no dia seguinte era o dia das mães. Eu estava feliz, porque com toda certeza, todos estariam em casa, e antes de eu partir eu poderia ter uma foto de todos juntos para me acompanhar onde quer que eu fosse.

Quando acordei no dia seguinte, Gemma estava na cozinha fazendo suas receitas doidas. Tudo o que eu queria era um sanduiche, mas ela não me deixou comer e mandou que eu arrumasse a mesa. E quando a sua irmã mais velha manda, você deve obedecer.
Quando mamãe acordou veio até a cozinha seguida por John e nos viram sentados a mesa, com um lindo café da manhã. Eu já estava a postos com a minha polaroide e consegui capturar a expressão surpresa de Annie. Abraçamos nossa mãe e a enchemos de beijos, dizendo que a amávamos e como ela era especial.
Na hora do almoço Gemma voltou para a cozinha, perguntei se ela precisava de ajuda, mas ela disse que não. Peguei o meu violão e fui para os fundos da casa e comecei a cantarolar algumas músicas, o dia estava frio em Londres.
Só voltei para dentro quando ouvi gritos e exclamações como: “Que bom que você veio!” e “Não acredito!”. Quando cheguei na sala vi uma garota que nunca havia visto antes.
- Harry, esta é a , amiga de Gemma. – apresentou Annie.
- Prazer. – respondi começando a me irritar, não queria acreditar que essa “amiga“ ladra de irmãs veio passar o dia conosco.

Na mesa para almoçarmos fiquei de frente para , que por sorte não olhou ou se dirigiu a mim.
- É tão bom estar com todos vocês aqui hoje. – Annie disse. – Amo todos vocês, meus bebês. – ela disse sorrindo e muito alegre.
- É bom que o Harry tenha conseguido vir dessa vez para passar o dia, deve estar bem feliz em ter a família toda reunida. – disse , a amiga de Gemma.
- Não vim para passar o dia. – corrigi, sem paciência com a garota. – Passei praticamente a semana inteira aqui.
- Que bom. – ela disse, simples.
- Bom. – repeti. – Teria sido melhor se minha irmã tivesse parado algum dia em casa, mas acho que ela estava ocupada demais...
- Harry! – Gemma me interrompe.
percebendo que eu estava me referindo a ela disse: - Desculpa, não foi minha intenção manter Gemma afastada, eu nem sabia que você estava na cidade.
- E também não sabe que hoje é o dia das mães? – perguntei irritado. – Só acho que você deveria ir passar com a sua mãe.
- Harry! – Gemma exclamou. – O que é isso? – ela estava indignada.
- Ele está certo. – falou. – Obrigada por tudo, Gem. Annie, feliz dia das mães. – disse enquanto colocava em cima da mesa uma caixinha de presente e deixava o cômodo.
- Harry! Que má educação. – brigou Annie. – Por que você fez isso?
Os olhares de repreensão de Annie e Gemma fizeram minha raiva se dissipar. Gemma se levantou e foi correndo atrás de .
- O que a fez para você? Ela é uma ótima garota. – Annie falou. – Harry Styles, você deve se desculpar.
Não precisava que minha mãe me dissesse aquilo, eu sabia muito bem que havia perdido o controle. Acho que a saudade, o cansaço e a volta da turnê resultaram tudo em minha explosão com .
- Desculpa. – disse para Annie e me levantei. Quando cheguei a frente da casa, Gemma estava sozinha.
- Você não deveria ter falado daquele jeito com ela. – Gemma disse quase chorando.
- Eu sei, - disse – me arrependo profundamente.
- Eu a convenci a comprar o CD do One Direction ontem... Foi ontem que eu contei para que sou a irmã de um popstar. Ela não sabia.
- Não achei que ela me conhecesse.
- Então por que fez aquilo? Expulsá-la? Já foi difícil convencê-la a vir.
- Porque por causa dela você ficou fora a semana inteira.
- Não foi por causa dela em si, Harry. – Gemma explicou. – Estamos fazendo um curta, já tínhamos pagado a locação.
Gemma me explicou que havia conseguido um patrocínio em um fundo cultural para realizar um curta metragem e que ela a estava ajudando na parte de produção. tinha o sonho de ser uma cinegrafista e já tinha feito vários cursos e especializações, porém quase ninguém contratava uma cinematografa mulher, e por isso ela tinha que correr atrás e fazer o próprio filme.
Pedi o endereço de para Gemma, mas ela duvidou que a amiga estivesse em casa. Ela me passou o celular de e resolvi procura-la pela cidade. Estava me sentindo muito culpado por ter sido tão grosso. Espero que a primeira impressão, não seja a que realmente fica.
Após dirigir algumas quadras, recebi uma mensagem de Gemma pedindo para que eu fosse procurar em PUB perto do centro. Prendi meu cabelo em um coque e coloquei a minha touca, dando graças pelo dia frio que me permitia, praticamente, me esconder dentro de meu casaco, quando vi estava sentada na bancada do bar. Parecia já ter bebido algumas doses, pois não me reconheceu de primeira, era isso ou eu estava me tornando um mestre dos disfarces.
- Minha mãe morreu. – disse olhando bem no fundo dos meus olhos e foi quando finalmente entendi porque Gemma tinha ficado tão brava comigo.


Envolvido pela sensação da lembrança, pego o celular sem pensar e ligo para .... Não sei ao certo o que esperar, tudo o que quero é ouvir a voz dela mais uma vez. Uma última vez antes de ir dormir e acordar no dia seguinte recarregado para mais um show.
– LA
Meu celular toca sem parar, mesmo o número não estando salvo na memória do celular, ele está mais do que gravado em minha mente. A foto de Harry deu lugar a uma imagem de desconhecido, mas suas ligações continuam a causar a agitação das borboletas em meu estômago.
Eu sei o que ele me pediria se eu atendesse sua ligação e eu também sei que, uma hora ou outra, eu acabaria cedendo. E por mais que eu queira eu não posso, não agora que a minha carreira está finalmente decolando, não posso largar tudo e voltar para o Harry. Lentamente, e como muita dor no coração, deslizo meu dedo pelo celular, declinando sua ligação.
“Por favor, Harry. Não me ligue mais, não quero e não posso trocar de número de novo. Não faz isso comigo, por favor. –

Meu celular não volta a tocar o resto do dia, pelo menos não com o número de Harry na tela.

Harry – Paris
Jogo meu celular contra a cama do hotel e bufo de raiva bagunçando mais o meu cabelo. Ainda não consigo entender o porquê, era como se eu tivesse sido apenas mais uma peça. Eu queria poder perdoar a por ter escolhido a carreira a mim, mas eu simplesmente não sei como perdoa-la. Nós tínhamos tudo, e de repente, tudo se foi.

– LA
Chego da festa de estreia do filme e me jogo no sofá. A ligação de Harry ainda me assombra e não consigo evitar me lembrar da primeira vez em que ele me ligou.

(Flashback)
- ? ! – me senti desnorteada quando atendi o telefone no meio da madrugada, e alguém gritou em meu ouvido.
- Alô? – falei ainda sonolenta.
- Ah, ! Você está ai ai ai!
- Harry? – perguntei indignada quando consegui reconhecer a voz do outro lado da linha.
- , é bom ouvir sua voz! – Harry falou enrolado, e tive a certeza que ele já estava mais do que bêbado.
- Harry, o que você está fazendo? Já é tarde. – falei calmamente.
- Is it too late now to say sorry?
- Harry, você sabe que você não está fazendo sentido nenhum, não é?
- Desculpa, desculpa. Eu fui muito imbecil.
- Tudo bem. Só desliga e vai dormir, Harry.
- Não, você não pode me perdoar facilmente, tem que ser difícil. – Harry começou a rir do nada. – Rimou, você viu? Rimou com o que eu disse antes. Agora eu vou rimar tudo o que eu disser, você merece.
- Harry, pelo amor de Deus.
- Desculpa, foi tudo minha culpa. Mas quero te recompensar, então estou te convidando para comigo jantar. – Harry disse e riu mais. – Viu, eu sou muito bom, não sou?
- Na verdade, você é péssimo, Harry. – eu disse séria.
- Péssimo, eu? Saiba que você não me ofendeu.
- Meu senhor, Harry. São quatro horas da manhã, pare de me pentelhar.
- Eu só vou parar de te pentelhar quando meu convite você aceitar.
- Tá bom, Harry. – falei rindo. – Se você parar com essas rimas desastrosas, eu vou com você a qualquer lugar.
- Ebaa! Uhul! – pude ouvir sua comemoração.
- Se você ainda quiser sair amanhã, depois que você estiver sobreo, me liga. – falei desligando o telefone e voltando a deitar a cabeça no travesseiro e pensando em Harry, ele não tinha jeito mesmo. Mas eu gostava dele.


