Contador:
Última atualização: 20/12/2020

The One with the Music

“So I say thank you for the music
For giving it to me
ABBA – Thank You for the Music.”

Vinte e cinco de fevereiro de 2014.

Passava da meia noite quando notou que era a única a assistir àquele filme. Niall estava concentrado em seu celular, digitando com raiva e velocidade, fazendo a caçula ficar alguns segundos o encarando.
- O que aconteceu? – indaga, atraindo o olhar do irlandês. Ele deu um sorriso e chamou a garota para que ficasse ao seu lado, visto que a distância entre os dois na cama era grande.
Ela foi e se deitou ao seu lado, colocando sua cabeça por cima do braço do loiro, que beijou seus cabelos antes de entregar seu celular na mão dela.
- O que é isso? – indaga, devolvendo o celular na mão do irlandês, que apenas o colocou no criado-mudo ao seu lado.
- É uma música, mas eu só tenho duas frases. – ele fala, bufando em seguida.
- Para o quarto álbum da banda? – indaga, olhando nos lindos olhos azuis do irlandês.
- Queria, mas ele já tem músicas definidas. Não espalha isso, por favor. – ele fala, e os dois riem, e assente com a cabeça. – Ele pode ser do quinto álbum. Ou...
- Ou... – fala, incentivando o loiro a continuar.
E, de repente, ele se levantou e pegou seu violão, que estava encostado na parede próxima ao banheiro. Sentou novamente na cama, ao lado da garota, que o encarou curiosa.
- Ou pode ser uma música do álbum de certa girlband. The Heathers o nome, sabe qual é? – Horan indaga, fazendo arregalar os olhos.
- Niall, você não precisa e acho que nem pode... – ela começa, fazendo o loiro rolar os olhos.
- O Harry também escreve músicas para fora, portanto eu posso. – ele fala, dando de ombros em seguida. – Pode cantar a letra para tentarmos achar uma melodia?
E ele desbloqueou o celular, entregando o aparelho para a baixista, que precisou de quase um minuto para que começasse a cantar.
- Waiting here for someone, only yesterday we were on the run. You smile back at me and your face lit up the sun. cantarolou, enquanto Niall tentava acompanhar no violão.
levantou da cama, pegando um caderno que havia encontrado no canto do quarto. Olhou para Niall, que pegou uma caneta na gaveta do criado-mudo e entregou para a baixista, que sorriu agradecida e começou a escrever as frases no papel em branco. Niall a encarava com um sorriso de lado, ansioso para saber do que se tratava aquilo que ela escrevia.
Depois de alguns minutinhos escrevendo e analisando a ordem, ela entregou o caderno e entregou para o irlandês, que colocou o violão em cima de suas pernas.
- Now I’m waiting here for someone. And, oh, love, do you feel this rough? – Niall cantarola, fazendo uma careta ao perceber que a melodia não era adequada. Aquela expressão fez sorrir e morder os lábios de forma apreensiva, acreditando que aquilo não havia sido bom o suficiente. - Why’s it only you I’m thinking of…
- O que achou? – a caçula indaga, pegando o violão do loiro e colocou-o corretamente, dedilhando as cordas.
- Eu gostei. Gostei de verdade. – ele fala, sorrindo em seguida. – Agora, você pode me devolver a Gwen?
- Você colocou um nome no seu violão? – a garota indaga, gargalhando ao ver o amigo assentir com a cabeça. – Típico Horan!
- Ei! Vai dizer que você não nomeia o seu baixo? – o loiro indaga, arqueando as sobrancelhas para a baixista. – Ou para um violão? Guitarra?
- Você dá nomes às suas guitarras? – ela indaga, e o rapaz dá de ombros, nem mesmo negando ou afirmando. Aquilo fez rir. – E quais são os nomes?
- Stacy, Mary Jane... – ele fala, pensativo.
- E você resolveu nomear todos os seus instrumentos com base em HQs do Spider-Man? indaga, gargalhando em seguida.
Ela passou algum tempo rindo do rapaz, sentindo sua barriga doer, assim como suas bochechas. E Niall estava, de fato, admirado. Sentia-se um idiota por nomear suas guitarras e seu violão, mas sabia que outros artistas também o faziam, o que o tranquilizava um pouco. Mas, mesmo assim, sentia-se um imbecil.
- Se você fosse colocar algum nome no seu baixo, qual seria? – ele indaga, olhando para a garota, que ponderou por alguns segundos, dando de ombros em seguida.
- Podemos voltar para a música? – indaga, pegando o caderno em cima do travesseiro de Horan.
E ele assentiu, olhando de canto para a baixista, que mordiscava a tampa da caneta e encarava a folha. Após algum tempo, ela retornou a escrever, entregando o caderno novamente para o amigo.
- My shadow’s dancing without you for the first time. – ele começa. – My heart is hoping, you’ll walk right here tonight.
- O que você acha? – ela indaga, olhando nos olhos azuis mais lindos do universo. E até que ela concordava.
- É um ótimo refrão. – ele fala, arqueando uma das sobrancelhas. E ele pega a caneta, anotando algo.
- You tell me there are things that you regret, ’cause if I’m being honest I ain’t over you yet. – fala a frase em uma nova melodia, fazendo Horan arregalar os olhos.
- Você pode cantar de novo no mesmo tom? – ele indaga, ajeitando o violão adequadamente.
E ela cantou mais uma vez, fazendo o rapaz dedilhar aquele instrumento enquanto a acompanhava. Após aquilo, ambos sorriram, pois já havia a melodia para aquela música.
- Eu pensei em colocar: It’s all I’m asking. Is it too much to ask? – ela completou, e Horan concordou, fazendo a baixista anotar no caderno.
Os celulares de ambos apitavam com mensagens de seus amigos. enviava mensagens para , a chamando para fazerem uma festa do pijama, já que amanhã, depois de uma reunião sobre um possível álbum, elas voltariam para suas terras e só se encontrariam em alguns dias.
Louis enviava mensagens para Niall, o chamando para partidas de videogame acompanhadas de muito álcool e conversas sem sentido junto dos outros membros da boyband.
Mas nenhum respondia, atarefados demais com aquela música, que os levou a dormir quase quatro da manhã.
Quando acordou, viu a posição em que estava, e sentiu-se desconfortável. A cabeça estava no abdômen coberto de Niall, enquanto o caderno estava ao seu lado. A folha balançava e fazia um barulho insuportável, visto que o vento do ventilador de teto a fazia se mexer. Niall estava parcialmente sentado, com a cabeça na cabeceira da cama e o violão em seu colo. Por sorte, estava preso por uma corda, e não iria cair e fazer algum estrago.
levantou e coçou o rosto, olhando ao redor e não reconhecendo aquele como seu quarto. Levou quase dois minutos para se lembrar de que havia dormido com Niall, e não que voltou para seu quarto assim que acabaram a música.
Seu pescoço e suas costas doíam. Pegou seu celular, vendo inúmeras mensagens e chamadas perdidas das amigas. Bufou ao ver as fotos das quatro juntas no quarto de , enquanto assistiam The Amazing Spider-Man.


: Que droga! Podemos fazer isso na nossa próxima viagem, não?
: Você sabe que sim.
: Mas eu não aceito. E você pode vir tomar café na minha suíte. Estamos todas aqui.
: Aonde você estava? Te ligamos e mandamos mensagem à noite toda!
: Você dormiu com o primo do Niall?

Aquela pergunta de fez rir um pouco alto, fazendo Niall abrir seus olhos. Antes que pudesse falar algo, gemeu de dor, pois estava numa posição desconfortável demais para poder pensar em algo.
- Bom dia Nialler! – exclama, sorrindo de lado para o amigo. – Eu preciso ir. Vou ter uma reunião em algumas horas.
- E é sobre? – ele indaga, se espreguiçando em seguida.
- CDs. Acho que iremos lançar um álbum em alguns meses. – ela fala, dando de ombros em seguida.
- Que incrível. Boa sorte. – ele fala, beijando a testa da garota antes de se levantar e ir para o banheiro.
Ela pegou seus sapatos e seu celular, saindo do quarto em seguida. Caminhou em passos ligeiros até o elevador, torcendo para que seu celular não desligasse antes de ir tomar café.
- Bom dia . – Harry fala assim que para ao lado da morena, que pulou de susto. – Desculpe. O que você está fazendo aqui?
- Ah, nada demais. – ela fala, evitando olhar para o rosto do cacheado.
- Ah, por isso que o Niall não respondeu as mensagens e nem foi nos encontrar! – Styles exclama, fazendo corar imediatamente. – Mas vocês...
- O quê? Não! – exclama, fazendo uma careta em seguida. – Somos apenas amigos, Harry. Apenas amigos mesmo.
- Se é o que vocês dizem. – ele fala, dando de ombros em seguida.
As portas do elevador se abrem e eles encontram apenas uma camareira. Ambos se cumprimentaram e seguiram a viagem em silêncio, até pararem dois andares abaixo, que era onde ficaria.
- Manda um beijo pra por mim. – Harry fala antes das portas se fecharem, fazendo gargalhar e assentir.
Entrou em seu quarto e logo encarou a mala, que estava bagunçada desde a noite anterior, quando precisou arrumar alguma roupa para o cinema e para ir pro quarto de Niall.
Após arrumar tudo aquilo, tomou um banho e colocou uma roupa para que pudesse ir até a suíte de e tomar um café, já que seu corpo implorava por algum alimento.
Quando abriu a porta do quarto da vocalista, as quatro pararam de conversar e encararam a caçula, esperando alguma revelação bombástica da noite anterior e o motivo para não ter aparecido na noite das garotas.
- E como foi? – indaga, fazendo bufar e sentar ao seu lado, entre ela e .
- Foi bom. – ela fala, dando de ombros em seguida. – Aliás, , Harry te mandou um beijo.
- Você encontrou o Harry? – indaga, arqueando uma das sobrancelhas.
- Você não dormiu com o primo do Niall ontem? – indaga, entregando uma xícara de café para a baixista, que sorriu agradecida para a ruiva.
- Você foi passar a noite com os garotos? – indaga, arregalando os olhos em seguida.
- Calma, gente! Eu sou uma só. – fala, pegando um pedaço de panqueca e colocando na boca.
- E com quem você dormiu? – indaga, fazendo todas olharem em direção a , que apenas suspirou.
- Com o Niall. – ela fala, dando de ombros em seguida.
- Vocês transaram? Como assim? – indaga, arregalando seus olhos em seguida.
- Claro que não! Apenas assistimos a um filme e pegamos no sono. – fala, fazendo uma careta. – Ele é meu amigo, gente.
- Amigos não dormem na mesma cama. – fala.
- Para de usar Ed Sheeran contra mim! – exclama, batendo no ombro da pianista. – Eu apenas fui assistir filme com o Niall. Só isso.
- Você nos trocou por um par de olhos azuis. – fala. – Já não bastava a com o Liam.
- Você está mesmo comparando o que eu tenho com o Horan ao que a tem com o Liam? – indaga, novamente fazendo uma careta. – O que custa acreditar que somos apenas amigos?
- É assim que a maioria das comédias românticas começam. – fala, dando de ombros em seguida. – E eu e Liam não temos nada mais, ok?
- Ele é realmente um imbecil. – fala, bufando em seguida. – Mas você com aquele fotógrafo?
- O Logan? Ele é legal. Vamos sair algum dia, já que ele vai pro Texas na próxima semana e eu vou visitar meus pais. – ela fala.
Havia um pouco de ansiedade em em poder encontrar com Logan. Conversam quase que diariamente, já que ele foi contratado para uma propaganda de uma marca famosa e estava bem atarefado, mas quase sempre conseguia dar atenção à guitarrista.
Já Liam estava ficando para trás. Desde que o cantor da One Direction viu a garota aos beijos com o fotógrafo, mal se vêem, mesmo que estejam hospedados no mesmo hotel. Passava maior parte do dia tentando compor novas músicas para o quarto álbum da banda, e, quando ficava livre, conversava com Sophia, mexia em suas redes sociais, falava com sua família e dava atenção aos seus amigos e companheiros de banda.
Tudo para que ele pudesse tirar aquela garota de sua mente.
Depois de tomarem o café, ligou para o serviço de quarto, pedindo para que eles pegassem as louças utilizadas. e sentaram na cama da vocalista, encarando a porta aberta que dava para a varanda. O céu estava quase que fechado, e o frio estava de matar.
- Se pudesse, pediria para ficarmos aqui trancadas assistindo algum filme. – fala, suspirando em seguida. – O dia está tão frio.
- Agora nós não temos esse direito, . – fala, apoiando a cabeça no ombro da loira.
Elas ficaram assim, até ler uma mensagem de Sarah, avisando que chegaria em cinco minutos e que iriam gravar a segunda parte do clipe de Want You Back.
- Bom dia meninas! – Sarah exclama assim que entra no quarto, sorridente como sempre.
Estava com uma roupa diferente. Não estava com o terninho preto de sempre, e sim com calça jeans e uma camiseta azul marinho, além de saltos nos pés, uma bolsa em uma das mãos e o casaco na outra.
- Podemos ir? – ela indaga e todas concordam, caminhando com a mais velha para fora do quarto, onde encontraram dois homens de terno parados ao lado da porta. – Esses são Joffrey e Jarvis, os seguranças de hoje.
- Hoje? – indaga antes de apertar o botão do elevador.
- Sim! A partir de amanhã, cada uma andará com pelo menos um segurança, dependendo do local onde vão. Premiações e outros eventos, onde estão uma maior aglomeração de fãs, serão dois. Mas, no dia a dia, um é o suficiente para cada uma. – Sarah fala, digitando algo em seu celular.
- Isso é insano de uma maneira... – fala, fazendo a agente olhar para ela. – Eu não estou reclamando, mas não sei quando irei me acostumar.
- Espero que logo, . Não queremos te causar problemas. – a mais velha fala, sorrindo amigável para a baterista. Tratava as cinco como se fossem suas filhas, mesmo que tenham uma idade bem mais aproximada do que o habitual.
- Nossas famílias também andarão acompanhadas? – indaga assim que as portas de metal se abrem e todos entram, incluindo os dois seguranças recém contratados.
- Não. Por exemplo, se vierem para shows, obviamente colocarei seguranças. Mas, se estiverem em casa apenas, não vejo motivo para colocar. Além de que isso estragaria a pouca privacidade que lhes restam. – Sarah fala, e suspirou aliviada.
O caminho até o saguão foi um pouco constrangedor, ainda mais por aqueles dois homens parados em cada lado do cubículo, silenciosos e com uma carranca no rosto.
As portas se abriram e, antes que pudessem sair, Harry Styles apareceu no campo de visão deles. Ele mexia em seu cabelo de forma despojada, atraindo por alguns segundos o olhar de Müller. Ele olhou para a loira, sorrindo de lado e dando espaço para que passasse.
- Bom dia, solzinho. – ele fala perto do ouvido da garota, que apenas bufou em resposta.
- Solzinho? – ela indaga, virando o rosto para o cacheado, que segurava as portas de metal do elevador com as mãos.
- Sim. Você parece um solzinho com esses cabelos loiros. – ele fala, dando de ombros em seguida. – E consegue iluminar minha manhã.
Aquilo fez gargalhar de maneira exagerada, chamando a atenção de dois ou três funcionários que andavam pelo saguão. Harry sorriu, apertando o botão de seu andar e deixando as portas se fecharem.
- O que houve? – indaga assim que se aproxima delas.
- Nada demais. – ela fala, dando de ombros em seguida. – Apenas o Harold sendo o mesmo de sempre.
- Ainda acho que vocês vão se apaixonar. – responde enquanto caminham para o lado de fora do prédio.
Por sorte, fãs se dispersaram na noite anterior, após surgirem rumores de que a girlband havia ido embora, assim como a One Direction. Tais rumores, obviamente, não foram confirmados, mas dava um alívio para os empregados poderem apenas se preocupar com seus hóspedes, não com as dezenas de adolescentes que podem morrer de hipotermia.
O caminho do hotel para o estúdio onde seria gravada a segunda parte do vídeo foi tranquilo. Por sorte, o trânsito estava ótimo, o que não fez com que se atrasassem.
Encontraram Andrea conversando com seu assistente, enquanto segurava um copo de café do Starbucks numa das mãos e uma prancheta na outra. O rapaz ao seu lado carregava um tablet e digitava raivosamente na tela, tanto que poderia quebrar com tamanha velocidade.
- Bom dia! – exclama ao se aproximar da diretora, que sorriu e abraçou a garota, que levou algum tempo para retribuir.
- Que bom que chegaram! – a diretora exclama, abraçando cada uma das meninas. – Querem alguma coisa antes de arrumar vocês para o videoclipe?
As cinco negaram, e logo foram para o camarim, onde trocaram de roupa e fizeram a maquiagem.
Não tão longe dali, Louis estava tocando seu teclado, quando a porta do seu quarto se abriu. Niall apareceu em seu campo de visão, junto de Liam. O irlandês carregava um violão, enquanto Liam trazia um saco de balas Fini.
- São apenas dez e trinta e cinco da manhã, Payno. – Louis fala assim que fecha a porta.
- Toda hora é hora de Fini. – Liam fala, dando de ombros em seguida. – Cadê Zayn e Harry?
- Harry saiu para a caminhada matinal. – Louis fala, olhando para a partitura que estava em cima de sua mesa.
- E Zayn deve estar com a Perrie. Ou está dormindo. – Niall responde, dando de ombros em seguida.
- Ei, por que não respondeu as mensagens ontem a noite? – Louis indaga, olhando para o loiro.
- Eu fiquei ocupado. – Niall fala, olhando para o tapete felpudo do quarto de Tommo.
- Com a Josie? Como foi o encontro? – Liam indaga, cutucando o joelho do irlandês.
- Não teve encontro. Ela passou mal e não pode ir. – Horan responde, apoiando suas costas na cabeceira da cama de casal.
- E o que você ficou fazendo? Por que não foi ficar com a gente? – Liam indaga novamente, sentando-se corretamente na poltrona encostada na parede.
- Você saiu com seu primo e com a ? – Louis indaga, olhando para o loiro, que apenas assentiu. – Você ficou de vela?
- Não é como se eu já não estivesse acostumado. Mas, dessa vez, eu fui o cupido! – Niall exclama, sorrindo em seguida.
- Você já parou pra pensar que isso é esquisito? – Payne indaga, atraindo o olhar dos dois. – Você pode acabar gostando da e está ajudando seu primo a ficar com ela.
- Eu e a ? Nem pensar! – Horan exclama, balançando a cabeça em negação.
Eles eram muito amigos para aquilo. Para Niall, era como uma irmã mais nova que ele tinha e, sendo três anos mais velhos do que ela, tomava conta dela. era seu cupido também, já que sempre o incentivava com garotas e o ajudava a conquistar. Eles eram uma boa dupla de amigos, e nada passaria daquilo.
- Ela é bonita. – Louis fala, dando de ombros em seguida. – Vocês combinam.
- Quanta asneira! é uma das minhas melhores amigas, ok? – Niall pontua, e os dois amigos assentem. – Só porque assistimos a um filme juntos ontem não significa que eu vá gostar dela no futuro.
- Mas e o seu primo? Ele também não foi? – Louis indaga e, antes que Niall pudesse responder o mais velho, a porta se abre, e Harry aparece no campo de visão deles.
- Vocês estão falando sobre a dormir com o Niall? – Styles indaga e fecha a porta atrás de si, caminhando para uma cadeira ao lado de Louis, enquanto girava uma maçã em sua mão.
- Ela dormiu com você? – Liam indaga com os olhos arregalados.
- Grandes amigos. – Louis fala, fazendo o loiro bufar.
- Assistimos a um filme, escrevemos uma música para a banda dela e dormimos. Fim de papo. – Horan responde.
- Vocês escreveram uma música juntos? – Harry indaga, arregalando os olhos em seguida.
- Qual o problema nisso? – Niall indaga com uma sobrancelha arqueada, olhando em direção ao caçula da banda.
- Nada. Qual o nome da música? – Styles indaga, dando uma mordida em sua maçã.
- Ainda não tem um nome. – Horan fala, dando de ombros em seguida. – E vocês não irão ler antes de ser lançada, ok? É antiético.
- Ok garanhão. – Liam fala, e logo Niall joga um dos travesseiros em direção ao amigo, que gargalhou ao desviar.
- Nossa conversa sobre isso ainda não acabou. – Louis fala, mandando uma piscadela para o irlandês.
- Você acha que eu não noto você olhando para a ? – Niall indaga, fazendo Liam e Harry arregalarem os olhos.
- O que tem olhar para ela? – Lou indaga, evitando olhar no rosto do irlandês.
Não tem nada demais olhar para , certo? Certo! Ela era simpática, inteligente e muito bonita. Era normal atrair olhares para si, mesmo que não percebesse nem 10% deles.
E, além do mais, ambos tinham parceiros. Louis e Eleanor vão muito bem seu relacionamento, obrigada. E tem seu namorado, pelo menos é o que ele acha, afinal, não o via desde aquela noite no boliche.
- Ela é bonita, Niall. É normal todo mundo olhar pra ela. – Louis responde, olhando para o irlandês, que tinha uma expressão debochada em seu rosto.
- Ok, nós vamos parar com esse assunto de quem olhou ou dormiu com quem e focar no que realmente importa: a minha aposta. – Harry responde, fazendo os três gargalharem. – Eu preciso fazer o solzinho se arrastar por mim.
- Solzinho? Que romântico. – Liam fala, fazendo Louis gargalhar.
- E desde quando você a chama assim? Ela sabe? – Niall indaga, atraindo os olhos verdes de Harry em sua direção. – Ela vai ficar uma fera.
- Mais do que já é. – Louis corrige, fazendo Niall dar de ombros.
- Ela sabe. Eu a chamei hoje, quando nos encontramos no saguão. – Harry fala, sorrindo de lado em seguida. – Ela estava de blusa amarela e o cabelo estava solto, então parecia mesmo um solzinho.
- Você está caindo por ela e nem percebe. – Liam fala.
- Pelo menos eu tento algo. Já você, fica com ciúme e não resolve nada. – Harry fala, fazendo Tommo arregalar os olhos.
- Do que você está falando? – Payne indaga fingindo não entender do que o amigo falava.
- Você sabe muito bem, Payno. Você e a . – Horan responde.
- Nós não iríamos acabar com esse assunto? – Liam desconversa, levantando-se da poltrona e caminhando para a varanda. – E cadê o Zayn? Irei ligar para ele!
E logo ele sai do quarto, discando o número do amigo em seu aparelho.
Em sua mente, enquanto esperava que Zayn atendesse a chamada, surgiu . Pensou em como ela estava bonita no BRITs, e em como era um imbecil quando via a guitarrista dando atenção a outro cara.
Dentro dele, a ideia de perdê-la era louca. Nunca saberia suportar aquilo. Uma parte sabia que ele estava a perdendo aos poucos desde o dia vinte, mas a outra insistia em dizer que ele deveria ir atrás e deixar o orgulho de lado.
E, bom, ele não sabia qual lado escutar.
No apartamento de Perrie, Zayn escutou o telefone tocar e bufou, encerrando a chamada antes mesmo de ver quem o incomodava àquela hora da manhã. Perrie dormia ao seu lado e usava uma camisa do Deadpool, herói favorito de Malik, e estava com a perna acima da dele, deixando seus corpos colados. E ele gostava de estar assim com ela.
- Você não vai atender? – Edwards indaga com a voz baixa e arrastada, virando-se para o outro lado. Zayn negou com a cabeça, mesmo sabendo que ela não o veria, e puxou a loira para mais perto de si, beijando seu pescoço e afundando seu rosto ali.
Ignorou, no mínimo, catorze ligações de seus amigos, até que decidiu atender, vendo o nome do Niall na tela.
- O que vocês querem? – Zayn indaga após se sentar na cama de casal, controlando o tom de voz para não acordar a noiva.
- Precisamos escrever as músicas para o quarto álbum, esqueceu?
- Não podem fazer sem mim? – Malik indaga, bufando e olhando o relógio ao lado da cama. O mesmo marcava onze da manhã. – Eu quero sair com ela, sabe?
- Claro! Mas precisamos de você aqui. Então, marca uma reserva para mais tarde.
E Niall desligou, fazendo Malik bufar e sentir vontade de jogar o celular longe. Virou a cabeça e viu Perrie o encarando com seus lindos e brilhantes olhos claros, e aquilo o fez sorrir, mesmo que minimamente. Ela era tão linda, e Malik pensava na sorte que tinha ao ter aquela mulher ao seu lado.
- Você precisa ir com a banda. – Perrie fala, sentindo Zayn distribuir beijos por seu rosto e pescoço, ignorando a loira falar com ele. – É sério Zayn. Eu não quero que arrume problemas.
- E eu não quero ir com eles. – Malik fala, olhando nos olhos da noiva. – Eu quero ficar com você. Sabe quanto tempo não ficamos assim?
E era verdade. Perrie estava cada vez mais envolvida na divulgação do segundo álbum de Little Mix, a sua girlband, enquanto Zayn se juntava com a equipe da banda para falarem sobre a turnê mundial que começa em mais ou menos dois meses. Não se viam há alguns dias, e sentiam tanta falta um do outro.
- Eu sei meu amor, mas eu preciso que você vá. E eu também estarei ocupada. – Edwards fala, sentando-se na cama em seguida. – Vou passar o dia com minha mãe e meus irmãos. Eu estou devendo um dia com eles.
- Vai mesmo me largar? – ele indaga, puxando-a para seu colo. Ela riu, segurando o rosto do moreno com as duas mãos e obrigando-o a olhar em seu rosto.
- Por algumas horinhas. – ela fala, beijando a ponta do nariz do amado, que fez careta. – Vamos jantar juntos mais tarde, tudo bem?
- Escolhe o restaurante. – ele fala, beijando o pescoço da noiva, que assentiu e levantou do colo do amado, que bufou em discordância.
Assim que terminou de tomar banho e comer algo, foi direto para o hotel onde a banda estava hospedada. Encontrou algumas fãs no local, que pediram por autógrafos e fotos. Elas voltaram após se dispersarem na noite anterior, visto que alguém havia negado os rumores que circulavam pela internet.
Quando Zayn entrou no prédio, foi direto para o elevador, apertando o número do andar dos quartos. Quando chegou, foi direto para o quarto de Tomlinson, encontrando seus companheiros de banda conversando sobre aleatoriedades enquanto o esperava.
- Podemos começar logo com isso? – Zayn indaga ao sentar do lado de Liam.
- Alguém levantou com o pé esquerdo hoje. – Louis fala em tom provocativo, recebendo um olhar nada amigável do amigo. – Bom, nós precisamos resolver sobre as pendências do novo álbum.
- Eu pensei que estivesse tudo resolvido. – Niall fala, parando de dedilhar as cordas de seu violão. – E que isso não seria problema nosso, além de escrever algumas músicas, cantar e posar para as fotos.
- O Johan queria que nos envolvêssemos mais no desenvolvimento deste álbum. – Harry fala, ajeitando seus cabelos.
- E pra quê? – Malik indaga novamente, jogando os pés em cima da mesa.
- Aí eu não sei mais responder. – Styles responde, dando de ombros em seguida. – Ele disse isso, apenas.
Do outro lado da cidade, as gravações do clipe de Want You Back haviam sido finalizadas há quase cinco minutos. e estavam comendo alguns donuts, enquanto falava no telefone com Logan, contando para ele o que havia acontecido em seu dia. estava concentrada em posar para as fotos de um fotógrafo, que iria divulgar os bastidores do primeiro single das meninas numa revista qualquer. conversava com Sarah e Andrea, enquanto a ruiva se arrumava para tirar as fotos, já que seria a próxima.
- Acho que nós precisamos nos arrumar. – fala, limpando os dedos com um guardanapo em seguida, retirando confeitos coloridos.
- Eu estou exausta! – exclama, apoiando seu corpo na parede do estúdio, deslizando por ali até sentar-se no chão. Encarou a baterista, que apenas riu e esticou a mão para a amiga, que demorou a aceitar ajuda para se levantar.
- Depois disso nós vamos embora, não é Sarah? – indaga, atraindo a atenção da agente, que apenas assentiu com a cabeça e voltou a conversar com Andrea. – Eu preciso dormir por treze horas.
- Nós vamos voltar pra América em algumas horas. – fala ao se aproximar da dupla. – Acabei de descobrir quando marquei com Logan de jantarmos.
- Vocês estão firmes nisso aí. – fala, passando o braço pelos ombros da , que apenas deu de ombros. – E porque está desanimada?
- Não estou desanimada, eu estou exausta. – fala, apoiando a cabeça no braço da vocalista.
- Tem certeza? – indaga, olhando para a guitarrista, que apenas assentiu.
Algum tempo se passou, elas tiraram suas fotos e logo foram para o hotel, para que pudessem tomar um banho, relaxar e irem direto para a América, onde teriam alguns dias de descanso antes de irem ensaiar para a turnê.
- Eu recebi uma ligação hoje. – Sarah começa enquanto o carro que as levava para o hotel andava pelas ruas da cidade. – Da produção do The Jonathan Ross Show*.
Os olhos das cinco meninas se arregalaram ao mesmo tempo, fazendo com que Sarah risse de suas reações.
- Eles queriam uma exclusiva com The Heathers e, quem sabe, vocês podem divulgar por lá o single. – Sarah fala, guardando o celular no bolso da calça jeans que usava.
- Sarah, e sobre a turnê da One Direction? indaga enquanto subia o vidro do carro.
- Podemos examinar assim que chegarmos ao hotel, antes de viajarmos. Quero dar uma resposta logo para o staff. – Sarah responde, sorrindo amigável para a caçula. – Vocês estão afim mesmo?
- Eu acho que será bom para a banda. – fala, dando de ombros em seguida. – A banda é um fenômeno mundial, seria bom termos um pouco de visibilidade também.
- E seria legal vermos como é uma turnê mundial. – fala, prendendo os cabelos num coque. – É uma espécie de treinamento para a nossa.
- É assim que se fala! – exclama, fazendo um high five com a ruiva.
Chegaram ao hotel e deram atenção à algumas fãs que estavam na porta esperando por elas.
- Você pode entregar isso ao Niall? – uma fã indaga, esticando um envelope na direção de , que ponderou por alguns segundos e assentiram. – O que vocês dois têm?
- Somos melhores amigos. – responde, pegando o celular da garota e colocando na câmera frontal, tirando a foto em seguida. – Tenha uma boa noite e fique segura, por favor! O frio está de matar.
- Obrigada , eu amo você. – a fã fala, abraçando a baixista, que sorriu e retribuiu o carinho, caminhando para junto das meninas, que já entravam no prédio.
Logo elas foram para seus quartos, arrumando suas malas e tomando banho para que pudessem jantar e irem para o aeroporto.
Após meia hora, elas se juntaram no quarto de . Sarah, e estavam lendo o papel com as datas da turnê, enquanto ligava para uma pizzaria que ficava ali perto.
saiu de seu quarto, encontrando apertando o botão do elevador.
- O que está fazendo? – indaga, assustando a caçula.
- Vou falar com o Niall. – fala, virando seu corpo para olhar pra . – Entregar a carta de uma fã.
- Eu vou com você. – fala, correndo antes que as portas do elevador se fechem.
aperta o botão do andar do irlandês, esperando alguns minutos para chegarem até lá.
Assim que as portas se abrem, Zayn aparece no campo de visão das duas. Ele arqueou uma das sobrancelhas, evitando olhar para , que fazia o mesmo.
- Olá meninas. – Malik fala assim que elas saem do elevador, parando ao lado dele. – O que vocês querem?
- O Niall está por onde? – indaga, vendo as portas de metal se fecharem e Zayn bufar, percebendo que havia perdido o elevador.
- Ele está no quarto dele. – Malik fala, apertando o botão de descer novamente.
- Eu vou entregar isso a ele, você fica aí? – indaga, olhando diretamente para , que apenas assentiu com a cabeça e encostou seu corpo na parede, vendo a caçula caminhar para longe em seguida.
Zayn bufou, encostando na parede de frente para a vocalista. Olhava o tapete vermelho que estava no chão, evitando olhar para , e ela fazia o mesmo.
O motivo? Ninguém sabe, nem ao menos eles dois. Poderia ser por alterada na after party do BRITs, ou por não se sentirem confortáveis na presença um do outro. Para Zayn, o odiava com todas suas forças, mesmo que a garota nunca havia falado nada sobre isso.
No quarto do irlandês, Niall estava penteando seu cabelo quando ouviu dois toques na porta. Gritou um “entra”, passando mais gel no pequeno topete que tentava criar ali, bufando quando viu que não estava dando certo.
- Niall? – indaga, batendo na porta do banheiro. O loiro sorriu e abriu a porta, encontrando a baixista ali. – Oi!
- Você já vai embora? – ele indaga, passando pela garota para que pudesse sentar na cama.
- Sim, mas devo voltar em poucos dias. – responde, vendo um sorriso surgir no rosto do amigo. – Eu vim te entregar uma carta que uma fã sua entregou.
- Você não pode fazer o papel de correio, ! – ele exclama, pegando o envelope da mão da mais nova, colocando em seu criado-mudo. – Mas agradeço.
- Eu preciso ir, deixei me esperando. – fala, aproximando-se de Horan. – Vejo você em breve?
- Pode apostar que sim! – ele exclama, abraçando a garota por longos segundos, até perceber que ela precisava ir.
Ele foi até a porta, vendo ela e sua amiga entrarem no elevador. Antes que as portas se fechassem, ela acenou para ele, que acenou de volta, abrindo um sorriso que era capaz de rasgar seu rosto com facilidade.
- Você tem certeza de que não está apaixonadinho? – Harry indaga, assustando o amigo, que virou seu rosto para poder olhar o cacheado.
- Eu não estou apaixonado pela . Eu já disse isso um milhão de vezes, Harry. – Niall responde, bufando em seguida. – Você que deve estar apaixonadinho por ela...
- Pela ? Nem pensar, Horan... – Styles responde, fazendo careta em seguida.
- Até porque, ela é muita areia pro seu caminhãozinho. – o irlandês fala, fazendo Harry dar uma gargalhada irônica. – Agora, se não se importa, eu vou me arrumar para encontrar com a Josie para que possamos tomar café.
- Boa sorte. – Harry fala, sorrindo em seguida. – Espero que ela se toque que está com o membro errado da boyband.
- Você é tão engraçadinho! – Niall exclama, rolando os olhos em seguida. – Vá cuidar do seu fã clube pra e me deixa em paz, por favor.
E Niall entrou em seu quarto novamente, fechando a porta e pegando seu telefone em cima da cama, vendo que tinha uma mensagem nova de Josie.

