Contador:
Última atualização: 13/04/2021

1.

Morris fechou os olhos com força ao ouvir o celular apitando, puxando o travesseiro por sobre a cabeça para evitar o som estridente do despertador. Se desligasse, voltaria a dormir no mesmo instante e, embora fosse uma opção muito tentadora, não estava em seus planos.
Resmungou umas duas vezes antes de finalmente se mexer, tateando o criado mudo e desligando o telefone. Suspirou cansada, antes de sentar na cama, bocejando enquanto passava a mão pelos cabelos bagunçados. Esfregou o rosto seguindo em direção ao banheiro, tirando seu pijama e jogando-o pelo quarto do hotel.
Deixou a água quente cair por sobre seu corpo por alguns instantes, antes de virar-se para os lados, procurando os pequenos potes de shampoo e condicionador que eram oferecidos pelo Langham Palace. Sabia que não poderia enrolar muito, já que tinha uma entrevista em menos de duas horas, mesmo que não estivesse tão interessada naquele trabalho.
Se havia voado para Nova York no dia anterior foi por pura insistência de sua agente, que achou melhor ela pelo menos recusar cara a cara, para ser mais educada;
“Não se pode cuspir no prato, e se amanhã você quiser trabalhar com algum dos produtores?”
Saiu do banho enrolando os cabelos compridos em uma toalha branca, enquanto secava-se com outra, a qual logo prendeu ao redor do corpo ao rumar novamente para o quarto, vestindo suas roupas íntimas e a roupa social que havia separado na noite anterior.
Ouviu alguém bater à porta instantes depois, enquanto penteava os cabelos molhados, borrifando um laquê para evitar que os mesmos armassem muito ao secarem naturalmente.
Virou-se em tempo de ver um dos funcionários do hotel entregando seu café da manhã, retirando-se após desejar-lhe um bom dia.


terminou de comer sem pressa nenhuma, respondendo as mensagens de sua mãe perguntando sobre a reunião, aparentemente a mulher havia esquecido de algo chamado fuso horário e imaginava que a filha já tinha tomado uma decisão. Depois disso deu uma rápida olhada em seu Twitter enquanto terminava seu chá, respondendo J.K. Rowling, a qual havia a mencionado em um comentário sobre uma cena dos bastidores do filme, tomando cuidado de checar se a localização do aplicativo estava realmente desligada antes de postar; A inglesa não se incomodava de ser abordada, mas tinha a ligeira impressão de que os estúdios que a chamaram iriam querer manter sua visita o mais discreta possível, já que existia a possibilidade das negociações não terminarem bem.
Ao descer para o lobby do hotel, esperando o táxi que a levaria até o endereço não tão longe dali, ouviu um gritinho estridente, e não pode deixar de sorrir ao ouvir;
— Mamãe, é Samantha Black!
— Olá! — Disse , tentando controlar a risada quando a garotinha, que não devia ter mais que dez anos empalideceu, apenas para corar fortemente em seguida. A criança estava de mãos dadas com a mãe, que esperava para fazer o checkout.
— O-oi — respondeu a mais velha, pigarreando em seguida ao perceber como sua voz soou nervosa — Minha filha, Hannah, é doida pelos filmes e livros.
— Hm, Hannah… Eu já te vi antes? — Questionou a atriz, erguendo uma sobrancelha e colocando uma mão no queixo, a criança riu de sua expressão exageradamente pensativa — Você já tem idade para estar em Hogwarts? Será que eu te encontrei pelos corredores antes das férias?
A garotinha tornou a rir, balançando a cabeça em negação, embora parecesse entusiasmada.
Não?! Tem certeza? Será que são seus óculos, então? Você os pegou emprestado com meu amigo Harry Potter?
Dessa vez a criança assentiu, e foi a vez da inglesa rir;
— Bem, Harry deve estar com problemas, porque ele não enxerga nada sem os óculos… — Fez uma careta, vendo-a rir empolgada.
— Você poderia tirar uma foto com ela? — Pediu a mãe, com o rosto corado e um celular pronto em mãos. Morris logo concordou, se virando mais uma vez para a criança.
— Você quer tirar uma foto? — Perguntou animada, e a garota logo soltou-se da mãe parando ao lado da loira, passando um de seus bracinhos por de trás do ombro da mulher, que havia agachando-se para ficarem do mesmo tamanho.
Vendo o sorriso largo das duas, a mãe também se flagrou sorrindo.
— Nós vamos assistir o filme mês que vem! — Contou a criança, se afastando minimamente da atriz assim que sua mãe sinalizou que já podiam se mexer livremente.
— Acha que vai ser bom?
— Acho que vai ser ótimo!
— Eu também! — Confessou, piscando de lado para a garota, abraçando-a para se despedir quando avisaram que seu táxi já havia chegado.


Morris olhou as ruas movimentadas de Nova York pela janela do carro quando o taxista parou no sinal, sorrindo por um instante ao lembrar-se de que poderia aproveitar sua estadia na cidade para mais do que uma reunião e, com sorte, algumas compras.
Felton, estou em NYC.
Espero que você e Jade estejam disponíveis hoje, se não estiverem, azar, vou aparecer aí igual! Saudades de vocês!”

Havia acabado de pagar pela corrida quando sentiu seu celular vibrar com a resposta do amigo, despediu-se do motorista, agradecendo antes de colocar-se para fora do carro, se certificando que não tinha esquecido nada no veículo. Esperou algumas pessoas passarem por ela antes de seguir para a entrada do prédio, respirando fundo antes de passar pela porta giratória.
Logo pegou o elevador até o andar indicado pela recepcionista, aproveitando para checar a nova mensagem:
“Deveria ficar preocupado com o mistério da sua vinda não anunciada? Eu estou em uma reunião, mas podemos almoçar, Black”
Riu sozinha ao ver o elevador parar e as portas se abrirem. Olhou ao redor, andando em direção a grande mesa da secretária, não precisando de muito para identificar-se;
— O sr. Whedon está em uma ligação, não deve demorar mais do que alguns minutos.
— Sem problemas, obrigada! — Respondeu, sentando-se em uma das cadeiras mais ao canto da sala.
— Aceita algo para beber?
— Não, não, pode ficar tranquila!
Tornou a baixar o olhar para o celular, digitando rapidamente uma resposta para o amigo, enquanto aguardava.
“Dan está na cidade também, podemos encontrar com ele durante a semana.”
— A senhorita já pode entrar! — Ouviu a voz da mulher, menos de um minuto depois, sorrindo e acenando com a cabeça, ao tempo que colocava o aparelho no silencioso.


Joss a cumprimentou com um aperto de mão e um beijo do rosto assim que abriu a porta de sua sala para que ela entrasse, sinalizando a cadeira em frente à sua mesa enquanto dava a volta no móvel para ocupar seu lugar.
Em todos os emails trocados nas últimas semanas e até nas ligações feitas entre os dois, Morris pode notar como o homem estava ansioso, e sua consciência pesou um pouco: Aquele papel havia sido oferecido meses atrás e o recusou de imediato, já que havia deixado claro que não queria contratos longos tão rápido, e agora os produtores do filme ainda estavam à procura de uma atriz e mais uma vez ela havia sido cotada.
Whedon já sabia muito bem o posicionamento da mulher em relação a alguns pontos do possível contrato - já que eles haviam sido o motivo da recusa anterior-, e precisava de alguma forma apresentar mais pontos atrativos para conquistar seu interesse, o que, até então, não havia sido fácil, nem o aumento do seu cachê inicial pareceu atraí-la;
— Tudo bem, consigo ver nos seus olhos que você está incomodada com algo — suspirou Joss assim que terminou de passar os detalhes principais para , deixando que o arquivo se fechasse como bem queria a sua frente, afundando mais um pouco em sua cadeira, estudando com cuidado a expressão incerta da jovem — vá em frente. Me conte.
— É um contrato muito longo, Joss — falou de uma vez, apoiando o queixo na mão — Eu vivi um mesmo personagem por dez anos, e você quer que eu fique presa a outro por mais seis?
— Na verdade… — Interveio o diretor, soltando uma risada nervosa antes de continuar — É um contrato de seis filmes, sem contar as séries, mas não são filmes seguidos, talvez tenha espaço de um ano ou dois entre eles, então…
— É um contrato de mais de seis anos e que pode ser estendido? Joss…! — Choramingou a mulher, jogando a cabeça para trás até encontrar o encosto.
sabia muito bem que a proposta que recebia violava algumas das decisões que havia tomado nos últimos meses, de não se comprometer com um projeto de longa duração por um bom tempo, mas não esperava receber praticamente uma nova série de filmes.
— Não é que eu não tenha gostado do personagem, ou da história. Admito que pelo meu conhecimento de Marvel e quadrinhos é quase uma vergonha eu ter entrado nesse prédio, mas eu realmente gostei do projeto, sem contar que o que vocês estão planejando é algo como eu nunca vi antes. Só que eu não me sinto pronta para me comprometer com algo desse porte no momento. O último Harry Potter ainda nem estreou… Você entende o que eu estou falando?
— Claro que eu entendo, ...Só que nós realmente gostamos de você — insistiu o homem — Downey assistiu às gravações do seu teste esses dias, e ele está completamente apaixonado. Não me surpreenderia se ele te adotasse, ou algo do tipo.
Morris deixou escapar uma risada tímida, assistindo o diretor empurrar a lateral do monitor de sua mesa para que ela tivesse uma melhor visão; uma linha do tempo com os próximos lançamentos do estúdio preenchia toda a tela.
— Se você olhar bem… Não é um contrato tão rígido — contou Joss, apontando para o primeiro quadro no esquema, identificado como “Vingadores – 2012” — Você é introduzida nesse. Como eu já disse, as gravações das suas cenas já foram adiadas por causa da sua participação da Press Tour de Harry Potter, sem problemas. Contando apenas os filmes, você só volta aqui, em 2014, no segundo Capitão América. Depois disso, você provavelmente participa de todos os filmes em que a equipe estiver reunida. Não posso te entregar tantos detalhes assim, desculpe… Nesse espaço de tempo entre Vingadores e o segundo Capitão, estamos planejando a série em parceria com a Netflix. A vantagem é que eles lançam a temporada inteira de uma vez, o que significa…
— Que os episódios seriam gravados em pouco tempo. — Concluiu a inglesa, respirando fundo para dar o braço a torcer — Talvez não seja um contrato tão rígido, mas continua muito longo. Eu sei que não é isso o que você quer ouvir, — tornou a olhá-lo — e eu realmente gostaria de ajudar, mas por mais interessante que seja tudo isso…
, — Joss levantou a mão, antes que ela terminasse a frase — apenas considere. Por favor! Testamos outras atrizes, mas nenhuma se encaixou tão bem no papel quanto você. Consideramos até cortar a Stark dos filmes. Você é simplesmente perfeita para isso!
Morris não podia negar que o elogio que recebeu fazia muito bem para seu ego, estava a ponto de dizer sim só por aquilo.
— Eu só não quero tomar uma decisão precipitada e correr o risco de me arrepender depois, seria um problema para nós dois uma rescisão de contrato após um ou dois filmes… Sinceramente eu vim pronta para dizer não. — Confessou sem graça, vendo-o concordar pesaroso — Mas vou precisar pensar um pouco mais sobre o assunto.
— Posso te dar apenas até o fim da semana — disse Joss, sua voz deixando claro que ele também não estava confortável com a situação.
Aquela contratação deveria ter acontecido meses atrás, junto com de outros atores que seriam introduzidos naquele filme, como Cobie Smulders e Mark Ruffalo, mas não encontraram mais ninguém que eles acreditassem que formaria uma boa dupla com Downey, que conseguisse manter o mesmo carisma que já havia se tornado característico da família Stark, e agora ele e Kevin tinham que lutar contra o tempo para que tudo seguisse como planejado.
— Qualquer que seja a decisão que você chegue, preciso agradecer por ter vindo para cá. Sei que é complicado estar às vésperas da estreia de um filme, ainda mais em uma franquia tão longa.
— Problema nenhum, Joss. — sorriu a inglesa, se levantando com sua cópia do contrato em mãos, para analisar com mais calma — Prometo que vou pensar com muito carinho. E tentar te dar a resposta antes do prazo também, para não deixar tudo tão em cima da hora, seja qual for a minha decisão.
Joss agradeceu mais uma vez enquanto apertava a mão da mulher, que logo deixou a sala com tanta coisa na cabeça que poderia simplesmente voltar para o hotel e dormir mais um pouco. Ao invés, colocou o contrato dentro da bolsa e seguiu para fora do prédio, procurando por um táxi para encontrar com Felton.
Sabia que não deveria debater aquele assunto com mais ninguém, para evitar que caísse na mídia, mas precisava de ajuda e ninguém melhor que alguém que também esteve em Harry Potter para aconselhá-la com aquilo. Era um contrato quase tão longo quanto o que tinha acabado de finalizar, mas ao mesmo tempo, era o único trabalho que lhe havia sido oferecido até o momento.
O que aconteceria se ela negasse e depois não recebesse mais nenhuma oportunidade?
E se sua carreira se resumisse a saga do bruxo?
🎬🎬


saiu do táxi e andou até a recepção do Redbird, um restaurante popular da cidade. Logo sendo encaminhada para uma mesa mais ao canto do restaurante, pediu uma água com gás e aguardou a chegada do amigo, o qual, a inglesa esperava, não atrasasse muito, pois estava faminta.
O lugar não era muito grande, na verdade, mal deveriam caber cem pessoas ali, mas a comida, segundo Felton, era ótima e a vibe muito boa.
estava em uma das mesas mais ao canto do restaurante, a qual comporta até quatro pessoas no sofá de estofado vermelho. Além das paredes brancas, o restaurante ainda contava com iluminação natural com telhas características e, como fazia muito sol naquele horário, o ambiente estava bem iluminado e trazia um ar aconchegante com algumas plantas espalhadas pelo espaço. O lugar também possuía algumas banquetas laranjas chamativas ao redor do bar, contrastando com as cores claras do ambiente.
Morris distraiu-se com o celular, bebericando sua água de vez em quando, aproveitando para enviar uma mensagem para sua agente e no grupo de sua família, avisando que ainda não tinha uma resposta definitiva. Também mandou uma mensagem para Daniel, pedindo um ingresso para o show do amigo, o qual ela sabia estar na cidade em uma peça da Broadway.
— Olá! — Felton disse sorridente tocando no ombro da amiga.
A inglesa virou—se assustada por um instante, até reconhecer o loiro. Levantando—se sorridente para abraçá-lo.
— Vou perdoar seu atraso, mas só porque sou muito legal! — Avisou soltando-o.
— Eu não me atrasei, estou no horário combinado, você quem chegou antes. — Rolou os olhos, virando-se para o amigo — E esse é Sebastian Stan, — o homem adiantou-se para cumprimenta-la — Seb, Morris.
— Muito prazer! — Disseram ao mesmo tempo, trocando um aperto de mão educado e um beijo no rosto.
— Espero não estar atrapalhando… — O outro comentou sem jeito, sentando-se ao lado do amigo.
— Imagina, Tom costuma ser bem chato, então é bom ter outras pessoas junto! — A mulher brincou.
— Você é insuportável! — Felton replicou, falsamente bravo. — Já pediu? — Perguntou apontando para o cardápio, ao vê-la negar, o inglês fez um sinal com a mão chamando o garçom.
Pouco depois o rapaz, que não deveria ter passado dos vinte (e parecia levemente nervoso ao atender os três), deixou mais dois menus na mesa, além de arrumar as coisas para Sebastian, visto que a reserva inicial era para duas pessoas.
Eles permaneceram em silêncio por alguns minutos, analisando suas opções e, vez ou outra fazendo um rápido comentário sobre um prato ou pedindo opiniões ao garçom, principalmente no caso de , que não sabia o que podia ser uma boa escolha no lugar. Assim que o rapaz tornou a se afastar, com seus pedidos anotados, o trio voltou a conversar;
— Então, — Sebastian foi o primeiro a puxar assunto — você vai ficar quanto tempo na cidade?
— Só até o final de semana — respondeu tranquila —, preciso voltar para Inglaterra, ainda tenho alguns compromissos antes da Press Tour… — Fez uma careta leve. — E você? Mora aqui?
— Sim, embora passe muito tempo em L.A quando tenho trabalho. Aliás, foi lá que eu conheci o Tomzinho! — Apontou para o amigo, fazendo uma voz fofa, os outros dois riram — Mas na verdade não tem muita diferença entre as duas cidades. O trânsito, por exemplo, é horrível. — Reclamou enquanto apoiava o cotovelo na mesa, levemente indignado.
O garçom apareceu deixando uma cerveja para os dois homens, e um drink colorido para Morris.
— Eu acho que não existe lugar com um trânsito bom. É sempre um terror! — concordou, lembrando-se de Londres, Sebastian notou o sotaque forte que ela tinha, mais puxado do que o do amigo. — Já cheguei ao ponto de deixar o carro e ir andando pra casa, porque já tinha ficado uma hora parada no mesmo lugar!
Felton negou com a cabeça, sabendo da história, mas Sebastian pareceu assustado;
— Você largou seu carro?
— Meu irmão estava junto, e não era muito longe de casa também… — Deu de ombros, sorrindo de leve quando Stan começou a rir, concordando.
— Infelizmente nunca consegui fazer isso, mas parece uma boa ideia!
— Vocês são muito exagerados, meu deus… — O outro comentou distraído, brincando com um guardanapo.
— Hmf, deixa de ser chato. — Morris reclamou antes de voltar a falar com Sebastian — Mas mudando de assunto, você já esteve em Londres, né?
— Sim, passei alguns dias… — Sorriu de leve.
— O que você achou do clima? É outra coisa que costuma me irritar bastante.
— Na verdade, nada me irrita mais do que o trânsito, mas quando eu fui estava chovendo, e o único dia que não choveu ficou o dia inteiro nublado… Sabe como é difícil conhecer os pontos turísticos em dias chuvosos?
riu acenando. Felton olhava de um para o outro, rolando os olhos de vez em quando, como podiam reclamar tanto de coisas que já deveriam estar acostumados?
— Mas imagino que deva ser pior nos poucos dias ensolarados, todos os turistas da cidade aproveitam esses dias, e moradores também, apesar de que a maioria ainda prefere os parques…
— Argh, sim. Não tem lugar livre das pessoas. Ás vezes só queria um espaço tranquilo, mas sempre tem mil crianças correndo e brincando por todos os lados, gritando o tempo todo…
— Exatamente! Por isso eu prefiro ficar em casa, seja na minha ou de alguém! O que me lembra, vocês dois meio que são vizinhos, não é? Visto que o Tom me abandonou em Londres...
— Morris, as pessoas precisam manter certa distância depois de mais de dez anos junto de você! — Respondeu sacana, Stan riu baixo e pareceu ofendida.
— Pra sua informação, minha mãe chorou horrores quando eu sai de casa, ok? — Cruzou os braços, parecendo chateada. Os dois homens gargalharam na sua frente, antes de iniciarem outro assunto.
Os três acabaram contando brevemente algumas histórias, na maioria Tom estava com um dos dois, já que era o ponto de ligação entre eles, e Sebastian então contou dos meses que trabalharam juntos.
Até a hora do garçom voltar com os três pedidos, eles já tinham rido bastante, embora Tom estivesse um tanto inconformado por ser o maior alvo das piadas.
— Mas, e vocês, estavam fazendo o que antes de vir para cá? — A mulher perguntou bebericando seu drink.
— Stan está no elenco do Labirinto também, tivemos uma reunião com o resto do pessoal, para discutir algumas coisas e pegar uma review do roteiro…
— E descobrimos que Felton vai deixar os cabelos crescerem! — Sebastian contou animado, virou-se para o amigo, a expressão surpresa.
— Como é? — Questionou, segurando uma risada.
Tom rolou os olhos, dando de ombros enquanto respondia, não parecendo tão animado quanto os outros dois:
— Meu personagem é de uma linha de tempo antiga, da época medieval, então vou precisar deixar crescer, provavelmente a barba também.
— Um perfeito Lucius Malfoy, não é? — Comentou divertida, fazendo os dois rirem.
O garçom voltou com mais bebidas, dessa vez, três coquetéis escolhidos pelo próprio barman, deixando-os na mesa e saindo em seguida.
— Ok, ok, você já sabe que eu e ele vamos trabalhar juntos de novo, mas e você? Tá fazendo o quê aqui? — Tom perguntou após tomar um gole de sua nova bebida.
— De novo…? Espera! Ele é o Sebastian que você não parava de falar? Eu não acredito nisso! — Morris bateu as mãos na mesa, fazendo um barulho um pouco mais alto do que gostaria.
— Como é? — Stan tinha uma expressão surpresa — O que ele falava de mim?
— Felton falou de você e da Greene por semanas! — Contou enquanto mexia com o canudinho em sua bebida azul, tomando um gole em seguida — Irritantemente insuportável!
— Você estava com ciúmes, do mesmo jeito que ficou quando eu comecei a namorar com a Jade! — Felton acusou com um sorriso maroto. novamente pareceu ofendida.
— Perdão? Desculpe se eu acho chato estar com meus amigos e um deles, bêbado, só falar do quanto se divertiu na América com seu mais novo amigo, Sebastian. — Replicou rancorosa — E caso você tenha se esquecido, eu fui a pessoa que contou pra Jade que você queria convidá-la para sair, mas era tímido demais para isso!
Stan riu da pequena discussão dos dois, vendo Felton corar levemente, sem ter como rebater o último comentário.
— Ele sempre faz isso, não é? — Sebastian comentou com a inglesa, que afirmou.
— Ok, oficialmente foi uma péssima ideia apresenta-los, vocês já são chatos separados, juntos então… — Ergueu as mãos para o céu. — Que duplinha insuportável!
— Não seja exagerado, Felton. — O romeno riu antes de dar uma garfada em seu prato.
— Tanto faz, e você ainda não me disse o que veio fazer em NY. — Virou-se para Morris, que parecia bem feliz enquanto comia sua refeição.
A inglesa fez uma careta leve, terminando de mastigar antes de responde-lo.
— É claro que eu disse, você quem não presta atenção no que eu falo! — Reclamou olhando brevemente para o amigo — Em todo o caso, tive uma reunião sobre um possível novo trabalho. Ainda não sei se vou aceita-lo.
— Por que não? Personagem ruim? — Sebastian perguntou interessado.
— Não, muito pelo contrário, é um ótimo personagem. — Suspirou — O problema é o contrato, é muito longo… Não estava querendo entrar em outro desses tão rápido…
— Quão longo? — Foi Felton quem questionou, tomando mais um gole de sua bebida.
— Seis filmes e, talvez, seja estendido… — Olhou para o loiro que fez careta, entendendo completamente o motivo da dúvida. Depois de passar dez anos como Draco Malfoy, sendo privado até de se bronzear já que Draco era extremamente pálido, ele também não iria querer passar anos preso em mais um único personagem.
Sebastian parou de comer, olhando para a mulher com o cenho franzido.
— Esse contrato… — Começou pensativo — É com a Marvel?
Morris o olhou por alguns segundos, concordando com um aceno.
— Como sabe?
O homem sorriu de lado, rindo baixinho.
— É parecido com o meu… — Deu de ombros — E soube que ainda não contrataram ninguém para ser a Princesa Stark.
— Espera, o que? — Felton engasgou-se com a comida, tossindo algumas vezes antes de virar-se para , chocado — Você vai ser a filha do Tony Stark?
— Shiiu! Fala baixo, Felton. Não era nem para eu estar conversando sobre isso. — Resmungou, olhando para os lados, antes de dar mais uma garfada em sua comida, completando antes de levar até a boca — E eu acabei de dizer que não sei se vou aceitar! — Rolou os olhos, impaciente — Quer dizer que você também está nos filmes, é? — Virou-se para o moreno, que riu ao negar;
— Não, no novo não, na verdade nem mesmo sei quando vão voltar a me chamar… — Deu de ombros, vendo os dois o encararem confusos. — Meu contrato é para nove filmes, mas não tenho a linha temporal que vão acontecer, a única coisa que eu sei, é que não apareço com os Vingadores.
— Meu Deus, o que você assinou? Você leu primeiro, né? — Tom perguntou aos risos.
— Nove film…?! — Ofegou ao mesmo tempo, desacreditada — Você vai terminar este contrato quanto estiver se aposentando!
— Ei, eu pareço ser tão velho assim? — Resmungou Sebastian, um tanto ofendido — Eu sou quase da idade de vocês!
— Só gente velha fala essas coisas, Stan. Se controla! — O amigo brincou, rindo quando o romeno revirou os olhos.
— Qual seu personagem mesmo? — emendou, ainda rindo da brincadeira de Tom — E por que não está nesse filme?
Sebastian a encarou com o cenho franzido, quase ofendido por ela não tê-lo reconhecido;
— Porque o Bucky terminou o filme caindo do trem, não foi? Teoricamente ninguém sabe se ele sobreviveu ou não… — Relembrou, vendo-a parecer ainda mais confusa.
, meu amor, — Tom começou lentamente, chamando a atenção dos dois — você já assistiu Capitão América, não?
— Ah… — A inglesa sorriu amarelo, causando uma crise de risos em Felton e uma expressão ainda mais ofendida de Stan — Eu posso, ou não, ter me distraído enquanto assistia ao filme…
— Por Deus mulher, como foi que você não prestou atenção?
— Oras, desculpa, mas eu estava em um encontro, ok? Tinha coisas mais interessantes para fazer do que ficar prestando atenção em um filme que nem era do Batman!
— Você… Eu não escutei isso! — Sebastian negou, parecendo horrorizado — Morris, se você vier a aceitar esse emprego, nunca mais comente algo assim, ok?
— Como se eles já não soubessem! — A mulher deu de ombros. — Sebastian, o que eu mais tenho é foto com atores da DC, não tem a mínima possibilidade de não saberem que eu sou fã!
— Eu gostaria de saber como foi que eles resolveram te chamar para o papel… — Tom riu, passando a língua pelos lábios — Mas, ei, me diz uma coisa; Com quem você foi assistir o filme? Que tipo de amizade é essa que eu nem sei mais quem você anda beijando, Morris?
apenas piscou na direção do amigo, sem nada responder.

Após terminar mais um coquetel, Felton encarou o relógio no pulso, espreguiçando-se desajeitado.
— Preciso ir… Tenho que resolver algumas coisas ainda…
— Mas já?
— Stan, fazem quase quatro horas que estamos aqui, eu já bebi horrores, e não tenho mais o que dizer, principalmente com a Morris, temos que guardar alguns assuntos para a Press Tour, ou ficaremos entediados durante os vôos!
— Eu já falei que dessa vez meu parceiro de viagens será o Dan, você dorme muito rápido! — A mulher avisou também terminando seu drink. — Você já viajou de avião com ele? — Sebastian negou rindo — Se for mais de duas horas, arranje outra pessoa. Felton dorme muito rápido, é extremamente chato!
Tom chegou a abrir a boca para se defender, mas acabou apenas dando de ombros.
— Não tenho argumentos contra isso. — Sorriu de leve, chamando o garçom e pedindo a conta. — Vocês vão ficar?
— Não posso, embora isso aqui seja muito bom — apontou para sua taça vazia — Tenho que voltar para o hotel, conversar com minha agente e rever esse contrato… — Comentou coçando os olhos, cansada só de lembrar o tanto de coisas que tinha para resolver até sábado.
— Bem, já que você está por aqui essa semana, esteja livre sexta-feira à noite. É aniversário da Jade e vamos dar um jantar lá em casa, não aceito não como resposta, e duvido que ela vá aceitar quando souber que você está na cidade. — Avisou retirando a carteira do bolso — O mesmo vale para você Stan.
— Acho ótimo, já estava pensando que você realmente estava convidando sua amiga na minha frente, e não me chamaria nem por educação!
Os dois riram e, quando foram pegar o dinheiro para a conta, Felton negou com a cabeça.
— Hoje fica por minha conta, na próxima é de vocês e, acreditem, eu vou cobrar!!

Enquanto os três levantaram-se, prontos para saírem do restaurante, ainda rindo da piada ruim que Stan contou, o garçom que os atendeu sorriu constrangido após pegar a conta, passando a mão pelo pescoço, parecendo ainda mais nervoso.
— Erm… Será que… — Pigarreou para falar com mais confiança — Eu poderia tirar uma foto…? — Pediu olhando para baixo, achou fofa a reação do rapaz, que claramente era mais novo do que ela.
— Só se for uma sozinho comigo, não gosto de dividir atenção com esses dois — Piscou para ele, vendo-o corar ao sorrir envergonhado.
— Como se fizéssemos questão de ser vistos com você. Se toca, Morris. — Felton negou com a cabeça, rindo em seguida.
O garçom puxou o celular do bolso, ajeitando a câmera e aproximando-se sem jeito da inglesa, que, sem qualquer cerimônia, abraçou-o de lado, apontando com a outra mão para ele e fazendo cara de surpresa, na foto seguinte beijou-lhe a bochecha enquanto ele ria. Quando Tom e Sebastian aproximaram-se para a foto, a atriz ofereceu-se para bater, rindo com a cara que eles fizeram para a câmera.
— Eu acho que ficaram todas muito boas, Ryan! — Falou entregando-lhe o celular, o garçom empalideceu por um segundo ao ouvi-la chama-lo pelo seu nome, o qual estava no crachá que usava. — Obrigada pelo atendimento. Voltarei mais vezes! — Sorriu para ele, que tornou a agradecer, principalmente pela foto.
— Ela parece legal, mas é tudo mentira, tá? No fundo é insuportável! — Tom falou em voz baixa, fazendo-o rir, enquanto os dois apertaram-lhe a mão, despedindo-se e seguindo para a saída do restaurante, junto com a inglesa, que olhava para os lados, a procura de um táxi.
— Eu até ofereceria uma carona, mas… Eu não quero! — O loiro deu de ombros, sorrindo inocente.
— Entendi seu jogo, na frente do seu amigo fica me desprezando, mas depois fica me mandando mensagens pedindo desculpas, dizendo que eu sou maravilhosa. Eu tô de olho nisso, Felton. — Encarou-o de braços cruzados por alguns segundos, com a sobrancelha arqueada.
— Arg, você é tão Sam Black que eu não sei lidar! — Reclamou, vendo—a rir com a comparação.
— Imagina só se ela aceitar o papel e começar a trabalhar junto com o Downey… — Stan suspirou pensativo — Não vai ser fácil…
— Eu te conheço há poucas horas e você já está me sacaneando? — Colocou as mãos na cintura reclamando, Sebastian riu desculpando-se. — Vou embora mesmo, que vocês só me maltratam! — Falou acenando para um táxi que passava na rua, o motorista parou em frente ao restaurante. — Tchau pra vocês, não vou abraçar ninguém também, só pra aprenderem a me dar mais valor — Acenou com a mão, já abrindo a porta do veículo, vendo os dois rirem enquanto acenavam de volta.
— Ela é sempre assim? — O romeno perguntou enquanto andava de volta para o estacionamento, ao lado do amigo.
— Olha, as vezes é pior! Mas no fundo ela é ótima, com o tempo você acaba acostumando com o jeito convencido, embora eu ainda ache que tenha muita influência do personagem, ela era mais quietinha quando eu a conheci. E muito mais educada! pega intimidade rápido, e depois que isso acontece, meu amigo, você tá perdido. Ela não vai perder uma oportunidade de te zoar. Morris é uma pessoa horrível!
— Acho que me identifiquei! — Stan riu parando na frente de seu Audi, despedindo-se de Felton antes de entrar no carro e dar partida.

2.


Daniel sentiu o abraço apertado da amiga assim que ela entrou em seu carro, não demorando a retribuí-lo na mesma intensidade.
— Caramba, parece que fazem anos que não nos vemos! — Comentou ao soltar-se, olhando-o com a sobrancelha arqueada. — Tem se alimentado direito?
Radcliffe gargalhou, concordando com a cabeça, antes de dar partida no carro, logo vendo-a mexer no rádio a procura de uma música que ambos gostassem.
— Está pior que minha mãe, . E então, o que quer fazer hoje?
— Eu preciso comprar uma roupa! — Morris lembrou olhando pela janela, o ator olhou-a rapidamente. — Não tenho roupas apropriadas para te ver no palco, Potter! Aliás, meu convite ainda é válido, certo?
— Sempre! Na verdade estou ofendido que não tenha me mandado uma mensagem assim que colocou seus pés no aeroporto. — Resmungou, prestando atenção no trânsito.
— Eu esqueci que estava aqui, Dan, achei que estava em Detroit como da última vez, e não tinha certeza que conseguiria passar lá para te ver.
— Sempre uma desculpinha diferente… — Olhou-a entediado, fazendo com que a mulher risse.
— Sempre, meu amor! — Piscou sorridente. — Enfim, preciso te contar uma coisa grande, e preciso da sua opinião sincera. Embora você seja até muito sincero às vezes. — Fez careta, vendo-o rir ao concordar.
— O que você aprontou agora? Não me diga que levou outro processo? — encarou-a por um instante, quando parou em um sinal.
— É claro que não! — pareceu ofendida. — Já faz mais de um ano que ninguém tenta me processar, ok? Me respeita, Daniel! — Defendeu-se — E é sobre trabalho, tive uma oferta muito, muito boa, mas, sinceramente, não sei o que fazer.
Daniel franziu o cenho, concordando com a cabeça, parecendo bastante curioso com a novidade, voltando a dirigir assim que o sinal abriu.
— E então?
— A Marvel quer me contratar. O lado ruim, é que estão me oferecendo um contrato para seis filmes.
— Marvel? — Repetiu em voz alta — Isso é incrível! Mas seis filmes, eu com certeza não aceitaria.
— E é esse meu dilema! Eu achei tudo ótimo, mas seriam quase dez anos de contrato, Daniel! Vinte anos da minha vida dedicados a dois personagens!
Radcliffe fez uma careta, negando com a cabeça; Havia amado os anos que passou nos sets de Harry Potter e era extremamente grato por tudo o que tinha conseguido por causa do papel, mas nem por um segundo pensaria em repetir por anos qualquer outro personagem. Queria fugir o máximo possível de papéis previsíveis e, principalmente, repeti-los.
— E quanto a outras ofertas? Não tem nada que seja tão bom quanto?
— É justamente esse meu maior problema; Não me apareceu mais nada, Dan. Imagina se eu recuso a Marvel e nunca mais tenho trabalho? — Expressou seus medos, passando a mão pelos cabelos, nervosa — Não queria um trabalho tão extenso, mas tenho medo de ser minha única oportunidade. Não digo nem pelo dinheiro…
— Tenho certeza que não seria esse seu problema, — o outro negou, sorrindo pequeno — a Princesa de UK não precisa se preocupar em trabalhar. — Piscou, tentando animá-la de alguma forma, conseguindo uma risada baixa e um “cala boca” como resposta. — Realmente não sei o que te dizer, . Assinar com a Marvel deve ser tão bom quanto o contrato que tivemos com a Warner, e pelo pouco que acompanho dos filmes deles, os projetos futuros são enormes, mas seis filmes é muita coisa...
— Exato! Tenho até o final de semana para resolver, e ainda não faço ideia do que decidir!
— E qual papel seria? — Perguntou curioso, estacionando minutos depois, virando-se para olhá-la ao tempo que soltava o cinto.
— Avril Stark, ela é uma super agente, ou algo do tipo, parece muito bom, mas não sei o que fazer… Achei que você pudesse me ajudar! — Choramingou, vendo-o fazer uma careta — O contrato é mais flexível do que da Warner, mas mesmo assim… É tempo demais.
Daniel concordou, passando a mão pelos cabelos curtos, olhando para fora do carro;
— Só o que eu posso te dizer é que esse com certeza não será sua única oferta de trabalho, mesmo que demore um pouco mais do que você espera. — Sorriu, confiante — Ainda mais depois que sair o último filme, vão só confirmar que você é bem talentosa. Mas você precisa pesar bem os prós e contras, se for mais flexível e você tiver chances de trabalhar em outras coisas entre um filme e outro, talvez seja uma boa ideia, super-heróis estão em alta, Morris! O que a Nina e seus pais acharam disso?
— Deixaram totalmente em minhas mãos, Nina só disse que as cláusulas do contrato estão todas ok e parecem flexíveis o suficiente, nada muito exagerado…
Radcliffe concordou, dando de ombros em seguida;
— Se eu fosse você pensaria com cuidado, ou tentaria conversar sobre a possibilidade de fechar o contrato um pouco menor, pelo menos para um ou dois filmes, se você não gostar do desenrolar poderia sair sem tanto trabalho, entende?
— Pensei nisso também, mas acho que a ideia seria justamente colocar só uma pessoa para o personagem, sabe? Como o que estão fazendo com o Capitão América e todo o resto…
— Assistiu todos os filmes, foi? — Perguntou aos risos, sabendo que a amiga não era assim tão fã da Marvel.
— Estou fazendo um intensivo essa semana! — Concordou rindo.
— Muito bom, pelo menos se você for recusar pode dizer que virou fã! — Dan piscou, antes de abrir a porta do carro — Agora vamos logo, do jeito que você demora para escolher roupas, só terminamos no dia da sua reunião!

A apresentação de quase três horas foi mais divertida do que Morris esperava, principalmente as cenas com Daniel, que era visivelmente menor que os demais atores. Algo que ela fez uma nota mental para zoar o amigo mais tarde, mas foi obrigada a admitir que o sotaque americano dele era mil vezes melhor que o dela. Aplaudiu tanto quanto os demais espectadores e, enquanto esperava o amigo para irem embora, algumas pessoas pararam ao seu lado antes de saírem do teatro, pedindo por alguma foto ou comentando sobre algum assunto rápido, desde a première do último Harry Potter aos futuros projetos, e o que ela tinha achado da apresentação de Dan.
Quando Radcliffe se aproximou para irem embora, (quase quarenta minutos depois, o que deixou-lhe com tempo de sobra pra olhar o twitter e postar no Instagram uma foto do amigo dançando), os dois seguiram para a saída do estacionamento, Daniel parou para algumas fotos e autógrafos com os fãs que ainda o esperavam, enquanto Morris seguiu até o carro do ator e minutos depois estavam de volta no apartamento dele, no qual Erin havia preparado um jantar para comemorar a visita da loira e, aproveitando que não tinha nenhum compromisso para o dia seguinte, Morris ficou bebendo com o casal de amigos, dormindo lá mesmo e aproveitando a manhã seguinte para passear com Erin.

🎬🎬


Morris tinha exatos trinta minutos para terminar de se arrumar e encontrar um táxi para chegar ao apartamento de Felton no horário combinado.
Demorou mais do que o desejado conversando com sua família no Skype; expressando suas dúvidas sobre o contrato com a Marvel, já que, se aceitasse, passaria os próximos anos no país, e, quando finalmente desligou notou que estava a um passo de estar atrasada. E se tinha uma coisa que Morris odiava, eram atrasos.
A mulher ainda nem mesmo sabia qual roupa vestir, saiu do banheiro desesperada ao lembrar-se de que não estava em Londres, e não tinha seu guarda-roupa à disposição. Havia levado roupas suficientes para a semana que ficaria na cidade, mas nada realmente festivo. Frustrada, abriu sua mala preta, que estava no canto do quarto, retirando tudo o que tinha ali dentro; duas camisas sociais - que levou pensando em sua reunião com a Marvel -, seu pijama, três camisetas estampadas (nada muito adulto para uma festa de aniversário), um vestido solto, calça jeans, um sapato de salto baixo e seu tênis. Era isso.
Não teria tempo de comprar nada (nem vontade), e também não tinha nada muito apropriado para usar. Jogou-se no meio da cama, sobre parte das roupas, só de calcinha e sutiã, com a toalha fofa enrolada em sua cabeça, segurando os cabelos molhados, pensando se talvez devesse desmarcar. Aquele poderia ser um sinal para ela ficar no hotel, dormir ou, se quisesse ser produtiva, terminar de decidir o que faria com aquele contrato. Mas sua consciência pesou quando pegou seu celular pronta para dizer ao casal de amigos que não iria; Era aniversário de Jade, e não via a mulher há quase um ano. Não poderia fazer aquela desfeita.
sentou-se, ajeitando a toalha que começava a soltar-se de seus cabelos e então tornou a levantar-se, encarando pensativa suas opções, agora levemente amassadas. Seu celular informava que tinha apenas quinze minutos para sair. Olhou o vestido azul claro, era um tanto aberto nas costas, e talvez ela passasse frio mais tarde, mas era sua melhor opção, por isso pegou-o rapidamente, voltando para o banheiro em seguida.
Tirou o sutiã, já que não precisaria dele com aquela roupa, lançando-o de volta para o quarto, enquanto passava o vestido pelos braços e cabeça, logo ajeitando-o em seu corpo. Pegou a toalha que já estava prestes a cair, e passou rapidamente por seus cabelos compridos, secando-os como pode, antes de pendurá-la no gancho atrás da porta. Alcançou a escova que estava sobre a pia, passando rapidamente por seus cabelos, terminando de arrumá-los com as mãos, borrifando uma boa quantidade de spray. Voltou para o quarto, colocando o salto baixo e pegando sua pequena bolsa de maquiagem, jogando a base, rímel, lápis e batom dentro da bolsa preta que levaria (a qual não era nem um pouco social, mas era a única que tinha no momento), faria a maquiagem dentro do táxi. Pegou seu cartão, identidade e uns poucos dólares que tinha em cima do criado mudo, jogando-os dentro da bolsa e saindo apressada em direção ao elevador, talvez conseguisse chegar a tempo. Morris voltou menos de dois minutos depois, xingando-se, ao reparar que não havia pego o presente que comprou para a aniversariante.


O pessoal estava espalhado pelo apartamento do casal, não tinham muitos convidados, na verdade, seriam apenas dez, contando com o casal anfitrião, mas ainda faltavam mais duas pessoas quando Stan chegou.
Quem atendeu a porta foi Tom, que pareceu contente por ver seu amigo, abraçando-o rapidamente e agradecendo pela presença. Jade apareceu pouco depois, sorrindo para o convidado. A mulher parecia ainda mais bonita, com os longos cabelos castanhos presos em um penteado caprichado, e um vestido branco com alguns detalhes prateados.
— E não é que você apareceu! — Riu abraçando o ator.
— Você achou que eu perderia a comida livre? — Brincou antes de parabenizá-la. — Muitas felicidades, e se você perceber que o Felton não é tudo isso, estou na fila, ok? — A mulher gargalhou quando o namorado deu um tapa no amigo — Espero que goste, não sou muito bom com essas coisas, mas a mulher da loja falou que era bonito! — Deu de ombros, já se adiantando nas desculpas, enquanto via a mulher abrir o pequeno pacote de uma joalheria conhecida.
— Ai meu deus, são lindos! Vou colocar agora mesmo! — Falou tirando os brincos que usava, e colocando os dourados que ganhou.
— Não precisa mentir, meu amor, Seb não vai ficar chateado se você disser que detestou… — Tom riu, recebendo um cutucão na costela, caminhando com o romeno pelo corredor, para chegarem no outro cômodo com o restante do pessoal.
A sala era grande e espaçosa, alguns balões dourados e brancos estavam presos no teto, e dois grandes balões formavam o número 25 na parede em frente ao espelho, o qual tinha um Happy Birthday preso. Sebastian reparou que na varanda os homens fumavam ou bebiam, e tinham três mulheres sentadas no sofá, conversando animadas com suas taças em mãos.
— Mas a mulher me jurou que eram bonitos… — resmungou, defendendo-se.
— Sebastian, todos os vendedores falam a mesma coisa, é o trabalho deles! — Felton explicou-lhe. Jade rolou os olhos, tornando a agradecer o presente, e puxando-o para apresentar-lhe o restante dos convidados.
As mulheres pareceram nervosas e, ao mesmo tempo, extremamente encantadas em conhecer o homem. Já estavam acostumadas em ver Draco Malfoy, mas conhecer outras pessoas famosas, e bonitas como Sebastian, era uma história completamente diferente. E Jade tinha dito que ele estava solteiro, o que atraiu a atenção delas no mesmo momento.
Sebastian conversou por algum tempo com os homens na varanda, enquanto tomava a cerveja que Jade lhe ofereceu, mas acabou por voltar para a sala, sentando-se no sofá ao lado de Felton, conversavam não tinha muito tempo quando a campainha tocou novamente. Tom levantou-se rapidamente atendendo a porta, ao notar que a namorada estava no banheiro.
— Não acredito que vivi para ver o dia que você se atrasou! — Riu para a inglesa que deu língua.
— Tecnicamente, cinco minutos não são considerados atraso! — Respondeu enquanto o abraçava desajeitadamente, pois segurava uma caixa grande com o outro braço. – E a culpa não foi minha, Tom, o motorista se perdeu mais do que eu!
— Tudo bem, tem mais alguém atrasado… — piscou enquanto andavam em direção à sala. Menos de dois segundos depois ouviram um gritinho animado, quando Jade focalizou quem havia chego.
— Eu não acredito que você veio! — Abraçou-a apertado, após a atriz deixar o pacote com Tom. — Ai que saudades!
— Isso que dá me abandonar e fugir com esse loiro falso! — Brincou ainda a abraçando — Feliz aniversário, meu amor, continue linda e maravilhosa, e que você tenha mais bom gosto para homens, porque a gente sabe que Thomas não é tudo isso!
— Como é?
Os convidados que prestavam atenção na cena riram do comentário, Sebastian entre eles.
— Agora eu tenho dois tentando me separarem dela? Eu não mereço!
Morris franziu o cenho confusa, sem entender ao que ele se referia, mas Stan gargalhou do seu canto, atraindo a atenção da inglesa, que sorriu assim que o viu.
— Desculpa, mas eu só quero o melhor para Jade, e não tenho certeza se é você! — Deu de ombros, sorrindo para o amigo, que rolou os olhos — Enfim, pega seu presente, é pesado, espero que goste! — Avisou pegando a caixa novamente e entregando para a mulher, que colocou em cima da mesa, curiosa com o tamanho. Novamente um gritinho animado preencheu a sala, quando Gordon terminou de rasgar o pacote, vendo o que tinha dentro.
— Eu não acredito!
— Você sabe que meu aniversário está chegando, não sabe? — Felton adiantou-se para a amiga, assim que viu o conteúdo da caixa — Pode me dar presentes também!
— Pensarei no seu caso se você se comportar! — Riu olhando a animação da amiga, que retirava o material dentro do pacote; uma coleção completa de lentes e acessórios para sua câmera fotográfica.
— Eu amei, foi mil vezes melhor do que o do Thomas — a mulher falou tornando a abraçar a amiga. — E de todos os outros, mas não fala! — Sussurrou para a outra que concordou rindo.
— O que ele te deu? — Perguntou curiosa, vendo Jade guardar tudo com cuidado, antes de passar pelo corredor e guardar.
— Nada. Isso mesmo, nada.
Todos os convidados se viraram para Felton, aguardando uma explicação.
— Eu dou minha presença constante na vida dela, quer presente melhor que isso?
— Depois você não sabe por quê tem campanha para ela encontrar alguém melhor… — Sebastian comentou negando com a cabeça, vendo Morris confirmar no mesmo instante.
— Eu vou entregar mais tarde, calma — Tom riu, vendo arquear a sobrancelha, um sorriso de lado aparecendo em seus lábios. — Não isso, Morris! — Gritou nervoso, depois rindo — Quer dizer… Também… Mas não só isso! — Explicou-se sem graça, vendo os convidados rirem.
Jade retornou, poucos segundos depois, sem saber o que acontecia, e puxou para sentar-se junto dela e das amigas iniciando uma conversa animada, após apresentá-la para os outros convidados. A inglesa conversou por algum tempo com Sebastian, nada sobre trabalho ou coisas do tipo, apenas uma conversa animada na qual eles reclamaram de situações diversas.
Depois de algum tempo de papo paralelo, Jade levantou-se, pegando sua câmera e tirando fotos com todos os convidados, deixando Morris e Stan por último, já que os outros eram todos casais. Tirou uma foto dos dois juntos com Tom, uma individual deles com ela, e uma última espontânea, ao ver os dois conversarem durante o jantar, o que talvez não tenha sido uma boa ideia, pois Sebastian a viu apontar a câmera para ele e abriu a boca cheia de comida, fazendo uma cara surpresa, enquanto Morris ria, engasgando-se com a bebida ao ver a cena. Foram necessários alguns tapinhas nas costas, vindos de Stan, para a inglesa se recompor.

