free web counter
Última atualização: 11/11/2022

Página Inicial | Capítulos Anteriores

Septuagésimo Terceiro Capítulo - You Belong With Me

chegou no trabalho já sentindo as habituais pontadas que estava sentindo desde a semana passada, porém hoje elas estavam mais fortes e ela sentia até calafrios com as pontadas na barriga. Com dificuldade ela desceu do carro e caminhou até o elevador encontrando com Jimin lá. Ele arregalou os olhos quando viu a palidez da amiga e então a amparou enquanto eles subiam. Correu com para sua sala, e a sentou em sua cadeira. Chloe já estava lá e também se assustou com a cena.
- , está me ouvindo? - Jimin segurou o rosto pálido e gelado dela.
- Estou! Eu estou com muita dor aqui na barriga! Muito dor mesmo, nossa, está insuportável! Caralho!
pressionou o local e Chloe e Jimin se olharam.
- É aquela dor que você vem reclamando há dias já? - assentiu, fechando os olhos de dor - Então ‘bora para o médico, ! Você não pode ficar aqui sentindo dor! A gente não sabe o que é isso!
- Mas hoje é meu último dia, Jimin, preciso ainda passar algumas coisas para Chloe, tipo… - Jimin a interrompeu.
- Deixa que eu termino de me virar com a Chloe, ‘bora!
se apoiou com a pouca força que tinha em Jimin e então eles caminharam até a porta.
- Chloe, por favor, avisa o chefe que eu e a fomos levar a ao pronto-socorro por causa do estado dela, explica direitinho e fala que nós damos notícias!
Chloe assentiu, saindo atrás deles. Jimin desceu com e a colocou em seu carro. Ela gemia de dor enquanto se contorcia e o amigo estava preocupado. Ligou para a .
- Oi, curupira! - ela atendeu, parecendo estar bem-humorada -
- Você já chegou na empresa? - Jimin perguntou, sério.
- O que aconteceu? É bucha?
- A está passando muito mal e eu estou com ela aqui no estacionamento no meu carro, vou levá-la para o pronto-socorro, desce para ir comigo! Que aí deixo vocês lá e volto para ajudar a Chloe.
sabia que era errado, mas revirou os olhos ao ouvir o nome da novata. Ela avisou que estava descendo e ouviu a amiga gritar de dor. Se preocupou.

Ao encontrar os dois dentro do carro, ela e Jimin mal se falaram e ele partiu com para o pronto-socorro que atendia o convênio da empresa. gemia de dor, espremida no banco de trás enquanto agora tentava entender o que a amiga tinha. Dentro do hospital, e Jimin ficaram na recepção dando entrada no atendimento enquanto a amiga era levada para dentro. batia o salto agulha no piso do hospital e então Jimin, que detestava o barulho, segurou o braço dela com delicadeza, mas não adiantou em nada. A moça da recepção avisou que assim que possível eles teriam notícias da amiga.
- Eu preciso voltar para a empresa, o chefe já mandou um monte de mensagens aqui! Me dê notícias, por favor?
- Claro! - ela assentiu enquanto ele a abraçava com força.
- Pega um atestado de acompanhante, está? Para você não ficar prejudicada! voltou a assentir enquanto Jimin acariciava os cabelos dela.
- Cuidado com a cobra da Chloe!
Jimin gargalhou baixo enquanto a apertava em seu corpo.
- Relaxa! Fica de olho nas notícias da ! E passa para mim, por favor!
Os dois selaram os lábios e Jimin saiu, deixando-a sozinha na recepção do pronto socorro. Os olhos dela marejaram.
Cerca de uma hora e meia depois - claro que já havia feito um leve barraco com a recepcionista pelo tempo sem notícias da amiga, porém em vão - um médico apareceu procurando pelos acompanhantes de , e se manifestou.
- Você é o que dela, ? - o médico franziu a testa.
- Sou amiga!
- Consegue avisar aos pais dela? Foi necessária uma cirurgia de última hora! Apêndice! No caso da sua amiga ele estava muito dilatado, a ponto de romper, ainda bem que ela veio ao hospital. A cirurgia foi bem-sucedida, apesar de muito dilatado! Agora a gente tem que ficar de olho na cicatrização da ferida, se vai ter prisão de ventre ou não, enfim no pós-operatório mesmo!
- E ela vai ter que ficar aqui? - perguntou.
- Vai! Por pelo menos três dias!
- Os pais dela já são falecidos, e ela não tem parentes aqui na cidade! Só amigos mesmo, pode ficar alguém com ela?
- Claro! Até o final da noite ela vai ser transferida para um quarto! Por enquanto está na enfermaria, ela ainda não acordou! Quer deixar seu telefone com a enfermeira e a gente te liga quando ela acordar e for transferida para o quarto?
- Por favor!
- Me acompanhe!
Assim que ela deixou o número registrado com a enfermeira, saiu da recepção do hospital e então foi para a entrada do pronto-socorro, lá ela ligou para Jimin.
- Graças a Deus! Eu já estava quase morrendo de preocupação aqui! - ouviu a voz da novata ao fundo - É! Eu e a Chloe!
revirou os olhos. Nem amiga de ela era! Respirou fundo.
- Era o apêndice, Jimin! Estava muito dilatado! Tiveram que fazer uma cirurgia de última hora e agora é ela ficar em observação por três dias para ver se vai cicatrizar bem a abertura que tiveram que fazer.
- Nossa, ! Jura? E agora?
- A gente precisa revezar para ficar aqui com ela e cuidar dos bichinhos dela lá na casa dela! Estou com os papéis para levar para a empresa, o atestado etc. Vou ligar para a e avisar para ela, e para o Namjoon também! Você avisa o Hoseok?
- Aviso! Que tal a gente criar um grupo para ver esse negócio do revezamento e para gente compartilhar notícias dela?
concordou e então desligou a ligação, ligando para logo em seguida. Enquanto o telefone chamava, ela se deu conta que havia ligado primeiro para Jimin e não para a amiga. Arregalou levemente os olhos, quando Jimin havia ficado tão importante a ponto de ela se lembrar primeiro dele do que de ? Balançou a cabeça e ouviu atender. Explicou a situação de para a amiga e então avisou que o grupo seria criado, logo em seguida ela mandou uma mensagem para Namjoon, avisando o amigo.
Voltou para a empresa, entregou a papelada necessária para o chefe que lamentou muito estar nessa situação e até questionou se depois podia visitá-la. Assim que entrou em sua sala o hospital ligou, avisando que a amiga já havia acordado, que estava bem e que seria transferida para o quarto. Ficou decidido que Jimin passaria aquela noite com , enquanto e iam cuidar dos bichinhos.
estava bem, um tanto quanto abatida e alegava que ainda sentia dores no corte por estar muito recente, mas na medida do possível, bem! Já na parte da manhã bem cedinho, enquanto ainda dormia, Jimin se encontrou com Namjoon na porta, antes ele deixou um beijo casto na testa da amiga.
- E aí? Como ela está? - eles trocaram um aperto de mãos.
- Está dormindo agora! Ela quase não dormiu nada, cara! Está sentindo muitas dores! Acho que porque está bem recente, não é?
- Mas eles não estão a medicando? - Namjoon ergueu uma sobrancelha.
- Estão! - Jimin assentiu - Mas a enfermeira disse que é normal nos três primeiros dias sentir muita dor, mesmo com os remédios! Mas ela está bem no geral, sabe? Agora é cicatrizar bem!
Os dois se despediram com alguns tapinhas nas costas e ele entrou no quarto com cuidado, não queria acordar . Ela dormia tranquilamente, mas estava bem pálida. Namjoon sorriu na direção dela e então depositou, também com cuidado, a mochila no chão e se ajeitou na poltrona ao lado da cama de . A abriu, retirou o notebook de lá e o ligou. Começou a trabalhar por ali mesmo no que dava, já havia avisado aos sócios que trabalharia no hospital. Alguns minutos depois e abriu os olhos com certa dificuldade, sentiu dor.
Arregalou levemente os olhos quando viu a figura de Namjoon sentado na poltrona ao seu lado. Ela não havia visto Jimin sair e não sabia que Namjoon estaria ali, na verdade ela achou que ele nem sabia do que havia acontecido!
- Me ajuda aqui, Joonie? - ela pediu enquanto colocava a mão na barriga.
Namjoon se assustou com a voz dela e a mirou. Depositou o notebook sobre a mesa que havia mais à frente da cama de . Quando ele se virou, ela se remexia na cama, tentando se posicionar melhor.
- Dá para você esperar, mocinha? Não se mexe muito não, você foi operada ontem!
Se aproximou dela na cama e ajeitou o travesseiro e o corpo pequeno dela, com toda a delicadeza possível. sorriu, achando engraçado o quão delicado ele podia ser em situações como aquela sendo que ao mesmo tempo ele era tão grande e desastrado.
- Está com dor, meu bem? - ele acariciou as costas dela com delicadeza.
- Estou! Daqui a pouco a enfermeira deve me medicar! Ai passa um pouco! Nem vi o Jimin indo embora, tadinho! Ele mal dormiu e ainda tinha que ir trabalhar!
- Ele disse que você também mal dormiu por causa das dores! Estou preocupado com isso, porque os remédios deveriam ajudar! - Namjoon coçou a nuca.
- Eles ajudam, Joonie! Sem os remédios é insuportável a dor, com os remédios fica uma dor incômoda, mas suportável! Relaxa! Você pode estar aqui?

mordeu o lábio, receosa, afinal de contas, ela sabia muito bem que ele era um homem ocupado e que o trabalho era muito importante para ele.
- Posso e quero estar aqui, ! - ele sorriu abertamente para ela - Estou trabalhando daqui mesmo! Você não está me atrapalhando em nada!
- Tem certeza, Kim? - ela franziu a testa, desconfiada.
- Caramba, você é muito desconfiada, não é? E pelo visto ainda não me conhece o suficiente para saber que se eu não pudesse, teria dito para a que não poderia estar aqui!
- Não mentiu! Ainda não conheço você a fundo Namjoon… Au! - levou a mão ao corte.
- Mas vai ter bastante tempo para conhecer! - ele colocou a mão sobre a dela - Vou procurar algum enfermeiro ou enfermeira para vir te medicar logo, aguenta aí!
Namjoon saiu do quarto, deixando a porta aberta e caminhou pelo corredor, encontrando uma enfermeira caminhando em sua direção, empurrando um carrinho com algumas refeições e outras coisas.
- Licença! Tudo bem? Eu estou acompanhando uma amiga! - ele coçou a nuca, incomodado com a palavra “amiga” - Ela foi operada ontem, está com muita dor e ainda não foi medicada!
- Qual o nome dela, por favor?
- Ferrer!
A enfermeira olhou nos papéis que carregava no tal carrinho junto com ela.
- Eu estava justamente indo ao quarto dela para medicá-la e entregar um café da manhã para ver se ela já consegue se alimentar!
- Ah, ótimo! - Namjoon sorriu e acompanhou a enfermeira até o quarto.
Quando eles chegaram ao cômodo, ainda tinha a mão na barriga e reclamava da dor. A enfermeira e ela conversaram sobre as dores e Namjoon ficou atento ao que a enfermeira explicava para . Era necessário observar nos próximos dois dias se a abertura de onde foi feita a cirurgia estava cicatrizando bem, se não estava ficando amarelada e se não tinha pus, a tendência era que a dor fosse diminuindo conforme a ferida fosse cicatrizando. Caso isso não acontecesse, poderia ser um sinal de que a ferida não está cicatrizando bem ou que inflamou/infeccionou. Namjoon se preocupou com a possibilidade de ela ter alguma complicação pós cirúrgica, então ficou sério e percebeu a mudança no semblante dele. A enfermeira ofereceu para ela uma tigela com várias frutas amassadas, já que assim era mais fácil a ingestão, já que mastigar muito estava fora de questão por enquanto. agradeceu e a enfermeira avisou aos dois que qualquer coisa era só chamar e então deixou os dois sozinhos de novo.
encarava o pratinho com a salada de frutas amassada e então olhou para Namjoon.
- Não estou com fome! Não costumo comer a essa hora da manhã!
- Você comeu ontem, era que horas, meu bem?
- Oito da noite provavelmente!
- Então tem que comer, !
Namjoon ajeitou a bandeja no colo dela, pegou a colherzinha de plástico com um pouco da salada de frutas e levou até a boca de , que riu antes de abrir a boca e comer. A cara que ela fez ao ingerir a comida fez Namjoon querer rir, mas ele segurou.
- Eu não quero!
- Não seja teimosa! Não tem muito aqui, ! Rapidinho você come! E tem que ver se seu organismo vai aceitar ou rejeitar os alimentos! Você quer ficar aqui?
- Não! Quero ir para casa o mais rápido possível!
- Então come! - ele levou a colher outra vez até a boca dela.
Mais algumas colheradas e de fato a salada acabou rápido, e ela bebeu um copo d'água depois.
Ela pediu que Namjoon a ajudasse a ir ao banheiro já que estava apertada e assim ele o fez. Assim que ela voltou para a cama, ele colocou a mão sobre a testa dela, estava um pouco quente, mas a enfermeira havia dito que ela ficaria febril mesmo. fechou os olhos e logo os dois estavam conversando sobre suas preferências de filme e comidas no geral. descobriu que os dois tinham gostos bem diferentes para comida, mas que para filmes e séries os dois tinham o gosto bem parecido. pediu a ajuda dele para se ajeitar na cama mais uma vez e ele prontamente a ajudou. Deixando um espaço vago ao lado dela. Ele se ajeitou ali depois de tirar os sapatos e então se deitou em seu peito, soltou um suspiro cansado.
- Ainda dói? - ela assentiu que sim. - Quer que eu chame a enfermeira?
- Não! Daqui a pouco o remédio faz efeito e melhora um pouco! Não sai daqui não! Está tão gostoso!
Ele sorriu com a afirmação de uma sonolenta.
- Dorme um pouco, meu bem!
- Se a dor deixar!

Namjoon começou a acariciar levemente a bochecha dela com as pontas dos dedos, quem sabe assim ela não se esquecia da dor e conseguia dormir? Hora ou outra erguia o olhar para o semblante calmo de Namjoon e sorria. Estava se sentindo cuidada, e jamais imaginou que Namjoon a causaria esse tipo de sentimento. Ele lhe beijou o topo da cabeça e começou a cantarolar baixinho uma das canções preferidas de . Até que o telefone dele começou a tocar dentro do bolso. Ele o retirou de lá e o depositou sobre a cama, ao seu lado, não sem antes verificar de quem se tratava no visor.
- Pode atender, Joonie!
- Não! Estou fazendo coisas mais importantes agora! - ele voltou a acariciar o rosto de .
O coração dela deu um salto dentro do peito. Tinha sido pega de surpresa, não estava esperando! Será que havia o visto com maus olhos durante esse período e ele era bem diferente do que vinha se mostrando ser? De qualquer forma, estava gostando das sensações de ser cuidada com tanto carinho por Namjoon. Adormeceu enquanto sentia as carícias dele por seu rosto.
Namjoon percebeu que ela havia pegado no sono e a ajeitou com a cabeça no travesseiro, sem sair do lado dela. Acariciou a ponta do nariz dela com o dedo indicador e então observou o rosto e as características que ainda não tinha observado. Se deu conta que nunca havia reparado de fato nos detalhes do rosto e corpo de . Observou o nariz dela, depois as bochechas, as pintinhas que haviam por lá. Sorriu. Depois observou os lábios vermelhos dela, passou os dedos por lá também. Sentiu algo estranho na boca do estômago, e o coração acelerou. Se permitiu fechar os olhos enquanto tentava controlar as batidas dentro do peito. Aquilo o havia assustado.
Namjoon voltou para a poltrona ao lado da cama de , e voltou também a trabalhar. Respondeu os e-mails, as mensagens de WhatsApp, releu mais do processo em que estava atuando e de minutos em minutos ele checava a temperatura dela, a acariciava. A enfermeira entrou para medicá-la mais uma vez antes do almoço, depois ela acordou para almoçar, Namjoon a ajudou a ir ao banheiro mais vezes. A tarde ela dormiu mais um pouco, até que o relógio bateu dezoito e vinte e poucas da tarde. Horário combinado com a próxima pessoa que dormiria com . Ele não havia checado no grupo quem seria o escolhido da noite. havia acabado de acordar enquanto ele fechava a mochila.
- Já está vindo outra pessoa aí para ficar com você, está bom? - ele ajeitou a mochila nas costas e se aproximou dela na cama - Não sei qual das meninas, ou se é o Jimin! Mas eu devo vir mais vezes também!
- Se não der, não tem problema, Joonie! - ela sorriu - Obrigada por hoje! De verdade!
Ele ergueu a mão na direção dela e a segurou com força.
- Fica de olho nessa cicatrização, vê se não se mexe muito e come! Quero você bem! assentiu enquanto ele depositava um beijo em sua testa.
Abriu a porta do quarto e deu de cara com Hoseok indo com a mão na direção da maçaneta. Os dois acabaram esbarrando o corpo um no outro levemente. Hoseok abaixou a mão e os dois se encararam profundamente nos olhos. Hoseok não estava esperando-o ali ainda e Namjoon muito menos, já que não havia visto no grupo quem trocaria com ele. Namjoon sentiu o estômago vibrar, não havia mais visto Hoseok desde o dia da boate, não havia se atentado se ele estava no grupo ou não e até achava que não estava mais com o rapaz. Os dois se cumprimentaram com um aceno de cabeça.
- Você vai dormir aqui com ela? - Namjoon perguntou - Ou só vai ficar um pouco até alguma das meninas vir?
- Vou dormir aqui com ela! Por quê? - Hoseok fechou a cara.
- Porque talvez ela se sinta mais confortável de dormir com uma das meninas!
- Está tudo bem, Joonie! - gritou lá de dentro - Eu dormi com o Jimin ontem, vou adorar dormir com o Hobi!
“Hobi?” Isso era algum apelidinho carinhoso dela com ele? Namjoon pensou enquanto travava o maxilar. Hoseok sorriu satisfeito e Namjoon assentiu. Deu passagem para que ele entrasse e então pediu:
- Manda notícias no grupo, por favor, Hoseok! É Hoseok, o seu nome, não é?
- Isso! Pode deixar que mantenho vocês atualizados, Namjoon!
Fez questão de deixar claro que sabia o nome do rival. Os dois se encararam mais uma vez e Hoseok fechou a porta.
Ele vestia as roupas sociais do trabalho e tinha no ombro a bolsa que carregava sempre consigo. A depositou sobre o sofá e se aproximou de .
- Está mais coradinha parece! Pessoal tinha dito que você estava bem pálida! - Hoseok sorriu - Como passou? Como está agora?
o observou colocar as mãos na cintura.
- Passei dormindo basicamente! Os remédios me dão sono! Mas ainda estou com dor, e estou um pouco preocupada, porque o corte está muito vermelho!
Ela levantou a camisola com a logo do hospital até a altura do corte para que Hoseok o observasse. A ferida ainda estava muito recente e Hoseok a observou, ainda bem vermelha e inchada.

- Mas foi ontem, ! Provavelmente amanhã ela começa a desinchar! Tenho certeza! Seu apêndice estava quase rompendo, sabia disso?
- Fiquei sabendo! - ela engoliu seco e abaixou a camisola.
- Há quanto tempo você estava com dores?
- Há algumas semanas!
- E por que não foi ao médico? - Hoseok colocou uma das mãos sobre a dela.
- Achei que fosse gases! - os dois riram - Não tem problema deixar seu pai sozinho a noite toda? Ele sabe que você está aqui comigo?
- Você precisa parar de se preocupar tanto se vai incomodar ou não! Sabia disso também? Eu falei com ele, chamei uma enfermeira conhecida nossa para cuidar dele! Mais tranquila?
- Ah! - ela franziu a testa e sorriu ao ouvir a risada escandalosa de Hoseok. - Aproveitando então que você está aqui e estamos só os dois… acho que podemos conversar finalmente sobre tudo o que está rolando!
- Sobre tudo o que está rolando o quê? - ele desconversou - Você está comendo, não é? Já jantou?
- Hoseok! - ela apertou a mão dele. - Não finge que não sabe do que eu estou falando!
- Você não está em condições, está operada! A gente pode adiar essa conversa, ! Sem nenhum problema!
- Não! Tem que ser agora! Eu quero! Você não vai fugir dessa conversa, Jung Hoseok!
Hoseok soltou um suspiro profundo. Tinha medo do rumo daquela conversa.
- Eu aguento, estou acostumado com a rejeição!
- Que rejeição, Hoseok? De quem?
- De todo mundo, ! - ele deu de ombros, já sentindo os olhos marejarem - Eu tenho medo que você me veja do jeito que eu me vejo!
voltou a apertar a mão dele e sentiu o coração doer com os olhos de Hoseok cheios de água. Não queria vê-lo e nem o fazer sofrer.
- Eu sei que doeu em você porque eu fui a única pessoa que olhou dentro do seu olho e pediu calma. Porque todas as outras pessoas passaram por você e pediram pressa!
- Eu vou entender se você quiser ficar só com ele! Eu tive a sorte de te conhecer, e o azar de me apaixonar. - ele soltou um riso nasalado.
engoliu seco. Ela não queria ficar só com Namjoon… Mas como falar isso para Hoseok? Ainda mais com aquela informação de ele estar apaixonado sendo despejada daquele jeito.
- Olha, Hobi! - ela umedeceu os lábios - No fim destes dias encontrar você que me sorri, que me abre os braços, que me abençoa e passa a mão na minha cara marcada, na minha cabeça confusa, que me olha no olho e me permite mergulhar no fundo quente da curva do teu ombro…
Hoseok suspirou outra vez. Aonde ela queria chegar? O faria sofrer ainda mais com aquele discurso?
- Mergulho no cheiro que não defino, você me embala dentro dos seus braços e você me beija e você me aperta e você me aquieta sempre repetindo que está tudo bem, tudo, tudo bem. Eu não quero perder isso! Não quero ficar sem você só por causa do Namjoon! Entende? Eu estou muito confusa! E sei lá, eu não quero parar por aqui com você!
“E nem com ele!”, Hoseok pensou. Mas entendia, ela estava gostando do que tinha com os dois, e parecia de fato estar confusa. Ele não pediria que ela escolhesse. Não agora!
- Me alegro em saber que meus braços parecem um tanque de calma que você mergulha quietinha, menina. E fica ali, aninhada, lavando as manchas da alma, respirando baixinho minha serena confiança de que tudo fica legal, como se meu peito fosse o último tubo de oxigênio de todos os ambulatórios do planeta!
Ele também sabia falar bonito, e sorriu. Hoseok sorriu de volta.
- Então tudo bem?
- Tudo bem! Tome o tempo que precisar! Eu vou esperar!
Hoseok se inclinou e depositou um beijo demorado na testa de . Algum tempo depois a enfermeira adentrou o quarto e se ofereceu para ajudar a tomar um banho. Hoseok ficou do lado de fora do banheiro atento para caso a enfermeira e precisassem de ajuda.
Depois de um tempo, as duas saíram do banho com já vestida com outra camisola do hospital e os cabelos curtos molhados. Sentada na cama, a enfermeira a medicou, avaliou a ferida e aferiu a temperatura de . Olhou de para Hosoek.

- Qual seu nome?
- Hoseok!
- Hoseok, ela está febril, você pode ficar atento para mim? Se a temperatura dela subir muito, chama a gente, tá bom? Essa ferida está começando a querer inflamar, pode ser que ela dê muita febre!
Hoseok arregalou os olhos e franziu a testa.
- Pode ser que não inflame, não é? Vamos observando! Mas pela forma que está… A doutora do plantão deve passar aqui amanhã pela manhã, ela vai avaliar melhor e se precisar a gente já entra com os anti-inflamatórios! Só fica de olho na febre, tá bom?
- Pode deixar! - Hoseok assentiu para ela.

A enfermeira perguntou se já poderia trazer o jantar e como estava sendo para ela a alimentação, o que respondeu que não estava sentindo fome por causa das dores e de todo o incômodo, mas que o organismo estava aceitando as refeições.
A enfermeira saiu deixando os dois sozinhos e avisou que voltaria com o jantar.
- Fiquei com medo agora! - levou a mão até a cicatriz.
- Não fica, ! Vai correr tudo bem! E se acontecer alguma inflamação é só tomar os remédios direitinho! Não fique preocupada!
Ele colocou a mão na testa dela, sentindo a temperatura. Ela parecia quente, mas não com febre. Hosoek ficou aliviado.
Depois do jantar ele se ajeitou na poltrona ao lado da cama dela e então pôs-se a ler o livro que estavam lendo juntos em voz alta para que pudesse escutar. Quando ela estava quase adormecendo ele resolveu parar.
- Sua voz é tão gostosinha, Hobi! - sorriu.
- Você está se sentindo bem?
- Estou com dor! E com sede!
Hoseok se levantou e pegou um copo de água para ela que tomou bem rápido.
- Devagar, ! Se não dá refluxo!
- Me ajeita aqui para eu dormir?

Ele sorriu para ela que ficou vermelha. E então Hoseok a ajeitou sobre a cama tomando cuidado para não machucá-la.
- Você é um solzinho, sabia?
Foi a vez de Hoseok ficar com as bochechas vermelhas e ele se atreveu a selar rapidamente os lábios dos dois, arrancando uma risada dela.
- Qualquer coisa é só me chamar! Meu sono é bem leve! - ele aferiu a temperatura dela com as mãos outra vez.
Ela estava um pouco mais quente, mas ele não disse a . Esperou que ela adormecesse e então foi atrás de uma enfermeira.
Assim que encontrou uma, ele explicou a situação e ela o acompanhou até o quarto. Lá a enfermeira aferiu a temperatura e alegou que sim, estava com febre. A enfermeira a medicou e pediu que se possível Hoseok fosse a monitorando.
Ele assim o fez durante basicamente toda a noite, mal tirando tempo para dormir. Estava preocupado com ela, então preferiu ficar a monitorando. delirou em alguns momentos da noite, e Hoseok a acalmava até que ela pegasse no sono novamente, mal dormindo a noite de preocupação. No dia seguinte assim que acordou o vislumbrou em pé ajeitando a manga da camisa social preta. Sorriu assim que ele se virou frente a ela.
- Bom dia, !
- Bom dia, Hobi! Você está lindo! - Hoseok sentiu as bochechas esquentarem.
- Estou nada! - ele balançou a cabeça, se aproximando de , que revirava os olhos - Como você está se sentindo?
- Estou com dor! Você dormiu bem? - ela riu - Eu sei que não! É impossível dormir bem num sofázinho desse, não é?
- Não se preocupe com isso! Eu não dormi foi de preocupação com você mesmo! Você delirou bastante durante a noite!
engoliu seco e levou a mão até o corte da cirurgia.
- Desculpa!
- Não! Está maluca? - Hoseok se aproximou dela na cama e segurou o rosto dela entre as mãos - Não me pede desculpas por uma coisa dessas! Não precisa!
A enfermeira abriu a porta subitamente e encarou os dois, sorriu.
- Achei que o outro rapaz que era seu namorado!
sentiu as bochechas esquentarem e Hoseok se afastou dela, voltando para a mesa onde estava sua mochila.
- Na verdade nenhum dos dois é meu namorado! Somos todos ótimos amigos!
- É! Somos todos bons amigos! - Hoseok repetiu colocando a mochila nas costas.
sentiu o coração partir e a enfermeira então questionou a Hoseok como havia sido a noite com relação à febre e logo em seguida deu uma olhada na ferida. Nisso bateu à porta e adentrou o quarto da amiga bem quando a enfermeira falava:

- Hoje antes do almoço a médica de plantão vai passar aqui, ok? Essa ferida deve estar inflamada! Não está normal, você está com muita dor, não é, querida?
- Sim! - jogou a cabeça para trás.
- Precisamos entrar com antibióticos o mais rápido o possível! Vou pedir para ela passar aqui assim que eu sair, ok? Por isso você ficou com tanta febre a ponto de delirar!
Hoseok e trocaram um olhar preocupado e então Hoseok depositou um beijo demorado no topo da cabeça de .
- Tchau, ! Vai ficar tudo bem, eu tenho certeza!
- Obrigada, Hobi! - ela acariciou o rosto dele.
e ele trocaram um abraço rápido e então ele pediu que desse notícias.

***************************************************************


suspirou profundamente ao sentar no sofá, aliviada por estar de volta à sua casa. A infecção da ferida já estava praticamente curada, então ela pôde voltar para casa depois de quatro dias no hospital. Ainda não podia fazer grandes esforços, afinal de contas agora que a ferida estava cicatrizando então ela ainda precisava de repouso.
e Jimin não conseguiram buscar a amiga no hospital, a alta dela havia sido programada para às dezesseis horas, então pediu no privado que Namjoon a buscasse, já que os horários do amigo eram mais flexíveis. Enquanto ele a ajeitava no sofá ela pensou em como ele estava sendo bom para ela, e Hoseok também…
- Você quer ficar aqui na sala mesmo, ? Não é desconfortável?
- Não é, Joonie! Estou com saudade dos meus bichinhos, vou ficar aqui com eles!
Ela acariciava o pelo dos bichinhos enquanto os perguntava se eles tinham sentido a falta dela, se haviam sido bem cuidados pelos amigos dela e Namjoon ria.
- Eu vou ao mercado, , vou tentar cozinhar para gente! Sua casa está meio sem nada, sabe?
riu e assentiu para ele.
- Pode deixar que eu cozinho, Namjoon!
- Não! Você ainda tem que fazer repouso! Eu cozinho! Não sou nenhum chefe, mas vou tentar!
- A gente pede alguma coisa! Não se preocupa!
- Não! Vou aproveitar para abastecer sua casa! Relaxa!
Namjoon comprou as coisas que pretendia usar para o jantar e também fez compras o suficiente para que passasse uns quinze dias sem precisar fazer compras. Voltou e ainda brincava e conversava com os bichinhos. Um dos cachorros cheirava Namjoon, e latia sem parar, o homem tentava se aproximar dele para o acariciar e tranquilizá-lo, mas não conseguia. ria disfarçadamente. Não conseguia entender por que o cachorro não gostava dele!
- Vou prendê-lo, Joonie!
- Não precisa, meu bem! Ele mora aqui, não eu!
- Relaxa, vou colocar comida para ele lá fora! Daí fecho a porta, ele gosta de ficar lá fora!
Ela fez menção de se levantar, mas Namjoon a impediu.
- Deixa que eu o levo! Não pode se esforçar muito ainda! Corre algum risco dele me morder se eu tentar pegá-lo, ?
gargalhou gostosamente com o pavor estampado na cara de Namjoon.
- Um homem desse tamanho e dessa largura com medo de um schnauzer idoso!
Foi a vez de Namjoon rir.
- Ele me odeia, ! - Namjoon se aproximou do animal que desconfiado também se aproximou dele.
Namjoon conseguiu pegar o cachorro e saiu quase que correndo com ele para fora da casa enquanto ele latia e ria.

*************************************


- Se você precisar grita, tá bom? - ele se escorou rapidamente no batente da porta do banheiro.
- Pode deixar, Joonie! - ela piscou para ele, já nua e dentro do box.
Já não tinha mais vergonha do corpo perto dele. Namjoon saiu e então voltou para a cozinha, resolveu que faria um macarrão alho e óleo, não tinha como errar a receita. Arregaçou as mangas da camisa social branca e então procurou pela panela no armário, sendo interrompido pela campainha da casa. Deveriam ser as garotas. Correu até a porta, abrindo um mega sorriso, que sumiu assim que os olhos dele se cruzaram com os de Hoseok.
- Ah, você! - Namjoon forçou um sorriso outra vez.
- Achei que era o Jimin e a que estavam aqui com ela, ou que ela estivesse sozinha! Por isso eu vim!
- Eu que a busquei! Como vocês estavam trabalhando no horário da alta dela, eu fui o único que consegui buscá-la!
- Entendi! - Hoseok balançou a cabeça - Tudo bem então! Ela deve estar bem, não é? Eu vou embora então, já que ela não está sozinha!
Como competir com Namjoon? Ele pensou olhando o homem de cima a baixo.
- Entra, Hoseok!
- Hã? - Hoseok arregalou os olhos.
- Entra! vai gostar de ver você! Tenho certeza! E outra coisa, a gente vai ter que aprender a conviver um com o outro. não é?
Hoseok assentiu para ele, mordendo levemente o lábio inferior.
- Tá bom! - Namjoon deu espaço para que ele entrasse - Onde ela está?
- No banho! Se você quiser verificar como ela está!
- Vou esperar por ela aqui!
- Como quiser! Eu vou preparar o jantar!
- Eu também tinha pensado em cozinhar para ela! - Hoseok ergueu as sacolas.
- Coloca aqui essas sacolas! - os dois se encarar.
Hoseok pensou em como ele estava agindo como se fosse dono da casa. Engoliu seco e caminhou até a cozinha.
- O que você vai fazer? - questionou enquanto abria a geladeira para guardar um peixe.
- Não sou muito bom na cozinha, então vou fazer um macarrão alho e óleo mesmo, você tem algo aí para complementar o jantar? - Namjoon sorriu.
- Eu pensei em fazer um peixe assado e um arroz!
Os dois voltaram a se encarar. E então apareceu na cozinha. Namjoon não pode deixar de reparar em como os olhos dela brilharam quando ela viu Hoseok lá, e o sorriso dela também parecia mais brilhante quando estava com ele. O coração errou as batidas quando ela o abraçou com força.
- Que bom você aqui, Hobi!
- Achei que você estava sozinha! - e Hoseok se encararam.
- Namjoon me buscou e inventou de cozinhar!
- Não foi só eu que tive essa ideia, seu amigo Hoseok também!
Hoseok e notaram o tom áspero na voz dele.
- Eu disse para ele que ia embora, mas ele insistiu que eu ficasse! - Hoseok deu de ombros.
- Vou ficar muito feliz de ter os dois cozinhando para mim! Inclusive por onde eu começo?
- Se sentando lá na sala e ficando de repouso!
- Isso! - complementou Hoseok.
- Tá bom! Vocês dois vão conseguir ficar sozinhos? - mordeu o lábio.
Hoseok e Namjoon voltaram a se encarar.
- Claro que sim, somos dois homens civilizados!
- E adultos!
- Qualquer coisa, me chamem!
Ela caminhou em direção a sala e Hoseok vislumbrou o gato subindo na geladeira e o encarando.
- Você de novo! Quando é que esse gato vai gostar de mim?
- O gato não gosta de você? - Namjoon perguntou enquanto colocava a água para ferver.
- Nem um pouco!
- Um dos cachorros me odeia também!
Hoseok gargalhou alto, fazendo Namjoon rir baixinho. A risada dele era contagiante, ele pensou. Balançou a cabeça logo em seguida.
- Qual deles?
- O schnauzer!
- Por que será? O que fizemos?
- Deve ser ciúmes da dona!
- Verdade! - Hoseok assentiu enquanto procurava pelas panelas.
- Elas estão todas aqui, Hobi!
Namjoon abriu as duas portas do armário suspenso sobre a pia e o fogão cooktop dela.
- Obrigado!
brincava com um dos cachorros enquanto o restante dormia, e então pôs-se a observar os dois homens em sua cozinha, os dois conversavam e hora ou outra riam e se divertiam durante o processo de fazer o jantar. Pareciam estar se dando bem. sentiu uma pressão no peito ao pensar que em algum momento ela teria que se decidir, e talvez perder um dos dois para sempre. Não queria e não estava preparada para perder nenhum dos homens.
Hoseok ajudou Namjoon com o queijo, já que ele quase cortou o dedo no processo de ralar o mesmo.
- Você deve ter percebido que a cozinha não é muito a minha praia!
- A minha também não, relaxa! - Hoseok riu.
Namjoon realmente havia gostado da risada do rapaz. Ele era tímido, Namjoon já havia notado, mas até que ele estava conseguindo fazer Hoseok conversar.
- Você faz o quê mesmo? Da vida…
- Sou químico industrial!
Namjoon ficou surpreso com a resposta.
- E você? - Hoseok perguntou baixinho na esperança que Namjoon não ouvisse.
- Sou advogado!
- Tem jeito de advogado mesmo!
- Não sei muito bem se isso foi uma crítica ou não, mas tudo bem!
Hoseok voltou a gargalhar. E então os dois se encararam de novo. Não queria admitir, mas a companhia do advogado era agradável. Um ponto a mais para ele, voltou a pensar Hoseok.
- Como mesmo você conheceu a ? - Namjoon ergueu uma sobrancelha.
- Numa festa de confraternização do trabalho dela, eu fui com o Jimin!
- Ah, sim! E você é amigo do Jimin há muito tempo?
- Desde a época da faculdade!
- Eu conheço a há menos tempo do que você conhece o Jimin então! Deve ter um ano, um ano e pouco…
- E foi através dela que você conheceu a ?
- Isso! - os dois trocaram mais um olhar - Acho que o peixe deve estar bom! Quer que eu olhe?
Hoseok assentiu que sim para ele enquanto pegava a travessa do macarrão feito por Namjoon e levava para a mesa que ficava entre a sala e a cozinha. O tal Namjoon parecia ser gentil… Assim que ele voltou para a cozinha Namjoon praguejava enquanto colocava a travessa com o peixe sobre a pia.
- Quente? - Hoseok riu.
- Um pouco, não é? Mas ficou bonito, e parece gostoso!
- Deve estar comestível!
- Com certeza está melhor que meu macarrão!
Os dois riram juntos, e voltaram a se encarar, mas Hoseok cortou o olhar enquanto coçava a nuca. Namjoon percebeu que ele havia ficado sem graça.
- Vou levar o arroz, você leva o peixe?
- Sim, depois a gente vem pegar os pratos e talheres, não é?
- Isso!
observava os dois com um sorriso bobo no rosto, o que não passou despercebido pelos homens. Já sentados à mesa, alegou que tudo estava muito bonito e que certamente estaria saboroso. Os dois homens, incertos, se encararam e então riram.
Depois do jantar Hoseok foi ajudar a se ajeitar na cama enquanto Namjoon dava um jeito nas louças. Algum tempo depois, Namjoon caminhou até o quarto e viu e Hoseok rindo enquanto ele terminava de cobri-la. O coração dele tamborilou dentro do peito outra vez. parecia gostar muito de Hoseok.
Namjoon se despediu de com um beijo na testa e Hoseok mandou um beijo para ela no ar. Logo chegaria para passar aquela noite com a amiga, então eles precisavam esperar pela mais baixa. Os dois caminharam lado a lado e em silêncio pelo corredor até chegarem à sala. Hoseok coçou a cabeça.
- O jantar estava gostoso! Seu macarrão ficou bom!
- O seu peixe e arroz também estavam bons! comeu até bastante.
- Sim! - Hoseok sorriu, colocando as mãos nos bolsos da calça social - Bom, já que a deve está para chegar, eu vou indo! Você e ela são mais íntimos!
Namjoon assentiu para ele, começando a ficar sem graça também. Estendeu a mão na direção do moreno, que olhou a mão de Namjoon estendida e depois olhou para ele. Hoseok mordeu o lábio inferior e então apertou a mão de Namjoon. Os dois sorriram, sem graça um para o outro.
- Obrigado por ter buscado a no hospital e não ter a deixado sozinha.
- Imagina! Eu que agradeço por você ter aparecido, o meu jantar teria sido um desastre sem você.
Hoseok sentiu as bochechas ficarem vermelhas, e Namjoon achou fofo ele ficando corado. Os dois soltaram as mãos quando ouviram a campainha da casa tocar. Namjoon recebeu a amiga com um abraço, que se assustou ao ver Hoseok lá também.
- Está tudo bem? - ela perguntou, rindo.
- Tudo! - Namjoon piscou para ela - Não é, Hobi?
franziu a testa.
- É! Tudo como tem que ser! - Hoseok assentiu e então beijou a bochecha de .
Se despediu dos dois e subiu na moto, Namjoon observou enquanto ele dava partida.
- Está tudo bem mesmo? - tocou a cintura do mais alto.
- Tudo! Ele é até legal! - deu de ombros.
sorriu.
- Também acho ele legal! Um fofinho!
- Mas seu amigo sou eu, ! - Namjoon cruzou os braços abaixo do peito, fingindo estar emburrado.
Ela gargalhou, abraçando o amigo.
- Eu sou team Namjoon, relaxa!
Se despediu da amiga, pediu notícias de e então saiu da casa. A risada de Hoseok ecoou pelos ouvidos de Namjoon, ele sorriu automaticamente ao se lembrar. Respirou fundo e então se permitiu admitir que havia gostado de estar ao lado de e Hoseok.

Adentrou a casa e se sentou ao lado do pai que, atento, assistia à TV. Hoseok se lembrou de quando Namjoon quase cortou o dedo no ralador, depois de como ele era desajeitado na cozinha e fazia piada de si mesmo… Ele riu balançando a cabeça. Namjoon parecia ser legal.



Septuagésimo Quarto Capítulo - Fake Love

Era a quarta vez naquela manhã que ela vislumbrava o celular na conversa dele. Eles não haviam se falado depois que voltaram da desastrosa viagem a Magé. Ele não mandou mensagem, não ligou, não deu nenhum sinal de vida. Nem no Instagram, e olha que Taehyung era bem ativo por lá. Será que ela estava bloqueada das redes dele? Ergueu uma sobrancelha enquanto o pensamento rondava sua mente. Não tinha tido coragem de mandar nada para ele, sabia que ele precisava de um tempo, quem sabe depois desses dias sem contato ele não sentira falta dela? Quem sabe agora, ele não estava mais propenso a perdoá-la?
Tomou um longo gole do próprio café e então ligou, pelo aplicativo do WhatsApp mesmo. O coração acelerava mais e mais a cada toque, e quando ela fechou os olhos em descrença tendo a certeza que ele não a atenderia, ouviu a voz grave dele do outro lado.
- Graças a Deus você me atendeu! - suspirou, aliviada.
- E o que você quer, ? - a voz dele soou baixa.
umedeceu os lábios, nervosa e sem saber exatamente o que dizer.
- Andei precisando de você esses dias, V!
Ela o ouviu suspirar cansadamente. Os olhos dela se encheram de água instantaneamente.
- Bateu a bad agora que o amor da sua vida está de fato casado? Sua ficha caiu e por isso precisou de mim?
balançou a cabeça em negativa, como se ele pudesse vê-la.
- Não! Precisei de você porque a perdeu o bebê e eu fiquei muito mal, especialmente depois de vê-la!
Taehyung umedeceu os lábios em surpresa. Gostava de e de Suga e a notícia o havia pegado de surpresa, pois assim como ele sabia o quanto os dois amigos esperavam ansiosamente pela chegada do bebê.
- Isso é sério, ?
- Caramba, Taehyung! Eu ia mentir uma coisa dessas para quê? Estou falando da minha melhor amiga! E de uma dor horrível!
Taehyung assentiu do outro lado, de fato, não usaria uma coisa daquelas apenas para chamar a atenção dele.
- E como eles estão com tudo isso?
- Devastados, V! ainda não conseguia falar sobre o assunto sem chorar - E o Suga tadinho… - pausou - Está acabado! Eles lutaram muito para ter o bebê!
- Eu acompanhei parte dessa luta! Eu sinto muito! Depois vou mandar mensagem para os dois, deve estar sendo muito difícil! Obrigado por ter me avisado! Era só isso?
- Não, V! - ela falou, chorosa - Acho que a gente precisa conversar!
- Conversar o quê?
- Taehyung, por favor! Precisamos dessa conversa, você sabe disso!
- já dissemos tudo o que precisávamos um para o outro!
- Você disse! E de cabeça quente! Estou esperando você aqui, se em vinte minutos você não estiver aqui, eu dou um jeito de aparecer aí!
E ela desligou, levando o aparelho celular até o peito, tentando acalmar os batimentos cardíacos e entender de onde havia tirado tanta coragem. Terminou de tomar o café e lavar as louças que havia sujado e foi trocar o pijama por alguma roupa qualquer.
Assim que voltou para a sala, o celular dela tocou e era Taehyung. Ela avisou a ele que liberaria sua entrada com o porteiro, indicou o bloco e o andar para ele por WhatsApp. Assim que terminou a ligação para a portaria, ela respirou fundo e mentalizou que a conversa fosse boa e que eles se acertassem.
Taehyung entrou silenciosamente no apartamento e então com as mãos nos bolsos ele encarou . O peito dele ardia de vontade de puxá-la para um abraço bem apertado, mas não o faria, tudo ainda doía muito dentro dele.
- Como você tem passado? - ela perguntou. - Senta, fica à vontade!
- Não! Eu estou bem assim! E quer mesmo saber como eu tenho passado?
viu os olhos dele marejarem e então fechou os seus.
- Eu me sinto vazio, ! Oco! Sabe? Já se sentiu assim?
apenas balançou a cabeça que não, enquanto deixava as lágrimas caírem livremente pelo rosto.
- Que bom! Porque eu não desejo isso para ninguém!
- Achei que esses dias iam amenizar a dor dentro de você!
- Quem bate esquece, , mas quem apanha não! Está tudo muito recente ainda, e eu penso nisso todos os dias! Mesmo quando não quero, mesmo quando tento evitar, eu me lembro! De tudo!
- De tudo mesmo? - se atreveu a ficar mais perto dele.
- Infelizmente, ! Aquilo foi um erro e você sabe!
- Por quê? Nós dois queríamos aquilo! - segurou o rosto dele entre as mãos.
- Não, ! - ele segurou as mãos dela - Nós dois estávamos com raiva e canalizamos a raiva no sexo! Eu não queria que tivesse sido daquele jeito, queria que tivesse sido mágico e especial!
- Mas mesmo que de forma completamente torta, foi especial! Para mim foi!
- Chega de mentir, ! - ele afastou as mãos dela de seu rosto.
- Eu não estou mentindo, Taehyung! Eu nunca menti, eu agi no impulso e pus tudo a perder, sei disso! Mas nunca menti com relação ao que estávamos construindo e sobre você ser especial demais para mim! Acha que eu estaria aqui lutando para ter essa conversa se você não fosse especial para mim? Se tudo o que tivemos durante esses meses não significasse nada, eu não teria procurado você, caramba, V!
- Eu até acredito que signifiquei algo para você em algum momento, , mas o quanto? Você não teve consideração! Você não pensou em mim! O quão especial eu era para você?
- Muito, V! Muito mais do que eu tive chance de demonstrar! Eu não quero me isentar de culpa nenhuma! Eu sei que errei, e errei feio! Mas eu me arrependi, V! Como eu jamais me arrependi de algo na minha vida!
- Arrependimento não vai tirar essa dor de dentro de mim, ! Infelizmente! Eu ainda não superei nada do que aconteceu, você me quebrou, ! Entende?
- Entendo! Porque eu também estou quebrada! Não é só você que está sofrendo! Eu sinto sua falta! Você era meu melhor amigo, lembra?
voltou a segurar o rosto dele entre as mãos e juntou as testas dos dois.
- Lembro! E eu era apaixonado por você, lembra?
O verbo “era” fez o estômago de revirar.
- Lembro, V! - ela sussurrou enquanto encostava os lábios nos dele.
- Eu sabia... eu sabia que seguia um caminho que provavelmente terminaria com meu coração mortal despedaçado, mesmo assim... Mesmo assim, não pude evitar!
- É, às vezes você sabe que vai bater, e acelera.
Quando fez menção de beijá-lo, V a afastou com as mãos segurando pela cintura. Os olhos de ambos ainda marejados.
- Eu já tive muito medo de te perder, mas lembrei que para te perder, antes eu precisava te ter, e eu não tinha. Chega, ! Não vamos prolongar mais essa conversa! Não vai nos levar a lugar nenhum! Eu preciso de tempo, de muito tempo! Não vou conseguir arrancar essa dor aqui de dentro com as mãos e nem você! Não posso fazer isso comigo! Não posso ficar com você, !
assentiu que sim, enquanto colocava as mãos sobre as dele.
- Não peço para ficar. Já errei ao me apegar, não vou errar outra vez pedindo para permanecer, não que eu te queira longe, pelo contrário! Te quero para sempre ao meu lado, mas eu cansei de pedir atenção para os outros. Cansei de pedir para nunca me deixarem. Prefiro assim, sem muitas explicações. De longe parece ser melhor, você lá e eu aqui. Se for amor, ainda seremos felizes juntos, mas se não for, deixa para lá, nem sempre as coisas são como gostaríamos que fossem e eu sou a prova viva disso!
Taehyung limpou a lágrima que descia por uma de suas bochechas e se atreveu a limpar a outra. Ainda doía como se tivesse acabado de acontecer. Ele levaria tempo, mesmo que isso implicasse perder para sempre. Sofreria tudo o que tivesse para sofrer, tanto pelo que ela fez, tanto pela falta dela. Mas era o que precisava e tinha que ser feito naquele momento.
Depositou um beijo demorado na testa de e então deixou o apartamento. Assim que ela ouviu o barulho da porta sendo fechada, tapou o rosto com as mãos e se entregou ao choro. Achou que ele estaria mais aberto e menos machucado, achou que conseguiria pelo menos a amizade dele de volta. Achou que quando se vissem de novo ele conseguiria perdoá-la. Se sentou no sofá enquanto limpava as lágrimas do rosto e então tentou acalmar os pensamentos. O peito ardia e ela sentia como se de fato o coração estivesse partido em pedacinhos.
Resolveu mandar uma mensagem para , para contar a amiga que finalmente havia criado coragem de falar com V, assim que mandou mensagem para a amiga, ela resolveu entrar no Instagram para distrair a cabeça enquanto a amiga não respondia. Uma foto de Gabriel e a esposa pulou na tela e ela observou. Observou o rosto de Gabriel, sorrindo na foto. Não sentiu nada, não sentiu raiva, não sentiu a esperada tristeza, não sentiu vontade de chorar. Já quando ela voltou a pensar em V, os olhos marejaram pesadamente e o peito ardia sem parar. Doía muito mais perceber que havia perdido Taehyung do que Gabriel, e isso fez com que ela voltasse a chorar copiosamente.

****************************************************************************************************

Enquanto o frentista abastecia o carro ele resolveu dar uma olhada na loja de conveniência do posto, comprou alguns chocolates, inclusive o preferido da irmã e então ele se lembrou que não veria a irmã hoje já que ela dobraria no plantão. Não queria ficar sozinho, especialmente agora que havia conversado cara a cara com . Resolveu comprar algumas cervejas e então ligou para Jin.
“Tá em casa, hyung?”
“Estou sim, Tae! Por quê? Aconteceu alguma coisa? Você está estranho desde que voltou da viagem!”
“Estou precisando conversar!”
“Vem para cá! A gente cozinha alguma coisa e conversa! Que tal?”
“Estou indo, bro!”

