Contador:
Última atualização: 15/04/2022

UM.

Flashback 2003
Warner Bros Studios, Watford
Pré-Produção, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban.


— Muito bem pessoal, silêncio em Hogwarts! — David Heyman gritou, sorrindo em seguida com a própria piada, ao tempo que via o grupo de adolescentes e adultos que estavam sentados pelo set, lendo seus roteiros, o encararem curiosos — Gostaria de apresentar a todos os últimos integrantes do nosso time, deem as boas-vindas e sejam legais com o Professor Remo Lupin, David Thewlis — apontou, logo o ator afastou-se momentaneamente do trio de homens que estavam juntos, acenando com a cabeça, tímido — Timothy Spall, nosso Pettigrew — o homem mais baixo fez o mesmo, acenando sorridente para o grupo que o encarava — e o aluno modelo da Lufa-Lufa, Robert Pattinson.
O rapaz manteve as mãos trêmulas nos bolsos da calça, sorrindo sem graça para o pessoal à frente. Logo puderam ouvir uma salva de palmas do restante do elenco e alguns gritos de boas-vindas e boa sorte.
— Pois bem, se eu fosse vocês, me juntaria com Oldman e Gambon que foram apresentados no início da semana e ainda não se juntaram a nenhuma panelinha. — Heyman indicou, apontando para uma mesa mais ao canto com os dois atores ao lado de Alan Rickman e Maggie Smith. — Cuidado com as brincadeiras, principalmente vindas dos gêmeos Phelps, Grint e Morris. Só Deus sabe o que enfrentamos toda semana com esses quatro! Não acreditem em nada que vier dos gêmeos, é sério. No mais vocês ficarão bem! Alguma dúvida?
— Ainda dá tempo de correr? — Thewlis questionou rindo, vendo o produtor negar, entregando-lhes partes do script de cada um.
— Tarde demais, é por isso que nunca falamos aos agentes como funcionam as coisas aqui dentro! — Deu de ombros, ao tempo que uma das assistentes se aproximava do grupo. — Fiquem à vontade!
Pattinson viu os dois mais velhos seguirem em direção ao pequeno grupo indicado por David, mas ficou receoso de acompanhá-los; os dois atores já eram experientes e talvez até conhecessem alguém ali, enquanto ele, praticamente um novato, não teria nem mesmo o que conversar. Respirou fundo por um instante, olhando ao redor e reparando que os grupos pareciam não o notar, cada um focado na leitura do script de seus personagens ou conversando entre si.
Encarou a pasta transparente com suas falas por um instante, pensando se deveria andar até algum canto isolado, ou se deveria tentar enturmar-se com os adolescentes que estavam espalhados no local. Por fim virou-se para a mesa de comida e bebida, segurando um copo térmico e enchendo-o de café, respirando fundo para acalmar-se. Olhava por sobre o ombro para os grupos separados, vez ou outra escutando algum comentário ou risada. Respirou fundo outra vez, aquela era uma oportunidade única, a qual ele não poderia jogar fora por nervosismo.
— Robert, não é? — Ouviu uma voz próxima, virando-se um tanto assustado, concordando com a cabeça. — Sou James! — O ruivo esticou a mão, cumprimentando-o com um aperto educado. — Eu o aconselharia você a experimentar um donut, é realmente bom. - Indicou, aproximando-se e pegando dois em um prato plástico. — Já conhece alguém? Quer sentar conosco?
Pattinson riu sem graça, concordando agradecido.
— Todo mundo é legal por aqui, mas você tem que se aproximar e começar a conversar, caso contrário vai acabar sozinho o tempo todo. Como a maioria já se conhece, quase não reparam quando tem alguém mais afastado por vergonha, sabe? — Explicou ao aproximarem-se de uma das grandes mesas espalhadas no salão — Vocês podem se apresentar para o novato ou vão querer que eu faça isso?
O grupo ergueu os olhos para o ruivo e o rapaz mais alto ao seu lado, rindo ao começarem a rodinha de apresentação;
— Daniel Radcliffe!
— Rupert Grint!
— Oliver, e antes que você pergunte, sim, somos gêmeos na vida real e você pode nos diferenciar com facilidade, pois sou o mais bonito!
— Emma Watson!
— Tom Felton, e aí, beleza?
— Cedrico Diggory, é? — A loira mais ao canto questionou, encarando-o por um instante. — Morris, prazer!
— Oh, boa sorte com sua nova namorada, Morris é a pior de todas nós! — James avisou, ao tempo em que Robert sentava-se entre os dois, rindo do comentário, enquanto a garota reclamava, tentando acertar o colega com sua garrafinha de água.

Flashback 2003
Warner Bros Studios, Watford
Gravações, dia 10


— Vamos de novo em 3...2...1… AÇÃO! — Alfonso Cuarón gritou, encarando a cena pelo monitor.
Pattinson arrumou o cachecol em torno de seu pescoço, colocando as mãos nos bolsos do agasalho e começando a andar pela neve, poucos passos depois notando a garota sozinha de cabeça baixa. Olhou para os lados antes de seguir até a mesma, parando a sua frente, conforme a marcação.
— Você está bem? Precisa de alguma coisa? — Perguntou prestativo, vendo-a negar instantes depois. — Quer que eu chame seus amigos? — O rapaz passou a língua pelos lábios, olhando por sobre o ombro por alguns segundos e então tornando a olhá-la — Se importa se eu sentar com você?
A loira o encarou por um instante, negando uma terceira vez, sem dizer nada, tornando a olhar para baixo.
— Seja lá o que tiver te acontecido, tenho certeza que vai ficar tudo bem, ok? Você vai ver! — Disse baixinho, abraçando-a de lado. Morris contou até três mentalmente, antes de virar-se na direção do colega, abraçando-o apertado, fechando os olhos e encostando o rosto em seu ombro.
A câmera focou por um instante a expressão surpresa do ator, antes dele devolver o abraço, suspirando contra seus cabelos.
— CORTA! Excelente! Já posso ver esse casal acontecendo! — Gritou o diretor, animado com a interação dos dois, logo vendo Morris passar a mão pelo rosto, para limpar as lágrimas, enquanto Robert tirava o excesso de flocos que havia sido jogado em seus cabelos. — É disso que eu gosto, cenas gravadas em poucos minutos!

Flashback, 2003
Warner Bros Studios, Watford
Backstage, dia 12


Pattinson viu a garota jogar-se na cadeira ao seu lado, resmungando por terem repetido a cena mais uma vez;
— Se controla, ruivo! — Gritou com o amigo, mal-humorada.
— Você é insuportável pela manhã, sabia disso? — Rupert respondeu, ainda com vestígios de riso.
— Mas não está errada, não é? — Emma defendeu a amiga, também incomodada com o número de vezes que precisaram gravar a mesma coisa. — Você precisa rir a cada dois segundos?
— E é minha culpa? Você já viu o jeito que ela e o Dan se encararam?
— Ei, a gente fez certo! — O outro respondeu, rolando os olhos. — Você quem tá rindo por nada!
— Por nada? Será que você pode me apoiar aqui? — Virou-se para Pattinson, que encarava a discussão rindo baixo — Você também achou a cena deles brigando engraçada, não foi?
— Não sei do que você está falando! — Deu de ombros, virando-se para o papel com suas falas do dia.
— Bom garoto! —Ouviu responder, tomando um gole d’água.
— Isso, proteja sua namoradinha fictícia! — Rupert rolou os olhos, tornando a rir em seguida.
— Muito bem, chega de intervalo! Grint, está mais calmo? — Alfonso perguntou, chamando o quarteto — Ótimo, vamos continuar! Pattinson, fique pronto, se não conseguirmos agora vamos pular para a cena com você e depois retomamos com essa.

Flashback, 2003
Warner Bros Studios, Watford
Gravações, dia 13


Robert andava em círculos, passando a mão pelos cabelos vez ou outra, negando com a cabeça ao parar nas marcações ao chão, e voltando a andar de um lado para o outro em seguida.
— Você está me dizendo que você é filha de Sirius Black? Só pode ser brincadeira! Você? Pelas Barbas de Merlin!
— Você parece desapontado, Ced! — A outra respondeu, com um sorriso mínimo, balançando as pernas, sentada em uma mesa mais ao canto.
— Não desapontado, apenas surpreso. Como é que você pode ser filha de dois Comensais da Morte e nem ser da Sonserina? Não é como se você fosse perigosa ou algo do tipo…
— Ei, você já me viu jogando Quadribol?
— Ah, certo, jogou bem, mas perdeu pra Grifinória igual… Lufa-Lufa! — Fez careta ao notar o erro, fazendo-a rir e ouvindo o diretor interromper a cena.
— Eu sei que você também queria ser da Grifinória, Pattinson! — comentou, enquanto tornavam a se preparar para continuar a cena, Robert negou divertido.
— AÇÃO!
— Não desapontado, apenas surpreso. Como é que você pode ser filha de dois Comensais da Morte e nem ser da Sonserina? Não é como se você fosse perigosa ou algo do tipo...
— Ei, você já me viu jogando Quadribol?
— Ah, certo, jogou bem, mas vocês perderam para a Lufa-Lufa do mesmo jeito, não é? — Deu de ombros, logo tomando a pose séria de antes, aproximando-se da garota e sentando ao seu lado — Caramba… Nem consigo imaginar o que você deve estar passando…
Morris concordou, mordendo o lábio inferior;
— O que acha que eu deveria fazer?
— No geral, não faço ideia. - A encarou por um instante - Definitivamente deveria falar com Potter antes que ele descubra sozinho. — Viu-a suspirar ao seu lado, passando a mão pelos cabelos compridos, cansada — Tenho certeza que seus amigos vão ficar do seu lado quando contar tudo isso, não é sua culpa. Você não fez nada de errado.
— Eu gostaria de acreditar nisso... — Respondeu em voz baixa, olhando para o chão com o cenho franzido.
Robert sorriu de canto, passando o braço por seus ombros;
— Se eu estiver errado, posso colocar os três de castigo o resto do ano, é só você pedir!
— CORTA! Ótimo trabalho, não é para menos que você é o aluno modelo de Hogwarts! — Cuarón elogiou, ouvindo a risada do ator, logo notando a mais nova com a sobrancelha arqueada, aguardando um elogio — Não esperava menos da filha de Sirius Black!

Flashback 2003
Catedral de Gloucester, Inglaterra
Backstage, dia 42


Robert estava sentado ao chão, olhando a movimentação ao redor enquanto tomava seu café, esperando para começar a gravar as cenas que teria naquele dia, não demorou muito para ver andando pelo corredor, cumprimentando algumas pessoas, já vestindo o uniforme vermelho e preto da Grifinória.
— Pattinson! Quase esqueci da sua cara depois de tantos dias! — Sorriu em sua direção, logo sentando ao seu lado com as pernas esticadas.
— Não é minha culpa se não tenho tantas cenas, não é? — Riu, oferecendo um pouco de café e vendo-a fazer careta ao negar — Como foi a última semana?
— Tudo certo, tirando o fato de que estou quase reprovando em umas duas matérias da escola.
— Sério? Por que?
— Perdi muita matéria e fui péssima nas provas, vou ter que fazer um trabalho enorme e mais umas provas de conteúdo geral ou vou acabar perdendo o trimestre — Suspirou, cansada com a rotina.
— Achei que vocês tinham aulas particulares… — Comentou surpreso, dando um gole em sua bebida.
— Sinceramente, eu gostava mais quando era assim — concordou, olhando-o de lado - Mudamos esse ano porque a maioria preferiu voltar para a escola, eu culpo a Emma, viu? Ela começou com isso e os garotos foram na onda, aí eu não seria a única tendo aula nos sets, né? — Deu de ombros — Aliás, vou atrás dela mais tarde para me ajudar com a lição.
Pattinson gargalhou, negando com um aceno;
— Não era um Cedrico Diggory quando estudava, até já fui expulso de uma escola, mas se precisar de ajuda, estou disponível!
A garota o encarou por alguns instantes, em dúvida se ele falava a verdade ou não;
— Por que você foi expulso? E quantos anos você tem?
— Dezessete, Morris, faço dezoito em maio. Sobre a expulsão, ainda não somos amigos o suficiente para eu revelar esse segredo! — Piscou, vendo-a rir concordando.
— Já começou errado, Robert, não pode me deixar curiosa. — Negou com a cabeça, vendo-o rir — E não acredito que vão me colocar pra beijar alguém tão velho! — Comentou, um tanto surpresa.
— Quantos anos você tem? E quem foi que disse que vamos nos beijar? — Arqueou a sobrancelha, curioso.
— Quatorze — respondeu sorridente — Ah, você não leu o Cálice de Fogo ainda? Com certeza vão fazer pelo menos uma cena da gente se beijando! — Avisou, então levantou-se — Vou pegar algo pra comer, quer alguma coisa?
— Não, obrigado. — Logo a chamou antes que Morris se afastasse — Então a gente namora mesmo no próximo filme?
— Pattinson, já passou da hora de você ler Harry Potter, vai ficar chocado com os acontecimentos!


Flashback 2003
Warner Bros Studios, Watford
Gravações, dia 50


Oldman ainda sorria ao ver os adolescentes rindo divertidos com o que ele havia contado, enquanto esperavam para iniciar a sequência de cenas daquela tarde.
Quando o diretor e os produtores pediram para iniciarem as gravações, Gary não pode deixar de se surpreender, mais uma vez, com a atuação do quarteto; Todos focados em acertarem suas falas e movimentos no primeiro take o que, é claro, não foi possível devido ao contínuo acesso de risos de Grint, o qual se desculpava ainda tentando abafar a risada, fazendo os outros rolarem os olhos e rirem vez ou outra do jeito do amigo.
Quando finalmente conseguiu controlá-los para terminar aquele momento, Alfonso encerrou a cena pedindo para Gary posicionar-se para iniciarem a gravação da próxima;
— AÇÃO!
— Vocês não deveriam ter vindo, é uma armadilha! Não é um cão, Harry, é um Animago, é ele! — Dizia apontando para um local atrás do trio.
— Ele quem, ruivo? — arqueou a sobrancelha, enquanto tentava não rir da expressão exageradamente assustada de Rupert.
— Sirius Black!
Os três viraram-se ao mesmo tempo, enquanto a porta se fechava e Gary os encarou, sorrindo com os dentes amarelados.
Expelliarmus!
As varinhas voaram de suas mãos, puxadas por um fio transparente. Morris via a movimentação de Daniel e Emma ao seu lado, mas continuou encarando Gary da mesma forma, a boca ligeiramente aberta, piscando lentamente vez ou outra.
— Você ouviu? Para matar o Harry vai precisar passar pela gente! — Rupert tornou a dizer.
— Não, só uma pessoa vai morrer essa noite — O homem disse em voz baixa, então virou o olhar para a loira, passando a mão pelas roupas rasgadas e sujas, antes de sorrir em sua direção — Você está muito maior do que eu me lembro, filha...
A garota franziu o cenho, a expressão entre a vontade de chorar e a raiva do personagem, negando com um aceno;
— Você não é meu pai, deixou de ser há doze anos. — Respondeu com a voz embargada, olhando para o lado oposto.
Gary Oldman fez menção de andar até ela, mas desistiu, apenas concordando com um aceno.
— Primeiro vamos resolver o que importa. Depois de todo esse tempo, você pode esperar mais um pouco para saber meus motivos.
— Eu já sei seus motivos! — Gritou ao tornar a encará-lo — Vocês dois preferiram Você-Sabe-Quem! — Vociferou com as mãos trêmulas, começando a chorar ao olhá-lo.
— Isso não é verdade! — Protestou no mesmo instante.
— Vocês dois são Comensais da Morte! Preferiram Voldemort à mim!
— Não! — Tornou a negar com a voz rouca.
— Então por que foi que você matou meu pai e minha mãe? — Daniel tornou enraivecido. — Você matou meus pais!
— Não nego que matei, — concordou, ainda encarando , virando-se pouco depois para Radcliffe — mas não do jeito que você pensa! Vocês não sabem a história completa! Não compreendem…
— Compreendo muito melhor do que você imagina! Você vendeu meus pais à Voldemort!
— Harry, não! — Emma gritou, tentando segurar o pulso do amigo, mas Daniel jogou-se contra Gary, e ambos cambalearam até caírem ao chão.
Oldman soltou a varinha enquanto tentava segurar os pulsos do mais novo, que debatia-se ao seu lado, até conseguir recuperar o objeto;
— Vai me matar, Harry? — Questionou ao encará-lo — Vai se arrepender se não me ouvir, vocês dois vão!
— Por que? Você matou meus pais! Por que me arrependeria de acabar com você?
— CORTA! Muito bom pessoal!
O grupo virou-se ao ouvir o grito do diretor, antes do mesmo acenar para David Thewlis, o qual aproximou-se para entrar em cena no instante seguinte.
— AÇÃO!

Flashback, 2003
Warner Bros Studios, Watford
Backstage, dia 52



— Sabe o que eu tava pensando, Pattinson? — Morris começou, aproximando-se da mesa na qual o ator estava almoçando, colocando sua bandeja e sentando-se de frente a ele — A gente quase não conversa, não é? Supostamente você é o amor da minha vida nos filmes, e eu ainda não sei o motivo de ter sido expulso da sua escola!
Robert riu, pegando mais uma garfada de macarrão;
— Você não tem idade o suficiente para eu contar, quem sabe daqui alguns anos — piscou brincalhão, vendo-a encará-lo surpresa — Podemos conversar sobre outros assuntos se quiser…
o encarou desconfiada por alguns instantes, abrindo seu suco enquanto pensava em outra pergunta;
— Como conseguiu o papel?
Pattinson sorriu sem graça, sentindo o rosto esquentar;
— Vai me dizer que eu não tenho idade para saber!?
— Não, não… É só um tanto constrangedor…
— O que aconteceu? — Perguntou curiosa, aproveitando para tomar um gole de seu suco de uva.
— Descobri na Premiere de um filme que participei, que cortaram a minha cena. Basicamente ficaram com pena por terem esquecido de me avisar, e acabei conseguindo uma indicação para fazer o teste para o Cedrico… — Suspirou, passando a mão pelos cabelos.
A inglesa engasgou-se com a bebida ao rir da situação, cuspindo parte do suco na mesa, ainda gargalhando;
— Desculpa, mas essa foi a melhor história que eu já ouvi! Eu não acredito que você foi cortado do filme! — Comentou aos risos, vendo-o rolar os olhos.
— Pelo menos alguém se diverte com a minha humilhação…
— Ah, não foi ruim o resultado, não é? Cedrico Diggory é um ótimo personagem, pena que morre.
— Como é? — Abriu a boca, chocado — Ele morre? Eu morro? É por isso que o contrato é para dois filmes?
— Você ainda não leu o livro?
— Eu comecei desde o primeiro, mas tive que parar para fazer outras coisas… Ainda estou na segunda prova do torneio…
Morris o encarou com uma falsa expressão de compaixão;
— Você não faz ideia do que te aguarda!

Flashback, 2003
Warner Bros Studios, Watford
Backstage, dia 80


Robert aproximou-se do grupo de atores, ajeitando a alça da mochila em suas costas;
— Bom dia!
— E aí, Pattinson!?
— Bom dia!
— Não tá faltando alguém hoje? — Questionou ao reparar na ausência de Morris, checando o relógio, a primeira cena do dia seria com ela e já deveriam começar a maquiagem e cabelo em alguns minutos.
Daniel negou com a cabeça, suspirando;
— Eu não duvido que ligue dizendo que não pode vir, ela adora um drama.
— Por que ela faria isso? — Perguntou confuso, encarando o mais novo.
— Você não terminou de ler a Ordem da Fênix, terminou? — Emma indagou já sabendo a resposta.
— Ainda não, detestei a Umbridge e resolvi dar um tempo, por que? O que aconteceu?
— Tem certeza que quer esse spoiler? É pesado! — James avisou, colocando a mão sobre o peito.
— De repente me incentiva a terminar de ler mais rápido… — Deu de ombros, rindo baixo.
-—Sirius morre no final. — Daniel respondeu, parecendo inconformado.
Robert o encarou, esperando que ele começasse a rir da possível brincadeira.
— Isso é sério? Quer dizer… Ele morreu mesmo? De verdade? O cara que passou anos em Azkaban e estava comendo ratos no livro anterior? Eu não acredito nisso!
— Tá vendo, ele se apegou ao personagem também! — Oliver comentou rindo. — Tá mais triste com a morte do Sirius do que com a do Cedrico!
— Não é bem assim… — Respondeu, passando a mão pelos cabelos, olhando para o lado.
aproximou-se usando óculos escuros, caminhando por eles em direção ao camarim de maquiagem;
— Bom dia, Morris! — Radcliffe foi o primeiro a dizer quando viu a amiga.
— Bom dia não sei pra quem. — Respondeu sem olhá-los — Estou de luto pelo resto da minha vida, espero não precisar conversar com ninguém!
— Calma, amiga, vai ficar tudo bem! — Watson disse solidária, segurando no ombro da loira, a qual a encarou por alguns instantes;
— Fácil pra você falar, que foi que aconteceu de ruim com a Hermione? Exato, nada, até quando teve o problema do dente voltou melhor. Ninguém aqui tem direito de falar nada, talvez o Dan, e o Robert, porque ele já morreu também! — Apontou, negando em seguida e voltando a andar — Quem vai ser o próximo? A Tonks? Eu? Meu Deus, Rowling está totalmente fora de controle!
O grupo a encarou de longe, começando a rir da reação exagerada;
— Alguém está levando o personagem muito à sério! Até o final dos livros e gravações vai sair gritando que é Samantha Black de verdade! — James comentou aos risos.


Robert estava caminhando até os gêmeos Phelps, mas acabou dando meia volta ao reparar na colega almoçando sozinha, sentando-se ao seu lado;
— E aí? Tá melhor?
A loira o olhou por alguns segundos, negando com um aceno;
— Eu passei a noite chorando, Pattinson, eu não tenho estrutura para isso. Ninguém me avisou que Sam passaria a vida toda sofrendo desse jeito!
O ator segurou a risada, concordando com um aceno enquanto encarava seu prato de comida, passando a língua pelos lábios em seguida:
— Bem, pensa pelo lado positivo; não pode piorar depois disso, não é? Já morreu o namorado e o pai, não tem como uma só personagem sofrer muito mais do que isso — tornou a olhá-la, esperando ter ajudado.
A garota começou a concordar, mas fez careta.
— Eu não sei, Harry Potter é o personagem principal e olha o tanto que ele sofreu: — começou a pontuar — os pais morreram, passou anos morando com tios horríveis, quase morreu e quase matou os amigos, lutou com Voldemort, o padrinho ficou em Azkaban e depois morreu, sendo que parte disso é responsabilidade dele, viu o Cedrico morrer… Quer dizer, eu acho que tá ruim para os Black, mas é óbvio que a Jô odeia o Potter!
— Pode ser… — Ele concordou lentamente, tomando um gole de seu refrigerante enquanto pensava em um argumento — Mas, sinceramente, quem tem mais chances de ter problemas no futuro seria Rony e Hermione, não? Por isso que eles tem a vida fácil agora!
— E com base em quê você acha isso? — Questionou curiosa, inclinando a cabeça para o lado.
Pattinson deu de ombros;
— Lógica da vida? Quais as chances de apenas um ou dois personagens sofrerem por sete livros e o restante ficar numa boa? Qual é, Sam já perdeu o pai e o namorado, não tem possibilidades de ficar pior do que isso!
— Sabe o que me deixa mais triste? — Suspirou, mexendo com as ervilhas em seu prato — Gary Oldman vai deixar o set, e eu realmente gostei de ter ele por perto, isso é tão injusto!
Robert sorriu de canto, concordando com um aceno; também havia gostado de trabalhar com o ator, na verdade, já estava acostumado com todos os atores e atrizes do set, seria estranho não participar dos filmes após o próximo ano.
— Aposto que vocês ainda vão trabalhar juntos no futuro, — deu de ombros, notando quando ela tornou a encará-lo — as cenas de vocês juntos ficaram realmente boas, todo mundo vai gostar de ter vocês dois contracenando. É só uma questão de tempo até aparecer algum outro filme para vocês fazerem!
Terminaram de almoçar juntos, em silêncio, até a garota levantar-se pegando suas coisas para voltar ao camarim;
— Quer saber? Também vou sentir sua falta, Pattinson!


DOIS.

