Contador:
Finalizada em: 05/02/2021

Capítulo Único

I'm losing my self control
Estou perdendo meu autocontrole
Yeah, you're starting to trickle back in
É, você está começando a se infiltrar aqui de novo
But I don't want to fall down the rabbit hole
Mas eu não quero cair nesse buraco sem fundo
Cross my heart, I won't do it again
Juro de coração que não vou fazer isso de novo


2017

abriu um dos olhos, incomodada pela claridade que entrava pela janela em frente a cama king. Ergueu uma das mãos acima da sobrancelha em formato de concha, uma tentativa de fazer sombra e poder enxergar melhor. Soltou um bocejo, a mente raciocinando cada vez mais rápido, abandonando a sonolência e agitando o coração conforme reconhecia o quarto de paredes azul-claro. O dono do lugar roncava próximo ao seu cangote, inclusive havia dito que escolheu a cor, porque atraía sabedoria e espiritualidade.
A mistura de arrependimento e tristeza começou a contaminar o peito e a mente, reavivando as feridas que estavam adormecidas. Retirou, delicadamente, o braço que estava jogado por cima de sua cintura. Esticou o pescoço para vislumbrar o rosto de adormecido e que conseguia ser tão bonito de admirar, foram incontáveis noites observando-o após pegar no sono, correndo o risco de ser flagrada. Ela não tinha culpa de amá-lo tão fortemente e nutrir uma atração absurda que a tirava dos eixos. Quem diria que o Globo de Ouro lá em 2016, colocaria um no caminho do outro e que surgiria um amor tão forte?
Quem diria, né? Mas o amor acabou.
O que não faz sentido algum, pois lá estavam dividindo a mesma cama, depois de seis meses separados. A noite passada havia sido uma recaída e que não estava disposta a repetir, afinal, o único coração quebrado seria o dela.
Escapou dos lençóis e agarrou as roupas caídas no chão, começou a colocar o vestido tubinho, xingou baixinho enquanto tentava fechar o zíper das costas, mas precisaria de ajuda. Agarrou a meia calça, os sapatos e deu uma olhada em seu rosto no espelho redondo que ocupava uma das paredes. Como iria sair dali assim? Seria um prato cheio para os paparazzis, já imaginava as manchetes. E se acontecer, a culpa vai ser totalmente dela por ter cedido ao sentimento que já deveria estar soterrado. Não, quer dizer, a culpa era de Robert por convidar os dois para o seu aniversário na noite anterior. Era isso! Ainda se recordava do sorrisinho animado que recebeu do amigo, quando ele viu o ex-casal saindo juntos da festa, por que ele não tinha impedido? Que tipo de amigo ele era? Ela iria matá-lo!
Passou um dos sapatos para debaixo do braço, liberando uma das mãos e tentou arrumar os fios loiros, uma das mudanças após o término, ou poderia ser confundida com um ninho ambulante.
Não resistiu e virou-se, o peito apertado e a visão ficando turva com as lágrimas, mas o que viu fez o seu coração bater muito mais rápido. O ator estava com os olhos bem abertos, encarando-a seriamente. Toda irritação aqueceu suas veias juntamente com o desespero para fugir dali, por isso seguiu até a porta com passos rápidos, sem se preocupar com o barulho que faria, pois o cretino do seu ex já estava muito bem acordado. Ouviu-o chamar duas vezes e, em seguida, passos atrás de si. Agarrou a maçaneta dourada como um bote salva-vidas e abriu-a, arremessando-se para o corredor, tentou fechar a porta na cara de , mas ele impediu com o pé.
- Precisamos conversar! - Ele falou alto, entrando no corredor.
Ela apressou os passos até a escada, no desespero em evitar de tropeçar, segurou o corrimão e deixou um dos sapatos escapar do seu aperto, resolveu não recuperá-lo na pressa desesperada em colocar milhas de distância entre eles. Antes de descer o primeiro degrau, não resistiu e olhou para trás, um pouco decepcionada pela perseguição que havia parado e o que viu, arrancou um ofego. O ex estava em pé, próximo a porta do quarto, gloriosamente nu com as mãos descansando na cintura e conforme a visão dela ia subindo pelo belo corpo, sentia a si mesma esquentando com um conhecido calor e quando, finalmente, viu o rosto, ele tinha uma das sobrancelhas arqueadas com um sorriso convencido por ser admirado.
bufou irritada, a mente procurando uma desculpa para fugir com dignidade.
- Só queria ter certeza que estava tudo no lugar, depois da noite passada. - Forçou um sorriso provocante e desviou o olhar, começando a descida.
- Qual é, ! Vamos conversar! - Insistiu.
- Não temos nada para dizer um ao outro, terminamos e a noite passada foi um erro.
- Ótimo! - Riu debochado. - Agora, eu sou um erro! - Afirmou para si mesmo, o tom indignado.
O comentário fez com que parasse na metade da descida, a mão apertou forte o corrimão, encarou diretamente Jane, a governanta do ator que a encarava seriamente.
- Você esqueceu quem terminou com quem? - Perguntou indignada, elevando um pouco a voz por estar longe do corredor e não tendo mais a visão do ex, pois como estava do jeito que veio ao mundo, sabia que não iria continuar a perseguição e expor a imagem para os seus empregados.
Ele não disse mais nada.
Ela voltou ao seu trajeto para fugir dali, a cada passo dado era como se um caco do seu coração caísse pelo caminho, tornando a dor ainda mais forte. Lutou contra as lágrimas ao alcançar Jane e forçar um sorriso simpático, a mulher não tinha culpa de presenciar o desentendimento deles.
- Peter está aguardando.
- Obrigada. - A voz dolorida, tentou se conformar que ao menos sairia dali sem ser pega pelos abutres, não queria ter que se preocupar com mais fofocas, pois o seu coração despedaçado já era muita dor de cabeça.
Só queria fugir dali e nunca mais cair naquele buraco novamente.


