Enviado em: 05/02/2021

Capítulo Único

Kim Namjoon podia ser tudo, mas uma coisa que ele tinha de melhor era a paciência. Claro, até certo ponto. A verdade era que dentro daquela sala, com seus seis melhores amigos, ele tinha a certeza de que estava, de todas as formas, menos paciente. Já havia perdido as contas de quantas vezes havia tentado ensinar a todos a pronúncia certa de “Be Yourself” e “You’re So Lovely”. Era até engraçado ouvir e ver toda aquela tentativa ao tentarem dizer as palavras e ainda mais as caras e bocas que faziam. Namjoon só não contava que aquele trabalho iria ser enorme e estressante.
Pelo que já estava observando, Jungkook, Jimin e Hoseok eram os que estavam salvando naquele momento. A pronúncia não era perfeita, mas conseguiam passar despercebidos. Até mesmo Yoongi não dava tanto trabalho assim em aprender. O rapaz aprendia rápido. Agora Jin e Taehyung... Bom, para eles, não tinha salvação. Não daquele jeito.
Ele colocou uma das mãos em sua cintura e a outra foi erguida até a testa, massageando a mesma ao ver a cena em sua frente.
Havia risadas, tentativas frustrantes e erradas de falar o certo – o que eles realmente achavam que estava –, e, principalmente, a confusão da mistura de vozes no recinto.
Com um pouco mais de dificuldade, Namjoon se aproximou do sofá de couro e deixou seu corpo cair ali, já sem saber o que fazer.
— Pelo visto, não tem jeito para vocês. — comentou em um tom frustrado. — Como pode ser tão difícil conseguir falar certo?
— Você fala isso porque para você foi fácil, ainda mais com Friends. — Jin falou alto, do outro lado da sala. O restante começou a comentar sobre o fato.
— Eu sinto que nada disso vai entrar na minha cabeça. — Taehyung deu de ombros, olhando para o pequeno maço de folhas em suas mãos.
— Mas tem que entrar. Vocês sabem que o inglês é o mínimo que vocês podem saber. Principalmente porque é essencial para as entrevistas. — Namjoon dizia, na tentativa falha de mostrar paciência com eles. Os rapazes o encararam. — Eu não reclamo nem um pouco de traduzir tudo para vocês, mas não seria interessante vocês mesmo não esperarem por mim para responder?
Os seis ficaram em silêncio por um tempo, pensando seriamente no que haviam acabado de ouvir. Era fato que todos concordavam com aquilo, mas já tinha tanto estresse e a pressão da empresa que a última coisa que queriam pensar, de verdade, era aprender um novo idioma naquele ponto.
Namjoon olhou para seus amigos mais uma vez, pensando se realmente tentaria pela última fazer algo entrar na cabeça daqueles seis. Já havia perdido as contas de quantas coisas diferentes havia tentado ensinar de outras formas e não tinha dado certo. Ele realmente não conseguia entender. Inglês não era uma língua tão difícil, não para ele, mas como sabia que cada um aprendia de sua forma e em seu tempo, até era compreensível toda aquela situação.
Se praguejou por alguns instantes, percebendo que estava sendo rigoroso demais com todos eles.
Talvez não fosse a forma de ensinar, mas sim quem estava ensinando.
— Tudo bem, pessoal. Por hoje é só. — disse, passando as mãos em suas coxas e se levantando em seguida. — Sei que vocês deram o melhor hoje. Fico feliz por isso.
— Foi mal, Namjoon. Eu juro que estou tentando fazer algo entrar na minha cabeça. — Taehyung se aproximou, levantando a apostila em mãos.
— Relaxa, V. Eu sei que não é tão fácil assim. — colocou uma das mãos no ombro do amigo e sorriu. — E vocês aí? O que estão achando?
