Contador:
Última atualização: 12/12/2020

Prólogo

Férias. Finalmente férias.

O aeroporto de Manhattan está agitado e bem movimentado, o que é bem normal, tendo em vista que as datas comemorativas de final de ano, já estão se aproximando. As luzes no painel de embarque e desembarque, piscam loucamente, trocando e alterando voos de cinco em cinco minutos. As pessoas vêm e vão, de um lado a outro, com suas enormes malas e guias de viagens. O balcão de embarque está lotado e a fila de passageiros, chega a dobrar o saguão, chegando até a pequena lanchonete. O tempo do lado de fora do aeroporto, está típico Manhattan, com algumas nuvens pelo céu e uma pequena fração do que um dia pode ser chamado de sol. Sem sinal de chuva e sem neblina, o que facilita para que os voos não sejam cancelados. E se der tudo certo, ela chegará no Havaí ainda em tempo de pegar uma praia e tomar um Santroppê com sua melhor amiga, Violet, na beira das areias havaianas. O que é tudo que ela exatamente precisa agora.
caminha apressada entre as pessoas que estão naquele saguão, pois, segundo sua passagem, o vôo dela sai em menos de quarenta minutos. A garota suspirou irritada enquanto corre até o balcão de embarque e talvez, se ela não tivesse perdido a hora ou tivesse esquecido de ligar o despertador, nada disso estaria acontecendo. Mas, nunca perde a hora de nada na vida dela, a não ser quando está nos braços de , seu mais novo crush. E é exatamente esse o motivo pelo qual, agora, ela está atrasada e correndo o risco de perder o seu vôo pro Havaí. Na noite passada, os dois foram a um dos coquetéis da empresa dele e quando a garota percebeu, eles já estavam na décima sexta taça de champagne. Dali em diante, tudo era um borrão de bebidas e sexo. balança a cabeça, jogando pra longe as lembranças da noite passada, pois agora, ela tem de se concentrar em não perder o vôo.
O balcão de embarque do vôo 3180G para Honolulu no Havaí, já está menos lotado e ela consegue um lugar na fila, bem atrás de um casal de jovens, que pelas conversas, estão em lua de mel. A garota, sem querer, presta atenção na conversa do jovem casal e em questão de segundos, fica sabendo de todos os detalhes do casamento deles até o lugar em que ficarão na viagem de lua de mel. Por um instante, ela para e pensa, em como seria a sua vida se um dia, a pedisse em casamento. Isso se ele pedisse, já que, desde que se conheceram, há exatos dois meses, ela já havia percebido que não é o tipo de cara que quer casamento e filhos. Filhos, é a palavra que assombra sua cabeça, quando mais a frente, ela vê uma mãe com um menino no colo, um garoto que não tem mais de dois anos e que usa, uma bandana do Guns and Roses. Por um instante, deseja se casar e até ter filhos. Ela já está passando dos vinte e cinco anos e mesmo que ela nunca tenha sentido essa vontade antes, talvez algum dia, ela queira construir família e se casar com alguém que ela ame de verdade. A atendente chama o casal a frente dela e em seguida, os dois seguem felizes para o corredor de embarque. sente então, uma enorme vontade de estar com , em seus braços, mas logo fica triste ao lembrar que ele está trabalhando e por isso ela não pode estar com ele. Sua vez chega e ela entrega o passaporte para a atendente, que carimba o selo de embarque, liberando sua passagem.
Antes de Finalmente embarcar naquele voo, deseja que um dia, ela possa viver um grande amor e deseja que, tal história seja composta por ela e , o seu galã bem sucedido do mundo dos negócios.
Mas, os romances maravilhosos de Nicholas Sparks e John Green, só existem nos livros e nas péssimas adaptações cinematográficas.
se acomoda em sua poltrona perto da janela e logo pega seu celular, para mandar uma mensagem para Violet e também para , antes do vôo decolar e ela ficar sem sinal.

Conversa do WhatsApp:


: O vôo já está decolando amiga, me espere no aeroporto, que eu estou chegando aí, pra gente virar essa cidade de ponta cabeça. Te amo.
Violet: Ansiosa estou! Não tá esquecendo os óculos escuros, o protetor solar e nem o repelente né amiga? Aqui tá o maior calor, também te amo.
: Claro que não! Duuh! Lembrei de tudo e não esqueci nada, fica tranquila. Até daqui a pouco, beijos.
Violet: Beijocas de pipoca.

Fim da conversa.

sorri com as mensagens da amiga e então ouve que o vôo já está decolando, ela rapidamente abre a conversa de e manda uma mensagem.

Conversa do WhatsApp:

: Oi gatão, o vôo já está decolando, daqui a pouco estarei no Havaí. Vou sentir saudades.
: Oi baby, estou em reunião agora. Boa viagem, nos falamos depois. Se divirta, você merece essas férias.
:
Fim da conversa.