Josie: Que tal, depois de um café, virmos para o meu quarto de hotel e passarmos a noite juntos?

Aquilo fez Niall sorrir de orelha a orelha, digitando algo em seu celular:

Niall: Eu iria adorar!


The One at the Hospital

“I’ve been watching you all night, there’s something in your eyes
Saying c’mon, c’mon and dance with me baby.
One Direction - C’mon C’mon.”

Quatro de março de 2014.

foi a primeira a entrar no local, segurando sua mochila num ombro e uma garrafa de água mineral na outra. Logo foi seguida por , que conversava com Logan. e entraram juntas, carregando, cada uma, duas bolsas do Starbucks. foi a última, conversando com Joffrey, o segurança da girlband.
Harry e Zayn estavam de quatro no chão, enquanto Louis e Liam seguravam as pernas dos dois, respectivamente. Niall estava mais distante, segurando seu celular, e, ao seu lado, estava Lottie, que filmava tudo para postar em suas redes sociais.
- Vocês têm certeza da idade que tem? – indaga, colocando os copos de café na mesa de ferro que estava montada, encostada na parede.
- Eu acho que você fala isso, pois sabe que vai perder. – Zayn fala, dando língua para a ruiva em seguida, que revidou.
- Eu tenho sérias dúvidas quanto a isso. – fala, parando ao lado do cacheado, que perdeu alguns segundos olhando para o rosto da baterista.
O que estava de diferente nela? Seria seu bom humor, visto que o relógio marcava onze da manhã ainda?
- Eu acho que só vamos saber disso se apostarmos. – Louis fala, soltando os pés de Styles, que caiu com tudo no chão, fazendo rir do cacheado. – Eu e Harry, contra e .
- Acho uma boa. – fala, apertando a mão do mais velho, que sorriu abertamente para a ruiva.
- Eu não acho isso bom. – fala, atraindo os olhares dos três para si. – E se o Harry perder? Ele vai ficar tão triste.
- Você pode me consolar. – Harry fala, mostrando um sorriso malicioso em seguida. rola os olhos, levantando o dedo do meio para o cacheado, que riu. – Você é um péssimo solzinho.
- Solzinho? – Louis indaga, gargalhando em seguida. , que estava ao seu lado, também ria, enquanto ficava da cor de um tomate.
- Esse é o novo apelido da . Cansei de chamá-la de docinho, já que ela nunca é doce. – Harry fala, sorrindo em seguida.
- Não com você, que não merece. – a loira fala, bufando em seguida. – Podemos começar a competição?
e Harry foram para o chão, enquanto segurava os pés da baterista e Louis segurava os de seu companheiro de banda. Zayn e Liam estavam parados distantes, comendo alguns cupcakes e tomando seus cafés, observando a competição do quarteto.
- Está preparada pra perder, solzinho? – Styles indaga, olhando para por cima de seus ombros.
- Você que vai perder Harold. – Müller responde, sorrindo em seguida.
- A missão de vocês é bem simples... – fala ao se aproximar dos quatro, segurando um guardanapo branco em uma das mãos. – Vocês terão que ir até o Niall e voltar.
- Moleza. – Louis fala, estalando o pescoço em seguida.
- Nem tanto assim. – fala, aproximando-se da baixista. – e Harry terão que carregar um donut na boca, não pode deixar cair.
- Se cair, volta do início. – fala, fazendo a vocalista assentir.
- Harry, por tudo que seja mais sagrado, segura essa merda dessa rosquinha! – Tomlinson exclama, fazendo Niall gargalhar de onde estava sentado.
- E você também ! – exclama, fazendo a loira assentir.
- Prontos? – indaga, parando a dois ou três passos de distância do quarteto, que assentiu. – Em três, dois, um... Vão!
E gritos se espalharam pelo local, sendo das bandas ou dos membros do staff. Joffrey, segurança das meninas, gritava, incentivando a dupla da girlband, enquanto os seguranças da boyband incentivavam os dois rapazes.
No meio do caminho, Harry acabou engasgando, fazendo-o cuspir o donut. Aquilo foi o suficiente para que ele começasse a tossir por alguns segundos, o que causou uma crise de risos na baterista, que também deixou a rosquinha cair um pouco atrás de Louis.
- Era pra estarmos ganhando! – exclama. rolou os olhos, virando seu rosto para poder olhar melhor para a ruiva. – Ok, nós vamos ganhar!
E logo elas retornaram a correr, enquanto Harry tentava equilibrar a rosquinha de confeitos rosa e amarelo na boca, murmurando palavras desconexas para as duas garotas, que avançavam.
- Eu realmente tenho medo da mentalidade de cada um deles. – fala, parando ao lado de Zayn, que concordou com a cabeça. – São sempre assim os ensaios de vocês?
- Quase sempre. Às vezes só ficamos deitados no chão e olhando pro teto, enquanto nosso coreógrafo tenta fazer com que cantemos pelo menos o refrão de uma música. – Zayn responde, fazendo a garota sorrir.
Quando faltavam dois passos para chegarem perto de Niall, perdeu o equilíbrio, derrubando que, coincidentemente, deixou a rosquinha de confeitos coloridos cair no chão pela segunda vez.
- Vai tomar no cu! – grita, pegando a rosquinha em seguida. – Qual seu problema, ?
- Cala a boca, precisamos voltar. – fala, segurando as pernas da baterista.
- Parece que vocês estão perdendo, não? – Louis indaga, parando ao lado das meninas, que bufaram. – Que dó!
E logo Tomlinson deu os dois passos que restavam, fazendo a dupla vencer. Zayn, Liam e Niall comemoraram, enquanto ajudava a se levantar.
foi cumprimentar os dois, apertando suas mãos rapidamente com uma carranca no rosto.
- Eu me recuso. – resmunga, virando de costas e caminhando para longe deles.
Harry foi mais ágil, parando em frente a baterista, que olhou em seu rosto com uma feição raivosa, capaz de matar Styles apenas com um olhar.
- Foi uma competição justa, não foi? – Harry indaga, esticando sua mão direita. Ela bufou, virando o rosto em seguida. – Qual é solzinho...
- Eu não sou um solzinho, Harold. Pare de me chamar assim. – ela fala, empurrando o cacheado em seguida, caminhando em passos fortes pelo local até entrar no banheiro.
Harry correu o olhar pelas quatro integrantes da girlband, e apenas se levantou do sofá, caminhando para dentro do banheiro em seguida.
- Ele mandou você vir aqui? – indaga, sentada no chão ao lado da pia.
- Não, eu vim porque eu sou sua amiga. – responde, agachando-se e colocando a mão em um dos joelhos da loira, que apenas bufou. – ...
- Ele me irrita ok? – Müller indaga retoricamente, levantando o rosto logo em seguida. – Ele tem essa mania de ser diplomático e simpático o tempo inteiro. Ninguém é desse jeito vinte e quatro horas por dia, né?
- Por isso que você está irritada com ele? – indaga, rindo fraco em seguida. – E qual o problema dele te dar um apelido? Jake também te dava um...
- Você nem ouse comparar eles! – exclama, olhando nos olhos da amiga, que assentiu.
- Mas o apelido que ele te dava era ridículo da mesma forma. – fala, fazendo bufar. – Qual era?
- Floquinho. – sussurra. – E até hoje eu não sei qual o motivo dele me chamar assim.
- Ainda acho que solzinho faz mais jus a você. – comenta, fazendo levantar o olhar para a guitarrista. – Desculpe, não falo mais... Só que você tem que ser menos impulsiva, sabe? Eu acho que não era a intenção de Harry te irritar.
- Ele não precisa ter essa intenção. – fala, dando de ombros em seguida.
- Eu sei que não, mas para com isso. Você não acha que já está na hora de você começar a agir pra ganhar a aposta? – indaga, atraindo a atenção da baterista. – Eu acho o seguinte...
Do lado de fora, Harry conversava com Zayn, Louis e .
- Me recuso a acreditar que você torce pro Bulls. fala, bebendo seu café em seguida. – Onde foi que sua mãe errou com você?
- E você torce para qual? – Zayn indaga, virando seu corpo para poder observar melhor a vocalista.
- Knicks, obviamente. – responde, dando de ombros em seguida.
- Ninguém supera os Lakers. – Payne responde, limpando as mãos sujas de chocolate com um guardanapo.
- E você Malik? – indaga, olhando para o rapaz pela primeira vez desde o início da conversa. Ele sorriu, dando de ombros em seguida. – Então todos nós temos uma missão.
- Ensinar times de basquete para o Zayn? – Harry indaga, fazendo Liam rir.
- Cada um vai levar ele num jogo de um time. – responde, pegando seu celular no bolso do casaco que usava. – Tem jogo dos Knicks dia dezesseis de abril. Posso comprar os ingressos?
Enquanto digitava, Zayn a observava curioso daquele momento repentino. Ela não o detestava tanto assim, certo?
- Só se a Perrie puder ir junto. – Malik fala após algum tempo em silêncio, fazendo sorrir e assentir com a cabeça.
- Você é famosa agora! Pode pedir por ingressos. – Harry fala, atraindo o olhar da garota.
- Eu peço. – Zayn fala, fazendo bloquear o aparelho eletrônico que estava em suas mãos.
A porta do banheiro se abre, atraindo o olhar do quarteto. caminhou pelo local, mostrando sua cabeça erguida e seu olhar impassível, fazendo Harry suspirar, mesmo que ele não tivesse dado conta disso.
veio logo atrás, fazendo Payne sorrir para a garota, que nem dava tanta bola pra ele assim. Sentiu-se um completo imbecil.
- Oi Harold. – resmunga ao parar do lado do cacheado, que apenas arregalou os olhos. – O gato comeu sua língua agora?
- Não sei, abre a boca que eu quero ver. – Harry comenta, arrancando uma risada baixa de Liam, fazendo lutar para não rir daquela frase.
Ele não era tão baixo a esse ponto, ou era?
- Essa foi péssima. – Müller responde, cruzando os braços em seguida.
- Ah, não foi não. Eu vi um sorrisinho surgindo no seu rosto. – Styles fala, cruzando os braços também, mas dando um sorriso de lado para a garota, mostrando suas covinhas.
- Eu também vi! – Liam exclama levantando a mão.
- Alguém te chamou na conversa? – indaga ao olhar para Payne, que apenas deu de ombros.
- Pode admitir que você sorriu com a minha cantada. – Harry comenta, aproximando-se um pouco da garota.
Harry achou que, quando se aproximasse, ela se afastaria como naqueles filmes românticos que assistiu durante uma parte de sua adolescência, junto de sua irmã mais velha. Mas aí ele percebeu que aquela não era uma personagem de um filme de comédia romântica, e sim , a baterista da The Heathers.
Ela apenas arqueou uma das sobrancelhas, sustentando um olhar com o cacheado por longos segundos, encarando os dois orbes verde esmeralda que ele tinha.
- Ela foi péssima, assim como você é. – Müller responde, virando em seguida e caminhando para perto de e , deixando Harry Styles parado como um poste e com cara de tacho.
De longe, pensava se aquilo algum dia iria melhorar, e se eles poderiam viver sem farpas e como dois amigos, mas, se tratando de , era quase impossível.
- Eles vão se entender. – Liam fala ao se aproximar da garota, olhando em seus olhos pela primeira vez em dias.
- Eu espero que sim. – fala, pegando seu celular e respondendo uma mensagem de Logan.
- Você vai me ignorar? – Payne indaga, sentando ao lado da guitarrista, que terminou de digitar a mensagem e enviou. – Quem é ele? É o fotógrafo da festa?
- Sim. – responde, fazendo o rapaz bufar. – Algum problema?
- Pensei que... – ele começa, suspirando em seguida. – Deixa pra lá.
- Melhor. – ela fala, encarando os tênis vermelhos que usava.
Desde quando o clima entre eles ficava assim, tão estranho? Liam sabia que tinha uma enorme parcela de culpa nisso, e até poderia pedir desculpas, mas ele não queria. Seu orgulho era grande, mas não tão grande quanto à saudade que sentia de e de seus beijos.
Detestava aquilo, queria pedir desculpas, mas não obedecia aos comandos de seu coração. Ele precisava ser mais emocional de vez em quando, mas ser racional era melhor.
O telefone dele tocou, e o nome de Sophia apareceu no visor, junto de uma foto deles juntos no BRITs, uma selfie que a modelo tirou antes de saírem da festa e irem para o apartamento do cantor.
, por reflexo, viu o nome da modelo no telefone do cantor e suspirou baixo, tentando não atrair a atenção de Liam para si e ele acabar percebendo que ela estava da mesma maneira que ele.
- Oi Liam, tudo bem? Eu tenho um convite para vocês.
- Oi, Soph! O que houve? – Liam indaga, sorrindo forçado em seguida, mesmo sabendo que a garota não era capaz de ver.
- Como você deve saber, eu fiz aniversário há quase um mês, mas não comemorei por alguns motivos. Hoje eu decidi comemorar numa boate.
- Você está em Londres? – Payne indaga, levantando da cadeira em seguida. – As meninas do The Heathers estão aqui também...
- Elas também estarão convidadas, e quem mais elas quiserem trazer. Eu gosto da e das outras.
“Eu também gosto da ”, Liam pensou. Dois segundos depois, jogou aquele pensamento para escanteio, tentando se concentrar em uma desculpa convincente para que todos ficassem em casa.
- Eu irei falar com todos por aqui e te ligo, tá? – Liam indaga, coçando a nuca em seguida.
- Claro, mas colocarei o nome de vocês na lista de qualquer maneira, tá? Até mais tarde!
E logo ela encerrou a ligação, e tudo o que Liam fez foi bufar e sentar no chão.
- Aconteceu algo? – Louis indaga ao se aproximar do amigo, que prontamente negou.
Após alguns minutos sentado, levantou-se, aproximando do pessoal, que conversava entre si, esquecendo totalmente de que precisavam ensaiar.
- Sophia nos chamou para irmos a uma festa hoje. – Liam comenta, atraindo o olhar de Zayn, , , , Niall, Harry e Louis. – Todos nós. Ela quer comemorar o aniversário dela.
- Isso inclui a girlband? indaga, apontando para as amigas com o indicador.
- Claro! Ela gosta de vocês. – Payne responde, dando de ombros em seguida. – Ela disse que vocês podem chamar alguém. Algum acompanhante, eu sei lá.
- Eu topo! – exclama, levantando a mão em seguida. – Eu preciso beber algo.
- Calma lá, garota. – Zayn comenta, rindo em seguida. rolou os olhos, dando língua para o moreno.
- Eu vou chamar a Josie! – Niall exclama, pegando o celular no bolso da bermuda jeans que usava. – Assim vocês a conhecem, principalmente você . Ela está doida para te conhecer de tanto que eu falo.
Aquilo fez Louis, Harry e Zayn sorrirem maliciosos um para o outro, algo que Horan nem foi capaz de perceber, visto que estava concentrado em digitar alguma mensagem para a garota.
- O Willie está na cidade? – indaga, fazendo Niall assentir. – Fala com ele pra vir e ser meu acompanhante.
- Eu sou o mediador? – o irlandês indaga, fazendo sorrir e assentir. – Eu falo com ele.
- E você, ? Quem você vai levar? – Louis indaga ao se aproximar da ruiva, que apenas deu de ombros.
- Eu não tenho um acompanhante. – fala, sorrindo em seguida. – Mas eu quero me divertir.
- Eleanor está ocupada com a faculdade, possivelmente não poderá ir. – Tomlinson fala, soltando um suspiro cabisbaixo. – E você Zayn?
- Vou ligar pra Perrie, talvez ela se anime. – Malik fala, dando de ombros em seguida.
- Coloca meu nome nessa lista! – exclama, aproximando-se do grupo.
- Já que o meu solzinho vai, eu preciso ir junto. – Harry comenta, abraçando a loira por trás.
- Não me toque Harold! – exclama, afastando-se do cacheado, que apenas fingiu uma carinha triste. – Eu não quero você perto de mim.
- Liam! – exclama, fazendo o coração do rapaz quase saltar do peito. – Coloca o meu nome e o do Logan na lista, por favor.
Era óbvio que ela iria chamar o Logan. Aquilo fez uma raiva, mesmo que pequena nascer no corpo de Liam, que apenas assentiu com a cabeça.
Liam se sentia tão burro. Ele iria para o mesmo lugar da garota que ele possivelmente gosta, onde ela vai estar com outro e o pior: eles iriam se beijar a noite inteira. Era o cúmulo da vergonha.

