CAPÍTULOS: [01][02][03][04]





11:11






Última atualização: 05/06/2017

Primeiro Capítulo


- Te encontro em 20 minutos. - Sussurrou Dylan, o jogador mais gostoso do colégio, em meu ouvido, quando me viu fechando o armário e ele, saindo do treino. Olhei para trás e ele já estava de costas para mim. Eu poderia fazer um grande estrago nessas costas.
- Oi, . - Leah chamou.
- Hey. - Sorri.
- O que aconteceu? – Perguntou, provavelmente pelo meu sorriso.
- O Sprayberry… - nem terminei de falar.
- V.A.D.I.A! - Soletrou animada dando pulinhos e eu ri. Nós andamos para fora do colégio onde iríamos comer e onde daqui a 15 minutos iria encontrar Dylan.
- Vai comer alguma coisa antes? - Perguntou abrindo seu potinho de salada de frutas.
- Acho que não. Estou bonita? - Perguntei me olhando no pequeno espelho em minha mão e sorrindo.
- Sim. Como sempre. - Falou Kim chegando e nos cumprimentando com seu jeito todo animado de sempre.
- Vou indo então. - Falei com um sorriso safado e elas riram.

(…)

Cheguei e Dylan estava mexendo no celular. Ele olhou e sorriu. E então saiu da mesa que estava sentando (coisa comum nesse colégio). E pegou minha cintura e simplesmente me beijou. Ele beijava MUITO bem! Tudo começava a esquentar. Ele me encostou a uma árvore lá perto e ficou com a mão na minha bunda. Não sabia onde deixar minhas mãos, uma estava em sua barriga, arranhando levemente, e a outra ia da barriga bem definida à sua nuca.

- A gente podia ir para outro lugar, né? - Sugeriu quebrando o beijo.
- Você tem jogo daqui a pouco! - O lembrei, e ele sussurrou um "merda", eu ri e voltamos a fazer o que estávamos fazendo antes.
- ! - , meu melhor amigo, chamou e eu quis matá-lo por um momento.
- Merda. - Falei um pouco alto demais, me afastando de Sprayberry.
- Dylan, você está atrasado para o jogo… O treinador está louco. - Falou com um sorrisinho nada legal. Odeio esse sorriso. Dylan olhou pra mim, me deu um selinho e saiu, com , , Liam, Louis e Niall. Deixando Leah, Kim e eu para trás.
- Vocês vieram para…? - Perguntei meio grossa, por: 1- Avisaram que eu estava com Dylan. 2- Elas estragaram meu dia.
- Você sabe que ama a gente! - Falou Kim e as duas me abraçaram.
- Vamos ir ver o jogo? - Perguntou Leah.
- Claro! me mata se eu não assistir! - Avisei.

(…)

Pov .

O jogo tinha sido perfeito. Consegui fazer 2 gols no holdhotland, time adversário, ou seja, estamos nas finais.

- Cara, você é muito sortudo! Como conseguiu? - Perguntou Dylan para Corey (do time adversário).
- Eu fiquei com ela na festa da , depois fomos pra minha casa e cara, não me arrependo em momento algum. Ela é perfeita! - Agora Corey dizia fechando os olhos e mordendo o lábios inferior.
- Ah, como me arrependo de ter ficado com ela aqui! Quando vou ter a oportunidade de ir pra cama com de novo? - Falou e bateu à porta do armário com Corey rindo.

(…)

- O jogo foi perfeito. - falou pulando no colo do e abraçando o mesmo.
- Sim, foi. - Ele respondeu dando um beijo em sua bochecha.
- Vamos comer algo? - Kim falou e eu assenti, então fomos para a cantina do colégio.
- Outro Jogador ? - Perguntou Niall.
- Pelo menos foi do nosso time, dessa vez! - Falou Liam e nós rimos.
- Aah, o Sprayberry é maravilhoso. - Falou e eu me lembrei do ocorrido.
- Ouvi ele e o Corey conversando no vestiário depois do jogo. - Falei e ela abriu um sorriso.
- Do que eles estavam falando? - Perguntou… Surpreso? Sim, estou, ela me odeia.
- Dylan se arrepende de não ter ido pra cama com você e Corey se gaba por ter ido… E como não se arrepende, e faria de novo, e blá blá blá. - Falei resumidamente com voz de tédio.
- Ah, sim… Quem sabe um dia? - Sorriu safada.
- Então… Tá tudo certo pra amanhã? - Perguntou e todos assentiram ansiosos pela sexta à noite.