Logo o celular de fica em modo avião e se ajeita na poltrona, colocando seus fones de ouvido, ela liga o shuffle do celular, que começa a tocar uma das músicas sugeridas por Violet, que segundo a mesma, é ótima pra relaxar durante voos longos e que podem ser turbulentos.
Algumas pessoas ainda circulam entre as poltronas, mas as aeromoças já iniciam os protocolos de segurança e orientação. retirou os fones por um instante, para ouvir o que a moça loira diz. Ela, quer ficar atenta a qualquer medida de segurança, pois, vai que o avião resolve cair como naquele primeiro filme da saga premonição que ela assistiu e ficou apavorada. Portanto, para , toda e qualquer segurança é de extrema necessidade. A garota ouve bem o que a aeromoça orienta sobre os cintos de segurança e repetindo a ação, ela aperta bem o cinto contra seu corpo, sentindo-se protegida contra as futuras turbulências.
está colocando novamente os fones e procurando a próxima música, quando percebe alguém se esbarrando na poltrona ao seu lado. De modo rápido e preciso, ela sente algo cair sobre seu colo e imediatamente, sua roupa fica gelada e molhada. Alguém derrubou o copo de suco de uva, que está em sua bandeja, em sua blusa branca, maldição. Imediatamente, ela gira o rosto para brigar com quem fez isso com ela, é então, que seus olhos encontram um par de olhos claros e cabelos iguais as ondas do mar. Mas nem isso, impede sua raiva por tal ação que manchou sua blusa favorita.
— Presta mais atenção, garoto! — Ela esbraveja ao garoto, que por um instante, parece a ignorar. — Tô falando com você, garoto! — se inclina um pouco e cutuca o garoto.
— Oi, falou comigo? — O garoto retira os fones de ouvido e se direciona a ela, que rola os olhos a indiferença dele.
— Falei, você por acaso é surdo é garoto? Você derrubou o meu copo de suco em cima de mim, não está vendo? — aponta para a sua blusa branca, que agora está manchada e o mesmo ri.
— Me desculpe, acabei me atrapalhando em colocar a prancha aqui em cima e esbarrei na sua poltrona. — O garoto encara a blusa de e a mesma se sente um pouco incomodada.
— Você deveria prestar mais atenção no que está fazendo! — O tom de sai irritado e engasgado.
— E a culpa é minha que você não prendeu o seu copo na bandeja ou que ele estava sem a tampa? — O garoto arqueia a sobrancelha e encara , que continua rolando os olhos, irritada.
— Não, mas é culpa sua ser desligado e mau educado. — cruza os braços e também arqueia a sobrancelha.
— Se o destino não é o divertidamente da ironia eu não sei o que é. — escuta a voz do garoto sair em tom de ironia.
— Porque? — Ela o questiona.
— Estamos sentados um do lado do outro. Olha, poltrona F13 e a sua F12. — Um sorriso maroto sai dos lábios do garoto, enquanto bufa irritada.
— Isso só pode ser castigo, só pode! Eu devo ter sido uma péssima pessoa pra merecer isso! — dispara, ainda mais irritada, mas parece, que mais uma vez o garoto a ignora.
— Isso, fica caladinho, assim a viagem vai ser maravilhosa. — inclina um pouco a cabeça e sorri para o garoto.
— Desculpa, o que você falou? — O mesmo também vira cabeça e o olhar deles se encontram.
— Garoto, você é surdo? Duas vezes que eu falo com você e você me ignora. — dispara, olhando atenta para o rosto dele.
— Não é proposital. Eu não sou surdo, não totalmente. Quero dizer, eu perdi sessenta por cento da minha audição direita em um acidente, surfando, há dois anos. Então, me desculpa se pareci estar te ignorando. — A voz do garoto sai calma e tranquila e aquilo a pega de surpresa.
— E mesmo assim, você continua surfando? — Uma curiosidade invade e ela pergunta ao garoto, apontando a prancha do mesmo.
— O mar e o surf, tem seus riscos. Mas esse meu "defeito" nunca me impediu de nada, nem mesmo de ser campeão mundial de surf. — O garoto explica a ela sorrindo.
— Campeão mundial? É claro! Eu sabia que já tinha visto seu rosto em algum lugar! — sorri animada por estar viajando com uma celebridade, que até esquece do incidente do suco.
— Sou eu mesmo! . E você, como se chama? — Ela ouve o garoto dizer enquanto estende a mão para cumprimentá-la.
. — Ela sorri e o cumprimenta.
— Agora que já estamos apresentados, será que você pode me desculpar o lance do suco? Estou mesmo constrangido. — O garoto sorri para ela, que por um instante, viaja naqueles olhos da cor do pecado.
— Claro. Por mim, você tá desculpado. Essas coisas acontecem. — coloca uma mecha do cabelo para trás da orelha e ajeita os fones de ouvido.
— E o que você tá escutando? — O garoto pergunta.
— One Direction. — responde balançando a cabeça.
— Orra, maneiro. Fui vizinho do Louis ano passado, ele tem uma mansão em Kailua, uma praia do Havaí. Ele também é surfista nas horas vagas. — O garoto balança os ombros em resposta ao seu próprio comentário.
— Espera, você conhece os One Direction? Me conta isso direito, garoto! — se ajeita de modo que os dois ficam de frente um ao outro.
— Eu conheço muita gente famosa, . Ser conhecido mundialmente tem suas regalias. — torce os lábios. — Posso te contar sobre quem quiser saber.
— Eu quero, pode contar mais! — dá um tapinha no ombro dele e os dois iniciam uma conversa animada.
O avião decola e quase que instantaneamente, um medo descontrolado de altura, toma conta de que começa a respirar e soltar o ar em um ritmo frenético, enquanto aperta a divisória das poltronas, ela sente como se seu corpo fosse voar pela janela. percebe a inquietação na menina ao seu lado e leva sua atenção até ela, tentando entender, o que leva alguém que tem medo de avião, viajar em um avião. Um sorriso incisivo se instala em seus lábios e ele recebe um olhar de reprovação de , assim que a mesma percebe o sorriso direcionado a ela.
— Tá rindo do que? — Ela pergunta o encarando.
— Tô tentando entender, como que alguém que tem medo de avião, decide viajar de avião. — Ele leva a mão queixo e uma interrogação se forma no meio de sua testa.
— Eu não tenho medo de aviões. Mas acontece que, eu sempre acho que uma tragédia pode acontecer, quando estou viajando e sei lá, desde criança eu tenho esse pavor de viajar, em geral. — percebe uma certa angústia em seus olhos e aquilo bate em seu peito.
— Só controla a respiração, fica tranquila, não vai acontecer nada e o avião não vai cair. Esse medo que você sente, tá relacionado ao instante em que você percebe que não está no controle. Eu sinto muito isso quando estou em um campeonato importante. — segura a mão dela, assim que o avião inicia a decolagem.
— Tô tentando. — Diz , respirando e expirando. — Mas tá difícil, acho que eu não devia ter escolhido a janela. — Ela solta o ar pesadamente.
— Calma, assim que essa pequena turbulência passar, a vista da sua janela vai ser maravilhosa. — pisca para ela que retribui, sorrindo.
Por alguns instantes, desejou que estivesse com ela, talvez aquele medo não fosse só o seu medo bobo de viagens, mas também, um medo de não saber o que ele fará nestes quinze dias em que vão ficar separados. Aquelas férias foram conquistadas com muito suor por , uma vez que seu chefe não dá férias a nenhum funcionário, os fazendo trabalhar os 365 dias do ano. Essas férias, foram uma sorte enorme, já que por ventura ou obra do destino, a esposa de seu chefe está grávida de nove meses e pode dar a luz a qualquer momento. Fato esse, que fez seu chefe dar os tais quinze dias de férias para todos e assim poder ficar ao lado de sua esposa.
E ela queria ao seu lado, mas o mesmo é cheio de trabalho e não pode perder uma semana para viajar de férias. Ainda mais, que eles dois se conhecem apenas há dois meses, então, levando isso em consideração, ela achou melhor nem tocar no assunto de o convidar para a viagem. sabe que é um importante empresário do ramo automobilístico e que não pode se dar ao luxo de viajar de férias. Mas mesmo assim, com esses poréns, ela e são muito apaixonados, pois, isso se deve ao fato deles caírem naquela estatística de casais que se apaixonam logo no primeiro encontro. Ela só não sabe lidar muito bem com o fato de que estará sem ele no Havaí e que ele estará sozinho em Manhattan. Naquele momento, ela sente uma pequena tristeza em seu coração.
Porém, , trata de jogar pra longe esses pensamentos e se concentra em não morrer na decolagem e assim, chegar viva no Havaí, para se divertir com sua eterna e melhor amiga, Violet. Ela prometera a melhor amiga, que não deixaria nada e nem ninguém, atrapalhar aquela viagem das duas, já que elas planejaram a viagem o ano inteiro, somente esperando que tivesse uma brecha em sua vida atribulada como estagiária de Publicidade.
O avião passa a turbulência da decolagem e consegue, pela primeira vez, relaxar seu corpo e apreciar a vista que tem do oceano bem diante de seus olhos. Dentro de cinco horas, ela estará no Havaí, curtindo a praia, a vista dos homens bonitos e curtindo sua melhor amiga, como não fazia há pelo menos dois anos. Pois, desde que começou o estágio na M&W sua vida é só o trabalho e o trabalho, com o acaso dos encontros com .
olha para o lado e vê que está com a cabeça encostada e cochilando, enquanto alto nos fones do ouvido, ela escuta uma música antiga e calma do Guns and Roses, que ela pode identificar como Patience. Um sorriso linear é formado nos lábios do loiro, enquanto o mesmo dorme. Por um instante, ela sente uma curiosidade enorme em saber se ele está sonhando e com o que ele estaria sonhando. ajeita-se na sua poltrona, do mesmo modo que e também coloca seus fones ouvido. Ela aperta o play na música Perfect do One Direction e se recosta, olhando pela janela a vista, que agora ela tem bem clara das nuvens em contraste com o oceano.
O sacolejar do avião na descida no aeroporto de Honolulu, desperta , assim que o mesmo percebe que já chegaram ao seu destino. Anos viajando e cada vez, parece que o tempo diminui entre as viagens. Ele olha para o lado e já não está mais tão inquieta com a aterrissagem, pelo menos, não como estava na decolagem. Os dois se olham e sorriem um para o outro, no mesmo instante, que o avião pousa na pista central do aeroporto.

