Contador:
Finalizada em 05/01/2021

Capítulo Único

*Música tema da fanfic: Replay - Jay Park (Aqui)



era a responsável por seu sucesso com a turnê e com a música All I Wanna Do. Desde que Everything You Wanted teve sua tour finalizada, o álbum era o mais vendido de . E ele não voltou para agradecer verdadeiramente , e nem cumprir a promessa que ele a fizera. Poderia dizer que era tolice se apegar àquilo e que ela talvez nem se importasse, mas o fato de ter sido ela a mulher que dominou seu pensamentos durante meses de show, o afugentou. não se apaixonava.

Ele não podia admitir aquilo de uma forma tão boba já que foi apenas uma noite de sexo com , a razão para não esquecer mais a mulher. E as lembranças. Mas, o mesmo que não se apaixonava encantou-se por Liu, a camareira do hotel em que se escondeu após a turnê. Isso depois de foder com Akemi, a namorada do amigo, sem saber. E agora estava com tantos problemas na sua vida que as memórias de sumiram, embora, não por muito mais tempo. O destino parecia lhe cobrar que sentisse culpa por ter fugido, e que encarasse sua musa inspiradora de frente, quando colocou Okasian e sua maldita ideia de sociedade num prostíbulo bem ao encargo de .


Flashback¹


saiu da reunião pronto para fazer o que havia prometido à Okasian. Chegou em sua casa e se arrumou perfeitamente. E embora soubesse que, seria uma falta de vergonha na cara aparecer após tanto tempo, ele não podia deixar de sorrir recordando a noite que tivera com .
A fachada da Insanity Club continuava a mesma, mas lá dentro tudo estava diferente. Havia uma atmosfera muito mais promíscua ali, do que ele se lembrava. Algumas dançarinas no palco exibiam coreografias sensuais. E procurou por Oka. Ele estava sentado em uma das mesas perto do palco.

— Para quem é detestado pela proprietária, você não foi discreto em sentar aqui.
— Ela sabe que vez ou outra eu apareço. E aí, tudo certo?
— Sim. Viu se ela já chegou?
— Já sim. Pude vê-la subir ao escritório. Talvez, esteja nos vendo aqui.

Okasian mandou um beijinho no ar, em direção ao vidro da sala de . Ele não podia ver nada devido ao vidro fumê. Mas, sempre fazia aquele tipo de gracinhas, pois, sabia que quando estava no clube, ficava o vigiando.

— Eu vou até lá.
— Espera aí, ! Divirta-se um pouco! A conversa com a senhorita "não sou cafetina" vai ser exaustiva.

revirou os olhos e ajeitou sua jaqueta caminhando em direção ao escritório. Ainda ao pé da escada, Pietro parou .

— Não pode subir sem ser anunciado.
— Ah certo… Por favor, avise que eu preciso falar com ela. – ele pediu entediado pela formalidade.

Assim que Pietro surgiu novamente ao topo da escada, subiu. Como na primeira vez que estivera ali, ele fora anunciado. Mas, já não dava tanta atenção à presença dele como na primeira vez. Estava sentada em sua cadeira, concentrada em seus trabalhos no computador, quando entrou no escritório e sentou-se no mesmo sofá de antes.

— O que faz aqui, ?
— É bom revê-la também .
— Tanto faz. Achei que seria mais grato a mim, quando retornasse.
— Sentiu minha falta? – ele perguntou sorrindo.
— Não. Mas, All I Wanna Do foi um sucesso e eu não recebi ao menos um agradecimento.
— Estou aqui, não é?
— Está. Mas, só porque Okasian precisa de algo.

Ela se levantou de sua cadeira e direcionou-se ao barzinho, serviu dois drinques e sentou-se ao lado de , o estendendo um copo.

— Então diga, . O que ele pediu a você?
— Vocês se conheceram como?
— Ele era frequentador da casa, mas, encontrou uma oportunidade de ganhar dinheiro com prostituição. Roubou nossas ideias, clientes e alguns parceiros.
— Roubar é um pouco forte, não?
— Por que veio mediar isso?
— Apenas acho que não há concorrência. Como você disse há algum tempo… A Insanity é uma casa de arte. Enquanto a Purple é um bordel. Não é como antigamente em sua família. São clientes diferentes.
— O que o Okasian não deve tê-lo contado, ao que me parece, é que ele utilizou o meu nome e influência, sem a minha permissão, para divulgar e conseguir os contatos para a Purple. E estamos em processo por isso.
Aish… Por isso ele falou para eu esquecer… – refletia confuso.
, eu tenho trabalho a fazer. O que você quer?
— Está ressentida por que eu não voltei para conquistá-la?
— Claro que não. Apenas, não estou mesmo com tempo.
— Ok… Vou direto ao ponto então: eu vim propor uma sociedade entre a sua casa, e a Purple. Okasian me ofereceu uma proposta de sociedade, mas eu não posso e não quero me envolver diretamente com isso.
— Até porque anda envolvido com coisas piores, não é…
— Como?
— Acho sensato da sua parte se precaver, mas, um tanto quanto contraditório. Tráfico é muito pior do que prostituição, .

se aproximou dela com cautela, e encarando os olhos extremamente maquiados de , ele sussurrou:

— De onde tirou isso?
— Tenho meus contatos… – ela respondeu sussurrando e rindo em seguida.

olhou-a em dúvida e levantou-se do sofá, e caminhou até sua mesa, mas, levantou-se rápido segurando a mulher pelo braço. Girou o corpo dela colando-se nela.