(…)

Pov .

O dia no colégio passou super-rápido, por incrível que pareça. Quando dei por mim, já estava colocando o shorts para ir pra casa de . Meu short era um pouco curto, mas nem me importei, me olhei no espelho e sai.

- E aí… Como estamos? - Perguntei.
- Estamos um arraso! - Leah falou, típico dela.

Chegamos e Leah foi direto falar com Niall a sós, daria de tudo para saber sobre o que eles falavam. Eles dois estão próximos demais ultimamente.

Pov Leah.

Chegamos e Niall estava exatamente onde tínhamos combinado. Deixei as meninas para trás e fomos conversar.

- Acho que já está na hora de falarmos para eles, não? - Nini sussurrou.
- Falar o quê? Nós não temos nada… - Falei revirando os olhos e me distanciando.
- Não? - Perguntou me puxando com um sorrisinho safado e abriu uma caixinha com uma aliança dentro.

- Ai meu Deus, Niall! - Falei um pouco alto demais.
- Namora comigo? - Perguntou e eu respondi que sim. É claro, Omg! Niall acabou de me pedir em namoro, estou sonhando?

Voltamos para a sala de mãos dadas e todos olharam com os olhos arregalados.

- Estamos namorando! - Falei sorridente e Niall depositou seu ombro no meu.
- Há, , pode passar meu número pro Cody! - gritou animada, xingou e ela riu.
- Como assim? - Perguntei curiosa e surpresa.
- A gente já estava suspeitando há um tempo… - começou.
- E então nós fizemos uma aposta e eu ganhei. - Continuou animada e bufou.
- Você não cansa de ser assim? - Perguntou irritado.
- Assim como? - Ela perguntou.
- Pegar um garoto atrás do outro, não ligar pro sentimento de ninguém? - Respondeu.
- Não sei por que está me perguntado isso… você não é muito diferente de mim, . - Ela falou irritada e saiu.

Pov .

- Quem pensa que é pra falar essas coisas para mim? - Perguntei irritada e riu.
- Ele só esta se preocupando com você. - Avisou.
- Sei me cuidar sozinha… - falei meio grossa.
- Queria que alguém se preocupasse comigo assim… - Admitiu olhando para o nada, deu um suspiro e voltou ao que estava fazendo.
- Acredite, você não queria.
- Sim, eu queria… O gosta de você, só você ainda não percebeu! - Falou me entregando a garrafa de vodka vazia.
- O que é pra eu fazer com isso? - Perguntei ignorando o que ela tinha dito antes.
- Põem em algum lugar. - Pediu.
- A gente pode fazer outras coisas com ela… Vamos jogar Seven minutes in haven? - Perguntei já sorrindo, amava esse jogo.
- Ou, eu nunca! - Falou e eu assenti e fomos pra sala.
- Ei, quem quer jogar eu nunca e depois SMIH? - perguntou e todos se levantaram animados indo para o quarto de jogos da casa de . A casa de todo mundo tinha que ter um quarto chamado "quarto de jogos", e era obrigatório ter um closet.

(…)

- Eu nunca… Beijei uma garota. - Leah falou e , eu, Niall, , Liam e bebemos. Porque só as santinhas não beberam, é claro.
- Como assim, ? E, ? - Perguntou Kim de olhos arregalados como todos os outros.
- Ah, em uma festa que fomos… estávamos jogando verdade ou desafio, e foi um desafio, aí eu beijei a . – Explicou se lembrando de uma festa que fomos ano passado. Fazer coisas novas era a coisa mais divertida para mim, ou melhor, experimentar experiências novas, não que eu fosse lésbica ou bi, mas você sempre tem que experimentar uma coisa.
- Esse dia foi legal. - Sorri.
- Eu queria ter presenciado. - idiota comentou mordendo o lábio.
- Então somo dois. - concordou e logo olhou para mim e eu quis rir pela sua cara de assustado. Preocupado com meu comentário, ele apenas abaixou a cabeça e eu sorri, deixei essa passar, não sou tão estraga prazeres.
- Tá… Eu nunca comi o Niall. - falou e eu quis rir, e então, só Leah bebeu.
- O QUÊ? - Gritei e eles riram.
- Não consigo acreditar. - falou e todos concordaram.
- Por que não? - Perguntou indignada.
- Porque não dá pra imaginar vocês dois… Como não dá pra imaginar a e o , entende? - Kim tentou explicar e eu fiquei meio confusa.
- O que eu tenho a ver? - Perguntei desentendida e ela riu.
- Nada, meu amor, você nunca ia entender. - Ela disse e eles continuaram o jogo.

