Última atualização: 23/06/2021

Capítulo 1 – Primeiro Dia

🏴⚽️🇧🇪

30 de novembro de 2022
Estádio Al Janoub, Doha, Qatar
Copa Do Mundo – Oitavas de final
Inglaterra x Bélgica


O placar marca 1x1 aos dez minutos do segundo tempo da prorrogação e não pode ser um resultado mais preocupante para mim e todos que estão nesse campo. Qualquer simples erro pode nos eliminar nas oitavas de final. Não quero isso, é a primeira copa que jogo e estou no auge da carreira, seria torturante ter que esperar por mais quatro anos.
O Estádio Al Janoub está lotado e as cores da torcida se misturam entre as da seleção inglesa com a belga. Todos estão na expectativa. Esse é um jogo grande.
Kevin De Bruyne dispara com a bola após um bom lançamento de . O ótimo cruzamento só me faz odiá-lo mais. De Bruyne está correndo todos sabemos para onde. Ele dribla Joe e Ben com tanta facilidade que fico tenso. Ele vai marcar e vai nos eliminar. Quando o último fio de esperança inglês está indo pelo ralo, Stones aparece. O que é ruim porque sua tentativa de impedi-lo resulta em um encontrão malvisto aos olhos do juiz, que apita e marca uma falta perigosa perto da pequena área.
Merda. O árbitro para o jogo. Stones ajuda De Bruyne a se levantar e Kane fica próximo dele para evitar possíveis reclamações com o árbitro, a falta é clara e ninguém aqui quer levar um cartão. Vejo ir até o juiz exigir um cartão para Stones, mas o árbitro ignora e faz as marcações no gramado para a cobrança de falta.
Definitivamente, eu odeio esse cara. Não nos damos bem fora, nem dentro de campo. Cada encontro do Chelsea com o Tottenham pela Premier League é uma guerra. No último clássico, no final da temporada, nós dois fomos expulsos por briga. Eu teria dado um soco na cara dele sem arrependimentos.
Kevin De Bruyne cobra a falta, a bola voa, mas é alto o suficiente para Trippier cabeceá-la para a frente. A bola vai parar no pé de Jadon Sancho, que puxa um rápido contra-ataque enquanto a torcida, de pé, se empolga com a situação. Jadon tem duas opções: eu e Kane, visto que Rashford está um pouco mais atrás. A bola passa por Kane e vem parar nos meus pés. Eu corro em disparada, mirando no gol, e vejo Thibaut Courtois. Eu o vejo focado, olhando para mim, tentando adivinhar para onde eu vou mandar essa bola. Estou correndo como se essa fosse a minha única missão na Terra, esse é o gol da classificação, mas quando estou perto o suficiente e prestes a chutar, um enorme incômodo vem no tornozelo direito e no segundo seguinte estou no chão. A dor é incômoda, mas a fúria é maior ainda quando vejo que quem me derrubou foi . Porra, de onde esse cara surgiu?
. Zagueiro sujo do caralho.
Um furdunço belga aparece ao redor do árbitro quando ele puxa um cartão amarelo para e marca um pênalti para nós sem ao menos checar o VAR. A torcida é barulhenta.
— Ei, . — Diz Ben preocupado.
Meus companheiros de equipe me ajudam a levantar e aos poucos a dor vai passando. Olho para e ele está reclamando com o árbitro. Quero ir até lá xingar o filho da puta, mas a taxatividade do juiz é o suficiente para me conter.
O estádio inteiro está vibrando, mas ainda estou tenso. Harry Kane se posiciona na marca do pênalti, coloca as mãos na cintura e aguarda o apito do juiz. Ele encara Courtois e quando o barulho do apito vem, ele vai. Todos estamos posicionados para um possível rebote, mas Kane não desperdiça a oportunidade, finalizando no canto esquerdo, enquanto Courtois pula para o canto direito.
Ele corre como um doido depois que vê a rede balançar e o juiz validar o gol. Vou em sua direção junto com o resto do time e a torcida vibra. Os últimos dois minutos de acréscimo são uma tortura e tanto para nós, quando o árbitro finalmente apita e é o final do jogo. A Bélgica está eliminada e a Inglaterra segue para as quartas. Eu tiro a blusa, comemorando, a sensação é muito boa.
Cumprimento alguns jogadores belgas e troco camisa com Charly Musonda, meu companheiro de equipe no Chelsea. Por eles sinto algum tipo de empatia, uma eliminação como essa é dolorosa, diferente de , que está puto em algum canto do campo. Passo por ele correndo e rindo, abraçado com Ben e Jadon.
O sonho está vivo.