"Senhoras e senhores, estamos aterrissando no aeroporto nacional de Honolulu, no Havaí. O desembarque é pelo portão G6. Por gentileza, respeitem o desembarque e mantenham a ordem. Tomem cuidado com suas bagagens e com furtos no interior da aeronave ou no saguão do aeroporto. Tenham uma boa noite, companhia aérea Neoteric e sejam bem-vindos ao Havaí, seu paraíso na terra." — É o que a voz da gravação diz assim que o avião encosta no portão de desembarque.

— Eu dormi por quanto tempo? Espero não ter te incomodado. — Diz , levantando-se de sua poltrona.
— Praticamente a viagem toda. Você não incomodou não e foi até fofo, te ver dormindo. — levanta-se também, se posicionando para sair do avião, com sua maleta de mãos.
— Que bom que não incomodei! Isso é um defeito meu, eu não posso entrar em aviões que durmo. — sorri de canto e então pega sua prancha e a mochila de costas, se ajeitando junto a , para saírem do avião.
— Eu com medo de viagem e você dorme assim que o avião decola. Isso é no mínimo, interessante! — o responde, sorrindo.
— Eu sei que parece ridículo, mas, quer anotar meu telefone? Caso queira continuar aquela conversa sobre os One Direction? — Pergunta enquanto caminha ao lado dela para o portão de desembarque.
— Quero sim! Pode falar. — saca o celular do bolso e anota o número de , colocando nos contatos " Surfista Gato".
— Pode me mandar mensagem quando quiser, viu? Tô sempre com o celular na mão! E estou sempre pronto pra conversar! — pisca para ela que ri.
— Tá bom, conta outra! Homem nenhum tá cem por cento disponível! — responde enquanto os dois caminham para o estande de malas.
— Todos os outros podem não estar, mas eu estou, . Eu aprendi, a duras penas que a vida é muito curta pra não se dar atenção a quem merece. — responde, pegando sua enorme mala azul de rodinhas, colocando no seu carrinho de malas.
— Vou acreditar e assim que chegar no hotel, eu te mando mensagem! Quero só ver hein! — dá um soquinho em seu ombro e faz o mesmo que ele, pegando sua mala e colocando no carrinho.
— Você tem alguém te esperando? — Ele questiona.
— Tenho, minha melhor amiga. Que inclusive está ali! — responde agitada apontado atrás dele, onde Violet já a espera com um cartaz escrito "yy".
com três y? — arqueia a sobrancelha e a questiona.
— Brincadeira interna de melhor amiga. E você, tem alguém esperando? — devolve a pergunta.
— Na verdade tenho e ele está ali. Meu irmão mais velho, Trevor. — aponta para um garoto loiro com a placa escrito " , irmão caçula".
— Bom, acho que é tchau ou até breve? ? — Ela o cutucou e então se lembra do seu problema de audição.
— Até breve! — Ele responde e os dois riem, se abraçando.
Os dois se despedem e o vê ir até o irmão, que o recebe com um enorme abraço apertado e então os dois seguem entre as pessoas, sumindo rapidamente. sente seu celular vibrar no bolso e logo vê na tela, um alerta de mensagem de . Seu coração volta a esquentar outra vez, mesmo que por um instante, ele tivesse desejado não sentir isso, pelo menos não agora. Ela abre o WhatsApp e lá está, uma mensagem eu foi enviada logo que o celular dela ficou sem sinal.

Conversa do WhatsApp


: A reunião vai acabar em breve e hoje vai ser uma noite triste, vou dormir sem você. Você mal foi e eu já estou com saudades. Me mande bastante fotos da viagem e diga para a Violet, que estou ansioso para conhecê-la.
: Oi baby, pelo fuso horário aí já são 19h da noite, eu acabei de desembarcar e aqui é mesmo lindo. Já estou com saudades. Pode deixar que falo pra ela e te mando um milhão de fotos. Beijos.
: Visto por último hoje às 10h23.

Fim da conversa


não está mais online desde a última mensagem e ela espera que ele leia a sua resposta, entre uma reunião e outra. Logo a frente Violet a espera, saltitando, pulando e cantando. Exatamente como Violet é quando as duas estão juntas.
guarda o celular e por um instante, lembra-se do que lhe disse sobre o tempo, a vida e dar atenção a quem importa. Naquele momento, Violet é quem mais importa a ela. nesta viagem, será apenas um pensamento e não uma ação.
— Ah, que saudades! — Diz Violet, assim que as duas se aproximam.
— Morrendo de saudades! — responde, abraçando a melhor amiga.
— Quer me explicar o que é isso aqui na sua blusa? — Violet aponta para a mancha roxa na blusa dela e cai na risada.
— Ah, isso, não foi nada! Um garoto desastrado esbarrou na minha poltrona e virou meu copo de suco. — Ela responde balançando os ombros.
— Espero que tenha feito ele engolir o suco depois dessa! — Diz Violet em um tom irônico.
— A culpa foi minha também, então, deixei passar! — balança os ombros mais uma vez.
— Tá, tá, isso não importa. Vamos ao que importa aqui, eu, você, o mar e o Havaí, baby. Pronta para as melhores férias da sua vida? — Violet toma a sua frente e coloca as mãos no ombro da amiga, encarando a mesma, com um sorriso enorme nos lábios.
— Com toda certeza! — responde e colocando os seus óculos de sol, ela e Violet tomam um táxi, em direção ao hotel paradisíaco à beira mar que as duas ficaram hospedadas.
Por um instante, , com seu sorriso divertido e suas covinhas, invadem os pensamentos de e ela tem a total certeza, de que sim, essas serão as melhores férias de toda sua vida.

Capítulo 1

O primeiro dia das férias de , começa quente e com o sol, batendo diretamente em seu rosto, de modo que a mesma acorda imediatamente. Ela se espreguiça na cama e faz uma careta para Violet, que dorme de bruços enquanto baba em seu travesseiro. se mexe e tateia a cama atrás do seu celular, pois, ela precisa registrar esse momento de sua melhor amiga, para que futuramente, ela possa usar em alguma chantagem ou algo assim.
Com o celular em mãos e foto tirada, ela se lembra que esqueceu de mandar mensagem para , como havia prometido quando os dois se despediram no aeroporto. Na tela de seu iPhone as mensagens de Robert já estão lá e um sorriso se forma em seus lábios. se sente bem em saber, que mesmo longe dela, o mais velho lhe dá atenção e se preocupa com seu bem estar e diversão, naquela viagem. Ela responde as mensagens de Robert e então, abre a conversa de no WhatsApp. Como boa curiosa que é, ela abre a foto de contato dele e algo lhe causa uma certa estranheza. A foto deles é ao lado de uma menina, morena e de olhos negros. Na frase do perfil, dizia algo como "o eterno momento que precede um oi e um adeus é uma linha frágil e corruptível."
Aquilo, faz o coração de apertar em seu peito, aquela menina parece ser importante para e sua curiosidade, fala mais alto. Ela precisa saber quem ela é, mesmo que isso machuque, ela precisa saber. abre a conversa dele mais uma vez e manda uma mensagem.