Gemma – Paris
Estou no quarto de Niall, jogada em sua cama, mais uma vez reclamando sobre meu irmão mais novo.
- O Harry é inacreditável, ele estava com a Kendall de novo ontem. – digo, revirando os olhos.
- Gem, você tem que deixar o Harry viver a vida dele. – Niall sorri meio triste para mim, enquanto brinca com meu cabelo.
- Eu deixo.... Mas não consigo evitar.... Tenho certeza que ele vai acabar se arrependendo.
- Se arrependendo de quê? De ficar com a Kendall? Acho que não, heim. – Niall diz rindo da minha cara.
Bato em Niall com um travesseiro, enquanto digo: – Ele vai se arrepender de perder a .
- Mas foi ela quem terminou com ele. – diz Niall, o senhor obviedade.
- Quem se importa com esse mero detalhe? – digo, irritada. - O Harry sempre foi o cupido de todos, mas parece sempre se esquecer dele mesmo.
- E o que você quer fazer?
- Onde será o próximo show?
- Em uma cidade chamada Lyon, nunca estive lá, mas deve ser legal. Depois vamos para Zurique. – Niall dá de ombros, não entendo o que pretendo fazer com essa informação.
- Ótimo. – digo animadamente, me despeço de Niall com um beijo, e saio correndo em direção ao meu quarto.
Mando uma mensagem para .

“Soube que o filme é um sucesso, mas e aí? Tá afim de tirar umas férias?”


Capítulo 2


– Zurique
O avião pousa no aeroporto de Zurique, e Gemma e eu descemos do avião. O clima está ameno e fico contente por não ter exagerado nos casacos.
Surpreendo-me quando chegamos a área de desembarque do aeroporto. O local está lotado de adolescentes entoando canções do 1D, enquanto seguram vários cartazes com mensagens de amor.
Imediatamente percebo o que está acontecendo e tenho vontade de matar a Gemma. Fiquei tão preocupada em não ter notícias do Harry, que não percebi as segundas intenções de Gemma quando me convidou para vir a Zurique.
- Não acredito que você fez isso. – digo nervosa, enquanto puxo Gemma para um canto. – Você só pode ser idiota, sério.
- Ei! Não precisa ofender também. – Gemma me olha triste, mas não consigo conter minha raiva.
- Eu te odeio tanto agora que você não faz nem ideia. – digo e me exalto, falando um pouco mais alto do que devo. – Com uma amiga como você, eu, definitivamente, não preciso de uma inimiga.
Gemma tenta dizer alguma coisa, mas não ouço e saio de seu alcance antes que ela possa me impedir. Saio, praticamente, correndo do aeroporto. Me sinto sufocada com a ideia de estar tão próxima de Harry e ao mesmo tempo tão distante.
Ando pela cidade sem saber onde estou indo, sem prestar atenção a minha volta. Eu só quero poder entrar no avião e fazer o caminho de volta para Los Angeles.
Sem me dar conta, acabo parada na frente do hotel em que Harry e eu ficamos hospedados na primeira e última vez em que estive aqui. Tento não pensar naquela última noite juntos, mas não consigo evitar.

(Flashback)
As estrelas brilhavam no céu, a lua estava cheia, e o vento soprava frio. Ora eu observava o movimento da rua ora as estrelas, da sacada do quarto de Harry em Zurique. Ele ainda não tinha chegado do show e eu tentava me preparar para a conversa que teríamos.
Estava na hora de terminar tudo o que tínhamos. Em pouco mais de um mês eu ia me mudar para Los Angeles, atrás dos meus sonhos, uma oportunidade como a que ganhei não poderia ser desperdiçada. Mas o nosso relacionamento, que já era difícil por ele estar viajando na maior parte do tempo, ficaria ainda mais complicado agora. Estava tão perdida em meus pensamentos que não percebi quando Harry chegou. Me arrepiei com seus leves beijos em meu pescoço, enquanto ele me abraçava por trás.
- Oi, . – ele sussurrou, sua voz rouca fazendo meu coração bater mais rápido.
- Oi. – mal consegui responder, só conseguia pensar em seus braços fortes me envolvendo. Reconfortei minha cabeça em seu peito, suspirando feliz. – Como foi o show. – perguntei de olhos fechados, aproveitando o carinho que Harry me fazia.
- Foi maravilhoso, como sempre. – ele respondeu e pude sentir em sua voz que ele sorria, ele sempre sorria quando falava de seus fãs e dos shows.
- Que bom. – sorri também.
- Vamos lá para dentro, . – Harry me virou para ele. – Está frio aqui fora. Vamos pedir algo para comer, estou faminto.
Entramos e eu me joguei na cama, enquanto Harry ia para o telefone para pedir o nosso jantar.
- Quer algo em especial? – Harry questionou.
- Não, o que você pedir está bom. – forcei um sorriso, eu não estava com fome, meu estomago completamente embrulhado pelo nervosismo.
Alguns minutos depois o jantar chegou e nós nos sentamos, na cama mesmo, para comer. Eu cutucava minha comida, a jogando de um lado para o outro, sem conseguir ingerir nada. Do meu lado, Harry devorava a comida em seu prato, enquanto prestava atenção a televisão, que passava o The X Factor suíço.
- O que aconteceu? – a pergunta de Harry me surpreendeu.
- É que nós precisamos conversar.
- Você está bem? – Harry perguntou preocupadamente.
- Sim. – eu respondi e me levantei para deixar meu prato no carrinho de serviço.
- , o que está acontecendo? – ele veio atrás de mim e me puxou, me virando de frente para ele e me olhando nos olhos. – Você está branca, . O que houve? Vou pegar água para você.
Harry me fez sentar na cama e foi pegar um copo de água. Eu respirava fundo, me preparando para o que eu tinha que falar. Ele voltou rapidamente e me ofereceu o copo de água.
- Não quero água, Harry. – respirei fundo. – Eu quero terminar. – falei de uma vez. Harry ficou me olhando como se não conseguisse entender o que eu dizia.
Estremeci quando Harry deixou o copo de água cair e se espatifar no chão. Ele parecia assombrado, como se tivesse visto um fantasma. Não falei nada, ele parecia precisar de tempo para assimilar o que eu tinha dito.
- O quê? – depois de longos e torturantes segundos, Harry finalmente falou algo, com olhar vago. – Por quê? – seus olhos finalmente encontraram com os meus.
- Harry, - suspirei. – nosso relacionamento já é difícil por causa das suas turnês, e agora que vou para Los Angeles será ainda pior.
- Nós sempre demos um jeito, nós daremos um jeito agora também.
- Não dá, Harry. – respondi. – Eu preciso focar na minha carreira, não posso me dar ao luxo de ficar 24 horas por dia pensando em você. – mal terminei de dizer e me arrependi ao ver os olhos verdes de Harry se encherem de raiva.
- Quer dizer que eu posso ficar?
- Eu estou pensando em nós dois. Você não pode ser egoísta assim...
- EGOÍSTA?????? – Harry gritou. – VOCÊ ESTÁ TERMINANDO COMIGO PELA SUA CARREIRA E EU ESTOU SENDO EGOÍSTA???
- Calma, Harry... – falei assustada. – É que...
- É QUE O QUÊ? – ele me interrompeu. – EU SEMPRE TORCI POR VOCÊ, EU TE LEVANTEI QUANDO VOCÊ CAIU, EU SEQUEI SUAS LÁGRIMAS, FIQUEI FELIZ POR SUAS CONQUISTAS, TE APOIEI QUANDO NEM VOCÊ MESMA ACREDITAVA NO SEU TRABALHO. FUI O PRIMEIRO A DIZER PARA VOCÊ IR PARA LOS ANGELES E ACEITAR ESSA GRANDE OPORTUNIDADE. VOCÊ QUER TERMINAR POR CAUSA DA DISTÂNCIA? E TODAS AS VEZES QUE EU VIAJEI HORAS PARA PASSAR MINUTOS COM VOCÊ? VOCÊ DISSE QUE EU VOU TE DISTRAIR DO SEU TRABALHO, COMO SE VOCÊ NUNCA TIVESSE ME DISTRAIDO DO MEU! VENHA COM DESCULPAS MELHORES DA PRÓXIMA VEZ.
. - Harry. – falei chegando mais perto dele, tentando colocar a mão em seu rosto. – Eu sinto muito, de verdade.
Harry se afastou bruscamente, e saiu do quarto, parando apenas para dizer:
- Vá a merda!