Flashback, 2003
Warner Bros Studios, Watford
Backstage, dia 102


— Vocês podem, por favor, terminar a maquiagem para gravarmos as cenas que precisamos? — Heyman pediu, juntando as mãos e implorando para o casal se mexer.
O rapaz suspirou, passando a mão na cabeça do cachorro mais uma vez, antes de levantar do chão e seguir para a cadeira ao canto, com uma das maquiadoras o esperando.
fingiu não escutar, ocupada abraçando o animal e fazendo uma voz engraçada;
— Morris, você vai me obrigar a usar um cachorro computadorizado para as cenas, é isso? — Cuarón perguntou, os braços cruzados, ainda sentado em sua cadeira de diretor, segurando uma prancheta e fazendo algumas anotações.
— Ai, tá bom, meu deus, eu não tenho cinco minutos de folga! Isso é exploração de trabalho infantil!
David esfregou as mãos no rosto, cansado, ao ver a garota andar resmungando;
— A culpa é minha, é totalmente minha, fui eu quem escolhi essa garota para trabalhar… Dentre tantas opções, fui pegar logo um Morris!
— Ei! — protestou ao ouvir o comentário — Eu esperava mais de você Heyman!
— Você escutou isso? — O produtor virou-se para o diretor, apontando com a mão por sobre o ombro, em direção a atriz — Não tem nenhum respeito! Eu tenho saudades das primeiras semanas quando era toda tímida! Deveríamos todos ter aproveitado melhor aqueles dias!
Robert ria dos comentários, mantendo os olhos fechados, mas notou quando a garota sentou-se na cadeira ao seu lado;
— Você deve realmente ser um terror, não é? — Disse um pouco mais alto, para que ela ouvisse.
— Oh, você não tem ideia! — A maquiadora respondeu antes que a mais nova tivesse uma chance — Demoramos horas para conseguir fazer a maquiagem e o cabelo dela, não para quieta um minuto!
— Ai que mentira! — Queixou-se, cruzando os braços e fazendo careta, mas só até sentir a base em seu rosto, relaxando no instante seguinte.
— Mas, falando sério, agora que o Heyman comentou que eu me liguei que você é da família Morris, achei que era só uma coincidência no sobrenome, sabe?
A garota riu, negando com a cabeça, mas só até ser chamada atenção;
— Sua sorte é que eu não me incomodo tanto com isso como meu irmão, ele ficaria ofendidíssimo por não ser reconhecido!


Flashback, 2003
Warner Bros Studios, Watford
Entrevistas, dia 200


— Mais uma vez estou de frente com alguns dos meus adolescentes favoritos e, dessa vez, vamos descobrir alguns detalhes sobre o andamento das gravações de Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban! — Graham Norton dizia em direção a câmera, e então virou-se para Daniel e , sentados em suas cadeiras, aproveitando o break das gravações para participar da entrevista. — Muita coisa mudou para vocês nesse filme, atores novos, diretor novo, o clima parece mais sombrio de acordo com o livro… Reviravoltas com os personagens… Como está sendo tudo isso?
Os dois se entreolharam antes de Radcliffe sorrir constrangido, começando a responder;
— No começo eu acho que todo mundo ficou um pouco nervoso com o número de mudanças que estávamos tendo, eu lembro que no primeiro dia o Alfonso nos pediu para escrevermos sobre nossos personagens para ele ter uma visão pessoal de cada um…
— Sim, a gente veio para ser apresentado a todo mundo que estava começando e de repente era para fazer uma redação, parecia prova surpresa! — completou rindo — A pior parte foi todo mundo sentar junto para escrever... Eu lembro que estava pensando o que colocar sem focar muito do que eu já sabia dos livros, quando olhei a Emma estava escrevendo sem parar… Parecia uma máquina, foi assustador!
— É, eu lembro disso! — Dan concordou, coçando o pescoço — Eu estava tão satisfeito com meu desempenho, escrevi umas duas páginas e bem, Rupert não escreveu nada, né? Então eu fiquei empolgado ao entregar ao Cuarón, mas dois segundos depois a Emma veio com umas dezesseis folhas sobre a Hermione!
Graham riu divertido;
— Parece muito com a Hermione, não? E quantas páginas você escreveu? — Questionou para a loira que deu de ombros;
— Nenhuma, preenchi a primeira linha com o nome da personagem e no final fiz uns desenhos de Quadribol e cachorro, achei que seria o suficiente para ele saber quem é Sam Black.
Graham gargalhou ao concordar, virando-se animado;
— Deve ser empolgante ter um pouco mais de destaque para os Black, não? Quando eu li o livro fiquei chocado ao me dar conta de que nunca havia questionado o que aconteceu com a família de Sam… Ela mora com os tios e ok? Por que isso nunca foi explicado? De repente, opa, os pais dela estão presos? O que está acontecendo aqui?
A garota concordou rindo junto ao apresentador, passando a mão pelos cabelos;
— No fundo esse livro deveria se chamar Harry Potter e a Família Black, ele só é o principal por causa do nome, todo mundo sabe que ele virou coadjuvante no terceiro ano!
— Eu acho que até agora não tinha tanto destaque justamente por causa do ego dos Black, quer dizer, a primeira frase dela quando se conheceram foi dizer tipo, vocês ainda não me conhecem, mas vão conhecer em breve!? Que criança diz isso? — Daniel questionou aos risos.
— Uma confiante de seu potencial! — respondeu, dando de ombros — Talvez ela soubesse desde o começo que em algum momento todos saberiam sobre a família dela, quem sabe… Enfim, é legal ter um pouco mais de destaque, é mais trabalhoso nas gravações, mas achei muito bom colocarem essas cenas dela longe dos amigos, não temos muito disso nos livros já que é tudo com a visão do Harry e depois as ações dela são justificadas apenas no final…
— Realmente, espero que possamos ver muito desse desgaste emocional… Gostei muito de como foi desenvolvido nos livros, mas sempre faltou um pouco de informação para algumas coisas, por exemplo, por que ela começou a andar com esse garoto da Lufa-Lufa ao invés de ficar com os amigos? Por um momento eu estava detestando Cedrico Diggory, até a parte que ela conta ao Harry que é filha de Sirius Black, depois daquilo eu comecei a adorar o garoto... Como está sendo gravar tudo isso? Sabemos que Robert Pattinson foi contratado para o personagem, então podemos esperar mais aparições de Cedrico ao invés de alguns poucos momentos como nos livros?
— Você não pode perguntar muita coisa, vai acabar te dando o script e depois teremos problemas! — Daniel negou ao ver que a garota estava pronta para responder.
— Eu acho que tem algo no meu contrato sobre eu dar spoilers, mas tudo bem… A gente tem gravado várias cenas dela com Cedrico, algumas são referências ao que aconteceu nos livros outras fazem bastante sentido no decorrer da história, mesmo sendo apenas para o filme… Alfonso já avisou que algumas cenas serão cortadas, para não ficar muito comprido, mas que vão entrar nos bastidores do DVD… Robert é um cara legal, mas no começo foi um pouco estranho gravar com ele, porque ele é muito quieto, entende? E ele é realmente alto, então eu ficava um pouco intimidada por ter um cara mais velho, mas que não era um adulto… Foi tão estranho, mas ele é legal… Claramente depois do Gary Oldman ele foi a minha pessoa preferida para contracenar esse ano…
— É claro que sim, você só tem cenas com eles ou comigo, Emma e Rupert… Quais suas outras escolhas?
— Ah, cala a boca!

Flashback, 2003
Warner Bros Studios, Watford
Photoshoot, dia 202


Michael ajeitava sua câmera enquanto esperava o grupo alterar os locais, conforme solicitado para as fotos promocionais do filme.
— Tudo pronto? — Perguntou ao ver os adolescentes acenarem positivamente - Ótimo! A melhor expressão dos personagens de vocês apreensivos... Excelente! Rupert, abaixa um pouco a mão, vira um pouco para o lado, isso. Ótimo! Daniel você pode dar um passo para frente? Boa! Muito bem, pensem que vocês acabaram de ver Sirius Black e ele é um assassino querendo matar seu melhor amigo! Excelente trabalho! Muito bem! Rupert e Emma, preciso de vocês apreensivos, e Daniel, cadê a raiva? Maravilhosos! Morris, abaixa um pouco o rosto, e dá um passo para o lado, um pouco mais, isolada deles, ótimo! Lembre-se, você está triste e sem amigos, eles acham que é sua culpa Sirius invadir a Torre da Grifinória! Maravilhoso! Realmente excelente pessoal! , um pouco mais pra frente agora, mas olhando para a direita, mais um passo pra frente, isso! Vocês três olhando para frente, todo mundo sério, triste! Perfeito! Mais uma! É por isso que eu gosto de trabalhar com vocês! Já podem trocar de roupa!

— Gary, preciso de você um pouco mais atrás, escorado na parede, isso! Daniel mais ao lado, segurando a varinha, levanta um pouco o braço, ótimo! , pode dar um passo mais pra frente, levanta mais o rosto, menos, aí! Emma, segurando o Vira-Tempo, olhando pra frente todo mundo! Rupert, cadê o seu rato? Coloca ele no seu ombro! Ótimo! Atenção! Muito bem, mais uma… Excelente! Agora fica só os Black em cena! Gary olhando pra filha… Muito bom! , cruzando os braços e olhando para o lado oposto! Levanta mais a cabeça, menina, você é Sam Black! Excelente! Pode vir, Pattinson! Muito bem, Robert para o lado esquerdo, Gary direito, no meio! Boa, Cedrico preocupado olhando para futura namorada! Sem risos! Sirius, cadê sua cara de assassino? Agora de injustiçado? Ótimo! Morris, você é uma Black, cadê o carão? Excelente! Sai Sirius Black versão homem, entra Almofadinhas! Podem sentar e encostar na parede verde, isso! Alguém entrega a bolinha para o Pattinson! Excelente! Sorrisos! Podem brincar um pouco com o cachorro, eu sei que vocês querem, maravilhosos! Que casal lindo! Podem levantar, Robert passa o braço nos ombros da . Morris, olha para o cachorro enquanto seu namorado tá sorrindo pra você! Incrível! Lindos! Muito bem, gente, podem trocar de roupa mais uma vez e vamos para a última sessão de fotos do dia!

Flashback, 2004
Warner Bros Studios, Watford
Press Conference London, dia 2


Robert aproveitou a distração do pessoal enquanto Alfonso respondia a pergunta dos jornalistas, para escrever em um pedaço de papel, passando para o lado direito, no qual James e Oliver estavam sentados. Os gêmeos olharam juntos o bilhete, concordando no mesmo instante com a cabeça, logo devolvendo-o.
Pattinson então cutucou com o cotovelo , que estava do seu lado esquerdo, a atriz o encarou confusa, até vê-lo apontar para o papel em sua mão, pegando-o no instante seguinte. Riu ao ler “pizza party tonight?”, dando um joinha em sua direção, ao tempo que ele apontava para o lado, indicando que ela deveria passar para os colegas, mas o pequeno momento de interação entre os dois não passou despercebido por todos os jornalistas, e logo puderam escutar;
— Minha dúvida é para Morris e Pattinson: — os dois encaram a mulher em pé, segurando o microfone — o namoro de vocês dois é só em tela ou fora dos sets também?
Robert franziu o cenho, olhando de lado para a garota, que também parecia segurar a risada com a pergunta, aproximando-se do microfone à sua frente;
— Levando em consideração que eu tenho catorze e… Você já fez dezoito? — Questionou rindo, vendo-o negar.
— Daqui algumas semanas, eu até te convidaria para a festa, mas já vai ter passado do seu horário de dormir… — Respondeu, ouvindo a risada da atriz e do pessoal ao redor.
— Bem, eu acho que isso acaba com qualquer chance de um namoro. — Deu de ombros — E lembrando que isso ainda não aconteceu neste filme, ok? Calma!


O casal foi ao mesmo tempo para o último pedaço de pizza, rindo ao perceberem;
— Tudo bem, levando em consideração que Sam acaba sendo minha namorada, vou deixar você ficar com o último! — Piscou, tomando um gole de refrigerante.
— Bom, se for por isso… Você vai morrer, acho que deveria ser seu! — Respondeu rindo, fazendo sinal para ele pegar.
Pattinson colocou a mão no peito;
— Você precisa me lembrar disso o tempo todo? — Fungou, fazendo cara de sofrido — O que acha de dividirmos?
— Escolheram a pessoa certa para Cedrico Diggory!
O rapaz riu, pegando uma faca e cortando a pizza ao meio, aproveitando que estavam um pouco separados do restante para conversar com a garota;
— Deve ser por momentos como esse que acham que estamos namorando de verdade.
concordou com a cabeça, enquanto mastigava, lembrando-se das vezes que os filmaram ou fotografaram nos sets, almoçando juntos ou rindo de alguma piada que Pattinson havia contado, ou algum erro de gravação.
— Talvez se fosse em Hogwarts, — deu de ombros — ou nem isso, já que você beija todo mundo! — Brincou, referindo-se ao personagem.
O ator gargalhou, passando a mão pelos cabelos;
— Só até você ter idade o suficiente, gata!
— Ah, cala a boca, Pattinson! — Negou rindo, embora sentisse o rosto esquentar levemente.
— E aí? Quais os planos para as férias? — Questionou mudando de assunto, ao notar que que ela havia ficado sem graça.
— Que férias? Eu ainda tenho escola, lembra? Tenho que recuperar toda a matéria perdida e as notas baixas!
— Foi bem na prova da semana passada? — Perguntou curioso, lembrando-se de vê-la estudando no set.
— Provavelmente não, com sorte tirei o mínimo para não fazer segunda chamada, mas não estou muito confiante…
— Relaxa, vai ficar tudo bem! Você é ou não é uma Morris? Ou melhor ainda, uma Black!?


Flashback 2004
Radio City Music Hall, Nova York
Premiere Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban




Robert parou para algumas fotos, sorrindo contido para as câmeras, vez ou outra passando a mão pelos cabelos. Deu algumas entrevistas, mas nada realmente significativo, a maioria dos jornalistas não pareciam se importar muito com ele, afinal, estavam todos alvoroçados com a chegada do quarteto principal.
Quando estava pronto para sair, já sentindo o maxilar doer com os sorrisos, em sua opinião forçados e horríveis, que dava para, quando viu uma movimentação próxima, e esperando mais ao canto, para algumas fotos. Sorriu em sua direção quando seus olhares se encontraram, e logo a loira foi empurrada em sua direção, para fotos juntas, afinal Black e Diggory tinham uma interação grande no filme, mesmo que a maioria dos jornalistas ainda não soubesse.
Robert passou o braço por seus ombros, logo vendo-a sorrir para as câmeras, vez ou outra acenando ou mudando a pose conforme pediam, mantendo um sorriso leve nos lábios, o que fez o mais velho se questionar internamente o número de vezes que ela deveria passar por aquilo, para já parecer tão acostumada com tudo.
— Relaxa, se você parecer nervoso eles não te deixam em paz — disse baixo, para apenas ele escutar. Pattinson riu, olhando-a de canto;
— Agora já é tarde! Na próxima vez você me passa as dicas antes.
riu ao concordar, olhando-o sorridente por um instante, antes de voltar a prestar atenção nos jornalistas e fotógrafos.
Afastou-se após mais algumas fotos, deixando-a sozinha por um tempo, olhando de longe a movimentação, mantendo o sorriso nos lábios ao ver algumas caretas que ela fazia conforme algumas perguntas. Achou que a garota estava bonita com a roupa que usava , tendo certeza que era muito melhor do que o que ele vestia , tendo certeza que morreria de vergonha ao ver as fotos.
Daniel aproximou-se pouco depois, o que rendeu mais uma sessão de fotos com a loira, antes dela se afastar parando ainda para mais algumas entrevistas, para só então acompanhar Robert e os outros para dentro do teatro, para finalmente assistirem o filme.

Flashback 2004
Warner Bros Studios, Watford
Pré-Produção Harry Potter e o Cálice de Fogo


— Bom dia, amor da minha vida!
virou-se para os lados ao ouvir a voz do colega, franzido o cenho confusa;
— Tá falando comigo?
— Caramba, Morris, não dá pra ter um momento com você, viu? É por isso que a Sam demora mil anos pra sair com o Cedrico! — Negou com a cabeça, colocando as mãos na cintura, antes de rir sentando-se ao seu lado e beijando-lhe a bochecha — Como vai?
— Melhor agora! — Piscou, devolvendo a brincadeira e escutando-o gargalhar ao seu lado.
— Agora sim, garota! — Comemorou, logo passando as mãos pelos cabelos e olhando ao redor — Por que está isolada aqui no canto?
— Ah, me pediram para reler algumas regras do contrato — mostrou as páginas que tinha em mãos —, aparentemente eu o quebrei várias vezes durante a divulgação do último filme! — Deu de ombros, não parecendo se incomodar tanto com aquilo.
— O que você fez?
— Dei mais spoilers do que deveria — sorriu sem graça, coçando o nariz. — Ai, mas não foi minha culpa, né? As pessoas me perguntam, ué…
— É só você dizer que não sabe, ou que eles precisam assistir para saber!
— Hm, tanto faz… Não é como se fossem me mandar embora por isso, no máximo vão me aplicar alguma multa…
Robert suspirou, negando com a cabeça;
— Às vezes eu esqueço que você é super rica e não se importa com dinheiro.
Morris riu culpada, passando o olho pelas cláusulas, sem realmente prestar atenção no que lia.
— Não é que eu não me importe, mas não faço muita coisa com ele, então se eu recebo a mais ou a menos, não faz tanta diferença, entende? Não pago nenhuma conta com meu salário.
— Se é esse o problema, — começou, olhando-a de canto — posso te enviar algumas contas minhas para você pagar!
concordou rindo, voltando sua atenção ao que fazia, enquanto Robert tirava a jaqueta que usava, colocando-a sobre a mesa.
— Espera, — disse de repente, olhando-o confusa — você está sem dinheiro mesmo?
O ator riu baixo, passando a língua pelos lábios antes de responder;
— Por hora não, mas não sei exatamente como vai ser daqui alguns meses quando terminar meu contrato. E não é como se o meu fosse com um cachê muito alto, é só pra dois filmes e nem tem tantas cenas igual o seu… — Deu de ombros.
— Tenho certeza que você vai conseguir algum filme excelente depois de terminar aqui! — Comentou distraída, Robert sorriu de lado, agradecido.
— Espero realmente que sim, na verdade aceito qualquer coisa, gosto de trabalhar com cinema, mas se for um papel maior, melhor ainda.
— Olha, eu sinceramente culpo a Jô, se não tivesse matado o Cedrico nada disso aconteceria, você provavelmente teria um contrato para todos os filmes!
— Puff, ela acabou de matar o Sirius, essa mulher não tem coração. — Resmungou, ouvindo-a rir ao concordar.
— Não quero nem ver o que vai ser do próximo livro…
— Quem você acha que morre?
— Algum dos Weasley, — pensou por uns instantes — eles e Hermione foram os únicos que não sofreram muita coisa, e os pais da Hermione são trouxas, então…
— Sério? Eu pensei que poderia ser alguém em Hogwarts… Algum professor, mas faz sentido se for algum dos Weasley também… Você já pensou se ela mata um dos quatro no final?
— Provavelmente vai, qual as chances de todos sobreviverem? Por mim, pode matar o próprio Harry Potter, mas não toca na Sam!

Robert começou a rir conforme lia seu roteiro, cutucando-a com o cotovelo;
— Já viu o que vai acontecer durante a Copa Mundial?
— Que? Calma! — Respondeu olhando a próxima página de seu script, franzindo o cenho ao ler o momento e negando com a cabeça — Mas não era para ser só em Hogwarts? Vão adiantar?
— Já vai começar o quarto ano namorando com o melhor aluno de Hogwarts! — Comentou rindo convencido.
— Como é? — James deu um grito ao seu lado, puxando o script do colega, gargalhando assim que terminou de ler — Eu não acredito nisso!
— Black e Diggory virou realidade! — Oliver começou a rir, colocando as mãos sobre o peito, olhando apaixonado para o casal à sua frente.
— Graças a deus tenho uma cena zoando isso! — James começou em seguida, apontando para o papel em mãos. Pigarreou antes de dizer — Grande dia, ein, Samantha? A Irlanda venceu e você ganhou um namorado!
— Ah, cala a boca! — respondeu rolando os olhos, o rosto corado, enquanto puxava o script mais para perto, continuando a ler;
— Realmente já está no personagem, sua fala deve ser essa mesma! — Oliver elogiou irônico, rindo junto com o irmão e Pattinson.
— Vocês poderiam encenar para nós, não é? Já vão treinando! — James sugeriu sorridente.
— Treinando o que? — Daniel perguntou ao aproximar-se com o script em mãos e um copo de café.
— O primeiro beijo do casal! — Os gêmeos falaram juntos, apontando para os colegas. Robert ria sem graça, nem mesmo olhava para eles.
— Eu não acredito! — Radcliffe começou a rir, puxando o papel da amiga — Não era para acontecer em Hogwarts?
— Parece que adiantaram a cena, — respondeu em voz baixa — devem querer aumentar o drama para o final…
— Faz sentido, — Pattinson concordou, folheando o script para as últimas falas, lendo rapidamente a forma que morreria — parece que vai ser rápido…
Daniel também folheou as páginas do script da amiga, demorando um pouco para chegar à parte sobre a morte de Cedrico;
— Hmm, boa sorte!
A loira passou os olhos por cima, sorrindo de canto;
— Vai ter a cena com o Gary! Excelente!
— Seu namorado morre e você tá sorrindo? — Oliver negou com a cabeça, inconformado. — Você não merece Cedrico Diggory, !
— O mínimo que eu espero são várias lágrimas! — Robert concordou rindo, olhando por sobre o ombro da garota a descrição da cena após a morte de seu personagem.


Flashback 2004
Warner Bros Studios, Watford
Gravação, dia 15


Robert estava sentado sobre a maca, parte do corpo coberta com um creme alaranjado e ataduras ao redor da cintura, esperando o novo diretor, Mike Newell dar o ok para começar a rodar a cena.
— AÇÃO!
abriu a tenda da barraca apressada, na intenção de chegar até o colega, mas acabou tropeçando no tapete que estava no local, se desequilibrando e caindo em um baque surdo. Ninguém comentou nada por um instante, Pattinson levantou-se da maca preocupado, dando dois passos em sua direção, até começar a ouvir a gargalhada da garota jogada ao chão.
— Meu deus do céu, o que foi que eu fiz? — Perguntou rindo, logo ouvindo o restante do pessoal também rir da cena, ao notar que ela estava bem.
— Você está bem? — Newell questionou ao andar até ela, oferecendo a mão para ela se apoiar.
— Meu ego está ferido!
Demoraram alguns minutos para conseguirem fazer a garota se recompor, pois toda vez que ela tentava passar pela abertura da tenda começava rir ao olhar para Robert, que também mantinha um sorriso no rosto, enquanto tentava segurar a risada.
— Morris! — Heyman gritou, chamando-lhe a atenção, embora também tivesse um tom de divertimento.
— Eu juro que não é de propósito, mas ele fica rindo também! — Acusou apontando para o colega.
— Eu? — Pattinson gritou surpreso, negando em seguida — Eu nem olhei pra você, garota!
— Mentiroso!
— Chega, casal! — Mike chamou os dois, apontando para cada um — Pattinson, olhando para baixo até entrar, Morris, se concentra, temos mais cenas para rodar!
— Desculpa…
— AÇÃO!