— Eu consigo diferenciar a palavra “Better” do inglês americano e do britânico. Quer ouvir? — Jimin dizia de forma agitada, achando incrível o fato de conseguir pronunciar. Pelo menos, da sua forma. Namjoon o olhou, soltando uma pequena risada e afirmou com a cabeça, o incentivando. — No americano, falamos de forma mais limpa. Seria “Bérer”. E, no britânico, o tom de voz fica bem mais pesado. Assim, podemos falar “BéTtear”. Ficou legal?
Ao terminar sua explicação, depois de um pequeno momento curto de silêncio, os seis amigos começaram a louvação pelo aprendizado de um dos mais novos. Jimin observou toda a empolgação dos seus amigos e não pôde deixar de sorrir, mostrando seus dentes branquinhos e os olhos pressionados.
RM bateu palmas, percebendo que ele estava aprendendo de forma certa e pronunciando. Até havia ficado engraçado.
— Eu tenho que concordar. Ele falou direitinho. — Suga apontou para o amigo, observando a cena.
— Como pode ser tão fácil assim para vocês? — Jin rolou os olhos, cruzando seus braços de forma despojada. — Principalmente para você, Yoongi. Consegue pegar as coisas em uma facilidade incrível.
— Não tenho culpa se vocês têm um cérebro de azeitona.
Em seguida, podia-se ouvir a risada dos amigos invadindo o local. Com isso, o rapaz deixou um sorriso de canto brotar em seus lábios. Era claro que ele gostava do idioma, não que fosse seu preferido, mas gostava, e isso de certa forma o ajudava a decorar com mais facilidade. Não era algo que fazia questão de aprender, mas aprendia.
Passou os olhos pelos seis dentro da enorme sala da Big Hit e piscou algumas vezes ao ver Namjoon com o celular em mãos, parecendo procurar algo com rapidez.
Colocou a apostila que tinha em mãos no sofá ao lado e se levantou, caminhando até o amigo.
— Não se preocupe tanto assim, RM. Eles vão conseguir.
— Você está sendo bem otimista, e isso é estranho. — o mais alto comentou, arqueando uma das sobrancelhas. — De qualquer forma, eu acho que já sei o que vou fazer.
— O quê? — indagou.
— Já estou verificando algum professor disponível. Para ajudar todos vocês. — no instante em que falou, percebeu a expressão do amigo em confusão. — Estou falando sério. Talvez o problema esteja comigo, e não em vocês.
— Você acha mesmo que isso vai dar certo? Digo, alguém de fora assim?
— Eu quero ajudar vocês. De verdade, mas, pelo que estou vendo, não sou a pessoa certa para isso. — suspirou, colocando o celular apoiado em sua perna direita. Parou por alguns instantes, passando seus olhos por cada um que ali estava. — O que acha?
— Bom... Podemos tentar, apesar de achar loucura. — o rapaz deu de ombros.
Namjoon passou os olhos pela última vez antes de chamar os amigos para saírem do local. Naquele momento, a única coisa que pensou foi que sua ajuda não havia sido tão em vão, mas que seria certo eles aprenderem com alguém formado. Alguém que tivesse a didática perfeita. Que ensinasse de forma correta, mesmo ele sabendo que havia feito praticamente isso todo esse tempo.
Procurou por suas coisas, colocando o casaco marrom em seu braço. Dessa forma, olhou para os demais.
— Vamos? Amanhã podemos continuar.

***

O dia estava chuvoso e todo aquele barulho da chuva caindo pela enorme janela da sala não ajudava em muita coisa, mas, mesmo com isso, o lugar estava animado. Por mais que estivessem conversando entre si e mesmo de forma engraçada entre eles, fazendo brincadeiras com o idioma, tentavam arduamente estudar.
Taehyung estava ao lado de Hoseok, comemorando o fato de ter conseguido gravar uma frase completa. De apenas três palavras, mas completa, e isso para ele havia sido o ápice do seu alívio. Sabia bem que Namjoon continuaria pegando em seu pé se continuasse daquele jeito.
Do outro lado da sala, estavam os demais, tentando conversar entre eles mesmos somente em inglês. O que não estava dando muito certo, já que a mistura das vozes, no final, não dizia nada.