Harry – Zurique
Os meninos, eu e toda a equipe chegamos no aeroporto em Zurique. Foi nos dado a escolha de não passarmos pela área de desembarque, para que não tivéssemos que enfrentar a multidão de fãs, mas não deixei que isso acontecesse, eu faço toda questão do mundo de passar e pelo menos dar um “oi” para as fãs.
Então todo o processo de chegar até o hotel será muito mais longo e demorado. Pego minha bolsa de mão e saio do avião, os outros meninos vão logo a frente, conversando e brincando entre eles, mas eu não estou no humor, desde a ligação fracassada para , o meu humor não tem sido um dos melhores.
Quando chegamos na área de desembarque, percebemos que o local está muito mais cheio do que imaginamos. Os seguranças fecham um círculo ao nosso redor, e conforme andamos tento dar o máximo de atenção às fãs, apesar da dificuldade.
Com certa dificuldade conseguimos chegar até o carro que nos aguarda. Chegamos ao hotel algum tempo depois. Quero me deitar e descansar da viagem, mas não consigo, talvez seja o fato de que tudo neste hotel me lembra a minha última noite junto com . Então resolvo sair para tomar um ar fresco. Não aviso os seguranças e nem ninguém, apenas saio.

– Zurique
Gemma liga desesperadamente em meu celular e, quando finalmente atendo, ela me avisa que ficaremos em um hotel próximo ao dos meninos, já que ela imaginou que eu não fosse querer ficar no mesmo hotel que eles. Ela só se esqueceu do fato que, talvez, eu não fosse gostar nem de estar na mesma cidade que eles.
Ignoro todos os pedidos dela para que eu vá encontrá-la e continuo andando pela cidade. Conheci bem a cidade da outra vez em que estive aqui, por isso não tenho medo de me perder em alguma rua por aí.
Passo por um café e penso em entrar, mas um tumulto mais a frente chama a atenção. Me aproximo da multidão devagar, garantindo que ninguém perceba a minha presença. Não me surpreendo quando vejo o motivo do tumulto, apenas me surpreendo pelo olhar de medo no rosto dele. No meio do tumulto, assustado está parado ninguém mais, ninguém menos que Harry Styles.
Harry – Zurique
É claro que foi uma péssima ideia sair sem avisar ninguém e sem nenhum segurança. As fãs me cercam e quase não consigo respirar. A cada segundo mais gente chega e não faço ideia de como conseguirei sair daqui.
Estou tirando foto, com o que parece ser a milésima fã, quando um táxi para bruscamente ao lado da multidão, assustando a todos. A porta de trás do táxi se abre, atingindo algumas meninas.
- Entra! – ouço uma voz de dentro do carro, e sem pensar duas vezes e nem olhar para trás, entro no táxi e fecho a porta. Congelo quando vejo quem está ao meu lado.
- Vai! Vai! – grita para o taxista, ela se diverti enquanto o taxista arranca com o carro, deixando uma multidão confusa de fãs para trás.
Observo em silêncio enquanto avançamos pela cidade a caminho da praia, que foi o destino informado por ela. Ela está tão linda quanto antes, mas posso sentir que ela não é mais a mesma.
- O que você faz aqui, ? – pergunto.
- Estou salvando a sua bunda magra. – ela pisca para mim. Apenas olho sério para ela, que fica sem graça. – Gemma. – com uma palavra explica tudo, e eu tenho vontade de matar a minha querida irmã.

– Zurique
Harry está a vinte minutos no telefone, provavelmente com algum manager e é óbvio que ele está levando bronca. Não consigo deixar de achar a situação engraçada, fico repassando mentalmente o dia de hoje e rindo.
- O que é tão engraçado? – Harry chega e pergunta de cara fechada.
- A vida. – digo, simplesmente.
- Paul está vindo nos buscar. – ele fala enquanto senta ao meu lado na areia da praia.
- É uma pena, a vista daqui continua linda. – suspiro olhando para o horizonte.
- Obrigado por me salvar. – Harry fala após alguns minutos de silêncio constrangedor.
- Não tem de quê. – falo e continuo olhando para o mar. Nunca pensei que seria tão desconfortável estar ao lado de Harry novamente.

Harry – (Flashback)
- Vamos, Harry! – me puxava pela mão em direção ao carro.
- Não sei. – falei meio inseguro.
- Deixa de ser bundão, não vai dar nada. – ela disse e entrou no carro. – É só um passeio por Londres no meio da noite, não precisamos avisar cada respiração que damos.
- Tudo bem, o que eu não faço por você né. – entrei e dei partida no carro, avançando rapidamente pelas ruas de Londres.
ligou o rádio e abaixou o capô do carro, seus cabelos voavam com o vento e ela cantava a pleno pulmões. Me juntei a ela na cantoria, desafinando de propósito e a fazendo rir.
Quando percebeu que nos aproximávamos de um túnel, ela ficou em pé no banco do carro e, quando entramos de vez no túnel, ela abriu os braços e fechou os olhos, gritando. Como naquele famoso filme, naquele momento senti que nós erámos infinitos, e que o nosso amor duraria para sempre, seja lá o que o para sempre signifique.
“And if you like midnight driving with the windows down.”


– Zurique
- Harry! – exclamo, estalando os dedos perto do rosto do Harry. Ele balança a cabeça levemente e olha pra mim. – Estou te chamando há décadas.
- Dramática como sempre. – ele revira os olhos. – O que foi?
- O Paul chegou, temos que ir. – falo me levantando da areia e espero que o Harry faça o mesmo. Ele suspira pesadamente e levanta contrariado.

O caminho de volta é silencioso. Paul para o carro na frente do meu hotel, e eu olho para o Harry.
- Você vai ao show amanhã? – ele pergunta.
- Acho melhor não, Harry. – falo sinceramente. – Eu não teria nem vindo para Zurique se tivesse percebido antes que vocês estariam aqui.
- Não sei se fico feliz pela sinceridade, ou ofendido. – Harry sorri triste para mim. – Tudo bem, a gente se vê então, .
- Desculpa, Harry. – falo meio culpada. – Nós precisamos conversar melhor sobre isso, mas não agora, por favor.
- A tem razão, Harry. Não agora, nós temos que voltar pro hotel. – Paul se intromete na conversa.
- Até mais, Harry. – falo rapidamente, abrindo a porta do carro.
- Até. – Harry responde sem olhar em minha direção.

Chego no meu quarto no hotel, ainda pensando no Harry. Tudo o que eu quero é poder ter o meu coração de volta, mas parece que isso não será possível.
- Finalmente! – Gemma exclama, sentada em uma das camas do quarto. – Estava preocupada.
- Como se você já não soubesse onde eu estava, é certeza que uma hora dessa toda a internet já sabe do que aconteceu.
- E é exatamente por isso que eu estou preocupada. – ela fala como se fosse óbvio. – Como que foi com ele? Vocês fizeram as pazes?
- Não, Gemma. – rolo os olhos, me deitando na cama. - Nós não falamos muito. Na verdade, foi tudo muito estranho.
- Vocês são tão complicados. – Gemma suspira dramaticamente. – Já vi que meu trabalho vai ser bem mais difícil.
- Gemma, não inventa, por favor. – suplico. – E aliás, me desculpa por mais cedo, fui muito rude com você.
- Não tem problema, . – ela fala sinceramente. – Pensei que seria até pior do que realmente foi. Você consegue ser bem má quando quer.
- Sorte sua que estou cansada, porque senão agora esse travesseiro estaria na sua cara. – falo apontando para o travesseiro ao meu lado. E quase que imediatamente sou atingida por uma almofada, bem no rosto. – Me diz que você não fez isso, Gemma. – olho para ela de cara feia, tentando segurar o riso.
- Fiz! – Gemma ri e se esconde atrás de outro travesseiro, enquanto eu me levanto e me preparo para a guerra.

Harry – Zurique
Assim que o show termina, saímos do palco exaustos. Não vejo a hora de poder me jogar na minha cama. Faz um tempo que não tenho mais pique para festejar uma noite inteira depois de um show, acho que estou precisando de férias.
Dentro da van, para voltar para o hotel, os meninos vão conversando animadamente enquanto eu, mais uma vez, fico de fora da brincadeira, conseguindo pensar apenas em . Maldita a hora em que me apaixonei por essa garota.
- Uhul! – Niall grita de repente, assustando todos.
- O que foi, Niall? – pergunto levemente interessado, Niall sempre se anima com coisas estranhas.
- A foi indicada ao Globo de Ouro como diretora de fotografia, caras. – Niall fala animadamente.
- E? – Zayn pergunta desinteressadamente, rolando os olhos.
- Deixa pra lá. – Niall balança a cabeça tristemente. Faz um tempo que nós estamos pisando em ovos com relação ao Zayn, tudo é motivo de briga, discussão ou cara feia. Não é segredo para ninguém que Zayn nunca gostou de , então falar dela agora só iria gerar mais discussões desnecessárias.
- Vocês viram a nova música do Ed? – Louis pergunta, mudando o foco da conversa e amenizando o clima chato que havia se instalado no ambiente.