(…)

Já estava cansada de jogar eu nunca, a maioria das coisas que falavam já tinha feito. Sempre tinha que beber, meu copo estava quase acabando.

- Vamos jogar SMIH? Depois a gente continua o eu nunca. - Falou Leah.
- Vamos. - Concordei gostando da ideia e me arrumando em perninha de índio para ficar em uma posição confortável.

(…)

- Tá, então, vamos lá… - Disse rodando a garrafa que caiu em Kim e . Ah, é típico, eles sempre se pegam nesse jogo, parece até uma válvula de escape pros dois.
- 7 minutos… sem mais nem menos, amores! - Falei brincalhona e eles riram.
- Eu não sei como sempre cai neles, e de primeira. - Falou pensativa. Isso não é possível. Mesmo se jogávamos com nossos outros amigos, ainda sempre caia neles e não eram poucos amigos, eram muitos.
- Coisa do destino. - Liam falou e eu concordei.
- Só que eles ainda não sabem. - Louis disse dessa vez.
- Não sabem ou nenhum dos dois tomam uma atitude? - falou e eu fiquei pensativa. Pelo menos uma coisa que presta ele falou. Eu poderia juntar esse casal.

Os 7 minutos se passaram e nada deles saírem, então Niall foi lá avisar que já havia acabado, era engraçado como as pessoas saiam de lá sempre com o cabelo bagunçado e com a boca inchada.

(…)

Quase todos haviam ido, menos eu, essa garrafa deve ter algo contra mim, porque nunca cai em mim.

- Tá, vamos lá, última rodada. - falou girando a garrafa e ela parou em mim e no . Pqp. Bom, eu queria que ela caísse em mim, ia ser ótimo, mas, poxa, tinha que ser bem no ? Ele é tão insuportável.
- Ah… Você quer ir mesmo? - Perguntou meio tímido e eu assenti, fomos pro closet e Niall pediu para não nos matarmos. Eu, pelo menos, ia tentar não matá-lo. Passaram dois minutos e ficamos em completo silêncio, sem nenhum dos dois falar algo ou pelo menos tentar.
- Você vai…
- , cala a boca e me beija. - Falei mandona e ele sorriu safado e me beijou. Senti um choque quando nossas bocas se tocaram, era tão… Esquisito, não sei, mas era bom. Ele beijava tão bem. As mãos dele passeando sobre meu corpo, fiquei arranhando seu abdômen superdefinido, ele falava algumas coisas em meu ouvido que me deixava arrepiada. E então parei de beijá-lo e comecei a dar chupões que provavelmente ficariam marcas em seu pescoço. Estava muito quente dentro desse closet, nem respirar, eu conseguia. Ele gemeu meu nome e quase morri, me arrepiei inteira. Então ele me colocou em seu colo e voltou a me beijar, colocando sua mão para dentro de minha camiseta, comecei a arranhar de leve suas costas e ele estava de regata branca, o que ajudava no processo. O beijo foi ficando cada vez mais intenso e então alguém abriu a porta do closet. Eu estava no colo de encostada na parede, com ele com as mãos por dentro da minha camiseta, quase morri de vergonha por ter meus amigos tendo essa visão, mas ninguém mandou eles abrirem o closet.
- Hm, Uou, era pra vocês não se matarem… - Niall falou meio surpreso e nós rimos.