(...)

estava sentada na cadeira no quarto de hóspedes da casa de Harry, enquanto fazia uma maquiagem elaborada na vocalista, alegando que elas poderiam sair na mídia e não poderiam ficar feias.
jogava Mario Kart sozinha, com um pijama de unicórnio e meias nos pés, além de não estar arrumada para nada.
e tiravam fotos umas da outra, para que pudessem postar nas redes sociais.
- , sai desse videogame. – fala, puxando o controle da mão da loira, que deu um chute fraco em sua coxa. – Você vai nos atrasar.
- Não. Eu não vou me atrasar, pois não irei me vestir assim como vocês. Parecem que vão para o casamento real. – fala, fazendo as quatro bufarem ao mesmo tempo.
- , já disse que... – começa.
- É para aparecermos na mídia, eu sei, mas eu não quero sair como um pavão toda maquiada ou com um salto altíssimo parecendo uma girafa recém nascida. – comenta, dando de ombros em seguida.
- Ah, mas eu acho que você ficaria linda desse jeito. – Harry fala do outro lado da porta trancada, fazendo quatro das cinco rir.
- Você está escutando nossa conversa Harold? – indaga, levantando em seguida.
- Escutei o suficiente para saber que você fica linda de qualquer jeito, até mesmo com esse pijama fedorento que usa. – Styles fala, fazendo bufar e rolar os olhos. – Mentira, eu retiro o que eu disse. Você fica feia com todas as roupas que veste.
Harry sabia que era mentira aquilo que dizia. ficava bonita com qualquer coisa que vestisse, mesmo que fosse um saco de batata e galochas de patinhos.
- Vou fazer você engolir o que disse! – ela exclama, pegando a roupa que estava separada em cima da cama e destrancando a porta, quase fazendo o garoto cair para dentro do cômodo. – Sai da minha frente.
E logo ela entrou no banheiro, fazendo Harry sorrir e ficar ali parado, sendo observado pelas quatro meninas.
- Obrigada por isso, Harry. – comenta, guardando o blush no seu nécessaire.
- Eu sabia que ela faria algo se eu a provocasse. – Styles fala, colocando as mãos no bolso da frente da calça jeans que usava. – Paul e Preston já virão para nos buscar.
- Joffrey e Jarvis estão também. – fala, sorrindo em seguida.
Trinta minutos depois, todos estavam a caminho da boate. The Heathers ia em seu próprio carro, enquanto Harry ia com Paul e Preston em sua BMW. Liam estava também, junto de Niall e Louis. Zayn saiu da casa de Perrie junto da noiva.
Quando todos chegaram à boate, avistaram uma dúzia de paparazzi, que estavam se espremendo entre as barras de ferro para poderem ver as duas bandas e seus parceiros. Havia também fãs, que gritavam seus nomes, esperando no mínimo um aceno.
Entraram após informarem seus nomes, que quase não foi necessário, já que eles eram mundialmente conhecidos. Foram designados para a área vip, onde Sophia já comemorava com alguns amigos dela de faculdade, de colégio e de trabalho, além de amigos em comum com Liam, que não hesitaram em vir cumprimentar o membro da boyband.
- Fiquem à vontade! – Sophia exclama após abraçar , sorrindo em seguida.
- Podemos dançar? – Perrie indaga, intercalando seu olhar entre e .
- Para dançar eu preciso de álcool. – fala, apontando com o indicador para o pequeno bar montado ali no andar, caminhando para lá em seguida.
- Não ultrapasse os limites. – fala, fazendo assentir.
Num sofá, Willie estava conversando com Niall sobre partidas e times de futebol, quando sentou no braço do móvel, fazendo com que o primo de Horan olhasse para ela com um sorriso largo, capaz de rasgar seu rosto com facilidade.
- E aí? – Andy, um dos melhores amigos de Liam, indaga, cumprimentando Zayn, Liam e Harry, que conversavam sobre aleatoriedades.
- Quem é vivo sempre aparece! – Payne exclama, abraçando o amigo em seguida. – Eu pensei que não o veria mais.
- Você é dramático. – Andy responde, dando de ombros em seguida. – Só vim falar com vocês, pois eu preciso de ajuda.
- Qual a garota da vez? – Harry indaga, virando mais uma pequena dose de seu uísque com gelo.
- Quem é a ruiva ali? – Samuels indaga, apontando para , que estava sentada no canto conversando com Louis e Josie.
- Aquela é a , pianista⁄tecladista da The Heathers. – Zayn fala.
- E está solteira. – Liam fala, atraindo os olhares dos três. – Eu sou informado.
- Todo mundo sabe quem é sua fonte de informação. – Zayn fala, fazendo Harry e Andy gargalharem, menos Payno, que fez uma carranca. – Você quer ajuda com o que, exatamente?
- Só queria saber o nome. – Andy fala, ajeitando os cabelos e a gola da camisa polo que usava. – Desejem-me sorte.
E logo ele se afastou do trio, pensando no que falaria com ela.
- Boa noite. – ele fala ao se aproximar, esticando sua mão direita. – Eu sou Andy Samuels, amigo do Liam e da Sophia.
- Eu sou a Josie. – a morena fala, apertando a mão do homem, que sorriu.
- E eu sou a . – responde, apertando a mão do rapaz, que sorriu e mandou uma piscadela pra ruiva.
Aquilo fez o sangue de Tomlinson ferver, mesmo sem algum motivo aparente.
- Achei que não viria. – Louis comenta, colocando seu copo de cerveja em cima da mesa que dividia com as duas meninas.
- Eu tive uma pequena folga de dois dias. – Andy fala, olhando pela primeira vez no rosto de Louis. – E eu queria rever vocês. E conhecer pessoas novas.
E logo ele manda uma piscadela para , que apenas sorriu e rolou os olhos.
- Você é engraçado. – a ruiva comenta, fazendo Andy arquear uma das sobrancelhas. – Eu gosto disso.
- Quer dizer que eu tenho uma chance então? – ele indaga, fazendo Louis arregalar os olhos em seguida.
- Ok, eu estou me retirando, porque a tensão entre vocês é pesada demais pra que eu possa segurar. – Josie fala, fazendo rir e virar o resto de seu Martini, ainda trocando olhares intensos com o modelo.
- ! – Louis exclama, cortando a troca de olhares. – Você quer mais alguma bebida?
- Não, eu estou bem. – ela fala, sorrindo amigável para o mais velho, que retribuiu.
Alguns passos distantes, estava virando o terceiro shot de tequila, o que fez ficar assustada com a velocidade em que a baterista virava o líquido do copo.
- Você precisa ir com calma. – fala, vendo a loira rir de algumas coisas aleatórias.
- Desde quando você é a chata da ? – indaga, fazendo uma careta exagerada e engraçada, tudo na mesma proporção. – Me deixa em paz!
- Ok, eu não vou mais incomodar. – comenta, saindo de perto da loira e indo parar do lado de , que estava aos beijos com Willie e não se importava se alguém estava olhando. – Vão pra um motel!
- O quê? – indaga, virando o rosto para olhar pra , que riu ao ver as marcas do batom que usava ao redor de sua boca e nas bochechas. – Vai arrumar algo pra fazer!
- Vocês estão me destratando demais. – fala, cruzando os braços em seguida. – Cadê a ?
- Desceu para dançar com a Perrie. – Willie responde, fazendo assentir com a cabeça e se levantar.
- Isso, agora você me deixa em paz. – responde, fazendo levantar seu dedo do meio, caminhando para a escada caracol que dava direto para a pista de dança.
Demorou cerca de vinte minutos para encontrar , que estava aos beijos com Logan, enquanto Perrie e Zayn dançavam juntos, ignorando o casal ao lado.
- Vejo que eu nasci para ficar de vela mesmo. – comenta, fazendo Perrie gargalhar.
- Então vamos dançar! – Perrie exclama, puxando a garota pelas mãos para mais perto de si, para que pudessem dançar a música que tocava no ambiente.
Após duas músicas, as duas foram para o bar que ficava ali perto. Zayn havia subido, mas avisou que voltaria em pouco tempo para ver como a noiva estava.
- Dois mojitos! – Perrie exclama, sorrindo simpática para a moça que preparava os drinques.
Na pista, Logan ajudava a girar pelo salão, fazendo a guitarrista gargalhar e o fotógrafo sentir como se houvessem borboletas em seu estômago.
- Vamos para o bar? – Logan indaga ao tocar a garota pela cintura.
- Podemos ir lá pra cima? Meus pés estão me matando! – fala, fazendo uma careta em seguida. Logan assentiu, entrelaçando seus dedos aos da garota e caminhando por entre a multidão até a escada que dava acesso a área vip.
- As meninas ficaram por lá ainda? – Malik indaga assim que os dois se aproximam. assentiu, sentando na banqueta que ficava ao lado do balcão do bar.
- Me vê um drinque sem álcool, por favor? – indaga, e o barman assente, indo preparar algo pra garota.
Harry estava caminhando com Louis, quando viu sentada no canto sozinha, apenas observando as pessoas que dançavam ao seu redor. Em sua mão, estava uma Margarita.
- Vamos dançar! – Harry exclama, colocando o copo no balcão e segurando as duas mãos da garota, que negava com a cabeça. – Você já não está bem solzinho.
- Harry, eu estou bem. – ela fala, levantando e caminhando, tropeçando em seus próprios pés e caindo sentada no chão, fazendo o cacheado segurar o riso. – Agora você me ajuda.
- Qual a palavra mágica? – ele indaga, parando de frente pra garota, que ponderou por alguns segundos, até dar de ombros.
- Se eu me machucar a culpa vai ser sua. – ela fala, apontando com o indicador para o rapaz, que apenas deu de ombros.
Mais uma vez, a música mudou, e as batidas de Want You Back ecoaram pelas caixas de som potentes daquela casa noturna, fazendo dar um sorriso largo e esticar as mãos para o cacheado, que prontamente a ajudou a levantar.
- Eu amo essa música! – ela exclama, batendo palmas em seguida. – But just know that I want you back. Just know that I want you back. Just know that I want you. I’ll take the fall and the fault in us, I’ll give you all the love I never gave before I left you.
E ela começou a fazer uma dança esquisita, fazendo Harry rir. Nunca gostou tanto de ver alguém bêbado quanto gostava de ver Müller.
E, quando um flash de luz bateu em seu rosto por, no máximo, três segundos, ele se sentiu um idiota, porque, em seu íntimo, ele achava aquela garota o máximo. E a mais bonita que ele já viu.
Ela não percebia, mas Styles a encarou pelo restante da música, dando sorrisos nada discretos enquanto a garota cantava e pulava, fazendo o máximo possível para não cair e machucar o pé.
- Você não dançou a minha música? – ela indaga, cruzando os braços em seguida.
- Eu precisei me policiar para que você não caísse. – ele fala enquanto a garota senta no sofá de couro. – Você está bem?
- Sim, mas eu quero dançar. – ela fala, tirando os saltos de seus pés e correndo em direção as escadas, descendo pelos degraus na velocidade da luz, mal dando tempo de Harry pensar em impedir.
Ela iria arrumar um problema grave.
Uma parte dizia para ele ficar ali, ou avisar as amigas da garota do pequeno delito que ela havia cometido. A outra, uma parte bem maior, dizia para ele se levantar e ir atrás da loira, já que ela estava bêbada e poderia acontecer um grave acidente, visto que ela não tinha total consciência de seus atos.
Bufou quando se levantou e desceu as escadas, esperando encontrar a garota o mais depressa possível. E, bom, aconteceu.
estava sentada no chão e, ao seu redor, cinco pessoas. Uma segurava um pequeno saco com gelo, colocando em seu tornozelo. Outras duas mexiam no celular, enquanto outras apenas conversavam, ignorando a cara de choro que a baterista fazia.
- Harold! – ela exclama, sentindo um alívio por ver o cacheado ali. – Eu estou com dor.
- Vem que eu preciso te levar para um hospital. – ele fala, esticando as mãos para que ela pudesse se levantar.
- O que eu tenho? – ela indaga, passando um dos braços pelos ombros do cacheado, que a segurou pela cintura para que pudesse ajudá-la a caminhar.
- Eu tenho cara de médico? – Harry indaga, arqueando uma sobrancelha ao olhar pra garota, que apenas rolou os olhos.
Styles ajudou a garota a entrar no carro, sentada no banco traseiro com a perna esticada. apoiou a cabeça no vidro, fechando os olhos e esperando chegarem ao hospital e lá descobrir o porquê de tanta dor.
- Falta muito? – ela indaga com o tom de voz arrastado, como se fosse uma criança que estava doente. Aquilo fez Harry rir fraco, negando com a cabeça em seguida. – Harold eu preciso de um saco.
- Você não pode vomitar solzinho. – ele fala, intercalando o olhar entre a rua e a garota, que estava olhando para o teto do carro. – Já estamos chegando.
Quando percebeu que já estava ali, desligou o carro, dando a volta para poder ajudar a garota, que via tudo girando.
- Você precisa me ajudar . – ele fala, passando o braço da garota por cima de seus ombros e segurando em sua cintura, caminhando com ela por alguns minutos, até avistarem a fachada do Hospital St. Thomas.
- Eu preciso de um médico urgente. – Harry fala ao entrar na recepção do hospital, atraindo os olhares curiosos dos enfermeiros que estavam por ali. Todos o reconheceram de prontidão, surpresos por ver o astro pop por ali.
- O que houve? – uma enfermeira indaga, aproximando-se dos dois.
- Eu quero vomitar. – resmunga. – E estou com dor no meu... Qual o nome?
- Tornozelo. – Harry fala, olhando sério para a profissional que estava na frente deles. – Vocês podem ajudá-la?
E a enfermeira assentiu, pegando uma cadeira de rodas em seguida. Harry ajudou a se sentar, e foi caminhando para a área hospitalar junto dela e de uma enfermeira.
- Toma esse saquinho para você vomitar. – a enfermeira disse, entregando um saco marrom para a baterista. – Daqui a pouco um médico irá atendê-la, ok?
E ambos assentiram, vendo a mulher se afastar pelo corredor largo e iluminado daquele andar. Harry sentou em uma cadeira ao lado da loira, que tentava não pensar na dor em seu tornozelo e em se concentrar no desenho infantil que passava na televisão àquela hora da madrugada.
- Harold... – ela começa, fazendo Harry bufar. – Eu quero só te dizer... Valeu por ter me ajudado.
- O quanto dói em você dizer obrigado? – ele indaga, olhando para o rosto da garota, vendo a mesma rolar os olhos. – Está tudo bem. Daqui a pouco ligarei para todos.
E logo eles ficaram em silêncio. Harry estava concentrado em suas redes sociais, enquanto se concentrava na televisão muda do corredor, tentando decifrar o que eles falavam.
Alguns minutos depois, sentiu sua cabeça pesar e acabou apoiando no ombro de Styles, retirando dois segundos depois. Ele apenas sorriu, fazendo a garota repetir o ato.
- Você me promete que não vai vomitar em mim? – ele indaga, fazendo a garota sorrir. Era um sorriso bonito, algo que Harry nunca viu durante os poucos meses em que eles se conheciam.
Antes que ela pudesse formular uma resposta, já estava colocando tudo para fora, tendo tempo o suficiente para não sujar seu acompanhante, que fazia uma careta enquanto via o chão na sua frente ficar sujo com aquele líquido nojento.
- Está melhor? – ele indaga, evitando olhar para o chão. Era um tanto sensível.
- Muito, mas estou ficando com fome. – ela fala, fazendo beicinho em seguida, limpando a boca na barra do vestido que usava.
- Irei pegar alguns biscoitos ali. – ele fala, colocando seu telefone na cadeira, junto de sua jaqueta. Após algum tempo, ele voltou com alguns biscoitos e um copo de água, segurando-o até a garota comer as torradinhas.
- Você sabia que quando vomitamos precisamos de água, Harold? – ela indaga, fechando a cara em seguida. – E eu preciso de água.
- Só quando você comer tudo isso. – ele fala, apontando para a pequena pilha de biscoitos integral que pegou numa mesa, poucos metros de distância deles.
- Eu te odeio. – ela resmunga entre dentes, fazendo Harry sorrir.
- É recíproco. – ele fala, fazendo a garota dar um sorriso falso para o cacheado, que retribuiu.
- Müller? – um médico indaga ao aparecer na porta de um consultório ao lado deles, segurando uma prancheta e uma caneta.
- Sou eu. – ela fala, levantando a mão em seguida.
- Pode entrar. – ele fala, sorrindo amigável para a garota.
- Essa é a hora que você me empurra. – fala, olhando para o cacheado atrás dela.
- Você machucou o tornozelo, nãos os braços. – ele fala, dando de ombros em seguida.
- Você é imprestável Harold. – ela fala, fazendo força para poder andar com a cadeira e entrar no consultório.
Não tão distante dali, Zayn, Louis, , Perrie, Niall e Josie estavam dançando. estava junto de , já que Logan e Andy tiveram que ir embora mais cedo.
- Gente! – Liam exclama em voz alta, assustando a todos ao redor. – e Harry estão no hospital.
- Ela tentou matar ele? – Niall indaga, fazendo Louis dar uma gargalhada.
- Não sei, só sei que eles estão no hospital. – Payne responde, guardando o celular no bolso da calça que usava. – E acho que nós precisamos ir pra lá.
- E a Sophia? – indaga ao terminar seu drinque.
- Ela vai com a gente. – Liam responde. – Podemos ir?
E logo eles estavam saindo da boate. , e foram juntas de Louis, enquanto ia com Niall e Josie. Zayn e Perrie foram sozinhos, assim como Liam e Sophia.
- Cadê ela? – indaga assim que vê Harry sentado na recepção mexendo em seu celular.
- Foi fazer um raio x. – Styles responde. – Mas deve demorar.
E logo todos se sentaram, esperando por notícias de .
Até que, depois de quase uma hora, a porta no fim do corredor se abre, e ela aparece na cadeira de rodas, sendo empurrada por uma enfermeira. Em seu pé machucado, havia uma tala de gesso amarelo, o que fez Harry gargalhar.
Ela era mesmo o solzinho dele, mesmo que ambos não soubessem disso.
- Alguém pode me empurrar? – ela indaga, acenando com os dois braços.


The One with the Talkshow

“I, I will be king. And you, you will be queen
Though nothing will drive us away, we can be heroes. Just for one day.
David Bowie – Heroes.”