E, observando toda aquela situação, estava Suga. O rapaz tinha uma folha em mãos, com alguns verbos e os fones de ouvidos plugados em sua orelha. Ele estava absorto no próprio mundo como sempre, aquilo não o incomodava. Gostava tanto de ficar daquela forma, somente ele.
A verdade era que Yoongi sabia bastante do idioma. O básico, pelo menos. Não conseguia entender perfeitamente as perguntas que faziam, mas entendia o contexto, portanto não achava tão necessário focar tanto naquilo como Namjoon estava enfatizando.
De qualquer forma, resolveu seguir a ideia do amigo e ali estava ele, com aquela folha cheia de verbos e formas de perguntas e respostas para tentar de alguma forma decorar.
Precisava confessar que a única coisa que ele queria naquele momento era ou continuar ouvindo suas músicas de forma calma ou estar em paz em outro lugar com seu violão.
Antes que pudesse voltar sua atenção para a apostila em sua mão, pôde ouvir a voz de Namjoon invadir a sala.
— Bom dia, pessoal. Como vocês estão? — perguntou, colocando o suporte com alguns copos de café em cima da mesa mais próxima. O rapaz tinha um sorriso nos lábios, como se tivesse feito algo grandioso.
— Qual a novidade de hoje? Temos uma frase nova para decorar? — Jungkook perguntou, também sorrindo. Assim como Jimin, o garoto estava empolgado.
— Vocês vão ter muita coisa para decorar. — deu uma pequena risada, balançando a cabeça. — Mas não vai ser comigo. Quero apresentar uma pessoa a vocês. Sejam educados.
— Oh. Eu adoro suspense. — Hoseok bateu pequenas palminhas, olhando para os lados, na direção de seus amigos. — Quem é?
Com isso, Namjoon deu uma última olhada para os seis espalhados pela sala e abriu a porta atrás de si, chamando a quem quer que estivesse no corredor do lado de fora. Yoongi olhava tudo aquilo de forma curiosa e confusa. Precisava admitir que estava bem interessado no que estava acontecendo, gostava de ver como Namjoon estava entusiasmado em fazer com que todos eles aprendessem de forma correta assim como ele e como seus amigos estavam animados com tudo aquilo.
Naquele momento, Yoongi só observava. Como sempre, estava acostumado a fazer, só não esperava que essa sua pequena mania o fizesse ficar estatelado. Completamente imóvel ao ver aqueles cabelos marrons passarem pela porta ao lado de seu melhor amigo.
Suga podia sentir como se seu coração estivesse parado e algo estranho remexer na boca de seu estômago. Franziu o cenho, sem entender o que estava acontecendo.
Observou atentamente os movimentos da mulher. O sorriso aberto e confiante, o jeito despojado e animado. Ela era o completo oposto de Min Yoongi.
E ele havia sido hipnotizado.
Respirou fundo quase que arfando e passou uma das mãos no cabelo, quase que em automático. Ele não costumava fazer aquilo, e isso só o fez pensar em como aquilo não podia ser mais estranho.
Yoongi não conseguia tirar os olhos daquela garota.
— Ei. Cara. — ouviu a voz de Hoseok bem próximo de si, fazendo com que desse um pequeno pulo no lugar em que estava sentado. Piscou algumas vezes, começando a se sentir desconcertado. — Não fica encarando por muito tempo. É um péssimo modo.
— Eu sei. E eu não estava encarando.
— Claro que não. Você deve ter decorado todos os detalhes da garota de tanto que olhava. — o rapaz ao seu lado soltou uma risadinha animada. — Yoongi, Yoongi...
— Dá pra parar, Jung? — perguntou, se irritando. O outro o olhou por alguns instantes e voltou a rir, saindo em seguida para próximo dos seus amigos. Yoongi respirou pesadamente mais uma vez e umedeceu os lábios, tentando evitar qualquer tipo de contato a partir daquele momento.
Mas sabia que isso não funcionaria.