Flashback 2005
Warner Bros Studios, Watford
Backstage, dia 45


— Por que está tão quieta, Morris? — Robert perguntou ao notar a garota novamente sozinha ao canto. Normalmente estava junto com algum colega de elenco durante os intervalos entre uma cena ou outra, sendo na maior parte das vezes Daniel, de quem era mais próxima, mas já havia reparado que nos últimos dias a atriz preferia ficar sozinha, lendo alguma coisa ou simplesmente escutando música.
A garota deu de ombros, fechando a revista que lia e deixando na cadeira ao lado da qual estava sentada.
— Nada importante…
— Tem certeza?
A loira olhou para o lado, e Robert pode notar o constrangimento da mesma. Imaginou que fosse algum assunto pessoal e resolveu não se envolver, pensando em um assunto qualquer que pudesse conversar;
— E então, já soube que vai rolar uma festa durante a gravação do Baile?
concordou, sorrindo sem graça, enquanto Pattinson continuava a conversar sobre as cenas do filme, tentando distraí-la sem nem mesmo saber qual era o problema. O rapaz parou por alguns instantes quando viu que ela não estava mais prestando atenção no que dizia. Passou a mão pelos cabelos, sem saber exatamente o que fazer ou mesmo dizer;
— Tem certeza que eu não posso ajudar?
Morris suspirou, mostrando-lhe a revista que lia anteriormente.
Robert encarou por um instante, passando os olhos pelas matérias, sem entender ao que ela se referia;
— Falaram algo ruim sobre você? — Questionou confuso, olhando-a de lado.
rolou os olhos, negando com um aceno, apontando para o canto da revista, na qual ele pode ler “Dez mitos e verdades sobre o Primeiro Beijo”.
— Você nunca beijou ninguém? — Perguntou genuinamente surpreso, vendo-a dar de ombros, constrangida.
— Eu estou sempre no set, não é? E nem passo muito tempo conversando com ninguém na escola, então…
Pattinson concordou devagar, sorrindo de canto;
— Sinceramente, não é grande coisa, sabe? É um pouco superestimado… Meu primeiro beijo foi muito estranho… — Confessou, rindo sem graça enquanto passava a mão pelos cabelos. — E só o que eu pensava depois era se a garota também sentia aquele gosto de Marmite
o olhou, sorrindo pequeno, embora ainda estivesse extremamente sem graça;
— Não é nem isso, — contou em voz baixa, tornando a olhar para frente — além de tudo ainda vai ser gravado, entende? Vão ter umas dez câmeras e umas trinta pessoas olhando…
O ator concordou, permanecendo em silêncio por um tempo, agradecendo mentalmente quando a chamaram para voltar a gravar.
— Você poderia não contar isso para ninguém? Já vai ser ruim o suficiente fazer na frente de todos, não queria que soubessem…
— Sou ótimo com segredos!


estava deitada em sua cama, os braços cruzados em cima das cobertas, olhando para o teto. Em dois dias começariam as gravações relacionadas as cenas do Baile de Inverno, incluindo seu beijo em Robert.
Seu Primeiro Beijo.
E seria na frente das câmeras e do estúdio todo.
E se fizesse algo errado? E se beijasse estranho? E se todos descobrissem que ela nunca tinha beijado ninguém?
Pattinson havia contado que beijou com 12 anos, assim como Felton. Emma e Rupert aos 13. E ainda lembrava de Daniel contando que havia beijado uma garota no ano anterior.
Rolou na cama abraçando o travesseiro, pensativa.
Em partes, o que havia dito ao Robert era verdade: não tinha grandes amizades na escola, principalmente com garotos, mas aquilo não deveria ser um empecilho; Por que nenhum menino havia a chamado para sair?
O que poderia ter de tão errado com Morris para NENHUM garoto se quer a convidar para tomar um sorvete?
Mordeu o lábio inferior pensando na cena; e se fosse horrível e Pattinson contasse para todo mundo? Deus, aquilo seria humilhante.

Pegou seu celular da escrivaninha quando ouviu o barulho de mensagem recebida, não reconhecendo o número:
"Quer ter um primeiro beijo longe das câmeras amanhã?"
"Podemos fazer isso afastados do set..."
"Ah, é o Pattinson.
James me passou seu telefone ;)"

A garota riu por um instante da última mensagem, tinha achado óbvio ser ele logo na primeira. E então releu, pensando a respeito.
Não era uma ideia ruim, teriam que se beijar de qualquer forma, e Rob já sabia de seu segredo. Talvez fosse legal praticar antes de gravarem;
"Você tem que prometer nunca contar isso pra ninguém!!!"
Não demorou muito para receber a resposta do colega;
"Eu já falei que sou bom com segredos, não foi? Fica tranquila, sou mais confiável que o Cedrico!"
riu, sentindo-se levemente mais tranquila.
"Obrigada, Pattinson. Até amanhã!"
"Boa noite, Morris"

Flashback 2005
Warner Bros Studio, Watford
Backstage, dia 46


saiu de seu camarim distraída, olhando para o celular, até ouvir passos um pouco mais à frente, erguendo a cabeça alguns centímetros e reparando em Robert Pattinson.
O colega passava a mão pelos cabelos, bagunçando-os levemente, já vestindo o uniforme amarelo e preto para a cena que gravaria mais tarde. Virou-se para o lado, sorrindo de canto ao reparar na loira o olhando sem graça.
— Tudo bem? — Perguntou esperando-a se aproximar, vestia o uniforme da Grifinória, tendo algumas cenas para gravar com o trio de amigos.
Morris apenas concordou com a cabeça, guardando o telefone no bolso da capa, começaram a andar juntos em direção ao set, cumprimentando algumas pessoas que passavam por eles. Robert pigarreou, olhando de canto para a outra;
— Olha, a gente não precisa fazer isso se você não quiser… Deve ser estranho mesmo… — Disse, passando a língua pelos lábios, tornando a passar a mão pelos cabelos, um tanto nervoso com a situação toda.
Já estava começando a achar-se um cretino por ter sugerido aquilo, era óbvio que as coisas ficariam muito estranhas entre eles. Não eram tão próximos quanto ele era dos gêmeos, ou como era de Daniel, mas até conversavam bastante entre uma cena ou outra, e até já tinham saído algumas vezes junto com o restante do elenco e passado boas horas conversando e rindo de algum assunto aleatório, mas não eram amigos o suficiente para aquilo.
Já achava ruim Cedrico Diggory ser o primeiro beijo de Sam Black.
Robert Pattinson não poderia ser o primeiro beijo de Morris.
Talvez devesse sugerir que ela falasse com Radcliffe, tinha certeza que os dois teriam mais intimidade para dar um beijo e não ficarem sem conversar depois.
A garota suspirou, falando em voz baixa, olhando para o chão o tempo todo;
— Eu… Ahn… — Cruzou os braços, virando-se de frente para encará-lo, o rosto vermelho — Vai acontecer de qualquer jeito, não é?
O rapaz a encarou por alguns instantes, concordando com a cabeça, tão sem graça quanto ela. Passou a língua pelos lábios, olhando ao redor, apontando para um canto entre um trailer e outro, que parecia desocupado no momento.
Tornaram a caminhar juntos, sem dizer uma palavra, Robert vez ou outra olhava por sobre o ombro, com medo que alguém os visse juntos.
Se encararam mais uma vez, rindo nervosos ao chegarem ao local.
— Ahn… Tenta… Tenta relaxar um pouco, ok? Não fique tão nervosa…
— Você sabe que normalmente quando alguém diz isso o efeito é contrário, certo? — Arqueou a sobrancelha, sorrindo de lado, vendo-o rir concordando.
— Certo, só para você saber, é provável que seja ruim de qualquer forma, tá? E na verdade eu não devo ser a melhor pessoa pra fazer isso… — Passou a mão pelo pescoço, totalmente sem graça.
— Não é como se eu tivesse algo para comparar…
— Ótimo ponto! — Agradeceu, vendo-a rir por um instante.
Robert deu um passo em sua direção, respirando fundo, assim como a garota.
— Hm… Talvez seja menos estranho se você fechar os olhos…
concordou, fechando-os instantes depois, extremamente nervosa e, ao mesmo tempo, ansiosa, sem realmente saber o que esperar. Tinha a postura ereta e as mãos fechadas em punho, respirando fundo vez ou outra, sentindo o coração bater acelerado.
Pattinson soprou o ar levemente, olhando para a colega à sua frente, fechou os próprios olhos ao inclinar-se em sua direção, levando uma mão ao rosto da inglesa, levantando-o alguns centímetros, até encostar seus lábios.
Notou o quão nervosa ela estava, preferindo manter um selinho demorado até que Morris se acalmasse aos poucos. Passou a mão direita pela cintura da garota, aproximando-se um pouco mais, abrindo a boca aos poucos, tornando a capturar seus lábios com os dela.
levou uma das mãos trêmulas até a cintura de Robert, segurando no tecido de sua camisa, ainda sentindo o coração bater acelerado contra seu peito. Pouco depois sentiu a língua dele encostar em seus lábios, abrindo a boca lentamente, sem saber exatamente o que fazer, mas tentando lembrar-se do que havia lido em revistas.
Achou que seria exagerado levar sua mão ao cabelo dele, como tinha lido, por isso as manteve em sua cintura, puxando a camisa que Pattinson usava.
O beijo não era ruim, Robert tinha gosto de hortelã, mas ele estava certo quando disse que ela acharia estranho, pelo menos no começo, até acostumar-se com a sensação da língua do rapaz em sua boca. Franziu o cenho por alguns instantes, sem saber como reagir para beijá-lo de volta.
Sentiu-se mais nervosa ao pensar que ele deveria estar odiando, pois ela não tinha ideia do que fazer, até que Pattinson soltou um pouco de ar contra sua boca, afastando-se por alguns poucos segundos antes de voltar a beijá-la, apertando-lhe a cintura.
— O que vocês estão fazendo? Saia de perto dela agora!
Os dois pularam assustados olhando para o lado, vendo Gary Oldman os encarando apavorado, logo dando passos apressados em direção aos dois, puxando a garota para longe do rapaz;
— Como é que você se atreve, Pattinson? Você não tem vergonha na cara? Meu deus, não tem idade pra isso, muito menos com você!
— Eu… Não… Eu… — Gaguejou extremamente constrangido, passando a mão pelos cabelos, nervoso.
Olhou de canto para a loira, tão sem graça quanto ele, encarando o chão com o rosto vermelho.
— Achou que seria uma boa ideia treinar antes de gravarem? A convenceu disso, não foi? Você deveria ter vergonha de suas atitudes! Como teve coragem? Se aproveitando dela dessa forma?
— Não foi… Eu… A gente… — Suspirou, frustrado com a situação toda, desejando que Morris dissesse qualquer coisa para ajuda-lo — Eu… Não sei o que te dizer…
— Pois fique bem longe dela! — Oldman virou-se para a garota, segurando-a pelos ombros — Você está bem? Pode me contar se ele te fez algo!
Morris negou com a cabeça, considerando fingir um desmaio ou simplesmente sair correndo;
— Não… Ele não fez nada…
— Não precisa defendê-lo, ! Está tudo bem! — Disse, abraçando-a apertado e olhando por sobre o ombro para o loiro, negando com a cabeça. — Vamos! Fique longe dele!
Robert encarou o homem arrastando a mais nova junto a ele para longe, bufando ao passar a mão pelos cabelos, bagunçando-os frustrado.
Além de constrangido, começou a se sentir extremamente mal pelo o que tinha feito já que, de fato, era bem mais velho. Parte de si começou a considerar se subconscientemente estava realmente tentando se aproveitar da situação toda, e aquele pensamento o fez se sentir muito pior do que ser xingado por Gary Oldman.


TRÊS.

Flashback
Warner Bros Studio.
Backstage, dia 47


Robert estava escorado na parede, tomando um copo d’água, já com suas vestes para a filmagem do Baile de Inverno, assim como a maioria do pessoal ao redor. Oliver estava ao seu lado, comentando sobre o figurino dos colegas, olhando de canto para Pattinson, que mantinha-se monossilábico desde o dia anterior;
— Então — Phelps pigarreou, tentando segurar a vontade de rir quando o loiro o olhou — já falou com a Morris?
Robert levou seu copo à boca, negando com um aceno. Sentindo o rosto esquentar, logo escutando a risada baixa do amigo.
— Desculpe, mas acho que isso vai ser pra sempre a melhor coisa que já aconteceu nesse estúdio!
— Fácil pra você — Pattinson resmungou, fazendo careta — queria ver se fosse o contrário.
— Nunca aconteceria comigo, eu com certeza escolheria um lugar melhor! — Piscou divertido, vendo-o rolar os olhos e negar com a cabeça, passando a mão pelos cabelos. — Mas você não falou com a mesmo?
— Não deu tempo, ontem gravamos uma cena rápida e ela continuou até mais tarde, eu acabei indo embora antes. Sem contar que o Gary ficava perto o tempo todo — suspirou, terminando sua água e deixando o copo de lado —, e não sei bem como puxar conversa agora…
— Bem, parece que você não tem muita escolha — apontou com a cabeça para o lado, e não demorou para Robert ver andando junto com Emma, gesticulando bastante, enquanto uma das estilistas vinha mais atrás, arrumando o vestido das duas garotas.
Morris fez uma careta, olhando para o lado e discordando do que fosse que lhe era dito, e então seus olhos focaram nos dois rapazes mais ao lado; Phelps deu um sorrisinho animado, enquanto Pattinson apenas acenou com a cabeça, claramente sem graça.
devolveu o aceno simples, antes de voltar sua atenção para a Emma, sentindo o rosto corar fortemente, mas tentando ignorar a vergonha.
— Pense pelo lado positivo — Oliver disse, passando a mão pelos cabelos ruivos — pelo menos vai ganhar mais uns beijos, e dessa vez o Gary não vai surtar!
— Ah, sim, e ter várias pessoas olhando e gritando “corta” será muito melhor — debochou, suspirando frustrado — eu sabia, desde o começo, que tinha sido uma péssima ideia.
— Então por que sugeriu? — Cruzou os braços, olhando-o com curiosidade.
— Não faço ideia. — Mentiu, olhando para outro canto.
Não queria contar que o motivo de tudo aquilo era porque nunca tinha beijado ninguém, havia prometido segredo, e por isso aceitou a culpa quando Gary o acusou de ter se aproveitado do momento e sugerido que os dois “ensaiassem”.
O resultado daquilo foram olhares feios do pessoal mais velho, e algumas piadas dos colegas. E, é claro, tinham aqueles, como Maggie Smith, que não se deram ao trabalho de se importar com a fofoca.


Minutos depois, o pessoal foi todo reunido para as tomadas, começando as meninas que interpretavam as irmãs Patil, Daniel e Rupert se postaram no canto das escadas, esperando que as meninas descessem. A cena, em geral, tomou pouco mais de 20 minutos, já que havia sido necessário repetir pois, como sempre, Grint não conseguiu controlar a risada quando Maggie aproximou-se para fazer um comentário sobre as vestimentas do personagem.
A cena seguinte era com Robert e , a loira desceria pela mesma escadaria e o rapaz se aproximaria sorridente, o que não seria um problema, caso não fosse a situação constrangedora em que se encontravam.
O diretor acenou para começarem e Pattinson colocou-se em sua marcação, esperando a contagem do diretor para virar o rosto na direção da escada, conforme ensaiado. já descia os primeiros degraus da escada, usando um vestido bonito , que ele achou que combinava muito tanto com quanto com Sam.
Estava tudo certo com a gravação, até Morris encarar os olhos azuis do colega, nesse instante a inglesa sentiu o rosto esquentar violentamente, e sua vontade era de sair correndo, ao invés, respirou fundo e continuou a descida, tentando ainda não tropeçar no vestido longo que usava, mas só até escutar o grito de “corta”. Respirou fundo e voltou sua atenção para Mike Newell;
— Está ótimo, mas pode ficar melhor — sorriu, apontando para a garota tornar a subir — preciso que quando chegue à metade da escada você mantenha sua atenção no Cedrico.
— Não deveria ser difícil, eles já estão tão íntimos… — Rupert comentou de seu canto, soltando uma risadinha e fazendo a amiga o encarar com uma expressão de ódio.
Robert também sentiu o rosto esquentar, respirando fundo e fechando os olhos por um momento.
— Eu, sinceramente, não me importo com nada disso — Newell disse, tentando amenizar a situação —, mas precisamos que as cenas sejam gravadas, e é um momento importante. Vamos tentar de novo! Prontos? AÇÃO!


Na terceira tentativa Mike deu-se por satisfeito, não era o que ele queria inicialmente, mas pelo menos o constrangimento dos dois dava a sensação que era dos personagens, principalmente de , que teoricamente deveria estar tímida com o Baile.
O casal então se encontrou no final das escadas, sorrindo timidamente, até Robert curvar-se para beijar-lhe a bochecha, oferecendo-a a mão instantes depois para seguirem juntos pelo caminho marcado.
— Muito bem, muito bem, — o homem suspirou, passando a mão pelos cabelos ao ver a cena no screen da câmera — vamos continuar. Emma, sua vez!
Robert e se afastaram assim que o diretor avisou que a cena estava concluída, sorrindo sem graça um para o outro, antes de se juntarem ao restante dos colegas, que assistiam as cenas. Morris colocou-se ao lado de Daniel, que ria abertamente do constrangimento da amiga e, com isso, recebendo um soco no braço.
— Nem ouse abrir à boca. — Resmungou ao encará-lo, antes de cruzar os braços e olhar para a cena da amiga.
— Eu nunca pensaria nisso! — Disse rindo, olhando Pattinson mais ao canto — Mas deveria falar com ele.
— Não diga como viver minha vida, Daniel — a outra retrucou, nem mesmo olhando-o.
— Só estou dando um conselho, sua ingrata. Ele parece constrangido.
— Só ele? — Virou-se para encarar o moreno, que riu, concordando com um aceno.
— Mas ele chegou por último, não foi? Ficou com a fama de aproveitador!
— O que…?
— Será que podemos começar aqui? — Newell perguntou ao olhar para os dois amigos conversando — Ou vou precisar separar vocês dois de novo?
— Foi a quem começou! — Daniel disse rápido, cruzando os braços e tornando a olhar pra frente, segurando a risada ao ver a careta da loira.
— AÇÃO!
Emma Watson virou-se na escadaria, descendo devagar, olhando para o lado em que Stanislav estava, sorrindo pequeno em sua direção, estava descendo os últimos degraus quando pisou em falso, caindo os últimos cinco.
O estúdio todo permaneceu em silêncio por cerca de trinta segundos, até Daniel, e Rupert começarem a gargalhar, fazendo com que a própria Emma risse junto, cobrindo o rosto com as mãos e, assim fazendo o restante do pessoal soltar risadinhas, ao notar que a garota estava bem.
— Meu deus, me deixa rever essa cena! — Grint pediu aos risos, aproximando-se do diretor para ver a câmera. — Isso aqui tem que ir para os extras do DVD!
— Cala boca, Rup! — Emma gritou, roxa de vergonha, mas ainda com um ar de riso presente. Stanislav aproximou-se, oferecendo o braço para ela se apoiar e levantar.
Minutos depois, após todo mundo se recuperar das risadas e a cabelereira ajeitar o penteado da inglesa, Watson voltou a subir as escadas, com ainda mais cuidado, para gravar a cena.

🎬🎬


— Eu ainda não acredito que ela caiu! — Rupert ria, negando com a cabeça durante o intervalo entre as gravações.
— Essa semana está maravilhosa — Daniel concordou, colocando a mão sobre o ombro da amiga — constrangida ontem, Emma caindo hoje! Aiai, eu amo esse set!
— Ai, cala boca, Daniel! — Morris o afastou, cruzando os braços contrariada — Vou me lembrar disso na próxima vez que vocês caírem! — Encarou-os com a sobrancelha arqueada.
— Puff, mas não será melhor do que o que aconteceu com vocês duas! Daqui há vinte anos eu ainda lembrarei dessa cena! — Grint tornou aos risos, fazendo o amigo rir junto dele.
— Vocês são insuportáveis! — bateu o pé, frustrada, antes de dar as costas aos dois, fazendo-os rirem ainda mais.
Andou até o outro lado do set, sentando-se em uma cadeira próxima, cruzando os braços emburrada, resmungando sozinha.
— Tudo bem?
Virou-se ao ouvir a voz de Robert, o qual mantinha as mãos nos bolsos da calça social e um sorriso pequeno nos lábios. concordou com um aceno, sentindo a raiva passar e dar lugar a vergonha.
— Posso? — Ele apontou para a cadeira ao lado da garota, vendo-a concordar sem graça. Pattinson suspirou, passando a mão pelos cabelos, antes de olhá-la sem jeito — Sinto muito por ontem.
— É, eu também. — Respondeu baixo, olhando para as próprias mãos.
Permaneceram em silêncio por alguns instantes, ambos constrangidos demais para dizer qualquer coisa, apenas olhando a movimentação ao redor.
— Pelo menos a festa vai ser legal, né? — O loiro arriscou, olhando-a de canto. riu pequeno, concordando com um aceno.
— Tirando a parte da gente gravando na frente de todo mundo…
— Pensa que, quanto mais rápido a gente gravar, mais rápido termina.
A garota concordou com um aceno, mordendo o lábio inferior antes de suspirar, encarando-o segundos depois;
— Sinto muito por ontem, eu poderia ter falado com o Gary…
— Não, tudo bem — Robert sorriu pequeno — foi meio de repente, não tinha muito o que fazer… Ele falou com você depois?
— Ah, falou — bufou — e com meus pais também.
— O que? — Virou-se surpreso, arregalando os olhos.
— Pois é.
— E o que eles falaram?
— Nem queira saber — negou com um aceno, fazendo uma careta em seguida —, mas se fosse você, ficaria bem longe de qualquer Morris, meu pai e meu irmão estão surtando!
Pattinson fez um barulho com a boca, concordando com um aceno ao olhar pra frente;
— Acho que não fizemos um bom trabalho ao tentarmos ser discretos…
riu do comentário, concordando a contragosto;
— E eu achando que seria ruim meu primeiro beijo ser na frente das câmeras…
Foi a vez de Robert rir, piscando ao encará-la;
— Tá vendo? Pelo menos tirou toda a pressão da cena! O objetivo inicial era esse, não?
A loira negou com um aceno, sorrindo de canto;
— Bom trabalho, Pattinson!