No elevador do hotel, Niall me aborda e volta ao assunto de antes.
- Então, cara. As meninas estão saindo para uma boa noitada de comemoração. Vamos?
- Melhor não. – falo sem nem olhar para Niall.
- Vamos sim, eu quero ver a Gemma. Então nós vamos, passo em meia hora no seu quarto, espero que você esteja pronto até lá.
Reviro os olhos e deixo para lá. Discutir com o Niall é quase igual a discutir com a Gemma, quase sempre perco a discussão e acabo fazendo o que eles querem. Então poupo energia e começo a me arrumar assim que chego em meu quarto. Parece que o meu descanso vai ter que esperar um pouquinho mais.

– Zurique
Ainda não consigo acreditar que fui indicada ao Globo de Ouro. Consigo ver todos os meus sonhos ao alcance de uma mão, todo o trabalho duro está, finalmente, valendo a pena.
Gem e eu decidimos sair para comemorar, e ela chamou o Niall, que por sua vez chamou o Harry. Mas tudo bem, eu não vou fazer uma cena por causa disso, hoje é o melhor dia da minha vida e ninguém vai conseguir estragar isso.

Chegamos ao bar escolhido por Gemma e entramos sem mais dificuldades e sem precisar enfrentar na fila, nesse momento percebo o quão bom é ter o nome na lista. Vamos direto para o bar e começamos a festa com uma dose de tequila, enquanto esperamos que os meninos cheguem.
Estou tão agitada que não consigo ficar parada por muito tempo em um mesmo lugar, quando os meninos começam a demorar demais, deixo Gem sozinha e corro para a pista de dança, me jogando de cabeça no ritmo que o DJ dita.
Fico tão perdida no ritmo que assusto quando sinto alguém dançando colocado a mim. Viro rapidamente e encontro Harry sorrindo para mim.
- Parabéns!
- Obrigada! – digo exultante. Vejo a bebida na mão de Harry e não penso duas vezes antes de pegar o copo e beber, não tinha percebido como eu estava com sede.
- Eu pensei que a gente podia ir para um lugar mais calmo e conversar. – Harry quase grita para mim por causa do volume da música. – Acho que temos muito o que conversar.
- Hoje não, Harry. – grito de volta, balançando a cabeça negativamente. – Hoje eu só quero comemorar.
Harry assente, e nós voltamos a dançar sem dizer mais nenhuma palavra.

Acordo no dia seguinte com uma tremenda dor de cabeça, em um quarto totalmente diferente do meu e com Harry ao meu lado. Parabéns, ! Você acaba de fazer a merda do século.
Mesmo com a minha cabeça querendo explodir de tanta dor, visto minhas roupas e saio do quarto de Harry, e do hotel. Rapidamente, consigo pegar um táxi para o meu hotel e de lá para o aeroporto.

Harry – Zurique
Acordo animado, mas minha animação rapidamente some quando percebo que não está em lugar nenhum do quarto, e que suas roupas sumiram. Tudo o que resta é um bilhete.

“Querido Harry, Desculpe-me, isso foi um erro. Nós não somos mais os mesmos e nunca mais seremos. Apesar de não termos conversado, como eu tanto desejava, eu percebi que será melhor que cada um siga seu caminho, dessa vez de verdade.
Desejo que você seja muito feliz.
Com carinho,
.”


Rasgo a carta em mil pedaços e volto a me deitar. Desejo de todo o coração que esta semana seja apagada da minha cabeça, ou melhor, que a volte a ser só mais uma.


Capítulo 3


Harry - Algum lugar da turnê
- Harry, presta atenção. Droga! – Liam praticamente grita comigo, seu olhar de raiva poderia me assustar se eu não estivesse com a cabeça longe.
- Se você não parar de pensar nela e ajudar, a gente não vai terminar nunca de escrever essas canções. – Niall dá bronca também, mas em tom de brincadeira enquanto joga um salgadinho, que ele está comendo, em mim.
- Talvez se as pessoas não saíssem da banda de uma hora para outra a gente não precisaria passar horas e horas escrevendo e descartando músicas, porque não é bom o suficiente para agradar os fãs e acalmar os ânimos deles. – comento amargurado.
- Cara, deixa ele para lá, ok? Precisamos focar aqui. Se não, até o final disso aqui já terei perdido todos os meus neurônios. – Niall fala enquanto continua a comer.
- Onde nós estávamos mesmo? – Liam tenta fazer com que voltemos a escrever. – Ah sim, voltemos a Wolves, por favor.
Desligo-me novamente do que eles discutem, enquanto rabisco frases perdidas em meu caderno de anotações.
- Gostei dessa, Harry. – Niall fala, me assustando. Eu estava tão distraído que não percebi ele atravessar a sala e sentar-se ao meu lado. – Galera, o Harry tem uma frase muito boa aqui.
- Não tenho, não. Isso não é para a música. – falo fazendo careta e fechando o meu caderno.
- Pare de fazer doce, Harry. Lê pra eles, eu achei ótima. – Niall pressiona. Eu suspiro resignado e volto a abrir o caderno.
- De verdade, não é nada demais. – olho em volta, esperando que ninguém quisesse ouvir, mas todos me olham atentamente. – Tudo bem, eu leio. – suspiro novamente antes de começar a ler:
“Now it’s just too late to turn around. I try to forgive you, but I’m struggle ‘cause I don’t know how”.
- Viu, eu falei que não era nada demais. – levanto o olhar do caderno sem graça, os meninos olham para mim pensativos.
- Na verdade, o Niall tem razão, Harry! – Liam sorri. – Isso tá muito bom, podemos trabalhar com ela, definitivamente.

– LA
Estou frenética desde que recebi a carta dizendo sobre minha indicação ao Globo de Ouro. Apesar de meus amigos estarem sempre me dizendo que isso ia acontecer, sempre ignorava e achava isso uma realidade muito distante. Porém, agora, estou animada o suficiente para ficar saltitando pelo meu apartamento e comendo igual louca. Coisa que eu não deveria estar fazendo, afinal preciso caber em meu vestido.
Muitas pessoas famosas vão estar no Globo de Ouro e posso concluir com toda a certeza que Kendall Jenner estará lá. Não consigo deixar de sentir vontade de estar mais bonita que ela, o que é praticamente impossível, já que ela é uma modelo da Victoria Secrets deslumbrante.
Mas não quero ficar pensando nisso, tenho muito mais o que fazer incluindo parar de comer pizza como se o mundo fosse acabar. Alejandro Iñárritu me ligou de manhã me convidando para jantar junto com ele e outros expoentes do cinema. O que me deixa esperançosa para ampliar minha rede de contatos. Preciso encontrar um outro projeto para me dedicar daqui para frente.
Decido investigar nas redes sociais como estão as indicações para o Globo de ouro e analisar quais são meus concorrentes, porém, a única coisa que grita em todos os lugares são as manchetes sobre a saída de Zayn da 1D e o possível fim da banda.
O rosto de Harry está em todos os lugares, sei que deveria desligar o celular e me privar de ver o rosto dele nas fotos. Porém, seus olhos verdes e seu cabelo longo me prendem de tal maneira que não consigo evitar delirar e voltar a noite que soube de minha indicação e saímos para comemorar.
O dia da comemoração, o modo como tudo aconteceu, permito-me lembrar do toque de Harry em minha pele, sentir a presença de seu corpo junto do meu, sua respiração no mesmo ritmo que a minha, permito-me viajar naquele momento mesmo sabendo o quanto isso me doeria mais tarde.
Estou perdida em lembranças, quando sou acordada pelo toque de meu celular. Não sei o porquê, mas rezo para que seja Harry. Quando atendo com a plena certeza de que até mesmo o presidente poderia estar me ligando e não Harry, é a voz doce de Dylan O'Brien que escuto.
- Olá. – digo animada.
- Como vai minha indicada ao Globo de Ouro? – ele pergunta rindo.
- Animada e feliz. – respondo.
- Estou na cidade para o final de semana. O que acha de sairmos hoje à noite?
Fico em silêncio, me lembrando do compromisso com Alejandro e pensando no tempo que não via Dylan e no tamanho da saudade que estava dele.
- Pelo silêncio imagino que já tenha um compromisso. – ele retorna dizendo.
- Tenho. – admito.
- Podemos...
- Você poderia me acompanhar. É apenas um jantar, eu acho, com o diretor do meu filme, – explico.
- Ah! Sim, o Alejandro Iñárritu. – ele diz.
- Isso mesmo, então? Me acompanha? – pergunto.
- Seria uma honra, senhorita.