— Essa é a . A nova tutora de vocês. Espero que a tratem muito bem e, pelo amor de Deus, sem gracinha. — disse a última parte em coreano, se esquecendo bem de que a mulher entendia seu idioma. A mesma soltou uma risadinha baixa, colocando uma das mãos em frente aos lábios.
— Eu concordo. Sem gracinha. soltou, olhando para Namjoon em seguida e, ao notar a expressão avermelhada do rapaz, deixou um sorriso transparecer, rindo com os demais em seguida. Com isso, levantou as mãos, acenando para os seis, que a olhavam de forma curiosa e observadora.
E quem mais fazia o último era Yoongi.
A mulher passou os olhos por cada um ali, tentando decorar a feição para que, assim, fosse fácil distinguir quem era quem. À medida que seu olhar ia passando de um para o outro, sentiu algo puxando sua atenção, e não demorou muito até que seus olhos se encontrassem com os de Suga.
Ele não desviou sua atenção. Continuou a olhando, se perguntando como alguém poderia ser tão... Tão ela. Ele não sabia nem explicar o que estava sentindo naquele momento. Curiosidade, interesse, atração…
Tentou focar sem olhar em outra coisa, mas ela fazia o mesmo que ele. Aquela troca de olhar era explícita demais.
— Vamos começar, o que acham? — Namjoon perguntou com o famoso sorriso enorme nos lábios. Ele realmente estava animado.
Suga consertou sua postura, ainda desconcertado com toda a cena anterior e tentou, mais uma vez, de forma falha, focar em qualquer outra coisa. Talvez no livro em suas mãos, ou até mesmo a música que tocava em seus fones de ouvido.
O problema era que ele não conseguia. Não.
Ele queria muito levantar seu olhar e mirar aqueles olhos castanhos outra vez.
Era estranho em como tudo aquilo era ilógico e mais estranha ainda era toda aquela sensação.
— Como já fui apresentada anteriormente, gostaria de acrescentar que é um prazer trabalhar com vocês e que são os primeiros “alunos” famosos a quem vou dar aula. — disse, soltando uma risadinha fraca. Os seis amigos a acompanharam, balançando a cabeça em acordo. Suga estava absorto demais naquela cena para reagir. — Acho que podemos começar, então! — bateu uma mão na outra e sorriu. — Eu vejo que alguns de vocês já têm um pouco de experiência ou, pelo menos, sabem o básico.
A mulher começou, se aproximando da mesa mais próxima. Ali, depositou sua bola e alguns materiais, se virando para os demais, que ainda a observavam de forma curiosa e interessada.
Yoongi era o único que, além de manter os olhos nela, decorava cada detalhe e cada gesto que ela fazia à medida que ia caminhando e explicando de um lado para o outro. Não era possível que ele estava tão anestesiado assim.
— Eu gostaria de saber então... quem é que responde por vocês. Algum de vocês? Ou vocês têm o próprio tradutor?
— Não. O Namjoon sempre traduz e responde por todos nós. — Jungkook apontou para o mais alto, que ainda se mantinha em pé.
— Não é algo que nos orgulhamos muito, mas eu preciso confessar... O inglês é tão difícil. — Jin comentou de forma dramática. o olhou por alguns segundos, percebendo como cada um ali tinha sua forma de se expressar e até achava uma graça. — Como você consegue?
— Ah, não é tão difícil quanto parece, mas você tem que querer e, além disso, se esforçar. Claro que o tempo também colabora bastante, e eu sei que é algo que vocês não têm. — balançou sua cabeça, compreendendo o rapaz. — Mas isso é algo que vou tentar mudar, de forma que vocês consigam aprender rapidamente e, eu prometo, vocês vão aprender.
— Eu já gostei dela. — o rapaz ouviu um de seus amigos comentar e lentamente balançou sua cabeça.