Conversa do WhatsApp.


: Oi, bom dia. Sou eu, yy.
: Bom dia, sunshine. Dormi com o celular na mão, esperando sua mensagem.
: Você é bom! Nessa você mandou muito bem! 👏
: E aí, quais os planos pra hoje?
: Tô esperando a Violet acordar, ela tá dormindo feito pedra. Mas, eu acho que vamos para a praia mesmo, ficar por lá, passear e almoçar mais tarde.
: Tenta passar pasta de dente no nariz dela, que ela acorda rapidinho! 😂
: Uh! Como você é malvado! 😈
: E quanto tempo você pretende ficar aqui de férias?
: Vou ficar os quinze dias que eu tenho de férias. Prometi pra Violet.
: 15 dias dá pra fazer uma viagem inesquecível. Se você me aceitar como guia turístico, posso me responsabilizar por isso.
: Falo por mim e pela Violet que aceitamos. Vamos precisar de um guia por aqui, mesmo.
: Fechado! Me manda o endereço do seu hotel que chego aí em meia hora.

Fim da conversa.


passa o endereço do hotel a e trata de acordar Violet o quanto antes, pois ela quer aproveitar, cada segundo das suas férias, da melhor maneira possível. O dia está quente, ensolarado e o mar chama pelas garotas.
A garota abre a mala e escolhe um dos seus biquínis favoritos, com uma estampa de flamingos, que ela comprou pela internet, de uma loja especializada no Brasil. se olha brevemente no espelho e resolve, pela primeira vez, mandar uma foto mais ousada para Robert. Ela abre a câmera e em seguida, a foto é enviada para Robert, junto de um emoticon ousado.
Mas nenhuma resposta chega, e o visto por último é às três da manhã. Fato que causa uma certa frustração em , mas a mesma releva, já que Robert é um homem ocupado e reuniões são seu café da manhã. Por este motivo, ela decide não deixar essa angústia lhe consumir. sabe que, assim que chegar de volta em Manhattan, os dois vão ter a oportunidade de estar mais próximos e irão matar a saudade. E alguns dias, longe de seu empresário gostosão, vão servir para aumentar ainda mais o desejo que sentem um pelo outro.
O saguão do hotel está bem cheio e várias pessoas passeiam por ali, com seus amigos e familiares. Violet caminha irritada ao lado de , já que a mesma a fez acordar e estar pronta em menos de dez minutos. A irritação da menina é justificável, uma vez que sabe do mau humor que a amiga tem quando é obrigada a acordar cedo. E é cedo, para Violet, dez horas da manhã é cedo. As duas caminham abraçadas pelo saguão, reparando em cada garoto bonito que passam por elas. Um daqueles garotos passa por elas, segurando uma prancha e Violet até abaixa os óculos de sol, para assim ver melhor a bunda do garoto no short de lycra de surfista e assim que vê, ela assobia ao perceber que aquela é uma bunda maravilhosa. dá risada da atitude da amiga e logo a frente, seus olhos avistam o dono dos cabelos que lembram as ondas do mar e dos olhos que lembram a cor do oceano. Escorado no balcão de informações, as vê se aproximarem dele e repara no sorriso em seus lábios, com as covinhas do lado. Por um momento, ela se amaldiçoou, por estar prestando tanta atenção assim.
— Oi, . — diz assim que os dois se encontram.
— Bom dia, sunshine. Essa é a famosa Violet? — diz e aponta para Violet que fica com o rosto vermelho.
— Ela mesma! Violet, esse é meu amigo, , ele será o nosso guia de viagens. — aponta para e Violet arruma sua posição, agora menos envergonhada.
— Você não me falou nada dele, . E não me falou que ele era tão gato assim, nem tive como me preparar pra isso, tô um bagaço. Te odeio! — Violet sussurra para , que ri outra vez da melhor amiga.
— Não precisa disso tudo, Violet! Depois eu te conto tudo que queira saber, mas agora, eu quero aproveitar meu primeiro dia de férias! — responde a melhor amiga, apontando com a cabeça.
— Tem razão! Vamos aproveitar nossas férias e aproveitar esse guia turístico que é um gato! — Violet pisca para ela e as duas caem na risada.
— Estão prontas, meninas? — questiona as amigas que sorriem para ele.
— Mais prontas do que nunca, ! Vamos lá, me mostre o Havaí que você conhece. — diz animada e os três riem ao mesmo tempo.
— Será um prazer mostrar a minha casa para vocês! — O garoto pisca para e no mesmo instante, ela sente um arrepio em sua nunca. Violet completamente aleatória naquele momento, apenas balança a cabeça, sabendo que está sobrando.
Os três seguem pela enorme praia de Malua, uma das melhores e mais bonitas praias do Havaí. Uma enorme extensão de areia clara e limpa, de um mar tão azul que os olhos de são meros coadjuvantes, de uma paisagem tão linda e paradisíaca, que pode ser facilmente comparada aos cenários de filmes de comédia romântica de férias que são produzidos pela Netflix. Uma praia agitada, com uma enorme circulação de pessoas, o tempo todo. De grande restaurantes, lojas e hotéis. Malua, é com toda certeza, a melhor demonstração do paraíso na terra.
Violet pega sua câmera profissional da bolsa e começa a dar cliques em tudo que vê. Em um certo momento, ela vê algumas estrelas do mar na areia, então, começa a fotografar cada detalhe que seus olhos e lentes conseguem capturar. Perto de uns coqueiros, enormes, ela pede que se posicione abaixo de um deles, para que ela possa começar a tirar fotos da amiga naquela viagem. é muito tímida com as câmeras, mas aceita o convite da amiga, apenas para agradar a mesma. Violet a orienta fazer algumas poses engraçadas, como por exemplo, abraçando o coqueiro, fazendo piruetas ou caretas, importando apenas, que sejam poses engraçadas. Violet tira um monte de fotos da amiga, mas ainda acha, que não são fotos suficientes, então uma ideia um tanto ousada, surge em sua cabeça criativa.
— Você, , vai ali com a . Se vamos registrar cada momento dessa viagem, vamos registrar direito! — Violet aponta para os dois, sorrindo.
— Eu? Tem certeza disso? — olha para Violet e aponta para si mesmo.
— Amiga, eu acho que o não gosta de ser fotografado! — faz uma careta meio tristonha.
— Vai lá , para de ser tímido! Você tem cara de tudo, menos de ser um cara tímido. Vamos lá, eu quero tirar muitas fotos dessa viagem. — Violet bate os pés irritada enquanto olha para os dois.
— Tá bom, eu vou! Você venceu, Violet! Mas hein, capricha nessas fotos, que eu não tô acostumado a sair feio nas fotos. — lança um sorriso divertido para Violet que não entende nada.
— Você é bem convencido não é? — dá um tapinha em seu braço, assim que ele se posiciona ao lado dela.
— Mais do que imagina. — sussurra no ouvido de , que se arrepia inteira com aquilo.
Violet aproveita e tira uma foto daquele momento, sabendo que um dia, sua amiga vai lhe agradecer por ela ter registrado um momento tão fofo e inusitado com aquele gato do .
— Isso, agora façam algumas poses legais para que eu possa fotografar! — Violet se abaixa um pouco e pede que os dois façam poses juntos! — Isso, , pode abraçada a que ela gosta!
— Espero que essas fotos tenham ficado boas, hein Violet! Vou querer uma cópia de cada uma delas depois. — Diz , assim que Violet sinaliza que já acabou de tirar as fotos.