Harry – Em algum lugar da turnê
Estou apoiado contra o parapeito da sacada enquanto observo o fluxo de carros na rua. Os outros meninos estão tocando violão no quarto e tentando finalizar as últimas notas. Começo a cantarolar alguns versos da última música que conseguimos concluir.
Agora que comecei não consigo parar de cantarolar a mesma frase: “Point of no return and now It's just too late to turn around”. Apenas sinto a presença de Niall quando ele diz: - Não é tão tarde, Harry.
Sorrio para Niall de canto de boca ficando feliz por ele saber o motivo desta frase estar tão fixada em minha mente, a ponto de não abandonar meus lábios.
- Isso é o tipo de coisa que a Gem falaria. – respondo.
- Isso é o tipo de coisa que seu melhor amigo falaria. – ele responde.
Bagunço o cabelo de Niall enquanto o puxo para um abraço e mordo de leve seu pescoço, o suficiente para que ele se sinta desconfortável e me empurre para longe.
- Crie juízo, senhor Styles.
- As melhores coisas acontecem quando perdemos o juízo. – observo.
Niall ri e volta para dentro juntando-se a Louis e Liam.
Do nada, sem nenhum aviso prévio, resolvo que tenho que ligar para . Mesmo sabendo que havia dito que não o faria.

– LA

Meu telefone começa a tocar e saio correndo da frente do espelho sem nem mesmo concluir minha maquiagem. Eu não podia estar tão atrasada, atendo rapidamente já planejando uma desculpa pelo meu atraso.
- Já estou descendo, Dylan! Prometo que tenho uma boa explicação para o meu atraso. – rio, sabendo que ele me conhece o suficiente para saber que não tenho nenhuma desculpa. - Só preciso terminar minha maquiagem, você realmente não vai querer sair comigo com apenas um olho pintado...
O telefone desliga, confusa me pergunto se a ligação caiu e quando olho na tela os números parecem voar em meus olhos. Os números na tela eram os de Harry Styles.

Harry - Em algum lugar da turnê
Minha vontade é de jogar o celular vinte andares a baixo e vê-lo espatifar no chão. Não faço isso porque grande parte da minha vida está nele. Saio da sacada, vou para dentro do quarto do hotel, pego meu casaco e minha carteira.
- A onde está indo? – pergunta Louis.
- Beber. – respondo.
Quando estou no elevador, resolvo usar o celular que por sorte não foi arremessado e ligo para Kendall.
- Oi, Hazza. – a voz de Kendall soa animada.
- Você ainda está na cidade? – pergunto.
- Sim, mas estou com viagem programada para amanhã de manhã. – ela responde.
- Gostaria de aproveitar sua última noite na cidade?

– LA
Dylan e eu chegamos no restaurante, onde Alejandro já nos aguarda com uma mesa repleta de homens.
Antes que nos aproximemos o suficiente da mesa Dylan comenta: - Lembra que me disse que não havia muitas mulheres no ramo da cinematografia e eu duvidei?
- Sim. – respondo.
- Agora eu acredito. – sorrio para ele, fazendo cara de superioridade de brincadeira.
Nos sentamos a mesa e as conversas se iniciam. Alejandro parece interessado no porquê que trouxe Dylan como meu acompanhante. Os outros discutem questões e técnicas cinematográficas que não sei se Dylan compreende. Quando tenho a chance murmuro para ele me desculpando pela noite péssima que ele provavelmente vai ter.
Quando todos estão entretidos em discutir como uma determinada cena seria melhor se fosse gravada de outro ângulo, não consigo evitar de me desprender completamente da realidade e relembrar da grande burrice que fiz hoje.
Atender uma ligação sem olhar quem está ligando é uma das maiores besteiras que alguém pode fazer na vida. Levanto abruptamente, sem dar explicações e vou até o banheiro.
Disco o número de Harry torcendo para que ele atenda.
Quando ele atende à ligação, não consigo escutar direito por causa do barulho, penso que ele poderia estar em algum show e aguardo alguns momentos para tentar escutar alguma coisa.

Harry – algum lugar da turnê
Sinto-me um pouco embriagado e mal registro Kendall me puxando do bar para a pista de dança. Meu celular começa a vibrar em meu bolso e logo que atendo Kendall o tira de minhas mãos.
- Devolva, Kendall. – digo tentando pegá-lo.
- Você não pode atender ligações nessa noite. – Kendall diz, arrastando as palavras. – Você me prometeu diversão.
- Não faço promessas. – digo e Kendall me beija. Depois de tantas tequilas já não sei onde a noite vai terminar.

– LA
Tudo o que eu consigo ouvir são risadas e a voz de uma mulher dizendo coisas estranhas e de repente a ligação é finalizada. Volto para a mesa transtornada, dou uma desculpa de que não estou me sentindo bem e peço que Dylan me leve para casa. Todos se assustam com meu súbito mal estar, mas rapidamente Dylan se prontifica e estamos fora do restaurante em segundos.
Já no carro pergunto a Dylan se ele não quer ir para algum bar e, sem me perguntar mais nada, ele aceita.
Assim que chegamos ao local vou direto para o bar, ainda bem que o local não está cheio, quanto mais eu beber, melhor. Estou virando a segunda dose de tequila quando Dylan chega até mim, ele tinha sido parado por algumas fãs.
- Quer conversar? – ele pergunta, elevando as sobrancelhas quando viro mais uma dose.
- Não. – respondo e ele dá de ombros.
Depois de algumas várias bebidas, Dylan me deixa no hotel. Não me lembro de metade do que aconteceu, mas gosto de pensar que foi o melhor.

Harry – LA
Estou na produtora enquanto observo a última versão de nosso primeiro clipe sem Zayn. Gravar na N.A.S.A foi uma experiência incrível, agora que todas as etapas de pós-produção foram finalizadas o clipe finalmente será lançado. Estamos todos muito animados com a reação dos fãs aos teasers, o apoio deles nesse momento é muito importante. Passamos por momentos muito delicados que nos deixaram com os nervos à flor da pele.
Daqui uma semana iremos no programa da Ellen DeGeneres e estamos muito animados. Mas não posso deixar de pensar que um dia antes quem estará no programa é a . Não tenho notícias dela desde que liguei e ela estava se arrumando para sair com Dylan O'Brien.
Quando finalmente o clipe de Drag Me Down é liberado na internet, assisto “junto” com os fãs, tentando imaginar a reação deles. Mas a única coisa que realmente consigo fazer é lembrar do vídeo clipe de Night Changes, no qual foi a diretora de fotografia.

Harry (Flashback)
estava sorrindo e tenho certeza que se não estivessem gravando ela estaria rindo. Seus olhos não abandonaram um segundo as telas das câmeras, prestando atenção em cada detalhe da cena. Quando o diretor gritou corta, não aguentei e tive que perguntar o que ela estava achando graça.
- É que é estranho ver você olhando para uma câmera enquanto dubla você mesmo cantando.
- No começo eu achava estranho também.
apontou para os meus patins, estávamos na cena em que eu tinha que patinar no gelo enquanto fingia ter um encontro com uma garota misteriosa.
- Que bom que você sabe andar, parece que eu vou cair a cada passo que eu dou. – ela disse.
- Não vai. – vou até ela e seguro sua mão. – Nunca vou te deixar cair. – puxando-a para patinar, querendo que ela crie mais confiança.
No final das gravações fui até antes que ela entrasse em seu carro e fosse embora.
- O que achou de hoje? – perguntei.
- Foi muito legal, Harry. Agradeço pela oportunidade.
- Você merece. – respondi.
- A sua cara de menino machucado no final do clipe merecia o Oscar. – brincou e entrou no carro, indo embora. Nos encontraríamos mais tarde, no hotel.


– LA
Estou nos bastidores do programa da Ellen DeGeneres, morrendo de medo do que ela pode fazer comigo. Sou fã assídua dela e sei bem como ela gosta de fazer pegadinhas e assustar os seus convidados.
- Como estão os preparativos para amanhã?
- Tudo conforme planejado, o palco será montado durante a madrugada para não atrapalhar as outras atividades. – sem querer, ou por querer mesmo, acabo escutando a conversa de duas produtoras do programa, enquanto a maquiadora faz alguns retoques na minha maquiagem.
Suspiro. É claro que tudo o que acontece na minha vida tem que estar relacionado a Harry Styles. Hoje sou eu que estou andando pelos corredores dos bastidores da Ellen, mas amanhã será o Harry e os meninos.
Não sei mais o que pensar, não tenho notícias dele desde o jantar com o Dylan. Até mesmo Gemma, que sempre me pareceu incansável, não me falou mais nada relacionado a ele, na verdade, ela está um pouco distante nos últimos dias. Mas não tenho tempo para pensar no porquê de ela estar distante, pois neste momento uma das produtoras avisa que chegou a hora.