🏴⚽️🇧🇪


— Chato do inferno, mete a porrada nos jogadores, pressiona o juiz, fica putinho quando tá errado, faz uma cera da porra todo santo jogo. Eu odeio esse cara. — rosna para mim. Tinha decidido sair do camarote e encontrá-lo na sala de espera reservada para a família dos atletas, ainda dentro do estádio.
Eu o olho, preocupada. Eu, assim como todos os belgas, estou triste pela eliminação da Bélgica na Copa do Mundo. Aquele pênalti no final da prorrogação foi o fim, mas sabia que para seria muito pior do que foi para mim. É o sonho dele ganhar uma copa e agora terá que esperar por mais quatro anos.
Papai, mamãe e a Val – a namorada dele – também estão chateados. Todos aqui tinham alguma expectativa. É ruim ver meu país indo embora tão cedo porque o jogo foi bem equilibrado, mesmo que a mídia esportiva e a maioria dos setoristas estivessem cravando a Inglaterra como a favorita.
, se acalme. Sei que é péssimo, mas você não está mais no campo para continuar agindo como um animal.
— Eu não encostei nele, porra. Eu juro que não encostei, . Mas aquele filho da puta do conseguiu fingir muito bem e o juiz comprou, aquele desgraçado!
Respiro fundo quando meu irmão toca no nome de . Não tenho muita simpatia por , é difícil ter. Ele o meu irmão são rivais declarados, jogam um contra o outro na Premier League e toda vez que se encontram, seja em campo, ou fora dele, você pode esperar que algo ruim aconteça. Penso que eles só não se mataram hoje no campo porque é esperto, ele sabia que o time dele ia passar e não queria correr o risco de ficar fora do jogo.
O que não sabe é do meu pequeno deslize com o seu rival no The Best da Fifa, na Champions League desse ano.
já deu em cima de mim várias vezes, mas eu sempre neguei dizendo que nunca ficaria com ele. Não gosto de ficar com jogadores e a sua má relação com o meu irmão só dificulta tudo, é uma dor de cabeça que não sei se quero ter.
Nesse dia em específico, eu acabei bebendo mais do que deveria no pós-festa da premiação e fiz uma declaração patética para ele. Lembro de tê-lo beijado também. Lembro dele me levando para casa porque eu não me aguentava em pé. Foi tudo tão constrangedor. Eu vivo fugindo de encontrar com ele, pois, toda vez que nos vemos, ele faz questão de lembrar desse infeliz episódio. é aquele tipo de cara que sabe usar sua solteirice a seu favor e é raro de levar um fora de alguma mulher. Talvez eu tenha sido a única. Isso, bem, até aquele dia.
É insuportável vê-lo com aquele sorriso branco convencido. Ele sabe que é um filho da puta gostoso e não economiza no charme. Fugir dele é mais fácil que resistir.
— Bem, papai e mamãe estão no camarote ainda. Junto com a Val. Quer que eu chame eles aqui? — Pergunto, não tendo nada melhor para dizer.
— Não consigo nem olhar para eles depois dessa humilhação.
— Não foi uma humilhação, . — Afirmo, mas meu irmão é irredutível. — O placar foi pequeno, o jogo foi difícil.
— Tanto faz. Diga a eles que vou vê-los no hotel. — me dá as costas, talvez vá encontrar o resto da seleção belga para voltarem para o hotel no ônibus da seleção.
— Tudo bem.
Antes que eu me mova ele olha para mim.
— Você vai voltar com eles para Londres?
— Não posso, Jenna me avisou que tenho algumas campanhas para fazer. Estão usando o badalo da Copa para alavancar o marketing. — Ele assente. — Eu acordo cedo amanhã para me despedir.
confirma mais uma vez e segue o seu rumo cabisbaixo. Eu respiro fundo.
Por jogar no Tottenham, todos nós moramos em Londres. Quer dizer, eu costumava morar em Paris quando jogava pelo PSG Feminino, mas desde que saí do time e abandonei essa vida, decidi me mudar para onde está a minha família.
Eu volto para o camarote para dar o aviso a eles e mando uma mensagem a Jenna, a minha assessora, para que ela me explique a minha agenda para os próximos dias.

Capítulo 2 – Segundo Dia

🏴⚽️🇧🇪

1º de dezembro de 2022
Hotel The Ritz-Carlton, Doha, Qatar


Temos cinco dias até as quartas de final, por isso Gareth Southgate, o técnico, decide nos dar o dia seguinte de folga e algumas horas de amanhã. Acho que isso é o máximo que vamos ter se chegarmos à final. Foi um pouco cômico como G. virou para nós no vestiário logo depois do jogo contra a Bélgica e gritou "seleção liberada para sexo, churrasco e chocolate com moderação e responsabilidade. Nos encontramos na tarde de segunda!"
Mas quando venho ao saguão do The Ritz-Carlton, hotel em que a seleção está hospedada, não venho atrás de nenhuma dessas coisas. Estou usando o meu dia de folga para conseguir um quarto para a minha mãe. Desde que nos classificamos para as quartas, surgiu na cabeça dela a ideia de ficar no mesmo hotel que eu. Por mais que as distâncias aqui no Qatar sejam curtas.
A atendente pede que eu aguarde um pouco enquanto ela verifica no sistema.
Bem, usar a folga para relaxar e ficar com a família é o que quase todo mundo no time faz (pelo menos os casados), visto que nos próximos dias a concentração será puxada. Uns que tem mulher, se encontram para trepar. Outros que gostam de ir para festinhas, tem uma festinha organizada não sei onde. Foden chegou a comentar comigo, mas preferi não ir. Gosto de ficar no hotel, há diversão por aqui, isso se você procurar bem.
A moça pede para eu aguardar mais um pouco e decido me encostar na parede ao lado das portas do elevador enquanto isso. Até entendo a demora, o hotel está lotado e em época de Copa do Mundo não imaginaria diferente. O saguão está cheio de gente rica, pessoas importantes e paro para tirar foto com alguns fãs. Quando olho para a entrada, vejo arrastando sua mala de rodinha até a pequena fila do check-in.

.

Ela tem um óculos plantado no topo da cabeça de onde caem os fios sua cabeleira preta brilhante. A calça skinny delineia bem as suas curvas. Só olhar quase me faz salivar. Ela é sensacional, tenho que admitir. Com certeza, uma das mulheres mais gostosas que já vi na vida. Mesmo com um pouco de distância, consigo ver sua boca, sempre preenchida por um batom vermelho vivo.
Lembro bem dos seus lábios carnudos sobre os meus, foi um dia inesquecível, mesmo que não tenha passado disso e que finja que nunca aconteceu. Acho que ela prefere morrer a me beijar de novo. Eu não. Por mais que ela seja a irmã de , não seria esforço nenhum para mim encostar a boca na dela de novo.
Uma dúvida agita o meu cérebro. O que ela está fazendo aqui? A Bélgica foi eliminada, seu irmão já deve ter ido embora há muito tempo. Por que ela ainda está no Qatar e porque está se hospedando aqui? Um pensamento sujo invade a minha mente quando ela me vê e, após fazer o check-in, marcha pela sala até o elevador. Ela parece boa o suficiente para comer e imagino que talvez possamos dar um bom amasso nos corredores deste hotel até chegar em um dos quartos. Meu pau se agita atrás do zíper.