Desligou, terminou de pagar tudo e voltou para dentro do carro dando partida no veículo, indo em direção ao apartamento do melhor amigo. Chegando lá os dois trocaram um abraço apertado e Taehyung quase desmoronou de chorar ali mesmo nos braços do amigo.
- Vem, coloca essas cervejas aqui no freezer da geladeira!
V seguiu Seokjin até a cozinha do apartamento e os dois acomodaram as cervejas no freezer do refrigerador da casa. Taehyung ainda não tinha ido até o apartamento do amigo depois da reforma que ele fizera.
- Caramba, Jin, o apartamento parece novo! - ele passeava os olhos pelo local.
- Gostou, amigo? Eu estou amando!
- Ficou muito bom, meu amigo! - apertou e segurou o ombro de Jin. - Como está as coisas com a Eun?
Jin suspirou cansadamente enquanto os dois se sentavam no sofá.
- Ela tem se comportado, digo, não tem mais faltado às aulas ou ao cursinho e tem se dedicado aos estudos! Meus pais continuam sem aceitar o namoro, mas eu tenho a ajudado a se encontrar com o menino!
- E você gosta do seu cunhado? - os dois gargalharam.
- Eu gosto! Ele é um bom menino, V! Mas eles ainda têm tanta coisa para viver, são tão novos ainda! Fico vendo os dois juntos quando vou buscar a Eun lá, e pensando em como eles ainda são inocentes e ainda acreditam em toda essa coisa da magia do amor, que vão se amar para sempre, que nunca vão machucar um ao outro, que tudo vai ser sempre esse mar de rosas etc.
- Você não acredita mais no amor, amigo?
Seokjin engoliu seco com a pergunta de V.
- Não sei! - ele balançou a cabeça.
- Eu não acredito mais! - Jin franziu a testa com a revelação repentina do melhor amigo. -
- Acho que você precisa conversar, não é, meu amigo? - Jin apertou o ombro dele - O que aconteceu naquela viagem?
Taehyung fechou os olhos.
- A estava só me usando!
- Como assim? - Jin estreitou os olhos - Usando para quê?
- O tal casamento era do ex-namorado dela, que ela ainda é apaixonada! E bom, ela só quis me usar para tentar passar ciúmes nele e para mostrar para todo mundo lá que ela já tinha superado tudo, que a vida dela também tinha ido para frente. Só queria mostrar para ele que também havia conseguido seguir a vida, que não tinha ficado presa no tempo!
Jin abriu a boca, incrédulo. Os olhos de V marejaram e ele então abraçou o amigo.
- Ela me apresentou para ele como namorado! E ela já estava planejando isso desde que me chamou para essa maldita viagem! Ela só queria me usar, Jin!
Enfim, ele deixou as lágrimas rolarem livremente pelo rosto, já que sabia que o amigo estava ali para ampará-lo.
- Mas ela falou isso abertamente? Que essa era mesmo a única intenção dela com você esse tempo todo?
- Ah, ela inventou um monte de desculpas, Jin! Disse que havia desistido quando chegamos na casa dos pais dela, disse que agiu por impulso quando me apresentou e que se arrependeu no mesmo instante! Demonstrou estar sofrendo bastante com tudo também! Eu até acredito no arrependimento dela! - os dois se soltaram - Mas eu estou muito machucado!
Jin sabia que talvez aquele não fosse o momento certo, mas o fez.
- Me entende um pouco agora?
Taehyung, ainda chorando, assentiu para o amigo.
- E o pior é que mesmo com tudo isso rolando, quando nós dois voltamos para casa dos pais dela, a gente acabou transando!
Taehyung tapou o rosto com as mãos enquanto balançava euforicamente a cabeça em negativa.
- Calma! Isso acontece! Eu também tive uma recaída com a , se lembra? Acontece, somos humanos! E depois disso tudo o que mais rolou?
- Ignorei ela por alguns dias! Agora de manhã a gente se encontrou e acabou conversando um pouco!
- E como foi?
- Caótico! - Taehyung limpava as lágrimas. - Eu não consigo perdoá-la ainda! Jin, eu nunca senti tanta dor, chega a ser físico!
- Eu sei como é! Vai amenizar com o tempo, V! Juro!
- Mas ainda dói em você?
- Claro! - Jin balançou a cabeça e então sorriu para o amigo - Menos, bem menos! Consigo levar minha vida agora! Não que eu não pense na e em tudo, não que eu tenha deixado de amá-la…
Os dois se encararam profundamente.
- Eu não quero mais sentir isso, amigo, dói demais!
Os dois voltaram a se abraçar e V voltou a chorar copiosamente.
- Amigo! Agora o que você tem para fazer é deixar essa dor ai! Sentir ela, passar por isso! É a única forma de superar, de seguir em frente! Conta comigo! Você faz muito bem em se afastar um período, mas se ver que não consegue ficar longe dela, porque não tentam ser amigos?
Taehyung jogou a cabeça para trás a escorando no sofá enquanto Jin se levantava, indo para a cozinha.
- Você pretende fazer isso com a ? Já cogitou essa possibilidade?
Jin abriu o refrigerador e tirou duas cervejas de lá e as abriu.
- Tenho pensado nisso recentemente! Bom, como você sabe, ela ajudou a minha família com a o negócio da Eun, meus pais são loucos nela… E bom, eu não comentei com você, mas ela foi super fria comigo!
- Quando?
- No dia da confusão toda da Eun! Eu fui agradecê-la por mesmo eu não ter a perdoado, ela ter ajudado a mim e aos meus pais, ele me deu um super corte! E eu fiquei pensando… - ele voltou para a sala - Ela teve a audácia de ser fria e de me magoar outra vez mesmo eu tendo sido gentil, mesmo dizendo que é apaixonada por mim! Acredita?
Os dois brindaram rapidamente e deram um longo gole na cerveja. Taehyung riu, desgostoso.
- Acho que não vale a pena ser um cara legal! Acho que elas gostam dos babacas!
- Também acho! A gente tenta ser bacana e é apunhalado pelas costas, só humilhação!
- Vamos cozinhar alguma coisa? Assim a gente se distrai, e bom, cozinhar sempre me ajuda!
- O que você quiser, amigo! Sabe que adoro cozinhar com você!
Os dois sorriram.

****************************************************************************************************

Chegou em casa e sentiu o peito voltar a estremecer. O vazio que a casa ficava sem a irmã era horrível. A tarde/noite com Jin havia sido incrível! Os dois sempre se divertiam juntos mesmo fazendo os programas mais banais, e isso havia o ajudado na distração da dor que sentia. Subiu para o segundo andar da casa, tomou um banho, colocou uma roupa confortável e foi jogar. Precisava de mais distração.

Resolveu jogar sozinho mesmo. Do outro lado também sem sono observou o amigo no app e sorriu. Resolveu chamá-lo para que eles pudessem, quem sabe, jogar juntos?
A janelinha com a mensagem de apareceu para ele: “Está afim de perder uma partida para mim, não?” ele sorriu abertamente, e então a respondeu: “Tá duvidando da minha capacidade, ?”

Foi a vez de rir com a resposta dele. “Então bora ver!” devolveu. Logo eles iniciaram uma chamada de vídeo, e sorriram um paro outro.

- Tá fazendo o que acordado uma hora dessa? - perguntou enquanto ajeitava o fone na cabeça.
- Estou sem sono! Acho que a senhorita também, não é?
- Eu sou streamer, meu bem! E uma streamer de respeito! Sou obrigada a madrugar jogando!
Os dois gargalharam e depois se encararam em silêncio.
- Passei o dia com o Jin hoje! - Taehyung observou os olhos dela.
- E como ele está? - ela jogou o corpo para frente.
Taehyung percebeu que os olhos dela brilharam em antecipação, querendo saber mesmo como ele estava.
- Está bem! Você está com saudades dele? - o amigo fez uma espécie de beicinho enquanto jogava o corpo para frente também.
gargalhou e então ficou vermelha.
- Acho que isso não faz diferença mais, V! E você, como está? Parece cansado?
- Eu não ando muito bem esses últimos dias! - ele abaixou a cabeça.
- Quer falar sobre? É alguma coisa com a ?
- Não! Comigo mesmo! Sabe a ?
- Sim! Sua namorada?
Taehyung balançou a cabeça enquanto a abaixava.
- Vocês brigaram?
- Ela não era minha namorada! E bom, ela me machucou muito naquela viagem!
- O que ela fez? Se quiser falar, claro!
Taehyung respirou fundo.
- Eu nunca escondi dela que eu era completamente apaixonado por ela! E bom, eu sempre soube que ela não sentia na mesma intensidade que eu! Mas eu estava disposto a mudar isso!
- Certo! - assentiu.
- Quando ela me convidou para essa viagem, ela tinha dito que o casamento era de um amigo de infância que ela não via há um tempo! Mas quando a gente chegou na cidade eu descobri que o casamento era na verdade do ex-namorado dela, o qual ela ainda era muito ligada!
- E você sentiu que ela deveria ter te dito a verdade com relação a isso?
- Não só isso! - V continuou. - Ela omitiu essa informação e me apresentou para ele num restaurante como namorado!
- Certo… - mordeu o lábio. - Você não gostou?
- ela me usou! Ela só disse aquilo para sair por cima, só queria demonstrar que havia superado e também estava com alguém! Ela queria tapar uma ferida e me usou para isso, mas ela poderia ter me dito! Entende?
piscou os olhos algumas vezes.
- Sinto muito, V! Muito mesmo! Achava vocês dois muito bonitinhos juntos e estava torcendo muito para dar certo! Mas me fala uma coisa, vocês chegaram a conversar depois da viagem?
- Hoje de manhã!
- Ela pediu desculpas? Demonstrou arrependimento?
- Ambas as coisas! Mas eu não consigo ainda!
- Perdoar?
- Perdoar, conviver, seguir em frente! Ela me quebrou, !
- Eu imagino! Mas espero que essa dor não te cegue, ou não permaneça para sempre no seu coração! Quem sabe quando toda essa dor tiver ido embora, vocês não conversem outra vez?
- Não sei, ! É a mesma coisa que acontece entre você e o Jin! Hoje vocês dois conseguem ser amigos?
Foi a vez de abaixar a cabeça.
- Acho que não! E bom, você deve saber melhor do que eu, que é porque ele não consegue!
- Sim! Mas quem sabe o tempo também não reaproxime vocês dois!
- E você e a também!
Os dois voltaram a se encarar pela tela do computador.
- Você tem que dar tempo ao tempo agora, V! E acho que se ela se arrependeu de verdade, o tempo e as atitudes dela mostrarão isso! E bom, quem sabe com o tempo você não consegue!
- Quem sabe, não é? - ele sorriu sem mostrar os dentes.
- Olha, sinto muito te informar, mas eu não vou pegar leve com você na partida só porque você está triste! Não sou dessas!
Taehyung gargalhou e sorriu, feliz por conseguir alegrá-lo um pouco.
O jogo correu pela madrugada quase toda enquanto os dois riam e se divertiam um com outro durante o momento. Jogaram mais um pouco de conversa fora sobre seus trabalhos e hobbies até que fora vencida pelo cansaço.
- Me desculpe pela surra, V! Da próxima deixo você ganhar! - ela gargalhou.
- Tudo bem! Você é muito humilde, sabia? - gargalharam juntos. - Boa noite! Foi muito divertido, !
- Sempre que quiser! - ela piscou. - Tenta ficar bem!
Ele assentiu e então após um breve “tchau” com as mãos, desligaram. Antes de se deitar na cama, ele pensou em Jin. Será que o amigo acharia ruim essa proximidade dele e de ? Assim que ele se sentou na cama, abaixou o olhar, pensando em como era legal! Era até difícil acreditar que ela era tão ruim quanto Jin a pintava. Balançou a cabeça afastando os pensamentos e então se deitou, pegando no sono rapidamente.



Septuagésimo Quinto Capítulo - Who

Os pais de se levantaram da mesa do restaurante assim que avistaram Su-Woo, Eui, Eun e Seokjin. Após todos se cumprimentaram, Jin notou a ausência de e então se questionou onde ela poderia estar, e se viria mesmo… Caso ela não fosse então ele iria embora mais cedo, afinal de contas, ele não negaria que o único motivo de estar ali, era vê-la mais uma vez. O coração dele acelerou quando a mãe fez a pergunta:
- E a ?
- Ah, ela precisou cuidar dos animais de estimação de uma amiga que está no hospital! Ela se atrasou um pouco, mas já, já ela está aqui!
- Ah, então ela vem? - os pais de assentiram.
- Que menina de ouro, hein? Cuidando dos animais da amiga!
- Sempre ajudando, não é? - os olhos de Eui brilharam ao falar de .
Seokjin balançou a cabeça em negativa com a reação exagerada dos pais.
- é muito apegada aos amigos! E sempre faz tudo o que pode para ajudar, sabe?
Os pais de Seokjin voltaram a elogiar e ele pigarrou.
- Ali ela! Já chegou! - William sorriu ao ver a filha.
O coração de Jin acelerou ainda mais dentro do peito e a boca dele ficou seca. Por que ela ainda causava esses efeitos nele? Jin viu a mãe, sorrindo, se levantar. Abaixou o olhar, ainda não queria encará-la.
- Querida! - Eui se levantou para abraçar .
Sem jeito, retribuiu o abraço da mãe de Jin e então cumprimentou o pai dele com um aperto de mãos. Eun abraçou-a calorosamente, com um sorriso brilhante nos lábios.
- Como você está? - as duas se olharam.
- Está tudo bem! E você?
balançou a cabeça positivamente para Eun e piscou para ela. Depois ela cumprimentou os pais e então ela e Seokjin se encararam. podia jurar que ele não iria naquele jantar, já que parecia meio óbvio que ela também estaria. Não queria que os pais - tanto os dela, quanto os de Jin - percebessem algo sobre algum possível clima esquisito entre eles, então ela ergueu uma das mãos na direção dele, que prontamente a segurou. Se cumprimentaram com um breve toque de mãos.
Logo todos se sentaram, e Jin um de frente para o outro, se encararam brevemente até que desviou o olhar. Olhar muito para ele fazia o coração dela bater rápido demais. Todos a mesa ficaram em silêncio enquanto analisavam o cardápio e pouco a pouco foram fazendo seus pedidos. Logo Eui questionou como estava.
- Bem! Tudo bem! Me desculpem o atraso, eu tive que ajudar uma amiga que está hospitalizada!
- Não tem problema! - Su-Woo sorriu para ela.
- Você nem se atrasou tanto assim, querida! Seus pais nos falaram sobre sua amiga! E também que você sempre ajuda seus amigos! Achamos isso incrível, não é, Su-Woo? Sempre tão prestativa com todos! - o pai de Jin assentiu, ainda sorrindo para .
Ela percebeu Seokjin abaixando a cabeça, enquanto ela ficava vermelha. Os pais de Jin sempre naquela simpatia exagerada, como se precisassem conquistá-la de alguma forma.
- Como tem andando as coisas na empresa, William? - Si-Woo perguntou ao pai de .
- Muito bem, Si-Woo! Estou expandindo os negócios agora, abrindo uma nova sede em outro estado, devo viajar em breve inclusive!
- Coisa boa! Expandir os negócios é sempre incrível! Hoje eu já não tenho mais esse empenho todo depois de tantos anos e tantas filiais etc. Mas é bom! Um tanto quanto cansativo, preciso te dizer, mas é bom!
Os dois concordaram enquanto as bebidas e os pratos chegaram à mesa. e Jin trocavam olhares vez ou outra enquanto os pais terminavam o assunto.
- Falando em negócios, quando a gente vai conseguir presenciar uma exposição sua, Seokjin?
Seokjin encontrou o pai de sorrindo abertamente para ele, então sorriu de volta. Gostava muito de falar sobre o trabalho.
- Já estou organizando a próxima! Vai ser na inauguração da minha própria galeria.
- Você está inaugurando uma galeria? - o pai perguntou com certo desdém.
- Estou, pai!
- E por que você não comentou? - Eui arregalou os olhos.
- Que diferença faria para vocês?
- Nenhuma mesmo! - Si-Woo respondeu.
Seokjin engoliu seco e então William, ignorando comentário infeliz do amigo, prosseguiu:
- Que conquista incrível, Seokjin! Expandindo os negócios, que nem eu e seu pai! Você deve estar feliz!
- Sim! - Jin voltou a sorrir enquanto balançava a cabeça.
- Em algum momento você vai precisar crescer e abandonar esse hobby para assumir os negócios da família, Seokjin. Até porque se você não se endireitar na vida, nenhuma moça vai se interessar por você!
engoliu seco e então jogou os talheres sobre o prato, fazendo todos se assustarem na mesa e olharem para ela. Depois de respirar fundo, ela encarou Si-Woo.
- Eu sei que o senhor é mais velho que eu e que justamente por isso eu lhe devo respeito, mas com educação, tudo pode ser dito, certo?
- Certo! - ele fez um sinal para que ela prosseguisse o que queria falar.
- O que o senhor chama de hobby, é a profissão do Seokjin! É o que garante o sustento dele, foi esse hobby que inclusive lhe deu condições de abrir a própria galeria! Assim como também é fonte de emprego e sustento direta ou indiretamente para outras pessoas! Então o senhor apoiando ou não, gostando ou não, o Seokjin é um artista plástico, e renomado por sinal! Não é diversão, e ele é bom! O senhor já se deu ao trabalho de ver as fotos que seu filho tira? Ou as esculturas que ele faz? Ou os quadros que ele pinta?
- Nunca tive tempo para isso! - deu de ombros.
- Pois deveria arrumar! O senhor não o colocou no mundo para ser uma cópia sua e te substituir em todos os aspectos da vida! Ele tem vida e opiniões próprias e o senhor, Si-Woo, deveria apoiá-lo e não o desmotivar! Quantos quadros da sua última exposição você conseguiu vender, Seokjin?
-Todos, menos um! - ele respondeu, um tanto atônito.
se perguntou se esse quadro que não foi vendido, era o dela. O coração se aqueceu.
- Mas eu não recebi nenhuma oferta por esse último, então resolvi não vendê-lo!
O coração de esfriou com a resposta, mas ela continuou.
- O senhor deve entender muito bem sobre preços de obras de arte, então já deve saber o quanto ele ganha para poder abrir a própria galeria, e o mais importante ainda, o senhor deve saber bem sobre preços de imóveis também. E para finalizar minha colocação, hoje em dia as mulheres se interessam muito mais por artistas que por empresários, se a sua preocupação for o Seokjin não se casar, isso não vai ser problema para ele!
A mesa toda ficou em silêncio durante alguns segundos e Seokjin e Si-Woo tinham os olhos arregalados. sentiu uma das mãos da mãe sobre sua perna, como se dissesse para filha que ela estava certa. Depois ela trocou um rápido olhar com Seokjin. Tinha muita raiva daquele descaso de Si-Woo com o filho! E era uma implicância totalmente injusta e infundamentada. Além de super preconceituosa! não aguentou. Seokjin era um homem incrível e um profissional brilhante, e merecia uma chance dos pais.
- Vou pensar no que você me disse, ! - ele direcionou o olhar para os pais de - Tem personalidade forte ela, gostei!
quis revirar os olhos, mas não o fez. Então logo eles voltaram a comer em silêncio. Foi quando Seokjin levantou o olhar e encontrou o de , tão espantada quanto ele com a música que começara a tocar no restaurante. Eles estavam num restaurante chique qualquer, assim como quando eles se viram pela última vez em Natal, e como o destino amava brincar com os dois, começava a tocar a mesma música que tocava quando e ele jantavam lá. Os dois engoliram seco e Seokjin viu um filme passar em sua mente com os momentos daquela noite. Ele tomou um gole de sua bebida enquanto o encarava com os olhos cheios de água, abaixando a cabeça logo em seguida. Seokjin terminou seu jantar assistindo desviar o olhar do dele em todas as oportunidades.
- Vou ao banheiro, com licença! - se levantou.
Seokjin balançou a cabeça em negativa discretamente. Engraçado como ela era corajosa até demais para enfrentar o pai dele, mas era covarde de não conseguir encará-lo nos olhos enquanto as lembranças da última noite dos dois os inundava.
passou um pouco de água pelo rosto e então olhou seu reflexo no grande espelho do banheiro. Sempre que estava perto de Jin ela não sabia como se comportar! As lembranças dos dois juntos rondavam sua mente sempre, mas hoje elas a haviam atingido com mais força. Se perguntou silenciosamente porque os dois não podiam simplesmente seguir suas vidas sem todas essas brincadeirinhas do destino e por que diabos ela não conseguia o esquecer já que era impossível ficarem juntos?
Quando voltou para a mesa Eun a chamou para que fossem juntas buscar a sobremesa e aceitou, notou Seokjin vindo logo atrás delas e o coração acelerou. Na mesa os pais de observavam os mais jovens irem até o self-service das sobremesas, enquanto Eui, incomodada, se mexia na cadeira. Os pais de Seokjin se entreolharam e então resolveram puxar o assunto.
- Nós gostaríamos de falar com vocês sobre duas coisas! Podemos? - Eui questionou, sorrindo amigavelmente.
- Claro! Sobre o que seria?
Eliana e William já imaginavam do que se tratava um dos assuntos: e Seokjin. Os dois inclusive tinham falado sobre isso mais cedo, um com o outro.
- Como vocês lidaram quando a começou a namorar com um homem mais velho ainda sendo adolescente? Eun chegou a comentar com a gente que a aconselhou sobre o assunto!
Eliana tomou um gole de sua bebida.
- Ela nos mostrou que era responsável o suficiente para levar o namoro adiante, então com as atitudes dela percebemos que o namoro não atrapalharia em nada! E se me permitem um conselho? É até saudável! Proibir não ajuda, só atrapalha e pode afastá-la de vocês! Isso aconteceu conosco até que de fato deixássemos o namoro acontecer! Então um conselho que eu dou é esse! Observem as atitudes dela, certamente ela o vê escondido, mas se não está atrapalhando em nada, por que não deixar?
Eui e Si-Woo se olharam, receosos, mas abertos a tentarem. O conselho havia sido útil. Si-Woo então tomou a palavra para si.
- Nós realmente fazemos muito gosto do casamento entre e Seokjin! Acho que seria perfeito se acontecesse, para as duas famílias!
- Nós também fazemos gosto, Si-Woo! Eu realmente adoraria ter vocês na família!
- Um netinho de olho puxado, pensa, William? - Eliane interrompeu rapidamente, fazendo todos rirem.
- Hoje mesmo eu e Eliana conversamos sobre como seria bom para todos os envolvidos. Nós vamos ajudar, mas sem forçar nada! Vamos ajudar os dois a se aproximarem, para que assim eles criem vínculo etc.! Quem sabe ficando cada vez mais próximos os dois não acabam se apaixonando?
- Eu vou dar meus palpites de mãe, vou falar bem do Seokjin para a para ir já plantando a sementinha dentro do coração dela! - Eliane piscou.
Eui piscou de volta para ela e prometeu que faria o mesmo com Seokjin.

Assim que Eun terminou de pesar sua sobremesa, ela observou os adultos conversando na mesa, e se aproximou de e Jin, que ainda se decidiam. Com um sorriso sapeca nos lábios, ela anunciou:
- Vocês estão ligados que esse jantar é para combinar o casamento de vocês dois, não é?
E então ela voltou para a mesa, ainda com o sorriso nos lábios. e Seokjin, assustados, se olharam. Ambos sabiam da intenção de casar os dois vindo da parte de Eui e Si-Woo, e bom, sabia que os pais se agradavam da ideia também. Mas ao ponto de “combinar” um casamento, ela achava que não. Já Seokjin não duvidava de nada vindo dos pais!
Seokjin umedeceu os lábios.
- Qual das suas amigas está hospitalizada?
- A ! - o encarou rapidamente.
- E o que foi? Como ela está?
- O apêndice! Deu algumas complicações, mas vai ficar tudo bem! - respondeu rapidamente.
- Coitada! Vocês podiam ter avisado lá no grupo que ela mesma criou! Precisam de ajuda?
- Já estamos nos revezando entre cinco pessoas, está tranquilo. Obrigada!
olhava as sobremesas, ainda tentando se decidir enquanto Seokjin olhava para ela. A pele rosada, a boca macia que ele tanto conhecia, o piercing no nariz, os olhos intensos. Automaticamente ele levou uma das mãos até o rosto dela e então colocou uma mecha de cabelo atrás de sua orelha.
- Você está ainda mais bonita do que a última vez que nos vimos… Como pode?
O coração de , é claro, acelerou dentro do peito. Não o entendia, e àquela altura já não queria mais entender! Só sabia que precisava esquecer Seokjin o quanto antes, e cair em tentação não a ajudaria.
- Obrigada! - ela se virou, cortando o toque dele.
Pegou uma sobremesa qualquer e então foi pesá-la, deixando Jin sem entender porque ela estava o tratando daquele jeito seco, sendo que horas antes havia o defendido com unhas e dentes. A observou voltar para mesa e então abaixou a cabeça. Doía muito ser rejeitado por ela.
O restante do jantar correu normalmente, os pais de conversavam animadamente, e ela conversava com Eun, e vez ou outra com Seokjin também. Já na saída do restaurante, Depois que se despediu da família de Jin, ele se aproximou dela enquanto ela caminhava para o carro, segurando-a delicadamente pelo braço e um pouco sem jeito.
- Queria te agradecer! Por ter falado todas aquelas coisas para o meu pai!
- Não precisa me agradecer! Só fiquei raivosa com o preconceito do seu pai com tudo que não é do mundo corporativo, com tudo que na cabeça dele não dá dinheiro, só por isso falei aquelas coisas, sei que você consegue se defender sozinho! Boa noite!
Seokjin voltou a pensar em como ela havia mudado enquanto a observava caminhar até o carro. Engoliu seco e teve medo de que aquela nova versão de o esquecesse mesmo. E era exatamente isso que pensava enquanto entrava no carro: tinha que esquecer Kim Seokjin.



Septuagésimo Sexto Capítulo - I Hate this Part

abria a casa da amiga com Jimin logo atrás dela. Os bichinhos de logo vieram correndo esperando encontrar a dona e , que conversava carinhosamente com eles enquanto se abaixava para acariciá-los.
Jimin adentrou a casa fechando rapidamente a porta atrás de si e logo se juntou a acariciando os bichinhos enquanto eles pulavam nele. Jimin ria e o observava rir, gostava tanto da risada dele! Jimin amava animais, só não tinha nenhum porquê não achava justo eles ficarem presos num apartamento pequeno basicamente o dia todo enquanto ele trabalhava. Tinha um amor especial pelos gatos então aproveitou a presença deles para acariciá-los. continuava agachada, observando o sorriso genuíno nos lábios dele.
Logo depois os dois se levantaram e caminhou em direção à cozinha da casa da amiga, abrindo a porta da varanda que dava acesso ao quintal e aos canis dos animais. Jimin a seguia, e os animais também.
- Você se importa de pegar o saco de rações para mim? Dos cachorros?
- Claro que eu pego! Onde está?
- Ali dentro do canil! - apontou para o lugar.
Jimin caminhou com dois dos cachorros ao seu encalço e ele adentrou o canil.
- Vocês estão com saudade da mamãe? - ele questionou enquanto o schnauzer pulava em sua perna.
Ele se abaixou levemente e pegou o grande saco de ração levando-o até .
- Cuide dos gatos enquanto isso, Ji? Eu tenho um pouco de medo deles! - ela gargalhou.
Jimin observou que as bochechas dela ficaram vermelhas e ele a achou a mais graciosa das mulheres.
- A ração deles fica na cozinha! Dentro do armário, debaixo da pia…
Jimin assentiu, enquanto se aproximava dela, segurando-a pela cintura. Ao aproximar o corpo do dela, , ainda vermelha, fechou os olhos. Sentiu os lábios dele se aproximarem dos dela e então cedeu, deixou que ele a beijasse. Pousou as mãos no peito dele e sentiu as pernas vacilarem levemente quando a língua dos dois se encontrou. A língua de Jimin sempre estava quente quando se encontrava com a dela, sentindo as pernas da mais baixa vacilarem um pouco ele apertou a intensidade do toque em sua cintura, sorrindo entre o beijo. Adorava causar esses efeitos nela.
envolveu os braços no pescoço de Jimin, colando ainda mais o corpo no dele e aproveitou para embrenhar as mãos em seus cabelos negros. O beijo ia tomando certa intensidade e sentia o coração bater com mais força dentro do peito. Será que estava se apaixonando por ele? Abriu os olhos e então separou os lábios dos dele com certa aspereza e então mirou o chão. Jimin suspirou e então bagunçou os cabelos, ele odiava vê-la se reprimir do que ele achava que ela sentia por ele.
Ela voltou a dar atenção aos bichinhos e Jimin adentrou a casa em busca da ração dos gatos. Procurou por ela no local indicado por e voltou com o saco em mãos, arrumando assim a comida para os gatinhos. Logo, os dois se juntaram enquanto assistiam aos animais comerem alegremente.
- Eles devem sentir falta da , não é? - ele passou um dos braços em volta do pescoço de .
- Acho que sim! Convivem com ela há tanto tempo, não é? O que será que eles pensam?
Os dois se encararam e logo explodiram em risadas. Em seguida um dos cachorros após comer veio todo alegre em direção à Jimin, que se abaixou para dar mais atenção a ele. Logo os dois estavam brincando enquanto Jimin fazia alguns comentários sobre a volta de , e sobre eles não precisarem ficar preocupados que ela já voltaria.
- Eles devem sentir falta dos pais da também!
Jimin e se encararam. O mais velho se levantou enquanto segurava um dos cãezinhos nos braços. Resolveu que talvez aquele fosse o momento ideal para tocar naquele assunto.
- Há quanto tempo você não fala com a sua mãe?
- Hã? - ela franziu a testa.
Uma pergunta daquelas, do nada?
- É! Há quanto tempo você não fala com ela?
- Tem muitos anos, Jimin! Muitos anos! - deu de ombros.
- Por quê?
- Como, por quê? Você sabe muito bem o porquê! Eu sumi, e depois disso nunca mais eu tive contato com ela! Não tive contato direto!
- Não sente falta dela?
encarou os olhos dele e sentiu os próprios marejarem. Aquele assunto ainda era uma ferida aberta, que todas as vezes que alguém mexia atrapalhava a cicatrização e fazia sangrar.
- Não! - mentiu enquanto observava as vasilhas dos bichos.
Logo pôs-se a andar para dentro da casa enquanto chamava os bichinhos. Jimin sabia que ela estava fugindo do assunto, mas não deixaria. Ele sabia que o assunto era delicado, mas precisava falar sobre seus traumas, medos e angústias. E ele queria que ela o fizesse com ele. Queria ajudá-la a superar tudo aquilo, da mesma forma que ela fez com ele.
- Eu sei exatamente quando você mente, ! Conheço você como a palma da minha mão!
- Você conhece o que eu deixo, Jimin, e posso te garantir que está muito longe de me conhecer de verdade!
Jimin engoliu seco, sabia muito bem como usar as palavras com aspereza quando queria se defender. Costumava machucar, mas Jimin não desistiria.
Os dois esperaram os animais entrarem na casa e trancou a porta da cozinha que dava à varanda enquanto Jimin colocava o schnauzer no chão. Ele bufou baixinho enquanto segurava o braço de , fazendo o corpo dela bater no seu.
- Você parece criança às vezes, sabia?
- Você que vem com uns assuntos nada a ver, Jimin! Pode me soltar? A gente ainda tem que arrumar água para os bichinhos aqui dentro e dar uma olhada na casa!
- Não fuja desse assunto só porque ele ainda te machuca, ! Você precisa enfrentar todos esses fantasmas!
- O que você quer dizer, Jimin? - foi a vez de bufar.
- Que você deveria procurar a sua mãe! Eu sei que sente falta dela!
- Você não sabe de nada! - se livrou do braço dele. – Aliás, esse assunto nem deveria estar em pauta entre nós dois!
- Você insiste em se fazer de durona! De forte! De que não se entregou completamente a mim ainda!
abriu a boca, estupefata com a audácia de Jimin.
- Você é ridículo! Faça-me o favor, Jimin!
- Ah, ! - ele bateu as mãos na lateral do corpo pequeno, impaciente - Você precisa procurar por ela, para poder matar essa dor!
- Que dor, Jimin? Que é essa que você conhece?
- Justamente! Por que você não pode simplesmente assumir para mim que isso te mata lentamente por dentro? Eu sinto, , eu vejo! Eu quero te ajudar!
- Eu não pedi ajuda, Jimin!
- Eu sei! Você nunca pede, você não consegue deixar esse orgulho de lado! Eu quero fazer você enxergar as coisas de uma outra perspectiva! Já tentou fazer terapia?
- Está me chamando de doida, Jimin? - ela colocou as mãos sobre o peito, claramente ofendida.
Jimin voltou a suspirar pesadamente, por que ela não entendia? Por que distorcia tudo que ele falava?
- Não seja preconceituosa e ignorante! Terapia não é para pessoas malucas! Fazer terapia não significa que você tem problemas mentais, ! Todo mundo que tem traumas precisa fazer, sabia?
- Já deu esse assunto, não é? - ela caminhou em direção a sala.
Jimin a seguiu.
- Eu posso ajudar você a achar sua mãe! O Namjoon também, ele é advogado, é influente, é um cara com contatos! Ele certamente pode ajudar você!
- Eu não quero! - ela disse firmemente.
- Mas precisa! Vai ser importante, !
- Importante? Ela não é importante para mim, Jimin, não mais! Não depois de tudo o que eu passei naquela casa, não depois da omissão dela!
- Mas vocês precisam conversar sobre isso, !
- Chega desse assunto! - ela colocou as mãos sobre as têmporas. - Você não tem o direito de se intrometer nisso!
- Não? O que eu sou para você? Nada?
ficou em silêncio, encarando os olhos marejados dele.
- Eu acho que amar você é a coisa mais angustiante que já tive que fazer.
Jimin engoliu seco enquanto se virava de costas para ela. não sabia exatamente o que fazer com a abrupta informação de que ele a amava. E ela, o amava?
- Você disse que sabia o que estava fazendo! - foi o que ela conseguiu responder antes de sair pelo corredor que dava para os quartos.
Jimin balançou a cabeça enquanto se jogava no sofá. adentrou o banheiro da casa da amiga e resolveu passar uma água no rosto. Aquele assunto a deixava pesada! Ela sabia que as intenções de Jimin eram as melhores, mas não achava que ele tinha o direito de invadir esse espaço, que era só dela! E ela ainda estava tentando processar a informação que ele cuspira a pouco: a de que a amava. Como aquilo era possível?
Jimin deu uma ajeitada na sala da casa de , depois lavou algumas louças. Se jogou no sofá outra vez e então fechou os olhos, tentando acalmar a mente. se jogou ao lado dele no sofá em silêncio depois de ter arrumado um pedaço do banheiro e do quarto da amiga. A cabeça dela ainda girava com as informações da noite.
O celular dela vibrou dentro do bolso e ela o pegou, franzindo a testa ao ver que era fazendo uma chamada de vídeo.
- Senta lá no outro sofá! tá me ligando de vídeo e ela não pode nem sonhar que você está aqui comigo!
Jimin encarou que o devolvia o olhar, séria. Ele pode jurar que ouvira o barulho do coração dele se quebrando dentro do peito. Por mais quanto tempo seria daquele jeito? Ele apenas assentiu com a cabeça enquanto se mudava de sofá. o ouviu bufar,, mas ignorou. As duas conversaram sobre os bichinhos, sobre a casa e sobre como se sentia e depois desligaram.
Jimin logo se pôs de pé pegando no bolso a chave do carro, demonstrando que já estava mais do que pronto para ir embora. Os dois trancaram tudo o que tinham para trancar na casa, reabasteceram as vasilhas dos animais com água e um pouco de ração, se despediram deles e então saíram da casa.
Em silêncio, Jimin deixou em casa, e antes que ela descesse os dois se encararam.
- Não vai querer entrar, não é?
Jimin fez que não com a cabeça.
- Você é engraçada, ! - ele voltou a balançar a cabeça em negativa - Você induz a minha queda, você chega como quem não quer nada, querendo tudo e depois se vai. Você vem, sabendo que não vai ficar, mas me faz acreditar do contrário, e eu finjo estar convencido, só para dançar no seu ritmo, só para não errar os passos. A ruína vem em passos lentos e você corre tão depressa. O que me conforta não é saber que você volta, é que eu permaneço em ti quando você vai!



Septuagésimo Sétimo Capítulo - If I get my way

O irmão estava no banho quando ela passou pelo banheiro no corredor e assim que chegou até as escadas o celular tocou. Mais um número desconhecido, ela tremeu e então fechou os olhos. Não ia atender, mas o número não desligava por nada. Atendeu apenas para ouvir a respiração pesada do stalker do outro lado, e um sussurro: “você não vai ficar com ele”. O stalker desligou.
sentiu os olhos se encherem de água enquanto o coração saltava dentro do peito. Levou a mão até lá, sentindo o lugar doer fisicamente com o medo repentino de algo acontecer com JK por culpa dela. Respirou fundo enquanto descia os degraus e alcançava o chão da sala. Se jogou no sofá com a cabeça para trás enquanto o celular explodia de SMS 's do stalker. As lembranças do último encontro com Jungkook passeavam livremente por sua mente enquanto ela pensava no porquê não podia simplesmente seguir com sua vida em paz…
A campainha da casa tocou e ela se perguntou se o irmão estava esperando alguém, enquanto era tirada de seus devaneios. Como o irmão provavelmente ainda estaria no banho, ela perguntou quem era, do sofá mesmo. Os olhos dela se arregalaram ao ouvir a voz de Jungkook ecoarem pelo cômodo. Ela levantou num salto e abriu a porta correndo, torcendo para que aquilo houvesse sido apenas uma alucinação. Mas não, lá estava ele parado no batente da porta de .
- O que você está fazendo aqui? - ela mordeu o lábio inferior.
- Vim ver você! - ele tinha as mãos nos bolsos da calça preta jogger.
- Para quê? - ela fechou os olhos – Jungkook, a gente tinha combinado…
JK a interrompeu.
- Eu sei! Mas eu não consigo parar de pensar em você, ! Na gente…
- Arrume um jeito de parar! - ela elevou algumas dezenas o tom de voz.
Os olhos pretos de Jungkook se arregalaram. quis morrer.
- E você acha que eu não quero? Acha que eu quero ficar lembrando da gente? Eu estou trabalhando como um condenado nesses dias só para ver se eu não tenho tempo de pensar na gente! Eu mal durmo, eu mal como, ! Estou fazendo o possível e o impossível, mas estou falhando.
soltou o ar preso dentro dos pulmões.
- Não vai me deixar entrar? - ela negou com a cabeça - Você também pensa na gente, não pensa?
Ele deu um passo longo, ficando frente a frente com ela, as testas agora juntas. sentia o cheiro de menta que vinha dos lábios dele quando ele os abriu para falar outra vez.
- Eu quero você e você disfarça, com essa cara de quem vai me destruir. - sentiu as mãos dele lhe segurarem o rosto.
O nariz de Jungkook roçou no dela e suspirou pesadamente outra vez, mas dessa vez, sôfrega.
Os lábios dele tomaram os dela, com urgência e quando menos esperava a língua dele invadia sua boca. As mãos dela circundaram a cintura de Jungkook, apertando-a enquanto as línguas brincavam uma com a outra. O beijo dele sempre era molhado.
sentiu as costas baterem na parede gelada enquanto as mãos dele desciam por sua cintura. Quando JK apertou o corpo dos dois, deixando evidente que estava começando a ficar excitado com o contato, ouviu o sussurro: “você não vai ficar com ele"...
Jungkook sentiu o impacto das duas mãos dela espalmadas em seu peito, o empurrando com força.
- Não, JK! - ele ouviu a voz embargada dela.
- , por Deus! Você precisa me ajudar! - Jungkook se aproximou dela outra vez - Você correspondeu! Você também queria!
- A gente não pode! Por favor, entende isso! - ela deixou que o choro caísse.
- Eu estou tentando, ! Eu juro que estou tentando! Mas você me deixa confuso! Tua boca na minha, minha desgraça, teu peito no meu, só bate e arregaça! Eu tenho medo de te perguntar o que a gente é... Você abala minha fé!
segurou a barra da camiseta preta que ele usava e fechou os olhos quando viu os de Jungkook marejarem. Aquilo estava sendo como fazer um procedimento cirúrgico sem anestesia nenhuma.
- Você não ama ninguém, nem me deixa ir além, ! Então viu, vê se me deixa ir, caramba! Eu continuo aqui, você vai me destruir.
- Me assusta o nosso beijo ser melhor agora! Só me ajuda, e não me peça para não te mandar embora!
afundou a cabeça no peito de Jungkook, deixando as lágrimas molharem a camiseta dele. JK apertou a cintura dela com força enquanto também se deixava levar pelo misto de sentimentos.
- Me deixa ir, me deixa ir! Me deixa ir, ! Me deixa ir então! Você vai me destruir!
- Então chega, Jungkook! Vai embora vai! Eu não posso ter você, vai embora!
Taehyung desce as escadas apressadamente chamando pela irmã, o coração dele batia tão rápido dentro da camisa, e os cabelos dele ainda pingavam. Ele parou estático com a mão sobre o peito, mal enxergando a irmã com as mãos na cintura de Jungkook. Ambos choravam e agora olhavam para ele.
- Caramba, que susto! O que está acontecendo aqui, gente?
- O Jungkook que não entende que acabou e fica aqui enchendo a porra do meu saco!
Taehyung arregalou os olhos com a agressividade desnecessária da irmã. Jungkook soltou uma risada nasalada enquanto fechava os olhos com dor. sabia que aquilo terminaria de destruir Jungkook, era a única forma de afastá-lo de si mesma: o machucando o máximo que ela pudesse.
- ! - o irmão a repreendeu. - Por favor! Não foi assim que a mãe e o pai te educaram!
Jungkook se afastou de , fazendo com que as mãos dela caíssem pesadamente por seu corpo.
- Deixa, V! A sua irmã está louca e vai me enlouquecer junto com ela! Está tudo bem, não se preocupa, não! Eu estou indo embora.
Ele limpava as lágrimas com as costas das mãos enquanto dava passos para trás. tapou o rosto com as mãos enquanto desaparecia escada acima e sumia das vistas dos dois.
- Das duas uma: ou ela realmente enlouqueceu ou aconteceu alguma coisa, V!
- Eu não sei o que aconteceu, JK! Não entendi essa reação! Vou ser sincero, ela pareceu estar sofrendo por causa do término, e eu podia jurar que vocês voltariam cedo ou tarde!
- Ela correspondeu ao meu beijo, agorinha, V! - os olhos dele voltaram a marejar.
Taehyung balançou a cabeça em negativa.
- Por algum acaso o stalker deu as caras de novo? - JK umedeceu os lábios.
O coração de Taehyung voltou a pular dentro do peito ao imaginar essa hipótese.
- Não que eu saiba! Mas eu vou investigar isso ai! Te dou notícias e prometo cuidar dela!
- Você já cuida, V! Só me dê notícias, eu fico preocupado. Amo a sua irmã!
Taehyung sorriu abertamente enquanto abria os braços, puxando Jungkook para um abraço apertado.
As lágrimas voltaram a rolar bem discretas pelo rosto de Jungkook. Ele as limpou antes mesmo que Taehyung pudesse soltá-lo do abraço. Ele tinha certeza que algo afligia muito além de todas as desculpas usadas para afastá-lo, e ele precisava descobrir o que, mas com ela o repelindo daquele jeito todas as vezes em que ele tentava se aproximar, ficaria difícil.
- Está mais tranquilo um pouco, Jungkook? Eu vou ficar de olho nela…
- Só vai me dando notícias! - os dois assentiram um para o outro -
- Me avisa quando chegar em casa, bro?
Jungkook voltou a balançar a cabeça positivamente enquanto Tae caminhava com ele até o portão da casa. Assistiu o mais novo entrar no carro e então acenou para ele.
Voltou para casa e então subiu as escadas, adentrou o quarto da irmã sem nem mesmo bater.
- A gente precisa conversar, ! O que foi aquilo?
- Aquilo o quê, Taehyung? Não me enche o saco!
Taehyung revirou os olhos e então cruzou os braços abaixo do peito.
- Você anda muito estranha! Você ama o Jungkook, porque simplesmente não aceita isso?
bufou alto e então se levantou, caminhou na direção do irmão.
- Eu não me meti na sua treta com a , então não se meta no que eu decido sobre o Jungkook!
- Não estou me metendo, estou cuidando de você, ! Como sempre! Eu por você e você por mim! O que está acontecendo? Você pode confiar em mim e sabe disso, irmã!
- Agradeço, mas sei o que estou fazendo, Taehyung! Pode me deixar sozinha? - ela segurou a porta já pronta para fechá-la.
- Precisamos conversar!
- Não! Não precisamos! - ela empurrou o irmão com delicadeza.
Fechou a porta, deixando Taehyung frustrado do outro lado. Não desistiria de saber o que estava acontecendo.
se jogou sobre a cama tapando o rosto todo com as mãos enquanto chorava. Nenhum dos dois podia saber de nada.



Septuagésimo Oitavo Capítulo - Entertainer

Acordou com certa dificuldade pela claridade que invadia o quarto e então se sentou na grande cama de Suga. Ele, para variar, não estava mais deitado lá. Suga sempre acordava cedo, sempre…
Caminhou ainda um pouco sonolenta depois de ir ao banheiro fazer sua higiene matinal e estranhou o silêncio do apartamento. Ela não estava na sala, então girou a cabeça, olhando na direção da sacada, esperando encontrar Yoongi lá, chupando um pirulito, já que o havia dito para que todas as vezes em que ele sentisse vontade de fumar o fizesse. Mas não, ele não estava lá. Ainda vestida com uma das camisetas dele, foi até a cozinha encontrando a mesa já posta e com o café da manhã pronto. Lá havia também um bilhete de Suga que dizia: “Tive que ir trabalhar hoje! Alguns pacientes precisaram de mim com urgência e eu não pude dizer não. Mas você pode me ligar se precisar de qualquer coisa!”

sorriu ternamente enquanto se sentava na cadeira para tomar seu café, preparado por Suga. Pensou em como ele vinha sendo incrível desde que havia resolvido assumir Hyuk, apesar de às vezes ele ter alguns rompantes de frieza, de gostar muito de ficar sozinho e de já ter deixado claro que tudo isso era apenas para cumprir com suas obrigações, esses dias morando juntos fizeram com que pensasse em como era sempre ele cuidando dela e nunca ele sendo cuidado…
Depois que tomou o café preparado por Yoongi, ela resolveu mandar uma mensagem para ele:
Yoongi

Que horas você volta?



Mordeu o lábio inferior, receosa com a resposta que ele daria. não queria preocupá-lo, então correu e mandou:
Yoongi

Que horas você volta?

Não aconteceu nada! Eu estou bem, só para saber mesmo!



Ela lavou as louças que ele usou para deixar o café pronto e então resolveu praticar um pouco de piano, para que o tempo passasse. Depois ela foi checar o celular e Suga havia respondido que sairia do consultório perto das sete da noite. resolveu então que estava na hora dele ser cuidado um pouco, afinal de contas, ele provavelmente chegaria cansado do trabalho. É! Era uma boa ideia! Ficou mais um pouco praticando no piano até que os pais ligaram. Ela conseguiu preparar uma refeição rápida para si mesma enquanto falava com a mãe. Depois de almoçar e lavar tudo ela resolveu ler. Suga mandou algumas mensagens durante o período para se certificar que estava tudo bem com ela. sorriu enquanto lia a última onde ele avisava que faltava apenas mais um paciente. Pulou da cama enquanto se espreguiçava. Prepararia o jantar para eles hoje, então caminhou até a cozinha, antes ela separou mais alguns pirulitos e colocou-os perto do cinzeiro porque sabia que ele ia chegar procurando por eles e ali haviam acabado, então repôs.
Preparou uma comidinha simples, porque sabia que ele chegaria com fome e acabaria por pedir algum fast-food mesmo, então se a comida já estivesse pronta quando ele chegasse seria mais fácil. Assim que a comida ficou pronta ele chegou, dando tempo apenas de montar a mesa com os pratos e talheres.
Suga entrou no apartamento, sentindo o cheiro gostoso da comida recém feita adentrando por suas narinas. Ele estava exausto, havia um bom tempo que ele não atendia tantos pacientes em um dia só. sorriu sem mostrar os dentes para ele, que repetiu o gesto. Depositou a pasta sobre o sofá juntamente com o jaleco e caminhou na direção dela.
- Hoje o jantar foi por minha conta! - piscou.
- Não precisava, ! Eu me virava!
- Você está sempre se virando, qual o problema de eu fazer o jantar? Ok que a minha comida não é tão gostosa quanto a sua… mas até que eu cozinho bem!
gargalhou, fazendo Yoongi mostrar a gengiva ao sorrir genuinamente com as mãos na cintura. Os cabelos dele agora estavam maiores e pretos, o que dava a ele um ar ainda maior de seriedade, mas achava que ele ficava incrivelmente ainda mais bonito daquele jeito.
- Eu tenho certeza que sim!
Após lavar as mãos na pequena despensa do apartamento ele se sentou à mesa, assistindo servir um prato para ele. Ele não conseguiu não sorrir enquanto abaixava a cabeça, pensando que eles pareciam marido e mulher.
Os dois comeram enquanto ele contava sobre como havia sido cansativo o dia de trabalho, mas que estava com saudades da função e de poder ser ativo durante um dia todo de trabalho. contou que praticou bastante no piano, contou que conversou com a mãe.
- Ela te mandou um beijo, inclusive!
Suga sorriu enquanto desabotoava os dois primeiros botões da camisa social listrada que usava. Ele se levantou recolhendo os pratos e levantou também o seguindo até a cozinha!
- Gosto da sua mãe! - ele ainda sorria.
- E ela de você! Deixa isso aí que mais tarde eu lavo! Hoje você precisa repor as energias, está cansado! Eu preparei uma surpresa para você! Está lá no banheiro!
colocou as mãos nos ombros dele, os massageando levemente. Suga deixou que o corpo relaxasse embaixo das mãos dela enquanto fechava os olhos.
Ela rumou com ele até o banheiro e Suga fechou os olhos outra vez, de satisfação ao ver a banheira pronta para recebê-lo.
- Você leu meus pensamentos! - ele gargalhou.
sorriu, e então se escorou no batente da porta.
- Vou deixar você à vontade enquanto toma seu banho e relaxa um pouco!
- Não! - Yoongi se virou frente a ela. - Entra comigo!
sentiu as bochechas enrubescerem e o coração saltar dentro do peito. Ele falava sério?
- Você está falando sério?
- Por que não? É só um banho de banheira…
Yoongi deu de ombros enquanto mordia o lábio inferior, encarando .
- Melhor não! Você fica mais à vontade!
- Você não me deixa menos à vontade, ! Entra um pouco!
Ela assentiu.
- Posso usar uma das suas camisetas para entrar, já que não veio biquíni nas minhas coisas? - ela fechou os olhos ficando ainda mais vermelha.
- Claro! - Yoongi se virou de frente para a banheira outra vez.
Quando ela voltou, ele já estava dentro da banheira com os olhos fechados e a cabeça escorada na parede. Os cabelos negros dele já estavam molhados e umedeceu os lábios. Se sentou próxima a ele enquanto prendia os cabelos num coque. Yoongi abriu os olhos e os dois se encararam. A água da banheira ainda estava quente, e as espumas cobriam basicamente todo o corpo dos dois.
O coração de batia rápido dentro do peito, tanto que ela temia que Suga pudesse ouvi-lo. Ela sentiu Suga lutar contra si mesmo, pensando se deveria se aproximar mais dela ou não. abaixou a cabeça e fechou os olhos. Ela não sabia se deveria estar ali mesmo… Suga respirou fundo e então sentiu a coxa dele bater na sua. Ela subiu o olhar, abrindo os olhos e encontrando os dele: pequenininhos.
Ele se virou levemente, então colocou a mão sobre a barriga dela. automaticamente colocou a mão sobre a dele. Viu os olhos de Suga marejar.
- Ainda dói, a sua barriga? Bom, seu ventre… - ele acariciou o local.
fez que não com a cabeça.
- Não mais! Mas penso nele todos os dias!
- Eu também! - Suga mordeu o lábio - Mas hoje dói um pouquinho menos!
assentiu para ele enquanto tirava a mão sobre a dele. A de Suga continuou por lá. se permitiu fechar os olhos enquanto a mão dele caminhava para sua cintura. O que ele pretendia com aquelas carícias? Foi quando ela o sentiu a abraçar pela cintura, deitando a cabeça no ombro dela. se permitiu colocar a mão sobre uma das coxas de Yoongi.
- Sabe de uma coisa que eu estava pensando esses dias? - ela engoliu seco, incerta se deveria prosseguir ou não.
- O quê? - Suga ergueu a cabeça e sentiu a respiração dele bater em seu pescoço.
O corpo dela arrepiou, mesmo debaixo da água quente.
- Mesmo que o Hyuk não tenha nascido, talvez ele tenha de fato cumprido o propósito dele aqui! E eu acho que talvez esse propósito tenha sido, aproximar nós dois…
Ela virou o rosto encostando o nariz no dele sem querer. Suga desceu os olhos para a boca rosada de , e umedeceu os próprios lábios. Queria beijá-la.
- Eu quero beijar você! Quero muito, !
Não dando tempo para que ela reagisse ou respondesse, ele a beijou. deixou que a língua quente dele se encontrasse com a sua e segurou o rosto dele com uma das mãos. O sentiu apertar a sua cintura com força enquanto aprofundava o beijo.
entrelaçou os dedos nos cabelos molhados de Suga e ele sentiu o corpo querer reagir com o contato. Grudou o corpo dos dois, molhados, um pouco mais. O beijo dos dois parecia casar um com o outro, era como se não houvesse nenhum estranhamento ali, como se as bocas e línguas já se conhecessem de outras vidas. O beijo ganhou intensidade quando uma das mãos de Suga subiu para a nuca dela, adentrando ainda mais com a língua dentro da boca de , que sentiu que poderia desmaiar, tão gostosa era a sensação. E há quanto tempo ela não sentia aquelas coisas? Há quanto tempo os dois não se beijavam…
Quando finalmente os pulmões imploravam por ar, os dois se desgrudaram. abriu os olhos, com a respiração visivelmente descompassada, enquanto que Suga, também de olhos fechados, parecia mais contido. O coração dela batia com força dentro do peito. A cabeça dela, um nó. Ela pensou no que se passava na cabeça dele quando ele a beijava daquele jeito, e mais ainda: o que se passava depois?
- Acho que eu já vou sair! Preciso dar um jeito na sua cozinha! - se levantou da banheira.
O olhar de Suga passeou pelo corpo dela vestido na camiseta branca dele. O tecido, agora levemente transparente, deixava as curvas do corpo dela ainda mais evidentes, e a boca de Suga salivou. Ele imaginou que textura a pele dela teria em seus lábios, mas logo tratou de se livrar dos pensamentos, ele logo teria que se levantar também. Não ficaria lá sozinho. Estava começando a se desacostumar a ficar sozinho outra vez…
- Também já vou sair! - ele umedeceu os lábios secos.
pulou da banheira para o chuveiro, precisava tirar a espuma do corpo. Se sentia observada por Yoongi, mesmo que estivesse de costas para ele. O coração continuava acelerado, e a pele dela, ainda pedia por mais contato com a de Suga.
Yoongi resolveu fechar os olhos enquanto ela se banhava, mesmo que ainda vestida. Ele tentou buscar na memória alguma lembrança do corpo dela, de como ela era nua, mas não conseguiu. Colocou a mão sobre o membro, como se isso fosse impedir o mesmo de acordar, se ele olhasse um pouco mais para , poderia perder a cabeça.
Assim que o chuveiro desligou ele abriu os olhos, encarando . Nenhum dos dois disse nada e ela saiu do cômodo.

