Contador:

Última atualização: 31/03/2021

Capítulo 1 - Midnight Memories


“You and me and all our friends
I don't care how much we spend
Baby, this is what the night is for”

A volta às aulas no internato Lawrence Charterhouse Academy era sempre movimentada após as luxuosas férias de verão de seus alunos, mas após as novidades na estrutura da escola, todos estavam ainda mais ansiosos.
O local existia há décadas e lembrava um enorme castelo, feito por tijolos de dentro para fora. Sua estrutura contava com salas e laboratórios equipados com o melhor que o dinheiro podia garantir e suas bibliotecas com exemplares originais de livros de conhecimentos gerais do mundo inteiro.
As áreas externas e internas de lazer do internato possuía piscinas climatizadas, campo de golfe, um bosque usado para fins educativos e diversas salas, como de cinema, jogos, estudos e descanso.
As quadras poliesportivas — onde ocorriam os campeonatos mais importantes da vida acadêmica dos alunos —, contavam com novos equipamentos para diversos esportes como futebol, tênis, vôlei e basquete. Também foram inauguradas novas áreas para esgrima e natação, sendo assim parte das novidades deste ano.
Um pequeno caminho de pedras ligava a escola até dois prédios vizinhos, onde ficavam os dormitórios dos garotos e garotas. As suítes tinham um estilo rústico como todo o resto, porém, os alunos eram livres para adicionarem móveis e decorá-las de acordo com seus gostos. Os quartos eram triplos ou duplos, detalhe que era decidido no momento da matrícula de acordo com a disponibilidade. Eles eram mobiliados com duas ou três camas de casal, armários e escrivaninha individual. Tudo para o conforto de seus alunos.
Em meio ao caos da volta às aulas, com todos voltando de diferentes lugares com suas malas e materiais, prontos para mais um ano cheio de expectativas, e andavam a caminho da secretaria, atraindo os olhares de todos ao redor — algo que já estavam totalmente acostumadas pela popularidade que adquiriram ao longo dos anos.

POV.

Assim que desci do carro, olhei brevemente o grande prédio em minha frente. Admito que havia sentido falta da escola. Avistei minha melhor amiga fazendo o mesmo que eu no carro de trás e logo me aproximei.
sorriu assim que me viu, me dando um abraço. Passamos parte das férias juntas, mas acabamos nos separando no final. Enquanto conversávamos sobre as novidades, íamos em direção à secretaria. Paramos na fila (que por sinal era enorme) para pegar nossos horários, quando ouvimos a voz de . Ela e estavam andando em nossa direção, conversando.
— Oi, meninas! — disse, as chamando.
! ! Como estão? — veio até nós, animada.
— Estamos bem e vocês? — respondeu.
— Depois de um longo descanso, bem. Podemos aproveitar e já ficar na fila com vocês? — questionou.
— Pensei que já tivessem pegado o horário de vocês. — disse me referindo ao lugar de onde vieram. — Mas claro, podem ficar.
— Nós estávamos em uma reunião com a Diretora Jones, entrou uma garota nova e ela precisava de um quarto.
— E vocês aceitaram isso de boa? — questionou, incrédula.
— Sim, amiga. Somos pessoas legais, você devia tentar. — comentou, rindo.
— Quem sabe ano que vem ela aprende. — disse, dando um leve empurrão em seu ombro, enquanto apenas revirava os olhos.
— Se estiverem com tempo sobrando, podem passar lá depois para nos ajudar na decoração do novo quarto. — disse e logo concordou, resmungando que ficaria bem mais fácil.
— Passamos sim! Falando nisso, ficaram em qual quarto? — perguntou.
— No 310, mudamos de andar. — respondeu, suspirando.
— Não acredito que não seremos mais vizinhas. — disse, triste. Os prédios dos dormitórios são separados por andares, os primeiros são quartos para três e os últimos para duas pessoas. No total, cada prédio tem seis andares.
Ano passado e eram nossas vizinhas, então além de estarem no mesmo andar, nossa porta era na frente da delas.
— Pelo menos não ficamos longe demais, foi só um andar. — tentou nos consolar.
Não demoramos para chegar na mesa do coordenador e pegar nossos horários. Infelizmente esse ano, diferente do outro, nossos horários são totalmente diferentes. Tirando e , que estavam iguais.
— O que nos resta é bater com o horário dos meninos para ver se ninguém ficou sozinho. — disse.
— Bom, eu e ficamos juntas. — disse, enquanto segurava a agenda de horários de todas na mão e comparava.
— Pelo menos todos batem na educação física. — nos lembrou, rindo.
— Era o mínimo, né. — respondi.
— Acho melhor já irmos para o auditório para garantir nossos lugares na hora do pronunciamento da diretora — comentou após olhar o horário em seu celular.
Concordamos e começamos a andar em direção ao auditório principal. Ao entrarmos, vi que o lugar já estava cheio, várias pessoas conversavam animadamente com seus amigos enquanto a diretora aparecia.
Os professores também entraram e foram para os lugares reservados na primeira fileira, mostrando que o pronunciamento começaria a qualquer momento. A Sra. Jones subiu no palco e, após fecharem as portas, ela começou a falar.
— Sejam todos bem-vindos. Sou a Diretora Jones e vou lhes apresentar as regras da nossa instituição, os veteranos já as conhecem, mas acho importante frisá-las! O café da manhã começa às seis da manhã e termina às oito e meia. O início das aulas se dará às nove horas, salientando que de uma aula para outra podem ocorrer pequenos intervalos de, no máximo, 10 minutos para que mudem de sala, peguem o material necessário e etc. As aulas terminam meio dia e vinte e logo seguimos com o almoço, que se inicia meio dia e meio e se estende até às três. — explicou. — Durante a tarde, começam as atividades extracurriculares. Isso inclui esportes como futebol, basquete, vôlei, natação e tênis, teatro, os diversos clubes e os treinos da equipe de líderes de torcida. Devo lembrar que é obrigatório fazer, no mínimo, uma atividade extracurricular para receber créditos para a faculdade, ou seja, quanto mais atividades forem feitas, melhor. Vale ressaltar que para se estabelecerem nas atividades extracurriculares vocês devem manter uma média de oitenta por cento de aproveitamento do conteúdo. A partir da finalização das atividades, vocês ficam com o resto do dia livres para o lazer.
Ficamos meio tensas. A verdade é que isso era algo normal quando falavam sobre notas, a Lawrence é rígida o suficiente para assustar até mesmo o melhor.
— É estritamente proibida a entrada de garotas no dormitório dos garotos e vice-versa a partir das onze da noite. Também devo pontuar que bebidas, cigarros e drogas são terminantemente proibidos neste campus. — haviam vários avisos ao longo da escola, mas ela insistia em lembrar sempre que possível. — Como alguns já sabem, tivemos problemas com a turma do ano passado e espero a colaboração de todos para que não aconteça novamente. O toque de recolher é às onze e meia da noite e, após isso, quem estiver fora do dormitório leva uma advertência e uma semana de detenção. Claro que dependendo da regra quebrada, tomamos medidas diferentes. Os fins de semana são livres, com a saída opcional às oito da manhã de sábado e a volta na segunda no mesmo horário. Agora todos estão liberados, agradeço a atenção de todos e espero que esse ano seja excelente!
Esperamos um pouco para sair do auditório, já que haviam muitas pessoas. Foi então que o coordenador O’Brien nos viu sentadas e acenou, se aproximando com uma garota ao seu lado.
— Meninas, bom dia! Essa aqui é a , a nova colega de quarto de vocês. — ele nos cumprimentou, direcionando a palavra diretamente para e .
A menina acenou, timidamente. Ela tinha longos cabelos escuros, que contrastavam com sua pele clara. Seus olhos pretos puxados ficavam ainda menores quando ela sorria. Era uma menina bonita e parecia ser legal, pelo menos esperava que fosse.
— Oi, é um prazer! — sorriu, cumprimentando a garota. — Eu sou a e essa é a !
— É um prazer, , mas pode me chamar de !
— Bom, vou deixar vocês se conhecendo, pois tenho muito o que fazer. — Sr. O’Brien disse, enquanto se dirigia à porta, apressado.
— Bom, estávamos indo encontrar nossos amigos, se quiser nos acompanhar. Depois podemos fazer um tour com você pela escola! — ofereceu, enquanto nos levantávamos.
— Por mim tudo bem! — sorriu e nos seguiu até um carvalho enorme, onde normalmente passávamos a maior parte do tempo livre. — Meu Deus… — ela comentou, olhando para a imensa árvore em sua frente.
— Grande, né? Está aqui há 150 anos, eu diria que é mais velha do que a Diretora Jones… — Louis olhava para a árvore sério, quem o visse de longe nunca imaginaria que ele estava contando alguma piada. Era um bobo mesmo.
— Prazer, eu sou o Liam. — ele esticou a mão para cumprimentar , que logo retribuiu o gesto. — E esse é o Louis, acredite, vai gostar mais dele calado.
Todos demos risada, exceto Louis, que resmungou algo inaudível.
— Eu sou a , mas podem me chamar de , sou a nova colega de quarto da e da . — ela se apresentou, sorrindo. Em seguida, Niall, Harry e Zayn também se apresentaram.
— Sorte sua. Pelo menos não ficou com a , só a aguenta ela. — Harry comentou, fazendo minha amiga revirar os olhos. A verdade é que desde pequenos, eles nunca se deram realmente bem. Sempre tentam atingir um ao outro com comentários. Apesar disso, andam juntos por nossa causa.
, se fosse você, não ouviria uma pessoa que só toma banho de sábado… — retrucou, nos fazendo rir. Essa foi a vez de Styles revirar os olhos.
— Como pode perceber, o clima no nosso grupinho é de harmonia e redenção. — Liam disse, sorrindo.
— Eu percebi! — respondeu, ainda rindo. Parece que ela gostou de todos aqui.
Nem consigo imaginar como é entrar em uma escola nova no terceiro ano, onde todos já se conhecem. Deve ser um horror! Sorte dela que é colega de quarto das meninas e nos conheceu.
— Bom, agora vamos levar a para conhecer o nosso dormitório e depois para fazer um tour pela escola. — disse, abraçando pelos ombros, mandando um beijinho no ar e dando meia volta, andando em direção aos prédios dos dormitórios. acenou com a mão e logo foi atrás das meninas.

Zayn POV.

— A festa de hoje vai rolar? — Harry perguntou repentinamente. balançou a cabeça positivamente e, após abrir um sorriso, disse “por falar nisso…”.
Já sabia que teríamos trabalho. Era sempre assim.
— Então, as coisas estão na sala, só precisamos arrumar. — ela respondeu. — Como vocês são amigos maravilhosos, pensei que poderiam nos ajudar. — completou, ainda sorrindo. A questão aqui era quanto tempo os meninos resistiriam.
— A gente te ajuda! — Niall respondeu. É claro. Espera aí, quê?
— “A gente”? — perguntei.
— Sim, Zayn. A gente. — Niall respondeu dando ênfase.
— Qual é, você sabe que não temos outra opção. — Liam disse, me olhando e eu apenas concordei com a cabeça. logo deu um gritinho, nos abraçando.
— Vocês são ótimos, meninos. Obrigada.
Todo começo de ano, uma turma ficava responsável por fazer a festa de boas-vindas, e essa é a nossa vez. Como e estavam acostumadas a organizar festas — já que ajudaram praticamente todas no ano passado —, decidiram fazer essa. A questão é que ela era totalmente clandestina, então toda a decoração, bebidas e iluminação, precisavam ser levadas com o maior cuidado para o local das festas.
— Então vamos? — questionou e, após concordarmos, começamos a andar em direção a sala, que era um pouco afastada do prédio das aulas, logo ao lado do lago rente à floresta.
A antiga sala de música foi abandonada há anos e como seus instrumentos foram transferidos para a sala atual, ela estava mais para um galpão com isolamento sonoro, sendo esse um dos principais motivos para as festas ocorrerem ali, em segredo.
Após horas de trabalho, terminamos a decoração. Ela estava irreconhecível, a parede do fundo foi completamente preenchida por luzes de decoração, assim como o bar que estava à sua direita. Também colocamos sofás nas laterais do galpão, deixando o centro livre para quem se sentisse confiante o bastante para dançar.
— Ficou perfeito! — comentou, analisando a sala.
— Nunca pensei que diria isso, mas fizeram um bom trabalho. — também elogiou. Do seu jeitinho, claro.
Foi então que nossos celulares apitaram ao mesmo tempo, indicando a nova mensagem. Nos entreolhamos, já imaginando o que viria nos próximos segundos.

“Olá alunos do Lawrence, vocês também estavam ansiosos para a volta às aulas? Porque eu estava!
Depois de vários drinks no Caribe, festas badaladas em Ibiza e algumas manhãs maravilhosas no Le Meurice em Paris, soube que nosso Curly Boy Harry Styles esteve aproveitando o verão para visitar sua família e conhecer algumas francesas. Não se engane, enxerguei você da minha sacada, Styles.
É isso mesmo, estamos de volta e, esse ano, voltamos para abalar! Os novos devem estar se perguntando quem sou eu. Eu sou uma pessoa, qualquer pessoa, eu sou todos vocês, afinal, esse ano vocês serão meus olhos e ouvidos, exijo as fofocas mais quentes, as notícias mais comprometedoras e as fotos mais exclusivas! Até porque não existem fofocas sem provas. E não poderia começar de uma maneira mais especial, vejo vocês hoje à noite na antiga sala de música, soube que os ruídos não saem, mas com certeza, aqui no Lawrence, todas as paredes têm ouvidos!
Como se diz na França, au revoir l'été

XOXO
You”

— As férias mal acabaram e a You já está atacando novamente. — Liam comentou, nos fazendo concordar.
Enquanto isso, andávamos em direção aos prédios dos dormitórios, parando em frente à entrada do das meninas.
— Que injustiça! Por que ela só falou do Harry? — Louis reclamou, apoiando as mãos em cada lado do corpo e batendo o pé esquerdo no chão. Parecia um velho.
— Porque eu sou a pessoa mais importante dessa escola. — Harry respondeu, mexendo no cabelo.
— Ainda bem que seu ego é grande, Styles, porque a inteligência é mínima. — , como sempre, tinha uma resposta na ponta da língua.
As meninas entraram e então fomos para o nosso nos arrumar. A festa começaria em pouco tempo e precisaríamos chegar antes.