2019

I tell myself, tell myself, tell myself: Draw the line
Eu falo pra mim, falo pra mim, falo pra mim: Ponha limites
And I do, I do
E eu faço isso, faço isso
But, once in a while, I trip up and I cross the line
Mas, de vez em quando, eu tropeço e passo da linha
And I think of you
E penso em você


O dia estava muito abafado e a piscina da sua mansão estava convidativa, por isso colocou o seu maiô de glitter lilás, pegou a sua boia favorita de pizza e seguiu para a água. Deu alguns mergulhos e depois, colocou os óculos escuro gatinho, deitou na boia para pegar um pouco de sol. Quem visse a cena acreditaria ser a verdadeira imagem do descanso, aura pacífica, super relaxada, mas a realidade é que, por dentro, a mente e o coração estavam agitados. Dizem que o tempo cura todas as feridas, mas no caso específico dela, os machucados continuavam abertos. Como isso é possível?
Quando se divorciou, ela foi capaz de encontrar seu caminho e se livrar do sofrimento, mas com estava sendo totalmente diferente. Há quase dois anos estavam separados e sentia falta do ator, ainda lembrava do relacionamento que tiveram com frequência. Tudo foi muito intenso no período que ficaram juntos, mas alcançou a queda muito fácil e isso fez com que ele decidisse se afastar, o que machucou muito, pois ele foi o primeiro que ela realmente estava afim de se envolver de forma séria, a prova era que tinha se apaixonado de verdade.
Ficaram seis meses separados até que tiveram uma recaída durante a festa de Pattinson, passaram a noite juntos e depois nunca mais se viram. O pouco que sabia da vida do homem era o que via nas redes sociais ou notícias, mas sempre foi muito reservado, então não tinha quase nada. Às vezes sua amiga Sunshine, produtora de eventos, comentava algumas coisas, mas evitava muito.
- ?
- Eu! - Falou assustada. Não tinha ouvido Sunshine que estava em pé na borda da piscina, vestia seu terninho, os pés descalços, a bolsa e os sapatos nas mãos.
- Está tudo bem? Estou torrando nesse sol e você não respondeu. - Franziu a testa em preocupação.
- Cochilei. - Mentiu.
- Percebi! Acho melhor sair desse sol, você está começando a ficar vermelha e não esquece que sua pele tem que estar perfeita para o Globo de Ouro. - Lembrou. Virou e seguiu até o deck de madeira que tinha uma mesa retangular com um conjunto de cadeiras, um guarda-sol que fazia uma ótima sombra. Ocupou uma das cadeiras, o celular em mãos e colocou os óculos no topo da cabeça.
A cantora bufou frustrada enquanto se jogava na água e nadava até a borda da piscina, saindo e seguindo até uma espreguiçadeira, pegou uma toalha e começou a se secar.
- Globo de Ouro… - Repetiu para si mesma num tom triste.
- Imagino como se sente. - Ouviu o tom de pena da amiga.
Caminhou até a mesa, sentou do outro lado da mesa e encarou-a sem lutar para esconder a expressão do seu rosto.
- Praticamente, dois anos e eu não consigo superar o que eu sinto por ele. - Desabafou os pensamentos que rondavam sua mente nos últimos tempos. - Parei para me ouvir e me conhecer mais, escrevi músicas novas, viajei para lugares diferentes e mesmo assim, - Tocou o lado esquerdo do peito. - sinto a falta, sabe? - Fitou-a desamparada. - Chega a doer, Sun! E me pego pensando se ele ainda pensa em mim ou compartilha do mesmo sentimento. - Soltou o ar de forma frustrada. - Tem hora que eu tento pôr limites, evito mexer no celular para não pesquisar sobre ele e quando me rendo, morro de medo de aparecer uma foto com outra pessoa. Isso iria machucar muito, muito mesmo. - Cobriu o rosto enquanto os olhos ardiam. Ouviu o barulho de movimento e, em seguida, braços envolveram seu corpo, se deixou descansar no abraço reconfortante, algumas lágrimas rolando.
- Eu nem sei o que dizer, porque é algo tão profundo que eu nunca senti por outra pessoa, além da amizade. - Sussurrou calmamente, enquanto afagava a cabeça da mulher.
A cantora que adora fazer uma piada da própria vida, riu fraco.
- Pesquisei o que fazer para superar alguém e me indicaram um doutor que faz hipnose, as avaliações eram muito boas. Estou realmente querendo marcar para antes da premiação. - Falou séria, mas a risada estava presa na garganta.
O abraço endureceu e a amiga se contorceu para encará-la, os olhos bem pequeninos enquanto tentava identificar se era brincadeira ou não, afinal, nem sempre tinha tato para perceber as zoeiras da amiga.
- É sério ou está zoando com a minha cara?
- O que você acha? - Soltou. Gargalhou alto, afastando a nuvem negra que rondava sua cabeça.
Sunshine resmungou e libertou-a de seus braços.
- Depois reclama que não sou um amor com você. - A expressão fechada, mas um sorrisinho queria surgir no canto da boca. Pegou o celular e começou a verificar as mensagens.
- Raramente é. Tenho até medo de chover! - Olhou para o céu e riu. - Tá bom! Já parei! - Ergueu as mãos num gesto de rendição e esforçou-se para esconder o sorriso, quando recebeu um olhar feio. - Mas sobre o Globo de Ouro, vou lançar para o destino e confiar que dessa vez, não vou esbarrar com ele. - Tentou afirmar para si mesma, a postura confiante, mesmo que na prática o coração estivesse torcendo para ser o contrário. Como pode um serzinho ser capaz de desejar algo que sabe que vai machucar?
- O problema é se o destino quiser o contrário. - Sunshine observou num tom de dúvida.
deixou a cabeça descansar na mesa, lutando para esquecer essa possibilidade.