Sai do closet arrumando meu cabelo disfarçadamente, antes que , Leah ou até mesmo Kim começassem a falar sobre, mas já era tarde.
- Espera! A ficou com o ? É isso mesmo? - Perguntou Kim com todo seu jeito escandaloso.
- No Way! "Sei me cuidar sozinha"… - repetiu minhas palavras de umas horas antes.
- Jesus… Não acredito que vivi para ver isso. - Leah gritou e todos riram, ah, como eu amo essas três idiotas.
- Não sei se pergunto, mas… Isso tá ardendo? - Niall perguntou apontando para as costas de , que estava com marcas de unhas.
- Não. - Ele respondeu tentando olhar para as costas e sorriu.
- assassina. - Liam brincou e eu ri com muita vergonha, mas ri.
- Querem assistir algum filme depois dessa? - perguntou se levantando e pegando os filmes de terror que ficavam na prateleira do "quarto de jogos".
- Eu tô morrendo de vontade de assistir A Casa de Cera… Você tem? - Dei a ideia porque se não eles iam ficar até amanhã decidindo qual assistir, e também estava morrendo de vontade de assistir.
- Sim, vamos assistir esse então! - disse pegando o dvd e saindo do quarto. Então o seguimos até a sala de TV e sentamos no gigante, espaçoso e confortável sofá. Ele era largo de um jeito que dava para deitar e os lados em forma de "L" separados do meio. Era para mais ou menos 15 pessoas e estávamos em 9 pessoas. se sentou ao meu lado quando ia sentar, então ela andou para o outro sofá onde se sentou com Liam e Louis. No mesmo sofá estava Kim e , e no do lado, Niall e Leah. O filme estava em uma parte "forte", vamos dizer assim. Olhei para que não parava de encarar a TV desde o começo… Acho que nem piscar, ele piscou, ele era tão lindo, e eu nunca tinha reparado nisso. Como consegui?
- O que foi? - Sussurrou sem tirar os olhos da TV. Como ele consegue?
- Nada, por quê? - Respondi e assim que ele olhou para mim, corei. O que não era normal.
- Você fica me olhando…
- E isso é ruim? - Perguntei em um tom desafiador e ele sorria safado.
- Nem um pouco. - Falou e me beijou, ele era lindo e fofo. Onde está o que sempre implica comigo? Por favor, não o tragam de volta. Estava meio desconfortável ficar de lado, então fiquei por cima dele, sem quebrar o beijo, ele ficou apertando minhas coxas, ora minha bunda, às vezes até fazia cócegas em alguns lugares e eu ria e ele ria junto, isso estava muito fofo.
- , … Vão pra um quarto! - Leah reclamou tacando uma almofada, mas errou, pois estava escuro. Ignoramos e voltamos ao que estávamos fazendo, até uma hora que eu não aguentava mais, precisava de ar, então eu voltei pro meu lugar e continuamos assistindo o filme de mãos dadas, ele não parava de fazer carinhos em meus dedos. Ele era perfeito e muito fofo. Pena que não o conheço o suficiente para saber se ele só queria me levar pra cama e depois me dar um fora, ou pegar a minha melhor amiga ou se ele é fofo assim mesmo. Muito difícil saber.

Segundo Capítulo


POV

Chegamos da casa do Zayn umas 2 da manhã e estávamos tão agitadas e loucas que nem conseguimos dormir, não era à toa que tinha como minha melhor amiga desde os nossos 13 anos de idade, quando nos conhecemos por acidente no colégio.


Flashback on

Estava andando no meu primeiro dia de aula superatrasada para a aula de física quando trombei com alguém que foi parar do outro lado do corredor.

- Me desculpa! Eu não te vi. - Eu pedi e então pude ver a garota loira de olhos olhar pra mim, com uma cara nada boa, pensei que ela fosse uma daquelas líderes de torcida super irritante e metida, e que iria começar a me xingar de todos os nomes possíveis.
- Ah, está tudo bem. Mas eu acho que quebrei meu pulso. - Ela falou olhando para o mesmo que parecia inchado mesmo, e então corremos para a enfermaria onde ela ficou e eu fui pra aula, mas depois de um tempo, tivemos que nos ver novamente para explicar a história para o diretor.
- Não foi por querer, ela estava distraída e eu também, e nos esbarramos. - Ela contava a história e eu apenas assentia.
- Tudo bem, então, podem voltar para suas aulas. - O mesmo falou e nós saímos.
- Eu sou . - Ela falou estendendo o pulso quebrado e logo trocando, me fazendo rir.
- , é, me desculpe por isso. - Pedi


Flashback off

Sempre nos perguntavam se éramos irmãs, mas nós nunca conseguimos ver essa igualdade que eles tanto viam, eu era morena e , loira, eu tinha olhos azuis e , , eu era alta e , baixa, éramos tipo o contrário uma da outra.