**

— Já é meia noite, Zayn. — Louis comentou, me apressando. Ele e Harry ficaram prontos minutos atrás e agora vinham me atrapalhar. Ridículo.
— Eu queria ter ido mais cedo, preciso analisar as garotas novas que tem no pedaço! — Harry disse, se jogando na cama.
— Eu já vou, galera. Tenho que ficar bonito, quer dizer, mais bonito ainda. — disse, escutando as risadas de Louis e Harry do quarto. Dei mais uma penteada em meu cabelo e me virei para os dois garotos entediados. — Pronto. Felizes? Podemos ir agora!

**

POV’s

e bateram na porta do nosso quarto meia noite em ponto. Assim que abri, percebi o quão lindas elas estavam.
— Vamos? — questionou, olhando por cima do meu ombro, tentando ver se e já estavam prontas. Elas estavam terminando de retocar o rímel, mas assim que viram as meninas, se aproximaram.
— Vamos! — respondi.
Logo fomos em direção ao local da festa. Era um pouco afastado de onde estávamos, mas não demorou para chegarmos. O lugar estava lotado, várias pessoas já bebiam e algumas dançavam. Reparei na decoração, que estava linda e, após elogiar, descobri que as meninas haviam planejado tudo!
— Nossa, todo mundo está aqui. — disse, olhando ao redor. A música estava alta e a pouca iluminação dava um clima ótimo de festa.
Não imaginei nem por um segundo que, no primeiro dia de aula, faria amizade e seria convidada para uma festa! Isso era incrível…
— Você ainda não viu nada amiga, as festas de fim de semana são ainda melhores! — disse, sorrindo.
— Não tinha isso na minha outra escola. — comentei, pegando o shot que me entregava.
— Então aproveita. — respondeu e, após brindarmos, viramos a bebida, , e também tomaram. Logo elas me puxaram para o meio de toda aquela bagunça.
— Meninas! Finalmente encontrei vocês, viram o Zayn por aí? Quando o perdi ele já estava bêbado. Nem imagino como deve estar agora à solta… — Liam se aproximou, perguntando. As meninas balançaram a cabeça, negando. Ele pareceu um pouco preocupado, então achei que precisava de ajuda.
— Olha, eu não o vi. Se quiser, posso te ajudar a procurar. — ofereci, vendo Liam abrir um sorriso agradecido.
— Se puder, seria ótimo! Só para te lembrar, ele é o de topete. — avisou, me fazendo rir de sua mímica de topete.
— Eu sei quem ele é! Sou boa com nomes. — respondi e comecei a acompanhar Liam pela sala. — Como vai ser, vamos nos dividir? Ou procuramos juntos?
— Melhor irmos juntos, ou é capaz de eu te perder também! — Liam disse, rindo. — Mas e aí, por que se mudou para cá? — perguntou. Falei com várias pessoas e ele foi a primeira a me questionar sobre isso.
— Por causa do trabalho da minha mãe. Nos acostumamos a nos mudar com frequência. — expliquei.
— Nossa, que chato, eu nem imagino como possa ser, moro aqui e convivo com as mesmas pessoas desde que me entendo por gente.
— Já eu não tenho muitos amigos, é difícil porque quando estou criando mais intimidade com as pessoas, nós precisamos nos mudar novamente. Espero que dessa vez dê certo, afinal, a matriz da empresa da minha mãe é aqui, então não acho que iremos nos mudar mais, finalmente.
— Também espero que não se mude mais, gostei de você. — ele respondeu e eu sorri, extremamente feliz com aquele comentário.
Depois de mais alguns segundos, Liam parou e olhou para uma pessoa parada no canto, conversando com, pelo menos, umas três garotas e mais um garoto.
— Olha, o Harry! Ele pode ter visto o Zayn… — foi então que eu reconheci o garoto.
— Boa ideia, vamos perguntar! — respondi e caminhamos em sua direção. Assim que nos aproximamos o suficiente, Liam o cutucou no ombro, o fazendo virar.
— Liam, ! — ele disse, sorridente. — O que estão fazendo juntos?
— Estamos procurando o Zayn. Aparentemente ele está bêbado e se perdeu de Liam. — expliquei, o fazendo concordar com a cabeça, mostrando que havia compreendido. — Você o viu?
— Olha, eu o vi há uns 10 minutos indo para as arquibancadas com a Juliette. Bom, eu tenho quase certeza que era ela, não estou em minha melhor forma, sabem como é. — Harry respondeu pensativo, apoiando sua mão no queixo.
— Não custa nada ir lá olhar, né. — Liam deu de ombros. — Só espero não ter que presenciar nenhuma cena imprópria. Isso, com certeza, me traumatizaria.
— É, eu tomaria cuidado se fosse vocês. — o cacheado comentou novamente, dando uma risadinha.
— Vamos tomar. — ri. — Obrigada, Harry! — agradeci, sorrindo. Após acenar, nos afastamos. Dessa vez nosso caminho nos levava à área externa.
— Já adianto minhas desculpas se acontecer de vermos algo. — Liam voltou a falar quando chegamos perto das arquibancadas, me fazendo rir. Ele era um fofo por se preocupar com algo assim.
— Tudo bem, já me preparei psicologicamente. — chegando por trás das arquibancadas, vimos uma pessoa sentada. Como estava escuro não conseguimos reconhecer, mas assim que nos aproximamos o suficiente, percebemos que era Zayn. Ele estava sentado, claramente passando mal.
— Cara, o que você tá fazendo sentado aí? — Liam perguntou, esticando a mão para ajudá-lo a levantar.
— Acho que eu bebi muito mais do que devia. — Zayn respondeu e pude ver Liam fazendo uma careta de quem provavelmente avisou sobre isso.
, pode me ajudar a levá-lo para o dormitório? — Liam me olhou, enquanto Zayn colocava a mão no estômago. Só torcia para que ele não vomitasse em mim no caminho.
— Claro! — passei o braço de Zayn ao redor do meu pescoço e ajudei Liam a levantá-lo. O caminho foi um pouco difícil, já que ele era pesado demais para mim. De qualquer forma, conseguimos chegar no quarto deles, finalmente.
Liam comentou que aquele era o quarto de Zayn, Louis e Harry. Que o dele e de Niall era o do lado. O cômodo era bem parecido com o nosso, a única diferença é que tinha decorações sobre futebol. E era um pouco bagunçado.
Levamos Zayn diretamente para o banheiro, ele praticamente abraçou a privada e, antes de ver qualquer coisa, saí do banheiro ao lado de Liam.
— Muito obrigado pela ajuda, . Mesmo. Eu vou ficar para ajudar o Zayn, mas pode voltar e aproveitar sua primeira festa. Você merece.
— Ok, se precisar de algo, é só gritar. — disse e logo saí do dormitório.
Assim que desci as escadas, já quase saindo do prédio, me esbarrei com alguém que olhava o celular e não prestava atenção no caminho.
— Senhorita Smith? O que está fazendo no prédio masculino a essa hora? E vestida dessa maneira? — Sr. Robert, monitor do prédio dos meninos, me olhou de cima a baixo, questionando de maneira rigorosa.
Ele vestia seu pijama e suas pantufas, e mesmo assim fiquei apavorada. A diretora deixou bem claro que não poderíamos entrar no dormitório dos meninos após um certo horário.
— Eu… eu estava… estou voltando para a festa. — confesso que me embolei um pouco na hora, claro que por causa do susto. Ele ficou em silêncio por alguns segundos e me perguntei se ele havia entendido.
— Festa? — ele calmamente ajeitou seus óculos, me olhando com mais atenção. — Que festa?
— A festa na antiga sala de música. — respondi simplesmente. Foi então que, como se alguém tivesse me socado, eu percebi o que tinha feito. O Sr. Robert simplesmente se virou, parecendo estar nervoso, e andou em direção ao local mencionado.
Merda. Merda. Merda. Se as pessoas descobrirem que eu contei, vou ser odiada o resto da minha vida, justo na escola em que eu possivelmente vou ficar até o fim da escolaridade. Preciso dar um jeito nisso.
— Não, não foi isso que quis dizer… — fui correndo atrás dele. — É uma brincadeira que fizeram comigo, a novata… sabe? — soltei uma risada forçada.
Infelizmente ele apenas continuou andando, me ignorando completamente. Nós já estávamos chegando na sala da festa e os poucos alunos que estavam do lado de fora, fumando ou conversando, já corriam em direção aos dormitórios. Foi então que eu parei, há alguns passos atrás do Sr. Robert, que já abria a porta.
— O que está acontecendo aqui? — ele gritou de uma maneira que todos puderam ouvir. No mesmo segundo todos pararam o que estavam fazendo e o olharam, pasmos.
Após alguns segundos de silêncio absoluto — já que até a música haviam desligado —, os meninos tomaram uma iniciativa.
— Sr. Robert! — Harry foi em direção a ele e apoiou um dos braços em seu ombro. — Veio participar da festa?
— Sr. Styles, o senhor está bêbado? — questionou, incrédulo.
— Só um pouquinho. — fez um sinal com a mão enquanto falava. Fui me aproximando cada vez mais para ouvir. Seria cômico se não fosse trágico.
— Harry, saí daí. Eu cuido disso. — dessa vez foi Niall que o empurrou para longe. — Sr. Robert, veja bem… — ele começou a falar enquanto o levava para fora da sala. — Isso nunca aconteceu antes, foi a primeira vez e claramente deu errado. Só queríamos comemorar a volta às aulas com o pessoal novo. Mas eu prometo que isso não irá mais se repetir. Eu e meus amigos iremos limpar tudo, vai parecer que nunca houve festa nenhuma, e amanhã podemos fingir que nada aconteceu.
— Sr. Horan, eu vou deixar essa passar porque eu gosto muito do senhor e sei que é um bom menino. Pode ficar aqui limpando tudo com os seus amigos enquanto os outros vão para o quarto, mas já adianto, amanhã cedo passarei aqui para ver, e se não estiver exatamente do jeito que estava antes da festa, o senhor terá problemas.
— Eu juro que estará ainda mais limpo!
E então o Sr. Robert se virou para os alunos de dentro da sala novamente e gritou.
— Todos para os quartos. Agora! — e então todo mundo saiu correndo, menos , , , , Harry, Louis e eu.

Niall POV.