Oito de março de 2014.
dividia sua atenção entre a maquiadora e seu celular, respondendo mensagens de Willie e verificando seu Twitter, interagindo com alguns fãs que lhe mandavam inúmeras mensagens por minuto. Ela sorria, pois sabia que era impagável toda aquela sensação.
estava olhando para a televisão que havia no camarim, onde passava algum programa da emissora. Estava tentando se concentrar, se não estivesse tão ansiosa por aquele momento.
dedilhava o pequeno piano que estava naquele camarim (cortesia de Jonathan Ross, como podem imaginar) e dali saía uma boa melodia, e ela desejou guardar aquilo em sua memória até voltar para casa, onde poderia tirar algo produtivo para o álbum da banda, que não estava definido até o momento, para aumentar ainda mais o suspense e a ansiedade de seus fãs, que cresciam a cada dia. Aonde elas iam eram reconhecidas. foi reconhecida ontem, quando foi ao mercado para comprar sorvetes e pipocas de microondas.
batucava com os sprays de cabelo, enquanto se olhava no espelho que era usado por , que fazia um penteado para aquela ocasião.
Sarah estava conversando com Mike, produtor da banda, discutindo sobre a possibilidade de gravarem mais alguma música, já que Want You Back havia sido um sucesso e tanto e precisavam de mais um para ser lembradas pela indústria musical e pelas premiações.
- Será que nossos pais vão gostar disso? – indaga enquanto olha para seu reflexo no espelho. Estava se sentindo bonita.
- Eu espero que sim! – exclama, dando um sorriso torto em seguida.
Com a ideia de aproximar as famílias e fazer as meninas matarem as saudades de seus pais e familiares, Sarah convidou os pais e os irmãos para passarem cinco dias na capital inglesa, onde eles estariam próximos de suas filhas e iriam conhecer a cidade e seus pontos turísticos. Aquilo seria bem aceito, mas ela resolveu fazer surpresa. E o susto foi tão grande que quase Sarah postou no YouTube, mas as meninas não autorizaram, visto que não queriam aparecer chorando na internet. Aquilo era humilhante.
Dois toques na porta fazem as cinco se alarmarem, sentindo seus corações disparados.
- Alguém quis vir desejar boa sorte. – Sarah fala, dando passagem para as mães das cinco e Matilda, irmã de .
- Eu nunca imaginei que estaria aqui, no primeiro programa de vocês! – Monique, mãe de , exclama abraçada às filhas, enchendo de beijos o rosto da baterista.
- Eu estou tão orgulhosa, mi flor. – Amber, mãe de , fala ao beijar a bochecha da filha, que sorriu e abraçou sua progenitora. – Acho que nem cabe dentro de mim quão orgulhosa eu estou.
- Não chora mamá. fala, enterrando seu rosto no pescoço da mais velha, que apenas riu. – Eu não posso borrar minha maquiagem.
- E nem eu posso. – Diana, mãe de , fala, beijando o rosto da ruiva em seguida. – Eu sei que vocês vão se sair bem.
- Trevor está aí? – indaga referindo-se ao irmão mais velho.
- Não, ele está no hotel com o Jordan. – ela fala, fazendo a ruiva bufar. – Ele queria vir, mas não queria deixar o bebê com uma babá que ele não conhecia. Você sabe como é seu irmão.
- Protetor demais. – fala, rolando os olhos em seguida. – Espero que ele esteja assistindo no hotel.
- Ele não perderia por nada! – Diana exclama, fazendo sorrir. – Você sabe que ele é seu segundo maior fã, logo atrás de mim.
- É eu sei. – fala, sorrindo em seguida.
As mulheres ficaram ali por mais quinze minutos, tirando fotos e prolongando a despedida, mesmo que fossem se encontrar horas depois.
Em Holmes Chapel, Harry estava enrolado numa manta, assim como sua mãe, seu padrasto e sua irmã. Os dois mais novos se espremiam no colchonete fino que Harry havia achado no sótão da casa, enquanto os mais velhos se espalhavam pelo sofá grande, esperando pelo programa que Harry tanto falava.
- Cadê seu namorado, Gemma? – Anne indaga, acariciando o cabelo da filha.
- Ele disse que chegaria logo depois do trabalho. – ela fala, sorrindo em seguida.
- Alguém precisa trabalhar para sustentar você. – Harry resmunga, fazendo a mais velha dar um soco em seu ombro.
- E quem disse que eu preciso do dinheiro dele? – ela indaga, arqueando uma das sobrancelhas. – Eu tenho o seu.
- Engraçadinha... – ele fala, bagunçando os cabelos da mulher, que gritou com raiva.
- Meu Deus Harry! Isso é falta de namorada? – Gemma indaga, ajeitando seus cabelos em seguida. – Se for, você precisa encontrar alguém.
- Eu não, obrigado. – ele fala, fazendo uma careta em seguida.
- Ele fala assim, mas é louco pela . – a mais velha dos irmãos cantarola, fazendo o cacheado rolar os olhos e bufar.
- ? – Robin, padrasto de Harry, indaga, arqueando as sobrancelhas.
- A baterista da banda que vai aparecer hoje na televisão. – Gemma fala, olhando rapidamente para seu padrasto. – Você acha que ele ficou todo ansioso para ver esse programa por qual motivo?
- Gemma, cala a boca! – Styles exclama, sentindo seu rosto esquentar rapidamente. Conseguiu se recompor antes mesmo que todos notassem.
A campainha toca, e Harry agradece quando a irmã é obrigada a se levantar. Bufou de raiva quando viu ela e seu namorado se beijarem na porta de entrada, enquanto ele carregava uma garrafa de vinho na mão esquerda e duas caixas de pizza na direita.
- Olá pessoal. – ele fala, colocando tudo na mesa de centro.
- Ainda bem que você apareceu. Não aguentava mais sua namorada. – Harry fala, arrancando uma risada fraca do cunhado, que beijou a garota mais uma vez. – Ok, eu só não quero ficar de vela...
E logo os dois se separaram. Anne foi buscar as taças na cozinha, enquanto Robin era o responsável por abrir aquela garrafa de vinho e servir os cinco ali.
Assim que todos se serviram, Harry separou o casal, sentando-se entre os dois, alegando que não queria ver os dois se beijando a cada cinco segundos como dois adolescentes. A verdade era que ele sentia ciúme de sua irmã, mas nunca admitiria. Não na frente dela.
- Harry... – Gemma murmura, beijando a bochecha do irmão mais novo. – Por favor!
- Gems, não! – ele exclama, bufando em seguida. – Vocês dois são nojentos.
- Nós vamos nos comportar. – ela sussurra, apoiando a cabeça no ombro do cacheado. – Por favor Hazz...
Aquilo era golpe baixo. Usar seu apelido de infância era um golpe baixo e ele jamais aceitaria isso.
E ele bufou, se levantando e sentando na poltrona de couro marrom, carregando consigo a manta. Gemma não reclamou, apenas sorriu cúmplice para o mais novo, que apenas rolou os olhos e voltou a assistir à televisão.
Em Bradford, a família de Zayn estava ao redor da lareira da sala, enquanto Waliyha e Safaa, as irmãs mais novas do moreno, faziam pipocas. Doniya era responsável pelos sorvetes e por outras guloseimas, enquanto Zayn e Perrie eram responsáveis por arrumar os colchões, espalhados pelo chão da sala de estar.
- Eu acho que está bom. – Zayn fala, rindo em seguida. Havia colchão até onde se cansava, já que seus primos chegariam a poucos minutos.
- Você acha? – Perrie indaga, rindo em seguida. – Você está exagerando...
- Eu só quero que todos fiquem confortáveis. Além de que não quero ninguém no sofá de mamãe, ou ela irá me matar. – ele fala, dando de ombros e puxando a noiva pela cintura. Ela sorriu, beijando o queixo do amado, que apenas sorriu em resposta, beijando seus lábios segundos depois.
- Por favor, vão pra um quarto! – Doniya exclama, fazendo Perrie rir envergonhada e Zayn bufar.
- Para de ser inconveniente. – Zayn fala, caminhando até o colchão que ele havia reservado para os dois, deitando ali em seguida.
- Zayn, como é a banda? – Waliyha indaga, e seus olhos brilharam. Zayn sabia de quem se tratava, afinal, tudo aquilo se tratava de uma única banda: The Heathers.
Há algumas semanas, Zayn acordou com uma chamada de vídeo de Waliyha, o que quase o fez arrumar tudo e vir correndo para Bradford, esperando que tivesse acontecido o pior. Ela só queria saber o porquê de haver fotos de seu irmão mais velho com sua girlband favorita do momento, incluindo fotos com , que era sua preferida das cinco.
E hoje, durante seus últimos dias de folga antes de voltar para Londres e começar a gravar o quarto álbum e ensaiar para a próxima turnê, ele descobriu que seriam obrigados a assistir a entrevista das meninas para The Jonathan Ross Show. Não que ele não gostasse, o que estava fora de cogitação. Ouvia tanto Want You Back que estava começando a ficar enjoado das batidas e da voz de em seus fones de ouvido.
- Elas são demais. Algum dia você as conhece. – ele fala, fazendo a garota sorrir. – Elas vão abrir alguns shows durante a turnê.
- Alguma possibilidade de você me levar em shows? – ela indaga, juntando as duas mãos, suplicando por uma resposta positiva.
- Posso pensar. – ele fala, fazendo a mais nova bufar e assentir. – Claro que eu te levo. Em um. Ou dois no máximo. Você tem escola.
- Obrigada maninho. – ela fala, abraçando-o rapidamente.
- Eu posso sentir ciúme de você ter uma nova girlband? – Perrie indaga, cruzando os braços em seguida e fingindo estar brava, arrancando uma risada das cunhadas.
- Você sabe que eu sempre irei gostar de Little Mix, mas você não me levou para conhecer nenhuma das meninas. – Waliyha fala, dando de ombros em seguida.
- É só por isso? – Perrie indaga, vendo a garota assentir com a cabeça. – Então algum dia virei buscar você para conhecê-las pessoalmente. Em algum show da turnê.
- Eu também aceito o convite, se ele for estendido. – Doniya fala, levantando uma das mãos.
- É para as três! – Perrie exclama, vendo as três sorrirem. – Pode ser?
E logo elas concordaram, fazendo a loira sorrir e assentir, voltando a prestar atenção no programa que passava na televisão, que estava prestes a acabar, o que deixava certa ansiedade em Waliyha e também em Zayn, que não entendia o motivo.
Em Doncaster, Louis se espremia no sofá com Eleanor, sua namorada, Johannah, sua mãe, e Dan, seu padrasto, enquanto suas irmãs se distribuíam pelos colchonetes no tapete. Na televisão, Meryl Streep cantava Dancing Queen, o que fazia as gêmeas Daisy e Phoebe, além de Lottie, Fizzy e Eleanor dançarem e cantarem num coro desafinado, fazendo Tomlinson rir daquilo e sentir seu coração aquecer. Ele gostava de estar em casa.
- Niall acabou de me avisar que soube que as meninas entram no ar em três minutos. – Louis fala, guardando o celular no bolso da calça de moletom que usava.
Sentiu um frio na barriga quando pegou o controle da TV a cabo, procurando pelo canal onde passaria o programa. Sentiu um frio na barriga quando viu o comercial anunciar que o programa começaria em instantes, e ele não entendeu o motivo daquilo.
- Eu adoro Want You Back! – Fizzy exclama, atraindo o olhar do irmão mais velho. – Mãe, você pode chamá-las para o casamento?
Johannah iria se casar em alguns meses. Seria uma festa íntima, em que todos os membros da banda e seus familiares estavam convidados.
- Elas podem cantar uma música para vocês! – Lottie exclama, batendo palmas em seguida. – Seria o máximo.
- Elas são ocupadas demais. – Louis fala, dando de ombros em seguida.
- Não custa tentar. – Phoebe fala, fazendo o mais velho dar língua para ela. – E se elas vierem?
- Seria demais! – Daisy exclama, piscando os olhos repetidas vezes, como se estivesse imaginando a cena em sua cabeça.
- Vocês poderiam se contentar com a One Direction. – Louis fala, arrancando risadas irônicas das quatro meninas.
- Eu já conheço seus amigos, Lou. Agora eu quero conhecer as cinco! – Phoebe exclama, sorrindo em seguida. – Eu adoraria poder conversar com a . Ela deve ser o máximo.
- E ela é. – Eleanor fala, mandando uma piscadela para a cunhada, em seguida dando um sorriso.
A vinheta do programa começa, e logo todos se calam, olhando ao mesmo tempo para o televisor, que logo exibiu o nome do programa.
Em Mullingar, Niall e Willie estavam jogados no sofá do apartamento do mais velho, enquanto Greg e Denise estavam no outro. Theo estava deitado em um pequeno colchonete no chão, ao lado do casal, dormindo tranquilamente após correr por todo o apartamento de Willie, que adorava aquela criança como se fosse sua.
Niall pegou cerveja para os três, já que Denise não gostava daquilo e ficava apenas no vinho tinto e nas torradas e queijo que compraram a caminho do lar do primo.
Enquanto Jonathan falava algo na televisão, a câmera mostrou as cinco meninas. Niall sorriu abertamente, assim como Willie, quando a câmera focou em . A mesma sorria, e deu um aceno, não demonstrando seu nervosismo naquele momento. Ou pelo menos fingindo muito bem.
- E, para começar, que tal chamar as donas do maior hit do momento? Com vocês, a girlband The Heathers. – Jonathan fala, fazendo todo o auditório gritar e aplaudir, inclusive o apresentador, que cumprimentou cada uma com um abraço rápido e um beijo no rosto.
- Vai ! – Niall exclama, fazendo o primo rir e virar mais uma vez sua long neck.
- , , , e . – o apresentador fala, fazendo as cinco sorrirem rapidamente. – Tudo bem?
- Tudo sim, Jonathan, e com você? – indaga, fazendo gritos se espalharem pelo auditório, o que fez a guitarrista rir fraco.
- Estou bem, obrigado! – ele exclama, sorrindo rapidamente. – Vocês são bem-vindas aqui. Espero que seja a primeira vez de muitas.
- E nós também. – fala, sorrindo em seguida.
- Podemos começar? – ele indaga o que fez as cinco concordarem com a cabeça. – Como vocês se conheceram? E por qual motivo eu não fui incluído na banda?
Aquela pergunta fez todos rirem, inclusive Sarah, que estava ao lado do cameraman.
- Nos conhecemos no verão de 2011. – fala, ajeitando a franja recém cortada em seu rosto. – Fomos para o mesmo acampamento.
- Vocês juntaram algum casal? – ele indaga, fazendo todos rirem novamente.
- Infelizmente não! – exclama, sorrindo largamente. – Mas acabamos formando uma banda.
- Eu estava numa sala cantando Listen to Your Heart, e entrou gritando: “Nós precisamos formar uma banda!”. – fala, arrancando algumas risadas dos espectadores.
- E ficamos sozinhas por quase três horas, até a aparecer, pegar um baixo e tocar Another One Bites the Dust. fala, fazendo dar de ombros.
- Eu cheguei depois e comecei a observar. foi a última, que pegou a guitarra e logo começamos a tocar juntas, como uma verdadeira banda. – falou, apontando para as quatro ao seu redor. – E foi assim que adolescentes de quinze, dezesseis e dezessete anos ficaram tão amigas e formaram uma banda.
- É verdade que vocês não tinham um nome até conseguirem o contrato? – o apresentador pergunta, fazendo todas assentirem. – Por que isso?
- Nós tocávamos em festas de nossas famílias, onde não precisávamos de nome nem nada. E tínhamos um limite, que eram as férias de verão. – fala. – Se algum parente fizesse festa foram dessa época e quisesse nos chamar, era provavelmente descartado.
- Eu quero imaginar isso. – Jonathan fala, rindo e fazendo algumas pessoas ao redor rirem. – E como foi quando vocês conseguiram o contrato?
- Foi incrível! – exclama. – A Sarah, nossa agente, é uma mãe para nós na estrada, e nós não poderíamos reclamar de ter alguém como ela em nossas vidas. Ela esclareceu dúvidas e faz de tudo um pouco para conseguirmos ter um pouco de fama.
Sarah sorriu, falando obrigada para a guitarrista, que sorriu em seguida.
- E vamos falar de singles. Want You Back é uma boa música, e somos todos apaixonados por ela. – Ross fala, fazendo todos no auditório aplaudirem. – Quando teremos mais músicas? E um álbum? Quando que eu posso colocar na minha agenda para divulgar vocês pela internet?
- Não temos nada definido. – fala, colocando sua mão por cima da coxa de . – Mas nós vamos fazer alguns shows em mais ou menos um mês.
- Como assim? – Jonathan indaga com os olhos arregalados. – Eu vou poder finalmente comprar uma blusa com a foto de vocês para ir a shows?
- Quase isso! – exclama após rir durante alguns segundos. – Nós viemos informar em primeira mão que The Heathers vai abrir alguns shows da One Direction na nova turnê deles.
E o auditório explodiu em gritos, fazendo com que as cinco sorrissem em meio a caretas que faziam, tampando os ouvidos com os dedos, assim como o apresentador.
- Duas grandes bandas juntas? Eu vou a todos os shows! – Jonathan exclama, fazendo alguns espectadores rir. – Mas como foi isso?
- Teve uma reunião e nós acabamos decidindo isso. – fala, cruzando as pernas em seguida. – Vamos fazer, ao todo, dez shows com a banda, mas será shows bem distribuídos, o que faz com que também possamos ter shows próprios, ir a festivais, premiações...
- Eu amo essa girlband! – ele exclama, fazendo as cinco sorrirem. – E vocês decidiram soltar essa bomba aqui no meu programa? Tenho certeza de que a audiência triplicou depois que vocês citaram o nome da boyband que não pode ser nomeada.
- Queríamos informar aos fãs. – fala, dando de ombros em seguida. – E fazer você comprar os ingressos agora.
- Eu espero que algum filho meu esteja vendo isso e comprando os ingressos. – Jonathan fala, fazendo as cinco gargalharem. – Vamos falar de vidas pessoais, sim?
E elas assentem, mesmo sabendo quais os assuntos seriam tocados naquele diálogo.
- , vimos que você saiu com Harry Styles de uma boate há alguns dias. O que aconteceu? Por que está com esse pé machucado? – Jonathan pergunta, olhando diretamente para a baterista.
- Acabei caindo e me acidentando, mas Harry, como um ótimo amigo, me ajudou e me levou ao hospital. – ela fala, sorrindo em seguida.
- Vocês são apenas amigos? – ele indaga, dando um sorriso sugestivo em seguida.
- Claro. – ela fala, apoiando uma das mãos no braço do sofá. – Todos nós somos amigos.
- , vi que você e Niall saíram há algum tempo. – ele fala, apontando para o televisor, onde exibiam fotos dos dois no cinema e também no Burger King. As poucas fotos em que Willie não aparecia, o que fez o rapaz suspirar do outro lado da tela.
- Se quisessem, tirariam fotos minhas, do Niall e do Willie, primo dele que estava conosco. – a baixista fala, dando de ombros em seguida. – Somos apenas amigos.
- ... – Jonathan começa, olhando para a guitarrista. – Essas fotos de você e Liam Payne no BRITs estão circulando pelas redes há poucos dias.
E fechou os olhos, esperando por uma foto em que eles trocavam um selinho rápido, antes que cada um pudesse ir para seus respectivos compromissos, mas o que apareceu na tela foi Liam parado e olhando para o rosto da garota, segurando a cintura dela com as duas mãos, além de ter um sorriso gigante no rosto de ambos. Já estava com as mãos nos ombros do rapaz, olhando para os olhos dele.
- Eu nem sabia da existência dessa foto. – fala, arrancando risadas pelo auditório. – E Liam também não deve se lembrar, já que estava tão bêbado que mal conseguia formular uma frase.
E, em Wolverhampton, aquilo fez Liam sorrir abertamente, atraindo o olhar de suas irmãs e de Sophia, que estavam na sala da casa dos pais do cantor, espremendo-se em frente a TV, perto da lareira, dividindo mantas grossas e bebendo chocolate quente que Karen havia acabado de fazer.
- Liam, isso é verdade? – Karen indaga, dando alguns tapas na cabeça do filho quando ele assentiu. – Que feio!
- Então essa é a . – Ruth cantarola, fazendo o rapaz rolar os olhos e apertar Sophia em seus braços, que ignorava aquilo e prestava atenção na entrevista.
- Nós somos apenas amigos. – fala, sorrindo em seguida.
Aquela frase atingiu Liam em cheio, que fingiu como se nada tivesse acontecido. era mais que uma amiga para Liam, mesmo que ele quisesse negar para os quatro cantos do planeta.
Na Irlanda, Niall pegou as garrafas e foi para a cozinha, pegando mais algumas coisas para beliscar antes que o programa voltasse do intervalo. Denise o seguiu, sentando em uma cadeira e encarando o cunhado de costas, que não percebia a presença da mulher até se virar e vê-la ali, encarando-o com um sorriso em seu rosto.
- Quer algo, Denise? – ele indaga, pegando as garrafas de cerveja na geladeira.
- Quero que você admita que sente algo pela . – ela fala, apoiando o cotovelo na mesa de madeira, esperando por algo.
- Eu sinto admiração. Ela é demais, Denise. – ele fala, sorrindo de lado em seguida. – É minha melhor amiga.
- Eu achei que eu fosse sua melhor amiga! – Denise exclama, fazendo Niall rir fraco.
- Você também é, assim como a Tessa. – ele fala, colocando alguns pedaços de queijo na boca.
- Mas você não fica todo bobo quando é comigo ou com Tessa. Por que fica com a ? – ela indaga, arqueando uma das sobrancelhas.
- É que eu já estive no lugar dela. – Horan fala, dando de ombros em seguida. – Sei o peso de fazer uma entrevista para um programa famoso, e de lançar algo e sentir que está pisando em ovos.
E logo ele sai do cômodo, sentando no sofá e encarando a televisão, que passava o comercial de algum filme qualquer que estava no cinema.
Em Holmes Chapel, Harry estava colocando as taças na lava-louças quando sentiu sua mãe o abraçar por trás, deixando um beijo em um de seus ombros. Ele sorriu, virando-se para sua progenitora, que também sorria.
Os sorrisos idênticos, acompanhados por suas inconfundíveis covinhas. Algo que Harry herdara de sua mãe, assim como Gemma.
- Você está bem? – ela indaga, pegando uma fatia de pizza que estava em cima da bancada, mordendo um pedaço em seguida.
- Estou sim! – ele exclama, sorrindo e apoiando seu corpo na pia, cruzando os braços em seguida.
- Essas garotas são legais. – Anne fala, fazendo uma clara referência a girlband que estava aparecendo na televisão.
- São sim! – ele exclama, sorrindo em seguida.
- É verdade que você ajudou a a chegar ao hospital? – Anne pergunta, dando um sorriso de lado em seguida.
- Ela bebeu demais, isso ela não contou. – Harry fala, rindo em seguida. – Aí ela caiu, e eu ajudei. Foi divertido.
Anne sorriu abertamente, antes que eles pudessem voltar para a sala e assistir o restante do programa. Gemma estava deitada na perna de seu namorado, que acariciava os cabelos da garota, que lutava contra o sono para poder assistir ao programa e ver, de vez em quando, Harry dar sorrisos nada discretos para a televisão quando a baterista aparece na tela.
- Você acha que ele gosta dela? – Gemma murmura no ouvido da mãe, que apenas olhou para a filha. – De verdade!
- Só o tempo pode dizer, sweetie. – ela fala, beijando a ponta do nariz da garota, que apenas sorriu e voltou a se aconchegar nos afagos que o namorado distribuía.
Logo o programa volta ao ar, e as meninas se ajeitam em seus lugares, verificando rapidamente se estava com o batom borrado ou se havia algo nos dentes.
- E estamos de volta com The Heathers! – Jonathan exclama, fazendo os gritos aumentarem. – Meninas, vocês sabiam que o single de vocês subiu novamente nessa noite? Está em quinto lugar no iTunes. Parabéns!
E logo todos começam a aplaudir fazendo as cinco sorrirem abertamente.
- Quero saber com sinceridade. – o apresentador começa. – Qual de vocês está namorando alguém? Ou apenas saindo?
E logo as mãos de e se levantaram o que fez Willie dar um sorriso largo, comemorando internamente aquilo.
- Então , e estão solteiras. – ele fala, fazendo as três assentirem. – Vocês procuram algo em alguém?
- Não. – fala, fazendo algumas pessoas rirem. – Eu não ligo muito para isso.
- E você ? – ele indaga, arqueando uma das sobrancelhas.
- Eu acho que estou na mesma. E também. Estamos num momento tão bom de nossas carreiras, não quero pensar num relacionamento sério. – a vocalista responde, dando de ombros logo depois.
- Eu fiquei sabendo que os familiares de vocês estão na platéia essa noite. – o apresentador fala, fazendo as cinco concordarem. – As filhas de vocês são demais!
E logo todos sorriram, incluindo os membros de certa boyband, concordando com o comediante. Elas eram mesmo demais.
- Alguma de vocês é fã de algum cantor ou banda? – Jonathan indaga após dar um longo gole na água que estava em sua caneca.
- Eu sou! – exclama, levantando uma das mãos. – Eu sou apaixonada por McFly.
E alguns gritos se espalharam pelo auditório, fazendo a vocalista sorrir, sentindo o rosto vermelho como um tomate.
- McFly? – Jonathan indaga, sorrindo em seguida. – É uma novidade. Você já os conheceu?
- Infelizmente não. Mas eu já fui a um show deles. – ela fala, sorrindo abertamente. – É uma história engraçada.
- Eu adoro essa história! – exclama rindo da amiga, fazendo todo o auditório rir.
- Minha mãe entrou de férias no trabalho e queria que viajássemos, mas optou por me deixar escolher o lugar. – começa, cruzando as pernas em seguida. – E eu descobri que teria show do McFly na Europa, na Ásia e na América do Sul, e me senti péssima por eles não anunciarem nada ali nos EUA. Eu pensei em ir para a Ásia, mas eu não sabia falar nenhuma língua dali. E a América do Sul se tornou uma opção muito viável, visto que eu tenho uma fluência um pouco melhor de espanhol.
- Podemos conversar em espanhol? – Jonathan indaga, interrompendo a vocalista. – ¿Hola como estas?
- Voy bien, gracias. ¿Y tu? indaga. – Es maravilloso estar aquí en su programa! ¿Cómo está tu familia?
- Ok, minhas frases acabaram. – ele fala, fazendo as cinco garotas gargalharem.
- Continuando. Eu tinha a opção de ir parar na Argentina ou de ir para algum outro lugar, como Glasgow, Liverpool, Belfast. – ela começa, gesticulando. – Eu fiz todo um roteiro. Locais para visitarmos, hotéis estrategicamente próximos do hotel da banda, roteiro de passeio onde o McFly poderia ir. Tudo arquitetado perfeitamente para que eu pudesse esbarrar com o Dougie e ele se apaixonar por mim.
“Até que chegou o dia de viajarmos. Eu estava com muito sono, mas também estava ansiosa para irmos pra outro lugar. Mamãe estava feliz, afinal, era um momento nosso. Uma raridade. Não dormi o voo inteiro, ouvindo toda a discografia da banda e assistindo Just My Luck*.
- Ela estava nos enviando mensagens do tipo “É, eu vou conhecer o McFly, o Dougie vai se apaixonar por mim e teremos um casamento tão lindo quanto o de Tom e Giovanna!”. – fala, arrancando risadas das pessoas ao redor.
- O pior foi quando eu cheguei ao aeroporto. Achei que estaria cheio, afinal, a banda chegaria ao mesmo dia. Até que de longe eu avistei a bandeira do Chile. – fala, fazendo Jonathan arregalar os olhos e começar a gargalhar. – Nós fomos parar no Chile, porque, por engano, eu acabei errando o nome do aeroporto no site.
- Meu Deus do céu! – Jonathan exclama, ainda ouvindo as risadas do auditório. – E como que foi?
- Eu comecei a chorar. Treinada por anos assistindo High School Musical, encenei uma cena digna de um Oscar, dizendo que eu teria que ir para a Argentina, ou minha mãe perderia o casamento dela. – fala. – Mas o pior de tudo, é que minha mãe não sabia que eu queria o show do McFly.
- Mas você conseguiu chegar a tempo? – o apresentador indaga após uma crise de risos.
- Com certeza. Mas minha mãe quase me proibiu de ir para o show. Temos um álbum lindo de fotos da viagem, mas fiquei de castigo por quatro meses por mentir. – fala, sorrindo em seguida. – Mas eu te amo mãe, e obrigada por ir comigo no show.
- Essa história precisa chegar ao McFly. – Jonathan fala, vendo negar com a cabeça repetidas vezes. – E como vocês reagiram com toda essa história?
- Eu só sabia rir. – fala, ajeitando a postura no sofá. – Mas fiquei feliz por ela ter conseguido. Acho que eu nunca seria capaz de fazer essa loucura.
- Se eles aparecessem aqui agora, como você reagiria? – o apresentador indaga, fazendo arregalar os olhos.
- Eu possivelmente teria um infarto. – fala, arrancando risadas do público. – Eles ouviram essa história cômica e eu aposto que eles iriam ter medo de se aproximar.
- Mas você não continua assim, né? – Jonathan indaga, arrancando risadas das outras quatro garotas.
- Você não convive. – fala, sorrindo em seguida.
A entrevista correu por mais alguns minutos e logo o programa acabou. Os seis tiraram fotos, conversaram por algum tempo e logo se despediram, o que possibilitou das meninas irem para o camarim e se arrumarem para irem pro hotel.
Enquanto tomava banho, escolhia sua roupa, e cochilavam no sofá e jogava algum jogo que baixou para seu celular, concentrada demais naquilo, quando a notificação de uma mensagem de Niall chegou no seu telefone, fazendo ela sorrir e clicar.
Era uma foto dele e de Willie, em que ambos sorriam, com a seguinte legenda:

Nialler: Depois de assistir você no programa!
Nialler: Aquela história da é verdadeira?
: Ai, que saudades de vocês! E sim, aquela história é verdadeira.
Nialler: Vou criar um grupo com a minha banda e a sua banda. Você aceita?
: As meninas irão me matar, mas eu aceito!

E logo ela bloqueou o aparelho, procurando em sua mochila o carregador, para que pudesse carregar seu celular antes que ele desligasse e ela perdesse o momento que tanto esperava: e Harry no mesmo grupo.
Em Bradford, Zayn havia acabado de sair do quarto de Safaa, que pediu para que ele contasse uma história para ela antes de dormir. E ele leu o seu livro preferido, ficando trinta minutos a mais do que ele esperava, mas adorava. Era um momento raro em que ele podia ficar junto de suas irmãs sem as ocupações da banda.
- Enfim, sós! – Zayn exclama, engatinhando pela cama, tirando seus sapatos com os pés. Ele fez uma trilha de beijos em sua noiva, desde o tornozelo até suas coxas, ouvindo sua risada baixa, fazendo com que ele sorrisse.
- Safaa dormiu? – Perrie indaga assim que o amado deita-se ao seu lado, virando seu tronco para observá-lo melhor, além de poder admirar toda aquela beleza que havia nele. Ele era tão bonito!
- Sim! Ela pediu para ler algum livro pra ela sobre uma princesa que vive na Índia, eu acho. – ele fala, dando de ombros em seguida. – Tem um tapete voador e tudo mais.
- Você está falando da Jasmine? – a loira indaga, gargalhando baixo em seguida. – Não acredito que nunca assistiu Aladdin!
- Eu já assisti. – ele resmunga, cruzando os braços em seguida.
- Então me diz, qual o animal de estimação da Jasmine? – Perrie indaga, sentando-se na cama, olhando para o rosto do noivo, que ponderou por longos segundos.
- Ok, eu não assisti. – ele fala, levantando as duas mãos, em sinal de rendição.
E logo Perrie se levanta, procurando em sua mochila por seu notebook, encontrando o aparelho em poucos segundos.
- O que está fazendo? – ele indaga quando ela liga, digitando algo no Google.
- Nós vamos assistir Aladdin! – ela exclama, olhando para o noivo por cima dos ombros. – Eu me recuso a acreditar que você nunca assistiu esse filme.
- Eu tinha outros planos para essa noite. – ele fala, sorrindo maliciosamente.
- Estamos na casa dos seus pais. E, além do mais, você precisa assistir esse filme. O Aladdin se parece com você. – ela fala, dando play no filme.
- E a Jasmine se parece com você? – ele indaga, puxando a noiva para seus braços e cobrindo-os com uma manta.
- Não. – ela fala, suspirando profundamente. – Mas isso não importa.
E logo o filme começou, fazendo com que Zayn parasse de falar e prestasse atenção no desenho, além de poder ouvir sua noiva cantar as músicas de vez em quando, fazendo alguns passos exagerados que rendiam a ele boas risadas.
Em Londres, durante o caminho dos estúdios do programa até o hotel, a girlband conversava entre si sobre algumas coisas, sorridentes demais para esquecer aquele momento especial. Elas estavam num programa de televisão!
- Por que eu estou num grupo com a One Direction? indaga, atraindo o olhar das amigas. – !
- Eu achei que seria legal. – fala, jogando a cabeça para trás e suspirando profundamente. – Iremos entrar em turnê com eles.
- E isso significa que eu tenho que estar no mesmo grupo que eles? – indaga, fazendo bufar.
- , já foi! – exclama, atraindo o olhar da loira para ela. – A intenção da foi ótima, então você para de ser reclamona, apenas por não conseguirem se dar bem com o Harry.
- Ela que não consegue. O Harry tenta, coitado. – fala, atraindo um olhar furioso da baterista. – Ok, eu não falo mais nada.
- Mas você está certa, . – fala. – , você precisa ficar de boa com ele, porque ele te ajudou.
- Porque quis. – Müller responde, dando de ombros em seguida. – E vocês sabem o que ele quer, não é?
- E você vai gostar dele se parar de forçar essa antipatia? – indaga, fazendo a loira ficar em silêncio. – Nós entendemos, você não superou o Jake, mas...
- Não fala dele! – resmunga, entre os dentes, olhando com raiva para a vocalista. – Não tem nada a ver com o Jake aqui, ok?
- Então é o quê? – indaga, segurando as duas mãos da baterista, que não tentou se esquivar nem nada. – Você não pode ficar assim para sempre.
- Vocês não podem falar dele, se não o conheceram. – fala, aumentando seu tom de voz, sentindo um nó se formar em sua garganta.
Era sempre assim. Odiava ter sempre a mesma reação: garganta se fechando, olhos marejados, voz falha e aguda, além de sentir uma dor extrema em cada parte de seu corpo e em seu coração. Aquilo doía como o inferno, mas não conseguia evitar. Não quando Jake era lembrado.
E logo o motorista para em frente ao hotel, dando a volta para que pudessem entrar em paz, visto que não estava bem para cumprimentar seus fãs e tirar fotos.
Quando elas entraram no elevador, foi a primeira a abraçar , sendo seguida por . A loira encarou seu reflexo por alguns segundos no espelho, antes de fechar os olhos e sentir a primeira lágrima escorrer, sendo logo amparada por e .
- Nós sempre estaremos aqui por você, sabe disso, não é? – sussurra, deixando um beijo na têmpora de .
E, de alguma maneira, ela sabia. Ela sabia que sempre teria aquelas quatro garotas para tudo.
*¹ - Just My Luck: é uma comédia romântica estadunidense lançada em 2006. O filme foi dirigido por Donald Petrie e protagonizado por Lindsay Lohan e Chris Pine, com a participação da banda britânica McFly.


The One with the Karaoke

“Oh Lawdy mama those Friday nights when Suzie wore her dresses tight
And the Crocodile rocking was out of sight.
Elton John – Crocodile Rock.”