- Um segredo pelo seu segredo. - Ela pediu, se jogando na cama quando voltou do banheiro, esse era um meio de compartilhar nossos segredos.
- Me lembrei de quando nos conhecemos. - Falei e ela riu.
- Bons tempos. – falou, provavelmente se lembrando também, e não parava de olhar o celular.
- Está esperando uma mensagem do ? - perguntei curiosa.
- Não, claro que não. - falou e eu sabia que ela estava mentindo.
- Amiga, ele gosta de você. - admiti, eu não deveria estar falando isso pra ela, mas ele não disse que eu não deveria contar.
- Para de falar besteira, , você deve estar trilouca. - ela brincou.
- Antes de vocês chegarem à casa do Zayn, estávamos conversando sobre você, e eu tenho certeza de que ele gosta de você ou pelo menos tem um carinho muito grande. Eu conheço meu melhor amigo. - Tentei explicar sem assustá-la, podia ser meio louca às vezes, ela gostava da vida que ela levava, pegando sem se apegar, mas no fundo eu sabia que ela só precisava de alguém pra parar com essa vida, e eu conhecia muito bem esse alguém que estava na mesma vida que ela, meu melhor amigo, .


Flashback on

- , que surpresa. - Ele brincou entrando na cozinha.
- Fala como se não fossemos vizinhos e não nos víssemos todos os dias da semana, né. - Falei.
- Não sabe nem brincar, trouxe bebidas pra você. - Ele estendeu duas garrafas de vodka e colocando no balcão, eu estava cortando algumas frutas pra fazer caipirinha.
- Que gentil da sua parte, docinho, que horas todo mundo chega? – Perguntei, já que estávamos na casa do Zayn, que nem ele mesmo estava.
- Daqui a pouco, eu acho, Kim, Leah e estão juntas, então, quando elas chegarem, todo mundo chega. - Explicou.
- É, eu sei… E você e a ? - Perguntei mudando de assunto e ele me olhou confuso.
- O quê? - perguntou.
- Quando você vai chegar nela? Digo, você gosta dela, não gosta? Daqui a pouco ela vai começar a namorar e você vai perder a chance e eu não vou poder fazer nada. - expliquei.
- Ela me odeia, não dá pra chegar nela, é como uma missão suicida, ela é gostosa e gata. - ele falou pensativo pouco aleatório e eu ri.
- Sei que ela não te odeia, vocês só brigam muito e sim, ela é tudo isso, simpática e fofa também. - tentei explicar.
- Isso não é odiar? - pergunto mais confuso ainda ignorando o que falei.
- Não, … Só tenta não implicar com ela e você vai ver o quão legal ela é. - falei.
- É difícil quando ela só fala de garotos, às vezes eu me pergunto se ela ainda tem coração. - brincou.
- Que idiota, . - ri.
- É verdade, mas se eu tiver a chance, vou chegar nela hoje e provar que sou melhor que qualquer um que ela já ficou. - falou convencido.
- Isso, . - falei batendo palmas, animada.

Mal eles sabiam que quem fez a garrafa parar neles fui eu.


Flashback off

- Ei, sobre o que vocês falaram? - ela perguntou curiosa me tirando do meu transe.
- Por que quer saber? Achei que você não se importava com o que ele dizia. - Me fiz de difícil e sabia que ela queria saber mais do que tudo, ainda mais por ela ter ficado com ele.
- Aí, , para com isso. - pediu irritada.
- Tá, ele te acha gata e gostosa. – falei me lembrando de suas palavras.
- Nossa, , muito obrigada, nenhum cara falou assim de mim antes, realmente ele tem um carinho muito grande por mim. - ela ironizou, mas era tudo que eu tinha no momento.
- Desculpa, , ele sempre fala uma coisa ou outra de você, mas agora eu esqueci completamente. - me desculpei.
- Tudo bem, amiga, amanhã é um novo dia. - falou nada com nada e eu imaginei que ela já devia estar caindo de sono, igual eu.
- Sim, . - falei me virando e dormindo também.


POV

A noite tinha sido perfeita, se posso dizer assim, eu queria mandar mensagem pra ela, mas não queria parecer desesperado, então resolvi que só ia falar com ela na festa. Essa garota me deixava louca, não é de hoje, me lembro do dia em que veio desesperada me contar que quebrou o braço de uma garota em seu primeiro dia de aula, no outro dia ela me apresentou para , as duas eram parecidas no jeito de falar e agir, tirando a parte de que era louca, bipolar e linda, não que a também não fosse, mas ela era como uma Irmã pra mim. Depois desse dia eu sabia que essa garota ia causar um enorme problema na minha vida, e agora eu só tenho mais certeza disso.