Após a antiga sala de música ficar vazia, entrei novamente e fechei a porta. Ao me virar em direção aos meus sete amigos, vi de braços cruzados, me olhando séria.
— É sério que vamos ter que limpar tudo isso? — reclamou, indicando a bagunça que estava ao redor.
— Você preferia ir para a detenção, ? — questionei, e ela me respondeu com uma careta. — Sem falar que podemos ficar aqui até a hora que quisermos, bebendo.
— Nossa, vai ser um sacrifício terminar com essas bebidas, hein… — disse com ironia, rindo, afinal elas nem aproveitaram a festa, logo que chegaram a merda aconteceu.
— Verdade, vendo por esse lado, até que vale a pena. — ponderou, melhorando a expressão.
— Então vamos limpar tudo e depois ficamos só por conta de beber e conversar. — deu a ideia e todos concordaram.
Poucos segundos depois o Sr. Robert apareceu novamente, nos dando um susto. Ele carregava baldes, panos e alguns produtos de limpeza.
— Trouxe para vocês limparem. — ele disse, nos entregando os objetos. — Assim que terminarem, todos vão para a cama. Entendido?
— Pode deixar, Sr. Robert. E muito obrigado. — agradeci e ele deu meia volta, andando em direção ao prédio dos dormitórios.
Logo nos dividimos e começamos a recolher os lixos, enquanto outros limpavam o chão. Tiramos toda a decoração e a guardamos em caixas, deixamos apenas algumas luzes para tirarmos depois. Demoramos um pouco, mas como estávamos em oito, foi bem mais fácil.
— Pronto. Agora que terminamos, o que vamos fazer enquanto acabamos com essas bebidas? — questionou, encarando as várias garrafas em nossa frente.
— Podemos jogar eu nunca, até para conhecermos a melhor, e ela entender nosso patamar de loucura. — Louis deu a ideia e todos aprovaram, já pegando copos de shot e se sentando em roda para começarmos.
— Beleza, eu começo. Eu nunca transei com alguém do nosso grupo. — Harry começou, olhando com um sorrisinho de lado para mim e para . Filho da mãe.
— Nunca? — o questionou, incrédula, afinal, a fama de Harry dava margem para muitas coisas.
— Nunquinha. — Harry respondeu, rindo, enquanto , e eu bebíamos um shot cada. Não era surpresa para ninguém o lance entre eu e , mas ao vermos bebendo, arregalamos os olhos, totalmente surpresos.
— Com quem você transou, ? — perguntou, perplexa.
— Com o Zayn, foi logo que nos conhecemos, mas depois que nos aproximamos não rolou mais. — ela explicou, como se não fosse nada demais. Era óbvio que todos nós ainda estávamos meio em choque, já que nunca imaginávamos que isso poderia rolar.
— Eu nunca disse “eu te amo” só para transar com alguém. — foi minha vez de falar e, como chumbo trocado não dói, fiz essa diretamente para Harry.
— Só eu? Sério? Nossa, vocês não sabem o que é viver. — ele resmungou, enquanto tomava a dose.
— Querido, diferente de você, não precisamos implorar para transarem com a gente. — rebateu e Harry a respondeu mostrando o dedo do meio.
— Muito engraçadinha você há, há.
— Eu nunca usei uma fantasia ousada. — disse e bebem ela, , , e .
— E vocês usaram qual, garotas? — Harry perguntou, olhando maliciosamente para as meninas. Como eu já esperava, não houve nenhuma resposta por parte delas.
— A da sua mãe. — apenas de , que não perderia essa oportunidade por nada.
— Tudo bem, … Já vi que vou ter que descobrir por conta própria. — Harry disse e revirou os olhos.
— Eu nunca enviei nudes para a pessoa errada — disse e , Louis e Harry beberam.
— Quero a história para ontem. — disse, rindo.
— Bom, eu fui enviar para o Niall e acabou que eu enviei para o Noah que na época era do último ano, foi horrível olhar para a cara dele depois de explicar o ocorrido, já que ele pensou que eu enviei por interesse... pelo menos ele não compartilhou com mais ninguém. — explicou e eu ri, lembrando desse dia. Foi tenso, admito.
— Bom, eu fui mandar para uma menina que eu estava conversando e acabou que eu enviei para uma pessoa totalmente aleatória, era um número antigo do Louis no meu celular. Enfim, a mulher me respondeu e acabou que eu me dei bem. — Harry contou, nos fazendo revirar os olhos, os fins das histórias dele eram sempre assim.
— Bom… meu caso é o pior pelo visto. Eu fui enviar para a Liz do 2° ano e acabou que eu enviei para minha mãe. Foi uma merda até explicar que não era meu. De qualquer forma, ela não acreditou, apenas mandou “Louis, não tente enganar sua mãe, eu sei que é você”.
Minha barriga doía de tanto rir, todos estavam gargalhando. Louis era sempre sortudo com as coisas.
— Ai, meu Deus, que horror. — falou, secando uma lágrima.
— Eu nunca fumei maconha. — Louis disse em sua vez e todos, menos a , pegaram o copo de shot e brindaram antes de beber. Todas as vezes que fumamos, estávamos juntos. — Você nunca fumou? Pode deixar que eu cuido disso.
— Eu nunca entrei em coma alcoólico. — disse e e Louis beberam, após nós rirmos da pergunta.
essa história é incrível! , conta para ela. — comentou animada, batendo palmas.
— Então, nós estávamos em uma festa fazendo competição de quem bebe mais tequila e na final estávamos Lou e eu. Acontece que já estávamos muito bêbados, então depois eu só lembro de despertar no hospital. Quando acordei eu olhei para o lado e Lou também estava lá e acordado, dizendo que tínhamos entrado em coma alcoólico, que deram uma injeção de glicose nele e que o médico ia aplicar uma em mim. Só que quando eu olhei o tamanho da agulha que estava na mesinha eu quase enfartei, saí correndo e pulei a janela. Por sorte a sala era no térreo.
— E eu fui atrás, não ia ficar lá sozinho, tá doido. — Louis completou, nos fazendo rir ainda mais.
— Então eu simplesmente recebi uma ligação dela falando que depois que ela viu o tamanho da agulha, pulou a janela, e que era para todo mundo encontrar eles lá fora. — continuei a história. — No fim voltamos para a festa e descobrimos que Louis ganhou a competição.
— Eu não acredito nisso! — gargalhava.
— Ok, agora é minha vez. Eu nunca me senti atraída por um professor — diz e e Harry beberam.
— Que o Harry se interessou por uma professora não é nenhuma novidade, mas a … — Louis comentou, surpreso.
— Na verdade foi tudo meio bizarro nessa história. — ela disse. — Lembram do Sr. Torrance? — e todos, menos , concordaram com a cabeça.
— Aquele que foi preso no ano passado? — perguntei.
— Ele mesmo. — ela afirmou. — Então, eu achava ele bonitinho, e só percebi que ele achava o mesmo de mim quando falou comigo sobre isso. Ele sempre me dava mais atenção, notas mais altas e tudo mais, só que eu nunca tive coragem de ficar com um homem tão mais velho assim, né. Bom, no fim vocês já sabem o que deu. Descobriram que ele ficava com alunas e o prenderam. No caso, eu não fui uma delas. — ela riu.
— Nossa, que sorte, amiga. — respondeu.
— Eu tenho uma ótima… Eu nunca precisei ir ao médico por ter um objeto estranho preso dentro do meu corpo. — disse, olhando diretamente para Harry, com um sorriso de canto.
— Harry… — o olhou com os olhos arregalados.
— Não sabia que gostava dessas coisas, querido. — Louis falou para ele, rindo.
— Primeiramente, eu te odeio. Segundamente, não é isso que vocês estão pensando! — ele tentou se defender.
— Sei… — eu disse, dando risada.
— Vou contar a história para vocês, eu estava sentado no bosque em um dia lindo e ensolarado, aproveitando a brisa da natureza e os sons dos pássaros, e decidi comer um chocolatinho. Mas foi aí que a tragédia começou… Naquela maldita árvore tinha uma colmeia e vieram umas cinco abelhas em cima do chocolate e eu, como um escoteiro super bem treinado, comecei a me debater.
— Ok, eu conto daqui. — o cortou, com um sorriso no rosto.
— Chata. — ele resmungou.
— Eu estava lá, toda linda correndo no bosque e de longe eu vi um idiota se debatendo e resmungando que foi picado por uma abelha e adivinhem, o idiota era o Styles. Eu fui até ele e, enquanto fazia minha boa ação do ano espremendo o ferrão do dedo dele, com a mão boa ele espantou a outra abelha e ela entrou no ouvido do imbecil. Coitadinha dela.
— Agora eu continuo… — Harry a interrompeu.
— Nem pensar, eu vou terminar de contar. Continuando… Ele começou a CHORAR.
— Eu não estava chorando, apenas reclamando. — Harry tentou explicar, mas o cortou novamente.
— Estava chorando sim. Bom, então eu fiz minha segunda boa ação, que foi levar a princesa até o carro e em seguida para o hospital. Moral da história, no atestado médico estava que ele teria que ficar em casa o resto do dia, pois tinha passado por um procedimento delicado de, prestem atenção, “retirada de corpo estranho localizado em uma das cavidades do paciente”.
Nessa altura da história, todos já estavam rolando no chão de tanto rir. Já haviam escorrido umas três lágrimas, e eu só conseguia imaginar cada cena dessas.
— E o mais impressionante, ele ficou, de acordo com o médico, tão relaxado durante o procedimento, que parecia que ele já havia feito várias vezes… nem precisou segurar a mão dele.
— Nossa, eu te odeio. E vocês não sabem o pior, ela ficava de 5 em 5 minutos perguntando para o médico “Doutor, mas a abelha vai sobreviver?”. — ele contou, indignado.
— É claro, gente. As abelhas são um dos animais mais inteligentes do mundo. Minha preocupação era se a coitada não teria perdido uns 40 pontos de Q.I só de entrar na orelha do Styles.
— Você é insuportável, Benoit.
Já estava ficando muito tarde, então resolvemos voltar para os quartos. Como não havíamos terminado as bebidas — e havia sobrado várias garrafas, guardamos o que sobrou nas caixas e cada um levou uma parte para os dormitórios.
Nos despedimos na porta dos prédios e então subimos. Encontramos Liam saindo do quarto dos meninos e, depois de contar o fiasco que foi a primeira festa do ano, perguntamos o que aconteceu. Ele explicou o PT do Zayn e que ficou cuidando dele a noite toda, mas que ele havia acabado de dormir.



Capítulo 2 - Personal

“Beautiful but she dangerous
She was only gonna break you”

“Acordem, Lawrenceanos! Estão prontos para as novidades? Porque eu estou.
Essa festa cumpriu com o prometido. Tivemos decoração feita por nossas queridas veteranas, as bebidas mais fortes e os melhores escândalos!
Foi só eu ou todo mundo reparou na aproximação entre o nosso querido Payne e a aluna nova? Fiquei sabendo que eles passaram quase a festa toda juntinhos.
Bom, mas agora vamos falar do nosso digníssimo bad boy, que foi visto indo para as arquibancadas com uma garota, mas voltou sendo carregado por Payne e sua nova colega. Difícil, viu...
E para fechar com chave de ouro, parece que um alecrim dourado dedurou a festa para o Sr. Robert. Não se engane, eu sei que foi você.
Para as pessoas que duvidaram de mim, eu vim para ficar! Espero que fiquem avisados. Quando disse que queria conteúdo exclusivo, quis dizer que agora eu sou seus olhos e ouvidos.
Fiquem ligados para mais fofocas.

XOXO
You”

A primeira festa se passou e a tão esperada terça-feira chegou, o dia das primeiras aulas.
O clima ameno e o céu limpo de Londres ajudaram a estabelecer a animação dos alunos da Lawrence Charterhouse Academy. Seria um dia cheio, com introduções às matérias que serão estudadas ao longo do ano e inscrições para as atividades extracurriculares que os ajudarão a enfrentar a faculdade.
Os meninos dos quartos 208 e 209 já pensavam na pós aula e em quantas pessoas teriam que analisar para completar o grande time de futebol do colégio — que foi criado e desenvolvido por eles, então, nada mais justo.
Aquele seria o ano dos campeonatos mais importantes e a preocupação de todos era visível, afinal, teriam que fazer jus a bela equipe de líderes de torcida que os davam força e animação para continuarem jogando e ganhando, equipe essa, comandada por Rose Leithwood e Amélie Benoit, consideradas as garotas mais bonitas e populares da Lawrence.
As melhores amigas estavam totalmente animadas com a volta dos treinos e já tinham estabelecido que esse ano não pegariam leve, a equipe não aceitava menos que a vitória em todos os campeonatos (os de futebol e, principalmente, os que concorriam contra outras equipes de torcida).
As garotas do 310, e , pensavam se esse ano finalmente achariam algum clube que não as fizessem sair no final do ano sem muita esperança para seus créditos da faculdade, todos os clubes que se inscreveram desde que entraram na escola foram uma grande decepção para as amigas. Já , mal começara na nova escola, mas sabia que entraria para algo mais calmo, como leitura ou algo relacionado aos estudos.
De qualquer forma, o dia se iniciou de uma forma inusitada no 310.

POV.

Estava sentada em minha cama esperando e ficarem prontas, quando recebi uma mensagem de texto. Quase engasguei ao ler o conteúdo. Alguém sabia sobre a noite de ontem e, para piorar, eu não fazia ideia de quem era, já que a pessoa se denominava “You”.
Merda.
— Meninas, qual é a dessa “You”? — perguntei, após arrumar a saia xadrez, tentando não transparecer meu nervosismo. — Vocês sabem quem é?
— É uma pessoa que apareceu do nada e posta sobre a nossa vida desde que tínhamos 15 anos. Na real ninguém sabe quem é, mas já nos acostumamos. — deu de ombros e se sentou ao meu lado.
— Uma coisa é fato, : ela sempre sabe de tudo. — disse do banheiro, enquanto passava rímel. — Se eu fosse você, não dava bobeira, aprendemos isso da pior forma, acredite.
— E como sabem que ela sabe tudo mesmo? Ela poderia estar fingindo. — disse.
— Se eu fosse você, não contaria com isso. Lembra a minha história com o professor? — questionou, já voltando para o quarto e se sentando em sua cama, que era na frente da minha. — Ele só foi preso porque contaram que ele ficava com alunas, e adivinha quem foi o responsável por isso? Pois é. A escola inteira ficou sabendo e chegou na diretora. Acontece que até provas ela tinha, por sorte o rosto de nenhuma das meninas apareceu nas fotos, mas o dele estava nítido.
— Já que até a diretora sabe, por que não fazem nada? — perguntei novamente. Minha cabeça estava cheia de informações, nunca passei por um fofoqueiro anônimo em qualquer outra escola que estudei.
— E vão fazer o quê? Ninguém sabe quem é. Não tem como expulsar alguém assim. — respondeu como se fosse óbvio. — Enfim, amiga, não dê bobeira. Mas agora deveríamos descer para o café, hoje o dia vai ser cheio! Soube que agora incluíram clubes de moda e leitura nas atividades extracurriculares e eu finalmente estou animada para a pós-aula! — ela se levantou, caminhando em direção à porta e nos esperando.
— Clube de leitura? Com certeza vou me inscrever! — disse, me animando e indo para o refeitório ao lado das meninas.
Durante o caminho, fiquei pensando em You. Essa história não sairia da minha cabeça tão cedo. Eu simplesmente não entendo como os alunos aceitaram tão fácil uma pessoa anônima falando de cada passo deles para todos. Mas eu não, vou descobrir quem é.
Ou pelo menos tentar.
O refeitório estava lotado e todas as mesas cheias, não conseguia nem imaginar onde sentaríamos. Após pegarmos o café da manhã, apenas segui as meninas em direção a uma mesa onde já estavam Louis, , , Harry, Niall, Zayn e Liam. Para ser sincera, sabia que eles eram amigos, mas fiquei surpresa por vê-los todos juntos assim.
— Bom dia, meninas! — Louis disse, sorridente, enquanto colocava uma uva na boca.
— Bom dia, pessoal! — respondeu, já se sentando. Também os cumprimentei e logo me sentei ao seu lado. Algumas pessoas ali pareciam não ter acordado ainda, como Zayn, mas os outros pareciam até mesmo animados.
— Nossa, é sempre assim? — questionei, recebendo olhares confusos em minha direção.
— O quê? — perguntou com as sobrancelhas franzidas, após tomar um gole de seu chá gelado.
— Vocês sempre estão juntos? Tipo… o tempo todo? — expliquei e eles riram.
— Olha, eu não diria o tempo todo, mas com certeza 90% do tempo. É assim desde que viramos amigos. — Liam contou e , Niall e concordaram com a cabeça.
— Ou seja, desde o maternal. — Niall completou. Fiquei impressionada, afinal, nunca tive tantos amigos assim. Claro que uns três ou quatro, mas nove?!
— Acho que posso me acostumar com isso. — disse, sorrindo. Liam retribuiu o sorriso e deu uma piscadinha.
— A única coisa que você nunca vai se acostumar, é com aquilo. — disse com uma cara de tédio, apontando para Harry e Louis. Ambos estavam com donuts nas mãos colocando um na boca do outro.
— Ainda falta passarem por alguns exames médicos para confirmar se isso é de nascença ou ocorreu devido a alguma mutação. — Liam disse, rindo e eu o acompanhei.
— Com certeza é alguma mutação. Vou tentar manter distância. — respondi.
— Garota esperta… — riu, piscando para mim enquanto tomava um gole de seu café.
— Mas e aí, qual vai ser a primeira aula de vocês? — perguntou, apoiando a mão no queixo, olhando para os amigos.
— Biologia! Finalmente uma aula boa nessa merda. — disse, tirando a mão de Zayn da segunda fatia de bolo que ele estava prestes a pegar — Você está muito abusado!
— Física, soube que também está nessa aula. — o moreno falou, olhando para a loira. — Bom, a sala é longe, então já vou passar no meu armário.
— Isso! Inclusive, vou com você! — se levantou, o acompanhando após tomar o último gole da sua bebida.
— Bom saber que ela queria saber a minha aula também. — Liam resmungou e riu. — No caso, eu tenho artes junto com o Niall e espero que seja só ele mesmo.
— Como assim, Liam? — Louis levantou, indignado e com as mãos na cintura. — Então eu não sou importante para você? Você ama só o Niall? É por que ele é loiro? Ou irlandês? — era incrível como parecia que ele realmente falava sério. Observava aquela cena rindo.
— Você também tem artes, Lou? — Liam questionou, como se realmente não fizesse a menor ideia.
— MEU DEUS. Eu disse isso três vezes do caminho do dormitório até aqui. Agora além de excluído, eu sou ignorado. É difícil viver em um mundo onde só o Harry me ama! — ele disse, enquanto saía andando. — Vocês vêm ou não?
— Ah, claro. — Liam e Niall logo se levantaram e foram atrás de Louis, que claramente reclamava o caminho todo, enquanto andava com os braços cruzados.
— Bom, já que estão todos saindo… vamos, ? — disse, se levantando e sendo seguida por e Harry. — Onde você pensa que vai, Styles? — ergueu uma sobrancelha
— Para aula de biologia com as minhas garotas. — ele respondeu como se fosse óbvio, dando um sorriso.
— Isso só pode ser um castigo… — eles saíram andando e resmungou enquanto se afastava da mesa e andava em direção a saída do refeitório.
— Vejo vocês mais tarde, meninas! — se despediu e logo foi atrás da amiga ao lado de Harry.
— Bom, então sobramos só nós, , acho que estamos juntas. — sorriu para mim e, admito, estava aliviada por não ficar sozinha.
— Bom, você tem francês agora? — questionei, só para ter certeza e ela concordou com a cabeça. — Então vamos! — disse, me levantando e esperando fazer o mesmo.
— Você vai amar a Sra. Carpentier. — disse, me acompanhando em direção aos armários.