— Eu também. — Yoongi disse, quase em um sussurro, e se praguejou em seguida ao ver a atenção da mulher voltar para si, quase como se ela tivesse entendido o que ele havia falado. Sentiu seu corpo esquentar, mas, ao ver o sorriso caloroso da mesma em direção a seus amigos novamente, quase que automaticamente aliviou.
era leve, interagia com facilidade e conseguia explicar de forma completamente simples. Suga observou que seus seis amigos olhavam para ela de forma atenta, e até Namjoon prestava atenção em cada palavra que ela falava para eles.
Tinha que admitir que aquela mulher tinha algo especial. Não era possível. O rapaz se pegou pensando em como ela era tão diferente dele e, por alguns instantes, quase sorriu, percebendo que a energia que ela emanava era muito diferente.
“Tanto que quase me fez sorrir.” pensou consigo mesmo.
Com mais algumas explicações, a mesma iniciou um pequeno intervalo e, nele, aproveitava para conhecer um pouco mais de cada um que ali estava. Até chegar a vez de Min Yoongi.
— Você deve ser o Yoongi. — comentou, se aproximando do mesmo. — Suga. Desculpe. RM mencionou tanto você como Yoongi que acabei decorando. E, bom, ele estava certo quanto a dizer que você é um pouco reservado.
— Quase sempre. E eu que peço desculpas por não ter me apresentado.
Que isso. Não tem problemas. Desculpe ter chegado assim, você estava ocupado com o livro em mãos. — apontou para o grosso em suas mãos e sorriu para o rapaz. Ele moveu seus olhos do livro em direção a ela novamente e aliviou sua expressão. — Ah! É um vocabulário? Você tem dificuldade?
— Sim! — disse, quase em um pulo, e se praguejou em seguida por ter dito aquilo. Ele não era ruim no idioma, não mesmo. Mas algo dentro de si o fazia querer que ela ensinasse tudo que ele já sabia, outra vez. — Quer dizer, eu não sou muito bom com algumas palavras...
Ao dizer aquilo, era como se seu corpo estivesse pegando fogo levemente. , ao ver as bochechas do rapaz corarem, abriu um sorriso meigo em sua direção.
— Ei, está tudo bem. Até eu me embolo algumas vezes. — soltou uma pequena risada. — Tenho certeza de que você vai conseguir decorar com muita facilidade.
Yoongi, por alguns segundos, observando a expressão compreensiva da garota a sua frente, se permitiu sorrir. Gostava da forma com que ela os encarava e, principalmente, de como estava o tratando naquele momento.
, ao ver aquele pequeno gesto do rapaz, se sentiu completamente surpresa ao observar o sorriso pequeno nos lábios do homem e seus olhos praticamente fechadinhos. Achou aquela cena a coisa mais calorosa do mundo.
Olhou-o por um bom tempo até cair em si que precisava voltar para o começo de sua aula, mas, antes de voltar para o centro da sala, o olhou por mais uma vez, pensando consigo mesma que aquele rapaz era curioso, mas intrigante.
E aquilo não saía de sua cabeça. Nem da de Yoongi.

***

Já havia se passado algumas semanas desde que havia aparecido no cotidiano do BTS, principalmente no de Min Yoongi. A mulher já se sentia parte daquele grupo, e eles achavam o mesmo dela, adorando a presença da mulher em qualquer parte da Big Hit em que ela estava.
Yoongi sentia o mesmo sentimento da primeira vez que a vira entrando pela porta da sala, senão mais forte que antes. Ainda não entendia ao certo se era certo se sentir daquele jeito, muito menos se queria todo aquele sentimento.
Talvez fosse errado? Sim. Mas e se fosse certo também?
Durante todas as aulas que eles tinham, ele sempre tinha um tempo a mais com . E ela fazia questão de o passar com Yoongi. Inclusive, não o chamava mais de Suga, e sim pelo nome mais íntimo, e isso já era costume para os dois, da mesma forma em que ele a chamava de agora.
O problema era um só. E Yoongi sabia bem disso.
Claro que ele sentia um pouco de culpa, não queria fazer aquilo. Mas se aprendesse de forma rápida, ela iria embora do mesmo jeito, e, no fundo, ele não queria que isso acontecesse. Não mesmo.