POV

Acordei com o melhor humor do mundo, nem sei o porque. Mas estava de bom humor, hoje vamos a uma festa que tem de tudo pra ser a melhor festa do ano. Levantei fazendo minha higiene matinal e logo descendo para tomar café, como de costume, não tinha ninguém em casa e o meu café da manhã seria o que eu conseguisse achar na geladeira, se mamãe não tivesse deixado nada. Encontrei alguns waffles em um prato, peguei um e a jarra de suco de laranja, e fui pra sala quando ouvi meu celular tocar, não faço ideia de como ele foi parar lá.

- Amiga! - gritou lá de cima, esqueci completamente que ela tinha dormido aqui.
- Oi, louca. - respondi.
- Por que você não me acordou antes? - reclamou pegando meu waffles da minha mão.
- Por que você está tão preocupada com a hora? - perguntei confusa.
- A gente tem uma festa pra ir. - Ela me lembrou, já subindo as escadas.
- É, eu sei… Mas faltam umas 5 horas ainda, não? - perguntei olhando o horário no celular e me assustando, como dormi tudo isso e ninguém me acordou antes?
- Faltam 2 horas e você demora demais pra se arrumar. Tem ideia de que horas são? - perguntou abrindo meu armário, ela sempre escolhia minhas roupas e às vezes eu só mudava uma coisa ou outra.
- Agora, sim. Vou tomar um banho correndo, prometo. - falei correndo para o banheiro sabia que ela ia me xingar.


(…)


Estávamos prontas, eu estava com uma cropped preta com um decote enorme em formato de V, uma calça jeans skinny preta que cobria metade da minha barriga e uma xadrez vermelha na cintura, com um não menos importante salto preto e muita maquiagem, podia dizer que estávamos prontas para matar. estava com uma cropped igual a minha, mas em branco e uma saia longa preta com um salto preto também. Nos olhamos no espelho uma última vez e fomos direto pro carro. O caminho foi bem rápido, não parávamos de cantar todas às músicas do rádio, nossos amigos já estavam lá espalhados pela casa. Encontramos com Zayn no bar, obviamente.

- Oi, meu amor! - disse animada pulando nele como sempre.
- Oi, princesa. - ele disse me dando um beijo na testa e logo depois cumprimentando .
- Cadê todo mundo? - a mesma perguntou e eu ia fazer essa pergunta também, mas ela foi mais rápida.
- não está aqui ainda, Niall e Leah estão por algum lugar, não me lembro, Kim estava aqui agora mesmo, mas a perdi, Louis esta vindo pra cá e como vocês podem ver, eu não sei de nada. - ele tentou explicar, mas ficou mais confuso que a gente, mas era difícil mesmo tentar saber o paradeiro de 9 pessoas em uma festa com outras 300, eu acho.
- Tudo bem! - ela falou e nós rimos.
- Uou, vocês se arrumaram assim pra pegar todos os caras da festa e não deixar nenhum pra mim? - Kim chegou com um copo de bebida em mãos nos olhando de cima a baixo, pude ver Zayn dando um longo gole em sua cerveja, não gostando nada do que ela tinha falado.
- Hm, será? - falei rindo.

Dei uma boa olhada nas pessoas que estavam na festa, pude ver Dylan cercado por algumas líderes de torcida e ele não estava nem aí pra elas, dava pra perceber porque ele nem olhava pra nenhuma delas, ele parecia mais interessado na garrafa de vodka em sua mão, alguém está pedindo pra dar PT essa noite, ri sozinha pelo meu pensamento bobo e então percebi que Niall e Leah haviam chegado. Nosso grupinho foi para área da piscina na parte de trás da casa onde tinha outro bar e outro DJ. Já tinha gente muito louca e a festa mal tinha começado.

- Vem, vamos dançar! - Kim pediu me puxando pra frente do DJ onde tinham várias outras pessoas dançando.

Comecei a deixar o ritmo da música me levar, eu não precisava da bebida pra me divertir, talvez mais tarde, mas não agora. Estávamos dançando há uns 40 minutos até que decidi ir até o bar pegar uma água, avisei Kim, ela nem ligou, apenas assentiu, ela já estava entretida demais com um garoto. Pedi minha água e desviei o olhar pra perto da piscina e notei , que provavelmente havia acabado de chegar, e uma das líderes de torcida que, na minha opinião, era a mais bonita, ela era morena, alta, com um corpo escultural de dar inveja em qualquer uma e tinha olhos castanhos com carinha de Barbie pra ajudar. Ela fingiu tropeçar nele e como ele era uma ótima pessoa, a segurou, e então eles se entreolharam e se beijaram, simples assim. Não faço ideia do porque, mas aquilo mexeu comigo. A gente nem tinha nada, mas vê-lo beijando outra, me afetou.