****************************************************************************************************

Assim que ele se aproximou dela na cozinha ela guardava a última louça no armário.
- Você é rápida! - Suga comentou.
sorriu sem mostrar os dentes.
- Que tal a gente assistir um filme?
se aproximou dele, respirou fundo.
- Acho que está na hora de a gente conversar sobre eu sair daqui, Suga!
O coração dele palpitou.
- Acho que a gente não precisa de pressa para isso! Estou te esperando lá no quarto, vou escolhendo o filme!
fechou os olhos quando ele saiu. A cabeça dela voltou a dar um nó. Por que ele não queria falar sobre aquilo? E por que o corpo dela ainda queria sentir o dele? Por que ele acelerava o coração dela daquele jeito? Seriam os hormônios? Talvez a perda recente do bebê… ou ela realmente estava se apaixonando por ele? Balançou a cabeça com veemência. Não! Não podia estar se apaixonando por ele. Ao passar pela sala, ela notou que Yoongi havia esquecido o celular por lá e a tela brilhava. pegou o celular nas mãos para levar de volta para ele, mas o nome de Charlotte no visor chamou sua atenção.

Charlotte

A gente tem que se ver de novo! Depois daquele dia que nos encontramos, quando você perdeu o Hyuk, eu só penso em você e em como tudo deve estar difícil! Vem me ver qualquer dia desses, a porta está sempre aberta para você, e você sabe muito bem disso.



Os olhos dela marejaram levemente enquanto ela bloqueava o celular. Então aquele dia em que saiu para espairecer enquanto ficava com ela, Suga havia ido se encontrar com Charlotte. balançou a cabeça em negativa então ouviu ele a chamar lá do quarto. Ela limpou uma lágrima teimosa e caminhou devagar de encontro à Yoongi.
- Ficou na sala! - ela ergueu o celular na altura dele.
- Obrigado! Que tal a gente assistir esse? - Suga apontou para a tela da TV com o celular.
assentiu que sim para ele enquanto se ajeitava na cama. Logo ele também se ajeitou ao lado dela. Suga encostou a cabeça na dela, entrelaçou uma das mãos na dela e inconscientemente o encarou. Precisava ir embora daquela casa o quanto antes.
- Amanhã eu preciso voltar na clínica! Vai ficar bem sozinha?
- Vou! Pode ir tranquilo!
Ele sorriu sem mostrar os dentes para , que sorriu de volta. Inconscientemente ela levou uma das mãos até o rosto delicado dele e acariciou a bochecha. Suga fechou os olhos. Logo, com as carícias dela, ele pegou no sono. o observou dormir, provavelmente pela última vez…

****************************************************************************************************

Mais uma vez, lá estava o café preparado por ele. estava sem fome, então mal conseguiu mexer na comida. Depois de tudo arrumado, ela adentrou o quarto que antes era dela e de Hyuk. O peito ardeu ao ver o berço do filho ainda montado ali, intacto. Se permitiu chorar enquanto arrumava as malas. Não conseguiria levar tudo de uma vez, levaria hoje apenas o necessário. Já havia conversado com os pais, voltaria para lá nesse primeiro momento. Disse que explicaria tudo aos pais quando chegassem, e mais uma mentira: havia dito que o namoro acabara.
Com uma mala básica já pronta e o carro do aplicativo já a caminho, ela deixou um bilhete para ele:

“Obrigada, Yoongi! Por todo o cuidado, por ter arcado com a responsabilidade que era ser um pai, especialmente de uma gravidez inesperada e não planejada com uma desconhecida que você teve só uma noite. Hoje eu acho que o nosso caminho tinha mesmo que se cruzar naquele bar… Você foi incrível! E eu só te desejo coisas imensas, boas e imensas! Você é merecedor. Mais uma vez, obrigada por tudo! Bom, da mesma forma que eu acho que nossos caminhos precisavam se cruzar naquela noite, eu acho que nessa manhã, eles precisam voltar para o rumo certo. Cada um vivendo a sua vida. Afinal de contas, não existe mais obrigação ou responsabilidade nenhuma que nos prenda, especialmente que te prenda a mim. Você está livre! Eu venho aos poucos terminar de buscar as minhas coisas.
Boa sorte, Min Yoongi!
.”

Terminou de escrever o bilhete com os olhos marejados. Deu uma última olhada no apartamento e no piano…
Assim que entrou no carro, desabou. Mal sabia ela que Suga também desabaria.



Septuagésimo Nono Capítulo - I’ll stand by you

O celular dela tocou dentro do bolso, já que a bolsa havia ficado no carro e ela deu um leve sorriso ao ler o nome de Namjoon na tela.
- Oi, meu bem! - foi a vez de Namjoon sorrir.
- Pode falar?
- Posso sim! Aconteceu alguma coisa? Você nunca me liga…
Namjoon do outro lado, abaixou a cabeça, pensando em como de fato as coisas entre os dois eram mais frias, mais diretas.
- Ah, é que eu queria te ver! - ele coçou a nuca - Preferi ligar para ser mais rápido o contato!
continuou andando enquanto caminhava para a entrada do cemitério, onde iria ver o túmulo dos pais. Gostava de tempos em tempos ir lá, ver como o túmulo estava e conversar com eles. Precisava de um pouco de luz, de algum sinal, e bom, para ela, os pais sempre ajudavam.
- Tá bom! A gente pode se ver! - ela olhou as horas no relógio de pulso.
Eram nove e quinze da manhã.
- Você está em casa? - Namjoon mordeu o lábio receoso enquanto abria a porta do carro.
- Não! Estou no cemitério!
- No cemitério? - ele conectou o telefone na multimídia do carro.
parou de caminhar bem na entrada do local.
- Vim ver os meus pais, meu bem! - Namjoon engoliu seco. Será que era melhor deixá-la sozinha no dia de hoje? - Mas você pode vir me encontrar! Estou te esperando, é aqui no Guaratiba, sabe chegar?
- Daqui uns quinze minutos estou aí!

***********************************************************************************************************

o observou caminhar em sua direção, com as mãos nos bolsos e os óculos escuro no rosto bonito dele. Namjoon não sabia direito se sorria para ela, ou permanecia sério, afinal de contas: ela estava triste ou estava tudo bem? Se amaldiçoou por não saber lidar direito com os sentimentos das outras pessoas.
Assim que ele parou em frente a ela, não conseguiu: sorriu. sorriu de volta e então ela ficou na ponta dos pés depositando um beijo demorado na bochecha dele. Namjoon achou estranho, afinal de contas os dois já podiam se cumprimentar com um beijo, não? Por que ela o deixava tão sem saber como agir?
- Você quer ir comigo?
- Você prefere ir sozinha?
- Você quem sabe! - ela deu de ombros - Eu não me importo se você for!
Namjoon pensou no quão íntimo aquilo tornaria os dois…
- Anda! Vamos! - ela segurou a mão dele enquanto o puxava para dentro do cemitério - Seu irmão chegou a ser enterrado, Namjoon?
Ele engoliu seco. Íntimos demais, pensou…
- Eu não sei muito bem, !
Ela sentiu o tom seco ressoar por seus ouvidos. Hoseok e Namjoon sempre dão sinais para ela de até onde ela pode ir com eles. Hoseok sempre dava sinais com o corpo ou com as expressões faciais sobre sexo e Namjoon sobre o quanto deveria saber da vida dele. Aquilo era loucura demais, ela pensou enquanto soltava a mão dele! Precisava decidir, urgentemente, ou acabaria em maus lençóis!
Namjoon percebeu que ela havia ficado sentida e então apertou o passo para encontrá-la.
- Eu era muito novo! - o interrompeu.
- Não precisa! Sei que não sou íntima o suficiente para saber essas coisas! E tudo bem.
Namjoon sabia que não estava tudo bem e praguejou mentalmente por ter sido tão reativo.
- Não é isso, ! - ele tentou, segurando a cintura dela.
- Só o Hoseok me chama assim! - ela sussurrou, parando de andar.
Namjoon soltou a cintura dela.
- Eu não sabia que isso era exclusivo de vocês dois!
- Não! É que, normalmente só ele me chama assim, não é que seja exclusivo! - balançou a cabeça.
Precisava tomar uma decisão, aquilo estava ficando um bagunça.
- Então não vou te chamar assim! Não quero que você pense nele quando estiver comigo! - se aproximou de e estendeu a mão na direção do rosto dela, tocando-a-
engoliu seco, mas se deixou ser tocada por ele. Era impressão dela ou Namjoon estava com ciúmes? Ela sorriu, achando engraçado a possibilidade.
- Vamos ao túmulo dos seus pais! Depois a gente toma um café, pode ser? Eu saí sem comer nada!
- Eu não tomo café da manhã! Mas a gente pode ir em alguma padaria para você comer, grandão!
Lado a lado, agora os dois caminhavam rumo ao túmulo dos pais de . O som da risada de Hoseok ecoou nos ouvidos de Namjoon, levando a mente dele de volta ao dia em que cozinharam juntos para … Por que os dois estavam tão conectados? Por que Namjoon queria tanto fazer parte da vida de , mas sem se tornarem tão íntimos e conectados quanto ela e Hoseok? Que bloqueio era esse que a mãe e toda a infância haviam deixado nele? Tudo era sempre tão superficial… mas com não, mesmo que ele ainda não conseguisse deixar ela entrar por completo. Vai ver era isso que deixava confusa, os dois e as relações dela com ambos, serem tão diferentes uma da outra. Era como se uma relação completasse a outra, o que faltava com Hoseok ela encontrava em Namjoon e o que faltava em Namjoon ela encontrava em Hoseok. Seria isso?
Após alguns minutinhos de caminhada, os dois chegaram ao local onde os pais adotivos de estavam sepultados. Namjoon sabia que aquele momento era única e exclusivamente dela com os pais, então não se aproximou muito, deixou que ela vivesse aquele momento sozinha.
Se aproximando do túmulo, depositou o vaso de flores que havia comprado sobre a lápide dos pais e então se ajoelhou por lá. Sempre gostava de fazer isso quando estava lá. Colocou uma das mãos sobre a lápide e então com os olhos já marejando, ela os fechou.
- Tenho sentido muita saudade de vocês esses dias! Tem sido dias difíceis para mim! Acho que vocês dois sabem! Vocês sempre sabiam!
Namjoon observou ela limpar o rosto, provavelmente chorava.
- Minha cabeça está cheia de nós! E o meu coração e corpo brigam um com o outro! Eu não sei muito bem o que fazer, mãe! - levou a mão até o retrato da mãe na lápide. - Me ajuda!
fechou os olhos, deixando que o choro viesse. Namjoon andava de um lado para o outro, incomodado com o choro de . Ele queria ir até lá e abraçá-la, queria ser importante o suficiente para que ela pudesse chorar calmamente em seus braços, mas como fazer ela se sentir assim se ele mesmo tinha suas próprias barreiras e não a deixava atravessar?
- Meu aniversário está chegando e acho que é isso também que tem feito meu peito doer de saudade de vocês! - ela limpou uma lágrima. - Vocês sempre quiseram fazer algo grandioso quando essa data chegava e eu nunca deixava…Acho que está na hora de deixar vocês fazerem e de eu fazer algo por vocês também, não é?
Ela riu em meio a algumas lágrimas. Voltou a limpá-las.
- Esse ano vou fazer uma comemoração, mas por vocês! E pensei de ser naquela casa de campo que vocês usavam muito! Se lembram? Eu quase nunca ia com vocês para lá depois de adulta! Que arrependimento!
Ela tapou levemente os olhos com as mãos. Namjoon a observava, sem saber se a interrompia e a levava para longe dali, ou se simplesmente a deixava sofrer e lavar toda aquela dor…
- Eu prometo me divertir nesse aniversário, mesmo que seja muito doloroso, por ser o primeiro sem vocês! - se levantou enquanto limpava outra vez as insistentes lágrimas. - Eu já vou! O Namjoon está com fome, tadinho!
riu.
- Eu fico me perguntando o que vocês achariam dele e do Hoseok também! - fechou os olhos, sentindo o vento lhe acariciar o rosto - Eu volto, tá bom? Antes do meu aniversário, para contar o que vou fazer! Amo vocês!
Ela olhou para Namjoon, que sorriu desajeitadamente de volta para ela. Lado a lado, outra vez, os dois caminhavam para sair do cemitério.
- Está tudo bem?
sorriu, ainda com o rosto molhado.
- Eu estou sensível graças a chegada do meu aniversário! É daqui alguns dias! E vai ser o primeiro sem eles!
- Entendi! Deve estar sendo difícil! Você pode me chamar sempre que precisar!
- Eu agradeço, Joonie! As meninas me ajudam muito e o… - ela parou de falar subitamente.
Namjoon entendeu.
- E o Hoseok também, é claro!
olhou para ele.
- É! E o Hoseok também, o Jimin!
- O Jimin parece ser um cara bem legal! - Namjoon sorriu. - Tenho vontade de conhecê-lo melhor! Aliás, todos os meninos daquele dia do festival!
Foi aí que teve um estalo.
- Eu quero fazer alguma coisa no meu aniversário! Os meus pais têm uma casa no campo, ali perto de Petrópolis. A casa nunca mais foi usada desde que meus pais faleceram. E eu pensei em vender a casa! Porque quem usava eram eles e agora está lá só acumulando poeira!
- E por que antes você não faz a sua festa lá?
- Era exatamente isso que eu estava pensando! Não em uma festa, sabe? Não acho que eu consiga fazer uma festa sem eles! Mas uma comemoração, para não passar em branco. Eles não gostavam que eu não comemorasse meu aniversário!
Namjoon a viu sorrir sem mostrar os dentes.
- Você já está decidida sobre vender? Quem sabe você não gosta da ideia de ir para lá nem que seja, sei lá, uma vez por mês?
balançou a cabeça enquanto caminhava ao lado dele.
- Quero vender! Você acha que consegue me ajudar com isso?
- Claro, meu bem! - Namjoon passou um dos braços pelos ombros de .
Os dois caminharam a pé mesmo até encontrarem uma padaria por perto. resolveu tomar um suco de maracujá junto à Namjoon.
- Você me viciou em suco de maracujá, sabia?
gargalhou depois de tomar um gole.
- Jura? - Namjoon assentiu enquanto abocanhava um pedaço de seu pão.
- Juro! E não só nisso…
Os dois se olharam um tanto quanto profundamente.
- Você gosta de acampar?
- Nunca acampei! Por que a pergunta?
Ele mastigou mais um pouco.
- A casa só tem três quartos, então o restante do pessoal iria precisar de barracas para acampar lá na frente! Vou te mostrar umas fotos de lá que eu tenho aqui!
Ela pegou o celular no bolso e então buscou por fotos da residência. As que encontrou eram antigas, mas nada havia mudado. Namjoon observou as fotos atentamente.
- Bem grande! Parece ser bem confortável lá! Dá para jogar muitas barracas lá na frente e no fundo também! Você está pensando em chamar quantas pessoas?
- A gente! Nós, do grupo!
- Entendi! - ele sorriu. - Vai ser uma boa! Você comemora seu aniversário, se despede da casa e de todas as memórias que ela possa trazer e a gente tira fotos novas! Seus pais vão ficar felizes!
sorriu de volta para ele. Estava decidido, faria uma comemoração com os novos amigos na casa de campo dos pais e depois a venderia. Ela queria tocar em outro assunto com Namjoon, mas não sabia direito como. Tomou mais alguns goles do suco de maracujá.
- Eu queria te pedir mais uma coisa! - umedeceu os lábios.
- Pode falar, meu bem!
A mão dele quase tocou a dela, mas não.
- Eu resolvi ler o dossiê que meus pais deixaram!
Namjoon limpou a boca com o guardanapo enquanto franzia a testa.
- Sei que você acha isso tudo intimidade demais entre nós dois! - ela deu de ombros. - Mas eu queria saber se, caso eu precise dos seus serviços de advogados, ou da sua influência…
- Claro! - Namjoon a interrompeu - Eu estou à sua disposição! Mas você acha que está na hora?
assentiu que sim.
- É só você gritar! - Namjoon piscou.
- Acho que preciso disso para seguir em frente sem sombra nenhuma de dúvida. Nem sei se eles ainda estão vivos. Na verdade, eu não sei nada, não é? Por que não descobrir?
- Eu acho você corajosa e forte. Acho que já te disse isso uma vez.
- Já sim! Você também é! Bom, eu acho que você é!
Namjoon suspirou com a indireta e desviou o olhar do dele.
- Você sabe que eu gosto muito de você, não sabe?
- Gosta?
Namjoon se levantou e então voltou a sentar-se, dessa vez na cadeira ao lado dela. Passou um dos braços por ela, aproximando o corpo dos dois. Os narizes colados.
- Gosto, ! Você só precisa ter paciência comigo! Com o meu jeito, com a minha rotina…
- Mas eu não tenho? - segurou o queixo dele.
- Tem! Mas vai precisar manter…
- Está bom, grandão! - acariciou a bochecha dele.
- Posso te beijar agora?
- Talvez você possa sim! - aproximou a boca da de Namjoon.
Namjoon sorriu ao sentir o quente dos lábios dela e então a beijou.



Octogésimo Capítulo - Imaturo

Suga havia perdido as contas de quantas vezes tinha ligado para quando chegara em casa naquele fatídico dia após ler a carta deixada por ela. Com o coração em pedacinhos ele chegou até a ir na casa dos pais dela em busca de . Mas foi em vão, ela não quis falar com ele e Suga acabou por ser consolado pelos “ex-sogros”. Ele não entendia o porquê de ter ido embora de repente daquela forma tão covarde, sem ao menos ter tido coragem de conversar cara a cara para explicar o motivo de querer se afastar dele. Suga tinha dificuldades imensas de entender sentimentos: os dele e especialmente dos outros. Tudo vinha sendo uma tortura imensa desde que ela havia ido embora…

Quinze dias depois…

Cumprimentou o porteiro com um sorriso sem mostrar os dentes, como sempre fazia e então adentrou o prédio que fora seu lar por quase um mês. O porteiro a ajudou a entrar no elevador com as duas malas gigantescas, vazias por enquanto. Enquanto o elevador subia, sentiu o peito arder. Hoje seria o último dia dela ali em definitivo. Já havia saído da casa de Suga há quase quinze dias e vinha buscando suas coisas aos poucos. Sempre em horários que ela tinha certeza que ele não estaria lá. não queria ter que se despedir formalmente de Suga, ela não queria ter que olhar nos olhos dele e dizer adeus. Não que eles não fossem se falar nunca mais na vida e estivessem brigados ou algo do gênero, é claro que não. Mas ainda assim seria muito dolorido para ela ter que colocar “um ponto final” ao se despedir de Suga sabendo que os dois se veriam somente esporadicamente, isso quando a nova turma de amigos resolvesse reunir todos os membros. Ela amava o apartamento de Suga, a decoração clean de lá com as paredes todas em branco gelo, os móveis num tom de creme e algumas poucas peças pretas. O quarto em que ela estava e que o bebê ficaria também… Ela sentiria falta do silêncio que fazia lá, de como ela conseguia ler um livro por dia e ainda praticar piano com Suga quando ele chegava do trabalho todos os dias, sentiria falta das comidas que Suga preparava para ela, sentiria falta de ajudá-lo na cozinha sempre que possível, sentiria falta dele rindo dela resmungando de ter que ajudá-lo, sentiria falta das mãos dele a ensinando as melodias do piano, sentiria falta dele cuidando dela fosse à distância ligando para ela do trabalho sempre que tinha tempo, ou fosse quando ele chegasse em casa…
Sentiria falta de comentar as bobeiras que passavam na TV com ele e especialmente de quando ele alegava que estava muito frio e que dormiria com ela apenas para se esquentar. Sorriu ao lembrar.
Assim que a porta do elevador se abriu, ela retirou com certa dificuldade as malas de lá e caminhou até a porta do apartamento, retirando a chave do bolso da calça jeans e abrindo o apartamento. O adentrou com as malas e fechou a porta delicadamente atrás de si. Colocou a bolsa sobre o sofá e caminhou rumo ao corredor ouvindo o barulho do chuveiro ligado vindo do banheiro. passou a língua pelos lábios secos e coçou a nuca. Ele nunca estava em casa naquele horário… A porta do banheiro estava aberta e ela sabia que não devia colocar os olhos lá, mas resolveu se certificar de que realmente era ele que estava no apartamento.
Assim que parou em frente à porta do cômodo, a fumaça vinda de lá não a impedia de ver o homem parado lá dentro do box, completamente nu. não se lembrava nada de como era o corpo desnudo do homem, afinal de contas, os dois nunca mais haviam tido nenhum contato romântico ou sexual e sentiu o coração bater forte dentro do peito. Os olhos dela passaram rapidamente pelo corpo de Suga, começando pelo tórax largo, e depois desceu pelo tronco e pelas pernas. Até que ela se deteve na cena mais sexy que ela já havia visto na vida até aquele momento: a mão direita de Suga segurava firmemente seu membro rígido fazendo movimentos lentos de vai e vem. sentiu a boca secar outra vez e o coração parecia querer rasgar o peito dela.
Durante alguns segundos somente o que se podia ouvir era o barulho da água que vinha do chuveiro caindo no solo e o som da mão de Suga em contato com seu membro. Assim que os movimentos feitos por ele começaram a mudar de ritmo e ficarem mais rápidos percebeu que a feição dele havia mudado, os olhos agora estavam fechados e sua boca entreaberta. A garota levou uma das mãos até a boca assim que ouviu o primeiro gemido sair dos lábios dele. E assim subsequentemente mais gemidos vieram. sabia que precisava sair dali, mas era como se seus pés e seu corpo não a obedecessem. Voltou a olhar para onde a mão dele estava e o viu aumentar ainda mais o ritmo da masturbação, enquanto os gemidos roucos saiam sem parar de sua boca. A cabeça estava agora jogada para trás e ele se apoiava na parede com a mão que estava livre. se perguntou se ele havia gemido daquele jeito quando transaram, e então sentiu sua intimidade começar a pulsar levemente enquanto o ouvia gemer outra vez. Sentiu vontade de entrar naquele box e beijá-lo, tomando o lugar das mãos dele com as suas, ela queria que aqueles gemidos fossem provocados por ela. Será que ele estava pensando em alguém? Voltou a umedecer os lábios e apertou as coxas a fim de aliviar nem que fosse um pouco o incômodo instaurado ali. Logo ele voltou a ficar em silêncio e o som que se podia ouvir era novamente o de sua mão em contato com o membro ainda super rígido. finalmente conseguiu respirar fundo e fazer seu corpo obedecer seu cérebro e saiu de lá com o coração à mil, mas ainda sentia o incômodo em sua intimidade. As mãos dela tremiam e ela ainda podia ouvir os gemidos dele lá da cozinha, só que agora mais baixos. Abriu a geladeira e se serviu um copo d’água. O que diabos ele estava fazendo àquela hora no apartamento? fechou os olhos e voltou a ver a imagem dele segurando o membro com força e movimentando a mão, os gemidos ecoavam por sua cabeça também e ela bebeu a água, ainda trêmula. Que sabor ele teria? Ela não se lembrava. pensou enquanto abria a torneira da pia e passava um pouco de água pelo rosto. Os gemidos finalmente cessaram e ela apenas ouvia o barulho do chuveiro agora. Precisava se acalmar.
Ficou durante mais alguns segundos na cozinha até que criou coragem de encarar o corredor outra vez. O chuveiro ainda fazia barulho. Ela adentrou o quarto que costumava ser seu e então abriu o guarda-roupas branco onde ainda estavam suas apostilas e mais peças de roupas. O coração dela ainda estava acelerado, e ela rezou para que Suga não percebesse agora que ela estava no apartamento. Mas o destino gostava de pregar peças nos dois, e assim que ela pegou algumas apostilas e se virou para colocá-las sobre a cama lá estava ele com a toalha enrolada na cintura e outra nas mãos onde ele enxugava os cabelos pretos, molhados.
engoliu seco e passou mais uma vez o olhar pelo torso de Suga, e se deteve nos braços, flexionados enquanto ele terminava de enxugar os cabelos. Eles estavam maiores e ela desejou poder apertá-los. Quando o olhar dos dois se encontrou, foi a vez dele passar a língua pelos lábios, maldita mania que ele tinha e que fazia perder a linha do raciocínio toda vez.
- Oi! - ele coçou a nuca.
- Oi, Yoongi! - colocou as mãos na cintura.
- Tudo bem? - Suga questionou enquanto colocava a toalha em volta do pescoço.
balançou a cabeça positivamente algumas vezes.
- E você? - ela olhou os lábios dele e a língua estava lá outra vez.
- Tudo bem. Você precisa de ajuda?
fez que não com a cabeça. Ainda estava meio perdida e hora outra ela se lembrava dele lá no box, segurando o membro e soltando vários gemidos roucos enquanto se masturbava.
- Eu vou colocar uma roupa e venho te ajudar mesmo assim.
Ele desapareceu e reapareceu das vistas de rapidamente.
- A propósito, há quanto tempo você chegou? Eu não ouvi você entrar…
fez um coque com os cabelos no topo da cabeça e ela sabia que havia ficado vermelha, porque sua pele queimava e os olhos de Yoongi estavam em seu pescoço.
- Tem um tempinho já! - ela se virou, tirando algumas roupas do guarda-roupa e quando se virou ele já não estava mais lá.
Suga se sentou na cama apoiando os cotovelos no joelho e bagunçando os cabelos. Será que havia ouvido? Ou pior, será que ela havia o visto enquanto ele se masturbava? Ele respirou fundo. E se? O que será que ela havia sentido caso tivesse visto ou ouvido algo? Será que ela imaginava que era nela que ele pensava? Engoliu seco e se levantou pegando uma cueca e se vestindo, depois uma calça de moletom preta e uma blusa de malha da mesma cor e de mangas longas. Secou mais uma vez os cabelos molhados e então foi novamente até o quarto que era de e a encontrou dobrando algumas peças de roupas. Ele estava escorado no batente da porta. Quase quinze dias sem vê-la ou sem ter notícias, o peito dele doía de saudade dela.
- Não dói em você? - levantou o olhar, encontrando o dele. - Porque em mim dói!
Ele cruzou os braços abaixo do peito.
- Há quinze dias vem doendo. Eu ainda pego o celular nas minhas pausas com a intenção de te ligar. Eu ainda chego em casa louco para te encontrar. Eu ainda ouço a sua risada exagerada ecoar pelo apartamento, preenchendo-o. Eu ainda cozinho para nós dois. E sinto falta de ouvir você reclamando de me ajudar. - ele sorriu abertamente, mostrando os dentes - Eu ainda te procuro aqui nesse quarto toda noite de frio para me esquentar.
sentiu os olhos marejarem e então os fechou. Se ele soubesse…
- Não dói? Você não sentiu falta de nada?
- Suga! - ela começou a falar, mas se deteve quando viu que ele se aproximava.
As mãos dele a empurraram com delicadeza até que ela estivesse presa entre o guarda-roupa aberto e o corpo dele.
- Fica! Por favor! - ele sussurrou perto dos lábios de , como uma súplica.
- Ficar? - fechou os olhos - Eu não posso, quer dizer, a gente não vai mais ter o bebê, Yoongi…
- Eu sei! Você acha que eu não lembro disso todo dia? E como se não bastasse isso, agora eu tenho que lidar com a sua falta há quinze dias! As coisas foram saindo dos eixos, sabe? Só passaram a ficar cada dia mais complicadas e eu acho que tudo bem, a nossa força vem das quedas que sofremos, mas por que diabos eu tinha que te perder no meio disso tudo? A queda tinha que ser assim? Me tirando a única coisa boa a qual eu queria me agarrar?
abriu os olhos e encarou os olhos marejados dele. O coração dela doeu.
- Não tenho motivos para ficar mais, não é?
- Eu te amo! - ele cuspiu a sentença, assustando - Sim. Sim, eu te amo. Eu caso com você, eu te faço feliz, ! Te dou meu colo como travesseiro e o meu abraço como seu cobertor… Eu te faço sorrir quando você quiser chorar, só vou permitir que lágrimas caiam do seu rosto se for de felicidade, eu nunca vou soltar a sua mão. Eu te protejo. Te levo até um café na cama e te dou morango na boca… Eu te mimo. Eu te cuido até não querer mais, eu vou tomar as suas dores, ficar triste quando você ficar, e feliz quando você também estiver. Quero chorar seu choro, sorrir só por te ver sorrir. Vou estar contigo a qualquer momento, vou ser um apoio, um alicerce, um colo… só para te dar segurança caso você tropece. Vou brigar com você e depois chorar porque brigamos, vou não resistir à sua carinha de dengo e vou correndo para os seus braços. Eu vou te fazer a pessoa mais feliz do mundo. Só confia em mim, meu amor!
As mãos de Yoongi seguravam o rosto de com força e ele encostou a testa na dela com a respiração descompassada e o coração acelerado. Era a primeira vez que ele conseguia se declarar daquele jeito a alguém, e agora o medo o consumia, ser vulnerável daquele jeito nunca esteve em seus planos e ele agora se sentia um adolescente com medo de ter todas as suas expectativas frustradas. E se ela o rejeitasse? E se ela risse dele? Ou pior, se ela não acreditasse? Como ele a convenceria, já que ele estava dando o seu máximo se abrindo daquele jeito.
- É que eu sou fraco, frágil, estúpido para falar de amor! Mas se for com você, , eu vou, eu vou!
- Não vai, Suga! - ela tentou o afastar de seu corpo - Você espera que eu acredite? Como? Você nunca se abre, está sempre dando desculpas toda vez que demonstra um pouquinho sequer de sentimentos! E você sempre foi tão incisivo quando dizia que era tudo pelo bebê, que era só sua responsabilidade de pai, como eu vou acreditar nisso?
- , eu acabei de abrir o meu peito aqui agora! Você acha que está sendo fácil para mim?
- Você só está com tesão acumulado! Só isso, e além do mais, você me esconde as coisas!
- Que coisas? O que eu escondi? - ele colou a testa na dela outra vez.
- Eu vi uma mensagem da Charlotte para você, onde ela dizia que queria te ver e que vocês se encontraram no dia em que eu perdi o bebê.
- Nós perdemos o bebê, ! E sim, eu a encontrei porque depois de você, ela era a minha única referência de consolo e o mais perto de alguém da família que eu tinha!
- Na verdade, Yoongi, eu nem sei porque estou falando isso! Eu não tenho nada a ver com a sua história e da Charlotte!
- Não tem história! Já acabou! Eu e a Charlotte acabamos, !
levou as mãos até as de Suga e as retirou de seu rosto.
- Me deixa arrumar as minhas coisas, Yoongi! Eu não vou ficar!
- , você precisa acreditar em mim!
- Está um pouquinho tarde para isso agora! Só me deixa arrumar minhas coisas!
Ela voltou a empurrá-lo para longe. Suga cedeu e saiu do quarto. Se jogou no sofá tapando o rosto com as mãos, sentiu o coração acelerado querer rasgar o peito. O que ele faria? Por que diabos ela não acreditava?
segurou o choro preso na garganta até conseguir encher as duas grandes malas com tudo o que ainda restava na casa de Suga. Aquela seria a última vez que ela pisaria ali, pelo menos no que dependesse dela. Precisava se afastar dele por enquanto, colocar as coisas no lugar.
O olhar dos dois cruzou quando ela apareceu na sala, e umedeceu os lábios, ansiosa. Agora ela precisava se despedir dele em definitivo, pelo menos por enquanto. sabia que aquilo iria doer, mas precisava fazer.
- Toma aqui a sua chave reserva! Não vou precisar mais dela…
ergueu a chave na direção de Yoongi.
- Você não precisa fazer isso! Toma um tempo para você assimilar tudo que eu disse e volta!
depositou a chave no balcão que dividia a sala da cozinha e então suspirou.
- Eu magoei tanto assim você?
- Não torne as coisas mais difíceis para nós dois, Suga! Podemos ser amigos! Mas dê tempo ao tempo.
Suga apenas balançou a cabeça enquanto sentia os olhos marejaram. O que mais ele podia fazer naquele momento?
- Bom, então é isso! Mais uma vez obrigada pelo tempo que cuidou de mim e do Hyuk, e eu te desejo sorte!
se abaixou depositando um beijo rápido na bochecha dele. Yoongi fechou os olhos com o rápido contato e quando os abriu novamente ela não estava mais lá. Ele não era um homem que chorava com facilidade, ao contrário, mas ele o fez. Se permitiu chorar mesmo que por pouco tempo. Ele precisava dar um jeito! Não queria ficar sem .



Octogésimo Primeiro Capítulo - Young, wild and free

- Ah, ! Para com isso! Tenho certeza que vai ser muito legal! Você precisa ir, não pode me deixar sozinha nessa!
bufou baixinho enquanto a amiga a arrastava de volta para seu quarto.
- Te dou quinze minutos para ficar pronta e a gente ir!
- , não! - ela se livrou da mão da amiga - Ainda não quero ver o Suga depois de tudo que aconteceu! O climão que vai ficar! Muito chato!
- Mas depois esse climão passa! Você vai realmente evitá-lo o resto da vida? Vocês iam ter um filho, não tem motivo para você ficar assim tão sem vontade de vê-lo!
- Aí, ! - fez beicinho - Eu não quero! Você também deveria ficar! Você e o V nem se falam mais!
sentiu o coração doer e percebeu o semblante da amiga mudar.
- Desculpe, amiga! Eu não deveria ter dito isso! Sei o quanto dói em você!
se jogou na cama da amiga, fechando os olhos.
- Justamente! Essa é a minha oportunidade de pelo menos vê-lo, de ter ele por perto nem que seja durante esses dias nesse acampamento!
abriu o guarda roupas e então decidiu que pela amiga, iria.
As duas se despediram dos pais de , já que agora ela havia voltado a morar com eles, desde a gravidez os três haviam ficado mais próximos e a relação entre eles começava a andar outra vez.

****************************************************************************************************

estava pronta e jogada no sofá enquanto esperava o irmão. A mente borbulhava. Será que Jungkook iria? Engoliu seco. Era melhor ela ficar.
- Eu não vou, Tae!
O olhar dela e do irmão bateu um no outro.
- Vai sim! Você custou a ganhar esses dias de folga, vai ficar fazendo o que aqui sozinha? Você precisa descansar e lá vai conseguir! As meninas gostam muito de você! Seria uma desfeita enorme!
- E o JK? - olhou para baixo.
- Ele me disse que vai! Bom, a gente agora faz parte do mesmo ciclo de amigos, irmã! Você precisa se acostumar, a escolha foi sua!
engoliu seco, aquilo havia doído, mas o irmão tinha razão.
- E se a for também?
Taehyung deu de ombros, fingindo indiferença.
- Estou indo pelo pessoal e porque a parece estar empolgada! Ela quer todo mundo lá, primeiro aniversário sem os pais, me solidarizo com ela! A fica na dela e eu fico na minha! Vamos? O Jin já está indo e ele não quer ficar sozinho!

****************************************************************************************************

se levantou quando viu Hoseok adentrar o bar e caminhar na direção dela. Os dois sorriram um para o outro e sentiu as famosas borboletas no estômago depois de ficar alguns dias sem vê-lo. Os dois se abraçaram fortemente e , como de costume, inalou o cheiro bom que vinha do pescoço dele. nem se deu ao trabalho de se sentar, já que Namjoon agora caminhava na direção dos dois. O olhar dele passeou pelo corpo de no vestido longo e preto que ela usava. Hoseok fechou levemente a cara, era óbvio que ele estaria lá. Hoseok tentou não ficar muito incomodado com a situação e com a presença do rival ali, já que naquele momento importava mais.
Os dois também se abraçaram, Hoseok notou que não colocava a mesma intensidade no abraço com ele, e sentiu certo conforto com aquilo, deixando um sorrisinho de lado escapar! Quando ergueu o olhar, a mão direita de Namjoon estava estendida em sua direção. Hoseok a apertou firmemente e então, se sentou ao lado de Hoseok, e Namjoon na cadeira vaga ao lado dela. A garota sentiu o coração saltar dentro do peito, um tanto quanto nervosa por estar ali, no meio dos dois homens que faziam seus sentidos aflorarem. Umedeceu os lábios, e então pegou o cardápio do lugar, tentando distrair a mente. Pediu ao universo que algum dos amigos chegasse rápido.
- Todo mundo confirmou? Eu não reparei! - Namjoon questionou.
- Não! Nem todos! Mas vamos ver quem vai aparecer!
- Além de nós dois, Jimin, e , não é? Porque bom, eu tenho certeza que o Jimin e as meninas não vão ficar de fora!
sorriu para ele e então depositou a mão sobre a perna dele que apertou a mão sobre a dela. Os olhos de Namjoon pousaram por lá e ele sentiu um incômodo na garganta que não soube explicar.

****************************************************************************************************

Jimin parou o carro quase em frente ao bar, e viu se desfazer do cinto de segurança e abrir a porta. Logo em seguida ele fez o mesmo. Achou estranho ela não ter pedido até o momento para que ele fosse primeiro ou para que deixasse ela ir. Os dois logo começaram a caminhar lado a lado. Depois daquele dia na casa de , os dois andaram se estranhando um pouco, mas as coisas estavam se ajeitando aos poucos. Jimin era louco por ela! Não conseguia ficar muito tempo sem ela por perto…
Segurou a mão dela, fazendo-a arregalar levemente os olhos. Puxou o corpo dela para si, ele colou os lábios nos de com força e urgência. Ela demorou a reagir e deixar a língua de Jimin entrar, mas cedeu, sempre cedia! O beijo apesar de intenso, fora rápido.
- Você é maluco, Jimin?
Ouviu-a resmungar enquanto caminhava para a entrada do bar, sorrindo, cínico.
- Alguém podia ter visto a gente, curupira!
O moreno deu de ombros.
- Estou nem aí!
Os dois adentraram o bar, com Jimin - que tinha as mãos nos bolsos - mais a frente e ela um pouco atrás, com os braços cruzados abaixo do peito e emburrada.
Todos se cumprimentaram e logo engataram um papo sobre a casa, sobre como ela era grande e sobre todas as opções de lazer que lá tinham disponíveis. Eles pediram algumas bebidas e comidas e então e V chegaram. abraçou e e então depois cumprimentou Jimin, Hoseok e Namjoon, que a questionou se a mão dela já estava ok, o que ela respondeu que sim, que estava tudo bem, mas antes sentiu as bochechas esquentarem ao se lembrar da vergonha que havia passado.
e V se cumprimentaram com um rápido beijo dele na bochecha dela e logo em seguida ele cumprimentou o restante da mesa. Se sentou ao lado de Jimin, com a irmã ao seu lado. Uma conversa animada se iniciou, e quando o garçom veio trazer as bebidas já pedidas, e V aproveitaram para pedir também e logo estavam conversando novamente.
Jin ficou sem graça assim que encontrou com e na entrada. V tinha jurado que ela não teria coragem de aparecer por lá, já que os dois não se falavam mais e ele foi um dos primeiros a confirmar que iria. O amigo ficaria surpreso com ela lá. Os dois se cumprimentaram com apertos de mãos e Jin, ao lado de , avistou a mesa que os novos amigos estavam. O olhar de Taehyung pousou em que conversava com e logo em seguida pulou para Seokjin, que sorriu para ele sem mostrar os dentes. Taehyung tinha os olhos arregalados e Seokjin quis abraçá-lo. Assim que eles se aproximaram da mesa, os olhos de Jin involuntariamente buscaram por , era óbvio que ela estaria lá, afinal de contas e ela eram amigas, quase irmãs! Mas ela ainda não havia chegado e ele se amaldiçoou por ter achado aquilo ruim.
cumprimentou e primeiro, com um sorriso nos lábios, depois pausadamente ela passou pelos meninos, e aí parou perto de Taehyung. O coração dela saltava dentro do peito como se aquela fosse a primeira vez que o via. Queria abraçá-lo com força enquanto ela a chamava de baby… como ela sentia falta daquilo! Os dois se encararam e Taehyung apenas acenou com a cabeça para ela, que com o coração em pedaços, devolveu o aceno. Abraçou rapidamente e se sentou.
cumprimentou V com um rápido abraço, ele sorriu ternamente para ela.
- Você está bem? Sinto muito pelo bebê! Muito mesmo! Acompanhei um pouco do quanto você e o Suga queriam tê-lo!
abaixou a cabeça, se lembrando da barriga e acabou por colocar a mão por lá. Depois encarou V e tentou sorrir.
- Obrigada! Sei que é sincero! - ela piscou.

***************************************************************************************************

- Quantos quartos tem a casa mesmo?
perguntou enquanto bebericava de sua cerveja.
- Então… - todos os presentes ficaram em silêncio - São três quartos! Um de casal com suíte e tudo! E eu preciso ver com vocês sobre a possibilidade de o restante levarem barracas! Lá é bem tranquilo de acampar, mas não sei se todos gostam da ideia! Por isso chamei todo mundo!
- Ainda faltam algumas pessoas, não? - Jin questionou, se referindo mais a do que a qualquer outra pessoa faltante.
sorriu e confirmou para ele com a cabeça. Foi quando Jungkook se aproximou deles na mesa, acenando com a mão e com o famoso sorriso de coelho no rosto. O olhar dele cruzou-se com o de , e ele gostou de saber que ela estava ali e que iria. Ele poderia tentar uma reaproximação e quem sabe descobrir o que havia de errado.
e ele se cumprimentaram com o olhar e JK logo se sentou. Pelas contas de ainda faltavam e Suga, a amiga, é claro, havia confirmado a presença, já Suga nada havia dito.
- Sobre o Suga, vocês podem deixar que eu o convenço a ir! Meu pai vem fazendo consultas e todo o tratamento com ele de novo, então estamos ficando próximos, dou meu jeito de levá-lo!
sentiu o peito arder com a simples menção ao nome dele e a presença dele no tal acampamento. Seriam dias difíceis, mas faria o esforço de passar por aquela tormenta pela melhor amiga.
- Então, por enquanto preciso saber se todos estão de acordo com a parte de acampar…
Os recém amigos se entreolharam e ninguém se opôs, ao contrário ficaram todos animados. Nisso, também comentou que eles precisariam comprar mantimentos para os quatro dias. Os garotos propuseram apresentar às garotas a comida de sua terra natal, o que elas amaram! Eles deixaram Jimin responsável por anotar e mandar no grupo a lista de compras, onde eles dividiram posteriormente as despesas entre todos. O responsável pelas compras seria Seokjin, já que sua camionete seria a mais útil para levar as compras. Eles começaram a planejar também a divisão dos carros. E aí franziu a testa:
- Gente, e a ? Ela sumiu e não deu notícias! Ela não costuma fazer isso, não é, ?
se preocupou.
- Vou ligar para ela! - Taehyung retirou o telefone celular do bolso.
Jin e acharam estranho o fato de ele tão prontamente se oferecer para ligar, e acabaram trocando um olhar. torceu para que uma das amigas de dissesse a ele que não precisava, mas de repente ele já estava falando com ela. A primeira coisa que Seokjin pensou foi em por que o melhor amigo tinha o número dela salvo…
- Onde você está, jogadora? - ele sorriu -
engoliu seco, sentindo o estômago doer, como se levasse um soco. O sorriso que ele dava quando estava com ela, era parecido. Seokjin abaixou a cabeça.
Ele ficou sério por alguns instantes e então assentiu, enquanto olhava para e .
- Tá bom então, vou falar para a galera!
Eles desligaram. e acharam estranho o fato de Taehyung ter se prontificado a ligar, mas sabiam que ele e a amiga vinham se aproximando, então ok.
- Ela disse que daqui alguns minutos chega! Já está na rua do bar e pediu desculpas por não ter conseguido avisar que iria se atrasar!
Os amigos agora conversavam sobre a comida do bar, pediam mais bebidas e então , mancando, e apoiada nos ombros de um homem até então desconhecido por todos - menos por Jin - adentrou o bar. e se levantaram com o susto de ver a amiga machucada, e Namjoon também, num instinto de ajudar o homem com .
O sorriso de Seokjin já havia sumido de seus lábios assim que botou os olhos no homem. Ele se lembrava muito bem dele: o novo chefe de . Sentiu a boca amarga. Com a ajuda de Namjoon e Jungkook, ela se sentou na ponta da mesa, gemendo um pouquinho.
- A Cinderela está entregue! Não se esqueça que alguma das suas amigas terá que dirigir para você na volta, docinho!
Os amigos se entreolharam na mesa, enquanto revirava os olhos. Não bastava a dor, ainda tinha que lidar com os apelidinhos “carinhosos” do chefe.
- Tem bastante gente aqui, mas dê preferência para suas amigas! - ele instruiu, como se ordenasse e revirou outra vez os olhos - Melhoras para você, meu docinho.
Beijou o topo da cabeça dela e saiu sem dar satisfações ou se apresentar.
- Quem é esse mala? - questionou Namjoon.
- Meu chefe! - suspirou.
- Tá! Agora o que aconteceu com o seu pé?
cruzou os braços, preocupada.
- Então, amigos! - soltou um riso nasalado - Eu quebrei!
Os amigos todos soltaram muxoxos e Seokjin a encarava, um tanto quanto preocupado. Será que havia sido algo muito grave?
- Por isso me atrasei! Estava no hospital!
- Você podia ter avisado, não é, amiga? Eu tinha remarcado ou cancelado!
balançou a cabeça em negativa.
- Não, senhora! Você estava super empolgada! Eu vim para dizer que é melhor eu não ir! Vou dar muito trabalho etc. Vou precisar de uma cadeira de rodas, mal vou andar!
- A casa é bem acessível, ! O quarto do casal fica para você!
- Olha quanta gente tem para ajudar! - V completou.
- E vai ser meu aniversário! - marejou os olhos - O primeiro sem meus pais, preciso de você lá!
piscou para a amiga.
- Mas eu vou estar lá de coração, amiga! Eu vou atrapalhar.
- Deixa de ser doida! Como o V mesmo disse, olha quanta gente vai estar lá para te ajudar! Você vai sim, !
Hoseok bradou, sério. Sabia que a presença de e eram importantes para .
- Se esqueceu que vai ter uma enfermeira lá? - sorriu ternamente para ela.
olhou nos olhos dos novos amigos, especialmente nos de . Não podia falhar com ela, então concordou.
- E como você quebrou esse pé, jogadora?
revirou os olhos.
- Eu caí da escada do escritório! Um tombinho bem feio viu, jogador? Na correria de vir para cá, mal olhei onde pisava, daí acabou que o tombinho quebrou o meu pé!
Deu de ombros. revirou os olhos com os apelidos e Jin fez uma nota mental de questionar o amigo, discretamente, sobre aquela proximidade toda em um momento oportuno.
- Está doendo, não é? - questionou .
- Sim!
Logo as duas engataram uma conversa sobre os remédios que o médico havia passado para ela. E então Namjoon deu a ideia de eles já acertarem como seria a divisão dos carros. Eles iriam passar quatro dias na casa de campo: iriam na quinta e voltavam no domingo. Namjoon pediu desculpas adiantadamente já que só conseguiria sair na sexta perto do almoço, depois de entregar um caso. e V iriam juntos, no carro de Jin. Jimin e Hoseok iriam juntos, claro, e provavelmente levariam Suga. , e iriam num carro, Jungkook concordou em levar e com ele.
Os novos amigos voltaram a falar sobre os dias no acampamento, fizeram uma lista de possíveis atividades que gostariam de fazer por lá. E o assunto entre eles parecia nunca acabar, eles logo iam emendando um assunto no outro e o bar ficava repleto de risadas ecoando da mesa deles. ficou feliz de ver que ninguém parecia se sentir deslocado, que todos conseguiam conversar, que logo de cara a turma, apesar de grande, tinha afinidades.

****************************************************************************************************

- Você quer que eu dirija o seu carro e volte para buscar o meu depois? - ofereceu.
Antes que pudesse abrir a boca, Taehyung, com as mãos nos bolsos, se prontificou:
- Bom, a dirige, então ela pode voltar para casa no carro e eu levo a !
engoliu seco, e observou Jin fazer o mesmo. Desde quando os dois tinham tanta intimidade daquele jeito a ponto de do nada ele querer levá-la em casa? Aquilo irritou . Jin apenas observava a cena calado, tentando entender por que o amigo fazia tanta questão de , sabendo que ela o havia destruído?
- Que aí você não precisa voltar aqui para pegar seu carro, de lá eu peço um carro de aplicativo e volto para casa! - ele e trocaram um olhar.
-Tudo bem por você, amiga?
apoiava os braços em volta do pescoço de Namjoon e de Jungkook. Assentiu que para ela tudo bem o amigo dirigir e então mancando e com a ajuda dos dois amigos ela foi para o estacionamento.
Os amigos logo começaram a se despedir enquanto Namjoon e JK ajeitavam no banco do carona do próprio carro.
- Eu deixo vocês em casa!
se aproximou de enquanto sorria sem mostrar os dentes.
- Não precisa! Não vamos te incomodar! - piscou para ela.
- Não vão me incomodar! Faço questão! Vamos?
e se entreolharam, e , mesmo insegura com a “ex-cunhada” a seguiu. temeu que o clima entre as duas pudesse ficar chato, ou tenso.
Os primeiros minutos foram feitos em silêncio. resolveu conversar primeiro com .
- Sinto muito pelo bebê! O que aconteceu? Se quiser falar, é claro!
- Desloquei a placenta e acabou que tampou a saída do meu útero, bom, você deve entender melhor do que eu! - ela soltou um riso nasalado.
assentiu enquanto olhava para ela pelo retrovisor.
- Eu sinto muitíssimo! Mas você ainda é nova, vai ter muitas chances de engravidar de novo, se assim quiser!
observou a rua enquanto o carro andava.
- Verdade!
- E o Yoongi? Vocês não se falam mais? O único vínculo era realmente o bebê?
Ainda observando a vista pela janela, suspirou.
- É complicado! Não sei explicar que tipo de vínculo nós dois tínhamos, e hoje, honestamente, não sei o que somos um do outro.
e se olharam. A enfermeira resolveu não aprofundar o assunto naquele momento, a garota parecia estar realmente confusa. Talvez aquele não fosse o melhor momento para falar sobre aquilo.
- Você tem raiva de mim? - engoliu seco.
Era melhor perguntar agora, antes do acampamento.
- Não! Raiva não! Não concordo com o que você fez, você teve tempo o suficiente para não fazer, mas deixou que seu ego ferisse meu irmão. Mas quem perdeu, foi você, não é, ? Posso ser sincera?
, já com lágrimas nos olhos, fez que sim com a cabeça para .
- Vai ser muito difícil você e ele voltarem a ser o que eram antes. Não sei quando ele vai conseguir perdoar você…
- Eu tenho percebido! - limpou a lágrima teimosa que descia - Não sei o que fazer! Eu me apaixonei pelo seu irmão, mas só me dei conta disso, quando ele me deixou plantada na porta da minha casa quando voltamos daquela maldita viagem! E agora eu realmente não tenho ideia de como reconquistar o seu irmão!
acreditava nela. Mas conhecia o irmão, tão bem como conhecia a si mesma.
- Quer um conselho? - as duas se encararam rapidamente - Não desiste, mas não força demais a barra, sabe?
voltou a assentir, copiosamente.
- Vai ficar tudo bem! Pode contar comigo! Gosto de você!
voltou a limpar algumas lágrimas e sorriu para .