Oh, we were such a mess
Oh, nós éramos um desastre
But wasn't it the best?
Mas não era ótimo?
Thought it was done, but I guess it’s never really over
Achei que já tinha acabado, mas acho que nunca acaba de verdade


2017

Apertou os braços com mais força na cintura de e encostou a cabeça nas costas dele que estavam protegidas por um casaco verde musgo. O vento atingia-os com força enquanto a Harley-Davidson preta fazia as curvas pela estrada. Seguiam para um lugar que o homem insistiu em levá-la desde que chegaram para passar o final de semana no Hawaii e desfrutar de um tempo somente deles, longe dos holofotes - não que não tivessem paparazzis e fãs lá, mas eram bem menos do que se estivessem em Los Angeles.
Manteve os olhos abertos para admirar o caminho, mas ao mesmo tempo desfrutar da sensação do corpo quente grudado ao seu. Os últimos meses estavam muito intensos, buscavam estar juntos o máximo que suas agendas permitiam e quando não acabavam num quarto, espalhados entre os lençóis tendo alguma conversa de travesseiro, saíam para algum lugar ou apenas assistiam filmes, tomavam vinho, curtindo um momento só deles. A ideia da viagem foi totalmente dela e quando sugeriu, surpreendeu-se com a animação dele, tanto é que na semana seguinte lá estavam eles.
No primeiro dia, o ator decidiu alugar uma Harley e levá-la para se aventurar numa praia secreta. Arrumaram uma mochila, encheram de lanches e bebidas, além de uns produtos para sobrevivência, afinal, ela não queria acabar perdida igual em Lost.
- Estamos chegando! - Ele gritou numa tentativa de vencer o som do chicotear do vento e do motor.
A motocicleta fez uma curva e começou a desacelerar até parar no acostamento com uma placa de madeira com os dizeres talhados “Kauapea Beach”. Ambos desceram, retirando os capacetes pretos e deixaram na moto. Entregou a mochila para ele enquanto analisava a mata fechada com bastante verde e que impedia ver o outro lado.
- A praia é muito longe? - Perguntou curiosa.
- Feche os olhos. - Pediu com um sorriso divertido. Assim que ela o fez, continuou: - Se concentra no som.
Ela prendeu a respiração e tentou apurar os ouvidos. Ignorou o som da respiração deles e do próprio coração. Ouviu o piar de pássaros, os galhos e folhas que balançavam com o vento costeiro, mas bem de leve captou algo.
- As ondas! - Soltou animada e abriu os olhos, mas a expressão ficou duvidosa. - Mas foi tão baixo que parecia estar muito distante.
- Fica a menos de um quilômetro daqui, a vegetação que abafa o som do mar. - Explicou dando de ombros, ajeitou o boné na cabeça e os óculos escuros, a mochila firme nas costas. - Pronta para conhecer um pedaço do paraíso? - O sorriso empolgado.
- Calma, calma! - Parou atrás dele e abriu a mochila. Começou a revirar lá dentro, retirou um spray e começou a borrifar no corpo todo. Depois foi para frente do ator, espirrou o conteúdo nele e viu a careta de divertimento. - Sabe que tenho alergia a mosquitos, basta uma única picadinha e irei ficar cheia de marcas, além de coçar muito. Melhor prevenir! - Justificou, deu de ombros e voltou para a mochila, jogou o frasco lá dentro e fechou.
- Pronto! Tem certeza que você sabe o caminho? Não estou vendo uma trilha. - Observou com a testa franzida em preocupação.
Ele riu e deu um passo para a borda da mata.
- A praia tem apenas 800 metros de extensão, então até ali, - Apontou uma outra placa. - podemos entrar e seguir reto. A mesma coisa na volta. - Deu de ombros. - Já vim aqui umas cinco vezes ou mais.
- Tudo bem, Tarzan! Vamos em frente nessa aventura! - Indicou com um gesto quando o homem não se moveu. O rosto tornou-se divertido. - Você primeiro! - Riu.
- Siga-me, Jane! - Engrossou a voz. - E irei protegê-la dos perigos da selva. - Piscou.
Depois de uns cinco minutos de caminhada, o vento carregado de sal atingia-os e os pés calçados com tênis afundavam na areia úmida.