Já faziam mais de três horas desde que estava na festa, e a maioria dos convidados já tinha ido embora, ficando apenas ela e Sebastian junto com o casal.
Morris, na verdade, até se levantou, pronta para ir embora, mas Jade sussurrou que queria que ela ficasse mais para fofocarem, e aquela não seria uma oportunidade perdida pela atriz. Queria saber das novidades que não podiam conversar na frente das outras pessoas. Sebastian também ficou pelo mesmo motivo, e, principalmente, por saber que ficaria, assim não seria vela para o casal, além de ter gostado de conversar com a mais nova.
Os quatro estavam espalhados pelo sofá, bebendo e rindo de qualquer besteira que falavam, fazendo fofocas pequenas sobre alguns amigos e, no caso dos três atores, sobre algumas pessoas famosas. Estava tudo ótimo até Jade começar a dizer o quão feliz estava por quase todos os convidados terem aparecido em sua festa.
— Quem faltou? — Sebastian perguntou levemente curioso. A aniversariante suspirou, olhando diretamente para Morris.
— Robert.
demorou alguns segundos a mais que o necessário para entender a quem ela se referia, abrindo a boca surpresa pouco depois;
— Pattz? Vocês o convidaram? Ele sabia que eu vinha?
— Eu convidei, ele está morando aqui, encontrei com ele semana passada, parece bem… — Tom respondeu, embora não parecesse tão animado.
— Detalhes, Felton, quero detalhes! Se vai contar a fofoca pela metade, nem conta. – Reclamou enquanto inclinava-se mais para frente, olhando para Jade, que era a pessoa que sempre dava as informações completas.
Sebastian olhava para os três, extremamente perdido no assunto, mas sorriu com o desespero da inglesa querendo saber mais.
Eu o convidei! — Jade começou, apontando para si mesma — Eu mandei uma mensagem do meu celular dizendo que ficaria feliz se ele viesse, e ele disse que faria o possível para aparecer. Nem contei que você também vinha. — Respirou fundo — Aí hoje ele não apareceu, nem deu nenhuma explicação. Eu quero bater naquele vampirinho safado! – Terminou indignada.
Tom e riram do comentário, e, ao ver que o romeno continuava perdido no assunto, Felton explicou de quem falavam;
— Robert Pattinson? Cedrico Diggory? Edward Cullen?
— Ohh, desculpe, não sou bom com nomes… — deu de ombros, começando a lembrar-se do rosto do ator. — O que aconteceu?
— Kristen aconteceu! — Jade e responderam ao mesmo tempo, fazendo careta.
— Não foi bem assim… — Felton a defendeu. — Quer dizer… Talvez…
— Não, você está certo, é rivalidade minha com ela, eu culpo a mídia por ter criado isso! — Morris concordou a contragosto, rolando os olhos. — Ainda não entendi… — Stan falou tomando um gole de cerveja.
— Bem, digamos assim; a amizade que a gente tinha não era só em set, todos passamos muito tempo juntos durante as gravações, mas fora delas também. Então mesmo quando estávamos de folga ou férias, costumávamos andar juntos. Quando Robert entrou para o elenco, não demorou tanto assim para começar a se enturmar com os Phelps e, consequentemente, com o resto de nós. — Tom explicou, logo apontando para a amiga — Mas ele e a Morris ficaram muito próximos. Daniel até ficou com ciúmes achando que perderia seu posto de melhor amigo! — Riu, vendo-a concordar. — Como se isso algum dia pudesse acontecer. Amo meu Harry Potter! — Pois bem, — Felton continuou, passando a língua pelos lábios — os dois estavam muito juntos o tempo todo, tanto que a mídia ficava louca aguardando a confirmação do OTP! — lembrou-se das matérias do tabloides britânicos. Sebastian pareceu surpreso, olhando para a loira.
— Sim, o casal Black e Diggory nunca morreu para eles. Lembro que quando Pattz confirmou o namoro com a Kristen, no mesmo dia teve vários jornalistas na frente na minha casa, esperando minha declaração escandalizada por aquela traição — riu, lembrando-se na cena.
— É, mas ninguém na Inglaterra ficou tão animado com o casal Pattinson-Stewart como era quando o casal Morris-Pattinson aparecia em público! — Jade replicou.
— Mas vocês eram um casal? — Sebastian questionou confuso.
— Nãaaao! — Morris negou apressada — Só no set.
— Não minta! — Felton acusou — Quem foi seu primeiro beijo, eeeein?
— Olha, isso foi diferente, ok? Não é bem assim. Não foi algo romântico! — Defendeu-se, explicando-se para Stan pouco depois — É que em HP, Black e o Diggory começam a namorar, não é? E teve umas cenas de beijo, e eu tinha quatorze anos na época, nunca tinha beijado, e o Pattz sabia, então bem… De alguma forma a gente se beijou escondido antes de gravar aquela cena, pra... Praticar...
— “Escondidos”, claro. — Felton começou sugestivo.
— Ai, cala a boca, Thomas! — Reclamou ficando vermelha.
— O que aconteceu? — Stan perguntou interessado, curvando-se para frente enquanto aguardava a explicação, já com um sorriso nos lábios ao notar a cara de riso do amigo.
— Gary Oldman viu os dois e deu um grito no set! — Tom gargalhou junto com Jade.
— O que? — Sebastian começou a rir descontrolado.
— Ai, que saco vocês, parem de rir! — Choramingou colocando as mãos no rosto — Não foi engraçado! Parem! Pior primeiro beijo da vida! Quer dizer, para ser justa, o beijo foi bom, mas foi muita humilhação o momento seguinte.
— Como foi que isso aconteceu? — Insistiu Sebastian, ainda rindo.
— Hm… Tínhamos meio que combinado por mensagem um dia antes, e aí no intervalo das nossas cenas a gente foi e beijou, mas não era pra ter ninguém lá, porque o resto estava gravando ou ensaiando, mas aí o Gary apareceu… — contou em voz baixa, ainda envergonhada. Sentia como se a cena tivesse acabado de acontecer — Nunca passei tanta vergonha na minha vida como naquele dia!
— O que ele fez?
— Ele gritou, ficou assustado, depois ele brigou com o Pattinson, essa parte foi engraçada! — Riu de leve — Disse que ele estava se aproveitando da situação… Ligou para meus pais para contar, e meu pai não queria me deixar conversar com ele por semanas — riu negando com a cabeça — Gary sempre foi muito protetor comigo, até hoje, na verdade. Ficou dias olhando feio pro Robert!
— Eu queria ter visto isso… — Stan riu junto com os outros.
— Enfim, mas tirando isso, nunca fomos um casal… — Morris, se for pra mentir, é melhor não contar. — Jade tornou a protestar, revirando os olhos, antes de explicar para o romeno — Não era nada oficial, mas esses dois viviam saindo pra dar uns beijos, pelo menos até o Pattinson terminar de gravar e começar a procurar outras coisas. — Pra mim sempre foi claro que esses dois eram apaixonadinhos e só não oficializaram nada pela diferença de idade. — Tom alfinetou. — Eu nunca neguei que tinha um crush nele, ok? Agora, dizer que era apaixonada é exagero. — Não sei se confio tanto na sua palavra, Morris — o loiro apontou, olhando-a desconfiado — Tanto é que o Pattinson sempre evitava se aproximar muito quando Harry estava por perto, e por qual outro motivo seu irmão teria tanto ciúmes? Aposto que ele sabia de alguma coisa que você nunca nos contou!
— Espera! — Sebastian virou-se para a inglesa, extremamente confuso — Seu irmão se chama Harry? E você era a namorada do Harry Potter? Talvez eu esteja confuso aqui… — Sebastian fez uma leve careta, arrancando algumas risadas.
— Todos já passamos por isso, e era pior quando ele aparecia no set e o Dan estava junto, porque falávamos Harry e os dois olhavam! — Tom contou rindo.
— Mas por que você e o Pattinson não conversam mais?
— Não é que ele não fala com ela, ele não fala com quase nenhum de nós. Se afastou quase completamente e ninguém nunca soube o motivo, só temos teorias. — Jade explicou, passando a mão pelos cabelos — Kristen aparentemente morre de ciúmes da , pra mim é porque o Robert falou naquela entrevista que os dois costumavam a se beijar nos bastidores. Eu ainda acho que o Pattinson é apaixonado por você ou algo do tipo. — Acrescentou, virando-se para a amiga. — E por que ele começaria a namorar se fosse apaixonado por mim? No mínimo teria me dito algo depois que eu terminei meu namoro, não? — Morris negou, parecendo descrente naquela opção.
— Ah, não sei. Ninguém me tira da cabeça que ele mudou desse jeito por causa dela. Foi muita coincidência ele parar de sair com a gente, na mesma época que começou a namorar. Ela não deve acreditar que vocês permaneceram só amigos depois, e com isso ele acabou cortando todo mundo, porque sabia que somos muito mais próximos de você.
— Se for isso, faz zero sentido. — A outra deu de ombros, suspirando. — E muito pior ele ter se afastado dos amigos por causa do namoro.
— Eu acho que até hoje a maioria dos potterhead estão de coração partido, porque vocês não casaram… — Tom soltou de repente, fazendo com que os outros rissem. — Mas mudando completamente de assunto, porque não quero mais falar dele, — virou-se para a amiga — já decidiu se vai aceitar o papel?
— Que papel? Tom não quis me dizer que contrato misterioso é esse! — Reclamou a fotógrafa.
deu um sorriso amarelo, não respondendo de imediato.
— Você ainda não sabe? — Stan questionou surpreso — Sua reunião não é daqui algumas horas?
— Que reunião, gente?
— Com a Marvel! — Sebastian espalhou a notícia, vendo Gordon surpresa com a mesma, virando-se chocada para a inglesa.
— COMO ASSIM? PRA SER QUEM?
— A filha de Tony Stark…
— Peraí! Ela não beija o Capitão América? Mulher, aceita! Se não quiser fazer por você, faça por mim! Realize meu sonho!
— Que sonho? — Felton perguntou desconfiado.
— De beijar Chris Evans, óbvio! Você já viu aquele homem? Não existe uma pessoa no mundo que não queira beijá-lo! E se existe, eu não confio!
Sebastian e explodiram em risadas, principalmente da cara de chocado de Thomas ao ouvir tal comentário.
— Acho melhor eu ir para o hotel depois dessa, não quero presenciar DR alheia… — a mulher ergueu os braços, levantando-se pouco depois.
— Você está falando sério? — Jade questionou quando a viu deixar a long neck na mesinha de centro.
— Sim, já está tarde e, como me lembrou Sebastian, tenho uma reunião amanhã cedo… Ou hoje, daqui algumas horas. — Completou ao olhar o horário no celular — E realmente não decidi cem por cento o que fazer… Preciso dessas horas de sono para raciocinar melhor!
— Que sem graça, Morris, esperava mais de você! — Jade deu língua.
— Eu sei que você não vive muito bem sem mim, mas faz parte… Agora venha me dar um abraço! — A morena levantou-se num pulo, abraçando-a apertado e exigindo mais uma visita antes dela voltar para Inglaterra, além de mandar uma mensagem após a reunião, para dizer se tinha aceitado, ou não, o papel.
— Também já vou indo, imagino que Felton queira compensar a falta de presentes… — Stan comentou como quem não quer nada, olhando para o amigo que riu constrangido.
— Idiota.
O casal despediu-se dos últimos convidados, indo com eles até a porta e aguardando o elevador chegar, o que não demorou muito.

Assim que as portas metálicas se fecharam os dois ficaram em silêncio por alguns instantes, bocejando vez ou outra, cansados pelo horário. Quando passaram pela portaria do prédio, e saíram para o ar gelado da noite, Morris cruzou os braços, tentando manter-se aquecida, enquanto pegava o celular da bolsa, para ligar para alguma companhia de táxi.
— Hm... Eu posso te dar uma carona… — Stan ofereceu, apontando com a cabeça para o carro estacionado do outro lado da rua.
— Não, tudo bem, eu espero, não deve demorar muito.
— Qual é, olha o horário, não vai ser problema algum… Você falou que estava no Langham Palace, não? — A mulher confirmou com um aceno — Não fica tão longe do meu caminho, vamos lá?!
mordeu o lábio inferior, não que achasse que Sebastian não era confiável, ele era bem simpático e engraçado, além de bonito, mas sentia-se constrangida sempre que precisava de um favor, principalmente se não era muito próxima da pessoa.
— Morris? — Chamou novamente, dando dois passos em direção à rua.
— Ah, tudo bem, se não vai atrapalhar... — agradeceu seguindo-o até o carro, um conversível vermelho, o qual a inglesa não fazia ideia do modelo, nunca foi boa com marcas de carros. De qualquer forma, assim que entrou no banco do passageiro (após uma pequena confusão com lados, o que fez o romeno rir), colocou o cinto e logo o ator deu partida, ligando o rádio baixinho, enquanto rodavam pelas ruas pouco movimentadas.
Ficaram quietos por alguns minutos, até Sebastian puxar um assunto qualquer.
— Então… — suspirou ele, olhando pelo canto do olho para a mulher ao seu lado, que o encarou quando começou a falar — O clima até que estava legal hoje, não é?
— Você realmente não tem mais o que falar, é? — Brincou, embora também estivesse com dificuldades de encontrar algum tópico confortável que eles ainda não tivessem abordado.
Sebastian sorriu constrangido, batucando os dedos no volante por um tempo, debatendo o que iria dizer.
— Eu até tenho um assunto em mente, mas… — ele lhe lançou um sorriso sem graça antes de voltar a prestar atenção nas ruas — Não quero parecer chato.
— Sebastian, não me leve a mal… — começou séria, o deixando tenso em expectativa — Você lembra que eu convivi dez anos com o Felton, não? Eu não acho que você consiga competir com ele.
— Obrigado… Eu acho. — Fez uma cara confusa, fazendo-a rir.
— Só fale de uma vez.
— Você realmente está pensando em recusar o papel? — Indagou, recebendo um silêncio surpreso da mulher em seguida — Sei que contratos milionários não te surpreendem, mas esse é do tipo que não aparece todo dia...
— Você realmente gosta do que se meteu, não é?
— Isso vai crescendo em você com o tempo. — Brincou ele, conseguindo uma risada baixa dela.
— Certo, Sebastian-garoto-propaganda-da-Marvel-Stan, — suspirou , ajeitando sua postura no banco, cruzando as pernas e deixando as mãos sobre os joelhos — Me convença. A decisão que eu tomar nesse carro vai ser a que eu vou apresentar amanhã para o Joss.
Sebastian olhou da rua para a mulher algumas vezes, apenas para checar se ela estava falando sério. E aparentemente ela estava.
E ele não fazia ideia por onde começar.

3.

Num sábado ensolarado como aquele, ao invés de estar em casa aproveitando o final de semana com a família, Joss Whedon estava em seu escritório. Não usava terno e gravata, muito pelo contrário, vestia uma camiseta desbotada e calça jeans, não tinha quase ninguém no prédio no momento e, mesmo que estivesse, sua sala continuaria naquele completo silêncio; O pessoal sabia que Whedon estava mais estressado que o normal nas últimas semanas, e não o culpavam por isso, mas preferiam não ficar no caminho do homem quando ele passava.
Joss sentia toda a pressão por ainda não ter definido aquela última contratação pesar em seus ombros mais do que em qualquer outra pessoa. Fazia tanto tempo que não tinha problemas para montar seu dream cast, que nem lembrava-se da dor de cabeça que aquilo causava.
E no momento ainda precisava de um nome, precisava de um rosto para Avril Stark.
E já ter até mesmo iniciado as gravações sem ter nenhuma atriz contratada estava tirando seu sono. Suas opções eram limitadas, a pasta com o telefone do segundo nome cogitado para o papel estava guardada no fundo da sua gaveta, Joss esperava não precisar ligar de última hora para a atriz avisando que queriam contratá-la, por simples razões: Conhecia a fama da mulher e, principalmente, não era quem ele imaginava para o papel.
Não era quem Kevin Feige queria, nem Joe Johnston, que viria a trabalhar muito com a personagem nos próximos filmes do Capitão América.
Nenhum deles era cem por cento a favor da segunda opção, mas os homens detestavam a terceira. Se fosse sincero, as mulheres não tinham ido mal nos testes, mas antes mesmo de terminar o roteiro do filme, Whedon imaginou Morris no papel, e nem sua primeira negativa foi o suficiente para tirá-la de sua cabeça como a intérprete da Stark. E foi essa sua certeza de que precisavam dela, que acabou por “contaminar” a visão dos colegas na busca da atriz ideal.
Sua certeza veio ao ver o teste que a inglesa fez meses antes, em Londres; Foram apenas vinte minutos, com até muito improviso já que ela esqueceu parte das falas da personagem, mas naqueles poucos minutos, nos quais a inglesa se esforçava para esconder seu sotaque e sorria vez ou outra quando sabia que tinha errado, (provavelmente imaginando que a cena seria editada antes de ser enviada para Joss analisar, o que não foi), que o diretor e roteirista do filme confirmou suas suspeitas: a garota tinha nascido para ser Avril Stark.
A cada momento que a atriz fazia algum gesto aleatório, improvisando uma cena inexistente, Joss parecia ver ÁS em sua frente. Queria que Downey tivesse viajado para a Inglaterra, que estivesse ali para contracenar com ela, mesmo que por trinta segundos, porque ele sabia que seria perfeito ter os dois juntos. Não conseguia pensar em dupla melhor para os Stark e, tinha certeza, na hora que ela começasse a contracenar com Evans, a química do casal começaria a aparecer aos poucos, como deveria ser.
Contudo, Whedon não estava certo da resposta, já estava considerando as chances de fazer um certo drama e, apenas por garantia, estava com o telefone de Robert Downey Jr. na discagem rápida, se algo desse errado ele apelaria para sua arma secreta: Ninguém conseguia dizer não para Downey.
E o intérprete do Homem de Ferro estava tão interessado naquela contratação quanto ele, Kevin, Joe e todo o resto do estúdio. Não duvidava que o nome da inglesa já estivesse pronto para ser divulgado para a mídia; a coletiva anunciando a última contratação talvez já estivesse marcada, no fundo ninguém esperava uma resposta negativa. Ninguém acreditava que Morris diria não para a Marvel, pelo menos não depois de descobrirem que a primeira negativa não foi totalmente dela, que foi uma confusão com a agente. Mas Whedon não alimentava a mesma confiança dos colegas.
Entendia os motivos da garota por estar relutante, era um contrato extenso e ela teria que se dedicar por muito tempo no mesmo personagem, coisa que havia acabado de fazer por dez anos em Harry Potter. Além de, diferente de parte dos outros atores, assim que terminassem de filmar os Vingadores, ela e Evans já estariam envolvidos no projeto com a Netflix, o qual seria necessário mais três ou quatro meses até ser finalizado.
Outro ponto que ele sabia ser um incômodo, era que a garota não era tão favorável a se mudar para Nova York. Joss havia conversado com a agente da inglesa por horas, durante vários dias, esperando que ela pudesse ajudar a convencê-la a aceitar o papel da jovem Stark, e quando Nina avisou que a mulher detestava a ideia de passar meses fora da Inglaterra, Joss começou a suar frio.
A chance dela aceitar era tão pequena, que o homem já não sabia como prosseguir. Imaginou que, por ela ter aceito fazer o teste, aquilo seria um bom sinal, mas Nina massacrou suas esperanças quando informou que Morris só o fez depois que soube que o papel ainda não tinha sido preenchido, mais por educação do que por vontade.

Duas batidas rápidas na porta chamaram sua atenção de volta a realidade, e assim que ele disse um entre, a inglesa se fez presente em sua sala. Não conhecia muito da atriz, mas fez algumas pesquisas na internet sobre ela, e também ligou para algumas pessoas que já tinham trabalhado com Morris, querendo saber como ela era dentro do set. Sua vontade de confirmar aquela contratação aumentava cada vez que lhe diziam que a garota era extremamente profissional e responsável, mas que também vivia fazendo piadas com os colegas de elenco, o que não era uma surpresa, já que ela cresceu com a maioria deles.
Joss conversou com por Skype algumas vezes, e a atriz sempre foi muito educada e calma, mesmo quando tentou lhe dizer que não tinha muito interesse no contrato, partes que Joss fez questão de ignorar fingindo que não entendia.
Morris, Whedon sabia, era uma atriz bem paga e muito influente na nova geração, e mesmo assim não era nem um pouco arrogante ou problemática, o que foi confirmado nos telefonemas que deu antes de conversar com ela, e nas pesquisas no Google. Com exceção de alguns processos devido sua falta de atenção em entrevistas ou problemas com paparazzi por se envolverem demais em sua vida pessoal, coisa que parecia odiar.
— Olá! — Sorriu para o homem, andando até ele e esticando a mão para o cumprimento.
, fico feliz que tenha vindo! — Falou enquanto apontava para a cadeira na qual ela poderia sentar — Mas, devo admitir, estou nervoso com essa resposta… Está vendo essas olheiras — apontou para o próprio rosto —, parte delas são responsabilidade sua!
— Eu sinto muito, Joss, sei que é algo importante… — Suspirou deixando sua bolsa na cadeira ao lado, cruzando as pernas e deixando as mãos sobre o colo. — Acho que foi uma confusão desde o começo, não é? — Sorriu sem graça, vendo-o confirmar.
— Faz parte do trabalho, huh? — Concordou, inclinando-se sobre sua mesa — Queria ter mais várias coisas para te dizer, para realmente te convencer de aceitar o papel mas, infelizmente, não tenho muito mais o que falar… Apenas acho que você encaixaria perfeitamente, sabe? Mas vou respeitar sua decisão, qualquer que seja… — Encerrou voltando a encostar-se no apoio da cadeira, respirando fundo e esperando o melhor.
Morris mordeu o lábio inferior, um tanto incerta sobre o que estava prestes a fazer;
— Para ser sincera, quando eu cheguei aqui não tinha a mínima pretensão de aceitar, não que eu não ache uma oportunidade incrível, mas porque é muito longo e eu estou um tanto cansada… Fazem alguns anos que eu não tiro umas boas férias! — Sorriu de canto - Foi bem exaustivo os dois últimos anos, então a minha ideia inicial era tirar uns seis meses de descanso assim que encerrasse tudo relacionado a Harry Potter… Mas… — inclinou-se em direção à mesa — devo dizer que é realmente muito interessante, eu não sabia muito sobre a Marvel, mas descobri algumas coisas importantes sobre o universo nos últimos dias, e teve uma pessoa que falou muito sobre isso comigo nas últimas horas…
— Coisas boas, espero? — Whedon sorriu interessado, gostando do rumo que estavam tomando.
— Maravilhosas, talvez um dos maiores fãs de vocês?! — Riu baixo, colocando alguns fios de cabelo atrás da orelha — Digamos que, eu também não consegui dormir direito nos últimos dias, analisando bem todo esse contrato, os prós e contras, mas mesmo assim não tinha certeza se aceitaria ou não.
— Eu não sei se você está me dando alguma esperança ou acabando com as poucas que eu tenho… — Confessou fazendo careta. — Eu tenho o telefone do Downey aqui, é só eu ligar que ele aparece em dois segundos para tentar te convencer a aceitar, ein? — Ameaçou de brincadeira, vendo-a negar com a cabeça.
— Olha, eu até conversei com alguns amigos sobre isso essa semana, porque eu realmente não tinha ideia do que fazer, pensei muito e não cheguei à conclusão nenhuma… — Suspirou, sorrindo nervosa — Mas…
— Mas…? — Incentivou.
— Eu já avisei meus pais que vou perder alguns almoços em família nos próximos anos — riu baixo — Onde eu assino?
Joss piscou duas vezes, encarando a inglesa a sua frente.
— Oh, Meu Deus! Você está aceitando? — Começou a rir nervosamente, sentindo-se extremamente aliviado — Eu já estava me preparando para me ajoelhar e implorar! — Levantou-se dando a volta da mesa, assim que ficou em pé o homem a abraçou. — Você não faz ideia do quão feliz está me fazendo nesse momento!
— E eu agradeço a oportunidade que estão me dando!



Assim que deixou a sala, após acertarem os últimos detalhes para a oficialização do contrato, o qual seria assinado na segunda-feira, Joss, ainda sorridente pegou seu celular, fazendo algumas ligações para informar sobre o acerto com a inglesa. Por fim, entrou no whatsapp, procurando o grupo com o elenco do filme para contar a novidade, não demorando a receber as respostas;
Você: Breaking News, Avengers!
Scarlett: ???
Downey: O que foi agora??
Ruffalo: Oi?
Você: Downey, encontramos sua herdeira!
Scarlett: O QUE?? CONSEGUIRAM??
Downey: Me diga que é quem eu tô pensando!!!!!!! POR FAVOR!!!!
Scarlett: Quem é??
Samuel L.: Finalmente!!! Quem é?
Kevin: Demorou, mas chegou!!!
Renner: QUEM É A STARK????????
Hemsworth: Uhul!!! Quem é??
Hiddleston: Escutei gritos de aleluia??
Scarlett: Joss, quem é???
Evans: Opa!! Quem é a Stark???
Downey: Whedon, não me deixa na expectativa! Quem vai ser?
Downey: É ela, não é?? Diga que sim!
Scarlett: Ela quem??
Kevin: Joss deve estar chorando no escritório
Kevin: Depois de tanto tempo procurando!
Ruffalo: Quem é gente?
Hemsworth: Vão nos deixar sem saber??
Samuel L.: Não acredito que até eu estou curioso!
Evans: Quem vai ser a atriz que vai me beijar???
Você: Ninguém menos que….
Downey: QUEM???
Scarlett: FALAAAA!!!
Renner: FALA LOGO!!!
Hiddleston: Pra que tanto suspense??? Contrataram a Rainha da Inglaterra?
Downey: EU TO INFARTANDO!!! ME FALA QUEM VAI SER MINHA FILHA!!!
Evans: QUEM VAI SER MINHA NAMORADA?????
Scarlett: Já lamento por ela, coitada. Vai sofrer com o Downey e o Evans…
Hemsworth: Joss, volta aqui e conta logo quem é!!!
Evans: Não precisa manter segredo da gente!!!
Samuel: ?????
Você: TANTANTAN
Scarlett: AI MEU DEUS JOSS
Você: MORRIS!!!!!!!
Downey: NÃAAAAO!!!! EU VOU CHORAR!!!!
Downey: É A MORRIS MESMO???? COMO VOCÊ CONSEGUIU???
Downey: EU JÁ TAVA PROCURANDO O TELEFONE DELA
Evans: MORRIS DOS FILMES DO HARRY POTTER????
Ruffalo: É por isso que ela tá na cidade? Tá cheio de notícia dela essa semana
Scarlett: A INGLESA??
Renner: JÁ ESTOU IMAGINANDO AS BRINCADEIRAS PRA ZOAR ESSA MENINA!
Samuel L.: Ótima escolha!
Hiddleston: A MORRIS??? MEU DEUS!!
Hemsworth: Eu nem sabia que ela tava sendo cogitada depois de dizer não!!! hahaha
Kevin: Ela não tinha dito não… Foi uma confusão com a agente…
Kevin: Mas foi difícil pro Joss a convencer… Por causa do tamanho do contrato
Você: Eu já estava sem esperanças, ela chegou aqui semana passada e quase chorou quando eu falei que eram 6 filmes… hahaha
Downey: áudio
Downey: áudio
Downey: áudio
Você: Sejam legais com ela, a garota tá nervosa!
Hemsworth: Para de mandar audio Downey, ninguém escuta
Downey: Vocês estão ouvindo os fogos que eu to soltando??
Downey: Finalmente alguém digno do meu império!!!
Scarlett: Menos, Robert… Bem menos…
Downey: A menina é minha filha em outro país! Somos idênticos!
Evans: EU VOU BEIJAR A NAMORADA DO HARRY POTTER??? HAHAHAHAHHAHA
Evans: ME PASSA O TELEFONE DELA, JOSS!
Ruffalo: Concordo com a Scarlet, coitada da Morris!
Scarlett: SEGUREM O EVANS!!
Evans: NÃO SEGUREM NÃO
Hemsworth: HAHAHHAHAHA
Downey: áudio
Hiddleston: Acho melhor você ir devagar, Evans, ela é toda envergonhada no começo...
Renner: Você a conhece??
Hiddleston: Trabalhamos juntos alguns anos atrás, em uma peça
Hiddleston: Ela é legal
Downey: Quando vou conhecer minha filha??
Você: Se acalmem, pelo amor de deus
Kevin: Vamos fazer uma reunião segunda feira no estúdio
Kevin: Para ela conhecer todos vocês
Kevin: E assinar o contrato
Você: Sejam legais, sério.
Você: Se essa menina voltar atrás antes de assinar eu não sei o que eu faço
Você: Estejam no set às 11h
Scarlett: OKAY!
Samuel L.: Tudo bem!
Renner: Já estou rindo imaginando o Robert e o Evans em cima dela!
Hiddleston: A garota vai sair correndo
Hemsworth: Vou filmar para relembrar no futuro! Hahaha
Você: NINGUEM DIVULGA ESSA INFORMAÇÃO AINDA!!
Você: Não é pra ninguém saber!
Downey: Eu já estava colocando no twitter
Downey: áudio
Kevin: NÃO FAÇA ISSO
Kevin: E não vai todo mundo seguir a menina nas redes sociais ao mesmo tempo
Kevin: Que já estão especulando o motivo dela estar aqui
Ruffalo: Mas todo mundo acha que ela vai assinar com a DC...
Você: Deixa continuarem achando isso
Você: Só vamos contar depois que ela terminar a divulgação de Harry Potter
Você: Antes disso vamos continuar mantendo tudo em segredo
Downey: Não sei se vou aguentar!!
Kevin: Nem pense, Downey!
Downey: áudio
Scarlett: Entendido!
Renner: Deixa comigo!!
Hemsworth: Tudo beeeeem!!
Evans: Ngm vai me passar o telefone dela??

🎬🎬


Tom Hiddleston até queria estar participando das conversas aleatórias com os colegas, mas preferiu repassar suas falas mais uma vez antes de voltarem para o set - embora sua companheira de cena, Scarlett Johansson, não estivesse exatamente lhe dando muita atenção e ria de alguma piada que Robert Downey Jr. fazia. A verdade era que a dupla já sabia aquela cena de trás para frente, mas como se tratava de um dos momentos mais dramáticos que teria naquele filme, e da importância que aquilo teria para a consagração de seu personagem como vilão no MCU, não fazia mal estudar seu script um pouco mais. Por já estarem no verão, seu cabelo mais comprido e escuro de Loki começava a incomodar mais do que de costume, mesmo quando preso em um baixo rabo de cavalo, o que o fazia coçá-lo vez ou outra, irritando-o bastante.
Todos já haviam terminado suas refeições há muito tempo, e só esperavam agora o chamado para voltarem para as gravações. Naquele dia em especial, todo o elenco principal estava reunido, mesmo sem terem de fato alguma cena para gravar - se ele não estava enganado, apenas cenas na cela do Hulk seriam gravadas naquele dia, então, dos Vingadores, apenas Scarlett realmente precisava estar no set.
Contudo, todos foram excepcionalmente convocados a comparecer naquela manhã, e ninguém reclamava por um simples motivo: curiosidade.
Joss havia feito tanta propagando de Morris nos últimos dias que até mesmo ele estava curioso para ver como ela se sairia no papel, e eles até já se conheciam há um bom tempo depois de contracenarem juntos em uma peça, quando ele ainda morava em Londres. Uma vez ou outra se encontravam em alguma premiação, conseguindo apenas ter conversas rápidas, mas Tom imaginava que a garota não tinha mudado tanto - pelo menos não de personalidade, já que agora era uma mulher adulta.
Desde antes de sua carreira iniciar Morris sempre foi mais na dela, sempre estudando com muita atenção o ambiente em que estava antes de começar a se soltar, Tom achava que era algo que os pais haviam ensinado desde nova, devido à popularidade da família na Inglaterra. Com tudo isso, Hiddleston entendia o nervosismo de Joss desde o começo da manhã: aquele elenco era formado essencialmente de atores que já se conheciam há anos, e mesmo quando não era o caso, a intimidade que haviam criado já era grande, além de serem um grupo um tanto barulhento e espalhafatoso - não que fosse algo ruim, claro, Hiddleston pessoalmente adorava o sentimento quase de família que o elenco criava, levando a experiência das filmagens para um outro nível - e por isso Joss quase o abraçou quando foi levar seus receios em relação a novata ao chefe, já que suspeitava que ela estranharia os novos colegas, além de a possibilidade de se sentir extremamente constrangida por ser a novidade. era conhecida por ser muito amigável e risonha nos sets, mas só depois de conhecer as pessoas ao seu redor.
— Ei… Olha quem chegou! — Comemorou quando desviou os olhos de seu script, depois de ouvir uma risada tímida e familiar. Acabou atraindo a atenção do grupo de atores, os quais pausaram as conversas paralelas por já saberem quem se aproximava, olhando cheios de expectativas para a inglesa.
estava acompanhada por Joss e Kevin, que pareciam lhe explicar algo, já que ela apenas assentia vez ou outra, ao ouvir a voz do antigo colega, no entanto, Morris se virou para a mesa de atores com um sorriso ansioso, que apenas se alargou ao vê-lo levantar-se e se adiantar para ela com os braço abertos.
— É tão bom te ver depois de tanto tempo!
— Eu sei! — Riu, deixando as mãos nos ombros do ator quando se afastou — Eu assisti Thor quando estreou, só que ninguém me contou esse negócio de cena pós-crédito, então eu não sabia que você não tinha morrido, e eu quase morri quando eu vi seu nome relacionado no elenco sábado! Seu eu soubesse teria dito sim só pra te ver de novo!
— Não acredito que poderia ter sido fácil desse jeito? — Kevin comentou com as sobrancelhas arqueadas, colocando as mãos na cintura ao virar-se para Hiddleston — E você nem pra dizer, ein?
Tom gargalhou, passando a mão sobre os cabelos, abraçando-a de lado.
— O que posso dizer, gosto de manter algumas coisas em segredo — deu de ombros, antes de tornar a virar-se para a loira — Você deve ter tido uma semana ótima para entender o que acontece nesses filmes… — Disse aos risos.
— Tá brincando? Reassisti os dois Homem de Ferro e Thor, e dei uma pesquisada na internet sobre alguns acontecimentos, mas ainda preciso me atualizar mais, o que talvez não seja problema, — contou Morris rindo, apontando para Feige em seguida — já que na sala dele tem uma caixa com o meu nome, com mais HQ’s que eu posso contar. Ou carregar.
— Tem um monte de caras musculosos aqui — lembrou Kevin, guiando a dupla para mais perto da mesa de atores — Tenho certeza de que eles vão ficar felizes em ajudar.
— Estamos realmente precisando de não-americanos neste grupo. — Hiddleston cochichou enquanto se aproximavam dos demais.
-—Acho que vai continuar sendo só você e a Smulders por mais um tempinho… Eu só vim dizer um oi... — avisou no mesmo tom baixo, ainda abraçada ao colega e se virando para o resto do grupo, mostrando um sorriso pequeno.
Sentia-se um tanto intimidada, já tinha se acostumado a estar ao redor de atores renomados nos sets de filmagens, ou encontrá-los em alguma festa ou premiação, mas a diferença ali era que ela não cresceu perto deles e nem teria apenas uma conversa rápida, já que aqueles seriam seus novos colegas.
— Olá! — Ergueu a mão, parecendo um tanto sem graça.
— Não faço muito isso, mas vou ter que concordar com o Downey… — suspirou Jeremy Renner — Vocês realmente se parecem um pouco.
— Eu disse que a garota era minha nova filha…! — Riu Robert, se levantando já com os braços abertos para a mulher, num abraço que aceitou um tanto sem jeito — É um prazer, coração. Bem-vinda à família.
— Morris, às vezes ele esquece de sair do personagem — avisou Scarlett, aproximando-se para cumprimentá-la — não estranhe.
— Na verdade todos nós fazemos um pouco isso — completou Hemsworth, com um celular em mãos, enquanto levantava-se e andava devagar em sua direção, olhando para a tela do aparelho — Já me fala seu número, vou te colocar no nosso grupo do whatsapp.
— Gente, desacelerem — pediu Joss, gesticulando nervoso para que eles se comportassem, ao notar o quão nervosa a mulher parecia — acabou de assinar o contrato, não façam com que volte atrás.
— Depois de todos esses anos ainda não temos moral alguma por aqui, ein? — Resmungou Samuel L. Jackson, se virando para os colegas em seguida, após um rápido cumprimento com a inglesa, com direito a um beijo no rosto — Mas ele está certo, vão com calma.
— Hm… Morris? — Kevin a chamou, depois de um tempo considerável encarando a tela de seu celular, enquanto a atriz apertava mais algumas mãos e beijava mais algumas bochechas — Você precisa passar no figurino para que façam logo seu uniforme, e eu tinha que estar em outro lugar há dez minutos. Não vou poder te acompanhar, desculpe.
— Eu acompanho! — Se ofereceu Hiddleston, que voltou a envolver os ombros da mulher — Problema nenhum.
— Ahn, tem problema sim — retrucou Joss, apontando para ele e para Scarlett — nós três, set. Agora. Será que algum dos desocupad…?
— Foi exatamente para isso que eu acordei cedo! — Disse Evans, se espreguiçando antes de levantar sorridente, aproximando-se da inglesa para finalmente cumprimentá-la — Não seria nada cavalheiro deixar minha Stark sem um guia a altura pelo set.
— Que? Não, não! Eu vou ser o guia — Downey se opôs, também se adiantando, enquanto via o loiro ser o último a se apresentar para a inglesa — Não confio em você com crianças.
— Eu sou o Capitão América! Como você pode não confiar crianças comigo?
— Você tem mais de noventa e ela tem vinte e dois. Relacionamento mais errado do Universo da Marvel.
— Claramente alguém não foi apresentado à Agente 13… — Brincou Evans, parando ao lado dos chefes, que o olharam feio — Que foi? Não posso ter preferência? Vocês sabem que eu sou muito mais Stogers do que Staron.
— Você acabou de inventar esses nomes? — Questionou Joss, rindo do sorriso satisfeito do ator, que assentiu com animação.
olhou para Evans com uma expressão confusa, escutando algumas risadas dos novos colegas, mas não entendendo o motivo de todos estarem rindo daquele comentário. Não parecia algo engraçado, embora os nomes soassem estranhos a seus ouvidos e ela imaginasse que fosse algo referente ao filme. Chris ainda sorria abertamente quando virou-se em sua direção, vendo a mulher encarar o chão com o cenho franzido, sem qualquer vestígio de um sorriso.
— Não importa — Robert continuou —, você não fica sozinho com ela, Evans. Eu quem vou ser o guia, ela é minha filha!
— E também é a futura senhora Rogers! —Retrucou com um sorriso cínico e os braços cruzados.
— Por que não vão os dois? — Questionou Samuel, voltando a sentar-se, parecendo um tanto entediado.
Os dois atores se olharam por alguns segundos, negando com a cabeça em seguida. Tinham "planos" para aquele passeio, os quais não envolviam mais que duas pessoas, sendo a segunda Morris. Downey queria saber mais sobre a inglesa, ver seus pontos em comum, já imaginando a interação dos dois em cena. Evans, também estava louco para saber mais sobre a inglesa, mas porque imaginava que ela era uma ótima pessoa para se ter na lista de contatos e se, eventualmente, rolasse uns beijos, ele certamente não reclamaria.
— De jeito nenhum! — Chris negou com a cabeça.
Os dois logo voltaram a implicar um com o outro, o que fez a inglesa apertar a cintura do amigo, e olhar para Hiddleston um tanto nervosa. Tom passou a língua pelos lábios, sorrindo para ela em seguida.
— Mark? — Chamou ignorando os outros dois, Ruffalo virou-se no mesmo instante. — Você poderia acompanhá-la?
sorriu agradecida quando o Hulk acenou positivamente, aproximando-se da jovem.
— Será um prazer!
— Caso encerrado! — Joss anunciou alto, vendo os dois homens o olharem confusos — Ruffalo vai com a Morris. Agora vamos para o set, e o resto está dispensado! — Avisou batendo palma duas vezes, mesmo com algumas reclamações todos acabaram por acatar as ordens do diretor, que se afastava com Kevin.
Tom se despediu da amiga com um beijo no rosto, sussurrando rapidamente para ela manter a calma e relaxar. Sentindo a tensão que apenas parecia aumentar na inglesa, Mark acelerou para que todos se despedissem dela também, até tentando cortar um pouco Evans e Downey, visto que ela não parecia ter ficado tão à vontade com toda atenção que estava recebendo da dupla.
— Não estou acreditando que fomos trocados pelo grandão. — Resmungou Robert para o colega enquanto se afastavam, ouvindo um “não é!?” inconformado como resposta.
— Quero pedir desculpas pelo pessoal... — Começou Mark, assim que ficaram sozinhos, passando pelos corredores menos movimentados do estúdio — Gostaria de dizer que eles só estão animados por te conhecer, mas eles são assim sempre.
riu sem graça, se questionando se demoraria muito para se acostumar com aquilo.
— Estamos realmente muito contentes com a sua contratação — continuou o homem, já que Morris não pareceu disposta a usar seu turno na conversa — Você é uma atriz incrível, e eu só tive mais certeza com a primeira parte do último Harry Potter. As cenas de tortura? Uau.
— Você assistiu? — Perguntou risonha, claro que havia vários adultos que eram fãs da franquia, mas em um primeiro momento ela não imaginaria Ruffalo como sendo um deles.
— Eu tenho três filhos pequenos, não tenho muita escolha. Não que eu não goste, claro. Mas serve como desculpa. — Piscou, sorrindo de lado.
— Meu pai faz isso também, desde sempre. Até hoje se você perguntar ele diz que só assiste por minha causa. — Sorriu, sentindo-se mais calma conforme conversavam sobre um assunto que ela entendia.
— Pais fazem muito isso, presta atenção; a sociedade quer passar a imagem de que as crianças arrastam a gente para essas coisas, mas na verdade é a gente que quer ir e fica torcendo para as crianças quererem também. Ou a gente obriga.
— Vou lembrar disso para usar contra meu pai!
Ruffalo e Morris continuaram andando pelo set, com o homem apontando para salas mais importantes, e explicando-lhe mais ou menos a rotina do dia-a-dia. Conversavam sobre assuntos variados, nada muito profundo, mas aos poucos Mark notou que a inglesa parecia mais relaxada, um pouco mais tranquila do que quando chegou, mas, embora sorrisse com mais facilidade, ainda parecia um tanto séria e profissional demais.
— E aqui é o figurino! — Sorriu apontando para a porta mais a frente, ao entrarem no lugar, amplo e abarrotado de araras com várias roupas penduradas, viu algumas pessoas conversando, enquanto tomavam café.
Os dois se aproximaram devagar, a inglesa olhava para os lados interessada em todo aquele material, uniformes e acessórios dos Vingadores e agentes da SHIELD, todos com os devidos nomes nas etiquetas.
— Essa aqui é a minha parte! Muito chique, como você pode ver! — Sorriu brincalhão, ao apontar para uma das araras, com poucas peças de roupa, sendo a maioria velha e desgastada.
— Que guarda-roupas, ein? Andou emprestando do Lupin? — Riu baixo, vendo-o gargalhar concordando.
— Talvez sejamos irmãos separados por mutações diferentes...
— Morris! Finalmente!
virou-se ao ouvir seu nome, encontrando uma mulher de cabelos escuros próxima a uma mesa um tanto cheia; Pilar Agoyo se adiantou para cumprimentar a dupla de atores com um simples aperto de mão, já pedindo que a inglesa a acompanhasse até um banquinho onde era mais fácil para tirar suas medidas, enquanto falava rápido sobre os detalhes de seu vestiário.
— Na verdade, seu uniforme nesse filme é um dos macacões básicos da S.H.I.E.L.D. É quase a mesma coisa que a Johansson usou em Homem de Ferro 2, mas sem o cinto da Viúva — explicou a mulher, se afastando rapidamente para anotar os números e voltando a esticar a fita ao redor do braço da atriz — Só que você vai usar ele bem pouco. Nesse filme você vai usar mais roupas civis do que tudo.
— Chateada — resmungou Morris brincando, fazendo com que a mulher e Mark rissem - Porque vou ficar demais naquele uniforme. Olha só aquilo, tenho a impressão de que ele nunca mais vai sair do meu corpo de tão justo!
— Ah, mas você vai sentir falta dele quando fizerem seu uniforme individual — lembrou Pilar — pelo que eu vi nos desenhos, ele vai ser bem mais pesadão. O macacão pelo menos é mais leve.
— Não vai ser para esse filme?
— Não, meu amor. Vai ter que esperar mais um pouco para sair por aí com roupa de super-heroína.
resmungou um fingindo “que injusto” enquanto a mulher terminava seu trabalho, às vezes já lhe passando alguns detalhes sobre como seria seu guarda-roupa do filme. Sua arara era a única vazia, mas nas próximas semanas já deveria estar tudo preparado. Depois de tudo anotado, a mulher ofereceu café aos atores, o qual apenas aceitou por educação, tentando ao máximo não fazer careta tomando o primeiro gole, enquanto a conversa animada do trio continuava. Não demorou muito para que outra pessoa entrasse na sala, chamando pela mais nova.
Jonathan Eusebio, o coordenador das cenas de lutas, se juntou a eles, até pegando um copo da bebida antes de pedir que os atores o seguissem.
— Nós temos umas conversas bem sérias que não podem passar de hoje, Srtª Morris — comentou o homem brincalhão, vez ou outra virando o rosto para sorrir para ela enquanto rumavam para sua sala.
— Eu vou ter que me inscrever numa academia, não é? — Arriscou ela, fazendo uma careta sofrida.
— Ah se vai! — Concordou ele — Mesmo se você não quiser fazer todas as cenas, vai ter que correr um pouquinho.
— Eu falei brincando! — Se apressou em dizer, sentindo que o coordenador tinha a levado a sério — Sempre gostei das cenas de luta. Vivia brigando com o Yates para ele me deixar fazer mais coisa!
— Então já vamos ser melhores amigos! — Brincou Jonathan, segurando a porta de sua sala aberta para que os dois entrassem primeiro — Nesse filme pelo menos você não vai ter tantas cenas deste estilo, mas como a maior parte da equipe vai passar para a Netflix também, eu já estou pensando nisso. Além do mais, como quase não vamos ter espaço do fim das gravações do filme para o começo da série, seu tempo de preparação física é impossível, então você vai ter que começar agora.
— Beleza, depois da tour de divulgação eu saio do sedentarismo.
— Você vem direto para cá depois? — Perguntou o homem, vendo-a assentir — Vou tomar liberdade então de já preparar as coisas para seus treinos aqui. Agora, se vai ser só treino normal ou já vamos adiantar um pouco do seu conhecimento de lutas, eu deixo a seu critério...
— E o que você recomenda?
— Você ter uma noção de lutas já facilitaria muito a minha vida, mas isso vai da sua vontade e da sua capacidade física — explicou ele, abrindo em seguida seu notebook e procurando alguns arquivos que já havia deixado separado para aquele momento, depois virando a tela para os atores — Esses são os rascunhos que o pessoal do Visual me mandou com base no que eu planejei.
A animação não tinha cores, e seus traços eram bem primários, tal como um rascunho. O vídeo tinha poucos quadros, então eles não conseguiam acompanhar o movimento completo, mas conseguiam ter uma ideia de como seria. O desenho de Avril hora atirava, hora partia para o combate direto, aplicando alguns socos e umas chaves de perna que fizeram rir animada;
— Se você me disser que eu não vou aprender a fazer essas coisas, vou ficar muito decepcionada — brincou ela, diminuindo o sorriso depois, para deixar claro que estava falando sério — O que você achar que eu consigo fazer sem me matar, eu quero fazer.
— Adoro ouvir isso! — Exclamou Johnathan contente — Vou preparar tudo e passar os detalhes para a sua agente. Assim que você voltar, seu treinamento começa, Stark.
Johnathan explicou mais alguns detalhes que julgava importante, e, quando disse que até que tinha um tempo livre, ele apresentou mais uns rascunhos de lutas do filme e alguns vídeos dos próprios atores ensaiando as cenas, para a felicidade da inglesa que comentava animada os menores detalhes.
Depois que deixaram a sala, a mulher pediu que Mark a levasse até a parte do estúdio onde estavam sendo as gravações do dia, já que precisava pegar mais algumas instruções com o diretor antes de ir embora. não sabia dizer se ele já tinha conhecimento de sua fama de spoiler, mas Joss se recusou a lhe entregar sua versão do script do filme, com a desculpa de que ela não teria tempo para estudar suas falas nas próximas semanas, e que teria tempo de sobra durante seu preparo físico, já que a gravação de suas cenas haviam sido adiadas o máximo possível.
Após se despedir de Mark, que ficou para acertar com Joss os detalhes de suas gravações no dia seguinte, Morris pegou seu celular no bolso da calça, andando animada para a saída do estúdio. No final, tinha se saído muito melhor do que imaginava;
Não era exatamente a pessoa mais sociável quando jogada em grupos muito grandes, ainda mais quando se encontrava sozinha, mas até que não havia sido tão ruim assim. Claro que tiveram algumas piadas que não ela compreendeu quando foi apresentada ao elenco principal, mas sabia que o motivo era sua falta de conhecimento sobre aquele universo, afinal, praticamente todos ali já eram veteranos no estúdio, e ela era a novata perdida.
— Oi, meu amor! — Sorriu animada no telefone. — Tudo bem e com você? — Começou a conversar, andando mais devagar.
Evans ergueu a cabeça ao ouvir a voz, sorrindo de lado, largou o joguinho de celular e desencostou de seu carro, parado na entrada do estacionamento, antes de começar a andar rapidamente até a inglesa.
— Sim, tá tudo certo. Já conversei com o pessoal, e, adivinha? Vou precisar entrar na academia, eu quero morrer! — Resmungou — Fácil pra você dizer, querido, já tá todo fortão desfilando por Londres…
— Hm… Morris? — O loiro chamou, pigarreando em seguida quando não teve resposta — Morris? — Chamou mais alto.
A inglesa virou-se para o lado, o cenho franzido em confusão, normalizando a expressão quando reconheceu o ator. Sorriu de leve, baixando um pouco o celular.
— Depois eu te ligo, beijo. — Desligou antes de ouvir uma resposta. — Oi! — Disse sem jeito, tornando a guardar o telefone.
— Como foi o passeio? — Apontou com a cabeça para o prédio, as mãos nos bolsos do jeans.
— Ah, foi tudo bem… — Deu de ombros — Imagino que já esteja tudo certo para quando eu começar a gravar…
— Ótimo! — Sorriu empolgado, parado a dois passos da mulher — Quer dar uma volta? Conhecer a cidade? Quer dizer… — Coçou o pescoço rindo baixo — Imagino que você já conhece, não é?
— Um pouco… — Concordou rindo baixo, cruzando os braços, um tanto constrangida e nervosa; Chris Evans estava parado na sua frente, falando com ela.
Seu lado fangirl começou a dar sinais de vida, principalmente porque ele era ainda mais bonito pessoalmente do que nos filmes que ela já tinha assistido. Sua mão coçou para tornar a pegar o celular e pedir para tirar uma foto com o ator, mas ao invés, Morris apenas olhou para baixo, mordendo o lábio inferior para evitar a vontade de falar sem parar e pedir um autógrafo ou algo parecido.
O homem a encarou por alguns segundos, notando o quão desconfortável ela parecia perto dele, franziu o cenho sem entender, mas não querendo prolongar o momento constrangedor.
— Ahn, bem… Quer uma carona? — Perguntou educado, apontando para seu carro, próximo aos dois. negou rapidamente, agradecendo em seguida.
Chris cruzou os braços, ao mesmo tempo que queria despedir-se ao perceber que ela não estava nem aí pra ele, e não parecia interessada em bater um papo, Evans queria perguntar o motivo dela não gostar dele.
Nem mesmo o olhava nos olhos!
— Já está voltando para a Inglaterra?
A inglesa tornou a concordar, pensando rapidamente antes de respondê-lo.
— Volto para buscar minhas coisas no hotel, e sigo direto para o aeroporto…
— Ah, tudo bem… Tem certeza que não quer uma carona? — Tornou a questionar, já pronto para se afastar. Nem acreditava que tinha passado quase duas horas esperando para falar com a nova colega, e a mulher estava quase monossilábica em sua frente.
— Não, obrigada. Tenho que ir direto para o hotel mesmo… — Os dois se olharam sem jeito por alguns instantes — Bem, eu já vou indo então… Até mais, Evans!
Chris ficou em dúvida se apertava-lhe a mão, mas acabou decidindo-se por aproximar-se o suficiente para beijar-lhe o rosto, por ser mais alto do que ela, Evans precisou inclinar-se um pouco, e segurou brevemente em seu ombro, antes de se afastarem.
— Tchau, até a volta!
Evans sorriu brevemente quando a mulher sorriu em sua direção, acenando com a mão, já com vários passos de distância entre eles. Respirando fundo, ele se voltou para o próprio carro, retirando o celular do bolso da calça para digitar uma mensagem ao grupo, já que a maior parte dos atores tinha ido embora e ele queria uma opinião de todos antes de tirar as próprias conclusões sobre a novata, aproveitando que Hemsworth ainda não tinha a adicionado.