🎬🎬


O grupo de adolescentes conversava em voz alta, rindo bastante entre cada intervalo de gravação. As primeiras cenas do Baile já haviam sido feitas e agora tinham apenas mais algumas paralelas para serem gravadas, antes de filmarem a parte do show d’As Esquisitonas e o grupo todo ser liberado para aproveitarem o baile como uma festa de verdade. No momento se preparavam para a cena do beijo entre Cedrico e Samantha, com os casais restantes dançando ao redor para a tomada geral, embora não fossem o foco principal. Robert viu Oliver mais ao canto, fazendo um joinha com a mão em sua direção, enquanto James ria ao seu lado, rolou os olhos, virando para o lado contrário para evitar uma risada fora de hora.
Nos minutos anteriores das gravações, as coisas tinham saído melhor do que ele esperava entre ele e , parecia quase que voltaram ao ponto em que apenas conversavam amigavelmente, sem pensarem no momento constrangedor do dia anterior. Contudo, agora que gravariam a cena de beijo, estava um tanto aflito de voltarem a se estranharem após a gravação, e ele realmente esperava que não.
Dançaram de braços dados conforme o andamento da cena, seguindo nas marcações ensaiadas anteriormente, até Newell fazer um sinal com a mão e Robert respirar fundo antes de afastar-se alguns centímetros da loira, encarando-a por alguns instantes, antes se seguirem com suas falas;
— O que foi? — Morris perguntou com o cenho franzido.
Pattinson respirou fundo, soprando pouco mais alto que um sussurro;
— Eu sou completamente apaixonado por você.
o encarou por um instante, sorrindo largamente em seguida, ao tempo que o rapaz também sorria, antes de passar as mãos por seu rosto, curvando-se alguns centímetros e encostando seus lábios aos dela.
Poucos segundos depois escutaram o grito de ‘corta’ vindo de Mike, e se separam um tanto constrangidos, mais ainda quando escutaram o elogio do diretor;
— Perfeito! Não é pra menos que são o melhor casal de Hogwarts"

🎬🎬


olhou o relógio de pulso pela terceira vez, bufando ao notar que seu irmão já estava quase 40 minutos atrasado. A maioria dos amigos já tinha ido pra casa após as gravações, assim como boa parte dos funcionários, mas não Morris.
— Do que adianta ser rica e conhecida se sou esquecida? — Resmungou, apoiando os cotovelos nas pernas cruzadas. — É um absurdo uma coisa dessas!
— Falando sozinha, Morris?
A garota virou-se assustada ao ouvir a voz de Pattinson, o qual sentou-se ao seu lado no banco em frente ao estúdio.
— Deus me livre, quer me infartar? — Reclamou, colocando a mão sobre o peito, Robert riu, desculpando-se. — Por que está aqui essa hora?
— Tive que esperar enquanto faziam uma maquiagem para testar nas gravações da última prova. — Deu de ombros, passando a mão pelos cabelos — E você?
— Estou esperando meu irmão lembrar da minha existência!
— Já ligou pra ele?
— Não posso, meu celular tá sem bateria — Suspirou — Tenho que esperar até o dia que ele se lembre que tem uma pessoa indefesa para buscar!
Pattinson riu do drama exagerado, tirando o telefone do bolso e estendendo em sua direção;
— Pronto, pode ligar pedindo sua carruagem, princesa!
A garota riu, aceitando o celular e discando segundos depois para o irmão mais velho;
— Tá na caixa postal! — Rolou os olhos ao ouvir a mensagem gravada — Harry Vincent Morris, o que poderia ser mais importante do que eu para você ter esquecido de vir me buscar? Vem logo que eu tô com fome! Beijo. — Desligou, entrando o aparelho de volta para o colega — Obrigada.
— Hm, parece que você ainda vai ficar um tempo por aqui, não era mais fácil pegar um táxi pra casa?
— Provavelmente, mas agora não sei se ele já está vindo ou não… Vou esperar mais um pouco antes de ir.
— Mas é aí que vocês podem se desencontrar…
— Bom, mas aí é problema dele! — Deu de ombros — Mas é bom mesmo que ele tenha me esquecido, porque aí eu tenho isso contra ele para o futuro.
Robert riu, negando com a cabeça, ao tempo que se recostava no encosto do banco, cruzando as mãos atrás da cabeça e olhando para a rua pouco movimentada.
— E você, tá esperando o que? — A loira virou-se para olhá-lo, ao notar que o rapaz não parecia com nenhuma pressa de ir para casa.
— Bom, eu provavelmente vou pra casa de metrô, então posso te fazer companhia um pouco mais — piscou, sorrindo de canto.
franziu o cenho, encarando-o confuso;
— Metrô? Não é tipo, umas duas horas até Londres?
— Quase isso — respondeu tranquilo, rindo baixo ao notar que a garota continuava a encará-lo — não é nada demais, sem contar que não é todo dia.
— Caramba, eu já vou quase dormindo no carro, e é uns quarenta minutos, se demorasse duas horas ninguém mais me acordava!
Pattinson gargalhou, concordando ao passar a mão pelos cabelos;
— Você se acostuma com o tempo. Nunca andou de metrô?
— É claro que sim! Mas poucas vezes, e por poucas estações… — Explicou, passando a língua pelos lábios antes de voltar a olhá-lo — Se quiser pode pegar uma carona conosco, te deixamos na sua casa, é caminho mesmo — deu de ombros.
Robert negou de imediato;
— Obrigado, mas você mesma me disse que seu pai e seu irmão não estão muito contentes comigo agora, é mais seguro o metrô.
riu sem graça, tendo esquecido do ocorrido.
Após aquele comentário, caíram em um silêncio constrangedor, e o rapaz arrependeu-se de ter relembrado o assunto, estava tudo indo muito bem sem ele abrir a boca.
— Eu sinto muito pelo o que aconteceu, foi uma péssima ideia — disse baixo, olhando-a sem graça. respirou fundo, negando antes de olhá-lo incerta, sentindo o rosto esquentar assim que encarou seus olhos;
— Não foi sua culpa, Pattinson. E você não me obrigou a nada, só quis ajudar.
O ator respirou fundo, parecendo ainda mais sem graça;
— Sinceramente? Fiquei pensando no que o Gary disse ontem, sobre eu ter sugerido por interesse próprio…
— E foi? — Morris questionou curiosa.
Não negaria que achava Robert bonito, possivelmente o garoto mais bonito de toda a produção, e, por mais que tivesse sido uma confusão e até mesmo um tanto humilhante, ela havia gostado muitíssimo do beijo. Tinha, é claro, começado estranho, mas Morris diria que foi bastante satisfatório em um contexto geral. A ideia de que Pattinson, talvez, tivesse interessado em beijá-la, sem ser apenas para ajudá-la, pareceu deixá-la com um frio na barriga.
— Não tenho muita certeza — respondeu baixo, olhando para as próprias mãos sobre o colo, o cenho franzido. — Não é como se eu não tivesse gostado… Pelo menos até o Oldman aparecer…
— Sim, tirando o Gary, estava tudo bem — concordou, tão sem graça quanto ele, mas querendo que o rapaz soubesse que ela havia gostado.
Robert a encarou de canto, sorrindo pequeno;
— Então não foi horrível?
o encarou por um instante, sorrindo em seguida;
— Não que eu tenha com o que comparar, — deu de ombros, fazendo-o rir — mas não achei ruim, muito pelo contrário.
O casal se encarou por alguns minutos, constrangidos, mas parecendo muito mais tranquilos ao saberem que o beijo tinha sido bom para ambos. Pattinson então falou a primeira coisa que veio à cabeça, sem realmente pensar nas consequências daquilo;
— Quer tentar de novo?
sentiu o coração bater mais forte, o rosto esquentar e o estômago revirar;
— Pelo menos agora não tem o Gary por perto!
Pattinson riu baixo, antes de inclinar-se em sua direção, segundos depois encostando seus lábios aos dela, iniciando um beijo delicado que, na opinião dos dois, foi ainda melhor do que o primeiro.


QUATRO.

Flashback
Londres, junho de 2005.

Conforme as semanas de gravações foram passando, as brincadeiras em set foram diminuindo, pois as cenas estavam mais demoradas e sérias que o costume e, mesmo que por poucos dias, as gravações também estavam atrasadas, o que precisou acelerar ainda mais o processo todo.
e Robert continuavam a se beijar escondidos, enquanto na frente dos outros tentavam manter a conversa tranquila e sutil, para que ninguém desconfiasse. É claro que não funcionou por muito tempo, alguns já estavam desconfiados dos amigos e, por quererem dividir aquilo com alguém, Morris e Pattinson escolheram Daniel e Oliver, respectivamente, para contar sobre o que estava acontecendo por quase dois meses;
— Mas isso era óbvio — Radcliffe comentou quando a amiga lhe contou —, só vocês acham que estão sendo discretos. — Riu da expressão surpresa da loira, negando com um aceno — Jura que você achou que ninguém percebeu que vocês sempre acabam sozinhos em algum canto? Por favor!
A inglesa suspirou, apoiando o rosto da mesa em que estava junto do moreno, fechando os olhos por um instante;
— Todo mundo já sabe?
— Nem todo mundo, mas a maioria já está desconfiado e, quem não sabe, provavelmente não se importa! Eu só tomaria cuidado com o Gary, ele vai contar pro seu pai de novo! — Avisou, segurando a risada ao dar tapinhas em suas costas, vendo-a fazer uma careta.
— Eu vou acabar de castigo pelo resto da minha vida!
Phelps, entretanto, não foi tão solidário com Robert quando o loiro contou o que estava acontecendo, gargalhando no meio do set e atraindo a atenção do pessoal;
— Cala boca, cara! — Ralhou, puxando-o para o lado.
— Estou surpreso com a sua inocência de achar que eu não sabia, mas fico feliz por ter me contado pessoalmente! — Falou aos risos, apertando o ombro do amigo.
Robert rolou os olhos, passando a mão pelos cabelos, sentindo-se um tanto nervoso ao perceber que seu “relacionamento” não era tão secreto quanto pensava.
— Por que esse drama todo? Faz diferença alguém saber ou não? — Oliver tornou confuso, vendo-o suspirar e dar de ombros.
— Não faço ideia, foi a que pediu pra não contarmos. Por mim não tem problema, quer dizer, preferia que Gary não soubesse… — Olhou na direção que o ator estava, junto de Alan Rickman, conversando aos risos com o colega.
— Será que é por isso que ele continua vindo aqui? — Phelps arriscou, também olhando na direção do mais velho — Porque ele só tinha uma cena e já foi gravada, não?
— Com certeza — Robert garantiu, suspirando —, Morris contou que ele fica de papo com o pai dela toda semana, deve estar aqui pra ficar de olho em mim…
— E adiantou zero, você continua beijando a pelos cantos! — O ruivo riu sacana. Pattinson negou com um aceno, olhando para o outro lado, embora um sorriso pequeno estivesse presente em seus lábios.


Embora algumas pessoas, ou talvez muitas, soubessem sobre o casal, ninguém chegava realmente a dizer nada, o que era um alívio para os dois que também preferiram fingir que não tinha nada acontecendo.
, Robert descobriu depois de mais alguns dias, não se importava com o que os amigos e pessoal da produção pensaria, mas não gostaria que aquela informação caísse na imprensa e ele entendeu seu lado: assim como Daniel, Rupert e Emma, tinha mais atenção da mídia do que o restante do elenco e, talvez um pouco mais do que os amigos, por ser uma Morris. Não foram poucas as vezes que, ao sair junto com alguns outros colegas em dias de folga, acabaram virando notícia porque a atriz estava junto. Em uma dessas matérias chegaram a especular que os dois teriam alguma coisa, apenas porque estavam lado a lado, conversando junto com mais algumas pessoas do elenco em um restaurante. E, naquele dia, de fato nem se encostaram, com medo de que alguém tirasse alguma foto e os pais da inglesa descobrissem.


Dois meses depois, após já ter terminado as gravações de Harry Potter e estar correndo atrás de outro trabalho, Robert aceitou de imediato quando o ofereceu um ingresso para um jogo de críquete no qual os gêmeos Phelps e Daniel também iriam.
É claro que preferia que fossem só os dois já que faziam alguns dias que não conseguiam se ver, desde que suas gravações encerraram não tinha desculpas para ir ao set e, assim, via com menos frequência a atriz. Precisava esperar que todos terminassem as cenas para começarem as sessões de fotos e entrevistas antes da Press Tour para que, por pelo menos uma ou duas semanas, voltassem a ser ver diariamente.
Foi só horas antes da partida, quando estavam marcando o horário e local para se encontrarem, que o avisou que seu irmão também iria junto com um amigo.
Robert leu e releu a mensagem incontáveis vezes antes de responder um simples “ok”, embora ele não estivesse nada ok;
Já o conhecia de nome, é claro, afinal, Harry Morris era um jogador de futebol que vinha se destacando na Seleção sub-20 da Inglaterra e pelo Chelsea, no qual tinha subido para o time principal e, embora ainda fosse reserva, vinha fazendo bons jogos. Mas era algo muito diferente saber quem era o irmão de para o momento que o encontraria pessoalmente. E se ele já soubesse que os dois estavam… Parou por um instante pensando no assunto. Eles estavam o que? Estavam saindo juntos por quase três meses, mas não era um relacionamento. Eles conversavam bastante, riam muito e, obviamente, se beijavam, mas aquilo não era um namoro. Nunca haviam falado sobre aquilo, para todos os efeitos, estavam apenas saindo juntos.
E, fosse o que fosse que eles tinham, esperava que Harry Morris não soubesse.

O grupo estava junto do lado de fora da arena, conversando sobre algumas coisas, quando Daniel acenou assim que viu os Morris se aproximando com um outro cara que Pattinson não conhecia. cumprimentou todos com um sorriso e um beijo no rosto, Harry veio logo atrás, cumprimentando com um abraço os outros rapazes, que já conhecia e, então, virou-se para Robert, que estendeu a mão para um cumprimento. Pattinson viu o mais velho retirar o óculos de sol que usava, arqueando a sobrancelha e encarando a mão estendida por alguns instantes antes de apertá-la, virando-se para a irmã ao fazê-lo:
— Então é esse o cara que te beijou?
Era difícil dizer se havia sido ou Robert quem ficou mais sem graça com aquele comentário, enquanto os amigos seguravam a risada.
— Ah, cala boca — resmungou vermelha, olhando para o lado.
Harry apenas voltou a olhar para Robert ao soltarem as mãos, sem dizer nada. Contudo, naquela simples troca de olhares, Pattinson entendeu que Harry estaria de olho nele para proteger sua irmã e, embora não parecesse muito forte, o loiro achou melhor evitar qualquer problema com o moreno.
Harry voltou a por os óculos, apontando para o amigo mais atrás e apresentando-o para o restante;
— Esse é o Charlie, — apontou, logo vendo-o estender a mão para cumprimentar os quatro atores — você já sabe quem eles são — deu de ombros, vendo-o rir ao concordar, sorrindo educado para todos.
Conversaram por alguns minutos antes de entrarem na arena, sentando-se em duas fileiras no aguardo da partida. Daniel, Oliver e James sentaram na fileira da frente, enquanto Charlie, Harry, e Robert sentaram-se na de trás.
Havia sido difícil concentrar-se no Middlesex nos primeiros quinze minutos, pois Pattinson notou que, entre uma jogada e outra, Harry Morris o encarava de canto, parecendo bastante desconfiado. Contudo, mais para a metade da partida, o moreno acabou por voltar totalmente sua atenção para o time, comemorando cada ponto feito com bastante entusiasmo. No intervalo, que não era muito longo, Harry levantou-se junto com Charlie e James, dividindo-se entre irem ao banheiro e pegarem algo para comer e beber. O restante ficou em seus lugares, esperando o restante da partida e abanando-se como podiam devido ao calor daquele dia.
Algumas pessoas ao redor haviam notado o grupo e, vez ou outra, aproximavam-se para pedir fotos, embora a grande maioria estivesse mais interessada na partida.
— Seu irmão parece legal — Robert disse baixo em determinado momento, soando um tanto irônico. riu, concordando com um aceno.
— Ele é, na maior parte das vezes — sorriu culpada, olhando-o de canto —, ele só está tentando descobrir se tem ou não motivos para se preocupar com você.
— Acha que ele sabe de algo? — Perguntou surpreso, a garota negou.
— Se ele soubesse já teria falado comigo, Harry não sabe ser muito sutil. Acho que ele só quis te amedrontar um pouco — avisou, rindo sem graça.
— Bom, então é melhor ele pensar que não tem mais nada acontecendo, não?
— Com certeza! Falando nisso — apontou para os dois amigos na fileira da frente, levantando-se para sentar entre os dois — James que aguente os gritos do meu irmão, estou ficando surda!
Harry pareceu muitíssimo satisfeito ao notar que não estava mais ao lado de Robert e até estreitou o olhar quando Oliver passou o braço por seus ombros, comentando algo que a fez gargalhar, mas parou de encarar Pattinson, já que o loiro não parecia mais uma ameaça. Entre um lance e outro, comentava algo em voz alta, tendo Charlie respondendo e concordando na maioria das vezes. Robert não era assim um grande fã de críquete e sabia pouco sobre o jogo, mas aceitou o convite feito pelos amigos dias antes, era sempre favorável a novas experiências, além, é claro, de só descobrir que o irmão de estaria junto horas antes da partida.
O Morris mais velho, ao notar que o ator parecia um tanto confuso, explicou-lhe algumas regras e apontou para alguns jogadores, dizendo qual era o melhor e a função de cada um. Ao final daquelas três horas, com a vitória do Middlesex, James, Robert, Harry e Charlie pulavam empolgados, aplaudindo alegres os jogadores, enquanto , Daniel e Oliver terminavam suas bebidas, vez ou outra gritando elogios.
Pararam na Warehouse, uma pizzaria bem conhecida de Camden, que ficava há poucos minutos da arena, comprando três pizzas grandes de sabores variados e andaram até uma área do lado de fora com várias mesas ao redor. Logo todos estavam comendo e rindo, aproveitando o restante do sábado de folga que tinham. Aos poucos, o grupo foi se dissipando; Charlie, que não morava muito longe, foi de metrô para casa, enquanto os Phelps, que estavam de carro, dariam uma carona para Daniel e, Robert, também voltaria de metrô para sua casa, ao tempo que os Morris iriam no carro de Harry.
Quando viu o trio se afastando, Robert também se levantou, despedindo-se dos dois irmãos. Harry o encarou por um momento, por fim, acabou sorrindo para o loiro, aproximando-se o suficiente para um abraço rápido, decidindo que Robert não era dos piores. Ainda um tanto hesitante, Pattinson despediu-se com um beijo no rosto de e foi para a estação de metrô, há poucas quadras de onde estavam, com um sorriso calmo nos lábios, bastante satisfeito com o dia que teve.
Harry e seguiram para o carro, parado em um estacionamento próximo, não demorando mais de meia hora para chegarem em casa, conversando sobre o jogo e, vez ou outra, a loira escutou alguns comentários sobre Pattinson, os quais fez o seu melhor para fingir-se de desentendida.



No domingo, Robert estava largado no sofá de casa, trocando mensagens com um de seus melhores amigos, Jamie Dornan, e marcando de se verem qualquer dia, pois já faziam semanas que não encontrava com ele e Eddie; todos eram atores e buscavam como podiam uma oportunidade de mostrar seu trabalho, antes de Pattinson assinar com a Warner, havia dividido um apartamento com os dois por meses.
“Eu acho que você começou a nos ignorar quando começou a beijar a loirinha”, Jamie dizia na mensagem, fazendo Robert negar rindo. “Tudo bem, não te culpo, talvez estivesse fazendo o mesmo!”.
“Só não tive tempo, não tem nada a ver com a Morris” respondeu rápido, embora, de fato, tivesse desmarcado uma ou duas vezes com os amigos para ir ao cinema com .
“Cedrico Diggory está ocupadíssimo!” o outro zombou “Já teve resposta dos outros testes?”
“Ainda nada, estou aguardando pra ver alguma coisa. Tenho um na semana que vem, mas não estou muito confiante”
“Sobre o que é?”
“Não sei se quero contar”, naquele instante Robert agradeceu por estar sozinho e, mais ainda, por conversar por mensagens, pois sentia o rosto esquentar só de pensar no teste que havia conseguido.
“Vai ficar pelado, é? hahaha”
“Antes fosse, talvez a vergonha fosse menor!”
“Conta logo, porra!”
Pattinson respirou fundo, fechando os olhos por alguns segundos antes de mandar “Só estou fazendo porque o salário é bom…” Começou, esperando alguns segundos para completar “É um filme baseado num livro aí… Twilight”
“HAHAHAHHAHA EU NÃO ACREDITO!!!!” Dornan mandou segundos depois “Mas, pensando pelo lado bom, com certeza vai ser um sucesso de bilheteria! A rodada da próxima semana é com você!”
Robert riu, negando com um aceno ao concordar, torcendo para que conseguisse o papel. Ainda não havia contado para ninguém sobre o teste, pois queria saber se seria aprovado antes de comentar com outras pessoas, incluindo ;
Morris sempre dizia que era uma questão de tempo para ele conseguir alguma coisa, alguma coisa boa, como ele merecia, mas mesmo após todo aquele tempo nada tinha dado certo. Havia feito alguns testes, mas nada significativo e, mais importante ainda, nada que tivesse dado o retorno que ele esperava.
Já estava começando a se desesperar quando seu agente ligou, avisando sobre o teste de Twilight. Pattinson precisou pesquisar um pouco sobre a história e, embora não tivesse muito interessado no enredo, aquilo era o de menos: Precisava trabalhar, precisava de dinheiro. Se Twilight fosse a garantia daquilo, então seria muito bem vindo.

Foi após aquela troca de mensagens que o loiro parou para ver as notícias do dia, enquanto procurava algo para comer. Estava distraído fazendo um omelete quando uma matéria do The Sun chamou sua atenção: Robert Pattinson era apontado como possível interesse amoroso de , na capa da matéria uma foto dos dois juntos na saída do jogo do dia anterior, pulou as partes que falavam sobre a partida e foi direto para o que interessava;
Morris (15), parece passar bastante tempo, dentro e fora dos sets de Harry Potter, com o novo colega de elenco com quem vem contracenando desde O Prisioneiro de Azkaban, Robert Pattinson (19).
Morris e Pattinson interpretam o casal queridinho de Hogwarts, Sam Black e Cedrico Diggory, e, assim como nos livros, chamaram a atenção dos fãs no cinema também.
Teriam eles levado o relacionamento dos personagens para a vida real?
Embora quatro anos mais velho, Pattinson parece bastante interessado na inglesa desde o ano passado, durante a divulgação do Prisioneiro de Azkaban, no qual os dois estavam sempre rindo e conversando durante as entrevistas e sessões de fotos.
Em Harry Potter e o Cálice de Fogo, sabemos que terá ao menos uma cena em que o casal trocará alguns beijos, a dúvida que nos resta é saber se eles são apenas bons amigos ou um casal em potencial!
De qualquer forma, uma coisa que nós não podemos negar é o quão bem eles ficam juntos, até Harry Morris (21) pareceu ter gostado de Pattinson.
Aguardamos ansiosamente o desenrolar dessa história!

— Embora quatro anos mais velho — repetiu sozinho, deixando o jornal de lado.
Não parecia nada demais quando estava com a garota, conversavam sobre diversas coisas que tinham, ou não, em comum. Riam bastante também e contavam sobre histórias que já haviam vivido e sonhos que tinham, não ficavam só aos beijos o tempo todo, embora ele gostasse quando acontecia. Ao lado de ele não via essa diferença toda de idade, mesmo sabendo que ela era mais nova, mas ao ler aquilo era como se tivesse um impacto maior. Quatro anos, talvez não seria muita coisa se ela fosse mais velha, mas ele já tinha seus 19 anos e ela apenas 15. Não demoraria para completar 16, mas a diferença ainda era gritante.
Robert respirou fundo, sentindo o cheiro de queimado e desligando o fogão, tinha perdido toda a fome. Seu celular apitou pouco depois, notificando uma nova mensagem recebida: Morris.
Fechou os olhos por um segundo, frustrado com a situação toda.
Deixou o celular de lado sem nem mesmo abrir a mensagem, levantando-se para um banho, precisava pensar no que estava fazendo e, principalmente, no que faria a seguir.


CINCO.

Flashback
Londres, julho de 2004.


Daniel terminou de gravar sua cena, aproveitando o intervalo para sentar-se ao lado de Morris, a qual parecia distraída com seu script, mas não demorou para perceber que a amiga estava parada na mesma cena.
— O que foi? — Perguntou curioso, pegando uma garrafinha d’água ao lado e tomando um gole. o encarou por um segundo, sorrindo de canto;
— Nada, estou contando os dias para terminarmos as gravações. — Deu de ombros, passando a língua pelos lábios, antes de olhar ao redor. O moreno arqueou a sobrancelha, negando com um aceno. Permaneceram em silêncio por algum tempo, antes de Radcliffe sorrir, mudando de assunto:
— Vai no meu aniversário, não é?
— E você acha que eu perderia esse evento? — Respondeu, fazendo uma careta em seguida — Ainda não comprei nada para te dar de presente… Sugestões?
O moreno deu de ombros, piscando antes de levantar-se para gravar a próxima cena:
— Tenho certeza que você vai caprichar, como sempre!
— Vou te dar um cartão e uma caixa de chocolate — avisou, vendo-o dar um joinha.
— Você sabe qual o meu favorito!
Rolou os olhos, balançando a cabeça com um sorriso leve. Aquele era um dos motivos de gostar tanto da companhia de Radcliffe; Mesmo quando tinha algum problema, sempre puxava outro assunto quando sabia que não estava pronta para compartilhá-lo, mesmo que ambos soubessem que não demoraria muito para ela tagarelar com ele sobre qualquer que fosse o assunto.
Pegou o celular no bolso da capa que usava, mordendo o lábio inferior antes de abrir as mensagens, clicando no nome de Pattinson.
A última vez que “conversaram” tinha sido há mais de uma semana, tinha contado sobre um incidente no set, no qual resultou com Rupert caído, mas só o que teve de resposta foi “LOL”.
Já haviam alguns dias antes disso que o loiro parecia evitar conversas, a princípio Morris achou que era coisa de sua cabeça, depois considerou que ele estivesse ocupado, por fim, lembrou que, as poucas vezes que Robert tinha algum compromisso, ele sempre a avisava e depois mandava algum emoji para puxar assunto. A última vez que realmente conversaram tinha sido no sábado do jogo, considerou se, talvez, ele tivesse se afastado por causa de Harry, mas tirou aquilo da cabeça pouco depois; seu irmão não tinha feito absolutamente nada para que justificasse aquele “sumiço”.
Talvez Robert tivesse algo melhor para fazer, alguém melhor para conversar.
Pattinson talvez estivesse saindo com outra pessoa, e, por mais que tentasse evitar aquele pensamento, sempre que imaginava aquela opção, sentia o peito apertar. Sabia que era ridículo, afinal, eles tinham dado alguns beijos, saíram juntos algumas vezes, mas não tinham nada fixo. Não tinham nenhum compromisso. Nunca falaram sobre sentimentos, apenas passavam algum tempo juntos pois gostavam da companhia um do outro.
Ouviu seu nome ser chamado para entrar na próxima cena, fechou os olhos por um instante e respirou fundo, antes de deixar suas coisas sobre a cadeira e andar até a marcação no set; Aquela não era hora para pensar em Robert Pattinson.