— O que é isso agora? Vai calar a minha boca com um beijo?
— Só para lembrar…
Assim que a respondeu, avançou à boca de num beijo quente e correspondido.

¹: até aqui, trecho da história anterior MV: You know, disponível no FFOBS.

— Me solta, !
— Tem certeza que quer isso? – ele perguntou risonho e malicioso obtendo um beijo dela como resposta.

segurava o corpo de com certa saudade, não poderia negar. A turnê com seu álbum novo, e a música que o corpo de ajudou a compor havia sido um sucesso, e ele não deixou de pensar nela em nenhum momento. Inclusive, escondia que sua passagem de férias por Phuket, no Secret Cliff Resort onde toda aquela merda de confusão atual em sua vida havia começado, tinha uma razão diferente da desculpa de "descansar da turnê": não queria voltar para reencontrar . Passara toda a turnê pensando nela, e aquilo era assustador e preocupante. Depois seus pensamentos foram invadido por Liu, e ele nunca imaginou que voltaria a ver um dia.
Agora estava ali beijando a boca quente dela, apertando o corpo sinuoso da mulher junto ao seu, e sentindo o perfume forte e inebriante dela de novo. apresentava certa resistência, e era justo. Ele não cumpriu a promessa. Mas, tentaria persuadi-la, até porque o corpo de resistia menos do que deveria aos toques dele. Aquilo certamente deveria dizer alguma coisa.
Ele foi empurrando aos poucos o corpo de até a porta do seu escritório, e trancou-a sussurrando ao ouvido dela:

— Lembra quando fodemos gostoso nesse escritório?
— Lembro também que você me deve, ! E vai pagar com sexo!
— A melhor forma de pagar minha dívida… Mas hoje, eu quero que você confie em mim,

A mulher deixou de beijar o pescoço dele e o encarou com surpresa. sorriu ladino e caminhou até o sofá do escritório dela, sentando ali e deixando confusa à porta.

— É só um show. Você já sabe como fazer, e como eu gosto. Faz pra mim?
— Você quer um stripper? – ela perguntou risonha pelo pedido dele, que mais a confessava do que ele não havia esquecido.
— Só para começar… Da última vez sua roupa revelava bem, mas está muito comportadinha hoje neste decote e calças.
— É você quem deveria ficar nu para mim, . É você quem está pagando uma dívida aqui! – ela falou com certo humor e começou a abrir o zíper de seu decote deixando-o maior e mais visível.
— Tire a sua blusa , depois a calça, mas deixe comigo a lingerie.

A mulher sorriu concordando e se aproximou a poucos passos, sensual e cheia de maldade. Torturaria por não ter voltado antes.

— Ok… Mas eu estou com pouco tempo, e vou ser bem rápida!
— Só me imagine em cima de você e esquece todo resto, .

observou o olhar tenso de sobre seu sorriso tranquilo, e pensou como ele poderia ser tão gostoso daquele jeito. Queria foder com ele de tantas formas que achava um ultraje estar caindo no visco do de novo. Mas lá estava ela, desabotoando sua calça, e descendo a peça lentamente deixando visível a sua lingerie transparente, e com gestos sensuais sendo captada atentamente pelo olhar cheio de desejo do homem na sua frente, que estava sentado todo pronto para receber o corpo dela em seu colo. E que não sabia o que ela faria ainda.

— Transparente… perfeito… você sempre mostra o que um homem gostaria de ver, sempre preparada… parece até que me esperava, né gostosa?
— Foder está sempre nos meus planos , mas nem sempre com você, já que você foge de mim.

Ela aproximou-se ainda mais dele, passando suas duas pernas pelas pernas dele, e puxando o rosto de para sua barriga. Desceu lentamente rebolando pelo seu colo até sua bunda encostar-se nas coxas dele, e o rosto de afundar em seus seios. Ele pegou a cintura dela mais forte e ora apertava sua bunda, ora arranhava as costas dela, enquanto lambia o colo e seios de sem tirar os olhos dos olhos dela. puxou o rosto dele de encontro ao seu num beijo sensual, molhado e lento. Explorava a boca dele com vontade enquanto empinava sua bunda ainda mais para apertar, e suas mãos desabotoavam as calças dele.
Não demorou para que ela começasse a chupar o sexo de , e ouvir seus grunhidos, seus gemidos e sentir os carinhos e massagens pesadas das mãos dele em seus ombros, a fim de deixar o corpo dela ainda mais cheio de vontade de ter o pau de dentro de si.