— Eu sou uma excelente fotógrafa, se quer saber! — Violet diz em tom de provocação.
— É verdade, , a Violet é uma das melhores fotógrafas que eu conheço. — sorri e então engata seu braço ao do loiro, em um momento completamente inusitado.
— Se isso for verdade, posso te arrumar um emprego com o meu agente de publicidade. — Diz , sorrindo para as duas.
— Ah, até parece que você que é algum tipo de cara fomos né? Pra ter um agente de publicidade? — Violet diz e faz umas aspas com os dedos.
— Na verdade… — ensaia dizer algo, mas no mesmo instante, alguns garotos se aproximam. Os meninos fazem uma roda em volta dele e em seguida, pedem autógrafos ao loiro, que sorri agradecendo o reconhecimento.
puxa Violet de perto do , que fica sem entender nada e sem entender, como que a melhor amiga conhece alguém famoso e nem lhe contou nada. Ela explica, brevemente, a Violet o que aconteceu e como ela conheceu no avião e também resumiu o fato dele ser um surfista campeão mundial e de ser famoso por isso. E por um breve momento, Violet acha a maior graça a melhor amiga dela estar flertando com um surfista que é um gato, e ainda por cima, solteiro e famoso.
O próximo ponto do passeio é uma das pedras centrais da praia, onde alguns turistas já tiram fotografias. O lugar é mesmo lindo e de cima da pedra principal, é possível ver todo o oceano. sobe primeiro e então segura a mão de , a ajudando a subir também. Violet é a próxima e então, os três sobem na maior pedra, ficando um pouco mais isolados dos outros turistas. Violet decide ir um pouco na outra ponta para fotografar algumas algas marinhas e siris que tem por ali. e sentam-se um ao lado do outro, de frente para a imensidão azul que invade seus olhos. Os dois encaram concentrados o vai e vem das ondas batendo nas pedras e acha aquilo maravilhoso.
— E aí, tá gostando por enquanto do passeio? — questiona a menina que parece estar bem concentrada no movimento das ondas.
— Estou sim! Esse lugar é mágico, com toda certeza. — afirma, agarrada aos joelhos ela encara o rosto de .
— Ei, vocês dois! Eu vou descer pra fotografar melhor algumas coisas perto da água, ok? — Avisa Violet, que olha pra eles tapando o sol com as mãos.
— Precisa de ajuda para descer? — pergunta.
— Não precisa não amiga, fica tranquila, eu me viro! — Violet responde e em seguida, ela desce pela lateral da pedra, até a areia.
— Ela é uma amiga bem legal, não é? — pergunta a , assim que Violet some de suas vistas.
— Ela é sim! Nos conhecemos desde o jardim de infância, crescemos juntas, nossas famílias são amigas! — Responde , voltando sua atenção as ondas do mar.
— Desculpa me intrometer, mas, quantos anos você tem? — arqueia a sobrancelha e a questiona.
— Estou na idade mais confusa da vida, estou na casa dos vinte e sete. E você, qual a idade desses cachinhos? — responde e faz uma careta divertida.
— Sou bem mais novo do que você, isso eu posso garantir. — A expressão no rosto de muda de repente, o que faz ficar confusa.
— Hum, não vai me responder então? Você é bem misterioso, senhor surfista campeão mundial. — responde em tom de ironia e os dois caem na risada. — Poxa, não vai mesmo me dizer?
— Eu gosto de um pouco de mistério, . Vou deixar essa pra você adivinhar! — balança os ombros, a empurrando um pouco para o lado.
— Vamos fazer uma aposta? Você não me conta nada e não dá nenhuma pista. E eu aposto que se só de te observar eu descubro sua idade. Apostado? — o desafia e aquilo cria um clima diferente entre eles.
— E como que isso vai funcionar? — Ele a questiona.
— Eu vou te observar até o fim do dia. Se eu acertar sua idade e ganhar, você me paga uma bebida mais tarde. E se eu errar e não acertar, eu te pago uma bebida. — responde sorrindo.
— Gostei. Apostado então! — aperta a mão dela e os dois selam a aposta.
Por um instante, sente-se atraído pela garota ao seu lado. O sorriso dela é divertido e o humor dela é ácido e desafiador, exatamente do jeito que ele gosta. O olhar dela recai sobre ele como um raio e ele não consegue evitar encarar aqueles lábios tão lindos. As ondas continuam a bater nas pedras, fazendo um som gostoso aos ouvidos dele, mas, o único som que ele se permite ouvir naquele momento, é o som da voz provocativa de , que invade seus ouvidos como uma brisa leve do oceano. Nunca antes, ele se sentiu tão atraído assim por alguém, nem mesmo pela sua ex namorada, a doce e determinada Emily, que hoje era só apenas uma lembrança em seus pensamentos. A garota dos cabelos que o fazem se lembrar de uma manhã ensolarada e dona de olhos tão expressivos, agora invade seus pensamentos, ocupando o lugar que durante muito tempo, pertenceu a Emily. não contou, mas, ele passou a noite toda acordado esperando a mensagem dela. Ele não mentiu quando disse que estaria disponível para ela. Na sua visão, merece cada minuto de dedicação e disponibilidade.
é um garoto romântico, que ama, que sente e que sabe que quando o amor chega, é pra ser sentido e demonstrado. Que o amor não espera e que nunca, jamais, pode ser trocado por outro sentimento. Ele sabe disso, porque, ele amou Emily, amou ela cada dia de sua vida e amou ainda mais depois de sua partida. Ela lhe ensinou a sorrir, a chorar de emoção, a controlar a raiva e a tristeza e também o ensinou a nunca desistir, a sempre correr atrás de seus sonhos e objetivos. E é muito grato por ter aprendido isso com sua eterna Emily Prior. Hoje, a menina é apenas uma lembrança e isso jamais será esquecido. Quem sabe, depois desses quinze dias, fique em seu coração. Pois assim, ele terá certeza de que agora, ele pode finalmente se abrir para amar alguém novamente.
Com a aposta feita, ele tem um motivo real para ter um encontro sozinho com ela, de verdade. está confiante que se ficar sozinho com ela, será capaz de demonstrar que ele é bem mais do que a diferença de idade que os separa. O garoto só espera, que ela não o rejeite após descobrir o quão mais novo ele é. A única certeza que ele tem por enquanto, é de que, mesmo com uma possível rejeição, ele não irá desistir fácil de . não é acostumado a desistir e muito menos a perder, ele é um lutador e um vencedor. Por isso, a luta para ele é um mero atrativo até alcançar seu objetivo final. E seu objetivo, até o fim da noite, é beijar aquela boca tão linda e atrativa de .
— Olha, pode parecer estranho, mas, você gostaria de me acompanhar em um evento mais tarde? — Diz assim que eles chegam de volta ao hotel.
— Um evento? Não sei, eu e a Violet combinamos de ficar por aqui na praia mesmo… — o responde com um sorrisinho de canto.
— Não seja por isso, amiga. Pode ir, tranquila! Eu vou ficar bem sem você, vai se divertir com o surfista gato! — Violet diz a amiga enquanto as duas trocam olhares cúmplices.
— Você já conquistou até a minha melhor amiga, hein? Como isso é possível? — olha para ele e coloca as mãos na cintura.