A entrevista está indo muito bem até agora. Ellen ainda não me assustou e tem feito perguntas muito boas, as quais eu tenho respondido com prazer. Perguntas que vão desde o filme e especificações técnicas até o feminismo e a representatividade da mulher na indústria cinematográfica.
- Então, . Me diz, é verdade que você já trabalhou com o One Direction? – agora sim chegamos a parte ruim.
- É sim, trabalhei como diretora de fotografia do clipe Night Changes. – tento responder o mais naturalmente possível, como se esse assunto não me afetasse.
- Com qual deles você ficou? – Ellen pergunta naturalmente com um ar brincalhão, e eu me assusto tanto com a pergunta repentinamente particular, que não consigo evitar de ficar vermelha.
- Com nenhum. – digo meio engasgada.
- Tudo bem, eu entendo mesmo que é difícil escolher um só. – Ellen ri, fazendo a plateia rir e me dando alguns segundos para respirar fundo. – Mas falando sério agora, você ouviu o novo CD deles?
- Ouvi sim. – respiro contente com o assunto um pouco mais leve.
- E então? O que você achou?
- Achei maravilhoso, é nítido o crescimento deles nesse CD. Tenho orgulho de poder dizer que trabalhei com eles, todos eles são ótimos e merecem todo o sucesso. As músicas estão incríveis, e estão entre as mais tocadas do meu celular. – elogio muito o CD, porque sim, porque eu posso e porque eu realmente acho as novas músicas perfeitas.
- E qual a sua música favorita? – Ellen questiona.
- Long way down. – respondo de prontidão.

Harry – LA
- Argh! – gemo de frustação, enquanto assisto a entrevista de .
Não consigo entender essa mulher, uma hora é sim, outra não. Uma hora está saindo com o amiguinho Dylan e outra hora está por aí dizendo que a música preferida dela é Long way down. É óbvio que ela percebeu a mensagem que a música contém para ela, ela não seria tapada o bastante para não perceber.
- Fala. – atendo o celular carinhosamente, sabendo que é a Gemma.
- Oi, pra você também, maninho. – Gemma ri. – Assistiu a entrevista?
- Assisti. O que tem?
- Você viu o que ela falou da música, né?
- Nossa, Gemma! Vi e ouvi, e daí? Não comece a defender ela de novo.
- Não estou defendendo ninguém, só estou dizendo que já passou da hora de vocês se acertarem.
- Está bem, você já me disse isso quinhentas vezes. Preciso ir, tchau. – desligo a ligação antes que Gemma diga mais alguma coisa, desligo o celular pra que ela não volte a me ligar e me jogo na cama. Fico assim o restante do dia, da noite e da vida. Ou assim eu desejo ficar.

A entrevista está ocorrendo bem. Eu particularmente adoro vir ao programa da Ellen, uma das minhas entrevistadoras favoritas. Estamos em um palco do lado de fora dos estúdios e já cantamos algumas músicas para as fãs. Agora estamos respondendo a perguntas da Ellen, sentados em banquetinhas no meio do palco.
- Vocês souberam que a esteve aqui ontem? – Ellen questiona, desviando o olhar levemente em minha direção. A suspeita de nosso namoro sempre foi grande, e Ellen sempre foi a que mais insistiu em saber a verdade.
- Quem é ? – Louis brinca. – Sim, ficamos sabendo. Ela é incrível.
- Sim, é mesmo. – digo, subidamente. Nem eu sabia que eu iria falar assim do nada. – A primeira mulher a ser indicada ao Globo de ouro para melhor diretora de fotografia, tem que valorizar. Tenho certeza que ela vai ser indicada ao Oscar também. O trabalho dela é maravilhoso, tanto que Night Changes é um dos melhores clipes que nós temos.
- Parece que temos alguém apaixonado aqui. – Ellen ri da minha cara.
- Todos nós admiramos muito ela. – Niall vem em meu socorro. – Sabemos que a carreira dela está só começando e ficamos felizes por já ter trabalhado com ela.

– LA
Sorrio lembrando dos elogios que Harry teceu a meu respeito semana passada na Ellen. Eu sei que não tenho como fugir, em qualquer lugar, em qualquer situação, em qualquer momento da minha vida, sempre será ele.
Coloco Long way down para tocar novamente, olho pela janela da limusine vendo os prédios passando por mim e ficando para trás. A voz de Harry me acompanha por todo caminho até a premiação do Globo de Ouro.

Harry – Londres
Não consigo conter o grito de felicidade quando o nome de é pronunciado como ganhadora do Globo de Ouro. Sim, ela merece tudo de maravilhoso que está acontecendo na carreira dela. Tenho que concordar com Gemma, a única coisa que realmente está faltando e já passou da hora, é nós dois nos acertarmos. Não faz sentido ficarmos separados, e a todo momento estamos pensando um no outro, o destino nos juntou e nada pode nos separar.

– LA
Acordo com meu celular gritando em meus ouvidos. Dormi tarde ontem, e parece que apenas fechei os olhos, a vida passa rápido demais.
- Alô? – pergunto sonolenta.
- Parabéns! – ouço uma voz baixa e rouca do outro lado da linha, e desperto rapidamente.
- Harry. – sussurro. – Parabéns pelo quê?
- Você ainda não sabe? – ele pergunta surpreso.
- Não sei o quê?
- O OSCAR! – Harry eleva a voz. – Acorda, mulher. Você foi indicada ao Oscar.
- AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHH!!!!! – grito, levantando e pulando de felicidade. Subo na cama e faço a minha dancinha da comemoração. Agora consigo me lembrar porque dormi tarde na noite anterior, eu estava esperando que as nomeações saíssem, mas estava tão cansada que acabei dormindo antes que fosse feito a divulgação dos indicados.
- PARABÉNS! – Harry grita do outro lado e posso ouvir que ele está rindo de mim, provavelmente conseguindo visualizar exatamente o que estou fazendo no momento.
- Obrigada! – falo sem fôlego enquanto sento na cama. – Eu estou tão feliz, Hazza.
- Eu também, . Eu também.

Harry – LA
Caminho de um lado para o outro no quarto enquanto tento argumentar com Gemma que insiste para que eu vá me encontrar com .
- Ela precisa de você, Harry – diz Gemma suspirando - Estou indo para Los Angeles.
- Sério? A mamãe também vem? – pergunto esperançoso.
- Não. – ela responde. – Apenas eu.
- Fico feliz que venha, como está Londres?
- As chuvas cessaram, bem no momento em que resolvo viajar.
- O clima aqui é quente, quando você chega?
- Alguns dias antes do Oscar. – ela responde – Você vai ao Oscar?
- Não. – respondo prontamente.
- Pois eu vou.
- Ah é? Como? – pergunto duvidando.
- me convidou para ser a acompanhante dela.
sempre surpreendendo, por essa eu não esperava. Por algum motivo isso partiu meu coração. Consigo por breves segundos vislumbrar no tapete vermelho e eu a acompanhando, mas sumo com essa ideia de minha mente o mais rápido possível e penso em ligar para Kendall, porém, naquela noite em que Kendall e eu saímos muitos paparazzi tiraram fotos e não quero que os boatos com ela tomem mais força.
- Ainda está aí Harry? – pergunta Gem do outro lado da linha.
- Sim, Niall vai ficar feliz em te ver. – digo e desligo.
Me preparo para mais um show de divulgação do Made in the A.M.

– LA (dias depois)
Gemma já está aqui em Los Angeles, mas ela está ficando na casa de Harry, e hoje ela me pede que eu a busque de carro para irmos até a praia.
Quando me aproximo lembro-me das inúmeras vezes que já fiz aquele mesmo caminho, feliz e esperando ardentemente passar infinitas horas com Harry. Ao chegar, Gemma pede que eu entre e já avisa que seu irmão não está em casa.
Ela corre até seu quarto, me deixando sozinha na casa. Subo as escadas gigantescas e meus passos me levam até o quarto de Hazza. Sua cama está completamente bagunçada, seus lençóis brancos espalhados e alguns caindo no chão.
Sento-me na cama, lembrando das manhãs em que acordei ao lado de Harry, com seus olhos verdes me observando, com seu sorriso e seus beijos. Seu cabelo caindo sobre os ombros enquanto ria ao me contar coisas idiotas. Começo a cantar: “We’ve been in fire went down in the flames. We sailed the ocean and And drowned in the waves”.