Era fato que ele sabia o idioma, sabia pronunciá-lo e até mesmo formar algumas frases, mas havia dado a entender para que não sabia praticamente nada. Isso tudo para que ela passasse mais tempo com ele e, assim, pudesse a conhecer mais.
E esse era o problema, o que tanto martelava em sua mente naquele momento.
Ele estava odiando ter que mentir para ela.
— Ei. Yoongi. — ouviu a voz de Hoseok o chamando e olhou para o lado, deixando sua atenção, que antes estava focada em , agora no amigo. — Vem cá.
— O que foi? — perguntou.
— O que foi digo eu. Até quando você vai fazer isso? Todo mundo já percebeu que você só está enrolando para ficar mais tempo com a . — o rapaz ao seu lado falava em tom sério, mas, no fundo, querendo rir da expressão de poucos amigos de Suga.
— E isso é um problema? — questionou, franzindo o cenho.
— É um problema quando ela tem um contrato e ele está quase no final. — Hoseok respirou fundo. — O que é que tanto você pensa que ainda não a chamou para sair?
O quê?! Eu não posso fazer isso! — disse, quase exasperado, se aproximando ainda mais de seu melhor amigo.
— Claro que não, mas mentir pode e está fazendo, não é? — J-Hope rolou os olhos com o desespero de Yoongi. Não estava acreditando naquilo. — Só a convide. Eu tenho certeza de que não vai recusar. Ela passa a maior parte do tempo te ensinando, e isso porque você está fingindo que não sabe de nada. Imagina se ela descobre, Suga?
— Você não ouse... — estreitou os olhos, em ameaça. Permaneceu assim por alguns segundos e suspirou, jogando o corpo para trás. — O que eu faço, Hoseok? Não posso simplesmente chegar e chamá-la assim. Ainda mais aqui, com todo mundo ao redor.
— Você realmente me conhece, Min Yoongi? — Hobi disse, fingindo decepção ao colocar uma das mãos no peito. — Eu dei um jeito. Todo mundo já está sabendo. Daqui há cinco minutos vamos sair e você vai ficar, porque, bom… Você está com dificuldade sobre algumas traduções.
— O quê? Mas eu não-
— Então finja! Você está fazendo isso muito bem. — o amigo piscou, se levantando de onde estava e deixando um Yoongi completamente paralisado no lugar em que estava sentado.
Ele não estava acreditando que seu amigo havia feito aquilo e não estava acreditando mais ainda que ficaria sozinho, naquela sala, com .

***

Yoongi já havia aberto e fechado o livro várias vezes. Já havia levantado, sentado e levantado novamente, como se tudo aquilo o fizesse se acalmar até que entrasse pela porta novamente. Ele não tinha conseguido nem comer com aqueles pensamentos na cabeça, então sua decisão havia sido ficar ali, sozinho, enquanto ela comia algo para subir.
Ao esticar suas mãos para pegar o livro de antes novamente, quase o deixou cair assim que ouviu o ranger da porta se abrindo e virou seu olhar. Observou fechando a porta atrás de si, sorrindo levemente.
Ah, aquele sorriso...
— Ei. — disse, passando as mãos pela calça jeans e se aproximando do rapaz próximo à janela. — Você não desceu?
— Não. Não estou com fome. — respondeu de forma rápida, se praguejando em seguida por parecer tão direto. — Prefiro comer quando termino de fazer tudo o que tenho para fazer.
— Eu entendo. É melhor aproveitar o embalo das atividades. Gosto do seu pensamento. — piscou, pegando algumas folhas na mesa antes de se sentar na cadeira próxima a Yoongi. — Os meninos me disseram que você ainda tem dúvidas sobre algumas palavras e suas traduções. Você chegou a fazer uma listinha?
Droga, droga! Ele sabia que sua mentira uma hora iria ser descoberta. Nem mesmo para pensar em uma boa desculpa para aquele momento.
Yoongi apenas engoliu em seco e balançou a cabeça em negação.