— É o meu charme, . Eu conquisto todo mundo que está a minha volta. — O sorriso nos lábios de é desafiador e convencido.
— Quem disse que você me conquistou? Hein? — Ela o conforta e ele sorri.
— Ainda não! Mas vou te conquistar! — Ele garante e sussurra ao ouvido dela, fazendo seu corpo todo arrepiar. — Mas e aí você vai comigo ou não?
— Aí tá bom, eu vou! Mas me promete que não é nenhum daqueles eventos chatos com gente chata? — o questiona.
— Eu prometo. — leva os dedos em forma de x aos lábios e sorri. — Você vai curtir, tenho certeza. E aliás, você tem uma aposta em jogo, se lembra? E esse evento de hoje a noite, pode te ajudar a adivinhar a minha idade.
— Verdade, você tem razão. — encara seu rosto com um sorriso contente nos lábios. — É hoje que eu bebo o bar inteiro desse evento e de graça ainda por cima. — Ela rodopia no lugar enquanto sorri contente.
— Esse é o espírito! Mal posso esperar pra ter ver quando está bêbada. — sorri e por um instante uma conexão surge entre eles.
— Alô! Terra chamando o casal. — Violet estala os dedos e os dois olham para ela, enquanto sorriem em um tom engraçado.
— Nós não somos um casal! — Eles respondem juntos.
— Por enquanto! — Diz Violet. — Não dou até o final dessa viagem pra que vocês estejam apaixonados. — Um sorriso se forma nos lábios de e sente um calor repentino, mas, no segundo seguinte é atingida pela lembrança de Robert e seu corpo todo fica tenso.
— Ei, que foi? — a cutuca assim que percebe a mudança em seu olhar.
— Não foi nada não! Que horas você passa aqui pra gente ir? — pergunta a ele e muda o assunto.
— Pode ser às 18h? — pergunta, sorrindo.
— Pode sim! Me manda mensagem quando chegar! — responde olhando atenta para aqueles olhos tão marcantes.
— Aviso sim, . E obrigada por aceitar me acompanhar.
— Eu que agradeço pelo convite e pelo passeio de hoje. Eu adorei! — A garota diz sorrindo e inclina-se, beijando a bochecha de em forma de agradecimento.
— Até mais tarde, . — Diz , sentindo cada parte de seu corpo se esquentar aquele pequeno toque de suas peles.
Novamente, sente-se atraído pela linda e sorridente, . Mas, no fundo de seu coração, ele sente que algo estranho está rondando os dois, como se fosse uma sombra ou algo parecido. Por um momento, ele teme o fato de já ter alguém em sua vida, pois assim, ele não terá nenhuma chance. até tenta não pensar muito nisso, mas a sensação se instala em seu peito, como erva daninha. Ele não quer nem pensar no que fará, caso a já tenha alguém especial em sua vida. O garoto sabe, que se isso acontecer, ele não poderá fazer nada e terá que aprender que às vezes, o amor não vem com tanta facilidade e que quase sempre, é preciso lutar em nome do amor. tem uma missão, até o fim daquelas férias, que é conquistar a garota que invadiu seus pensamentos e sonhos. E para isso, ele usará todos os recursos que puder.
Ele se despede de e da amiga Violet, com um fio de esperança crescendo em seu peito. E ele sabe, que pelo menos mais tarde, no evento organizado por sua companhia publicitária, ele terá a chance de ficar ainda mais perto dela. Aproveitando cada minuto para fazê-la se apaixonar por ele.
só precisará se esforçar um pouco, mas quanto a isso, ele irá tirar de letra. Ele já é acostumado a lutar por tudo que deseja.
— Você tem certeza que vai ficar bem sozinha? — pergunta assim que ela e Violet sobem para o quarto do hotel.
— Tenho sim, . Amiga, eu sei que a gente prometeu ficar juntas essas férias toda, mas, não é todo dia que um gato daqueles aparece e te chama pra sair com ele! Você merece se divertir com ele, pode ir tranquila! — Violet se vira de frente e coloca as mãos no ombro da melhor amiga.
— Bom, se está tudo bem pra você eu te deixar aqui pra sair com ele, eu vou sim! Mas quero pedir desculpas, eu não planejei nada disso, juro! — O olhar carinhoso de recai sobre Violet, que sorri compreensiva.
— Eu sei que não! Mas eu repito, você merece se divertir nessas férias. E se for pra você se divertir com o , que seja. Você tem que voltar para Manhattan descansada e feliz e não se culpando por não ter aproveitado! — Violet diz a amiga enquanto se prepara para tomar banho na banheira enorme do quarto delas.
— Tem o também! — Violet torce os lábios. — Eu sinto que sei lá, eu possa estar traindo ele de alguma forma. — cruza os braços e sua voz soa nervosa.
— Aí, . Olha só, você só conhece esse há um mês e pouco, nem dá tempo pra ser considerado traição. Vocês ainda estão se conhecendo, não tem porque ficar com essas caraminholas na cabeça, não! — Violet para na porta do banheiro e encara a melhor amiga.
— Eu não sei Violet, sério. O tem sido bem legal comigo e todo carinhoso, ele tem me mandado mensagem desde que cheguei e eu mal tô respondendo ele. Não sei, acho que vou cancelar esse encontro com o . — responde e pega o celular em mãos.
Antes de mandar qualquer mensagem o alerta com a foto de chama sua atenção na tela. "Estou ansioso para mais tarde" é o que diz o aviso da mensagem dele. forma um sorriso discreto nos lábios ao ler aquilo.
— Mas nem pensar! Você não vai desmarcar nada, garota! Você e o não são comprometidos um com o outro, então, não devem explicações um ao outro. Você vai a esse encontro, sim! E vai se divertir pra caralho! — Violet toma o celular da mão de enquanto fala em um tom bravo e ao mesmo tempo, divertido.
— Tá bom, tá bom! Eu vou, você me convenceu. — responde, jogando as mãos pra cima em forma de rendição.
— Você vai mesmo. E não vai ficar pensando em nenhum e muito menos em Manhattan. Hoje você vai se divertir pra caralho! — Violet coloca o celular na bancada do carro e volta para o banheiro.
— Você tem razão! Eu tô aqui pra me divertir e pra esquecer de Manhattan e dos meus problemas! — grita para amiga assim que ouve o barulho da água ligada.
— E o é uma ótima distração, tá ouvindo? — Violet diz a ela se apoiando no batente da porta. — E por favor, use o vestido preto justo que você trouxe. Fique linda e sexy pro seu surfista gatão gostosão! — Ela pisca para amiga e em seguida entra na banheira.
Mas, antes de tomar qualquer decisão definitiva sobre sair ou não com por si mesma, decide tentar algo para realmente ter certeza do que vai escolher. Ela pega o celular e liga para , com um fio de esperança que ele peça para ela desistir de sair com o , dizendo que ele está apaixonado e que não quer a ver com mais ninguém. É isso que ela espera que aconteça, mas, o que recebe como resposta, é a gravação da caixa postal de . Isso faz com que ela fique um pouco decepcionada, pois apesar, de todas as reuniões e tempos atribulados de , ela realmente achou que pelo menos a sua ligação seria atendida. pondera a decisão um pouco, mas, opta por ouvir sua melhor amiga e ir aproveitar a noite ao lado de .
respira fundo e então pega da sua mala e tal vestido preto. Segurando em mãos, ela tem a total certeza de que aquela noite será inesquecível, tanto para ela, quanto para .