Ah, porra.

Obrigo-me a empurrar o pensamento de lado.
Dou um sorriso de agradável surpresa, porque é muito bom vê-la de novo. aperta o botão ao meu lado e cruza os braços para esperar o ascensor.
— Oi, .
Eu digo sugestivamente, percebendo que ela não ia iniciar um papo comigo. Abaixo os óculos para ela conseguir ver os meus olhos.
. — Rosna, olhando para o chão.
— Que mau-humor, gata. Você não vai me dar os parabéns?
Faço um carinho na sua bochecha e ela afasta a minha mão como se fosse um mosquito irritante.
— Parabéns? Mais fácil eu te dar um chute na bunda.
— Eu sei, a eliminação, ela dói mesmo, mas estou aqui para te consolar.
Toco o seu ombro e vejo sua pele arrepiar. Adoro quando resiste a mim, isso só me cativa mais.
— Cavar um pênalti ridículo para se classificar? Olha, eu teria vergonha.
— Eu cavei um pênalti? Seu querido irmão me deu um carrinho por trás. Se vocês foram eliminados, a culpa é dele.
— Tanto faz. Quando o juiz quer roubar para um lado, não adianta discutir. — Resmunga eu dou risada do seu clubismo. Seu humor é ácido e quente. — Nós teríamos ganhado se não fosse por isso. Iria para os pênaltis e Lukaku, Hazard, De Bruyne e Martens fariam a boa.
— Se depender de mim, não. Eu cobro muito bem e Dean pegaria todos.
— Você se acha muito, isso sim.
Ela acusa, mas solta uma risadinha logo em seguida. É o que gosto em : diferente do irmão dela, ela sabe ser divertida. E tenho quase certeza de que, se não fosse pela nossa rivalidade, eu e ela nos daríamos bem.
— Tá fazendo o que aqui? Me procurando?
— Não? Vou fazer mais algumas campanhas aqui no Qatar por mais alguns dias. A empresa me transferiu para esse hotel.
— Interessante. — A campainha do elevador nos interrompe. espera as portas abrirem para entrar e eu olho para ela. — Bom, a seleção está ficando no 17° andar, meu quarto é o 171.
— Por que acha que eu quero saber disso?
Dou uma piscadela, vejo o rosto de corar e a porta fecha. Segundos depois, a atendente da recepção me chama.
Tenho que admitir que o encontro com ela me deixa entusiasmado.