- Eu te apresento a praia secreta de Kauai. - Ele falou com expectativa, os braços abertos num arco para indicar ao redor.
- Uau! - Murmurou encantada.
A visão da bela praia tomando toda sua atenção, a faixa de areia realmente não tinha grande extensão, ela era de cor um pouco mais escura por estar úmida, algumas grandes pedras espalhadas, além dessa pequena extensão de areia tinha apenas a costa preenchida pelo verde da mata, rochas e a água do oceano escuro. Ainda estava de manhã, o céu azul tinha algumas nuvens, mas elas estavam branquinhas. O tempo estava bem agradável.
- Teremos paz e privacidade. - disse acordando-a do seu momento de admiração da natureza, pois a sua atenção foi toda focada nele que começou a tirar a camisa, depois a parte de baixo e ela abriu a boca para falar, mas precisou de muita força.
- Vai ficar pelado? - Perguntou com evidente surpresa, mesmo que fitasse a pele nua sem disfarçar a cobiça.
- Claro! Não é sempre que temos essa oportunidade e além do mais, gosto da sensação de liberdade. - Sorriu convidativo. Dobrou as roupas e colocou em cima da mochila. - Você vem? - Apontou para o mar.
- Mas se alguém aparecer? E se fotografarem a gente? - O tom preocupado.
O ator aproximou-se, pegou uma de suas mãos e depositou um leve beijo na palma.
- Estamos numa praia deserta, longe de Los Angeles e da fama que carregamos. - O alívio presente no seu rosto e voz. Sussurrou, mirando-a com intensidade. - Curte esse momento raro de liberdade! Temos pouco tempo até que esse sonho acabe. - Soltou a mão dela.
- Pode ser paranoia minha, mas eu não vou conseguir relaxar se ficar pelada. - Começou a retirar suas roupas e dobrá-las, sentiu-se satisfeita ao vê-lo dar bastante atenção ao seu corpo, assim como ela fez com o dele. - Quem sabe numa próxima. - Deu de ombros, depois abriu um sorriso divertido e deu um leve empurrão nele que o desequilibrou mais pela surpresa pela atitude dela do que pela força em si. - Eu vou entrar primeiro! - Riu e correu em direção ao mar, os pés afundando na areia fofa e gelada a cada passo.
- Veremos! - Ele gargalhou atrás dela e logo, agarrou-a pela cintura e levantou-a alguns centímetros do chão, as costas dela colada à frente do corpo dele. Sentiu o corpo esquentar enquanto tinha ciência que o homem estava como veio ao mundo. A água gelada atingiu-os e arrepiou todo o corpo, espantando até mesmo a empolgação de segundos atrás.
- Gelada! - Repetiu com um gritinho enquanto emergia.
- Refrescante. - Ele falou zombeteiro, uma falsa expressão de relaxamento e longe de estar morrendo congelado como ela.
- Os homens são calorentos. - Constatou com os dentes batendo um pouco. - Vou relaxar na areia. - Aproximou-se para depositar um beijo carinhoso na bochecha do homem, mas ele aproveitou o momento para envolvê-la em seus braços com força para aprisioná-la.
- Não! Fica comigo! - Pediu manhoso e distribuiu beijos pelo pescoço da mulher de uma forma que começou a esquentá-la internamente, até mesmo fechou os olhos para curtir as sensações que causavam em seu corpo. Parou a brincadeira de tentar escapar e aproximou seu rosto do dele, unindo suas bocas num beijo intenso sem muita oportunidade de parar para recuperar o fôlego.
- Estou muito apaixonado por você. - Sussurrou com a boca próxima a orelha da mulher, finalizando com uma leve mordidinha que a fez arrepiar da cabeça aos pés. O coração bateu mais agitado pela surpresa e deleite de ouvir aquela declaração, ela ficou em êxtase por saber que não era a única guardando aquele segredo.
- Eu também. - Ela confessou enquanto segurava o rosto entre suas mãos e sorria apaixonadamente. - Eu também. - Garantiu, antes de iniciar um novo beijo que levou por um caminho e uma primeira vez inusitada, mas que estando com ele seria capaz de repetir milhares de vezes.