Gemma – LA
Quando chega para me buscar ainda não estou pronta porque passei a manhã inteira escrevendo um artigo para meu site. Sei que ela não vai ficar feliz em ter que entrar na casa, porque não é bem minha casa, mas sim a casa de Harry. Ainda bem que ele não está, pois assim posso pedir que ela entre, livre de culpas, e corro para meu quarto.
Termino de arrumar minhas coisas o mais rápido que posso, pego meu celular, artefato muito importante na atualidade, e quando estou saindo escuto cantando. Sigo sua voz até o quarto de Harry.
Ela está sentada na cama de Harry, seus dedos deslizando pelos lençóis dele, enquanto seus olhos observam algumas fotos que ele tem coladas na parede. Tiro uma foto de e envio para Niall com a legenda: “O amor está no ar”.

Alejandro Iñárritu – LA
A tarde parece calma e estou organizando minha agenda da semana, agora com uma nova indicação ao Oscar milhões de compromissos aparecem. Os tabloides não param de tocar no fato de ser a primeira mulher a ser indicada na categoria de cinematografia ao Oscar. tem um dom natural e trabalhou muito para lapidá-lo e tornar-se uma das melhores.
Tanto que Emmanuel Lubezki com quem trabalhei várias vezes a indicou para o trabalho. Mas esta indicação é tão inesperada que está mexendo com Hollywood. Os sites não param de falar sobre feminismo e sobre a presença de mulheres em áreas que antes eram muito restritas.
Não acho que vá ganhar o Oscar, a academia ainda é muito tradicional, levaram alguns bons anos até darem o prêmio de melhor ator para meu amigo DiCaprio.
No meio de meus devaneios meu celular toca e é um dos grandes influentes em cinema da academia. Ele me pede para que entre em contato com e a convide em seu nome para um jantar esta noite.

– LA
Estou jogada na areia enquanto fito o céu azul, Gemma está ao meu lado e ouvimos ao novo single do Ed.
- Como ele consegue ser tão perfeito? – pergunto.
Meu celular começa a tocar e levanto rapidamente.
- Boa tarde senhorita , aqui é o Alejandro Iñárritu. Ainda se lembra de mim? – ele pergunta.
- É claro! – digo dando risada – Tudo bem?
- Tudo perfeito, então, liguei porque uma importante figura da academia quer te encontrar hoje à noite no jantar para conversar sobre seu trabalho.
- Sério?
- Sim! – ele responde.
- Que incrível!
- Ele vai te encontrar no restaurante de seu hotel.

Niall – LA
Harry está trocando mensagens com Anne enquanto dirijo de volta para a casa dele. Planejamos ficar fazendo nada enquanto assistíamos a um filme. Me jogo no sofá super fofo de Hazza, e finalmente pego meu celular, vendo a mensagem de Gemma. Era uma foto de no quarto de Harry com a legenda: “O amor está no ar”.
- Huuuuum Haaazzzaaa. – digo.
- Huuuuum Niiaaall. – diz Harry sentando-se no sofá ao meu lado.
- Nem para me contar sobre você e a , hein?
- O que tem a e eu? – ele pergunta, reviro os olhos enquanto mostro para ele a foto.
- E aí como foi a noite? – pergunto.
- não estava aqui Niall.... Não sei como você tem essa foto... – ele pega o celular de minhas mãos e fica analisando a fotografia.

Gemma – LA
está correndo de um lado para o outro em seu quarto de hotel enquanto tenta se arrumar para o jantar de hoje.
- Cabelo preso ou cabelo solto? – ela pergunta.
- Como você se sentir melhor. – respondo enquanto pesquiso na internet quem é o cara com quem ela vai se encontrar. Ele é um cinematógrafo internacionalmente conhecido e cheio de prêmios.
escolhe um vestido vermelho lindo e termina de prender o cabelo. Niall me manda uma mensagem dizendo que achou que e Harry tinham voltado e que sem querer mostrou a foto para Harry. Era justamente o que eu queria que Niall fizesse, peço que ele venha até o hotel de , dizendo que ela não estava no quarto e peço para que ele traga meu irmão com ele.

– LA
Gemma me acompanha até a entrada do restaurante do hotel e me deseja sorte. Estou feliz por ter sido convidada por alguém da academia e sinto que finalmente meu trabalho está começando a mexer nos padrões tradicionalistas da academia cinematográfica. Sento-me a mesa, ele me cumprimenta sem nem olhar nos meus olhos.
- Boa noite. – respondo. – É um grande prazer.
Ele faz um sinal para que o garçom o sirva mais vinho.
- A senhorita deseja alguma coisa? – o garçom pergunta.
- Ela não precisa de nada, nossa conversa será breve.
Fico um pouco abismada com a resposta do homem ao garçom que se afasta.
- Eu iria adorar uma bebida, senhor.
- Não precisa, não há necessidade de gastar mais dinheiro para algo que já está gastando muito do meu tempo.
- Como? – pergunto.
- Alejandro é um mexicano.
- Sim. – respondo.
- Me custou muito admitir que demos dois Oscar’s de melhor diretor seguidos para ele, porém ele é um homem já em seus cinquenta e poucos anos...
Fico em silêncio enquanto observo ele falar sem saber o que devo dizer.
- E você acabou sendo indicada a categoria de cinematografia... A minha categoria, a categoria que eu admiro e tenho muito amor.
- Também tenho amor a cinematografia.
- Não, você não tem garota.
- , senhor.
- Garota. - ele frisa. - Que mal terminou a faculdade e já acha que é uma diretora de fotografia! Você e sua corja são as pragas do cinema! Alejandro jogou uma flecha no pé quando te convidou para o filme. Manchando a categoria de fotografia, você acha mesmo que tem chances de ganhar? Só porque ganhou o Globo de Ouro?
- Meu objetivo não é ganhar o Oscar.
- Não é? Porque essa deve ser a piada. A primeira mulher a ser indicada. – ele balança a cabeça negativamente. – Não sei como deixei isso acontecer. Eu te digo, nem apareça na premiação. O seu lugar não é aqui. Seu lugar é na sua casa, pare de brincar de cinema e volte para a cozinha.
Ele tomou o vinho de sua taça, sentia como se minhas maçãs do rosto estivessem em chamas, o que ele disse me indignou de tal maneira, mas também me feriu tão profundamente de um modo que eu não estava esperando.
Levanto-me da mesa e caminho calmamente, até sumir do campo de visão do cinematógrafo, quando isso acontece corro até o elevador. Por sorte ele está vazio, a maioria dos hóspedes está jantando ou passeando pela cidade. Estou tão nervosa e indignada que não suporto nem os meus próprios pensamentos.
Não me desce na garganta o fato de ele ter se dado ao trabalho de me convidar para jantar apenas para me ofender e destratar. Apesar de não querer, não consigo evitar o fato de como tudo isso me feriu. Tudo o que eu sempre quis foi trabalhar com a fotografia dentro do cinema, desde pequena me dediquei ao máximo para conseguir ter a maior bagagem teórica possível e me dediquei para conseguir oportunidades que viabilizassem meu sonho. Terminei um namoro por não desejar que fosse reconhecida apenas como a namorada de Harry Styles.
Não consigo nem fitar o meu próprio reflexo no espelho do elevador, apenas rezo para que ele continue subindo, até décimo sexto andar, sem paradas. Desamarro o meu cabelo, rindo de mim mesma por ser tão estúpida.
Quando o elevador chega no décimo quinto andar já me preparo para descer, porém as portas do elevador se abrem e lá está Harry Styles.

Harry – LA (uma hora antes)
- Não sei mais o que devo fazer, Niall.... Já tentei de tudo, talvez seja hora de aceitar o fim.
- Você não desiste, esqueceu? Você é Harry Styles. – Niall responde, com a voz carregada de sarcasmo, enquanto deixa escapar o riso.
- Isso é sério, Niall.
- Eu sei, por isso acho engraçado, eu nunca o vi assim com nenhuma outra garota...
- Preocupado?
- Apaixonado.
Fico em silêncio e deito minha cabeça sobre o apoio do sofá, jogando os meus cabelos para trás. Niall pega o balde de pipoca de meu colo.
- Isso é uma comédia romântica. – diz Niall, apontando para a televisão. – Você deveria estar animado, esse é o melhor jeito de animar as pessoas.
Viro o rosto para Niall e digo: - Comédias românticas não animam pessoas que terminaram recentemente.
- Não foi recente, Harry. – fuzilo Niall com meu olhar. – Gemma está querendo me ver, deveríamos ir até ela. A turnê acabou e eu topei vir para cá com você, faz tempo que não vemos ninguém, meu irmão já voltou a dar indiretas pelo twitter.
- Se for para pararmos de ver esse filme. – digo - E não faça tanto drama, a Gemma estava aqui hoje de manhã.
- É, mas estava trabalhando.
- Onde ela está agora? Mandou mensagem para ela?
- Ela disse que está num restaurante – Niall responde com a voz um pouco trêmula.
- O que foi, Niall? – pergunto.
- Nada. – ele responde.
Niall desliga a televisão e vamos até a garagem.