🏴⚽️🇧🇪



A manhã foi dura.
O tempo que fiquei no meu quarto foi minúsculo. Assim que levei minhas malas para lá, Jenna me encheu de mensagens, avisando dos meus próximos compromissos. O que foi uma pena, pois queria ir até o estádio ver os jogos das outras seleções. Desde que me lesionei e a minha carreira de jogadora foi para o espaço, eu tenho que me contentar com apenas assistir. Acabei virando modelo comercial e comentarista de alguns jogos femininos na ESPN. Nesse período de Copa, vim ao Qatar para campanhas de alguns patrocinadores esportivos. É assim que eu tento me manter no mundo futebolístico sem precisar depender do meu irmão.
Por falar em , ele não pode nem sonhar do meu 'encontro' com . Penso que na cabeça dele estou a uns cinquenta quilômetros de distância desse cara. Eu e somos bem amigos, costumamos compartilhar muito da nossa vida um com o outro, mas decido não dizer a ele nada do que acontecer nessa minha permanência no Qatar.
Ao meio-dia, eu e Jenna almoçamos, ela me libera e sai. Viagens assim são meio solitárias porque ela também agencia outras pessoas, então, quando acaba comigo, ela parte para outro. Decido procurar entretenimento pelo hotel e a piscina é o meu primeiro alvo. Vou até o quarto trocar de roupa e pego um biquíni da mala. Apesar de estarmos no inverno, a temperatura aqui é de 27 ºC e está quente. Vantagens e desvantagens do Oriente Médio. Me pergunto como seria se a copa tivesse acontecido no verão. Seria quase impossível ficar em ambientes sem ar condicionado. Visto um short e separo uma bolsa com toalha e protetor solar. Não tem muitas pessoas na piscina, então consigo uma cadeira de descanso vazia e perto de uma sombra fresca.
Tiro o short e me sento ali, coloco os óculos e dou início ao processo de me encher de protetor solar. Deslizo sobre as pernas, os braços e me contorço da melhor forma para tentar passar nas costas.
— Quer ajuda, ?
A voz de surge atrás de mim e quase pulo de susto. Ele apoia as mãos nos meus ombros e chega bem próximo do meu ouvido para falar, quase me arrepio inteira porque suas mãos estão geladas e o choque é muito bom. Quando olho para trás, ele senta na cadeira de descanso ao lado da minha. Ele tem uma toalha em cima do ombro e está sem camisa, usa apenas um calção azul-petróleo. O Sol bate no seu tronco definido e nas suas pernas torneadas de jogador e ele parece brilhar, como se fosse um astro celestial ou coisa do tipo.
é um território perigosamente delicioso, por isso é tão proibido para mim.
— Você tá me seguindo, ?
Ele nega com a cabeça e rouba o meu frasco de protetor solar.
— Não. Apenas aproveitando a folga.
Ele coloca as mãos nos meus ombros de novo e me deixa de costas para ele. Eu sinto o líquido frio do protetor cobrir as minhas costas e o movimento sutil dos seus dedos. mal me toca, mas já estou tremendo. Que merda é essa?! Depois ele começa a espalhar o produto com maestria, tocando cada centímetro de pele. Sei que eu deveria levantar e ir embora, mas algo está grudando a minha bunda nessa cadeira.
— Apenas hoje?
— Hoje e algumas horas de amanhã. Por quê? Quer saber quando estou livre para um sexo selvagem?
— Pelo contrário. Espero que você fique o mais ocupado possível com a seleção.
— Quer evitar os nossos encontros? Assim não tem graça! A diversão começa quando a gente se encontra, .
Eu balanço a cabeça para os lados e quase dou risada. Fugir de é fácil, o problema é quando ele vem até mim. Não sei qual é a coisa dele comigo. Nós mal nos conhecemos, nunca conversamos muito e a única vez que lhe dei um pouco mais de intimidade foi na festa do The Best, e julgo que nem conta, porque eu estava bêbada. Sei quando um cara quer transar comigo e deixa isso bem explícito, mas ele teve uma chance e isso nunca aconteceu.
Percebo que dessa vez ele não fez questão de lembrar desse episódio, como sempre faz quando nos vemos. Então, decido eu mesma perguntar.
— Por que não transamos naquele dia?
Consigo sentir sua respiração na minha nuca enquanto suas mãos continuam trabalhando.
— Não transo com mulheres bêbadas. Por mais que elas implorem pelo meu pau como você fez naquele dia, não acho que alguém bêbado esteja apto para consentir algo.
— O quê? — Meu tom de indignação é alto. — Eu não estava implorando.
— Sim, estava. — Ele afirma e reviro meus globos oculares. é uma mula convencida.
— Não tava nada.
Quase me viro para ele, mas aí percebo que está fazendo muito mais do que passar protetor nas minhas costas, ele está fazendo uma verdadeira massagem relaxante e ele é bom nisso. Suas mãos vão dos meus ombros até a lombar, firmando bem os dedos. Ele toca os pontos de maior tensão das minhas costas: a minha nuca, meus ombros, a área do trapézio e entre as costelas com movimentos suaves, sustentando uma leve pressão, sem movimentos circulares. Suas mãos deslizam tão facilmente que sou capaz de ficar aqui o dia todo se ele continuar me tocando assim.
— Tava sim, . Nossa, eu devia ter gravado. — Ele ri e acho que a massagem quase me deixa tonta, pois não percebo quando ele se aproxima. De um instante para outro, estou entre as suas pernas e está sentado atrás de mim, com as mãos embaixo da linha do meu biquíni, arrastando-as até as laterais do meu corpo, contornando a minha silhueta. Sua boca encosta na minha orelha e é difícil meu corpo inteiro não arrepiar. — Você me beijou, depois subiu na mesa e disse que era para eu te comer ali. — Ele sussurra e beija o meu ombro. Vai beijando até alcançar a lateral do meu pescoço. — Se você estivesse sã, eu teria feito o que pediu.
— Você nunca vai me ver sã pedindo uma coisa dessas. Não com você, pelo menos.
Com dificuldade, eu me esquivo dos seus beijos.
— Nunca? — Ele belisca a minha cintura. — É uma palavra forte demais.
Ele lambe os lábios secos. É um movimento ridiculamente sexy. Tudo nele é sexy. É por isso que o odeio tanto.
Ou pelo menos devia.
Penso em responder e prolongar nosso contato de peles, mas logo me dou conta que estamos em um local público e que o Sol está torrando o topo da minha cabeça. Não tem nada melhor que água gelada para te fazer voltar para a realidade, por isso fico de pé. Meu quadril fica na altura do seu rosto e tenho certeza que ele possui os olhos, faiscando de desejo, em mim.
Viro de frente para ele e dou um sorriso enquanto ele me devora com o olhar.
, você precisa cair na realidade.
É a última coisa que digo antes de lhe dar as costas e mergulhar na piscina.