XXX


- Estou com fome! - Anunciou enquanto conferia se o biquíni rosa estava nos devidos lugares, os braços do ator continuavam envolvendo sua cintura. Ele estava com uma expressão tranquila enquanto admirava o horizonte. Não sabia quanto tempo estavam na água, afinal, continuava ali dentro desde que chegaram e a situação deles seguiu por um caminho muito apaixonado.
- Agora que você falou, eu também estou. - Riu. Libertou-a e segurou-a por um dos ombros, os movimentos mais lentos pela água enquanto seguiam de volta para a areia.
- Droga!
- O que foi? - Perguntou preocupado pelo tom repentino da mulher, assim que pisaram na areia e saíram da água. Olhou ao redor em direção a mata e identificou o motivo do desespero.
A mulher colocou as costas na frente do corpo nu dele numa tentativa de protegê-lo dos flashes, uma atitude que realmente tocou o coração e se beijá-la não fosse render mais alvoroço por estar pelado, além dos rumores de estarem fazendo amor numa praia - o que realmente aconteceu e torcia para que o cara tivesse chegado atrasado. - ele realmente a encheria de beijos em agradecimento pela atitude.
- Vá embora! - Ela gritou irritada, com os braços para trás, segurando-o pela cintura para mantê-lo atrás de si. - Some daqui!
O paparazzi entrou novamente na mata com sua câmera a tiracolo e sumiu de vista.
- Calma, meu amor. - Tranquilizou-a, começou a massagear os ombros tensos que foram relaxando pelo gesto. - Ele já foi embora, não vamos estragar esse dia tão bom.
Ela suspirou tristemente sem virar e interromper a massagem.
- Eu avisei que isso iria acontecer! - Resmungou irritada. - Daqui a pouco o John vai te ligar surtando, porque a sua bunda vai estar rolando na internet.
- Não só a minha bunda, amor. - Acrescentou divertido. - O meu p…
- Pior ainda! - Cortou-o antes que pudesse completar a palavra. Jogou os braços para o alto e virou de frente, ele deixou cair os braços ao lado do corpo. - Não quero imaginar as fofocas que vão inventar! - Cobriu o rosto com uma das mãos, a água do mar alcançando os pés de ambos, quando as ondas quebravam na areia.
- Nada mais do que a verdade sobre o que realmente fizemos ou vamos fazer mais vezes. - Comentou despreocupadamente, mas o sorrisinho de canto apareceu.
A cantora abandonou a irritação e gargalhou alto com o comentário enquanto se jogava nos braços do ator, beijando-o.


Two years and just like that
Já faz dois anos, mas num piscar de olhos
My head still takes me back
Minha mente ainda me faz voltar
Thought it was done, but I guess it’s never really over
Achei que já tinha acabado, mas acho que nunca acaba de verdade

Ela sentia-se presa num déjà vu enquanto terminava suas fotos no tapete vermelho da premiação do Globo de Ouro. As mãos suavam de nervoso, qualquer homem de smoking que tinha um porte parecido com causava palpitações em seu peito, primeiro vinha o susto e depois, o alívio por não ser o homem. Não estava preparada e não queria ter que encontrá-lo, bateu o arrependimento por estar ali, mas ficar em casa era o mesmo que admitir que ainda o amava e que não seria capaz de olhar dentro dos olhos dele novamente. Assim como suas lembranças daquela cerimônia, tudo se repetia desde o momento que pisou para fora do seu carro e que sentou a bunda no seu lugar.
Depois de horas tensas, discutindo mentalmente com o próprio coração, os seus olhos traidores esquadrinharam o máximo de mesas ao alcance e uma mistura de alívio com tristeza lhe dominou, quando não o encontrou.
- Você pode ir para casa, se preferir pular o after. - Sentiu a mão de Zooey Deschanel cobrir a sua e apertá-la de forma reconfortante. - Eu não o vi, mas pode ser que apareça lá. - Não precisou citar o nome para saber de quem a amiga estava falando, afinal, ela conheceu o ator no after por causa da amiga. Qual seria a chance de se repetir?
Estava prestes a abrir a boca para dizer que não tinha problema, mas foi cortada.
- Sei exatamente como se sente ou não se recorda de mim mesma anos atrás?
refletiu por alguns segundos.
- Pode não ser hoje ou amanhã, mas alguma hora vamos nos esbarrar. - Deu ombros. - Não vou poder evitar para sempre. - Resignou-se tentando transparecer toda a coragem que sequer existia.
- Mas você pode atrasar mais um pouco até estar cem por cento superado.
revirou os olhos, forçou um sorriso de divertimento e aproximou mais o rosto para que outras pessoas não ouvissem a conversa.
- Dois anos e não superei nem a metade do que deveria à essa altura. - Zombou.
A amiga arregalou os olhos surpresa com a revelação.
- Então, por que não conversa com ele? - Perguntou baixinho. - Pelo o que fiquei sabendo…
A cantora estendeu a mão num gesto para pará-la.
- Nós acabamos. - Reforçou. - Esse tempo separados prova isso e eu vou superar de uma vez por todas em breve. - Falsa confiança banhou sua voz.
Deschanel suspirou derrotada e ergueu-se da cadeira, estendeu a mão num convite para ser acompanhada.
- Então, vamos nos divertir! - Anunciou animadamente e fez a outra rir enquanto agarrava sua mão, seguindo-a pelo salão a caminho do afterparty.