Liam POV.

— Onde estava hoje cedo? Acordei e não estava mais no quarto. — questionei minha dupla após ter certeza que fiz com perfeição tudo o que o Sr. Gordon havia pedido.
— Levantei cedo para caminhar, hoje já começam os testes do futebol. Sei que estamos dentro, mas é sempre bom ficar em forma. — Niall explicou, terminando de escrever algo em seu caderno.
— Meu garoto… sempre tão responsável. — dei três batidinhas em suas costas e ele riu.
— Falando assim você parece um pai, sabia? — Louis cochichou da mesa de trás.
— Esse é o meu papel. Harry é o sem noção, você o engraçado, Zayn o egocêntrico, Niall o amigo e eu cuido de todos para não morrermos cedo demais. — comentei, rindo junto com ele e Niall. Sempre foi assim, todos temos características bem específicas.
— Bom, mas e aí, o que tem planejado para esse fim de semana? — Niall perguntou, fechando o caderno.
— Meu pai queria que eu e fôssemos com ele e a Karen passar o fim de semana nas Bahamas, mas já cortamos, afinal, esse é o fim de semana das festas do Lawrence. — respondi e ele concordou com a cabeça, parecendo se lembrar de algo.
— Nossa, verdade! E esse fim de semana é na casa do Harry.
Foi então que eu ouvi ele, o melhor som de todos: o do sinal.
— Finalmente! Uma aula a menos. — Louis exclamou e me levantei, pegando meu material e sendo seguido por ele e Niall até o corredor cheio de alunos.

Narrador.

As aulas de rotina eram estressantes e cansativas, principalmente para os alunos dos últimos anos. Os dez jovens estavam animados para o melhor período do dia, as atividades extracurriculares, nelas, eles se entregavam e davam o melhor de si. O simples fato de ter um leque de opções como clubes de música, desenho, moda, leitura, matemática, futebol, basquete, natação, vôlei, teatro e até mesmo a bela equipe de líderes de torcida, tornavam aquele, um ótimo momento do dia para todos.
e estavam prontas para darem uma olhada nas opções e finalmente encontrarem algo que realmente fossem gostar de praticar ao longo do ano, vários estilos de clubes foram adicionados e sabiam que iriam encontrar o certo. Já a caloura , havia escolhido sem dificuldades, sempre tivera uma paixão por teatro. O fato de se tornar um outro alguém de vez em quando a fascinava, e quando viu que ainda tinham algumas vagas para serem preenchidas, não pensou duas vezes! Poderia tentar o clube de leitura também, sabia que não se arrependeria.
e já tinham seus lugares garantidos na equipe de líderes de torcida, e amavam isso! As garotas sempre foram interessadas por dança e ginástica, e o melhor: estavam comandando a equipe juntas! Elas sempre diziam que se não fosse pela outra ao lado, não estariam liderando com tanto sucesso. As meninas levavam muito a sério todos os treinos, ajudando para que todas evoluíssem, sempre animando e contagiando a equipe de futebol e, principalmente, todo o público — até mesmo os rivais. E esse é o charme das garotas.
No ano anterior, focou sua atenção ao máximo nas líderes, mas dessa vez deu uma chance de tentar coisas novas também. Como gostava muito da sensação de nadar, decidiu que essa era a chance perfeita para entrar na equipe de natação — além de ser uma ajuda para os créditos da faculdade.
Louis, Harry, Niall, Zayn e Liam não poderiam ficar mais animados pela volta dos treinos — e o das cheers também, claro. Os garotos decidiram desenvolver o esporte como uma atividade extracurricular juntos, logo após virarem amigos, obtendo o sucesso com o aval da querida Diretora Jones. O ano prometia e esperavam encontrar pessoas com talento para completar o time, garantindo assim a vitória dos campeonatos.
Além da paixão por futebol, Niall sentia um fascínio pela música. Desde pequeno tocava violão, arriscando também soltar um pouco a voz, fazendo assim o clube de música ser perfeito para ele. O garoto sabia que tocava o instrumento muito bem, mas nunca teve tanta certeza sobre cantar, por isso, é difícil fazer com que ele cante em público.
Niall cantava para apenas duas pessoas: sua mãe, Maura, que sempre o apoiou dizendo quanto seu filho era talentoso, e , que fora seu primeiro amor. A garota era encantada pela voz do irlandês e sempre o deixava ciente disso, as canções feitas e cantadas para ela era um segredo que apenas os dois compartilhavam.
Zayn também tinha uma segunda paixão, a arte. O moreno amava desenhar e grafitar, inclusive, tinha seu próprio estúdio em casa. Quando criança, desenhava e criava HQ’s. Conforme foi crescendo, seus desenhos o acompanharam, evoluindo e melhorando cada vez mais. Sempre que pode, o garoto se perdia nos papéis e muitas vezes não prestava atenção nas aulas importantes, por isso decidiu se inscrever para o clube de desenho, talvez assim consiguisse organizar melhor seu tempo de estudo.
também amava a arte e tudo que a envolvesse. Sempre foi apaixonada pelas obras de arte não compreendidas e com certeza era uma verdadeira artista, então não era difícil escolher o clube de desenho. Ela e também combinaram de entrar em um clube juntas, e assim escolheram o clube de moda. As melhores amigas adoravam costurar e criar looks exclusivos para si mesmas, ter uma paixão em conjunto as juntou ainda mais.
era uma garota calma que sempre gostou de estudar, e então escolheu o clube de leitura. Sua mãe sempre influenciou a ser firme em relação aos estudos, dizendo que criara seu império na base de livros e pesquisas, e que a filha seria igual. Toda a pressão de sua mãe duplicou no momento em que a Sra. Buller se casou com o pai de Liam e, já que ambos pensavam da mesma forma, reforçavam ainda mais os ideais que foram postos para a menina de cabelos castanhos. Para fugir um pouco desse mundo certinho, encontrou e juntas entraram no mundo da moda e costura. disse ser grata a amiga por sempre ajudar a aliviar a pressão dos pais e por ser uma ótima melhor amiga.
Por ser meio irmão de e filho do famoso Sr. Payne, Liam sempre foi pressionado a ser um bom rapaz, ótimo na escola e nos estudos. Apesar disso, sempre lidou bem com a pressão, suas saídas eram o futebol e o basquete, sendo apoiado pelo pai. Os dois esportes foram os escolhidos pelo garoto e ele se sentia confiante por fazê-los.
Diferente dos amigos, Louis nunca sentiu a necessidade de fazer uma segunda atividade extracurricular. Bom, até esse último ano. Como sabia que sobrariam vagas para todos os clubes, não pensou em ter pressa para fazer sua inscrição.

Harry POV.

Para ser sincero, eu não fazia ideia de qual curso iria escolher para fazer além do futebol, então estava olhando as listas de inscrições e analisando qual era a menos pior, já que sabia que para ter os créditos para a faculdade, teria que escolher algum.
Eram tantas opções, mas nenhuma que me fizesse realmente ter vontade de participar.
— Eu particularmente sugiro teatro. — uma voz sussurrou perto do meu pescoço, o que me fez praticamente pular de susto. Nem precisei me virar para saber que era .
— Você me assustou, demônia! — reclamei, colocando a mão no coração. — Teatro? Por quê? — disse, franzindo a sobrancelha em dúvida.
— Nunca pensei que falaria algo nesse nível, mas confio em você para me auxiliar em algo. — eu sei que ela nunca imaginou esse momento virando realidade, então abri um sorriso.
— Precisa de mim para quê? — disse, colocando a mão na cintura, me gabando de querer minha ajuda para algo.
— Olha, é o seguinte: recebi uma mensagem dizendo quem foi o responsável pelo Sr. Robert encontrar a festa ontem à noite. — ela explicou, falando mais baixo. O corredor estava vazio, mas entendi que o assunto era delicado.
— E quem faria…
. — respondeu, me cortando. Arregalei os olhos, surpreso. Apesar disso, não desconfiaria, afinal, nem a conhecemos tão bem.
— E o que você pensou em fazer? — questionei, já me interessando mais em seu plano. Após ela me explicar, concordei em ajudá-la. — Eu topo.
Eu cheguei a pegar a caneta, mas hesitei em usá-la ao ver meu nome já escrito na lista do clube do teatro, coisa que até então, não havia percebido.
— Que bom! Porque eu já te inscrevi. Nos vemos na sexta, na aula de teatro, Styles. — gritou, já no meio do caminho para seu próximo destino.
***
“ATENÇÃO!!! CHAMEM TODOS OS LAWRENCEANOS!!!
Espero que tenham tido uma boa noite de sono, porque hoje é o dia em que as garotas dão seu sangue, suor e lágrimas para ganhar os pompons mais desejados do colégio! Mas e os garotos? Bom, eles irão suar — literalmente, no campo após o almoço, só fazendo o aquecimento.
Fiquei sabendo que nosso anjinho loiro vai fazer aula de música, já o bad boy se inscreveu para desenho e foi com ele, será que isso é um amor platônico? Ou apenas é boa em desenho tanto quanto nosso moreno e estava escondendo de todos? Falando um pouco de bola na cesta, nosso amado Payne se inscreveu para o basquete. Boatos de que o tanquinho dele já dá para lavar a roupa do mês inteiro.
E falando no Payne, sua irmãzinha se inscreveu para leitura junto com a novata, e moda junto com a melhor amiga , será que é agora que os humilhados serão exaltados? Falando em exaltados, nossa princesa vai exibir seu corpinho em um belo maiô de natação, não aceitamos menos que um Channel de primeira!
E preciso desejar sorte na aula de teatro para certo alguém, pois meus fiéis seguidores flagraram nosso Curly em uma conversa pacífica com a malvada depois de se inscreverem para essa mesma aula. Esses dois juntos não dão ponto sem nó e vou falar, para os dois se juntarem… se preparem, Lawrence, vamos ter a terceira guerra mundial.
Por enquanto é só, foi um prazer conversar com vocês novamente trazendo as melhores notícias, agora vou me arrumar para a seleção. Não se esqueçam: o esforço leva a vitória!

XOXO
You”

Louis POV.

Aparentemente os garotos que tentariam entrar no time de futebol estavam especialmente animados nessa tarde, chegaram cedo e já começaram a correr e se alongar para estarem aptos para o teste. Admito que ao vê-los assim, fiquei ainda mais ansioso, faz anos que não entravam pessoas decentes no time.
Era sempre assim no dia da seleção, após a longa rotina de aulas praticamente todos os alunos dos últimos anos começavam a se preparar. Os testes seriam feitos durante a tarde toda, já que os horários não podiam coincidir. O grêmio acadêmico fez uma reunião para definir esportes e clubes que necessitavam de testes para entrar, e os que não precisavam. O primeiro teste seria o de futebol, o segundo era da equipe de líderes de torcida, em seguida basquete, natação e por fim, teatro.
— O futebol é um esporte de habilidade e, ao mesmo tempo, de resistência. É exatamente isso que estaremos treinando e testando com vocês hoje. O grupo dos veteranos são os principais olheiros e, assim, escolhem os garotos que entrarão para completar o time do campeonato. Antes de começarmos a partida que irá definir a permanência de vocês no time, vou passar o treino que os meninos fazem antes de todo jogo. — o Treinador Hedge explicava aos 26 garotos sentados no gramado a sua frente, enquanto os meninos e eu os olhávamos. — A primeira parte é o treino de agilidade e coordenação motora.
O homem grisalho marcou um comprimento de 50 metros com duas linhas paralelas de cones, possuindo cerca de dois metros de distância um do outro.
— Vocês vão correr através dos cones em ziguezague com cada corrida cronometrada. Isso ajuda a criar agilidade básica durante a execução em altas velocidades. Quero que repitam o percurso um total de cinco vezes. Levantem! O que estão esperando?
Em cada exercício dois de nós demonstramos como executá-los e em seguida os garotos faziam o mesmo. Depois foi a vez da segunda série de exercícios, que seriam agachamentos e flexões com peso, até enfim, finalizarem o aquecimento.
— Agora, para quem ainda aguenta, iniciaremos uma partida do jogo, como alguns desistiram no meio do caminho, temos a quantidade certa para dois times. Onze em um lado do campo, e onze do outro! — o treinador comandou.
Niall e Liam se propuseram a ajudar o treinador, distribuindo os coletes de cor vermelha e azul, para diferenciar os times.
— Meninos, fiquem atentos às fichas dos garotos e em suas habilidades, precisamos de 6 jogadores para completar o time de vocês, mas chamaremos 5 a mais para caso seja necessária uma substituição durante o período de jogos. — ele disse mais baixo, após se aproximar de nós e então apitou, notificando o início do jogo.
— Você viu o Brian? Ele é veloz, não se cansa muito. Seria ótimo ter ele como Running Back. — Harry se aproximou de mim, esses dias eram um dos únicos que falávamos sério.
— Fiz anotações sobre ele, gostei muito do White como Guard, ele é forte e não tem medo de peitar os outros.
— Também, o cara parece um armário! Eu não peitaria ele não. — Niall respondeu e nós rimos. Após ouvirmos o som do apito indicando o fim do jogo, decidimos com o treinador que nos reuniremos em 2 horas na sala de reuniões para darmos o parecer sobre os inscritos.
— Ótimo, vai dar para ver a seletiva das meninas. — Zayn sorriu. Ele se referia ao try-out das líderes de torcida, sempre ficávamos para “ajudar” e . E com “ajudar” eu quero dizer assistir e, como diz o Harry, “avaliar” as garotas novas.