🏴⚽️🇧🇪


— Não foi isso que aconteceu!
É a primeira coisa que escuto quando entro na área do bar do restaurante. Logo depois dá uma risada estridente. Ela está sentada no balcão com Ben ao seu lado. Eles começam a conversar mais baixo, cheios de risadinhas.
Quase todos os meus companheiros de time estão aqui, aproveitando a noite para tomar uma cerveja, jogar sinuca ou um baralho nas mesas. Jadon está em uma mesa com Foden, Marcus, Eric e Winks, mas eu olho para Ben e de novo e decido ir até eles ao invés de ir até a mesa com os meus amigos.
Eles parecem estar se divertindo, sei que são amigos e se conhecem há algum tempo. Uma pontada de ciúmes incomoda o meu peito. Ben é um cara legal e extremamente atraente. Sei disso porque ele é um dos meus melhores amigos e nada o impede de ficar com . Eu imagino completamente sã pedindo para ficar com Bem.
Na verdade, até eu pediria para ficar com Ben.
— Atrapalho?
Sento na banqueta ao lado dela e apoio os braços no bar. Peço uma cerveja ao barman, diferente de e Bem, que compartilham alguns drinks. Não sou de beber muito. Quando tenho folga, venho e tomo uma ou duas cervejas, mas é só.
! — Ben está feliz em me ver, diferente de , que revira os olhos.
— Ehhh, o chegou. — Ela diz com falsa animação.
— Eu já tava quase indo no quarto te buscar, cara.
— Ei! Qual desses lugares vocês acham que é melhor para comemorar o meu aniversário? — Jadon aparece e fica entre mim e com o celular nas mãos. Eu dou uma espiada e são diversas fotos de pubs e clubes de dança.
— Oi, Sancho.
— Oi, . — Eles se cumprimentam, mas Jadon logo volta à pauta principal e olha para mim e para Ben. — Então?
— Jadon. — Eu digo calmamente. — Ainda faltam mais de três meses para o seu aniversário.
— Eu sei. — Ele rouba o copo de Ben e, de um minuto para o outro, troca de assunto. Jadon Sancho é a pessoa mais aleatória que eu conheço. — Eric e Marcus estão fazendo uma aposta com Foden para ele raspar aquele bigode.
— EI, SANCHO VOLTE PARA CÁ. — Eric grita e todos nós olhamos para trás. — VOCÊ TEM QUE SER A TESTEMUNHA. WINKS É LERDO DEMAIS PARA ISSO.
Eu e Ben damos risada e Jadon se vira para voltar à mesa.
— O que foi, ? — Ben pergunta, pois ela foi a única pessoa que não riu.
— Nada.
— Ela ainda está chateada pela Bélgica. — Eu afirmo e a encaro bem. está bonita, quer dizer, ela sempre está bonita, mas há um toque a mais quando ela se arruma para sair de noite.
— Ah, que pena, mas agora você vai torcer pelo seu amigo, certo? — Ben questiona com um fio de otimismo.
— Sinceramente, Chilwell? — Ela o encara. vai de triste para afiada e desafiadora em instantes. Ela vira o resto do drink e bate o copo no balcão. — Vocês não passam das quartas.
— Agora eu fiquei magoado.
— Sinto muito, bebê, mas você odeia a seleção que eliminou o seu país. Mesmo que temporariamente, essa é a regra. Está escrito no livro da FIFA.
— Você acha que vamos perder para a Espanha?
Eu pergunto quase desacreditado. Desde que a Espanha ganhou de 3x1 do Uruguai nas oitavas, ficou definido o nosso próximo adversário. E não tem nada a ver com essa coisa de ser soberbo, mas acredito no nosso time e também acredito que temos fortes chances de vencer. E acho que também sabe disso. Se você enxergar de uma maneira não clubista, é a verdade, por mais-que-tudo possa acontecer no futebol. Contudo, ela jamais vai concordar comigo.
— Acho. Kane vai ficar no bolso de Ramos e Martínez.
— Eu duvido. — Afirmo. — Por mais que eles tenham uma boa defesa, mesmo após a saída do Piqué, não dá para ganhar só com isso. Na frente, a Espanha tem boas opções para criação, mas eles parecem ter dificuldade em encontrar um atacante que se encaixe no esquema tático. E você não ganha copa do mundo sem fazer gols.
— Mas eles conseguiram consertar as falhas e não sofreram com lesões, o que, a meu ver, era o principal desafio. Agora se você quer falar de gols, , eles fizeram três gols no Uruguai e conseguiram anular completamente o Fede Valverde. — Ela passa a mão pelo cabelo escuro. Se parece um anjo, a personalidade, com certeza, é do diabo. E não de um jeito ruim. — Às vezes a nostalgia não permite que a gente veja o potencial do time atual, por isso eu cravo: a Espanha vai ganhar da Inglaterra.
Cara, eu adoro discutir com . Ela é aguçada, sabe sempre o que falar e tudo flui naturalmente. Ela expõe as próprias opiniões sem medo de quebrar a cara depois e consegue ser coerente. Interagir com alguém que só concorda com você é um saco.
Ela faz um bico teimoso que eu daria tudo para morder.
— Quer apostar?
Desafio e arqueia uma sobrancelha para mim. Ben dá um gole na cerveja, sendo um mero espectador do nosso jogo. Ela me encara e algo dentro de mim sabe que ela não vai recusar.
é o tipo de mulher que não dá para trás.
— O que diabos você vai querer se ganhar?
— Não sei... — Dou um sorriso sugestivo, escalando meus dedos pelo seu braço até os ombros. — Estou com saudade do seu beijo.
Ela ri e inclina a cabeça para frente, depois volta para mim.
— Está fazendo isso de propósito, não é?
— Claro que estou. — Ofereço minha mão direita para selarmos o acordo. — Apostado?
— Apostado. — Ela aperta a minha mão de volta e não hesito para puxá-la e depositar um beijo ali. — O Ben é testemunha.
— Sim, o Ben é testemunha.
— Ei! O que... — Ben diz confuso, mas já está se preparando para ir embora. Ela desce do banco e dou uma checada na sua bunda gostosa revestida apenas por um vestido sem alças de busto transparente.
— Espero que vocês deem o melhor naquele campo. — olha de Ben para mim. — Porque você não vai querer saber o que eu vou pedir se vocês perderem, .