Just because it’s over, doesn’t mean it’s really over
Só porque acabou, não significa que realmente acabou
And if I think it over, maybe you’ll be coming over again
E se eu ficar pensando nisso, talvez você apareça de novo
And I’ll have to get over you all over again
E eu vou ter que te superar de novo


- Você sabe que não pode fugir para sempre, né? - Dicaprio tomou um gole do champanhe, a mão livre descansando no bolso da calça do smoking preto. - Uma hora vai ser obrigado a falar com ela. - Desviou o olhar de que conversava com um grupo a alguns metros de distância, sem qualquer noção de que ele e observavam cada movimento.
- Ela me superou e eu deveria ter feito o mesmo, mas não consigo. - Soltou frustrado sem conseguir desviar os olhos da mulher. Havia até esquecido do champanhe que esquentava em sua taça.
Estavam numa after party há mais de uma hora, conversaram com vários amigos e conhecidos, mas nunca se afastou o suficiente da ex-namorada que permanecia todo o tempo rodeada de pessoas, distribuindo o sorriso que ele mais amava e que lhe caía tão bem.
Aquela noite parecia um déjà vu, quase desistiu de comparecer à cerimônia, pisou no tapete rezando para não colocar os olhos nela, mas o destino rebolou na cara dele e viu-a na hora das fotos. E todos os sentimentos, tudo que preenchia o seu peito desde que se conheceram lhe atingiu feito um caminhão recheado de concreto, nocauteando-o. Ashley teve quase que rasgar a manga do smoking para arrancá-lo do lugar e levá-lo para o salão. Ele não tinha culpa se, vê-la de perto, mudava muito as coisas. Na noite que tiveram de recaída, dormiu com a certeza de resolver tudo na manhã seguinte, mas quando a cantora acordou primeiro e quis fugir como se a vida dela dependesse disso, largando-o nu no corredor da própria casa, decidiu desistir de procurá-la para conversar e reatar, mesmo que fosse a atitude mais madura. Voltar ao local que cruzou os seus caminhos, colocou a situação em cheque e ele estava muito tentado a abordá-la na frente de todos, implorando pelo perdão e amor, mas não seria justo com ela. E tinha a grande pergunta de um milhão de dólares: ela ainda o amava?
- Não sou a melhor pessoa para conselhos sobre o amor. - Leonardo riu e tomou mais um gole, voltou a encarar o amigo. - Mas ouça o seu coração. - Deu um tapinha no ombro de e saiu, deixando-o ali com os próprios pensamentos.

XXX


- Vou ao banheiro. - Deschanel anunciou para o grupo de amigos.
Os olhos de se arregalaram em desespero, afinal, dois anos atrás após esse acontecimento, a amiga voltou trazendo dando início a trágica história de amor deles.
Por isso, segurou-a pelo braço com uma expressão desesperada, atraindo olhares divertidos das pessoas que conversavam com elas.
- Não!
A atriz sacou a situação, o rosto com evidente pena.
- Prometo que não vai vir comigo.
- Jura?
- Juro. - Soltou a mão com delicadeza e virou as costas, seguindo para o banheiro.
A cantora não iria arriscar que tudo se repetisse, por isso agarrou sua bolsinha de mão, disse para os amigos que iria para casa e adiantou-se para fugir dali.