🏝️🏝️🏝️


O lugar onde acontece o evento, é em uma praia um pouco mais afastada e típica do Havaí. Com várias Palmeiras e areia branquinha, fora também os inúmeros quiosques que tem a beira-mar. A enorme faixa com luzes piscando em volta, diz que é ali que está acontecendo o trigésimo encontro anual de surfistas deficientes auditivos. E ao ver que aquele evento, é mesmo importante para , ela se sente ainda mais certa de sua decisão. Uma vez que ele está tentando a incluir em seu mundo.
Várias pessoas circulam pela pista de dança que está montada bem ao centro da praia. No fundo, um DJ bem conhecido, toda uma playlist de músicas calmas e praianas. Por um instante, pode jurar que o DJ em questão é o Alok, mas, ela não teve muito tempo para conferir se era ele mesmo, pois no instante seguinte, ela sente a respiração de próxima a sua nuca e seu corpo todo entra em transe.
— Será que essa linda garota, me dá a honra de uma dança? — sussurra próximo ao ouvido de e percebe que ela se arrepiou toda com seu gesto.
— Mas é claro! Eu aceito dançar com você. — responde com um sorriso e os dois caminham até a pista de dança.
— Acho que eu devo dizer que você está maravilhosa nesse vestido! — posiciona suas mãos na cintura de e os dois começam a balançar seus corpos, no ritmo calma da música.
— Achei que você não ia reparar em nada. Geralmente, os homens nem ligam para a roupa que estamos usando! — Os dois iniciam uma dança e percebe um sorriso discreto nos lábios de .
— Ah , eu já te disse que não sou como os outros homens. Pelo menos, não com os que você tem conhecido, hein. — a rodopia na pista de dança e então o DJ troca a música.
— Não acredito! — diz boquiaberta assim que "The Time Of My Life" começa a tocar. — Dirty Dancing, é sério?
— Isso é culpa minha! Cobrei um favor do DJ e pedi pra ele tocar essa música assim que a gente entrasse na pista de dança. — Novamente, sussurra próximo a sua orelha e ela se arrepia inteira.
— E por que? — encara aqueles olhos da cor do oceano e o questiona.
— Isso não tá claro pra você, não? Porque eu tô querendo te conquistar. — Um sorriso se forma em seus lábios e fica olhando pra ele, confusa e admirada com aquela atitude.
— E porque me conquistar? Porque eu? — Ela arqueia a sobrancelha e continua encarando o rosto de a sua frente.
— A pergunta certa é, porque não você? Você é perfeita, . — responde olhando diretamente nos olhos de e ela nem consegue piscar.
— A gente mal se conhece, . Como você pode saber? — Ela volta a questionar enquanto seus corpos balançam no ritmo da música.
— E desde quando a gente precisa conhecer a pessoa a vida toda para saber que ela é a pessoa certa? — responde com o rosto próximo ao dela.