Capítulo 3 – Terceiro Dia

🏴⚽️🇧🇪

2 de dezembro de 2022
Campo de Golf – Centro de Concentração, Doha, Qatar


O CT fica a apenas 10 minutos do hotel. Ainda acho genial terem transformado um Campo de Golf em uma base que abrange cinco CTs em uma mesma área. Temos Brasil, Alemanha e França a poucos metros de distância. Cada seleção tem seu próprio espaço individual com dois campos e uma estrutura interna com vestiário, academia, salas de vídeo, de massagem e até de oração.
Southgate decide pegar leve conosco nessa manhã. Enquanto os reservas treinam com bola no campo, eu e os outros titulares revezamos nos aparelhos de musculação da academia. Como o trabalho é só para manter a musculatura, ninguém pega pesado.
Estou trabalhando na Cadeira Extensora. Winks está ao meu lado, trabalhando no Pulley, seguido por Dele Alli e Marcus Rashford.
— Dele, se Marcus pular de um penhasco, você também pula? — Pergunta Harry.
— Sim.
— Por quê!?! — Eu questiono.
— Porque eu sei que Marcus descobriria uma maneira de me pegar antes que eu caísse. — Ele responde como se a sua lógica fizesse muito sentido e Marcus acena com a cabeça em concordância. Harry parece confuso.
— Mas como Marcus vai te pegar se ele também está caindo?
Marcus se vira para Dele. — Eu disse, cara, que precisamos pensar mais neste plano.
— Podemos fazer isso na hora do almoço. — Dele concorda. — Será que o hotel deixa suco de noz no bufê?
— Você pode, por favor, parar de chamar manteiga de amendoim disso? — Diz Kane quando passa por nós.
— O que há de errado com 'suco de noz'?
— Tudo. É bizarramente errado. — Ele repreende como um pai, sentindo responsabilidade por todos nós.
— Não pode comer pasta de amendoim depois do treino. Tem que comer antes. É bastante caloria. — Jordan Henderson surge e fala, chamando nossa atenção. Ele tem um haltere em cada mão fazendo movimentos repetidos. — Não acredito que eu tenho que cuidar desse estúpido time.
— Não, Hendo, você não precisa. — Todos gritamos em uníssono.
— Agora eu vou. — Ele diz soltando os halteres e arregaçando as mangas. Nós caímos na risada.
Saio da cadeira extensora e deixo a discussão da pasta de amendoim para trás. Vou até uma das esteiras ergométricas ao lado de um Sterling com fones de ouvido. A música está tão alta que consigo ouvir daqui, mas acho que Raheem não se importa se isso vai ou não estourar seus tímpanos. Eu ligo a esteira e começo um treino rápido.
, você está nisso com a irmã do ? — Eric liga outra esteira do meu lado e em segundos estamos correndo juntos. Às vezes esqueço que estou cercado de jogadores do Tottenham que convivem diariamente com .
— Quem te contou?
— Ben.
— Chilwell fofoqueiro. — Eu xingo baixo e Eric ri. — Então, depende. Na verdade, acho que ela prefere beber cloro a ter algo comigo.
não te odeia?
— Odeia e é recíproco.
— E você ainda acha que isso é uma boa ideia?
— Eu quase nunca tenho boas ideias, Dier.
Damos risada. Foi isso que eu aprendi porque diante de situações desfavoráveis, não adianta lamentar. Você ri e tenta fazer dar certo.
Depois de aumentar o ritmo da esteira por alguns minutos, faço uma pausa para beber água. Penso por alguns segundos, decido tirar o celular do bolso e abro o Instagram.



🏴⚽️🇧🇪



* 10 seguiu você*
* 10 curtiu sua foto*
* 10 curtiu sua foto*
* 10 curtiu sua foto*
* 10 curtiu sua foto*

Eu largo o celular na cama depois de checar as notificações no Instagram. São várias, mas as de são difíceis de passar despercebidas. Ele fez uma boa análise no meu feed e curtiu quase todas as fotos. Ainda bem que não comentou nada, porque eu poderia justificar uma curtida, mas não um comentário.
Meia hora depois, eu decido descer, porque meu estômago está roncando. Vou até o restaurante, ataco o bufê e me sento em uma mesa próxima da janela. Estou tranquila dando garfadas na comida quando uma agitação começa na porta do restaurante. E aos poucos o lugar está lotado de jogadores ingleses famintos. Eles estão em volta do bufê e consigo achar ali.
Mensagens de Jenna chamam a minha atenção e desbloqueio o celular ainda em cima da mesa. Começo a rolar a conversa com o dedo quando percebo que tem alguém parado próximo de mim.
— A cadeira está ocupada, ? — pergunta e se senta na cadeira ao meu lado. É uma surpresa, porque juro que não achei que ele tivesse me visto aqui.
— Não me chame assim, é esquisito.
— Por quê?
— Porque só o meu pai me chama de . Quando você fala, eu lembro dele.
— Interessante, conte mais. — Ele puxa a cadeira para frente. — Gosto de saber da sua vida.
Eu rio baixo.
— O que deu em você com o meu Instagram?
— Aquilo se chama engajamento. — Ele dá um sorriso, convencido. — E eu te dei muito.
Stalker. — Murmuro. — Achei que eu tinha te bloqueado.
— Fez pior, você não me seguiu de volta. Como vamos ser um casal se você não me segue no Instagram? — Quando penso em responder, ele pega o meu celular na mesa. Até tento pegar de volta, mas é inútil, sem falar na atenção necessária que atrairia para nós. Ergo a cabeça para espiar o que ele está fazendo. — Pronto, agora você segue.
Ele diz satisfeito, mas continua com o meu celular na mão.
— Tudo bem, stalker, agora você já pode me devolver?
— Espera um pouco. — dá um sorriso diabólico e começo a temer o que vem aí. Dependendo do que for, sou capaz de quebrar essas taças de vidro na cabeça dele. — Agora você pode pegar.
Pego o iPhone da mão dele. O meu perfil do Instagram está aberto, agora sigo uma pessoa a mais e a minha bio diz:

"@ 10 é o amor da minha vida! 💙"