4.

Era sexta-feira e, após passarem horas gravando, parte do elenco resolveu jantar junto, já que não tinham grandes planos para a noite. Como a casa de Hiddleston era a mais perto dos estúdios, e todo mundo estava com fome, decidiram que seria lá mesmo o ponto de encontro.
Depois de quase duas horas de conversa animada, muitas risadas, cerveja e pizza (sendo os últimos dois quesitos terminantemente proibido de boa parte das dietas dos presentes), o pessoal se espalhou pelo sofá, descansando brevemente do dia cheio que tiveram, quando Scarlett começou a procurar algo legal para assistirem, talvez um filme ou mesmo um canal de música, apenas para terem um som ambiente enquanto conversavam.
Notou então que a tv a cabo incluía vários canais ingleses na programação, o que deixou a mulher um tanto curiosa, passando de canal em canal para ver se tinha algo interessante.
— Que programa é esse? — Chris Hemsworth perguntou confuso, não reconhecendo de imediato o cenário, nem o apresentador.
The Graham Norton Show, é um show de entrevista inglês, muito bom e divertido! Quase como o do Fellon, só que as entrevistas duram mais e vários convidados saem bêbados! — Tom explicou rindo, virando-se para o amigo, antes de voltar sua atenção para o programa.
Hiddleston não assistia muito televisão, quase não tinha tempo, mas quando o fazia gostava de assistir programas britânicos, pois o lembravam de casa, e era por isso que sempre valia a pena pagar a mais para ter alguns canais da Inglaterra. É claro que devido ao fuso horário, nenhum programa era ao vivo, com exceção da BBC UK, mas era sempre bom se manter atualizado.
— Ah, é aquele irlandês, não é? Comediante? — Scar perguntou interessada, erguendo o volume do aparelho.
— Esse mesmo, acho que o programa dele é um dos melhores que temos do tipo talk show...
Quase que inconscientemente, o pessoal foi ficando em silêncio, tomando um gole ou outro de cerveja, ou comendo algum pedaço de pizza, prestando atenção no programa que começava e no apresentador animado que entrava recitando um monólogo engraçado, enquanto tocava uma música de fundo.

… E com vocês, dois dos nossos ingleses preferidos, que cresceram em frente às câmeras e continuam sendo tão fofos quanto quando começaram a atuar; recebam O Escolhido, nosso incrível Harry Potter, DANIEL RADCLIFFE!!— Uma salva de palmas e gritos rodou por todo o estúdio, enquanto o ator entrava sorridente, acenando para todos e cumprimentando o irlandês com um aperto de mãos — E a convidada que é quase mais de casa do que eu, a atriz que deu vida a Sam Black, MORRIS! — A inglesa riu ao aparecer, dando um tchauzinho de Miss para a plateia, antes de abraçar o homem. — Sempre bom te ver, mesmo quando eu não tenho mais perguntas para te fazer… Eu sei lá, quando foi a última vez que esteve aqui? Semana passada?
— Vocês sabiam que a Morris estaria no programa? — Scarlett virou-se para os colegas, que negaram com a cabeça, ainda prestando atenção na tv.
— Querido, estou treinado para te substituir, quando quiser sair de férias é só me chamar… — A mulher deu de ombros, sentando-se ao lado de Dan no grande sofá vermelho.
— Que ideia boa, adorei! — O homem riu, junto com o público — Dan, você não vem muito aqui, mas sua amiga faz as honras por todo o elenco…
é igual a um vampiro, depois que você convida uma vez, ela nunca mais vai embora! — O moreno comentou rindo, vendo a cara ofendida da colega.
— Devo começar a carregar alho e uma cruz, talvez? — Graham perguntou pensativo.
— Olha, você nem deveria reclamar tanto assim, se meus pais que me aguentam há anos ainda me amam, você deveria quase estar me pedindo em casamento! — Apontou para o amigo, enquanto as risadas se espalharam pelo estúdio. — Mas admito que esse é um dos meus lugares preferidos em Londres, no dia que vocês começarem a me servir pizza, aí vocês estarão com um problema! — A inglesa comentou sorridente, fazendo caras e bocas.

— Até parece que ela é divertida, não é? — Jeremy resmungou de braços cruzados.
— Muito bem, vamos começar com um dos pontos importantes de hoje, antes de partirmos para a parte em que todo mundo fica bêbado e constrangido: — Começou olhando significativamente para os convidados, que pareciam confusos, fingindo não entender ao que ele se referia; na mesma hora Dan pegou um copo na mesa a sua frente, tomando um gole e soltando um “oh meu deus, álcool!” — O último Harry Potter está para estrear, e na próxima semana teremos a Premiere, como vocês estão se sentindo?
— É uma mistura de sentimentos, é difícil definir… Tem muita emoção, um certo alívio por estarmos terminando depois de tantos anos, com a tristeza por estar acabando… — Radcliffe começou parecendo incerto, gesticulando com as mãos, procurando as palavras certas para usar.
— E tem também o orgulho por ter feito parte disso, não é? Quer dizer, é algo maravilhoso que nunca mais vai acontecer igual. Mesmo se regravarem no futuro, teremos sido os primeiros! — Morris concluiu sorridente, fazendo uma cara um tanto convencida.
— Exatamente — Dan riu concordando —, mas também tem aquela parte quando você lembra que não vai mais encontrar o elenco depois das férias… É muita coisa para assimilar!
— Para ser sincera, eu nem imagino como vai ser daqui pra frente, não precisar mais ir ao estúdio e não encontrar o pessoal… — A mulher franziu o cenho, suspirando antes de concluir — Eu nunca mais vou usar as roupas da Grifinória, ou ouvir a voz da Maggie gritando que eu perdi pontos para a Casa, isso é muito estranho! — riu negando com a cabeça.
— Eu nunca mais terei uma cicatriz em forma de raio, não sei como lidar com isso!
— Mas a gente sabe que além de vocês dois, o restante do elenco continua amigo fora dos sets, imagino que continuem se vendo bastante, não é? — Graham comentou vendo os dois confirmarem rapidamente — Como é isso, vocês mandam mensagens tipo “ei, vamos tomar uma cerveja amanteigada, hoje?”

O casal riu junto com o público da piada, Dan explicando em seguida.
— Vocês viram, não é? — Comentou Evans, apontando para a tela mesmo que a inglesa não estivesse mais aparecendo — Pelo visto ela sabe rir!
— É mais ou menos isso, temos um grupo bem grande, então ultimamente tem sido mais difícil reunir todo mundo, porque está cada um seguindo um lado, mas sempre tem alguém perguntando quem está disponível para beber… — Apontou para a colega — é sempre a primeira a dizer que está indo!
— Nossa, Daniel! — Reclamou, virando-se para o amigo — Meus pais estão assistindo ao programa, ok? Não fique me caluniando! — O pessoal começou a rir da cara de inocente que a mulher fez, antes de voltar a sorrir para Graham — Eu gosto de pensar que sou uma pessoa que quer manter os amigos por perto!
— Eu diria que você está mais desocupada que o resto dos seus amigos, mas vou aceitar sua resposta! — Piscou para ela, que riu concordando. — Por falar em quem está ocupado e quem está desocupado… — Começou tomando um gole de sua bebida antes de continuar, lendo em uma ficha — Daniel está fazendo sucesso na América, huh? How to Succeed in Business Without Really Trying está chamando atenção do público!
— Sim, foi uma oportunidade incrível — Concordou animado, rindo nervoso — Mas admito que os primeiros dias foram horríveis, sempre fico nervoso com essa coisa de cantar e sapatear… E todos no elenco são mais altos, você sabe como é difícil ser o menor da fila? — O pessoal começou a gargalhar da cara de coitado do ator, derrubou um pouco da bebida que estava prestes a tomar, porque começou a rir no mesmo instante.
— E agora, sim, voltou a se sentir em casa, já está fazendo bagunça de novo! — Graham repreendeu, mantendo a voz de riso.
— Eu não considero um dia de sucesso se não vier fazer algum estrago por aqui! — Deu de ombros, passando a mão no vestido levemente molhado.
— Mas voltando ao assunto, está realmente fazendo sucesso na Broadway, seus amigos também estão indo assistir, não é? Eu vi uma foto sua com parte do elenco de Harry Potter no camarim…
— Sim, são todos ótimos, Emma e Felton estiveram lá recentemente, e David Thewlis, Helena, Evanna e Freddie Stroma estiveram lá pouco depois da estreia. — Respondeu coçando a barba rala em seu rosto — É algo que eu acho bem legal entre a gente, depois de todos esses anos criamos uma proximidade muito grande, então todo mundo acaba incentivando de alguma forma o trabalho do outro, ter o pessoal no público assistindo foi incrível e uma grande surpresa, ninguém me avisou que estava indo!
esteve lá há poucos dias também, não foi? A atrasadinha!
Morris riu concordando.
— Eu não consegui assistir antes, eu queria ter ido na noite de estreia na verdade, tinha comprado a passagem e Dan já tinha preparado meu quarto na casa dele! — Confessou rindo, vendo o outro concordar — Mas muita coisa aconteceu e não consegui ir… Mas eu paguei um cara para fazer uma videochamada para eu poder assistir ao vivo! — Revelou sorridente — Mas pessoalmente só consegui assistir semana passada, Dan estava ótimo, é muito engraçado vê-lo dançando!
— Morris não foi surpresa, porque ela me ligou pedindo um ingresso!
Graham virou-se com as mãos na cintura;
— Você não comprou um ingresso para ajudar a pagar o salário do seu amigo?
Os dois riram alto.
— Eu não, já paguei uma passagem para Nova York só para vê-lo, o ingresso já era com ele, não concorda? — Deu de ombros — Sem contar que, quando eu estava em uma peça, ele entrou de graça!
— É por isso que vocês estão ricos, não gastam dinheiro com nada! — Norton negou com a cabeça.
— Morris sempre me faz pagar as coisas, eu acho isso bem errado! — Radcliffe contou, fazendo cara de bravo.
— Calúnia! — A inglesa gritou rindo — E eu vi Daniel nu, eu não estava pronta para aquilo! Ninguém me avisou daquela cena em Equus! — A mulher falou revoltada, escutando o pessoal rir, Dan colocou as mãos no rosto, vermelho. — O mínimo que ele pode fazer por mim agora é me pagar algumas coisas, não concorda?
— Aquela cena foi realmente interessante, ein? — Graham concordou rindo — Aliás, sempre tive uma dúvida… Aquela foi a única vez que vocês se viram nus, ou teve outras?
— Ei! Eu o vi nu, ele nunca me viu, obrigada! — ergueu as mãos, se defendendo — E não entra nesses assuntos, meus pais estão realmente assistindo!
Daniel gargalhou, virando-se para a amiga, um sorriso sacana.
— Pois então… — Começou, segurando uma risada — Morris não estava nua, mas estava só com roupas de baixo…
— O QUE? — Norton gritou, a inglesa virou-se nervosa para Radcliffe.
— Eu não acredito que você vai contar! Que traidor! O que aconteceu com nossa amizade? Era segredo!
— Contar o que, gente? Fala mais Dan!
— Teve esse dia que fomos em um SPA na Alemanha no verão, a gente tinha uns… Quinze anos? — concordou a contragosto — E foi tudo ótimo, então chegou a hora de irmos embora… Eu segui para o vestiário para trocar de roupa, não é? Tomar um banho e me vestir… — Explicou já rindo, principalmente ao ver a amiga negar com a cabeça — Só que, quando eu entrei já tinha alguém lá tomando banho, e não dava para ver quem era…
— Não!!!! — Norton colocou a mão na boca.
— Eu não acredito nisso! — Hemsworth gritou, já gargalhando, acompanhado por parte dos colegas.
entrou no vestiário masculino e ainda brigou comigo por ter ido até lá!
— Gente, eu não sei muita coisa de alemão, ok? Confundi o vestiário feminino e masculino! — Respondeu constrangida, o rosto vermelho. — E as pessoas deveriam bater na porta!
— É um vestiário, tem gente entrando e saindo o tempo todo, é pra isso que serve! — Radcliffe negou rindo. — Então quando eu fui sair do banho, dei de cara com a se trocando!

— Já sabe o que fazer para conseguir um pouco de atenção, Evans — Renner começou, virando-se sacana — Coloca uma placa em alemão no seu camarim, ela vai entrar lá e vocês ficam sozinhos…
— Não dá ideias! — Scarlett negou rindo.
Chris riu contra a vontade, mantendo os braços cruzados e a carranca.
— Oh meu deus! O que vocês fizeram?
— Eu tentei expulsá-lo, é claro! — Morris deu de ombros sorrindo. — Mas Dan estava só de toalha, não seria muito legal…
— Tivemos que ficar de costas um para o outro o tempo todo, e eu ainda tive que trancar a porta para garantir que outros homens não entrassem! — Daniel gargalhou terminando a história, vendo a amiga cada vez mais vermelha.
— Eu estou bem triste, porque era um segredo nosso, e ele acabou de contar para todo o país!
— Foi você quem começou! — Radcliffe se defendeu, levantando as mãos.
— Gente, eu tô chocado! — O apresentador gargalhava. — Ninguém ficou curioso sobre o outro depois disso? — Perguntou sorrindo de lado, vendo os dois negarem rindo.
— Não acho que tinha muita coisa para ver… — Dan deu de ombros, apontando para os próprios peitos, levantando um tapa no braço da outra.
— Seu descarado!
— E na época estava beijando um conhecido meu...
— Daniel!
— É quem eu tô pensando, não é? — Graham perguntou, já gargalhando — É o Pattinson?
Radcliffe concordou, segurando a risada, ao tempo que a amiga abaixava a cabeça, colocando as mãos no rosto.
— Eu preciso de alguns minutos para me recuperar dessa história! — Graham ria, virando-se para a câmera — Voltamos depois dos comerciais!


— Foi essa garota que nos apresentaram outro dia? — Indagou Jeremy — Ela até soa como outra pessoa!
— Ela definitivamente não gosta da gente — Concluiu Evans, já se virando para Hiddleston que abria a boca para argumentar — E não quero ouvir ninguém defendendo ela!
— Mas essa é minha casa! — O inglês reclamou indignado.
— Não é que ela não gostou da gente… — Mark começou, ignorando os olhares feios que Evans lançava — Ela só estava nervosa…
— O que foi que aconteceu no passeio de vocês, pra você estar a defendendo desse jeito? — Chris arqueou a sobrancelha. Mark olhou-o surpreso.
— Pelo amor de Deus, Evans! Eu sou casado e ela é muito nova!
Rolou os olhos, negando com a cabeça.
— Não quis dizer isso, eu quero saber se vocês dois estavam falando mal da gente!
— De você, até eu falo! — Robert deu de ombros, rindo da cara de chocado do amigo.
— Mas, mesmo que estivesse nervosa, não faz sentido ela não ter nem mesmo tentado conversar com a gente… — Scar concordou, embora pensativa.
Hiddleston suspirou, negando com a cabeça.
— Gente, não foi por mal, é sério… é assim mesmo, quando nos conhecemos foi praticamente a mesma coisa… Morris não sabe interagir bem com grupos grandes… Para ela foi tudo ótimo, sério, ela não faz ideia que parecia antipática!
— Você não me convence com esse papinho… — Evans negou, tornando a olhar para a televisão.
— Será que podemos focar no que importa? — Hemsworth ergueu a mão, chamando atenção de todos — Vocês também ouviram que ela saia com o Robert Pattinson?
— E dai? — Chris tornou confuso.
— Como e dai? Era o maior shipp de Harry Potter!

Quando o programa retornou, a câmera filmava o apresentador e os dois convidados rindo de alguma coisa, enquanto Daniel fazia caretas, e Morris parecia gargalhar, com a mão na barriga e o rosto vermelho.
— Hmf, duvido que ele seja mais engraçado do que eu! — Evans reclamou cruzando os braços, os amigos rolaram os olhos, sem responder.
— Estamos de volta com nossos convidados de hoje, Daniel Radcliffe e Morris! — Anunciou, antes de voltar-se para a inglesa, que já parecia estar se recompondo do ataque de risos — , você estava dizendo que foi ver Daniel na Broadway, mas eu vi uma foto sua com Tom Felton e Sebastian Stan, e eu ouvi rumores...!
— De Você-Sabe-Quem? — Dan brincou rindo, causando mais uma onda de risadas.
— Gente, essa não foi tão engraçada, não precisa rir, ele não vai ficar chateado! — alfinetou, embora também tivesse rido.
— É claro que eu vou ficar chateado, só aceitei vir porque me prometeram rir de tudo o que eu falasse! — Respondeu sério, Graham riu e então começou a mandar os dois ficarem quietos.
— Chega crianças, eu quero saber das novidades! — Tornou a virar-se para Morris — E então, o que você ficou fazendo tanto tempo em Nova York?
— Ah, eu meio que briguei com meu irmão, aí não quis ficar na mesma cidade que ele por alguns dias — Riu dando de ombros, Daniel ergueu as mãos.
— Wow, desculpa aí, madame!
— Gente rica é outra coisa, ein? — Norton falou virando-se para a plateia, antes de voltar ao assunto. — Agora sério, os rumores da DC são reais?
sorriu de lado, dando de ombros.
— Eu não faço ideia de como começaram esses boatos, achei divertido admito, mas na verdade foi algo bem simples… — Começou a explicar tranquila — Eu estava em NY para resolver algumas coisas pessoais, quando vi a notícia sobre a DC Comics achei engraçado porque eu adoro eles, mas vocês deveriam saber que, se eu fosse trabalhar com a DC iria, no mínimo, querer beijar o Batman, não é? Muito mais legal que o Superman! — Respondeu olhando para o público, o qual ria, como se fosse a coisa mais óbvia do mundo. — Além do mais, ninguém naquele estúdio iria me contratar. Vocês já viram meu sotaque americano?
Daniel começou a gargalhar ao seu lado, fazendo-a rir também.

— Você checaram o sotaque dela antes de a contratar, né? — Perguntou Scarlett, se virando para Robert, que sorria sem graça.
— Não é a melhor coisa que eu ouvi na vida, mas até que dá para viver.
— É simplesmente horrível! — O rapaz forçou a voz em um sotaque, fingindo ser o da amiga.
Os dois voltaram a rir, enquanto deu um tapa na perna dele.
— Não é assim como ele tá dizendo, mas é beeeem ruim! — Admitiu sem graça.
— Se eu descobrir que você está mentindo para mim, Morris… — Graham começou, arqueando a sobrancelha.
— Eu realmente não estou assinando com a DC, gente, sério. — Sorriu negando — Pra você ter uma ideia, uma vez eu fiz uma audição para uma peça, e a personagem deveria ser americana, eu juro pra vocês, eu tentei forçar aquele sotaque, mas não tinha como alguém acreditar que eu era americana! — Riu lembrando-se — Foi a pior coisa que eu já fiz! Claramente não fiquei com o papel!
Dan ainda ria, tornando a fingir o sotaque inexistente, fazendo-a negar.

— Vocês tão vendo alguma coisa de engraçado nisso? — Evans tornou revoltado — Como ela pode tá rindo tanto disso?
— Eu tenho certeza que tem alguma brincadeira aí no meio… — Norton deixou a frase morrer, sorrindo para os dois, que concordaram.
— Teve uma vez que, eu vou contar isso pra vocês, mas não pensem que somos todos desocupados, embora sejamos… —Morris começou sorrindo — Mas, bem… A gente não tinha nada para fazer, então começamos a usar o Google Tradutor e tentar falar outras línguas, e sim, estávamos todos bêbados! — Sorriu inocente.
— Foi uma brincadeira horrível, mas como estava todo mundo alcoolizado, pareceu a coisa mais divertida que já fizemos! E foi nesse dia que eu descobri o sotaque americano horrível dela — Dan explicou sorridente.
— Mas o francês dele é tão ruim quanto meu americano! — A mulher avisou — E meu alemão é maravilhoso! Infelizmente não entendo nada além de “oi, tudo bem?”
— Deveria aprender o que quer dizer “homem” e “mulher” para evitar o vestiário errado! — Daniel alfinetou.
— Eu quero ver isso, vamos lá vocês dois! - Graham pediu divertido.
Se olharam antes de Daniel pigarrear, forçando um francês em algumas palavras bem básicas;
— Bonjour, comment vas-tu? Je vais bien, merci! — Começou a rir no meio da frase, sem continuar, mas recebendo uma salva de palmas e gritos animados — Obrigado, obrigado!
— Foi horrível! — negou com a cabeça, antes de arrumar a postura, imitando um sotaque alemão — Hallo, mein Name ist ! Wie geht es dir? Mir geht es gut, danke!
— Estou impressionado! Ficou realmente bom! — Norton admitiu, batendo palmas.
— Danke! — agradeceu rindo.
— E o americano?
Morris pigarreou antes de respirar fundo e dizer uma frase qualquer, forçando o sotaque. Graham começou a gargalhar, e a inglesa pareceu levemente sem graça.

— Gente? — Hemsworth virou-se para os colegas. — Ela tá falando sério?
Downey Jr. negou com a cabeça.
— Ela está forçando demais, não era assim tão ruim na gravação…
— Mas agora, Morris, e esse almoço com Felton? Algo importante? — Tornou a questionar, disposto a descobrir algo importante.
— Eu sei o que você está fazendo! — Disse, negando com a cabeça — Sabe que eu não sei guardar segredo, se tivesse algo acontecendo eu contaria! — Deu de ombros, vendo-o concordar — Mas como não tenho novidades, vou te contar o que aconteceu nesse almoço. Foi divertido, quer dizer, divertido agora, na verdade foi bem constrangedor! — Avisou, dando um sorriso amarelo.
— O que aconteceu?
— Eu tinha combinado com Felton de almoçar, e eu estava esperando ele no restaurante, quando Tom me mandou uma mensagem dizendo que levaria um amigo, okay, tudo certo — começou contando, coçando a nuca e olhando hora para Graham, hora para a plateia —, então ele chegou com esse cara, Sebastian. Ele é muito legal, divertido, adora reclamar do mundo, adorei ele na verdade! — Sorriu — Sério, Tom ficou bravo porque nós dois começamos a reclamar de tudo, vocês sabem como eu gosto de fazer um drama e problematizar…
Graham e Daniel concordaram rapidamente.

— Hiddleston, ela reclamou da gente? — Perguntou Scarlett, e o inglês empalideceu — Ai meu Deus, não acredito que ela reclamou da gente!
— Mas eu nem disse nada! — Protestou, sendo ignorado.
— Pois bem, eu tive a impressão que já tinha o visto em algum lugar, mas não sabia de onde, se era algum filme ou o que, por isso preferi só continuar conversando sem perguntar nada, para não correr nenhum risco de passar vergonha, não é? — Declarou, recebendo alguns sim, sim, vindos do apresentador — Aí, chegou um momento em que estávamos falando de trabalhos, e Sebastian falou que tem um contrato, mas não sabe quando vai trabalhar, — passou a língua pelos lábios, tomando cuidado para não falar o que não deveria — e eu fiquei confusa, né? Como assim você não sabe o contrato que assinou? E nisso ele me olhou nos olhos, “é porque teoricamente ninguém sabe se meu personagem sobreviveu” e eu… — Concordou com a cabeça, em silêncio, escutando o pessoal rir ao redor — Nisso veio o Tom e gritou “Você não assistiu Capitão América, ?”
Graham começou a rir, concordando com a cabeça, assim como Daniel, que já sabia a história toda.

— Espera, Sebastian não é…? — Começou Jeremy, se virando para Evans, que assentiu com a cabeça.
— Como é que você fala para uma pessoa que acabou de conhecer que não prestou atenção no filme e não sabe quem era o personagem dele? — Ergueu as mãos, negando com a cabeça — Graças a Deus o Tom começou a puxar outro assunto, porque eu só queria sair correndo!

— Como assim ela não assistiu?! — Resmungou Evans, com a voz esganiçada — A gente vai trabalhar junto e ela nã…?! Agora virou pessoal!
— Eu gostaria de dizer que eu já tinha a convidado para ver esse filme, antes de voltar para NY, e ela não quis! — Dan contou, olhando para Graham, concordou rindo — Aí ela preferiu sair com o date dela, se tivesse ido comigo teria assistido o filme!
— Prioridades! — Deu de ombros, sorrindo para o amigo.
— Com quem você saiu? — Norton aproveitou para saber mais da fofoca, vendo-a negar com a cabeça.
— Essa parte não vou contar, não. Já tô me expondo demais hoje!
— Daniel, conta pra mim! — Virou-se para o moreno, que gargalhou, negando com a mão;
— Eu já contei do dia no SPA, não vou falar mais nada!
— E agora você assistiu ao filme, ? — Graham tornou, vendo-a concordar sorridente.
— Me senti muito culpada, assim que cheguei no hotel já fui procurando pra assistir. Inclusive, chorei quando o Buck caiu do trem e…
— Olha o spoiler, garota! — Daniel gritou, colocando a mão na boca da amiga, que arregalou os olhos.
— Gente, desculpa, achei que o resto do mundo já tivesse assistido!
— Morris agora passa spoiler de Harry Potter e da Marvel, eu não aguento isso! — Radcliffe riu, inclinando-se para pegar um pouco de água.
— Não é spoiler! — Negou indignada - Relíquias da Morte é de 2007, não tem como a morte da Sam ser spoiler, pelo amor de deus! E tenho certeza que tem nos HQ’s da Marvel essa morte do Bucky...
— Meu amor, muita gente só assiste os filmes! — Norton explicou rindo.
— Nossa gente, azar de vocês então, bem feito que eu falei! — Deu de ombros, mantendo o sorriso.
é a pior pessoa para estar ao lado, ela passa spoiler de tudo! — Daniel resmungou negando — Já me passou spoiler por mensagem de texto!
— Foi sem quereeeer! — Tentou se justificar — Eu nunca faço por mal, mas eu me animo contando as coisas, quando vejo já foi…
— É por isso que eu te amo e adoro quando você vem ao programa! Sempre sei de tudo! — O irlandês comentou sorridente.
— Quem não fica feliz são os produtores… — Dan comentou displicente, escutando as risadas.
— Vamos para o comercial e logo voltamos para o último bloco do programa!


Evans virou-se revoltado para os amigos;
— Eu não acredito que ela não sabia quem era o Bucky. Como é que contratam alguém que não assistiu os filmes?
— Mas ela assistiu agora… —Tom sorriu pequeno, tentando defender a amiga.
— Você não começa! — Apontou o dedo acusadoramente.
— E essa história do sotaque, gente? — Scar lembrou preocupada — Como ninguém sabia que o sotaque americano dela é ruim? E se ficar muito evidente nas filmagens? Quer dizer, o sotaque britânico dela é muito forte!
— Ela pode fazer fono, ou algo do tipo… -—Ruffalo deu de ombros, não parecendo se importar tanto com o problema.
— Alô? Vocês tão escutando o problema aqui? — Chris tornou a chamar a atenção dos amigos - Ela é fã da DC, não sabe nada da Marvel! Como foi que o Joss a contratou??
— Eu estou pensando mais na parte que ela não sabe guardar segredos… — Downey comentou coçando a barba, olhando para a propaganda que passava na televisão.
— Pelo menos não falou nada sobre o contrato! — Mark concordou.

— Antes de encerrarmos hoje... — Graham voltou sorridente, Dan e esparramados pelo sofá vermelho — Gosto de ver como todos os convidados que acabam cinco minutos com a Morris nesse programa ficam largados! Todo mundo entra aqui super comportado e formal, aí eles olham essa menina agindo como se estivesse em casa, e fazem igual!
Radcliffe começou a rir, ajeitando a postura e arrumando a gravata que ele havia soltado alguns minutos antes, o que fez Norton rir, continuou com a mesma pose largada, apenas com as pernas cruzadas, devido ao vestido que usava.
— Enfim, para finalizar, eu quero saber dos próximos projetos de vocês!
— Eu continuo desempregada, obrigada! — sorriu inocente, fazendo um joinha com a mão para a câmera.
— Como assim uma das queridinhas da Inglaterra não foi contratada?
— Ah, você sabe… — Deu de ombros, não parecendo realmente ligar.
— Eu tenho a impressão que você está mentindo para mim, Morris, e se eu descobrir que você mentiu vamos conversar sério da próxima vez! — A inglesa riu concordando, enquanto Daniel olhava sorrindo de um para o outro. — E você, Dan, quais os planos após o musical?
— Bem, volto para a Inglaterra e vou começar a gravar The Woman in Black em alguns meses, que é baseado no livro da Susan Hill... — Contou animado.
— Eu não sei se estou pronta para te ver em um filme de terror! — negou com uma careta.
— Isso é um detalhe interessante, porque Morris morre de medo de filmes de terror! — Daniel contou rindo, vendo-a concordar sem a mesma animação do amigo.
— Por favor, me diga que você vai convidá-la para a Premiere desse filme! — Graham pediu sorridente, vendo Dan confirmar.
— Nossa gente, me amem menos, por favor! — Resmungou cruzando os braços.
— Mas antes de vocês começarem os novos projetos, quer dizer, o Daniel, já que, aparentemente, só vai gastar seus milhões... — Norton a olhou significativamente.
— Eu vou fazer uma festa e te convidar, relaxa! — Piscou divertida.
— Acho bom, mas voltando — o apresentador virou-se para a câmera — antes dos novos trabalhos ou férias, os dois ainda estão envolvidos na divulgação de Harry Potter e as Relíquias da Morte parte 2, que estreia em poucos dias! — No televisor ao lado dos três e no telão ao fundo, começaram a rodar imagens divulgadas anteriormente do filme — Como foi gravar essas cenas? Tem algumas bem fortes, não é?
— Sim, algumas foram bem complexas — Dan concordou — Teve algumas que utilizamos explosivos, então não tínhamos margem pra erro, era sempre uma pressão a mais nesses casos…
— Teve muita mudança dos seis primeiros filmes para os dois últimos. — acrescentou — Partes que não tínhamos explorado na caracterização dos personagens…
— Lembro de duas cenas que todo mundo no set parou pra assistir: Quando Hermione estava sendo torturada pela Black, e quando Sam para na frente de todo mundo, rindo daquele jeito irônico… Todos ficaram muito impressionados!
— Como foi explorar esse lado maldoso da personagem? — Norton questionou, interessado.
— Foi bem difícil na verdade, porque no fundo eu ficava “eu não acredito que chegamos nesse ponto, Black não faria isso”, e ao mesmo tempo eu tinha que encenar situações horríveis — relembrou pensativa —, eu acho que as mais difíceis foram justamente com a Emma e as duas da Batalha de Hogwarts, porque na primeira eu tinha que parecer realmente má e louca, e nas outras eram aquele misto de medo, ironia e maldade… Não foram meus dias mais fáceis interpretando Samantha…
— Mas ficaram muito bons, quando vocês assistirem o filme vão entender do que estou falando! — Dan sorriu elogiando-a, Morris agradeceu abraçando-o de lado.
— Vamos dar uma olhada no trailer? — Graham sorriu, e no mesmo instante a música de abertura tocou;
Já no começo do vídeo a cena de Potter bebê, com Lily dizendo “Harry, be safe, be strong” e alguns flashback de filmes anteriores. Então a ação começava, com o trio pulando de um dragão, feitiços e gritos por todos os lados.
Sam Black aparecia ao lado da mãe, que a segurava dizendo “you have to wait for your orders”, a garota parecia confusa por um instante, antes de erguer o rosto, segurando a varinha.
Em seguida Voldemort aparecia lançando luzes verdes, e então explosões por todos os lados. Hogwarts em chamas, McGonagall gritando “save our school” e armaduras e estátuas marchando.
Na cena seguinte Black estava na frente de uma multidão de bruxos, sorrindo maldosa, ao fundo a Escola destruída; "That's gonna be so much fun” e uma nova explosão de feitiços iniciava-se, terminando em uma parte na qual Harry dizia “Let’s finish it together, Tom”, puxando Voldemort e os dois caíram juntos.
Sam então apontava a varinha, gritando Avada Kedavra, e um corpo era lançado no ar.
Na imagem seguinte, Rony e Hermione descendo a escadaria, lançando feitiços contra Nagini. No instante seguinte a cena mudava novamente para Harry e Voldemort, “Only I can live forever”, e na última imagem, os dois estavam duelando, luz vermelha e verde, respectivamente, saindo de cada uma das varinhas, e a logo da Warner tornava a subir, finalizando com o nome do filme.
As palmas rodaram por todo o estúdio, com alguns gritos animados.
— Vendo esse trailer dá um nervoso, a gente não sabe como ficou, ainda não vimos a edição final, mas pareceu ainda mais emocionante! — disse assim que o vídeo parou de rodar.
— Tem cenas fora de ordem, é claro, mas muito mais ação do que qualquer outro filme da saga! — Dan lembrou.
— Eu continuo não gostando do final, por razões óbvias — Morris rolou os olhos, escutando o pessoal rir —, mas foi fantástico. Será um grande filme, com certeza!
— Disso não temos dúvidas — Graham concordou, virando-se para a plateia. — Não percam a estreia de Harry Potter e as Relíquias da Morte parte dois, dia quinze de julho, nos cinemas! — Tornou a olhar para os convidados — Desejo muito mais sucesso para vocês, agradeço a participação e nos vemos em breve!
— Muito obrigado, foi ótimo estar aqui hoje! — Dan sorriu.
— Sempre bom, voltarei mais vezes! — sorriu animada, vendo Graham negar com a cabeça enquanto ria.
— Por hoje é só, obrigado pela companhia, e até a próxima semana, tchau! — Acenou, despedindo-se da câmera e se levantando junto com os dois, que já viraram-se para a saída, sob aplausos do público.


O grupo permaneceu em silêncio por alguns instantes, vendo os créditos começarem a subir ao final do programa, quando Evans virou-se para comentar alguma coisa, Hiddleston levantou apressado.
— Chega, não quero mais te escutar falando mal da garota, Capitão. — Suspirou passando a mão pelos cabelos compridos. — Eu já disse que ela não tem noção das coisas, e você para de ser mimado!
O grupo de atores começou a rir da cara de ofendido do amigo.
— Vou concordar com o Tom, — Chris Hemsworth falou — é óbvio que a garota é legal, só ficou nervosa com todo mundo falando com ela ao mesmo tempo… — Deu de ombros — Vou dar meu voto de confiança nela. Sem contar que ela sempre me responde rápido quando eu mando mensagem, já estamos até trocando memes!
— Vocês estão conversando em privado? — Downey perguntou surpreso, vendo o australiano concordar sorridente. — Eu achei que não era pra ninguém falar com ela pra não assustar!
— Mas eu não falei nada do trabalho, falamos de assuntos diversos… — Deu de ombros.
— Ah, mas agora eu vou mandar mensagem também!
— Me sinto traído! — Evans cruzou os braços. Scarlett rolou os olhos, rindo de lado.
— Olha aqui, você está me obrigando a fazer uma coisa que eu não queria, Evans. — Tom sacou o celular do bolso, procurando a conversa que teve dias antes com a inglesa. Pigarreou antes de voltar a falar — Eu perguntei o que ela tinha achado de vocês, e ela me respondeu assim “Eu gostei deles, mas falaram muito rápido e ao mesmo tempo, fiquei confusa. E amei você pedindo pro Mark me acompanhar, (inclusive achei ele muito fofo!), porque Robert e Chris estavam dando muita informação e eu não conseguia assimilar. Que papo é esse de Sra. Rogers? Ninguém me disse que a Stark tem um romance com o Capitão!”
— Meu deus, o que essa menina sabe sobre os personagens? — Jeremy negou com a cabeça, rindo leve.
“Eles parecem ser legais e engraçados, mas eu não entendia o que o Evans falava, fiquei nervosa. Mas eu me sai bem, ne?” - Tom finalizou encarando o grupo de atores. - Como eu disse, Morris acha que foi tudo ótimo. Agora será que dá para os senhores e a senhora — olhou para Scarlett — Pegarem leve com a menina?
— Ok, na próxima vez eu vou tentar sorrir e ser amigável. — Scarlett ergueu as mãos, rendendo-se.
— Finalmente alguma sensatez! — Mark agradeceu com as mãos para o alto. — Ela é legal, só um pouco tímida. Logo passa.
— Eu não sei… — Renner começou, coçando a barba — Mas tudo bem, vou dar uma segunda chance.
— Como eu já disse, gosto dela porque a menina é tipo minha filha, mas admito que concordo com o Evans em alguns pontos, não gostei de ser trocado… — Downey cruzou os braços, arqueando a sobrancelha — Mas também mal conversamos… E dá para entender ela ter ficado tão nervosa…
— Eu já disse que gostei dela! — Hemsworth comentou, mantendo o sorriso leve.
— Ei, — Chris levantou as mãos — ninguém lembra da conversa que tivemos? Ninguém lembra que eu passei quase duas horas esperando por ela e a Morris praticamente me ignorou?
Tom tornou a negar com a cabeça.
— Você prestou atenção no que eu disse? A menina ficou nervosa. Agora chega. — Reclamou com o amigo, que arqueou a sobrancelha.
— Vocês falam isso porque não foram vocês que ficaram esperando…
— Ah, nem vem. Sei muito bem o motivo de você ter passado horas esperando a inglesa! — Scar apontou com o dedo — Bem feito!
— Calúnia! — Chris se defendeu, ofendido.
— Tanto faz, agora vão indo que tá tarde e eu com sono. Cansei desse papo sobre a Morris. — Hiddleston bocejou.
— Nossa, que anfitrião legal. — Hemsworth riu irônico. — Só vou porque a pizza acabou! - Deu de ombros, levantando-se após tomar o último gole de cerveja.
— Já está tarde mesmo, Susan deve estar maluca… — Robert espreguiçou-se, seguindo o australiano. — Até mais! — Despediu-se, acenando com a mão enquanto caminhava para a porta.
Aos poucos o grupo foi se dispersando, sendo Chris o único que restou sentado no sofá, na mesma pose de antes.
— Olha, Evans, não me leva a mal, mas eu realmente estou cansado… — O inglês cruzou os braços, olhando para o amigo.
— Tudo bem… — Suspirou levantando-se, parando e encarando o moreno.
— O que foi?
— Não sei se você me convenceu… — Colocou as mãos nos bolsos.
Tom rolou os olhos.
— Tá bom, com o tempo você descobre. Tchau, Evans. — Apontou para a porta, acompanhando o loiro até a mesma. — Mas, se quer saber, você deveria perguntar para o Sebastian. Ele já a conheceu, não é?
Chris o olhou surpreso por alguns instantes, nem passou por sua cabeça perguntar para o amigo, tinha esquecido completamente da notícia que Scar lhe mostrou dias antes, sobre os dois terem se encontrado para um almoço. Enquanto estava no elevador, tirou o celular do bolso, logo encontrando a conversa com Stan, mandando uma mensagem rápida e direta;

A Morris é legal?


Só viu a resposta quando chegou em sua casa, pouco antes de deitar-se para dormir.
Sebastian: Ela é ótima, faz piadas tão ruins quanto as nossas, mas é ótima. Por que?
Você: Hm… Não sei, ela me pareceu um pouco antipática…
Sebastian: O que?? Estamos falando da mesma Morris??
Você: Eu acho que estamos, ela chegou no set para conhecer todo mundo, mas foi… sei lá, não foi legal.
Sebastian: Chris, sério. Aquela garota é ótima, e eu sai com ela duas vezes, ou seja, conversamos bastante. Felton me disse que ela é meio tímida no começo, não que tenha sido quando nos conhecemos… Sei lá. Mas Morris é incrível, sério, você vai gostar dela!
Você: Ah, você também está no fã clube dela???
Sebastian: Hahaha talvez… Mas e aí, como estão as gravações?



5.

Morris, Radcliffe, Grint e Watson estavam sentados lado a lado na grande mesa da sala de reuniões, enquanto Matthew e seus agentes terminavam de acertar os últimos detalhes para a Premiere do filme, que aconteceria em três dias. O grupo parecia um tanto disperso, já que a conversa não era diretamente com eles até o momento, conversando em voz baixa ou mexendo no celular enquanto esperavam.
não tinha certeza do que estava sentindo naquele momento, era uma mistura de pensamentos e sentimentos que só vinha crescendo nas últimas semanas com a proximidade da estreia. Por mais que não quisesse admitir, achava que não estava cem por cento pronta para dizer adeus àquilo tudo; Não encontrar mais aquelas pessoas, não ter mais script para ler e não viver como Sam Black, era algo que ela não conseguia realmente imaginar depois de todos aqueles anos no personagem. Ao mesmo tempo que se sentia muito bem, sentia-se triste. Era uma mistura estranha de sentimentos que, vez ou outra, a faziam querer chorar quando pensava no assunto, e saber que a Premiere estava tão próxima, fazia crescer um frio em seu estômago.
Assim que a reunião realmente começou para os quatro, as informações que receberam eram basicamente as mesmas dos outros anos, sendo que alguns receberam uma lista diferente de lugares que estariam para a Press Tour; Além de Nova York dia 11, Morris também iria para o Brasil, Rio de Janeiro, dia 14. Em NY todos estariam presentes, mas no Brasil apenas ela e Felton iriam, enquanto os amigos estariam espalhados por outros países. Após isso, estaria livre de compromissos com a saga.
— Todos vão chegando com um intervalo de dez minutos para a imprensa ter tempo para algumas fotos e entrevistas. A ordem entre vocês quatro será; Grint, Watson, Morris e Radcliffe além, é claro, dos outros atores, já estamos com todos os horários combinados, e a ordem de entrada de cada um. Vocês quatro vão para o palco principal para discursos finais junto com Jô, os David’s e Barron. É importante que ninguém se esqueça do discurso dessa vez! — Matt virou-se para Morris, que arqueou as sobrancelhas, sorrindo de lado. — Alguma dúvida?
O ruivo ergueu a mão, inclinando-se sobre a mesa;
— E os convites? Podemos chamar quantas pessoas?
Matt olhou em uma lista à sua frente, antes de respondê-lo:
— Três para cada, o resto ficará com os convidados escolhidos pelo estúdio e para a imprensa. O mesmo vale para a de NY.
— Tenho um sobrando para NY, quem eu iria convidar já está na lista… Alguém quer? — Radcliffe perguntou, virando-se na cadeira giratória.
— Eu aceito! — falou rápido. — Obrigada!
Dan sorriu, estendendo a mão para apertar a da amiga, em um acordo silencioso. Matt negou com a cabeça, antes de voltar a falar sobre as escalas para entrevistas.


🎬🎬


Scarlett tinha acabado de sentar em sua cadeira, com uma garrafa d’água enquanto esperava sua próxima cena, a respiração levemente falha pela corrida dos últimos minutos, quando pegou seu celular, notando algumas mensagens no whatsapp. Estranhou ao ver o nome de Morris no grupo do elenco, a inglesa até o momento só tinha mandado um “olá” quando Hemsworth a adicionou:

Morris: Tenho 4 convites VIP para a premiere de HP em NY + after party, alguém interessado?


A ruiva arqueou a sobrancelha um tanto surpresa pelo convite, não sabia dizer se era por educação ou porque a mais nova estava tentando se enturmar com o grupo, mas de qualquer forma pareceu uma proposta interessante, e como o grupo era grande, não perdeu tempo para responder;
You: Eu! Até queria 2, mas acho difícil sobrar! O pessoal aqui adora uma festa!

Surpreendeu-se quando a resposta que teve veio de Robert, que nem estava gravando no dia;
Downey: Eu aceito um!
You: Desde quando você assiste HP?
Downey: Não posso querer prestigiar minha filha?? E eu estou começando a assistir ok?
Downey: Estou vendo o primeiro nesse exato momento, todo mundo com carinha de bebê!
You: Eu tenho tanta pena dessa garota quando ela chegar…
Downey: Ciúmes, amor? Sinto muito. Sangue de Stark tem poder!

Scar riu de leve, negando com a cabeça. Achava engraçado o desespero de Robert para ter a atenção da inglesa e fazer esse negócio de pai e filha funcionar.
Chris H.: Quando vai ser, ?
Olhando ao redor, Johansson logo focalizou o colega esparramado em um sofá mais ao canto, com o celular em mãos.
Tom H.: Por que não ganho convite para a Premiere de Londres? Chateado.
A conversa se estendeu por mais alguns bons minutos, até Scar ser chamada novamente para as cenas que faltavam, deixando o celular de lado.