Harry – LA
Quando vejo que estamos estacionando no hotel onde está hospedada apenas olho para Niall com um olhar desapontado.
- Gemma está aqui. – diz ele.
- Tudo bem, eu acredito.
Entramos no hotel de forma discreta e vamos até o andar onde Gemma está, no quarto de . Quando chego lá consigo sentir o perfume dela no ar.
- Irmão mais novo. – diz Gemma enquanto me abraça. – Quanto tempo que não te vejo. Vocês demoraram para chegar aqui.
- Trânsito. – responde Niall.
- Niall dirige mal. – respondo.
Gemma e Niall sentam-se no sofá e percebo que vou acabar ficando de vela. Vou entrando no apartamento e conhecendo o lugar, vejo as coisas de por toda a parte e sinto muita vontade de estar com ela.
- Gemma, tem algum lugar que posso ir nesse hotel? – pergunto gritando do quarto de .
- No andar de baixo tem uma ala social, veja se tem alguma coisa interessante lá. – ela responde e é o que vou fazer.

Havia algumas salas de convivências e uma exposição de quadros, observo tudo em menos de meia hora e percebo que não tenho nada para fazer ali. Resolvo voltar para o apartamento e avisar Niall que estava indo embora antes de ter a chance de encontrar com .
Espero o elevador chegar para ir até o andar de cima, quando as portas finalmente se abrem, tenho a linda visão de uma mulher vestida de vermelho com os cabelos caídos sobre os ombros.
Ela parece triste, desiludida, vou até ela sem pensar e a abraço. As portas do elevador se fecham e é quando começo a beijá-la.


Capítulo 4


– LA
Já estou pronta e aguardo por Gemma que irá comigo na premiação do Oscar, não consigo evitar de ficar nervosa e de perceber que ela já está atrasada. Vou até a janela e observo o dia ensolarado.
Aguardo por mais alguns segundos, e quando decido ir embora a porta se abre, estou pronta para brigar com Gemma pelo atraso. As palavras quase pulam de minha boca, porém, quando vejo o reflexo de Harry no vidro da janela, meu corpo inteiro para.
Ele está usando um terno florido o que literalmente não me surpreende, ele caminha na minha direção me prendendo contra a parede ao lado da janela. Ele me olha bem no fundo dos olhos e mal consigo respirar. Ele me beija e tudo o que posso fazer é retribuir.
- Nós ainda não conversamos sobre isso – falo.
- Quem precisa de conversa?

Harry decidiu ir comigo ao Oscar no lugar de Gemma, não sei ao certo o que isso poderá causar em relação ao público, mas estou feliz de Hazza estar me acompanhando.

Gemma – LA
Niall e eu estamos sentados na frente da TV animados. Começo a twittar o quanto estou emocionada com a noite e rezo para que não se deixe abater devido ao caso do cinematógrafo mal-amado.
Finalmente está chegando a categoria mais esperada do momento, o mundo todo está torcendo por e o ideal que ela representa para sociedade moderna.
- Já viu como a internet está louca sobre Harry ter ido junto com ?
- Ainda não tive essa coragem. – respondo.
- O manager vai pirar com isso. – Niall comenta.
O apresentador anuncia a categoria e é finalmente a hora, a câmera nos permite ver sorrindo nervosa e Harry sentado ao lado dela. Ele sussurra algo no ouvido dela que a faz rir.
E o vencedor é anunciado em um momento que faz nosso mudo parar.
- . – diz o apresentador e sinto como se meu coração fosse explodir.
se assusta e Harry a abraça enquanto ela parece estar em choque, ele aponta para que ela vá até o palco.
Quando ela recebe o prêmio, é a hora do discurso.
- Eu quero agradecer em primeiro lugar a Deus. Depois, aos dois melhores mexicanos no mundo, meu diretor, incrível que confiou em meu trabalho, Alejandro Iñárritu, obrigada infinitamente. A Emmanuel Lubezki, cujo o trabalho sempre me inspirou. Quero agradecer a Gemma que esteve me apoiando desde sempre, quando ninguém acreditava que eu chegaria a algum lugar. E quero dizer para todos, nunca deixem que digam que vocês não são capazes de fazer algo simplesmente porque acreditam que seu gênero, ou seu sexo, ou sua posição social é considerada desfavorável para alguns. Nunca deixem que calem a sua voz e nunca deixem de fazer o que amam. E é com esse prêmio que eu digo acreditem que tudo, realmente tudo, é possível. – quando está quase saindo da frente do microfone, ela volta rapidamente. – Eu não posso sair daqui sem agradecer ao cara que está me acompanhando esta noite, senhor Styles, obrigada por me proporcionar oportunidades maravilhosas e por me apoiar em todos os momentos.

– LA
Depois que ganhei o Oscar me pego às vezes parada observando-o. Vou dar outra entrevista no programa da Ellen DeGeneres para falar sobre o Oscar, e Alejandro Iñárritu também estará lá.
Já estou nos bastidores do programa esperando ser chamada para entrar no palco e assumir minha poltrona ao lado de Alejandro.
- . – anuncia Ellen e eu entro.
Depois de discutirmos sobre cinema, fotografia e a representatividade feminina no mercado, Ellen anuncia um novo quadro que eu terei que participar. Era advinha a música, onde um cover canta uma música e temos que adivinhar quem é o cantor.
Os covers começavam a cantar de costas e só se viravam quando adivinhávamos, a primeira música era “Needed Me” - Rihanna, depois “Thinking Out Loud” do Ed Sheeren e estou esperando a próxima animada por ter adivinhado todas até agora.
O próximo cover começou a cantar: “People say we shouldn’t be together, too young to know about forever. But I say, they don’t know what they talk talk talking about”.
- One Direction. – respondo.
- De quem é a voz, . – diz Ellen.
- Harry Styles – respondo e nessa hora enquanto canta: “So I don’t wanna wait, any longer I just wanna tell the world that you’re mine, girl”, o cover se vira e juro que poderia estar morta agora, se meu coração não fosse tão forte. Não era cover quem estava cantando, era realmente Harry. Assim que ele termina o refrão vem até mim, me beija e depois me abraça.

– Londres (alguns dias depois)
Agradeço a Deus pelas casas em Londres serem tão quentinha por dentro e ainda de baixo das cobertas está ainda melhor.
Harry brinca com meu cabelo, enquanto estou deitada sobre seu peito, contorno com o dedo suas tatuagens.
- O que você acha de tirarmos férias? – Hazza pergunta.
- Já estamos de férias, Harry. Esqueceu? Você está de férias e eu não estou trabalhando em nada no momento.
Ele me abraça enquanto diz: - Por isso devemos viajar para algum lugar. Algum lugar que possamos ficar apenas nós dois.
- Já estamos em um lugar que só está nós dois. – digo.
- Poderíamos ir para uma cidade de interior, para algum lugar que nunca fomos.
- Com você eu vou para qualquer lugar. – falo.
- Quem vê pensa que não era você que estava correndo de mim um ano inteiro. – ele responde.
- Obrigada por ter insistido em mim.
Harry beija minha testa e vai descendo até meus lábios. O resto do dia poderia ser assim que eu não me importaria. Estávamos juntos e planejando nossa viagem juntos. O futuro parece ser um lugar muito mais feliz agora.


Fim.



Nota da autora: Oii, gente! Primeira fic publicada no site, esperamos que vocês gostem. Nossa, foi uma loucura conseguir terminar ela no prazo, mas demos o nosso melhor. Esperamos que tenham gostado, e se gostaram comentem aqui embaixo, que quem sabe logo logo voltamos com mais. Beeeeeijos!




comments powered by Disqus




Qualquer erro nessa atualização são apenas meus, portanto para avisos e reclamações somente no e-mail.
Para saber quando essa linda fic vai atualizar, acompanhe aqui.



TODOS OS DIREITOS RESERVADOS AO SITE FANFIC OBSESSION.