— Você ficou maluco, ? — Meus olhos se arregalam e trato de apagar aquilo imediatamente antes que alguém veja. — Imagina se o meu irmão vê isso.
— O que ele ia fazer? — ri. — Está a milhares de quilômetros de distância.
Eu não digo nada porque de fato não sei o que faria, mas ele não ia gostar, com toda certeza. fica mais à vontade na cadeira e paro para olhar para ele. Ele usa uma polo preta da Seleção Inglesa e o cabelo está molhado. O cheiro do seu perfume é inebriante. Tenho que admitir que ele está lindo e cheiroso como na noite passada, no restaurante.
Começamos a comer em silêncio e vez ou outra eu olho para o outro lado do restaurante, onde todos os seus companheiros de time estão juntos, distribuídos em mesas. Estão quase todos lá, mas ele está aqui e a dúvida surge na minha cabeça.
— Por que está comendo comigo? — Questiono, mas não quero que ele vá embora. — Sabe, seu time está todo lá.
— Porque você está aqui sozinha. — Ele diz quando termina de mastigar. — E não é legal comer sozinha.
— Tem razão.
— Você não tem um agente ou coisa do tipo?
— Tenho, a Jenna. — Brinco com as batatas do meu prato. — Mas ela apenas me acompanha nos trabalhos e depois vai encontrar outro cliente.
— Bem, quando for assim, me manda uma mensagem. Podemos comer juntos. Quer dizer, meus horários de almoço são uma bagunça, porque tudo depende da hora do treino, mas qualquer coisa, eu te aviso. — pisca para mim.
Tento evitar, mas é impossível não achar isso fofo. Quer dizer, essas viagens são sempre bem solitárias. Desde que o meu irmão e a minha família foram embora de Doha eu venho fazendo tudo sozinha, e quando não estou sozinha, é a minha única companhia. Mesmo que eu implique bastante com ele na maior parte do tempo, cada dia mais eu gosto de tê-lo por perto.
— Essa é a sua tática para conseguir que eu te passe o meu número?
— Não preciso que você me diga o seu número. Alguém já me deu e eu já salvei.
— O quê? Quem foi?
— Para que você quer saber quem foi?
— Para eu poder matá-lo. — Digo e ri na mesma hora, eu continuo com a minha falsa pose de indignação. — Foi o Chilwell, não foi? Aquele traíra.
Ataco o bife de carne com o meu garfo. Agora está roubando as batatas do meu prato que eu não comi.
— E se for?
— Ben não pode ficar do seu lado, ele tem que ser imparcial!
— E se ele não for? Essa vai ser sua desculpa para desistir da nossa aposta?
— Claro que não. — Cruzo os braços. — Eu não desisto.
— Ótimo, eu também não.
E o resto do almoço é agradável, ele é mais divertido do que eu imaginava. Eu e conversamos mais algumas banalidades enquanto tento, o tempo todo, me convencer de que não há uma sintonia aqui.



🏴⚽️🇧🇪


Lista de coisas que você pode fazer se se hospedar em hotéis de luxo:
1. ir ao spa e à hidromassagem.
Fim da lista.

Nesse hotel, as suítes deluxe são quase uma casa, mas mesmo gostando muito do meu espaçoso quarto, também gosto muito de ficar aqui embaixo. Os espaços do Haltz Carlton são incríveis, é uma mistura do moderno com o tradicional, criando uma autêntica experiência multicultural. Combina a opulência contemporânea com o calor de uma tradicional acolhida árabe.
Jenna não poderia ter escolhido melhor. É o que penso quando olho para ela. Estou dentro da hidro, deixando que o meu corpo seja abraçado pelas águas borbulhantes enquanto ela está do lado de fora, sentada em um banco com o celular na mão. Seu terninho ainda está impecável apesar de já estar de noite e não sei como ela não está morrendo de calor com isso.
— Então o que temos para amanhã? — Pergunto.
— Mais fotos.
Eu gemo de insatisfação.
— Por favor, não me diga que são ao ar livre.
— Não, essas são no estúdio. — Ela analisa algo no celular. — Depois uma pequena publi para a Nike e a participação no PodCast da CBS Sports. Tranquilo, não?
— É, tranquilo.
— Bom, por hoje é só. Acho que vou indo dormir, . — Ela diz enquanto se levanta sem ao menos bloquear a tela do celular que permanece acesa.
— Boa noite, Jenna.
Agora que a minha agente foi embora, estou sozinha. Pego meu celular porque não há muito o que fazer aqui. Decido dar uma olhada no Instagram da CBS Sports quando aparece uma notificação no topo da tela, é uma mensagem de .