****************************************************************************************************

- Para você não precisar voltar de aplicativo, eu vou com vocês!
Seokjin engoliu seco enquanto se aproximava do carro de .
- Não precisa, bro! Sei que você está cansado por causa da correria da inauguração da galeria.
sentiu o coração apertar ao saber que provavelmente a inauguração da galeria dele estaria próxima. Ela queria poder fazer parte daquilo tudo, como V fazia.
- Eu aproveito e vejo os meus pais, e você não volta sozinho. Estou bem atrás de vocês! Sabe chegar lá, não é? Ainda se lembra?
V coçou a nuca, rindo e o amigo o acompanhou.
- Na verdade é melhor você ir na frente, amigo, e eu vou te seguindo.
Assim eles fizeram. Jin, angustiado o caminho todo, pensando no que será que os dois conversavam sozinhos no carro? Balançou a cabeça, confiava de olhos no amigo.
Quando finalmente chegaram ao condomínio, Jin desceu do carro para ajudar o amigo com . Os dois se encararam por alguns segundos e então passou um dos braços pelos ombros de V e o outro pelos ombros largos de Jin. Ela fechou os olhos ao sentir o cheiro doce dele e também pela dor que subiu por seu pé e perna.
Ela tocou a campainha da casa, já havia avisado aos pais o que havia acontecido e que voltaria para casa com um amigo. O pai de atendeu a porta e sorriu de orelha a orelha ao vislumbrar Seokjin com a filha nos braços. Seokjin sorriu de volta para ele. Depois de levar para dentro, o pai voltou e conversou por alguns minutos com os dois. Agradeceu - um pouco mais a Seokjin - e então os dois caminharam até a casa de Jin. Ficaram lá por mais alguns minutos, conversando com Si-Woo, Eui e Eun. Se despediram com V prometendo que voltaria mais vezes.
Já fora do condomínio, Taehyung sentiu que o clima entre os dois parecia estranho.
- Vocês parecem próximos…
Taehyung olhou para Jin.
- Quem? - V umedeceu os lábios.
- Você e a !
Taehyung olhou para baixo. Admirava e gostava muito de , e não queria deixar de ser amigo dela. Esperava que o amigo entendesse.
- Nós temos nos aproximado sim. Conversamos às vezes e jogamos juntos também! Isso incomoda você?
Seokjin quis gritar para ele que sim. Mas engoliu seco, afinal de contas, ele e não tinham nada, e ele se sentia egoísta de reclamar sobre isso com o amigo, um tanto quanto infantil até… Então apenas engoliu o orgulho e balançou a cabeça.
- Não!



Octogésimo Segundo Capítulo - Vibin’

O pai de saia com ela já nos braços enquanto os dois riam de nervoso. Por sorte - ou azar - Jin saia da casa dos pais com eles e então o olhar do rapaz e de se cruzou. Ela engoliu seco ao ver ele tão bonito com os cabelos mais compridos, que nem quando eles se conheceram em Natal.
- Quem vai levar a , Seokjin? - Si Woo questionou o filho.
- As amigas dela! - ele encarou o pai.
- Por que você não a leva? Seu carro já está aqui na porta de casa, é só eu e o pai dela colocarmos ela aqui! Quem ia com você?
- Taehyung e a ! Não sei se é uma boa ideia ela ir comigo! Não acho que ela vai ficar à vontade!
Jin engoliu seco enquanto o peito queimava.
- Deixa de ser bobo, Seokjin! Sua mãe e eu vamos ter que fazer tudo sempre?
Seokjin abriu a boca para protestar, mas o pai saiu em direção aos vizinhos, chamando-os e acenando.
- Seu pai sabe o que está fazendo, Jin! - a mãe segurou o ombro dele.
Jin observava o pai conversar com e Willian e então eles caminhavam com até onde ele e a mãe estavam.
- Posso ir mesmo com você, Seokjin?
Jin assentiu para ela enquanto abria a porta do carro para que os mais velhos pudessem ajeitá-la lá. Ele afastou o banco o máximo que pode para que ela pudesse ficar confortável.
- Onde estão suas coisas?
- Lá em casa! Meu pai vai buscar!
- Vou lá com ele!
assentiu para ele e logo engatou uma conversa com Eui. Alguns minutos depois Jin ajeitava as malas dela lá atrás, junto às suas.
Foi quando V mandou uma mensagem alegando que já estava na portaria do condomínio. Jin avisou a ele que estava indo também. avisou a que ela não precisaria mais entrar no condomínio para pegá-la, Jin havia por algum milagre oferecido para levá-la e ela já estava com ele. Os dois se despediram dos pais, e então ele deu partida. fechou os olhos enquanto escorava a cabeça do encosto do banco, e esticava a perna em que havia quebrado o pé. O curto caminho até a portaria foi feito em silêncio, sendo quebrado por Jin.
- Confortável? Ou precisa de mais espaço?
fez que não com a cabeça, ainda de olhos fechados. Não queria encará-lo.
- Assim está bom! Qualquer coisa eu te falo!
Jin observou as pintinhas no rosto dela enquanto saia do condomínio. Ainda mais linda, ele pensou.
Jin desceu do carro indo de encontro a V e .
- Então, dupla dinâmica… - ele coçou a cabeça. - Vocês estão com o carro abastecido o suficiente para chegar lá? Eu estou levando a !
Taehyung sorriu abertamente para o amigo e fez o mesmo.
- Você e ela juntinhos durante uma hora e meia de viagem? Gostei!
Taehyung deu duas batidinhas nas costas de Jin, que fechou os olhos, balançando a cabeça em negativa.
- É mais fácil e meus pais me obrigaram!
- Como se você não tivesse ficado feliz, não é?
gargalhou e Jin apertou o nariz dela.
- Está muito engraçadinha, hein? O pessoal avisou alguma coisa aí?
abaixava o vidro da camionete já que a chave havia ficado na ignição.
e V acenaram para ela, que sorriu e acenou de volta.
- Jimin e Hoseok estão chegando, eles disseram.
Os três ficaram conversando por mais algum tempo até que de fato Jimin e Hoseok chegaram, e aí o restante dos amigos foi chegando. Com e na frente, guiando o caminho, eles partiram rumo à casa de campo da amiga.

O silêncio continuava reinando no carro de Seokjin. Ele se atreveu a olhar para , que mantinha os olhos fechados. Será que ela havia dormido? Ele umedeceu os lábios, desejando ouvir a voz dela ecoar pelo carro.

“Diga algo, estou desistindo de você. Eu serei o único, se você quiser que eu seja. Em qualquer lugar, eu teria te seguido... diga algo, eu estou desistindo de você…” ele pensou. O silêncio continuou sendo a única coisa que se podia ouvir dentro do carro quando ele voltou a olhar o horizonte. A mente de ao contrário, gritava. Ela ficava pensando que os dois realmente haviam se tornado dois estranhos, e tudo por causa dela! Franziu a testa ao sentir o pé latejar. Ela quis reclamar, mas preferiu o silêncio.

“Diga algo, estou desistindo de você. Me desculpe por não conseguir chegar até você! Em qualquer lugar, eu teria te seguido, diga algo, eu estou desistindo de você.” foi a vez de pensar enquanto os olhos se enchiam d’água.

“E eu vou engolir meu orgulho, você é a única que eu amo, e eu estou dizendo adeus…” a mente dele sussurrou enquanto ele apertava o volante.
“Diga algo, eu estou desistindo de você! Diga alguma coisa…” abriu os olhos para finalmente encarar a paisagem.

e Taehyung tentavam enxergar alguma coisa pelo retrovisor da frente do carro, mas era difícil e eles pareciam estar em silêncio.
- Droga! - V exclamou - Eles não vão conversar nunca?
- Calma! A gente ainda tem um bom caminho! Uma hora ou outra eles vão ter que conversar, não é possível!
Os dois irmãos se encararam.

*************************************************************************************************************

desceu do carro toda animada enquanto corria até o grande portão da casa. Ela quase havia tido um enfarte ao pensar um dia antes que havia perdido a chave, mas conseguiu achá-la. O cadeado, começando a enferrujar, foi aberto, pelas mãos delicadas dela e ela o abriu. O carro de Jimin e Hoseok fora o primeiro a entrar, depois V e , e Jin, Jungkook com e e finalmente o carro de Suga.

Ela e foram as últimas a entrar. O pessoal já descia dos carros e começava a tirar suas próprias coisas. sorriu ao ver a casa tão cheia, os pais, se vivos, certamente amariam a cena! Ela correu até o carro de Jin, para ver a amiga.
- Como foi o caminho, ?
Se escorou na janela aberta do carro de Jin, que agora retirava as sacolas com as comidas.
- Tranquila! Estou com um pouco de dor, mas é suportável!
- E como foi fazer o trajeto com o Jin?
bufou baixinho.
- Uma tortura! Eu queria tocá-lo a todo momento, mas como se a gente mal se fala?
assentiu, desgostosa.
Quando todos haviam retirado suas coisas de dentro dos carros, com as chaves na mão, sorriu.
- Estou muito feliz que está todo mundo aqui! Bom, a casa tem duas cozinhas! Uma na casa principal e outra aqui embaixo! Em qual delas vocês preferem guardar os mantimentos?
Os amigos se entreolharam e Suga, foi o primeiro a se pronunciar.
- Acho que devemos guardar os alimentos que vamos usar para as refeições principais, tipo almoço e jantar, na cozinha aqui debaixo e os outros, tipo alimentos que vamos usar para refeições rápidas, como lanches, na casa principal!
não o via ou ouvia a voz dele desde que fugira do apartamento dele aquela última vez. Preferiu não encará-lo ainda. Todos concordaram com o fisioterapeuta e então abriu a casa principal e depois abriu a cozinha que ficava na área debaixo e de fora da casa. Suga, Jin e Jungkook se ofereceram para guardar os alimentos enquanto mostrava a casa para os demais.
A sala, com dois sofás de três lugares cada, a grande TV, algumas poltronas, logo depois a cozinha que não era muito grande, e aí o corredor que dava para os três quartos e o banheiro. A casa estava incrivelmente limpa, os móveis eram todos luxuosos e a casa era muito bem decorada.
Ela mostrou aos amigos os quartos, o que havia ficado decidido era que ficaria com o quarto de casal - ela ainda estava no carro de Jin, alegando que não queria dar trabalho e que quando todos já estivessem familiarizados com a casa ela iria entrar e se acomodar no quarto - já que ele era o mais próximo da sala, o mais espaçoso e tinha um banheiro. No outro quarto ficaria o Hoseok já que ele era alérgico a picada de mosquito então era melhor que eles evitassem o contato dele com os bichos o máximo que pudessem e no outro quarto, .
O restante dos amigos iria acampar lá fora, conforme o combinado. Eles voltaram para a área externa da casa - que era enorme - e então V foi ajudar a sair do carro. Ao invés de deixar que ela mancasse o trajeto todo, ele preferiu a pegar no colo e caminhar com ela para o quarto. acompanhou com os olhos enquanto os dois sumiam dentro da casa.
- Ele só está sendo gentil, . - depositou um beijo rápido na bochecha da amiga.
- Mesmo assim, me dói ver ele cuidando tão bem dela, enquanto eu o perco e fico aqui de mãos atadas!
As duas se encararam. se aproximou das duas.
- Querem ajuda para montar as barracas, meninas? Não que eu tenha muita experiência, mas posso tentar!
As três riram e pediu para que elas tentassem.

*************************************************************************************************************

lutava com a sua barraca quando ouviu a risada debochada de Jimin ecoar perto dela.
- Você vai ficar aí rindo ao invés de me ajudar, curupira junior?
Ele tomou as peças da barraca das mãos dela.
- O que seria de você sem mim, hein, zangado? Eu deveria deixar você se virar sozinha!
Hoseok riu enquanto observava os amigos.
- Eu pediria ajuda para qualquer um dos meninos! Além de você tem o Hoseok, o V, o Jungkook, o Suga, o Jin…
- Tá! Tá bom! Eu já estou montando, fica caladinha aí, por favor!
revirou os olhos. Hoseok foi chamado por , para que ele pudesse ver o quarto onde ficaria.
- Vou montar aqui embaixo dessa árvore! Bom que o sol não vai pegar na sua barraca, para você não reclamar que está quente, porque eu sei que você vai reclamar!
- Será mesmo que você vai conseguir montar? Eu acho que não?
gargalhou e Jimin ignorou o comentário.
- O bom de montar aqui embaixo dessa árvore é que vai ficar bem escuro a noite e aí eu vou poder fugir para cá de madrugada!
cessou as risadas e então ficou vermelha. Foi a vez de Jimin gargalhar.

***********************************************************************************************************

e lutavam com a barraca, mas estavam se saindo até bem. Já a mal sabia por onde começar. Ela deu um giro em volta do próprio corpo e então o olhar dela se cruzou com o de Taehyung.
Ela abriu a boca, mas não conseguiu falar. V se aproximou dela, instintivamente.
- Não consegue montar?
Ela disse que não com a cabeça.
- Nunca acampei antes!
Ele assentiu para ela e esticou a mão em sua direção.
- Me empresta o manual? Eu monto para você…
Ainda sem acreditar direito que aquilo estava acontecendo, entregou o manual para V. Depois de alguns segundo lendo o manual ele entregou de volta para e começou a trabalhar na barraca. o ajudava no que podia e conseguia, e sentia o coração querer saltar fora do peito, com uma adolescente.
Ela olhava para ele constantemente, já V mal tocava os olhos nela. Mas só de ele se oferecer para ajudá-la com a montagem da barraca, já era um bom sinal.
- Pronto! Está montada! - ele abriu o zíper dela e depois o fechou, testando-o. - Como você está? - arriscou.
- Estou bem! Tenho conseguido ficar bem! E você?
- Sentindo sua falta! - os olhos dela marejaram.
Taehyung apenas assentiu enquanto olhava para baixo, com as mãos nos bolsos.
- Bom! A barraca está montada, só ajeitar suas coisas e o colchão aí dentro! Qualquer coisa com ela, me chama!
E ele saiu, indo de encontro a Seokjin, pronto para montar sua própria barraca. engoliu o choro e então suspirou baixinho: lá estava ela de volta à estaca zero.

*****************************************************************************************************

A barraca de já estava montada e ela olhava para ela toda orgulhosa por ter conseguido montá-la sozinha. Jungkook se aproximou dela, ficando ao seu lado.
- A gente vai ter que dividir a barraca! Não consigo montar a minha!
olhou para ele, que tinha o grande sorriso de coelho no rosto. Não conseguiu não sorrir de volta para ele.
- Um homem todo tatuado desse não sabe montar uma barraca de acampamento? Ah, para, né!
Ele gargalhou enquanto coçava a nuca.
- Eu não tentei ainda na verdade! Mas eu meio que falei sério sobre dividir a barraca…
Os dois ficaram sérios e então Jungkook voltou a gargalhar.
- Só estou querendo deixar o clima amigável entre a gente! Vão ser três dias e não vejo o porquê de ficarmos emburrados um com o outro.
balançou a cabeça para ele.
- Então me ajuda a colocar esse colchão aqui dentro e eu te ajudo com a sua barraca!
Ele concordou e então colocou o colchão inflável dentro da barraca dela com facilidade. já com o travesseiro nas mãos, apenas aguardava ele dar espaço para que ela o ajeitasse sobre o colchão, mas Jungkook foi mais rápido, tomando o travesseiro com fronhas amarelas da mão dela.
- Você vai dormir na minha barraca!
E ele saiu disparado para onde pretendia montá-la, a gargalhada dele ecoando pela paisagem fez rir de volta e sair correndo atrás dele. Era um bom (re)começo.

***********************************************************************************************************

Suga se assustou levemente ao ver parada lá, perto dele.
- Está aí uma cena que eu jamais imaginei que veria! Jamais imaginei ver você fazendo algo assim!
- Tem muito sobre mim que você ainda não conhece! Mas pode conhecer ainda se quiser!
sentiu as bochechas esquentarem com o tom de voz que ele havia usado. Ficou sem reação.
- Achei que você não viria! Não é muito bem a sua cara esse tipo de rolê!
sorriu ao fazer o comentário. Suga também sorriu.
- Fico curiosa para saber como o Hoseok te convenceu!
- Ele não precisou me convencer! Foi só ele dizer que você viria! Eu tive que vir para te ver, já que você está fugindo de mim.
As bochechas dela ficaram vermelhas outra vez. O coração acelerou. Os dois se olharam.

*************************************************************************************************************

resmungava enquanto tentava ajeitar o lençol na cama do lado esquerdo. Assim que ela conseguia, o lado direito saia. E aí lá ia ela, se arrastando pela cama para tentar ajustar. Jin a observava tentando com todas as forças executar uma tarefa simples. Ele suspirou, lutando outra vez contra a emoção.
- Deixa que eu ajeito isso para você! Você não vai conseguir sozinha!
se levantou, equilibrando o corpo em um pé só. Olhou para Seokjin parado lá na porta do quarto. Lindo, ela pensou antes de recusar a ajuda dele.
- Não precisa! Vou conseguir!
Jin bufou enquanto observava ela tentar outra vez. Hoseok se aproximou do quarto, temendo que os dois pudessem estar brigando.
Observou por alguns segundos. Olhou para Seokjin, tão frustrado quanto e entendeu: ela não queria que ele ajudasse, e ele queria ajudar. Olhou para ela outra vez: ela não conseguiria sozinha.
- Eu faço isso, ! - ela olhou para Hoseok e assentiu para ele.
O amigo entrou no quarto e então com facilidade ajeitou o lençol sobre a cama enquanto o observava. Jin estreitou os olhos, sentindo raiva de . Por que Hoseok pode ajudar e ele não?
Hoseok perguntou se ela precisava de mais alguma coisa e ela disse que não! Ele bateu no ombro de Jin antes de sair do quarto, deixando os dois sozinhos outra vez.
- Por que você está me atormentando assim? - ele bagunçou os cabelos.
suspirou pesadamente enquanto mancava de volta para a cama.
- Quando eu atormentei você, Seokjin?
Eles não parariam de brigar nunca? Nem como ela o evitando?
- Mesmo quando você está quieta, sem fazer nada, eu fico… - ele pausou e bufou alto - Eu estou passando por momentos difíceis por sua causa, caramba!
De novo aquilo? Pensou .
- Então pare de passar por momentos difíceis por minha causa! Pare de se sentir responsável pelo meu sofrimento ou por cuidar de mim! A decisão de mentir para você foi minha! Então, está tudo bem! Apenas me ignore e continue o seu caminho! Não cuide e nem se apegue a mim com esse olhar arrependido! Deste momento em diante, não se preocupe mais comigo! Eu jamais culparei você pela minha dor!
Jin sentiu os olhos marejarem com toda a aspereza dela. O coração partiu outra vez. percebeu quando ele acabou por fazer um beicinho, magoado. Jin precisava deixar que ela o esquecesse, ou os dois ficariam malucos!
- Você nem sequer entende o que eu quero dizer! - Jin balançou a cabeça antes de deixá-la sozinha.
se jogou na cama de olhos fechados, suspirou pesadamente. Precisava e ia esquecê-lo!

*************************************************************************************************************

O sol já começava a se pôr e então eles se reuniram na sala mesmo para decidirem quais seriam os planos daquela noite. Todos concordaram que estavam bem cansados quando perguntou se eles queriam conhecer a cidade, então as garotas propuseram de fazer o jantar daquela noite e que o jantar da noite seguinte seria feito pelos meninos, já que Namjoon estaria presente e eles queriam fazer comida coreana, e também seria uma oportunidade para que todos pudessem começar a se conhecer ainda melhor.



Octogésimo Terceiro Capítulo - Give your heart a break

As garotas agora arrumavam a mesa enquanto os meninos se divertiam lá fora. A preparação do jantar foi regada a muitas risadas e elas aproveitaram para se conhecerem melhor e descobrir as afinidades que poderiam ter. Todas colaboraram com o jantar de alguma forma, até com o pé quebrado.
Assim que estava tudo pronto, foi até onde os meninos estavam enquanto ouvia as risadas deles ecoarem pelo lugar. Ela sorriu ao observar os seis se dando tão bem e parecendo tão íntimos, como se já se conhecessem há uma vida.
- O jantar está pronto, meninos! Estamos só esperando vocês!
As risadas cessaram e então eles seguiram até a mesa que tinha do lado de fora. Foi aí que percebeu que não caberia todos a mesa, já que eles eram muitos! Então ela e Hoseok correram até a cozinha de cima e pegaram algumas cadeiras, e alguns amigos também disseram que comeriam em pé mesmo, que não tinha problema.
Logo todos começaram a se servir e a conversar ao mesmo tempo.
Ao lado do irmão, o viu fechar os olhos ao comer o quibe assado feito por .
- Gostou? - perguntou, com um sorriso sapeca nos lábios.
O irmão balançou a cabeça que sim enquanto comia mais um pedaço.
- Você que fez?
Ela balançou a cabeça negativamente e bem na hora todos ficaram em silêncio.
- Então quem fez? Está uma delícia!
- A !
sentiu as bochechas esquentarem com o olhar não só de V, mas de todos os amigos sobre ela.
Taehyung balançou a cabeça positivamente para ela e desviou o olhar. Ele não sabia que ela cozinhava tão bem! Aliás tinha algumas coisas sobre ela que V não sabia…
Jimin perguntou se gostaria que ele a servisse um prato e ela gentilmente aceitou. Quando ele estava prestes a colocar a moqueca de peixe feita por , gritou.
- NÃO, CURUPIRA! Ela é alérgica! Já está com o pé quebrado, quer matar a , é?
Jimin olhou para com os olhos arregalados.
- Desculpa, ! Eu não sabia! Você quer mais alguma coisa? Ou só isso que eu já coloquei está bom?
riu e assentiu para ele.
- Não tinha como você saber, Jimin! Está ótimo!
Ela pegou o prato quando Jimin lhe entregou.
- Caramba, vocês se conhecem muito! - Jungkook riu. - Há quanto tempo?
- Desde os seis anos! - sorriu para as amigas - A gente se conheceu na escola, e aí nunca mais nos separamos!
- Eu não gostava da no começo! - e gargalharam - Nem ela de mim!
- Você nunca gosta de ninguém! - implicou Jimin e todos riram.
o fuzilou com o olhar.
- Mas a gente logo esqueceu isso! As meninas são como irmãs para mim!
comentou enquanto mexia na comida no prato.
- E você e o Jin, como se conheceram? - Suga perguntou se ajeitando na mesa.
Os dois amigos se olharam.
- Numa exposição minha!
V balançou a cabeça, sorrindo abertamente, enquanto se lembrava do dia.
- Eu gosto muito de artes no geral e fiquei sabendo da exposição do Jin, mas não sabia ainda quem ele era direito. Resolvi ir à exposição e ele estava lá.
- Então a gente começou a conversar sobre arte, era minha segunda exposição na vida!
- Então também a gente nunca mais se largou.
Sorriram um para o outro com carinho.
- E vocês dois? - apontou para Jimin e Hoseok.
Foi a vez dos dois se procurarem com o olhar e Hoseok sentiu a garganta fechar ao se lembrar do quão especial o melhor amigo é, e de como os tempos na faculdade foram mais fáceis com ele.
- A gente se conheceu na faculdade! - respondeu Jimin primeiro - Mesmo a gente sendo de cursos diferentes, a gente se ajudava muito! A gente se encontrava sempre na biblioteca para estudar e fazia os intervalos juntos. Só que ele é um ano mais velho que eu, então ele se formou primeiro.
Os dois se encararam profundamente.
- Então ele sumiu!
Os amigos fizeram cara de espanto e alguns muxoxos.
- Mas a gente se reencontrou! Isso que importa.
Hoseok mudou de assunto.
- Do nada? - Jin perguntou.
- Do nada! Numa farmácia!
Os dois amigos riram.
- Uau! - Suga soltou antes de levar o garfo a boca.
Foi a vez de questionar como e haviam se conhecido.
- Eu estava procurando alguém para dividir o apartamento e ela apareceu com os pais para dar uma olhada, já que ela queria morar sozinha por causa da faculdade.
- Exato! Então, meus pais gostaram tanto da que não me deixaram procurar mais nenhum lugar. Daí viramos melhores amigas!
As duas deram as mãos.
- Me desculpe a indiscrição, mas, e vocês dois? Como se conheceram e tal? Falo por que vocês dois iam ter um bebê, não é? Sinto muito pela perda!
olhou de Suga para . E abaixou a cabeça enquanto fechava os olhos.
- Nós nos conhecemos num bar! Estávamos bêbados e eu a beijei! E nessa mesma noite o bebê foi feito! - ele riu e acabou arrancando mais algumas risadas dos amigos.-
- Espera! - olhou para os dois - Vocês eram basicamente dois desconhecidos e fizeram um bebê numa noite de bebedeira?
e Suga assentiram enquanto olhavam um para o outro. vermelha, enquanto tentava não pensar muito naquela noite. Já Suga buscava na memória os poucos flashes que tinha da fatídica noite. Sentia falta dela mais que tudo. resolveu que seria melhor não perguntar porque os dois não estavam mais juntos, e o restante dos amigos também achou melhor mudar o assunto. Eles terminaram de comer falando sobre seus respectivos trabalhos e rotinas, e os garotos ficaram responsáveis por lavar as louças, já que as meninas cozinharam.

e V montavam o videogame na sala com a ajuda dos outros e resolveu que levaria as roupas de cama para os quartos, resolveu começar pelo que Hoseok ficaria. Entrou no quarto em silêncio e encontrou ele lá parado em frente a cômoda marrom que lá havia. Os olhos de bateram no mesmo lugar que os olhos de Hoseok. A foto de com os pais que havia lá. Havia uma porção de fotos dos pais e dela por lá, já que quando ela era pequena e ia com os pais, costumava dormir nesse quarto, e ela se lembrou que esse era o motivo pelo qual havia escolhido o outro quarto para dormir nesses três dias. Os olhos de se encheram d'água e Hoseok olhou para ela, ainda parada lá na porta com uma das mãos na maçaneta e segurando as roupas de cama na outra mão.
Hoseok deu alguns passos se aproximando dela e tomando as roupas de cama para si. Depositou-as sobre a cama e então olhou de novo para , que agora limpava o rosto molhado de saudade dos pais.
- Você podia ter me entregado essas coisas lá na sala, , para não precisar entrar aqui. - ele segurou o rosto dela entre as mãos.
- Tudo bem, Hobi! Eu ia ter que encarar isso! A casa toda me lembra deles!
Encostou os lábios na testa dela e depositou um beijo firme por lá.
- Você sabe que pode contar comigo, não sabe?
balançou a cabeça que sim enquanto o abraçava pela cintura encostando a cabeça em seu peito. Os dois ficaram lá por alguns segundos se abraçando e depois Hoseok a ajudou com as outras roupas de cama e quando eles voltaram para a sala o videogame já estava montado e os amigos apenas esperando os dois para começarem a jogar.
A primeira rodada foi disputada entre Jin e Jungkook, e os dois demoraram bastante, pois a disputa foi acirrada. Jungkook acabou ganhando e então foi a vez dele disputar com Suga, que acabou perdendo a paciência, facilitando as coisas para JK, que passou a vez para , que disputou com o irmão, perdendo, é claro. V e Jimin disputaram e V acabou ganhando mais uma vez, disputando com Jin que resolveu tentar outra vez. O amigo acabou deixando Jin ganhar, que vibrou muito, enquanto os amigos riam. e resolveram disputar, mesmo não sendo muito familiarizadas com os jogos. e Jungkook ajudavam as duas como podiam e mantinha a testa franzida, concentrada nas dicas que JK a dava. O olhar de V acompanhava os movimentos dela na tela, e pouco a pouco, o sorriso dele ia aumentando, conforme ia se desenvolvendo no jogo. Jin observava o amigo, involuntariamente ficar feliz por e acabou sorrindo com ele. Quando a disputa começou a ficar acirrada, , empolgada, se levantou e viu V se aproximando dela, quase tão empolgado quanto ela, o que a incentivou a dar o melhor de si mais ainda para ver a reação dele. Os amigos todos vibravam, alguns ao lado de e outros ao lado de .
Taehyung olhava para concentrada e nervosa ao mesmo tempo, com os olhos brilhando e quando ela ganhou, acabou abraçando Jungkook por um impulso, que a abraçou de volta, tirando-a do chão. V foi o primeiro dos amigos a bater palmas para ela, empolgado pela vitória. e Jin trocaram um olhar, cúmplices, batendo palmas também.
Os dois trocaram um rápido olhar, e sorriu para ele sem mostrar os dentes enquanto ele olhava para baixo ainda batendo palmas.
Agora eles estavam todos reunidos na parte de fora da casa, tentando acender uma fogueira. O celular de Suga tocou dentro do bolso da calça preta e ele franziu a testa, pensando em quem poderia ser uma hora daquelas, já que ele costumava receber ligações apenas de algumas pessoas específicas, como por exemplo os pacientes ou sua secretária. Mas não àquela hora da noite… O sorriso brotou automaticamente nos lábios dele ao ver o nome da “ex-sogra” no visor, ele havia se esquecido que os pais de também faziam parte das pessoas específicas que o ligavam. Eram como pais para ele também. Os dois conversaram um pouco, sobre como andava a vida de Suga e sobre como estava o acampamento. Logo ela perguntou se Suga estava perto de .
- Eu estou com ela sim, dona Susana! Vou passar para ela agora.
ficou em silêncio enquanto arregalava os olhos e franzia a testa com força ao ver Suga se aproximar dela com o telefone no ouvido e falando o nome de sua mãe.
- Sua mãe! Preocupada porque não consegue falar com você! Toma! - ele ergueu o telefone na direção dela - Não precisa fazer essa cara! Seus pais me ligam direto, eles não fogem de mim que nem você.
engoliu seco enquanto se retirava, indo na direção de . Suga também se retirou quando colocou o telefone no ouvido. Enquanto a mãe falava, ela foi se acalmando ao pensar que a sua família realmente gostava muito dele, e que ele era um homem sozinho, que já não tinha mais os pais, então ficou feliz de saber que os pais dela, poderiam ser família para ele também. Não seria egoísta de afastar os pais dele… enquanto conversava com a mãe, ela o observava rir junto a Hoseok e Jimin. Deixaria que os pais dela, fossem dele também.

Depois de ficaram algum tempo jogando conversa fora e se esquentando perto da fogueira, eles começaram a se retirar e a se preparar para irem dormir. Haviam se divertido mais do que pensaram que se divertiriam. sorria enquanto observava as movimentações.
- Seu irmão já foi dormir? - JK perguntou, enquanto observava se espreguiçar e bocejar.
- Já! O Tae dorme cedo!
Os dois se encararam.
- Vem, vou te levar na sua barraca!
, com o coração quentinho, assentiu para ele e então os dois caminharam lado a lado até a barraca. Em silêncio. Assim que chegaram, se virou frente a ele. Mordeu o lábio, receosa, enquanto admirava o piercing reluzir na boca dele.
- Boa noite então, JK!
Foi a vez dele morder o lábio.
- Não!
se assustou quando ele segurou a cintura dela com as duas mãos. Por que ele gostava de dificultar tanto as coisas?
- Eu só vou embora e só vai ser uma boa noite, se você me der um abraço…
Por que ele gostava tanto de dificultar as coisas? Ela olhou ao redor e parecia que agora só havia de fato os dois acordados e fora de suas barracas. Encostou a testa na dele e então ergueu os braços enlaçando-os em volta do pescoço dele. Jungkook quis desesperadamente beijá-la, mas ela virou o rosto encostando-o na curva de seu pescoço, finalmente o abraçando. Inalou o cheirinho bom dele e então fechou os olhos. Jungkook a apertou em si e então, sorriu satisfeito. Ele sabia e sentia que o queria na mesma intensidade, só precisava de um pouco mais de tempo para tê-la de volta, tinha certeza.

Jimin mexia pacientemente no celular, há quase meia hora. Bloqueou-o e então pensou que provavelmente todos já estariam dormindo, ou quase pegando no sono em suas barracas, se levantou e abriu o zíper da barraca bem devagar para não fazer barulho, olhou para os dois lados: ninguém a vista e estava tudo no mais absoluto silêncio. Saiu da barraca, fechando-a e correu para onde ele mesmo havia montado a barraca de . Abriu vagarosamente o zíper dela, encontrando com o celular perto da face, iluminando-a.
- Que isso, Jimin? - ela virou o celular para iluminá-lo.
Ele riu enquanto fechava o zíper e se deitava ao lado dela no colchão inflável.
- Eu custei a esperar todo mundo deitar! Estava louco para tocar você! - segurou o rosto dela com uma das mãos.
fechou os olhos e sentiu as bochechas esquentarem. Os lábios de Jimin se encostaram nos dela, dando início a um beijo lento. deixou que a língua quente dele invadisse sua boca e então levou uma das mãos para a cintura dele, apertando o lugar. Jimin colou o corpo dos dois enquanto descia a mão do rosto para a cintura dela também. O beijo ia ganhando intensidade e resolveu parar quando ouviu Jimin soltar um gemido sofrido.
- Eu não vou transar com você aqui, Jimin!
Os olhos dele se arregalaram levemente e ele se sentou no colchão.
- Caramba, , que tipo de homem você ainda acha que eu sou?
Ela deu de ombros.
- Homens! Qualquer lugar para vocês é lugar!
- O que mais eu tenho que fazer para te provar que eu não sou assim? - ele passou as mãos pelo rosto, exasperado.
ficou em silêncio.
- Ah, quer saber? Boa noite, !
- Jimin, espera! - ela tentou segurar o braço dele e o impedir de sair, mas sem sucesso.
Fechou os olhos quando se viu sozinha, e se sentiu estúpida. De volta a sua barraca, Jimin jurou para si mesmo, não procurar mais por ela nas noites do acampamento.
O que será que os aguardava no segundo dia de acampamento?



Octogésimo Quarto Capítulo - XO

acordou primeiro que os amigos na casa e desceu para a cozinha debaixo ainda enrolada no cobertor. Ela se lembrava muito bem que de manhã o lugar costumava até a neblinar. Abriu os armários e a geladeira para montar uma mesa de café da manhã para os amigos, mas percebeu que faltavam algumas coisas como pão francês, manteiga e essas coisas. Quando ela estava voltando para o quarto para se trocar e ir até a padaria mais próxima, encontrou Jimin. Ele sorriu para a amiga enquanto abria os braços para abraçá-la. A amiga se jogou nos braços do mais novo e ele acariciou os cabelos curtos de .
- Já de pé, Jiminnie? Está cedo! Foi muito ruim dormir na barraca?
franziu a testa, preocupada. Mas Jimin fez que não para ela.
- Só perdi o sono! - fez uma careta e riu.
Ele queria poder desabafar com a amiga sobre ele e , mas não podia e aquilo o matava aos poucos.
- Eu vou me trocar e vou à padaria comprar algumas coisas!
- Eu vou com você! Te espero aqui na sala!
beijou a bochecha dele e saiu.
Os dois foram no carro de mesmo, a padaria não ficava muito longe, mas claramente não dava para ir a pé. Lá os dois compraram alguns bolos, pães, manteiga, alguns pães de queijo e outras guloseimas de café da manhã. Enquanto eles esperavam na fila para pagar e conversavam, uma moça interrompeu a conversa para elogiar o cabelo de Jimin. Que um pouco envergonhado agradeceu e até conversou um pouco com a moça que flertava descaradamente com ele enquanto ria da situação discretamente.
Quando os dois voltaram para casa, a maioria dos amigos já estava de pé. Alguns na parte de fora da casa jogando tênis e conversa fora e outros na cozinha debaixo, incluindo Yoongi e Jungkook que preparavam algumas coisas típicas do café da manhã coreano. Enquanto isso, Jimin e depositavam as compras sobre a mesa.
- Você precisava ver o Jimin sendo cantado lá no supermercado! A moça elogiou o cabelo dele e tudo!
e ele trocaram um rápido olhar e Jimin quis rir da expressão dela.
- É mesmo? E o que ele disse? - se interessou enquanto ajudava os dois.
- Ele agradeceu só! Mas a moça emendou um assunto no outro e o Jimin educado e sem vergonha deu trela, é claro!
- Olha o hyung fazendo sucesso! - Jungkook comentou enquanto gargalhava com .
- Olha só! Parece que tem alguém querendo morrer? - sussurrou para que só Jimin pudesse ouvir.
Jimin ignorou o pequeno ataque de ciúmes da mais baixa e passou por ela indo em direção a Suga e perguntando se ele queria ajuda. piscou os olhos várias vezes com a audácia do moreno e balançou a cabeça. Então ele a ignoraria?
Depois de ajudar Suga com algumas coisas, Jimin resolveu caminhar até o quarto de Hoseok para acordar o amigo, já que o café da manhã já estava sendo servido e ele bem sabia que o amigo ficaria sem graça de ser o último a acordar. Abriu a porta, que por sorte não estava trancada e vislumbrou o amigo ainda dormindo. Sorriu com ternura e então se deitou sobre ele enquanto gargalhava e via Hoseok tentar se mover embaixo dele. Os olhos dele se abriram com dificuldade e então encararam os olhos de Jimin, que estavam pequenos já que ele gargalhava abertamente. Hoseok sentiu o coração saltar dentro do peito com a proximidade repentina do melhor amigo, aquilo acabou despertando gatilhos que andavam bem adormecidos em Hoseok, que pediu gentilmente que o amigo se levantasse.
- Ah por quê? Está tão gostoso aqui! Agora entendi por que você dormiu tanto! Vou me deitar aqui ao seu lado um pouco também, J-Hope! - brincou o amigo, enquanto apertava um pouco mais as pernas em volta de Hoseok.
- NÃO! Jimin, sai! - Hoseok forçou um sorriso enquanto o hálito do amigo invadia suas narinas com a risada que ele soltava.
O amigo começou então a fazer cócegas em Hoseok, ainda sem se mover de cima dele e Hoseok, vermelho, só pedia que o amigo parasse. Jimin se jogou na cama ao lado do amigo e os dois se encararam. Hoseok desviou o olhar do amigo se sentando na cama logo em seguida, com o coração palpitando! Ele umedeceu os lábios e respirou fundo mandando oxigênio para o cérebro e se lembrando que aquele ali era o seu melhor amigo, Jimin. Se livrou dos cobertores enquanto via Jimin se sentar na cama, o encarando.
- Está tudo bem, J-Hope? - os dois se encararam rapidamente.
Jimin estranhou a reação do amigo, ficou preocupado que estivesse acontecendo alguma coisa com o amigo, especialmente com relação a estar no mesmo ambiente que e Namjoon.
- Claro! - Hoseok umedeceu os lábios outras vez. - Eu vou levantar já! Pode esperar lá com o pessoal!
E então ele se levantou tentando ajeitar os cabelos bagunçados. Jimin assentiu para ele enquanto se levantava da cama quentinha do amigo.

Fazia tempo que não via uma mesa de café da manhã tão caprichada e farta, as meninas experimentaram algumas comidas coreanas que Suga e Jungkook prepararam e os elogiaram é claro. E quando todos acabaram de comer, alguns foram lavar as louças e arrumar a cozinha. Foi quando o olhar de bateu em V ajudando a se levantar, segurando-a pela cintura e sentiu a cabeça rodar. Ao desviar os olhos cheios de água de lá, ela reparou que Seokjin observava a mesma cena. Se aproximou do mais alto.
- A gente pode conversar, Seokjin? - Jin reparou nos olhos marejados dela.
Assentiu para que sim e então eles saíram da cozinha e caminharam um pouco, até se aproximarem do lago. E então Jin soltou um suspiro.
- E então? - os dois se encararam.
sabia o que falar, mas não sabia como começar o assunto.
- Você não gosta mais da ?
Jin franziu a testa. Por que aquela pergunta? Os dois não eram íntimos…
- Porque eu gosto do V! Mais do que parece! Na verdade, sei que deve parecer que não, porque você como melhor amigo dele, deve saber tudo o que rolou! E talvez até tenha algum ressentimento comigo!
Jin balançou a cabeça negativamente para ela, apesar de claro, estar do lado do amigo.
- Mas infelizmente foi preciso que toda essa merda acontecesse para eu finalmente perceber o quanto o seu amigo é importante para mim!
- Entendi! E acredito em você! Mas só eu sei quanto o V está machucado, ! Agora o que isso tem a ver comigo e com a ?
se virou para ficar frente a frente com ele.
- Essa situação do V com a , não te incomoda nem um pouco? Porque está me machucando muito! Fico imaginando você, porque ele é seu melhor amigo e parece estar priorizando essa nova amizade ao invés da boa e velha amizade de vocês… E bom, parece que as coisas entre você e ela, foram intensas.
Jin sentiu como se alguém lhe estapeasse o rosto com força. Ela tinha razão. É claro que aquilo o incomodava.
- Me incomoda! Mais do que deveria incomodar! Mas eu não tenho nenhum direito sobre a e quem ela escolhe para ser amigo dela! Da mesma forma que não posso exigir nada do V!
concordou balançando a cabeça.
- Sim! Entendo! Eu também não posso! Só se eu fosse completamente maluca para falar sobre isso com ele! Então ainda gosta da ?
- Eu a amo, ! - Seokjin fechou os olhos e mordeu o lábio. - Mas é complicado!
- Eu sei que é complicado, aliás eu imagino o quanto essa história de vocês é difícil! É por isso que vim conversar com você, porque sei que isso deve machucar você também! Então pensei de te propor uma coisa!
Seokjin franziu a testa outra vez.
- Não vou fazer nenhum joguinho!
- Joguinho? - foi a vez de franzir a testa - Está achando que vou propor um joguinho de “troca de casais?”
Ela fez aspas com as mãos enquanto gargalhava. Jin, se rendeu e acabou gargalhando com ela.
- Não sou tão infantil assim! Ok que fui completamente juvenil fazendo o que fiz com o V, mas a minha lição está aprendida, Seokjin, e se eu fizesse isso estaria dando um tiro no meu próprio pé e aí sim eu poderia esquecê-lo de vez! Eu estou falando de estarmos os dois sempre disponíveis para a , antes do Tae! Qualquer coisa que ela precisar um de nós dois sermos os primeiros a fazer, porque aí não vai precisar dele ajudar ela o tempo todo e acaba afastando um pouco os dois! Além de que isso pode, sei lá, acabar unindo vocês dois outra vez!
Seokjin olhou para o horizonte, parecendo ponderar com a proposta da morena.
- Você gosta mesmo do V, ? Vale a pena te ajudar?
- Você sabe que se topar não vai ser única e exclusivamente para me ajudar, Seokjin! E sim, porque no fundo, no fundo quer sim tentar se reaproximar dela! Mas sim! Eu gosto de verdade do Taehyung, eu só fui burra! - fechou os olhos com força. - Como eu posso provar para você que sim?
- Não precisa me provar nada! Eu acredito em você como disse mais cedo, só - ele pausou. - Não sei! Não quero ver o meu melhor amigo sofrendo mais do que ele já está! Mas tá bom! Eu topo!
Jin ergueu a mão na direção dela.
- Então temos um combinado, certo? - ela segurou a mão de Jin com firmeza.
- Temos! - Jin sorriu para ela sem mostrar os dentes enquanto eles balançavam as mãos.
Os dois voltaram para dentro e lançou um olhar curioso para a amiga, que apenas piscou para ela, tentando acalmá-la. Foi quando os amigos começaram a conversar sobre estar calor e propôs de irem todos para a piscina da casa, e até comentou que havia mandando limpá-la, pois já estava há um tempo sem uso.
- Eu vou começar a fazer o almoço! Para a gente não almoçar muito tarde! - Suga se levantou, enquanto espreguiçava-se.
- Vou te ajudar, hyung! - Jungkook se manifestou.
Jimin e também se ofereceram para ajudar e Suga disse que apenas se os dois não brigassem, arrancando risadas dos outros amigos.

Já vestidos apropriadamente para um dia na piscina, foi a primeira a se jogar na água, seguida por . Hoseok se jogou em uma das espreguiçadeiras em volta da piscina enquanto observava os amigos rindo e se divertindo, ele estava gostando de finalmente deixar outras pessoas se aproximarem. Ainda tinha medo de se machucar, mas estava deixando as paredes caírem aos poucos. Se sentia acolhido pelos garotos por compartilharem a mesma cultura e as garotas eram amáveis.
Os olhos dele passearam pelo local e então pararam quando surgiu, em um biquíni vermelho com detalhes dourados. Era a primeira vez que ele via tanto da pele e do corpo dela. Engoliu seco conforme ia passando involuntariamente os olhos por cada pedaço disponível para sua visão. Ele começava a sentir o corpo reagir conforme ela se aproximava, e não podia deixar de abrir a boca, surpreso quando ela parou em frente a ele. Outra vez os olhos de Hoseok passearam por lá: o pescoço, depois desceu para os seios, cobertos pelo tecido vermelho, mas ele não conseguiu não reparar na marca que os mamilos levemente enrubescidos dela faziam sob o mesmo… depois ele desceu os olhos pela barriga de e se deteve lá por um tempo enquanto ainda tinha a boca aberta, e depois desceu pelas pernas tatuadas dela. Se surpreendeu com a quantidade de tatuagens dela que ele ainda não tinha visto, e depois os olhos dele voltaram a admirar os seios dela, só saiu do transe quando ouviu a gargalhada dela.
- Você não vai ficar só aí sentado, não é?
Hoseok voltou a engolir seco antes de conseguir responder.
- Uau! - foi o que ele conseguiu dizer primeiro enquanto ria - Quer dizer, não! Eu vou entrar, só estava esperando você!
ergueu a mão para ele, que a segurou então de mãos dadas os dois caminharam até a piscina para entrarem juntos. segurou a blusa UV preta que ele usava enquanto o corpo colava no dele, Hoseok arrepiou, mesmo embaixo da água.
- Você não vai tirar isso aqui?
Hoseok sentiu as bochechas queimarem com a investida de , e balançou a cabeça em negativa.
- Não tem nada demais para ver aqui! - Hoseok fez uma careta.
- Tenho certeza que sim!
Os dois ficaram em silêncio e então de repente explodiram em gargalhadas.

Algum tempo depois resolveu se deitar por ali mesmo para tomar um pouco de sol e Yoongi saiu da cozinha já vestido com uma bermuda preta e mais nada. quis fechar os olhos para não cair em tentação de passear os olhos pelo corpo dele, não queria se lembrar da última vez em que esteve no apartamento dele, especialmente, não queria se lembrar do flagra. Quando Suga passou por ela, os dois trocaram um olhar rápido e parou os olhos no ombro esquerdo dele, mais em específico em algo que ela achava ser uma tatuagem. Ergueu uma das sobrancelhas e não pode deixar de se sentar para observar melhor e tentar decifrar o que era a tal tatuagem. Os dois voltaram a se olhar e não aguentou.
- Isso é uma tatuagem? - se arrependeu, então fechou os olhos.
- É! Eu fiz para o Hyuk! - Suga se aproximou mais um pouco dela.
se levantou, ficando perto o suficiente para ver o H com as asas e a auréola no ombro dele. Sem pensar duas vezes ela passou os dedos por lá delicadamente, sentindo os olhos marejarem.
- Que lindo! – sussurrou.
Os olhos de Yoongi acompanharam as leves carícias dos dedos gelados dela por lá, e ele colocou a língua entre os lábios.
- Eu sei que você não acredita, mas vocês dois são muito especiais para mim ainda.
retirou a mão da tatuagem com a fala de Yoongi e os dois se encararam em silêncio.
- Quem sabe um dia, não é? - ele afirmou mais para si mesmo.
num instinto se virou de costas para ele, ainda afetada e surpresa pelo gesto. Ela jamais imaginou que ele pudesse ter esse tipo de delicadeza…

observava V rindo sem graça de algo que Jin falava com ele, ela olhava o protetor e olhava para ele, pensando se deveria ou não… Mordeu o lábio receosa quando ele caminhou na direção de , mas sentiu que aquilo era o gás que faltava para que ela agisse.
- Você pode passar para mim? - ergueu o protetor solar na direção de V.
Ele e cessaram a conversa e abaixou a cabeça enquanto Taehyung arregalava os olhos em direção à ela. As amigas mulheres estavam todas na piscina já e estava na cozinha. Os garotos também estavam na piscina, ou na cozinha…
- Você acha que consegue ajudá-la com isso, ?
engoliu seco e encarou sentada em umas cadeiras, visivelmente incomodada. balançou a cabeça, já sem paciência com mas uma tentativa frustrada.
- Deixa! O Seokjin está vindo, peço para ele!
E deu as costas para os dois, caminhando - pisando duro - em direção a Seokjin.
- Você pode me ajudar com isso aqui? Sem joguinhos, só um favor mesmo! - ergueu o protetor solar outra vez.
Seokjin engoliu seco e então, sem encarar o restante dos presentes, ele assentiu para que se virou de costas para ele, bufando. Seokjin espalhou o protetor pelas costas dela com delicadeza sentindo o coração bater forte, já que ele sabia que V e os estavam vendo.
Os dois encaravam, perplexos, a cena. V sem conseguir acreditar na audácia da morena e tentando colocar dentro da cabeça que ela só estava frustrada por V não ter topado… mas sentia o peito e a garganta arder. V fechou os olhos por alguns segundos e quando abriu Jin ainda espalhava o protetor pelas costas dela. “Quando ele vai acabar?” pensou ele enquanto colocava as mãos na cintura. Assim que Seokjin acabou, se virou de frente ao mais alto e agradeceu.
- Me desculpe! E obrigada, claro!
- Imagina! Isso não faz parte de nenhum planinho seu… - o interrompeu.
- Não, Seokjin! Não faz! Já temos o nosso acordo, não é? Inclusive você já pode ir lá para perto dos dois, se não o plano não vai dar certo! - ela o empurrou pela cintura, fazendo-o rir.
- Tá! Tá! Já estou indo! Calma!
O coração de pareceu ter esquecido de bater ao vê-lo rindo com … Pediu ajuda a V quando viu ele caminhando na direção dos dois, como se nada tivesse acontecido.
- Pode me levar até a cozinha? Vou ajudar no preparo do almoço enquanto vocês se divertem!
V, ainda tentando assimilar a interação repentina entre o melhor amigo e ainda então paixão, apenas assentiu para enquanto passava o braço dela em volta de seu próprio pescoço. Seokjin observou a cena, decepcionado enquanto parava de andar. O olhar dele e de cruzou, com ela já dentro da piscina. Se sentou em uma das espreguiçadeiras e se juntou a ele. Alguns minutos depois, V voltou, sozinho e então se juntou à irmã e ao melhor amigo. Os dois, Seokjin e V trocaram um olhar rapidamente. Nenhum dos dois tocou no assunto.

e Hoseok se juntaram à e Jimin para arrumarem a mesa, mas o celular de tocou dentro do bolso enquanto ela depositava os pratos sobre a mesa. Era Namjoon. Ela atendeu com a testa franzida, já se preocupando. Foi quando ele disse que estava no portão esperando que alguém abrisse para ele. se despediu dele enquanto olhava na direção do portão da casa, sorriu ao ver o carro dele lá e então caminhou saltitante até o portão, pronta para abri-lo.
Assim que Namjoon saiu do carro, os dois sorriram um para o outro enquanto os olhos dela brilhavam. Namjoon segurou a cintura de , puxando o corpo dela de encontro ao seu, enquanto os olhos dela se arregalaram com a atitude. Os lábios de Namjoon se encostaram nos dela rapidamente, selando-os. Antes que o selinho pudesse virar um beijo, espalmou bem levemente as mãos no peito de Namjoon, afastando-se dele.
- Namjoon, não! Lembra do que combinamos? - olhou na direção de onde os amigos estavam e viu Hoseok .
Ele estava parado perto da mesa, olhando para os dois enquanto mantinha o semblante fechado. Namjoon olhou para lá também, um sorriso de canto brotou nos lábios dele. Aquilo seria divertido…
- Ah, claro! Me desculpe, eu esqueci que ele estaria aqui também, é que ele é tão tímido que às vezes não me lembro dele nos lugares! A presença dele me falha na memória às vezes!
Foi a vez de mudar o semblante.
- Por favor, Namjoon! - ele assentiu para ela.
- Vou tirar as malas do carro depois que almoçarmos! E monto a barraca depois também, acho que o almoço já está pronto, não é?
- Basicamente! Vamos?