🎬🎬

Morris pegou seu smartphone na bolsa enquanto esperava sua cerveja, notando nada menos do que cento e cinquenta mensagens do grupo da Marvel. Fez uma leve careta antes de abrir a conversa;
You: Perdão, não vou ler tudo isso, não! Alguém quer os convites?
Chris - Thor: Olha, se eu fosse você eu leria! Hahahaha
Chris - Thor: Qual a data?
You: Nossa… Muito empenho… Dia 11, Thor.
Scarlett: Eu gostaria de 2, mas como tem mta gente pedindo, um só tá ok!
Samuel L.: Agradeço, mas não vou poder! Aproveitem!
R. Downey: Eu quero!
Chris - Thor: Aceito também!
Tom H.: Não posso, mas me conta as fofocas depois!
Chris - Cap.: Eu precisaria de dois, vou chamar o Stan!

Morris franziu o cenho, virando-se para Felton, sentado ao seu lado na mesa do pub, conversando com Rupert:
— Tom, você não chamou o Stan?
O loiro riu tomando um gole de sua cerveja, acenando positivamente;
— Ele me ameaçou caso eu não chamasse!
arqueou a sobrancelha, aguardando uma explicação.
— Eu já te mostro, espera — riu pegando o celular no bolso da calça, enquanto a inglesa voltava a digitar no próprio telefone.
You: Sebastian já tem convite, até já confirmou o nome na lista…
Não demorou dois segundos para seu telefone tornar a apitar, com uma nova mensagem de Evans;
Chris - Cap.: COMO ASSIM??? E ELE NEM ME AVISOU?
Tom H.: Hm… Por que o Stan ganha ingresso separado?
Chris - Thor: NÃAAAO!!! O que aconteceu entre vocês????
Scarlett: MORRIS E STAN????

piscou duas vezes, relendo as mensagens que chegavam, abrindo a boca, surpresa:
You: NÃO FUI EU QUEM CONVIDEI, OK? eu nem falo com ele, calma
You: O Tom acabou de falar que ele já tá confirmado!
Tom H.: EU?????

Morris rolou os olhos, rindo baixo.
You: Felton. Vai querer um Evans?

A mulher tornou a deixar o celular de lado, anotando mais alguns nomes no papel à sua frente; Scarlett Johansson, Chris Hemsworth, Robert Downey Jr. e Chris Evans.
E Tom logo estendeu-lhe o aparelho, com a conversa aberta com Sebastian;

Seb. Stan: Felton!!!! Vai ter premiere em NY ne??
You: Sempre, vai ser dia 11
Seb. Stan: PRFV, me arranja um convite, nunca te pedi nada!
You: Pra que?
Seb Stan: Como para que?? CARA É O ÚLTIMO HP, imagina a festa que vai ter dps!!
You: HAHAHAHAHAHHAH
Seb. Stan: Prfv, cara. Te arranjo dois pro próximo filme da Marvel…
You: Ah, não sei…
Seb. Stan: PORRA, FELTON… Acabamos por aqui se eu não ganhar convite!
Seb. Stan: Quem você vai convidar? Seus amigos todos já estão lá porque são do elenco… Por favor, cara…
You: Hahaha, bom argumento…
You: É seu. Já iria te convidar, só estava esperando a data...
Seb. Stan: É por isso que você é meu Malfoy favorito!



A atriz entregou novamente o aparelho para o amigo, ainda rindo do aparente desespero do romeno para um convite, embora não o julgasse, a festa com certeza seria ótima. Se a dos filmes passados já tinham sido boas, imaginava como seria a última.
Warner claramente não pouparia esforços para tornar aquilo ainda mais inesquecível!

🎬🎬

Três dias depois...

Sebastian equilibrou melhor as duas sacolas de papel que carregava nos braços para abrir a porta do prédio, a empurrando com as costas para passar e depois deixando que ela se fechasse sozinha enquanto rumava para as escadas.
Se esqueceu de checar as horas antes sair do mercado, mas a risada escandalosa de Evans no corredor era mais do que o suficiente para o avisar que talvez já tivesse dado o horário que combinaram no dia anterior.
Dos que iriam para a Premiere na semana seguinte, apenas Chris e Scarlett estavam sem cenas para gravar nos próximos dias, por isso optaram ir para NY antes para aproveitar melhor a folga, combinando de encontrar o romeno para um happy hour fora de hora.
Downey também estava livre, mas quis ficar para acompanhar Hemsworth, já que ele e Rufallo tinham uma cena para gravar na segunda.
— Meu Deus, você está pensando que vai cozinhar para o elenco inteiro? — Brincou Chris assim que o romeno apareceu, se adiantando para o ajudar com as sacolas — Eu sei que o pessoal brinca que eu como bastante, mas isso já é exagero!
— Eu também tenho que comer até ter que viajar de novo — lembrou ele antes de se adiantar para cumprimentar Scarlett — Chegaram faz muito tempo?
— Sim, muito tempo. Sinta-se mal por isso!
— Cinco minutos, Stan — desmentiu Scarlett rindo, seguindo com os dois para a cozinha do apartamento. Chris mal deixou a sacola na bancada e voltou para a sala, deixando a dupla confusa.
— Tem algum canal que vai transmitir? — Perguntou, já se jogando no sofá do amigo e procurando o controle remoto.
— Youtube. E pode ir levantando que você vai ajudar — avisou Scarlett, apontando para o loiro, que se levantou erguendo as mãos em sinal de inocência — Se não ajudar, não come.
— Eu só ia colocar no canal, credo. Que horas que começa?
— Umas 15hrs lá, algo assim, mas com o fuso horário, acho que já deve estar começando — respondeu Sebastian, voltando na sala atrás do notebook para acompanharem a transmissão da cozinha — Como estão as gravações?
— Tirando um detalhe ou outro, estão indo muito bem! — Scar sorriu de lado, retirando os produtos das sacolas.
— Aquela história do Jackson ter perdido o script ainda está causando problemas?
— Nem tanto, o Joss está mais preocupado agora com a novata — a atriz suspirou, erguendo a embalagem com frutas para que ele dissesse onde deveria as guardar — Sabe? Com a reação que o pessoal vai ter e tal...
— E como o elenco está reagindo a isso?
— Você já sabe! — Acusou e Sebastian riu ao concordar.
— O bebezão veio me perguntar sobre ela esses dias — contou, apontando com a cabeça para Chris, que ainda procurava o link na internet — E disse que você estava no grupinho!
— Ela não foi a pessoa mais simpática quando foi apresentada, tá? — Se defendeu — Mas já deixei claro que estou disposta a esquecer isso. Dá para entender o lado dela. Talvez a gente seja um grupo um pouco animado demais.
— Já começou! — Evans avisou em voz alta, os dois amigos terminaram de guardar as compras e sentaram-se ao seu lado nas banquetas.
Foram assistindo e, ao repararem que parte do elenco principal ainda não tinha chego, aproveitaram para irem fazendo o almoço, sempre dando uma olhada para garantir que não estavam perdendo nada muito importante.
Com quase duas horas de red carpet, Morris finalmente chegou, e o trio encerrou as conversas para prestar atenção;

Live on Youtube

— … E este foi o Magic de Emma Watson, e agora, ela acabou de chegar! A intérprete de Samantha Black, Morris está no red carpet! — A câmera acompanhava sua movimentação um pouco mais de longe para que se pudesse ter uma visão mais ampla do seu figurino — Morris está fazendo seu caminho até o palco, parando para fotos, ela parece realmente animada acenando para os fãs. Muitos sorrisos e poses para a mídia, oh, parou para fotos e autógrafos com o pessoal! —
O grupo parou de prestar atenção por alguns instantes graças ao toque alto do celular de Scarlett, que riu em descrença ao ver o nome de Downey piscando na tela:
— Estou um pouco ocupada no momento, Robert.
— Assistindo a Premiere, espero — a voz do ator parecia um tanto distante do aparelho, com alguns ruídos que indicavam sua movimentação — Tô sozinho e quero ficar comentando com alguém, ainda mais agora que a chegou. Você está com os velhotes?
— Digam oi para o Downey, meninos — cantarolou a atriz, deixando o celular ao lado do notebook, depois de colocar a ligação no viva-voz.
— Stark! — Sebastian cumprimentou rindo.
— Sargento! — O homem respondeu no mesmo tom — Sou eu ou a Morris está muito bonita hoje?
— Mas... é bonita…!? — Scar e Chris olharam no mesmo instante para o romeno, que sentiu-se levemente desconfortável com os olhares. — Quer dizer… Ah, qual é?! — Rolou os olhos, ouvindo a risada dos amigos.
— Só por garantia: Fica longe da minha filha, Stan! — Downey avisou, fazendo os três rirem.
— Morris está quase chegando ao palco principal, foram dez anos como Sam Black, deve ser muito emocionante! Enquanto ela não chega aqui, ainda falando com alguns fãs, vamos ver o Magic de Morris!
No mesmo momento começou a rodar o vídeo da entrevista, na qual estava sentada em uma cadeira do set, as pernas cruzadas enquanto o cotovelo estava apoiado no braço da cadeira, o rosto encostando em sua mão fechada, Morris permaneceu com o cenho franzido e um sorriso leve enquanto uma voz perguntava qual a sensação de ter feito parte de Harry Potter:
“— Bem… — A inglesa começou cruzando os braços, olhando para frente — É tudo muito estranho e fantástico, mas depois de todos esses anos, é difícil definir. É como se já fizesse parte de mim, é realmente estranho pensar que não vai mais acontecer... Que não vamos mais estar juntos no set e que não serei mais Samantha. Foram dez anos… Começou parecendo uma brincadeira, mas, acho que quando começamos a gravar o Prisioneiro de Azkaban, foi quando eu comecei a reparar no quão sério era tudo aquilo, o quão fantástico. Eu vou sentir falta de tudo isso.
A próxima pergunta era sobre o que ela sentiu no dia do teste, e quem estava com ela nos estúdios;
— Ahn, — Morris passou a mão pelos cabelos compridos, colocando-os para trás — Eu não… Eu não sei, — riu baixo, negando com a cabeça — na verdade eu fui escondida dos meus pais, meu irmão me levou para o teste porque eu disse que queria fazer. Eu tinha pedido para meus pais alguns dias antes, mas eles negaram por já termos atenção demais da mídia e eu ser muito nova — contou ajeitando-se, tornando a apoiar o cotovelo no braço da cadeira — Quando meu irmão me levou, ele não me disse que estaríamos indo aos estúdios, ele disse que estava me levando para assistir seu treino de futebol, ele até estava usando seu uniforme — riu coçando o queixo — Quando chegamos, ele pegou uma das fichas de inscrições e me entregou, então a segunda pergunta, logo após meu nome, era sobre a minha idade, e nós sabíamos que eu não tinha a idade correta, mas assinamos mesmo assim, mentindo que eu era mais velha. Eu não lembro muito, imagino que estivesse nervosa, mas ele ficou do meu lado o tempo inteiro, meu irmão foi incrível. Eu me lembro dele dizendo algo como “tudo bem se você não conseguir, você ainda vai ter um Harry na sua vida”, — riu, olhando para baixo — Ele foi incrível, me ajudou a passar as falas que me entregaram, foi fantástico!
— Como você soube que foi aceita para o papel?
— David Heyman me chamou para um segundo teste, junto com os três que estariam interpretando o restante do grupo, eu soube que já tinham escolhido Rony, mas estavam na dúvida com os outros, e tinham mais duas garotas para o papel da Sam… — Morris olhou para a câmera rindo — Elas tinham a idade certa, é claro, eu devo ter sido a única que mentiu, mas… Bem, se ninguém tinha descoberto ainda, estava tudo bem por mim. Meus pais ainda não sabiam o que estava acontecendo, e eu e meu irmão mentimos dizendo que teríamos aula até mais tarde aquele dia… Basicamente a gente atravessou a cidade de metrô para chegar aos estúdios! — Riu novamente, colocando alguns fios de cabelo atrás da orelha — Foi divertido. O teste foi muito legal, eu fiz com um outro garoto primeiro, que tentava o papel de Potter, e depois teve mais um teste no qual eles me colocaram com Rupert, Emma e Dan. Eu lembro que Heyman parecia bem animado. Depois do teste nós tínhamos que fazer uma pequena entrevista separadamente, contando um pouco sobre nós mesmos… — apoiou o rosto na mão fechada, negando com a cabeça — E é claro que eu estraguei tudo, falei sobre a escola e tudo o mais, e aí o Heyman perguntou sobre a minha idade, só depois eu lembrei que tinha colocado que era mais velha. Quando ele descobriu não disse nada, me olhou por um tempo e depois pediu para eu sair da sala. — Morris curvou-se para frente, estalando os dedos enquanto mantinha um sorriso de lado — Eu fui até meu irmão e pedi para irmos para casa, contei o que tinha acontecido e tinha certeza que já era, não iriam me chamar. Quando Heyman ligou para minha casa, ele falou com a minha mãe, que ainda não sabia de nada… Minha mãe chegou no horário do jantar dizendo que um David tinha ligado, mas ela falou que era a casa errada, porque eu não tinha feito teste nenhum… Meu irmão deu um grito na mesa, e então meus pais, bem eles já estavam sabendo, obviamente, eles viraram pra gente dizendo que estávamos de castigo porque mentimos para eles e… Bem, em algum momento da bronca meu pai falou “e parabéns, , você conseguiu o papel!” Foi bem estranho, mas comecei a rir e agradecer meu irmão por ter me levado. Eu não teria conseguido se não fosse por ele.
— O que você espera para a Premiere?
— Não faço ideia. Imagino que vou chorar bastante... — balançava a perna, conforme pensava no que responder, sorrindo triste antes de concluir — É muito surreal pensar que está acabando, no fundo você nunca espera que isso realmente aconteça… — Suspirou passando a mão pelo rosto, olhando para baixo por alguns instantes — Eu acho que só posso agradecer o resto da minha vida por isso, mas vai ser difícil lembrar que acabou. Quer dizer… É Harry Potter, não é?”


Com o fim da gravação, as imagens ao vivo retornaram, com agora ao lado de Alex, o apresentador, que comentava algo animado com a atriz.
— Ei… — Soltou Sebastian confuso, só agora com a inglesa mais próxima da câmera notando um detalhe que passou despercebido até o momento: o cabelo da atriz estava um pouco mais claro e bem mais curto, em um corte acima do ombro — Ela cortou o cabelo?
— Ela não tinha que manter o cabelo comprido pra ser a Avril? — Chris se juntou ao amigo, se virando para Scarlett em busca de confirmação — Na arte conceitual não era comprido?
— Meu Deus… — bufou a mulher, jogando a cabeça para trás — Alongamento, gente. Não é porque vocês interpretam personagens desatualizados que precisam ser também!
— Ainda bem que eu escolhi ficar quieto sobre esse tópico — comentou Robert — Essa patada doeria até daqui!

—... E aqui estamos com Morris, que foi por dez anos Samantha Black, — Alex começou, abraçado de lado com a atriz, que sorria olhando para os fãs. — Vou fazer a mesma pergunta que fiz para Rupert; Qual a sensação de estar aqui agora? Olha todas essas pessoas aqui, gritando seu nome!
Morris riu quando os fãs tornaram a gritar, acenando para eles antes de responder.
— Eu estou o dia inteiro tentando não chorar, eu não sei nem o que dizer… É inacreditável estar aqui hoje… Essas pessoas são maravilhosas, muito obrigada por estarem aqui, vocês são ótimos, muito obrigada!
— Como foi ser Samantha, e o que você achou do final?
— Ahn… Se eu disser mais alguma coisa alguém vai aparecer brigando comigo por causa dos spoilers… Mas… — riu junto com o apresentador, que concordou — Uh… Foi fantástico, Sam é incrível nos livros, foi realmente uma sorte e uma honra conseguir esse trabalho, sabe? Tem muita força… Muita coragem… Foi fantástico, o final foi triste, mas foi ótimo trabalhar na construção dela… Espero que todos gostem desse final, que tenha… Que tenha honrado o que ela significa na história…
— Qual seu filme preferido e por quê?
— Hm… Eu diria que o terceiro, porque conseguimos colocar muito dos Black e… Qual é, Black aqui! — Riu apontando para si mesma — Tem a introdução de Sirius, o que é fantástico, e mostra um pouco dos problemas familiares dela, mas acho que no momento vou escolher esse, porque é o final, não é? — Tornou a rir enquanto olhava para o pessoal acenando — É o que os últimos dez anos nos levaram… Então… É, esse é meu preferido!
— Falando sobre isso, olhando todos esses anos, qual sua lembrança favorita?
— Com certeza essa Premiere está entre minhas favoritas… — Começou ouvindo gritos dos fãs, acenando para eles novamente — Mas acho que o melhor de tudo foram as pessoas que conheci e convivi durante esse tempo, são todos incríveis, acho que eu tive muita sorte… Eu conheci meus melhores amigos nos sets e conheci pessoas incríveis no mundo inteiro, parte deles estão aqui hoje… — Apontou para os fãs — Eu vou dizer que esse momento é o melhor, porque eu ainda não estou acreditando que estamos aqui, então… É, muito obrigada!



— Talvez eu esteja sendo influenciado pelo momento — comentou Robert — Mas tudo que eu quero agora é abraçar essa menina.
— Seja forte, Downey — resmungou Chris, recebendo reclamações dos dois ao seu lado e ainda um tapa no braço da colega, que também parecia bem emotiva.
— Não dá…! Olha a cara dela de quem quer chorar. Duvido que ela vá conseguir terminar o evento sem derramar algumas lágrimas. E eu provavelmente vou chorar junto.
— Pensei que o elenco principal estava de mal com a — comentou Sebastian, se virando emburrado para o amigo — Não acredito em mais nada do que você fala, cara. Você faz muito drama.
— A garota já é praticamente a minha filha, só estou esperando a papelada!
— Pelo que eu entendi do evento… — Scarlett interrompeu a conversa paralela, querendo dividir a informação que conseguiu mais cedo e deixar todos na expectativa — Vão ter alguns discursos mais para o final, Morris e os outros três vão ter que falar alguma coisa… Estou prevendo muitas lágrimas!

Pouco após a chegada de Morris, que ainda tirou algumas fotos com Gary Oldman e Julianne Moore, intérpretes de Sirius Black e Victoria Lestrange, Daniel Radcliffe finalmente chegou, e minutos depois, J.K. Rowling apareceu dando algumas entrevistas antes de juntar-se aos produtores, diretor e o quarteto no palco principal.
Barry Meyer, um dos nomes da Warner começou os discursos, agradecendo J.K, os diretores, produtores, atores e fãs. Logo depois foi David Heyman, um dos produtores e responsáveis pela escolha do elenco, quem continuou seu discurso agradecendo os quatro atores ao seu lado por último;
— E finalmente, Morris… Eu só quero te abraçar e continuar trabalhando com você nos próximos anos, você tem noção do quanto meus filhos te amam? — Perguntou retoricamente, vendo-a gargalhar — E eles não são os únicos, você é uma atriz incrível e uma pessoa maravilhosa para se ter ao lado!
Quando o produtor entregou o microfone para Yates, o diretor dos últimos quatro filmes começou a agradecer a todas as pessoas, novamente terminando com Morris;
— Você é a louca que não queria usar dublê e me fazia regravar mil vezes as cenas que poderiam ser feitas em duas tomadas — negou rindo, vendo-a pedir desculpas —, muito obrigado por todo esse empenho, é fantástico trabalhar com você.
Daniel foi o próximo a começar seu discurso, sendo rápido e não demorando mais de dois minutos para agradecer, antes de virar-se para o trio de amigos, agradecendo-os separadamente;
, você é uma das pessoas mais maravilhosas que apareceu na minha vida e você sabe que isso é verdade, porque eu não deixo mais ninguém dirigir meu carro, ou trocar as músicas enquanto estou dirigindo. Eu te amo!
Assim que Emma finalizou seu discurso, levando todos às lágrimas, e agradecendo por todas as risadas e vezes que saíram para tomar sorvete e chorar juntas, vendo algum filme de romance bobo, Rupert pegou o microfone, parecendo mais nervoso que o restante ao começar a falar, não se demorando muito antes de chegar em ;
— Morris, você é louca! Mas eu te amo, e tem tanto de Samantha em você que eu nem sei lidar.
deu um passo à frente, quando Rupert entregou-lhe o microfone, fungando e secando as lágrimas que escorriam em seu rosto, após o discurso dos amigos e produtores que estavam ali.
— Eu não sei nem o que dizer, todo mundo já disse tudo o que eu pensei… — Começou respirando fundo, escutando gritos por todos os lados — Muito bem, vamos por ordem antes que eu me perca… Tem David demais nesse palco, eu estou confusa! — Avisou olhando para os homens à sua frente, que riram concordando — Heyman! Óh, meu deus, Heyman, tudo começou com você que me aceitou mesmo eu tendo mentido minha idade na hora de preencher a ficha de inscrição! — Riu vendo o homem concordar sorridente — Você me deu um trabalho e eu só posso agradecer por isso, vou te agradecer durante toda minha vida, porque eu só tive essa chance graças a você! Eu te amo tanto que eu nem sei, eu chamo Gary de pai, mas você está no mesmo patamar! — Sorriu para o homem, que adiantou-se para abraçá-la apertado — Barron, eu só agradeço por todos os conselhos e ideias maravilhosas durante todos esses anos, você é fantástico e foi uma honra aprender com você! — Apontou para o produtor, que agradeceu fazendo uma leve reverência — Yates, você me ensinou tanto nos últimos anos… Eu não conseguiria fazer metade do que me pediram sem você… E eu sei que fui bem chata nas cenas dos últimos dois filmes! — Sorriu junto com o diretor — David, você é uma pessoa incrível e um diretor maravilhoso, o trabalho nos últimos filmes foi fantástico, muito obrigada! Steven, — a mulher respirou fundo abaixando o microfone por um momento antes de continuar, olhando sorridente para o roteirista — você fez tanto por Samantha, você a deixou tão forte quanto nos livros e deu tanto significado para as cenas dela… Obrigada! Aí, meu deus… — Abanou a mão contra o rosto, fungando, enquanto o pessoal ria e chorava ao mesmo tempo — Emma, meu amorzinho! Você é tão especial e tão incrível, das garotas da sua idade, você é mais fantástica! — Parafraseou rindo — Não sei a Jô, mas eu nunca seria capaz de encontrar uma Hermione melhor do que você! — Disse sorrindo, vendo-a rir agradecendo — Rupert, meu ruivo favorito no mundo inteiro, obrigada por todas as risadas e por todas as brincadeiras dentro e fora do set, e por compartilhar meu medo de aranhas! — Riu junto com o ator e parte dos fãs — Daniel! — Morris colocou a mão na cintura, quase como se chamasse sua atenção — Se um dia você ousar sair da minha vida, eu juro que eu te arrebento na porrada! Não é à toa que passamos dez anos confundindo você e meu irmão com esse negócio de Harry! — Avisou apontando-lhe o dedo, vendo o outro gargalhar. — E finalmente, Jô. — Virou-se para a escritora, que já tinha lágrimas nos olhos — Eu não sei nem o que dizer para você nesse momento. Muito obrigada — disse passando a mão nos olhos —, não estaríamos aqui sem você e sua mente brilhante. Muito obrigada por criar esses livros e por me permitir participar disso tudo, Sam é uma personagem fantástica e foi a maior honra da minha vida interpretá-la por todos esses anos! — Fungou novamente, vendo a mulher negar com a cabeça, e então tornou a virar e apontar para todos no palco — Eu só posso agradecer pra sempre por vocês entrarem na minha vida, vocês e todos que se envolveram com esses filmes de alguma forma. Eu amo vocês! E muito obrigada a todos que estão aqui hoje, e por quem não pode vir, mas está nos acompanhando, muito obrigada a todos os fãs por estarem ao nosso lado durante todos esses anos, vocês são os melhores do mundo. Obrigada! —
Terminou entregando o microfone para Jô, que a abraçou antes de começar seu discurso;
— Eu não estou bem! — Scar avisou, passando a mão pelo rosto, limpando as lágrimas.
— Eu entendo! — A voz rouca de Robert veio do telefone — Parece que eu estou ali também e eu nem terminei de ver os filmes!
J.K. Rowling falou por quase dez minutos, antes de começar a falar sobre o quarteto no palco, mais uma vez finalizando em , já que era a última da fila;
— Eu apenas confirmei que você era a pessoa certa para ser Samantha quando você ficou uma semana sem falar comigo depois de ler o final de Relíquias da Morte! — A mulher começou, rindo, vendo virar-se e esconder o rosto no peito de Dan ao seu lado, enquanto ele a abraçava — Você deu tanto de si para a personagem, e eu acho que, como Rupert disse, você tem tanto dela aí dentro… Eu te agradeço tanto por ter feito de Sam o que eu imaginei durante todos esses anos… Por ter se dedicado tanto, principalmente nesse último filme, você deu tanto de si por ela, você fez um trabalho maravilhoso, você sempre será minha Samantha!

Assim que terminaram os discursos, o grupo se juntou para algumas fotos antes de voltarem a descer no palco, juntando-se com o restante do elenco e convidados para assistir ao filme e, menos de dois minutos após todos os atores e produtores terem entrado no salão de exibição, a transmissão se encerrou.
— Eu não sei se terei emocional pra semana que vem! — Sebastian foi o primeiro a se pronunciar — Não quero ver tudo isso ao vivo. Vou chorar!
— O importante é saber que você não vai ser o único! — Scar sorriu de lado antes de levantar-se.
— Eu quero um acordo, se começarmos a chorar a gente se consola! E ninguém pode fazer piadas sobre isso!
— Apoiado! — Scarlett e Sebastian responderam no mesmo instante.
— Nossa, depois eu quem faço drama… Exagerados! — Chris rolou os olhos, andando em direção a geladeira para pegar uma cerveja.
— Insensível! — Os três responderam, continuando a comentar sobre o red carpet e ignorando os olhares entediados do loiro.

6.

Assim que desceram do carro os flashes começaram vindos de todos os cantos, Sebastian virou-se rindo para Chris Evans, ao seu lado, antes de acenar com a mão para alguns fãs que gritavam;
— Imagina como seria pior se fossemos do elenco? — Riu baixo, vendo o amigo concordar sorridente, também acenando para algumas pessoas e parando para fotos.
Os dois seguiram juntos pelo caminho indicado, como não eram importantes naquele dia, ninguém os chamou para entrevistas, principalmente porque poucos segundos após atravessarem o corredor, ouviram mais uma onda de gritos, pois Scarlett, Robert e Chris Hemsworth chegaram juntos. O que rendeu algumas perguntas sobre o motivo de tantos Vingadores estarem juntos;
— Estamos aqui para garantir que todos estejam a salvo, caso Harry Potter não consiga lidar bem com Você-Sabe-Quem! — Downey respondeu tranquilo, arrancando algumas risadas dos jornalistas.
Quando os cinco se encontraram, em uma parte separada da multidão, na qual já era servido algumas bebidas e canapés, começaram a conversar animados, cumprimentando algumas pessoas conhecidas que passavam.
Tinham acabado de tirar uma foto juntos, quando o australiano parou por alguns instantes, olhando confuso para o telão próximo:
— A Morris já chegou?
— O que? — Robert perguntou virando-se para o local no qual o loiro olhava.
— A Morris já chegou! — Avisou apontando com a cabeça para o lado, reparando na mulher alguns metros à frente, em um palco junto com outras pessoas. — Não acredito que eu perdi ela no carpet!
— Chegamos depois dela? — Scar questionou confusa.
— Hm… Aparentemente ela chegou cedo com o Rupert… — Sebastian comentou após uma rápida procura na internet.
— Cadê minha filha? — Robert esticou-se, tentando enxergar além da multidão, não precisou se esforçar muito, pois poucos segundos depois o telão começou a filmar a inglesa, junto com as pessoas que estavam no palco; atores e produtores, prontos para iniciarem os discursos.
— Aquela é…?! — Scar começou olhando surpresa — Meu Deus, olha aquele vestido!
— Wow! — Hemsworth abriu a boca, encarando a imagem da mulher por alguns instantes. — O que aconteceu com aquela imagem de criança? — Sorriu ainda um tanto surpreso.
— Gente, eu não lembrava que ela tava tão crescida! — Robert comentou após alguns segundos, a taça de champagne a meio caminho da boca. — Minha filha é maravilhosa!
Evans demorou alguns instantes para conseguir se pronunciar, ainda um tanto deslumbrado com a imagem da inglesa: no dia que se conheceram, a mulher usava uma jeans e camiseta, coisa simples e nada chamativa, diferente daquele momento;
— É nessas horas que eu agradeço por ser o Capitão América… — Comentou baixo, ouvindo Chris rir ao seu lado, dando-lhe tapinhas nas costas.
— Sortudo!
Sebastian continuou em silêncio por mais algum tempo, não sabendo definir com palavras o que estava vendo. De alguma forma, conseguia estar ainda mais linda do que na Premiere de Londres, nem mesmo sabia definir se era pelo vestido, já que das duas vezes que a encontrou, Morris estava com roupas normais, embora continuasse bonita do mesmo jeito. Talvez fosse o sorriso fácil em seu rosto, ou a forma animada que ela olhava e acenava para os fãs que gritavam seu nome. Independente do motivo, enquanto a olhava ali, naquele palco com aquele vestido, Sebastian teve certeza que Morris era a mulher mais linda daquela festa.
— Hey! Ela está com o cabelo mais comprido! — Evans falou em voz alta, chamando atenção dos amigos. Scar rolou os olhos, parecendo entediada na hora de respondê-lo;
— Eu não vou me dar ao trabalho de responder isso, de novo!

🎬🎬

pegou o microfone, dando dois passos à frente no palco, sorrindo para os fãs presentes, enquanto os flashes das câmeras piscavam diante de seus olhos;
— Eu nem sei mais o que eu estou sentindo, talvez eu só comece a chorar a qualquer momento… Semana passada eu agradeci à todas essas pessoas atrás de mim, mas tem um grupo importante com quem eu não falei direito; vocês. — Apontou para o público, que tornou a gritar entusiasmado — Se estamos todos aqui hoje, assim como estivemos em Londres, é por causa de todos vocês. Tudo começou com a Jô, mas se chegamos até aqui foi por vocês. Foi por todos, e cada um dos fãs que começamos os filmes, e foi por causa de vocês que passamos os últimos dez anos vivendo isso! Eu nunca vou poder agradecer o suficiente por ter tido a chance de viver Samantha, e eu nunca vou poder agradecer por todo o apoio de vocês durante esses anos todos. Esses dez anos foram os mais maravilhosos, incríveis e inacreditáveis da minha vida. Nada nunca vai se comparar a isso. Muito obrigada. — Abaixou o microfone por alguns instantes, fazendo uma reverência para os fãs que gritavam seu nome — Não me importa se vocês são grifinórios, lufanos, corvinais ou sonserinos, vocês sempre serão os melhores, e Harry Potter não está acabando hoje, nem vai acabar dia quinze, Harry Potter vai continuar existindo enquanto vocês quiserem, porque isso tudo é pra todos vocês. Eu amo vocês, muito obrigada por esses dez anos!

🎬🎬

O grupo da Marvel seguiu para os lugares indicados, sentando-se mais ao meio da sala, vendo o restante do cinema encher rapidamente;
— Morris nos conseguiu lugares muito bons… — Robert comentou olhando em volta, vendo os colegas concordarem.
— Lamento por quem não veio, — Hemsworth começou sorrindo de lado, aceitando um pacote de pipocas quando este foi servido. — Admito que estou um pouco nervoso sobre esse filme…
— Falando nisso, você terminou de assistir aos outros, Robert? — Scarlett perguntou curvando-se sobre Hemsworth, que estava entre ela e Downey. O mais velho concordou com um aceno;
— Terminei o último ontem, não acreditei no que aconteceu com a personagem da Morris… Como assim ela ficou má?
— Eu sei! — O australiano concordou novamente, antes de jogar algumas pipocas na boca.
— Vocês dois estão bem? — Downey virou-se para Evans e Stan, que permaneciam em silêncio ao seu lado direito, embora Sebastian parecesse entretido com suas pipocas.
— Estou pensando no quanto vocês vão me julgar se eu chorar… — Comentou em voz baixa, fazendo o grupo rir. Hemsworth ergueu a mão, para fazerem um high five dizendo que estava com o mesmo medo, causando mais uma rodada de risadas.
— Eu estou pensando se o filme vai ser tudo isso mesmo… Vai ser bom ver se a Morris conseguiu lidar bem com o personagem… — Evans comentou roubando algumas pipocas do amigo, que reclamou.
— Falando na Morris… — Scar sussurrou, apontando com a cabeça para trás. O grupo virou-se, vendo entrar junto com o trio principal do filme, olhando ao redor antes de seguir para o local indicado, segurando um pacote grande de pipocas, enquanto Daniel, ao seu lado, segurava dois grandes copos de refrigerante.
— Às vezes eu acho que eles são um casal… — Evans comentou ao reparar nos dois sentando-se lado a lado, algumas fileiras atrás, junto com Watson, Grint, Felton e mais algumas pessoas que ele não conhecia.
— Não, eles são melhores amigos, apenas… — Sebastian deu de ombros, quando o pessoal o encarou, por ele saber tanto, ele sorriu explicando — Eu já conversei com ela sobre essas coisas, mas deixa eu contar a fofoca! — Ajeitou-se na cadeira, vendo o pessoal ansioso, Scar estava quase caindo sobre Hemsworth para ouvir, já que Stan baixou a voz para ficar apenas entre o grupo — Robert Pattinson foi o primeiro beijo dela, eles se pegavam nos bastidores!
— O que? — Scarlett deu um gritinho animado, chamando atenção do pessoal ao redor.
— Shiu, não conta que eu falei! — Sebastian pediu, olhando para os lados antes de continuar — Ela me contou no dia que jantamos com o Felton… Mas não foi nada sério, é tudo mentira essa história deles terem namorado…
— Você parece muito bem informado… — Downey observou com a sobrancelha arqueada.
— Eu tenho minhas fontes! — Sorriu de lado, voltando a comer sua pipoca, ao mesmo tempo que um dos produtores da Warner levantou-se, fazendo um rápido agradecimento por todos que estavam ali, e desejando um bom filme, antes das luzes se apagarem e o filme rodar.

Robert cutucou a costela de Hemsworth, perguntando sobre a parte do filme, Chris rolou os olhos, respondendo em voz baixa;
— Ele é irmão do Dumbledore, e não gostava do Alvo porque a irmã deles morreu por causa de um acidente envolvendo o Alvo e um outro bruxo…
— Em que filme aparece isso? — Perguntou confuso, Chris negou.
— Nenhuma, só diz nos livros…
Poucos minutos depois, foi a vez de Scarlett chamar a atenção do australiano;
— Não entendi, o Draco é bom agora?
Hemsworth suspirou, concordando com a cabeça;
— Ele quer ajudar a Black e o Potter, porque se Voldemort morre ele e os pais estão salvos.
Passados quase meia hora, foi Evans que virou-se para os amigos, recebendo um tapa na testa vindo de Sebastian, pela pergunta idiota;
— Acabei de lembrar, se a Morris morre, com quem fica o Harry Potter?
— Cala boca e presta atenção! — O romeno respondeu, jogando o resto das pipocas na boca, concentrado demais no filme. Evans arqueou a sobrancelha, enquanto massageava o local atingido, suspirando antes de voltar a olhar o telão.
Minutos depois, enquanto a história se desenrolava, chegou a parte na qual Black recuperava suas memórias, na cena ela gritava e tremia tanto, que parecia real a angústia e desespero que ela sentia. Downey tinha a mão na boca, os olhos arregalados. Hemsworth mordia o lábio inferior, negando com a cabeça. Scarlett tinha pequenas lágrimas nos olhos, e fungava de vez em quando. Chris parecia que nem piscava, encarando a cena de boca aberta, enquanto Sebastian tinha as mãos segurando firme os braços da poltrona, prendendo a respiração cada vez que escutava um dos gritos da inglesa.
Quando a cena acabou o grupo, assim como a maioria dos presentes, pareceu respirar normalmente, enquanto no filme, Black e Potter se abraçavam.
— Eu acho que eu vou chorar muito quando ela morrer… — Scarlett falou baixinho, secando as poucas lágrimas que escorriam.
— Harry Potter vai morrer? — Robert perguntou após a cena na penseira, olhando para os amigos com a boca aberta — Não era só a Morris? Eu tô confuso!
— Shiu! — Sebastian reclamou, antes de negar com a cabeça.
— Eu só quero saber… — Resmungou cruzando os braços. — NÃO! — Robert gritou de repente, quando viu quem a Black tinha matado no filme — Mentira! Não pode ser!
Ouviram algumas risadas, ao mesmo tempo que um grande grupo pedia silêncio.
Quando chegaram à parte em que Potter aparece na Floresta Proibida, novamente o grupo teve diversas reações, mal piscando no desenrolar do arco. E pouco depois começou a cena na qual a Black discursava na frente dos bruxos, o sorriso maldoso em seus lábios, e o olhar irônico fez, novamente, com que eles se surpreenderem;
— Aceitem o inevitável — a personagem dizia —, Lorde Voldemort ganhou, como todos já sabíamos que aconteceria! Vocês lutarem em nome de alguém que não é mais capaz de derrotá-lo, aliás… Potter nunca foi capaz de vencer essa guerra… Mas foi interessante assistir vocês caírem, um a um, enquanto tentavam salvá-lo. — A garota riu baixo, jogando os cabelos loiros para trás — Não existe ninguém capaz de vencer Lorde Voldemort. Dumbledore e Potter tentaram e fracassaram. Quem tentar ir contra o Lorde das Trevas, terá o mesmo destino… — A mulher sorriu de lado, erguendo a mão com a varinha, apontando para a multidão à sua frente — E eu realmente espero que vocês resistam… Isso vai ser tão divertido! — Sorriu inocente, antes da cena voltar para Voldemort, o qual aplaudia sorridente.
— Ela ficou má de novo? — Robert perguntou com a voz falha. — Ela ficou má? Como assim? É por isso que ela vai morrer?
Durante a luta final, Downey deu um grito empolgado ao notar que na verdade a garota era realmente boa. Aplaudindo a cena e ignorando as risadas ao lado.
— Era spoiler falso? — Evans perguntou com o cenho franzido. — Ela não morre?
Ninguém o respondeu, embora Robert e Scarlett parecessem tão confusos quanto o loiro, e pouco depois os três se assustaram com a gritaria que começou na sala, demorando a entender o que acontecia.
— NÃO! — Sebastian e Hemsworth disseram ao mesmo tempo.
— ELA MORREU? — Robert ofegou desesperado, os olhos arregalados.
Scarlett tinha a boca aberta, as lágrimas rolando soltas por seu rosto, enquanto Evans ainda piscava tentando entender o que acontecia. Sebastian e Hemsworth pareciam sem reação, olhando tristes para a cena.
— Não era porque estava no livro que precisavam fazer no filme… Eu não estava pronto pra isso! — O australiano comentou em voz baixa, fungando baixinho.
Depois de mais alguns minutos do filme, o grupo levantou-se assim como os demais convidados, aplaudindo quando a logo da Warner voltou a subir, finalizando com a música tema.
As luzes foram se acendendo e, enquanto a grande maioria tentava se recompor do choro, todos foram virando-se para o grupo de atores ao fundo da sala, aplaudindo e gritando pelo ótimo trabalho, J.K. Rowling entre eles. Os quatro principais pareciam um tanto sem graça com os aplausos, acenando em agradecimento.

🎬🎬

Sebastian voltou com dois copos na mão, entregando um para Evans, que agradeceu antes de tomar um gole da bebida âmbar, enquanto olhavam em volta, balançando-se no mesmo lugar.
— Depois eu que sou o velho… — Downey apontou para os dois, que dançavam apenas balançando o corpo e batendo o pé no chão. Stan fez careta, sorrindo em concordância, não queria passar a noite daquele jeito quando a festa estava tão boa.
O DJ contratado já tinha começado sua seleção de músicas, desde as mais antigas aos sucessos do momento, e a maioria dos convidados já estavam espalhados no salão, dançando animados enquanto bebiam.
O grupo de atores da Marvel estava mais isolado do restante, sendo que boa parte dos demais presentes disputavam a atenção do elenco do filme. Duas ou três vezes eles já haviam visto Morris tentar se aproximar, mas sempre sendo parada por alguém que iniciava uma conversa animada ou pedia uma foto.
Agora ela estava a poucos passos do grupo, olhou ao redor discretamente algumas vezes para ter certeza de que não seria mais abordada até terminar o trajeto, antes de pedir licença para seu interlocutor, parando apenas para trocar sua taça vazia por uma cheia com um dos garçons.
— Eu sinto muito, muito mesmo por não ter conseguido falar com vocês mais cedo! — Se desculpou, já se adiantando para abraçar Hemsworth. Em um primeiro momento, o australiano não soube o que fazer, já que não esperava aquele tipo de aproximação vindo dela, mas sorriu animado para a mulher quando ela se afastou para cumprimentar Scarlett — Eu vi vocês no entrada, mas está mais loucura aqui do que de costum… Sebastian, você por aqui!
O ator em um primeiro momento ficou surpreso com a reação exagerada, já que a mulher colocou as mãos na cintura, encarando-o de forma engraçada, mas logo lhe devolveu o sorriso animado, rindo quando percebeu a irritação de Evans e Downey por terem sido pulados na fila de cumprimentos;
— Antes que eu esqueça: use terno monocromático mais vezes, você fica bem demais assim… — Comentou , rapidamente o olhando de cima a baixo.
Não havia visto o romeno do lado de fora antes da exibição do filme, mas tinha certeza que ele deveria ter feito sucesso com as câmeras. Downey riu surpreso quando ela se adiantou para dar um beijo no rosto, se questionando sobre quem era aquela mulher e o que ela havia feito com a Morris mais distante que conheceu outro dia, então notando a taça pela metade em sua mão, talvez ela só estivesse bêbada. E aparentemente não foi o único que teve esse pensamento, já que no instante seguinte ouviu a pergunta;
, querida, quanto que você já bebeu? — Sebastian questionou, depois de agradecer pelo elogio.
— Mais do que eu devia, porque eu estou morrendo de fome e só aparece garçom com bebida perto de mim, é um complô! — Explicou , parando ao lado do Evans depois de o abraçar — Daqui a pouco vou sair atrás do Rupert, porque tenho certeza que o ruivo deve estar perto da cozinha, mas pelo menos não temos mais discursos, então ninguém se importa com a bebida! — Deu de ombros, fazendo-os rirem, antes de Downey puxar assunto;
— Bem, vou aproveitar que já iniciaram a sessão elogios… E ela está completamente certa, sargento; preto é a sua cor — Robert disse para o romeno, que riu em agradecimento — E você, Srtª Morris… Não sei se começo falando sobre como você está deslumbrante nessa noite, ou como você estava incrível nesse filme!
riu um tanto sem graça, sem saber ao certo como responder ao elogio, agradecendo ao perceber que Downey ainda tinha mais coisas para falar.
— Aquele final? — Ele passou as pontas dos dedos pelas laterais do rosto — Se não existisse maquiagem a prova d’água eu estaria um desastre no momento… E isso porque eu já sabia o que ia acontecer, graças aos seus spoilers em rede britânica.
— Ai meu Deus, você assistiu ao programa?! — Questionou surpresa, vendo não apenas o homem, mas todo o grupo concordar com a cabeça.
— Só para sanar a dúvida geral: seu sotaque é ruim daquele jeito mesmo ou…? — Perguntou Hemsworth e a mulher pareceu confusa por um momento, balançando a cabeça, divertida depois.
— Não, não…! Quer dizer, não é a melhor coisa do mundo, mas naquele dia eu estava forçando — respondeu , com o mais próximo de sotaque americano que conseguia fazer até o momento, conseguindo algumas caretas surpresas e satisfeitas dos colegas — Se vocês perguntarem para o Dan, ele vai dizer que é ruim daquele jeito mesmo, mas ele só lembra daquele dia que estávamos brincando, e com o tanto que eu tinha bebido, até meu sotaque britânico pareceu falso.
— Está bem melhor do que do vídeo da sua audição, se me permite dizer — comentou Robert, recebendo um sorriso em agradecimento.
— Já que estamos falando do programa… — disse Sebastian — Você finalmente tomou vergonha na cara e assistiu o filme! Agora podemos conversar. O que achou?
— Que eu provavelmente vou chorar muito quando você voltar para os filmes.
— Você já se encontrou um pouco mais no universo? — Scarlett perguntou interessada, antes de tomar um gole de sua bebida — No programa você parecia um pouco perdida...
— Eu estava contando o relato do almoço com a pessoa aqui, — apontou para Stan ao seu lado —, e naquele dia eu realmente estava um pouco perdida…
— Um pouco? — Riu Sebastian — Você não conhecia o Capitão América pelo nome!
— Eu tinha pouco tempo pra estudar tudo antes da reunião, e eu tinha focado mais na história dos Stark e...Mas eu fui chamada para um filme da equipe, não para um dos solos, então eu deveria saber — Morris desistiu da própria defesa, suspirando com pesar, fazendo os outros rirem, se virou para Evans com um sorriso culpado — Perdoada? Juro que se me perguntar qualquer coisa agora eu sei responder! Mas só o que aconteceu nos filmes, ainda não tive tempo de ler os quadrinhos! — Avisou rapidamente, antes que o loiro questionasse.
Chris não respondeu de imediato, sequer parecia estar prestando atenção na colega, olhando para a taça em suas mãos, só reagindo quando Scarlett lhe deu uma cotovelada na altura das costelas, murmurando sem jeito um “sim, claro… tanto faz”.
Todos mantiveram os olhares confusos para o ator por mais um tempo, até que decidiu interromper o clima estranho, sorrindo sem graça;
— Estão gostando da festa? — Virou-se para Hemsworth que estava do seu lado direito, o australiano concordou animado.
— Até o momento está ótima, daqui algumas horas, depois de mais alguns drinks, estará melhor!
Morris concordou empolgada, e então Robert puxou um novo assunto;
— Seus pais não vieram? — Disse, olhando ao redor como se a qualquer momento os Morris fossem aparecer diante de seus olhos, porém, negou com a cabeça.
— Eles foram na Premiere de Londres. — Explicou a ausência deles, rindo em seguida antes de concluir — Aliás, minha mãe chorou horrores e ficou meia hora me abraçando, porque ficou sentida com a cena do velório da Black! — O grupo começou a rir mais uma vez — Harry até quis vir, mas ele tinha que trabalhar, então…
— Harry…? — Scarlett olhou-a confusa, embora o nome não soasse estranho.
— Meu irmão. Ele adora uma festa, ficou chateado por não poder vir… — Negou com a cabeça, rindo.
— Espera, seu irmão se chama Harry mesmo? — Hemsworth perguntou segurando a risada.
— E meu pai se chama James, consegue imaginar as piadas dos últimos anos? — Arqueou a sobrancelha, não escondendo o sorriso.
— Não! Meu Deus! — O australiano começou a gargalhar, junto com e Sebastian, mas o restante do grupo pareceu perdido na piada.
— James é o nome do pai do Harry Potter! — Sebastian explicou, ainda rindo.
— James e Harry Potter… James e Harry Morris… — Hemsworth explicou, aguardando as reações. Aos poucos os outros dois entenderam a brincadeira, rindo junto da coincidência.
Scarlett virou-se para Evans, que permanecia em silêncio no canto, escorado na pilastra ao seu lado.
— Você está bem? — Perguntou estranhando, Chris era sempre um dos mais animados em festas.
— Um pouco cansado… — Deu de ombros, tomando mais um gole de sua bebida.
notou como o grupo olhava para o ator, confusos com sua falta de reação. Percebendo que ele ficou em silêncio desde sua chegada, Morris sorriu de lado, virando-se para o restante;
— Gente, já volto — avisou, já procurando alguém pelo salão — Acabei de lembrar que é capaz de o Felton ir embora mais cedo e meu celular está com ele... Sabe como é, né… Vestido sem bolso...
— Vou com você — Sebastian começou, já virando-se para se afastar — Vim com um convite dele e ainda não falei com o cara. Vai que ele fica chateado…
— Ele vai ficar o resto da vida sem falar com você se não disser que ele estava maravilhoso, confia em mim! — riu antes de acenar para os colegas, afastando-se junto com o romeno.
— Gente… Fui eu quem bebi muito ou a Morris estava extremamente simpática? — Hemsworth começou rindo de lado, ainda vendo os dois afastando-se no meio da multidão.
— Ou ela quem bebeu muito, não? — Scar concordou rindo. — E falando em beber, não vou ficar aqui o tempo todo, vou me misturar com o pessoal! — Acenou virando-se em direção a pista de dança, ao tempo que os três riam enquanto pegavam mais algumas bebidas do garçom que se aproximava.