— Eu até marquei algumas, mas não consigo encontrar a lista. Podemos tentar de outra forma? — perguntou, desconcertado. Imediatamente passou as mãos pelos cabelos de forma envergonhada.
Aquilo tinha sido gracioso para . Adorava ver como ele ficava quando estava sem graça.
— Claro que podemos. Espere — olhou ao redor, tentando pensar em algo que pudesse ajudar o amigo naquele ponto. Por alguns segundos, os olhos da mulher pararam em uma pequena estante. Ali, continham alguns álbuns e biografias do grupo tanto em coreano como em inglês. Eram edições diferentes. Talvez fosse interessante ensiná-lo algo a partir dali.
A mulher levantou rapidamente, observando um por um, e pegou o de capa branca, minimalista. O encarou em suas mãos e sorriu, voltando seu olhar para Yoongi. O rapaz a observava atentamente.
— Acho que podemos tentar com uma biografia de vocês. O que acha?
Ele pensou por alguns instantes e balançou a cabeça, concordando. Não imaginava que ela fosse fazer algo parecido com aquilo, mas estava curioso para saber como iria ser.
Suga sentia suas mãos suarem aos poucos com tão próxima dele daquela forma. Ela havia puxado uma das cadeiras para perto dele, fazendo com que seus braços às vezes roçassem um no outro. Mais incrível que isso, era a troca de olhares que os dois davam, ou explicar algo para ele apontando para o livro ou Yoongi tirar alguma dúvida com ela.
sentia que a qualquer momento poderia pronunciar algo errado ou até mesmo acabar embolando alguma palavra, só pela sua aproximação com Min Yoongi. Era fato que os dois haviam ficado mais próximos com o decorrer das semanas de ensino, mas ela nunca imaginaria que seu coração bateria acelerado ao estar tão próxima a ele.
Com um pouco de dificuldade, continuou explicando sobre alguns verbos, lhe disse algumas frases montadas para que repetisse e, até mesmo, o fazia adivinhar algumas palavras que em coreano e em inglês eram diferentes. Os dois riam entre si, fazendo algumas piadinhas e, na maioria das vezes, conversavam sobre qualquer outra coisa que não fosse o ensino do idioma.
O assunto simplesmente fluía e o assunto principal se dispersava, mas lá estavam eles tentando retomar ao que realmente era importante para o grupo.
— Tudo bem. Olha, essa é interessante. Inclusive, gosto bastante dessa música. I live so I love… cantarolou baixinho, empolgada, virando a página pronta para apontar a música em que havia falado. Yoongi, no mesmo momento, sorriu e esticou sua mão, fazendo com que batesse na dela de forma leve.
Aquele choque havia sido indescritível. Yoongi e olharam para suas mãos por alguns segundos e, em seguida, se olharam. De forma leve, calma, apenas observando cada detalhe um do outro. Era como se tivessem sido conectados por míseros segundos e o coração tivesse parado.
— Essa palavra. Love. Sarang. É muito forte. Poderosa. — disse, desconcertada, desviando seu olhar rapidamente de Yoongi. Ele, pelo contrário, continuou a observando. Parecia encantado.
And what does love mean? — Yoongi perguntou, como em automático, só por continuar a olhando. — O que significa?
Naquele momento, ele nem percebeu que havia dito tudo em inglês. Realmente não percebeu, tanto que não notou o olhar curioso e surpreso de sobre si. Yoongi não queria pensar se ela havia descoberto ou se aquele havia sido o momento certo, ele só conseguia pensar em como todo aquele sentimento era confuso e que o que mais queria era tê-la mais perto por algum tempo.
não sabia o que pensar, na verdade. Yoongi a havia pego de surpresa, falando daquela forma e a olhando daquele jeito. A mulher só conseguia pensar em como o que sentia era bom, mas, ao mesmo tempo, talvez não fosse certo para ela. E muito menos para ele.
A verdade era que ela logo iria embora. Yoongi não existiria mais em seu dia a dia, e tudo aquilo não passaria de apenas uma lembrança para os dois.