Daniel jogou-se no sofá ao canto do camarim de Morris, enquanto a amiga tirava o restante da maquiagem e prendia os cabelos compridos em um rabo de cavalo.
— Não quer jantar lá em casa hoje? Minha mãe falou pra te convidar.
— Amo jantar na sua casa, mas terei que recusar hoje… Meu pai disse que temos um evento beneficente para ir — respondeu, pegando suas roupas e indo para o banheiro se trocar — agradeça o convite por mim!
O moreno ficou em silêncio por alguns minutos, os olhos fechados e os braços cruzados atrás da cabeça, esperando o retorno da amiga. Pouco depois, abriu a porta, deixando o uniforme de Hogwarts pendurado em um canto, enquanto colocava sua jaqueta.
— Convidei o Pattinson também… — Daniel contou. Morris franziu o cenho, confusa;
— Para jantar na sua casa?
— Claro que não — negou, virando-se para olhá-la — para o meu aniversário. Não imaginei que vocês teriam terminado até lá…
mordeu o lábio inferior, dando de ombros em seguida e sentando-se no canto do sofá, olhando para o melhor amigo;
— Não terminamos nada, a gente não tinha nada sério.
— Ah, você me entendeu — abanou a mão no ar, passando-a pelos cabelos pouco depois. — O que aconteceu entre vocês?
— Como sabe que aconteceu alguma coisa? — Devolveu com a sobrancelha arqueada. Daniel riu nasalado.
— Te conheço bem o suficiente para saber quando tem alguma coisa acontecendo, e fazem dias que você nem fala o nome dele… O que foi?
A loira respirou fundo, olhando para o carpete.
— Não faço ideia, ele simplesmente parou de falar comigo depois daquele dia no jogo…
O outro fez um barulho com a boca, sentando-se de frente para a amiga;
— Harry disse alguma coisa?
— Não, muito pelo contrário. Até disse que achou ele legal…
— Talvez ele esteja ocupado com alguns testes, ele disse que estava procurando trabalho, não foi? — Sugeriu, um tanto incerto.
meneou a cabeça, rolando os olhos em seguida, antes de levantar-se irritada:
— Não vou ficar chorando por causa dele. Sabe quem eu sou? Morris! Se ele esta me dando o fora desse jeito, azar dele!
Daniel sorriu largo, concordando com uma ceno;
— Finalmente a Morris que eu conheço! Só não sabia que chegou ao ponto de chorar…
— Ah, cala a boca! — Rolou os olhos, rindo fraco ao cruzar os braços.
— Mas é estranho mesmo… — Retomou segundos depois, a amiga concordou, virando-se para pegar sua mochila.
— Como eu disse: azar dele.
? — Daniel chamou baixinho, levantando-se para segui-la para fora do camarim — Você gostava dele mesmo?
Morris o encarou por incontáveis segundos, sem saber o que responder de verdade.
Será que gostava de verdade de Robert?
Será que estava apaixonada por ele, e por isso doeu tanto ser ignorada daquela forma?
— Não faço ideia. — Respondeu simplesmente, antes de seguirem pelo set em direção a saída, mudando de assunto no caminho.

Na sexta-feira, 23 de julho, boa parte do grupo de atores se reuniu em uma pizzaria e karaokê no centro de Londres, para comemorar o aniversário de Daniel. Já estavam por lá há mais de uma hora, quando Robert apareceu, ainda um tanto sem graça;
Havia passado quase duas horas decidindo se deveria ou não ir na festa do melhor amigo de Morris, quando os dois nem estavam se falando. E, pior ainda, não sabia se queria vê-la naquele momento. Sabia que estava agindo errado em nem mesmo dar algum tipo de explicação para a garota, contudo, nem mesmo sabia o que poderia dizer. Nem ele mesmo entendia o que estava acontecendo.
Parecia que, assim que leu aquela matéria, as coisas mudaram por completo para ele. Era como se, até então, a diferença de idade dos dois não fosse tão significativa, mas agora ele estava completamente consciente dela e não sabia como agir com a inglesa.
E se Gary Oldman estivesse certo desde o começo? E se ele tivesse se aproveitado da diferença de idade deles para tirar alguma vantagem?
Não tinham feito nada além de darem alguns beijos, mas era muito mais nova.
Talvez, se ela já estivesse com pelo menos uns 17 anos, as coisas não seriam tão estranhas, mas quinze era um número gritante em sua cabeça.
Respirou fundo e entrou no lugar, olhando por sobre as várias mesas, reconhecendo vários dos colegas, até localizar o aniversariante. Passou a mão pelos cabelos, era claro que ele estaria conversando com a Morris.
Andou até os dois, sorrindo confiante quando Daniel virou-se em sua direção;
— Parabéns, cara! — Disse, aproximando-se para dar-lhe um abraço um tanto desajeitado — Muitas felicidades.
— Obrigado! — O moreno respondeu amigável, aceitando o pacote de presente que recebia do outro — Fico feliz que tenha vindo!
Pattinson sorriu, acenando com a cabeça antes de virar-se na direção de , mantendo um sorriso tranquilo nos lábios.
— Tudo bem?
manteve a expressão tranquila, tomando um gole de seu refrigerante enquanto concordava com a cabeça. Robert colocou as mãos nos bolsos da calça jeans que usava. Daniel rolou os olhos, não demorando para fingir acenar para algum convidado e sair rápido da presença dos dois.
Pattinson suspirou, passando a mão pelos cabelos mais uma vez, antes de inclinar-se alguns centímetros na direção da loira, apontando para o lado;
— Podemos conversar?
Morris o encarou por alguns instantes;
— Só se for rápido, eu sou a próxima — apontou para o palco mais ao canto, no qual James e Oliver cantavam uma música do The Black Eyed Peas.
Andaram até o corredor lateral, no qual o som das conversas e das músicas diminuíram o suficiente para conseguirem conversar sem gritar.
— Sinto muito por não ter respondido — começou a dizer, embora nem soubesse exatamente como se desculpar, as palavras apenas saíram sem que ele controlasse —, essas últimas semanas foram bem corridas. Acabei viajando para os Estados Unidos para fazer um teste… — Então suspirou, pausando por um segundo antes de continuar — Mas não foi por isso que eu parei de falar com você — admitiu, coçando a nuca, sem coragem de encará-la — Eu só… Bem, eu não sabia como dizer isso…
mordeu a língua por um instante, negando com um aceno pouco depois:
— Tá tudo bem, Pattinson, não precisa dizer nada — surpreendeu-se com a própria calma, principalmente ao notar o coração bater tão acelerado —, aceito suas desculpas e podemos fingir que nada aconteceu. Ainda somos amigos, certo?
O loiro a encarou, concordando com um aceno:
— Não é que eu não goste de sair com você, mas…
— Sinceramente? — o interrompeu antes que ele continuasse — Prefiro não saber seus motivos. — Passou a língua pelos lábios, sentindo o peito apertar — Vamos deixar como está, é melhor assim, ok?
— Tem certeza? — Perguntou hesitante, achava que devia uma explicação para a garota.
Morris concordou com a cabeça, sorrindo de canto.
— E como foi seu teste na América? Conseguiu o papel?
Robert fez uma careta, fechando os olhos.
— Vai demorar ainda para começarem as gravações, ainda estão procurando o restante do elenco…
— Mas você conseguiu? — Tornou animada, vendo-o concordar sem graça — Isso é fantástico! Parabéns, Pattz! — Sorriu, aproximando-se para abraçá-lo rapidamente. — Como é o papel?
— Ahn…
Morris, cadê você? — Ouviram a voz dos gêmeos gritando do outro lado do salão.
— Depois conversamos! — Avisou, virando-se apressada para correr até o palco.

Première, Londres
Novembro de 2005


e Robert pararam de braços dados para os fotógrafos, sorrindo para as fotos antes de continuarem andando pelo red carpet, falando brevemente com alguns jornalistas sobre o filme e as expectativas para a reação dos fãs, além, é claro, de algumas informações sobre suas vidas pessoais.
— Robert, você e a estão namorando? — Uma jornalista ruiva perguntou, vendo-o rir ao negar, passando a mão pelos cabelos.
— Só no filme.
— Nós sabemos que vocês são bem amigos…? — Insistiu, vendo-o concordar.
— Sim, continuamos saindo juntos com o restante do pessoal sempre que temos uma oportunidade — concordou, mantendo o sorriso tranquilo nos lábios.
— Mas vocês ficam tão bem juntos, nunca consideraram um namoro?
Pattinson deu de ombros, acenando com a cabeça na direção da atriz;
— Que eu saiba, somos só bons amigos!
— Mas você não gostaria de algo a mais?
Robert riu constrangido antes de responder:
— Quem sabe no futuro, por agora a amizade já é suficiente!

, é verdade que você e o Pattinson estão saindo?
— O que? É claro que não! — A loira riu, olhando de canto para o outro, a poucos metros de distância. — Pattz é um bom amigo, só isso!
Havia repetido aquela frase tantas vezes nos últimos meses que nem mesmo sentia mais a pontada no peito quando dizia. Não estava mentindo, afinal continuavam sendo amigos.
— Você acha ele bonito?
— Ah, é claro que sim! Somos amigos, mas também não sou cega!
— Se ele te chamasse para sair, você aceitaria?
Morris riu sem graça, negando com um aceno:
— Se um dia ele me chamar, aí eu penso numa resposta!
— Agora que o elenco todo está crescendo, com quem você gostaria de sair?
mordeu a língua pensando em uma resposta para sair dali, por fim deu de ombros:
— Impossível sair com qualquer um deles, já somos amigos demais para isso!
Acenou para os jornalistas, olhando de soslaio para o ator, que ainda sorria ao responder uma última pergunta. Respirou fundo, parou mais uma vez para algumas fotos, quando sentiu o braço dele sobre seu ombro, o sorriso confiante em seus lábios e os cabelos bagunçados das incontáveis vezes que ele passava as mãos pelos fios loiros.
Sabia que não seria tão fácil quanto ela queria, ou já teria acontecido, mas tinha certeza que não demoraria para esquecer que era apaixonada por ele. Na pior das hipóteses, passaria o resto da vida fingindo, e tudo bem também, afinal Morris era uma atriz, atuar fazia parte do seu dia a dia.

2006

Morris é vista com Ben Barnes após as gravações de Harry Potter e a Ordem da Fênix


O casal foi fotografado de braços dados andando pelo Winter Wonderland que ocorre no Hyde Park. Ambos muito sorridentes e animados com as atrações, pararam para comer e beber antes de darem uma volta na roda gigante. Os dois se conheceram nas gravações de Harry Potter, com Ben Barnes tendo sido contratado há alguns meses para interpretar Sirius Black jovem em algumas cenas.
Teria um romance se iniciado nos sets da franquia?


2007

Começam as gravações de Twilight: Saga sobre bruxos promete assumir o lugar de Harry Potter


A previsão de estreia nos cinemas é 2008. No elenco, a jovem atriz Kristen Stewart viverá Bella Swan, enquanto o britânico Robert Pattinson será o vampiro Edward Cullen...


Morris e Daniel Sharman estão namorando?!


Após terem sido vistos juntos algumas vezes, Sharman postou em sua página no facebook uma foto de braços dados com a atriz. Em um dos primeiros comentários, uma fã disse que eles formavam um ótimo casal, Daniel respondeu concordando...


2008

Robert Pattinson e Kristen Stewart contam curiosidades sobre Twilight


O fenômeno mundial criado por Stephenie Meyer chegará aos cinemas nos próximos meses, o romance entre Bella e Edward virou febre e agora vocês podem saber sobre 10 curiosidades exclusivas dos sets de filmagem.


Saiba mais sobre Robert Pattinson, o Edward Cullen de Twilight


Ator britânico ficou conhecido por seu papel em Harry Potter, como o aluno modelo Cedrico Diggory, antes disso, Pattinson teve uma participação no filme Vanity Fair...


2009

Morris e Daniel Sharman terminam após traição


Fontes próximas da atriz confirmaram o fim do relacionamento, devido a traição de Sharman. Conforme apurado, descobriu a traição através...


Robert Pattinson e Kristen Stewart estão juntos?


Fãs especulam cada vez mais a proximidade do jovem casal dentro e fora dos sets de filmagens. Na última sexta-feira, foram vistos...


Como Morris reagiu ao saber que Robert Pattinson está namorando com Kristen Stewart?


Embora nunca tenha sido oficialmente confirmado, Morris e Pattinson ficaram muito próximos durante as gravações de Harry Potter e...


2010

Com o final das gravações de Harry Potter, Morris é vista com o baixista do McFLY, Dougie Poynter


No que parece ser mais um affair temporário, a atriz foi fotografada saindo com o músico após um show da banda na O2 Arena...


Robert Pattinson estrela Remember Me após término das gravações de Eclipse


Com o término das gravações de mais um filme da franquia Twilight, Pattinson agora vive o jovem Taylor...


2011

Após uma década, Harry Potter chega ao fim


Acompanhe essa entrevista exclusiva com o elenco principal da saga antes do início da Press Tour de Relíquias da Morte Parte 2...


Morris foi contratada pela Marvel


A informação foi divulgada no Twitter da Marvel e confirmada pela atriz em uma entrevista no Brasil, enquanto participava da divulgação de Harry Potter...


Morris viverá Avril Stark em Marvel’s Avengers


A atriz desembarcou hoje em Nova York e se juntará ao elenco do filme na próxima semana...


Chega aos cinemas Amanhecer - Parte 1


A primeira parte do último filme da franquia chega aos cinemas em novembro, os atores...


2012

Ainda amigos? Robert Pattinson e Morris são vistos almoçando juntos


Os dois foram vistos juntos em um restaurante em Los Angeles, o casal apresentará uma categoria no MTV Movie Awards...



Kristen Stewart teria traído Robert Pattinson com diretor


As imagens divulgadas mostram um momento íntimo da atriz com o diretor de A Branca de Neve…



Novo affair de Morris? A atriz é fotografada aos beijos com Sebastian Stan


Após vários rumores, o casal foi visto aos beijos na saída de uma balada em NY juntos de...


2013

Morris e Sebastian Stan confirmam namoro


No aniversário do ator, posta foto dos dois com pequena declaração falando sobre companheirismo e…


Robert Pattinson termina com Kristen Stewart após traição


Depois de meses do escândalo sobre a traição da atriz com o diretor, chega ao fim...


2014

Robert Pattinson está namorando a cantora FKA Twigs


O casal foi fotografado aos beijos em um show da banda The Killers, Robert...


Capitão América 2: Morris conta sobre a ligação entre série da Netflix com o filme


Com o encerramento da série “Agente ÁS” no streaming, Morris comenta sobre a participação dos Vingadores e como o final...


2015

De casamento marcado? Robert Pattinson e FKA Twigs estão noivos


Segundo fontes próximas, o ator conhecido mundialmente por seu papel em Twilight, teria feito o pedido para a cantora durante um...


LIFE: Novo filme estrelado por Robert Pattinson chega aos cinemas


Robert vive o fotógrafo Dennis Stock, em uma época em que James Dean ainda não era...


Capitão América 3: Morris pode não participar do filme


Após três filmes e duas temporadas de série exclusiva para Netflix, Morris tem o menor salário do elenco principal e...


2016

Fim do namoro? Morris e Sebastian Stan estão brigados


Amigos próximos dos dois afirmam que o casal desistiu de morar junto após uma briga envolvendo...


Robert Pattinson e FKA Twigs terminam noivado


Embora não tenha ficado claro o motivo do término, Pattinson e FKA parecem...


2017

Morris é vista em clima romântico com Ben Barnes


O casal já se envolveu em 2006 após as filmagens de Harry Potter, agora Barnes e Morris…


Novo filme com Robert Pattinson chega aos cinemas


Em mais um filme independente com um orçamento limitado, Pattinson precisará ajudar o...


2018

Estaria Robert Pattinson namorando Suki Waterhouse?


O ator foi fotografado com a modelo após um desfile da Dior, na saída da after party o casal...


Morris nega que esteja namorando


A atriz confirma uma amizade colorida com Ben Barnes, embora a amizade seja maior que o romance...


2019

Em entrevista, Robert Pattinson afirma que era apaixonado por Morris


Ao participar do Late Night, Pattinson admite que o principal motivo para ter se afastado da atriz na época foi a diferença de idade “Foi estranho gostar tanto dela quando…”


Quais os atores que não voltarão para a próxima fase da Marvel?


O contrato de Morris foi encerrado em Endgame e ela já está de volta a Inglaterra, mas a atriz confirma conversa com executivos sobre participação na série Falcon and...


Elenco de Harry Potter se reúne após 8 anos do fim da saga


Tom Felton e Matthew Lewis foram os responsáveis por reunirem parte do elenco principal, incluindo Emma Watson, Bonnie Wright, Morris, Robert Pattinson e...


Morris e Robert Pattinson estão namorando?


Desde a festa com o elenco principal no final de julho, o casal tem aparecido em público cada vez mais, a última foi ao correrem juntos em um parque próximo a...



SEIS.

Robert estava esparramado em seu sofá, mexendo no celular quando uma foto chamou sua atenção; Ela estava junto com o irmão e ele. Não parecia nada demais à primeira vista, mas sua mente já parecia procurar sinais.
Respirou fundo, passando a mão pelos cabelos loiros enquanto deixava o celular de lado, após passar o olho sobre a matéria. Obviamente parte daquilo era sua culpa, não devia ter revelado que era apaixonado por ela em um programa de televisão. O que diabos passou em sua cabeça para revelar aquilo? Nem mesmo ele entendeu como acabou falando aquilo, só se deu conta da proporção de sua frase depois de encerrar a entrevista.
Era claro que geraria um “engajamento” por parte da mídia e fãs, principalmente a mídia britânica, a qual sempre que tinha uma oportunidade falava sobre a época em que Robert e estavam juntos - mesmo que durante aqueles meses não fosse algo público.
De uma forma ou de outra, seus antigos relacionamentos eram sempre comparados ao que teve com Morris, mesmo que ninguém realmente soubesse como foi o envolvimento deles. Pelo menos não até a fatídica noite em que Pattinson falou demais;

“— A gente sabe que você e a Morris se relacionaram por alguns meses anos atrás, como foi que isso aconteceu?
— Hm, na verdade nem eu sei muito bem… Estávamos virando bons amigos e conversando sobre diversas coisas num dia, no outro ela confessou que estava preocupa em ter o primeiro beijo gravado nas câmeras, e, sinceramente, não faço ideia do que me deu, mas pareceu uma ótima ideia sugerir que a gente se beijasse antes de gravar. — Riu sem graça, coçando a nuca — Depois disso, não sei bem o que mudou, ainda éramos bons amigos, mas sempre que ficavamos sozinhos a gente se beijava, ficava um pouco estranhos por alguns segundos e depois a gente fingia que nada tinha acontecido. Já estava quase me convencendo que era meu primeiro beijo também, porque era sempre a mesma coisa… — Negou com um aceno, passando a língua pelos lábios finos.
— Mas vocês chegaram a namorar?
— Não, pelo menos não oficialmente. Depois descobrimos que todo mundo já sabia sobre nós dois, mas nunca falamos sobre namoro. Éramos dois amigos que aproveitavam algumas oportunidades para darem uns beijos — confessou, ainda sem graça — na época eu não via a diferença de idade como uma coisa tão grande, foi depois de uma matéria em que estavam falando sobre isso que eu percebi, sabe? Foi estranho gostar tanto dela e, de repente, perceber que estava apaixonado por uma garota tão mais nova do que eu e…
— Apaixonado? Você estava apaixonado?
Robert sentiu o rosto corar de imediato, rindo sem graça e passando a mão pelo cabelo enquanto negava com um aceno, chocado consigo mesmo;
— Oi? Do que estamos falando mesmo? Ah, o filme, sim, foi um ótimo trabalho… — Desconversou, escutando o pessoal rir ao redor.”