POV.

Eu e sempre iniciamos o teste analisando a postura das candidatas, acredito que de todos os requisitos esse é o mais importante.
— Boa tarde, garotas, vamos começar! Antes da dança, iremos começar com o aquecimento, ou seja, sete voltas no campo! Em seguida quero flexões, saltos e levantamento leve de peso, para aumentar a resistência de vocês. — gritei, vendo as cabecinhas das meninas balançarem, concordando.
— Adoro quando já começamos assim. — minha amiga disse, rindo. — Já podemos eliminar três só pela postura de preguiça.
— Olha aquela ali, amiga. Ela nem tá conseguindo correr. Acho que elas pensam que isso é brincadeira. — e eu levamos as cheers muito a sério e, além do nosso histórico impecável, é isso que nos dará créditos para a faculdade. Era sempre uma decepção ver algumas garotas no try-out não levando nada a sério.
— Ok! Se juntem aqui! — foi a vez de gritar. — Agora, as meninas da equipe irão demonstrar uma pequena coreografia antiga e vocês precisam tentar ao máximo pegar os passos, eu e iremos analisar as suas habilidades! Lembrem-se de sempre ficarem sincronizadas com as suas colegas! — ela explicou, enquanto as garotas da equipe ficavam em posição para a demonstração. — Elas vão repetir a coreografia algumas vezes, então não se preocupem.
Assim como todos os treinos e ensaios da equipe, o teste era aberto para qualquer aluno que se interessasse em assistir, o mesmo valia para os outros clubes e esportes. O dia de testes era cheio e animado, as arquibancadas sempre ficavam lotadas a todo momento, até parecia com algum dia de campeonato, todos adoravam!
— E então chegamos na última parte do teste. Eu vou demonstrar uma sequência simples de tumbling, que são os mortais, e em seguida a vai demonstrar uma acrobacia de nível básico. Depois queremos que façam o mesmo, claro que vamos auxiliar em todos os momentos para que façam tudo certo!
As vinte garotas sentaram ansiosas para assistirem às demonstrações e então eu fui até o centro do campo, me preparando para a sequência do tumbling. Iniciei com três mortais básicos e uma pose final. Era engraçado, na hora das demonstrações sempre víamos a surpresa e o medo nos olhos das garotas que estavam sendo testadas, e eu posso dizer que amava essa sensação.
Em seguida, , que é uma das flyers, e mais três garotas da base se encaminharam para o centro, entrando na posição e então, após a contagem, as três a jogaram para cima. Minha amiga girava no ar com a perfeição e elegância de sempre para, enfim, as garotas que formavam a base a segurarem pelo tornozelo, enquanto ela estica a perna livre, finalizando a pose.
Várias pessoas da arquibancada aplaudiram, enquanto nossos amigos gritavam e assobiavam. Aquele era o momento mais divertido em todo o teste, com certeza.
— E isso é básico onde? — uma garota comentou, assustada.
— Sei que parece um bicho de 7 cabeças, mas é por isso que iremos ajudá-las. Claro que ninguém vai acertar perfeitamente, mas é pela força de vontade e determinação de aprender esses passos que veremos se você tem o que estamos procurando! — tentou animar as garotas. Ela sempre lembrava de como foi difícil no começo, dizendo que o resultado sempre é gratificante, e era isso que ela queria mostrar para as meninas sentadas à sua frente. — Bom, vamos lá!
Quando finalizamos, ficamos por duas longas horas avaliando as garotas e era incrível ver como algumas queriam apenas nos fazer perder tempo.
— Bom, eu acho que a Rebecca tem potencial, mas ainda não está apta o suficiente, precisamos de garotas que queiram aprender e que tenham um pouco de experiência! — se jogou na cama, já cansada de avaliar as garotas e nenhuma a agradar o suficiente.
— A Stacy é boa, eu realmente gostei dela e, de todas, ela é a melhor. Pode ser tanto uma boa flyer quanto uma boa base. — joguei para o papel em que estavam as minhas anotações sobre o desempenho de Stacy e ela o pegou, analisando-o.
— Eu realmente gostei dela! Também gostei da Susie, ela é muito boa na coreografia. De qualquer forma, até agora temos apenas 7 garotas e precisamos de, no mínimo, mais uma ou duas. — ela respondeu, abaixando o papel e me olhando.
— Olha, podemos fechar assim: Rebecca, Stacy, Charlotte, Chloe, Sarah, Rose, Megan, Abby e Susie. — disse e minha amiga confirmou. — Estou satisfeita. — informei já digitando a lista de aprovações que futuramente estaria exposta no mural de atividades extracurriculares.
— Perfeito! Também estou contente com as novas integrantes… — ela sorriu por finalmente termos acabado a difícil decisão e eu também não poderia estar mais feliz com isso.

Narrador.

Liam se sentia confiante. Ele sempre jogou basquete muito bem e sabia que conseguiria lugar no time do colégio. Seus amigos combinaram de dar apoio da arquibancada, e foi com isso que o garoto entrou na quadra, dando o seu melhor até o fim do teste! O mesmo ocorreu com , que sempre gostou de nadar, não foi difícil impressionar o time de natação, saindo da piscina se sentindo orgulhosa de seu esforço.
No fim do dia, o teatro estava lotado! Em frente a grande porta principal, um enorme tapete vermelho era esticado até o belo palco, as poltronas feitas em um tecido vermelho de excelente qualidade e o majestoso lustre pendurado no centro do ambiente fazia com que todos imaginassem que o local fora feito próprio para a realeza. Os alunos estavam ansiosos para aquele teste em especial, a culpada era a fofoqueira anônima, que fez com que os leitores ficassem se perguntando o que aconteceria naquele dia específico, onde Harry e haviam se juntado.
— Bom dia! Sou a Sra. Darbus, a professora de teatro, e estarei realizando os testes com vocês. Todos os anos os testes são realizados individualmente, mas esse em particular será feito em grupo. — a mulher explicou, com a atenção de todos em sua fala. — E como vai funcionar? Bom, eu vou escolher um dos inscritos na aula, essa pessoa vai escolher mais quatro colegas e então vão fazer uma cena improvisada com um cenário e uma situação escolhida por vocês, a plateia. É isso, vamos começar! — a senhora ajeitou os óculos no rosto, enquanto analisava os candidatos às vagas em sua lista, esperando algum voluntário. Foi então que a garota de mechas coloridas levantou a sua mão, chamando a atenção de todos ali.
— Espero que esteja pronto, Styles. Só vai na minha. — a garota cochichou para o cacheado antes de se levantar e ele apenas assentiu com a cabeça, tentando entender que merda faria.
— Senhorita Benoit! Que bom ter você no teatro esse ano, e ainda tão participativa. Vamos lá, escolha seus atores! — a professora apontou para as duas primeiras fileiras da grande plateia, onde ficavam os aspirantes a atores.
— Tudo bem então... Matthew, Claire, Harry e… — conforme ela citava os nomes, os respectivos se levantavam e subiam no palco. — !
— É um bom grupo, senhorita Benoit. Agora, se alguém da plateia tiver alguma sugestão de cenário e situação, podem levantar as mãos.
— Fazenda! — um garoto que ninguém conseguiu distinguir, gritou do fundo da plateia
— Ótimo e desafiador! Agora, uma situação… — a professora olhou em volta, animada com a quantidade de pessoas presentes.
— Surpresas!
— Perfeito! Podem começar. — a senhora de cabelos grisalhos sentou, pronta para avaliar seus alunos, que já estavam se posicionando no palco.
— Crianças, entrem! O pai de vocês trouxe um presente! — gritou como uma mãe cansada de chamar seus filhos e Claire e Matthew se apressaram, correndo até ela.
— O que é, mamãe? — Matthew olhou ao redor, fingindo procurar algo pela sala da suposta fazenda.
— Eu quero ver! Eu quero ver! — Claire segurou o braço de Harry, o puxando para mais perto do centro do palco.
— Vocês pediram tanto um animal de estimação além dos que temos aqui na fazenda, que o papai resolveu trazer um para vocês! Amor, vá buscar a surpresa… — explicou, enquanto Harry se dirigia em direção a , que até então não sabia o que fazer, e a puxou para onde a cena estava acontecendo.
— O papai trouxe um porquinho! — ele abriu os braços, como no final de uma apresentação super animada, indicando a garota, que o olhou ainda mais perdida.
— Oh… Eu sou o porco. Oinc! — ficou estática, sem saber ao certo o que fazer, ela tentou improvisar, mas aquilo realmente estava difícil.
— Professora, acho que a não está conseguindo imitar um porco! — chamou a atenção da educadora para a situação.
, sei que é nova na escola, mas aqui nós levamos as coisas muito a sério e com profissionalismo! Isso significa que se você tem que fazer um porco, faça um porco! — a senhora grisalha chamou a atenção da garota, que engoliu seco.
— Entendi… — ficou de quatro no chão. Ela não entendia ao certo o porquê de tanto profissionalismo, era apenas uma escola. — Oinc, oinc.
— Ebaaa, vamos brincar com o porco! — as supostas crianças gritaram em uníssono, indo ao redor de .
— Calma, crianças, ele ainda está sujo! — Harry comentou e deu um sorrisinho, saindo de cena, enquanto ele apenas a acompanhava com o olhar.
— Eu posso resolver isso, meu amor! — voltou ao palco com uma garrafinha de água, aberta. — Vamos dar uma lavadinha no porco! Acho que vai resolver… — e então ela despejou todo o conteúdo da mesma em cima de , que não sabia o que fazer diante daquilo.
lembrou que continuar aquilo talvez representasse o lado profissional do qual a professora tanto falou, apesar de não entender muito bem onde isso iria chegar. Enquanto ela se levantava, diante dos olhos chocados da plateia, pôde-se ouvir os aplausos da professora, chamando a atenção novamente.
— Incrível! Vocês foram incríveis, com certeza estão dentro! — Sra. Darbus disse, extasiada com o que havia acabado de acontecer. Ela realmente acreditava na seriedade da cena.
não ficou mais nenhum minuto ali, apenas saiu do teatro, pensando em como foi se meter naquilo tudo, afinal, pensava que e Harry eram seus amigos!

POV.

Após o último grupo se apresentar, os alunos da plateia começaram a deixar o local aos poucos, ainda surpresos com a atuação. A verdade é que eu também estava surpresa, não entendia por que eles fizeram aquilo tudo com .
Estava pronta para ir atrás dela, quando vi que Louis ainda estava sentado em sua poltrona e andei em sua direção, a conversa seria rápida e eu logo poderia conversar com . Eu estava fazendo isso porque fui escolhida pelo próprio coordenador das atividades extracurriculares para falar com ele, então não poderia enrolar.
— Louis! — disse, me aproximando e me sentando ao lado dele. — O senhor O’Brien me pediu para conversar com você sobre os clubes.
— Oi, ! Então, pode avisar que eu vou esperar um pouco, sei que vão sobrar várias vagas! E eu também não estou com tanta pressa. — Louis disse indiferente, dando de ombros.
— Sabe, ele me pediu para conversar com você justamente sobre isso. Só sobrou uma vaga, e é em moda e costura. Ele gostaria que você considerasse entr… — ele me interrompeu.
, se você quer me chamar para sair, essa não é a maneira certa. — o garoto cruzou as pernas e entrelaçou os dedos, apoiando os braços sobre ela, como se esperasse uma explicação.
— Te chamar para sair? Louis, eu estou falando sério! Ele quer testar algo esse ano, quer ver quais são os créditos para os alunos que exercem mais de uma atividade extra, e você é o único do último ano que só tem uma atividade no histórico. — eu continuei tentando ignorar totalmente a brincadeira feita por ele, que claramente não estava disposto a parar.
, eu quero sair com você. Mas ao invés desse lance de costura, o que acha de um pub no fim de semana? Eu acho a melhor ideia para um começo, se nosso relacionamento alavancar, aí sim podemos fazer costura juntos, para os nossos futuros bebês rechonchudos e gordinhos. — ele respondeu, fazendo uma cara pensativa, como se realmente estivesse planejando o “nosso” futuro.
— Olha, se eu sair com você esse fim de semana, você pode me prometer que vai cogitar a hipótese de fazer aula de costura? — eu queria muito rir, mas não podia demonstrar fraqueza. Bom, não ainda. Ou então Louis iria brincar ainda mais com algo que eu considerava sério. Talvez aquele pub seja uma boa oportunidade de fazê-lo entender que costura era interessante para homens também.
— Parece que temos um match, um primeiro passo de um futuro juntos. Feito! — Louis se levantou e, antes de sair, gritou. — Eu te pego domingo na sua casa às 20:30 da noite.
Concordei com a cabeça, pensando em como aquele menino era simplesmente inacreditável. Logo voltei a realidade e saí correndo, tentando encontrar .

Liam POV.