: onde vc tá?
Eu: na hidro

Decido responder, pois as falanges dos meus dedos estão coçando de curiosidade. Passa das nove da noite, o que será que ele quer? Eu mergulho até que a água passe o topo da minha cabeça e minutos depois de emergir consigo ver a sua silhueta se aproximando. E cada vez os seus detalhes ficam mais visíveis para mim.
Ele está de camiseta branca e bermuda, e o cabelo está molhado como na hora do almoço. Imagino que ele tome um banho toda vez antes de me ver. Quer dizer, higiene é importante, não é? Eu mesma tomaria um banho a cada cinco minutos se ficasse horas embaixo do Sol treinando com uma bola e outras suando dentro de uma academia.
Quando ele se aproxima o suficiente, meus olhos crescem e traçam um rastro invisível por todo o seu corpo. Fala sério, é um dos caras mais bonitos que já vi. Ele tem uma pele muito beijável, e se isso for uma qualidade, é toda dele. Mas ainda quero ganhar essa aposta, o meu orgulho é muito maior do que as minhas vontades reprimidas.
— Por que me disse que estava aqui? — Questionou e eu viro de costas, ainda na água, para poder olhar para ele.
— Foi o que você perguntou, .
— Eu sei, mas você podia ter mentido. — Ele senta no banco que antes estava Jenna, ficando atrás de mim. apoia os antebraços na parede da hidro e o ângulo do corpo dele faz com que todos os músculos do braço esculpido aumentem sedutoramente. — Eu ia te procurar pelo hotel igual um idiota.
— E não iria me achar.
— E provavelmente iria dormir tarde hoje. — Ele afirma balançando a cabeça.
— E perderia o treino amanhã.
— Não. James é meu colega de quarto, ele jamais deixaria isso acontecer. Inclusive, ele deve estar cronometrando o meu tempo, acho que ele só vai dormir quando eu voltar.
— Então vá, não faça o pobre Madders perder o sono.
— Não, ele pode esperar. — apoia o queixo nos braços e eu recuo um pouco, porque agora estamos verdadeiramente próximos. Não consigo parar de encarar os seus olhos, são um bonito marrom escuro que também não saem de cima de mim. — O que você fez hoje?
— Você prefere ficar aqui para saber do meu dia entediante? — Ele assente como se fosse a melhor história que poderia ouvir. — Bem, fiquei a tarde inteira na praia fazendo fotos e enfurnada em carros indo de uma ponta a outra na cidade. Quando cheguei aqui, quase fui escrota com o atendente porque queria um milkshake, mas eles já tinham encerrado esse serviço e eu não estava a fim de sair de novo.
— Foi mais legal que o meu.
— Ah, fala sério! Você está numa concentração para um jogo importante. Eu daria tudo para ter essa vida de volta.
Um suspiro nostálgico sai pela minha boca e lembro da pior época da minha vida. Eu estava na minha melhor fase, acertando uma transferência para o Lyon quando essa merda de lesão estragou tudo. Eu estava tão animada, a mudança de clube ia alavancar tudo, porque como a minha amiga, Lucy Bronze, já disse uma vez, você não pode dizer 'não' ao Lyon. E contra a minha vontade, eu tive que dizer.
percebe que o assunto me deixou chateada e tenta atenuar a situação.
— Ah, merda, sinto muito, . Esqueci que você teve que parar de jogar.
— Tudo bem.
— Ah, mas porra... — parece extremamente inconformado, tanto quanto eu fiquei quando tudo aconteceu. — Eu lembro de você ser muito boa. Não teve mesmo jeito?
— Eu tive fratura dupla na tíbia e fíbula depois de uma entrada atrasada de uma jogadora do Frankfurt em um jogo da Champions. — Explico, me aproximando dele. — Eu até consegui voltar a jogar, mas o meu retorno não foi sustentável. No começo da outra temporada, a minha perna cedeu de novo. Os médicos disseram que era definitivo, eu não ia aguentar o ritmo dos jogos nem dos treinos.
— Sério, que merda.
— É mesmo. — Dou de ombros. — Mas já superei isso, nós temos que aceitar as coisas como são.
— É você está certa, não posso reclamar, mas... — Sua mão desliza no meu rosto e ele sussurra: — Você foi a parte mais legal do meu dia.
— Pare de flertar comigo. — Eu desvio o olhar querendo rir.
— Por quê? — Ele finge me estudar, deliberadamente. — Está funcionando?
— Nenhum pouquinho.
— Então o que eu tenho que fazer para funcionar?
De repente, estou de joelhos na hidro e o meu corpo submerge, fico quase da altura de tentando desvendar o que se passa na cabeça dele. Ele é charmoso e doce ao mesmo tempo que consegue ser ousado e pretensioso sem aquela merda de ser ardiloso.
Eu provoco e dessa vez sou eu quem tem a primeira atitude audaciosa. Me aproximo mais e toco o seu tórax com as minhas mãos molhadas. A água molha cada linha e vai deixando o tecido transparente. Felizmente, com isso, ele entende que também quero que ele me toque.
— Você não iria querer saber.
Consigo sentir a sua respiração no meu rosto e as suas mãos mergulham e as sinto na minha cintura. Os seus dedos esfregam contra a minha pele, um pouco acima do laço da calcinha do meu biquíni.
— Quem está flertando agora?
Eu encaro seus olhos escuros, subo as minhas mãos pelos seus braços fortes até os ombros e, em seguida, até o seu pescoço. Quase pressiono sua nuca com as unhas quando suas mãos sobem para minha cintura e a sua boca se aproxima do meu ouvido:
— O que deu em você?
Ele diz baixo, quase que em um sussurro e, em seguida, deixa um beijo no meu pescoço.
— O que quer dizer?
está distribuindo beijos por toda extensão do meu pescoço e eu quase gaguejo quando ele dá uma mordida leve.
— Não sei, parece que você está sendo anormalmente legal comigo. Já se passaram... — Ele checa a hora no relógio. — Cinco minutos e você ainda não me mandou ir embora.
Puxo seu rosto para ele olhar para mim, e falo com nossas bocas separadas por milímetros:
— Bem, eu te daria um soco na cara agora se você quisesse.
Ele ri surpreso, mas não se afasta. Estou quase mandando essa porra de aposta para o espaço, porque não tenho juízo algum quando ele está perto assim, mas um barulho estridente interrompe o nosso momento. Vem do bolso dele.
— Bem, acabou o nosso tempo.
Ele diz depois de checar o celular e me mostrando uma mensagem de James. Eu me afasto e ele levanta.
— Que pena.
Apoio as mãos no fundo da hidro e dou uma risadinha, observando-o, porque não sou eu que tem uma ereção para esconder. Ele passa as mãos pelos cabelos e acho que está se controlando ao máximo para não ficar aqui.
— Boa noite, . Sonhe comigo. — Ele diz e começa a se afastar, então eu falo de volta.
— Só se eu quiser ter pesadelos, .
Apoio a cabeça no encosto na hidro e olho para o céu estrelado. Não tenho moral nenhuma para rir do seu desespero sexual, porque estou do mesmo jeito.
E se essa nossa brincadeira continuar assim, ele vai me enlouquecer.





Continua...



Nota da autora: Oi amores!! Me contem o que vocês estão achando até agora, e entrem no grupo do Facebook, aviso quando as atts são publicadas por lá!!



Outras Fanfics:
Best Mistake (Outros/ Em Andamento)
24. Insomnia (Shortfic/Finalizada – Ficstape Thank U Next)
12. Break Up With Your Girlfriend, I’m Bored (Shortfic/Finalizada – Ficstape Thank U Next)
04. Lose You To Love Me (Shortfic/Finalizada – Ficstape Rare)

Nota da beta: Oi! O Disqus está um pouco instável ultimamente e, às vezes, a caixinha de comentários pode não aparecer. Então, caso você queira deixar a autora feliz com um comentário, é só clicar AQUI.

Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.


comments powered by Disqus