- Gata! - o barman me chamou me fazendo parar de olhar aquela cena, me trazendo pra realidade e me entregando a água.
- Hm, vou querer um blue sky também. – Decidi, logo ele me entregou a bebida, virei ela como se fosse água, queimou um pouco, mas nem me importei.
- Rápido assim? - Zayn chegou e eu me assustei.
- Eu vou querer outro, um pouquinho mais forte dessa vez. - avisei pro garçom e ele me olhou assustado, mas foi buscar e então me virei para Zayn.
- Rápido assim. - falei já pegando o outro drink que chegou bem rápido e virando mais rápido ainda e dando uma piscadinha pro mesmo.
- Adoro quando você fica assim! - ele confessou.
- Eu não… Mas vamos lá, é uma festa, viemos pra nos divertir certo? - Perguntei já pegando sua mão e nem esperando sua resposta e indo direto pra pista de dança.

Dancei como se o mundo fosse acabar, estava mega animada depois daqueles dois drinks. Começou a tocar Chantaje da Shakira, e como Zayn não estava mais perto de mim e agora estava com a Kim, comecei a dançar sozinha. Senti uma mão na minha cintura então olhei pra trás e pude ver ninguém mais, ninguém menos, que Cody Christian, ele já estava na faculdade há um ano, ano passado todas as garotas só falavam sobre ele. Não imaginava que ele viria pra uma festinha do colegial quando se tinha várias de fraternidades bem mais legais que essa. Não falei com ele nem nada, só comecei a dançar de acordo com a música e admito que estava querendo provocar ele um pouco, estava dançando pra ele, e sempre que tinha chance, dava uma rebolada de leve, o fazendo me apertar mais pra ele. Me virei ficando de frente para o mesmo e não paramos de dançar, só então resolvi falar com ele.

- As festas da fraternidade não são legais o suficiente pra você? - Perguntei do lado do seu ouvido por conta da música alta.
- Hm, até que são. - Demorou pra responder.
- Então o que você está fazendo em uma festa de colegial? Não são nada comparadas às que você pode ir. - Questionei meio confusa.
- Vim visitar meus pais, eu não tinha nada pra fazer e vim pra cá. - Respondeu minhas perguntas e eu entendi, ele é esperto, senti sua mão sair de minha cintura e ir para o meu rosto, me aproximando do seu, fazendo assim nossos lábios se tocarem, de começo não sabia se eu queria ficar com ele, mas cedi porque já não tinha mais tempo de desistir. Então, como eu não desisti, resolvi dar o meu melhor. O beijo começou lento, mas foi aumentando sua velocidade e voltando ao normal, parecia que o ar já não estava mais presente e o espaço que tinha entre a gente não existia mais. Suas mãos iam da minha bunda para minha cintura, ora peitos, quando ele apertava minha cintura eu ia à loucura. Estava realmente precisando de ar, então quebrei o beijo aos poucos e ele era tão gato, eu não me arrependeria depois.
- Vamos beber alguma coisa? - Perguntei com a respiração falha e acho que ele percebeu pelo seu sorrisinho.
- Claro. - Ele falou pegando minha mão e entrelaçando nossos dedos, indo em direção ao bar. Ele cumprimentava todo mundo que passava sem exceção, bom de ser atleta do colégio, tudo mundo te conhece, você vira uma lenda praticamente.
- O que vocês vão querer? - Perguntou agora uma mulher cheia de tatuagens pelo corpo.
- Eu quero dois sleep cycles. - Ele pediu sem me deixar opinar, eu gostava de caras assim. Então ele se virou pra mim e eu comecei a provocá-lo, dando selinhos no mesmo, ora mordendo seu lábio inferior, mas nunca dando espaço para um beijo.
- E aí, Cody. - Falou uma voz conhecida, como eu estava de olhos fechados, apenas abri torcendo para não ser ele. Mas pelo jeito não deu certo, pois era do nosso lado, provavelmente ele tinha visto tudo, mas quem se importa, certo? Vi que nossas bebidas estavam prontas e enquanto eles conversavam, fui buscá-la. Voltei e eles ainda conversavam animadamente. - E as universitárias? - perguntou assim que me viu chegando com as bebidas.
- Uma melhor que a outra! Você tem que ver, cara, parece um paraíso de garotas. - Ele completou, entreguei a bebida pra ele que sorriu e me deu um selinho.
- Imagino, as garotas daqui não devem ser nada comparando com elas. - Ele disse me olhando, provavelmente para me provocar.
- Hm, nenhuma se compara a essa aqui! Vocês já se conhecem, né? , , , . - Cody falou e eu queria beijá-lo por isso, porque a cara dele foi a melhor.
- Sim, oi, . - Falei sem o olhar, terminando minha bebida.
- Até demais. E ai, Hayes. - Ele falou.
- Então, deixa eu ir lá, precisamos terminar uns assuntos, né, princesa! - Cody falou enfiando a cabeça em meu pescoço e mordendo, me fazendo arrepiar e quase arfar.