Suspirou outra vez antes de se levantar, andando até a cozinha para pegar algo para tomar na geladeira. Depois de tantos anos ainda era estranho pensar em seu envolvimento com , mas o que realmente o fazia se sentir um lixo era lembrar que havia se afastado dela diversas vezes sem que ela tivesse feito nada errado. O problema sempre havia sido com ele; Da primeira vez se afastou porque reparou na diferença de idade e assustou-se ao saber que realmente gostava dela. Estar apaixonado por uma garota alguns anos mais nova não fazia parte de seus planos. Nem mesmo deveria tê-la beijado pela primeira vez, o que dirá a segunda, terceira e todas as outras vezes que vieram depois daquela.
A segunda vez foi quando começou a se envolver com Kristen, porque sabia do ciúmes que a morena tinha da loira por saber que os dois ainda conversavam com regularidade, mesmo que não estivessem mais envolvidos romanticamente. Deveria ter se imposto e falado a verdade: era uma boa amiga que ele gostava muito. Ao invés, preferiu manter a distância tentando não prejudicar seu novo relacionamento. Gostava da morena e finalmente parecia ter tirado Morris da cabeça, então é claro que ele focaria em fazer aquilo dar certo. Por coincidência, sua diferença de idade com Kristen era a mesma, mas por algum motivo a mídia não parecia se importar com aquilo, pelo menos não a dos Estados Unidos, que até mesmo torcia pelo namoro meses antes de se envolverem.
Lembrava-se bem como todos haviam reagido quando foi divulgado o fim do relacionamento entre os dois, foram semanas aguentando matérias falando sobre o namoro e o lembrando que havia sido traído. Pior do que aquilo, apenas os fãs que insistiam que era tudo mentira e ainda odiavam suas outras namoradas por “estarem separando-o do seu verdadeiro amor”, só de lembrar daquilo rolava os olhos. Não sentia mais raiva, inclusive poderia conversar normalmente com Stewart se a encontrasse em algum evento, embora ainda preferisse evitar um pouco o contato justamente para fugir desses comentários sobre uma possível volta.
Também se lembrava da “disputa” dos fãs de Harry Potter com os fãs de Crepúsculo, querendo convencer uns aos outros com quem Pattinson ficava melhor e quem ele amava mais.
Sabia que o mesmo acontecia com as duas mulheres, principalmente com sempre que Morris estava com algum novo romance; não demorava para colocarem o nome do loiro no meio, garantindo que o relacionamento não duraria pois eles ainda eram apaixonados e logo voltariam (mesmo que nos primeiros anos nenhum dos dois tivesse confirmado algum envolvimento na época das filmagens de Harry Potter). Parte de si também havia se surpreendido com o tempo de namoro da inglesa com Sebastian, afinal não durava mais do que poucos meses com alguém depois de seu término com Daniel Sharman - o qual Robert revirou os olhos inúmeras vezes desde o dia que conheceu o rapaz até o momento em que terminaram), mas sabia que estava feliz com o romeno e aquilo era o suficiente para ele, porém também não negaria que uma pequena (talvez nem tão pequena) parte de si ficou bastante satisfeita quando leu a matéria em que a loira confirmava o final do relacionamento.
Não que ele esperasse algo, afinal quando a notícia saiu ele ainda estava noivo - não por muito tempo, já que acabou se separando da cantora menos de dois meses depois e, por mais que os fãs insistissem que era exclusivamente porque ele seguia apaixonado por uma das duas atrizes, a verdade era que Rob não se sentia pronto para dar aquele passo. Acabou pedindo Twings em casamento em um impulso e, por algum tempo, aquilo parecia uma boa decisão, até começar a notar que não estava nem um pouco preparado para um relacionamento mais sério. Talvez fosse imaturo ou talvez ela só não fosse a pessoa certa para ele, da mesma forma que Pattinson também não era o cara certo para a morena, no fim terminaram o relacionamento quando ambos se deram conta de que aquilo tenderia ao fracasso mais cedo ou mais tarde. Pelo menos ainda eram amigos.
Se fosse realmente sincero, Pattinson sabia que sempre sentia uma pontada no peito quando via algo sobre Morris. A mesma pontada que sentiu nos primeiros meses após o término com Kristen, mas com a inglesa esse sentimento perdurou conforme os anos passavam.
Nem mesmo estavam tão próximos, mal trocavam mensagem (com exceção de aniversários e natal) e só se viam vez ou outra em alguma premiação.
Durante todos aqueles anos haviam se encontrado realmente apenas duas vezes em 2012, uma no aniversário da inglesa e outra algumas semanas depois em um almoço, dias antes de apresentarem um evento juntos. Fora aquilo nunca marcaram nada, conversavam por longos minutos se se esbarravam em alguma premiação, sempre dizendo que deveriam combinar um almoço, mas nunca indo para frente com a ideia, pois suas vidas estavam agitadas demais para aquilo. É claro que sabia que continuava a encontrar Daniel Radcliffe o tempo inteiro, mesmo se não estivessem morando na mesma cidade, mas os dois eram melhores amigos, sua relação de amizade com a atriz não era tão grande assim.
Se não fosse por Felton ter aproveitado a presença de tantos colegas em Londres meses atrás, Pattinson provavelmente continuaria sem encontrá-la por mais alguns anos, mas o problema foi justamente aquele jantar.
Inicialmente pareceu uma boa ideia rever os colegas após tantos anos, estava realmente divertido falar com os Phelps e ele continuou se perguntando inúmeras vezes durante aquela primeira hora o motivo de ter perdido o contato com os gêmeos, mas foi quando Morris apareceu junto de Bonnie que o jantar deixou de ser tão divertido; Não que não gostasse da companhia dela ou que não tivesse gostado de reencontrá-la, o problema foi justamente o contrário.
Robert gostou muito de revê-la.
Passar horas ao seu lado conversando foi ótimo, sentiu-se bem demais, foi como se esquecesse de todas suas preocupações durante aquela noite, além de parecer que não haviam ficado mais do que poucas semanas sem se verem, a química entre eles continuava lá. A mesma que o loiro passou anos tentando se convencer de que não existia mais, de que nunca existiu.
Era aquilo que vinha tirando seu sono nas últimas semanas, ao mesmo tempo em que tentava se convencer de que o melhor seria tornar a evitá-la, parecia impossível para ele voltar a não vê-la.
E foi por isso que a convidou para um café no dia seguinte, e por esse mesmo motivo que voltou a mandar mensagens, inicialmente apenas uma ou outra, porém com o passar dos dias os dois conversavam o tempo todo, mesmo se um deles estivesse ocupado, ainda encontravam algum momento para conversar. Bem, ele estava ocupado, já que estava de férias há algum tempo, desempregada, como ela gostava de dizer dramatizando a situação. E após esse café tiveram mais alguns encontros, simples demais na opinião do loiro; um almoço em um fast-food, algumas andadas no parque - já que Pattinson agora se preparava para um novo trabalho - uma visita a um museu com uma exposição que ela queria ver e, finalmente, um jantar. Porém contrariando as expectativas criadas pelo ator naquele dia, não eram apenas os dois; Bonnie Wright, de quem a loira voltou a se aproximar desde que voltou a morar em UK, também havia sido convidada. Não foi um jantar ruim, mas não era o que ele esperava.
Robert tentava não pensar muito no assunto e nem parecer muito desesperado, principalmente porque não parecia compartilhar de seus sentimentos confusos. O problema na inglesa é que era sempre muito simpática, então não conseguia definir se a disponibilidade dela para conversar ou sair com ele era porque talvez ela ainda sentisse algo por ele, ou apenas por amizade.
Remoeu-se por semanas ao saber que Ben Barnes estava de volta à Londres enquanto ele teria que viajar para regravar algumas cenas para um filme que já deveria estar em fase de pós-produção.
Soube que realmente estava certo em ficar incomodado ao ver a foto daquele dia, junto com a matéria mencionando Robert e a recente reaproximação com a mulher, em que estava com Barnes juntos em um bar. Ok, talvez Harry Morris também estivesse com eles, mas aquilo só mostrava que o moreno era simpático o suficiente para conquistar os dois herdeiros. E Robert sabia bem do relacionamento que a loira tinha com Benjamin.
Era o relacionamento que eles costumavam ter.
Bufou mais uma vez, frustrado com a situação inteira.
Gostava mais da época em que praticamente não pensava na inglesa, na qual via algumas notícias sobre ela e então seguia em frente com sua vida, sem ficar horas pensando nos vários “e se” que rondavam sua cabeça.
Bem, agora a diferença de idade entre eles não parecia mais um empecilho, não que algum dia tivesse sido para .
Ela estava solteira, assim como ele.
Depois de vários anos, os dois estavam solteiros e na mesma cidade.
É claro que os fãs e a mídia também já haviam percebido aquilo, e era mais um dos motivos pelo qual falam tanto sobre o possível relacionamento dos dois, talvez do “triangulo amoroso” envolvendo-os junto a Barnes.
Aparentemente era impossível para um homem e uma mulher que, anos atrás, tiveram alguma coisa serem apenas amigos. Bom, não era como se Pattinson fizesse questão de permanecer apenas amigo de Morris.
Talvez aquele fosse realmente o momento para tentar um algo a mais.
O mesmo que ele queria anos atrás, mas desistiu antes mesmo de tentar.
Pattinson pesquisou o Instagram de - ele podia não ter uma conta oficial, mas aquilo não significava que ele não tinha uma conta fake para acompanhar as pessoas que o interessavam, e Morris obviamente era uma dessas pessoas.
Baixou as fotos no feed da mulher, ignorando a primeira com Ben Barnes ao lado, focando-se na foto de dois meses atrás, na qual ele estava ao seu lado; os dois imitando a pose de uma das esculturas da exposição da National Gallery que haviam visitado. Deslizando para o lado, a segunda foto era uma selfie dos dois sentados na escadaria de entrada do museu, segurando seus cafés e sorrindo para a câmera. Não tinha nenhuma legenda naquela foto, diferente da mais recente com Barnes “Two of my fav guys”.
Pattinson tentou ignorar aquilo, não deveria importar muito a falta de algumas palavras na foto, mas sua mente não parecia cooperar com sua sanidade.
Nunca teve qualquer problema com o moreno, havia o encontrado algumas vezes ao longo dos anos, visto seus trabalhos e sempre o considerou um bom ator, mas de um dia para o outro sentiu uma enorme animosidade em relação a Benjamin.
De repente era como se os dois fossem rivais ou algo do tipo e a pior parte era que nessa disputa (que apenas existia em sua cabeça até o momento), Robert estava perdendo.
Ben Barnes estava muito à sua frente, pois já faziam meses que Morris e o ator se encontravam, não parecia ser nada oficial, mas volta e meia os dois estavam juntos em algum canto.
Robert tentou se convencer por diversas vezes de que aquilo não era nada, talvez apenas seu ego ferido. Talvez ele tivesse visto tantas vezes matérias sobre o suposto relacionamento que deveria ter com , que ele mesmo tivesse acreditado naquilo, mas os dois eram amigos e apenas aquilo.
A amizade deles nem estava assim tão sólida, mal haviam voltado a conversar e sair juntos, não deveria se precipitar e correr o risco de fazer alguma besteira. Tinha errado vezes demais com ela, não poderia arriscar mais uma vez. Talvez na próxima não o desculpasse, talvez apenas o afastasse e nunca mais o olhasse na cara - mesmo que achasse improvável que ela guardasse tanto rancor, independentemente de quem fosse a pessoa.
Passou a língua pelos lábios, convencendo-se de que era apenas uma loucura, uma ilusão coletiva dele e dos vários fãs que queriam os dois juntos. Foi quando seu celular vibrou e ele viu a notificação em seu visor com o nome dela e seu coração disparou que ele finalmente deu o braço a torcer;
O ator não queria aceitar, mas mais uma vez estava ali, como o adolescente de anos atrás, apaixonado por Morris.
Não, era pior que aquilo. Era maior que aquilo.
Ele não havia se apaixonado de novo.
Robert Pattinson ainda era completamente apaixonado por , mesmo passando anos tentando se convencer do contrário.
E foi pensando nisso, e no quanto havia sido estúpido anos antes ao simplesmente ignorar aquele sentimento e fugir, que o loiro resolveu agir antes que fosse tarde demais;


“Quer jantar comigo hoje à noite?”


SETE.

tinha acabado de sair do chuveiro enrolada em uma toalha, os cabelos úmidos caídos pelas costas enquanto escolhia alguma roupa para usar. Não tinha nenhum plano para aquele dia que não fosse ficar em casa, maratonando alguma série de sua lista.
A vida de desempregada era boa e ruim; ao mesmo tempo que não precisava se preocupar com uma agenda apertada e uma rotina da qual ela não era muito fã - pelo menos durante os anos de filmagens com a Marvel, pois também incluía uma dieta rígida e muitas horas na academia -, agora que não estava com nenhum projeto em andamento não sabia o que fazer com seus dias.
Os dois primeiros meses de liberdade foram incríveis.
Dormir no meio da madrugada, acordar a hora que tivesse vontade, comer qualquer coisa que viesse à mente, algumas viagens para descansar, algumas cervejas ou garrafas de vinho sempre que encontrava algum amigo… Não se lembrava de quando havia sido a última vez que teve tanta liberdade em suas escolhas.
Mas a principal havia sido em seu comportamento; Não precisava mais medir as palavras ou ações: sem contrato, sem cobranças.
Obviamente ainda precisava evitar alguns assuntos mais polêmicos que envolvessem a Marvel ou algum de seus atores ou diretores - causa de um mal estar dos últimos anos de contrato com a empresa e que resultou em uma grande alteração para o final de seu personagem em EndGame. O importante é que agora não precisava se preocupar com nada daquilo.
Página virada, vida nova.
É claro que mantinha contato com alguns dos ex-colegas, dentre eles Evans, Hemsworth, Zoe Saldana, Mark Ruffalo e Downey, embora tenha diminuído drasticamente sua interação com eles depois que voltou a morar em Londres. Não seria injusta ao dizer que todos os anos foram horríveis, embora exigissem bastante e tivessem uma rotina muito mais regrada do que em seus anos em Harry Potter, mas se pudesse teria cancelado seu contrato antes de tudo desandar e ela acabar no meio do fogo cruzado por não compactuar com algumas ações de atores e diretores e não defende-los em público. Seu contrato podia proibí-la de dar sua opinião pessoal sobre os assuntos, mas não havia absolutamente nada que a obrigasse a dizer que eles eram inocentes ou qualquer outra coisa.
Lembrava-se com perfeição o dia que sua resposta - simples em sua opinião - saiu do controle e tudo desandou, afinal, até então estava muito bem com todos os envolvidos na empresa;
“Hm… Acho que não posso dar minha opinião sobre isso, então prefiro mudar de assunto antes que eu fale o que não deva…”
“Mas você concorda com o que foi dito?”
“Pessoalmente eu nunca tive nenhuma atitude dessas direcionada à mim, mas não significa que não possa ter acontecido com outros… De qualquer forma, não acho que meu contrato me permite ir mais a fundo nesse assunto… Então… Sabe?”

Não parecia ter sido nada demais, não colocaria sua mão no fogo por ninguém apenas por suas experiências, mas é claro que saiu do controle.
No mesmo dia apareceu manchetes dizendo que ela não podia dizer o que sabia ou pensava a respeito - o que era, de fato, verdade - e que a Marvel queria controlar tudo que envolvesse seus protegidos, afinal nada podia abalar seus ganhos. No dia seguinte Morris precisou ir ao escritório conversar com alguns diretores da empresa que queriam convencê-la a postar em suas redes sociais seu apoio ao produtor.
não faria aquilo nem que a pagassem, ou, nesse caso, a cobrassem.
Viu alguns colegas fazendo exatamente o que lhe foi pedido, postando notas de apoio e dando entrevistas a respeito, dizendo que ele era uma boa pessoa. continuou em silêncio todas as vezes que lhe perguntaram sobre o assunto, e foram várias.
O resultado de sua pequena “rebeldia” chegou algum tempo depois, e o preço foi alto. Precisou regravar as cenas finais de Infinity War e, literalmente com um estalar de dedos de Thanos, mais da metade de sua participação em End Game foi deletada; Avril não era mais uma das personagens que sobreviveria, ela havia sido apagada.
Seu tempo em tela para o último filme mal chegou aos 12 minutos.
O final com Steve Rogers foi alterado e, com isso, Avril Stark desiste dos Avengers e foca na empresa, dando continuidade após a morte de Tony.
Morris chegou a ter uma crise de risos quando leu aquele roteiro e viu todas as modificações. Porém, após o choque inicial, o resultado daquilo foi algo muito bom para ela, agora realmente seu contrato estava finalizado e não a chamariam nem mesmo para participações em shows. Afinal “ÁS” havia desistido de tudo, não dava base para retornos.
Quando perguntaram se ela estava com raiva ou decepcionada pelo final da personagem, a inglesa apenas sorriu e disse estar satisfeita; “Entreguei o que eu podia ao longo dos anos, espero que os fãs gostem do resultado e o vejam como um amadurecimento da personagem; ao invés de ter todo aquele drama com Steve, Tony e Bucky, agora Avril pode fazer algo que ela realmente gosta e é boa, deixando todos os dilemas morais e familiares para trás!”
É claro que estava decepcionada, mas levaria aquilo para o túmulo. Não daria o gostinho de saberem que havia ficado insatisfeita e que a punição atingiu seu propósito.
O único que realmente sabia de tudo aquilo era Daniel, haviam passado a noite conversando - bem, ele conversou, só chorou em frustração - e bebendo, tentando ver as vantagens do final de seu contrato e tudo o que aquilo poderia resultar.
De fato, passados seis meses, estava muito mais que satisfeita com tudo.
É claro que também sentia falta de estar na correria de um set de filmagens, mas também estava aproveitando o tempo livre para fazer tudo o que tivesse vontade sem preocupar-se muito com o “amanhã”. Claro, vez ou outra recebia um roteiro para ler e ver se tinha interesse, mas nada que realmente chamasse sua atenção.
Continuava apenas curtindo suas férias e, vez ou outra, considerando alguma coisa que pudesse fazer de diferente para o futuro.
Talvez escrever seu próprio roteiro, tinha várias ideias, mas não era muito boa em seguir uma só para tentar dar algum sentido e, quem sabe, tornar em algo concreto.
Talvez aquele fosse seu objetivo para 2020, no momento precisava apenas se preocupar em assistir mais alguns shows e, em algumas semanas, começar a pensar nos presentes de Natal que daria para algumas pessoas.

Pegou o celular enquanto esperava a televisão ligar e viu o convite de Pattinson, um jantar não parecia uma má ideia, muito pelo contrário. E ainda não haviam se visto desde que ele havia voltado dos Estados Unidos dias atrás, queria saber mais sobre o filme de Nolan - adorava o diretor e mal acreditava na sorte que Robert tinha por ser chamado pelo homem para ser um dos principais em seu novo filme.
Na verdade, lembrou-se rindo, Pattinson não estava apenas trabalhando em um grande filme com Christopher Nolan, como também havia acabado de ser anunciado como o novo Batman no lugar de Ben Affleck - o que, é claro, dividiu muitas opiniões dos fãs, mas achava simplesmente fantástico. E mais uma vez, lá estava o loiro, com outra oportunidade fantástica para encenar um dos maiores ícones dos quadrinhos. Um dos favoritos de .
No fundo sentia um pouco de inveja de Robert e Daniel, pois os dois amigos conseguiram seguir em várias produções independentes, conseguindo atuar em diferentes papéis, realmente desafiadores. Morris continuava - e achava que sempre seria - ligada aos dois maiores papéis, afinal foram anos atuando em ambos, mas realmente gostava das produções menores que havia feito ao longo do tempo, mesmo que não fossem um sucesso de bilheteria. Também amava lembrar que havia participado de episódios de duas de suas séries favoritas; Supernatural e Criminal Minds, mas esperava conseguir algo diferente, não importava o que fosse, contudo, tirando as poucas ofertas que recebeu nos últimos dois anos - a qual a história não chamou sua atenção por ser um besteirol e outra muito machista em sua opinião -, começava a ficar levemente preocupada com a falta de convites. Ao mesmo tempo tentava deixar isso de lado, pois sentiu-se da mesma forma quando encerrou as filmagens de Harry Potter anos antes.
Balançou a cabeça, deixando os devaneios para trás, pensaria de novo sobre isso na terapia no início da próxima semana, agora focaria no que estava acontecendo:
Um jantar com Robert era muito bem-vindo e, de repente, já estava contando as horas para se encontrarem.

🎬🎬


Pattinson batucava os dedos na mesa de toalha branca, mirando ansioso a entrada do restaurante, mas nem sinal da mulher. Encarou seu rolex por um instante, ainda faltavam cinco minutos para o horário marcado, tempo suficiente para se acalmar.
Respirou fundo duas vezes, tomando um gole de água em seguida.
Havia pensado inúmeras vezes em como abordar o assunto, mas não sabia realmente qual seria a melhor forma. A pior parte era não saber como reagiria.
Se ele tivesse a mínima certeza de que ela também sentia o mesmo, poderia fazer um show da Broadway naquele restaurante ao se declarar. Bem, é claro que ele não faria aquilo de verdade, detestava musicais, mas achava que seria algo grande o suficiente para ela entender que ele falava sério. Riu sozinho ao se imaginar sapateando e cantando ou qualquer coisa pomposa naquele nível.
Morris provavelmente sairia correndo fingindo que não o conhecia, ele certamente faria o mesmo se fosse o contrário.
— O que é tão engraçado? — Ouviu a voz suave da mulher perguntar ao seu lado, virando-se em tempo de vê-la com as mãos na cintura, um sorriso leve nos lábios.
Robert negou apressado, levantando-se para cumprimentá-la;
— Nada demais, estava pensando em alguma piada para fazer se você tivesse se atrasado — respondeu a primeira coisa que lhe veio à cabeça, beijando-lhe a bochecha antes de olhar para o relógio — e mais uma vez você chegou na hora certa!
— Como sempre! — Concordou rindo, retirando o casaco que usava antes de sentar-se. — E como foi a viagem? Me trouxe presentes? — Brincou, encarando-o com a sobrancelha arqueada, em expectativa.
Pattinson riu sem graça, coçando a nuca antes de negar.
Ele deveria ter levado algo pra ela. Ele pensou em comprar alguma coisa.
Seria um jeito de dizer que havia pensado nela mesmo enquanto estava fora.
Por que, Deus, eu não comprei um chocolate que fosse?, irritou-se consigo mesmo, se mexendo na cadeira.
— Você já tem tudo, é difícil escolher presentes para uma pessoa que já tem tudo! — Lembrou, baixando o olhar para a taça d’água.
— Eu não tenho tudo! — Negou rindo, pegando o guardanapo de pano e colocando-o sobre o colo. — Você já pediu alguma coisa?
— Ainda não, estava esperando para saber o que você vai querer beber hoje — sorriu pequeno, imitando seu gesto com o guardanapo antes de acenar para um garçom.
Assim que o rapaz saiu de perto, após anotar os pedidos de bebida e a entrada escolhida por ambos, tornou a virar-se em expectativa para Pattinson, querendo saber tudo sobre as filmagens.
Robert sorriu animado, contando o que podia e dando alguns detalhes que considerava importante. Sentia o peito aquecido por ver o interesse e a atenção que recebia da mulher, o sorriso que ela dava sempre que ele dizia algo engraçado e como parecia surpresa com algumas informações sobre as cenas de ação que ele fez sem dublê.
— É fantástico, Pattz! Quando vai ser a estréia?
— Acredito que em maio ou junho, ainda estão acertando alguns detalhes — deu de ombros, por hora terminei minha parte, a menos que queiram mexer em mais alguma coisa — contou satisfeito, tomando um gole de seu vinho.
mordeu o lábio inferior, segurando um sorriso e, ao reparar, o primeiro pensamento que lhe veio foi do quanto queria poder beijá-la de novo. O segundo pensamento foi a certeza de que ela perguntaria algo que ele talvez não quisesse responder. tinha essa facilidade de fazer perguntas sugestivas sem qualquer problema, mesmo sabendo que a outra pessoa poderia ficar sem graça.
Robert achava que era uma característica dos Morris, pois lembrava-se bem de todas as vezes que se encontrou com Harry e ele fez algum comentário que o deixou vermelho e sem reação.
— Fale logo — pediu, negando com um aceno ao sorrir de lado.
— Não é nada demais — começou, vendo-o arquear a sobrancelha em descrença — só queria que você falasse logo qualquer coisa sobre o filme do Batman!
Pattinson riu, passando a mão pelos cabelos, desalinhando-os um pouco mais.
— Para uma pessoa que acabou de passar uns dez anos na Marvel, você está muito interessada na DC!
sorriu, dando de ombros antes de pegar uma torradinha na mesa e dar uma mordida;
— Todo mundo sempre soube que o Batman era meu herói favorito!
— Pois bem, não tenho novidades sobre isso ainda, estou esperando me chamarem para experimentar o uniforme e saber melhor quando começam as filmagens… É sério! — Acrescentou ao notar o olhar desconfiado da loira.
— E os fãs? — Perguntou instantes depois.
Robert suspirou, tornando a bagunçar os cabelos antes de deixar o braço cair sobre a mesa, brincando com um farelo de pão.
— Eu quase sinto falta da época de Twilight quando todo mundo só gritava que me amava… — Riu sem humor.
— Eu não sinto — falou baixo, sem ao menos se dar conta, sentiu o rosto esquentar ao notar o olhar confuso do outro sobre si — a gente não se falava nessa época — explicou sem graça, desviando o olhar.
Robert sentiu uma pontada no peito, pensando no que poderia dizer para tentar melhorar as coisas, mas não havia muito. Poderia se desculpar mais uma vez, mas após tanto tempo aquilo não parecia mais suficiente. não estava cobrando uma atitude dele, nem o culpava pelo o que aconteceu - pelo menos ele achava que não. Era algo que haviam deixado para trás, mas pensar que ela havia ficado chateada por sua culpa parecia muito pior agora do que anos antes. Na época parecia justificável, agora parecia ter sido a pior ideia que ele poderia ter tido em toda sua vida, talvez porque estivesse completamente consciente de seus sentimentos ou por estar mais maduro, de qualquer forma, gostaria de ter um jeito de poder desculpar-se apropriadamente com ela.
— Mas agora estamos aqui — disse baixo, dando um pequeno sorriso ao encará-la.
Morris sorriu da mesma forma, concordando com um aceno antes de voltar ao assunto anterior, deixando o momento para trás;
— Tenho certeza que é uma questão de tempo até todos estarem se jogando aos seus pés dizendo que você é o melhor Batman que já existiu — falou confiante, escutando a risada rouca do ator — quer dizer, talvez seja realmente difícil ser melhor que o Bale, porque é o Bale, mas tenho certeza que será tão bom quanto! — Piscou animada, vendo-o negar ao passar a mão pelos cabelos.
— Você ainda gosta dele? Depois de todos esses anos?
— Ah, o que eu posso dizer — deu de ombros — ele foi uma das minhas primeiras paixões platônicas e era o Batman! É difícil superar algo assim — brincou, tomando um gole de sua bebida antes de puxar outro assunto qualquer até o garçom voltar com seus pratos.
Aproveitaram a companhia um do outro enquanto colocavam o assunto em dia, contando histórias engraçadas em que estavam envolvidos ou relembrando de momentos que passaram juntos anos antes. E foi assim que, em um piscar de olhos, passaram quase três horas juntos, apenas se dando conta quando notaram que o restaurante estava para fechar.

Robert gargalhava ouvindo-a cantar a música que tocava no rádio de seu carro, animada enquanto balançava o corpo e, vez ou outra, apontava em sua direção para que cantasse alguma parte junto dela. Estacionou pouco depois na rua do apartamento em que a inglesa estava morando, vendo-a tirar o cinto de segurança e fazendo o mesmo pouco depois.
— Foi divertido — começou a dizer sorridente, pegando sua bolsa e casaco, pronta para sair do carro, virando-se para o loiro — deveríamos marcar mais vezes!
— Com certeza — concordou apressado, considerando se deveria ou não usar aquele tempo para se declarar. Achou que havia perdido o timing durante o jantar, bem, na verdade, não achou que teve a deixa que precisava para aquilo. Conversaram sobre tudo, menos relacionamentos, não que ele não tivesse tentando entrar no assunto, mas o interrompeu uma vez e na outra apenas deu de ombros, não falando muito sobre. Não quis insistir e atrapalhar o tempo que estavam tendo, mas agora questionava como poderia dizer o que sentia. Era o momento certo?
— Vai fazer alguma coisa esse domingo? — Perguntou de repente, lembrando-se do convite que recebeu dias antes. Robert negou com um aceno, sentindo o nervosismo correr por suas veias — Bonnie me convidou para ir com ela e mais uns amigos em uma vinícola e… O que foi? — Interrompeu-se ao vê-lo fechar os olhos por um momento, parecendo indeciso com algo. — Pattz?
O loiro virou-se em sua direção mais uma vez, respirando fundo antes de inclinar-se alguns centímetros, agindo antes mesmo que pudesse pensar direito sobre o que fazia.
sentiu os lábios do ator sobre os seus e, enquanto seu cérebro parecia entender o que estava acontecendo, notou a mão grande dele sobre sua nuca, puxando-a de encontro a ele.
Beijar Robert Pattinson era tão bom quanto se lembrava, provavelmente melhor.
Em instantes sentiu a língua quente dele se encontrar com a sua, o gosto do vinho tinto ainda presente. Sem nem mesmo notar a velocidade de suas ações, sentiu os cabelos curtos dele sob seus dedos, conforme puxava-os durante o beijo e, então, o aperto forte em sua cintura a puxou para mais perto dele, não estava em uma posição muito confortável, porém naquele instante não era um problema.
Sentir a língua de Pattinson invadindo sua boca parecia o suficiente para fazer-lhe esquecer do mundo. Um misto de sensações a bombardearam de uma só vez;
Era a familiaridade e a saudade, mas tinha também o medo e a insegurança.
Ao pensar naquilo, o beijo pareceu mudar, agora tinha um gosto agridoce.
Era agradável como chegar em casa depois de uma longa viagem, mas junto com a volta vinham os problemas que haviam sido esquecidos.
Ao notar aquilo, sentiu uma pontada no peito e uma estranha vontade de correr, afastar-se o máximo possível e foi aquilo mesmo que ela fez.
Empurrou-o com força e, sem nem mesmo olhar em sua direção, abriu a porta do carro saindo apressada, arrastando a bolsa e o casaco pelo chão.
Passou pelo portão em questão de segundos, mas não sem antes escutar a voz de Robert a chamando, pedindo para que esperasse.
não respondeu, não iria parar e esperar por ele, não de novo.
Havia deixado todo o medo e insegurança para trás ao longo dos anos e não deixaria o loiro voltar para sua vida se fosse para trazer consigo todos aqueles sentimentos.
Robert Pattinson podia ser confortável como uma tarde de verão, quente e agradável, mas ele também trazia uma tempestade no final do dia.
E Morris não queria mais se molhar.