O dormitório 208 era o local onde eu e meus quatro amigos nos reuníamos regularmente. Nós estávamos cansados após o longo dia, mas jogar videogame era nossa terapia. Normalmente o assunto que prevalecia sempre se resumia em garotas, e dessa vez não aconteceu de forma diferente.
— Vocês viram o teste das líderes de torcida? Cara, eu gosto de carne nova no pedaço, mas nada supera as minhas garotas. — Harry comentou, se referindo às veteranas das quais ele já ficou.
— Por que não estou surpreso de ouvir isso? — respondi, irônico.
— Vai me falar que você não ficou impressionado com todos os pompons e saias curtinhas, Payne? — Zayn perguntou de dentro do banheiro da suíte
— Ele eu não sei, mas a cada ano eu me impressiono mais. Já o Niall, com certeza não teve tempo de ficar, ele perdeu muito tempo babando em uma certa veterana. Não é, Niall? — Louis brincou, cutucando Niall, que até então não prestava muita atenção na conversa.
— Que culpa eu tenho se ela é única que me chama atenção? — ele respondeu, dando uma risadinha, enquanto Louis balançava a cabeça.
Foi então que eu me lembrei de algo.
— Falando em novatas, que merda foi aquela que aconteceu no teatro, Harry? — perguntei, me levantando da cadeira em que estava na escrivaninha e sentando em frente a ele.
— Foi a minha aprovação para o teatro, gostaram? Acho que já podem me chamar de o mais novo “Daniel Day-Lewis”— ele respondeu, fazendo uma cara de convencido.
— Sua aprovação e a humilhação da , né? — disse, irritado. Estava tentando entender a justificativa ridícula dele.
— Mas graças a mim ela também foi aprovada! — ele disse.
— Quis dizer a você e a ? Porque até então vocês mal se falavam sem quase se matarem e, do nada, decidiram formar um complô contra a garota. — Zayn disse, chamando a atenção de todos. — Afinal, o que ela fez para vocês?
— Para nós, querido amigo. — ele respondeu.
— Como assim? — Niall perguntou, franzindo as sobrancelhas.
— Bom, agora que tudo isso aconteceu, acho que posso contar o real motivo. Afinal, uma hora ou outra a You vai postar. — ele começou a falar e Louis deu uma pausa no jogo que estava jogando, curioso com a fofoca. — É o seguinte: foi quem dedurou nossa festa para o Sr. Robert.
— E por que ela faria isso? — questionei. Realmente parecia que ela estava gostando da festa no dia.
— Olha, a simplesmente recebeu uma mensagem da You falando que foi ela e veio falar comigo. — deu de ombros.
— Olha, eu não vou duvidar porque ela é nova ainda, mas que estranho viu. Todos sabem que é uma festa secreta. — Louis disse.
— Gente, não está fazendo sentido na minha cabeça. — respondi, sincero, não conseguia imaginá-la fazendo algo assim de propósito.
— Olha, acho que devemos conversar com ela sobre isso antes mesmo da You postar, se ela postar, porque precisamos entender melhor essa história. — e por incrível que pareça, Zayn estava certo.
— Isso. E vocês já se “vingaram” o suficiente, ouviu, Harry? Avisa a que já deu. — avisei.
— Ok, de nada, pessoal. Pensem que antes nós que gostamos dela, do que o resto do pessoal que pegaria bem mais pesado.
— Bom, isso é verdade… — Niall concordou.
— De qualquer forma, juro que não vamos mais fazer nada. — Harry respondeu e nós concordamos com a cabeça. No dia seguinte conversaria com para entender melhor o que houve, realmente gostei dela e não queria me decepcionar.



Capítulo 3 - Last Friday Night

Last Friday night
Yeah we danced on table tops
And we took too many shots
Think we kissed but I forgot

POV.

Estávamos todos os 9 reunidos em uma das salas de estudos do Lawrence, aguardando o Zayn para começar. A ideia era fazer uma pequena reunião para esclarecer o ocorrido. Ela já havia contado para mim e para no quarto, mas queria se explicar para os outros também. Claramente ela estava meio nervosa sobre o que o resto do pessoal falaria, mas durante nossa espera, tentei tranquilizá-la. Tinha certeza que eles entenderiam também.
— Desculpa o atraso, pessoal, eu desliguei meu despertador duas vezes. — Zayn disse, entrando na sala.
— Que novidade. — todos riram do comentário de Liam. — Bom, vamos começar. e Harry, vocês têm algo a dizer?
— Não antes da . — Harry respondeu, recebendo um olhar feio de Liam. Ele apenas deu de ombros e ignorou, olhando para a menina ao meu lado como se esperasse algo.
— Pessoal, fui eu quem contou sobre a festa. Mas, primeiramente, eu quero pedir desculpas, não era minha intenção. — começou a falar. — Eu havia ajudado Liam a levar o Zayn para o quarto e, na volta, me deparei com o Sr. Robert me perguntando onde eu estava indo com aquela roupa, na hora eu nem pensei que a festa poderia ser secreta e acabei falando. Quando eu percebi o que tinha feito eu tentei consertar, mas então já não tinha mais jeito, ele ignorava tudo o que eu falava. — ela quase se atropelava nas palavras de tão rápido que tentava se explicar. Assim que terminou, respirou fundo e eu e demos um sorriso para ela, mostrando que havia ido bem.
— Não passou pela sua cabeça que existe um motivo para a festa ser após o toque de recolher? — Niall questionou, dando uma risadinha.
— Na verdade, não. Eu nunca fui de ir em festas e meus amigos da Alemanha eram bem caseiros. — ela respondeu e Niall concordou com a cabeça, mostrando que havia entendido. — De qualquer forma, quero pedir desculpas de verdade e assumir para todos antes que a You revele.
— Olha, , o Harry quer pedir desculpas pelo que fizemos, nós não sabíamos que você havia feito sem querer. — se pronunciou, olhando para a menina.
— Só eu quero pedir desculpas?! — Harry arregalou os olhos, enquanto apontava para si mesmo. — Foi você que recebeu a mensagem da You.
— Ela te mandou uma mensagem falando que fui eu? — nessa hora até eu me assustei, nunca aconteceu algo assim. You sempre enviou para todos de uma vez e não individualmente.
— Sim, ela me mandou uma foto sua conversando com o Sr. Robert e falando que você dedurou a festa. Disse que era um “presente”. — explicou, colocando uma mecha de cabelo atrás da orelha.
— Então já, já toda a escola vai saber. — conclui.
— Provavelmente…
— Merda. — resmungou, tampando o rosto com as mãos. — Todos vão me odiar depois disso com certeza, vou ter que me mudar de escola pela décima vez e…
— Calma, amiga. Nada disso vai acontecer! Sem contar que nem todos te odeiam, nós estamos do seu lado. — disse, segurando uma de suas mãos.
— Exatamente, você é nossa amiga. Duvido alguém ter coragem de tirar satisfação sobre isso. — Liam disse e nós concordamos. Então abriu um sorriso enorme.
— Obrigada, pessoal. É muito bom saber que posso contar com vocês! — ela agradeceu. — E sim, eu perdoo os dois, afinal, por mais que eu não tenha delatado a festa na maldade, acabou que fui eu quem fiz. Então estamos quites. — e Harry sorriram e então todos fomos interrompidos pelo som do sinal.
Admito que fiquei aliviada pela conversa, é claro que eu havia conversado sobre isso assim que ela saiu do auditório totalmente molhada. me explicou o que aconteceu e que inclusive a mensagem de You era sobre isso. De qualquer forma, não duvidei nem por um segundo da sua versão da história, mas estava apreensiva sobre o que os outros achariam.
Esperei nossos amigos irem na frente e puxei de lado.
— Esse sábado vamos ir para a casa do Harry, mas quando sairmos de lá, você quer ir para minha? — perguntei, enquanto andávamos em direção aos armários.
— Ih, eu combinei de sair com uma pessoa. — ela respondeu, fazendo uma careta.
— Você vai deixar de passar o resto do fim de semana comigo para sair com quem, Buller? — questionei, com as mãos na cintura, fingindo estar brava.
— Louis. — ela disse baixinho.
— Louis?! Como assim? O Tomlinson? O que foi que eu perdi? — quase havia engasgado. Por acaso dormi por três meses ou coisa do tipo?
— Não é nada demais, na verdade. Eu estou tentando convencê-lo a fazer aulas de costura, mas aparentemente para eu ter a chance de Louis me ouvir, vou precisar sair com ele. — ela explicou como se fosse algo totalmente aceitável e normal. Apesar disso, foquei em outro detalhe importantíssimo que havia perdido em algum momento.
— E por que caralhos o Louis faria aula de costura com a gente? — eu já não estava entendendo nada. Nós sempre priorizamos uma atividade para fazer juntas e, mesmo gostando dele, o Tomlinson com certeza não estava incluso nesses planos.
— Ele só está inscrito em uma aula extracurricular, então o senhor O’Brien me pediu para falar com ele sobre se inscrever em mais uma, como todos os alunos do penúltimo ano, mas só sobrou costura! E quando eu toquei nesse assunto com Louis, ele começou a inventar que eu estava dando em cima dele, então perguntei se caso eu topasse sair com ele, se ele cogitaria a hipótese de fazer aula de costura… — ela explicou, enquanto eu balançava a cabeça ao entender a situação.
— E então ele disse que sim e agora vocês vão em um encontro. — conclui.
— Não é um encontro! — ela disse, exasperada. — É só uma saidinha entre amigos com um objetivo bem claro.
— E ele sabe disso? Bom, mas se você diz… — dei de ombros. — De qualquer forma, tenho aula de matemática agora, nos vemos no almoço?
— Isso! Tenho aula de filosofia. — ela concordou e então olhou em seu relógio. — Caramba, estamos atrasadas! Até mais tarde!
E então, como duas loucas, saímos correndo cada uma para um lado no corredor totalmente vazio. Espero que o Sr. Mitchel me deixe entrar!
Naquela noite, na hora do jantar conversamos sobre como seria o fim de semana.
— Bom, como amanhã será um dia totalmente dedicado a adaptação das extracurriculares de futebol e cheerleader, provavelmente não vamos nos ver. Então já vamos combinar. Todo mundo sábado ao meio-dia no Harry?
— Isso! — todos concordamos. Estava animada, faríamos a festa.
— Você vai, né? — questionei, olhando para , que franziu as sobrancelhas.
— Não sei, eu estou convidada? — ela respondeu, rindo.
— Você é nossa amiga, . Está sempre convidada, não precisamos mais de convites formais. — Harry informou, dando de ombros e ela sorriu.
— Então estarei lá!
— Te passo o endereço depois. É bom todos irem cedo porque compramos as coisas e arrumamos tudo a tempo. — Harry avisou e nós concordamos novamente.
— Ok, então nos encontramos no Harry ao meio dia e nos dividimos para comprar as coisas. Todos ok? — dessa vez foi Liam, olhando para todos nós.
— Sim! — concordamos.

Narrador.

Aquela quinta-feira foi tranquila e os dez jovens não tiveram nenhuma novidade, apenas aguentaram as aulas pensando em como não haviam sentido falta daquela parte da escola. A esperança era o fato que, após o dia seguinte, seria o tão esperado sábado e poderiam aproveitar a companhia uns dos outros em um ambiente diferente, já que iriam para a casa de Harry.
Desde os seus 14 anos, se reuniam nos fins de semana na casa de um deles. No começo apenas assistiam filmes, mas conforme foram crescendo, as noites passaram para festas e viagens também. Como todo início de ano letivo, as melhores festas são feitas tanto dentro da escola, quanto fora, e dessa vez não seria diferente.
Sexta-feira foi um dia corrido para todos, mas principalmente para , , Harry, Louis, Niall, Zayn e Liam. Tirando os intervalos das refeições, os dez amigos nem conseguiram se encontrar pela escola, então assim que o horário de aulas terminou, todos já foram descansar para, no dia seguinte, prepararem a grande festa que fariam.
Não só o grupo de amigos estava animado, mas também todos os alunos que foram convidados para o evento. Não era novidade nenhuma pela escola que eles sempre deram as melhores festas. Bom, a fama de todos ali não era a toa.

POV.