Treze de março de 2014.
FLASHBACK ON

dirigia o carrinho, sentindo as duas mãos fortes e macias de Jake em seu corpo, uma em sua cintura e outra em seu ombro. Ela gargalhava, ouvindo a risada do garoto ao seu lado, que olhava para o rosto da garota com um brilho inexplicável no olhar.
Pelo menos ele achava que era inexplicável. Todos ao redor sabiam muito bem do que aquilo se tratava.
Quando tudo parou, ela bufou, soltando-se do cinto que apertava sua cintura e se levantando, ajudando o garoto a se levantar. Assim que ele ficou de pé, o rapaz passou o braço pelos ombros da loira, que apenas entrelaçou seus dedos, caminhando para fora do brinquedo e, consequentemente, para ficar junto do grupo de amigos.
- Vamos para a roda gigante! – Oliver, um dos amigos de Jake, exclama, dando um sorriso largo e empolgado, atraindo o olhar nada aprovador de sua namorada.
- Eu quero ir para o carrossel. – Harriet fala, fazendo beicinho em seguida.
- Eu vou com você. – Jake fala, fazendo a garota sorrir. – , você pode ir à roda gigante?
- Claro! – a loira exclama, sorrindo em seguida.
E logo as duplas se separaram. Oliver contava com animação sobre o que ele e Harriet fizeram no trem fantasma, algo que preferia não ouvir, mas queria dar atenção ao amigo.
- O Jake queria te levar. – Oliver fala, atraindo o olhar curioso de . – Ele estava empenhado em fazer com que você ficasse agarrada com ele e ele pudesse... Você sabe...
- Me beijar? – indaga numa constatação óbvia, vendo Oliver concordar com a cabeça e sorrir envergonhado.
- Ele está gostando de você. – Oliver fala, sorrindo em seguida. – Você acha que ele foi contigo no carrinho bate-bate por qual motivo?
E aquilo martelou na cabeça de durante todo o percurso da roda gigante, olhando para o garoto andando num cavalo do carrossel e segurando a mão de Harriet, que gargalhava do melhor amigo.
Mas o que eles tinham em comum? Nada. Jake era mais conhecido. Jogava no time de basquete e corria nas aulas de educação física, enquanto fugia de toda e qualquer interação social e ficava enfurnada na biblioteca, escondida dos professores durante os treinos de vôlei e futebol.
Era esquisito pensar em como Jake a conheceu, visto que não faziam parte do mesmo ciclo social. Nem mesmo amigos tinha, apenas uma prima de terceiro grau, que preferia fingir que não conhecia a garota para não ser tratada como a esquisita.
- O que quer fazer agora, floquinho? – ele indaga, fazendo a garota bufar.
- Por que me chama assim? – ela indaga, cruzando os braços em seguida. Aquela pose fez Jake sorrir como um idiota, o que sempre acontecia quando estava perto da garota.
- Por que eu quero. O que quer fazer? – ele indaga, abraçando a garota por trás e apoiando o queixo no topo de sua cabeça, olhando para as luzes dos brinquedos, que iluminavam tudo.
- Podemos ir para o trem fantasma. – fala. Seu tom de voz estava baixo, mas Jake ouviu, arregalando os olhos em seguida.
- Você tem certeza? – ele indaga, parando em frente à garota, olhando dentro de seus olhos por, no máximo, três segundos. Mas foi o suficiente para uma festa rolar ali dentro.
Ela concordou, entrelaçando seus dedos aos do garoto e o puxando para a fila, que estava pequena em comparação a do túnel do amor. Ele a abraçou por trás novamente, beijando seus cabelos em seguida.
Quem visse de fora pensaria que se tratava de um casal.
Logo Jake entregou os tickets, sentando no último vagão com a loira, que apenas sorriu para ele.
- Você tem medo? – ela indaga entre uma gargalhada e outra.
- Não... – ele fala, sorrindo em seguida.
Logo o trem começa a andar fazendo o rapaz agarrar a mão da garota. Ela gargalhou, apoiando sua cabeça no ombro dele.
Quando entraram, as palavras de Oliver martelaram sua cabeça. Ela precisava mesmo beijá-lo ali? Onde mal se viam? Onde não seria confortável para nenhum dos dois?
- Jake... – ela começa, olhando para o rosto do rapaz, sabendo que ele também a olhava. – Você pode me beijar aqui, se quiser...
E o coração do garoto disparou. Era como se ele estivesse num jogo importante do time, onde os segundos eram poucos e estavam num empate. A banda tocava, a multidão estava enlouquecida e seus colegas de equipe contavam com ele, mesmo não sendo o capitão do time.
- Floquinho... – ele começa, e logo se sentiu como uma idiota, afastando-se dele rapidamente. – Se você soubesse a vontade que eu tô de te beijar.
- Então por que não beija? – ela indaga, sentindo sua voz sair mais aguda do que o normal.
- Eu não quero que seja aqui. – ele fala, aproximando seu rosto do dela, sabendo que ela ficaria corada com isso. – Eu quero que todo mundo veja. Eu quero ver sua reação depois de tudo. E quero que você veja a minha.
E ele sorriu, dando um beijo na bochecha da garota, que já ardia como o fogo do inferno. Ela sorriu, segurando na mão do garoto durante o resto do caminho, sentindo seu coração acelerado, uma sensação que ela jamais havia explorado.
Quando acabou, eles se levantaram em silêncio, saindo do brinquedo e indo para a fila do cachorro quente, que estava cheia. Oliver e Harriet logo apareceram, junto de outros membros do time de basquete e da equipe de atletismo, que estavam com suas respectivas namoradas ou ficantes.
- , você pode vir comigo? – Harriet indaga, olhando nos olhos da garota. A mesma assentiu, soltando-se de Jake e caminhando com a ruiva para longe do grupo.
Harriet era uma líder de torcida. Ao contrário do que os filmes colegiais explicam, ela era muito legal. Tratava como uma verdadeira amiga, já que era mais experiente com garotos do que . Müller sempre recorria a ela quando precisava de algum conselho amoroso.
- Rolou algo entre vocês? – Harriet indaga, soltando um suspiro pesado quando a loira negou. – Por quê?
- Não quisemos. Ele disse que queria que todo mundo visse nosso beijo. Queria que fosse especial. – responde, suspirando em seguida, sentindo seu coração pular dentro do peito.
- Ele é mesmo um fofo! – ela exclama, sorrindo em seguida e abraçando a loira. – Espero que ele tome iniciativa. Ele disse que estava tão afim de te beijar no carrinho bate-bate, mas sabia que você era competitiva e não queria que você ficasse com raiva dele.
E riu, olhando de relance para o jogador, que era o próximo a ser atendido na fila. Por sorte ele não conseguia vê-la.
- Vocês fazem um casal tão bonito. – a ruiva fala, assustando a amiga. – Ele vai ganhar na loteria namorando você.
E corou com o comentário. Ficaram ali por mais algum tempo, até que voltaram para perto do pessoal, que esperavam pelas duas para irem embora.
- Oli, nós podemos ir logo? – Harriet indaga, olhando para o namorado em seguida. – Eu estou cansada.
- Mas você prometeu que iria comigo no túnel do amor... – Oliver fala, fazendo Jake arregalar os olhos e, em seguida, olhar para . Levou cinco segundos até o jogador perceber e sorrir. – Vamos, amor. Você deve estar mesmo cansada.
- Bom passeio para vocês, crianças! – Harriet fala, mandando uma piscadela para .
- Tomem cuidado. – Jake fala, acenando para o casal, que se afastava rapidamente. – Está com fome, floquinho?
- Por que me chama de floquinho? – indaga, virando seu corpo para poder olhar pro garoto.
- Eu gosto de te chamar assim, ok? – ele indaga retoricamente, beijando a testa da garota.
A verdade era que, no primeiro dia, depois das férias de inverno, apareceu na escola com o casaco todo sujo da neve que caía do lado de fora, parecendo uma bola de neve. E foi naquele momento que Jake percebeu que aquela garota era bonita demais para aquele mundo.
Era um apelido carinhoso, mesmo que ela não soubesse o que ele significava.
Enquanto comia seu lanche, Jake brincava com os cabelos soltos da garota. Ambos não falavam do ocorrido do trem fantasma, tentando não pensar naquilo e no que poderia ocorrer algum tempo depois.
Enquanto Jake voltava, depois de jogar o guardanapo que usou no lixo, ela pensava em qual momento era certo. Agora? Não. Mas esse momento parecia nunca chegar, o que aumentava a ansiedade dos dois. Por que demorava tanto para acontecer?
Antes que ele pudesse dizer algo, agarrou o rosto do garoto com as duas mãos, puxando-o para o beijo logo depois. Um selinho, que logo foi aprofundado, enquanto o garoto puxava a cintura dela, para que pudessem unir ainda mais seus corpos, se é que aquilo era possível.
Nada parecia girar da forma normal. Arriscavam até dizer que o mundo havia parado de girar. As músicas que ecoavam das caixas de som distribuídas pelo parque não eram escutadas, e pareciam cada vez mais distante, a medida que a língua de Jake tocava na de , causando um choque em seus corpos.
Havia fogos de artifício no estômago dos dois, e não mais as famosas borboletas que via em alguns romances que lia e nos filmes que assistia.
Quando eles pararam, Jake tocou sua testa na dela, ficando de olhos fechados e com um sorriso gigantesco no rosto, que faltava pouco para não cortar sua cabeça ao meio. Não que ele não estivesse tão diferente de .
- E como foi? – ela indaga num tom de voz baixo, acariciando os fios de cabelo dele.
- Teve gosto de mostarda. – ele fala, fazendo a garota rir. – Mas foi o melhor beijo que eu ganhei na vida. Um dos melhores.
- Melhores? – ela indaga, abrindo os olhos, encarando a profundidade que era os olhos do garoto.
Como ela amava aqueles olhos cor de mel. Amava como ele combinava com cada milímetro de sua face, principalmente com seu sorriso, que vinha sempre acompanhado da covinha na bochecha direita e com as rugas se formando ao redor dos olhos. Ele era uma obra prima.
- Sim. Porque os próximos que vou te dar serão melhores ainda. – ele fala, puxando a garota para outro beijo, onde ela confirmou.
Aquele era mesmo melhor que o outro.

FLASHBACK OFF

acordou sentindo seu coração disparado, além do rosto estar molhado. Ela estava chorando. Afinal, aquela era a primeira vez que sonhava com Jake depois de todo o acontecido.
Aquele sonho, na época, era comum. Ela acordava gritando, fazendo com que seus pais ficassem ao seu lado durante o resto da noite. No dia seguinte, na hora do café, percebia como seus pais estavam cansados, com olheiras fundas e arroxeadas. Ela se sentia egoísta, afinal, eles não tinham culpa. Eles não poderiam ser culpados pelo que aconteceu.
, que estava ao lado da loira, levantou de imediato. Assim que viu a expressão confusa da baterista, a puxou para um abraço, sentindo suspirar profundamente e apertar os braços em volta do corpo dela.
- Eu sonhei com ele... – começa. O tom de voz estava baixo, mas também estava falho, sinal de que ela poderia começar a chorar a qualquer instante. – Ainda dói tanto, .
E suspirou, beijando o ombro da amiga e ficando na mesma posição por mais alguns minutos, até a porta do quarto se abrir e Matilda se juntar às duas.
- Tudo bem? – a pequena indaga após a quebra de contato físico, olhando para o rosto da irmã mais velha.
E se sentiu inútil. Lembrou de como foi difícil permanecer firme na frente de Matilda, quando tudo o que ela queria era cair no choro. Mas precisava permanecer forte, afinal, não podia deixar sua irmã saber sobre o ocorrido.
- Nós podemos ir tomar café juntas? – indaga, acariciando os cabelos da caçula, que apenas sorriu, concordando com a cabeça. – Então vai colocar sua roupa para descermos, pestinha.
E Matilda correu para fora do quarto, deixando um sorriso largo no rosto de .
- Você quer falar sobre o sonho? – indaga, pegando uma muda de roupa para na mala que estava no chão.
- Não, . – fala, sorrindo em seguida. – Mas foi um sonho bom. Acho que foi o único que tive depois de tanto tempo.
E sorriu, deixando a amiga sozinha para que se arrumasse para o café da manhã.
Depois de trinta minutos, as seis desciam. carregava Matilda nas costas, ouvindo a risada da garota. conversava com , enquanto estava abraçada a . As três sabiam que aquela não havia sido uma boa noite de sono, principalmente para a baterista, mas não queriam forçar nada.
- Vocês vão ensaiar com a One Direction hoje? – Matilda indaga quando as portas do elevador se abrem e ela desce de , caminhando de mãos dadas com a vocalista para o restaurante.
- Sim. – fala.
- Quer ir? – indaga, atraindo os olhares curiosos das amigas. – Eles já a conhecem.
- Vai ser legal. Eu posso ir mana? – a pequena indaga, juntando as duas mãos em súplica e olhando para , que apenas suspirou profundamente. – Eu não vou aprontar nada.
E, antes que pudesse concordar, lançou um olhar mortal para a baixista, que apenas encolheu os ombros e pegou o cardápio.
Tomaram café em meio a conversas aleatórias e gargalhadas, além de implicâncias. Tiraram algumas fotos com fãs que estavam hospedados no hotel, que sempre faziam as mesmas perguntas: e o segundo single?
Depois de algum tempo, pegaram o carro para irem para o ensaio. Matilda ia ao lado de e , enquanto ia com a cabeça encostada no vidro do carro, apenas sorrindo com algumas brincadeiras que as garotas faziam.
, parado do lado da loira, apoiou a cabeça em seu ombro, ficando assim por longos minutos, até que chegaram ao local onde seriam os ensaios do dia.
Quando entraram, avistaram Niall, que tocava sua guitarra junto de Harry. Zayn estava sentado do lado de Louis, enquanto Liam cantarolava Alive no microfone.
- Bom dia pessoal. Trouxemos uma fã hoje. – fala, segurando na mão de Matilda, que ainda encarava a boyband sem acreditar que aquilo era real.
Eles estavam bem ali, na frente dela! Quem nunca sonhou com isso?
- Olá! – Harry exclama, caminhando até a garotinha com os braços abertos. – Você é a irmã da .
- Matilda! – Liam exclama, caminhando até a garota. – Tudo bem?
E logo ele abraça a garota, que estava travada no mesmo lugar, sem entender como aquilo havia acontecido em sua vida.
- Você quer alguma rosquinha? – Louis indaga se aproximando da garota com a caixa de rosquinhas nas mãos. Ela apenas negou, evitando olhar para cima e ter algum surto.
- Ela está bem? – Harry indaga ao se aproximar de , que verificava a bateria.
- Deve estar. Ela só deve está surtando porque ela gosta demais da banda. – fala, dando de ombros em seguida. – Não que eu ache isso bom...
E ele bufou, caminhando para longe da loira. Encarou a garota por alguns segundos, percebendo que ela ainda estava parada no mesmo lugar: no meio do enorme salão, olhando para as cortinas ao seu redor e para o piso de madeira no chão.
- Você toca algum instrumento? – Harry indaga ao se aproximar da mais nova, agachando-se para ficar do seu tamanho. – Piano? Baixo? Bateria?
Eu toco violão e bateria. – ela fala, olhando para o rosto de Harry pela primeira vez desde que chegou, fazendo o cacheado sorrir.
- Será que você pode dar uma palinha? – Harry indaga, apontando com a cabeça para o palanque, onde estavam os instrumentos que seriam utilizados.
De longe, observava com um pequeno sorriso surgindo em seu rosto, algo que atraiu a atenção de Zayn.
- O que você vai tocar? – ele indaga, caminhando junto de Matilda para a parte de trás da bateria.
- Posso tocar One Direction? – ela indaga, olhando para os rostos dos membros da banda, que apenas concordaram.
- Qual? Nós vamos acompanhar! – Niall fala, pegando sua guitarra e ligando os amplificadores na caixa de som.
- Vocês escolhem. – ela fala, pegando as baquetas das mãos da irmã, sentando no banquinho em seguida.
- Que tal Midnight Memories? – Zayn indaga, pegando o microfone na mesa do canto.
Ela ponderou por alguns segundos, logo assentindo com a cabeça.
Enquanto Matilda tocava e os meninos cantavam, as cinco garotas dançavam e cantarolavam. Inclusive , que olhava para Harry com um pequeno sorriso no rosto, algo que fez o cacheado sorrir durante o refrão e encarar algum ponto fixo, longe o suficiente da loira.
- Você toca muito bem! – Louis exclama, fazendo um high-five com a pequena, que apenas sorriu.
- Eu tive apenas uma boa professora. – Matilda fala, sendo abraçada pela irmã mais velha.
De longe, Harry e trocavam olhares cheios de significados. Ele não sabia, mas era a primeira vez que ela o olhava de uma maneira totalmente diferente, o que fez algo se acender dentro do cacheado. Mas percebeu como ela estava diferente naquela manhã.
Zayn foi o único a perceber aquilo, caminhando em silêncio até Styles, que estava segurando seu copo de café numa das mãos, enquanto na outra segurava seu celular e digitava mensagens.
- Você mandou bem. – Zayn fala, colocando uma das mãos no ombro do companheiro de banda.
- Obrigado. Não poderia deixar a garota sozinha. – ele fala, dando de ombros em seguida.
- É impressão minha ou você e a estão trocando olhares? – Malik indaga, atraindo o olhar confuso de Harry.
- Apenas impressão sua. – Harry responde, fazendo Malik assentir.
O ensaio durou até pouco tempo depois do almoço, quando a girlband teve de ir embora, já que iriam se despedir de seus familiares e levá-los até o aeroporto.
- Podemos ir pra algum lugar hoje! – Louis exclama, atraindo a atenção de seus amigos. – Tem um bar no centro que também é karaokê.
- Vamos chamar as garotas? – Niall indaga. – Vamos falar sobre isso no grupo.
- Eu ainda não acredito que você criou um grupo. – Liam fala, bufando em seguida.
- Cala a boca, Payno. Se esse seu mau humor é por ser um imbecil e deixar a , ninguém é obrigado a aguentar. – Zayn pontua, fazendo o amigo rolar os olhos.
- Eu estou muito bem com a Soph, obrigado. – ele fala, pegando o celular no bolso do casaco de moletom que usava, ignorando os quatro pelo resto do caminho.

Niall: Que tal um bar hoje?
Louis: Com karaokê. O Niall só se importa com as bebidas.

- Podemos ir, né? – indaga, olhando para , que apenas deu de ombros. – Quer ficar no hotel? Nós podemos ficar!
- Não , tudo bem! – exclama, sorrindo para a guitarrista. – Eu só não estou com cabeça para isso, mas eu me animo.
- Você tem certeza? – indaga, apoiando a cabeça da loira em seu ombro.
- Nós podemos fazer nosso próprio karaokê. – fala.
- É uma boa ideia! – exclama, jogando seu corpo para frente para participar da conversa. – Vou ligar para o Niall.

(...)

Quando o carro de Niall estacionou em frente à mansão de Harry, as cinco arregalaram os olhos ao mesmo tempo, fazendo o irlandês gargalhar.
- Harry precisa de uma casa em que caiba seu ego. – Niall fala, destravando as portas em seguida.
Enquanto caminhavam pelo gramado verde impecável, Louis abriu a porta, correndo para ajudar as garotas com as caixas de cerveja que carregavam.
- Ustedes son bienvenidos a la casa de Harry. – Louis fala, fazendo as cinco rirem do mais velho. – Eu falei bem, ?
- Sim! Quanto tempo você praticou? – a vocalista indaga, fazendo Louis bufar e rolar os olhos.
- É um talento natural. – ele fala, dando de ombros em seguida.
A sala de estar era ainda mais impecável do que o gramado e a fachada. O sofá em L era branco e largo, onde Liam estava deitado com Sophia. Ambos gravavam algo no celular do rapaz, fazendo sentir seu coração apertado por quase cinco segundos, até perceber que estava sendo idiota.
Zayn arrumava os microfones no aparelho de karaokê, enquanto Perrie analisava minuciosamente o catálogo de músicas.
caminhou para perto das prateleiras, onde havia quadros e porta-retratos de Harry e outras pessoas, como seus amigos, primos, familiares, seus pais, sua irmã e seu padrasto, além de discos que viraram platina ou ouro em algum lugar e algumas estatuetas de prêmios que ele conseguiu guardar em sua casa.
- Esse sou eu. – Harry fala, fazendo a loira pular de susto. Ele gargalhou. – Tá tudo bem?
- Tudo, mas você me assustou. – ela fala, pegando um porta-retrato em seguida. – Quem é essa?
- Ah, essa você não precisa saber. – ele fala, colocando o objeto de volta no lugar. – Ela foi minha namorada de jardim da infância.
- E por que eu não preciso saber? – indaga, olhando rapidamente para o rapaz, que apenas deu de ombros.
- Eu achei que você fosse soltar alguma piadinha. – ele fala, parando ao lado da garota, que apenas cruzou os braços. – Mas você não está bem hoje. Aconteceu algo?
- Alguém te contou algo? – pergunta, sentindo seu coração disparar, beirando ao desespero.
Ninguém podia saber daquilo. Ninguém podia pensar naquela história.
- Não. Aconteceu alguma coisa? – Harry indaga mais uma vez, tocando o ombro da garota com uma das mãos.
- Não. E não me toca. – responde, tirando a mão de Styles de seu corpo e caminhando para longe do cacheado, que tinha uma interrogação no meio da testa, tentando entender o que se passava na mente da loira.
Mas logo ele entendeu: aquela era a de sempre. A ríspida, rancorosa e raivosa. E nada mudaria, nem se ele quisesse.
estava sentada ao lado de Perrie, enquanto Zayn e Louis cantavam Bye, Bye, Bye do NSYNC.
- Já decidiram a música de vocês? – Louis pergunta durante o solo de Zayn.
- Ainda não! – exclama, bufando em seguida. – Nunca achei que seria tão difícil.
- Então você só escolhe as músicas quando está bêbada? – Perrie indaga, soltando uma gargalhada logo depois.
Aquilo fez Malik estremecer durante o refrão da música, lembrando da noite em que eles dois cantaram uma música no karaokê. Era tudo tão esquisito.
- Podemos cantar essa? – indaga, mostrando a canção no catálogo.
A música em questão era Walking on Sunshine, da Katrina and The Waves. Aquilo fez dar um sorriso largo, lembrando dos dias de folga de sua mãe em que ela colocava essa música para tocar nas caixas de som e as duas dançavam pela casa. Eram boas memórias, que deixavam seu coração quentinho e apertado, desejando voltar logo para seu lar e ficar junto de sua progenitora.
- Eu gosto dessa música. – Perrie comenta, esperando pelo resultado dos rapazes, que havia sido ótimo, visto que Tomlinson vivia errando as letras da música.
- Eu nem conheço NSYNC! – Louis exclama, jogando-se no sofá largo ao lado de , que apenas gargalhou do mais velho.
- Ninguém vai contar seu segredo para o Timberlake. – a ruiva fala, dando tapinhas no ombro de Tommo, que apenas sorriu para a garota.
digitou os números, e logo uma paisagem esquisita apareceu na tela grande da sala de Harry, fazendo levantar do sofá e parar ao lado da amiga, ficando entre ela e Perrie.
- Boa sorte! – Zayn grita, dando tapinhas na bunda da noiva, que apenas sorriu e mandou um beijo no ar para o amado.

I used to think maybe you loved me, now, baby, I’m sure. (Eu pensei que talvez você me amasse, querido, agora eu estou certa.)
And I just can’t wait till the day when you knock on my door (E eu não posso esperar até o dia, quando você bater na minha porta)
Now every time I go for the mailbox, gotta hold myself down (Agora cada vez que eu vou a caixa postal, eu devo me manter calma)
’Cause I just can’t wait till you write me you’re coming around (Porque eu não posso esperar até o dia que você escreva que está vindo à cidade)

O primeiro refrão foi cantado por , fazendo Louis olhar pra garota por mais tempo do que era estipulado, em sua mente, por alguma voz que o alertava como era perigoso olhar pra . Porque, uma vez olhando, você nunca mais consegue desviar.

Now I’m walking on sunshine, whoa (Agora eu estou caminhando à luz do sol)
I’m walking on sunshine (Estou caminhando à luz do sol)
I’m walking on sunshine, whoa (Eu estou caminhando à luz do sol)
And don’t it feel good (E isso não é o máximo?)
Hey, all right now (Ei está tudo bem agora)

Quando percebeu que estava sendo vigiada por Tomlinson, deu um sorriso em sua direção, além de mandar uma piscadela para o mais velho, que apenas sorriu e negou com a cabeça, encarando o tapete felpudo da sala de Styles, sentindo-se envergonhado por ser pego encarando a garota.

I used to think maybe you loved me, now I know that it’s true (Eu pensei que talvez você me amasse, agora eu sei que isto é verdade)
And I don’t want to spend my whole life just waiting for you (Mas não vou querer esperar minha vida toda, apenas esperando você)
Now, I don’t want you back for the weekend, not back for a day, no, no, no (Agora eu não vou te querer de volta para o fim de semana ou apenas por um dia, não, não, não)
I said, baby, I just want you back, and I want you to stay (Baby eu apenas quero você de volta e eu quero que você fique)

Harry se aproximou de com uma long neck da Heineken, esticando a garrafa verde para a loira, que apenas o fitou com uma sobrancelha arqueada.
- Não tem escadas dessa vez. – Harry comenta, fazendo a baterista bufar. – Eu estou brincando, .
- Eu sei que está. – ela fala, pegando a garrafa das mãos de Harry. – Agradeço Harold.
- Para de me chamar de Harold, solzinho. – ele fala, sentando ao lado dela e colocando sua perna engessada em cima de suas coxas.
- Para de me chamar de solzinho. – ela fala, e o cacheado pondera por algum tempo, negando com a cabeça em seguida, exibindo um sorriso largo em seu rosto.

Now I’m walking on sunshine (Agora eu estou caminhando à luz do sol)
I’m walking on sunshine (Eu estou caminhando à luz do sol)
I’m walking on sunshine, whoa (Eu estou caminhando à luz do sol)
And don’t it feel good (E isso não é o máximo?)
Hey, all right now (Ei, está tudo bem agora)

Zayn sorria, intercalando seu olhar entre sua noiva e , vendo a animação na qual as duas se entregavam na canção. Ele gostava daquilo, admirava o talento das duas, mesmo que uma voz em sua cabeça cismasse em dizer que aquilo tudo era errado de diversas maneiras, em diferentes línguas.