— Draco! — Morris chamou, pulando nas costas do loiro, assim que o encontrou do outro lado do salão, falando alto por causa da música — Estávamos te procurando! Jade, meu amor! — Sorriu para a mulher, abraçando-a.
— Eu quero te bater! — A outra disse olhando-a séria — Sabe o quanto eu chorei no filme? Você tem alguma ideia?
— Mas Jade… Você sabia o que aconteceria...!
— Mas não precisava ser daquele jeito! — Protestou batendo com o pé no chão, antes de virar-se para Sebastian que, assim como Tom, olhavam de uma para outra, segurando a risada — Oi, estranho!
— Oi, estranha! — Sorriu abraçando-a — Tá bonitona!
— Olha, a Morris tá aqui, ok? Fala que ela tá bonita, pode deixar que a Jade eu elogio! — Felton reclamou, falsamente enciumado, antes de abraçar o amigo.
— Nossa, é verdade, eu nem falei que você tá bonita! — Sebastian virou-se assustado para , após afastar-se do loiro. Embora a atriz parecesse mais preocupada em procurar alguma comida do que na conversa.
— Acho bom elogiar mesmo, acha que tá fácil ficar andando com esse vestido e esse salto? — Cruzou os braços, arqueando a sobrancelha. O trio gargalhou e Stan aproximou-se, colocando as mãos nos ombros da inglesa.
— Você está maravilhosa, Morris! — Sorriu sincero, então a mulher o abraçou animada, agradecendo pelo elogio.
— Muito bem, estávamos indo dançar, vocês vem? — Jade chamou, puxando o namorado pela mão.
— Mas você não estava indo embora? — Sebastian estranhou, olhando-o confuso. Felton parecia surpreso;
— O que? A festa mal começou!
— Mas… — O romeno começou apontando para , que deu de ombros.
— Achei o clima pesado, quis dar uma volta… — Ergueu o braço, declarando-se culpada. — Mas a parte do celular é verdadeira, — olhou para o amigo — se você for embora, deixa meu telefone, pelo amor de deus!
Tom pegou o aparelho do bolso, entregando para a amiga;
— Harry ligou. Eu atendi e falei que você tinha sumido com um dos convidados. — Sorriu de lado, vendo a outra rolar os olhos, falando um idiota baixinho.
— Vamos dançar! — Jade tornou a chamar, dando dois passos em direção a pista de dança, os outros três a seguiram, embora parecesse olhar alguma coisa em seu celular.
— Eu ainda não comi, não quero desmaiar! — Falou tornando a olhar para os amigos, com o celular em mãos, esticando-o para Felton.
— Se eu for embora e levar, não quero ser responsabilizado! — Avisou antes de pegar o aparelho.
— Eu posso ficar se quiser, prometo não olhar! — Sebastian se ofereceu — Provavelmente ficamos até o final da festa, porque...Bem… — Olhou ao redor erguendo a taça que segurava.
— Acho mais certo do que o Felton que some! — Entregou para o romeno, vendo-o guardar no bolso interno do blazer que usava.
— Comida! — Tom apontou para um garçom a poucos metros, Morris virou-se, se esticando para enxergar.
— Ah, mas é esse mesmo! — Avisou virando-se em direção ao homem. Jade a acompanhou pois também estava sem comer nada, enquanto os dois homens andaram em direção ao bar, conversando por alguns minutos e olhando ao redor.
O salão parecia cada vez mais cheio e animado, o som alto vindo de todos os lados, assim como as bebidas e os canapés que estavam servindo.
Os atores estavam na segunda bebida quando as duas mulheres apareceram sorridentes, ainda carregava alguma coisa em um guardanapo;
— Olha como eu sou legal! —Sorriu entregando para o romeno — Experimenta esse negócio, não sei o que é, mas tá maravilhoso!
Sebastian riu pegando o pequeno rolinho, colocando-o de uma única vez na boca, enquanto Tom fazia o mesmo ao seu lado.
— Meu deus! — Exclamou surpreso assim que mastigou, sentindo o gosto do salmão e cream cheese. — O que é isso? Quero mais!

🎬🎬


Sebastian riu negando com a cabeça, vendo o grupo de atores fazendo os passos de dança. Não só ele, mas todos os convidados que estavam próximos pareciam se divertir assistindo-os dançar Bye Bye Bye do N’Sync, boa parte com os celulares filmando a cena. Morris e Radcliffe estavam lado a lado, fazendo caras e bocas durante a música, embora mais rissem do que fizessem os movimentos certos. A surpresa parecia Felton e Watson, que sabiam de cor todos os passos e guiavam o restante. Grint e os gêmeos pulavam de um lado para o outro, cantando.
— Eu vou jogar esse vídeo no youtube! — Jade gargalhava ao seu lado.
Assim que a música terminou e o grupo foi se separando, ainda as gargalhadas, Felton, Radcliffe e Morris voltaram para perto de Sebastian e Jade, que sorriram, elogiando a performance.
— Eu disse que em algum momento valeria a pena saber dançar essa música! — riu, aceitando o copo de bebida que Stan ofereceu. A mulher, ele reparou, estava com vários fios soltos do penteado de antes e a respiração acelerada, seu peito subindo e descendo com rapidez, enquanto ela ainda ria.
— Quem diria não é mesmo? — Daniel concordou, passando a mão pelos cabelos curtos.
— Como foi que isso aconteceu? — Stan perguntou divertido.
— A sabe como é… Às vezes não tem nada pra fazer entre uma cena e outra… — Daniel deu de ombros, abanando a mão no ar, enquanto Jade e Sebastian riam.
— Gente, fotos! — Um staff apareceu, chamando os três e apontando para o lado.
— Eu não aguento mais, eu vou morrer, me carreguem! — Morris pediu esticando os braços, os dois negaram.
— Você tava pulando ali porque quis, vamos andando!
— Nossa, Daniel! E você se auto intitula meu melhor amigo! — Reclamou antes de seguir os dois, tornando a rir quando o Harry Potter cutucou-a na costela.
— É você quem diz isso, garota, eu não falo nada não!
— Já voltamos! — Tom acenou rindo, antes dos três sumirem de vista.


O ator estava começando a se sentir incomodado ao ficar sozinho com o casal, não que Felton e Jade estivessem fazendo alguma coisa, mas o romeno sempre tinha a sensação de atrapalhar quando ficava junto de algum casal.
E se eles quisessem ficar sozinhos e estivessem apenas sendo legais em ficar com ele?
Olhou ao redor pensando em uma desculpa para se afastar, mas nem mesmo sabia como encontrar os amigos, já que fazia tempo que os Chris, Robert e Scarlett tinham sumido de sua vista, foi quando seu olhar bateu em Morris, poucos metros de distância, esperando uma bebida no bar, que o ator virou-se sorridente para o casal de amigos;
— Vou ali… — Apontou, Tom ainda olhou na direção que ele mostrava, logo vendo batucando no balcão, enquanto esperava o bartender.
Sebastian andou apressado até a inglesa, dando seu melhor sorriso ao sentar-se na banqueta ao lado da mulher.
— Boa noite, vem sempre aqui? — Chamou rindo, Morris arqueou a sobrancelha, olhando-o de cima a baixo, antes de sorrir de lado e voltar sua atenção para o homem que preparava sua bebida — Ouch!
riu quando o ator cruzou os braços no balcão e apoiou a cabeça nos mesmos.
— Não seja exagerado, — começou colocando a mão em suas costas — mas essa foi muito ruim, ein? Achei que você teria umas cantadas melhores!
Sebastian riu baixo, ainda sem olhá-la.
— Para com isso! — Pediu novamente, puxando-o pelo braço quando notou que o homem não estava se mexendo, inclinou-se em sua direção, soprando contra seu ouvido exposto — Sebastiaaaaan! Fala comigo, por favor, preciso da sua atenção!
O romeno sentiu um arrepio passar por seu corpo, antes de virar-se rindo;
— Ah, agora você quer minha atenção? — Resmungou fazendo um bico enorme, vendo-a gargalhar ao seu lado.
— Eu sempre quero atenção, mas só de pessoas legais! — Piscou para o ator, antes de virar-se para pegar sua bebida.
— Sério, quanto você já bebeu?
— Nossa… Tá parecendo meu pai agora! — Riu ao vê-lo colocar a mão na cintura e soltar um “escuta aqui mocinha, não foi pra isso que te criei!” — Mas tô aproveitando o que não consegui em Londres, porque meus pais estavam na festa e eu tinha que passar a ideia de boa filha, apesar que eu acabei de ressaca no dia seguinte… — Deu de ombros.
Sebastian gargalhou concordando com a cabeça, recebendo um copo de whisky.
— Mas agora eu preciso encontrar o banheiro… — Comentou olhando para os lados.
— Tem um daquele lado — Apontou para a esquerda de onde estavam.
— Já volto, cuida da minha bebida! — Pulou da banqueta, Sebastian estava prestes a perguntar como ela estava pulando pra cima e pra baixo de salto, o que deveria ser desconfortável, quando notou que a inglesa já estava descalça. Riu ao reparar que os saltos pretos dela estavam no chão ao seu lado.

— Incrível como todo mundo resolve ir ao banheiro ao mesmo tempo, ne? — Voltou reclamando, minutos depois.
— Fila? — Questionou vendo-a confirmar com a cabeça, tomando um gole de sua bebida azul.
— Ai meu deus, eu adoro essa música! Dança comigo, Sebastian!? — Pediu puxando-o pela mão. Stan quase tropeçou ao ser carregado, após deixar seu copo no balcão.
Demorou alguns segundos para reconhecer o som, mas então escutou a voz animada da inglesa gritando;
— Don't stop, make it pop DJ, blow my speakers up tonight, Imma fight 'til we see the sunlight!
Assim que reconheceu Tik Tok da Ke$ha, o ator começou a rir, vendo a mulher dançando na sua frente, puxando-o pelas mãos até conseguir fazê-lo se mexer o suficiente para fingir dançar. Aos poucos, Sebastian foi soltando-se mais, deixando o álcool que estava em seu sangue comandar a situação. Quando deu por si, estava pulando com a mão pra cima, assim como a atriz, cantando a música alto, tentando alguns movimentos engraçados, fazendo Morris rir.
— DJ, you build me up you break me down, my heart it pounds yeah, you got me with my hands up, you got me now, you got that sound, yeah, you got me!
Cantavam animados, mais pulando do que dançando, embora Sebastian fizesse alguns movimentos que ele tinha certeza que eram ótimos, mas talvez fosse só a bebida deixando-o mais desinibido.
Já sentia o suor escorrer por sua testa quando a música acabou, logo iniciando Starstrukk, deixando os dois tão animados quanto no som anterior; Sebastian começou cantando as primeiras partes, até começar imitar Katy Perry, fazendo várias poses enquanto cantava, arrancando algumas gargalhadas.
Em algum momento a inglesa pulou próximo ao romeno, que a segurou pela cintura, mantendo-a próxima, principalmente depois que a pista de dança voltou a encher e o espaço dos dois ficou reduzido, não que parecesse notar, já que estava ocupada demais cantando e dançando de olhos fechados.
Na quinta música Sebastian já estava prestes a desistir; estava morrendo de calor com o blazer, que esqueceu de tirar e deixar no balcão, incomodando-o além do habitual, e o suor grudando seus cabelos em sua testa também não ajudava. Passou a mão pelos cabelos molhados, antes de virar-se para pedir para pra darem um tempo no bar, mas quando a olhou ela já estava cantando a música que começou, fazendo caras e bocas. Por um instante o romeno apenas parou com um sorriso nos lábios, olhando-a dançando de olhos fechados, os cabelos balançando de um lado para outro, o penteado de antes totalmente acabado, a inglesa também estava suada e a respiração tão acelerada quanto a dele, mas não parecia se importar. Sebastian mordeu o lábio inferior, negando com a cabeça em seguida, voltando a dançar ao seu lado.
Pouco depois Hemsworth e Scarlett os encontraram, começando a dançar junto aos dois; Chris e tentavam fazer os mesmos passos para combinarem com a música, e Sebastian aproveitou para andar até Robert e Evans, que agora estavam há poucos metros de distância, deixando seu blazer com eles, aproveitando e pegando os saltos de Morris que ainda estavam jogados pertos do bar.
— Ué… — Downey apontou para os sapatos que o colega carregava.
— São da Morris! — Avisou deixando-os no chão e retirando seu blazer preto. — Acho que perdi uns cinco quilos na última hora, parece que estou numa sauna! — Falou tornando a passar a mão pelo rosto, retirando o excesso de suor, sentia sua camisa grudando em suas costas.
— Realmente, espero que você tenha tirado fotos no começo da festa… — Apontou para suas roupas, o nariz franzido. Stan riu concordando com a cabeça, olhando para Evans que estava sentado, olhando ao redor com uma bebida em mãos.
— Vocês dois vão continuar ai?
— Estávamos conversando com algumas pessoas do elenco, bebendo… O de sempre! — Downey contou, ao ver que Chris não parecia nem mesmo prestar atenção na conversa. — Evans eu não sei, estava conversando um pouco, agora parece que morreu de novo…
Stan franziu o cenho, aproximando-se do amigo.
— Não tá afim de ir pra pista? Scar e Hems estão lá!
— Não, acho que já vou pra casa daqui a pouco… Estou realmente cansado…
— Você não está com essa cena toda por causa da , não é? Qual é, a garota é legal e foi simpática com você hoje, não?
Chris rolou os olhos, negando com a cabeça.
— Só estou cansado, e eu dancei com a Scar mais cedo…
— Sei… — Olhou para Robert, que deu de ombros. — Bem, até depois então.
Acenou afastando-se para encontrar os amigos mais a frente, Felton e Jade também estavam por ali, todos parecendo tão empolgados quanto antes.
— Ah, não! — Reclamou quando começou a tocar I Want it that Way, pronto para dar meia volta e se encostar no bar.
— Não! Sebastian! — Morris puxou-o pelo braço — Você não dançou N’Sync, tem que ficar nessa!
— Não, Morris! — Negou, embora sorrisse com a animação dela.
— Por favor, o Chris e o Tom também vão… — Disse, apontando para os dois que já estavam se balançando ao som da introdução.
Sebastian a olhou com cara de sofrido, mas concordou voltando para o meio do grupo:
— Tell me why ain't nothin' but a heartache, tell me why ain't nothin' but a mistake, tell me why I never wanna hear you say, I want it that wayyy começou a cantar de frente para o romeno, que logo entrou no embalo fazendo alguns passos que lembrava vagamente serem relacionados a banda, se eram daquela música ele não sabia.
— No matter the distance I want you to know, that deep down inside of me you are my fire, the one desire you are… — Cantou apontando para Morris, que continuava dançando e rindo.
Tell me whyyyyy — os dois gritaram juntos, abrindo os braços e cantando, antes de voltar a pular, jogando-se em Sebastian no instante seguinte.

Morris conversava empolgada com Matthew Lewis, sentados próximos ao bar.
Foi entre uma gargalhada e outra, que o Neville apontou com a cabeça para um canto do salão, já bastante vazio devido ao horário. Ao virar-se, demorou alguns instantes para entender ao que o amigo se referia, encontrando Sebastian e Bonnie Wright conversando bem próximos.
— Parece que o Bucky Barnes está conquistando a ruivinha!
Morris arqueou a sobrancelha, encarando a cena, semicerrando os olhos por alguns instantes.
— Uma pena…
— O que? — Matt perguntou confuso, olhando-a com o cenho franzido.
— Bem… Digamos que eu tenha achado Sebastian… Interessante…— Deu de ombros, segurando um sorriso quando virou-se para o amigo.
— Por que eu não estou surpreso? — Riu antes de tomar um gole de sua bebida — Na verdade, quando eu vi vocês dois dançando, achei mesmo que acabariam a noite juntos em algum quarto de hotel!
— Que horror! — deu-lhe um tapa, a voz esganiçada — Mas, se é pra falar a verdade, admito que eu pensei o mesmo.
Matt gargalhou ao seu lado, enquanto virou-se para a bancada, mordendo o canudinho de seu drink.
— É, estou começando a ver um padrão… — A atriz olhou para o amigo, confusa — Primeiro você faz de tudo para ajudar Harry Potter, e ele acaba com a Gina. Agora você fica horas de papo com o Sebastian, e ele acaba com a Bonnie…
— Lewis! — Reclamou, embora sorrisse contrariada.
No momento aquilo parecia fazer muito sentido em sua cabeça, talvez fosse o excesso de álcool. E, por mais que não fosse admitir, realmente tinha se interessado por Stan, afinal o romeno era engraçado, bonito, esperto e uma ótima companhia.
— Morris! — Os ingleses se viraram ao ouvirem a voz, demorou alguns instantes para notar que era Scarlett que vinha ao seu encontro, seguida pelos colegas de elenco. — Vocês por acaso viram o Sebastian? Estamos indo embora, queria saber se ele vai junto…
— Ué… — Começou olhando para o grupo — Mas por que vocês já estão indo?
— Querida, não sei se você notou, mas a maioria dos convidados já foi embora — Downey riu olhando ao redor. fez o mesmo, notando que a grande maioria que estava presente era do cast de HP.
— Ah… De qualquer forma, acho melhor vocês irem sem falar com o Stan, ele parece… Ocupado.
— Ocupado como? — Hemsworth questionou confuso.
Lewis começou a rir baixinho, atraindo olhares;
— Bem… Digamos que a festa dele provavelmente está começando agora. — Apontou com a cabeça para o canto do salão, pouco iluminado.
O grupo virou-se procurando o colega com o olhar, logo encontrando-o aos beijos com uma mulher que eles não conseguiram reconhecer com a distância.
— Quem é? — Evans perguntou surpreso.
— Bonnie. — respondeu, olhando rapidamente para a cena, antes de voltar sua atenção para o grupo. — Gina Weasley. — Explicou quando notou o olhar confuso de Downey.
— Ora, ora, quem diria… — O ator comentou displicente, coçando o cavanhaque.
— Já que é assim, vamos indo sem ele… Se vocês ainda estiverem aqui, podem fazer o favor de avisar que já fomos? — Scar pediu olhando para os dois, que concordaram com um aceno.
— Devo dizer que vocês não falaram com ele porque ele estava quase engolindo a Bonnie…?
O grupo riu do tom confuso da inglesa.
— Não, vamos perder a oportunidade de zoar com ele se você falar. Deixa ele pensar que ninguém sabe… — Evans piscou sorrindo, vendo-a rir concordando.
Despediam-se com alguns abraços, quando Hemsworth se aproximou perguntando quando ela voltaria para NY, já pensando nas gravações, embora não tivesse tocado no assunto. Não tinha certeza se Matthew sabia da novidade.
— Hm… Acho que na próxima semana, vou para o Brasil daqui alguns dias, volto dia dezesseis.
— Direto pra…? — Robert começou, vendo-a confirmar rapidamente. — Excelente! Nos vemos depois! Boa viagem, aproveite o Brasil!
— Você vai sozinha? — Scar questionou despedindo-se.
— Não, Felton também vai, é só alguns dias, mas parece divertido!
— Tenho certeza de que é, todo mundo que vai pra lá fala muito bem!


Sebastian suspirou frustrado ao sentir um celular vibrando em seu bolso, afastou-se momentaneamente da ruiva, que aproveitou para ajeitar os cabelos bagunçados, enquanto via o ator à sua frente atender o telefone.
— Alô? — Falou mal humorado, passando a mão pelos cabelos.
— Hm… Quem fala? — A voz rouca perguntou.
Sebastian rolou os olhos, era tudo o que precisava, uma ligação errada para o atrapalhar.
— Com quem quer falar?
— Com a minha irmã. Esse número não é dá ?
Stan franziu o cenho por um instante, prestes a desligar, quando afastou o celular de sua orelha, olhando-o por alguns instantes. Deu um tapa na própria testa ao notar a confusão que tinha feito.
— Desculpe, ela deixou o celular comigo… — Suspirou olhando ao redor do salão, notando o quão vazio ele estava — Não estou vendo a Morris por aqui…
— Quem é? — O homem perguntou após alguns instantes, não reconhecendo a voz.
— Ahn, Sebastian. Você é o Harry, não é? — Virou-se para Bonnie esticando a mão e pedindo um segundo, enquanto afastava-se à procura da outra inglesa.
— Sim, eu mesmo.
— Ah, achei, só um instante. — Disse andando apressado para as poltronas mais ao canto, vendo junto com Daniel, Evanna, Emma, Tom, Jade, os gêmeos Phelps e Matthew, conversando e rindo alto.
— Ok, obrigado!
— Sem problemas… Morris! — Chamou ao aproximar-se o suficiente, virou-se rindo ao escutar seu nome — Seu irmão. — Entregou-lhe o telefone. — Cadê todo mundo?
— Já foram embora… — Deu de ombros, pegando o celular. — Harry, meu amor! — Atendeu animada. — Fala com o pessoal! — Avisou antes de colocar no viva voz, deixando o aparelho na pequena mesa próxima a todos, ouvindo um sonoro “Morris!” vindo do grupo.
Sebastian olhou para os lados, não encontrando os amigos, presumindo que eles já tinham ido embora, acenou para Tom quando o loiro se virou para ele, rindo.
Voltou a passar a mão pelos cabelos, enquanto andava de volta para o lugar em que estava, notando algumas pessoas que já limpavam parte do salão, não tinha restado mais ninguém ali. Todos já tinham ido embora, com exceção do pequeno grupo de atores que conversavam do outro lado.
Bonnie sorriu para o romeno quando ele se aproximou, parecendo menos corada do que minutos antes;
— Quer sair daqui? — Stan perguntou, colocando as mãos nos bolsos da calça social. Wright o olhou pensativa por alguns instantes, dando de ombros em seguida:
— Só preciso pegar minha bolsa!

7.

Depois do que lhe pareceram horas intermináveis, o avião finalmente pousou em solo brasileiro, no aeroporto do Galeão, Rio de Janeiro.
e Tom seguiram sonolentos para a saída, assim que boa parte dos passageiros já tinham desembarcado. A inglesa prendeu os cabelos compridos de qualquer jeito, antes de seguir o colega, seus agentes e um pessoal da Warner, pelos corredores do aeroporto.
Não demorou muito para começarem a chamar a atenção das pessoas que estavam próximas a área das bagagens, e os dois ingleses dedicaram alguns minutos para os fãs que estavam por ali, enquanto os outros ficaram encarregados de pegar suas malas. Quando foram passar para a saída, junto com alguns seguranças para evitar maiores problemas, uma onda de gritos começou.
Lewis estava certo quando lhe disse para se prepararem, porque brasileiros eram barulhentos e animados. Gritavam muito para o número nem tão grande de pessoas que estavam por ali, esperando por uma chance de ver dois dos queridinhos de Harry Potter. Num primeiro momento Morris se assustou com aquela gritaria, levemente nervosa e ainda sonolenta, mas parou para cumprimentá-los, tirando várias fotos e dando muitos autógrafos, principalmente por notar o quão cedo era para ter tanta gente esperando por eles, deu o máximo de atenção que conseguiu para aquele grupo, até ser puxada pelos seguranças em direção ao estacionamento, no qual uma van esperava-os para levá-los ao hotel. Olhando pela janela, Morris soube porque diziam que o Rio de Janeiro era lindo; a maior parte do caminho que o motorista escolheu era próximo a orla das praias, dando-lhes uma bela visão da cidade.
Estava tão calor que era difícil para acreditar que estavam no inverno, e a atriz começou a se arrepender de não ter trocado de roupa no avião, como Tom havia feito, vestindo uma bermuda e uma regata branca, enquanto continuava com sua jeans escura, camisa azul e sapatilha.
Os dois pediram para parar na praia por alguns minutos, mas aquilo foi negado com a promessa de que voltariam para um passeio antes de irem embora. Chegaram ao hotel, o qual também estava lotado de fãs na entrada, e, mais uma vez, os dois britânicos pararam para algumas fotos, embora estivessem extremamente cansados da viagem demorada. Passaram quase vinte minutos na entrada, atendendo o grupo de mais ou menos cinquenta pessoas, antes de finalmente subirem para seus devidos quartos para poderem tomar um banho e descansar por alguns minutos, antes de voltarem para a correria de entrevistas e divulgação do filme.

Twitter

@morris_ Olá Brasil!!!!! Você é bonito!!!! Vemos-nos a noite! #PremiereHarryPotterBrasil
(tranks Google translate)

Sua agenda no Brasil não era cem por cento em conjunto com Felton, embora fossem estar juntos na grande maioria das entrevistas e fotos. Após uma participação rápida dos dois em um quadro de um programa humorístico, no qual não fazia ideia do que estava acontecendo, mas ria por causa do apresentador, Morris e Tom se separaram, seguindo para entrevistas diferentes. tinha uma entrevista rápida em uma rádio brasileira, o que foi bem divertido; basicamente respondeu a algumas perguntas padrão e tentou adivinhar a tradução de algumas músicas brasileiras, além de ter ganho alguns CD’s de artistas nacionais.
Poucos minutos depois de voltar ao hotel encontrou o amigo que já a esperava para a próxima entrevista juntos, com a MTV Brasil.
Ao olhar o relógio, após trocar rapidamente de roupa, Morris surpreendeu-se por ainda ser uma hora da tarde. Com toda aquela correria já esperava que fosse quase cinco. E estava com fome.
A entrevista foi filmada na área da piscina a pedido dos dois ingleses, que não estavam acostumados com todo aquele calor, e quiseram aproveitar um pouco. Quando o repórter brasileiro e o pessoal da equipe finalmente foram embora, quase uma hora e meia depois, os dois aproveitaram para nadar um pouco, atraindo atenção de outros hóspedes e de alguns paparazzi de plantão. Morrendo de fome, Tom pediu por alguns aperitivos, enquanto os dois não eram levados para almoçar.
— Eu não acredito que demorei tanto tempo para vir ao Brasil… — A inglesa suspirou, jogando os cabelos molhados para trás, após mais um mergulho, aproximando-se da borda na qual o amigo estava escorado.
— E você ainda nem provou a comida! — Felton disse rindo, olhando de lado para a amiga.
— Acho injusto terem te dado comida durante as entrevistas e eu não ter ganho nada.
Tom riu dando de ombros, logo virando-se para a entrada, sorrindo de lado.
— Foto, Morris! — Apontou com a cabeça, quando viu Nina aproximar-se com uma câmera em mãos.
Os dois se aproximaram acenando para a mulher, sorrindo para as outras duas fotos.
— Alguns fãs me pediram e não pude negar — explicou, aproximando-se dos atores. — Aliás, se vocês poderiam dar um tchauzinho pra eles depois…
O casal concordou tranquilo, ainda aproveitando a piscina e o dia ensolarado.
— Não quer entrar? — perguntou para a agente.
— Gostaria, mas preciso terminar algumas coisas primeiro, talvez depois do almoço… Falando nisso, vão se trocar, estamos indo em alguns minutos e acho que vocês não podem entrar no restaurante com trajes de banho!

🎬🎬🎬


Morris achou que talvez pudesse passar o resto do ano sem comer, com o tanto que tinha almoçado naquele dia. Outro ponto importante sobre o Brasil, o qual era extremamente verídico; a comida era maravilhosa.
O grupo de mais ou menos doze pessoas aproveitou muito bem a churrascaria, e Morris se perguntou por qual razão não existia uma daquelas na Inglaterra. A pessoa que abrisse um restaurante como aquele na terra da rainha seria sua nova pessoa favorita no mundo.
Ainda tirou algumas fotos e mandou para a família, recebendo alguns protestos do irmão que estava claramente invejando a comida.
“Vamos vir para cá nas próximas férias!” mandou para os pais, que não demoraram a concordar, ao ver tanto a comida quanto a paisagem da cidade.
Respondeu rindo a reclamação de seu irmão, que parecia indignado por nunca ter pisado no Brasil e, principalmente, pela mais nova ficar mandando fotos de comidas que pareciam maravilhosas.
O grupo ficou pouco mais de duas horas conversando e comendo, até serem lembrados que os dois atores ainda precisavam se arrumar para a Premiere que aconteceria mais tarde, e, se não se apressassem, estariam atrasados, principalmente que ainda tinha maquiagem e cabelo para arrumar.
Na saída, mais algumas fotos foram tiradas e alguns fãs apareceram ansiosos, tendo um pouco de atenção dos dois ingleses, que sorriam bastante nas fotos, principalmente quando encontraram um casal Grifinória x Sonserina.

🎬🎬🎬


Como a noite estava quente, o vestido de era curto e, embora tivesse mais tecido do que ela gostaria, era até bem fresquinho. Morris chegou junto com Tom, saindo de braços dados do carro e caminhando juntos pelo tapete vermelho, separando-se para conversar com os fãs que estavam ali, sendo que tirariam fotos com todas as 600 pessoas presentes, em um meet and greet rápido, logo após os discursos.
A Premiere no Brasil era muito menor do que as duas anteriores, mas tão animada quanto. Os fãs estavam tão empolgados, que era ainda mais contagiante do que o normal, e fez a inglesa se questionar diversas vezes a razão de não ter ido ao país para a divulgação dos outros filmes.
Tom foi o primeiro a pegar o microfone, agradecendo a presença de todos e todo o apoio durante os anos que passaram. Respondeu algumas perguntas que lhe foram feitas, e, então, passou a vez para , que estava sentada em uma cadeira ao seu lado.
— OOi, tudo bem? — Começou em português, arrancando alguns gritos histéricos, antes de continuar em inglês — eu só queria agradecer, do fundo do meu coração, por vocês estarem conosco durante esses anos e por serem fãs incríveis! Sempre que eu falo qualquer coisa sobre os filmes, tem milhões de replys de vocês, é tanto amor e carinho que eu nem sei lidar, só tenho a agradecer por isso, vocês são incríveis! Agora eu entendo porque Matthew disse que vocês são loucos, eu adorei vir aqui e adorei conhecer alguns de vocês! Vocês têm um país incrível e as pessoas são fantásticas! Muito obrigada!
A primeira pergunta veio de um dos fãs nas primeiras fileiras, um rapaz moreno que usava uma capa da Corvinal;
— Eu queria saber, qual foi a cena que você mais gostou de fazer no filme?
sorriu, curvando-se ligeiramente para frente.
— Hm… É difícil dizer, porque eu gostei de várias, mas… — Mordeu o lábio inferior, o cenho franzido — Eu vou escolher a cena do discurso após a suposta morte do Harry! Toda a cena é muito boa, mas a parte da Black doida rindo na frente dos amigos é uma das minhas preferidas!
— Não fica dando spoiler! — Felton pediu, rindo.
— Impossível, Malfoy! — Respondeu da mesma forma.
A segunda pergunta veio de uma ruiva baixinha, usando um chapéu seletor e segurando uma varinha;
— Do que você vai sentir mais falta na Sam?
— Wow, ahn… — Morris olhou para o amigo que deu de ombros — Pergunta difícil… Eu não sei, acho que ainda não pensei bem no assunto. Tem muita coisa nela que eu vou sentir falta, mas acho que no geral é a personalidade; Sam sempre foi muito forte e tivemos várias partes para explorar nela… Em resumo tudo, — riu sem graça — mas eu gostava muito de como em um momento ela estava calma e no seguinte era explosiva!
A última pergunta veio de uma senhora mais velha, acompanhada da filha;
— Sabendo que, spoiler, a Sam morrerá… — Morris e Felton abriram a boca, colocando as mãos na mesma, fazendo suas melhores caras de surpresa — O que você acha que seria um final melhor para ela?
— Eu vou te contar, que a primeira vez que eu vi isso, eu fiquei revoltada, de verdade, não quis falar com a Jô nem nada, quer dizer… Sofremos a vida toda com a história triste da Black, e ela morre? Não, muito triste, muito injusto! — Falou fazendo caras e bocas, logo tornando a assumir uma pose um tanto mais séria — Mas, depois de semanas em luto, ahm… Pensando bem pareceu um tanto certo, porque… Não vejo como Sam ficaria em paz sabendo tudo o que tinha feito, por mais que não fosse sua culpa. É um tanto traumatizante para ela, então, eu não gostei é claro, mas até que entendo o motivo disso. Mas, — se animou novamente — Se eu pudesse escolher um final diferente…. Hm… Eu faria o Potter dando um jeito de salvá-la, voltando no tempo ou sei lá, como em Prisioneiro de Azkaban que eles voltam para ajudar o Sirius. Seria um final muito bom, ele com o Vira-Tempo em mãos, olhando pra uma foto da Sam ou algo do tipo, vocês já imaginaram isso? A logo da Warner subindo enquanto Harry girava o Vira-Tempo? Seria totalmente “wow o que tá acontecendo agora?” Seria fantástico, fica minha dica pra Jô, futuramente, alterar esse universo! — Piscou rindo, ouvindo as risadas em volta e várias pessoas aprovarem sua ideia.
O meet e greet foi realmente rápido, coisa de trinta segundos com um grupo de três ou quatro pessoas, apenas suficiente para alguns abraços e uma foto oficial, que seria disponibilizada na internet mais tarde. Minutos depois, os dois voltaram ao palco, despedindo-se dos fãs e agradecendo novamente pela presença de todos, logo seguindo com alguns jornalistas e convidados especiais da produção para o teatro no qual seria transmitido o filme, junto com alguns fãs que ganharam uma promoção.
Embora o filme estivesse muito bom, não aguentava mais ver ela mesmo morrer, três vezes, em um espaço de duas semanas. Talvez demorasse um bom tempo para tornar a assistir ao filme depois daquilo.
Tiveram uma pequena after party depois da exibição do filme, na qual tiveram que socializar com alguns brasileiros famosos que estavam presentes, assim como os jornalistas, respondendo algumas perguntas de praxe antes de poderem voltar para o hotel, quase duas horas depois.

🎬🎬🎬


A quinta-feira era apenas para turistar, pelo menos boa parte dela. Teve uma entrevista rápida e uma sessão de fotos, que terminaram em torno das onze horas, depois disso foi com Tom e os agentes até o Corcovado, para ver o maior símbolo brasileiro; Cristo Redentor. Estava tão calor, que, embora estivesse adorando a vista que tinha, passou a maior parte da visita limpando o suor do rosto, e reclamando por não ter passado mais protetor solar, já sentindo seus ombros começarem a queimar, já que usava uma regata.
Com muita sorte, tinham poucas pessoas no lugar, provavelmente por ser relativamente cedo, e um dia de semana comum na cidade, e a grande maioria das pessoas que estavam por ali eram turistas, assim como os ingleses. Os dois usavam óculos de sol e boné, não acharam em um primeiro momento que faria muita diferença no visual, mas se surpreenderam ao notar que a maioria das pessoas não os reconheceu, talvez estivessem ocupadas demais apreciando a paisagem e tirando as próprias fotos para notarem o grupo inglês que estava ao lado. O que também não era nenhuma surpresa, escutou várias pessoas falando em inglês com sotaques diferentes, muito espanhol e um grupo de rapazes falando em alemão.
Infelizmente não conseguiram fazer o passeio de bonde, mas Morris não se incomodou, deixando isso como desculpa para voltar ao país junto com os pais e o irmão.
Retornaram para o hotel depois de almoçarem em um restaurante no centro da cidade, e, finalmente, conseguiram ir à praia.
O sorriso fácil nos lábios dos dois atores era quase contagiante de tão empolgados que estavam com aquilo. Tom adorava praia, mas até então não conseguia pegar um bom bronzeado por causa de seu contrato com a Warner, mas, desde que as gravações se encerraram, era o que ele mais gostava de fazer sempre que tinha um tempo; pegar um bronze.
Fazia mais de dois anos que não ia à praia, era quase estranho estar pisando na areia depois de tanto tempo. Acenou para algumas pessoas que chamavam seu nome, prometendo tirar algumas fotos mais tarde, depois que aproveitasse um pouco daquele dia ensolarado. Tirou algumas fotos com Felton e Nina, a qual teoricamente estava de folga naquela hora, embora, é claro, se acontecesse algum imprevisto, teria que voltar ao trabalho no mesmo instante.
Depois de alguns minutos tomando sol, e quase morrendo de tanto calor, resolveram entrar na água, tendo os dois atores apostado corrida e perdendo vergonhosamente, já que desistiu de correr ao notar que Tom já estava muito à frente. Conversaram com algumas pessoas que se aproximaram quando entraram na água, muito mais gelada do que a inglesa imaginava.
— Eu poderia morar aqui, sabe? — Comentou com Tom enquanto os dois voltavam para o guarda-sol — Talvez eu compre um apartamento nesta cidade.
— Se fizer isso, por favor, me empresta nas minhas férias! — Felton riu, passando a mão pelos cabelos curtos.
Aquela tarde postou três fotos no Instagram: A primeira tomava água de coco e olhava para o mar à sua frente, fazendo a maior pose de madame que conseguiu, usando inclusive o chapéu de Nina, para dar um ar mais elegante. Na segunda estava junto de Nina, sorrindo com a agente com o mar ao fundo e, na terceira, estava no mar com Tom, um jogando água no outro enquanto riam.



Após sair do banho, já pensando no quanto estava faminta, foi lembrada que ainda tinha um pequeno compromisso para o dia, antes de poder aproveitar mais um pouco; Encontraria com três fãs que ganharam uma promoção realizada por seu site oficial.
Se precisasse escolher os melhores momentos daqueles três dias, o encontro com essas meninas entraria em seu TOP3.
Morris deveria passar cerca de uma hora e meia com as três vencedoras, conversando, tirando fotos, rindo e comendo, mas quando Anna, Bianca e Belle entraram no restaurante, a conversa saiu tão natural e tão espontânea, que a inglesa sentia como se já conhecesse suas três fãs há muitos anos. Logo descobriu que, felizmente, já tinha interagido com as meninas algumas vezes no Twitter, o que era sempre divertido. Além das muitas brincadeiras e fotos, sendo que as melhores foram para suas contas nas redes sociais, acabou passando muito mais de uma hora com as meninas, e, antes de despedirem-se, as convidou para saírem com ela e Tom, embora ainda não tivessem uma programação confirmada.
Depois que Felton chegou de sua última entrevista, o casal de amigos trocou-se rapidamente, antes de todos seguirem com o motorista para um karaokê em um bairro próximo, o que rendeu muito mais risadas do que se tivessem ido para alguma balada.
Tom e não economizaram nas bebidas, e menos ainda na cantoria.
O lugar não estava tão cheio, mas boa parte das pessoas que estavam por ali, sabiam muito bem quem eram os dois turistas, e, ao concordarem em tirar fotos e cederem alguns minutos com quem estava presente, os dois quase imploraram para não ter mais fotos tiradas, pois estavam ali apenas para se divertir, sem pensar nas responsabilidades do trabalho.
Felton não foi surpresa quando subiu ao pequeno palco e cantou muito bem, afinal o ex-Draco Malfoy tinha vários talentos, e canto era um deles. , por outro lado, não era assim tão boa, mas arriscou-se do mesmo jeito depois ter tomado dois copos de caipirinha.
Tentou uma música brasileira, a qual as meninas tinham indicado, mas, claramente, riu mais do que cantou, já que não falava nada de português e a maioria das palavras era difícil demais para falar rapidamente, o que também rendeu um vídeo no celular de Tom que logo rodou a internet. Quase na hora de irem embora, após mais algumas performances de todos, Morris encerrou cantando Britney Spears, o que foi bem aplaudido.
Assim que despediram-se das três meninas, que foram deixadas em suas casas e hotel, já que uma delas era de São Paulo, os dois voltaram para o Copacabana Palace.

🎬🎬🎬


O último compromisso da inglesa no Brasil era uma entrevista com algumas brasileiras, responsáveis pelo maior site de fãs que Morris tinha. Suas coisas já estavam prontas e em pouco mais de quarenta minutos, precisaria sair para ir ao aeroporto pegar o avião que a levaria para os Estados Unidos.
entrou em um dos salões de evento do hotel, o local encontrava-se praticamente vazio, com a exceção de três garotas, uma câmera fotográfica, uma filmadora e um notebook que estava em cima de uma mesa. aproximou-se sorridente delas, que não repararam na sua entrada e continuaram conversando em português, rindo vez ou outra.
— Olá?! — Acenou pouco mais de um metro de distância, uma das meninas, loira de cabelos compridos, arregalou os olhos, colocando as mãos na boca. A segunda, também loira, com mechas azuis, um tanto gordinha pra altura, sorriu maravilhada, rindo nervosa. A terceira, uma negra mais alta que , com o cabelo black power, piscou duas vezes, respirando fundo antes de dar um passo em direção a atriz.
— Olá, muito prazer! — Começou formal, falando em inglês.
olhou rapidamente para a agente, que sorriu andando até uma das cadeiras próximas, sentou-se e começando a mexer em seu tablet. Sorriu para as meninas, olhando para a mão estendida e negando com a cabeça, antes de aproximar-se o suficiente para abraçá-la, a outra ficou sem reação por um segundo, respondendo o abraço pouco depois.
— O prazer é meu por conhecê-las! — Morris repetiu o gesto com as duas loiras, antes de voltar a falar. — Como vocês estão?
— Muito bem! — A primeira, de cabelos compridos, falou sorridente — Agradecemos muito por você ter um tempinho para nos atender!
— Ah, imagina! — Deu de ombros — Se eu tenho que dar entrevistas para outras pessoas, por que não posso falar com vocês, não é?
As meninas não souberam reagir por alguns instantes, mantendo o sorriso largo no rosto e apenas admirando a mulher por alguns instantes. Era tão surreal finalmente encontrar um ídolo, ainda mais quando o mesmo era tão simpático, que elas precisaram de algum tempo para se recompor.
— Mas eu ainda não sei nada sobre vocês! — Lembrou animada, puxando uma das cadeiras para perto delas, que fizeram o mesmo, sentando-se antes de iniciar o papo.
— Eu sou a Andriele, tenho 20 anos e trabalho com publicidade e propaganda, — a loira de cabelos compridos se apresentou, erguendo a mão -, cuido da parte de layout do site, e, hoje, sou a camera-girl da entrevista!
— Me chamo Thayná, tenho dezessete anos e ainda não terminei o colégio, — a mais baixa avisou, ajeitando os óculos vermelhos — sou eu quem cuido das mídias do site e fico atualizando conforme você posta alguma coisa!
— E eu sou a Mariana, — a negra sorriu — tenho vinte e quatro e estou me formando em letras, fui eu quem comecei o site, oito anos atrás, e sou eu quem faz a maioria das traduções das matérias!
— Wow, parece tudo muito trabalhoso! — Fez uma careta leve, vendo-as rirem baixo. — Muito obrigada, de verdade! E você deve ter muito trabalho — apontou para Thayná -, eu não saio do Twitter!
— Isso é ótimo, porque sempre tem alguma novidade pra colocar no site! — Riu, concordando com a inglesa.
— Vocês três moram aqui? — Tornou a perguntar, interessada.
— Não, não. Eu sou de São Paulo e a Thay do Rio Grande do Sul — Andriele respondeu no mesmo instante — A Mari é a única carioca do site!
— Espera, tem mais gente? E vocês vieram aqui só pra me ver? Parece longe.
As três tornaram a rir e concordar.
— Somos em cinco, as outras duas são de São Paulo também, mas não puderam vir. E sim, esperamos tanto tempo por essa chance, que não teve como não vir aqui tentar te ver, mesmo se fosse de longe! — Thay sorriu animada.
— Se eu soubesse que tinha gente me esperando, tinha vindo antes! — Piscou brincando.
— Nós podemos começar a filmar? Não vai ser ao vivo essa parte, mas só para termos registrado… — Mari pediu.
— Claro, sem problemas.
Andriele levantou-se, mexendo na câmera e no notebook, antes de voltar a juntar-se ao grupo.
— Então, o que vocês precisam? — Morris perguntou quando a loira voltou a sentar-se.
— Bem, vai ser meio básico, provavelmente algumas perguntas você já deve ter respondido hoje… — Mariana sorriu sem graça, concordou sem parecer incomodada — E algumas perguntas que os fãs fizeram no Twitter. Selecionamos as melhores, e por melhores quero dizer as mais inusitadas!
— Okay! Sem problemas! — Sorriu para as garotas — Podemos começar quando vocês quiserem, mas infelizmente não tenho tanto tempo, preciso pegar um avião ainda… — Rolou os olhos entediada, as meninas concordaram apressadas, logo começando a ajeitar seu material, enquanto pegava uma das garrafinhas d’água que estavam por ali, tomando um gole enquanto mexia no celular, virou-se, arrumando a câmera frontal do aparelho;
— Foto! — Disse em voz alta, rindo enquanto as três brasileiras olharam para a câmera no último instante, saindo uma foto bem espontânea e engraçada.
Morris abriu seu Instagram, colocando a imagem com a legenda “Interview time with the best brazilian website! Nice team! X”
Quando estava tudo pronto, Mariana puxou a cadeira para o lado da inglesa, que cruzou as pernas, ainda segurando a garrafinha de água, deixando seu celular de lado. Quando Andriele avisou que estavam ao vivo, Mari começou a entrevista, falando em português, o que fez sorrir animada, embora não entendesse o que a garota dizia;
— Olá! Hoje, finalmente, depois de todos esses anos, estamos conhecendo a pessoa que nos fez começar o site e que é ainda mais incrível fora das telas; Morris, gente! — Apontou para a inglesa que sorriu para a câmera ao ouvir seu nome.
— Não sei o que você disse, mas parece legal! — Comentou rindo. Mari voltou a falar em inglês fazendo algumas perguntas para a atriz, antes de traduzir o que conversavam.

Já tinham feito mais ou menos quinze minutos da entrevista, que já estava quase no final, quando Thayná deu um gritinho da mesa, na qual mexia com o notebook; As três mulheres a encararam confusas e, mesmo sem ninguém prestar atenção, Nina levantou-se afobada de seu canto.
— Você está bem? — perguntou preocupada com a reação da adolescente, que encarava a tela do computador com a boca aberta, antes de virar-se para a atriz. Thay levantou-se rapidamente, entregando o computador para Mari, que olhou a notícia abrindo a boca surpresa, e então virando-se para Morris, que continuava com o cenho franzido em confusão. — O que foi?
Nina acenava ao fundo da câmera, pedindo para encerrarem a entrevista. Quando a inglesa finalmente olhou para a agente, que lhe chamava, escutou a pergunta que fez seu coração parar uma batida;
Você assinou com a Marvel?
A inglesa piscou algumas vezes, encarando a brasileira. Um sorriso nervoso aparecendo em seu rosto;
— O que? — Questionou, a voz uma oitava mais fina do que gostaria. Estava se entregando e sabia muito bem disso. — Quem foi que falou isso? — Riu nervosa, passando a mão pelos cabelos soltos. — Quer dizer… Marvel...? — Negou com a cabeça, sentindo o coração acelerado e o rosto vermelho.
— A própria Marvel! — Mariana virou o notebook para a inglesa, a página do Twitter oficial da empresa, com o último tweet publicado, há menos de cinco minutos, milhares de retweets e curtidas, junto com uma foto da atriz sentada em uma mesa na reunião que teve quase três semanas antes, quando realmente assinou seu contrato. No fundo o painel com a logo da Marvel;

“We’re glad to announce the newest member of our family, our dearest @morris_ as Avril Stark! #AgentAS”

A mulher leu e releu a notícia, o cenho franzido em confusão.
Aquilo só deveria ir ao público na próxima semana, ou talvez mais tarde, ninguém lhe avisou que anunciariam mais cedo sua contratação. Morris ergueu os olhos para sua agente, que parecia tão confusa quanto ela.
— Então, é verdade? — Mari tornou a perguntar, notando o nervosismo da atriz.
Sem saber exatamente o que fazer, sorriu de lado, dando de ombros.
— Se é a Marvel quem está dizendo, quem sou eu para negar, não é?