Chegamos em casa naquele sábado especialmente ensolarado e nossos pais já estavam à nossa espera para tomarmos café-da-manhã. Subi para deixar as minhas coisas e desci para encontrá-los na mesa.
— Bom dia, família! Bom dia, Judith! — disse sorridente ao entrar na sala de jantar, recebendo um sorriso carinhoso da senhora que estava servindo o suco.
— Amo a maneira como só você e Liam conseguem acordar de bom humor nessa casa. Sorte sua não ter que esperar dar 9 horas para falar com sua mãe durante a semana. — Geoff, meu padrasto, ria seguido da minha mãe.
— Sempre depois do café! — Liam complementou, entrando no local e se sentando ao meu lado.
— Vocês têm certeza que não querem ir conosco? — minha mãe questionou, nos olhando com aquele olhar do “Gato de Botas”. Entendia seu lado de querer ficar perto de nós, mas aquelas primeiras semanas realmente eram importantes.
— As Bahamas são melhores que as festas da escola. — foi a vez de Geoff. Ri pelo nariz, após tomar um gole do meu suco. Eles realmente não desistiam.
— Com certeza não para os solteiros, né ? — Liam comentou, me dando uma cotovelada de leve no braço esquerdo.
— Verdade, as Bahamas ficam para a próxima. — respondi e minha mãe e padrasto riram, balançando a cabeça negativamente.
— Como preferirem. — ela se rendeu. — Vão precisar do motorista? Se não precisarem, vou dispensá-lo esse fim de semana. E Judith também.
— Acredito que não, eu ou Liam podemos dirigir e vamos ficar o fim de semana todo no Harry. — digo, colocando uma colherada do meu yogurt na boca.
— Verdade, Anne me disse que iria em um desfile em Milão. — minha mãe disse, com a mão apoiada no queixo como se estivesse tentando se lembrar.
— Ok, então estamos indo, filhos. — Geoff disse, se levantando da cadeira assim como minha mãe e se aproximando de nós. Ele deu um beijo em minha testa e em seguida, na de Liam. — Amamos vocês. — completou, andando em direção a entrada principal da casa.
— Se cuidem! — minha mãe disse, dando um abraço em nós dois e indo atrás de Geoff.
— Por que ele beijou minha testa? — Liam questionou, rindo.
— Ele não queria deixar na cara que sou a filha favorita, então quis demonstrar um certo carinho por você. — me gabei, o vendo revirar os olhos enquanto mastigava.
— Engraçadinha você, hein. — ele respondeu, fazendo careta.
— Vou me arrumar para irmos. Não vai esquecer de fazer uma mala com as roupas, maninho. — me levantei e dei um tapinha nas costas dele.
— Não se esqueça que são só dois dias, e não três meses! — quando estava no primeiro degrau da escada, escutei o grito de Liam.
Ao entrar em meu quarto, suspirei fundo e fui em direção ao que eu mais precisava no momento: minha cama. Antes de pegar no sono, coloquei um despertador para daqui uma hora e fechei os olhos, dormindo quase que instantâneamente.
Acordei após apertar o “mais cinco minutos” do alarme, pelo menos, três vezes e caminhei para o banheiro, enquanto me alongava. Tentei não demorar muito, mas acabei perdendo o controle ao fazer uma hidratação básica no cabelo. Saí, me enrolei na toalha e fui até o closet, pensando em quais roupas eu iria levar e qual iria usar.
Normalmente eu já tenho algo em mente, mas dessa vez realmente não fazia ideia. Peguei algumas peças que eu mais gostava e coloquei na bolsa. Pelo menos minha mala para dormir lá estava pronta.
Penteei e sequei o cabelo e voltei para o closet mais uma vez. Avistei um dos vestidos que eu mais gosto para usar durante o dia e decidi que seria aquele. Passei um creme hidratante no corpo e, após me vestir, espirrei meu perfume favorito em meu colo.
, você teve três horas para se arrumar, não tem o direito de estar atrasada! — ouvi Liam gritar das escadas. Me apressei para calçar os sapatos e já peguei minha bolsa, descendo ao seu encontro.
— Eu cochilei um pouco, ou seja, tive apenas 2 horas. — me justifiquei, enquanto colocava minha mala ao lado de Liam, no chão.
— Você também vai para Bahamas e eu não sabia? — questionou, irônico ao ver o tamanho da mala.
— Liam, vai saber o que vamos decidir fazer esse fim de semana. Tenho que estar preparada para tudo. — a verdade é que eu estava levando muitas roupas porque não consegui escolher a melhor para sair com o Louis. Não que eu esteja nervosa com isso, mas mesmo não sendo um encontro sério, precisava estar bonita!
— Ok, então vamos! — ele disse, pegando nossas malas e descendo para a garagem, enquanto eu o seguia.
Assim que entramos no carro, liguei o rádio para aproveitar o curto caminho. Não demoramos muito para chegar, já que a casa de Harry era no fim da rua. Na verdade todos nós moramos na mesma rua, só que uns são mais no começo e outros mais no final, então normalmente é bem rápido.
— Vocês sempre são tão pontuais… — Harry disse, bocejando enquanto abria a porta com uma cara de sono indescritível.
— Graças ao Liam! — disse, passando por ele e entrando, sendo seguida por Liam com nossas malas, que as levou para o andar de cima. Após isso todos foram chegando aos poucos, não demorou muito e nós dez estávamos reunidos na sala.
— Bom, vamos fazer como sempre, nos dividir? — Zayn questionou, nos olhando. Se tem algo que ele adora fazer é uma boa festa.
— Isso. Como temos uma novata no time, ela fica com o Liam. — Harry disse e concordou. Sabia que ela havia gostado disso, eles se deram bem desde o início.
— Finalmente não vou mais comprar descartáveis sozinho, é muito deprimente. — ele comentou.
— Ok, então ficamos assim: eu e Zayn nas bebidas, Niall e nos petiscos, Liam e nos descartáveis, Louis e ficam encarregados de ficar em casa guardando tudo que for considerado “de extremo valor sentimental para a mamãe" e e ficam encarregadas da decoração. — Harry informou e todos concordamos. Estamos sempre tentando variar de duplas para que possamos aproveitar esses momentos com todos.
Após alguns minutos com todos se organizando, as duplas foram saindo um por um até que ficamos apenas eu e Louis.
— Ficamos com a melhor tarefa. — Louis suspirou, se jogando no sofá. — É basicamente guardar tudo de valor para a Anne e ficar sentado vendo filme.
— Podemos aproveitar e conversar sobre as extracurriculares. — disse, dando risada. Sabia que ele estava fugindo do assunto, mas era engraçado vê-lo tentando me contornar.
, , … — Lou disse, caminhando até mim. — Conversamos sobre isso no nosso encontro, conforme eu te prometi. Agora se quiser fazer outra coisa comigo, estou aberto a sugestões. — diz brincalhão, dando uma piscadinha.
— Com certeza eu quero. Vamos começar levando aquele quadro ali para o quarto, depois guardamos as demais decorações, abajures, flores e por último afastamos alguns móveis. — expliquei, apontando para os objetos. Ele apenas concordou com a cabeça e então começamos a arrumar as coisas.

Harry POV.

A casa estava incrível, as meninas fizeram um ótimo trabalho, assim como na festa do Lawrence. As luzes já estavam apagadas e apenas alguns leds coloridos iluminavam a casa.
As pessoas começaram a chegar aos poucos, mas a casa se encheu em um piscar de olhos e, quando percebi, a música já estava alta demais devido às conversas. Aquela seria uma ótima festa, tinha um sexto sentido com festas. E meninas. Mas principalmente festas.
Fizemos um pedágio na entrada da casa e, toda pessoa que chegava, precisava tomar um shot. Ou seja, não demoraria para ficarmos bêbados. Andei até a cozinha para pegar uma bebida e decidi dar uma volta, ver se encontrava alguém interessante talvez.
Bem onde era a sala de estar, as meninas fizeram a pista de dança, onde várias pessoas dançavam e pulavam. Ao passar por perto, avistei , e gargalhando, enquanto claramente curtiam a música que tocava. Decidi me aproximar e, ao me ver, deu um grito, me abraçando.
— Harry! O que está fazendo sozinho? — ela perguntou, enquanto segurava meus braços e me fazia dançar com ela e .
— Fui pegar uma bebida e fazer o reconhecimento do local. Ver o que tem de novo, né. — respondi, com um sorriso malicioso.
— Por que não estou impressionada? — disse, irônica e nós rimos. — Pelo menos viu algo de bom?
— Uma completa desconhecida ruiva. Não é muito o meu estilo, mas me impressionou. — disse. — E vocês, quais os planos para essa noite?
— Ficar muito louca e dançar, não vi ainda ninguém que valha meu esforço por enquanto. — comentou, me fazendo rir.
— Como se precisasse se esforçar, né. — comentou e a loira sorriu.
— E ai, vai ficar e dançar com a gente? — perguntou, ainda balançando meus braços.
— Acho que volto mais tarde para isso. Ainda não estou bêbado o suficiente para mostrar a meus dotes na dança. — disse, enquanto fazia a coreografia da música “macarena”.
— Tudo bem, mas vou cobrar! — respondeu e eu concordei com a cabeça. Logo me afastei das meninas e voltei a andar pela casa.
Segui para o salão de jogos, que é perto da área de piscina, e pude ver de longe e Liam jogando beer pong com mais duas pessoas, então fui em direção a eles.
— Como vão meus vencedores? — questionei, rindo, enquanto entregava a cada um deles um shot de tequila que havia pegado no meio do caminho.
— Melhor agora — disse após virar a bebida. — Obrigada pelo combustível.
— Quer ficar para nos ver vencer como sempre? — Liam questionou, também tomando seu shot.
— Acho que não é dessa vez que vou lhes dar um pouco do prazer da minha presença. — de todas as duplas de beer pong, ele e eram de longe a melhor. Sempre que jogavam juntos, ganhavam. Fui tirado dos meus pensamentos com o grito de Liam.
— É isso, parceira! — ele e pularam, fazendo um hi-5 no ar. — Somos demais!!
— Tem certeza que não quer jogar, Harry? — questionou, encarando a dupla do outro lado da mesa, que mirava a bolinha em um dos copos do nosso lado.
— Sim, vou lá fora tomar um ar. Eu daria boa sorte, mas vocês não precisam. — disse, me retirando do local e me dirigindo em direção a piscina. Com certeza era o lugar que mais tinham pessoas na casa, tanto dentro quanto na área ao redor.
Mas foi então que eu vi um bolo de gente formando uma roda. Eu já sabia bem o que era e quem eram os responsáveis, então me aproximei mais.
— E ai, Hazza. Topa uma competição de beber a cerveja do barril de cabeça para baixo? — Zayn parou do meu lado, carregando um barril enorme de cerveja com Niall. Louis logo vinha atrás, mais animado que qualquer outro ali.
— Tá aí uma coisa que vai me deixar super bêbado, eu topo. — disse, os seguindo para o centro da roda.
— Não acredito que vai entrar nessa. — ouvi a voz da e me virei para encará-la. Ela apenas nos observava, de braços cruzados e com uma sobrancelha arqueada. — Você não aguenta.
— Ah, é? Então te sugiro sentar para ver essa beldade aqui tomando cerveja de cabeça para baixo. Vai ser um belo espetáculo. — disse, apontando para meu corpo e depois para o barril.
— Espero que você engasgue! — ela respondeu, sorrindo para mim.
— Beleza, vamos começar. Todo mundo aqui já sabe as regras. Primeiro: vai ser sorteado no palito quem vai competir com quem. Segundo: vamos levantar os pés de vocês e dar essa mangueira que está conectada no barril. Terceiro: vamos abrir o barril e vocês vão beber a cerveja. Cuidado, o agitamos muito então a bebida vem com muita pressão. E por último, boa sorte aos novatos. — Zayn riu maléfico para todos.
— Você adora fazer essa introdução, né? — questionei.
— Eu me sinto um verdadeiro rei. — ele riu.
Eram dois times, em um: Louis, Niall, Zayn e eu e no outro: Brian, Scott, Phill e um garoto que eu nunca vi na vida.
— Ok, então primeiro vai o Niall contra o Phill. Rapazes, por favor, se dirijam aos seus barris. — após a fala do Zayn, Louis e eu fomos em direção ao barril junto com Niall, para ajudarmos, segurando os pés dele.
— Boa sorte, cara! — disse, piscando para ele.
— Arrebenta esses idiotas, Niall! — Louis não admitia, mas ele era ligeiramente competitivo.
— Vamos ganhar deles! — Niall disse já se apoiando para pegarmos as pernas dele. Foram longos dois minutos de cabeça para baixo, mas Niall aguentou. O gosto da vitória veio quando Phill vomitou.
— É isso ai, mano! — Zayn veio até nós e balançou o Niall no colo, animado.
— Pelo amor de Deus, me coloca no chão, Zayn. — não estou exagerando quando eu falo que tinha certeza que se ele bebesse um gole de água, vomitava.
— Ok, os próximos são Harry e Scott. — meu amigo gritou, apontando para os barris. Olhei para , que me encarava com uma sobrancelha arqueada e os braços cruzados (como sempre), e fui para a minha posição junto com Niall e Louis.
— Preparar… Apontar… Vai! — Zayn ligou o cronômetro e nós ficamos de cabeça para baixo.
— E a vitória é do Harry! Scott, se não consegue aguentar a pressão, não joga, cara. — Zayn se referia ao garoto que havia cuspido toda a bebida. Após vencer essa rodada, fui em direção a , que continuava exatamente do mesmo jeito que há minutos.
— Viu como se ganha? — questionei no ouvido dela, enquanto ela revirava os olhos.
— Chama isso de vitória?! Da próxima vamos jogar eu e você. — ela respondeu e sorriu para mim, irônica.
— Fechado. — disse, já me virando e indo em direção a Louis, porque era a vez dele.
— Gente, eu não sou tão bom nisso, então torçam para o garoto que ninguém conhece ser pior que eu. — realmente o Lou bebia muito, mas não era bom fazendo isso de cabeça para baixo.
— Senhores… preparati, mira, già! — eram raras as vezes em que Zayn ficava bêbado e não se tornava poliglota. Já aconteceu tantas vezes, que eu até conseguia entender o que ele dizia na maioria delas.
— Lou, aguenta mais um pouco que já, já ele vai vomitar! — Niall gritou, sendo respondido com um jóia. Após poucos segundos, Louis cuspiu tudo enquanto o desconhecido se engasgou, fazendo o mesmo.
— Acho que isso pode ser considerado um empate! — Zayn falou, tentando consolar Lou.
— Foi mal, gente. — ele se desculpou, dando um sorriso sem graça.
— Relaxa, cara, vamos para última rodada! Vou apresentar. — disse e ele concordou com a cabeça.
Fui em direção ao barril que Zayn ficava em cima para apresentar e subi. Quando olhei ao redor para, enfim, começar meu discurso, não vi uma pessoa em específico. Olhei em direção a sala de jogos e para a pista de dança e também não vi . Nunca vi alguém que some com tanta facilidade como ela.
O que será que essa louca está aprontando?
— Bom, vamos começar! — me virei para a roda de pessoas, que agora gritavam, animadas. — Quero todo mundo contando até 3 e depois gritando já. — todos me acompanharam na contagem. — UM… DOIS… TRÊS… JÁ!!
— Estão vendo isso? — Louis gritou para todos apontando para Zayn, que estava vomitando. — Esse é o gosto da vitória, meus amigos! — todos riam e batiam palmas para nós.
— Somos os reis desse jogo. — Niall disse, enquanto o Zayn se recompunha e todos fazíamos um hi-5.
A bebida já estava fazendo efeito quando encontrei com as meninas novamente, dessa vez Louis, Niall e Zayn me acompanhavam. e Liam também se aproximavam, claramente bêbados.
— Aproveitando que estamos quase todos aqui, o que acham de um jogo de cartas? — perguntou e logo todos concordaram com ela.
— Vou buscar o baralho no meu quarto. — avisei.
— Ah, e se encontrar com a , diz para ela vir para cá também! — pediu e eu concordei com a cabeça, dando meia volta e indo em direção às escadas.
Louis e haviam colocado uma faixa no corredor do segundo andar, para que ninguém entrasse nos quartos, então estava escuro e vazio. Assim que abri a porta do meu quarto, eu quase tive um filho com o susto que levei.
Como eu não estava enxergando absolutamente nada, vi uma sombra em um formato muito estranho. Estava bêbado demais para presenciar aquilo, sério. Foi então que eu lembrei que meu quarto tinha luz e a acendi. Se eu tivesse gêmeos, esse seria o momento do segundo sair.
— Mas que porra está acontecendo aqui? — perguntei, com a mão no coração. e o cara que ela estava se atracando me olharam, assustados. Engraçado, o quarto é meu e eles que se assustam.
— Ah, oi, Harry — o garoto moreno olhou para mim, dando um sorrisinho.
— Que porra de oi o quê, sai do meu quarto agora! — disse, apontando para a porta e o garoto saiu apressado. Voltei minha atenção para , que me olhava com cara de enterro.
O meu, no caso.
— O que foi isso? — ela questionou, incrédula.
— Você veio se agarrar com um cara no MEU QUARTO?! — respondi, mais incrédulo ainda.
— Calma, nervosinho. — como ela podia estar tão calma? — Nem chegou a rolar nada. — deu de ombros e sentou na minha cama.
— Porque eu cheguei! — disse, cruzando os braços.
— Em uma péssima hora, aliás. — disse, revirando os olhos.
— Ok, agora vamos descer, vai. Levanta daí. — disse, me dirigindo ao armário em que eu guardava as cartas e as pegando. Quando fui em direção a porta, passei por e falei próximo de seu ouvido. — Ah, e da próxima vez que você quiser vir com alguém no meu quarto, é só me chamar. — então saí em direção às escadas e pude ouvi-la bufando e fechando a porta.
Descemos juntos e, ao nos aproximarmos dos nossos oito amigos, eles já haviam formado uma roda gigante com, inclusive, pessoas que eu nunca vi. era a pessoa que organizava as pessoas e assim que nos viu, nos encaixou entre Zayn e uma outra menina ruiva que eu não me lembrava o nome.
— O que tá rolando? — perguntou.
— Vamos jogar Suck and Blow. — ela respondeu, animada e se virou para a roda novamente. — Para quem não sabe como é, você basicamente tem que passar a carta para a pessoa do seu lado usando a boca e, se ela cair, vocês se beijam e a pessoa que derrubou bebe um shot. Ah e, por exemplo, se cair no Louis, quem vai começar a passar a carta vai ser ele. A ideia é a roda inteira passar a carta sem deixar cair.
— Beleza, então eu começo. — eu disse, pegando uma das cartas. Suguei-a e virei em direção a , que conversava com Zayn ao seu lado e nem reparou em mim. — , porra. Vou ser obrigado a pensar que você quer me beijar, sabe…
— Eca, Styles. — ela respondeu, revirando os olhos. — Tá legal, vai logo.
Fiz o mesmo e dessa vez ela pegou a carta com a boca, passando para Zayn, que passou para e Niall, que na tentativa de passar para , deixou cair. A roda inteira gritou, incentivando o beijo entre eles.
Esse irlandês é um safado, deixou cair de propósito, tinha certeza disso.
riu, já com as bochechas vermelhas e deu um selinho em Niall, que antes tomou seu shot. Em seguida eles recomeçaram o jogo. passou a carta para Liam, que passou a carta para , que deixou cair quando se aproximava da boca de Louis, lhe dando um selinho sem querer.
— Poxa, , podia ter me falado que queria um beijinho. — Louis disse e eu diria que ela não podia ficar mais vermelha que aquilo. Sério.
— Besta. — ela respondeu, rindo, tomando um shot e, em seguida, o beijando.
Dessa vez conseguiu passar a carta para Lou, que passou para e assim por diante. Bom, pelo menos até sete pessoas depois, já que uma menina deixou a carta cair também e fez o mesmo com uma outra que estava do seu lado.
Finalmente a carta chegou em mim novamente e começamos a segunda rodada.
passou para Zayn e ele deixou cair antes mesmo de se virar para , então eles tiveram que dar um beijo e ele tomou um shot. Nessa rodada, poucas pessoas haviam deixado a carta cair, mas com certeza foi sorte, porque as próximas foram ladeira abaixo.
Na sexta rodada, todos já haviam tomado shots demais, então era bem mais fácil para deixar a carta cair, o que aconteceu com Niall e novamente, mas dessa vez foi ela quem deixou cair ao pegar a carta dele.
Eles se separaram rindo e então continuamos, o que não durou muito. No fim do jogo, praticamente todos haviam se beijado.
— Nossa, se eu soubesse que todo mundo ia se beijar, era mais fácil fazer uma fileira e todos saírem se beijando. — disse, rindo, e então pareceu se lembrar de algo. — Menos o Liam e a , claro.
— Esse é o espírito! — Zayn falou, fazendo um hi-5 com ela, enquanto todos nós riamos.
— Eu não beijaria você nem por um milhão. — disse, me olhando.
— Vou deixar você acreditar nisso. — sorri, dando uma piscadinha.
— Amiga, você tá bem? — olhava para , que resmungou algo inaudível.
— É, acho que não. — Louis concluiu.
— Acho melhor a levarmos para o quarto para descansar. — falou e todos concordamos. se aproximou dela e passou o braço esquerdo ao redor da sua cintura.
— Vou levá-la e depois desço. Você me ajuda, Zayn? — perguntou, olhando para o moreno.
— Claro! — ele respondeu, pegando no colo e seguindo , que ia tirando as faixas do caminho até o quarto.
Já estava bem tarde, então as pessoas foram embora e a casa já estava praticamente vazia novamente.
— E o que vamos fazer agora? — Liam questionou, se sentando no sofá.
— Pipoca e filme? — respondi e todos concordaram, fazendo o mesmo que Liam.
Logo e Zayn desceram, Louis e Niall já tinham feito a pipoca e demos play no filme.