Depois de cumprimentar Namjoon, Jin observou de longe, e , agora mais perto da piscina. Ele observou que parecia estar levemente triste por não poder se juntar ao pessoal na piscina, devido ao pé. Seokjin não gostava de ver aquela tristeza no olhar dela… teve uma ideia. Andou até , e então sorriu para ela.
- Na cidade aqui perto, tem alguma loja de conveniência etc?
- Com certeza! Aqui é meio turístico, não é? Meia horinha ou menos daqui já tem cidade! Quer ir lá depois do almoço?
- Eu vou agora mesmo, vocês podem começar a almoçar sem mim, preciso comprar um calção de banho, eu me esqueci de trazer!
- Quer companhia? - Namjoon se ofereceu.
- Não precisa, Namjoon! Eu agradeço, vou e volto rapidinho! - Seokjin se curvou em forma de agradecimento.
observou os dois, enquanto se perguntava quem se esqueceria de levar roupa de banho para uma casa de campo com piscina, mas acreditou no rapaz, afinal de contas, quem poderia comprovar o contrário?

Jimin, observava de pé perto da piscina conversando com as garotas, parecendo querer se enturmar, mas sem saber como. Ela parecia sem jeito ou com vergonha de entrar na água para entrosar. Mordeu o lábio receoso, e resolveu que quem sabe ele poderia ajudar? Envolveu os braços em volta do corpo de enquanto impulsionava o corpo dos dois para dentro d' água.
Enquanto Jimin explodiu em gargalhadas altas, tentava assimilar e acreditar que ele havia realmente feito aquilo. detestava água, em especial por causa do cabelo que estava sempre liso, mas não era naturalmente liso… e ali ninguém além das amigas sabia daquilo, e elas eram as únicas que haviam visto a amiga com os cabelos naturais - o qual ela odiava -, sentiu o pescoço arder e sabia que estava vermelha.
- Você ficou maluco? Aliás, você é maluco! Por que fez isso? Eu não entro em piscinas, seu imbecil!
A risada de Jimin que começava a cessar, parou de uma vez enquanto ele arregalava os olhos. Os amigos agora observavam os dois, com certo espanto.
- Me desculpa, eu não sabia! Achei que você queria entrar, mas estava sem jeito…
- Você é um idiota! Se eu quisesse entrar, teria entrado! E se eu não soubesse nadar e tivesse sei lá, me afogado ou quase me afogado! Ai, Jimin, pelo amor de Deus! - ela o empurrou com força enquanto marejava os olhos.
Namjoon ergueu a mão na direção de enquanto ela tentava sair da piscina com certa dificuldade, a ajudando.
- Calma, ! - ele sussurrou para ela, que apenas saiu em direção a casa.
Jimin, ainda com os olhos arregalados e o coração acelerado, continuou estático por alguns segundos. Ele definitivamente não esperava aquela reação de , especialmente na frente dos amigos, que também pareciam muito surpresos. Ele balançou a cabeça algumas vezes.
- Tudo bem, Jimin! A só não gostou da brincadeira, mas depois vocês se acertam! - apertou o ombro dele.
Jimin apenas assentiu para ela, ainda sem entender o motivo da reação da mais nova.

Quando o almoço foi servido, eles conversavam e riam mais do que comiam, enquanto se impressionavam com a facilidade em que as coisas fluíram entre eles, em como eles pareciam se conhecer há anos… Jin voltou depois de quase uma hora e então V, e JK ficaram fazendo companhia a ele até que ele acabasse seu almoço. Depois do almoço eles dividiram algumas tarefas, como lavar as louças e organizar a casa, e logo todos estavam de volta à piscina. e Jimin mal se olhavam e não trocaram uma palavra sequer. Jimin estava receoso, queria pedir desculpas a ela, mas não sabia como chegar, ela ainda parecia muito chateada e nervosa.

Jin se aproximou de , coçando a parte de trás da cabeça. Ele ainda ficava nervoso quando precisava se aproximar dela, parecia que era sempre a primeira vez…
- Eu comprei uma coisa para você! - ele raspou a garganta.
se assustou com a presença dele por lá, e então o mirou. Ele ficava cada vez mais bonito, e isso fazia ela querer morrer… mas ele havia comprado algo para ela? umedeceu os lábios.
- Para mim? Espera, você comprou algo para mim, Seokjin?
Ele suspirou pesadamente, aquilo poderia ser difícil.
- É! Para você, ! Eu não posso? - ele não a esperou responder, - Eu sei que você está chateada por sentir que não está se divertindo de verdade por causa do pé! Então eu comprei uma boia para você! De unicórnio, era a única que cabia você inteira!
Ele deu de ombros, como se quisesse dizer que o fato de a boia ser de unicórnio não tivesse nada a ver com o unicórnio que ela havia dado a ele na viagem.
- Uma boia? - sorriu, sentindo o coração se aquecer.
- É! Eu coloco você nela, e aí você consegue curtir a piscina sem molhar o pé, e sem se machucar! Vou enchê-la e venho colocar você nela!
deixou que o sorriso em seu rosto aumentasse enquanto ele ia em direção ao seu carro. Voltou já com a boia cheia, e pode ver o sorriso de aumentar e não conseguiu não sorrir de volta.
- Caramba! Que linda! - segurou a barra da blusa, tirando-a, ficando somente com a parte de cima do biquíni.
- Eu imaginei que você fosse gostar! - Jin virou as bochechas enquanto olhava para o biquíni dela - Quer tirar a parte debaixo? Eu te ajudo!
Seokjin depositou a boia no chão, próximo a e então se agachou o suficiente para levar as mãos até os quadris dela. Ele tremia e então viu acompanhar as mãos dele. Desabotoou o short dela com delicadeza, não queria ser invasivo, e esperou a reação dela. assentiu para ele, permitindo que ele continuasse. Um flashback na mente dos dois da última vez em que havia se tocado intimidade, surgiu. Jin engoliu seco e balançou a cabeça, tentando afastar os pensamentos e focou no ali e agora. O tecido desceu pelas coxas dela com a ajuda de Jin, e quando os dedos dele passearam rapidamente pela pele quente dela, os dois se encararam. Jin retirou com delicadeza e cuidado o tecido para não grudar na bota que ela usava para tampar a faixa. Parecia inchado e ele se preocupou.
- Vou colocar a boia na piscina e venho buscar você! Espera aí! - assentiu para ele.
Ele andou apressadamente até a piscina com a imensa boia e a jogou na água, pedindo que Suga a segurasse para que ela não fosse para longe. Suga assim o fez, olhando Seokjin voltar para buscar . Suga sorriu sem mostrar os dentes, ele sabia que os dois já tinham tido problemas então vê-los interagindo fez Suga sorrir.
- Está cuidando direitinho disso, ?
Ela assentiu para ele, hipnotizada demais para emitir qualquer som. Ele estava preocupado com ela? E parecia querer cuidar dela… como?
Com a ajuda do mais alto, ela ficou de pé, se equilibrando numa perna só.
- Isso! - ele a incentivou - Você ainda não pode apoiar o pé no chão?
- Por pelo menos uma semana não! quem me disse!
Ela segurou os ombros dele com força, com medo de cair.
- Não vou deixar você cair! Está pronta? Confia em mim?
- De olhos fechados, Seokjin!
O coração dele deu um salto dentro do peito, e com delicadeza ele a segurou em seu colo se levantando logo em seguida com ela nos braços. fechou os olhos e então gargalhou com o vento batendo no rosto. Era incrível como ela se sentia segura nos braços dele, sem medo algum de se machucar ou cair dali.
Seokjin caminhou com nos braços até se aproximar da beira da piscina e com a ajuda de Suga, a colocou na boia. Ela ainda sorria e Seokjin agora também.

Namjoon observou com os braços cruzados e olhando o horizonte, completamente alheia as amigas e então suspirou.
- Vem me ajudar com a barraca, pequena! - ergueu uma das mãos na direção dela.
, mesmo ainda emburrada, aceitou e segurou a mão dele, sendo puxada pelo maior.
Enquanto montavam a barraca, ele riu.
- Por que você ficou tão brava naquela hora da piscina? O Jimin não fez por mal!
concordou com Namjoon com a cabeça.
- Eu sei! Bom, agora mais calma um pouco eu consigo ver que minha reação pode ter sido um pouco exagerada! É que não gosto do meu cabelo natural, então eu não queria entrar! Ninguém além das meninas já viu como é meu cabelo de verdade e sei lá, é um trauma de infância isso, eu não queria que ninguém visse!
- Mas ele não sabia, !
Namjoon passou um dos ferros para ela, que segurou.
- Eu sei! Eu reagi mal!
- Vai se desculpar com ele?
- Ah, não sei! Ele também me deve desculpas, porque, afinal de contas, e se de fato eu não soubesse nadar?
Namjoon gargalhou, ficando com os olhos pequenininhos e achou ele tão gracioso que acabou rindo também.
- Você não muda! E eu gosto muito disso em você! Acho que é o que nos une um pouco!
sorriu para ele. Gostava de Namjoon!
- Está tudo bem com a sua mãe? Ela melhorou?
Namjoon suspirou. A mãe havia dado uma crise forte esses dias e por sorte, estava lá com ele e junto às enfermeiras eles a acalmaram.
- Melhorou sim! Tem ficado dopada, mas enquanto ela não se acalma por completo eu acho melhor!
- Mas é triste!
- É! Sempre é triste, mesmo quando ela está bem!
- E nada de ela lembrar, Nam?
- Não! Acho que ela nunca vai se lembrar de mim!
Os dois se encararam e reparou na tristeza do olhar do amigo. Abaixou a cabeça e então eles terminaram de montar a barraca. Namjoon foi então encher o colchão inflável de casal.
- De casal? - riu, colocando a mão na boca.
- Eu sou grande, ! - ele riu com ela. - Aproveitando, você sabe alguma coisa da com o Hobi?
franziu a testa, estranhando o amigo chamar Hoseok pelo apelido que chamava.
- Alguma coisa, o quê?
- Se os dois ficaram? Digo, aqui na casa! Porque ela me pediu para a gente não ficar aqui, por causa dele!
umedeceu os lábios, nervosa. A amiga precisava se resolver…
- Deve ser em respeito a vocês dois! Ela não ficou com ele aqui! Relaxa! Eles estão inclusive em quartos separados!
Namjoon balançou a cabeça na direção dela.
- Cuidado, Nam!
- Com?
Ele ergueu a sobrancelha.
- Com tudo isso!
Namjoon sorriu.
- Relaxa! Sei o que estou fazendo!



Octogésimo Quinto Capítulo - jealousy jealousy

Depois de se refrescarem na piscina, os amigos se dividiram entre algumas atividades ao ar livre, tirar uma soneca ou simplesmente jogar conversa fora. Conforme o sol foi se pondo, Suga resolveu chamar os amigos para começarem a preparar o jantar, que daquela noite seria todo coreano. Os pratos principais ficaram a cargo de Suga, V, Jin e Jungkook, que eram os que mais amavam cozinhar e, diga-se de passagem, os que mais cozinhavam bem. Enquanto que Namjoon, Hoseok e Jimin ficaram responsáveis por ajudar cortando as carnes, legumes etc.
As garotas resolveram aguardar o jantar na sala, enquanto conversavam e ouviam música. A conversa delas cessou quando uma chuva de risadas vinda da cozinha invadiu a sala. Os garotos pareciam estar se divertindo e abaixou a música para ver se conseguiam ouvir alguma coisa.
Tal foi a surpresa das meninas, que eles conversavam em coreano: nenhuma palavra era dita em português. Os olhos de ambas as mulheres na sala, brilhavam de admiração e curiosidade. O que eles falavam?
- Pois pode traduzir tudo, ! Você entende, não entende? - basicamente se jogou sobre enquanto as outras riam.
- Entendo e falo! Eu nasci aqui, mas sei o idioma todinho! E eles estão falando coisas de homens!
- Coisas de homens tipo o quê? - foi a vez de se interessar.
- Tipo estilo de roupa! Se gostam de boné ou não, bom foi isso que eu entendi da parte que ouvimos!
- Realmente nada demais! Achei que íamos ter alguma fofoca, af! Os coreanos não fofocam, não?
As garotas também explodiram aos risos, fazendo os garotos pausarem a conversa por alguns segundos.

O falatório em coreano continuou durante toda a preparação do jantar. O cardápio escolhido por eles foi: Bulgogi, Bibimbap, Tteokbokki, Kimchi e Gimbap. As bebidas eram basicamente todas alcoólicas, tanto as brasileiras quanto as coreanas (makgeoli e soju). Com a mesa posta por Namjoon e Hoseok lá fora, observava a dinâmica dos dois pela janela: conversavam o básico ou o necessário. Nem parecia que os dois tinham conversado e até se divertido quando cozinharam para ela. Fechou os olhos sentindo a cabeça latejar: uma decisão precisava ser tomada e logo.
- Está pronto, meninas! - Suga sorriu sem mostrar os dentes ao aparecer na porta da sala. - Esperamos que vocês gostem!
Já na parte de fora as meninas - menos que já estava habituada com os pratos - olhavam curiosas para a mesa. Jimin começou a explicar para elas o que era cada prato, o que eles levavam etc. Em alguns minutos todos estavam servindo e conversando.
se sentou ao lado de , que estava ao lado de , Jungkook correu e se sentou ao lado dela. e Jin se sentaram lado a lado, mas por coincidência, apesar de estarem começando uma conexão devido ao acordo, então não se importaram. encostou sem querer no braço de enquanto ela tentava ajustar os hashis.
V percebeu a dificuldade de e então se levantou, disposto a ajudá-la com eles. cutucou Jin e então fez um gesto para ele com os olhos, os dois trocaram de lugar e então Jin se prontificou.
- Estou mais perto, bro! Pode deixar que ajudo a com o hashi!
V já de pé, observou enquanto os braços de Jin e se esbarraram, ele acabou deixando um sorriso escapar ao ver a aproximação dos dois amigos, então voltou para seu lugar à mesa, perto da irmã e de Jungkook.
Jin tomou delicadamente o par de hashis da mão de , que subiu o olhar para o rosto bonito dele. Quis desesperadamente poder tocá-lo, sentia falta da textura da pele de Jin sob seus dedos. Ele ajeitou os hashis em suas próprias mãos e então olhou para .
- Está vendo as minhas mãos? - a garota assentiu para ele - Você consegue me imitar?
Seokjin entregou os hashis de volta para ela, que tentou, desajeitadamente, imitar a forma que ele havia segurado os hashis. Jin soltou uma risada e foi acompanhado por ela. Então as mãos dele tocaram as dela, o que fez prender a respiração com o toque delicado e quente dele.
As mãos grandes de Seokjin praticamente cobriram as de enquanto ele tentava ajeitá-las da forma correta e resolveu se concentrar em de fato tentar aprender a manusear os hashis. Jin tentava disfarçar o quão nervoso estava em tocá-la outra vez depois de tanto tempo, quando as mãos dela ganharam mais firmeza e segurança, ele as soltou.
- Tenta! - ele assentiu para ela.
- Tá bom! - ela sorriu.
Jin engoliu seco com o sorriso direcionado à ele e então conseguiu levar a comida à boca, voltando a sorrir para Jin, toda feliz por ter conseguido. Jin sorriu de volta para ela, e então trocou um olhar com , que sem mostrar os dentes, sorriu para ele também, feliz em ver os dois se aproximando.

O jantar seguiu com muitas conversas e com elogios sendo rasgados aos garotos pelo jantar incrível que fora feito por eles, quando o jantar estava para acabar, Namjoon buscou com os olhos e encontrou ela rindo com Hoseok, enquanto até deitava a cabeça no ombro dele para fazê-lo. A risada escandalosa de Hoseok preencheu o local e então eles logo voltaram a conversar, Hoseok parecia explicar algo sobre um dos pratos para , que prestava atenção em cada palavra que saia da boca de Hoseok, com admiração. O maxilar de Namjoon travou automaticamente ao perceber que não tinha nada daquilo com … Ele se perguntou por que, enquanto não conseguia tirar os olhos dos dois.
- Disfarça um pouco, grandão! - colocou uma das mãos sobre o ombro dele.
Namjoon olhou para ela, ainda com o maxilar travado.
- Está tudo bem? Você me disse mais cedo que sabia o que estava fazendo! - viu Namjoon se levantar.
- E eu sei! Só fiquei com um pouco de ciúmes, mas a é uma mulher livre e eu também! Já passou! Prometo não deixar esse tipo de emoção tão banal me dominar de novo! Não sou assim!
quis gargalhar, mas segurou o riso. O amigo claramente estava fugindo das próprias emoções e ela mais do que ninguém sabia o quanto aquilo poderia ser perigoso.

, Hoseok, Namjoon e ficaram responsáveis pela limpeza da cozinha, e enquanto Namjoon voltava da cozinha para buscar mais louças, cruzou com no corredor com as mãos cheias de utensílios sujos e então resolveu ajudá-la.
- Valeu, Joonie! - ela riu enquanto ele a ajudava.
- Você gostou do jantar? - ele perguntou enquanto a encarava nos olhos, buscando por algum brilho.
- Claro! Estava perfeito! Eu amei todos os pratos, a cultura de vocês parece ser incrível também!
- Acho que depois a gente pode aprofundar essa conversa, hein? Muita coisa que posso te mostrar, te falar.
Os dois continuaram se olhando e sorriu, Namjoon, satisfeito e mais tranquilo, sorriu de volta para ela. Na ponta dos pés, ela depositou um beijo rápido na bochecha de Namjoon, que abriu ainda mais o sorriso. Logo os olhos dele bateram em Hoseok, inexpressivo enquanto encarava os dois. Bingo! Pensou Namjoon. e ele caminharam para a cozinha e Namjoon voltou para a mesa, encarando Hoseok que limpava a mesa.
- Você sabe que já está na hora de desistir, não sabe, Hoseok?
- Do que você está falando, Namjoon? - Hoseok franziu a testa - Desistir do quê?
- Da !
- Da ? - franziu ainda mais a testa.
- Você não consegue competir comigo e sabe disso! Se a tiver que decidir algum dia, é comigo que ela vai ficar!
Hoseok engoliu seco e sentiu a garganta fechar. Desviou o olhar do de Namjoon e voltou a limpar a mesa, o ignorando.
- É fácil, só comparar nós dois e a relação que ela leva comigo e com você!
A garrafa de soju que Hoseok bebia estava no balcão, ele a pegou, dando um longo gole.
- Espero que você saiba e que já vá se preparando! É ruim saber que alguém vai sofrer e que vai ser você!
- Com licença, Namjoon, eu já acabei aqui e vou ver se a e os meninos precisam de ajuda!
A voz embargada de Hoseok não passou despercebida pelos ouvidos de Namjoon. Ele chegou a pensar se não havia pegado um pouquinho pesado com o rival, mas estava feito: a isca havia sido jogada.

Jungkook, Jimin e Namjoon resolveram tentar acender uma fogueira e então os outros da turma se juntaram a eles, já que de fato a noite o local esfriava bastante. Depois de muitas tentativas e risadas a fogueira finalmente foi acesa e eles pegaram cadeiras e até os próprios colchonetes para se reunirem em volta da fogueira. se sentou ao lado de enquanto amparava a amiga que já cambaleava um pouco.
- Vai com calma, ! - sussurrou para a amiga que deu de ombros -
- Estou precisando esvaziar a cabeça e o álcool ajuda!
Quando já estavam todos reunidos em volta da fogueira, Jimin viu os olhos de brilhar enquanto ela sorria.
- E se a gente jogasse verdade ou desafio?
- Ah, não! Você todos estão bebendo, já está todo mundo meio assim, e eu fui a única que não bebeu uma gota sequer de álcool, isso não vai prestar, ! Não é justo!
Os amigos riram, concordando com que a brincadeira talvez nem tivesse graça para ela, a única completamente sóbria da turma.
- Eu topo! - Jungkook levantou o braço, animado.
Pouco a pouco todos os outros foram concordando.
A garrafa girou, parando em Suga e , que mesmo tendo dado a ideia, engoliu seco e escolheu verdade.
- Porque toda essa implicância com o Jimin? O que aconteceu entre vocês que causou toda essa raiva entre vocês?
E agora? Como ela explicaria aquilo? Pousou rapidamente os olhos em Jimin, que olhava para baixo e brincava com as próprias pulseiras. Ele também se questionava como ela responderia…
- Não sei! Nosso santo só não bateu, desde sempre! A gente não tem nada em comum, nada que possa nos unir, então… - ela voltou a engolir seco enquanto os amigos bebericavam de suas bebidas - Eu só não consigo gostar!
Foi a vez de Jimin engolir seco enquanto olhava para ela. Ficou perdido no castanho dos olhos dela por alguns segundos.
- Ela é insuportável, vocês vão perceber com o tempo!
Os amigos, já alterados riram e Suga, ainda ficou com uma pulga atrás da orelha, desconfiado que ali, havia sim alguma outra coisa, além de um ódio gratuito. Ele girou a garrafa outra vez. Hoseok perguntaria para V. Ele deu um longo gole de sua terceira garrafa de Soju, Hoseok já estava começando a ficar vermelho e Jimin começava a se preocupar com o amigo. V escolheu verdade também.
- O que houve entre você e a ? - ele apontou de um para o outro - Vocês estavam de grudinho a primeira vez que nos vimos…
“E agora mal olham um na cara do outro” pensou , dando um gole em sua cerveja.
V já esperava que uma pergunta daquele gênero fosse surgir, ele já estava preparado para responder.
- Não deu certo! - deu de ombros - Incompatibilidade de gênios, sabe, J-Hope? Foi isso, acabou sendo melhor assim.
Hoseok assentiu para V.
- Sinto muito! Vocês eram bonitinhos juntos!
- J-Hope! - Jimin repreendeu o amigo, que já levemente bêbado, pediu desculpas.
- Tudo bem, Jimin! Deixa ele! - sorriu na direção do mais velho.
A garrafa girou, parando outra vez em Hoseok, dessa vez ele proporia verdade ou desafio para Jin.
Jin fechou os olhos antes de responder que queria verdade também, não quebraria o padrão, mesmo sabendo que a pergunta poderia machucá-lo.
- O que rolou entre você e a ? Eu não entendo muito bem o que aconteceu, eu não estava presente quando aconteceu a famosa briga de vocês…
Uma faca cravando no peito dele, e de também. não tinha contado para ele?
- Nós nos conhecemos em Natal, uns dois meses antes da fatídica briga. O que rolou foi que eu me apaixonei por ela e ela nem tanto! Aconteceram algumas mentiras por parte dela, e no dia da briga eu estava alterado e acabei reagindo muito mal!
balançou a cabeça em negativa. Como assim ela nem tanto? Quis gritar para todos ouvirem, especialmente Jin, que ela não só havia se apaixonado tanto quanto ele, como ainda era!
Hoseok olhou para os dois, um tanto quanto perplexo, não sabia que era realmente um envolvimento amoroso.
- Uau! Entendi! Que coisa, não é?
- Hoseok! - Jimin voltou a repreender o amigo.
Jin girou a garrafa, com um nó na garganta por ter que relembrar tudo aquilo de novo.
x , que escolheu verdade, o desafio poderia deixá-la em maus lençóis com Namjoon e Hoseok.
- Com qual dos dois você fica? - apontou para Hoseok e depois para Namjoon.
É, a verdade também iria deixá-la em maus lençóis. Passou a língua pelos lábios para ficar menos nervosa. Namjoon gargalhou e então colocou uma das mãos na coxa dela.
- Ficar de verdade, ela fica comigo! No Hoseok ela dá uns beijos de vez em quando!
arregalou os olhos enquanto entreabria a boca, tamanha surpresa com a audácia de Namjoon.
Hoseok cerrou os olhos e o punho enquanto os amigos bêbados faziam barulho e Namjoon sustentava aquele sorriso de quem havia ganhado mais uma vez. Bebeu mais e depois mais um pouco enquanto observava ralhar com Namjoon. O sangue dele ferveu nas veias.
A garrafa girou outra vez, parando em JK e Jimin, os dois sorriram um para o outro e então JK perguntou se ele queria verdade ou desafio e contrariando a lógica, ele disse desafio. Os amigos vibraram, menos , ela sentiu que aquele desafio sobraria para ela…
- Eu desafio você e a a darem um abraço de pelo menos um minuto!
Todos na roda riram, bateram palmas e Suga e J-Hope eram os mais empolgados. Os dois se levantaram e Hoseok puxou Jimin pelas mãos o obrigando a se levantar, enquanto Suga fazia o mesmo com . Os dois impassíveis, sem expressão nenhuma.
Se encararam por alguns segundos.
- Menino coelho, você me paga!
Jungkook gargalhou junto com o restante da turma.
Os dois se encararam por alguns instantes e então -por incrível que pareça- foi a primeira a ceder e abrir levemente os braços. As mãos de Jimin lhe tocaram a cintura, e sentiu o coração acelerar, por diversos motivos.
Envolveu os braços no pescoço dele e então os dois se abraçaram.
- Espero que vocês estejam com o cronômetro ligado já! - Jimin protestou enquanto o cheiro do cabelo dela invadiu seus sentidos.
Ele quis beijá-la, quis desesperadamente poder parar de fingir que a odiava. Mas fechou os olhos e curtiu o momento. , que lógico tinha o rosto e pescoço vermelhos, também fechou os olhos enquanto sentia o coração saltar. Torceu para acabar logo, não queria dar na cara que na verdade, gostava e muito do abraço dele.
- Três, dois, um! - Jungkook contou - Deu!
Os dois se separaram, sem deixar de olhar um para o outro.
- Viu? Vocês nem morreram! - comentou.
- Mas fomos torturados, não é? Deus me livre!
praguejou, enquanto voltava para seu lugar.
- Eu disse que ela é insuportável! Jungkook, está me devendo uma por me fazer passar por isso!
Jimin revirou os olhos enquanto Jungkook gargalhava.
A garrafa rodou uma vez mais, caindo em e Hoseok, que escolheu desafio.
- Eu te desafio a virar mais uma garrafa de soju comigo! - piscou para ele.
- Desafio aceito!
- Hoseok! - Jimin segurou a perna dele, tentando impedir o amigo de se levantar -
V observava enquanto os dois se dirigiam até a cozinha para pegarem suas garrafas, e parecia já estar começando a ficar bêbada. Ele se preocupou, mesmo não querendo.
Quando os dois voltaram, os amigos os incentivaram enquanto eles viravam a garrafa e terminavam o líquido praticamente juntos! Os dois riram enquanto faziam um high-five com as mãos e logo depois voltaram para seus lugares, já cambaleando um pouco. e V trocaram um olhar, preocupados com .
A garrafa girou, caindo em Suga e Jin: desafio… Suga desafiou Jin a mostrar alguma foto da viagem dele e , caso ele tivesse alguma ainda. Jin engoliu seco, enquanto observava os amigos beberem - especialmente e Hoseok - suspirou e então V sorriu para ela sem mostrar os dentes, como se a apoiasse ou como se quisesse dizer que sabia que aquilo doía nela.
Jin mostrou algumas fotos dele e de e alguns vídeos também, fazendo com que muitas memórias fossem desbloqueadas em ambos. Depois que ele se sentou, a garrafa girou parando em Jimin e , que escolheu verdade.
- Vocês dois pretendem ter outro bebê? Você e o Suga? - ele sorriu, achando que os dois ainda estivessem juntos ou algo do gênero -
e ele se olharam, com Suga desviando o olhar primeiro. Se Jimin soubesse que os dois mal estavam se falando…
- Não! - ela sorriu de volta para ele, tentando ser simpática - Não vamos mais ter nenhum bebê!
Jimin percebeu que ela não aprofundaria o assunto, então girou a garrafa outra vez. A mesma parou em e Jin.
Seokjin bebeu um longo gole de seu soju, pois sabia que provavelmente faria outra pergunta que o machucaria. Por que mesmo ele estava participando daquele jogo?
- Você sente ciúmes da com o V? - encarou os olhos de Seokjin.
Aquela pergunta… revirou os olhos e então bebeu mais um pouco. Jin olhou na direção do amigo, que parecia apreensivo.
- Não! Eu não tenho motivos, ! - ele assentiu para ela.
acreditou nele, então assentiu de volta. mesmo fez a garrafa girar outra vez, fazendo a mesma parar em Namjoon e Jungkook. Jungkook escolheu verdade, não queria mais beber, estava começando a levar o mal-estar que estava sentindo a sério.
- Já virou namoro? Você e a ? - Namjoon sorriu, deixando as covinhas à mostra - Por que vocês voltaram, não é? Estão próximos de novo…
A pontada no peito atingiu Jungkook, que tossiu enquanto sentia a garganta doer, não só pelo mal-estar. abaixou a cabeça, apertando a coxa do irmão para descontar o nervosismo.
- Ainda não! Mas porque ela não me quer, Namjoon! Só por isso!
Os amigos protestaram e Seokjin bagunçou os cabelos de , que riu, sem graça enquanto tentava parar Seokjin.
Jungkook girou a garrafa, que parou em e . Todos os amigos ficaram em silêncio, criando uma tensão ainda maior sobre o momento. As duas se olharam. bebeu o último gole de mais uma garrafa de soju. V já havia perdido a conta de quantas garrafas de soju e cerveja ela já havia bebido e Seokjin pensou no quanto aquilo podia dar merda.
- Não posso beber, então: verdade!
balançou a cabeça para ela, enquanto tomava a garrafa de soju das mãos de Seokjin e bebericou.
- Agora você vai investir no melhor amigo do seu ex? Ou eu estou enganada?
até abriu a boca para responder a morena, mas estava chocada demais para conseguir formular uma resposta coerente, e não queria ser grossa com , afinal de contas ela a entendia muito bem. Estava frustrada e com ciúmes, além de muito bêbada.
V balançou a cabeça enquanto os amigos todos se entreolharam, tinha as mãos nos ombros de e tentava levantar a amiga.
- Estou esperando a minha resposta, , calma aí! - ela tentava se livrar das mãos da amiga.
- Você está bêbada, , não sabe direito o que está falando! Nem deveria estar participando desse jogo nesse estado! E chega de bebida para você, o que acha? Para você parar de falar besteiras!
Taehyung caminhou até ela, tomando a garrafa de soju de suas mãos e devolvendo para Jin.
- Você não precisa responder isso, ! - e ele mesmo girou a garrafa outra vez.
encolheu os ombros e sentiu os olhos marejarem com força. É lógico que ele iria defendê-la, o que esperava? Se sentiu estúpida e ficou com ainda mais raiva. Se levantou bruscamente e então saiu da rodinha, indo para dentro da casa. Pediu a que a deixasse sozinha. V a acompanhou com o olhar, se segurando para não ir atrás dela.
O jogo seguiu com Namjoon perguntando a Jimin:
- Você já foi interessado por alguém aqui da roda? Não minta, Jimin! - Namjoon riu quando ele abaixou a cabeça e ficou vermelho.
olhou para ele, pelo canto dos olhos. O que ele diria? Ela balançou a cabeça para afastar os pensamentos.
- Já! - ele ficou ainda mais vermelho.
Hoseok vibrou junto aos amigos com a “confissão” enquanto sacudia o corpo pequeno de Jimin.
- De quem? - Namjoon se inclinou.
- Você tinha direito a uma pergunta, Namjoon, e eu já respondi!
Ele, ainda vermelho, olhou rapidamente para que tinha a cabeça baixa. Será que ela havia percebido que ele falava dela? se perguntava exatamente isso…
A garrafa girou mais algumas vezes e eles apenas se desafiaram com as bebidas. Quando o jogo finalmente acabou eles resolveram jogar conversa fora, enquanto se sentavam em suas barracas e se preparavam para ir deitar.

ria despreocupada com Namjoon e e então procurou por Hoseok com os olhos, encontrando Jimin o amparando enquanto ele se abaixava, como se quisesse vomitar ou algo do tipo.
A expressão de mudou de leve para apreensiva quando ela franziu a testa e se levantou. Namjoon olhou na mesma direção que ela, e encontrou a mesma cena que vira.
Hoseok parecia passar mal e é claro que havia se preocupado com ele. Namjoon quis xingar quando deu alguns passos em direção à Jimin e Hoseok. e ele se olharam e então Namjoon a segurou pelo braço.
- Ele deve estar melhor, ! E o Jimin está lá com ele!
Hoseok sentiu o sangue ferver outra vez nas veias, com ainda mais força. Namjoon havia impedido que ela fosse até ele de propósito, e aquilo havia sido a gota d’água.
Namjoon voltou a rir e conversar com os amigos e foi quando ouviu o pequeno desabafo de Hoseok com o melhor amigo:
- Chega, Jimin! Ele tem me provocado desde que pisou aqui! Não me diga que é coisa da minha cabeça, você acabou de ver! Ele impediu a de vir até mim!
engoliu seco e se livrou dos braços de Namjoon, indo em direção à Hoseok.
- O que foi, Hobi? Você está bem? Precisa de mim?
- Preciso, ! Preciso muito mais do que você imagina! Caramba!
O tom de voz dele subiu, atraindo as atenções, inclusive a de Namjoon, que se sentou em uma das redes espalhadas por lá, ele queria acompanhar de camarote.
- O que eu preciso fazer para você enxergar? - ele a segurou pela cintura. - Eu sou maluco por você! Você finge que não vê ou você não vê mesmo? Porque eu acho que vou realmente ficar maluco com tudo isso que eu sinto!
- Hoseok! - Jimin tentava segurar o amigo que jogava todo o peso do corpo sobre .
- Deixa, Jimin! Eu vou tentar resolver isso! Hoseok, vamos entrar! A gente conversa lá dentro!
- Não! - ele marejou os olhos. - Você não entende, poxa! Você precisa entender, precisa abrir os olhos!
Ele segurou o rosto dela entre as mãos.
- Você não pode me deixar!
Suga agora se aproximava dos amigos.
- Vem, J-Hope! Vamos para dentro. Amanhã você conversa com a !
Namjoon, ainda sentado na rede, mantinha um sorriso de canto achando toda a cena patética, porém adorando.
- Eu não quero! Eu quero falar agora! A precisa entender!
- Hobi! Vem! Vamos para dentro, por favor!
, Jimin, Suga e agora tentavam convencê-lo a adentrar a casa, mas ele só sabia dizer que não podia deixá-lo. queria poder abraçá-lo e dizer que é claro que não o deixaria, mas aquilo podia piorar o estado mental de Hoseok então ela só tentava convencê-lo de que era melhor os dois conversarem lá dentro.
Depois de muita insistência os amigos o convenceram a entrar. Lá dentro, preparou o banheiro para que Jimin pudesse levá-lo. questionava para si mesma qual era o grau de culpa de Namjoon enquanto ajudava Jimin a banhar o amigo, que continuava pedindo que abrisse os olhos e que não o deixasse.
Quando e Jimin estavam saindo com Hoseok do banho, deram de cara com Namjoon, os encarando, com os braços cruzados abaixo do peito. Namjoon olhou para Hoseok, e então depois desviou o olhar para .
- Você vai fazer o Hoseok dormir também? Como se ele fosse um neném?
Hoseok abriu a boca para discutir, pronto para despejar tudo, mas Jimin o impediu enquanto levava Hoseok até seu quarto. encarou os olhos de Namjoon.
- Namjoon, por favor! - suspirou pesadamente - Não é hora! Não faça eu me arrepender de ter chamado você!
Namjoon travou o maxilar outra vez, sentindo o rosto arder com o comentário de , como se tivesse levado um tapa. Ele assentiu para ela, e ainda com o orgulho ferido ele saiu da cozinha.
caminhou até o quarto que havia separado para Hoseok e bateu na porta, ouvindo Jimin dizer que ela poderia entrar. Hoseok tinha os olhos bem marejados e sentiu os seus marejaram instantaneamente. O que estava acontecendo? Ela se perguntou.
- Vou fazer um chá para você, Hobi, para te ajudar a dormir!
- Eu não quero chá, eu não quero dormir! Eu quero você! - ele jogou a cabeça para trás encostando-a na cabeceira da cama.
e Jimin se olharam e Jimin abaixou a cabeça pensando no quanto a noite poderia ser longa.
- Você quer ficar sozinho?
Hoseok balançou a cabeça em descrença, ainda sentindo a cabeça rodar pelos efeitos do álcool.
- De quantas formas mais eu tenho que chamar sua atenção? Você me deixou de lado, dentro de uma das caixas que você não usa mais. Você me embrulhou e não levou para viagem.
sentiu a respiração pesar e então se aproximou dele na cama. Jimin resolveu que seria melhor deixar eles sozinhos um pouco.
- Eu vou preparar o chá para ele, , você fica aqui enquanto isso?
- Se o Namjoon a deixar ficar! - ele riu, desgostoso.
soltou outro suspiro longo e então fez que sim com a cabeça para Jimin, que saiu do quarto. O som da porta batendo fez a cabeça de Hoseok latejar e rodar ainda mais.
- Você não precisa ficar! - ele balançou os cabelos pretos e um pouco maiores fazendo-os espirrar água pela cama.
- Eu quero ficar! - ela se ajoelhou na cama, rastejando até ele logo em seguida - Vem! Você tem que pôr uma roupa! Está frio, você pode se resfriar, Hobi!
Hoseok encarou com os olhos cheios de água e ela quis chorar por vê-lo daquela maneira.
- Eu te ajudo! - ela completou quando ele se levantou ficando de costas para ela.
Se levantou e então foi até as malas de Hoseok procurando por uma cueca e uma bermuda, quando ela encontrou, entregou para o amigo, que sem encará-la nos olhos pegou as peças da mão dela.
Com certa dificuldade, ele vestiu a roupa íntima e se livrou do roupão enquanto se escorava na parede. Hoseok sentiu as mãos de em sua cintura, virando-o de frente para ela.
- Levanta o pé, Hobi! - ela se abaixou levemente para tentar colocar a bermuda que havia encontrado.
Foi a vez de Hoseok a segurar pela cintura, trazendo o corpo dela para perto do seu, enquanto escorava as costas na parede. Os lábios dos dois se encostaram levemente e Hoseok a beijou. A língua dele invadiu a boca dela com certa urgência, e sentiu as pernas falharam levemente, então passou os braços em volta do pescoço de Hoseok, deixando que o beijo se aprofundassese.
As mãos de Hoseok desceram pela lateral do corpo de provocando alguns arrepios e então os lábios dele desceram para a pele exposta do pescoço dela. fechou os olhos enquanto sentia os lábios molhados de Hoseok depositando beijos por lá. Não podia deixar aquilo acontecer, em respeito aos dois e em especial, porque Hoseok estava alterado, ele não queria aquilo de verdade…
Quando os lábios de Hoseok subiram outra vez, procurando pelos lábios de ela o parou, sentindo as mãos dele invadirem seu moletom.
- Não, Hoseok! - ela colocou uma das mãos no rosto dele.
- Não? - ele parecia confuso.
- Você está bêbado, não sabe direito o que está fazendo! Não é assim que eu quero a nossa primeira vez!
Hoseok fechou os olhos e encostou a testa na dela.
- … - ela o interrompeu.
- E eu não fiquei com o Namjoon, em respeito a você, não posso fazer isso com ele também!
- Claro! O Namjoon!
colocou a outra mão sobre o rosto dele.
- Dorme! Amanhã a gente fala sobre isso tudo e sobre ele!
Jimin bateu na porta perguntando se estava tudo bem, e então os dois se afastaram, com Hoseok se jogando na cama de olhos fechados.
- Está tudo bem, Jiminie! Pode entrar! - respondeu enquanto cobria Hoseok.
O amigo assim o fez enquanto encarava Hoseok se sentando na cama, ele tomou aos poucos o tal chá que Jimin havia feito, e então os dois o ajeitaram na cama para que ele ficasse confortável. Jimin se despediu do amigo rapidamente enquanto ele assentiu, sem tirar os olhos de .
se curvou, depositando um beijo demorado na testa dele, que assim que ela apagou a luz, a segurou pela mão.
- … - ele chamou - Eu só queria dizer que o jogo só acaba aos quarenta e cinco minutos do segundo tempo e que enquanto a bola estiver rolando, eu estou no jogo.
engoliu seco, mas não conseguiu deixar de sorrir com o comentário de Hoseok. Caminhou até a cozinha encontrando e JK lá, ele bebendo um copo de água e com o semblante preocupado. Antes que ela pudesse perguntar algo, se adiantou, enquanto Namjoon também entrava na cozinha.
- Tem algum problema o Jungkook dormir na sala? Ele está com febre e dor, e não seria bom para ele dormir na barraca com esse frio!
- Imagina! Dorme no meu quarto, Jungkook, eu durmo na sua barraca! Fica à vontade, a cama já está prontinha para deitar. Vai lá, leva ele, !
acompanhou e JK com os olhos e então encarou Namjoon, todo empacotado.
- Não precisa dormir na barraca do JK, dorme na minha! Está frio pra caramba, , e você sente muito frio que eu sei.
não queria discutir mais com ele naquela noite, a cabeça dela já estava pesada. Aceitou o convite e os dois seguiram para a barraca dele.

ajeitou Jungkook na cama que antes era ocupada por e notou que ele tremia de frio, mesmo com moletom. Colocou a mão na testa dele e ele ainda ardia em febre.
- Você não vai me deixar aqui sozinho, vai? - ele batia o queixo enquanto segurava o braço dela.
As mãos frias dele a assustaram ainda mais. Ela precisava dormir com ele, mesmo sabendo que aquilo poderia dar muito errado. Então se ajeitou ao lado dele na cama, cobrindo os dois, com ele encostando o nariz no dela.
- Você precisa parar de fugir de mim, ! - ele se aproximou ainda mais dela.
- Você que precisa entender que não dá, JK!
- Tudo me lembra você, quando um casal passa eu penso nos beijos que não te dei... Uma imagem de uma praia e penso na gente deitado no fim de tarde só ouvindo o mar ir e vir. Uma bebida pela metade na geladeira, a fumaça do cigarro do moço da estação, o som da respiração dos outros que me irrita por não ser a sua, os posts aleatórios nas redes sociais que me lembram os abraços que perdemos, o vento gelado entrando pela fresta da janela... me abraça?
sentiu os olhos se encherem de água enquanto se entregava e o abraçava com força. A cabeça dele deitada no peito dela, enquanto as mãos dela subiam e desciam as costas dele.
O nariz de Jungkook encaixou na curva do pescoço de , fazendo a mais baixa se arrepiar com a respiração dele batendo por lá.
- Queria tanto enfiar na sua cabeça que não podemos!
- Shh! - ele pediu com o corpo trêmulo - Não vamos falar disso agora! Eu estou aqui nos seus braços e é isso que importa agora! Cuida de mim? De novo? Que nem quando a gente se conheceu?
- Tenta dormir, JK! Hum?
- Você não vai embora, não é? Para a sua barraca? Está tão quentinho aqui com você! - ele riu.
sabia que ele já começava a delirar, assim ela o apertou um pouco mais em si.
- Eu não vou embora! Dorme um pouco para ver se a febre começa a baixar.
- Tá! Não sai daqui! - ele voltou a rir, ainda tremendo.

Jimin mexia no celular, escorado no muro que dava para a lavanderia, enquanto esperava o sono chegar de verdade, o encarava, de pé enquanto pensava se entrava em sua barraca e deixava a situação para lá ou se engolia o orgulho pelo menos uma vez e ia até Jimin.
Tal foi a surpresa de ao ver se aproximar de Jimin. Os dois não se deram conta da presença de na lavanderia, ela esperava alguém aparecer para ajudá-la a voltar agora com as roupas já secas. Quando ia pedir a Jimin que a ajudasse, ela viu chegar.
- Eu preciso te pedir desculpas por mais cedo!
Jimin arregalou levemente os olhos, enquanto guardava o celular no bolso. estava mesmo ali, pedindo desculpas? Era real?
- Sim! É que eu não queria que ninguém me visse assim! - ela apontou para si mesma - Eu não gosto! Como eu não estava esperando, acabei explodindo. Mas assumo que foi desnecessário, perdão.
Jimin sorriu, mostrando os dentes enquanto achava incrível ela ter engolido o orgulho para pedir desculpas. Achou que jamais presenciaria aquilo.
- Você continua linda! O seu cabelo natural, continua lindo, !
franziu a testa, estranhando um pouco Jimin a elogiar daquela maneira.
- Ai, Jimin! Para! Eu sei que não! - ela enrubesceu as bochechas. - Mas me desculpa!
- Eu te acho a mulher mais linda do mundo, de qualquer jeito, , você sabe disso!
arregalou os olhos enquanto observava a cena e ficou ainda mais surpresa quando encostou a testa na de Jimin, fechando os olhos.
- Você me desculpa?
- Eu desculpo! Mas por favor, acredite no que eu digo! Você continua linda!
E então colou os lábios nos dele, com saudade. colocou as mãos sobre a boca, em completo choque. A quanto tempo os dois estavam trocando beijos às escondidas? E por que não havia contado?
Jimin segurou a cintura dela com as duas mãos enquanto sorria entre o beijo, o primeiro beijo que partia dela. O coração de Jimin saltava dentro do peito enquanto mordia bem devagar o lábio inferior dele. Foi quando Jimin inverteu a posição dos dois, colando o corpo de na parede. As mãos dela lhe acariciavam os cabelos enquanto ele a apertava em si.
Os dois entrelaçaram as línguas enquanto ficava na ponta dos pés, para ficar mais confortável. Os pulmões pediram por ar, e quando os dois se soltaram, sem fôlego. Jimin, que ainda tinha o maior sorriso do mundo nos lábios, deu de cara com sentada sobre a máquina de lavar gigantesca da casa. O sorriso dele foi diminuindo aos poucos enquanto o coração voltava a acelerar. Ele precisava tirar dali rápido, antes que ela visse .
- Vai indo para sua barraca, que eu já vou para lá, hum? A gente não pode vacilar, alguém pode aparecer aqui!
- Verdade! Tem razão, que vacilo! Eu vou indo então. - selou os lábios dele rapidamente antes de sair.
Jimin, coçando a cabeça e a nuca se aproximou de , ainda um pouco chocada com as informações.
- Olha, ! - ela o interrompeu com as mãos.
- Não precisa me falar nada, Jimin! Se a quiser, um dia ela vai falar alguma coisa! Pode ficar tranquilo que eu não vou contar para ninguém, nem para ela! Você pode me ajudar a descer daqui e ir para o quarto?
- , a , ela é difícil! Então… - ele segurou a cintura dela com delicadeza, a ajudando a descer de cima da máquina.
- Eu sei, conheço a . Não vou fazer nada com o que vi aqui, isso vai da consciência dela. Vamos fingir que isso nunca aconteceu, ok?
Jimin assentiu para ela enquanto a ajudava a caminhar de volta para a casa. Já dentro do quarto, os dois se olharam enquanto ele a sentou na cama.
- Boa noite, e bom, obrigado.
sorriu para ele, o achando gracioso com as bochechas vermelhas.
- Não tem o que agradecer! Boa noite!
Deu um tchau para ele antes que a porta se fechasse. Antes de pegar no sono ela pensou no quanto os dois ficavam bonitinhos juntos…

V saiu de sua barraca enrolado no edredom e um pouco sonolento, caminhou na direção da barraca do melhor amigo, e então a abriu.
- Jin! - V chamou baixinho, se esquecendo que o amigo tinha o sono pesado - Jin!
Ele chamou mais alto enquanto entrava na barraca do amigo fechando o ziper da mesma, logo em seguida.
- Hyung! - ele sacudiu o amigo.
- Hum… - Jin abriu lentamente os olhos, tomando um susto com a figura de V ali - Que isso? O que foi, amigo?
Jin sentou sobre o colchão.
- Está muito frio amigo! A está lá dentro com o JK, ele está passando mal com febre e eu preciso me esquentar!
“E porque você não procurou a ?” pensou Jin enquanto ria e dava espaço para o amigo se aconchegar.
- E aí você quer se esquentar comigo?
- É! Posso dormir aqui?
Os dois riram e Jin, é claro, deixou que o amigo ficasse com ele. Se ajeitaram no colchão, perto o suficiente para se esquentarem, enquanto ainda gargalhavam da situação.

tomou o último gole da última cerveja que havia na casa e então saiu de sua barraca sentindo o vento lhe cortar o rosto e lhe bagunçar os cabelos, caminhou, trôpega, até a barraca de V, não o encontrando lá.
A mente bêbada e frustrada de só conseguiu pensar que ele estava com . O sangue ferveu nas veias de ódio pela possibilidade de os dois estarem juntos. Olhou na direção do grande lago que tinha a sua frente… Os olhos marejados, a frustração, o coração acelerado, o álcool… Uma combinação perigosa.

Quando Jin e V estavam quase pegando no sono o barulho de uma garrafa se quebrando próximo a barraca de Jin fez os dois abrirem os olhos em sincronia. V foi o primeiro a pôr a cabeça para fora da barraca, procurou com os olhos quem poderia ter quebrado a garrafa, e então ele saiu, sendo acompanhado por Jin. Os olhos dele bateram em , caminhando em direção ao lago enquanto deixava as roupas caírem no chão. O coração de V parou de bater por alguns segundos, para logo em seguida baterem tão rápido como nunca antes quando viu entrar dentro do lago, no frio, e bêbada…



Octogésimo Sexto Capítulo - Flashbacks

Se sentou na cama enquanto se livrava dos cobertores e então vislumbrou a bengala perdida do pai de que a amiga havia achado ontem à noite depois que reclamou para a amiga que havia ficado “quase meia hora” na lavanderia esperando alguém para ajudá-la no caminho de volta, e que estava cansada de depender dos amigos para fazer tudo.
Com a ajuda da bengala ela caminhou até o banheiro dentro do quarto mesmo e então fez sua higiene matinal, e logo saiu do quarto. O aperto no peito voltou quando ela bateu os olhos no quarto que antes era de Hoseok e agora estava ocupado por e V.