🎬🎬🎬


Whedon tinha acabado de encerrar a cena, após quatro tomadas, com um sorriso satisfeito no rosto. Scarlett logo entendeu isso como um sinal positivo, aproveitando os poucos minutos que tinha para tomar água e respirar um pouco, antes de começarem a próxima cena de luta.
Kevin estava ao lado de Joss, ambos conversando sobre a tomada que tinham filmado e a arte gráfica que seria necessária, quando Evans, Hemsworth, Downey e Ruffalo chegaram nervosos, segurando celulares e parecendo mais ansiosos que o normal. Whedon arqueou a sobrancelha levemente curioso quando todos começaram a falar ao mesmo tempo, atraindo a atenção de Tom, Scarlett e Jeremy, que estavam mais distantes.
— O que foi que aconteceu agora? — Kevin perguntou de braços cruzados.
— Por que ninguém me avisou que já podia dizer que a foi contratada? Eu queria ter postado isso no meu Twitter no mesmo instante! — Robert reclamou cruzando os braços, parecendo uma criança que não ganhou seu doce.
— Do que você está falando?
— Eu tive que mentir numa entrevista ontem, sabia? Dizer que ainda não tínhamos contratado ninguém! — Evans concordou com o amigo, segurando o celular em mãos e acenando exageradamente.
— O que? Do que…? — O diretor começou confuso, sendo interrompido por Johanson, que pegou o telefone de Evans e deu um grito.
— Já anunciaram a Morris???
— O QUE? — Os dois gritaram assustados, Whedon pegou o celular da atriz, sem se preocupar em ser delicado na ação.
— Eu. Não. Acredito. — Falou pausadamente, rangendo os dentes. Entregou o aparelho para Kevin, enquanto andava apressado para a saída, gritando de costas, enquanto se afastava — Gravações encerradas.
Kevin não demorou nem dez segundos para correr atrás do colega, xingando alto enquanto o acompanhava.

O grupo olhava o vídeo, depois de Joss ter saído enfurecido para conversar com o responsável pela divulgação antes da hora, talvez algumas cabeças rolassem já que o diretor não parecia nada feliz.
— Ela parecia em pânico, fiquei até com pena… — Scarlett começou tornando a guardar o celular após ver o vídeo.
— Sim, foi muito de surpresa… No lugar dela eu não saberia como reagir — Hemsworth concordou com os braços cruzados.
— Eu não sei se estou com tanta pena… — Evans começou, atraindo olhares — Ok, estou. Mas ainda não gosto dela! — Cruzou os braços.
Robert rolou os olhos, entediado, assim como boa parte do grupo.
— Chris, não tem mais graça esse ódio gratuito, supera. — Scar negou com a cabeça.
— Gratuito? Ela não gosta da gente!
— Ela não te deu um ingresso pra festa de Harry Potter? Ela não foi super legal com todos vocês durante a festa? — Renner arqueou a sobrancelha.
— Sim, mas é óbvio que foi por causa do Hiddleston… — Apontou com a cabeça para o inglês, que ainda olhava o video em seu celular. — Aposto que ele disse alguma coisa…
— Bem, então você deveria assistir esse outro vídeo que saiu… — Avisou retirando o fone de ouvido, e mostrando para o colega — É a continuação depois que falam da Marvel!
— Ei, como eu não vi isso? — Scar reclamou, aproximando-se de Evans para assistir.
Tom pegou o celular novamente, puxando o link do video e enviando para Downey, que assistiu ao lado de Mark, e para Renner que viu com Hemsworth.

Com essa notícia de última hora… Posso fazer mais algumas perguntas? — Dizia a fã brasileira, parecendo nervosa, Morris concordou com a cabeça, dando de ombros.
Não tem muito o que eu possa dizer, na verdade… Mas vamos lá!
— Como foi que isso aconteceu? Tinha saído uma notícia que você não queria assinar com eles…

Morris tomou um gole de água, encarando o chão por alguns instantes, o cenho franzido.
— Bem, foi um pouco mais complicado do que isso… Não cheguei a dizer não, foi uma confusão no começo… Mas, para ser sincera eu também não sei exatamente o que aconteceu. Eu não estava tão interessada pelo tamanho do contrato, e queria tirar alguns meses de férias… — Riu baixo — Teve uma pessoa que me convenceu a aceitar horas antes da minha reunião com o Whedon…
— Quem era?
— Sebastian Stan. Conversamos bastante durante um jantar na casa do Felton, e ele acabou por me convencer então… Se nada der certo, a culpa é dele!
— Ergueu as mãos, como se dissesse que era inocente. A brasileira riu animada.
— Vocês sabia que foi o Sebastian? — Scar perguntou para Evans, que negou com a cabeça, parecendo tão surpreso quanto os demais.
— Alguns deles foram na Premiere em NY, mas você já os conhecia antes disso? Como foi encontrar com todos?

Morris passou a língua pelos lábios antes de responder, tornando a sorrir.
- Bem, você deve saber, eu nunca me dou muito bem com grupos grandes… — Sorriu culpada, enquanto a outra concordava com a cabeça — Foi algo totalmente diferente do que eu esperava, de verdade. Bem, eu nem sei o que eu esperava… Eu só conhecia o Hiddleston no grupo, e basicamente me jogaram para dez pessoas desconhecidas… Quer dizer, desconhecidas pessoalmente, porque já assisti vários filmes com todos eles. Samuel e Renner estão em alguns dos meus filmes preferidos, Mark bem..., eu tinha meio que um amor platônico por ele depois que assisti “E se fosse verdade” e “De repente 30”. — A mulher ria sem graça.
— Hm, Ruffalo… Paixãozinha da Morris! — Renner comentou sacana, escutando algumas risadas.
- Scarlett é simplesmente maravilhosa, o tipo de pessoa que eu gostaria de ser daqui alguns anos! Ela é linda, sério.
— Retiro cem por cento do que eu disse no primeiro dia sobre ela não ser simpática! — A mulher avisou sorrindo.
— Acho que a minha maior surpresa foi com o Downey Jr, eu cheguei e ele foi logo me abraçando, não estava esperando por aquilo. Ele é muito simpático e muito fofo, bem diferente do que eu imaginaria num primeiro momento, talvez eu esteja acostumada com ele como Tony Stark, sem muita interação com as pessoas…

Downey arqueou as sobrancelhas, parecendo surpreso.
— Vocês também achavam que eu era assim? — Todos concordaram, deixando-o levemente chateado — Pelo menos ela mudou de opinião! — Deu de ombros.
— E teve a dupla de Chris — riu, negando com a cabeça -, eles são ótimos. Hemsworth já pediu meu telefone para o whatsapp, e me mandou fotos zoadas do restante do grupo!

— Você o que??? — Perguntaram virando-se para o australiano, que sorriu amarelo, sem saber como se defender.
— E Evans… Bem, posso dizer que ele é exatamente como eu imaginava.
— O que você imaginava?

Chris pareceu ansioso por alguns instantes, aguardando a resposta que não demorou para chegar quando a inglesa sorriu para a câmera.
— Que ele não seria apenas bonito, mas uma pessoa incrível. Ele é muito simpático e engraçado, embora eu não tenha entendido muito das piadas dele num primeiro momento… Na verdade, foi tudo meio no automático, entende? Eles estavam todos conversando comigo, mas eu não sabia em quem deveria prestar atenção primeiro, e só tinha uma coisa na minha cabeça, meio que “o que eu estou fazendo aqui?”, quer dizer, olha aquele grupo. O que eu fazia no meio deles? São pessoas que eu estou acostumada a ver em filmes, não pessoalmente…
— Eu acho que tenho uma mínima ideia dessa sensação… — Apontou para a atriz que riu — É basicamente o que sentimos quando você apareceu…
— Mas vocês estão em três, não é? Me jogaram, sozinha, em um grupo enorme, eu não estava esperando por isso. Sempre que eu conhecia algum ator importante nos sets de HP estava com todo o pessoal, então eu ficava nervosa, mas era a maioria, não é? Eu sabia que não estava sozinha ali. Totalmente diferente do que aconteceu semana retrasada!
— E quem é o mais bonito?

Morris abriu e fechou a boca umas duas vezes, rindo em seguida.
— É um elenco beeeem bonito! — Sorriu sem graça, vendo a garota concordar rindo — Difícil escolher, mas eu vou parafrasear uma amiga; “não dá para confiar em quem não quer beijar Chris Evans!”

Christopher sorriu animado para os colegas, parecendo extremamente satisfeito com o que tinha acabado de ver e escutar.
— Agora sim essa menina não tem chances… Olhem a cara dele, é capaz de pegar um avião para o Brasil para encontrar com ela no hotel! — Scarlett negou, rindo.
— Eu quero você beeem longe dela! — Robert apontou um dedo para o loiro, que continuava com um sorriso animado nos lábios.
— Bem, acho que essa é a hora que vocês dizem que eu e Mark estávamos certos, não é? — Tom alfinetou, cruzando os braços e encarando o grupo.
— Ok, ok… Mas não tinha como adivinharmos, não é? — Jeremy se defendeu.
— Como é? E o que nós dois estamos falando há semanas? — Ruffalo colocou as mãos na cintura, negando com a cabeça.
— Eu só quero dizer que: Morris quer me beijar! — Evans sorriu, sacando o celular do bolso enquanto se afastava do grupo.

BBC NEWS
Morris assinou com a Marvel!

The Sun
Morris será Avril Stark em Marvel’s The Avengers!

The New York Times
Conhecida por Harry Potter, Morris estará no Universo da Marvel.


8.

retirou os óculos escuros da bolsa, colocando-os enquanto andava junto de Nina para a saída do aeroporto, já que tinha se separado de Felton durante a conexão em Miami, e o inglês já estava voltando para a Europa. Entraram em um táxi e seguiram para o hotel em que ficaria hospedada pelas próximas semanas, enquanto não tinha um apartamento para chamar de seu. No caminho, aproveitou para postar um tweet final sobre o Brasil, antes de responder às várias mensagens no whatsapp;

@morris_ Obrigado por receber @TomFelton e eu, você é incrível Brasil! Eu te amo! Mal posso esperar para vê-lo novamente! ❤


No meio das conversas com os amigos, vários surpresos pelo novo contrato da inglesa, recebeu uma montagem dos gêmeos Phelps com a famosa armadura do Homem de Ferro, em uma versão feminina com seu rosto em destaque, rindo, abriu novamente o aplicativo no Twitter, postando a foto com a legenda “Mais Stark do que eu??? #AvrilStark #ÁS” e aproveitou o momento para finalmente seguir todo o pessoal do elenco, coisa que já queria ter feito há dias e foi proibida. Sorriu ao constatar que a maioria deles já estava a seguindo. Quis olhar as mentions, para saber o que estavam falando sobre a novidade, mas ao invés disso, prestou atenção em Nina, que continuava a discursar sobre suas novas responsabilidades e sua agenda, que já marcava três horas diárias na academia, já no dia seguinte, até finalmente começar a gravar com o restante do pessoal.
— Essas três horas já incluem uma para começar sua preparação física para suas cenas de luta, em outras palavras, você vai começar a fazer muay thai três vezes na semana e boxe duas vezes. Boa sorte. — A mulher acrescentou com um sorriso irônico, vendo a careta da mais nova.
— Eu sinto que não vou sobreviver muito desse jeito.
— E eu nem te falei o principal ainda… — Riu baixinho, mexendo no smartphone em suas mãos.
— Que seria?
— Dieta, meu amor. — Virou-se com o celular em tempo de tirar uma foto da expressão aterrorizada de .
— Quando você diz dieta…
— Eu quero dizer que você vai cortar noventa e oito por cento das besteiras que você come. Vão ser só saladas e alguns tipos de carne, provavelmente peixe ou algo do tipo, ainda não peguei com a Marvel, mas eles querem que você perca alguns quilos antes das gravações, você viu o uniforme que terá que usar, é apertado demais.
— Imagino que não vou nem respirar usando aquilo. — Suspirou, fechando os olhos por alguns instantes e encostando a cabeça no banco. — Eu estou começando a me perguntar por qual razão eu aceitei assinar com eles. Já estou me arrependendo sem nem começar.
— É isso que dá escutar aquele Sebastian ao invés de ouvir a voz da experiência, meu bem. Agora aguenta.
Morris franziu o cenho, olhando-a de lado.
— Achei que você quisesse que eu assinasse com eles…
— E queria, mas eu deveria te convencer, não um romeno qualquer.
— Sebastian é romeno? — Perguntou surpresa.
Nina a olhou divertida, não demorando mais de dois segundos antes de voltar sua atenção para o tablet que tinha em seu colo.
— Você não sabia?
— Não, nunca perguntei.
— Hm… Você continua conversando com ele?
— Não muito — deu de ombros -, trocamos algumas mensagens, mas nada muito sério.
Davis olhou para frente por alguns instantes, pensando por alguns momentos antes de decidir comentar o que tinha em mente há alguns dias;
— Fiquei genuinamente surpresa por não te ver saindo daquela première com ele.
Morris começou a rir, concordando com a cabeça.
— Por incrível que pareça, eu também. — sorriu de lado — Estou até chateada, não beijei ninguém em todas essas festas, minha auto estima está começando a ficar abalada.
A morena ainda ria quando o taxista parou na frente do hotel.
— Imagino que você deva resolver o problema em breve. — Piscou antes de sair do carro — Ouvi dizer que um certo loiro está interessado em você!
— Que loiro? — Tornou de imediato, seguindo-a para fora do carro. A mulher apenas sorriu, pegando sua mala antes e andar para o lobby, com a inglesa quase correndo atrás — Vamos lá, Ninazinha, não fofoca pela metade! De quem está falando?
— Na hora certa você vai descobrir, mas agora vai para seu quarto tomar um banho e descansar, porque a semana vai ser cheia!

Quando falaram de academia, imaginou que seria aquele ambiente com vária pessoas, vários equipamentos, todo mundo suando e fingindo gostar, talvez tirando algumas fotos na frente do espelho para postar nas redes sociais com alguma hashtag e coisas do tipo, mas, na verdade, academia era uma palavra simbólica. tinha seu próprio personal trainer, o que tornava tudo pior; Dereck era muito simpático, mas não deixava a inglesa parar mais do que dois minutos para tomar água, a cada meia hora de treino. As aulas de lutas ainda não tinham começado, aparentemente seriam apenas depois de algumas semanas, quando seu corpo já estivesse mais adaptado à nova rotina, o que lhe dava algum tempo para ler o script quando não estava suando, ou chorando de dor pelo corpo, para os pais ou para a agente.
Inacreditavelmente, a inglesa não tinha mais usado suas redes sociais, um pouco pela falta de tempo, mas principalmente porque não tinha mais suas senhas. Nina havia trocado todas por tempo indeterminado, já que Morris deveria dedicar-se aos treinos e dormir cedo, ao invés de ficar fofocando no twitter, como gostava de fazer, e sentia-se tão esgotada com tudo aquilo, que nem mesmo reclamava, porque quando finalmente podia deitar, dormia em menos de cinco minutos.
A única coisa que fazia a atriz reclamar mais do que as dores no corpo, era a fome. tinha se acostumado a comer besteiras e a comer sempre que dava vontade, tudo o que tinha vontade. Ser privada de boa parte de sua alimentação a deixava triste e mal-humorada; não dormia mais de sete horas por dia, não comia nada do que queria, treinava a manhã inteira e a tarde tinha que dedicar-se ao script e a fono, na tentativa de praticar o sotaque americano para que se tornasse algo melhor do que inicialmente era.
Não saia do hotel se não fosse com o treinador, não tinha conhecido muito da cidade e, agora, depois de um mês longe da família (contando a semana das premières em NY e Brasil), estava com saudades. Sentia falta dos pais, de seu irmão e até do cachorro. Sentia falta dos amigos e de assistir aos jogos de seu time em algum pub ou no estádio. A saudade de tudo o que tinha na Inglaterra era tanta, que já estava começando a surtar.
— Você é tão dramática! — Harry riu quando a irmã desabafou, em uma chamada no skype. — Sério que você achou que seria tudo mil maravilhas quando assinou com eles?
— Sebastian não falou sobre nada disso — resmungou de braços cruzados, sentada em sua cama, com o notebook sobre as pernas.
— Nem precisava, não é? Você acha que ele é forte daquele jeito, por que? É óbvio que ele, o Evans e o Hemsworth passam muito tempo se exercitando, Johanson também. Ou você achou que poderia ser alguma heroína fodona sem ser toda atleta?
respirou fundo, passando a mão pelos cabelos molhados, arrumando-se na cama.
— Não lembro de você fazer tudo isso quando era atleta.
— Porque eu burlava as regras — deu de ombros -, se eu fosse certo, seria quase isso aí.
concordou com a cabeça, embora o irmão não tivesse visto. Pelo que via da imagem, Harry estava dividindo sua atenção entre conversar com a irmã e assistir algum filme na televisão.
— E as férias, como vão? — Perguntou após alguns instantes de silêncio, mudando o tópico da conversa.
— Tudo okay, estava pensando em passar alguns dias fora, mas não tem mais ninguém de folga, sozinho não tem graça. — Respondeu entediado.
— Achei que você estaria festejando o tempo todo — sorriu, vendo-o concordar com a cabeça.
— Eu bem queria, mas o pessoal está trabalhando, ninguém quer ficar fora depois das dez. — Rolou os olhos. — Ah, sabe quem me chamou para sair?
— Charlie?
— Não, nem te contei né? — Bateu na própria testa — Charlie está se mudando também, vai tentar melhorar a carreira aí.
— Ele vem para Nova York?
— Acho que sim, ele não decidiu ainda qual cidade, mas imagino que seja. — Coçou a barba que crescia, olhando para a televisão — Acho maravilhoso você e meu melhor amigo se mudando. — Comentou irônico, a irmã riu baixo.
— Talvez seja um sinal para você também vir para os Estados Unidos.
— Jamais. — Negou com uma careta. — Nunca que eu me acostumaria com os americanos. Metidos demais, e a comida é horrível.
— Bem, não posso concordar porque eu não como nada aqui. — Cutucou, Harry riu concordando. — Mas quem te chamou para sair?
— Graham — Respondeu sorrindo. — Vou no programa de sexta, e marcamos de sair depois da gravação.
— Eu não acredito! Chegamos ao ponto de fazermos entrevistas separados, que fase negra estou vivendo!
Harry gargalhou, olhando o celular enquanto respondia.
— Não seja tão exagerada, aposto que daqui a pouco você estará em vinte programas diferentes por aí.
— Não sei, não sou tão conhecida como na Inglaterra. Acho que eles nem sabem quem eu sou. E quem sabe não se importa.
— Talvez… — Respondeu em um bocejo.
— Harry! Não vai dormir, conversa comigo.
— Estou conversando, não seja chata. — Deitou-se na cama, pode vê-lo mexer no controle remoto, e logo escutou frases aleatórias vindo da televisão, conforme ele mudava de canal. — Olha, tá passando Harry Potter! — Sorriu deixando no canal por alguns instantes, antes de voltar a mudar.
— Qual deles?
— O quarto, não é meu favorito. — Mostrou a língua, sem olhar para a irmã, escutando-a gargalhar por saber que era apenas ciúmes pela cena em que ela beijava Robert.
— Nem te contei, — a atriz lembrou, atraindo a atenção do mais velho — vou para Cleveland amanhã.
— Fazer o que? — Questionou, antes de bocejar novamente.
— Começo a gravar na próxima semana, boa parte do elenco está lá gravando as cenas finais, preciso ir para me juntar à eles… Na verdade acho que o Whedon quer que eu me aproxime deles antes de começarmos… — Explicou sorrindo, coçando os olhos.
— Faz sentido. — Concordou, bocejando uma terceira vez, conseguia ver até os dentes do irmão, que não fazia questão de esconder que já estava com sono. — E como estão as coisas com eles? Estão conversando?
— Falo bastante com o Hemsworth, ele me manda fotos sempre que está no set, — riu pegando o celular na cabeceira da câmera, mostrando algumas das imagens. — Comentei algumas coisas no grupo do whatsapp, mas nada muito relevante. Evans começou a me mandar algumas mensagens também.
— Sério? Isso é novidade.
— Aham, foi depois que saiu a notícia, ele me mandou uma mensagem tipo “soube que você está querendo me beijar”, por causa daquela entrevista no Brasil.
— O que foi que você respondeu? — Harry questionou em meio a risadas.
— Eu falei que só assinei com a Marvel porque me prometeram alguns beijos.
Os dois riram, até o inglês bocejar.
— Eu estou rindo, mas acho bom você ficar longe dele.
— Até parece. — Negou com a cabeça, sorrindo de lado.
— Meu deus, você não presta! — Fingiu uma cara surpresa, apenas fazendo-a rir mais um pouco. — Quero só ver quantos do elenco você vai pegar.
— Provavelmente não muitos, acho que só o Evans é solteiro. — Rolou os olhos, Harry respondeu um “menos mal” baixo, logo bocejando e passando a mão pelo rosto.
, não tenho condições de continuar acordado, depois nos falamos, já são quatro da manhã. — Reclamou deixando o computador de lado e retirando a camisa que usava.
— Ah, você vai fazer um strep tease antes de me deixar? Obrigada, mas eu passo.
— Idiota. — Falou negando, jogando a camiseta para o lado. — Sério, nem tomei banho ainda. Amanhã te mando uma mensagem, ou te ligo, sei lá.
— Hm, me abandona mesmo, usa minha conta no twitter e me abandona.
— Ah, você já soube? — Perguntou sorrindo. — Eu perdi o acesso da minha conta, esqueci minha senha e não consegui recuperar, como você não está usando a sua mesmo…
— Não era mais fácil você fazer uma nova?
— Talvez, mas a sua já estava pronta. Seus fãs me adoram, e você nunca teve uma bio tão boa quanto a minha!
— O que você escreveu? — Perguntou rindo antes mesmo de saber, conhecia Harry bem o suficiente para saber que tinha alguma piada sem graça envolvida.
— Que estou administrando enquanto você está fora chutando algumas bundas e beijando o Capitão América. — Contou aos risos, escutando a gargalhada da irmã segundos depois.
— E depois sou eu que não presto!
— Não mesmo, mas agora vou tomar banho. Se cuida, chatinha — acenou com a mão, antes de finalizar a chamada.
mal respondeu um “tchau, te amo” antes do irmão desligar, reclamando pela falta de educação. Olhou o horário, estava com sono, mas não o suficiente para dormir ainda, estava ansiosa com a viagem do dia seguinte, nervosa demais para conseguir descansar.
Mandou uma mensagem para Daniel, para ver se o amigo estava acordado, queria continuar conversando com alguém para distrair-se. Depois de todas aquelas semanas, finalmente estava para começar a gravar, era uma mistura de nervosismo e expectativa, além da felicidade por voltar a gravar, depois de meses parada.
Radcliffe, é claro, já deveria estar dormindo e não a respondeu, então assistiu um filme que passava na televisão, chato o suficiente para deixá-la com sono, fazendo-a dormir pouco menos de dez minutos depois.

🎬🎬🎬


Assim que chegou em Cleveland, junto com Dereck, o qual só lhe deixou comprar um frappuccino da Starbucks porque estava de bom humor, só teve tempo de deixar suas coisas no hotel em que estaria hospedada junto com parte do elenco, antes de começar os treinos, agora já começando a parte de lutas, o que considerava melhor do que ficar fazendo musculação, naquela manhã teria aulas de muay thai.
Apenas teria cenas para gravar na semana seguinte, e nenhuma envolvia as lutas que ela ainda não tinha aprendido a coreografia, mas havia sido decidido que era melhor ela começar os treinos o quanto antes, já que seria exigido bastante do seu físico e seu tempo de preparação havia sido drasticamente reduzido.
Naquele dia, as gravações se resumiam a uma das cenas nas ruas de NY, durante a batalha final, com alguns quarteirões de Cleveland fechados para a produção do filme. Em um primeiro momento Morris tinha ficado empolgada, achando que finalmente entraria em ação, apenas para descobrir pouco depois que não chegaria nem perto da batalha, já que sua personagem estaria completamente fora de ação no helicarrier.
Assim que terminou o treino, Dereck foi com ela até o local das gravações para reencontrar parte do elenco e Joss, principalmente depois de Hemsworth, que até então era seu favorito, a ter convidado para almoçar com eles. Só o universo sabia o quanto ela precisava comer naquele momento.
Evans, Hemsworth, Downey e Ruffalo eram os únicos gravando naquela manhã, mas Hiddleston concordou em aparecer também, para não a deixar sozinha com os novos colegas. não havia mais comentado de não estar à vontade com o resto do elenco, e até mencionou que trocava mensagens com o australiano, mas não faria mal se juntar a eles.
— Você está um caco, Morris — comentou Hemsworth, assim que notou a mulher se aproximando sem pressa. ainda trajava a calça de ginástica e um moletom da gap, o cabelo curto preso de qualquer jeito e olheiras indicando que, talvez, ela não tivesse dormido tão bem. — Nós temos motivos, e a maior parte ainda é maquiagem. — Apontou para os machucados visíveis em seu corpo.
apenas soltou uma breve risada sarcástica, terminando de cumprimentar o pequeno grupo antes de se sentar na cadeira vaga do ator, que se ofereceu para ficar de pé junto com Hiddleston.
— Eu mal cheguei na cidade e já fui direto treinar, tenho direito a parecer destruída! — Resmungou, jogando a cabeça para trás com o s olhos fechados com força — Mas admito que eu preciso de um banho com urgência!
— Essas olheiras são só por isso? — Estranhou Hiddleston, ganhando o olhar curioso da novata, assim como alguns alertas dos colegas — Pensei que estaria chateada pelo o que estão falando.
— Como assim? — Franziu o cenho, sentando-se direito na cadeira.
— Você não viu?
— O que eu não vi? — Perguntou nervosa.
Exigir que ela tivesse paciência depois de passar quase três horas apanhando em um tatame, e sem ter comido direito, era um tanto arriscado, Tom deveria saber disso.
— Você não está sempre na internet, como não viu ainda? — Evans se juntou ao colega, o olhar apreensivo fazendo com que a mulher começasse a ficar preocupada. já tinha assumido que algo ruim havia acontecido, agora só faltava saber das proporções.
— Eu não tenho acessado minhas redes sociais o mês inteiro — explicou ela devagar — Estou meio que off do mundo nas últimas semanas, mas Nina não comentou nada de diferente… O que aconteceu?
Quando o grupo de atores passou a trocar olhares apreensivos, respirou fundo, esticando a mão para seu conterrâneo.
— Hiddleston, me dá seu celular.
— Eu não sei se é uma boa ideia… Deve ter um motivo para não deixarem você ver… — Ruffalo comentou sem graça, olhando de relance para os colegas.
— Gente, eu quero saber o que estão falando de mim. Vocês estão me deixando nervosa! — Pediu ainda com a mão esticada, o inglês respirou fundo, entregando-lhe o aparelho pouco depois.
rapidamente abriu o aplicativo de pesquisas, jogando seu próprio nome na barra de buscas, notando um número enorme de notícias sobre sua contratação, a grande maioria não tinha um título muito animador.
Clicou em algumas matérias de jornais mais importantes, lendo rapidamente o quanto sua contratação estava sendo motivo de revolta para os fãs e boa parte da mídia americana.
Os homens ficaram em silêncio, olhando um para o outro apreensivos, enquanto aguardavam uma resposta da inglesa, que parecia concentrada demais no que lia.
“Atriz de um papel só”? Não é mentira, mas conseguiram falar isso de uma forma ofensiva, não gostei. E eu consegui muito bem lidar com as duas personalidades da Black, por que não conseguiria com a Stark? — Questionou retoricamente, negando com a cabeça enquanto lia a matéria de um fórum de fãs. — Certo, isso sim é ofensivo. O que a minha mãe tem a ver com isso? — Comentou nervosa, olhando rapidamente para os colegas, antes de voltar em outra matéria — Estão colocando meu irmão no meio! — Reclamou revoltada — Não acredito que estão falando mal do Harry! Ninguém nem conhece minha família, isso é um absurdo. Não quero mais ler. — Terminou entregando o celular de volta para Hiddleston.
...? Você está bem? — Robert chamou sua atenção, após alguns instantes em que a inglesa estava com a cabeça baixa, perdida nos próprios pensamentos.
— O que é a mídia contra quando nem o elenco foi com sua cara logo no começo, não é? — Tom sorriu, tentando aliviar a tensão do momento.
— Hiddleston, qual o seu problema? — Resmungou Evans, jogando a cabeça para trás.
Morris olhou primeiro para os novos colegas, depois se virou para Tom.
— Quando eu te perguntei você disse que eles tinham gostado de mim!
— Não quis te deixar mais nervosa...
— Só quero registrar que opiniões mudaram, tá? — Comentou Evans, depois de pigarrear — Foi tudo nossa culpa, mas do mesmo jeito…
— Vale constar que eu e o Mark gostamos de você, ok? — Hemsworth argumentou sorridente, recebendo um sorriso de lado da inglesa.
— Eu também gostei! — Downey protestou — Qual é, eu disse que a garota poderia ser minha filha!
— Tá vendo, depois de alguns dias eles também gostaram de você! — Tom argumentou, tentando amenizar a situação — A mídia e os fãs serão iguais, você vai ver.
— Agora você está mentindo para mim, Hiddleston?
— Qual é, estava tentando te proteger. Sabia que seria passageiro. — Defendeu-se.
— Eu tô rindo, mas ainda tô brava com você! Não quero saber se tem compromisso hoje à noite, você vai jantar comigo. Vai ter que me aturar reclamando da mídia!
— Fechado. — Riu enquanto fazia um joinha.
— Espera, nós não somos convidados? — Evans se pronunciou, cruzando os braços.
Morris o encarou por alguns instantes, a sobrancelha arqueada. Concordando em seguida, vendo-o sorrir animado.
— Mas agora preciso falar com o Joss. A gente tinha imaginado que poderia ter uma leve resistência na minha escalação, só que isso não é nada leve. Tem campanha para boicotar o filme!
— Então você vai desistir? — Hemsworth questionou curioso.
— Acho que agora é um pouco tarde para isso, mas precisamos pensar em uma forma de reverter a situação. — Explicou, suspirando cansada — Isso não era tão comum na Inglaterra, normalmente as pessoas gostavam de mim por lá!
— Meu amor, os americanos são cruéis, principalmente com estrangeiros! — Tom avisou-lhe, tendo o australiano apoiando-o veementemente.
— Não é bem assim… — Robert tentou explicar, mas acabou desistindo antes mesmo de começar.
— Você tem algo em mente para lidar com a mídia? — Mark perguntou interessado.
— Eu não, você acha que eu sei trabalhar com isso? — Pareceu assustada — É como eu disse, as pessoas gostavam de mim na Inglaterra, não tinha que me preocupar muito com essas coisas. — Negou com a cabeça, suspirando — Imagino que Joss já saiba e tenha pensado em algo, em último caso eu jogo tudo pra minha agente resolver!
— Ótimo, mas antes de continuarmos a falar sobre isso, será que podemos nos trocar e ir almoçar? Estou morrendo de fome! — Evans pediu colocando a mão na barriga, dramatizando um pouco mais a cena.

O almoço, embora rápido, foi bem proveitoso e animado para o grupo de atores; teve a oportunidade de conversar mais com todos e o que restava da má primeira impressão foi, definitivamente, deixada de lado. Riram bastante e a inglesa chegou a esquecer por completo o problema com a mídia e os fãs da Marvel, distraindo-se o suficiente com as piadas de Evans e Hemsworth, além das histórias que Robert contava. Acabou descobrindo sobre alguns problemas das gravações durante os meses que não esteve presente, incluindo a perda do script por parte do Samuel L. Jackson, o que a deixou legitimamente surpresa.
— Ninguém vai poder reclamar sobre meus spoilers aleatórios, ele perdeu uma cena inteira! — Defendeu-se com antecedência, após descobrir que todos já conheciam sua fama.
— Falando nisso, você já recebeu todo seu script? — Evans perguntou, sentado ao seu lado, a inglesa negou com a cabeça.
— Ninguém é louco de me deixar com o script inteiro, Chris. — Explicou, rindo baixo — Só sei algumas cenas que serão as primeiras a gravar, Whedon falou que vai me entregar o restante no decorrer das semanas.
— Então você ainda não sabe o que vai acontecer? — Mark comentou surpreso. A garota tinha um papel importante no desenvolver do filme, importante demais para não saber o que aconteceria.
— Eu sei resumidamente, só não tenho os detalhes de como as coisas vão ocorrer — tornou, tomando um gole de seu suco natural, já que refrigerante estava fora da sua dieta. — E como vão as gravações?
— Basicamente terminamos todas as cenas que você não participa, acho que até já editaram. — Robert explicou, terminando de mastigar devagar — Você começa na segunda, não é? Isso vai ser interessante de ver!
mordeu o lábio inferior, antes de responder.
— Espero que meu sotaque americano já tenha melhorado.
— Querida, qualquer coisa vai ser melhor do que aquilo que você apresentou no Graham! — Hemsworth sorriu irônico, fazendo o restante rir.

Whedon aproveitou o final das gravações do dia para, finalmente, conversar com Morris, que acompanhou o resto das filmagens dos bastidores, conversando vez ou outra com algum staff que aparecia por perto.
Assim que Joss a chamou, a inglesa saltou da cadeira em que estava sentada, aproximando-se com um sorriso calmo nos lábios, o qual logo sumiu, dando lugar a uma expressão cansada e um tanto nervosa da mais nova.
— Então você já viu, não foi? — Perguntou sem graça, quando os dois encostaram-se no trailer mais afastado.
— Achei estranho ninguém ter me contado sobre nada disso…
— Conversei com sua agente quando vocês chegaram do Brasil, achamos que seria melhor te isolar um pouco disso, enquanto estava se preparando para as gravações. Ela disse que avisaria sua família, para não entrarem no assunto por algum tempo.
— Entendo… — Cruzou os braços, olhando para os lados por alguns instantes — Não achei que a rejeição seria tão grande, ninguém pareceu incomodado quando achou que eu estava assinando com a DC.
— Para ser sincero, também fiquei surpreso, — concordou com um aceno de cabeça — mas não é nada que não podemos lidar e que não venha a mudar em um futuro próximo. — Piscou tentando encorajá-la — É sempre assim até eles verem o resultado.
— Mas estão dizendo que não vão assistir ao filme. E se realmente boicotarem dessa forma? — Comentou assustada, Joss negou sorrindo de lado.
— Talvez não tenhamos o maior número de bilheteria no primeiro final de semana de estreia, mas tenho certeza que assim que espalharem que você está ótima no filme, os fãs vão querer saber como foi. — Falou tranquilo — Os fãs das HQ adoram criticar nossos erros, mas para isso eles precisam assistir aos filmes, então não se preocupe tanto assim.
— Certo… — Concordou, embora não tivesse a mesma confiança do diretor.
— Morris, — Joss colocou uma mão em seu ombro, de forma que a inglesa o olhou nos olhos instantes depois — eu sei que isso é diferente do que você está acostumada, mas eu prometo que vai melhorar em alguns meses, ok? Dê um pouco de tempo até eles se acostumarem com isso. Já estamos pensando em várias formas de melhorar essa visão que eles têm de você, aos poucos os fãs e a mídia vão perceber que a escolha foi fantástica!
— Obrigada. — Sorriu de lado, antes de mudar de assunto, perguntando sobre as gravações da próxima semana.

Quando chegou ao hotel, a primeira coisa que Morris fez foi mandar uma mensagem no grupo de sua família, embora Joss tivesse a acalmado um pouco, a atriz não tinha tanta certeza se as coisas mudariam tanto quanto ele afirmava.
Escreveu duas vezes a mesma frase, querendo soar o mais dramática possível, principalmente porque achava ser necessário naquele momento, não era algo tão simples quanto poderia parecer, falava sério quando dizia que não estava acostumada com esse tipo de reação da imprensa, na Inglaterra ela dificilmente enfrentava alguma crítica, mesmo quando saia bêbada ou aos beijos com alguém;
You: Eu não aguento mais, eu quero voltar para casa!
Mom: O que aconteceu, ?
You: Todo mundo me odeia aqui!
Harry: Você descobriu? Quem contou?
You: Eu li na internet. Estão falando mal de vocês também, eles são terríveis!
Harry: O QUE FALARAM DE MIM? Eu sou maravilhoso!
Mom: Não é nada demais, , logo passa
You: NÃO. Eles me odeiam. Vão boicotar o filme!
Dad: , você acha mesmo que vão deixar de assistir ao filme por sua causa? Você mesmo disse há poucos dias, ninguém te conhece por aí.
Harry: HAHAHAHAH pai, melhor pessoa pra acabar com sua autoestima!
Dad: Harry!
Mom: Harry!
Mom: Não é nada que não possa mudar em breve, tenho certeza que a Marvel já está acostumada com essas coisas.
Mom: Você também deveria estar, lembra quando seu irmão começou a jogar? Ninguém confiava até os primeiros jogos.
Harry: Verdade, mas como eu disse, eu sou maravilhoso.
Harry: Sem contar que comigo era só a torcida do time, com a é beeeem pior.
Dad: HARRY
Mom: HARRY!!
You: Harryyyyyyy
Harry: MAS VOCÊ VAI SER ÓTIMA, VAI CHAMAR MAIS ATENÇÃO QUE OS OUTROS VINGADORES! VAI VENDER MAIS QUE O CAPITÃO AMÉRICA!
Mom: Pare de acompanhar as notícias se você não consegue lidar bem com elas, por enquanto.
Mom: Concentre-se no seu trabalho e pronto. É pra isso que te contrataram.
You: Mas nem o pessoal do filme gostava de mim!!!
Harry: Como assim? Você não disse que tinha sido tudo ótimo?
You: EU TAMBÉM ACHEI, mas o Hiddles me falou hoje
Mom: Eles só não te conheciam direito, agora você não está conversando com eles?
You: Estou…
Mom: Então ótimo, não precisa de todo esse drama, logo a mídia vai ser igual
Harry: Quer que eu vá passar uns dias com você?
You: QUERO!! Por favor, venha!
Dad: Não vai nada, seu irmão vai trabalhar comigo no escritório já que não encontra outra coisa.
Dad: Você sabia o que significava assinar com a marvel, agora seja profissional
You: Nossa, não tenho certeza se vocês estão me animando…
Harry: Somos sua família, a gente tá aqui pra acabar com sua moral, é pra isso que a gente serve!
You: Você é um nojo, Harry.
Harry: Você também, e eu não estou te julgando por isso!

Por mais que não fosse admitir para o irmão, ou para os pais, de fato eles tinham a animado um pouco, sabia que os pais tinham razão e, mesmo que não se expressasse da melhor forma, seu irmão também estaria ali caso ela precisasse. Sempre tinha estado.
Contrariando o que sua mãe recomendou, e até mesmo o que sua autoestima mandava, mandou uma mensagem para Nina, logo conseguindo suas senhas de volta, mesmo sabendo que era seu irmão quem estava aproveitando sua conta no Twitter, queria ver o que estavam falando sobre ela.
Assim que abriu as mentions, arrependeu-se no mesmo instante. Tinham tantas mensagens a insultando, dizendo que ela não deveria estar na Marvel, que aquilo não era lugar para ela, que Morris teve que respirar fundo algumas vezes para não chorar. Tinham algumas mensagens a incentivando, em grande maioria eram contas dos fãs de Harry Potter, o fandom enorme que sempre apoiava os atores mesmo depois da série encerrada. E, ao lembrar-se disso, novamente jogou seu nome no Google, mas dessa vez para pesquisar as críticas do último filme, coisa que ela ainda não tinha visto.
Chegava a ser absurdo a diferença das críticas com as notícias sobre a Marvel; a grande maioria eram positivas, a elogiavam pela atuação, dizendo que estava tão forte quanto nos livros, que tinha sido uma grande surpresa e, que ela provavelmente seria indicada em várias premiações, incluindo o BAFTA. Se realmente seria, não fazia ideia, mas ao menos ver aquele tanto de notícias a elogiando a alegraram e, conseguiu confirmar o que sabia; A Inglaterra ainda a amava.
Os tabloides britânicos estavam todos surpresos com seu novo contrato, mas também pareciam animados com a inglesa em um filme americano, ainda mais um tão popular quanto os Vingadores, e mal podiam esperar para ver o resultado.
Ao notar que já estava tarde, desligou o notebook e foi se arrumar para jantar com Hiddles, Evans e Hemsworth, ainda não sabia em qual restaurante iriam, mas não se importava, só queria sair daquela rotina chata das últimas semanas e passar algumas horas rindo, ignorando novamente as reclamações sobre sua contratação.

9.

No decorrer dos dias, Morris já estava cada dia mais acostumada com sua nova rotina, embora não estivesse feliz com as restrições alimentares. Aos poucos estava conhecendo Cleveland e até mesmo havia alugado um apartamento, já que permaneceria algumas semanas na cidade até encerrarem as gravações. Nina também estava procurando um apartamento em Nova York e uma casa em Los Angeles, já considerando que passaria um bom tempo entre os dois locais durante os próximos anos.
No momento, o que começava a deixá-la nervosa era o número de pessoas, paparazzis em sua maioria, tirando fotos dela fazendo atividades banais. Era algo que Morris tinha perdido o costume, pois na Inglaterra ninguém mais ligava para quando ela estava andando de metrô ou saindo do mercado, estavam todos acostumados. O máximo que acontecia era alguma foto comprometedora, geralmente dela bêbada, saindo de alguma festa acompanhada de amigos ou algum affair como os tabloides gostavam de chamar.
Também continuava evitando as redes sociais e, sempre que via alguma pessoa se aproximando, sentia-se nervosa, já que teve duas experiências bem ruins com fãs da Marvel, dias após o anúncio de sua contratação;
Em uma das vezes estava correndo no parque junto com Dereck quando um cara se aproximou, parecendo educado e inofensivo, até confirmar que tratava-se mesmo da atriz, depois disso Morris chegou a se assustar com o número de palavras ofensivas que o cara dizia e o quanto ele parecia detestar a ideia de sua contratação. A segunda vez, embora mais calma, foi até pior, no quesito “você não serve para a Marvel.” Após alguns conselhos de Daniel, que volta e meia se encontrava em situações parecidas, de seus pais e até seu irmão, que sempre achava um jeito de amenizar a situação fazendo alguma piada, resolveu ignorar esse tipo de comentário e focar apenas em fazer seu trabalho, determinada em provar o quão errada essas pessoas estavam ao duvidar de seu potencial.

Com o passar do tempo, principalmente após o almoço com o pessoal do elenco e o jantar com Tom, Hemsworth e Evans (o qual parecia muito mais amigável e engraçado), começou a interagir mais com o grupo, sendo convidada sempre que iriam sair, fosse pra comer ou apenas para bater papo e descontrair um pouco depois de um dia de gravações.
Evans foi, de fato, a surpresa no elenco, pois em pouco tempo ele começou a aproximar-se bastante da inglesa, deixando de lado toda aquela implicância inicial e demonstrando um lado muito divertido. Chris só vinha perdendo no quesito “conversas aleatórias” para ninguém menos que Sebastian Stan. Depois da Premiere de Harry Potter, no qual o romeno saiu com Bonnie, o ator pegou o contato da inglesa com Felton e começou a bombardeá-la de mensagens, principalmente depois que soube que ela já estava nos EUA, embora não tivessem conseguido se encontrar devido aos novos horários dela. Os dois já tinham algumas piadas internas e passavam horas conversando, já tendo virado algumas noites de papo via Skype, nada que fosse realmente importante, mas Stan era engraçado quando estava bêbado, e era sempre nesses dias que eles conversavam por câmera.
Robert Downey Jr era outro que parecia extremamente feliz com a aproximação da inglesa, já tendo tirado uma selfie dos dois juntos, fazendo suas melhores expressões de I’m a Stark e postado em seu Instagram com a legenda “Se um Stark já é bom, imaginem dois!”.

Quando finalmente chegou o dia de sua estreia, Morris chegou no estúdio o mais cedo que pode e seguiu direto para o camarim com seu nome, permanecendo lá o máximo possível e respondendo no automático toda equipe de cabelo e maquiagem.
Mentalmente, ela repassava as falas sem parar, vez ou outra até mexendo os lábios mesmo que nenhum som saísse. Quando alguém avisou do que estava fazendo, a inglesa começou a rir. Agora teria que prestar atenção para não fazer aquilo durante as gravações, ou seria piada para o elenco de Harry Potter pelo resto da vida, já que aquele hábito de acompanhar a fala de absolutamente todo mundo era característico de Emma Watson. Até achou irônico pagar com a língua, pois havia passado bons anos rindo da loira por aquilo.
Assim que chegou a vez da inglesa gravar a primeira cena junto com o pessoal, todos que podiam pararam para acompanhar, o que resumia praticamente quase toda a equipe no estúdio naquele dia; Ninguém queria perder aquele momento, queriam presenciar para saber se as expectativas colocadas nela para o papel seriam preenchidas, e assim descobrir o que Joss Whedon e Kevin Feige viram na atriz que os fez tão ansiosos para tê-la no elenco.
Foram duas cenas seguidas dando bastante ênfase nos poderes da jovem Stark;
Na primeira, ela estava contracenando com Bruce Banner e Tony Stark, no laboratório, já demonstrando algumas das leves alfinetadas tão comuns para a personagem, e o relacionamento complicado que mantinha com Tony.
E, enquanto os dois homens mexiam no material, a jovem jogou-se sobre uma mesa próxima, vazia. No instante seguinte fez sua melhor cara de “estou com problemas”, um tanto comum em sua última personagem e, segundos depois, recuperou-se momentaneamente, logo disfarçando com um sorriso amarelo para os homens e despedindo-se dos dois antes de passar pela porta de saída. Precisaram regravar poucas falas, visto que ainda estava com certa dificuldade para esconder seu sotaque, mesmo com os dias que passava praticando com um fonoaudiólogo.
Joss gritou um corta, e logo começaram a movimentar-se para o segundo cenário;
A Stark teria seu primeiro contato direto com o Capitão América.
Chris parecia tão ansioso quanto os demais para aquele momento, querendo saber como seria trabalhar com ela. Além disso, ainda havia a expectativa sobre como o futuro de seus personagens se ligariam, já que o entrosamento entre ambos com certeza seria levado em consideração para planejamentos futuros.
A cena era simples, os dois andavam juntos pelo corredor conversando sobre coisas básicas, nada tão relevante, mas que seria o primeiro contato real dos personagens, e a primeira impressão que Steve teria de Avril;
Os dois posicionaram-se e, assim que Joss gritou ação, Morris respirou fundo, tornando a se esforçar para esconder o sotaque e relembrar não só as falas, mas o que tinha ensaiado sozinha para o momento;
— Senhorita Stark? — Morris deu passos mais lentos, virando-se com o cenho franzido para a direção da voz, Chris logo apareceu ao seu lado, sorrindo de leve. — Você está se sentindo bem? — Perguntou preocupado, olhando-a de canto.
— Estou bem, Cap. — Sussurrou com a voz rouca, passando as mãos pelos cabelos nervosa. — Apenas uma dor de cabeça. Logo passa.
— Tem algo que eu possa fazer? — Questionou Evans, parando ao seu lado com os olhos ansiosos.
A mulher demorou alguns segundos para responder, dando de ombros em seguida.
— Só se neste cinto de utilidades você tiver guardado uma aspirina. — Brincou, apontando com a cabeça para o uniforme do loiro, fazendo-o rir.
— Quem o projetou não imaginou que eu pudesse encarar uma dor de cabeça. Desculpe. — Disse no mesmo tom.
— Sem problemas, Cap., vou indo para o meu quarto. — Informou, acenando para Steve enquanto se afastava.
— Tem algum problema se eu for com você? — Perguntou ansioso, dando alguns passos em sua direção, logo corrigindo sua frase, constrangido — Digo, não ir para o seu quarto! Isso seria desrespeitoso, eu não quis dizer isso...
Chris passava as mãos pelo rosto e cabelo, demorando alguns segundos para completar seu raciocínio, vendo a garota a sua frente encará-lo com a sobrancelha arqueada, claramente segurando uma risada.
— Posso te acompanhar até seu quarto? — Tornou a questionar — Diferente de seu pai, sou útil apenas na ação.
riu, olhando para baixo, antes de voltar a encará-lo, inclinando a cabeça para o lado.
— Aqui não tem muita diversão, não é? — Sorriu leve, o sotaque presente nas palavras.
A mulher respirou fundo, virando-se para a câmera assim que notou o erro, escutando Joss gritar para recomeçarem. Passados menos de dois minutos, Morris e Evans tornaram a se concentrar quando o diretor gritou.
— Aqui não tem muita diversão, não é? — Sorriu para o loiro — E não tem problema você me acompanhar.
Com um sorriso tímido, Chris a seguiu pelo corredor.
— Então, onde você estava antes de te trazerem para cá? — perguntou após alguns segundos de silêncio entre os dois, colocando as mãos nos bolsos da calça que usava.
— No meu apartamento, no Brooklin — respondeu Chris, dando de ombros — A S.H.I.E.L.D. que o providenciou. Estou lá desde quando fui... Encontrado.
— Não deve estar sendo fácil...
— No começo foi pior — relembrou o loiro — Pensei que forças inimigas tinham me capturado e fugi do prédio da S.H.I.E.L.D. em Nova York... Acho que ainda estou na fase de aceitação.
— Você não tem nenhum parente vivo? — A inglesa o olhou de perfil, vendo-o negar.
— Não, meus pais morreram antes mesmo do projeto Super Soldado... Eu tinha um amigo, Bucky, mas ele morreu em batalha.
A mulher concordou com um aceno, parecendo pensativa enquanto andavam pelo corredor, negou com um aceno rápido, tornando a olhá-lo com um sorriso triste.
— Sinto muito — sussurrou sem jeito, desconfortável – bom, esse é meu quarto.
Evans sorriu, se despedindo da garota e seguindo pelo corredor. Quando fechou a porta, se encostou na mesma, fechando os olhos e respirando fundo, deslizando as costas por ela, até se sentar no chão.
— Corta! — Tornou a gritar Joss, satisfeito com os primeiros resultados.
Virou-se sorridente para Kevin, que fez questão de estar no estúdio naquele dia, vendo-o sorrir tanto quanto ele próprio. Não tinha dúvidas que aquilo daria certo, e expôs sua opinião em voz alta, assim que os dois atores se aproximaram.
— Como eu disse, perfeita!
olhou-o surpresa por alguns instantes, fazendo uma cara engraçada enquanto agradecia. Não achava que as cenas que filmaram tinham sido grande coisa, mas se o pessoal estava gostando, quem era ela para dizer alguma coisa?
Tiveram um pequeno intervalo enquanto arrumavam as coisas para as próximas cenas, o que Morris aproveitou para relembrar as falas; uma das cenas era com Steve, na qual ele escuta uma conversa dela com Coulson, e a outra teria uma conversa entre os Stark, sobre as interferências de Loki.
Chris parou ao seu lado, segurando uma garrafinha de água, usando seu uniforme de Capitão América.
— Joss só falta pular de felicidade — chamou sua atenção, vendo-a virar-se em sua direção -, ele ficou realmente animado com a sua contratação! — Riu para ela, a garota respirou fundo ainda parecendo um tanto sem graça.
— Não me leve a mal, mas… Ainda não entendi o porquê de tudo isso — deu de ombros, seu sotaque presente — Não foram cenas muito importantes, não é? Não teve nada demais… Foram só alguns diálogos…
— Você não quer, no seu primeiro dia no set, já sair atirando em alguém, quer? — Perguntou rindo. — Mas eu entendo o que você quer dizer… Lembro que no meu primeiro dia como Capitão América, Joe Johnston não parava de me elogiar e eu nem sabia o motivo…
sentou-se na cadeira com seu nome, encarando-o por alguns instantes.
— Hm de qualquer forma, não sei por quê Whedon fez tanta questão em me chamar, eu tenho que refazer quase todas as cenas por causa do meu sotaque! — Rolou os olhos, Chris riu divertido.
— Com o tempo você acostuma… — Deu de ombros. — Na verdade é uma pena, porque seu sotaque é bem legal!
Morris riu, pronta para fazer uma piada idiota, quando Joss tornou a chamá-los para a próxima cena.
— Infelizmente, os cinco anos da Stark na Inglaterra não foram suficientes para justificar esse sotaque forte! — Fez careta, lamentando-se enquanto escutava Evans rir ao seu lado, passando um braço por seus ombros.
— Realmente uma pena, porque soa muito bem!
parou de andar, olhando da mão sobre seu ombro para o loiro, com a sobrancelha arqueada e um sorriso de canto nos lábios;
— Não vai me dizer que está tentando flertar comigo no meu primeiro dia no set?
Chris gargalhou, afastando-se segundos depois, falando por sobre o ombro;
— Steve Rogers jamais faria uma coisa dessas, Chris Evans eu já não tenho tanta certeza! — Piscou, voltando para seu lugar para a gravação da próxima cena.
Morris ficou parada por mais alguns instantes, a boca ligeiramente aberta com o que tinha escutado, negando com um aceno quando ouviu seu nome ser chamado.