I feel alive, I feel the love, I feel the love that’s really real (Me sinto viva, sinto o amor, sinto o amor que é mesmo real)
I feel alive, I feel the love, I feel the love that’s really real (Me sinto viva, sinto o amor, sinto o amor que é mesmo real)
I’m on sunshine, baby (Estou à luz do sol, baby)
Oh, yeah, I’m on sunshine, baby (Oh, sim, eu estou à luz do sol, baby)
I’m walking on sunshine, whoa (Estou caminhando à luz do sol)
And don’t it feel good (E isso não é o máximo?)
Hey, all right now (Ei, está tudo bem agora)
And don’t it feel good (E isso não é o máximo?)

E logo a música parou, fazendo com que os demais aplaudissem o trio, que encarava o televisor, ansiosas para saberem sua pontuação.
Perrie pulou para o colo do noivo quando viu que atingiu a pontuação máxima, fazendo Louis e Niall gargalharem. foi pegar mais uma cerveja, sentando ao lado de , que estava deitada ao lado de Horan.
Harry voltou da cozinha carregando duas cervejas, além de uma garrafa de tequila, acompanhado de copos pequenos. Logo atrás dele vinha Liam, que carregava o limão e o sal, sentando ao lado de .
- Toma solzinho. – Harry fala, entregando a garrafa na mão da baterista, que apenas bufou.
- Para de me chamar assim! – exclama, cruzando os braços em seguida. O rapaz deu um sorriso largo, demorando tempo demais para formular alguma resposta, encarando cada detalhe da loira na sua frente. – Eu acho melhor cortarem sua cerveja!
E ele gargalhou, o que fez com que pensasse no quão gostoso era aquele som, e a fez pensar seriamente em parar com a cerveja, pois já estava imaginando coisas demais.
Eles trocaram um olhar por algum tempo, e Harry percebeu que havia algo de diferente na loira. Seus olhos estavam diferentes, sem aquele deboche e ira que ele sempre presenciava. Sentiu seu coração apertar e bufou, virando toda a long neck de uma vez.
Ele só poderia estar imaginando coisas.
- Vamos tomar shots de tequila. – Louis fala, fazendo alguns gritinhos se espalharem pela sala de estar do cacheado. – Podemos todos dormir aqui.
- Mas não vomitem! – Harry exclama, fazendo todos rirem.
- Que tal brincarmos de “Eu nunca”? – Niall indaga, movendo as sobrancelhas para cima e para baixo, dando um sorriso malicioso em seguida.
- Não. – responde, assustando alguns ao redor. – Quero dizer, vocês podem jogar.
- Não tem graça sem você solzinho. – Harry fala, tocando a mão da garota, que apenas recolheu-se daquele toque, sentando mais afastada do grupo que estava formado. – Aconteceu alguma coisa com ela?
- Não, eu só não quero participar. – responde, colocando a garrafa em cima da mesa de centro. – Posso ficar de fora?
- Claro. – Harry fala, olhando para o rosto de , que apenas suspirou e deu de ombros, num sinal claro de que não adiantava perguntar, ela não saberia.
Mas a guitarrista sabia. E Harry sabia disso, mas não podia se meter. Na verdade, não havia necessidade de se meter naquilo.
- Eu acho que eu já estou bêbado. – Harry fala, fazendo e gargalharem.
- Você pode participar. – fala, tocando no joelho de , que apenas negou. – Iremos pegar leve nas coisas. Eu prometo.
- ... – fala, olhando nos olhos da ruiva, que logo entendeu o que se passava. – Eu não quero... Você sabe...
- Você sabe que não pode ficar presa para sempre nisso, não sabe? – a ruiva indaga, apoiando a cabeça da baterista em seu ombro. – Você precisa abrir seus olhos para o mundo. Talvez até se apaixonar.
- Por quem? – Müller indaga, olhando para a casa da frente pela janela da sala.
- Por que não o Harry? Ele parece ser legal com você. – fala, e faz uma careta. – E eu tenho quase certeza de que ele não está fazendo isso pela aposta.
- Você realmente acha isso? – indaga mais uma vez, levantando o rosto. – Mas, tudo bem, eu vou participar disso.
- Beleza! – exclama, beijando a têmpora da amiga, que apenas sorriu de lado e se arrastou pelo longo sofá até ficar junto dos amigos.
e eram responsáveis por distribuir shots iguais pela mesa de centro, enquanto Liam cortava o limão. Louis era o responsável, junto de Niall, por colocar sal na borda dos copos.
- Que bom que decidiu participar! – Perrie exclama, beijando a bochecha de . – E se quiser alguém diferente para conversar, pode me chamar.
E a loira deu uma piscadela, caminhando para sentar entre as pernas do noivo.
- Posso começar? – Niall indaga assim que todos se sentam em seus lugares. Tiveram que puxar a mesa para perto de , que não podia se levantar por causa do tornozelo machucado. – Eu nunca dei problema para os meus amigos quando bebi.
Liam, , Harry, Zayn, Louis e levantaram seus copos. Apenas fez careta, que Styles julgou ser a mais fofa que ele já viu em toda sua vida.
- Eu nunca fiz sexo no primeiro encontro. – Perrie fala, fazendo Louis e levantarem seus copos. – Seus danadinhos!
- Eu nunca peguei roupa escondido de algum amigo. – Zayn fala. , Liam e Niall viraram seus copos. – Vocês pegaram minhas roupas?
- Você já fez sua pergunta. – Liam responde, fazendo Horan gargalhar. – Eu nunca dei em cima de uma pessoa enquanto namorava outra.
Louis levantou seu copo, fazendo sorrir de lado. Ela se lembrava daquele momento.
- Eu nunca me apaixonei de verdade. – Harry fala, sorrindo presunçoso.
, Zayn, Perrie, , Louis, Niall, Liam e levantaram seus copos, fazendo , , e o cacheado arregalarem seus olhos.
A brincadeira seguiu até o momento em que Zayn apagou no tapete felpudo do amigo, o que rendeu diversas fotos para todos, inclusive para sua noiva.
- Vocês se importam de dividirem esse quarto? – Harry indaga, abrindo a porta em seguida. – É o quarto da minha irmã, e é maior que o de hóspedes.
- É perfeito, Harry. Obrigada. – fala, ajudando o cacheado para entrar com no quarto. – Tenha uma boa noite.
- Vocês também. – ele fala, caminhando para fora do cômodo com a mão no bolso de trás da calça que usava. – Se quiserem alguma ajuda, sabem onde podem me encontrar: terceiro quarto. Mas recomendo baterem na porta, ok?
- Obviamente. Não queremos ver você pelado. – fala, desamarrando o tênis que usava em um dos pés.
- Você quem está dizendo! – ele fala, sorrindo e saindo do quarto em seguida.
Harry entrou em seu quarto e Louis estava deitado em sua cama, coberto do pescoço até os pés, encarando o teto branco do quarto do melhor amigo.
- Quem te deu essa intimidade? – Harry indaga com um sorriso brincalhão no rosto.
- Ninguém. – Tomlinson responde, e Harry pôde ver que ele havia movimentado os ombros. – Então quer dizer que você nunca se apaixonou de verdade?
- Não. – o cacheado fala, pegando sua calça do pijama e uma camisa velha que havia em uma gaveta de seu closet. – Todos meus relacionamentos foram apenas físicos. Sexual. Apenas para passarmos um tempo.
- Então quer dizer que a vai ser a primeira? – Louis indaga, e Harry o fitou com uma sobrancelha arqueada. – Você acha que eu não vi seus olhares para ela?
- Cara, eu estou meio bêbado. – Styles responde, dando uma risada sem graça em seguida. – E você sabe como eu fico quando bebo.
- Eu sei... – Tommo começa, virando seu corpo para poder olhar melhor para seu amigo, que ainda terminava de colocar roupas. – Mas não deixa de ser esquisito.
- Amanhã eu não vou lembrar-me disso, Lou. Relaxa. – Harry fala, deitando no espaço vazio da cama e puxando a coberta até seu queixo. – Boa noite.
E enquanto ouvia a respiração do melhor amigo ficar pesada ao seu lado, ele pensava que aquilo poderia ser verdade. Uma pequena, quase nula, parte de sua mente insistia que ele estava afim daquela garota. Mas a maior parte, a mais racional, insistia em dizer que ele não sentia nada, e que ela apenas é uma garota bonita demais.


The One with the Gift

“Fly away, watch the night turn into day
Dance on the Milky-Way.
McFly – Star Girl.”


Nove de abril de 2014.
FLASHBACK ON


estava deitada no sofá da sala do namorado, onde eles assistiam a um filme de animação, juntos da irmã mais nova de Jake, que estava cochilando no sofá pequeno do outro lado da sala de estar.
A pipoca havia acabado há algumas horas, Jake estava ficando cansado de estar ali, entediado, enquanto estava entretida em Woody, que pedia para Jessie pular com ele do avião em movimento no Toy Story 2.
- Eu realmente não sei como Bala no Alvo consegue correr tão depressa quanto a roda gigantesca de um avião. – se pronuncia pela primeira vez, fazendo o namorado abrir os olhos.
- Você realmente está se questionando isso? É um filme de animação, floquinho. – Jake responde, entediado da falta de atenção que sua namorada lhe dava. – Poderíamos estar fazendo qualquer outra coisa agora.
- Jake, não mesmo! – exclama, fazendo o rapaz bufar e beijar o ombro da namorada.
Os minutos restantes do filme correram na mesma velocidade de sempre e logo os créditos apareciam no televisor, junto de erros de gravação da animação, que sempre fazia e Matilda gargalharem por longos minutos.
Quando olhou para o relógio na parede, viu que estava na hora de ir para casa, ou ficaria de castigo por algumas semanas, e não queria aquilo.
Entrou no carro de Jake após se despedir dos sogros, que lhe desejaram feliz aniversário antecipadamente e lhe entregaram um presente. Um pequeno embrulho que fez sorrir largo.
- Você vai ajudar amanhã na arrumação? – indaga quando o namorado sai da rua onde morava.
- Sim! Eu posso levar alguns amigos? – Jake indaga, abrindo as janelas do carro para que a brisa da noite invadisse o automóvel.
sabia exatamente o que aconteceria se ele levasse seus amigos para sua casa: não iriam arrumar nada. Era sempre assim. Se tivessem um trabalho, eles conversavam e jogavam jogos aleatórios que inventavam na hora, esquecendo totalmente das obrigações escolares. Sobrava sempre para Harriet fazer todo o trabalho e passar as respostas para todos.
- Jake... – começa, vendo o namorado bufar e segurar sua mão, entrelaçando seus dedos. – Vocês prometem que vão arrumar?
Os pais de iriam dar uma festa para a filha mais velha. Uma comemoração pelos dezesseis anos dela. Pequena, mas que era importante.
Quando notou, eles estavam de frente para a casa da família . A luz da sala de estar estava acesa, assim como a da sala de jantar, o que indicava que eles estavam lanchando. Possivelmente Matilda pediu por uma pizza naquela noite.
Ele estacionou e ficou ali, parado, olhando para a loira na sua frente. Ela era bonita, ele sabia disso. E nem em um milhão de anos poderia imaginar estar com ela.
- As meninas querem falar comigo. – começa, olhando para o celular em sua mão, vendo as mensagens que , , e enviavam para ela.
- Eu queria conhecê-las. – ele fala, apertando a coxa da namorada, que apenas sorriu.
Seria ótimo suas quatro melhores amigas e seu namorado, juntos, se divertindo. Ela poderia marcar para esse encontro acontecer no próximo verão.
- Vou marcar com elas. – fala, beijando a bochecha do amado. – Quer entrar? Eles devem estar comendo pizza e, você sabe, eles gostam de você e...
Antes que ela pudesse começar a tagarelar, Jake beijou-a, calando a garota. As mãos dele estavam em sua nuca, enquanto as dela estavam em seu rosto, segurando-o para que não pudesse se soltar.
Quando o ar se fez necessário, separaram-se com os corações disparados. Ele desenhava com os dedos na bochecha da namorada, enquanto ela brincava com os cabelos dele.
Eram perfeitos um para o outro, mesmo que odiassem admitir. não acreditava muito nisso de serem perfeitos um para o outro, enquanto Jake acreditava fielmente que eles ficariam juntos até o último minuto de sua vida.
Depois de algum tempo, decidiram entrar na casa. estava ficando com fome, enquanto Jake queria conversar com os pais de sua namorada.
- Jake! – Matilda exclama quando a porta se abre. Correu para o cunhado, que a pegou no colo e abraçou fortemente. A caçula era a maior fã dele na família, até mais do que .
- Vem comer pizza! – Monique exclama, puxando o garoto pela mão até a cozinha. – Você gosta dessa?
Jake concordou e pegou um pedaço da pizza, sentando do lado de , que conversava com o pai sobre alguma coisa aleatória, possivelmente sobre a festa de amanhã.
Algum tempo se passou, e logo Jake precisou ir para casa, pois teria que vir cedo para participar da arrumação da festa da namorada.
- Eu te vejo amanhã? – indaga sorridente, encostada no carro do amado, que apenas sorriu e assentiu. – Tem certeza?
- Palavra de escoteiro! – Jake exclama, fazendo a loira gargalhar.
Ficaram se olhando nos olhos por longos minutos, em silêncio, apenas sentindo a brisa da primavera atingir seus corpos. Ainda havia um pouco de frio no vento, resquício de um inverno rigoroso, mas que não os espantava.
Jake se aproximou, puxando pela cintura. Mesmo estando com ele há alguns meses, ela nunca se acostumaria com tudo aquilo. Com seu toque, com seu sorriso, com seus olhos brilhando em sua direção e principalmente com seus beijos. Uma sensação diferente toda vez que seus lábios se tocavam, seja num selinho ou num beijo mais romântico.
Ele beijou a garota como se fosse a última vez que se viam. Como se ele estivesse prestes a ir pra Guerra e não tinha certeza de sua volta para casa. Era como se fosse uma despedida, o que odiava. Eles se veriam no dia seguinte.
- Feliz aniversário floquinho. – Jake sussurra contra os lábios vermelhos e inchados de sua namorada, que apenas sorriu e o beijou mais uma vez.
E já passava da meia-noite quando eles pararam com aquilo. Jake foi para sua casa e foi dormir, sentindo o coração aquecido e acelerado. Era sempre assim que se sentia quando estava com seu namorado.