— Sua língua é um veludo bebê… – falou apreciando o oral de , e tendo como resposta um grunhido e um olhar sensual da mulher — Chega, … Hora de socar fundo em você!

finalizou o ato, observando ofegante segurando a ejaculação e gargalhou quando se levantou e ele pegou os quadris dela com vontade.

— Não do seu jeito, gostoso!

Ela empurrou de modo a fazer sua costas encostarem-se ao sofá e com as mãos firmes no cabelo dele, beijou sua boca de modo agressivo e depois passou a língua por toda a parte de seu rosto, enquanto isso, sua mão livre massageava os testículos dele, que não resistiria muito mais.

— Porra , para caralho! Senta logo no meu pau! – ele reclamou rindo, deixando notório que não aguentava mais e facilmente arrebentou o elástico da calcinha dela.
— Caralho ! Não precisava arr…
— Eu posso castigar também, gostosa! – ele a interrompeu penetrando três dedos de uma vez e fazendo soltar um gritinho.

Ele começou a provocar e logo a mulher rebolava em seus dedos e gemia entre xingamentos e pedidos por mais. Até que também perdeu a paciência e segurou firme no pau de o colocando em sua entrada, e sentou com vontade. Ela quicava no colo dele, chupava seus seios e pescoço enquanto a mulher gemia mais e grunhia a cada vez que os dedos dele apertavam seu clitóris.


— Mais forte amor?
— Fundo, isso.. Não para…

O replay entre e não foi nem um pouco menor do que a primeira vez. Pelo contrário! Se ela já estava na cabeça dele antes, agora poderia ser ela a mulher que o faria se livrar daquela paixão doída por Liu, a dançarina a qual ele se apaixonou e perdeu para o melhor amigo.
Os dois terminaram o sexo da noite, e se vestiram. Mas a despedida foi exatamente como havia planejado:

— Consuma muito na casa hoje, porque já que me pagou uma parte tirando as calças, vai pagar em dinheiro lá em baixo.
, sobre eu não ter te agradecido antes e..
— Verdade! – ela o interrompeu — Você me deve ⅓ do que lucrou com All I Wanna Do! É justo não é?

o perguntou já sentada em sua cadeira imponente do escritório.

— Sim, mas não é disso que eu estou falando… É só que…
! – ela interrompeu de novo: — Eu sei tudo o que você andou fazendo, então poupe-se de mentir pra mim ok? Eu não sou o tipo que fica na cola, e você deve ter notado. Me pague em dinheiro pelo sucesso que a minha bucetinha deu a você. E diga ao Okasian que eu não aceito porra nenhuma de sociedade.
— Eu já sabia disso, acho que vir aqui foi mais pela culpa e por saudade da sua bucetinha também.. – deu de ombros, e falou um pouco ríspido.

Ele não esperava ser bem recebido e nem mesmo que a mulher permitiria um replay tão gostoso como o que tiveram, mas não esperava também que depois de ceder ela não zeraria o placar. Ele estava ali diante dela e fazendo o que nunca fez por ninguém: baixando a guarda. E talvez fosse o ego já fodidamente esmagado por Liu, mas ter o tratando daquele jeito estava o irritando muito!

— Então já que já teve o que queria, me pague o que deve de verdade se tem alguma gratidão em si, e leve isso com você… – ela jogou a sua calcinha rasgada na direção dele que rapidamente pegou e cheirou sorrindo: — Isso é tudo que vai ter de mim agora .

O olhar brincalhão que tinha em seu rosto por aquela "bandeira" jogada desapareceu na mesma hora que entendeu que ela estava o dispensando de vez.

— Pode ir, .
— Foi bom te rever .

Ela não falou mais nada, apenas acenou e sorriu concordando. desceu as escadas, de volta aonde Okasian estava, com arrependimento: se tivesse voltado e não fugido dos sentimentos poderia estar feliz com ela, ou a menos se divertindo mais. Não teria voltado às drogas por conta de Liu e Gray: o casal que ele mais detestava. Não teria se metido com Akemi que agora esperava um suposto filho seu. E não teria conhecido Liu também. Ou seja, se tivesse voltado para fazer de sua musa inspiradora e stripper oficial, como a propusera antes, estaria agora, talvez, dormindo com ela em seu colo. Sem fim.


FIM



Nota da autora: Mais uma short do especial! E essa como vocês puderam ver é um crossover de All I Wanna Do, com os meus MVS do Jay Park. Então se tu não leste antes as histórias passadas, não perde tempo! Espero que gostem dessas também! Deixem comentários, por favor e até a próxima! 😍



Outras fanfics: todos links se encontram na página de autora acima.

Em andamento: • Linger • No Coração da Fazenda •
Deste Especial: • Run It • Ensaio Sobre Ela • Castelo de Cartas • Teoria da Branca de Neve • Oasis

Qualquer erro no layout dessa fanfic, notifique-me somente por e-mail.


comments powered by Disqus