POV.

— Ok, esse filme é simplesmente horrível. — Zayn disse quando os créditos começaram a passar na tela, enquanto se levantava. — Vou deitar.
— Eu também! — se levantou. — Boa noite a todos.
Assim como Zayn e , Harry também foi deitar, restando apenas , Louis, eu e Niall.
, podemos ir lá fora um pouco? — o loiro me questionou, ao ver que os outros dois já estavam quase dormindo.
— Claro! — disse, me levantando e o seguindo em direção a piscina.
Já se passou algum tempo desde a última vez que eu e Niall ficamos realmente sozinhos bêbados. A verdade é que nós sempre tivemos um certo affair, se é que podemos chamar desse jeito, mas nunca deu em nada. Nós somos como aqueles casais de amigos de comédia romântica que vez ou outra ficam e, até hoje, nunca resultou em algo a mais, afinal somos amigos acima de tudo, então existe um certo receio em dar errado. De qualquer forma, eu amo a amizade que temos mais do que qualquer coisa.
— Lembra de quando nadamos pelados na piscina da escola? — ele perguntou, enquanto andávamos até a borda da piscina.
— E como eu poderia me esquecer? — disse, rindo.

*Flashback on
Eu estava no meu quarto assistindo um documentário sobre reciclagem que a professora de italiano havia pedido, quando escutei um barulho na minha janela. Levantei e fui até lá, olhando para baixo. Niall acenou assim que me viu e, após desbloquear o celular, começou a fazer algo nele. Logo em seguida, meu celular vibrou e eu atendi.
— O que está fazendo aqui? — sussurrei para não acordar .
— Estou te esperando aqui embaixo em cinco minutos. Por favor, venha antes que a Sra. List me pegue aqui. — ele disse e então desligou.
Rapidamente troquei meu pijama por um vestido simples e desci em silêncio. Era uma daquelas noites raras em que estava fazendo calor em Wisley, então o clima estava bem gostoso.
— Para onde vai me levar? — questionei Niall, sussurrando e ele apenas pegou em minha mão esquerda, me levando em direção ao grande campo. Quando estávamos terminando de atravessá-lo, ele tapou meus olhos com suas mãos e me guiou pelo resto do caminho.
— Chegamos! — disse, retirando a mão dos meus olhos e se sentando na beira da piscina. — São raros os anos em que se faz esse calor aqui, então vamos aproveitar. — explicou.
— Se tivesse me avisado, eu teria colocado um biquíni. — disse, rindo e me sentando ao seu lado.
— Mas a intenção é exatamente nadar sem nada. — ele disse, como se fosse óbvio e comecei a rir. Esse menino tem cada ideia…
— Mas e se pegarem a gente? — questionei, olhando ao redor. Pior do que ser pega na piscina depois do toque de recolher, é ser pega na piscina depois do toque de recolher pelada.
— Não vão, é só tentarmos não fazer muito barulho. — ele comentou, dando um sorrisinho de lado. Niall se levantou e começou a tirar as peças de roupa que usava, entrando na piscina em seguida. — Você não vem?
— Tá legal, eu vou! — disse, me rendendo aquele momento. Levantei, tirei meu vestido e pulei.
Aquela foi uma das melhores noites que já tivemos, ficamos até quase amanhecer nadando, nos beijando e até fizemos algumas coisinhas a mais. Infelizmente, como tudo termina, tivemos que voltar para nossos quartos para dormir, mas realmente foi um momento incrível.
*Flashback off
— Aquele dia foi incrível. — Niall disse, como se estivesse lembrando.
— Foi mesmo. — concordo, sorrindo ao lembrar também.
— Pensei que nunca mais faria aquele calor, ainda mais em Londres.
— É verdade, em Wisley o verão costuma durar um pouco mais, além de ser um pouco mais quente. — respondi.
— Bom, já que temos o privilégio de ter o calor de Wisley em Londres, o que acha de relembrarmos os velhos momentos? — ele questionou, se levantando e me estendendo a mão.
— Não tenho como negar um pedido desses… — disse, pegando em sua mão estendida e me levantando. Tenho plena certeza que se estivesse 100% sóbria não responderia assim tão rápido. Enquanto tirava minha roupa, percebi que Niall já havia pulado.
— E aí, você vem ou não? — ele me questionou e então eu pulei, sentindo a água fresca por todo o meu corpo.
Ficamos por um tempo nos acostumando com a água, até que Niall se aproximou de mim.
— Já faz um tempo que não ficamos assim… só nós.
— Pois é, estava com saudades desses momentos. — respondi, dando um toque leve em seu nariz.
— Eu também estava. — ele riu. Niall me observava e nossos olhos se encontraram. — Sabe, , vivemos bons momentos…
— E ainda vamos viver mais. — disse, sorrindo.
— Vamos… — ele concordou e se aproximou um pouco mais de mim. Nossos rostos estavam perto um do outro e eu conseguia sentir sua respiração em minha bochecha.
Eu já sabia o que viria a seguir e, justamente por esse motivo, meu corpo esquentou ao sentir o de Niall me tocando. Suas mãos passaram por minhas coxas e subiram para a cintura.
Suspirei com o contato e, como se fosse um incentivo, ele agarrou minha nuca e colou nossos lábios. Me entreguei totalmente no momento, passando meus braços ao redor de seu pescoço, colando ainda mais nossos corpos. Aquele era um beijo intenso e cheio de vontade.
Entrelacei minhas pernas ao redor da cintura de Niall, friccionando nossas intimidades e pude sentir o calor consumindo meu corpo. Ele desceu suas mãos da minha nuca para o meu quadril, nos pressionando mais.
— Niall… — arfei, enquanto ele descia seus beijos por toda a extensão do meu pescoço e colo. Naquela altura meu corpo estava inteiro sob um êxtase inexplicável.
Niall me pressionou contra a borda da piscina enquanto me beijava e levou seus dedos para o meu clítoris, o massageando. Me arqueei para trás enquanto tentava conter os meus gemidos. Com a mão livre, ele passou a acariciar os meus mamilos e então voltou a me beijar. Pude sentir dois de seus dedos entrarem em mim e gemi contra sua boca, o que o fez intensificar os movimentos.
Separei nossos lábios e encostei minha testa na dele, enquanto sentia todas aquelas sensações aumentando cada vez mais e mais.
— Niall, eu vou… — comecei a dizer, mas não consegui terminar. Enquanto me penetrava, seu polegar friccionou meu clitoris, fazendo movimentos circulares, e aquela foi minha perdição. Fechei os olhos, com a respiração descompassada e gemi seu nome.
Niall me beijou lentamente, enquanto eu me recuperava e me levou até os degraus, onde se sentou comigo em seu colo.
Intensifiquei o beijo e rebolei em seu membro, o que o fez gemer em minha boca.
— Caralho, … — ele jogou a cabeça para trás, enquanto eu descia os beijos para o seu pescoço. Desci minha mão e o encaixei dentro de mim, começando a fazer movimentos de vai e vem.
Nossos corpos estavam molhados, Niall chupava os meus seios enquanto, com suas mãos em meu quadril, me ajudava a rebolar cada vez mais rápido em cima dele. Era notável o prazer que percorria os nossos corpos naquele momento.
… — ele dizia entre suspiros. — Não para, eu estou quase… — sua voz rouca, sussurrando em meu ouvido me deixava ainda mais excitada.
Continuei os movimentos mais um pouco, até Niall me pressionar contra seu corpo ao gozar, enquanto gemia meu nome.
Ao ver que eu estava perto também, ele massageou meu clitóris novamente, enquanto ainda estava dentro de mim e, pela segunda vez naquela noite, tive um orgasmo. Minhas pernas estavam trêmulas e a respiração de nós dois, descompassada.
Ficamos um tempo na mesma posição até que eu tomei forças para falar.
— Realmente estamos fazendo ótimas memórias. — ele comentou, me olhando e rimos.
— Não tenho nem como discordar. — respondi, sorrindo e recebi um selinho demorado em meus lábios.
Escutamos um barulho dentro da casa e nos olhamos, assustados.
— Melhor nos vestirmos. — disse e Niall concordou. Então saímos da piscina e fomos direto para o banheiro da área externa, onde tomamos banho e nos enrolamos nas toalhas.
Nossas bolsas com roupas estavam no segundo andar, então entramos na casa com o maior cuidado. Suspirei, aliviada, ao ver que e Louis já dormiam e que nenhum dos outros estava acordado.
Subimos para o quarto de visitas onde iríamos dormir e colocamos o pijama. Já estava cansada, então apenas deitei ao lado de Niall, que me olhava.
— Boa noite, . — ele desejou e eu sorri.
— Boa noite, Niall.
Fechei os olhos e, em poucos minutos, já estava dormindo.





Continua...



Nota das autoras: Oie, gente! Primeiramente gostaríamos de agradecer pelas visualizações desde que começamos a reescrever a história. Ficamos duas vezes seguidas nas mais lidas da semana e isso é super importante! Então obrigada.
Mas agora falando do que importa: O que acharam desse capítulo?
Essa foi uma festa interessante, tivemos várias interações dos 10 adolescentes do jeitinho que sempre gostamos.
Harry quase teve um ataque ao ver Jade beijando outro cara em seu quarto. Será que nosso Curly boy estava com ciúmes?
Niall e Josie também tiveram um momento... intenso kkkk vamos ver onde essa amizade colorida vai dar.
Agora é esperar o próximo para ver o que vai rolar no encontro da Kate e do Louis para ver se ela vai conseguir não cair nas graças do Tommo e fazer seu trabalho.
É isso, esperamos que estejam gostando e não esqueçam de comentar!
Entrem no grupo do facebook e na pasta do Pinterest, nos vemos no próximo capítulo!
Xoxo






O Disqus está um pouco instável ultimamente e, às vezes, a caixinha de comentários pode não aparecer. Então, caso você queira deixar as autoras felizes com um comentário, é só clicar AQUI.



Nota da beta: Realmente, meninas, esse capítulo foram fortes emoções, hein? Eu ameeeeei hahahahaha muito fogo, ciúmes, amando muito essa reescrita, ansiosa pela continuação.


Lembrando que qualquer erro nessa atualização e reclamações somente no e-mail.
Para saber quando essa fic vai atualizar, acompanhe aqui.


comments powered by Disqus