Com um pouco de dificuldade, olhou para baixo, respirando fundo, e deu um pequeno sorriso encantador, porém triste. Yoongi percebeu o que estava acontecendo assim que viu os lábios da mulher se curvarem.
— Eu fico feliz que você tenha aprendido, Suga. Mais feliz ainda por estarmos concluindo o plano de estudos. — comentou mais para si mesma do que para ele. Ela só não esperava que suas palavras saíssem de forma tão pesada e dura para Yoongi.
fez menção de se levantar, mas sentiu as mãos macias do rapaz ao encontro da sua pele.
— Não me chama assim, . Por favor. — dizia quase implorando para a mesma. não conseguia encarar os olhos pedintes de Yoongi. — E não fale como se isso fosse temporário. Você sabe e sente que não é.
— Eu sei. E sinto que não é. Mas, Yoongi... — começou, o observando atentamente antes de se virar. — Eu sou sua tradutora só por algumas semanas e logo vou embora. Não nos veremos nunca mais-
— Isso só se for a sua vontade. — a cortou, dizendo de forma simples. — Isso vai parecer um pouco estranho, mas fiz o possível para que você ficasse mais tempo aqui. E, assim como eu disse, se você quiser, eu faço até mais.
piscou algumas vezes com as palavras do rapaz, ele havia mesmo a pegado de surpresa com aquilo. Nunca imaginaria que Min Yoongi falaria daquela forma, ainda mais para ela.
— E isso inclui fingir que não sabia inglês? — ela perguntou, estreitando seus olhos para Yoongi. Percebeu as bochechas do mesmo tomarem um tom avermelhado e se segurou para não sorrir.
— Eu confesso que não pensei muito bem quanto a isso, mas... — desviou o olhar, abaixando a cabeça levemente, como se pedisse desculpas. Só então notou algo em que ela dissera. — Ei. Como você conhecia Trivia: Love? Você cantou uma parte dessa música.
Bom... Eu nunca disse que não conhecia vocês. — deu de ombros, escondendo o sorriso no canto dos lábios. — Só omiti essa informação, assim como você. Então... Acho que estamos quites. — A mulher disse, por fim, e ele ainda mantinha seus olhos presos nos dela.
Yoongi continuava inexpressivo, com a mesma seriedade de antes. Não. Eles não estariam quites daquele jeito.
— Não.
— Não? — questionou, confusa. Por alguns instantes, sentiu sua respiração oscilar.
— Não. — Yoongi voltou a afirmar e se aproximou, ficando praticamente colado ao rosto da mulher à sua frente. Com isso, ela sentiu como se tudo ao redor tivesse parado e, ali, só existissem os dois. — Só ficaremos quites se você aceitar ser minha tradutora permanente. E se não quiser, tudo bem. É só não ser minha tradutora, mas quem sabe... ser outra coisa? Eu deixo a decisão em suas mãos.
Com isso, sorriu abertamente para a mulher em sua frente. Pela primeira vez, Yoongi estava confiante de que teria uma boa resposta e mais confiante ainda de saber que ela aceitaria estar do seu lado.
E foi exatamente isso que aconteceu. não pensou duas vezes antes de sorrir junto a ele e se jogar em seus braços, sentindo o corpo quentinho de Yoongi, por conta do enorme casaco, contra o seu.
Talvez tudo aquilo fosse errado. Com certeza. Mas talvez fosse tão certo quanto todo aquele sentimento que eles sentiam.
E só isso bastava para os dois naquele momento.

Neon naui gieog-eul chueog-eulo bakkul salam
Salam-eul salang-eulo mandeul salam

Trivia: Love – BTS



Fim



Nota da autora: Oi, pitiquinhas! Tudo bem com vocês? Estou trazendo uma oneshot muito fofinha com nosso lindo Yoongi! Queria compartilhar com vocês em como adorei escrevê-la e que queria muito fazer algo fofo assim com ele tem tempos. Espero que vocês gostem, de coração <3



Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.


comments powered by Disqus