XXX


- !
A voz masculina que rondava sua mente durante todos esses anos, soou alto atrás de si juntamente com sons de passos. O coração bateu acelerado enquanto parava na calçada na parte de trás do prédio onde estava rolando a after party. Milagrosamente, não havia paparazzis apenas o movimento de veículos na rua, os seguranças que guardavam o lugar e alguns convidados que fumavam os seus cigarros enquanto mexiam em seus celulares, alheios a qualquer movimentação ao redor.
- ! Oi! - Soltou com um sorriso que com toda certeza deve ter sido mais uma careta, pois o ator tornou-se inseguro. - Que surpresa te encontrar aqui! - Falou a única coisa decente que foi capaz de sair de sua boca.
O nervosismo consumiu por completo enquanto via-o tão de perto, olho no olho, o smoking de corte perfeito em seu corpo, o cabelo escuro levemente arrepiado, o rosto bem barbeado, a pele dourada. Continuava belo como em suas lembranças, machucando-a ainda mais.
Ela obrigou-se a desviar o olhar ou choraria bem na frente dele, forçou-se a encarar a rua como se procurasse o seu motorista para tirá-la dali imediatamente. Não seria capaz de manter uma conversa casual com o homem que ainda amava profundamente.
- Será que podemos conversar? - Ele pediu num tom de insegurança. As mãos estavam dentro dos bolsos da calça.
- Olha, não quero parecer rude, mas não temos o que conversar. - Falou seriamente, mesmo que o coração estivesse em pedaços no peito. A razão falando mais alto. - Foi bom te rever, mas estou de partida. - Apontou o polegar para a rua e preparou-se para se virar, iria a pé mesmo que tivesse que se arriscar, mas a última coisa que queria era arrancar o band-aid da ferida que não cicatrizou. Já iria sofrer o suficiente pela troca de palavras, iria passar a noite em claro montando milhares de cenários com “e se?” até a mente entrar em curto circuito, o cansaço ganhar a guerra e pegar no sono.
Ele segurou o seu braço levemente, o toque de sua mão suada mostrou o quanto estava compartilhando do mesmo nervosismo, por isso ela manteve-se no lugar e decidiu ouvi-lo. Seria uma merda tentar superá-lo no dia seguinte, mas nada do que já estivesse enfrentando esses anos. Talvez, ele também sofresse o mesmo.
- Tudo bem. - Concordou, libertando o seu braço com cuidado e cruzando-o na frente do corpo, lutou para manter a expressão séria enquanto o encarava, o peito parecendo querer explodir.
Viu-o soltar o ar em alívio, as mãos caindo ao lado do corpo.
- E então? - Ela insistiu após ficarem mais de um minuto encarando-se sem dizer uma palavra sequer.
- Eu te amo. - Ele soltou na lata, sem dó nem piedade, sem preparar a mulher para as três palavras.
- O quê? - Perguntou chocada, a boca levemente aberta, os olhos esbugalhados enquanto a mente ia absorvendo aquela informação, as lágrimas começando a surgir e embaçando a visão. Tentou concentrar-se para não derramá-las bem ali, por isso encostou a língua no céu da boca e ergueu a cabeça. Depois, caiu em si que a sua ação denunciou que estava prestes a chorar.
- Eu ainda te amo. - Corrigiu. - Você pode rir da minha cara ou me achar um babaca pelo o que vou te dizer, mas aceito qualquer coisa que disser. - Respirou fundo criando coragem para falar, a emoção transbordando em sua voz, o tom rouco pela emoção. - Eu fui um babaca por não ter corrido atrás de você mesmo estando pelado. - Fitou-a arrependimento evidente. - Eu fui um babaca por aceitar ficar longe esse tempo todo, mas essa noite eu te vi toda sorridente e parecia a primeira vez que te vi naquele mesmo lugar. - Lágrimas começaram a escorrer pelo rosto dele, secou-as.
A cantora ficou incrédula por vê-lo chorar. O coração apertou e teve que lutar para se manter no lugar, sem mover um músculo, apenas apertou ainda mais os braços em volta de si mesma para se impedir de confortá-lo.
- Merda! - Xingou baixinho. - Dois anos longe e eu não te superei! Como isso é possível? - Perguntou indignado, fungou e secou mais lágrimas.
olhou ao redor e viu os seguranças, os fumantes observando aquela cena com curiosidade. Lançou um olhar sério, mas evidenciando a sua irritação e as pessoas desviaram a atenção da cena com desconforto. Quando ficou satisfeita, voltou a encarar o ex que estava numa mistura de fungar, secar as lágrimas e encarar o chão. Ele realmente surpreendeu-a com aquela reação, pois achava-o tão maduro, não só pela diferença de idade, mas a postura dele. Se bem que sempre foi muito sentimental em relação aos laços que construía com as pessoas, mas como iria imaginar que reagiria da mesma forma com ela? Afinal, era a primeira vez que se esbarravam depois de dois anos.
Ele deu dois passos na direção dela, mas parou quando viu-a dar a mesma quantidade para se afastar.
- Você me superou. - Ele afirmou para si mesmo, a voz resignada. - Faz todo sentido! E não agiu errado, mas…
- Isso tudo é a verdade? Você realmente me ama? - Perguntou seriamente.
Viu-o abrir um sorriso envergonhado.
- Claro! Não é fácil esquecer uma mulher maravilhosa como você! - Coçou a nuca timidamente.
Ela sorriu sem graça, mas a expressão tornou-se cautelosa.
- Olha, eu admito que não deixei de te amar, mas eu tenho medo de voltarmos e depois de um tempo, acabar e ter que enfrentar tudo isso de novo! - Fez uma careta. - Foi difícil, imagina ter que sentir essa dor mais uma vez. - Apontou para o próprio peito.
Dessa vez, ele se moveu com mais segurança e segurou-a pelos ombros, a expressão séria.
- Você não precisa se preocupar com isso! - Garantiu. - Não iremos nos separar novamente, não se depender de mim! O destino nos deu uma segunda chance essa noite e eu não vou desperdiçá-la, mas e você? - Expectativa brilhou em seus olhos.
Ela mordeu o lábio inferior, a mente parecendo um turbilhão de pensamentos enquanto o coração só berrava dentro do seu peito pedindo para que ela aceitasse logo de uma vez, afinal, o pobrezinho não queria continuar sofrendo.
Fitavam-se em silêncio, o ator exalando expectativa e nervosismo pelos seus poros enquanto suava por dentro do smoking, não se sentia dessa forma desde a primeira vez que fez uma audição para um filme no início de sua carreira. A cantora estava com as pernas trêmulas, uma mistura de emoções e sensações enquanto sentia o perfume do ator, a pele quente das mãos escorregadias em seus ombros nus. Tinha consciência que a palavra que saísse de sua boca naquela noite iria selar o seu destino. Será que realmente era chance que eles esperavam cair do céu para que reatassem? E se ele fosse o homem da sua vida? Ela jogaria isso no lixo? Mas e se não fosse? E se nada disso fizesse diferença e em alguns meses, eles se separassem novamente e tivesse que reaprender a superá-lo? Jogar a razão para o alto e se lançar cegamente no amor? A grande questão é: ela se imagina daqui dez, vinte anos ao lado do ?
Não precisou pensar em mais nada.
Ela abriu um sorriso divertido com a constatação.
- Eu também não vou desperdiçá-la. - Soltou com a voz trêmula de emoção, mas logo soltou um grito divertido de protesto, quando o ator agarrou-a pela cintura e ergueu-a, girando-os com muita alegria.
- Para! - Tentou protestar, mas foi interrompida pelos lábios que se colaram aos seus com muita intensidade, nesse momento enquanto correspondia o beijo, percebeu que sentiu mais falta do que imaginava e que a sensação de senti-los novamente era mil vezes melhor do que lembrava.