Flashback 1:


“Os barulhos vindos da sala e do corredor fizeram acordar assustada e então ela se ajeitou da forma que pode, e com a dificuldade costumeira de sempre ela caminhou até a porta a abrindo enquanto dava de cara com Jin, Jimin, e V tentando acalmar na sala, que pelo que conseguiu enxergar estava enrolada em um cobertor ou toalha e muito molhada. O que tinha acontecido? Ela se perguntou, mas os pensamentos de foram inundados pela voz de :
- Todas as amigas dela são tão legais, elas saem todas as noites no carro legal do papai, sim, ela está vivendo a vida boa dela! Tem um rosto tão bonito, um quase namorado bonito também. Eu quero tanto ser ela e eu nem a conheço direito... - apontava para Jin enquanto falava sobre um quase namorado bonito.
Ela falava de , que fechou os olhos sentindo que definitivamente ela não deveria ter aceitado estar ali.
- , calma! Você precisa ficar mais calma, para conseguir pensar com coerência, amiga! Essa não é você!
V que mantinha os olhos fechados ao lado de no sofá também tentava dialogar com a morena, enquanto Jin mantinha o olhar em V e as mãos na cintura. sentiu o estômago dar um nó:
- Tudo o que eu vejo é o que eu deveria ser: mais feliz, mais bonita! Tudo o que eu vejo é o que eu deveria ser, eu estou enlouquecendo! Eu preferia ser qualquer outra pessoa, do que ser eu!
Ela chorava agora e quis chorar com ela. Entendia um pouco da dor que a garota sentia.
- E o Jin também se incomoda com essa história de vocês dois, V! Ele só não teve coragem de falar lá na hora do jogo! Bobão! Eu sei disso porque ele me disse, não é papo de bêbada, de louca não! Porque eu sei que é isso que vocês estão pensando de mim!
Jin abriu a boca para tentar acalmar , mas antes que ele pudesse dizer qualquer coisa, os olhos dele bateram em escorada na porta de seu quarto e o coração dele acelerou. Ao invés de tentar acalmar , que agora balbuciava outras coisas sem sentido, ele foi em direção aos poucos degraus que ligavam a sala aos quartos. Precisava explicar a ela que estava muito alterada e aquilo tudo era coisa da cabeça dela, mas fechou a porta cortando qualquer chance de Jin se explicar. Ele fechou os olhos com força e logo em seguida voltou a encarar , que agora tinha o rosto segurado por V com delicadeza. Foi quando conseguiu sair do quarto com Hoseok enrolado nos cobertores também. O caos estava instaurado pela casa.”


Umedeceu os lábios e então desceu os degraus da forma mais silenciosa o possível, queria ficar longe dos amigos por pelo menos um período, para ver se assim parava de magoar as pessoas presentes na casa. Saiu dos aposentos da grande casa e sentiu o vento lhe cortar o rosto, olhou o horizonte e então seguiu.
Os olhos pequenininhos de Jimin se estreitaram enquanto ele enxergava o corpo de encolhido em uma das cadeiras em volta da mesa da cozinha da casa de cima. Ele colocou um copo bem cheio de água perto dela, fazendo um certo barulho ao coloca-lo sobre a mesa, o que chamou a atenção de e fez com que ela levantasse o corpo e o mirasse.
Os olhos fundos dela fizeram com que Jimin passasse levemente uma das mãos sobre os cabelos pretos dela.
- Bom dia! - ele falou baixinho - Toma um pouco de água! Você quer um remédio para a dor de cabeça, porque você deve estar sentindo, não é? Eu tenho na barraca!
levava o copo de água aos lábios, parecendo estar com muita sede enquanto fazia que não para Jimin com o dedo. A cabeça dela parecia querer explodir de tanta dor e os olhos mal conseguiam permanecer abertos por causa da claridade.
- Ressaca é uma merda! - ela soltou enquanto bebia mais um pouco da água.
- Moral também!
Os dois se encararam e então Jimin puxou uma cadeira se sentando ao lado de . Ele retirou o celular do bolso, desbloqueando e mexendo nele.
- Você se lembra de alguma coisa, ?
- Me lembro de ter bebido muito e ter entrado no lago, e do V e do Jin terem me tirado de lá, o resto todo são borrões! Ah! - ela fechou os olhos com dor de cabeça - Lembro de o V ter cantando para eu dormir.
Os olhos dela marejaram e então ela tapou o rosto com as mãos.
- Fiz muita besteira, Jimin?
- Eu acho melhor você ver com os seus próprios olhos! - Jimin entregou o celular para ela - Eu não fiz essa filmagem para te humilhar, longe de mim, ! Quem nunca passou por um porre desses etc, mas eu quis filmar para que você visse depois e pensasse melhor em tudo o que aconteceu. Eu não conheço o V tão intimamente, mas pelo que conversei com o Jin sobre, isso que aconteceu ontem… Isso pode ser a última pá de terra sobre a história de vocês dois.
arregalou os olhos, que voltaram a marejar e então Jimin deu o play no vídeo gravado por ele.

Flashback 2:


“- Puta que pariu, ! - Jin berrou enquanto o amigo pegava as próprias cobertas dentro da barraca.
O desespero que tomou conta do corpo de Taehyung foi inexplicável, ele conseguia sentir o coração batendo em cada veia de seu corpo enquanto corria o mais rápido que ele conseguia na direção de e Jin tentava alcançar o amigo.
Ele só conseguia pensar em tirar de dentro do lago, antes que alguma tragédia pudesse acontecer, tal foi sua surpresa ao perceber que já estava com a água quase em sua cintura enquanto chamava por ela.
- ! Vem comigo, você precisa sair daqui, está muito frio! - ele ergueu a mão na direção dela.
- Vai embora, V!
- O que você tá fazendo, ? Por Deus! - Taehyung fechou os olhos enquanto agora levava as mãos até o próprio rosto.
Ele passou as mãos por lá, sentindo o desespero tomar conta de cada átomo de seu corpo. , como se nada estivesse acontecendo, só ia mais fundo dentro do lago e quando ela se abaixou, mergulhando nele, Taehyung sentiu que poderia morrer. Ele andou até mais perto dela e então a segurou pelos ombros com força quando ela surgiu outra vez na superfície. Agora a água já cobria o pescoço dos dois.

- O que você está fazendo aqui, pelo amor de Deus? - ele tinha os olhos marejados e tremia de frio.
tinha a pele pálida de frio e os lábios estavam da cor mais púrpura o possível, e tremia ainda mais.
- Eu quero sentir alguma coisa diferente, Taehyung! Porque desde que eu cheguei aqui eu só tenho sentido coisas ruins: ciúme, raiva, mágoa, frustração, decepção! Sei lá! Queria sentir alguma outra coisa, sem ser isso! Mesmo que fosse sei lá, frio!
- Vem! Vamos voltar lá para dentro, vamos sair daqui! A gente vai acabar ficando doente, vem! Eu só quero tirar você daqui, por favor, !
Taehyung voltou a erguer a mão na direção dela, que agora, chorando, segurava a mão dele.
Assim que puseram os pés na grama do jardim, ou varanda da casa, Jin os esperava, preocupado enquanto erguia a coberta que o amigo havia levado para lá na direção deles. Agora e também estavam acordadas e pareciam bem preocupadas.
Taehyung cobriu com a própria coberta, enrolando bem sobre o corpo semi nu da mulher, que agora tremia de frio. Ela se aconchegou nos braços de V, numa espécie de tentativa de abraçá-lo, enquanto Jin e saíram para buscar algumas toalhas com . O homem também tremia de frio, mas aconchegou em seus braços, a abraçando com força.
- Porque você não pode cuidar de mim, que nem cuida dela? Você não cuida de mim que nem cuida dela, V! Porque você não olha mais para mim com carinho, que nem olha para ela?
Ela não disse nenhum nome e não precisava. Taehyung sabia que ela falava de . Ela ainda estava bêbada, ele sentia o cheiro de álcool no corpo e lábios dela, mesmo depois de ter mergulhado no lago. V não queria esticar aquele assunto, especialmente com ela naquele estado e naquele frio.
- Para dentro, ! Estão nos chamando já com as toalhas, e lá dentro está quentinho, ou a gente morre de frio!
Começou a caminhar com ela em direção à sala, onde e Jin os aguardavam. Jin cobriu o amigo com a toalha enquanto fazia o mesmo com e a levava para o sofá. Assustada com o estado da amiga, ela apenas tentava limpar as lágrimas que caiam de seu rosto.
- Se você quiser, V, eu cuido dela! Vai tomar um banho e dormir, eu me ajeito com ela!
- Não! - ele se sentou ao lado de no sofá - Deixa comigo, ! Isso tudo aconteceu porque o problema dela é comigo, apenas comigo! Deixa que eu cuido da ! Pode ficar tranquila!
- Todas as amigas dela são tão legais, elas saem todas as noites no carro legal do papai, sim, ela está vivendo a vida boa dela! Tem um rosto tão bonito, um quase namorado bonito também. Eu quero tanto ser ela e eu nem a conheço direito... - apontava para Jin enquanto falava sobre um quase namorado bonito.
Ela falava de , e então Jin olhou para ela enquanto abria a boca para formular alguma palavra de conforto na direção da morena, já que ele sabia que ela falava dele e de .
- Vai com calma, ! Você precisa de um banho quente e dormir, mocinha! Amanhã é outro dia e eu tenho certeza que essa sensação vai passar!
- , calma! Você precisa ficar mais calma, para conseguir pensar com coerência, amiga! Essa não é você! - era a vez de tentar acalmar a amiga.
V que mantinha os olhos fechados ao lado de no sofá também tentava dialogar com a morena.
- Tudo o que eu vejo é o que eu deveria ser: mais feliz, mais bonita! Tudo o que eu vejo é o que eu deveria ser, eu estou enlouquecendo! Eu preferia ser qualquer outra pessoa, do que ser eu!
Ela chorava agora e então fechou os olhos com força, odiava ver a amiga chorando.
- E o Jin também se incomoda com essa história de vocês dois, V! Ele só não teve coragem de falar lá na hora do jogo! Bobão! Eu sei disso porque ele me disse, não é papo de bêbada, de louca não! Porque eu sei que é isso que vocês tão pensando de mim!
Jin abriu a boca para tentar acalmar mais uma vez, mas não o fez. Só agora se dava conta da presença de Jimin, que deu notícias de :
- A está arrumando o banheiro para você e está tentando acordar o Hoseok para levá-lo para a barraca do Jungkook para você se deitar no quarto, ela já vem!
V segurou o rosto dela entre as mãos, os dois ainda tremiam e tinham os lábios roxos pelo frio.
- Se acalma, ! Se acalma! Por que você tá fazendo isso tudo, por quê? - a voz embargada de V preencheu a sala. passava as mãos pelas têmporas, sem saber exatamente o que fazer com a amiga e com a situação. Nunca vira a melhor amiga daquele jeito e não sabia se tomava as rédeas da situação ou deixava mesmo que V cuidasse de tudo.
Foi quando conseguiu sair do quarto com Hoseok enrolado nos cobertores também.
- O banheiro e o quarto estão prontos, amigos! Vocês precisam de ajuda com a ? - Hoseok ainda sonolento se apoiava em sem se dar conta do que de fato estava acontecendo.
- Não! - V se levantou do sofá - Eu cuido dela! Pode levar o Hoseok, ! Me desculpe por todo esse caos!
- É ! Eu vou ajudar o V com a ! E me desculpe todo o transtorno, o coitado do Hoseok nem sabe o que está acontecendo e sendo penalizado também!
- Vocês não precisam se preocupar com nada disso! Eu e Jimin cuidamos do Hoseok e vocês cuidem da , que ela também tá precisando, qualquer coisa vocês me chamem!
Outra vez estavam os dois dentro de um box de banheiro, com raiva um do outro e com tudo desabando. E mesmo assim Taehyung não conseguia soltá-la, não conseguia não querer cuidar de , outra vez, mesmo quebrado por dentro com uma atitude dela, ele a segurava em seus braços enquanto a água caia por seus corpos. Ambos vestidos apenas com suas roupas íntimas. observou os dois abraçados embaixo do chuveiro e quis chorar com a cena. Os dois provavelmente precisavam daquele momento.
- Vou buscar umas roupas para vocês dois, ok? - V apenas assentiu para enquanto acariciava os cabelos negros de .
- Eu deveria ser ela! Ela é muito melhor do que eu! Em tantos sentidos! - chorava e molhava o pescoço de V com as lágrimas, além da água.
- Essas comparações vão matar você aos poucos, !
- Eu vejo todo mundo conseguindo tudo que eu quero! Eu estou feliz por eles, mas por outro lado, não estou, Tae! Eu não aguento, oh Deus, eu pareço louca!
Ele deixou que ela desabafasse e então segurou o rosto dela entre as mãos outra vez.
- A vitória deles não é a sua perda! - ele sussurrou enquanto tirava os cabelos dela de seu rosto. -
- Eu sei que é verdade, mas não consigo evitar de me envolver em tudo isso!
Ele a ajudou a se ensaboar e depois ensaboou o próprio corpo, depois com os dois já limpos apareceu na porta do banheiro. V deixou que ela tirasse a amiga de lá e então as duas foram para o quarto que antes era ocupado por Hoseok, lá ela trocou a amiga e então as duas se abraçaram, com balbuciando que queria ser outra pessoa e que não aguentava mais. Foi quando V, já vestido, apareceu na porta do quarto.
- Se importa se eu dormir com ela ?
- Claro que não! Mas se ela te der mais trabalho, você me chama!
- Eu não vou dar trabalho, caramba! - ela jogou o travesseiro na direção dos dois, visivelmente ainda um pouco alterada e ofendida.
V assentiu para que encheu os olhos de água. “Por favor, qualquer coisa me chame!” ela sussurrou enquanto acariciava o braço do mais novo ao sair do quarto. Ele sorriu sem mostrar os dentes para a melhor amiga de e então entrou no quarto, fechando a porta atrás de si mesmo. olhou para ele e então marejou os olhos pesadamente.
- Não quero ser um fardo para você! Não sou nenhuma criança, Kim! Pode dormir na sua barraca!
- Não vou deixar você sozinha nesse estado, para você surtar outra vez e sair correndo em direção ao lago de novo?
- Não vou fazer isso! - ela cruzou os braços abaixo dos seios.
V se sentou ao lado dela na cama.
- Alguma vez nesses dias, você ainda pensou em mim? Estive em seu coração? - ela se atreveu a se ajeitar na cama e colocar a testa na dele.
- Não ouse me perguntar se alguma vez você esteve no meu coração. Você entrou sem pedir licença e refez todos os caminhos que continham nele, eu fiz um lar para você lá! E teu erro foi querer apenas alugar o que eu construí para te abrigar a vida toda.
Os olhos dela se fecharam e então os dois se beijaram. V segurou a cintura dela com força, e as línguas se entrelaçaram, com saudade uma da outra. As mãos dela se embrenharam nos cabelos ainda úmidos dele e então ela se deliciou mais uma vez com o quente da língua dele, que tanto sentiu falta. Quando o corpo dela se chocou com o dele sobre a cama, V parou o beijo.
- Não! Não, não! De novo não! Está tudo errado!
sabia que ele estava certo. Os dois não podiam fazer aquilo. se ajeitou na cama e então V a cobriu com os cobertores disponíveis por lá. Ele agradeceu mentalmente por ter colocado cobertores lá de volta, já que Hoseok havia saído enrolado nos dele.
Se ajeitou ao lado dela na cama depois de apagar as luzes e então voltou a se aninhar no peito dele.
- Não vou conseguir dormir, eu só quero sumir, Taehyung! - a voz chorosa dela fez V fechar os olhos.
- Fecha os olhos! - ele pediu.
assim o fez, e então ele apagou o abajur.
- Não pensa em mais nada agora, só escuta a minha voz. Pode ser? - ela fez que sim enquanto as lágrimas ficavam mais fortes em seus olhos.
-
On my pillow, can't get me tired...Sharing my fragile truth that I still hope the door is open! - ouviu a voz grave dele começar a cantar - ’Cause the window opened one time with you and me, now my forever's falling down. Wondering if you'd want me now!
Ela deixou as lágrimas quentes escorrerem por seu rosto enquanto continuava o ouvindo cantar.
-
How could I know, one day I’d wake up feeling more? But I had already reached the shore... Guess we were ships in the night, night, night, we were ships in the night, night, night!
Ela limpou as lágrimas com uma das mãos e V começou a acariciar os cabelos de , enquanto a garganta começava a fechar, de vontade de chorar também.
-
I'm wondering, are you my best friend? Feels like a river's rushing through my mind. I wanna ask you if this is all just in my head…

intensificou o choro enquanto tapava o rosto com uma das mãos, as carícias de V desceram para a cintura dela.
-
My heart is pounding tonight, I wonder: If you are too good to be true, and would it be alright if I pulled you closer…
Apertou o corpo magro dela no seu, queria que ela se acalmasse. Ficou alguns minutos em silêncio e quando ela parou de soluçar, ele voltou:
- How could I know? One day I’d wake up feeling more, but I had already reached the shore. Guess we were ships in the night, night, night, we were ships in the night, night, night…
Agora a voz dele fraquejava e estava para sumir, quando percebeu que havia adormecido. Taehyung só se permitiu chorar quando ela pegou no sono profundo.”

depositou o celular sobre a mesa enquanto os olhos enchiam de água. O que havia feito? Pensou em como estava errada do começo ao fim, e então fitou Jimin, que lhe acariciava as costas.
- Eu preciso consertar essa merda, Jimin!

Suga se sentou na barraca, ainda meio zonzo de sono e então bateu as mãos no colchão, tocando assim os cabelos de que dormia tranquila ao lado dele na barraca. Ele sorriu, aliviado e assustado ao mesmo tempo. Então não havia sido só um sonho?

Flashback 3:


“Ao se deitar em seu colchão em sua barraca e fechar os olhos, a mente de pensou primeiro em e V, e em como a amiga estava sofrendo de verdade com toda a situação dos dois. Ela precisava encontrar uma forma de ajudar a amiga a sair do buraco em que se encontrava. Quando ela abriu os olhos, pensou em Suga… será que ele estava confortável? Ele definitivamente não gostava daquele tipo de programa, mesmo que estivesse demonstrando estar se divertindo, ela pensou em como seria para ele as noites de sono, já que ele amava dormir. Se sentou e então umedeceu os lábios, por que não dar uma checada nele?
Abriu o zíper da barraca de Suga e então se ajoelhou sobre o colchão dele o observando enquanto ele dormia calmamente. Ela sorriu e sentiu o coração se acalmar de uma forma inexplicável. sabia que se voltasse para sua barraca, ela demoraria muito a pegar no sono, e sentia falta de Yoongi como se lhe faltasse um braço. Então fechou a barraca e se ajeitou ao lado dele.
- Suga? - ela chamou - Suga?
Ele dormia tão pesado que nem a ouvira chamar…. Quando tocou o rosto dele, os olhos de Yoongi se abriram levemente. Mas nem ele e nem ela sabiam ao certo, se ele estava acordado ou dormindo.
- ! - ele umedeceu os lábios, voltando a fechar os olhos - Bom demais ter você por perto, mesmo em sonho!
sorriu enquanto acariciava o rosto dele.
- Eu gosto demais de você, demais! - ele balbuciou enquanto umedecia os lábios.
- Eu também, Yoongi! Eu também! - ela encostou a ponta do nariz no dele.
- Você é cruel, sabia? De não acreditar nos meus sentimentos e não me dar uma chance, e vir aqui nos meus sonhos falar que também gosta de mim!
fechou os olhos e ainda com o sorriso nos lábios, o beijou. Yoongi, mesmo ainda sonolento, correspondeu à investida dela e deixou que ela o beijasse. Mesmo sem saber direito se sonhava ou não, ele envolveu a mão sobre a cintura dela, deixando o beijo se aprofundar.”


Ele levou uma das mãos aos lábios relembrando o gosto do beijo de e então ela também acordou, se sentando ao lado dele, com as bochechas vermelhas. Os dois se encararam e então Suga sorriu para ela, mostrando as gengivas.
- Eu achei que tinha sonhado!
balançou a cabeça negativamente.
- Não sonhou!
- Tão bom! - ele segurou e apertou a mão dela na sua.
sentiu o sangue ficar quente nas veias e então retirou a mão debaixo da dele e as levou ao próprio rosto, esfregando-o com elas.
- A gente precisa conversar, ! - ele suplicou enquanto ficava com o semblante sério.
- Não! Eu preciso ajudar a , saber como ela está! Ontem ela bebeu demais, entrou no lago, quase se afogou, deu o maior trabalho para o V! Preciso ajudar! Depois a gente conversa sobre o que você quiser, mas agora eu preciso saber notícias dela!
Suga, um pouco atônito com a enxurrada de informações, apenas acompanhou com os olhos enquanto ela saia da barraca.

Flashback 4:


“Abriu a porta com certo cuidado e então acendeu as luzes do quarto, achando ruim ter que acordar Hoseok, mas era necessário. agora estava num estado pior que o dele e precisava ficar no quarto.
- Hobi! - ela colocou a mão sobre o ombro dele - Acorda!
Sacudiu levemente os ombros dele enquanto tentava acordá-lo, e quando Hoseok abriu os olhos com dificuldade, encarou .
- O quê? - ele balbuciou enquanto pedia a ele que se levantasse.
- A tomou um porre e entrou no lago, e ela está lá na sala esperando para tomar um banho e precisa dormir aqui! Vem dormir na barraca do Jungkook comigo!
- Tá! - ele entendeu mais ou menos o que ela dizia, só ouviu a parte de dormir com ela.
- Consegue se levantar? - ele assentiu enquanto se sentava na cama.
- Está frio, leve suas cobertas! Hum?
Ele se enrolou nos tecidos e então saiu do quarto com a ajuda de . Ela arrumou outras cobertas para enquanto Hoseok bagunçava os cabelos, depois correu até o banheiro e ajeitou as coisas por lá também. Já fora da casa, Namjoon colocou o rosto para fora da barraca e encarou os dois andando juntos rumo à barraca de JK.
- ! - ele chamou.
Hoseok e ela pararam de andar e a cabeça de Hoseok doía. Especialmente ao ouvir a voz rouca de Namjoon.
- Vou dormir com o Hobi na barraca do JK! A precisou do quarto!
- Não! Vocês dois podem dormir aqui! Essa barraca é enorme, esse colchão também e sozinho está muito frio! Até para o Hoseok! Por favor, !
Ela olhou de Namjoon para Hoseok, mal se aguentando em pé.
- Tá bom, a gente já chega aí! - ela passou o braço de Hoseok em volta de seu ombro. - Não quero! Não quero ficar com o Namjoon, !
O biquinho que ele fez, derreteu ainda mais o coração de .
- Por quê, Hobi? O que ele fez?
Silêncio. Hoseok segurou o rosto dela entre as mãos e então seus olhos marejaram.
- Teu olhar me diz: "Eu até gosto de você", mas só gostar não faz feliz quem te adora assim até doer! Eu me trabalho para ser otimista, mas, se eu brinco de ir embora, ‘cê me deixa ir! Será que eu sou a melhor coisa da tua vida ou só o melhor que você conseguiu até aqui?
- Hobi! Estou tentando entender o que aconteceu! Me explica!
Foi a vez de encher os olhos de água enquanto olhava nos olhos de Hoseok.
- Juro, eu me esforço pra te convencer de mim, tento ser mais bonito e falar grosso como outros por aí. - ele olhou na direção da barraca de Namjoon antes de continuar e entendeu que ele se comparava com o advogado - Será que você se perdeu ou se encontrou sem mim? Em quem você pensa enquanto me beija? Num cara mais bonito na televisão? Num amor que foi embora ou nos que ainda virão? Quem é que você guarda nessa sua cabeça? Em quem você pensa?
- Hobi, olha… - ele a interrompeu com um beijo.
deixou que ele a beijasse pelo tempo que quisesse, e o correspondeu. As mãos dela o envolveram pela cintura aproximando o corpo dos dois, queria que ele sentisse que ela não pensava em Namjoon ou em qualquer outra pessoa quando estava com ele.
- Teu beijo é tão forte com os olhos fechados… Não que eu me importe em ser meio enganado. Não me conta, não me mostra, não deixe que eu perceba em quem você pensa enquanto me beija.
- Vocês dois vem? Hum? Por favor! Está muito frio!
Hoseok suspirou pesadamente.
- Já vamos, Namjoon…
Hoseok e ela voltaram a se encarar.
- Você vai me dizer por que bebeu daquele jeito? Eu conheço você, Hoseok, aconteceu alguma coisa que fez você beber e falar todas aquelas coisas, na verdade todas essas coisas! E você precisa me dizer! Foi o Namjoon?
Hoseok assentiu positivamente enquanto voltava a se enrolar em seus cobertores. - Ele… - Hoseok pausou - Ele me disse que eu devo desistir de você, que entre mim e ele, eu não tenho a menor chance! Que eu nunca conseguiria competir com ele.
- O Namjoon, ele… - pausou, respirando fundo - Vem, vamos deitar! Amanhã eu resolvo isso!
Os dois adentraram a barraca de Namjoon, que esperava por eles, sentado. trocou um olhar profundo com Namjoon, que sentiu que algo estava errado, pela demora dos dois.
A mulher se enrolou debaixo dos cobertores com Hoseok. Namjoon travou o maxilar e então se atreveu a colocar a mão na cintura de , que apenas fechou os olhos. A cabeça dela estava cheia, a cada dia mais confusa e cheia.”


abriu os olhos e então voltou a fechá-los, quando percebeu que estava deitada no peito de Hoseok e tinha Namjoon agarrado a sua cintura. O nó na cabeça dela apertou ainda mais. Era tão gostoso estar ali com os dois… então voltou a dormir, mas não pesadamente.
Hoseok abriu os olhos algum tempo depois vendo a claridade começar a invadir a barraca de Namjoon. Se lembrou de onde estava, e então mexeu o pescoço, encontrando deitada desajeitadamente em seu peito com Namjoon agarrado à ela. A cabeça dele doía terrivelmente e a boca seca, o corpo dele implorava por água. Delicadamente ele se sentou no enorme colchão e então observou a cena. Os três ali, juntos… a cabeça latejou e ele precisava de água, precisava muito. Então saiu da barraca, deixando os dois sozinhos para dormirem mais.
voltou a abrir os olhos com o barulho do zíper, então se mexeu da maneira que pode nos braços de Namjoon, que a seguravam com força. O homem acordou com tentando se movimentar. Sorriu ao acordar com ela do lado então tentou abraçá-la mais um pouco, mas ela o impediu.
- Eu estou muito chateada com você, Kim Namjoon!
Ele terminou de soltar o corpo pequeno dela do seu e se sentou, ajeitando o cabelo.
- Por quê? Por eu não ter deixado você ir cuidar do Hoseok àquela hora? Desculpa!
- Não! Por muito mais que isso! Eu não quero conhecer esse seu lado babaca, Namjoon! O lado que foi até o Hoseok para falar para ele desistir de mim e se vangloriar usando as inseguranças dele a favor de si mesmo, esse seu lado advogado que usa dessas baixarias você pode deixar para usar só no tribunal, eu não sou um caso! Você não está competindo nada com o Hoseok, e se estivesse, estaria perdendo! O maxilar travado estava lá outra vez. Hoseok havia contado, e claro, havia acreditado nele.
- Então ele contou! Claro que ele ia contar!
- E a sua intenção é que ele não me contasse para você crescer mais ainda em cima dele?
- Não! - Namjoon balançou a cabeça - Não! Não! , olha, eu errei! Sei assumir meus erros, aprendi isso justamente com a minha profissão! Eu só agi no impulso!
- Impulso de quê? Me explica!
- Eu! - ele bagunçou os cabelos pretos e longos - Eu não sei! Fui infantil e imaturo.
- A sua insegurança fez você o atacar, não foi? Estava se sentindo ameaçado e atacou, sem precisar atacar, porque o Hoseok nunca fez nada com você.
- Eu sei! - ele suspirou pesadamente - Me desculpe!
- Eu só vou deixar você ficar mais esses dias com a gente com uma condição!
- Hã? - ele ergueu uma sobrancelha - Qual?
- Você precisa se desculpar com ele!
- Com o Hoseok? Eu topo! - ele sentiu o coração acelerar.
- Sim, com o Hoseok! Topa?
- Topo! Tranquilo!
- Na frente de todo mundo, Namjoon, enquanto estivermos tomando café da manhã!
- Na frente de todo mundo? Mas ninguém vai entender nada, ! Eu não me importo de pedir desculpas, longe de mim, mas isso é entre mim e ele!
- Ou é na frente de todo mundo ou você pode ir embora e a gente conversa na cidade! Namjoon encarou os olhos cor de mel dela, que falava sério. Namjoon sentiu a boca amargar, que humilhação.
- Tá bom, ! Eu faço! Mas você me desculpa?
- Peça desculpas ao Hoseok e se ele desculpar você, eu desculpo também!
Ela se levantou pegando as cobertas que Hoseok havia levado e deixou Namjoon sozinho para que ele pudesse refletir.

Jimin havia ido com à padaria para que eles pudessem incrementar o café da manhã, já que a noite anterior havia sido caótica para quase todo mundo, estavam todos exaustos. Quando os dois voltaram o pessoal já estava quase todo reunido para se alimentar, menos V, e Namjoon. Jin preparava um chá para e Hoseok, que segundo ele, os ajudaria na ressaca. perguntou onde estava e se alguém havia ido ajudá-la com a escada.
- Não sei! Ainda fui lá checar se ela está bem! - terminava de arrumar uma fatia de torrada para Hoseok.
- Vou lá então! Já venho!
desceu de um dos bancos de madeira que haviam pela cozinha e então caminhou para a casa central, subindo os poucos degraus que separavam a sala do corredor que levava aos banheiros e quartos. A porta do quarto que antes era ocupada por Hoseok ainda estava fechada, denunciando que V provavelmente ainda dormia. Mas a porta do quarto de estava aberta e não havia sinal dela por lá, e no banheiro também não. procurou pela cozinha da casa principal também e nada. Onde a amiga havia se metido com aquele pé quebrado?
Voltou para a cozinha da casa de baixo e então os amigos olharam para ela.
- sumiu! Não está em nenhum lugar da casa, já procurei em todos os cômodos! Onde ela se meteu?
Taehyung chegava à cozinha neste exato momento com Namjoon.
O coração de Jin palpitou mais rápido dentro do peito, onde ela poderia estar? Não muito longe provavelmente por causa do pé, mas mesmo assim ele se preocupou, ao se lembrar que havia ouvido parte do que dissera e que havia fechado a porta quando Jin fizera menção de ir até o quarto dela. Havia ficado magoada com alguma coisa certamente.
fechou os olhos com força assim que levou a xícara com o chá até a boca, se sentiu culpada. E se tivesse ouvido o que ela falara? E se ela tivesse ido embora? Ou se tivesse acontecido alguma coisa com ela?
- Eu vou procurar por ela! - Jin saiu da cozinha, sendo seguido por V.
- Eu também vou procurar! Ela não deve ter ido muito longe!
prontamente se ofereceu, precisava encontrar ! Pediu ao universo que nada tivesse acontecido com a garota.
Jin correu outra vez até o quarto onde ela dormia para se assegurar que ela não havia reaparecido lá magicamente e nada. O quarto estava perfeitamente arrumado, era como se ela nem tivesse dormido lá, Jin encarou V na porta do quarto.
- Você não falou com ela hoje?
- Não, amigo! - V balançou a cabeça em negativa - Nós vamos encontrá-la!
O celular dela estava sobre a mesa de cabeceira e Jin o pegou vendo a polaroid na capinha transparente do celular: uma foto dos dois na viagem. Ele nunca havia reparado que aquela foto estava ali. Fechou os olhos sentindo a garganta fechar de preocupação. Os remédios dela também estavam intactos sobre o móvel e ele se preocupou um pouco mais pensando que ela não havia tomado os remédios que precisava pela manhã.
- Vamos procurar por ela, Taehyung! Ela não deve ter ido muito longe!
Os dois assentiram um para o outro e então saíram da casa de cima, indo cada um para uma direção. e também procuravam por , já que o terreno da casa era grande e os arredores também.

chamava o nome de enquanto caminhava pela estradinha que dava até a entrada de uma trilha famosa na cidade e então ela encontrou lá, sentada em um dos bancos, encarando-a.
- Ah! Você está aqui! Que bom que te encontrei! Está todo mundo procurando você!
- Eu precisava de um tempo sozinha, já estava voltando! Não quis preocupar ninguém!
se sentou ao lado dela enquanto suspirava, sem saber direito como conversar com a morena. sempre sabia o que queria dizer, mas tinha dificuldades de colocar os sentimentos em palavras. As coisas funcionavam muito bem com os diálogos em sua mente, mas quando precisava pôr em prática, ela tinha dificuldade.
- Queria te pedir desculpa, pelas coisas que disse ontem! Por ontem, de uma forma geral! Eu não precisava ter feito e falado nada daquilo!
Foi a vez de suspirar.
- Não precisa se desculpar! Está tudo bem, ! Eu sei que não tenho nada a ver com a sua situação com o V! Sei muito bem que nada daquilo que aconteceu ontem foi de fato sobre mim!
- Ainda me lembro do dia do nosso primeiro beijo, eu com o suéter dele e ele disse que ele ficava melhor em mim do que nele, fiquei olhando enquanto ele segurava sua mão para te ajudar todas as vezes, e em como você coloca o braço em volta do ombro dele, e eu fui ficando com mais ciúmes e de repente eu me pego pensando agora, como eu poderia te odiar? Depois de tudo que eu falei e fiz ontem, você está aqui conversando numa boa comigo e dizendo que não preciso me desculpar. Você é um anjo e de novo, meio que desejo que você estivesse na vida dele, e o meu surto de ontem veio de pensamentos do tipo: por que ele me beijaria? Eu não tenho metade da beleza dela... E eu vi que ele te deu o suéter dele também e é só um suéter, mas a sensação que eu tive é que ele gosta mais de você, e naqueles momentos, eu queria ser você!
- Eu não sinto nada pelo V! Nada do que você está pensando! Ele é meu amigo, e eu sinto um carinho gigantesco por ele, mas como amigo. Nada além disso. O meu coração é do Jin! Mesmo que a gente não tenha mais nenhum tipo de relação, é dele que eu gosto. Mas se isso machuca você e o Jin, eu vou me afastar do V! Não quero magoar mais ainda o Jin!
- Você não precisa fazer isso! - ela tocou a mão de - A conexão que você e o V tem é difícil de encontrar e não vale a pena perder isso por causa de outras pessoas! O Jin vai entender e eu também vou!
As duas se olharam profundamente e então desajeitadamente se abraçaram por alguns segundos. estava genuinamente feliz que ela estava sã e salva e estava grata pela conversa que tiveram. idem.
- Vamos voltar? O pessoal está preocupado com você, especialmente o Jin! Ele estava desesperado.
viu sorrir sem mostrar os dentes enquanto ficava com as bochechas vermelhas. Então Jin estava preocupado com ela?
Quando as duas entraram dentro da varanda da casa, Jin sentiu um peso enorme sair de suas costas ao ver caminhar com a ajuda de . Ele praticamente correu em direção às duas enquanto pegava a bengala das mãos de e segurava pela cintura. V veio logo em seguida.
- Você está bem? Tomou os seus remédios antes de sair ? Onde você estava?
- Calma, Jin! - pediu - Nós três precisamos conversar primeiro! Eu, ela e o V! Depois você fala com ela, pode ser?

Jin assentiu e então levou para um lugar onde ela pudesse se sentar. Ela sorriu para as amigas, para tranquilizá-las. E então de pé, V sorriu para ela.
- Você assustou a gente, jogadora!
- Eu não tive essa intenção, já estava para voltar quando a me achou!
O olhar de V pulou para a . Flashes da noite passada vieram à mente de ambos.
- Eu queria pedir desculpas pelo meu comportamento na noite passada! Para a eu já pedi, e inclusive eu consegui entender bastante coisa com a nossa conversa e vendo o vídeo que o Jimin gravou do acontecido.
- Espera! - V interrompeu - Tem um vídeo?
- Sim! O Jimin gravou para eu poder ver o meu próprio estado e assim pensar nas minhas atitudes etc.
- Ele fez bem! - V pigarreou e então voltou a olhar para .
abaixou a cabeça rapidamente, e a levantou logo em seguida. Precisava tentar consertar as coisas, não para reconquistar V ou algo do gênero, ela só queria ter a própria consciência limpa e ficar tranquila para conseguir seguir a vida. A bomba entre ela e V já estava estourada muito antes disso.

- Eu gosto de você Taehyung, mesmo que não pareça para você depois de todos os acontecimentos entre a gente na viagem e após essa maldita viagem, mas não vou ficar entre a sua amizade e da ! Eu não tenho esse direito e entendi isso muito bem. Na verdade, eu não vou mais forçar mais nada entre nós dois e achei importante dizer isso.
- Acho que vocês dois precisam de um momento para conversar a sós, então eu já vou indo! Obrigada, , pela conversa e por ter me ajudado com a volta. Consigo seguir sozinha até o pessoal, e bom… juízo vocês dois!
Ela seguiu, com dificuldade, mas bem. Teve a ajuda de Jin quando estava quase chegando e quando ela se sentou com o restante dos amigos a conversa entre V e começou.
- Mais uma vez: me desculpe por todo o meu comportamento, Taehyung! Eu me excedi, deixei que os meus sentimentos tomassem conta de mim e fui completamente imprudente!
- Tem ideia do quão desesperado eu fiquei quando vi você naquele lago, ?
fechou os olhos, não queria mais chorar por tudo aquilo, mas seria inevitável.
- Eu fiquei com medo de perder você, mesmo querendo você longe de mim! Se algo acontece com você, eu nem sei, !
- Me desculpa! - ela abriu os olhos enquanto sentia a lágrima quente descer por sua bochecha.
- Só me prometa que agora não vai beber mais enquanto estivermos aqui!
- Sim! Eu prometo! - ela limpou outras lágrimas que desciam - Agora, me responde uma coisa?
- O quê? - ele mantinha as mãos no bolso da calça cargo bege -
- O que aquela música falava? Aquela que você cantou para que eu dormisse? Eu não me lembro o suficiente para traduzi-la sozinha!
V suspirou alto, ela se lembrava da música? Ele umedeceu os lábios.
- Quer mesmo saber?
- Quero! - ela se sentou no lugar de - Você não quer falar? Não tem problema, mas eu queria saber sim.
- Eu acho que isso não tem mais importância, ! - O que você sente por mim, V? Hoje, agora!
Ele voltou a suspirar e então encarou os olhos marejados de .
- Às vezes ainda sinto vontade de ver você. Sonho contigo até sem querer! É que meu coração não quer entender que é melhor assim, que não tem mais nada a ver. Aí eu me afasto e tento me distrair, pensar em outra coisa para não me trair e sair com você pela última vez! Como esquecer tudo que a gente fez?
voltou a limpar algumas lágrimas, que insistiam em cair, e ele tinha razão. Como esquecer? Mas os dois precisavam seguir em frente.
- Metade de mim, te ama e te adora, outra metade de mim, precisa ir embora! Estou com medo de ser feliz outra vez, porque dói, dói, ficar sem você aqui!
limpou outra vez os olhos e então se levantou, ficando próxima o suficiente de V.
- Como um amigo meu me dizia, o tempo é traiçoeiro, ao mesmo tempo que ele cura ele machuca, ao mesmo tempo você ganha, você perde e você está me perdendo. Queria que tivéssemos sido alguma coisa além de incerteza.
Ela assentiu para ele.
- Eu entendi! - assentiu para ele.
- Eu ainda tinha tanto para te mostrar, você vai antes de conhecer o melhor de mim.
Ele segurou as mãos dela, sentindo os próprios olhos se encherem de água.
- Você sabe que é o melhor para nós dois, pelo menos por enquanto! Te levo no meu coração, ainda te amo, mas... Você sabe tão bem quanto eu, que dói dizer não!

conversava com os amigos, explicando que não queria ter preocupado ninguém, que só queria tomar um ar sem depender de ninguém e que pretendia voltar antes dos amigos acordarem. Jin se sentou ao lado dela com um copo de água e os remédios.
- Você já tomou? - ele apontou para os remédios..
- Ainda não! Obrigada, Seokjin!
e se levantaram, deixando os dois mais sozinhos.
- Está tudo bem? - balançou a cabeça que sim enquanto engolia o último comprimido - Você ficou chateada com a ? Pelas coisas que ela falou?
- Não! Não fiquei chateada com ela, sei muito bem que o problema dela não é comigo! Ela está chateada consigo mesma e com a situação dela com o V, eu entendo. Sei exatamente o que ela está sentindo, já estive no lugar dela!
Os dois se olharam e Jin umedeceu os lábios, sendo atingido com as palavras dela.
- Então por que você sumiu? A gente ficou preocupado…
O tom de voz dele abaixou algumas dezenas.
- Nossa comunicação já sofreu tanto por ruído externo, por a gente não saber se comunicar um com o outro. A gente nunca consegue dizer diretamente um para o outro o que a gente sente, o que a gente quer e aí você ao invés de falar para mim que minha relação com o V te incomoda, fala para outra pessoa!
Jin fechou os olhos e então se sentou ao lado dela.
- Não é que me incomoda, ! E eu não tenho nenhum direito sobre o que vocês dois tem construído juntos! Não sou dono de nenhum de vocês dois, é só que talvez eu tenha um pouco de inveja da conexão que vocês dois têm!
- Inveja? - ergueu a sobrancelha.

Namjoon pigarrou enquanto se punha de pé, chamando a atenção de todo mundo e interrompendo a conversa de e Seokjin.
- Bom! - Namjoon cruzou as mãos uma na outra e inflou o peito.
Como ele faria aquilo? Hoseok era o único que não havia levantado o olhar para encarar Namjoon, e aquilo fez ele querer ir embora.
- Eu queria me desculpar com o Hoseok!
Os amigos permaneceram em silêncio e cruzou os braços abaixo dos seios encarando Namjoon. Ele sabia que ela esperava mais daquele pedido de desculpas, mas Namjoon se sentia travado e quando Hoseok ergueu os olhos para encará-lo, o sentimento piorou.
- Ontem aconteceram algumas coisas entre nós dois, e eu acabei exagerando durante o nosso diálogo, e eu peço desculpas!
O olhar dos amigos saltou de Namjoon para Hoseok, esperando alguma resposta dele.
Hoseok assentiu para ele enquanto levava a xícara com o chá feito por Jin até a boca. Silêncio. Ele engoliu o chá e pegou um pedaço de croissant.
- Você me desculpa ou não? - Namjoon perdeu a paciência -
ergueu a sobrancelha para ele como se desaprovasse a atitude e ele se recompôs.
- Eu agi mal com você, sei disso! Então, me desculpe!
Hoseok, ainda comendo e sentindo a cabeça latejar pela quantidade de álcool apenas acenou para ele com a mão, como se dissesse a ele que seguisse sua vida, que estava tudo bem.

O restante da tarde passou devagar com os amigos se recuperando da noite anterior e jogando conversa fora, tomando banho de piscina, jogando e rindo. Os amigos percebiam a cada dia que se davam bem, e que tinham muitas afinidades, o que fazia com que eles quisessem expandir a convivência para fora do acampamento e gostava da ideia.


Octogésimo Sétimo Capítulo - É só você voltar

estava deitada no quarto porque alegou estar com um pouco de dor, Jin e Suga prepararam uma espécie de lanche da tarde para todos e o restante estava reunido em volta da piscina, até que Jimin e Taehyung alegaram que seria legal se a noite eles saíssem pela cidade para conhecer os arredores e jantassem por lá.
- Acho que não dá, não! não consegue sair por aí de boa! E foi eu em que insisti para ela vir, sabe? Então não sei se é uma boa ideia!
Enquanto os amigos ficavam em silêncio, levava o canudo até a boca bebericando de seu suco. O primeiro estalo: “(...)- Então ainda gosta da ? - Eu a amo, !"
A voz de Seokjin dizendo que amava ecoou por seu ouvido esquerdo e logo em seguida a voz de : “O meu coração é do Jin! Mesmo que a gente não tenha mais nenhum tipo de relação, é dele que eu gosto." Era isso!
- E se a gente fizesse um jantar para a e o Seokjin? Os dois precisam de um empurrãozinho para se acertar, e sei disso porque os dois me confessaram ainda gostarem um do outro! A gente prepara um jantar surpresa para os dois, e nós saímos! O que vocês acham?
Os amigos se entreolharam, especialmente , e Taehyung que eram os melhores amigos dos envolvidos. V achou bonitinho a ideia de para juntar e Jin, e ficou feliz de ver que ela estava preocupada com o bem estar de todos.

Quando o sol começou a se pôr, Taehyung chamou para que os dois pudessem começar o jantar, já que Suga estava cozinhando basicamente desde o primeiro dia. Os dois conversavam basicamente sobre o jantar e o básico, mas não deixavam de sorrir ou de ser cordiais um com o outro. sofria com o tratamento, mas entendia Taehyung, ela só torcia para que em algum momento os dois pudessem quem sabe voltar a amizade.
Os amigos começaram a se arrumar, e pediram que e Jin fizessem o mesmo, sem dizer exatamente o motivo de precisarem se arrumar, e propositalmente eles foram sendo deixados por último para que desse tempo do jantar ficar pronto e de todos os amigos se aprontarem.
Jin, já pronto, encarou os amigos conversando e rindo. Assim que ele se aproximou de todos fez a pergunta:
- A gente vai jantar por aqui mesmo? Por que está todo mundo tão arrumado? Eu me arrumei também, mas não entendi nada!
- Você já vai entender! - piscou para ele - assentiu para enquanto caminhava de encontro aos amigos.
ergueu a mão na direção de Jin, que confuso olhou na direção da mão dela e depois subiu o olhar para , piscando algumas vezes.
- Vem! - chamou enquanto ria da reação espantada dele.
Jin segurou a mão de enquanto era puxado por ela para dentro da casa, sem entender direito o que exatamente estava acontecendo. Os olhos dele se arregalaram ainda mais ao ver a mesa da cozinha de cima arrumada e decorada. Algumas velas estavam sobre a mesa, que tinha um forro branco e rendado e havia dois pratos igualmente bonitos por lá, o jantar parecia já estar pronto.
- Espera um minutinho, tá? - pediu enquanto já se afastava.
Jin caminhou mais para dentro da cozinha e então se atreveu a olhar dentro da panela sobre o fogão. Um risoto de filé mignon ao vinho tinto estava por lá, e Seokjin sorriu involuntariamente: a especialidade de V.
Foi quando, ainda sorrindo e com as mãos nos bolsos da calça branca, ele se virou, dando de cara com o melhor amigo o encarando com as mãos nos bolsos. O sorriso dele sem mostrar os dentes fez Jin querer abraçá-lo.
- Eu sei que a disse muita besteira ontem à noite, ela quis insinuar algo sobre eu e a … - ele pausou por alguns segundos analisando o rosto de Seokjin - Mas não tem nada a ver, Jin! Eu e ela somos só amigos, só temos muitas coisas em comum, temos afinidade! Eu estou descobrindo isso com um monte de gente aqui também! Não sinto nada pela . E você e ela precisam se acertar! Não entendo por que não deram certo!
- Deu certo até um ponto, porque nós dois estávamos loucos. Quando ela recuperou a sanidade, foi embora e me deixou.
V baixou a cabeça. Será que aquele jantar foi uma boa ideia?
- Não se preocupe com isso! Eu sei que a estava com ciúmes, por causa de toda a situação de vocês dois, a cabeça dela estava fervendo e a bebida foi gasolina no fogo. Eu confio em você, você é meu melhor amigo, V!
document.write(Jaqueline) apareceu com na cozinha, os olhos dela levemente arregalados, assim como os de Jin quando chegaram lá.
Jin começava a entender um pouco: aquele jantar era para os dois. Ele fechou os olhos quando os outros amigos apareceram na cozinha. olhou para eles, ainda sem entender.
- Eu e o V fizemos o jantar! Para vocês dois! Para vocês terem um tempo sozinhos! Nós vamos dar uma volta na cidade e a gente janta por lá, então vocês não precisam se preocupar com a gente. Quando vocês dois acabarem, é só mandar uma mensagem que a gente avisa onde está, e aí se for da vontade de vocês, podem ir encontrar com a gente! Mas aproveitem o jantar de vocês!
- Eu fiz a minha especialidade: risoto de filé mignon ao vinho tinto! - ele e Jin disseram juntos e então riram - Não me façam essa desfeita e comam tudo, por favor!
- E eu preparei a sobremesa! Um pavê de sonho de valsa, fiquei em dúvida, mas o V me ajudou na escolha, então provavelmente não errei!
levou até a mesa preparada para os dois, ela agora reparava nos detalhes do jantar preparados pelos amigos e sentia o coração querer rasgar o peito, se ajeitou na cadeira com a ajuda de , mas ainda estava meio anestesiada e sem entender. V fez a mesma coisa com o melhor amigo que ainda não havia conseguido encarar diretamente nos olhos.

Os amigos se despediram dos dois e então foram para a parte de fora de casa, para ver com quais os melhores lugares para ir etc. A garota resolveu dar a ideia de os grupos se separarem: as meninas irem para algum lugar e os meninos para outro.
As garotas adoraram a ideia e os meninos não se opuseram. e Jimin se olharam, parecendo um tanto quanto frustrados com a ideia de não poderem dar uma fugidinha para se beijarem escondido dos amigos, mas as meninas ficaram eufóricas com a ideia de uma noite só das garotas então nenhum dos dois se opôs.
Quando eles estavam começando a dividir os carros Suga segurou pelo braço - não sem antes reparar no quanto a garota estava bonita com a calça preta de couro e a camisa social transparente com um top preto - encarou a mão firme dele em seu braço, e então olhou para o rosto fechado de Yoongi.
- Você me prometeu uma conversa, se lembra? A já está melhor e ela vai ter a companhia das meninas! Eu não aceito um não como resposta !
engoliu seco e então assentiu para ele vagarosamente.
- Avise aos meninos e eu aviso as meninas que nós dois vamos juntos e que vamos conversar!
Foi a vez de Suga assentir para enquanto soltava o braço dela. Já dentro do carro, fechou os olhos depois de colocar o cinto. O que ele queria com ela?
Já na cidade as garotas deram os braços e resolveram que iriam dar uma olhada nas lojas antes de sentarem para comer ou beber, já os rapazes decidiram se sentar no primeiro bar que encontraram mesmo.

engoliu seco sentindo um incômodo começar a brotar em seu peito e ela sabia que Jin também deveria estar sentindo o mesmo que ela. umedeceu os lábios sentindo o gosto amargo do batom nude que usava invadir a boca, e então se ajeitou na cadeira segurando nos braços dela, tentando forçar o corpo para se levantar.
- A gente não precisa fazer isso, Jin! - quando o corpo de começou a se levantar da cadeira ela fez uma feição de dor.
Jin observou a pulseira cinza no pulso dela. Até hoje ela a usava? Colocou uma de suas mãos sobre a de .
- Não quer jantar comigo, ?
Ela se assustou com o quão baixo o tom de voz dele soou, como se ele estivesse chateado.
- A pergunta deveria ser: você quer jantar comigo?
acompanhou a mão de Jin subir para seu pulso e acariciar a pulseira cinza, que deveria ser o amuleto dos dois.
- Quero! - Jin umedeceu os lábios e quis beijá-lo.
Ela fechou os olhos e então voltou a se sentar na cadeira. Jin se levantou indo até a cozinha e abrindo a geladeira, pegou a garrafa de refrigerante e então voltou para a mesa, pegando o copo dos dois e servindo o líquido.
- Como você tem se sentido todos esses dias sem poder beber e convivendo com esse povo bêbado?
Os dois riram, agora mais tranquilos com a situação.
- É difícil! Mas eu faço qualquer coisa para melhorar o mais rápido o possível!
Jin assentiu para ela colocando o copo em sua frente, logo em seguida ele pegou o prato de .
- Esse prato é a especialidade do V! - ele serviu uma boa quantidade no prato dela.
- Você também cozinha bem! Não sabia disso, apesar de ter percebido que você gosta aquele dia no seu apartamento!
Os flashes daquele dia voltaram a preencher a mente de Seokjin e ele quase pôde sentir o gosto de em seus lábios, balançou a cabeça afastando os pensamentos gostosos daquele dia. Voltou com o prato dela cheio e então agradeceu a gentileza. Depois Jin serviu o próprio prato e então se sentou à mesa com ela outra vez. Silenciosamente os dois começaram a comer e então ambos elogiaram a comida de V um para o outro.
- Será de quem partiu essa ideia? - levou o garfo à boca enquanto questionava.
- Do jantar? - fez que sim com o polegar num “joinha” - Acho que da e do V! Me pareceu ter partido dos dois, já que foi ela que buscou nós dois e tal…
concordou com ele enquanto comia mais um pouco do risoto, ela também achava que a ideia tinha partido dos dois, mais especificamente de .
Os dois ficaram em silêncio. O barulho dos talheres incomodou , ela gostava de ouvir o som da voz de Jin, queria que ele continuasse falando…
- Sobre o que eu estava falando mais cedo, no café da manhã, antes do Namjoon pedir desculpas ao Hoseok…
engoliu seco, mesmo com a ajuda do refrigerante. Ele queria continuar uma conversa com ela? Eles iriam finalmente conseguir ter um diálogo saudável sobre algo?
- Eu disse que tenho inveja da conexão de vocês dois, porque somos muito diferentes em tudo! Nossos gostos, nossos hobbies, nossas vidas…
quis segurar o rosto dele e dizer que aquilo era tudo coisa da cabeça dele. Mas apenas olhou dentro dos olhos dele. Não havia dor ali, finalmente. Era só uma espécie de constatação, havia uma certa tristeza, mas aquela dor de meses atrás, não estava mais ali. quase sorriu para ele, mas não o fez.
- Seu gosto e do V são parecidos! Vocês dois tem hobbies iguais, profissões do mesmo ramo, vocês se divertem juntos! Eu me diverti com a Olívia, com a eu não sei!
Um tapa teria doído menos. fechou os olhos e então voltou a comer, estava quase acabando o seu prato. Ela não sabia o que falar.
- Eu vi o seu celular, ! - ela franziu a testa. O que o celular dela tinha a ver com tudo aquilo?
- E o que tem de errado com o meu celular?
Jin riu, ela estava sempre na defensiva, mas Jin não estava a atacando. Não agora. - Vi a nossa polaroid lá!
Outra vez ela não soube o que dizer. As bochechas ruborizaram e então Seokjin sorriu, fechando os olhos enquanto o fazia.
Ele serviu a sobremesa para os dois e eles combinaram de agradecer a e V pelos pratos. Quando ambos já estavam cheios, Jin notou que a boca de estava suja de chocolate, e ela pareceu não ter percebido. Ele se levantou para pegar o prato dela e acabou por se abaixar, incomodado com a sujeira, levou um dos dedos até a boca dela, limpando delicadamente. O olhar dos dois se encontrou, as testas também. Numa espécie de impulso, fechou os olhos, esperando pela boca dele. Jin salivou de vontade de beijar os lábios dela, mas o barulho dos talheres do prato dela caindo ao chão, fez ele se afastar e abrir os olhos.
Os dois não conseguiam se encarar mais, Jin levou as louças sujas para a cozinha e gritou para ela que a ajudaria a ir para o sofá.