Chris continuou com a mesma expressão confusa, enquanto segurava um comprimido e um copo d’água, abrindo a boca várias vezes seguidas sem emitir som algum.
— Desculpe, senhorita, mas... — Murmurou o loiro — Você... Você é uma agente?
O desespero tomou posse da garota, que andou apressada até ele, puxando Evans para dentro do quarto e trancando a porta.
— Capitão Rogers — suspirou — ocorreu um mal-entendido. Não trabalho para a S.H.I.E.L.D.
— Então por que você está tão nervosa e... — O homem ficou constrangido, o rosto corado— E por que me trancou no seu quarto?
fechou os olhos, respirando fundo, aproveitando para concentrar-se tanto nas falas quanto no sotaque que deveria esconder.
— Você poderia, por favor, não comentar esse mal-entendido com meu pai? — Pediu, sorrindo docemente.
— Por que seu pai não pode saber que você trabalha aqui? — Insistiu.
A inglesa, claramente começava a perder a paciência, sem muita delicadeza, ela empurrou o homem para fazê-lo sentar-se em sua cama, coisa que deixou Evans parecendo ainda mais nervoso, enquanto ela puxava a cadeira de sua escrivaninha para se sentar, Chris deixou o copo e o remédio de lado, encarando-a sem jeito.
— Steve... — Começou ela, falando baixo — Tenho sua palavra de que não vai contar ao meu pai? — O loiro concordou com a cabeça. — Eu, tecnicamente, não sou uma agente — explicou, passando a mão pelos cabelos — Sou apenas da equipe de pesquisa de Selvig. Me chamam de agente porque convivo com agentes. Só por isso. — Encerrou encarando-o apreensiva.
— Se você faz parte da equipe do homem que Loki sequestrou, por que você estava na Inglaterra quando o cubo foi roubado? — Questionou o homem, fazendo-a arregalar os olhos.
— E você é um espião, Capitão? — Rosnou a inglesa, arqueando a sobrancelha. — Como sabia que estive na Inglaterra? E sua informação está errada, eu estava em Nova York.
— Quando eu acordei — disse o loiro, um pouco constrangido, olhando para baixo — Foram-me entregues relatórios sobre as pessoas que eu convivi antes do acidente. Uma delas foi Howard Stark, seu avô. Por isso lá tinha informações sobre seu pai e você.
— A S.H.I.E.L.D. disponibilizou informações minhas para você de graça? — Questionou surpresa, vendo-o concordar. — Não cobraram nem a impressão? Minha autoestima acabou de diminuir…
Chris se levantou, aproximando-se de , que continuava na defensiva.
— Então você é apenas uma cientista? — Perguntou, olhando-a nos olhos.
— Uma incrível cientista. — corrigiu piscando.
Os dois se encararam por mais alguns segundos, continuava sorrindo confiante, Chris a olhava desconfiado.
— A incrível cientista permite que eu deixe o quarto? — Pediu, abaixando o rosto, aproximando-se mais do rosto delicado da outra.
— Se você insiste, Capitão. — sorriu tranquila, Chris adiantou-se apressado para a porta.
Antes que ele pudesse a abrir, no entanto, Joss voltava a gritar corta, já que as filmagens voltariam a ser no corredor, e mais um personagem entraria em cena.

Sorrindo travesso depois que as câmeras foram movidas para o outro lado da parede falsa, Chris se aproximou da mulher, mantendo sua voz baixa para que aquilo ficasse apenas entre eles.
— Tá afim de zoar com a cara do Downey? — Sugeriu ele em um sussurro, rindo da expressão confusa da companheira de cena — Preciso de uma resposta rápida, Morris, ou não vai rolar.
— O que você está planejando?
— Vou aceitar isso como um sim, então me ajuda a abrir a parte de cima do meu uniforme.
— O que? — Exclamou rindo, embora tivesse ido em auxílio do ator, descendo o zíper invisível do traje até o meio de seu peito, deixando a gola aberta.
— Eu posso saber o que vocês estão fazendo? — Indagou Joss, entrando no quarto pela parede que faltava. Quando ele apareceu, alguns segundos depois do grito divertido de Morris, Evans já estava com os cabelos fora de ordem, o rosto corado assim como o da mulher, por tentar segurar o riso — Mas o que…?
A dupla levou o dedo em frente de seus respectivos lábios, pedindo em silêncio para que o diretor colaborasse. Demorou um pouco mais do que Joss se orgulhava para entender o que eles planejavam fazer, e gostou da ideia mais do que admitiria mais tarde. Completamente valeria a pena atrasar um pouquinho a gravação do final da cena para isso.


Robert começou a caminhar pelo corredor assim que recebeu o sinal do diretor, já estranhando quando não encontrou o Capitão na marca dele, no ponto onde deveriam quase se esbarrarem. Antes que pudesse perguntar o que acontecia, a porta do quarto foi aberta e um Chris de rosto corado e cabelos fora de ordem tentava fechar a parte de cima de seu uniforme, enquanto passava para o corredor, sequer dando atenção à porta já que se encostou no batente, os braços cruzados em frente ao peito e um sorriso satisfeito no rosto também corado.
— Stark. — Cumprimentou-o Evans, com o melhor tom de Capitão que tinha, ao passar ao seu lado.
Agora com o rosto completamente tomado pela confusão, Robert se virou para a sua filha na cena, que lhe mostrava um sorriso largo e forçado. Quando ele abriu a boca para a questionar, a mulher caiu na risada, sendo acompanhada por toda a equipe no set.
— Mas o q…? Isso não tava no script, o que…? Gente, eu tô confuso! — Resmungava Robert, apenas fazendo com que todos, principalmente , que se agachou no chão contra a porta, rissem mais.
— Certo, pessoal. Alguém conserta o cabelo do Evans e vamos continuar! — Ordenou Joss e, aos poucos, todos foram se acalmando.

esperou o sinal do diretor com as costas relaxadas contra a parede do cenário, apenas voltando à sua posição quando ouviu a voz de Joss gritando ação. Segurou com mais vontade a arma em suas mãos, a aproximando ao corpo enquanto se preparava para entrar no corredor onde teria que atirar em três inimigos, três disparos certeiros.
O problema foi o gatilho travado da pistola.
— Ué. — Estranhou a mulher, mexendo em todos os lugares possíveis do objeto que pudessem fazer com que ele voltasse a funcionar, com o riso divertido da equipe de cena de fundo sonoro, principalmente quando ela voltou a apertar o gatilho várias vezes e nada acontecia — Gente, não tá funcionando... — Avisou, rindo constrangida.
— Como você já pode ter quebrado a arma? — Debochou Joss, enquanto um dos responsáveis entrou na cena em seu socorro.
— Eu não quebrei...! — Choramingou, emburrada depois que o técnico pegou a arma de suas mãos, repetindo os mesmo movimentos que ela havia feito para tentar destravar o objeto — Eu mal encostei no negócio!
Não demorou para que o estalo do disparo ecoasse pelo set, fazendo com que todos se sobressaltassem. Rindo, o técnico devolveu a arma.
— Talvez devêssemos devolver a varinha dela.
Risadas mais uma vez dominaram no set, enquanto a inglesa riu baixo, negando com a cabeça.
— Amanhã eu vou trazer uma daquelas placas de construções, sabe? — Resmungou, voltando a se posicionar para retornar às gravações — "Estamos há 0 dias sem fazer essa piada. Nosso recorde é de 0 dias".

🎬🎬🎬



estava quase voltando a dormir quando seu celular voltou a apitar, sequer se dando o trabalho de atender a ligação ou checar quem tentava contato. Se fosse qualquer outra pessoa além de Chris Evans, que ligasse em horário de gente. E Evans só tinha esse direito de ligar tão cedo, porque vinha sendo seu motorista particular nas últimas semanas, já que Morris estava sem carro, pois não era acostumada a dirigir fora da Inglaterra e ele insistiu que não seria incômodo levá-la para o estúdio, já que estava em um apartamento a menos de dez minutos de onde a inglesa estava. E também era um bom jeito do próprio Chris se obrigar a levantar, já que a mulher detestava atrasos.
Assim que bateu a porta depois de sair, a inglesa voltou a tirar o aparelho do bolso do moletom para checar os registros enquanto entrava no elevador; Vai que era Joss avisando de uma mudança na agenda de gravações e que ela precisava comparecer imediatamente no set? Ou Nina, ou até mesmo seus pais. Além de que, se chegasse na rua e não tivesse o seu sonolento parceiro de treino do dia praticamente dormindo em cima do volante, ela ficaria muito mal-humorada.
Para sua felicidade, realmente foi Chris quem ligou, mandando em seguida uma mensagem nada feliz por ter tido sua ligação ignorada. Talvez tivesse sido uma péssima ideia dar liberdade para o americano, o qual pegava intimidade muito mais rápido do que ela esperava. não estranharia nada se em breve ele simplesmente chegasse em seu apartamento e se jogasse em seu sofá, ou que chamasse seus pais de tio e tia se eles aparecessem para uma visita. Se Morris se concentrasse um pouco, até já conseguia ouvir sua mãe rindo até a próxima semana do jeito do ator.
— Você desligou na minha cara! — Foi a primeira coisa que o ator resmungou, assim que a porta do carro foi batida e ele sentiu uma presença ao seu lado — Eu vim de boa vontade dar carona para a pessoa que não sabe dirigir e ela ainda desligou na minha cara!
— Alto lá! — o interrompeu, jogando sua mochila no banco de trás — Primeiro que eu sei sim dirigir, e muito bem, obrigada. Só nunca tentei em um lugar que não seja mão inglesa, e duvido que manchetes tipo “nova contratada da Marvel, Morris, mata três ao tentar dirigir depois de Chris Evans a atormentar”, vá ajudar a melhorar as coisas com a mídia. — Chris chegou a abrir a boca para retrucar, mas além da mulher não ter terminado, ele só conseguiu gargalhar. — E para desligar na sua cara, eu teria que ter atendido. — Concluiu, satisfeita — Se vai me acusar de alguma coisa, que seja por algo que eu fiz.
— Você e seus tecnicamente, não é, Dona Stark? — Debochou o ator, rindo mais um pouco antes de voltar a dar partida no carro.
— Pode apostar, Capitão... Ainda vai gravar hoje?
— Não… — Respondeu ele, suspirando alto em seguida. Na teoria, ele estava livre por alguns dias das gravações, só que isso não incluia a academia, infelizmente — Scar e Mark estão refazendo algumas deles, o restante está de folga até o começo da semana.
— Que inveja.
— Já terminou de estudar a cena?
— Até que sim, mas ainda não estou tão confiante… — Confessou , revirando os olhos quando o americano a olhou feio — Não me olha assim, a cena é pesada. Se eu ferrar com essa cena, vou ser perseguida por fãs pelo resto da vida.
— Você está se cobrando demais…É uma cena como todas as outras.
— Então está dizendo que eu deveria ficar paranoica com todas?
— Meu Deus, que mulher difícil! — Ergueu as mãos, logo rindo ao voltar a segurar o volante com mais vontade — Desacelera, por favor.
— Às vezes é difícil desligar a ansiedade.
— Eu sei… Falo isso, mas fico igual, principalmente nas cenas mais emotivas, prefiro mil vezes as cenas de ação!
— Me acalmou muito, ainda mais quando tenho uma das cenas mais difíceis emocionalmente, para gravar hoje, obrigada.
— Estou aqui para isso, meu amor.
— Você é tão irônico quando tenta me ajudar, que às vezes parece que estou falando com meu irmão!
Chris gargalhou, parando no sinal vermelho e encarando-a de canto;
— Tenho certeza que ele é uma pessoa de bom gosto!

Assim que as gravações da semana terminaram, foi a primeira a deixar o set, já rumando para seu camarim para voltar logo para casa, querendo descansar o máximo possível naquele final de semana no qual estava dispensada dos treinos.
No meio do caminho encontrou Renner esparramado em um dos sofás dos corredores, parecendo tão miserável quanto ela;
Na última semana, Morris tinha presenciado pelo menos duas vezes o ator fingir uma parada cardíaca para mostrar que poderiam matar seu personagem sem nenhum problema, já que ele sabia ser convincente. Seu caso era quase que oposto ao da mulher: Jeremy achava seu papel naquele filme muito fraco, sem relevância e motivação, então realmente não via um bom motivo para manterem seu personagem vivo para os próximos.
tinha se apaixonado pelo papel, só faltava o resto do mundo acreditar que ela estava à altura dele.
— Esse é o sofá das pessoas infelizes deste estúdio? – Perguntou ao ator depois de um longo suspiro, ele ergueu os olhos da tela do celular com uma sobrancelha erguida até identificar quem era.
— Estava guardando lugar para você, pirralha – respondeu brincalhão, tirando as pernas de cima do estofado e sentando de forma a liberar espaço para ela. Quando a atriz se jogou de qualquer jeito ao seu lado, ele riu em compaixão – Não está melhorando em nada, não é?
— Bem, eu só vi duas vezes o pessoal dizendo que esse papel não é para mim... Porque foram só duas vezes que eu tentei ver o que acontecia no mundo lá fora – contou ela, seus ombros caindo ainda mais de desânimo – E você? Não te vi improvisando nenhuma morte hoje.
— Você estava almoçando… — Explicou, o rosto tomado pelo pesar, a mulher ao seu lado rindo em compaixão.
— A que ponto chegamos...
Robert passou naquele corredor minutos mais tarde, e a dupla ainda estava lá conversando: Jeremy sentado em um dos braços do sofá, e com as costas apoiadas contra o outro. Pela forma que gesticulava, o ator estava explicando algo para a mulher, que prestava atenção e vez ou outra fazia algum comentário. Downey não se controlou e quando viu já tinha tirado discretamente uma foto dos dois para Joss com a legenda “pergunta rápida: Morris e Renner ou Stark e Barton?”
Não demorou muito para que sua resposta chegasse.
“Será que dá pra você mandar isso pra todo mundo até mudarem de opinião sobre ela e eu ter uma folga?”


🎬🎬🎬


Sebastian espreguiçou-se enquanto bocejava, enrolando alguns minutos para finalmente sair da cama e ir para o chuveiro, sentindo os músculos relaxando conforme a água quente caia sobre seu corpo. Tinha passado algumas boas horas assistindo um filme, já que estava sem sono na noite anterior, e vez ou outra trocando mensagens com os amigos, entre eles Morris. Embora a inglesa tivesse ido dormir mais cedo que o habitual, dizendo ter que acordar para gravar.
Stan estava quase com inveja, já que a mulher estava reunida com todo o pessoal do elenco e gravando todos os dias. O ator não aguentava mais esperar para voltar ao trabalho, por sorte, não precisaria esperar muito tempo já que em menos de um mês estariam iniciando as gravações de O Labirinto. Estava até com as malas prontas, e de vez em quando, acrescentava mais alguma peça de roupa.
Passaria pouco mais de dois meses na Europa, entre Alemanha e França para as gravações da série, e depois voltaria para os Estados Unidos.
Não via a hora de iniciar o novo trabalho, já estava entediado de ficar em casa ou ir para a academia malhar, sem ter nada melhor para ocupar a cabeça. Passava boa parte do dia escolhendo algum filme para assistir na Netflix, ou atualizando alguma série atrasada.
Recentemente tinha assistido alguns dos primeiros filmes de Harry Potter, apenas porque queria zoar com a inglesa, tirando algumas fotos das imagens na tv e mandando no whatsapp, principalmente do quarto filme, quando ela estava contracenando com Robert Pattinson. Nem ele mesmo sabia porque estava tão interessado em puxar assunto com a mulher, quando sabia que ela estava ocupada, mas era sempre bom conversar com Morris. Era divertido.
Queria estar em Cleveland, junto com os amigos, mas estava sozinho em Nova York, apenas recebendo updates dos acontecimentos nos sets da Marvel.
Assim que saiu do banho, checou suas mensagens e emails, respondendo-os antes de sair de casa, procurando algo para comer.
A tarde andou no parque, correu, foi ao mercado comprar alguns alimentos que estavam em falta em sua geladeira e, quando jogou-se no sofá, em dúvida sobre o que poderia fazer, tornou a pegar o celular. Vendo quem estava online para conversar, talvez até mesmo sair.
Tentou conversar com Felton, mas o loiro ainda não tinha voltado da Inglaterra, então não adiantaria muito.
Estava quase desistindo e levantando-se para fazer seu jantar, quando seu celular apitou com uma nova mensagem. Sorriu ao ver Morris no visor, junto com um áudio de dois minutos. Clicou para escutar enquanto andava até a cozinha, rindo da voz afobada da inglesa;
“E todos começaram a rir e fazer a piadinha de me entregar minha varinha de novo, ainda não decidi o que foi mais humilhante!”
Stan parou de abrir os armários quando a voz da inglesa silenciou, mandando uma rápida mensagem;
“Tá ocupada?”
“Acabei de chegar, por que?”

Não demorou dez segundos para o romeno clicar no contato dela, pouco depois ouvindo sua voz:
— Você ligou para Morris, me dê um bom motivo para atender essa ligação!

10.

Conforme as semanas passaram, as gravações seguiram em ritmo acelerado e dentro do prazo, parte das cenas que eram apenas diálogos já estavam prontas, assim como as que envolviam poucas lutas. O pessoal agora focava nas cenas mais importantes e nas grandes batalhas, embora Morris não estivesse envolvida em todas as relacionadas com o filme, já estavam começando algumas tomadas que seriam utilizadas futuramente na série da Netflix. Tinham até a segunda semana de dezembro para finalizarem boa parte das gravações, antes de fazerem uma pausa de três semanas para as festas de fim de ano, mas ainda não estava pensando no feriado. No momento estava pensando em seu aniversário de 24 anos; ao mesmo tempo que estava feliz com a data, também sentia-se chateada por saber que não passaria em Londres com a família e seus amigos de sempre, e também não teria uma festa em alguma boate londrina, não poderia beber até cair e nem comer muita besteira como gostava, pois ainda precisava seguir a dieta até o final das gravações, que, segundo Joss, estavam previstas para encerrar no começo de fevereiro.
— Sebastian! — chamou empolgada, ao atender a vídeo chamada do Skype. — Já comprou suas passagens, gato?
— Ainda não... — O romeno riu, coçando a barba rala que crescia em seu queixo — Não consegui confirmar alguns compromissos com meu agente e…
— O que seria mais importante que o meu aniversário? — Morris cortou, cruzando os braços e arqueando a sobrancelha. — Por favor, Seb, meu primeiro aniversário longe da minha família e dos meus amigos, esteja aqui comigo!
— Nossa, obrigado pela parte “longe dos amigos”. — Debochou — Bom saber que sou considerado como sua última opção! Muito bom mesmo, meu ego agradece.
riu, desculpando-se em seguida;
— Me perdoa, mas apenas queria deixar registrado que ainda tenho o Evans como última opção, só não conta pra ele que o Chris fica chateado!
— Tarde demais! — O ator sorriu de lado, sacana.
— Sua palavra contra a minha, claramente já ganhei!
— Você quem pensa, Evans é o maior fã de Stucky da Marvel, quer que a amizade funcione na vida real também!
Os dois riram, sabendo o quão verdadeiro era aquela pequena brincadeira.
— Pode ser, mas sabe do que ele é ainda mais fã? Stogers! Tá doidinho pra que aconteça!
— Tenho certeza que vai rolar nos filmes — o ator concordou, rolando os olhos, então pensou sobre a frase anterior, franzindo o cenho ao ouvir a risadinha da inglesa — Você quer dizer na vida real? Você e ele? Sério?
gargalhou;
— Talvez seja o sonho dele, ainda não descobri se ele fala brincando ou não… Ele te disse alguma coisa? — Emendou curiosa, olhando para a tela, antes de voltar sua atenção para a televisão, na qual procurava alguma coisa para assistir.
Sebastian travou a mandíbula, não parecendo tão animado.
— Não que eu tenha entendido dessa forma… — Respondeu incomodado. percebeu o tom de voz, tornando a rir sem graça;
— De qualquer forma, esteja aqui na quinta, por favor!
Stan fechou os olhos por um instante, fazendo um barulho com a boca
— Vou tentar, meu amor, vou tentar! Aliás… — Começou, movimentando-se pela casa com o celular em mãos — Quais os planos?
— Um jantar com o pessoal…
— Alguém está empolgada, ein? Wow. — Ironizou ao perceber que a animação pela data tinha passado.
— É o primeiro ano que vou passar sem fazer uma festa maravilhosa, sabe o que é isso? E eu estou ficando velha!
— Você fica bem quieta no quesito idade, por favor. — Pediu antes de tomar um gole de suco, direto da garrafa, como pode ver.
— Perdão, vô! Vou sem querer!



A animação de Morris com seu aniversário foi deixada de lado devido ao muay thai; tinha começado a treinar junto com parte do elenco e dublês, aprendendo alguns golpes novos e revezando as duplas entre Scarlett, Hemsworth e Evans.
E foi em um desses treinos, que dois dias antes de seu aniversário, a Marvel disponibilizou em seu Twitter um vídeo de três minutos da inglesa treinando com o Capitão América;
A Agente ÁS está quase pronta para a S.H.I.E.L.D, e vocês poderão acompanhar dia 4 de maio nos cinemas!
“— Morris, vinte e cinco chutes no colchonete e depois a sequência de socos que Evans mandar!
— o treinador gritava, e então Chris segurava o colchonete que a inglesa deveria acertar, revezando os lados e a altura, deixando boa parte dos chutes na altura de sua cabeça, apenas para vê-la mais irritada que o normal pelo cansaço. Assim que terminaram a sequência de chutes, Evans jogou o colchonete de lado e pegou um par de manoplas, colocando-os nas mãos antes de começar a gritar uma sequência de golpes;
Jab, Jab, direto, cruza, esquiva, jab, joelho esquerdo, direto, upper! Boa! Pendula pra esquerda, sobe com upper, frontal de direita! Boa, Morris! Vem no clinch com joelhadas! — terminou curvando-se levemente, para a mulher conseguir passar os braços por seu pescoço, já que Chris era vários centímetros mais alto, cruzando os braços para ela acertar as manoplas com as joelhadas. — Excelente, agente!”
No final do vídeo soltava-se do colega, passando o braço pela testa, retirando o excesso de suor que escorria de seu rosto, enquanto xingava Chris por tentar dificultar as coisas.
Morris achou um pouco forçada a legenda, assim como todas as outras fotos que divulgavam, tentando convencer os fãs de que aquilo daria certo. Aos poucos, alguns começavam a aceitá-la, dispostos a dar essa chance para a inglesa, mas a grande maioria ainda parecia extremamente contra a contratação.



A campainha tocou e, assim que abriu a porta, um grande buquê de flores coloridas entrou em seu campo de visão.
— O que…?
— Feliz Aniversário, Morris! — Chris disse sorridente, abaixando o buquê.
— Evans! — Riu abraçando-o animada, agradecendo pelas flores e chocolate que ele estava lhe dando.
— Difícil dar presente pra gente rica, não é verdade? — Reclamou entrando no apartamento, enquanto a inglesa caminhava para a cozinha, em busca de alguma coisa para colocar as flores. Não tinha vasos em sua casa. — Já estava considerando chegar só te beijando, afinal não pode existir presente melhor do que um beijo meu! — Completou brincalhão, escutando-a rir.
— Olha, eu preciso de um vaso, anota essa dica! — Respondeu voltando com uma jarra de suco.
— Querida, isso não vai caber aí. — Apontou com o dedo, esparramado no sofá.
A inglesa colocou as mãos na cintura, olhando para o amigo.
— Que presentinho, ein?
— Você está reclamando, sua ingrata? — Cruzou os braços, fechando a cara.
— São lindas, Chris, mas eu não tenho lugar para colocá-las, me ajuda! — Pediu, estendendo a mão para que ele a acompanhasse na busca.
— Não é mais fácil comprar um vaso? Temos meia hora para chegar no estúdio, estamos ok.
— Então vai procurar que eu ainda não terminei de me arrumar, e aproveita e traga comida, porque ainda não tomei meu café-da-manhã.
O loiro rolou os olhos, andando lentamente até a saída.
— Eu sabia que deveria ter investido no beijo, viu?
Morris o encarou com as mãos na cintura, fazendo a melhor cara de deboche que pode:
— Infelizmente perdeu sua oportunidade, quem sabe no Natal?
Evans a encarou, sorrindo de canto.
— Quem está perdendo é você, meu bem. — Piscou galante, antes de sair porta a fora, deixando-a rindo.

lia algumas das mensagens que tinha recebido nas últimas horas, a parabenizando por seu aniversário, quando Joss apareceu junto com um entregador, o qual segurava uma grande caixa.
— Entrega para a aniversariante! — Avisou sorridente, vendo a inglesa o olhar confusa por alguns instantes, antes de levantar-se de sua cadeira e andar até o entregador.
— Quem mandou? — Perguntou olhando para o presente, o entregador, o qual ela não via pois a caixa estava na frente de seu rosto, segurou o pacote com a mão direita, sorrindo para a mulher.
— Seus pais! — Piscou.
Morris abriu a boca aos poucos, não acreditando no que seus olhos viam.
— Oh meu deus! — Gritou animada, dando pequenos pulinhos antes de jogar-se nos braços do rapaz.
— Hm… Só eu estou confuso? — Robert estranhou a poucos metros, olhando a cena com a sobrancelha arqueada.
— Eu aposto que ele é o namorado! — Hemsworth falou, sorrindo confiante.
— Como assim namorado? E todo o flerte que a gente tem dado durante esses meses? — Evans virou-se assustado para o colega.
— Eu acho que não é esse o caso… — Scarlett comentou, ainda rindo de Chris — Não se beijaram nem nada…
— Não acredito que você está aqui! — dizia ainda abraçada ao homem — Isso é tão maravilhoso! Estava morrendo de saudades!
— Acho bom que esteja, não fiquei mais de dez horas dentro de um avião para nada! — O rapaz afastou-se da outra, colocando a mão no bolso da calça que usava.
— Não seja exagerado! — Deu língua, sorrindo em seguida e o abraçando novamente.
— Opa, feliz aniversário! — Riu ao lembrar-se que não disse o principal. — Não tenho muito o que desejar, mas espero que continue feliz, e, de preferência, seja uma pessoa melhor do que você é, menos insuportável!
— Eu vou fingir que não ouvi essa última parte! — Respondeu quando tornaram a se separar.
— Ok… Oi? — Chris parou ao lado dos dois, estendendo a mão para o visitante.
— Olá, prazer. — Respondeu educado, apertando-lhe a mão.
— Então… Vocês saíam juntos ou algo do tipo? — Perguntou curioso, apontando do moreno para a colega.
— Saindo? Como se fossemos um casal? Pela Rainha, que nojo! — O rapaz negou de imediato, fazendo careta.
— Tá, então se você não é o namorado… Quem é? — Chris tornou confuso.
— Eu fiz toda uma viagem para estar com você no seu aniversário e descubro que você nunca falou de mim para seus amigos? Agora estou ofendido. — O homem reclamou com que rolou os olhos, negando com a cabeça.
— Óbvio que eu falei, você só não se apresentou, idiota… — Virou-se para os colegas que estavam próximos — Senhoras e senhores, esse bonitão aqui é Harry!
— Harry? Seu irmão Harry? — Scar perguntou surpresa, adiantando-se para cumprimentá-lo.
— Irmão? — Chris tornou, sentindo o rosto esquentar levemente — Oh meu deus, me desculpe!
— Sem problemas! — Os Morris disseram ao mesmo tempo.
— Harry é? — Robert comentou se aproximando, vendo o inglês estender a mão para cumprimentá-lo, Downey ignorou a mão estendida, abrindo os braços — Muito prazer, filho!
— Filho? — Harry sussurrou para a irmã, confuso, enquanto abraçava o mais velho.
— Se é minha filha, você é meu filho. Meus genes são visivelmente maravilhosos!
— Downey Jr. também? — O Morris mais velho falou surpreso, encarando a irmã — O que, raios, você faz para todos realmente levarem essas coisas a sério? Primeiro Gary, agora Downey?
— É meu charme! — sorriu convencida.
— Citando Gary Oldman de novo? — Robert resmungou cruzando os braços. — Já vi que terei que falar com ele, vamos dividir a guarda.
— Não repara não, ele tem dificuldade em sair do personagem! — Scarlett riu, batendo no ombro do colega.
— Coitados, imagina só se eles soubessem como você é insuportável… — Harry negou com a cabeça, rindo de leve ao ver a cara de ofendida da irmã.
— Babaca!
— Bem, Harry, chegou em boa hora! — Evans começou a falar vendo Jeremy aproximar-se e cumprimentar o inglês. — Vai poder ver um pouco das filmagens, nessa cena sua irmã apanha! — Disse empolgado, recebendo uma risada de Harry e um protesto de .
— Mas eu posso? E a história da Marvel manter tudo em segredo? — Comentou confuso, cruzando os braços — Achei que iria para seu apartamento dormir enquanto você não termina...
— Não acho que Joss ou Kevin vão se incomodar, é a última cena do dia… — Robert argumentou olhando para os dois homens mais a frente, conversando empolgados sobre alguma coisa no roteiro.
— Só se você for fofoqueiro igual sua irmã, aí talvez seja melhor você ir embora mesmo! — Hemsworth brincou, vendo-o negar aos risos.
— Graças a deus esse defeito é só dela!
— Olha que mentira! — resmungou — Você sempre me liga pra fofocar!
— Não faço ideia do que você está falando — o moreno fez uma careta, olhando para o lado com sua melhor cara de inocente.
— Fica à vontade, não deve demorar muito — Scar avisou, logo vendo Joss acenar para voltarem para suas posições anteriores.
— Espera, eu ainda não vi meu presente! — lembrou-se de repente, virando-se para a caixa grande ao lado.
Harry riu ao ver a irmã abrindo animadamente, e depois fazendo careta, olhando-o confusa.
— O que…? — A mulher retirou uma metade de um papel, escrito um simples “Happy Bday, X”
— Meu bem, seu presente sou eu. Peguei um avião de Londres até Nova York só para te ver, não pode ser melhor do que isso! — Disse divertido, vendo-a rolar os olhos, reclamando por não receber nem um chocolate, enquanto os outros riam, logo voltando a seus postos para a última cena do dia.
Harry seguiu até a cadeira com o nome da irmã, sentando-se ao lado dos diretores, que retomavam as filmagens e conversavam com ele uma coisa ou outra entre as tomadas.

Quando todos voltaram, já trajando suas roupas normais, sentou-se ao lado do irmão, enquanto esperava Chris, que continuava sendo seu motorista, aparecer.
— Olha, podemos deixar para outro dia o restaurante, se vocês quiserem fazer alguma coisa só entre vocês… — Scar sugeriu enquanto colocava sua jaqueta.
— Tinha me esquecido disso… — virou-se para o moreno — A gente marcou de ir jantar pra comemorar meu aniversário, quer vir ou prefere passar seu tempo só comigo, que sou maravilhosa?
— Deus, eu já te aguento há vinte e quatro anos, é suficiente para mim. — Negou com uma careta — E eu tenho uma novidade pra você!
— Quaaaal? — Perguntou empolgada, sentando-se direito.
— Depois te conto. — Piscou sorrindo, fez careta.
— Você é uma pessoa horrível de se conviver. Não pode chegar e me deixar curiosa desse jeito, qual é?
— Vamos? — Chris voltou já com sua mochila nas costas. — Restaurante ou casa primeiro?
— Temos duas horas até a reserva, dá tempo de todo mundo ir pra casa se trocar? — Jeremy perguntou checando o relógio no pulso.
— Não sei se consigo ir até a minha e voltar pegar os Morris em duas horas… Vamos atrasar um pouco. — Evans falou sentando-se ao lado de Harry.
— Não precisa nos buscar, pegamos um táxi até o restaurante, relaxa.
— Assim seu irmão vai achar que não cuidamos direito de você, coração. — Robert argumentou sorrindo.
— Hm, até parece. — Reclamou em voz baixa. — Esse aí não quer nem saber se eu tô passando fome, não se preocupe.
— Você é grandinha o suficiente pra ir até o mercado sozinha, ué... — Riu da piada interna dos dois, deixando o restante ligeiramente confuso.
— Tá, enfim, nos encontramos no restaurante, ok? — definiu após bater na perna do mais velho. — Não precisa nos buscar, mas aceitamos a carona até em casa, Chris!
— Aceitamos? — Harry falou surpreso.
— Shiu, sim, aceitamos!
Evans riu levantando-se.
— Tudo bem, sua irmã está me fazendo de elfo doméstico, já estou acostumado! — Fez cara de coitado — Vamos então, ou todos nos atrasamos e perdemos a reserva!
— Ué, Chris, você achou que seu charme é suficiente? Tem que fazer por onde pra ganhar uns beijos! — Piscou, escutando-o rir ao andarem juntos. Harry parou de andar, olhando os dois com a boca aberta.
— VOCÊS O QUE?
O restante do grupo começou a rir, Robert foi o primeiro a concordar.
— Eu estou falando isso há semanas! Você acha que ela me escuta?
— Relaxa, não é verdade, Harry, só estou brincando! — sorriu para o irmão, que não pareceu nenhum pouco convencido — Qual é, você acha mesmo que eu já estaria beijando alguém assim?
— É pra ser sincero? — Perguntou debochado, vendo a irmã corar, ao tempo que escutava risadinhas vindo dos outros.
— Ai vamos logo, vamos nos atrasar! — A inglesa chamou, tentando mudar de assunto.
O pessoal se separou no estacionamento, ainda rindo do acontecido, Evans e os Morris demoraram um pouco mais para ajeitar a mala de Harry no porta-malas do carro, visto que ele trouxe algumas coisas para a irmã, e a mala era realmente grande. Quando finalmente deram partida, seguiram direto para o hotel.

Chris parou em um sinal, virando-se de lado para o banco de trás, puxando um novo assunto com Harry, que perdeu o banco da frente para a irmã;
— E como foi o voo? tinha comentado um dia que você não é muito fã de aviões…
— Não sou mesmo, — suspirou, passando a mão pelos cabelos, olhando para o loiro, antes dele voltar a olhar para a estrada — mas até que não foi tão ruim, dormi boa parte dele e… Bem, digamos que eu tive companhia…
— Como assim? — virou-se interessada, Harry chegou a abrir a boca para fazer uma piada, comparando-a com a garota d’O Exorcista, pela velocidade que ela virou-se para saber da fofoca, mas ao invés apenas deu de ombros, sorrindo de lado.
— Digamos que a moça que estava na poltrona ao meu lado era bem… Interessante.
— Eu não acredito que você pegou uma garota dentro do avião! Harry Morris!
, você, muito provavelmente, já está pegando ou vai pegar seu colega, não venha me dar lição de moral!
— Espera aí! — Chris interrompeu-os rindo — Você não tinha me dito que seu irmão era ciumento?
— Ele é!
— Não sou! — Negou — Quer dizer, não me importo de saber que está ficando com alguém, contanto que não seja alguém próximo, algum amigo, por exemplo. — Alfinetou, e rolou os olhos, entendendo a indireta.
— Eu podia dizer o mesmo sobre você, não é?
Harry gargalhou no banco de trás, e Evans olhou de um Morris para o outro, o semblante confuso;
— O que foi que eu perdi?
— Um dia eu te conto, Chris, um dia eu te conto!
— Ah, pois eu conto agora mesmo! — Harry inclinou-se, colocando o rosto entre os dois bancos da frente, não perdendo a chance de envergonhar a irmã — Essa daqui teve a coragem de ficar com meu melhor amigo, você tem noção disso?
— Ele quem veio atrás de mim me beijar — respondeu afetada!
— Bom, mas você já tinha enfiado a língua na boca dele, né?
Chris olhou chocado de um para outro, antes de voltar a prestar atenção no caminho que fazia.
— Eu não acredito que você fez isso! O amigo do seu irmão? — Rebateu, embora só quisesse constrangê-la um pouco mais.
— Em minha defesa, eu tinha bebido o dia todo! — Respondeu, cruzando os braços — E quem é você para apontar o dedo pra mim, foi lá e beijou a Emma!
Harry sorriu, dando de ombros;
— Na última premiere! — O moreno resmungou — Você beijou o Charlie tem anos!
— Exatamente, todo mundo viu você e a Emma! Eu e o Charlie você só viu porque apareceu, caso contrário teria morrido conosco!
— Nossa, agora eu sou culpado? — Arqueou a sobrancelha, antes de virar-se para Evans — Tá vendo no que você vai se meter se seguir com esse flerte, né? Depois não diga que não foi avisado!
Chris riu mais uma vez, mais ainda das tentativas da inglesa de estapear o irmão no banco de trás. Parou o carro na frente do prédio, e os dois desceram, seguindo para a portaria assim que Harry pegou sua bagagem no porta-malas.
Conversaram brevemente enquanto esperavam o elevador parar no andar de , e, assim que as portas metálicas se abriram, a atriz franziu o cenho, notando alguém sentado no chão, na frente de sua porta.
— Mas o que…? Sebastian?
— Eu? — Levantou a cabeça, pausando o jogo do celular. — ! — Sorriu ao vê-la, levantando-se animado. — Feliz aniversário, princesa! — Abriu os braços antes de abraçá-la apertado.
— Obrigada, sargento! — Riu, beijando-lhe a bochecha.
Notou o irmão encarando-os afastado, com os braços cruzados e a sobrancelha arqueada;
— O bonitão ali é meu irmão, Harry, esse é Sebastian, Seb, Harry Morris.
— E aí, cara? — Stan esticou o braço, apertando-lhe a mão.
— Beleza?
olhou-os se encarando e apertando as mãos por mais tempo que o necessário, segurando uma risada. Era tão claro para ela que Harry estava analisando Sebastian, que ela quis gargalhar.
Seu irmão não era, exatamente, a pessoa mais protetora do mundo quando se tratava dos possíveis affairs de , mas sempre queria ter certeza que ela estava saindo com uma pessoa, no mínimo, decente. E, infelizmente, Morris tinha contado de seu rápido interesse em Sebastian na Premiere, o qual tinha acabado na mesma noite, embora ela continuasse o achando atraente. Considerou que Harry, de fato, acreditou quando ela disse que os flertes com Evans eram brincadeira, já que o moreno não pareceu muito preocupado com o loiro.
— Então, vamos entrar? — Chamou-os com a voz engraçada, rindo baixo.
Sebastian foi o último a entrar no apartamento, dando uma rápida olhada ao redor antes de jogar-se no sofá;
— Sinta-se em casa, Stan. — Ironizou a inglesa, antes de seguir com o irmão pelo corredor, apontando para uma porta à esquerda — Você pode dormir aqui… Sebastian! — Tornou a virar-se para o romeno, que mexia no celular. — Você vai dormir aqui também?
— Não, não, vou ficar com o Evans.
— Chris sabe que você está aqui? — Questionou surpresa, Evans era fofoqueiro, ela já tinha percebido. Como ele conseguiu guardar o segredo o dia inteiro?
— Ainda não, mas tenho certeza que ele vai me convidar, então… — Deu de ombros, sorrindo de lado. riu, concordando com a cabeça, antes de ir se arrumar.

O trio chegou ao restaurante no horário combinado, e, não tão surpreendentemente, foram os primeiros a chegarem, indo em direção à mesa reservada e pedindo alguns aperitivos enquanto esperavam o restante dos convidados. Por mais incrível que fosse para , seu irmão pareceu se entender muito bem com Sebastian, os dois tinham bastante em comum e já estavam contando piadas e histórias sobre a vida, incluindo comparando as listas de pessoas com quem já tinham saído, fazendo-a rolar os olhos e virar uma taça de vinho sempre que começavam a falar de alguma mulher nova.
O pior, até aquele momento, foi quando descobriram terem saído com a mesma pessoa, em épocas diferentes; Lily Donaldson, uma modelo inglesa.
Harry tinha saído com a loira anos antes, enquanto comemorava com alguns amigos em uma boate, tendo encontrando-a mais algumas vezes antes de se afastarem por completo e seguirem com suas vidas. Já Sebastian, tinha saído com a modelo uma única vez, menos de um ano antes, durante a divulgação de Capitão América em Londres.
— Se vocês começarem a falar como ela era na cama, eu juro que vomito! — reclamou depois de virar a segunda taça de vinho.
Os dois riram constrangidos, desculpando-se e, em seguida, escutaram um grito animado;
— Sebastian? — Viraram-se em tempo de ver Chris Evans parado com as mãos na cintura e a expressão confusa, enquanto o restante dos amigos vinham mais atrás, tão confusos quanto o loiro.
— Oi, gato. — Sorriu levantando-se e cumprimentando-o com um abraço, assim como os demais, que logo foram sentando-se à mesa.
— O que você está fazendo aqui? Quando chegou?
— Tem umas duas horas… — Deu de ombros — Fui direto encontrar a Morris, porque é aniversário dela — explicou a última parte rapidamente ao ver a cara de ofendido do amigo.
— Espera! — Robert levantou a mão, quase como pedindo permissão para falar, olhando do romeno para a inglesa — Você veio até aqui só por causa do aniversário dela?
Sebastian sorriu, sem graça, concordando com a cabeça.
— Ele me ama, gente, achei que já soubessem. — riu, abanando a mão no ar.
, meu amor, quanto você já bebeu? — Hemsworth perguntou rindo, acenando para o garçom para fazer seu pedido.
— Duas taças, relaxa! — piscou divertida — Ainda estou longe de ficar bêbada!

Conforme os pedidos eram servidos e as garrafas de vinho renovadas, o grupo começou a falar mais alto e rir bastante, ignorando por completo os olhares das pessoas próximas; fossem um pedido mudo para que falassem mais baixo ou alguma foto discreta de seus lugares, embora, em determinado momento, tivessem aceito tirar fotos com alguns fãs que apareceram, incluindo alguns garçons que estavam atendendo-os. Todos animados demais para importarem-se com qualquer outra coisa que não fossem suas taças e a conversa;
— Sabe o que a gente deveria fazer? — Chris começou de repente, batendo com a mão na mesa e assustando a todos na mesa — Uma festa! Vamos comemorar de verdade seu aniversário, ! Vamos pra uma boate depois daqui?
— Tá doido, Evans? — Scar começou a rir, negando com a cabeça — Olha nosso estado, se sairmos pra qualquer lugar que não seja nossas casas, estaremos acabados amanhã!
— A idade chega para todos — concordou, sorrindo de canto ao ver as caretas dos amigos.
— Por que então não comemoramos no final de semana? — Harry comentou segundos depois — Não tenho nada pra fazer mesmo, posso reservar alguma boate pra nós — sugeriu, vendo o sorriso da irmã se alargar.
— É por isso que você é minha pessoa favorita, Hazz! — Piscou para o irmão, vendo-o estufar o peito.
— Vou organizar uma lista rápida!
— Agora sim! — Hemsworth ergueu sua taça em um brinde silencioso — Eu sabia que você era mais que um rosto bonito, Morris!
— Eu tento dar o meu melhor! — Respondeu rindo.
— Você vai me contar a novidade agora, ou não? — virou-se, de repente, encarando o irmão que ainda ria junto de Hemsworth.
— Depois eu falo… — Deu de ombros, respondendo em voz baixa ao notar que a maioria parou as conversas paralelas para prestar atenção.
— Querido, se você está pensando que vai se livrar da gente… — Scarlett sorriu de lado — Pense de novo, agora você já está envolvido no grupo!
— Sim, se você é irmão da Morris é, automaticamente, da família! — Mark sorriu do outro lado da mesa.
— Eu disse pra você que eles me amam! — comentou com o outro, piscando animada.
Harry deu uma risada nasalada, sorrindo de lado.
— O pessoal do Harry Potter também te amava nos primeiros anos de filmagens… Agora pergunta se eles querem passar mais de um dia com você? Daniel só continua seu amigo porque vocês são iguais!
— Calúnia! — Acusou escutando as risadas. — O Dan me ama!
— Você precisa nos contar mais coisas que eu possa usar contra ela mais tarde! — Evans pediu, vendo o inglês concordar sorrindo sacana.
— Tudo bem, tudo bem, mas agora eu também fiquei curiosa, perdão. — Scar recomeçou o assunto, tornando a atrair as atenções para Harry, que sentiu-se constrangido. — Qual a grande novidade?
— Hmm… — Passou a mão no pescoço, sentindo-se levemente nervoso — Não é nada demais na verdade… — Virou-se para a irmã sorrindo constrangido — Consegui um novo emprego, começo em algumas semanas.
— O que? Como assim? Com quem?
— Gente, volta um pouco, — Mark pediu rindo — você trabalha com o que mesmo, Harry?
— Hm… Ah… Era auxiliar técnico das categorias de base do Watford… Um time pequeno de Londres…
— Oh, futebol! — Sebastian falou empolgado.
— Você é técnico de futebol? — Evans pareceu surpreso. — Não sabia que o esporte era tão famoso na Inglaterra…
— A gente tá falando de futebol de verdade, Evans. — Alfinetou Hiddleston.
Soccer. — riu notando a cara de confusão do outro.
— Oh meu deus, você passa uns meses aqui e já está falando soccer? Que desonra! — Harry fez cara de nojo, encarando a irmã.
— Eu só estava explicando! — Defendeu-se, ofendida.
— Espera, quantos anos você tem? — Robert perguntou confuso, retornando ao assunto principal, embora ainda risse com o restante.
— Vinte e oito.
— Não é um pouco novo pra profissão? — Mark também questionou interessado.
— Na verdade um pouco… — Concordou, olhando brevemente para a irmã, riu ajudando-o.
— Queridos, Morris é um nome bem conhecido na Inglaterra! — Contou empolgada — Muito antes de eu começar em HP, esse bonitão aqui já fazia sucesso na categoria de base do Chelsea!
— Você era jogador! — Robert afirmou impressionado.
— E por quê não joga mais? — Seb perguntou.
— Eu… Me machuquei em campo há alguns anos, — respondeu — passei meses parado, e quando voltei já não era a mesma coisa, digamos que fiquei “bichado”, e me lesionava com mais facilidade. Então acabei largando, só foi ruim na verdade porque eu estava escalado pra jogar na Copa…
— Morris, a esperança dos gols ingleses, lembro bem… — Tom sorriu triste.
— Sinto muito.. — Scar lamentou, Harry abanou a mão no ar.
— Tudo bem, já fazem alguns anos…
— Então, agora você é auxiliar técnico? — Hemsworth tornou, ainda mais impressionado.
— Bem, é… Estou meio que começando…
— E por quê não com o time que você jogava antes? — Sebastian questionou curioso.
— Porque preciso de experiência antes de tentar alguma coisa num time grande… Fiquei os últimos três anos com o Watford, ainda não é um time da Premier League, mas estão melhorando, e a categoria de base cresceu bastante nas últimas cinco temporadas …
— Ok, okay, mas eu já sei de tudo isso, então me fala: — cortou antes que mais alguém fizesse perguntas — Com quem você assinou?
— Borussia Monchengladbach! — Sorriu animado.
— Você vai pra Alemanha?
— Por, pelo menos, dois anos.
— Isso é fantástico! — Abraçou-o orgulhosa — Fico tão feliz por você!
— Não é nada demais, mas… — Deu de ombros, modesto.
— Não é nada demais? Você vai ser auxiliar de um time da Bundesliga, é maravilhoso!
Harry negou com a cabeça, sorrindo de lado.
— Técnico. — Contou, vendo-a olhar surpresa — Resolveram me dar uma chance nas categorias de base deles…
— Eu não acredito!
— Não entendi bem, mas parece importante, parabéns! — Evans deu um tapinha em suas costas.
— Parabéns! — A rodada de felicitações seguiu pelos convidados.
— Mamãe deve estar surtando com você também saindo de Londres! — Morris riu.
Harry concordou rapidamente, lembrando-se do tanto que a mulher chorou.
— E você trata de ligar mais vezes, eu estou recebendo duas ligações por dia agora que você está fora! Não tenho assunto pra tudo isso, nem paciência!
riu desculpando-se.
— Estive ocupada, mas ligo a cada três dias, e já disse pra ela vir me visitar!