OITO.

Pattinson olhou mais uma vez para o celular quando recebeu mais uma notificação de mensagem, mas não era dela. Fazia dias que ele estava ligando e mandando mensagens, mas sem qualquer retorno. Bufou, frustrado, passando a mão pelos cabelos;
— Ei! — Darlene chamou, baixando sua mão antes que ele destruísse mais ainda o penteado — O que acha que estamos fazendo aqui com todo esse gel?
— Desculpe — respondeu sem graça, tentando relaxar ao deixar os braços caírem por sobre seu colo, optando por deixar o celular no silencioso e colocando-o em cima da bancada.
— Problemas no trabalho? — A mulher perguntou, voltando a passar um pente nos cabelos do ator, antes de focar sua atenção na maquiagem.
— Antes fosse — resmungou, travando a mandíbula. Darlene deu uma risadinha;
— Então seu problema é com mulheres, uh? Jamais imaginaria isso — disse, vendo-o arquear uma sobrancelha e encará-la pelo reflexo do espelho — não me leve a mal, — deu de ombros — mas pensar que Robert Pattinson também tem problemas de relacionamento me deixa um pouco mais tranquila. Se até você tem, imagina nós, pobres mortais?
O loiro deu uma risada nasalada, balançando a cabeça;
— Você não faz ideia — falou frustrado — toda vez que eu penso que algo vai dar certo, consigo estragar tudo.
A mulher sorriu compreensiva, acenando com a cabeça antes de voltar sua atenção para o rosto bem modelado do ator, vendo-o fechar os olhos quando começou a passar um dos pincéis com base.
— Acho que estamos todos fadados a isso, não é? Procurar nossas almas-gêmeas incansavelmente no decorrer dos anos… Até lá passamos por alguns problemas, para fazer valer a pena no final!
— O problema — Pattinson começou, tentando não se mexer muito — é quando encontramos e fazemos merda do mesmo jeito. Como você se recupera disso?
Darlene parou de maquiá-lo, encarando-o com a boca ligeiramente aberta. Robert abriu os olhos após alguns segundos, notando o silêncio da mulher.
— Quem? — Perguntou em um sopro de voz, chocada com a revelação.
— Talvez, se algum dia as coisas derem certo, você descubra. Até lá… — Pattinson apenas negou com um aceno, voltando a fechar os olhos, esperando que ela terminasse seu trabalho antes dele começar a nova sessão de fotos para a Dior.

🎬🎬


leu devagar o convite em mãos, suspirando dramaticamente antes de voltar a encarar James, o qual tomava seu café da manhã enquanto lia o jornal;
— Eu preciso mesmo ir? — A mais nova perguntou, soando o mais entediada possível — Sabe que detesto esses eventos, pai…
— Já não posso contar com sua mãe e seu irmão hoje, — o homem falou em voz baixa, encarando-a por poucos segundos — e é bom você aparecer de vez em quando para socializar. Não esqueça que, antes de mais nada, você é uma Morris, precisa agir como uma nos negócios também!
— Mas eu não tenho interesse na empresa, sabe disso! — Avisou, apoiando o queixo sobre a mão fechada em cima da mesa.
— Não quer dizer que não precise saber algumas coisas, não estarei aqui pra sempre, você e Harry precisam dar conta de toda essa burocracia também, não podem viver pra sempre só em festas.
— Eu não estou em festas! — Defendeu-se rápida, achando injusto que seu pai ainda tivesse essa visão mais irresponsável dela, quando faziam alguns anos que tinha mudado suas atitudes.
— Você sabe o que quero dizer — devolveu, baixando por completo o jornal, tomando um gole de seu café preto antes de virar-se para olhá-la —, não me importo que você queira continuar com filmes e teatro ou que seu irmão continue envolvido com futebol, mas preciso que vocês dois comecem a prestar mais atenção nos negócios da família. Você nem mesmo sabe do que vem seu dinheiro, !
— É claro que eu sei — ajeitou-se, começando a enumerar — tem um tanto de imóveis que estão locados, uma porcentagem da empresa, outra da escola da mãe, fora o marketing da Warner e da Marvel e…
— Você não recebe mais nada da Marvel — corrigiu — a quantia que eles te pagaram no final do contrato já incluía uma estimativa do que seria usado seu nome por pelo menos dois anos. E você só recebe da Warner quando está envolvida com alguma divulgação ou propaganda, a porcentagem por transmissão dos filmes não rende muito…
— Ah… Mas e…
— o mais velho respirou fundo, olhando sério para a filha antes de explicar-lhe o básico — é óbvio que você tem uma boa quantia no banco, mas sem estar investindo esse dinheiro de forma coerente ou trabalhando para receber uma quantia razoável, você mais está gastando do que ganhando. Faz meses que você não recebe nada por trabalho, Nina já me disse que você negou duas propagandas e uma sessão de fotos para revistas. Se você não quer participar disso, ótimo, mas precisa aprender a usar seu dinheiro de maneira certa. Você ao menos sabe quanto investe em doações todos os meses? Ou quanto recebe da empresa? Você sequer sabe a porcentagem que tem na escola da sua mãe?
— Uns vinte por cento? — Perguntou em dúvida, escutando-o suspirar em seguida.
— Você vai no baile da empresa e, enquanto não estiver trabalhando, vai me ajudar no escritório, aprender a administrar suas coisas. Não posso fazer isso para sempre!
— E se eu simplesmente contratar alguém para isso? — Sugeriu, querendo livrar-se de tudo aquilo o mais breve possível, só de pensar em precisar passar dias no escritório de seu pai fazendo contas já lhe dava dor de cabeça.
queria passar o mais longe possível de tudo aquilo!
— E como vai saber se estão fazendo tudo certo se você não tem controle nenhum sobre suas entradas e saídas? Você e Harry já estão deixando muito nas mãos da Nina, ela não vai fazer milagre para sempre.
— Não é como se eu estivesse dando muito trabalho… — Deu de ombros, mordendo um pedaço de morango — Fazem meses que ela não precisa lidar com uma crise de imagem!
— É o mínimo vindo de uma mulher de quase trinta anos!
— Ei! Eu acabei de fazer vinte e nove! — Reclamou, vendo-o negar com um aceno.
— Estou falando sério, , você tem que começar a prestar mais atenção nessas coisas. Ou você quer ser tratada como adolescente o resto da vida? Acho ótimo que tenha amadurecido nos últimos anos e se tornado mais responsável em alguns assuntos, mas não pode mais ficar adiando essa parte para sempre!
A mulher respirou fundo, concordando com um aceno ao dar-se por vencida.
— Gostava mais quando podia deixar tudo que fosse complicado para a Nina resolver…
James riu baixo, terminando sua xícara de café antes de se levantar da mesa;
— Bem vinda ao mundo dos adultos! — Beijou-lhe a testa, andando em direção à saída da cozinha — Esteja pronta às sete horas!
resmungou sozinha antes de pegar mais um pedaço de fruta e colocá-lo na boca, andando em direção ao seu quarto pouco depois.
Pegou o celular em cima da cama, desbloqueando-o ao tempo que andava em direção ao banheiro, pronta para tomar uma ducha antes de ir para casa e pensar em um vestido para usar a noite. Parou assim que viu a notificação de mensagem de Pattinson, mordendo o lábio inferior por alguns instantes antes de abri-la.
Já tinha uma semana que estava fugindo de Robert; o primeiro passo foi correr para a casa dos pais, como uma garotinha assustada. Sabia que o ator ainda ficava constrangido quando falava de James, por saber que o homem o detestava quando eram mais novos - obviamente aquilo havia mudado com os anos, mas o loiro continuava preferindo evitar o mais velho.
O segundo passo foi ter enviado apenas uma mensagem no primeiro dia, dizendo que estava tudo bem, mas que estaria ocupada e, após isso, o silêncio. Robert estava tentando conversar, tentando se explicar e até mesmo havia pedido desculpas, mas ainda não estava pronta para aquela conversa, menos ainda para encontrá-lo novamente.
Talvez para ele tenha realmente sido apenas um beijo sem importância, relembrando o passado, quem sabe. Contudo, sabia o caminho que aquilo poderia tomar e não queria repetir o mesmo erro de anos atrás.
Gostar de Robert havia sido a pior coisa que havia feito em toda sua vida. Bem, talvez não a pior, mas a mais difícil de superar. Nem mesmo a traição do primeiro namorado foi tão ruim quanto precisar fingir que nunca havia visto Pattinson como mais do que um bom amigo. Um pequeno crush.
O único que sempre soube de tudo era Daniel, desde a primeira conversa na qual admitiu que havia beijado o loiro, contou tudo para o melhor amigo. Eles sempre contavam tudo um para o outro, sobre qualquer assunto, inclusive alguns constrangedores que ambos fingiam não terem escutado. Radcliffe a aconselhou a falar a verdade anos atrás, explicar a situação toda para o loiro, mas recusou-se. Jamais se humilharia daquela forma!
Com o passar dos anos foi ficando mais fácil deixar tudo aquilo para trás.
Lembrava-se dele, é claro, principalmente quando bebia mais do que devia. Por anos preferiu evitar ver qualquer notícia sobre o ator, o que era complicado pois também gostava de saber que o amigo estava bem, ficava feliz por ele. Mas preferia manter o máximo de distância possível, mesmo que com isso também viesse a saudades.
E entre um relacionamento e outro ficou mais fácil guardar tudo aquilo bem fundo e fingir que nem mesmo havia acontecido.
Morris rejeitada pelo primeiro cara por quem se apaixonou perdidamente? É claro que não! Ninguém mais precisava saber o quanto ela havia sofrido, uma só pessoa era mais do que suficiente. Pelo menos até dias atrás, quando saiu com Bonnie - de quem havia voltado a se aproximar com o passar dos meses - e acabou por desabafar com a ruiva tudo o que estava guardado a sete chaves em seu coração.
Morris achou que havia realmente superado, esquecido, que agora poderiam ser bons amigos sem precisar relembrar toda a merda que havia passado anos antes quando ele a deixou. Porque para havia sido exatamente aquilo que Robert havia feito, não importava se eles não tinham nada oficial;
Em um dia eles estavam juntos, no outro ele a ignorou e no terceiro foi embora dizendo que era melhor manter a amizade. E não era como se ele tivesse se esforçado para se manter seu amigo, não demorou nada para Pattinson simplesmente sumir e aquilo era ainda pior.
Agora ele estava de volta, sendo um bom amigo para sair e conversar, estava bom assim, podia seguir desse jeito, não doía como antes. Estava tudo bem.
Conseguia ignorar a matéria de meses antes, a qual dizia que Robert Pattinson era apaixonado por Morris. Era uma atriz, afinal de contas, podia continuar como se aquilo não significasse nada.
É claro que, se fosse sincera, diria que não soube como reagir àquela notícia, não soube dizer o que sentiu ao saber daquilo, e era por isso que preferia nem pensar sobre o assunto. E continuava tudo bem.
Havia sido apenas um comentário sobre uma situação de anos atrás, quando eram dois adolescentes que não sabiam nada. É claro que aquilo também havia levantado algumas dúvidas, a principal de todas era: Por que ele não havia dito nada?
Robert havia se afastado e só. Anos depois ele reaparece dizendo que havia sido apaixonado por ela?
Contudo, ela podia fingir que estava tudo bem, havia aprendido a fazer aquilo muito tempo atrás. Porém, é claro que não seria tudo, achou que foi tola por não ter imaginado que em algum momento tudo desandaria.
A pior parte era precisar negar para si mesma que havia sentido alguma coisa com o último beijo. Não, a pior parte era realmente sentir alguma coisa.
Não podia simplesmente ter aproveitado um bom beijo e, quem sabe, uma boa transa, antes de seguir a vida como havia feito outras vezes? Ela realmente precisava ter algum sentimento envolvido além de prazer?
Precisava lembrar de tudo que havia acontecido entre eles com um simples beijo?
Entendia ter passado por tudo aquilo quando era mais nova, afinal Robert havia sido o primeiro cara que havia beijado - talvez por isso também tivesse se apaixonado - mas qual era a desculpa agora? Com seus vinte e nove anos e vários caras que já havia beijado ao longo dos anos. Por que não se sentia assim com os outros?
Bem, se fosse justa, o mais próximo daquilo havia sido com Sebastian, o que resultou em quase quatro anos de relacionamento. Um relacionamento que, mesmo após o término, ainda havia deixado uma boa amizade entre os dois, a ponto de conversarem semanalmente para contar algumas novidades e ficarem felizes um pelo outro, fosse com trabalhos - o que, coincidentemente, também teve Stan e Pattinson atuando em uma mesma produção no início daquele ano, embora não tivessem contracenado juntos - ou com relacionamentos. O ex-casal ainda mantinha intimidade o suficiente para palpitar sobre com quem estavam saindo, por exemplo; Sebastian sempre mandava mensagem quando aparecia algo de com Ben Barnes, geralmente piadas com “eu sempre soube dessa traição”. Enquanto a inglesa respondia “alguém avisa pra ela correr” quando via alguma matéria sobre um novo affair do romeno.
Aquilo era o que ela esperava que fosse ter com Pattinson após o “término” anos atrás, mas o que aconteceu foi um distanciamento absurdo. Agora, quinze anos depois, não queria voltar à estaca zero, na qual eles sairiam algumas vezes e depois seguiriam cada um para seu lado, fingindo que nada aconteceu.
precisou de anos para deixar tudo aquilo para trás, não queria cometer o mesmo erro duas vezes, achava que era burrice demais para uma só pessoa.
E foi em meio a todos aqueles devaneios que decidiu que seu pai estava certo; estava na hora dela agir como uma mulher de 29 anos e dar um basta.
Queria manter uma boa amizade com Pattinson, mas aquilo estaria fora de cogitação se sua presença significasse que Morris voltaria a sofrer.
Não achava que estava pronta para vê-lo tão rápido, seus sentimentos estavam confusos demais, mas precisava conversar com o ator e deixar claro que eles eram apenas amigos e aquilo era tudo o que eles seriam.

🎬🎬


Robert estava sentado em sua mesa, bebericando sua xícara de café enquanto olhava para a entrada do local, esperando aparecer.
Havia se surpreendido com o convite apressado para conversarem após tantos dias sendo ignorado, mas não perderia aquela oportunidade, precisava conversar com a inglesa. No fundo não sabia exatamente se deveria pedir desculpas novamente e dizer que havia sido impulsivo ou se revelava seu interesse, pela forma que ela havia se afastado, achava que a primeira opção seria a melhor escolha, embora não fosse sua vontade.
Gostava da amizade, mas queria mais.
Achava que precisava saber daquilo, se lhe desse uma chance, por menor que fosse, ele iria aproveitar dessa vez!
Viu a loira entrando pela porta instantes depois, retirando os óculos de sol que usava e olhando ao redor, até encontrá-lo mais ao canto. Acenou em cumprimento para uma funcionária, antes de andar até ele, sorrindo pequeno em sua direção quando Robert ficou em pé, beijando-lhe a bochecha antes de se sentarem, um de frente para o outro.
A funcionária adolescente aproximou-se nervosa, deixando o pequeno menu com , esperando-a escolher algo para comer. Pouco mais de um minuto depois a atendente se afastou anotando os pedidos, deixando-os sozinhos para conversarem.
Os dois se encararam, sorrindo sem graça um para o outro e foi impossível para Morris não se lembrar de como haviam ficado daquele mesmo jeito quando Robert encerrou o “relacionamento” deles anos antes. Demoraram semanas para voltarem a conversar ou ficarem sozinhos na presença um do outro.
Respirou fundo, colocando uma mexa do cabelo solto atrás da orelha, começando a puxar assunto em voz baixa;
— E então, tudo bem? Como foi a sessão de fotos?
Pattinson xingou-se mentalmente por não conseguir ter sido o primeiro a puxar assunto, parecia um adolescente em seu primeiro encontro, incapaz de conversar com a mulher a sua frente.
— Ahn… — Pigarreou, ajeitando-se na cadeira — Foi tudo bem, não demorou muito… Só precisei refazer algumas fotos, nada demais… E você? Ouvi dizer que vai estar na ITV essa semana…?
— Não é nada definitivo ainda, mas acho que vou falar da Comic Relief, fazer algumas chamadas para ir ao ar durante a programação e coisas assim…
A atendente voltou com duas fatias de torta para o casal e uma xícara de chá para a inglesa, tornando a se afastar quando eles agradeceram. Aproveitaram os próximos minutos comendo como desculpa para a falta de assunto e constrangimento, já palpável entre eles.
Pattinson perguntou sobre Harry e como estavam as coisas com o ex-jogador, e assim passaram o tempo, usando de qualquer assunto para fugirem do silêncio, mas ainda evitando o motivo que os havia levado até lá.
Por fim, ao reparar no horário - e sabendo que ainda precisava voltar para casa e se arrumar para o evento de mais tarde - resolver ir direto ao assunto, já haviam enrolado por tempo demais;
— Pattinson, — começou baixo, tendo dificuldade para olhá-lo nos olhos. Robert sentiu-se subitamente nervoso, prendendo o ar por alguns segundos — sobre aquele jantar…
— Eu sei — disse baixo, olhando para a xícara vazia a sua frente — não era para ter sido daquele jeito… Eu só…
— Tudo bem — respondeu rápida, não queria ouvir suas desculpas, queria evitar ouvir qualquer tipo de rejeição vinda dele, uma vez era mais do que suficiente, não precisava passar por aquilo de novo. — Só acho melhor esquecermos de que aconteceu.
O casal se encarou por um momento, sem dizer nada por alguns instantes;
— Prefere assim? — O ator perguntou finalmente, sentindo a garganta seca.
— Somos amigos frisou a palavra, sorrindo pequeno em sua direção — e sabemos como acabou da última vez, acho que não precisamos repetir e terminar mal sendo capazes de conversar.
Robert olhou para o lado contrário, passando a língua pelos lábios finos antes de voltar a encará-la;
— Então você não quer…? — Começou, sem saber como terminar a frase.
Não queria o que? Sair com ele? Uma amizade colorida? Uma transa casual talvez? Namorar?
esperou que ele completasse sua pergunta, mas Pattinson não o fez.
Pareceu ainda mais claro que ele queria voltar ao que já haviam sido uma vez e Morris realmente não achava que estava mais em condições de ter amizades coloridas, com Robert ou qualquer outra pessoa - mesmo que essa pudesse resultar em uma noite de sexo e ela estivesse, de fato, curiosa com a possibilidade.
Por fim respirou fundo, negando com um aceno;
— É melhor deixarmos as coisas como estão — reforçou, olhando mais uma vez seu relógio de pulso antes de sorrir pequeno em sua direção — preciso ir agora, tenho um compromisso mais tarde e não posso atrasar.
Pattinson concordou com um aceno, ainda incapaz de dizer qualquer coisa. A mulher levantou-se, os dois se despediram e ele a viu sair pouco depois, permanecendo sentado por mais alguns minutos, digerindo o fora sutil que havia tomado.
E, após repassar mentalmente a conversa algumas vezes - e reparar que deveria ter sido mais incisivo ao falar sobre eles saírem, ao invés de ter deixado tão vago - reparou na parte em que, a primeiro momento, pensou ser apenas uma desculpa para Morris ir embora, mas que talvez fosse verdade: tinha um compromisso que não poderia se atrasar.
E só pensar na possibilidade desse “compromisso” ser um encontro, fez seu estômago girar.

INSTAGRAM


@ok_mag
Nesta sexta-feira, 8, um dos nossos “quase-casais” favoritos foi fotografado ao saírem de um pequeno café em South Kensington!
Primeiro precisamos conversar sobre como nossa @Morris está à vontade com seus modelos mais casuais tendo deixado para trás todo aquele “glamour hollywoodiano” da época em que estava saindo com Stan! E, embora simples, AMAMOS esse casaco (aparentemente, você pode encontrar um modelo parecido na Primark por apenas £35!).
Robert Pattinson, sempre com seu estilo “só tenho três peças de roupa e jeans”- ALÉM DE LINDO - não parecia tão feliz ao sair do “encontro”???
Será que não podemos ter UM DIA de paz ao shippar esse casal?

PS: Se a Morris não te quiser, NÓS, COM CERTEZA, QUEREMOS, Rob!


NOVE.