- Você quer ir para o sofá, ou para o seu quarto? Eu levo você antes de lavar as louças!
Ela inflou o peito de coragem.
- Eu espero você lavar, mas não quero ir para o quarto! Ainda não quero acabar a noite!
- Não? - ele coçou a testa, confuso.
- Não! Que tal a gente jogar um pouco até o pessoal voltar? Você está com sono?
Ele fez que não para ela com a cabeça.
- Tá bom! Eu vou deixar você lá no sofá, é mais confortável. Então eu lavo aqui e volto pra gente jogar! Mas você vai ter que ter paciência comigo!
Os dois riram, genuinamente, depois de tanto tempo.

Quando os onze chegaram à cidade, as garotas resolveram dar uma volta para conhecer o centro e os rapazes se juntaram num barzinho, e logo pediram suas bebidas.
Namjoon aproveitou o momento para se sentar ao lado de Hoseok no bar, que ignorou a presença dele lá ao seu lado. Namjoon esperou os amigos engatarem uma conversa para puxar o assunto com Hoseok.
- Acho que a gente devia fazer alguma coisa para a amanhã! Um bolo, que tal?
Hoseok desviou o olhar dos amigos lentamente e então encarou os olhos de dragão de Namjoon.
- A não come bolo, Namjoon!
Namjoon franziu a testa com aquela informação. Como assim? Hoseok sabia de informações cruciais sobre ela, enquanto Namjoon parecia não saber as coisas mais importantes sobre ... Namjoon se sentiu inseguro mais uma vez.
- Como você sabe disso? - ele pensou alto.
- Achei que você soubesse também! Eu soube bem quando nos conhecemos! - Hoseok deu de ombros.
- E ela come torta? Já que você sabe dos gostos dela! - Namjoon cruzou os braços abaixo do peito.
Os olhos de Hoseok passaram por lá, e foi a vez dele se sentir inseguro e então desviou o olhar.
- Torta ela deve comer sim! A gente podia também encomendar um jantar por aqui, pela cidade! E vir buscar! Não acho que ninguém deva cozinhar amanhã!
- Boa ideia! A gente podia também comprar uma faixa de feliz aniversário e chapéus!
- Sim! - Hoseok sorriu para ele, involuntariamente.
Namjoon sorriu de volta. Os dois se encararam logo em seguida, ficando sérios outra vez.
- Amanhã a gente volta aqui então, para correr atrás disso!
- Pode ser!
As bebidas eram postas na mesa e então os garotos brindaram.

cruzou os braços abaixo dos seios, já demonstrando certa impaciência.
- E então? - ela perguntou - O que você quer conversar?
Suga bufou baixinho.
- A gente pode, pelo menos, se sentar em algum lugar?
Suga colocou as mãos na cintura.
- Aqui! - apontou para os bancos dispostos pela praça.
- Você está falando sério?
- Por que não? Eu ainda quero encontrar as garotas, então aqui está ótimo!
Ela deu as costas para ele e então caminhou até um dos bancos se sentando por lá. Yoongi, bufou outra vez, agora alto.
- E então? - piscou diversas vezes e Suga acompanhou os cílios perfeitos dela se movimentarem.
Suga respirou fundo e então quando abriu a boca para começar a falar ele sentiu os primeiros pingos de chuva caírem. Logo em seguida um trovão.
- Acho melhor a gente sair daqui, ! Olha a chuva começando a cair!
ergueu o rosto encarando o céu, e mais e mais gotas agora caiam.
- Vem! - ele ergueu a mão na direção dela.
segurou a mão de Yoongi e deixou que ele a guiasse, enquanto a chuva caia.

As garotas riam enquanto observavam alguns caras cantando no karaokê e até comentou que gostaria de passar a noite de seu aniversário ali naquele bar, cantando.
Quando as bebidas delas chegaram, todas as garotas repararam que havia pedido somente água. Ela inclusive tocou a mão de sobre a mesa, que mirou a morena.
- Eu queria te pedir desculpas pelos transtornos que causei!
- Imagina, ! Mesmo que eu não entenda direito sua situação com o V, eu sei que tudo o que aconteceu vem disso!
abriu a garrafa de água, e então ela e se encararam.
- Aí, ! Eu ainda te dei uma dica aquele dia em que fui levar você e a em casa! Te falei para não forçar a barra!
- Eu sei! Eu meti os pés pelas mãos, deixei que meus sentimentos me dominassem! Tinha muita coisa acumulada na minha cabeça, eu cheguei aos meus extremos e acabei deixando minhas emoções, as mais primitivas, me dominarem! Me arrependo amargamente de tudo que fiz! Desde a viagem!
- Então explica para gente o que aconteceu nessa tal viagem…
cutucou e a repreendeu com o olhar.

- Não! Tudo bem, ! - umedeceu os lábios - Eu pisei feio na bola com ele na viagem! Eu acabei usando o Taehyung porque estava com o ego muito ferido na época dessa viagem, eu sei lá por que achei que ele não se importaria se eu dissesse para o meu ex-namorado que estava se casando, que ele era meu namorado!
- Isso sem ele ser de fato seu namorado? - se interessou.
- Sim! Nós éramos amigos com benefícios, e eu estava bem fechada para o amor porque achava que ainda era completamente apaixonada por esse ex-namorado. E vê-lo se casando pareceu me destruir por dentro, acabo externando em mim um bocado de frustrações, um bocado de sentimentos ruins sobre mim mesma e sobre minha vida que nem eu sabia! E então eu acabei fazendo merda! E magoei muito o V! E bom, acabei perdendo-o. E só depois de perdê-lo, eu percebi o quanto ele era importante para mim, e o quanto eu gostava dele.
Os olhos de se encheram de água assim que ela acabou a explicação. tocou o braço dela fazendo uma carícia rápida por lá, e e sentiram que a garota falava a verdade de tão marejados os olhos dela ficaram.
- Eu sinto muito! - foi o que conseguiu dizer - E você acabou sentindo ciúmes da , não foi? Porque as coisas já estavam indo só ladeira abaixo e ver ele tendo uma relação de amizade tão próxima com ela, deve ter despertado ainda mais gatilhos em você!
agora com os olhos fechados deixou que duas lágrimas teimosas rolassem bochechas abaixo, enquanto assentiu para . O silêncio se fez presente por alguns minutos enquanto elas observavam a chuva cair do lado de fora do bar, e o celular de vibrou com uma mensagem de Jimin, e ela sentiu as bochechas esquentarem e o coração acelerar com o medo de alguma das garotas terem visto a notificação. Colocou o celular entremeio as pernas para conseguir ler e responder à mensagem, que dizia:

Jimin
Online

Sabe onde eu gostaria de estar agora, não sabe?



Os garotos também observavam a chuva cair enquanto tomavam suas cervejas.

- Será que está tudo bem entre a e o Jin hyung? - Taehyung sorriu com JK chamando o amigo de hyung -
- E tem a e o Suga também, não é? Os dois sumiram! - Hoseok pontuou enquanto encarava os amigos.
- Eu espero que esteja tudo bem com a e o Jin! Espero que eles se acertem de uma vez! Os dois se gostam tanto!
Taehyung suspirou parecendo estar fazendo um pedido ao universo enquanto encarava a chuva outra vez.
- e Suga devem se acertar também! - Hoseok olhou para Jimin - O que você tanto faz nesse celular?
- Tá com algum contatinho, que ficou no Rio, é ? - Jungkook riu depois de perguntar.
Jimin olhou para os amigos, que o encaravam com vontade de rir e ele ficou vermelho.
- Você está de rolo e não me contou nada, seu safado? - Hoseok estapeou o ombro do amigo.
Os amigos explodiram em risadas enquanto Jimin balançava a cabeça em negativa freneticamente.
- Estou falando com a minha mãe! - ele mentiu - Mulheres só dão dor de cabeça! Estou fora!
Ele levou a cerveja aos lábios enquanto bloqueava rapidamente o celular, o olhar de Jimin cruzou com o de Hoseok enquanto ele virava a cabeça.
- Jimin! - Hoseok gargalhou alto fazendo os amigos voltarem a rir - Você não sabe mentir! Não acredito que não me contou!
- Por que você não conta agora para a gente, Jimin?
Namjoon trocou um rápido olhar com Hoseok, antes de voltar a encarar Jimin.
- Porque não tem nenhuma mulher envolvida nessa história! - Jimin gargalhou, de nervoso.
- Ele está falando a verdade agora gente! Se tivesse, eu estaria sabendo. Não estaria, Jimin?
Hoseok e ele se encararam e Jimin quis contar para o amigo toda a verdade, se sentiu mal por não ter contado nem para ele… afinal de contas Hoseok era como um irmão para ele!
- Estaria amigo! Estaria! Claro! - Jimin engoliu seco.

Suga e se encontravam dentro do carro dele. Há quanto tempo ela não entrava lá…
- E então?
Suga respirou fundo enquanto passava as mãos pelos cabelos negros. Ele não sabia direito como expressar seus sentimentos, aquela sempre fora sua maior dificuldade. Ele já tinha se declarado para ela em seu apartamento naquela vez, de uma forma tão intensa que nem ele acreditava que tinha sido capaz. Depois daquelas palavras ele se encontrava perdido.
- Você disse que gostava de mim, lá na barraca. E bom, nós nos beijamos! Você me beijou!
Suga olhou para ela. desviou o olhar do dele, achando impossível encará-lo sem querer beijar a boca dele outra vez.
- Suga, olha! - ela umedeceu os lábios.
E então a chuva começou a engrossar.
- Caramba! Do nada essa chuva, não é? - ela desconversou - A gente podia voltar não é?
- Não! Você e eu temos negócios não finalizados e vamos finalizá-los hoje!
- Eu odeio chuva! Tenho medo!
Ela confessou, finalmente encarando os olhos de Suga.
- Então vamos para um hotel! É mais seguro, lá você não precisa ter medo!
- Acho melhor a gente voltar!
Yoongi deu partida no carro.
- Só depois que nós dois nos resolvermos, ! Eu não consigo mais adiar essa conversa! Você não pode fazer isso comigo!
Ela se calou, apenas soltou um muxoxo enquanto batia as mãos nas próprias coxas, sendo acompanhada de um trovão. Ela realmente tinha medo de chuva, não era só uma desculpa para fugir daquela conversa.

A chuva ainda caía com força quando o grupo finalmente se reuniu, sentiu os braços fortes de Jungkook lhe abraçarem a cintura enquanto ele a puxava para debaixo de uma marquise tentando mantê-la segura da chuva e do frio, já que ela tremia.
O coração dela deu um salto no peito assim que ele a abraçou e Jungkook arrepiou quando o nariz dela encostou-se na pele de seu pescoço.

Com Namjoon de um lado e Hoseok de outro, voltou a se sentir pequena no meio dos dois homens, entrelaçou um dos braços nos de Namjoon, enquanto Hoseok a envolvia pela cintura. Eles foram os únicos a ficarem sem a cobertura da tal marquise, então as roupas dos três logo ficaram encharcadas muito rápido. Jimin observou a dinâmica dos três ali juntos, e em como pareceu - mesmo que só na visão dele - funcionar. Ele sorriu quando depositou a cabeça sobre o ombro de Hoseok e ele lhe beijou a cabeça, e Namjoon acariciou a mão dela que estava repousada em seu músculo. Porque diabos Jimin achou os três juntos tão bonitinhos?
- Bom, eu acho que está na hora de voltar, não é? - ajeitando os cabelos úmidos propôs.
- É! Ah não ser que a gente espere a chuva passar para tentar fazer mais alguma coisa! - Jungkook apertou em seu corpo.
Os amigos se entreolharam e então decidiram que estava realmente na hora de voltarem para casa.
Assim que os amigos correram para a casa de cima, para se secarem e então arrumarem os colchões, quando , Jimin e se aproximaram da casa os três pararam, imóveis ao ouvirem os sons que vinham de dentro da casa. Logo o restante dos amigos se juntou a eles, tão intrigados quanto os outros três ao ouvirem alguns gemidos e barulhos meio indecifráveis vindos de Seokjin. Jimin não se aguentando, acabou caindo na gargalhada quando um dos gemidos soou alto demais, e foi acompanhado por Hoseok. bateu de leve em um dos ombros de Jimin.
- Nós estamos atrapalhando os dois! Vamos para a cozinha da casa debaixo!
- Mas a gente não sabe quanto tempo os dois bonitinhos vão demorar para acabar! E se eles estiverem apenas começando a festinha?
Taehyung riu alto de Jungkook, e se deixou ficar feliz pelo amigo, mesmo que estivesse constrangido por todos terem “pego os dois no flagra”
Namjoon então, pigarreou e estufando o peito ele tomou o partido.
- Justamente! Não vai rolar esperar os dois terminarem, e se quiserem um segundo round logo em seguida? Eu vou entrar, com os olhos tapados é lógico, para não constranger ninguém! E então aviso a eles que nós já chegamos! Alguém quer vir comigo?
Ele colocou uma das mãos sobre a maçaneta, e então se voluntariou para entrar com ele.
A porta foi aberta e os barulhos ainda continuavam. se escondia nas costas de Namjoon, enquanto os dois davam as mãos e o mais alto tinha a mão livre tapando os olhos, afinal de contas não queria encontrar os dois amigos nus.
tateou as paredes e então puxou um assunto qualquer com Namjoon para chamar a atenção de e Seokjin, e Namjoon fez questão de esbarrar em algumas coisas antes de cobrir os olhos, e então o silêncio reinou.
- A gente já chegou, amigos! Desculpem atrapalhar! Vocês já podem se vestir!
e Seokjin se olharam, confusos com Namjoon tapando os olhos e especialmente com as palavras dele, e então olharam para o advogado.
- Do que você está falando, Namjoon? - Seokjin perguntou, contendo o riso.
- Por que você está tapando os olhos? - gargalhou levando a mão aos lábios.
- E como assim nós já podemos nos vestir? Estamos vestidos!
Os dois gargalharam e então saiu de trás de Namjoon com os olhos arregalados e então ela se juntou aos dois nas gargalhadas.
- Do que vocês estão rindo, afinal? - Namjoon tirou a mão dos olhos desbloqueando a própria visão.
e Seokjin estavam sentados no sofá, vestidos e seguravam os controles do videogame nas mãos.
- Mas que porra é essa? Nós achamos outra coisa quando a gente ouviu os gemidos e gritos do Jin! Que susto! - Namjoon levou a mão ao peito.
Os dois gargalharam ainda mais e então Jin se levantou, tratando de desligar o videogame e arrumar a leve bagunça que haviam deixado na casa. avisou aos amigos que eles podiam entrar, que não era nada daquilo que estavam pensando. Os amigos pareceram aliviados e meio desapontados ao mesmo tempo. Taehyung ficou feliz quando entrou na casa e viu os dois sentados no sofá, conversando baixinho. Pelo menos não haviam brigado!
A chuva ainda caía lá fora, agora um pouco mais branda e deu a ideia de os amigos buscarem seus colchões em suas barracas e os espalharem pelos cômodos e pelos quartos para dormirem no quentinho da casa. Os amigos concordaram e então depois que já estavam mais secos, eles começaram a força tarefa para buscarem os colchões, e até Jin os ajudou.
se sentou ao lado de e no sofá, começando a ficar preocupada com , já que a chuva voltava a engrossar. Ela e Suga não haviam dado notícias, e a melhor amiga morria de medo de chuvas.

- Oi, amiga! - atendeu assim que Suga fechou a porta do quarto atrás dela - Eu estou segura! Pode ficar tranquila. Estou com o Suga! Ela olhou para ele, que tentava secar os cabelos longos balançando-os levemente.
- Fica tranquila, nós dois estamos bem, estamos seguros da chuva! Não espere por mim para dormir, ok?
sorriu enquanto se despedia da amiga, e quando guardou o celular na bolsa o olhar dela se encontrou com o de Yoongi. Ele se livrou do casaco preto e molhado que usava e depositou a bolsa sobre a cômoda do quarto e caminhou até o banheiro pegando uma das toalhas de rosto que lá havia e pôs-se a enxugar os cabelos também. Yoongi caminhou até ela.
- Será que nossa história terminou? Se sim, o que deu errado? Eu já te dei meu amor e meu coração. O que mais posso fazer?
- Não se comporte como se eu estivesse longe quando estou bem ao seu lado. Tentei te alcançar quando estava no chão, mas suas amarras foram transferidas para mim e todas as versões bonitas começaram a ficar cada vez mais distantes e difíceis de enxergar, Yoongi. Estávamos em um momento em que ambos precisavam se encontrar, tomar um ar. Meu erro foi não te dar um espaço para se recuperar. Sei que precisa de tempo, também preciso do meu, é disso que precisamos, um tempo para que as coisas voltem a se ajeitar, assim não despejaremos palavras que nos causarão arrependimentos.
- Eu sei que o medo te cegou porque eles nunca te deram tanto amor! Não há mais nada a dizer, você tem que sentir... Diga-me algo por favor...
Ele segurou o rosto dela entre as mãos quando a toalha que ela segurava foi posta sobre a pia do banheiro.
- Responde! Você me quer? Você sabe que você é meu tudo! Não fuja mais do meu amor!
fechou os olhos sentindo a testa dele se encostar na sua, o corpo arrepiou quando os lábios de Suga se encostaram com delicadeza nos seus.

- Eu almejo uma última, ou primeira noite de amor com você, como preferir! Quero entrelaçar meus dedos aos seus - ela assim o fez, colocando as mãos sobre as dele -, sentir seu corpo no meu, sua perna na minha, seu peito nu grudado ao meu peito nu, quero sentir sua respiração ofegante próxima ao meu pescoço, quero sentir seu cheiro se misturando ao meu. Quero que nos tornemos um só, como costumávamos ser. Quero outra vez a melhor versão de nós dois. Me diz, será que temos toda aquela química que eu acho que tivemos? Me deixa descobrir…. Eu quero te sentir, te beijar, e ser sua, pelo menos uma noite. Quero sentir o prazer que eu acho que só você pode me proporcionar! Mesmo sabendo que é errado, meu corpo clama por você, minha boca almeja um beijo teu, Yoongi!
O grande sorriso gengival que tanto amava, apareceu, tomando conta dos lábios dele.
- Eu sabia que a nossa história não tinha acabado! Sabia, !
E então chocou os lábios nos dela com urgência, como se quisesse colar os lábios dos dois e nunca mais soltar. Era como se ele estivesse doente, e o beijo dela fosse o único remédio capaz de curá-lo. As mãos de apertaram a cintura dele, permitindo que sua língua explorasse cada canto de sua boca, como se já não se conhecessem.
Não parecia ser o suficiente, os dois tinham os corpos colados um no outro e mesmo assim, não parecia o suficiente. Ainda com os lábios colados, os dois caminharam cegamente até que Suga caiu, sentado na cama grande do hotel, com em meio a suas pernas. As mãos grandes dele subiam e desciam pelo corpo dela como se já conhecesse todos os caminhos. Elas se detiveram um tempo no bumbum de que arfou contra os lábios dele quando sentiu as duas mãos lhe apertarem as nádegas com força.
Os lábios se desgrudaram em busca de ar e então Suga desabotoou a calça preta que ela usava enquanto a encarava dentro dos olhos castanhos, a pupila dela dilatava enquanto encarava os olhos negros de Suga. Ela fechou os olhos enquanto sentia o tecido descer por suas pernas e então se livrou dele, chutando-o para fora de seus pés. Os olhos de Yoongi passearam pelas coxas grossas dela, e logo em seguida as mãos dele lhe tocavam lá também, ele sentiu que precisava de mais: distribuiu beijos molhados por toda a extensão das coxas dela e embrenhou as mãos nos cabelos negros dele enquanto sentia os pelos do corpo se arrepiarem. Era tão gostoso estar sóbria para poder sentir os beijos e os toques dele.
- Eu nem acredito que estou sentindo o gosto da sua pele na minha boca, e que vou me lembrar disso amanhã!
sorriu enquanto acariciava os cabelos de Yoongi. As mãos dele subiram, adentrando a camisa que ela usava e lhe tocando os seios sobre a regata preta que ela usava embaixo da camisa. Ela mordeu os lábios, começando a sentir a intimidade umedecer e pulsar de desejo.
Yoongi apertou com força as mãos em volta dos seios de e ela sorriu satisfeita ao ouvir um grunhido alto sair da boca de Suga. Colocou as mãos sobre a dele, intensificando a pressão sobre os próprios seios, e foi a vez de ela soltar um gemido fraco.
Suga deixou que ela movimentasse e guiasse a pressão que suas mãos exerciam sobre seus seios, enquanto olhava extasiado a visão dela sentindo prazer com seu toque. Desceu vagarosamente as mãos e então lentamente, Suga desabotoou os botões que fechavam a camisa de . Tirou a peça ainda devagar e então jogou a mesma sobre a cama, encarando os seios da mulher marcando na regata. A boca dele salivou de desejo e o membro dele cresceu dentro da calça. Mas ele queria ir com calma, queria aproveitar cada segundo daquele momento, como se de fato aquela fosse a primeira vez dos dois…
Subiu a regata pelo corpo de , que levantou os braços e terminou de tirar de peça. Suga, até então sentado, se levantou da cama e voltou a beijá-la. Com mais delicadeza, com mais suavidade. Passeou os dedos pela lateral do corpo de , dedilhando a pele dela, como se quisesse decorar cada pedacinho do corpo da mulher.
Logo seus dedos encontraram o fecho do sutiã que ela usava, enquanto sugava sua língua com força, aumentando a intensidade do beijo. O sutiã desceu entremeio os dois e quando uma das mãos de Suga encontraram o seu seio esquerdo, mordeu o lábio inferior dele com força, o quente da mão de Suga fez arquear as costas.
Quando o dedo de Suga apertou seu mamilo já rígido, gemeu com a boca colada à dele. Sedento para ouvir o som dos gemidos dela, soltou seus lábios e então deixou os dedos trabalharem em seu mamilo, enquanto apoiava o corpo dela pelas costas com a mão livre.
Os gemidos de se fizeram audíveis aos ouvidos de Suga, que sorriu, extasiado.
- Música para os meus ouvidos! - ele sussurrou contra a orelha dela antes de deixar uma mordida em seu lóbulo.
se agarrou ainda mais a Suga quando sentiu a língua dele tocar seu mamilo esquerdo, completamente rígido tamanho desejo sentia. As mãos dela invadiram a camiseta que ele usava e então desceu as unhas pelas costas de Suga, que fechou os olhos com a ardência gostosa. O gemido que ela soltou quando sentiu a boca de Suga lhe abocanhar o seio quase inteiro, fez as pernas de Suga vacilarem, tamanho tesão.
Uma das mãos, , resolveu que embrenharia nos cabelos de Suga, enquanto a outra deixava arranhões pela pele branca debaixo da camiseta. A língua dele circundava seu mamilo e então ele soltou as costas dela, levando a mão que antes a apoiava, para o seio direito. Apertou. gemeu mais alto. A intimidade pulsava tanto de desejo, que sentia dor. Precisava dele como se os dois fossem um só.
Suga não estava diferente, o membro doía e latejava de vontade. A boca dele passou de um seio para o outro, e puxou os cabelos agora longos de Suga e os dentes dele lhe apertaram o mamilo fazendo fechar os olhos com o prazer que a dor do momento havia causado, e ela puxou os cabelos dele com ainda mais força, asfaltando a boca de Yoongi de lá.
- Me desculpa! Não quero machucar você! - ele passou os dedos pelo mamilo vermelho dela.
- Não me machucou! Foi gostoso!
Ela enrubesceu as bochechas, fazendo Suga sorrir.
- Você gosta de sentir dor?
fechou os olhos enquanto sentia as unhas dele descerem por suas costas. Sim ela gostava de um pouco de dor… E não precisou responder para ele que gostava, o corpo dela havia respondido quando gemeu involuntariamente pela dor dos arranhões.
Ainda de olhos fechados ela sentiu o bumbum arder com o tapa deixado lá por Suga. Mordeu o lábio com força para conter o gemido. Ganhou outro tapa, mais forte dessa vez…gemeu.
- Vou marcar você! Para todo mundo saber que você é minha!
Um aperto seguido de mais um tapa, um tapa ainda mais forte. Ela gemeu o nome dele. Yoongi sentiu o membro pulsar dentro da calça e então ele fechou os olhos, a mão ardeu com o próximo tapa deixado em . Ela ofegou e apertou os ombros dele. Ele se atreveu a passear o dedo pela intimidade dela. Soltou um palavrão quando sentiu o quão molhado o tecido estava.
- Porra ! - ele apertou o dedo sobre o tecido.
- Yoongi! - ela repetiu o gemido contra a boca dele.

Revirou os olhos levemente quando a calcinha foi jogada para o lado e sentiu o dedo longo de Suga lhe abrindo os lábios e encostando-se ao seu clítoris.
- Gostosa! - ele sussurrou contra o ouvido dela.
sentiu as pernas tremerem quando o dedo de Suga começou a se movimentar sobre seu ponto sensível e inchado. Gemeu, alto. A sensação de ter ele ali, de ter o dedo dele ali, se movimentando de forma tão precisa, com ela sóbria, com ele sóbrio, os dois banhados de desejo… não sabia descrever o quão gostosa era aquela sensação.
Os movimentos do dedo de Yoongi alternavam de muito lentos para muito intensos em segundos e sentia que se não se agarrasse a ele com força, as pernas não aguentariam e ela poderia cair. Então agarrou com força as mãos nos ombros dele enquanto sentia ondas de prazer invadirem sem corpo todo com a exatidão dos movimentos de Suga. Ele pôs-se a observar as expressões do rosto de , que tinha a boca entreaberta e os olhos fechados com força e agora ela já não controlava mais os gemidos ou as expressões faciais, franzindo a testa conforme ele movimentava o dedo pelo clítoris inchado dela.
Aproveitou para deixar alguns beijos e mordidas pelo pescoço dela, que balbuciava coisas que ele não entendia, e nem ela mesma. Um dos dedos de Yoongi deslizou com facilidade para dentro dela, e foi a vez dele gemer alto, com a sensação gostosa de entrar dentro dela, úmida.
entrelaçou os braços em volta do pescoço de Yoongi, abrindo ainda mais as pernas e dando a ele total acesso a sua intimidade, que pulsava a cada investida do dedo de Yoongi.
- Você é minha, ! Só minha! E sabe disso, não sabe?
, incapaz de conseguir soltar uma palavra coerente que fosse, balançou a cabeça para ele positivamente, que introduziu mais um dedo na intimidade molhada dela.
- Você não tem boca? Use-a, querida!
mordeu o lábio de excitação enquanto abria os olhos para encarar Suga, que agora, aumentava o ritmo dos dois dedos dentro dela, dificultando ainda mais que seu cérebro formasse frases coerentes. Mas ela se esforçou para dar a ele exatamente o que ele queria.
- Eu sei! Eu sou sua, desde aquele dia no bar!
Yoongi sorriu, sem perder o fogo dentro dos olhos e então a beijou.
Com os movimentos ficando ainda mais lentos, sentiu que estava quase chegando lá, mas Suga não permitiu. Retirou com delicadeza os dedos de dentro da intimidade dela, e então os levou até a boca, provando o sabor dela.
quis gritar quando o viu fazendo tal ato, e agarrou-o outra vez pelos cabelos forçando Yoongi a fechar os olhos com a dor e o tesão que estava sentindo por ter os cabelos agarrados por ela.
Ela encostou os lábios na pele branca dele, mas não o beijou. Só passeou os lábios por lá, vagarosamente e Suga apertou o próprio membro sobre a calça jeans que usava.
-Você está vestido demais! Tira! - ela passeou o olhar pelo corpo dele.
Em segundos, ele já estava vestido apenas com a roupa íntima. passou os olhos por todo o corpo dele outra vez, e então levou as mãos até os ombros dele, passeando as mesmas por lá, depois desceu para o tórax e peito começando a ficar definidos, sentiu a intimidade voltar a pulsar.
Desceu as mãos pela barriga dele, passou as unhas por lá. Os olhos dela vidrados no corpo dele, e os de Suga vidrados nela.
Quando a mão dela lhe alcançou o membro duro, ainda sobre a cueca, a respiração dele ficou ofegante.
- Aquele dia, que eu fui embora… o último dia, em que busquei minhas últimas coisas na sua casa… - os dois se olhavam nos olhos agora - Eu vi você! No chuveiro… quase me juntei a você!
Suga apertou a mão dela sobre seu membro enquanto sentia cada veia de lá pular com as palavras dela. Então ela havia visto ele se masturbando? Aquilo ficou na cabeça dele por dias…
- Eu estava pensando em você! Fiz aquilo muitas vezes, pensando em você, em nós! Eu acho que você nunca percebeu o quanto eu desejava você! O quanto eu queria transar com você de novo, sóbrio. Sem nenhuma gota de álcool no meu corpo…
engoliu seco com a força das palavras dele, o corpo arrepiou ao se lembrar da cena que vira aquela dia no chuveiro.
- Agora você pode! Eu sou sua, Yoongi! - ele voltou a beijar os lábios dela.
As mãos de repousaram sobre o elástico da cueca que ele vestia enquanto as línguas brigavam por controle. Vagarosamente ela começou a descer o único tecido que separava a pele dos dois.
Com a cabeça já deitada sobre o travesseiro e os olhos nos olhos, os dois encostaram as testas enquanto Yoongi encaixava o membro já vestido com o preservativo na entrada de . Ele ansiou tanto por aquele momento que chegou a duvidar que não estava sonhando.
Os olhos dele se fecharam enquanto ele forçava para conseguir entrar dentro de , que sentiu o dedo dele circundando seu clítoris. Ele pediu que ela relaxasse, e enquanto os músculos de sua intimidade começavam a recebê-lo, soltou um gemido de prazer.
- Eu amo você, ! - ela deslizou as unhas pelo peitoral desenhado dele.
- Eu também amo você, Yoongi!
Quando ele começou a movimentar o quadril e sentiu o membro inteiro de Suga dentro de si, ela fechou os olhos com força sentindo o estômago contrair de prazer. Era como se os dois tivessem sido feitos um para outro, tão bem os dois se encaixavam, tão precisos eram os movimentos do quadril dele. Era como se Yoongi soubesse exatamente como se movimentar, qual o ritmo perfeito para fazê-la gritar de prazer. E quando a pele dos dois friccionava com força uma na outra, ela parecia flutuar.
- Tão gostoso, Yoongi! - ela sussurrou contra o ouvido dele.
- Eu quero fazer isso pelo resto da minha vida, !
Ofegante ele encaixou o rosto na curva do pescoço dela. Agora Suga se movimentava lentamente dentro dela enquanto gemia e beijava o pescoço suado de !
Os olhos dela rolaram quando ele deu uma investida mais intensa, voltando a se movimentar rapidamente e sentia ele atingir todo o seu corpo. Não demorou muito e os dois chegaram basicamente juntos ao clímax, e achou que desmaiaria tão intenso o orgasmo que ele havia lhe provocado.
Os dois se abraçaram, enquanto tentavam acalmar a respiração e então Suga se jogou ao lado dela na cama, enquanto cobria o corpo dos dois. manteve os olhos fechados enquanto Suga a encarava, com o maior sorriso do mundo.
- Eu te esperei a vida inteira, entende? Quando eu te escondia o jogo, quando eu te tratava mal… era tudo medo, era tudo medo do amor. Mas agora eu não tenho mais medo, !
- Quando o silencio incomodar, me toca! - os dois deram as mãos.

Jin parou em frente à porta fechada do quarto de e então cerrou o punho, pronto para bater na porta dela. Umedeceu os lábios, estava nervoso. Achou melhor ir embora, talvez ela já estivesse dormindo. Nem o barulho da chuva foi capaz de abafar o estrondo que veio de dentro do quarto dela, Jin abriu a porta rapidamente dando de cara com sentada no chão. Os dois se olharam e Jin, assustado, correu em direção a ela, lhe ajudando a se levantar e a colocando sentada na cama.
- O que diabos aconteceu aqui, ? - ele passou a mão pela testa.
- Eu queria pegar aquele edredom que está lá em cima! - ela apontou para o grande guarda-roupa - E não queria incomodar ninguém, achei que fosse conseguir!
Ela levou uma das mãos até o próprio pé e fez uma careta.
- Vou lá chamar a para dar uma olhada no seu pé!
- Não! - ela segurou a mão dele, o impedindo - Não precisa! Está tudo bem! Não vai incomodar a por nada! Ela deve estar dormindo!
- Tá certo! Mas você vai me prometer que quando precisar fazer alguma coisa, vai me chamar!
- Prometo! - ela soltou a mão dele.
Jin retirou o edredom do guarda-roupa e então o colocou sobre a cama.
- Vou ajeitar você na cama! Vem!
se deitou da forma que podia e então sentiu as mãos de Seokjin lhe subirem o corpo na cama, para mais para cima e então fechou os olhos sentindo o toque gostoso dele em sua cintura. Quando ela já estava ajeitada sobre a cama, os dois se olharam.
- Vou ficar com você até você pegar no sono, pode ser? - assentiu que sim para ele;
O coração dela se aqueceu com o cuidado e preocupação que ele estava demonstrando. Quando ele se deitou ao seu lado, com as luzes já apagadas, encarou o rosto bonito dele e então se atreveu a depositar a mão sobre a bochecha dele.
- Você chegou tão rápido… Onde estava? - umedeceu os lábios e Jin acompanhou a língua dela com os olhos.
- Eu estava na porta, pensando se batia ou não!
- Por quê? - acariciou a bochecha dele com o polegar.
A mão dele pousou na curva da cintura dela e então ele aproximou o corpo dos dois, puxando para mais perto.
- Porque queria terminar o que quase começamos mais cedo. Não consigo parar de pensar nisso…
sentiu os lábios dele engolirem os seus e então os dois se beijaram. A língua dele pediu passagem delicadamente e se entregou. Não tinha por que resistir aquele beijo, ela queria tanto quanto ele. A mão dela que antes estava no rosto de Seokjin caminhou até alcançar os cabelos dele e então os acariciou sentindo a mão grande de Jin lhe apertar a cintura com força. A língua dela se misturou com a dele e o beijo ganhou intensidade. A intensidade de quem sentia falta um do outro.
Quando o beijo foi acabando, a mão de desceu para o peito de Jin, que colocou uma mão sobre a dela. Os dois de olhos fechados, sincronizaram as respirações. Ele ajeitou sobre seu peito de uma forma que ela ficasse confortável.
As mãos de Jin deixavam alguns carinhos delicados sobre a pele de exposta pela camisola de alcinha que ela usava e acariciava o braço dele, que a envolvia como se tivesse medo, que ela pudesse sumir do nada outra vez. tinha tantas coisas para falar! A cabeça dela fervia em pensamentos. Até que os carinhos de Seokjin na pele dela cessaram.
- Você dormiu? - ela perguntou, fechando os olhos.
Seokjin estava mais acordado que nunca, mas queria que ela dormisse, então achou melhor fingir que estava dormindo para que ela pudesse se acalmar e dormir também. Deu certo até certo ponto, ela acreditou que ele estivesse dormindo.
- Eu finalmente criei coragem de te falar tudo o que eu queria dizer se você me desse a oportunidade! - respirou fundo - E eu vou fazer isso com você dormindo mesmo!
Seokjin permaneceu imóvel, mesmo querendo apertar o corpo dela no seu.
- Eu nunca acreditei naquele papo de conhecer a pessoa certa no momento errado, sabe? Sempre achei que era desculpa de gente sem responsabilidade afetiva etc, mas depois do que aconteceu com a gente eu passei a acreditar um pouco nisso. Eu conheci você no pior momento da minha vida, Jin! Onde eu não estava nem um pouco preparada para conhecer alguém, para me envolver com alguém, para me apaixonar por alguém... No dia que nós nos conhecemos fazia exatamente uma semana que o Mário tinha falecido e eu não conseguia ficar perto dos meus pais, não conseguia ficar perto das minhas amigas, eu simplesmente fugi, Jin! Fugi dos meus sentimentos, das pessoas que se importavam comigo... Como eu sempre faço. Não foi a primeira vez e acredito que não foi a última também.
pausou para dar uma respirada, e reparou que a respiração de Jin continuava calma. Provavelmente ele dormia pesadamente, mas mal sabia ela que os olhos dele estavam abertos e cheios de água.
- A história que te contei da Olívia, não foi pensada e inventada exclusivamente para você, eu montei toda aquela história na minha cabeça dentro do avião porque sabia que eu não estava no momento de conhecer ninguém, de criar laços com ninguém. Então nunca foi pessoal, não era você o problema, era eu! Clichê, eu sei, mas era a realidade. Eu nunca tinha lidado com a dor da morte de alguém querido, e jamais imaginei perder meu irmão tão cedo assim! Foi um misto de sentimentos assustadores... Tive raiva de Deus, questionei minha fé, não entendi por que aquilo tinha que acontecer com ele. Ele era tão boa pessoa, por que com ele, Jin? E por que todo esse sofrimento para minha família? O que a gente fez de tão errado para merecer isso?
Agora a voz dela estava embargada e Jin sabia que ela choraria a qualquer momento. Ele sentiu a dor de em cada palavra de desabafo, então se permitiu chorar baixinho com a dor dela.
- Eram as coisas que rondavam a minha mente vinte e quatro horas por dia, Jin! Eu sentia tanta dor e amargura no meu coração que era impossível deixar alguém novo entrar, e quando a gente se envolveu, eu senti medo, e se acontece com você o mesmo que aconteceu com o Mario? Eu seria capaz de suportar perder mais alguém assim? Então eu fiz de novo, Jin, eu fugi dos meus sentimentos por medo, nunca com a intenção de te magoar. Eu já sofri por relacionamentos amorosos e sei que sou um fracasso nessa área da minha vida... mas com você foi diferente, foi tão fácil, tão leve, tão certo! Parece exagero, mas é que você, poxa vida, só você conseguiu pular o muro de dificuldades que eu levantei em volta de mim quando as palavras dor, saudade, ausência, falta e despedida fizeram de mim uma menina de lata. O medo da possibilidade de te perder foi tão grande que eu fugi, e eu sinto muito por isso, Jin! E me arrependo todos os dias. Espero que algum dia você tenha noção do tamanho e da intensidade dos meus sentimentos por você, que por mais que você não acredite hoje e eu não saiba como demonstrar, me consomem por dentro dia e noite!
Ele sentiu a camiseta do pijama umedecer com as lágrimas que desciam da bochecha de . “Eu amo você!” foi a única coisa que ele conseguiu pensar naquele momento.



Octogésimo Oitavo Capítulo - Gonna be okay

Taehyung se sentou no colchão, na sala, já que eles haviam dormido dentro da casa por causa da chuva e procurou por Seokjin e não encontrou o amigo lá. Ele se perguntou se o amigo e haviam passado a noite juntos… Sorriu sapeca antes de se levantar do colchão. Beijou a cabeça da irmã e observou os amigos.
Ao sair de lá, ele se encontrou com Jimin que caminhava na direção dele com as mãos nos bolsos da bermuda preta. Os dois se cumprimentaram com um aperto de mãos e então seguiram juntos para a cozinha de baixo. O olhar de V cruzou-se com o de quando eles chegaram à cozinha e ela estava com os cabelos presos num coque alto e com o pescoço à mostra. O rosto estava limpo, sem nenhum resquício de maquiagem e ele conseguiu achá-la ainda mais bonita naquele momento.
sorriu para Jimin, sem mostrar os dentes e ele retribuiu. Estava morrendo de saudades dela, do beijo, do toque dela…
A mesa começava a ser posta por Hoseok, Jungkook, e até que e Suga apareceram por lá de mãos dadas e então Suga sorriu para Hoseok, que bateu palmas de alegria ao constatar que os dois pareciam ter se acertado.
- Espera! É o que eu estou pensando mesmo? Vocês finalmente estão juntos? - se levantou, indo em direção à amiga.
sentiu as bochechas enrubescer e então ela olhou para Suga, que ainda sorria.
- Sim! Nós estamos oficialmente juntos!
abriu um pouco os lábios, ficando surpresa com a declaração de Suga, na frente de todos. Então os dois estavam juntos? Os amigos começaram a comemorar enquanto abraçavam Suga e as amigas soltavam gritinhos enquanto balançavam . e ela se abraçaram e só conseguia rir, enquanto os olhos marejavam.
- Que bom, hyung! Fico muito feliz por vocês dois! - Hoseok balançou Suga exageradamente pelo ombro enquanto gargalhava.
Os dois voltaram a se abraçar e depois Jimin abraçou Suga também, seguido de V, que também parecia um tanto quanto emocionado por ver os amigos se acertando.
- Sempre acreditei em vocês dois, e no amor que sentiam um pelo outro, hyung…
- Obrigado, V!
Os dois sorriram um para o outro e estava radiante pela amiga.
Discretamente V procurou por Seokjin no banheiro da casa e não o encontrou, resolveu então ir até o quarto de para ver se ela sabia onde o amigo poderia estar.
Abriu a porta bem devagar e sorriu abertamente - com o sorriso quadrado de sempre - ao ver deitada confortavelmente no peito de Seokjin. Os dois amigos tinham os semblantes tranquilos, respiravam devagar, sem parecer se dar conta que já havia amanhecido. Parece que não era só Suga e que haviam feito as pazes e se acertado. Deixando a porta aberta, ele caminhou de volta para a cozinha de baixo chamando e , que não entenderam muito bem o que ele havia dito por causa do barulho das conversas dos amigos.
- Vocês têm que ver com seus próprios olhos! - Ele parou em frente ao quarto de , dando espaço para as duas garotas entrarem. As amigas tiveram a mesma reação de V, sorriram, satisfeitas ao ver os dois amigos naquele clima, nem parecia que algo de tão ruim havia acontecido entre aquele dois.
- Eu preciso registrar esse momento para nenhum dos dois dizer que é mentira depois!
retirou o celular do bolso do short jeans e gargalhou, V imitou a mais baixa e juntos eles começaram a gravar e tirar fotos do momento. Jin, ainda sonolento, começou a abrir os olhos, incomodado pela claridade. Ouvia as risadas preenchendo o quarto.
- Vocês poderiam nos dar licença? Que algazarra é essa aqui?
Ele parecia falar sério, então os três se recomporam, V pediu desculpas ao amigo. Assim que saíram do quarto, os três ainda comemoravam enquanto olhavam os registros e voltavam para a cozinha de baixo.
Jin não voltou a dormir, mas não se atreveu a se mexer ou levantar para não acordar . Agora certamente os amigos achariam que os dois haviam se resolvido em definitivo… Ele fez algumas carícias nos cabelos negros dela enquanto voltava a fechar os olhos. A respiração dele estava pesada e ele queria e precisava se acalmar para não acordá-la.
Alguns minutos se passaram e acordou, se remexendo na cama e então se sentando, escorou as costas na cabeceira da mesma e Jin fez o mesmo que ela. Quando Jin se levantou, ele encarou os olhos de , que pareciam estar ansiosos.
- , e V estiveram aqui! Fizeram uma algazarra por terem nos visto juntos.
deu de ombros e depois se espreguiçou.
- Por mim não tem problema nenhum eles terem nos visto! Nós só estávamos dormindo!
Seokjin balançou a cabeça para ela, concordando. Não queria brigar com ela mais!
Jin ajudou a se locomover, e ela teve a ajuda da bengala do pai de também. Assim que puseram os pés na cozinha, os amigos começaram a bater palmas e dizer palavras de encorajamento, como se quisessem parabenizar os dois por algo. sorriu sem mostrar os dentes enquanto sentia o rosto esquentar. Seokjin preferiu se manter calado, mas permitiu soltar um sorriso na direção de Namjoon quando avisou que já voltava.
conversava com Jimin e Jungkook, distraída e Namjoon percebeu que era a hora de ele e Hoseok começarem a preparar as coisas para a celebração de aniversário dela.
- Escuta, pequena, eu e o Hoseok vamos sair pra resolver as coisas do aniversário da , agora pela manhã! A gente vai encomendar uma torta e um jantar, para ninguém precisar preparar o jantar e se cansar com isso! E eu acho que sair, não é uma boa ideia porque ela veio comemorar aqui por causa da memória dos pais!
sorriu para ele, achando a coisa mais bonitinha do mundo o amigo apaixonado. Pena que ele ainda não havia se dado conta…
- Ela queria muito comemorar o aniversário num karaokê, eu e a até tínhamos olhado no bar que fomos ontem, e eles alugam! Acho uma boa!
Namjoon assentiu para ela e para .
- Então é isso! Vocês duas não precisam se preocupar com nada, eu e o Hobi vamos organizar tudo! Comuniquem o pessoal por nós!
Ele encostou uma das mãos nos ombros de Hoseok que terminava de lavar as louças junto a . Hoseok se assustou levemente e Namjoon sorriu, achando-o gracioso. Ele se assustava fácil…
- Vamos?
Hoseok franziu a testa, confuso.
- Aonde?
riu da confusão nas feições de Hoseok.
- Eu estou ocupado aqui! - ele se virou de frente a pia outra vez e Namjoon bufou.
- Vai com ele! Já está acabando aqui, J-Hope, eu termino!
- Nós temos que resolver as coisas do aniversário da !
- Ah! É verdade! - ele ajeitou a touca verde musgo sobre os grandes cabelos negros.
Namjoon observou. Ele enxugou as mãos no pano de prato e os dois se despediram de . Já dentro do carro de Namjoon ele contou sobre o karaokê. Hoseok adorou a ideia e pareceu ter ficado até mais empolgado que .
- Você não tem carro?
Hoseok balançou a cabeça em negativa para ele.
- Moto!
- Mas sabe dirigir carro?
- Sei! Tenho a carta e tudo, estou economizando para comprar um carro…
- Você pilota há muito tempo?
- Desde os dezoito! Tem dez anos já!
- E gosta?
- Uhum! Me sinto livre! - Hoseok sorriu.
Namjoon achou o sorriso dele bonito… balançou a cabeça para afastar o pensamento.
- Também sei pilotar, mas faz anos que não subo numa moto… Qualquer dia desses a gente podia trocar!
Os dois se olharam e Namjoon riu, sendo seguido por Hoseok. Ele odiava se divertir com Namjoon…
Os dois terminaram de chegar na cidade em silêncio e ambos pensativos. Namjoon estacionou o carro e Hoseok saiu logo em seguida.
Os dois começaram a caminhar lado a lado, observando os restaurantes e lojas da cidadezinha.
- Será que vamos achar tudo o que precisamos?
- Claro que vamos, homem! - Hoseok riu.
Namjoon começou a reparar em como ele quase sempre levava as mãos a boca quando ria, em como as mãos dele eram delicadas, os trejeitos dele também…
- O que a gosta de comer? Já que você sabe tudo sobre ela…
- E você não sabe por que não quer! - Hoseok deu de ombros - Não vamos discutir, Namjoon! Hum? Temos que trabalhar em equipe para que tudo funcione bem hoje! Não vamos estragar o aniversário dela!
- Você está certo! Me desculpe! Foi mais forte que eu!
- É porque você é advogado, né? Está enraizado em você, eu entendo.
Deu de ombros enquanto ajeitava a pochete no corpo.
- Infelizmente! - os dois se olharam - Bom, o que vai ser o jantar?
- Acho que podia ser alguma coisa mais leve, o pessoal gosta de beber, não é? Então o ideal seria algo mais leve!
- Verdade! - os dois pararam de andar - Que tal se fosse uma salada, dessas mais sofisticadas, arroz e uma carne ao molho madeira?
- Pode ser! É um ótimo cardápio, acho que vai agradar todo mundo!
Os dois resolveram fechar no terceiro restaurante que visitaram, dividiram a despesa do jantar entre os dois e então seguiram para uma lojinha onde compraram alguns artefatos de aniversário para decorar a cozinha e também alguns chapéus de aniversário e línguas de sogra. Depois eles seguiram para uma padaria onde almoçaram, e conversaram sobre os trabalhos. Namjoon confidenciou a Hoseok que estava se preparando para tentar virar promotor, e arregalou os olhos ao fazê-lo, pois ele era o primeiro para quem Namjoon contava aquilo. Por que se sentiu tão à vontade com Hoseok para revelar um plano tão íntimo?
- E você está confiante? - Hoseok levou a última garfada de sua sobremesa a boca.
- Não! Nem um pouco!
- Como não? Você é um poço de confiança, é a pessoa mais confiante que eu já conheci!
- Você me acha arrogante, não acha?
- Também!
Namjoon gargalhou alto, fazendo Hoseok o acompanhar e algumas pessoas olharam para eles.
- Eu confesso que sou, às vezes! Mas não me orgulho, só no tribunal!
Hoseok imaginou como seria interessante observar Namjoon discursar num tribunal… mas se livrou dos pensamentos e olhou para baixo, para o prato vazio.
- Você já teve alguma fase de rebeldia na vida? Onde você viveu muito intensamente?
Hoseok levantou as sobrancelhas, não havia entendido muito bem a pergunta…
Namjoon fazia questionamentos confusos.
- Eu não entendi, Namjoon!
- Eu tive uma fase de rebeldia na faculdade, por alguns problemas pessoais que vivi na época, e aí acabei cometendo um monte de loucuras! Foi uma época em que eu vivi sem medir as consequências, sabe? Se me dava vontade, eu fazia! Meio porra louca, já teve isso? Você é tão contido…
Namjoon se questionou se, assim como ele, Hoseok em algum momento já duvidou da própria sexualidade e se questionou se de fato, o rapaz era hétero… se ele já havia tido essa dúvida em algum momento e aí experimentou e confirmou que sim, gostava apenas de garotas, ou se ele nunca havia tido essa dúvida, ou se ainda tinha… ele já havia experimentado beijar outros homens? Assim como Namjoon na época da faculdade? Ele sorriu discretamente ao se lembrar do período: ele se lembrava de ter beijado muitos rapazes nas festas universitárias… E havia gostado inclusive.
- Não! Nunca tive! Na faculdade eu só estudava mesmo!
Deu de ombros. Namjoon sorriu de canto enquanto ajeitava os cabelos.
- Ah! Você não ia nas festas e beijava todo mundo? Hoseok…
Os dois se olharam e Hoseok pareceu começar a entender um pouco onde Namjoon queria chegar… ele quis responder que não, não ia às festas da faculdade ou aos roles universitários porque estava ocupado demais com sua insegurança e com muitas dúvidas sobre sua própria sexualidade na cabeça, então acabou se fechando ainda mais. Mas Namjoon não precisava saber daquilo, seria mais um ponto fraco para ele bater.
- Não! Eu nunca gostei de festas universitárias!
Hoseok se remexeu na cadeira um pouco inquieto por ter liberado aquelas memórias adormecidas há um bom tempo. Ele se lembrou de como foi sufocante todo aquele período da faculdade, aquela incerteza dentro do peito, as noites mal dormidas de ansiedade sentindo todas aquelas dúvidas lhe massacrarem a cabeça e o peito, e como ele fugiu de tudo aquilo quando finalmente se formou.
Namjoon ainda não estava completamente convencido, assentiu para ele, decidido a não mais investigar aquele assunto, pelo menos por hora.
Os dois homens encomendaram a torta e ficaram de buscá-la por volta das dezenove horas, Hoseok havia decidido os sabores, e Namjoon percebeu mais uma vez que ele parecia conhecer como a palma da mão. Na volta eles passaram pelo bar do karaokê que havia comentado e então alugaram o aparelho e os microfones. A volta para a casa foi bem mais silenciosa que a ida para a cidade, os dois borbulhavam de pensamentos internamente.
Quando eles chegaram na casa de campo, os encarava com as mãos na cintura e um semblante sério.
- Onde vocês dois se meteram? Eu estava preocupada, ninguém sabia me falar onde vocês estavam! Eu me preocupei, especialmente depois de tudo que rolou, não é?
Ela direcionou o olhar para Namjoon, que abaixou a cabeça sentindo o ataque. Hoseok travou, não soube o que inventar na hora, era péssimo para mentir ou improvisar. Namjoon, advogado nato e bom que só:
- Nós dois fomos dar uma volta para conversar e nos acertamos. Para melhorar o clima um pouco, não é, Hoseok?
- Isso! Isso! - ele relaxou um pouco e agradeceu mentalmente por Namjoon ser tão bom de lábia.
- E deu certo isso? - ela levantou uma das sobrancelhas. desconfiada - O Namjoon foi legal com você, Hobi? Porque se ele não tiver sido…
Hoseok a interrompeu, rindo. Puxou a mais baixa pela cintura e depositou um beijo na testa dela. Namjoon travou levemente o maxilar, de ciúmes, e por ainda estar tão na defensiva com ele.
-Está tudo bem! Estamos bem! Relaxa, pimentinha.
Namjoon quase revirou os olhos, mas se conteve.
- Eu não sou um monstro, !
- Eu sei que não! Não foi isso que eu quis dizer, exagerado!
revirou os olhos enquanto saia dos braços de Hoseok, que achou melhor deixar os dois sozinhos. Ele sabia que Namjoon gostava de , e dele, então independente da “rivalidade” que tinham, e ele também eram amigos e ele os deixou a sós para que pudessem tentar se entender.
- Você ainda está brava comigo? O que eu faço para você me perdoar também?
Ele segurou a cintura dela, mas manteve uma distância segura entre o corpo dos dois.
- Estou um pouco menos irada! Você me decepcionou!
- Eu sei! Me desculpa! Eu não queria te decepcionar! Não quero perder você…
Ele respirou fundo e acompanhou o movimento do tórax dele. Ela sabia quando ele era sincero, e ele estava sendo.
- Então não pise mais na bola!
Deixou um beijo estalado na bochecha dele e saiu.