Meses depois

- Hoje eu começo o programa com a fé no amor restaurada! - A âncora do jornal News 4 You, Jane Pyndberg, disse com fervor enquanto andava até sua poltrona que ocupava a parte central do cenário. - e estão oficialmente noivos! - Sorriu e bateu palmas. - Um casal que se conheceu no Globo de Ouro em 2016, depois de alguns meses se separou e, em 2019, foram flagrados juntos novamente. Boatos de que o Globo de Ouro foi responsável por unir esse casal mais uma vez. - Ocupou a poltrona, cruzou as pernas e encarou a câmera diretamente. - Annelise Normatenda tem todos os detalhes para nós, não é mesmo Annelise?
A tela foi dividida com a imagem da repórter com um microfone na mão, sorridente e um fundo com a foto que foi postada no perfil da cantora na noite anterior. Ela solta um gritinho de empolgação e ri juntamente com a âncora.
- Desculpa! É impossível não ficar empolgada com esses dois! Isso é uma verdadeira história de amor do cinema. - Ela falou com muita empolgação, chegou um pouco para o lado, permitindo que a imagem do casal que foi postada na noite anterior aparecesse. Via a metade superior do rosto do casal, acima de suas cabeças, era possível ver o teto repleto de balões vermelhos de coração. O que chamou a atenção foi que a tinha uma mão apoiada na lateral próxima ao olho, aparecendo o dedo anelar esquerdo com um belíssimo anel em formato de flor, o centro era uma pedra branca arredondada e em volta, outras na cor vermelha, lembrando pétalas.
Continuou a repórter: - Ontem à noite, tivemos o Valentine 's Day e parece que a cantora teve uma bela surpresa. Essa foto foi postada ontem e parece um pedido surpresa de casamento! - Indicou o anel que aparecia na imagem. - Tentamos contato com a assessoria de ambos, mas ainda não tivemos resposta.
- E nem precisamos de uma resposta! Como diz o ditado, essa imagem vale mais do que qualquer palavra ou mil! - Jane riu e fez um gesto de pouco caso com a mão, sabia que tinha citado errado, mas estava satisfeita com sua própria opinião. - Eles reataram depois do Globo de Ouro do ano passado, né?
- Então, os rumores são que reataram realmente mês passado, mas depois que se reencontraram no Globo de Ouro. - Finalizou, o sorriso ainda estampado no rosto.
- Que sejam muito felizes e quem sabe em breve, não teremos uma mini ou por aí? - Jogou a possibilidade com um sorriso inocente no rosto e um olhar afiado.




Fim.



Nota da autora: Amo um casal e é esse! <3 Espero que tenham gostado! Obrigada a pitaqueira Becky pela sinopse maravilhosa! Obrigada Flávia pela ajuda com essa ficstape e também, Mari por ler e me ajudar com essa fic!
Obrigada, meninas! ❤
Beijinhos e até a próxima! <3

Ei, leitoras, vem cá! O Disqus está um pouco instável ultimamente e, às vezes, a caixinha de comentários pode não aparecer. Então, caso para você deixar a autora feliz com um comentário, é só clicar AQUI.


Outras Fanfics:
  • Bônus: Leaving Tonight [Ficstape #124: The Neighbourhood - I Love You/Finalizado]
  • Bônus: Baby Came Home [Ficstape #124: The Neighbourhood - I Love You/Finalizado]
  • Café com Pattinson [Atores/Em Andamento]

    Nota da beta: Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.


  • comments powered by Disqus