INSTAGRAM


@morris
Obrigada à maravilhosa @MaggieStees pela produção de última hora! #PartyTimeBaby

@douglasbooth Voltou pra fase BLACK, Samantha?!
@harrymorris Mais uma vez ficou comprovado que Maggie faz milagres, você até parece gente! lol
@maggiestees pra você tô sempre livre, meu bem ❤️
@emmawatson linda ❤️
@imsebastianstan Saudades daquilo que a gente já viveu xD
-> ver todos os 851 comentários


TWITTER


@MorrisBR Nossa acabou de postar uma foto toda arrumadinha pra uma festa! A noite promete xD
@MorrisBR O GRITO QUE EU DEI COM O COMENTÁRIO DO SEBASTIAN, SERÁ QUE NOSSO CASAL ESTÁ DE VOLTA??? #Starris
@SebastianStanOnline GENTE E O SEBASTIAN QUERENDO UM REMEMBER???
@SebastianStanOnline Nunca revelaram o motivo do término do MELHOR CASAL que já pisou na terra, então é claro que estamos aqui na torcida pelo COMEBACK de #Starris!


abriu os olhos assim que ouviu o barulho do elevador, o qual abriu as portas diretamente no hall da entrada do seu apartamento. Respirou fundo, sentindo os pés doerem depois de tanto tempo andando para todos os lados com aquele salto, sua relação de amor e ódio com aquele sapato estava, naquele momento, apenas no ódio. Assim que deu um passo para fora do elevador se questionou mais uma vez o motivo de ter escolhido aquele salto e o motivo de se odiar tanto, pois era a única explicação para aquela tortura.
Assim que retirou suas chaves da bolsa e olhou para frente, viu alguém amontoado no canto do corredor, abraçando os joelhos e com a cabeça baixa.
Morris levantou as sobrancelhas, dando dois passos na direção do homem até perceber que era Pattinson quem estava adormecido em frente a sua porta.
— Pattz? — Chamou ao agachar-se, tocando-lhe o ombro e, então, reparando na garrafa de cerveja pela metade e no cheiro forte de álcool que vinha do loiro. — Robert? — Insistiu, chacoalhando-o com mais força.
O ator abriu os olhos pouco depois, parecendo extremamente confuso por um instante, até reconhece. Piscou duas vezes, coçando os olhos antes de abrir um sorriso;
— Você voltou?! — Comentou baixo, a voz um tanto embolada, logo apoiando-se na parede para ficar em pé após perceber que se levantava.
— O que faz aqui? — A inglesa questionou confusa, colocando a chave na porta para abri-la — Aconteceu alguma coisa? — Tornou a olhá-lo ao ver que Robert estava parado no mesmo lugar, encarando-a em silêncio — Você tá bem?
— Você está tão bonita — respondeu quase em um sussurro, sorrindo pequeno em seguida.
sentiu o rosto esquentar no mesmo instante, sem nem entender o motivo de ficar tão sem graça. Apenas deu uma risada fraca, abrindo a porta e fazendo sinal para ele entrar.
— Quanto você já bebeu? — Questionou, vendo-o cambalear para dentro do apartamento.
— Uma pint ou duas — falou, abanando a mão como se não fosse grande coisa. Morris concordou, segurando a risada. — Como foi sua noite? — Perguntou ainda parado na porta, vendo-a tirar o casaco e os saltos.
— Até mais divertida do que eu esperava — sorriu, soltando os cabelos, voltou alguns passos quando notou o loiro ainda parado —, não vai entrar? Você tá bem, Rob? Quer uma água? Sentar um pouco?
— Eu amo você. — Falou de repente, encarando-a com a expressão séria, piscando devagar devido ao álcool em excesso.
abriu a boca algumas vezes, sentindo o coração bater acelerado.
— O que foi que você disse? — Questionou baixinho, esperando que ele começasse a rir ou algo do tipo, talvez tivesse escutado errado. Talvez tivesse bebido ainda mais do que Pattinson e nem mesmo tinha se dado conta.
Robert a encarou pelo o que pareceram horas, mas não deveria ter passado mais de um minuto, até respirar fundo tornando a dizer tão baixinho quanto antes;
— Eu amo você, . — Sorriu pequeno, parecendo ainda mais sonolento — Eu sei que você está saindo com o Barnes, e eu sei que ele é um cara legal, mas eu amo você.
— Robert...
O loiro negou com a cabeça, dando passos cambaleantes em sua direção, segurando em seus ombros;
— Eu deveria ter te dito isso anos atrás, só que eu não sabia o que fazer e preferi correr, mas eu não quero fazer isso agora, ! Eu não sou mais aquele adolescente medroso e eu posso provar pra você que eu mudei se você deixar... — A encarou com um sorriso triste, colocando as mãos em seu rosto e aproximou-se devagar — Eu quero tanto você — sobrou baixo — eu posso fazer você gostar de mim de novo, , você gostou de mim um dia, não foi? Eu só preciso que você me deixe fazer isso, eu amo você!
E, ainda sem saber como reagir a tudo aquilo, sem nem mesmo saber se era real ou não, a mulher sentiu os lábios macios do ator contra os seus, em um selinho demorado, mas logo sentiu o peso de Robert contra seu corpo, quando o loiro praticamente desmaiou em seus braços.
— Rob? — Chamou nervosa, segurando-o como podia, sentindo o próprio corpo deslizar na parede em direção ao chão devido ao peso extra. — Robert? Pattinson?
— Quer ajuda? — Ouviu a voz risonha de Harry, escorado na parede lateral do corredor em direção a sala, o sorriso zombeteiro em seus lábios.
— O que você está fazendo aqui? — Questionou surpresa, ainda tentando segurar um Pattinson apagado. — Como foi que você entrou?
— Eu tenho a sua chave, — deu de ombros, mantendo os braços cruzados — e não é como se alguém fosse evitar me deixar entrar! — Explicou como se fosse óbvio — Quer ajuda?
concordou antes de voltar a questionar a presença repentina do irmão e, com mais esforço do que imaginou ser necessário, carregaram o loiro até o sofá, deitando-o no mesmo pouco depois.
— Por que não disse que vinha? — Perguntou ao sentar no cantinho do sofá, próximo aos pés do ator. Harry bufou ao negar com um aceno, passando a mão pelos cabelos.
— E ser arrastado para o jantar da empresa? Não, obrigado. Já bati minha cota!
— E me deixou lá sozinha com o pai? — Frustrou-se, escutando-o rir nasalado.
— Nada mais justo, passei anos aguentando aquilo sozinho enquanto você estava se divertindo em Nova York. — Respondeu, virando-se para olhar o loiro desacordado e apontando com a cabeça para ele — O que aconteceu com vocês?
— Nada! — Apressou-se a responder, mais uma vez sentindo o rosto esquentar violentamente, algo que não passou despercebido para o moreno, que mais uma vez sorriu divertido. — Se você estava aqui, por que não abriu a porta pra ele?
— Por que ele não tocou a campainha, ué - contou, reparando quando a irmã tirou os sapatos de Robert, deixando-os no chão. — Ouvi vozes e achei que você tinha voltado com um date, por isso não quis interromper, mas a conversa estava boa demais para eu simplesmente fingir que não estava escutando!
— Você ficou ouvindo? — Tornou nervosa, segurando a vontade de xingar o irmão. Levantou-se andando até seu quarto e voltando instantes depois, com um travesseiro e uma coberta.
— Invade a casa e ainda fica ouvindo a conversa dos outros, que belo exemplo!
— Não é como se eu imaginasse que o cara estaria se declarando pra você, mas até que foi engraçado!
— Engraçado? — Resmungou, negando ansiosa.
— O que vai fazer? Você ainda gosta dele? — Harry perguntou após alguns minutos de silêncio, no qual apenas olhavam o ator dormindo, alheio a tudo aquilo.
— Você acha que ele falou sério? — Perguntou baixo, olhando para o irmão.
Harry levantou as sobrancelhas;
— Você não acha? O cara está completamente bêbado, !
— Justamente por isso a dúvida!
— Ninguém se declara aleatoriamente quando está bêbado! Se ele veio até aqui pra te dizer isso, com certeza é verdade e ele achou que era uma boa hora para contar. Tenho certeza que, se ele lembrar disso, vai querer morrer amanhã! — Riu nasalado, negando com a cabeça — Coitado. O que você vai responder pra ele?
— Não sei... — Respondeu em um sussurro, olhando de canto para Pattinson. — Não estava esperando um negócio desses, Harry, não vindo dele! E você sabe como acabou da última vez...
— Mas ele não mentiu quando disse que era um adolescente medroso, você também não disse que gostava dele na época. Não quer dizer que ele não tenha amadurecido! — Deu de ombros. sorriu pequeno em sua direção;
— Achei que não gostasse dele...
— Não é meu favorito, mas também não odeio. Dos caras que você já saiu, talvez esteja no meu top 4 ou 5!
A mulher rolou os olhos, rindo baixinho com o comentário.
— O que acha que eu devo fazer?
O moreno negou com a cabeça, suspirando antes de responder:
— Não faço ideia, quem tem que saber o que sente é você. E nós dois sabemos que eu não sou bom com relacionamentos, você nem mesmo deveria me pedir conselhos sobre isso!
— Eu não pediria, mas já que você ficou bisbilhotando...
— Diga a verdade: se você gosta ou não dele, ou se precisa de um tempo pra descobrir. — Passou a língua pelos lábios pensando em mais alguma coisa para falar.
— Parece que ele não foi o único que amadureceu! — Piscou, escutando a risada sem graça do irmão enquanto o moreno seguiu para o quarto de hóspedes. ainda puxou a coberta, cobrindo o loiro antes de seguir para o próprio quarto.


Robert acordou com a claridade entrando pela janela, levando a mão ao rosto e virando para o lado, mas ao mover a cabeça sentiu a mesma latejando como se estivesse a ponto de explodir. Fechou os olhos com força, arrependendo-se de imediato de ter bebido tanto na noite anterior. Bufou irritado ao tornar a abrir os olhos, franzindo o cenho ao focar sua visão e notar que não estava em sua casa. Piscou duas vezes, sentando-se apressadamente, xingando mentalmente no mesmo momento que sentiu a cabeça girar. Virou para os lados, levantando-se devagar para não fazer barulho, não se lembrava de já ter estado naquela casa, logo sentindo o desespero ao imaginar que havia passado a noite com alguma fã ou algo do tipo, a única experiência que teve com uma fã não foi das melhores e ele não queria nunca mais repetir!, mas se fosse alguma fã, não teria dormido no sofá, considerou pensativo, deixando o olhar correr pela decoração da sala, aproximando-se de um porta-retratos. Respirou aliviado ao notar que era na imagem, junto com a família.
Contudo, enquanto colocava a foto no lugar, sentiu o estômago revirar: por que estava na casa de ?
Passou a língua pelos lábios, tentando recordar-se do que havia feito na noite anterior. Sentiu então a vontade de ir ao banheiro vir com tudo, passando a mão pelos cabelos, frustrado com a situação toda.
Andou pé ante pé, o mais silenciosamente que podia pelo corredor seguinte, à procura do banheiro. Abriu a primeira porta à direita, vendo um escritório com vários livros e uma estante com troféus. Deixou para olhar o lugar mais tarde, pois estava apertado demais para bisbilhotar a casa de Morris, abrindo a porta seguinte à direita. Sorriu largo ao encontrar o que procurava, não demorando mais de dois segundos para entrar e trancar a porta, fez uma careta ao olhar seu reflexo no espelho, enquanto desabotoava a calça.
Olhava com curiosidade os detalhes do banheiro grande, não estava de fato surpreso com o bom gosto, mas achou que o banheiro (e a sala também) eram muito "adultos" para , não era o tipo de coisa que esperava para a mulher, mas então lembrou-se que, assim como ele, Morris também havia amadurecido e mudado muito seu estilo ao longo dos anos.
Saiu do banheiro secando as mãos na calça, ainda incomodado com a dor de cabeça e mais ainda com o que poderia ter acontecido na noite anterior que o levou ao sofá de , quando reparou em outra pessoa sentada no sofá.
Harry Morris bocejou sonolento, coçando a barba rala antes de erguer o olhar e encontrar Pattinson, encarando-o sem graça. O moreno se levantando para ir ao banheiro;
— Ressaca? — Perguntou após um aceno com a cabeça em comprimento, o loiro suspirou concordando, fazendo o mais velho rir baixo. — Tem sempre remédio pra dor de cabeça na primeira gaveta – apontou para o móvel ao lado, antes de entrar no outro cômodo.
Robert virou para o local indicado, abrindo-o sem pensar duas vezes. A mulher não se importaria com ele pegando um remédio, não é? Se fosse o caso, compraria uma cartela inteira para mais tarde.
Engoliu o comprimido, sentindo a garganta seca e precisou segurar a vontade de correr até a cozinha e tomar dois litros de água, ainda não parecia uma boa ideia sair olhando e mexendo em tudo sozinho. Esperaria pelo menos Harry dizer algo para não parecer tão mal-educado.
Menos de dois minutos depois o moreno voltou para a sala, parecendo que poderia dormir a qualquer segundo. Ficaram em silêncio por algum tempo, Robert olhando para o teto, pensativo, tentando ignorar a dor de cabeça e a sede que sentia, enquanto o mais velho bocejava vez ou outra, o loiro o olhou de canto, se perguntando o motivo de Harry não voltar para o quarto para dormir, mas então viu o ex-atleta o encarar, como se finalmente se desse conta da sua presença, sorrindo largamente antes de dizer com a voz risonha;
— E então, lembra de tudo de ontem?
Pattinson sentiu a boca abrir em surpresa:
— Tudo o que? O que aconteceu?
Morris deu uma risada nasalada, passando a língua pelos lábios finos antes de responder:
— Foi uma declaração e tanto. ficou surpresa quando você a beijou!
— O que? — Tornou com a voz rouca, arregalando os olhos.
— A melhor parte, na minha opinião, foi você vomitando durante o beijo, com certeza será algo que minha irmã nunca vai esquecer!
Robert negou várias vezes, sentindo o rosto esquentar violentamente ao pensar naquilo;
— Você está brincando, não é? Isso não pode ser sério! Pelo amor de Deus, Harry!
O moreno gargalhou, negando pouco depois;
— Tudo bem, essa parte eu inventei só pra ver essa cara de desespero! — Confessou, colocando a mão sobre a barriga, o loiro fechou os olhos suspirando aliviado e ignorando a vontade de socar o outro — Mas a única parte que inventei foi essa, a declaração e o beijo foi verdade — acrescentou, vendo quando Robert tornou a olhá-lo ansioso —, você não vomitou, mas desmaiou logo depois do beijo. Deveria, inclusive, agradecer que eu estava aqui para presenciar tudo ou teria dormido no chão, nunca conseguiria te carregar até o sofá sozinha!
— Morris... — Começou baixo, passando a mão pelos cabelos — Chega de brincar...
— É verdade, não lembra de nada mesmo? — Tornou surpreso. O loiro travou a mandíbula, meneando a cabeça;
— Tenho alguns flashes, esperava que tivesse sido algum sonho... — Suspirou pesaroso — O que ela disse?
Harry deu de ombros, olhando pelo corredor em direção aos quartos:
— Nada, acho que só ficou surpresa mesmo... Não faço ideia do que vai fazer!
Robert passou a mão pelos cabelos, levantando-se de supetão.
— Aonde vai?
— Embora, não quero estar aqui quando ela acordar!
— Relaxa, cara, — Morris abanou a mão — não é nem o primeiro e nem o último a ficar bêbado e se declarar pra alguém.
— Você...? — Questionou surpreso, o moreno concordou com um suspiro.
— Pois é, nem essa minha cara bonita me safou dessa humilhação! — Deu de ombros, sorrindo pequeno — Não se preocupe, não é nada demais!
Robert concordou a contragosto, voltando a sentar-se ao tempo em que o moreno se levantava, espreguiçando-se;
— Vou comprar algo pra comermos, não tem quase nada na geladeira — avisou, já tendo bisbilhotado em tudo na noite anterior.
— Você vai me deixar aqui? — Perguntou ansioso, escutando-o rir.
— Qual é cara, você não é nem o primeiro a se declarar bêbado pra minha irmã, não é nada tão especial assim! — Piscou, calçando o tênis e saindo da casa em seguida.
Robert continuou encarando a porta por alguns minutos, incapaz de saber se era bom ou não aquela afirmação.
Por um momento questionou-se quem teria sido o outro cara a fazer aquilo, e se havia sido alguém importante para Morris ou se ela apenas riu daquilo junto do irmão. Será que os dois fariam o mesmo com o loiro? Iriam rir juntos da sua declaração patética?
— Ei — assustou-se ao ouvir a voz da mulher, nem mesmo percebendo quando ela se aproximou. — Dormiu bem?
Concordou com um aceno, parecendo incapaz de dizer qualquer coisa por um instante, sentindo o rosto esquentar ao lembrar-se do que havia feito.
— Ressaca? — Tornou após algum tempo, sentando-se mais ao canto do sofá. — Tenho remédio…
— Eu já peguei — confessou sem graça — Harry me falou…
concordou, olhando ao redor por um instante, parecendo lembrar-se do irmão;
— Ele já acordou?
— Foi comprar café — explicou, coçando a nuca por um momento, ainda sem conseguir encará-la.
Ficaram em silêncio por alguns minutos, sem saber o que fazer ou dizer. Ambos extremamente sem graça, sentindo o incômodo da situação inteira.
, eu… — Começou baixo, olhando para as próprias mãos — Eu só…
— É verdade? — Perguntou no mesmo tom, olhando-o nervosa, sentindo a ansiedade dominar-lhe. — O que você disse ontem?
Pattinson a olhou por um instante, sorrindo pequeno;
— Eu não lembro de tudo o que aconteceu — avisou, tornando a olhar para suas mãos —, Harry me contou por cima, mas…
— Entendo… — Respondeu, olhando para o outro lado, suspirando.
Robert respirou fundo, travando a mandíbula antes de começar a dizer em voz baixa;
— Eu amo você — então a olhou, sentindo o coração bater acelerado quando a mulher o encarou de volta —, não faço ideia de porquê não ter tido isso antes, acho que era mais fácil fingir que não era verdade… E depois, bem… — Deu de ombros, mexendo nas mãos antes de continuar — Eu sei que você está saindo com o Barnes, mas…
— Não estou — respondeu, pigarreando antes de dizer mais alto, Robert a encarou surpreso — somos mais amigos que qualquer outra coisa, saímos algumas vezes, mas não é nada assim…
— Eu achei que… Ontem…? Você disse que ia…?
— Eu fui à uma festa da empresa com meu pai — explicou, passando a língua pelos lábios.
Pattinson desviou o olhar, sentindo uma onda de alívio atingi-lo.
Ficaram em silêncio por mais alguns instantes, até o loiro voltar a falar;
— Eu sei que foi estranho antes, da última vez… Mas… , se você… — Passou a mão pelos cabelos nervosamente — Eu quero estar com você, eu só queria… — Respirou fundo, tomando coragem antes de continuar — Se você me der uma chance, , só uma… Eu posso fazer dar certo dessa vez! Eu posso provar pra você…! Eu só quero ficar com você, … Eu sou completamente apaixonado por você, Morris!
o encarou sem reação, havia passado parte da noite em claro pensando em tudo o que ele havia dito, sem conseguir chegar a nenhuma decisão. Sabia que sentia algo, é claro que sim! Robert havia sido o primeiro cara de quem gostou, sempre teria um sentimento especial por ele, mas era suficiente para corresponder aquela declaração?
O loiro a encarou com expectativa, mesmo sabendo que estava sendo extremamente precipitado, não era bem dessa forma que havia planejado fazer as coisas (se fosse sincero, nem havia planejado nada), mas agora que já tinha feito uma cena na noite anterior, parecia muito pior sair fingindo que nada tinha acontecido.
— Robert... — começou em um sussurro, sem saber como continuar, apenas achou que não poderia continuar em silêncio.
— Um mês, , — disse rápido, falando a primeira coisa que lhe veio à cabeça — só um mês, se nesse tempo você realmente não sentir nada por mim, a gente finge que nada aconteceu, se não quiser mais me ver depois disso, eu aceito. Só um mês, alguns encontros... — Falou apressado, passando a língua pelos lábios antes de continuar — Só me dá uma chance!
A mulher mordeu o lábio inferior, desviando o olhar antes de negar com um aceno.
— Não posso fazer isso, não sabendo o que você sente — suspirou, tornando a olhá-lo — e se depois eu não sentir nada disso?
— Não importa — soprou, sentando-se mais próximo da inglesa — eu não me importo de esperar por você, , se não der certo tudo bem... Mas me deixa tentar fazer funcionar, me deixa ter você de volta — pediu com a voz baixa, aproximando o rosto do dela ao colocar a mão sobre seu pescoço — eu só preciso de mais uma chance com você, ...
Robert inclinou-se em sua direção, pronto para encostar seus lábios, mas antes que pudesse, ouviram um barulho alto e a mulher se afastou apressada.
— Porra, vocês viram que tá chovendo? — Harry disse em voz alta, passando a mão pelos cabelos molhados — Que merda, tive que correr duas quadras e quase cai... Que foi? Ah, — deu uma risadinha sacana — não me diga que fiquei todo esse tempo fora e vocês nem se acertaram?
— Cala boca, Harry! — resmungou sentindo o rosto esquentar, o irmão gargalhou da expressão sem graça dos dois.
— Calma, crianças, tio Harry tá aqui pra ajudar vocês, precisam de conselhos, é? — Insistiu, entregando um copo de café para o loiro e um muffin para a mais nova.
— Se não quiser que eu ligue agora pro pai e fale que você está aqui, é melhor calar a boca!
— Tudo bem, não está mais aqui quem falou! — Riu, voltando para o quarto com o copo de café, mordendo um donut no caminho — Quanta imaturidade!
O casal se entreolhou, sorrindo sem graça um para o outro. sentia como se estivesse de volta nos estúdios de gravação, logo após Gary Oldman gritar para todos que eles estavam aos beijos, a mesma sensação de vergonha e vontade de sair correndo.
Mas ao mesmo tempo, anos atrás, deixando toda a vergonha e vontade de se atirar da London Eye de lado, sabia que havia valido a pena. Mesmo com toda a confusão e piadas que surgiram, naquele primeiro momento quando se beijaram tudo pareceu mágico. Ainda mais clichê do que se lembrava, e dias atrás quando Pattinson a beijou no carro, sabia que se tivesse um pouco mais de controle não teria ficado tão mexida, mas existia o medo de sofrer de novo por causa dele. Entretanto, as coisas eram diferentes agora, Robert havia dito que estava apaixonado por ela, ele a amava. Talvez não fosse tão ruim dar uma chance àquilo, ao mesmo tempo tinha o medo de se machucar e também de machucá-lo. E se não fosse capaz de gostar dele da mesma forma? Como iria olhá-lo depois disso?
Morris não queria sair machucada, mas também tinha medo de fazê-lo sofrer.
Talvez Pattinson soubesse o que pensava, pois antes que a mulher pudesse dizer qualquer coisa, o loiro falou apressado;
— Só um mês, . Eu sei que não posso te fazer me amar de uma hora pra outra, e tudo bem se não acontecer nunca — garantiu, sorrindo pequeno em sua direção — eu só não quero passar os próximos 20 anos pensando no que eu poderia ter feito diferente, arrependido por nem mesmo ter tentado antes de sair correndo. Não quero cometer o mesmo erro duas vezes, , principalmente com você. Se depois desse mês nada mudar, a gente deixa isso pra trás — deu de ombros —, tudo bem se depois você continuar não sentindo nada, não vou morrer por isso. Eu só preciso saber que eu tentei fazer dar certo, que pelo menos uma vez eu não fechei os olhos e saí correndo sem saber o que fazer com tudo isso. Eu não me importo de esperar por você, Morris, mas eu não quero fingir mais uma vez que eu não sinto nada por você. Eu amo você, , e eu só preciso de uma chance pra te fazer perceber que eu falo sério. Eu quero você.
A inglesa sentiu uma lágrima escapar por seus olhos, apressando-se em secá-la com o dorso da mão. Sentia o coração bater acelerado, mas também sentia o aperto no peito, o nó na garganta.
Era tudo tão incerto, seu coração parecia pronto pra aceitar qualquer coisa vinda dele, mas sua cabeça continuava a gritar que aquilo não acabaria bem. Um dos dois acabaria machucado, talvez os dois. Não queria chorar mais uma vez por causa do loiro, mas também não conseguia dizer 'não' pra ele. E o mais importante: ela queria tentar.
Ela queria ter aquela chance, mesmo sabendo que as consequências talvez fossem altas demais. Por mais que cada canto da sua cabeça gritasse que era uma péssima ideia, cada parte do seu corpo parecia pronto para se jogar nos braços de Robert e nunca mais se afastar dele.
Porque ela ainda se lembrava de como era ter ele ao lado, mesmo que fizessem tantos anos; a dor havia sido enorme, mas também se lembrava de todos os sentimentos bons e todas as vezes que sentiu como se seu coração fosse saltar do seu peito apenas por ele sorrir em sua direção.
sabia muito bem como era tentar seguir em frente e como foi passar meses, anos, sofrendo por Pattinson, mas ela também sabia como era bom tê-lo ao lado, fosse como um amigo ou como um algo a mais. E se dessa vez o loiro estava mesmo disposto a tentar fazer aquilo dar certo, não seria ela quem tiraria aquela chance deles.
Naquele momento percebeu que não se permitir viver, esperando sempre que o pior acontecesse, era tão ruim quanto ter o coração partido.
Robert estava pedindo apenas uma chance, e ao concordar ao encará-lo, notou o sorriso largo que ele deu em sua direção, percebendo mais uma coisa a qual não saberia dizer se era bom ou ruim; soube naquele momento que daria a ele todas as chances que Robert pedisse, não importava o tempo que passasse.




Continua...



Nota da autora:
MANDARAM AVISAR QUE TÁ VINDO AÍ!!!! O casalzinho tá saindo do forno aaaaaaaaaa
O que vocês acharam da declaraçãozinha zoadinha do Rob? EU SEI QUE NÃO ERA O FOCO, MAS PRECISO DIZER QUE EU AMO O HARRY! Qualquer cena que dá pra colocar o Harry EU VOU COLOCAR!
Impossível não amar esse homem, Rob que lute com um cunhado desses!
Logo menos tô de volta com o primeiro encontrinho deles, SERÁ?
Beijão!
Quer deixar um recadinho, mas o Disqus tá dando erro? Clica AQUI.

Os personagens dessa fic são baseados em um mundo paralelo, no qual UNH e B&D eram as versões reais de Harry Potter.
As datas de filmes/acontecimentos podem estar diferente da vida real.


PS: On Stage é uma versão alternativa do relacionamento de Morris caso ela tivesse terminado com Sebastian Stan depois de Backstage.
PS²: Novidades e possíveis spoilers? Os links para Facebook e Instagram das fics estão abaixo!



Outras Fanfics:
A história de Ella Morris na Marvel:
Backstage
Crossover entre HP e Crepúsculo:
Cedric Diggory aka Edward Cullen
ORDEM CRONOLÓGICA DAS FICS, PSEUDO RELACIONADAS, A ON STAGE
The Black's Family Story - Prólogo 1
The Life Inside Azkaban - Prólogo 2
The Death Eater's Child - Prólogo 3
Black & Diggory
Uma Nova História
The Family's Wrong Side / CAPÍTULO 19 DE UNH
Uma Nova História II
Black & Diggory II
Before All by Dih
Black&Diggory II/Especial
Black & Diggory III
After All by Dih
Fanfic de NARUTO com o Gaara principal:
If I Don't Let You Go
Fanfic de Futebol: New Frontier


comments powered by Disqus