FLASHBACK OFF

Matilda apareceu na tela cheia do Notebook, fazendo dar um sorriso largo que era capaz de rasgar seu rosto. Ao lado da caçula, os pais da baterista seguravam um bolo de chocolate com confeitos coloridos no formato de 19, a idade que a garota iria fazer.
Era a primeira vez que passava seu aniversário longe de sua família. Com os ensaios e a gravação de um novosingle, as agendas simplesmente não batem. desejava estar com sua família neste exato momento, abraçada a sua irmãzinha e cantando parabéns com um cupcake que seu pai comprava quando vinha do trabalho.
- Cadê as meninas?
Monique indaga, olhando ao redor.
A porta se abriu, e apareceu segurando um bolo coberto de glacê e duas velas. e seguravam balões, enquanto filmava aquilo.
- Só falar! – exclama, sendo esmagada em sua cama pelas quatro amigas.
As cinco haviam cantado parabéns há algumas horas, quando o relógio bateu no ponteiro doze em território inglês.
- Olá pessoal! – exclama, acenando para os três que estavam do outro lado da tela.
- Vocês estão cuidando bem da minha irmã?
Matilda indaga, fazendo sorrir. Elas eram tão unidas que chegava a ser engraçado. A diferença de idade não afetou em nada.
- Claro que estamos. – fala, sorrindo amigável para a mais nova. – E como está sendo na escola?
- Ninguém acredita que eu sou amiga dos membros da One Direction e irmã da baterista da The Heathers.
Todos gargalharam daquilo. Era óbvio que Matilda iria espalhar para todos sobre seus encontros com os cinco membros da maior boyband da atualidade nos últimos tempos.
- Irei mandar as fotos que tirei. – fala, vendo a pequena assentir. – Bom, viemos apenas entregar esse bolo pra e voltar a dormir. A Sarah irá nos matar se descobrir que estamos acordadas nesse horário.
As quatro se despediram e saíram do quarto. foi a única que permaneceu, por insistência da baterista, que estava se sentindo sozinha naquele momento.
conversou com os pais por mais alguns minutos e logo encerrou a chamada de vídeo, fechando a tela do Notebook e suspirando em seguida.
- Eu sinto falta deles. – resmunga, colocando o aparelho no criado-mudo ao lado de sua cama.
- ... – começa, sendo puxada para um abraço pela loira, que apenas ficou em silêncio, sentindo-se acolhida pela guitarrista. – Logo, logo estaremos em casa.
- Em alguns dias começa a turnê. Você entende o que estamos passando? – indaga, vendo assentir com a cabeça. – É muita novidade em tão pouco tempo.
- Eu sei, mas nós vamos conseguir! – exclama, beijando a bochecha da melhor amiga. – O que você quer de aniversário? Uma festa normal? Uma festa do pijama?
- Apenas ter vocês comigo e assistindo High School Musical. fala, fazendo sua cara de pidona. gargalhou e assentiu.
- Então será uma festa do pijama. Eu irei organizar tudo e sairá perfeita. – fala, vendo a loira sorrir. – Agora vamos dormir.
Elas dormiram por mais algumas horas, até serem acordadas pelo alarme de , que anunciava que precisava acordar para irem para o estúdio e, depois, para o ensaio da turnê.
- Olá ! – Sarah exclama assim que as cinco meninas entram no restaurante do hotel. – Feliz aniversário!
A agente abraçou a loira, que apenas retribuiu.
Logo elas tomaram café. foi parada por algumas fãs que estavam hospedadas por ali, que desejavam feliz aniversário e pediam por uma foto, e logo eram atendidas pelas cinco.
- Eu estive pensando: porque não uma casa para vocês? – Sarah indaga enquanto termina sua xícara de café.
- Nós iremos destruir a casa, Sarah. Sem cogitação. – fala, fazendo gargalhar.
- Vocês precisam de um pouco de privacidade, e sairia mais barato do que um hotel. – Sarah fala, pegando seu celular em seguida. – Que tal irmos ver umas casas por aqui amanhã?
- Seria ótimo. – fala, sorrindo amigável.
- Depois passarei os horários para vocês. – Sarah fala e as cinco concordam. – Podemos ir agora?
Do outro lado da cidade, Harry estacionou seu carro em frente ao local onde ensaiavam para a turnê. Assim que entrou, viu Louis deitado no chão, Niall com seu violão cantarolando alguma música do Olly Murs e Zayn e Liam brincando de lutinha com os cotovelos.
- Vocês sabiam que hoje é aniversário da ? – Zayn indaga assim que se aproxima de Harry na mesa do café da manhã. O cacheado pegou um dos donuts com confeitos coloridos e calda azul bebê.
- Sério? – Styles indaga, parando ao lado do moreno, que apenas assentiu com a cabeça. – Como você soube?
- Eu ouvi a comentar com a outro dia. – Malik responde.
- Harry, seria legal se você não a perturbasse hoje. – Niall fala, atraindo o olhar do cacheado. – Ela está longe da família. Você sabe como é horrível passar o aniversário longe de sua família.
- Eu não faço nada. – Harry fala, jogando o guardanapo que usou para limpar o rosto no lixo. – Ela que implica.
- Só não responde às provocações. – Horan fala, ouvindo o cacheado bufar.
A porta se abre e logo a girlband aparece. Louis correu para perto, com os braços abertos, pegando no colo.
- Feliz aniversário! – ele grita, girando-a pelo salão, e todos puderam ouvir a risada da baterista.
- Louis, me solta! – ela exclama, e logo Tomlinson a solta.
- Vai ter alguma coisa para comemorarmos mais tarde? – Zayn pergunta depois de cumprimentar a aniversariante, que apenas deu de ombros. – Nós temos que comemorar!
- Nós temos que ensaiar e escrever música. – responde o moreno, indo direto para a bateria no canto.
- Qual a graça? – Harry indaga, atraindo o olhar da loira. – Nós temos que comemorar o aniversário.
- Em um clube de strippers como você fez? – Niall indaga, gargalhando em seguida.
- Você comemorou num clube de strippers? pergunta com os olhos arregalados.
- Não. O Nick levou uma stripper para o bar onde estávamos. – Harry recorda, rindo fraco em seguida. – Foi constrangedor.
apenas riu em resposta.
O dia correu sem muito problema. Eles brincaram mais do que ensaiaram, e Harry percebeu que não era tão insuportável quanto aparentava. Não quando ela não tentava ser.
- Você pode ir comigo comprar um presente? – Harry indaga perto de Niall, num tom de voz baixo para que somente o irlandês escutasse. – É segredo.
- O que você vai aprontar Harry? – o loiro pergunta curioso. – Você nunca tem uma ideia boa.
- Essa vai ser. Eu prometo! – o cacheado fala, juntando as mãos e suplicando, em silêncio, para que o amigo aceitasse. Horan apenas suspirou e assentiu com a cabeça. – Nós vamos comprar café. Querem?
Todos concordaram e Harry levou mais de cinco minutos anotando cada pedido específico. Sabia que teria de passar numa cafeteria logo depois que comprasse o presente, mas valeria a pena.
- Por que você vai comprar um presente pra ela? – Niall indaga assim que senta no banco do carona.
- Eu quero. Vai ser legal. Ela parece estar desanimada longe da família. – Harry responde, dando de ombros em seguida.
Niall não respondeu nada. Sabia que soltaria algo e Harry, como é um eterno ser teimoso, não admitiria o que sente pela baterista.
Eles chegaram ao local escolhido pelo mais novo da boyband. Niall apenas arregalou os olhos, surpreso pelo que o amigo iria fazer.
- Harry, você tem certeza disso? – ele pergunta enquanto tira o cinto de segurança, ainda olhando para o cacheado. – Absoluta?
- Sim! – ele exclama, abrindo a porta que dava para entrar no estabelecimento.
Eles ficaram ali por aproximadamente quarenta minutos. Enquanto Harry pegava o presente, Niall escolhia o que iria acompanhá-lo.
- Vai sair mais caro do que o planejado. – Styles comenta, pegando sua carteira no bolso da calça jeans que usava. – Mas vale a pena.
- Depois diz que não está caidinho por ela. – Niall comenta, gargalhando da careta que o cacheado fez.
Os dois saíram e Harry foi sentado no banco do carona, segurando o presente com cuidado. Niall dirigiu e eles pararam na cafeteria, pegando os pedidos do pessoal e logo voltando para o estúdio, onde ensaiavam para a turnê.
- O que eu falo? – Horan indaga quando desliga o carro e pega uma parte dos cafés.
- Sei lá. – Harry responde, rolando os olhos em seguida. – E se ela for alérgica?
- Você não podia ter pensado em um presente melhor? – o irlandês pergunta bufando.
- Eu agi por impulso. Desculpa. – Harry fala, suspirando em seguida. – Bom, vamos rezar para que não seja.
Niall deu de ombros e abriu a porta, sendo o primeiro a entrar no estúdio.
- , o Harry tem um presente pra você! – Niall grita, atraindo a atenção da loira, que levantou a cabeça para olhar pro irlandês.
E logo Harry abriu a porta, segurando nada mais, nada menos, do que um coelho.
- Ai meu Deus! – grita, correndo para perto do cacheado. – Ele parece de pelúcia.
- Harry, o que é isso? – Louis pergunta, acariciando o pelo do bicho.
- Um coelho. Não sabe? – Liam pergunta retoricamente, e Louis bateu no ombro do amigo.
se levantou e caminhou para perto do grupo que se formou na entrada do estúdio. Ela observou Harry com a sobrancelha arqueada, intercalando seus olhares entre o garoto e o coelho em seu colo.
- Por que um coelho? – pergunta, pegando o bicho do colo do cacheado.
- Eu achava que gatos e cachorros não fazem seu tipo. – Styles responde, dando de ombros. – Eu acertei?
- Ele é muito fofo! – ela exclama, acariciando o pelo do animal. – Mas eu não vou conseguir cuidar dele.
- Então ele vai ficar na minha casa e você pode ir visitá-lo. – Harry fala, rindo ao ver o roedor mexer o focinho. – Poderemos compartilhar a guarda.
- Nem pensar! – exclama, agarrando ainda mais o bicho. – Isso foi uma estratégia para me fazer ir pra sua casa?
- Funcionou? – Harry pergunta, ouvindo a loira bufar. – Claro que eu não fiz isso, solzinho. Eu apenas acho que lá ele pode ficar melhor. Têm empregados, minha irmã e minha mãe, que quase sempre aparecem.
Era uma boa ideia, visto que seus pais não aceitariam aquele bichinho cinza na casa. Matilda não teria tempo de cuidar, tampouco seus progenitores, que trabalhavam demais.
- Eu vou aceitar sua ideia. – resmunga, vendo um sorriso surgir no rosto do cacheado. – Mas... Eu quero pensar num nome.
- Ele é todo seu. – Harry responde, sentando relaxado na cadeira de ferro que tinha ali.
- É fêmea? – pergunta, aproximando-se da baterista. – E se fosse Peggy?
- Não. – responde, encarando a coelha em seu colo, esperando que seu nome viesse de imediato. – Tem que ser um nome único.
Nunca foi boa com animais de estimação. Levava dias para escolher nomes dos peixinhos dourado que tinha na infância e, quando teve seu primeiro filhote de cachorro, levou duas semanas para chamá-lo de Spike, para descobrir dias depois que era o nome do cachorro do vizinho da frente. Mesmo que fosse da sua vontade, não conseguia mudar o nome.
- E que tal Sissy? – Harry indaga, aproximando-se da loira. – Acho que combina com ela. Ou Ginny.
- Sissy é legal. – fala com um sorriso no rosto. – Esse é o nome. Obrigada Harold.
- Disponha solzinho. – ele responde, beijando a testa da loira num ato de maestria, antes que ela pudesse tentar chutá-lo para longe. Ninguém podia entrar no escudo de , muito menos um cantor de uma boyband britânica.
Passaram o restante das horas de ensaio ali, brincando com a coelha. Louis corria atrás da pequena roedora, enquanto Liam ia com comprar comida para o animal.
- O que coelhos comem? – Liam pergunta quando vira numa rua.
- Eu sei lá. Cenouras? – pergunta, e os dois riem. – E se comprarmos um estoque de cenouras para a Sissy?
- O Harry não vai reclamar. – Payne responde, mexendo no volume do som do carro. – Eu só não sei por que nós vamos gastar o nosso dinheiro.
- Por que somos padrinhos! Eles nos nomearam. – recorda, rolando os olhos para o moreno.
havia nomeado como fiel escudeira de Sissy, para que a protegesse quando a loira não estivesse por perto. Harry, como o anfitrião da moradia da pequena roedora, fez questão de nomear Liam, pois sabia que ele não era tão infantil quanto Louis ou Niall, e sabia que Zayn não daria conta de cuidar de uma coelha.
- Eles só disseram que seríamos os responsáveis por não reclamarmos ou nos portamos como crianças com ela. – Liam recorda, rindo da careta que fez.
- Eles poderiam ter nomeado o Louis. Ele não é tão reclamão quanto você. – responde, cruzando os braços em seguida.
- Você que tá reclamando. – Liam responde, dando de ombros em seguida. – E sabe o que eu percebi?
apenas olhou para o cantor, esperando que ele continuasse o seu raciocínio. Por mais que não tivessem mais nada, odiava admitir como ele era bonito e como queria que ele a beijasse quase sempre que se viam.
- Que essa é nossa primeira conversa. – Payne fala, movendo o dedo indicador, apontando para eles dois. – Como se sente?
- Bem. Você é legal quando quer Liam. – ela responde, trocando de rádio.
Ele apenas sorriu, ficando em silêncio até acharem a pet shop. Enquanto ouvia as recomendações de um funcionário e lhe dava um autógrafo, pois ele a reconheceu pouco tempo depois, Liam pegava acessórios para a coelha. Achou um laço com arco-íris e uma pequena pedra no meio, e fez questão de colocar na cesta que carregava no braço esquerdo.
- Ele disse que podemos comprar ração para coelho e cenouras. – fala ao se aproximar do cantor, rindo ao ver a cesta parcialmente cheia. – Para quem não queria gastar tanto dinheiro...
- Cala a boca. – Liam interrompe, rindo em seguida.
pagou por tudo com o cartão de Liam, que tomou cuidado para não ser reconhecido.
- Precisamos ir até um mercado. – fala, colocando a sacola plástica em seu colo e fuxicando a mesma, vendo as coisas que o moreno havia comprado. – Você vai ser um bom pai.
- Se você quiser ser a mãe. – ele brinca, dando um sorriso ladino ao ver a morena corar violentamente. – Eu estou brincando. Mas se você quiser...
- Liam! – ela exclama, ignorando a risada do cantor.
O que era aquilo? Por que ele estava assim, tão solto? Por que eles estavam tendo aquele tipo de conversa?
tirou o laço colorido da sacola e encarou com uma sobrancelha arqueada. Reprimiu o sorriso e colocou o laço na cabeça, olhando seu reflexo no espelho retrovisor.
- Espera! – Payne exclama, dando a seta e estacionando o carro. – Eu preciso tirar uma foto sua assim.
E ele sacou o celular do bolso da calça jeans. A sorriu acanhada, mas logo cedeu e começou a fazer caretas, gargalhando no final do último clique, que Liam conseguiu captar, tornando-se a foto favorita dele até o momento.
- Achei um mercado, vamos! – exclama, tirando o cinto de segurança e descendo do carro com pressa, correndo para dentro do estabelecimento.
Liam apenas sorriu e desligou o carro, saindo do mesmo e acompanhando a guitarrista, que já estava na sessão de leguminosas do mini mercado. Por estar de tarde e ser uma quarta-feira, muitas pessoas estavam em seus respectivos trabalhos.
- Que tal levarmos isso tudo? – Liam pergunta, aproximando-se de e apontando para a enorme prateleira com as cenouras.
Ele estava perto demais, e uma voz alertou a guitarrista, que se afastou rapidamente numa forma nada sutil.
- Harry pode nos matar. E a Sissy vai ficar laranja. – a guitarrista comenta, distraída, fazendo o cantor gargalhar. – É isso que você quer?
- Claro que não. – Liam responde. Parecia falar com uma criança. – Eu não quero que você morra .
Ele estava fazendo de novo. E, mais uma vez, não soube reagir sem ser com o rosto corado e um sorriso envergonhado. Antes que pudesse repreendê-lo, sentiu alguém cutucar seu ombro e logo olhou para trás, vendo um grupo de adolescentes com sorrisos enormes e celulares nas mãos.
- Você é mesmo a ! – uma ruiva exclama animada. – Eu disse que era ela.
Liam escondeu seu rosto, torcendo para que não fosse reconhecido, mas seria em vão. Qualquer um reconheceria aquele homem, mesmo a quilômetros de distância.
- Liam? – uma das meninas indaga confusa. – É você mesmo?
E ele se virou, dando um sorriso alegre para o grupo de adolescentes, que deu um pequeno grito histérico, chamando a atenção apenas de uma atendente do caixa, que logo voltou para seu celular.
- Meu Deus, meus dois ídolos no mesmo lugar e no mesmo momento. – a negra diz, fazendo os dois famosos rirem. – Eu posso tirar uma foto com cada um de vocês?
assentiu e logo a garota parou ao seu lado. Uma amiga, que tinha os cabelos loiros e cacheados, tirou algumas fotos das duas: algumas com caretas, outras com sorrisos e outras em que elas faziam carão, algo que a negra disse ser bem comum na sua terra, o Brasil.
- The Heathers vai tocar no Brasil com a One Direction? – a negra pergunta depois de guardar o celular na bolsa que carregava.
- Apenas no Rio de Janeiro. – responde, posando para tirar foto com outra fã.
Depois de quase quinze minutos de fotos e uma pequena entrevista, os dois foram liberados pelas fãs, que saíram sorridentes do pequeno estabelecimento, carregando nada além de dois potes de sorvete.
Os dois fizeram as compras necessárias e logo voltaram para o estúdio, em silêncio, visto que não sabia digerir muito bem tudo que estava acontecendo.
Ele tinha uma namorada, certo? Ele tinha. E, mesmo que não estivessem namorando, Sophia merecia ser respeitada.
- Vocês quase mataram a Sissy de fome. – reclama assim que os dois surgem em seu campo de visão.
- Sinal de que eu sou o cara mais que perfeito para cuidar dessa coisinha linda. – Niall comenta, acariciando o pelo cinza da coelha.
- Não mesmo. – Harry fala, vendo o irlandês rolar os olhos. – Você não vai cuidar da Sissy.
- Ela é minha coelha. – enfatiza, vendo a careta no rosto do cacheado. – Mas mora na sua casa.
- Vocês têm um relacionamento engraçado. – fala, rindo junto de Zayn e .
- Um relacionamento que é unido por uma coelha. – pontua, impaciente.
- Ela fala assim, mas sei que vai parar lá em casa todo dia pra me ver. – Harry brinca, vendo a loira rolar os olhos e estender o dedo mediano em sua direção. – Eu estou apenas brincando, solzinho. Posso te garantir que a Sissy estará em boas mãos.
E ele sorriu maliciosamente, sentindo a pequena mão de atingir seu tronco em um soco.
- Você é forte! – ele exclama, vendo um sorriso vitorioso surgir no rosto da loira quando ele se contorceu de dor. – Mas você sabia que eu tenho uma queda por mulheres fortes?
- Meu Deus, Harold! Cala a sua boca antes que eu te mate e a One Direction vire um quarteto. – fala, agachando-se no chão para brincar com Sissy, que roia uma cenoura.
O grupo formado por dez pessoas e uma coelha iria se dispersar em breve. A turnê logo começaria, e a sensação de poder tocar em estádios inundava o peito de cada um ali.
- Assim que vocês chegarem ao hotel nos dê trinta minutos e nós iremos encontrar com vocês. – Louis fala, dando espaço para que saísse.
- Por quê? – a ruiva pergunta com curiosidade. Não sabia o que haviam tramado.
- Nós vamos comemorar o aniversário da loira. – Zayn fala, se intrometendo na conversa dos dois. – Ou vocês acharam que iríamos deixar passar?
E assentiu. Achava que seria apenas o quinteto junto, assistindo High School Musical e comendo porcarias industrializadas. Iriam se dividir para ver quem seria quem, mesmo sendo óbvio que se mataria para ser a Sharpay Evans, sua preferida naquele filme.
- Atenção, pessoal e Sissy. – Louis vocifera, atraindo a atenção de todos ali.
- Adoro que você incluiu a pequena no assunto. – Harry comenta, segurando a coelha em um dos braços, passando seu gorro por cima dela, numa tentativa inútil de esquentá-la.
- Valeu papai do ano. – Tommo responde, arrancando algumas risadas pelo grupo. – Nós vamos sair para comemorar o aniversário da . E não aceito um não como resposta. Perguntas?
- Aonde nós vamos? – pergunta após levantar a mão.
- É uma surpresa. – Louis responde, sorrindo maliciosamente para a caçula.
A boyband sorriu cúmplice. Eles sabiam o que iriam fazer? Não. Mas deixar a girlband curiosa era divino, ainda mais para Styles, que esgotou sua cota de surpresas para um único dia. Ele esperava que, no próximo ano, eles não estivessem mais unidos, ou então gastaria dinheiro demais com aquela loira.
Quando chegaram aos seus respectivos quartos no hotel, pegou seu celular. Era a primeira vez que via o aparelho desde que saiu, naquela manhã.
A tela estava recheada de notificações. Mensagens no Whatsapp, menções no Twitter e no Instagram, além de marcações em fotos. Desbloqueou e clicou numa aleatória, fechando os olhos e rezando para que seja alguma notícia sobre os shows da banda com a One Direction.
@TheSun: da The Heathers com o Liam da One Direction são vistos em clima romântico. Clique aqui para saber mais:
E em seguida havia um link, que os levava diretamente para a reportagem. Fotos dos dois conversando, rindo de algo, e Liam extremamente próximo da garota estampavam a galeria, além de alguns prints de tweets de fãs, que postaram fotos dos dois em suas redes sociais.
Aquilo estava acontecendo. E ela não sabia o que fazer, além de sentir uma falta de ar absurda. Abriu a porta que dava para a varanda de seu quarto, sentindo a brisa fresca da primavera londrina invadir suas narinas. Ficou ali por mais de cinco minutos, tentando inutilmente conter as tremedeiras pelo corpo e a vontade de se esconder.
Aquele era o pior lado de ser uma pessoa famosa: os tabloides. Sabia que aquele jornal era conhecido por ser sensacionalista, mas ainda assim, se importava com aquilo.
Ignorou as mensagens de Logan, que lhe perguntava como ela estava naquele momento. Ele viu as notícias, viu as fotos, e ansiava por alguma resposta da guitarrista, mas ela não sabia o que responder. Talvez nem quisesse. Ela queria ficar sozinha, sem pensar em algum homem por pelo menos vinte e quatro horas. Queria voltar para o Texas, para sua família, para ficar aquecida dentro de casa.
Percebeu que estava atrasada e correu para se arrumar. Tomou um banho gelado e rápido, colocando uma roupa aleatória que achou no fundo de sua mala e calçando seus saltos confortáveis. Não sabia o que iria fazer, mas estava preparada para qualquer coisa.
passou pela porta sem dizer nada, e sentou-se na cama de casal do quarto. Ficou em silêncio por um longo tempo, até suspirar profundamente e despejar:
- Eu li o que falaram. Eu sinto tanto por você, .
E a guitarrista soltou todo o ar preso em seu corpo. Parecia que não respirava há tempos, como se estivesse debaixo d’água. Sentiu agarrar seu corpo num abraço e ela segurou a vontade de chorar.
Elas ficaram em silêncio, sozinhas, até todo mundo aparecer e partirem para o lugar onde estava combinado. Liam não falou nada, estava em silêncio, ainda absorvendo o que havia acontecido, embora já estivesse acostumado. Aquilo acontecia toda vez que ele saia com qualquer garota.
Mas era , e não era qualquer garota, e ele sabia muito bem disso, porém odiava admitir. Ele odiava admitir que estava, sim, nutrindo sentimentos – que não eram recíprocos, ao seu ponto de vista – pela guitarrista, e que aquilo o magoava. Magoava por saber que ele queria mais. Se estivessem juntos, conversariam e talvez, apenas talvez, colocariam isso em público, porque ele não queria esconder , e muito menos a garota queria escondê-lo. Mas o tempo passou, ele está com a Sophia e ela está com Logan, embora nunca tenham falado nada sobre relacionamento ou algo do tipo.
Chegaram ao bar e Harry riu baixo, tendo a vaga lembrança daquela noite. Tentou ao máximo não atrair a atenção de ou das garotas, mas apenas viu o cacheado rir de algo, que preferiu ignorar a ter de perguntar.
Entraram depois de falarem com os seguranças, que liberaram a entrada mais do que depressa. Afinal, era a maior boyband daquela década! E, de quebra, The Heathers, que estava conquistando o espaço musical devagar, mas que já eram extremamente conhecidas na capital inglesa e em outros lugares do mundo.
Entraram e procuraram pela mesa que Louis havia reservado, na melhor área, com lugar o suficiente para os dez. Não teriam namoradas, acompanhantes ou qualquer outra coisa. Apenas os dez comemorando o aniversário da loira.
- E como a Sissy ficou? – indaga para Harry, que apenas arqueou a sobrancelha.
- Ela adorou a casa nova dela. – ele responde, sorrindo em seguida. – Se você quiser se mudar junto dela...
- Cala a boca, Harold! – ela exclama após bufar impaciente, ouvindo a gargalhada do cacheado, que, para ela, havia se tornado inconfundível. Ela já conhecia aquele som, mesmo que não quisesse.
- Feliz aniversário solzinho. – Harry responde, beijando a bochecha da baterista, que deu um pulo, assustada com a aproximação do rapaz. Ela achava que, para o seu próprio bem, ele deveria ficar o mais afastado possível.
E ele ignorava aquilo dia após dia. Primeiro por querer aquele dinheiro da aposta. Segundo por adorar perturbar a loira.
- O que vocês planejaram? – indaga para Niall, que terminava de beber sua bebida destilada.
- O quê? – Niall indaga, olhando confuso para a baixista.
- Vocês estão tramando algo... – comenta desconfiada, fazendo o irlandês engolir sua bebida rapidamente, sentindo a garganta queimar. Não era acostumado com aqueles drinques, gostava da sua cerveja tradicional e acabou.
- De onde você tirou isso, ? – Horan pergunta com curiosidade, tentando manter-se impassível. Ele não poderia, de maneira nenhuma, estragar a surpresa. Seria mais uma para a lista deste ano, contando com a surpresa que estragou no aniversário de Harry.
- Niall, por favor. – começa, rolando os olhos em seguida. – Você acha que eu não desconfio de vocês? Eu não sou burra!
Niall suspirou e continuou tomando suas bebidas, ouvindo as batidas de uma melodia qualquer praticamente saltarem das caixas de som daquele ambiente, que mais se parecia uma boate do que um bar em si. Haviam pessoas dançando pelo ambiente. Ele constatou na hora que aquilo era mesmo uma boate.
- ... – Liam começa, sentando ao lado da guitarrista. – Você está bem?
A pergunta era universal. Queria saber se ela estava realmente bem, e também queria saber como ela estava depois de tudo aquilo que saiu para a mídia. Liam não queria que ela sofresse a perseguição daquilo, ser apontada como um affair, quando ela tinha muito mais a oferecer para o mundo do que ser chamada de affair de Liam Payne.
- Eu estou bem, Liam. – ela fala com um sorriso amigável no rosto, fazendo o rapaz respirar aliviado. – Só que eu acho que aqui não é o lugar para conversarmos, não acha?
E o cantor assentiu com a cabeça, sorrindo para a guitarrista, que retribuiu o gesto. Como ele sentia falta daquilo, daqueles olhos e principalmente daquele sorriso, que fazia todo o mundo se iluminar. Quando gravou What Makes You Beautiful, anos atrás, não achava que aquela letra faria tanto sentido quanto faz agora, anos depois.
- Está na hora dos parabéns! – Louis exclama, ficando de pé numa cadeira, fazendo todos ao redor comemorarem. – E , nós temos uma pequena surpresa para você.
- Eu não posso ganhar outro coelho! – ela grita, fazendo todos ali gargalharem, incluindo Tomlinson, que, àquela altura do campeonato, estava mais para lá do que para cá. Ou bêbado.
- Eu quero primeiramente agradecer a vocês por estarem conosco. – Louis começa a falar, quase derrubando sua bebida em Zayn, que saiu de perto do melhor amigo para um lugar mais seguro, onde não pudesse ser atingido por Louis e seu espírito de bêbado. – E quero dizer que hoje pode ser seu aniversário, mas você está de parabéns todo santo dia.
gargalhou, enquanto Harry olhava furioso para Tommo, que notou rapidamente a careta nada amigável no rosto do mais novo.
- E o Harry tá querendo me matar por falar isso. – Lou finaliza, descendo da cadeira. – Pode entrar A SURPRESA!
E logo a porta se abre, e dois strippers aparecem, fazendo as cinco gritarem. colocou o chapéu na cabeça da baterista, que apenas escondia o rosto, enquanto tirava fotos e filmava. Aquilo deveria ficar guardado para todo o sempre.
A música Pony começou a tocar na caixa de som e todos gargalharam, incluindo , que tentava esconder o rosto a todo custo, não querendo mostrar suas bochechas coradas. Estava morrendo de vergonha.
tirou as mãos da baterista dos olhos e deixou que ela tivesse a visão dos dois homens ao seu redor, dançando de maneira ridícula e sensual, numa proporção totalmente diferente uma da outra. As bochechas ainda estavam coradas e Harry achou aquilo adorável, assim como a careta brava que ela fez ao final de tudo aquilo.
E, observando a cara de idiota que Styles fazia, Niall confirmou: seria extremamente difícil para Harry ganhar aquela aposta.


The One with the Pool Party

“Working 9 to 5, what a way to make a living
Barely getting by. It’s all taking and no giving.
Dolly Parton – 9 to 5.”


Onze de abril de 2014.

Liam: Que tal nós tomarmos um café juntos?
Liam: Num local reservado, de preferência.

leu as mensagens sem entender o que havia acontecido ou o que poderia responder. Evitou Liam durante três dias, e poderia evitar mais, se ele não tivesse enviado aquela mensagem. Aquela maldita mensagem que fez seu coração disparar como a bateria de . E ela se odiou por aquilo, pois sabia que não deveria. Não com Logan ao seu lado.
Pra que ter aquela conversa? Pra quê? Era apenas um mal entendido, outros já surgiram e possivelmente surgirão, ainda mais agora, faltando menos de quinze dias para o inicio da turnê.

: Ok. Me passa o endereço.
Liam: Eu vou te buscar.

- Você vai procurar casa com a gente? – pergunta, jogando-se ao lado de , que suspirou profundamente e mostrou a tela para a melhor amiga. – Como assim?
- O que houve? – indaga do outro lado do quarto, enquanto assistia dançar alguma música qualquer no Just Dance.
- O Liam me mandou mensagem pedindo para me encontrar com ele. – responde, vendo arregalar os olhos. A baixista até mesmo abandonou os passos de dança pela metade, aproximando-se das amigas, assim como , que estava conversando com Harry perguntando por Sissy, alimentando o ego do cacheado de ter alguns momentos de conversa normais com a loira.
- É por causa da matéria? – indaga, sentando na ponta da cama de casal.
- Acho que sim. Eu não sei. – comenta, dando de ombros em seguida. – Eu preciso me arrumar.
E a guitarrista foi para o banheiro de sua suíte, deixando o quarteto parado para trás, encarando-se e com uma enorme interrogação no rosto.
Depois de alguns minutos, Liam estacionou o carro em frente ao hotel onde e as meninas estavam hospedadas. Pegou um carro diferente do habitual para despistar os fotógrafos e alguns fãs. Ele prometeu que seria o mais discreto possível, e seria.
apareceu e Payne sorriu de orelha a orelha, tendo a lembrança do primeiro encontro deles. Quando ele pôde conhecer ainda mais aquela guitarrista.
- Oi! – ele exclama com um sorriso ainda no rosto, fazendo a morena sorrir enquanto coloca o cinto de segurança.
- Tudo bem? – ela indaga assim que Liam arranca com o carro da frente do hotel, olhando ao redor para ver se não tinha nenhum paparazzo ou algo do tipo.
- Eu acho que nós precisamos conversar. – ele começa, ouvindo suspirar. – Mas vamos comer algo. Você já tomou café?
O relógio no pulso do cantor marcava onze e dez da manhã. O sol estava brilhando no sol e aquele era um dos dias perfeitos em que eles tirariam um dia para ficar na piscina, aproveitando o tempo que os resta de descanso antes de entrar na estrada.
O caminho até a cafeteria escolhida por Liam foi em absoluto silêncio, exceto pelas músicas que tocavam no rádio do carro. Nenhum dos dois sabia o que falar naquele momento, e o clima naquele carro não era nada amigável. Era como se existisse um muro que os separava, mesmo estando tão próximos um do outro.
Quando chegaram, tomaram todo o cuidado para entrarem no estabelecimento, que parecia nem estar aberto. Vazio, com exceção de alguns funcionários, que estavam parados atrás do balcão observando a movimentação do lado de fora.
Payne acenou com a cabeça para um deles e subiu as escadas, que dava para o segundo andar da cafeteria, onde sentaram numa mesa afastada das janelas gigantes e bem escondida.
- Eu não tenho muito tempo... – Liam começa, pegando o cardápio em cima da mesa.
- Você fechou essa cafeteria para você? – indaga surpresa. Aquilo era demais.
- Por apenas uma hora. – ele adverte, sorrindo de lado para a guitarrista. – O que você quer pedir?
E ela examinou o cardápio, pedindo por panquecas de chocolate e um café, enquanto Liam pedia uma vitamina qualquer com cupcakes.
- Eu quero falar sobre aquelas fotos. – Payne começa, apoiando as mãos por cima da mesa. – Eu sinto muito, .
- Liam, não é culpa sua. – responde, olhando nos olhos castanhos do cantor, que sorriu. – E muito menos das fãs, ok? A mídia que precisa de algo para atormentar a vida das pessoas!
E ela rolou os olhos em seguida.
- Eles estão te atormentando? – Payne pergunta em alerta, preocupado com a guitarrista. – Se você quiser, eu falo com eles sem problema...
- Não, Liam! – ela exclama, rindo em seguida. – Está tudo bem. Eles não estão me atormentando. O bom é que o clipe de Want You Back tá bombando!
- E quando vai sair o próximo single? – ele indaga, vendo o garçom se aproximar da mesa deles com os pedidos.
- Em alguns dias. – ela fala, sorrindo agradecida em seguida.
- Eu estou ansioso para ouvir. – Liam responde e coloca sua mão por cima da dela, vendo a morena corar com aquilo. – Eu posso falar mais uma coisa?
Ela levanta o rosto, olhando nos olhos cor de mel do cantor. Liam perdeu alguns segundos encarando a guitarrista, que não desviou o olhar.
- O quê? – ela indaga num incentivo para Payne, para que ele concluísse o que falava.
- Eu sinto muito a sua falta. – Liam fala num tom de voz contido, como se fosse uma confissão de algum pecado muito grave.
Droga! Aquilo não deveria estar acontecendo. sentia suas mãos suarem e seu coração acelerar dentro de seu peito, sua boca abriu e fechou diversas vezes durante os últimos dez segundos, mas não saía algum som. Liam mordeu o lábio inferior, apreensivo por ter assustado a garota. Ele não queria ter feito aquilo. Achava melhor ficar guardado na sua mente, enquanto observava a morena sair e se divertir sem ele. Ela também não sentia sua falta, era o que ele pensava. Mal sabia que ela sentia saudade daquilo tanto quanto ele.
- Nós podemos esquecer isso aqui? – ele indaga, olhando para o seu prato com dois cupcakes de chocolate.
- Liam, eu sinto muito... – ela começa a falar vendo o rapaz negar diversas vezes com a cabeça.
- Tudo bem . Você está feliz com o fotógrafo? Então eu também estou! – ele exclama, dando de ombros em seguida.
A pergunta era o que não queria calar. Será que está mesmo feliz com o Logan?
Ela acreditava que sim. Ele era um dos caras mais incríveis que ela teve o prazer de conviver e a sorte de ter algo, mesmo que eles não estivessem rotulando nada. Ele era a companhia perfeita para qualquer tipo de coisa e o melhor amigo que uma garota poderia ter.
Mas, mesmo com todas as qualidades, ele não fazia nada subir no corpo dela. Nem mesmo uma pequena faísca. Enquanto Liam, com aquele jeito dele, fazia todo seu corpo se acender mesmo com um olhar. E aquilo era errado em tantas maneiras. Ele tinha Sophia! E Sophia o amava. Ou o ama. Ou gosta dele. Tanto faz, mas eles estavam juntos.
O que eles tiveram foi incrível. Conheceram-se e tiveram bons momentos juntos, mas nada mais. Eles não foram destinados a estarem juntos. E olha que acredita fielmente em destino.
Liam acreditava que eles ficariam juntos no final de tudo aquilo. E ele preferia ouvir aquilo a o “não” da guitarrista.
- , para de pensar nisso. – Liam fala, chamando a atenção da guitarrista, que olhou para ele.
- Por que você fala isso agora, sem mais nem menos? – pergunta, largando seu café na mesa, atraindo o olhar confuso do cantor.
- Como assim? – Liam pergunta, arqueando uma das sobrancelhas.
- Não se faz de sonso, Liam! – exclama e Payne arregala os olhos. – Você acha que é quem?
- O que eu fiz? – o cantor indaga, vendo a morena pegar algumas notas dentro de sua bolsa. – ...
- Você sabe muito bem o que fez. – ela fala, levantando-se da cadeira e colocando o dinheiro em cima da mesa, ao lado da xícara de café. – Passar bem.
E ela saiu do campo de visão de Payne, que nem fez algum esforço para levantar e ir atrás dela. O que ele fez, além de falar a verdade? Sentia muita saudade de , até mesmo para ser sua amiga.
Do outro lado da cidade, Sarah conversava com um corretor. A casa que queriam alugar era gigantesca, com cinco quartos principais e um de hóspedes, além de uma piscina e um enorme jardim, além de vagas para dois carros. Era uma verdadeira mansão, mesmo que o corretor corrigisse algumas vezes dizendo que aquilo não era uma verdadeira mansão.
A casa também vinha toda mobiliada, e as meninas teriam a opção de decorar com suas coisas, como fotos e outros pertences pessoais.
- Será que a está bem? – indaga assim que se aproxima de e , que estavam sentadas no sofá de palha da varanda dos fundos.
- Deve estar. – responde, dando de ombros em seguida. – Mas o que eles tinham de resolver?
- Nem sei. – comenta, suspirando em seguida. – Eu acho que é das fotos que saíram, mas tem algo a mais. Ele não pediria para encontrar com ela apenas por um problema com a mídia, já que ele enfrenta isso há alguns anos.
- A acabou de me enviar uma mensagem. – anuncia assim que se aproxima das amigas. – Ela disse que está no hotel e com ódio.
- O que o Liam fez com ela? – indaga, dando espaço para que sentasse ao seu lado.
- Ela não disse. – fala, dando de ombros em seguida. – Eu só sei que eu vou dar um soco nele e não vai demorar muito.
- Meninas. – Sarah chama assim que aparece nos fundos da casa. – Vocês gostaram?
- Sim e a também gostou. – responde com um sorriso no rosto, fazendo Sarah sorrir e concordar.
foi a responsável por mostrar, por fotos, a casa que iriam alugar, e opinou, enquanto estava no táxi indo para o hotel, depois do encontro nada adorável que teve com Liam.
- Então nós podemos buscar as malas de vocês! – a agente exclama batendo palmas. As quatro arregalaram os olhos. – Nós vamos nos mudar hoje mesmo!
- Tem certeza? – indaga com desconfiança. Sarah apenas assentiu com a cabeça, balançando a chave num dos dedos da mão direita. – Então quer dizer que nós temos uma casa?
A agente concordou com a cabeça mais uma vez, e as quatro sorriram animadas.