Os amigos se divertiam do lado de fora, mesmo o tempo mais fechado e frio, alguns estavam na piscina, outros só na borda, alguns jogavam e riam.
observava a dinâmica do grupo enquanto pensava nos pais e no próprio aniversário. É claro que ela gostaria que os pais estivessem ali, e que tudo fosse diferente, mas apenas com relação aos pais. Ela não mudaria mais nada naquele aniversário, estava gostando daquelas pessoas, estava criando laços com eles e só ela sabia de todo progresso que aquilo significava internamente, bom, ela e os pais, onde quer que eles estivessem. Sentiu mãos lhe alertarem os ombros, numa espécie de massagem, e mesmo sem saber se de fato era Hoseok, ela relaxou os músculos do corpo.
- Vem abrir seu presente! - ele sussurrou no ouvido dela, que sorriu.
- Já? - virou-se frente a ele.
Ele se abaixou o suficiente para pegar a caixinha que estava sobre a cadeira de praia que havia na área da piscina e então a entregou para , que ainda sorria. Sentiu os olhos marejarem com a atitude, e logo ela viu os amigos se reunindo por lá, pedindo que ela abrisse o presente. Ela reparou que todos já estavam com seus embrulhos em mãos. Fechou os olhos e deixou que duas lágrimas quentes escapassem.
Abriu a caixinha preta que Hoseok havia lhe entregado e encontrou um saquinho dentro dela, abriu-o também e encontrou uma pulseira lá dentro. Ela era prata e bem fininha, uma espécie de bracelete, do mesmo estilo que costumava usar para sair à noite, o que demonstrou que Hoseok reparava bem nos acessórios da garota. Namjoon levou a língua até a bochecha, aquilo era jogo sujo, por que ele tinha que conhecê-la tão bem?
experimentou o bracelete que caiu como uma luva e logo em seguida ela pegou a polaroid que havia também dentro da caixa, junto com a pulseira. Era uma foto dos dois no arpoador, ela quis chorar com ainda mais força e então levou a foto ao peito, encarando Hoseok com os olhos ainda mais marejados. Namjoon abaixou a cabeça, balançando-a. Hoseok era bom…
Os dois se abraçaram com força e Hoseok fechou os olhos com o quente do corpo dela exposto por causa do biquíni, mesmo estando frio.
- Ele escreveu um bilhete para você também, ! Eu estava com ele no dia que compramos e o vi escrevendo!
Jimin complementou.
- Ah, agora eu fiquei curioso! - Suga riu - Lê aí o bilhete!
Os amigos incentivaram, menos Namjoon, claro. Inclusive ele e Hoseok trocaram um rápido olhar. O peito de Hoseok inflou por três segundos quando encarou Namjoon e ele soube que pelo menos naquele momento, estava em vantagem. Namjoon não parecia ser um homem romântico, que observava detalhes, que pensava nessas coisas quando se tratava de um romance. Na cabeça de Hoseok ele só parecia ser esnobe o suficiente para comprar uma joia caríssima e apenas, ou então, uma lingerie sensual já que ele parecia pensar muito com a cabeça de baixo, um presente para a mulher usar com ele, e não um presente para ela mesma.
pegou o bilhetinho em mãos e então depois de enxugar as lágrimas ela começou:

, hoje é o dia mais especial do ano! E tudo porque é o dia em que celebramos a sua vida. Hoje a sua vida é muito importante para a minha vida, então eu peço que você se cuide e se ame, porque eu preciso da sua vida na minha vida. Então eu só poderia lhe desejar coisas boas e claro: muita vida! Tenho aprendido coisas com você. Nada muito sensacional, coisas simples, pequenas alegrias. Podia falar de quando te vi pela primeira vez, sem jeito, de repente te vi assim como se não fosse ver nunca mais, e seria bom que eu não tivesse visto nunca mais, porque de repente vi outra vez, e outra e outra, e enquanto eu te via, nascia um jardim de flores na minha face, e você continuava brotando em mim, … enfim feliz aniversário e feliz vida!”


fechou os olhos com uma inundação de sentimentos dentro dela e então voltou a abraçar Hoseok, se jogando em cima do homem praticamente. Ele a segurou com firmeza enquanto lhe acariciava os cabelos. Os amigos - alguns emocionados também - aplaudiram o momento, menos Namjoon, é claro. Ele sabia que aquela batalha ele havia perdido. Assim que ela se recompôs ele foi a segunda pessoa a lhe entregar o presente, que por uma ironia do destino, combinava muito com o presente que Hoseok havia dado a ela. Namjoon, meio sem jeito com o olhar do grupo sobre os dois, entregou a caixinha contendo seu presente para , que sentiu que a caixinha era um pouco pesada.
- Aí, Joonie, o que tem aqui? Posso abrir na frente do pessoal?
Os amigos e até Namjoon riram.
- Eu acho que você vai gostar! - ele balançou a cabeça, já sem confiança.
abriu a caixa e encontrou um conjunto com um colar estilo pinça de lagosta e um par de brincos do mesmo estilo, eles certamente eram joias e abriu um pouco a boca, surpresa com o brilho que emanava de dentro da caixa. Era uma das joias mais bonitas que ela havia visto na vida.
“Tipico”, pensou Hoseok enquanto revirava discretamente os olhos.
fechou a caixinha, encantada o suficiente com a beleza da joia e se jogou nos braços do maior também. Que lhe apertou o corpo com força e inalou o cheiro bom do pescoço dela enquanto os amigos batiam mais palmas.
- Feliz ciclo novo, ! Obrigado por me deixar comemorar com você!
Ela piscou para ele enquanto lhe acariciava a bochecha com carinho. Gostava demais dele…
Logo em seguida vieram as amigas que haviam comprado um presente em conjunto para e aí os outros vieram um por vez. Ela ganhou de tudo um pouco, joias, roupas, maquiagens, chocolates… sentiu o coração ficar preenchido como nunca antes.

Os amigos começaram a se arrumar para o jantar de aniversário de , Namjoon e Hoseok já haviam inclusive saído para buscar a comida junto a Taehyung e Jin.
observava Jungkook com o telefone no ouvido andando de um lado para o outro, mexendo nos cabelos pretos, bagunçando-os. Parecia inquieto. Num instinto, ela se levantou e cegamente caminhou na direção dele, que pareceu ter se acalmado um pouco quando a viu.
- O que foi, JK? - ela sussurrou enquanto ficava na ponta dos pés.
- Minha mãe! Resolveu lembrar que eu existo e me ligou! - ele sussurrou de volta - Mas ela não me deixa falar!
Ele tapou o telefone com uma das mãos.
- Ela está sem acreditar até agora que de fato o meu pai pediu o divórcio! O papel chegou até o advogado dela, e ela jura que meu pai já está com outra! Uma novinha, segundo ela! E ela quer que eu faça alguma coisa!
Ele riu, nervoso e voltou a bagunçar os cabelos. sorriu para ele e então lhe segurou uma das mãos, a que estava livre agora.
- Calma! Ouve a sua mãe! Já vai ajudar muito! - ela piscou para ele.
Se sentiu culpada de estar lá acariciando a mão dele, mas não teria coragem de deixá-lo sozinho. Ele já havia feito tanto por ela!
Quando a mãe finalmente ficou em silêncio ele suspirou, apertando a mão de .
- Entendi! Olha, mãe, eu estou fora da cidade como eu te disse! - ele umedeceu os lábios - Não consigo fazer nada a respeito disso enquanto eu estiver aqui! Amanhã eu já volto para casa, a gente se encontra para me explicar melhor! Pode ser? Agora eu vou desligar, porque quero aproveitar o meu último dia aqui com os meus amigos e com a menina que eu gosto!
Ele direcionou o olhar para dentro dos olhos de e apertou um pouco mais a mão dela na sua. A garota sentiu as bochechas esquentarem com força e sabia que estava vermelha. Abaixou a cabeça, mas não soltou a mão dele, ainda não conseguia.
Quando ele guardou o telefone no bolso do short, soltou a mão dele e engoliu seco.
- Vai ficar tudo bem! - foi o que ela conseguiu dizer.
- Será? - ele encostou o corpo no dela.
- Jungkook! - ela tentou o afastar com as duas mãos, mas ele era infinitamente mais forte.
- O quê? Por quanto tempo mais você vai fugir de mim?
- Eu não estou fugindo de você! Eu estou aqui, não estou? Somos amigos!
- Então somos amigos? - ele franziu a testa. - Podemos ser amigos?
analisou o semblante dele, se lembrou do stalker e do risco que ele corria… mas não diria que não. Queria estar perto dele, tanto quanto ele queria estar perto dela.
- Droga, Jungkook! - ela segurou a camiseta larga dele com força - Sim! Só não confunda as coisas!
Ele balançou a cabeça para ela, parecendo mais aliviado.
- Prometo! E você? Promete não confundir as coisas?
assentiu para ele com força, enquanto sentia as mãos grandes dele lhe apertarem a cintura.
- Tem certeza? - colou a testa na dela, que fechou os olhos.
- Tenho! - sussurrou, já completamente entregue a ele.
apareceu, chamando por ela e se arrependeu logo em seguida por ter estragado o clima entre os dois.
- Me desculpem! É que você tinha pedido para te avisar quando o banheiro estivesse livre, amiga! E aí eu vim! Não sabia que estavam conversando!
Jungkook sorriu para ao perceber a cara de desgosto consigo mesma que ela carregava.
- Relaxa, ! Hoje é seu aniversário, você pode tudo!
coçou a nuca enquanto os três riam, mas ela realmente havia ficado chateada por ter atrapalhado os dois.
Jungkook depositou um beijo na testa de e depois deixou um beijo no topo da cabeça de , caminhou em direção à própria barraca.
- Perdão, !
- Para com isso! Você não atrapalhou, nem interrompeu nada! Na verdade, me salvou!
- Como assim?
pareceu confusa e então saiu a puxando pela mão enquanto explicava para ela sobre não poder cair em tentação com Jungkook porque agora eles eram só amigos.

, com ajuda da bengala, encontrou quem ela tanto procurava: Jimin. O chamou com o dedo e ele prontamente foi de encontro a ela.
- Precisa de ajuda? - ela o achou a coisa mais fofa do mundo por causa do biquinho que ele fazia todas as vezes que ficava preocupado.
Não entendia por que a amiga não queria assumi-lo…
- Não! Na verdade, eu que vou ajudar você!
Ele pareceu confuso e gargalhou.
- está se arrumando sozinha no meu quarto! Por que não vai lá? Só tem a tomando banho e ela certamente vai se arrumar no quarto do Hoseok, porque as roupas dela estão lá! Vocês não correm perigo! - ela piscou.
Jimin abriu o sorriso mais brilhante que ela já havia o visto dar, e o coração dela ficou quentinho por ajudar os dois. Jimin assentiu para ela enquanto caminhava para dentro da casa. Olhou ao redor para se certificar que ninguém estava realmente por lá, quando entrou no corredor ele ouviu o barulho do chuveiro, no quarto de Hoseok não havia ninguém. Ele abriu devagar a porta do quarto de , que estava apenas escorada e então a fechou atrás de si, fazendo se assustar e olhar para trás.
- O que você está fazendo aqui?
Ele se aproximou dela, com o sorriso sacana que ela já conhecia e então colou os lábios nos dela.
- Jimin, alguém pode entrar!
- Não tem ninguém aqui! Eu me certifiquei, não sou maluco! Baixe essa guarda! Eu preciso beijar você!
fechou os olhos e deixou que ele a beijasse. Uma das mãos dele trouxe o corpo pequeno e delicado dela para perto e a outra ele depositou na nuca dela. Ele quase gemeu de satisfação por ter finalmente o corpo dela colado ao seu. As mãos de se embrenharam nos cabelos dele, e ela os puxou com força. Jamais admitiria - nem para si mesma - a saudade que também havia sentido dos toques dele. Jimin intensificou o beijo, pedindo passagem com a língua que logo se encontrou com a dela, arfou discretamente enquanto descia as mãos pelas costas de Jimin, que se permitiu levar uma das mãos até o bumbum marcado dentro do vestido preto. Ele adorava quando ela usava aqueles vestidos…
mordeu o lábio inferior dele com força enquanto ele apertava o local, fazendo a pelve dos dois se chocarem. As bocas voltaram a se juntar e se atreveu a colocar uma das mãos embaixo da camisa social larga que ele usava, deixou seus arranhões por toda a extensão das costas de Jimin, ela sabia que ele gostava.
Ele sorriu entre o beijo e então separou as bocas enquanto ela terminava de arranhá-lo. sorriu de volta para ele. Os dois se soltaram e ela voltou a alisar o cabelo.
- Você não precisa disso! Seu cabelo é lindo! Você é linda, ! Linda!
Ela olhou para ele pelo reflexo do espelho enquanto ruborizava, o sorriso dele alargou nos lábios. Jimin amava quando conseguia derrubar todas as paredes dela, e odiava quando ele conseguia.
- Você já está pronto, não é? - ele assentiu para ela, ainda sorrindo - Pode ir então! A já saiu do banho e ninguém pode te ver aqui!
Jimin engoliu seco, e o sorriso dele se desfez aos poucos. Ele já deveria ter se acostumado. Quando ele conseguia derreter o coração de gelo dela, o cortava, o empurrava para longe, para depois puxá-lo de volta.
- Tá bom! Estou indo! Eu só queria que você soubesse que - ele se afastou, indo de encontro a porta - Eu faria tudo de novo, só para beijar sua boca!
Ele saiu, deixando com as bochechas vermelhas outra vez.

voltou a se emocionar quando viu o jantar pronto e os amigos reunidos na parte de fora da cozinha de baixo. Hoseok segurava uma torta ou bolo nas mãos enquanto Namjoon acendia a vela com o isqueiro. Os amigos cantaram “parabéns para você” enquanto ela caminhava para encontrá-los. Assim que eles terminaram, ela assoprou a vela, e fez um único pedido: que todos os presentes ali fossem infinitamente felizes.
O jantar correu com eles brincando e conversando, Suga e agora oficialmente juntos, trocavam carícias e beijinhos hora ou outra enquanto babava pelos dois, estava muito feliz pela amiga.
- Amiga! Você nem viu o karaokê lá na sala, não é? - perguntou enquanto era amparada por e -
- Karaokê? Não! Vocês alugaram?
- Os Namseok! - respondeu.
- Quem? - as outras amigas riram.
- Namjoon e Hoseok! Eu agora vou chamá-los de Namseok! É a junção do nome dos dois, ora essa!
Ela afirmou como se fosse óbvio. balançou a cabeça, agora ela ria da criatividade da amiga com os apelidos.
- Amiga, eles que organizaram tudo! Você precisava ver, que bonitinho!
Algumas pessoas já estavam na sala, mexendo no karaokê, inclusive os Namseok.
- A aniversariante precisa fazer as honras da casa e cantar primeiro!
- Ahhhh! Não! Vocês podem cantar antes! Ou alguém canta comigo!
se voluntariou para cantar com . As duas começaram a mexer no aparelho e então resolveram cantar uma das músicas clássicas que todo mundo canta nos karaokês: A Lenda, de Sandy e Junior.
Os amigos acompanhavam de fundo enquanto as duas davam o melhor de si para interpretar a música. Bebida vai, bebida vem, eles começaram a se soltar e as clássicas do karaokê foram sendo cantadas com as meninas se surpreendendo com o quanto os garotos cantavam bem até demais.
Jimin olhava o catálogo procurando alguma música interessante, até que seus olhos bateram em uma que chamou sua atenção. Ele olhou para que tomava um gole de sua cerveja enquanto observava Namjoon cantar. E se ele cantasse para ela? Aquela música era perfeita para descrever a relação dos dois. Jimin sabia que certamente não gostaria da ideia, ficaria paranoica com a ideia de alguém desconfiar que ele estava falando dos dois. Mas ele cantaria mesmo assim, e ele esperava que a canção tocasse o coração de gelo de , e quem sabe o derretesse um pouco para que ela amadurecesse a ideia de assumir tudo.
- Eu vou agora! - ele se levantou enquanto pegava o microfone das mãos de Namjoon.
Ajeitou a música escolhida na TV, raspou a garganta, começando a ficar nervoso. E então o toque da música ecoou na TV fazendo os amigos ficarem tão empolgados quanto ele com a escolha da música. conhecia a música, era impossível morar no Brasil e não conhecer aquela música. A ficha dela começou a cair quando os olhos de Jimin bateram nos seus e ele começou:
- Eu gosto de você, eu penso em você, eu só respiro você! Eu tento te esquecer e te deixar para lá, mas não consigo, não dá!
Ele estava cantando para ela? A garota franziu o cenho, ainda em dúvida.
- Sonhos perdidos, que não saem do meu coração! Que vêm mesmo que eu diga não!
Vou me arrepender depois, mas eu não resisto a nós dois! Oh não!

Ele fechou os olhos e então colocou toda sua alma no refrão, que na verdade era, para ela, uma declaração explícita de como se sentia com toda aquela situação dos dois:
- Mas é só te ver, pra enlouquecer! Faço tudo o que você quer… - ele abriu os olhos e encarou de novo.
sentiu a garganta começar a fechar, sim, ele estava cantando para ela! E na frente de todos os amigos! Ela voltou a levar o copo até a boca e então virou todo o restante da cerveja! Os amigos pareceram não ter percebido nada, já que cantavam com Jimin o refrão da música, a plenos pulmões. Mas os dois sabiam, e por enquanto apenas os dois sabiam que aquilo era uma espécie de declaração, ou desabafo. marejou os olhos e então se amaldiçoou por sentir a dor de Jimin e se abalar mesmo que minimamente pelo sentimento alheio.
- Você é mel e sal, você é o bem e o mal, você me deixa sem sono… - ele intensificou o olhar sobre o dela - Sem ter você pra mim eu fico meio assim feito um cãozinho sem dono.
retribuiu o olhar como se quisesse dizer “mas você me tem”…
- Sonhos perdidos, que não saem do meu coração… Que vêm mesmo que eu diga não!
Ele voltou a fechar os olhos com força enquanto sentia o coração acelerar aos poucos. Ele repetiu o refrão com ainda mais emoção. E então Suga, o abraçou pelo ombro para cantar com ele, Jimin acabou perdendo a concentração e rindo. Ele deixou que Suga, já alterado pelas tantas garrafas de soju terminasse o refrão.
Quando Suga caiu sentado no sofá, rindo, Jimin voltou a olhar para , que apenas tinha os olhos marejados.
- Eu já me condenei, por ser como eu sou. Mas já me perdoei, é por amor…
Os amigos cantaram o refrão enquanto ele ficava perdido nos olhos de com a respiração levemente ofegante. Jimin sabia que ela tinha entendido o recado. Os olhos dele finalmente marejaram enquanto a música acabava, por sorte nenhum dos amigos pareceu ter percebido nada. Ao não ser , que sentiu o coração murchar com o pequeno desabafo de Jimin.
Os amigos aplaudiram e vibraram ao final da música e Jimin foi ovacionado por Hoseok e Suga quando retornou para seu lugar. continuava imóvel e impassível sentada no outro sofá. Agora ela encarava o chão. Ela sabia exatamente o que Jimin quis dizer com aquela música. Se levantou, indo buscar outra cerveja, já que havia acabado com a anterior.
- Você acha que consegue cantar essa música? - Suga apontou para o título da música no catálogo.
aproximou os olhos no catálogo lendo as letras miúdas e então sorriu para Yoongi.
- Consigo! - ela apertou as bochechas dele.
- Então vamos!
Os dois se levantaram e deram as mãos, pegou os microfones enquanto Suga, um tanto quanto já tonto, tentava colocar a música no aparelho para que eles pudessem cantar. riu da dificuldade de Suga e então foi ajudá-lo a colocar a música escolhida.
Os dois se encararam no instante em que os primeiros acordes da música ecoaram, os amigos ao perceberem de que música se tratava começaram a bater palmas e a se levantar para ver a performance dos amigos no karaokê.
- I need a lover to keep me sane, pull me from hell, bring me back again. Play me the classics, something romantic, give it my all when I don't even have it. - Suga começou.
, com as bochechas vermelhas, quase desistiu de cantar na frente dos amigos, mas inflou o peito de coragem.
- I always dreamed of a solemn face, someone who feels like a holiday... But now I'm in pieces, barely believing. Starting to think that I've lost all feeling!
Suga ergueu uma das mãos na direção de , que agarrou a mão dele com força.
- You came out the blue on a rainy night, no lie. I'll tell you how I almost died while you're bringing me back to life…
Juntos os dois foram para o refrão com os amigos entusiasmados, embalados pela melodia gostosa da música.
- I just wanna live in this moment forever, 'cause I'm afraid that living couldn't gеt any better. Started giving up on thе word forever until you gave up heaven so we could be together!
Os olhos de ambos estavam perdidos um no outro, e ali, naquele momento, era como se só os dois estivessem naquela sala. O coração de Suga, agora completo, batia rápido, enquanto o de , parecia acompanhar o ritmo da música. Ela estava em paz.
- You're my angel, angel baby, angel. You're my angel baby. Baby, you're my angel, angel baby!
Os amigos acompanharam o casal no refrão, todos de pé, segurando suas garrafas no alto, balançando os braços no ritmo da música, que agora certamente seria conhecida como a música do casal!
Suga gargalhou enquanto colocava o microfone sobre a estante e fazia um coque nos cabelos, já que ele estava começando a ficar suado, pela quantidade de bebida já tomada, quanto pelas roupas quentes que ele usava…
observou o homem à sua frente enquanto cantava. O achou o homem mais lindo do mundo com o coque samurai…
- I'll fall in love with the little things, counting the tattoos on your skin. Tell me a secret, and baby, I'll keep it and maybe we can play house for the weekend. - ela apontou para o local onde ele havia feito a tatuagem para Hyuk enquanto sorria.
Suga sorriu de volta para ela, completamente apaixonado pela garota.
- You came out the blue on a rainy night, no lie. I'll tell you how I almost died while you're bringing me back to life.
Ele voltou a segurar a mão dela, enquanto os dois colavam o corpo um no outro, e as testas também. Os amigos gritaram no momento e todos pareciam estar felizes com o casal de fato, se dando bem.
- I just wanna live in this moment forever 'cause I'm afraid that living couldn't get any better. Started giving up on the word forever, until you gave up heaven so we could be together… You're my angel, angel baby, angel. You're my angel baby. Baby, you're my angel, angel baby!
roçou levemente o nariz no dele, que agora tinha os olhos fechados enquanto cantava diretamente para ela:
- All the sick and twisted nights that I've been waiting for ya, they were worth it all along, yeah!
E então os dois se beijaram, deixando que os amigos finalizassem a música. A língua dos dois se encontrou, mas o beijo permaneceu terno e delicado, como se ambos quisessem deixar claro o quanto se gostavam.
Jungkook se levantou pegando o microfone de Suga que lhe deu um tapinha nas costas. Os cabelos dele também estavam parcialmente presos e reparou que a maioria dos rapazes estava deixando os cabelos crescerem, inclusive o irmão.
- Eu queria deixar claro que vou cantar essa música para a ! - ele olhou diretamente para ela antes de ajustar a música no aparelho.
sentiu a respiração falhar, os dois já haviam decidido a situação deles, por que estava fazendo aquilo?
e ela trocaram um olhar e sorriu. Ela escorou a cabeça no ombro do irmão assim que a voz melodiosa dele ecoou pela sala.
- Memories follow me left and right. I can feel you over here, I can feel you over here, you take up every corner of my mind (Whatcha gon'do now?).
fechou os olhos por segundos e depois os abriu novamente.
- Ever since the day you went away (no, I don't know how), how to erase your body from out my brain! (Whatcha gon'do now?) - ele colocou o dedo indicador na propria cabeça - Maybe I should just focus on me instead (but all I think about) are the nights we were tangled up in your bed...

Os amigos o ovacionaram e ficou vermelha enquanto tirava a cabeça do ombro do irmão.
- Oh, no (oh, no), oh, no (oh, no) - Jungkook desviou o olhar de para V enquanto fazia que não para o amigo com dedo.
Como se quisesse dizer que ele nunca esteve na cama de e todos os presentes - inclusive e Taehyung - riram.
- You're going round in circles, got ya stuck up in my head (yeah). Memories follow me left and right. I can feel you over here, I can feel you over here, you take up every corner of my mind.
Ele fechou os olhos e pediu ao Universo que pudesse sentir a veracidade dos sentimentos dele colocados na música.
- Your love stays with me day and night. I can feel you over here, I can feel you over here! You take up every corner of my mind, (whatcha gon' do now?).
Ele abriu os olhos como se quisesse perguntar de fato a , o que ela faria agora?
- Ever since the day you went away, (someone tell me how), how much more do I gotta drink for the pain? (Whatcha gon' do now?) You did things to me that I just can't forget (now all I think about) are the nights we were tangled up in your bed…
V gritou de lá do sofá junto ao ex-cunhado, para amenizar o clima: “Oh, no (oh, no), oh, no (oh, no)!”
não conseguia tirar os olhos de Jungkook, e a voz dele era tão gostosa de ouvir… como uma canção de ninar. O coração dela batia com força.
- You're going round in circles, got ya stuck up in my head! - ele voltou a apontar para a própria mente.
O refrão se repetia enquanto os dois se encaravam sem parar.
quis tirar o microfone das mãos dele e beijá-lo, mas ela sabia que não podia fazer aquilo. Jungkook tinha razão: o que ela faria agora?
- Did ya know you’re the one that got away? And even now, baby, I'm still not ok - JK balançou a cabeça para ela, em negativa - Did ya know that my dreams, they're are the same? Every time I close my eyes...

fechou os olhos com força, e quando os abriu, lá estava Jungkook parado bem em frente a ela no sofá:
- Memories follow me left and right! I can feel you over here, I can feel you over here! You take up every corner of my mind (Whatcha gon' do now?). Your love stays with me day and night, I can feel you over here, I can feel you over here! You take up every corner of my mind... (Whatcha gon' do now?)
balançou a cabeça para Jungkook, como se quisesse dizer a ele que ela não sabia…
- I can feel you over here, I can feel you over here! You take up every corner of my mind, (Whatcha gon' do now?).
Ele colocou uma das mãos sobre a coxa desnuda dela, enquanto a encarava de forma profunda. Ele umedeceu os lábios enquanto os amigos aplaudiam. Jungkook sabia que não era o momento de ela lhe dizer nada, e muito menos ele…
e resolveram cantar uma música mais leve, que não quisesse dizer nada a ninguém para tentar amenizar o clima, tanto para , quanto para Jungkook.
Depois que as duas acabaram de cantar, os amigos começaram a conversar e a buscar mais bebidas. Jin, silenciosamente, colocou a música que ele mais se identificou no catálogo. Os amigos se calaram quando ele começou a cantar. A voz dele era tão bonita quanto a de Jungkook…
- We were so beautiful, we were so tragic, no other magic could ever compare...Lost myself, seventeen, then you came, found me, no other magic could ever compare!
Ele cantava olhando para a TV, como se não tivesse a letra da música todinha guardada na cabeça. respirou fundo, e se perguntou se aquela música seria para ela… se em algum momento o olhar de Jin cruzasse o dela, ela entenderia como um sim.
- There’s a room in my heart with the memories we made, took 'em down but they’re still in their frames, there’s no way I could ever forget!
Ele fechou rapidamente os olhos, sentindo o peito doer. Depois abriu os olhos e aí não resistiu, virou o corpo de frente para os amigos.
- For as long as I live and as long as I love, I will never not think about you... You! I will never not think about you... From the moment I left, I knew you were the one, and no matter what ever I-I do, ooh... I will never not think about you!
teve a certeza: ele cantava para ela, afinal de contas era para ela que Jin olhava enquanto cantava o refrão. Ela quis se levantar e se juntar a ele na música para que ele soubesse que ela também sempre pensaria nele… mas o pé doeu quando ela tentou.
- What we had only comes once in a lifetime. For the rest of mine, I’ll always compare, to the room in my heart with the memories we made... Nights on 5th, in between b and a, there’s no way I could ever forget! - ele fechou os olhos, lembrando da última noite dos dois na praia.
Os olhos marejaram e então ele deu alguns passos, como se quisesse se aproximar de , mas se deteve. Os amigos sentiam a melancolia da música e olhavam de para Jin, sem parar.
fechou os olhos enquanto cantava baixinho junto a Jin:
- For as long as I live, and as long as I love, I will never not think about you… You! I will never not think about you... From the moment I left, I knew you were the one, and no matter what ever I-I do, ooh... I will never not think about you!
Alguns dos amigos tinham os olhos marejados, Jimin e Hoseok especialmente.
- Didn't we have fun? Didn't we have fun? Looking back... - afirmou para ele que sim com a cabeça - Didn't we have fun? Didn't we have fun? Didn't we have fun?Didn't we have fun? Looking back... Didn't we have fun? Didn't we have fun?
A voz dele soou tão baixa que parecia poder sumir a qualquer momento. Seokjin fechou os olhos com força ou ele choraria na frente dos amigos e de , e não queria aquilo.
- We were so beautiful, we were so tragic, no other magic could ever compare... Lost myself, seventeen, then you came, found me, no other magic could ever compare!
Os dois ficaram se olhando alguns segundos depois que a música acabou, Jin tinha tanta coisa para dizer para ela depois que dormiram juntos e ela falou todas aquelas coisas… mas ele não tinha coragem. Se sentiu um covarde e então voltou para seu lugar no sofá, Namjoon pegou o microfone das mãos dele enquanto lhe apertava o ombro, como se dissesse para ele que tudo ficaria bem, hora ou outra.
- Você vai arruinar nossos ouvidos outra vez, Namjoon? - Suga brincou, arrancando risadas dos amigos.
- Prometo que darei tudo de mim dessa vez, Yoongi! Vou cantar com a minha alma!
- Isso é bom ou ruim? - Taehyung arrancou mais risadas dos amigos.
Namjoon respirou fundo antes de colocar a canção escolhida, ela falava muito sobre ele, bom, sobre ele naquele momento de sua vida. Aquela letra podia ser muito mal interpretada, especialmente por e ele torceu que aquilo não terminasse de arruinar as coisas entre os dois…
- As the smile fell from your face, I fell with it... Our faces blue! There's a heart stain on the carpet, I left it, I left it with you. Yeah, the truth is that I'm not sorry… - ele cantava, encarando a tela e repassando as próprias atitudes dos últimos dias - Though I told you not to worry, I'm just some dumb kid trying to kid myself that I got my shit together.
engoliu seco, involuntariamente. Ela amava Troye Sivan, e aquela música era uma de suas preferidas. Ela se perguntou se Namjoon sabia, ou se era apenas uma triste coincidência.
- So go, get to runnin', won't you hurry? While it's light out, while it's early, before I start to miss any part of this and change my mind, whatever.
Namjoon fechou os olhos, ainda sem ter coragem de encarar , ou os amigos. Que agora o acompanhavam em silêncio enquanto ele cantava. O tom de voz baixo e a voz grave dele eram as únicas coisas que ecoavam na sala da casa de campo. sabia aquela letra de cor e salteado, mas ouvir Namjoon cantá-la batia diferente nela.
- I say I wanna settle down, build your hopes up like a tower! I'm giving you the run around, I'm just a lost boy... Not ready to be found! Not ready to be found... I'm just a lost boy, not ready to be found!
Ainda de costas, ele abriu os olhos enquanto sentia o coração tamborilar dentro do peito. As emoções dele estavam expostas ali, de forma nua e crua. Ele se sentiu estúpido.
- I don't care much for locks on the window to keep me at bay… I'll leave you one last kiss on your pillow, before I fly away.
se atreveu a cantar junto a ele, enquanto apertava as próprias mãos.
- Yeah we knew from the beginning that this wasn't never ending… Shouldn't stay too long, ‘cause we're both too young to give into forever.
Namjoon se virou e então voltou a fechar os olhos, sem coragem de encarar e os amigos. Talvez ele não fosse tão corajoso assim como achavam…
- I say I wanna settle down, build your hopes up like a tower! I'm giving you the run around, I'm just a lost boy... Not ready to be found! Not ready to be found… I'm just a lost boy!
Finalmente abrindo os olhos, ele encarou , espremida em meio às amigas, parecendo ainda menor do que era, com as mãos apertadas uma na outra.
- So what are you waiting for? 'Cause someone could love you more - ele olhou para Hoseok - I'm just a lost boy, lost boy! So what are you waiting for? 'Cause someone could love you more...I'm just a lost boy, lost boy!
Ele voltou a encarar com os olhos de dragão.
- So what are you waiting for? 'Cause someone could love you more, I'm just a lost boy, lost boy... - ele fechou os olhos enquanto repetia a letra como se fosse uma oração - So what are you waiting for? 'Cause someone could love you more, I'm just a lost boy, lost boy!
Ele respirou fundo outra vez enquanto encarava os amigos, que pareciam assustados com a canção escolhida por ele.
- I say I wanna settle down, build your hopes up like a tower! I'm giving you the run around, I'm just a lost boy... Not ready to be found! Not ready to be found… I’m just a lost boy, not ready to be found!
respirou fundo, ainda incerta se deveria ou não cantar alguma coisa, especialmente aquela música. Não queria piorar ainda mais as coisas que já estavam ruins entre ela e V. Mas os acordes da música logo começaram.
- I blew things out of proportion, now you're blue... Put you in jail for something you didn’t do, I pinned your hands behind your back, oh, thought I had reason to attack, but no!
Os olhos dela se fecharam enquanto ela ajeitava o cabelo atrás da orelha, as mãos de tremiam levemente, e ela pediu aos céus que ninguém percebesse.
- Fighting with a true love is boxing with no gloves, chemistry till it blows up, till there’s no us. Why'd I have to break what I love so much? - ela olhou para V.
Ele não desviou o olhar, surpreso pela coragem dela.
- It's on your face, and I'm to blame, I need to say…
umedeceu os lábios, sentindo a cabeça rodar um pouco.
- Hey, it's all me, in my head! - ela apontou para a própria cabeça - I'm the one who burned us down! But it's not what I meant, sorry that I hurt you!
Os olhos de marejaram com força, e automaticamente os de V também.
- I don't wanna do, I don’t wanna do this to you! I don’t wanna lose, I don't wanna lose this with you. I need to say: Hey, it’s all me, just don't go, meet me in the afterglow.
Foi a vez de Taehyung umedecer os próprios lábios, o coração dele vibrava com a música e com a voz sofrida dela.
- It's so excruciating to see you low! Just wanna lift you up and not let you go, this ultraviolet morning light below, tells me this love is worth the fight, oh!
Ela quase derramou algumas lágrimas, mas ergueu a cabeça, engolindo o choro. Chega de chorar na frente dele, ela sabia que não era daquele jeito que conseguiria se reaproximar dele.
- I lived like an island, punished you in silence, went off like sirens, just crying. Why'd I have to break what I love so much? It’s on your face, don't walk away, I need to say…
Taehyung se remexeu no sofá enquanto cruzava os braços abaixo do peito, os olhos dele ainda estavam marejados.
- Hey, it's all me, in my head! I'm the one who burned us down! But it's not what I meant, sorry that I hurt you! - fechou os olhos, voltando a sentir a vontade de chorar lhe invadir o peito.
Taehyung passou levemente as mãos pelos cabelos, bagunçando-os. começava a se questionar se aquele karaokê tinha sido mesmo uma boa ideia...
- Tell me that you're still mine, tell me that we'll be just fine even when I lose my mind... I need to say: Tell me that it's not my fault, tell me that I'm all you want even when I break your heart... I need to say!
respirou fundo enquanto se preparava para cantar o refrão pela última vez!
- Hey, it's all me, in my head, I'm the one who burned us down! But it's not what I meant, sorry that I hurt you! I don't wanna do, I don't wanna do this to you, I don't wanna lose, I don't wanna lose this with you! I need to say: Hey, it's all me, just don't go, meet me in the afterglow!
Os dois se olharam enquanto os últimos acordes da música ainda tocavam. não esperava que depois daquela música, Taehyung a perdoasse e os dois voltassem a conviver como se nada tivesse acontecido. Ela não esperava que os dois fossem recomeçar de onde pararam, não esperava que ele passasse uma borracha em tudo o que já aconteceu entre eles e de repente tudo voltasse a ser mágico.
sabia que não, e não foi a intenção dela ao cantar aquela música. Ela só quis desabafar, foi mais para si mesmo do que para ele.
Os amigos foram pegar mais algumas bebidas e petiscos enquanto Taehyung olhava para a música That 's Hilarious no catálogo, pensando se deveria ou não cantá-la. Virou o restante da bebida de uma vez e a sentiu queimar a garganta enquanto descia por ela.
Colocou a música e então encarou por alguns segundos antes de começar a cantar:
- Look how all the tables, ook how all the tables have turned! Guess you're finally realizing how bad you messed it up! Girl, you're only makin', girl, you're only makin' it worse... When you called like you always do when you want someone…
fechou os olhos enquanto apertava a própria coxa. colocou a mão sobre a dela. Obviamente aquela era a “resposta”.
- You took away a year of my fuckin' life, and I can't get it back no more! So when I see those tears comin' out your eyes, I hope it's me they're for…
Ela assentiu que sim enquanto apertava os olhos, não choraria, mesmo com muita vontade.
- You didn't love when you had me, but now, you need me so badly! You can't be serious (ha-ha-ha), that's hilarious (ha-ha-ha-ha-ha)...
apertou a mão da amiga, tentando diminuir o impacto da música nos ouvidos e no coração da amiga.
- Thinkin' I would still want you after the things you put me through, yeah, you're delirious (ha-ha-ha)! That's hilarious (ha-ha-ha-ha-ha).
V fechou os olhos enquanto entregava tudo de si ao cantar, as veias do pescoço dele até estavam saltadas. Aquilo não era um ataque, ele também só estava desabafando.
- Now you put the blame in (now you put the blame in), now you put the blame in reverse, tryna make me feel guilty for everything you've done. You're another lesson (you're another lesson), you're just another lesson I learned: don't give your heart to a girl who's still got a broken one!
sentiu como se um soco lhe tivesse atingido o rosto e então uma lágrima discreta desceu pela bochecha.
- You took away a year of my fuckin' life (took away a year) and I can't get it back no more. So when I see those tears (when I see those tears) comin' out your eyes, I hope it's me they're for!
Taehyung se atreveu a limpar a lágrima que descia pela bochecha dela, e ela apenas assentiu para ele.
- You didn't love when you had me, but now, you need me so badly! You can't be serious (ha-ha-ha), that's hilarious (ha-ha-ha-ha-ha)... - ele acariciou a bochecha dela com o polegar antes de se afastar.
- Thinkin' I would still want you after the things you put me through, yeah, you're delirious (ha-ha-ha, you're delirious), that's hilarious (ha-ha-ha-ha-ha, that's hilarious)...
Ele desistiu de continuar repetindo o refrão, já tinha dito o suficiente e não queria ferir ainda mais, mesmo ainda muito machucado, ele não gostava de vê-la chorando.
Hoseok aproveitou a deixa e então pegou o microfone das mãos de Taehyung, já que estava todo mundo usando as músicas como desabafos, ele resolveu fazer o mesmo. Não que já não soubesse o que ele sentia, porque ele já havia dito bêbado, então seria bom reforçar sóbrio.
fechou os olhos outra vez quando viu que era outra música de Troye, os dois tinham combinado? Ela mal tinha se recuperado da “performance” de Namjoon. Namjoon bebeu um longo gole de sua cerveja, então os três gostavam de Troye Sivan? O que mais eles tinham em comum?
- Love hits hard, I know, all your lights are red, but I'm green to go! Used to see you high, now you're only low... - ele olhou diretamente para - All your lights are red but I'm green to go!
Namjoon umedeceu os lábios, mais uma vez Hoseok estava um passo à frente.
- I want you, I'll colour me blue, anything it takes to make you stay… Only seeing myself when I'm looking up at you! - Hoseok abaixou a cabeça - I want you, I'll colour me blue, anything it takes to make you stay… only seeing myself when I'm looking up at you!
acompanhou ele no refrão, e tentou sorrir. A cabeça deu mais um nó…
- I can't say no - Hoseok balançou a cabeça em negativa - Though the lights are on, there's nobody home! Swore I'd never lose control, then I fell in love with a heart that beats so slow…
fechou os olhos, eles marejaram com força. Ao contrário do que fora dito na letra, o coração dela agora batia rápido.
- I want you, I'll colour me blue, anything it takes to make you stay… Only seeing myself when I'm looking up at you! I want you, I'll colour me blue, anything it takes to make you stay… only seeing myself when I'm looking up at you!
Hoseok respirou fundo e depois continuou a canção, de olhos fechados, repetindo o verso duas vezes:
- I know you're seeing black and white, so I'll paint you a clear-blue sky. Without you I am colour-blind, it's raining every time I open my eyes… I want you, I'll colour me blue, anything it takes to make you stay… only seeing myself when I'm looking up at you!
Hoseok terminou de cantar a canção de olhos fechados, também mantinha os dela fechados. Alguns amigos cantavam com Hoseok, inclusive Namjoon… Quando a música acabou, ele e abriram os olhos juntos e se encararam. Mais uma vez, nada precisava ser dito ali e agora.
pegou os amigos de surpresa quando começou a cantar:
- Flowers in hand, waiting for me, every word in poetry. Won't call me by name, only baby, the more that you give, the less that I need!
Jungkook que ria de algo que Hoseok e Jin conversavam, cessou a risada.
- Everyone says I look happy, when it feels right… I know that you're wrong for me! Gonna wish we never met on the day I leave, I brought you down to your knees 'cause they say that misery loves company! It's not your fault I ruin everything, and it's not your fault I can't be what you need, baby! Angels like you can’t fly down hell with me... I'm everything they said I would be... La, la, la, I'm everything they said I would be!
Parando para finalmente respirar, ela encarou Jungkook. Ainda incerta se devia estar cantando ou não. O semblante dele sério e surpreso, pareceu melancólico agora.
- I'll put you down slow, waving goodbye, before you let go, just one more time… Take off your clothes, pretend that it's fine, a little more hurt won't kill you tonight!
fechou os olhos se lembrando de quando os dois fizeram o primeiro e único sexo no carro de Jungkook, uma despedida.
- Mother says you don't look happy, close your eyes… - Jungkook assim o fez - I know that you're wrong for me! Gonna wish we never met on the day I leave, I brought you down to your knees 'cause they say that misery loves company! It's not your fault I ruin everything, and it's not your fault I can't be what you need, baby! Angels like you can’t fly down hell with me... I'm everything they said I would be... La, la, la, I'm everything they said I would be!
Enquanto ela repetia o refrão, Jungkook se perguntou mais uma vez o que a impedia de ser então o que ele precisava… ela escondia alguma coisa e ele precisava descobrir.
- Angels like you can’t fly down hell with me…
tentou sorrir para ele, mas não conseguiu, os dois apenas assentiram um para o outro. E Jungkook estava decidido: precisava descobrir o que estava acontecendo.
pediu o microfone e então sussurrou para o código da música que ela desejava. Também queria dedicar uma música a Jin.
- I'm really on the ropes this time, I’ve been fighting all my life for you! I never should’ve said goodbye, but maybe that’s what stupid people do! - fechou os olhos enquanto um sorriso melancólico brotava em seus lábios - 'Cause you gave me peace and I wasted it, I'm here to admit that you were my medicine! Oh, I couldn’t quit and I'm down on my knees again, asking for nothing.
Jin umedeceu os lábios enquanto engoliu seco. Claramente uma “resposta”, e ela tinha esse direito.
-Thank you for the happiest week of my life, thank you for the happiest week of my life!
mudou a letra da música para tentar deixar bem claro que cantava para Seokjin. Já que música falava years e não week.
- Don’t think I could forgive myself, I'm sorry for the ways that I used you! And I could care less right now, but you know you hurt me pretty good too!

Os dois se encararam e Jin assentiu para ela enquanto fechava os olhos.
- Yeah, we made each other bleed and we tasted it! I'm here to admit that you were my medicine,oh, love, I couldn’t quit and I'm down on my knees again!
Ela também fechou os olhos, com força. Quis muito chorar.
- Thank you for the happiest week of my life, thank you for the happiest year of my life!
Jin abriu os olhos, sentiu V o abraçar pelos ombros e o coração dele batia devagar. abriu os olhos, e encarou diretamente os olhos de Jin:
- So wake me up when they build that Time machine... I wanna go back! Wake me up when you were sleeping next to me, 'cause I really loved you!
Os dois cantaram juntos:
- Thank you for the happiest week of my life! Thank you for the happiest week of my life, thank you for the happiest year of my life, yeah! Thank you for the happiest year of my life, thank you for the happiest year of my life!
Seokjin abaixou a cabeça se esforçando o máximo que conseguiu para não chorar. Taehyung lhe apertou os ombros com força.
respirou fundo e então se levantou, pegando o microfone delicadamente de . Já estava quase na hora de o pessoal do bar chegar lá para pegar o aparelho de volta, então daria tempo de somente mais uma canção.
- Vou finalizar já que sou a aniversariante, não é? - os amigos riram.
Colocou a música escolhida e os amigos sorriram para ela.
-We could just go home right now or maybe we could stick around for just one more drink, oh yeah! Get another bottle out - ela levantou a própria garrafa - Let's shoot the shit, sit back down for just one more drink, oh yeah!
Os amigos que sabiam a letra a acompanharam:
- Here's to us, here’s to love, all the times that we fucked up - olhou para , rindo.
A morena riu também.
-Here's to you! Fill the glass cuz the last few days have kicked my ass! - eles voltaram a gargalhar - So let's give em hell, wish everybody well! Here's to us, here’s to us!
Os amigos se levantaram, pelo menos a maioria, se abraçaram e pareciam bêbados e emocionados. voltou a rir.
-We've stuck it out this far together, put our dreams through the shredder. Let's toast cuz things got better - os amigos brindaram - And everything could change like that, and all these years go by so fast, but nothing lasts forever!
Ela deixou os amigos cantarem o refrão, levantando o microfone, bebeu um pouco mais de sua cerveja.
- Here's to all that we've kissed - ela olhou para Namjoon e depois para Hoseok - And to all that we've missed, to the biggest mistakes that we just wouldn't trade!
passou os olhos por cada um dos amigos.
- To us breakin' out without us breakin' down! To whatever's coming our way!
E juntos eles cantaram o refrão mais uma vez. Quando a música acabou, aproveitou o microfone para agradecer os amigos.
- Eu queria agradecer vocês! Todos! Eu sei que para muitos foi um tanto quanto difícil estar aqui! - ela engoliu seco - Mas vocês não mediram esforços para vir e apesar de todos os pesares…
Os amigos voltaram a rir.
- Foi um dos meus melhores aniversários! Mesmo sendo o primeiro sem os meus pais! E foi tudo graças a vocês! Então obrigada de verdade, e eu espero que a gente ainda possa se divertir muito juntos! Que venha muito mais!
Os amigos bateram palmas e então começaram a se abraçar, meio bêbados. abraçou as amigas e depois Jimin. Ela trocou um olhar profundo com Namjoon e depois abraçou Hoseok.
Definitivamente ela não queria que a amizade deles acabasse ali. E eles prometeram que não acabaria, então ficou mais tranquila. Amanhã todos iriam embora, então precisavam dormir. A noite terminou em paz.




Continua...



Página Inicial | Próximos Capítulos



Lembrando que qualquer erro nessa atualização e reclamações somente no e-mail.
Para saber quando essa linda fic vai atualizar, acompanhe aqui.

Caixinha de comentários: Oi! O Disqus está um pouco instável ultimamente e, às vezes, a caixinha de comentários pode não aparecer. Então, caso você queira deixar a autora feliz com um comentário, é só clicar AQUI.


comments powered by Disqus