Ao chegar em casa, de madrugada, após muitas risadas e muito álcool, jogou-se em sua cama depois de tomar um banho rápido, pegando seu celular para responder mensagens e postar algumas fotos, começando pelo Instagram:
Escolheu primeiro uma foto com todo o elenco no restaurante, e depois uma apenas com seu irmão. Na foto, estava nas costas de Chris Hemsworth, enquanto os demais faziam caretas e apontavam para a inglesa, enquanto Sebastian e Evans pareciam conversar no canto, não dando a mínima para a foto.
@morrisellie_ Um obrigada especial para esse “super” pessoal, que fez meu dia mais animado, vocês são todos incríveis! Xx #AvengersAssemble
Na outra imagem, e Harry brindavam, fazendo suas melhores poses sexy, com direito a sobrancelha arqueada e sorriso de lado, enquanto erguiam suas taças de vinho.
@morrisellie_ E, é claro, um obrigada mais que especial para o melhor presente desse ano, meu irmão preferido, e único, @morrisharry_! Obrigada por ter pego um avião para estar comigo hoje, não poderia pedir nada melhor de presente (bem, talvez chocolates xD)! xxx
Sebastian, a inglesa reparou rindo, publicou uma foto que foi tirada no jantar de aniversário de Jade, na qual ele fazia careta, a boca um tanto aberta, mostrando a comida que ele mastigava, enquanto gargalhava ao seu lado.
@iamsebastianstan HAPPY BDAY TO YOU, HAPPY BDAY TO YOU DEAR @morrisellie_ HAPPY BDAY, PRINCESS! 8)
@morrisellie_ OLHA SE NÃO É O MEU ROMENO FAVORITO <3

Após curtir algumas outras imagens, abriu o aplicativo do Twitter, sorrindo ao reparar o número de notificações pendentes;
@morrisellie_ Não tenho palavras suficientes para agradecer por todas as mensagens de hoje, vocês são incríveis e sempre fazem meus dias melhores! <3 <3 xxx

@jk_rowling Feliz aniversário para minha incrível @morrisellie_, não poderia existir uma Black melhor! Saudades de você! X
@morrisellie_ in reply to J.K. Rowling
MUITO OBRIGADA, Jô! Saudades! xx

@TomFelton Happy BDay para a pessoa mais insuportável que conheço, @morriesellie_, mas no fundo eu até te amo prima! X
@morrisellie_ in reply to Tom Felton
HAHA, ridículo! Amo você também, Draco! xxx

@EmmaWatson Parabéns para uma das minhas pessoas preferidas no mundo, a qual ajudei na lição de casa por alguns anos haha @morrisellie_ <3
@morrisellie_ in reply to Emma Watson
Obrigada, Em! Nunca vou esquecer da ajuda na escola! lol <3

@HarryPotterFilm Um especial feliz aniversário para nossa querida @morrisellie_, já estamos com saudades!!!
@morrisellie_ in reply to Harry Potter Film
<3 Saudades de todos, obrigada pelos anos fantásticos! xxx


@Marvel Feliz 24 anos para a incrível @morrisellie_, nossa agente AS! Não conseguimos imaginar ninguém melhor para ser a Princesa Stark!
@morrisellie_ in reply to Marvel Entertainment
Aguardando os drinks para comemorar! lol

@ChrisEvans Happy Bday para a pessoa que me faz de motorista, @morrisellie_. Muitos anos de vida, espero que agora você compre um carro! x
@morrisellie_ in reply to Chris Evans
EU SEI QUE VOCÊ ME AMA, EVANS! <3

@RobertDowneyJr Quero ver vcs desejarem um feliz aniversário para minha filha @morrisellie_, sim. MINHA.FILHA. #StarkFamily
@morrisellie_ in reply to Robert Downey Jr
SUPER OBRIGADA, DAD! xx

@Avengers Happy Bday, para nossa @morrisellie_ Mal podemos esperar para que vocês a vejam no nosso time! Menos o Cap, talvez ele possa esperar mais alguns anos!
@morrisellie_ in reply to The Avengers
Cap. não manda nada!! Já podem me colocar no time principal!

@harrymorris Feliz aniversário para @morrisellie_, a irmã mais insuportável que alguém poderia ter, mas que de alguma forma eu amo XX
@morrisellie_ in reply to Harry Morris
Não digo isso em público, mas amo você, Haz! <3
riu ao ver a foto dos dois pequenos, Harry de óculos de sol na piscina, em cima de uma bóia de tubarão, enquanto ela chorando pra subir com duas bóias de braço.

Ao ver algumas notícias sobre o parabéns de Daniel Radcliffe, a inglesa abriu a página, vendo uma mensagem no Google Plus, fazendo-a rir por dois motivos; Primeiro, ainda não acreditava que o amigo realmente era o único a usar aquela rede social deserta. Segundo, as fotos eram duas de suas preferidas;
Uma dos dois na primeira semana de gravação, sentados comendo pizza, conversando empolgados, usando seus uniformes da Grifinória e guardanapos presos a gola das camisas, para evitar de sujar. A outra, já mais velhos, estavam sentados na mesa de sinuca, em um bar, com garrafas de cerveja ao redor, fazendo suas melhores caras de badass, o que na verdade eram duas caretas, devido ao número de álcool já ingerido.
Um pequeno texto acompanhava as imagens;

Hey, !
Eu lembro do primeiro dia que gravamos juntos, e o quão nervosos estávamos, mas que, de alguma forma, começamos a fazer piadas e a gargalhar no meio da cena e Chris Columbus precisou parar as gravações por quase duas horas até que nos acalmamos. Uma pequena preview do que aconteceria no futuro? Talvez.
Assim como Potter e Black, já tivemos nossas brigas (que nunca duraram mais de três longos dias), mas sempre voltamos a conversar como se nada tivesse acontecido. E, assim como Harry e Sam, você é minha melhor amiga, independente da distância e de todo o resto que possa vir, agora que HP acabou e não nos veremos nos sets.
, você é e sempre será a Sam Black do meu Harry Potter!
Eu amo você, Morris!
X


A inglesa fungou baixinho, sentindo-se ridícula por estar chorando, mas Daniel era uma pessoa tão incrível que isso era sempre muito comum quando ele começava seus discursos, mesmo que falasse pouco. Duas frases eram sempre o suficiente. compartilhou a notícia da mensagem, colocando um único coração de comentário, e então abriu seu whatsapp, ignorando as demais conversas e procurando o nome do amigo, mandando um simples;

Amo você, Harry! X


Mas que ela sabia que ele entenderia o significado, porque, afinal Daniel Radcliffe era seu melhor amigo há dez anos, ele a conhecia bem o suficiente para saber que ela não conseguiria dizer nada além daquilo. E, bem, eles já tinham conversado por quase quarenta minutos pela manhã, quando ele a ligou para dar os parabéns.
Quando estava prestes a dormir, minutos mais tarde, seu celular começou a tocar, atendeu-o sem olhar no identificador, cansada demais para isso.
— Alô?
— E aí, Morris? Feliz Aniversário!
fez uma careta, demorando alguns segundos para identificar o dono daquela voz, pulando na cama quando a ficha caiu:
— Pattinson?
— Eu! — O loiro riu rouco — Juro que não esqueci, só tive um dia corrido, mas antes tarde do que nunca, não é?
piscou algumas vezes, rindo fraco ao ouvir o comentário do outro, só então parecendo notar que estava mesmo falando com Robert, após todos aqueles anos. Sempre mandavam parabéns e feliz natal, mas apenas por mensagens. Já tinham bons anos que não conversavam. Em um primeiro segundo estranhou a ligação, mas, instantes depois, mesmo sem saber se era pelo álcool ingerido ou apenas pela saudades que sentia do amigo, suspirou profundamente, sorrindo sozinha antes de continuar a conversa:
— Quem é vivo sempre aparece, ein? Como estão as coisas?


11.

Harry não poderia ter escolhido uma data melhor e, menos ainda, um local mais animado para aquela festa, afinal 24 anos de Morris não poderiam passar em branco, mesmo que fosse verdadeiramente comemorado quase uma semana depois.
Aproveitando o intervalo nas gravações, voltou para Nova York, assim como os colegas de elenco, sendo assim, ao invés de comemorarem em Cleveland, agora ela tinha a chance de rever alguns outros amigos em sua festa.
Harry havia reservado o camarote principal, logo acima da pista de dança e do palco do DJ, na 1OAK, a principal balada da cidade. Não havia sido exatamente fácil, mas nada que dinheiro e o sobrenome Morris não resolvessem. O moreno garantiu dois bartenders e uma garçonete exclusiva para eles, além, é claro, de uma quantidade ilimitada de álcool e aperitivos.
Além da decoração usual do lugar, o qual também contava com um grande sofá meia-lua e pequenas mesas de centro, Harry havia comprado um balão dourado com a inicial da irmã, e outros dois com os números 24, os quais estavam próximos à grade de proteção. Haviam ainda garantido algumas pulseiras VIP para os convidados, em caso de quererem descer para curtir na pista de dança.
Os Morris chegaram com antecedência, mesmo que duvidasse que os amigos chegassem antes do horário combinado, queriam garantir que estariam lá para recepcioná-los quando chegassem. Subiram direto para o camarote, com a ajuda de um segurança, devido a quantidade de pessoas que já circulavam no lugar. A atriz andou com cuidado, agarrando o irmão pelo braço, com medo de tropeçar com os saltos e cair na frente de toda aquela gente, e ainda segurando a parte de cima do vestido; tão vergonhoso quanto cair seria se seus peitos saltassem. Harry usava calça jeans escura e uma camisa social com os primeiros botões abertos, com um blazer preto por cima. Assim que chegaram ao espaço reservado, acenou para os bartenders e jogou-se sobre o sofá, esticando-se apenas o suficiente para ver qual bebida pediria para iniciar a noite. sorriu ao olhar ao redor, era sua primeira vez naquela boate, também adorou os balões, já pegando o celular para tirar uma foto e mandar para os pais, puxando o irmão segundos depois, o qual saiu com uma cara engraçada por ser pego de surpresa.
Estavam os dois conversando sobre assuntos banais, já tomando suas bebidas, quando os primeiros convidados chegaram; Chris Evans e Sebastian Stan, obviamente aproveitariam a festa desde o primeiro minuto, a surpresa de foi Scarlett já estar chegando com eles.
— Você achou que eu perderia as fofocas? — A ruiva perguntou com as mãos na cintura, gargalhando antes de aceitar uma taça de gin.
— Aceito fofocas também, mas prefiro o álcool! — Seb piscou, sentando-se ao lado de Harry — E aí, como tá funcionando?
— Escolha o que quiser beber, vai ser fechado tudo na mesma conta. — O moreno explicou, acenando para a garçonete.
— Vocês tão bancando? — Perguntou surpreso, vendo-o concordar — Agora sim é uma festa de verdade! — Brincou, batendo o olho na carta de bebidas.
Entre uma conversa e outra, algumas bebidas e fotos, Hemsworth, Hiddleston, Jeremy e Smulders apareceram com poucos minutos de diferença um dos outros. Downey Jr., Mark e Samuel, embora tivessem agradecido o convite, acabaram recusando a festinha, preferindo passar o tempo com suas famílias, assunto que até foi comentado pela , que questionou a falta de companhia de Jeremy e Scar, mas ambos afirmaram que não ficariam tanto tempo e, seus respectivos ficariam um tanto deslocados.
Menos de uma hora depois, Tom Felton e Jade chegaram, cumprimentando todos e abraçando mais animadamente Harry e Sebastian, antes de sentarem-se e começarem a beber e conversar com os outros convidados.
O grupo ria animado, aproveitando as bebidas e aperitivos, conversando sobre diversos assuntos, volta e meia apontando para a pista de dança ou se balançando no ritmo da música que o DJ da noite tocava. Alguns já haviam descido para aproveitar a música, embora a maioria preferisse ficar bebendo.
— Olha só quem finalmente apareceu! — gritou levantando-se ao ver Daniel se aproximar — Demorou pra se arrumar hoje, ein?
— Às vezes eu tenho que trabalhar, Morris! — Radcliffe respondeu, antes de abraçá-la apertado, sendo correspondido da mesma forma. — Feliz aniversário! — Disse, beijando-lhe a bochecha — Já falei o resto semana passada, não vou repetir!
gargalhou concordando, aceitando a caixinha de joia que o amigo lhe entregava, abrindo-o curiosa, enquanto Dan cutucava-a na cintura, apontando para o restante do grupo;
— Pessoal, esse é o Daniel, Daniel, pessoal! — Indicou o moreno ao grupo, fazendo o amigo rolar os olhos.
— Ótimo trabalho! — Ironizou, vendo-a piscar.
— Estou melhorando minha forma de socializar, está vendo?
Radcliffe riu, antes de dar dois passos para perto do grupo, estendendo a mão para cumprimentar cada um deles, beijando a bochecha de Scarlett e, por fim, virando-se para Harry;
— Outro Morris! Você por aqui?
— Potter! — O mais velho respondeu, antes de darem uma batida de mão combinada e então se abraçarem. — Quer beber? — Apontou para os drinks espalhados pela mesa, o outro concordou;
— Vou pedir uma cerveja! E aí, fica quanto tempo pra cá?
— Só até domingo, segunda já estou em Londres.
— Eu amei! — gritou olhando o presente, interrompendo o pequeno diálogo. — Como você conseguiu?
— Mandei fazer! — Respondeu, satisfeito por saber que ela havia gostado. A atriz aproximou-se para abraçá-lo mais uma vez, sorridente.
— Estamos muito chique, né?
— É o que chamam de maturidade — Dan concordou rindo, vendo-a mostrar o bracelete de ouro com vários pingentes diferentes, de coisas que sabia que a amiga gostava, incluindo um cachorro preto, para referência ao seu personagem em Harry Potter.
— Potter! — Felton gritou ao voltar da pista de dança com a namorada, fazendo uma careta para olhar o moreno — Nos encontramos de novo!
— Malfoy… — O moreno respondeu desgostoso, então virando-se para a mulher ao lado — Jade! — Piscou, sorrindo ao cumprimentá-la.
— Eu estou achando muito engraçado estarmos no meio de uma reunião de elenco — Chris disse, apontando para o grupinho em pé — Poderíamos tirar fotos e vender aos jornais!
— Era só o que faltava — Harry respondeu, negando com um aceno, antes de dar outro gole em sua bebida — não basta ter que se preocupar com paparazzi e pessoas aleatórias postando fotos nas redes sociais, temos também o Evans fazendo isso!
— Em minha defesa — Chris replicou, olhando para o inglês — eu não postaria nas redes de graça, venderia para alguma revista!
— Muito melhor! — Sebastian ironizou, rindo baixo.
— E então, chegou todo mundo? — Scarlett perguntou ao vê-los sentarem-se, espalhados pelo sofá.
— Teoricamente, sim, na prática talvez falte. — respondeu, bebericando seu gin em seguida.
— Como assim? — Jeremy perguntou com o cenho franzido — Você não sabe quem convidou? Foi agora de supetão, né? Já está bêbada e não sabe o que faz!
— Ei! — A loira resmungou — Eu convidei semana passada, mas não foi confirmado a presença, por isso não sei se vem mesmo ou não — deu de ombros.
— Quem você chamou? — Hemsworth perguntou curioso — É alguém que conhecemos?
A atriz concordou com um aceno, então fazendo careta;
— Bem, talvez não pessoalmente… — Ponderou, então virou-se para Tom e Daniel, sentados do seu lado — Chamei o Robert.
Jade parou seu copo no meio do caminho à boca, franzindo o cenho ao ouvir o nome;
— Qual Robert?
— Como qual Robert?
— Mas o Downey falou que não vinha, não foi? — Evans arriscou sem entender.
riu constrangida, negando com um aceno.
— É o OUTRO Robert!
— Você o que? — Harry deu um grito quando entendeu a quem a irmã se referia, engasgando com a própria bebida e levando tapinhas das costas, dados por Sebastian, que sentava ao seu lado.
— Quando foi que você falou com ele? — Radcliffe virou-se, tão surpreso quanto Harry.
— De quem vocês estão falando? — Hemsworth perguntou em voz alta, olhando de um para outro.
— Robert Pattinson — o grupo respondeu ao mesmo tempo, se entreolhando e rindo.
— Eu não acredito que você chamou ele, quando? Por que? — Jade foi a primeira a perguntar, virando-se desacreditada para a amiga.
— Por que você faz essas coisas, ? — Harry encarou a irmã com a sobrancelha arqueada, negando com um aceno — Não cansa, não?
— Ei! Não foi nada demais!
— Então como é que você não me contou isso antes? Quando falou com ele? — Daniel chamou de novo — Aposto que sabia que não deveria ter convidado, por isso não me contou!
— Ai, gente, calma! Ele me ligou dando os parabéns, conversamos um pouco e eu falei da festa, disse que ele estava convidado…
, você sabe que ele tem uma na-mo-ra-da, não sabe? — Jade disse, pausadamente. A atriz rolou os olhos, concordando com um aceno.
— Sim, eu convidei ELE e a NAMORADA DELE! — Respondeu em voz alta.
— A namorada dele que te odeia? — Felton foi quem disse em voz alta. O grupo da Marvel apenas olhava de um para outro, sem entender o que estava acontecendo, apenas Sebastian, o qual preferiu apenas virar mais um copo de bebida, sem comentar nada, embora visse a cara de desagrado de Harry.
— Mais um motivo para ter convidado — Morris argumentou, passando a língua pelos lábios — assim podemos acabar com essa história toda, eu, sinceramente, duvido que ela me odeie. Acho que é só coisa da mídia!
— Caramba — Harry ergueu as sobrancelhas —, desde quando você amadureceu tanto?
— Desculpa, mas eu ainda não entendi! O que rolou? — Jeremy ergueu a mão, atraindo a atenção do pessoal. Segundos depois, Jade, Felton e Harry começaram a explicar para o grupo todo o desenrolar da amizade entre e Robert. A Morris apenas rolou os olhos, levantando-se para pegar mais uma bebida antes de chamar os amigos para dançar.
A inglesa não saberia dizer o tempo que ficaram na festa, lembrava-se que saíram quando a boate já estava para fechar e o dia amanhecia. Não fazia ideia de quantos drinks havia tomado e quantas músicas tinha dançado com os amigos. Sabia apenas que havia se divertido muito naquela noite e que tinha sido um dos melhores aniversários que teve. Contudo, lembrava-se com exatidão quando Robert apareceu, quase como se tivesse sido em câmera lenta.
Tinha acabado de voltar com Daniel, Evans e Scarlett, após dançarem por um bom tempo, quando viu o loiro chegando, sorrindo sem graça quando virou-se em sua direção. Foram segundos de constrangimento absoluto, pois, por mais que dissessem que estava tudo bem entre eles, os dois sabiam que não era verdade. Foram de melhores amigos, e ficantes, para quase desconhecidos, os quais apenas se cumprimentavam quando se esbarravam em algum evento ou mandavam mensagens curtas em datas festivas. Porém, quando Pattinson aproximou-se o suficiente para abraçar-lhe, esqueceu de toda a raiva que teve dele, porque naquele momento era apenas um amigo que havia vindo para comemorar com ela, mesmo sabendo que poderia não ser bem-vindo perto dos outros.
Kristen estava mais atrás, mas aproximou-se para cumprimenta-la, ainda mais sem graça que o namorado, pois as duas nunca foram próximas, mal haviam trocado duas frases completas durante todos aqueles anos. nunca soube se realmente não gostava dela ou se havia se deixado levar pela mídia, sabia que tinha certo ciúmes, afinal Robert se afastou quando começou a namorar com Kristen, mas aquilo era um problema entre Morris e Pattinson, a morena não precisava ser atingida por aquilo, no fundo, Kristen nunca havia feito nada diretamente para , então por quê detestá-la? Havia sido sincera quando disse ao loiro que a namorada também seria bem-vinda, e encarou aquilo como uma oportunidade de melhorar o convívio com ambos, de repente recuperava seu amigo e ainda ganhava, no mínimo, uma nova colega. Ao verem que estava conversando normalmente com o casal, os outros não demoraram para cumprimenta-los e começarem a conversar, pedindo mais bebidas para a roda.

🎬🎬🎬


Morris virou-se na cama, olhando para o teto de seu quarto enquanto relembrava alguns acontecimentos da noite passada. Sentia a cabeça doer devido a quantidade de álcool ingerido, mas não se incomodou, pois era um preço pequeno a se pagar pela diversão que teve. Espreguiçou-se longamente, levantando e indo tomar um banho antes de procurar algo para comer.
Quando saiu da ducha, com os cabelos envoltos em uma toalha e vestindo apenas um conjunto folgado de moletom, encontrou Harry com uma aparência ainda pior que a sua, jogado no sofá da sala, segurando uma xícara de chá ao encarar a televisão desligada, parecendo desconectado do mundo. O moreno apenas a olhou de canto quando viu a irmã aparecendo no corredor, não se dando ao trabalho nem mesmo de dizer bom dia, pois até aquilo parecia cansativo demais para o momento.
voltou minutos depois, arrastando-se pela casa e sentando ao seu lado, tomando goles lentos de seu chá preto, respirando fundo vez ou outra.
— Você lembra de tudo? — Ouviu a voz rouca do irmão, após um silêncio demorado.
— Mais ou menos, provavelmente menos do que eu deveria... E você? Lembro que sumiu depois de um tempo.
Harry concordou devagar, parecendo pensar sobre o assunto.
— Encontrei alguém na pista e depois... — Deixou a voz morrer, tomando mais um gole de sua bebida, já morna.
— Foi uma festa legal — comentou pouco depois, sorrindo pequeno.
— Você lembra de ter beijado alguém? — Virou-se, questionando com a sobrancelha arqueada. franziu o cenho, negando pouco depois.
— Quem eu beijei?
— Que eu vi, só o Evans — deu de ombros, vendo-a arregalar os olhos.
— De verdade?
— É claro que foi de verdade, mais no final da festa, antes de virmos embora — explicou, passando a mão pelos cabelos — se serve pra alguma coisa, também não acho que ele se lembre de muita coisa, acho que estava pior que a gente…
A inglesa fechou os olhos, respirando fundo ao negar com a cabeça.
Já era ruim o suficiente ter beijado alguém e nem mesmo se lembrar do evento, mas ter beijado Chris Evans e não saber como tinha sido era a pior parte. Nem mesmo sabia se tinha sido bom, quem começou, nada.
— E acho que você brigou com o Sebastian — Harry começou a dizer um pouco depois, parecendo pensativo —, vi ele saindo puto da festa, mas não sei o que você fez.
— Quem disse que era comigo? — Protestou de imediato, forçando a cabeça, mas sem ideia do que poderia ter acontecido.
— Só estavam você, ele e o Evans, se não foi com você, foi com o Chris.
fez uma careta, pensando momentaneamente sobre o assunto, tentando lembrar-se de alguma coisa, contudo, as lembranças que tinha da festa, estava rindo com Seb boa parte da noite. Embora ele tivesse ficado um pouco estranho quando Pattinson apareceu e a convidado para dançar pouco depois. Considerou se havia sido por ciúmes, já que o romeno pareceu meio irritadiço em alguns momentos em que a atriz estava perto de algum dos amigos, principalmente Evans e Pattinson, mas não estava em um estado bom o suficiente para lembrar-se com exatidão das reações do moreno.
— Bom, não vai ser com essa dor de cabeça que vou descobrir como foi que eu acabei beijando o Evans. Quem sabe segunda-feira!

🎬🎬🎬


— A GENTE SE BEIJOU? — Chris gritou, freando bruscamente ao ouvir a pergunta da mais nova. arregalou os olhos, apontando para a rua, ao tempo que ouviam diversas buzinas ao redor.
— Quer nos matar?
— Foi mal — soprou, colocando a mão para fora do carro e acenando, antes de voltar a dirigir — fui pego desprevenido. Tem certeza disso?
— Eu não me lembro — contou, colocando uma mexa do cabelo solto atrás da orelha —, mas Harry me disse ontem…
— E você esperou até agora para me contar? É para isso que existem celulares, Morris! — Resmungou, negando com um aceno antes de passar a mão pelos cabelos curtos — Como foi que a gente se amassou e nem lembramos disso?
— Ei, eu não falei nada de amassos, deve ter sido só um ou dois beijos… — Pontuou, apoiando o braço na janela aberta.
Chris deu uma risadinha sacana, olhando-a de canto:
— A gente flerta há semanas, isso sem contar nossos históricos para encontros… Acha mesmo que não rolou uma pegação?
sentiu o rosto esquentar, mas não respondeu nada, tornando a olhar pela janela e fingindo não ouvir aquela frase. Agora que sua ressaca havia passado por completo, admitia apenas para si mesma que, definitivamente, a pior parte era não lembrar se tinha sido um beijo bom ou não, embora tivesse certeza de que a resposta era sim. Os flertes que faziam, embora às vezes fossem um tanto comprometedores, nunca passaram de palavras que, em sua opinião, eram normalmente piadas, justamente para brincar com os personagens que interpretavam, afinal Chris Evans era um completo oposto de Steve Rogers, mas Morris era bem parecida com Avril Stark, principalmente na parte de encontros. E, mais uma vez, o loiro estava certo: seu histórico de ficadas era bem comprometedor para achar que teriam dado dois beijos e parado, sem nenhuma mão boba ou qualquer coisa. Por Deus, já havia transado num banheiro com o príncipe da Inglaterra em um evento beneficente, nem conseguia imaginar o que poderia ter acontecido na boate, quando estava com uma pessoa com quem ela já se sentia atraída há meses.
Contudo, mais uma vez, se fosse colocar suas fichas em beijar alguém naquela noite, não teria sido em Chris, embora não estivesse arrependida. Talvez apenas por ter bebido muito.
— Mudando de assunto — pigarreou pouco depois, ainda escutando a risada baixa do colega — você sabe se brigamos com o Stan? Parece que ele saiu bravo com um de nós, mas não me lembro disso também…
Evans franziu tanto o cenho, que quase juntou suas sobrancelhas em uma única linha.
— Não faço ideia, mas não tentei falar com ele ontem… — Suspirou, estacionando pouco depois e virando-se para a inglesa — A pergunta que fica no ar é: — começou com o tom de voz sério, sorrindo de canto antes de complementar — quer dar uns beijos de novo?
Morris, novamente, sentiu o rosto esquentar violentamente, rindo sem graça ao tempo que soltava o cinto de segurança;
— Talvez tenha um motivo pra gente não lembrar, Chris…
— Claro que tem, o nome disso é álcool. — Rebateu, saindo do carro pouco depois e pegando sua carteira, colocando-a no bolso da calça antes de seguirem para o prédio da Marvel. — Pois fique sabendo que está perdendo uma chance de ouro, querida! — Piscou sedutor, oferecendo o braço conforme caminhavam — Sou um ótimo partido! Em épocas passadas, seus pais ficariam muito felizes se tivéssemos algum acordo para casar.
o encarou surpresa, começando a gargalhar em seguida:
— Na verdade é totalmente o contrário, se nem mesmo lembrando de como foi você já tá caidinho assim, imagina se lembrasse!
— Não acredito que vou precisar esperar chegarmos nesse arco das gravações — suspirou, segurando a risada.
— Não vai querer que eu quebre seu coraçãozinho, não é?
— Ah, , você já está quebrando, não sabia disso?

🎬🎬🎬


— Eu não quero dividir atenção com você e seu irmão! — Harry protestou negando com a cabeça assim que viu Chris e Scott Evans entrarem no camarim.
— Com medo de uma concorrência, Morris? — Chris sorriu sacana, sentando-se no sofá ao lado do moreno.
— Jamais — negou, suspirando em seguida — mas ninguém me falou que vocês também estariam aqui…
— Eu esqueci — sorriu amarelo, cumprimentando Scott em seguida —, mas foi por isso que nos chamaram para uma reunião na segunda-feira — explicou, passando a língua pelos lábios — querem começar a “me expor” de forma sutil com o elenco, pra melhorar minha imagem com os fãs...
— E mesmo assim você negou sair com o Chris? — Scott perguntou surpreso, vendo o irmão sinalizar nervosamente em seguida — Não seria um bom marketing?
— Você já saiu contando pra todo mundo, foi? — A inglesa perguntou com as mãos na cintura — E tem a coragem de me chamar de fofoqueira, Evans?
— Não que não seja verdade! — Harry adicionou rápido, segurando a risada.
— Gente, vamos, dois minutos! — Um assistente entrou no camarim, chamando os quatro de surpresa. abaixou o tom de voz para que só o trio a escutasse:
— Não vão falar nada sobre esse — apontou dela para Chris — evento!
— Diferente de vocês dois, eu sou ótimo para guardar segredos! — Scott piscou, fazendo Harry rir ao concordar, e os outros dois darem com o dedo do meio.
Os quatro pararam atrás de uma cortina azul, enquanto escutavam o apresentador fazer algumas piadas para então chamá-los:
— Eles já são de casa, vocês já os conhecem e os amam, podem entrar Chris e Scott Evans!
Harry virou-se para , assim que os dois irmãos passaram;
— Não acredito que não fomos os primeiros a serem chamados!
— Bem… Os melhores chegam para o final, não é? — A outra sorriu convencida, fazendo-o rir ao concordar com um aceno.
— E temos hoje, os irmãos queridinhos da Inglaterra que já estão roubando as atenções por aqui, recebam pela primeira vez neste estúdio; e Harry Morris!
Os dois entraram rindo, acenando para a plateia que gritava animada ao vê-los ali, cumprimentaram Jimmy Fallon e então sentaram-se ao lado dos Evans.
— Por que vocês já estavam rindo? — Foi a primeira pergunta de Jimmy.
— É que essa foi a primeira vez que estamos num programa juntos e falam meu nome primeiro. Sempre anunciam o Harry antes, porque ele é o mais velho!
— É sério? — O homem pareceu surpreso, sorrindo junto com os dois — Bom, para a próxima vez eu já vou manter o aviso guardado! E, já que entramos nesse assunto, me contem um pouco sobre vocês, pois já sabemos dos Evans — virou-se para os dois homens, abanando a mão, fazendo pouco caso. Os irmãos fizeram suas melhores expressões ofendidas.
— Eu não acredito que a gente veio e não vai ser o assunto principal!? — Scott colocou a mão no peito, parecendo chocado.
— O que foi que eu te disse, Chris? — provocou rindo, vendo o loiro rolar os olhos — Evans tinha certeza que poderia chamar mais atenção do que nós, mas isso é impossível!
— É que eles não são novidades — Fallon riu — Mas vamos ao que interessa, por partes; , como estão as gravações com a Marvel, e como você está se adaptando?
— No geral está tudo muito bem, o pessoal no set é incrível e eu aprendi a lidar com os haters, então não posso reclamar!
— Isso é verdade, tivemos muitas reclamações com a sua escalação inicial… Alguma ideia do motivo?
— Eu acredito que seja por eu ter ficado tantos anos no papel de Sam Black e, talvez, pelo meu sotaque!
— O sotaque dela era horrível nos primeiros dias de gravação — Chris concordou fazendo careta. — Demorei semanas pra me acostumar, mas hoje em dia está muito bom, nem parece que é britânica!
já está dizendo soccer não tem como ser mais americano do que isso. — Harry comentou, olhando para a irmã com desagrado e fazendo o pessoal ao redor rir.
— Eu já expliquei que só estava situando o Evans! Eu não falo soccer, o nome é futebol e tudo mundo sabe disso!
Soccer! — Os três americanos gritaram ao mesmo tempo, rindo em seguida.
— Não vou nem entrar na discussão, porque a gente não sai daqui! — A mulher cruzou os braços, vendo o irmão concordar.
— Falando em soccer — Jimmy provocou, rindo -, eu descobri, recentemente, que Harry era jogador…!
— Um muito bom, sem falsa modéstia! — Piscou para a câmera, sorrindo maroto.
— Você jogou pela Seleção da Inglaterra, não foi? E pelo Chelsea?
— Exato, fiz minha carreira no Chelsea, cresci na base deles e depois fui pro profissional, jogando pela Inglaterra desde o sub-15.
— E agora eu ouvi rumores de que você será técnico de soccer?
— Rumores confirmados com sucesso, vou para Alemanha em algumas semanas! — Sorriu largo ao concordar.
— E como é a relação de vocês como irmãos? Porque é isso que eu quero saber hoje, vamos ter os Evans vs Morris, e eu quero saber se vai ser algo justo, porque Chris e Scott tem uma relação muito boa, mas e vocês?
Os dois se olharam por alguns instantes, rindo antes de responder;
— Eu detestava a quando ela nasceu, porque ela roubou a atenção dos meus pais — Harry confessou, coçando o pescoço, enquanto escutava risadas — Mas com o tempo fui me acostumando e hoje em dia até gosto dela…
— É mentira, o Harry me ama! Eu sempre conto tudo pra ele, até sobre namorados! E também sei tudo sobre ele!
— Eu não diria tu-do, sabe? — Harry sorriu amarelo, levando um soquinho da irmã.
— E quanto ao ciúme, vocês têm muito um do outro? Porque eu já vi algumas notícias suas, , com alguns affairs…?
— Gente, eu sou solteira, vocês já repararam o tanto de cara bonito que eles colocam perto de mim? — Virou-se para a plateia, ouvindo risadas.
— Isso quer dizer que podemos esperar algum romance entre você e o Evans? — Jimmy ergueu as sobrancelhas sugestivamente. Chris virou-se para encarar , olhando-a de cima a baixo e fazendo uma careta em seguida.
— Não é muito meu tipo, não…
— Puff — rolou os olhos, cruzando os braços e olhando para o lado — já estou pensando em chamar uma dublê caso tenha alguma cena romântica entre Steve e Avril!
Scott virou-se no sofá, tentando encarar Harry;
— Você também tá achando que vamos acabar encontrando os dois aos beijos no camarim ao final do programa?
— No camarim? Eu já estou esperando isso agora, vou até me afastar — respondeu, sentando mais pro lado. Jimmy gargalhou mais uma vez;
— Se esse casal acontecer, começou no meu sofá! — Avisou para a câmera, antes de voltar sua atenção para o inglês — Mas e então, Harry, você chega a falar alguma coisa sobre os namorados da sua irmã?
— Ah, não. Se nem meu pai quer saber muito, eu quem não vou me meter nisso, nem em quem é nem em quantidade. Além do mais, seria bem hipócrita da minha parte dizer que isso é errado, uma vez que, geralmente, eu não passo nem três semanas com a mesma mulher…
sorriu, abraçando-o de lado e beijando-lhe a bochecha.
— Eu só não quero que a lista dela seja maior do que a minha! — Confessou baixo, rindo de lado.
— Mas você fica com ciúmes — Jimmy interessou-se, gostando do assunto.
— Olha… Depende da situação... Às vezes eu pesquiso no Google o cara com quem ela está saindo, só pra ver se é uma pessoa direita…
— Você foi pesquisar o Chris? — Scott perguntou rindo.
Os Morris e Jimmy o olharam, enquanto o outro Evans parecia constrangido, rindo sem graça.
— Não vou mentir, teve esse dia, quando a tava no Brasil, que ela me mandou uma mensagem, dizendo que o Evans estava perguntando quando eles iriam se beijar! — Harry começou contando, os braços cruzados e a pose séria — Na hora eu li e reli aquela mensagem, não acreditando na audácia dele. Quer dizer, ele viu minha irmã uma ou duas vezes e já estava mandando mensagem marcando um esquema?
segurava a risada, enquanto os demais pareciam realmente interessados e curiosos pela narrativa, principalmente por saberem que Evans havia mandando uma mensagem demonstrando interesse, afinal, queriam saber se era uma brincadeira ou tinha algum fundo de verdade;
— Então eu pensei, eu vou para os Estados Unidos bater nesse cara, e isso fica de aviso para os próximos! — Comentou, virando-se para olhar Jimmy — Aí eu inventei de olhar as fotos atuais dele na internet. — O inglês inclinou-se levemente para frente, gesticulando bastante — Vocês já viram o tamanho do braço dele? Cara… — Apontou para o loiro ao seu lado, que começou a gargalhar assim como o restante do pessoal — Eu daria um soco nele e o Evans nem sentiria e eu quem iria apanhar. Eu amo a , mas eu não vou apanhar do Capitão América por causa dela!
— Então tudo bem se a gente se beijar? — Chris questionou ainda rindo, vendo o outro dar de ombros.
— Quando você se arrepender, não diga que eu não avisei!
— Ei! Eu sou um amorzinho! — A Morris protestou, ouvindo o apresentador gargalhar.
— Tenho certeza de que sim — concordou, antes de apontar para a câmera —, voltamos após os comerciais!

Após o breve intervalo, Jimmy Fallon voltou a fazer pose e olhou para a câmera, antes de virar-se para os convidados;
— Agora nós vamos começar o que queremos; o jogo, e a dupla que perder vai passar vergonha em rede nacional! Prontos?
— VAMOS! — gritou animada, assustando a todos. — Preparem-se para perder!
— Ninguém me avisou que a garota era competitiva, não quero mais! — Scott comentou chocado.
— Harry também é assim? — Chris perguntou com a sobrancelha arqueada.
— Eu? Não… — Negou com um aceno, então inclinou-se na direção da irmã — Vamos acabar com eles! — Fingiu sussurrar, vendo-a sorrir ao concordar.
— A brincadeira é muito simples, dois de vocês vão colocar os fones de ouvido, enquanto os outros dois vão responder algumas perguntas, fáceis e talvez constrangedoras. Quem acertar mais, vence. Simples. Todos de acordo?
Vendo os quatro concordarem com um aceno, virou-se para os Morris.
— Vamos começar com vocês que são novidade. Harry, faça as honras! — Entregou-lhe um fone de ouvido e um ipod, esperando o inglês selecionar uma música e então colocar os fones. ainda curvou-se sobre o irmão para ver o que ele tinha escolhido; The Killers, uma das bandas favoritas do mais velho.
— Agora entendi porque me perguntaram minhas músicas favoritas! — Comentou antes de aumentar o volume da música e recostar-se no sofá vermelho, balançando-se ao som de Somebody Told Me.
, sua relação com o Harry é boa?
— Eu diria que melhorou muito depois que eu passei dos quatorze, antes a gente vivia brigando — contou rindo.
— E vocês são de compartilhar muita coisa? Momentos constrangedores e tudo?
— Sim, eu conto tudo pra ele assim que as coisas acontecem… Às vezes eu ligo desesperada esperando alguma ajuda e ele nem me atende, mas tudo bem! — Suspirou, fingindo pesar.
— Ok, serão três perguntas, a primeira é muito fácil; Qual a fruta preferida do seu irmão?
— Cranberry! Eu, particularmente detesto, mas Harry é viciado. Toma suco disso todo dia!
— Próxima pergunta; Quantos anos ele tinha quando deu o primeiro beijo?
— Doze! Não… Dez! Depende… — Mordeu o lábio inferior, inclinando a cabeça, pensativa — Beijo de verdade ou selinho?
— Os dois! — Jimmy perguntou animado.
— Selinho com dez, no aniversário dele, uma menina da sala dele empurrou Harry contra a parede! — Gargalhou enquanto contava — E com doze ele beijou de verdade, acho que era meio apaixonado pela garota…
— Ok, última pergunta; Qual foi a maior cena de ciúmes que ele já fez com você?
— Ah meu deus, eu não sei se posso contar essa! — Cruzou os braços, rindo em seguida e abanando o ar com a mão — Vou contar mesmo assim!
— É por isso que eu amo essa menina! – Chris avisou rindo.
— Teve esse cara, meu ex-namorado, a gente terminou e eu cheguei em casa chorando, não é? — Começou, um pouco mais séria que o normal, embora tivesse um pequeno sorriso nos lábios — Então as reações foram essas; minha mãe começou a dizer que ficaria tudo bem e que eu estava melhor sem ele — Disse, enumerando com a mão — Meu pai começou a reclamar, dizendo que sabia que ele não era uma boa pessoa… Mas dois dias antes eles estavam combinando de ir ao jogo juntos… — Rolou os olhos — E Harry, que até então achava o cara até muito legal, só ficava andando de um lado para o outro e falando “eu não acredito que estava errado sobre ele”. E uns minutos depois ele saiu de casa, dizendo que precisava tomar um ar...
Chris, Scott e Jimmy começaram a gargalhar, assim como a plateia, enquanto Harry apenas arqueou a sobrancelha, alheio a tudo o que acontecia.
— Então, okay, Harry ficou algumas horas fora de casa, eu me acalmei e fiquei conversando com os meus pais, e lá pelas dez da noite, ligaram em casa, e… — Fez suspense, segurando a risada — Era da polícia! Harry tinha sido preso e estava esperando meu pai e um advogado!
— Meu Deus! O que foi que ele fez? Matou seu ex? — Fallon questionou chocado.
— Quase. Bateu no cara e foi preso por isso. Acho que até hoje ele tem a ordem de restrição!
Quando o Morris mais velho pode, finalmente, tirar os fones de ouvido, notou que todos seguravam a risada, deixando-o curioso e um tanto constrangido, sem saber o que a irmã teria dito.
— Harry, sua fruta favorita?
— Cranberry. — Respondeu rápido.
— Ponto para os Morris! — Fallon foi dizendo, olhando sua ficha — Com quantos anos você deu o primeiro beijo?
— Dez, mas eu só considero aos doze.
— Por que? — Perguntou rindo.
Harry suspirou, dando de ombros.
— Eu gostava dessa menina da minha sala, e tinha a pedido em namoro, mas ela disse não. Fiquei triste, porém deixei pra lá. Uma semana depois foi o meu aniversário e ela foi na festa. Aí em algum momento, ela me chamou num canto e me deu um selinho, dizendo que queria ser minha namorada — Arqueou a sobrancelha, negando com a cabeça.
— O que você respondeu? — Scott perguntou curioso.
— Eu pedi antes e ela não quis, eu segui minha vida. Depois que ela me beijou eu falei que já estava gostando de outra garota!
— Fica a dica para vocês, rapazes! — Jimmy piscou para a câmera, chamando o intervalo.


Assim que voltaram, ainda rindo, o apresentador tornou a chamar a atenção, virando-se novamente para Harry;
— Muito bem, até o momento acertou as duas perguntas, agora vamos a terceira; Qual foi a maior cena de ciúmes que você já fez? Ciúmes da ! — Corrigiu ao notar a pequena confusão do inglês.
Harry curvou-se para frente, colocando os cotovelos nos joelhos e apoiando a cabeça, pensativo. Os quatro segurando a risada com a demora do homem de contar a história, já mencionada pela irmã.
— Hm, de ciúmes mesmo não tive nenhuma que eu me lembro… — Coçou a barba rala, voltando à posição anterior. — Já tive que fazer meu papel de irmão mais velho, mas eu considero isso mais como proteção!
— E qual seria esse momento? — Jimmy quis saber, segurando o riso.
Morris cruzou os braços, olhando de lado para a irmã;
um dia chegou em casa dizendo que o cara que ela namorava agora era ex, chorou horrores e contou o que tinha acontecido. — Explicou devagar — Achei que era um absurdo um cara na minha posição não fazer nada a respeito, — virou-se para o apresentador — a posição da época era que eu era atleta até bem forte, então eu claramente poderia bater naquele cara! — Contou, vendo o pessoal rir — Então eu fiz o que qualquer irmão mais velho faria na situação em que eu estava; fui até casa daquele babaca e quando ele abriu a porta eu o soquei na cara. Simples e eficiente.
— Foi só um soco? — Chris perguntou irônico. Harry rolou os olhos.
— Foi uma lição de vida! De qualquer forma, acabaram chamando a polícia e me levaram pra delegacia…
— Você foi preso de verdade?
— Por duas horas, só até explicar o que tinha acontecido e meu pai aparecer para pagar a fiança, porque eu tinha vinte na época… Aí rolou um processo, e eu ainda tive que dar dinheiro para o imbecil! Eu fiquei revoltado! — Bufou, negando com a cabeça. — Mas foi só isso.
Só! — Scott riu, antes de Jimmy voltar a chamar atenção do grupo, e virar para os Evans.
— Muito bem, agora é a vez de vocês!




Continua...



Nota da autora:
Samantha Black e Avril Stark são personagens retirados das fanfics Uma Nova História/Black & Diggory (Harry Potter/Finalizadas) e The Real Side (Avengers/Finalizada).

TEM BEIJO SIM, eles podem não lembrar, mas em teoria teve. VAMOS VER SE TERÁ OUTRO! E ficam aqui alguma aposta para a briga com o Seb: ciúmes?
Até logo! Beijão!

PS: Se você quiser me fazer MUITO feliz, mas o Disqus não deixar, clica AQUI



Outras Fanfics:
Fanfic do mesmo universo, porém com Robert Pattinson:
On Stage
Crossover de Harry Potter e Crepúsculo:
Cedric Diggory aka Edward Cullen
ORDEM CRONOLÓGICA DAS FICS DE HP ABAIXO
The Black's Family Story - Prólogo 1
The Life Inside Azkaban - Prólogo 2
The Death Eater's Child - Prólogo 3
Black & Diggory
Uma Nova História
The Family's Wrong Side / CAPÍTULO 19 DE UNH
Uma Nova História II
Black & Diggory II
Black&Diggory II/Especial
Black & Diggory III
Fanfic de Naruto, com o Gaara de principal:
If I Don't Let You Go


comments powered by Disqus