(...)

Louis pulou na piscina e, mais uma vez, espirrou água em , que tentava a todo custo ler a revista e a reportagem que saiu de The Heathers.
Decidiram, depois de dois dias, que era a hora de inaugurarem a casa. E qual a melhor maneira, do que fazer uma festa na piscina? Mas, quando se é famoso, a festa fica totalmente limitada, e elas só puderam chamar os cinco membros da One Direction e os membros da 5SOS, que também sairiam em turnê com a boyband britânica.
estava na cozinha com . estava colocando seu biquíni no quarto, enquanto assistia algum programa aleatório na televisão e estava ignorando completamente a algazarra do lado de fora da casa. Harry estava sentado ao seu lado estranhamente calado, anotando algo em seu caderno, o mesmo que viu algumas vezes ao longo dos ensaios.
- O que está fazendo Harold? – pergunta com curiosidade, dando o braço a torcer se quisesse saber o que ele tanto escrevia naquilo.
- Rabiscos. Letras de música. – ele responde, bufando em seguida. – Todas elas estão um lixo.
- Mas o álbum já não está fechado? – a loira indaga mais uma vez, arqueando a sobrancelha em dúvida.
- Está, solzinho. Mas eu gosto de escrever. Ou gostava. – o cacheado responde com frustração na voz.
O que estava acontecendo? Por que não conseguia escrever algo que prestasse?
- E por que você não vai pra piscina? – Harry indaga curioso, arqueando as duas sobrancelhas para a loira, que apenas deu de ombros. – Quer ver o que a Sissy fez hoje de manhã?
E assentiu, vendo o cacheado desbloquear o celular, mostrando que o papel de parede dele era uma selfie dele com a coelha, fazendo Müller arquear as sobrancelhas para ele.
Harry colocou o vídeo da pequena roedora, que estava com um laço com a inicial S na cabeça enquanto roia uma cenoura que Styles fez questão de descascar.
- Ela ainda é um bebê! – Harry se defende como se lesse os pensamentos de , que gargalhou e apoiou a cabeça no encosto do sofá, fazendo Harry parar alguns segundos para observá-la com um sorriso ladino em seu rosto.
- Vamos pra piscina Harold! – Louis grita da janela, quebrando o transe em que Harry se encontrava, ainda observando a baterista. – E você também .
- Eu já vou! – a loira exclama, levantando-se do sofá. – Depois você me manda esse vídeo.
E ela subiu as escadas que dava para o andar dos quartos, quando Harry soltou um suspiro alto, assustando Liam, que caminhava para a cozinha.
- Que susto! – Payne exclama rindo em seguida. – O que faz aqui?
- Nada. – Harry fala entediado. – Eu vou pra piscina. Você vem?
- Não. Eu vou ajudar as meninas na cozinha. – Liam se explica, vendo Styles rolar os olhos.
- Desencana da , cara. Ela já tá em outra e você perdeu. – o cacheado comenta, ouvindo Liam bufar e caminhar para o outro cômodo, deixando o mais novo da boyband para trás.
desceu a escada sozinha, segurando o vidro de protetor solar em uma das mãos. Foi para o lado de fora da casa, atraindo os olhares de Calum, baixista da 5SOS, e de Louis, que estava conversando com Zayn perto da piscina, enquanto Niall grelhava os hambúrgueres na churrasqueira.
- Para de babar, Tommo. – Zayn alerta, passando o dedo indicador no canto dos lábios do amigo, que gargalhou ironicamente enquanto rolava os olhos, olhando para algum outro ponto fixo daquele quintal. – Você ainda tem a Eleanor...
A verdade é que ele não sabia se ainda a tinha. Depois do aniversário de , ambos brigaram feio, e nunca mais se falaram ou tocaram no assunto. E já tem quase uma semana desde aquilo, e não sabia em que pé estava seu relacionamento.
- Sim. – Louis afirmou, dando um gole em sua cerveja. – Eu tenho a Eleanor?!
- Tá em dúvida? – Zayn pergunta com curiosidade, vendo o amigo bufar. – Louis, Louis...
E Tomlinson suspirou, olhando pela última vez para , antes que pudesse se jogar para a piscina, assustando , que havia desistido de ler a revista.
- Vem pra piscina ! – Louis exclama assim que retorna à superfície, vendo a baixista tirar alguns resquícios de água que o amigo jogou. – Eu prometo que a água está uma delícia.
- Eu já sei que está, já que você está me molhando o tempo todo! – exclama, rindo em seguida.
Ela desceu pelas escadas, parando num canto. Louis nadou até ela, segurando em suas mãos e puxando-a para caminhar com ele, enquanto ela conhecia o território.
- Eu te protejo. – ele fala com um sorriso brincalhão em seus lábios, atraindo não somente a atenção de Niall, como também a de , que conversava com os meninos da banda australiana.
A porta que dava para a área traseira da casa abriu novamente e, dali saiu Harry, , , , Liam e Ashton, que havia trocado de roupa para que pudesse desfrutar da piscina.
Zayn perdeu alguns longos segundos observando . A mesma conversava com Luke, vocalista da banda australiana, e ambos gargalhavam de alguma coisa que o rapaz falava, enquanto apontavam para a piscina, vendo a brincadeira infantil de Louis, Harry e Liam.
- Para de babar, Malik. – Niall comenta, passando o dedo indicador no canto dos lábios do amigo, que apenas rolou os olhos. – Você tem a Perrie, esqueceu?
Obviamente que ele não havia esquecido, afinal, ela era sua noiva e ele a amava. Mas estava diferente naquele dia. O fato de estar com um biquíni que a deixava mais a vontade, e, mesmo que estivesse noivo – e muito bem em seu relacionamento, obrigado –, Zayn não deixara de notar a vocalista da girlband, que era bonita por completo. A maneira como sorria e mordia o lábio inferior era divertida.
Antes que pudesse falar algo, sentiu seu corpo ser arremessado na piscina, e, quando voltou à superfície, percebeu que se tratava de Mike, guitarrista da banda australiana, que gargalhava da cara de assustado que o britânico fazia.
- Você vai pagar por isso, Mike! – Zayn exclama num falso tom de ameaça, fazendo o guitarrista gargalhar ainda mais.
- Era só pra você parar de babar. – Michael brinca num tom baixo, falando somente para o cantor, que arregalou os olhos. – O Luke viu primeiro.
Zayn rolou os olhos e jogou água no australiano, que começou a nadar para longe, deixando Malik com uma interrogação no meio da testa e com uma pulga atrás da orelha. Ele estava realmente babando pela ?
- Solzinho, eu sei que você não pode entrar na água se não irá apagar, mas você não vem me fazer companhia? – Harry indaga, apoiando os braços na borda da piscina, olhando para , que apenas rolou os olhos.
- Você tem seus amigos aí. – ela fala, vendo um sorriso surgir no rosto do cacheado. – Você não tá pensando nisso, está?
E ele sorriu, saindo da piscina e começando a correr em volta da baterista, que gritava, implorando que ele não fizesse aquilo.
- Se você me jogar lá, eu juro que na turnê eu corto seu pau! – ela exclama assim que para de correr, vendo Styles parar também.
- Nem vai querer fazer um filhinho antes? – ele indaga, vendo a loira bufar. – Eu não tenho medo de você, solzinho.
E ele a puxou pela cintura, correndo com ela em seus braços até a piscina, onde se atirou com a mesma se debatendo.
- Harry, você é um idiota! – ela exclama, jogando água no rosto do cacheado, que apenas gargalhou. O rosto de ficou ainda mais vermelho de raiva, como se fosse possível, e ele continuou a rir da carranca no rosto da baterista. – Já que eu estou aqui, eu quero fazer briga de galo.
- Quantos anos você tem? – Liam indaga, vendo a loira erguer o dedo do meio em sua direção. – Não está mais aqui quem perguntou.
- Eu quero derrotar você. – fala, apontando para Harry, que arregalou os olhos. – Eu quero que você perca.
- Você sabe ser bem vingativa. – Louis fala. – Vem comigo, .
- Tira par ou ímpar para ver quem fica por cima. – fala assim que Liam e Harry se aproximam dela.
Eles decidiram e Harry ficaria por cima por duas rodadas, enquanto e Zayn seriam os juízes.
- Louis ficou com a melhor parte! – Harry exclama em voz alta, vendo levantar o dedo mediano. – Assim não vale!
- Cala a sua boca, Harry. – Liam fala, levando alguns segundos para que conseguisse ficar de pé e se equilibrar, já que o cacheado não favorecia em nada para aquilo.
A primeira rodada começou assim que assobiou. segurava os braços de Harry, empurrando-o para trás, enquanto Louis e Liam tentavam se equilibrar no chão. Infelizmente, Payne acabou escorregando no piso da piscina e caiu com tudo, fazendo a dupla adversária comemorar.
- Sorte de principiante! – Harry grita, vendo Louis imitá-lo dramaticamente, ocasionando uma gargalhada em .
- Você que é ruim demais. – Louis responde, fingindo jogar o cabelo por cima dos ombros, ocasionando a risada escandalosa de .
Eles logo se montaram e Zayn deu início à segunda rodada, que começou com Harry apertando os ombros de , que gemeu de dor com o fato das unhas parcialmente grandes fincarem em sua pele.
Harry sorriu, mas, antes que pudesse dar sua cartada final, viu que a baterista usava um biquíni amarelo que ele julgou, por segundos, ser bastante bonito. Combinava demais com a garota.
Antes mesmo que ele pudesse fazer algo, foi derrubado pela loira, que tinha um sorriso vitorioso nos lábios, logo depois pulando na água, nadando até o cacheado, que ainda tentava se recuperar do tombo.
- Na próxima você terá mais sorte. – ela fala, sorrindo de lado em seguida. Harry aproximou-se rapidamente, ficando tão perto dela que poderia sentir sua respiração e o hálito de menta bater contra seu rosto.
Eles trocaram olhares intensamente, até que Harry desceu seus olhos para os lábios da garota, que pareciam tão convidativos para ele. Antes que pudesse perceber, havia mordido o lábio inferior, abrindo um sorriso logo depois.
estava na mesma. Os lábios rosados de Harry nunca pareceram tão tentadores para si, mas, naquele momento, ela sentia a necessidade de tocá-los, e não de uma maneira muito boa.
Antes que ele pudesse agir e acabar com aquela maldita distância, , infelizmente, afastou-se, ainda atônita com tudo aquilo, e esquecendo as provocações que diria para Styles, que ainda sorria ao ver a loira nadar para a borda, saindo da piscina em seguida.
- O que foi aquilo? – Louis indaga com a voz contida, apenas para que Harry pudesse ouvir.
Nem Harry saberia responder. Mas ele ainda sentia em todo seu corpo as reações daquele momento que, infelizmente, não partiu para algo maior.
pegou sua toalha na espreguiçadeira, fingindo que nada havia acontecido, e que deveria estar trancada em seu quarto, onde poderia ficar pelas horas que restavam daquele dia, até que todos fossem embora e ela pudesse seguir sua vida.
Como que ela sentiu aquilo? E por quê? Duas perguntas sem respostas. Ela adoraria saber o que havia passado dentro de si para tal. Seriam as cervejas que bebeu?
Ou seria o simples fato de que Harry estava bonito demais com aquele rosto molhado, com a bochecha corada do sol e o lábio rosado naturalmente, além dos olhos verdes esmeralda?
- Você está bem? – pergunta assim que vê a amiga abrir a porta para entrar em casa novamente.
A guitarrista viu toda a cena e ficou em alerta, preparada para separar, caso ocorresse alguma briga entre os dois. Mas nada aconteceu, e ela percebeu como ainda estava abalada com toda a proximidade do cacheado.
- Não fica assim . – comenta, seguindo-a para dentro de casa. – Aquilo não foi nada demais.
- Eu só quero ficar na minha. – a loira responde, bufando e subindo as escadas com pressa, trancando-se em seu quarto em seguida.
As horas se passaram. ainda estava no quarto, encarando o porta retrato que tinha uma foto dela e de Jake, abraçados, em frente a uma montanha-russa.
estava indo para a cozinha quando ouviu alguém fungar. Demorou a encontrar Louis, que estava sentado no chão da sala de estar, no canto, com o rosto vermelho de tanto chorar.
- O que aconteceu Lou? – indaga, agachando-se em frente ao mais velho, que escondeu o rosto com uma das mãos. – Por que você está aqui chorando e não está lá fora?
- Você me acha um lixo? – Louis indaga entre soluços, evitando olhar nos olhos da ruiva, que ainda o encarava com dúvida.
- Não, eu não te acho um lixo. – ela responde, apoiando uma das mãos no ombro do cantor. – Eu te acho legal demais. O que aconteceu?
E ele começou a desabafar, enquanto apoiava a cabeça no ombro da ruiva, que o ouvia atentamente, e, de vez em quando, acariciava seus cabelos. E, enquanto contava sobre a crise em seu relacionamento e sobre o fato de ser apaixonado por sua namorada, percebia que ele estava apenas bêbado, e que ele esqueceria aquilo mais que depressa.
- Você já foi atrás dela? – indaga, vendo Tomlinson levantar a cabeça. – Talvez ela queira isso, Lou. Nós mulheres gostamos disso.
- Você acha que eu devo ir atrás dela? – Louis indaga, limpando as lágrimas de seu rosto.
- Eu tenho certeza. – ela fala, abrindo um sorriso em seguida. O cantor também sorriu, olhando em seus olhos por alguns segundos, até soltar a seguinte frase:
- Se eu não estivesse namorando, eu adoraria ficar com você. – ele resmunga.
sentiu seu corpo estremecer. Ela sorriu e se levantou, fingindo não escutar uma só palavra, mas sentindo seu corpo em choque.
- Nós podemos tocar! – exclama para Luke, que assentiu com a cabeça. Eles estavam conversando desde cedo, até foram para a piscina, e Luke não conseguia desviar o olhar da nova-iorquina, encantado demais para dizer outra coisa. – Eu tenho uma música nova. vem tocar e cantar comigo!
E a guitarrista se aproximou.
- Aquela sua? – pergunta ao se aproximar da dupla, vendo a vocalista assentir com a cabeça e com um sorriso no rosto.

Get, get, get, in line and settle down (Entre na fila e sossegue)
Get in line and settle down (Entre na fila e sossegue)
What’s your twenty? Do you copy? (Qual é o seu ponto de vista? Você entende?)
Where’s your brain? Do you copy? (Onde está o seu cérebro? Você entende?)
Checking to check you out (Fazendo o check-in para ver você)
Concerned about your whereabouts (Preocupada com o seu paradeiro)
Coffee bag, you’re acting strange (Saco de café, você está agindo de modo estranho)
So tell me what is going on (Então, diga-me o que está acontecendo)
So heavy I bet (Então eu aposto alto)

observou a cantoria da janela, e decidiu descer as escadas rapidamente para poder participar daquele momento.
Quando chegou ao quintal, o olhar de Harry parou em si, junto da lembrança do que quase aconteceu horas atrás.

I’m fine, and nothing’s gonna knock this girl down (Estou bem, e nada vai derrubar esta garota)
I’m feeling positive for real, I’m all good no (Estou me sentindo otimista de verdade, está tudo bem)
I’m fine, and nothing’s gonna knock this girl down (Estou bem, e nada vai derrubar esta garota)
It’s gotten complicated that’s for sure (Isso ficou complicado, com certeza)
But you can see it in my eyes, you can read on my lips (Mas você pode ver nos meus olhos, pode ler nos meus lábios)
I’m trying to get a hold on this (Estou tentando controlar isso)
And I really mean it this time (E eu realmente tenho a intenção de fazer isso dessa vez)
And you know it’s such a trip (E você sabe que é uma viagem e tanto)
Don’t get me started (Não me faça começar)
I’m trying to get a hold on this (Estou tentando controlar isto)

Liam não desviava o olhar de . A voz da guitarrista era tão gostosa de ouvir que ele poderia ficar ali escutando por horas.

No big deal, I can handle it (Não há problema, posso dar conta disso)
It’ll bounce off me, I can handle it (Vai bater em mim e voltar, posso dar conta disso)
In or out, moved block before, doesn’t matter anymore (Para dentro ou fora, já me mudei antes, não importa mais)
Here we go again, are you insane? (Lá vamos nós, você está louco?)
We’re underneath the avalanche, so heavy again (Estamos sob a avalanche, tão pesada de novo)
I’m fine, and nothing’s gonna knock this girl down (Estou bem, e nada vai derrubar esta garota)
I’m feeling positive for real, I’m all good no (Estou me sentindo otimista de verdade, está tudo bem)
I’m fine, and nothing’s gonna knock this girl down (Estou bem, e nada vai derrubar esta garota)
It’s gotten complicated that’s for sure (Isso ficou complicado, com certeza)
But you can see it in my eyes, you can read on my lips (Mas você pode ver nos meus olhos, pode ler nos meus lábios)
I’m trying to get a hold on this (Estou tentando controlar isso)
And I really mean it this time (E eu realmente tenho a intenção de fazer isso dessa vez)
And you know it’s such a trip (E você sabe que é uma viagem e tanto)
Don’t get me started (Não me faça começar)
I’m trying to get a hold on this (Estou tentando controlar isto)

Os olhos de Zayn e se encontraram naquela parte e ele desviou rapidamente. Aquela morena mexia com seus sentidos e, embora tivesse uma noiva, não conseguia mais disfarçar. Malik olhou para Mike, que apenas deu de ombros para o inglês, antes de retornar a prestar atenção no dueto.

Get, get, get in line and settle down (Entre na fila e sossegue)
Get in line and settle down (Entre na fila e sossegue)
I'm a rough and tough, I'm a rough and tough (Sou rude e durona, sou rude e durona)
And nothing's gonna knock this girl down (E nada vai derrubar essa garota)
I'm a rough and tough, I'm a rough and tough (Sou rude e durona, sou rude e durona)
And nothing's gonna knock this girl down (E nada vai derrubar essa garota)
I'm a rough and tough, I'm a rough and tough (Sou rude e durona, sou rude e durona)
And nothing's gonna knock this girl down (E nada vai derrubar essa garota)
I'm a rough and tough, I'm a rough and tough (Sou rude e durona, sou rude e durona)

Niall estava abraçado a , que apenas apoiou a cabeça no tronco do irlandês. Ela cantarolava baixinho, apenas Horan podia ouvir.
- Você canta bem. – ele murmura, beijando a testa da amiga, que apenas sorriu agradecida.

But you can see it in my eyes, you can read on my lips (Mas você pode ver nos meus olhos, pode ler nos meus lábios)
I’m trying to get a hold on this (Estou tentando controlar isso)
And I really mean it this time (E eu realmente tenho a intenção de fazer isso dessa vez)
And you know it’s such a trip (E você sabe que é uma viagem e tanto)
Don’t get me started (Não me faça começar)
I’m trying to get a hold on this (Estou tentando controlar isto)
Gotta get a hold on this (Estou tentando controlar isso)
Trying to get a hold on this (Estou tentando controlar isso)
Don’t get me started (Não me faça começar)
Gotta get a hold on this (Estou tentando controlar isso)
Get, get, get in line and settle down (Entre na fila e sossegue)
Get in line and settle down (Entre na fila e sossegue)
Get, get, get in line and settle down (Entre na fila e sossegue)
Get in line and settle down (Entre na fila e sossegue)
Get, get, get in line and settle down (Entre na fila e sossegue)
Get in line and settle down (Entre na fila e sossegue)
Get, get, get in line and settle down (Entre na fila e sossegue)
In line and settle down (Na fila e sossegue)

Quando a dupla parou de tocar, Zayn foi o primeiro a aplaudir, atraindo olhares confusos de Louis, Luke e, principalmente, de , que não entenderam aquilo.
- Você deveria ter cantado também. – Harry comenta perto de , que apenas olhou para o cacheado. – Sua voz é bonita.
- Obrigada Harold. – a baterista responde, afastando-se dele, mas logo sendo segurada por ele. – O que é?
Harry começou a gaguejar, olhando pra feição séria da loira. Ela arqueou a sobrancelha, cruzando os braços e encarando o cacheado. Foram longos segundos até que ele pudesse falar alguma coisa.
- Nada. – ele resmunga, vendo rolar os olhos e caminhar com passos fortes e firmes para o lado de dentro da casa.
- O que você fez? – indaga assim que para perto de Styles, que, ainda encarando a porta que havia entrado, assustou-se com a aproximação repentina da guitarrista.
- Eu não fiz nada. – Harry se defende, suspirando em seguida. – Ela é tão durona assim?
- Só um pouco. – ela responde resmungando, atraindo o olhar do homem. – Mas vocês podem se tornar amigos.
E logo se afastou, deixando Harry para trás com cara de tacho.
Ele ousava negar, mas ficava intrigado com . Admitir que ele estivesse afim era demais para ele, coitado, e, enquanto não tivesse total certeza do que sente, não irá admitir nem para si mesmo.
Harry a achava bonita e só. As poucas vezes que viu seu sorriso verdadeiro ele achou bonito. A careta que fazia e enrugando o nariz era fofo demais. Os olhos brilhantes eram lindos demais.
Sem contar na boca tão carnuda e rosada, apenas esperando para ser beijada.
O resto do dia passou tão rápido que só sentiram quando os meninos da banda australiana tiveram de ir embora. Louis cochilava no sofá ao lado de Niall, que conversava com seu irmão mais velho. Liam estava sentado no chão ao lado de Zayn, que também lutava contra o sono que sentia. Apenas Harry estava ocupado, longe dali, na cozinha, escrevendo as primeiras frases que vieram pra sua cabeça.
- That’s what they say. I know I’m not your only. resmunga as palavras, assustando o cacheado. – O que você está fazendo Harry?
- Eu estou escrevendo. – Harry comenta, escondendo o caderno em seguida.
- Isso eu percebi. – a nova-iorquina responde, rolando os olhos em seguida. – Isso é pro álbum novo da banda?
Ela era informada.
- Talvez. – Harry deduz e bufa em seguida. – Eu não tô muito inspirado no momento.
- Você vai achar sua inspiração! – exclama com um pequeno sorriso no rosto. Um sorriso que Harry não tardou muito a corresponder, vendo a vocalista da girlband sumir de seu campo de visão em segundos.
E Harry não sabia, mas sua inspiração estava ali mesmo, naquela casa. Encolhida em duas mantas e abraçada a , assistia um programa aleatório que passava na televisão, nem se dando o trabalho de prestar atenção.
Ela era a sua inspiração. Sua musa inspiradora. O motivo pelo qual ele iria compor uma canção, mais cedo ou mais tarde.
- Harry! – Niall exclama da sala de tevê, dispersando os pensamentos do cacheado. – Vem pra cá assistir algo com a gente.
Frustrado por saber que não conseguiria nada além daquela frase naquela noite, ele guardou seu caderno e sua caneta, caminhando para o outro cômodo e encontrando todos ali, deitados, iluminados apenas pela luz do aparelho de televisão.
Harry sentou numa distância segura de , que nem mesmo se deu o trabalho de olhar para o mais novo da boyband. As lembranças da piscina ainda estavam muito recentes em sua cabeça para definitivamente agir normalmente, como se nada tivesse acontecido.
Mas, ela queria agir assim. Fingir que nada aconteceu era melhor do que encarar a verdade.
E, bom, encarar a verdade, para eles, era mais difícil do que atingir a paz mundial.


Continua...

Nota da autora: Oi, gente. Eu sumi, mas eu ressurgi das cinzas como a Fênix. Estava passando por uns problemas pessoais (bem pesados, na verdade, e que não deve ser lembrado) e um bloqueio legal demais para escrever alguma coisa e enviar, apesar de já ter esse capítulo pronto há meses. Essa fanfic demanda muito trabalho e tempo, pesquisas e mais pesquisas e eu sempre quero passar a melhor coisa do mundo pra vocês. Agradeço a quem permaneceu comigo nesse tempo e eu vou tentar não atrasar muito as próximas atualizações (Mas não vou prometer nada).

Liam, você se faz de doido? Como que você fala pra Harris algo assim, sem mais nem menos? Styller dando sinal de vida, eu ouvi um amém? Sissy veio dar uma de cupido para esses dois e nem é meme! Louis bêbado é minha religião, e a Cooper ajudando numa crise dessas sou eu com minhas amigas. Vocês também têm amigas que ficam sentimentais quando bebem demais? Zayn já tá ficando biruta pela nossa vocalista. Eu amo? Será que vem aí? Niall e Liv os dois únicos poços de sensatez nessa grande família e eu falo isso com tranquilidade. Doida pra eles começarem a perceber que se gostam. Espero que tenham gostado!!! 🥰🥰😘❤



Qualquer erro no layout dessa fanfic, notifique-me somente por e-mail.


comments powered by Disqus