— Você tem razão e eu tenho que admitir, que essa foi uma jogada de mestre, hein. Eu amo Dirty Dancing. — Ela pisca para ele e os dois sorriem juntos.
— Então me deixa te conquistar, . Pode ser que nunca dê em nada, mas pelo menos, me deixe tentar. — escuta aquilo e seu coração remexe dentro de seu peito. Nunca antes ela tinha escutado palavras tão bonitas assim, nem mesmo de .
— Eu deixo! Vamos ver até onde isso vai dar. — Ela responde, sentindo seu coração ficar eufórico.
— Então, coloca um sorriso nesse rosto lindo e vamos dançar. Eu quero aproveitar minha noite ao seu lado. — segura a mão dela e os dois começam a dançar novamente.
— Acho que estou bem próxima de descobrir a sua idade. — diz a ele e tomba a cabeça, encarando seu rosto.
— Estou ansioso pra saber se ganhei ou não esse desafio. — responde olhando para ela, que sustenta um sorriso convencido nos lábios.
O evento segue com bastante animação e com toda elegância que um evento daqueles merece. sente-se no paraíso com tantas pessoas bonitas, famosas e inteligentes passando por ela, a cumprimentando. passeia entre todas aquelas pessoas, sendo reconhecido por todos é claro. E consegue ver, mesmo que de relance, o sorriso em seus lábios direcionado a ela.
Ela vai até o balcão de bebidas e imediatamente, pede ao barman, um cosmopolitan. A noite está agradável e o clima quente e gostoso, o que é ideal para aquele drink em questão. se recosta no balcão e então observa todas aquelas pessoas, famosas e do círculo do surf a qual pertence. E por um instante, sua mente travessa mergulha em pensamentos e vaga para o ponto em que ela não sabe quase nada sobre ele. Isso a faz ficar ainda mais curiosa em descobrir tudo que for possível sobre e todo aquele mundo de glamour e pessoas bonitas, a qual ele pertence.
está tão concentrada em sua bebida enquanto espera conversar com todas aquelas pessoas, que nem percebe a mulher que senta ao seu lado. A morena, alta e de cabelos encaracolados a observa fixamente, como se estivesse a estudando ou algo parecido.
— Você veio com o , não é? — A mulher pergunta, atraindo toda a atenção de .
— Vim sim. — esboça um sorriso e responde a mulher.
— Você tem sorte, sabia? O é um menino bacana e que passou por uma barra. Achei bem legal ele ter conseguido trazer alguém esse ano. — vê a morena pedir uma bebida enquanto as duas conversam.
— Você o conhece? — a questiona.
— Praticamente a vida toda. Eu sou namorada do irmão mais velho dele, o Rust. — A morena responde enquanto bebe o seu Mojito.
— Ah sim. Prazer, eu sou a . — Ela responde e estende a mão em forma de cumprimento.
— Eu sou a Nala. — A morena responde sorrindo. — Não o deixe escapar e assim que puder, peça a ele pra te contar tudo. O precisa desabafar. — Nala conclui sua fala e então se levanta do bar.
— Obrigada pela dica! Vou tentar fazer isso sem estragar tudo. — a responde, erguendo sua taça em forma de brinde.
— Te garanto que o vale muito a pena! Agora tenho que ir, nos vemos por aí, . Foi um prazer te conhecer. — Nala bate a mão no ombro de e então desaparece entre as pessoas.
Algo dentro dela diz que aquilo é sinal de que ela e terão uma história, que tudo aquilo, desde quando se conheceram até aquele momento fora um sinal que o destino os queria juntos. Ela só não sabe o porquê, ainda.
o vê com algumas pessoas e então sorri de volta para ele, que se despede dos seus colegas e vai até onde ela está, perto do bar. O olhar deles se encontram no meio de todas aquelas pessoas. E novamente, pode constatar que aqueles, são os olhos mais lindos que ela já conheceu em toda sua vida.
— E aí, tá gostando da festa? — pergunta a ela assim que chega do seu lado.
— Estaria gostando mais se a minha companhia estivesse comigo. — arqueia a sobrancelha e o responde.
— Peço desculpas, o pessoal sempre me prende nessas conversas intermináveis quando o evento acontece. — junta as mãos e pede desculpas a ela, que sorri.
— Eu te desculpo se você topar da gente sair daqui e ir lá para a beira da praia. E aí, topa? — olha para ele e então abre o seu melhor sorriso.
— Nem precisa pedir de novo! — segura a mão dela e os dois saem do evento em direção a praia.
A lua no centro do céu, entra em contraste com as águas do mar, calmas e oscilantes. Naquela noite, as ondas são quase inexistentes e isso traz uma certa calmaria para os dois, que caminham na beira-mar. A praia está praticamente deserta, o que é algo bem raro, ainda mais para uma noite de verão, onde os termômetros marcam a casa dos trinta graus. As únicas pessoas que caminham por ali, neste horário, são e , que agora, parecem estar presos em seu próprio paraíso particular.
O vento bate no rosto de , de modo que seu cabelo voa de um lado para o outro e , começa a prestar bastante atenção nos trejeitos da garota. Com certeza, ele está se apaixonando e isso agora, pode ou não ser um perigo. Só vai depender da decisão da lua ou das estrelas. Terem fugido do evento, foi a coisa mais rebelde que os dois já fizeram em suas vidas e isso, causa um certo furor neles, mas também, causa uma sensação boa de liberdade. De algum modo, bagunçado e grotesco, eles estão juntos e isso é tudo que importa. Pelo menos para , já que para , tudo ainda é um grande embolado de sensações e conflitos internos.
Mas, naquela noite em especial, ela sente que muitas coisas irão mudar.
— Eu acho que já sei a sua idade. — se pronuncia entre o som das ondas do mar.
— Ah é? Então vamos lá, me diz aí qual a minha idade, senhorita detetive? — O tom de diversão na voz de é bom recebido por , que sorri convencida.
— Eu analisei bem, todas as circunstâncias. Então, levando em consideração que você era o único naquele evento, que foge dos empresários, que conhece o DJ e que pelo que ouvi, é o surfista mais novo a ganhar o circuito Havaí de surf, eu consegui chegar a minha conclusão. — Ela caminha de frente a ele, que fica encarando seu rosto.
— Então, , qual é o seu veredito final? — O sorriso nos lábios de a faz ficar ainda mais presa nele.
— Eu diria algo entre os 19,21 anos. Acertei? — abre um sorriso ainda mais convincente enquanto continua caminhando de frente a ele.
— Acertou! Eu tenho 19 anos, . Ou seja, sou muito novo para estar aqui com alguém como você, não é? — ergue seu olhar para o rosto dela e sente novamente um arrepio.
— Claro que não! Eu nunca te afastaria por causa da sua idade… — responde, parando onde estão, ela vai até ele e segura suas mãos.
— E porque eu sinto então, que você vai me afastar de você? — Os olhares deles se prendem por um instante.
— Não é pela sua idade, isso eu garanto. Acontece que, eu tenho uma pessoa em Manhattan, um cara que eu conheço a pouco tempo. Mas, que eu tenho um certo sentimento. — O sorriso confuso nos lábios de , chama a atenção de .
— Ele é seu namorado? — Ele a questiona, tentando não expressar seu nervosismo.
— Eu não sei. Nós nos conhecemos tem mais ou menos um mês, mas, ainda é cedo pra dizer se estamos namorando ou não. Desde que eu cheguei aqui, que eu estou com essa dúvida rondando a minha cabeça. — Novamente, percebe uma confusão estampada naqueles olhos tão lindos.
— Olha, , eu não vou esconder que eu tô sim me sentindo atraído por você. Não vou negar isso, mas, se você achar melhor a gente parar por aqui, eu vou entender e não vou continuar com isso. — aproxima o rosto ao dela e os seus narizes ficam bem próximos.
— Você não precisa desistir de nada, . Mas também, eu não quero apressar nada, entende? Estar aqui e estar com você, parece, da maneira mais estranha possível, algo mágico. — responde sorrindo enquanto sente a respiração de bater em seu rosto.
— Tá bom então. Não vou te prometer nada, porque eu odeio promessas. Mas, te garanto que, mesmo que isso aqui não dê em nada no final, você irá ganhar um amigo pra vida toda. — A voz de sai mais alegre enquanto ele brinca com uma mecha de cabelo dela.
— Tenho certeza que sim! E vai ser ótimo ter a sua companhia durante essas minhas férias. — o responde, sentindo algo bom com aquele carinho.
— Se depender de mim, você vai ter a minha companhia não só na suas férias e sim, todos os dias da sua vida. — se aproxima um pouco mais e beija a sua testa em um gesto carinhoso.
— Confesso que tô ansiosa pra saber como é ter como companhia e também como amigo. — Os dois se afastam um pouco e o rosto de fica todo iluminado pela lua.
— Você vai descobrir que é a melhor coisa do mundo. — fica ainda mais bobo ao ver sua beleza iluminada pela lua.
— Já descobri que você é bastante conhecido. Mas, eu acho que tem alguém aqui que me deve uma bebida, não é? — responde a ele enquanto rodopia em círculos em volta dele.
— Pois é. Será que posso te pagar uma bebida, sunshine? — estica a mão para ela segurar.
— Pode sim, gatinho! — joga a cabeça para trás e rindo ela aceita o convite dele.
Segurando a mão de , os dois correm pela areia em direção a um quiosque aberto, que tem a fachada toda em folhas de palmeiras e um letreiro em neon. Antes de chegarem no bar, o celular de toca e a chamada recebida é de , e pela primeira vez, ela aperta o recusar e desliga a chamada.
Naquele momento, seu coração está dividido, mas tudo que ela sabe é que depois dessa noite, nada será como antes e ela já não tem mais a certeza de que seu coração seja mesmo do . Talvez, ela tenha encontrado o dono de seu coração nas areias do Havaí, ou talvez ele ainda esteja com o em Manhattan.
Isso ela ainda não tem como saber, tudo que ela sabe agora é que sim, as ondas do mar no olhar de a atraem de uma maneira absurda. Tudo que precisa agora é tentar entender e compreender quem será em sua vida?
Será ele seu amigo, sua alma gêmea ou o seu grande amor?



Continua...



Nota da autora: Oi fanfiqueiras, como vocês estão? Esse primeiro capítulo é uma coisa tão maravilhosa que eu nem sei colocar em palavras. Mais uma vez, espero que vocês estejam gostando do desenrolar da história. Não esqueçam de comentar e também, aproveitem para entrar no grupo do Whatsapp e para me seguir no instagram, espero vocês lá!
Bebam água e nos encontramos na próxima atualização.



Outras Fanfics:
Espinhos (Shortfic - Romance - Drama - Orginais)
Sem Querer Amei Você (Shortfic - Romance - Originais)
Massacre em Haddonfield (Shortfic - Terror - Originais)
Chelsea (Originais - Restrita - Romance - Policial - Em Andamento)
Stay Alive - Jogo Mortal (Originais - Restrita - Terror - Fantasia - Em Andamento)
Ligados Pelo Amor (Originais - Restrita - Romance - Drama - Em Andamento)
Do Abismo A Luz (Originais - Romance - Restrita - Finalizadas)


comments powered by Disqus