POV

Mal cheguei à festa e Hilary caiu em cima de mim, pensei que ela já estava alterada demais e ela acabou me beijando, fiquei sem graça em parar ela na frente das suas amigas, então continuei o beijo, mas parei e me afastei assim que consegui, estava até ansioso para saber como seria hoje. Mas quando a vi com Cody, fiquei meio bravo, eu não tinha nem motivo pra ficar assim, só achei que seria diferente depois de ontem. O jeito que eles dançavam juntos, não estava legal, precisava beber mais pra poder ver aquilo.

- Aquele cara não estava na faculdade? - Perguntei sério para Niall.
- Pelo que eu me lembre, sim, mas podemos estar o confundindo com alguém, eu já tô bebaço, cara. - Ele disse não certo de sua resposta, mas eu tinha certeza.
- Pelo menos ele era do nosso time. - Liam brincou e eles riram, mas eu não achei graça, apenas sai. Vi eles indo para o bar, então fui também, ela ficava brincando com ele… Era pra ser eu ali, e não aquele cara. Ele só ia levar ela pra cama e depois acabou, ia voltar pras universitárias.
- E aí, Cody! - Falei, ela estava de olhos fechados e demorou um pouco, mas abriu e saiu sem parecer me notar. - E as universitárias? - Oerguntei olhando pra e depois pro mesmo que respirou fundo e falou tudo que eu queria ouvir. - Imagino, as garotas daqui não devem ser nada comparando com elas. - Provoquei.
- Hm, nenhuma se compara a essa aqui! Vocês já se conhecem, né? , , , . - Ele respondeu abraçando ela que sorriu, não era isso que eu esperava.
- Sim, oi, . - Ela falou sem nem olhar pra mim, tomando aquela bebida rápido, aquilo devia estar queimando.
- Até demais. E aí, Hayes. - Falei sendo simpático e me lembrando de ontem à noite.
- Então, deixa eu ir lá, precisamos terminar uns assuntos, né, princesa! - Cody falou beijando o pescoço dela, ela se contorceu e aquilo me fez queimar em ódio.
- Vai lá. - Foi a única coisa que consegui dizer, se não puxaria ela dele, voltei a falar com os garotos.
- Que cara é essa, ? - perguntou.
- A minha. - Falei grosso.
- Talvez, se você não tivesse dado showzinho na frente dela com a Hilary, você estaria no lugar do Cody. - Falou e eu entendi, ela tinha me visto com a líder de torcida oferecida.
- Showzinho? - Me fiz de desentendido.
- Ah, qual é, todos nós vimos. - Ela completou.
- Ela se jogou em mim e depois me beijou. Quer que eu faça o quê? - Perguntei.
- O que você quiser… Só depois não vem chorar pra mim. - Ela falou e saiu.
- Cadê a ? - Zayn falou, assim que saiu, ele chegou.
- Provavelmente foi pra algum quarto com o Cody. - Falei pensativo bebendo um longo gole de minha cerveja.
- Vocês viram ela no bar? - Perguntou preocupado.
- Sim, essa garota bebe, em. - Pensei alto, não querendo estar no lugar da garganta dela.
- É, eu acho que ela já bebeu demais por hoje. - Disse pensativo, isso significa que teríamos que achar ela e não deixá-la fazer nenhuma besteira, como sempre.


POV

Estávamos indo em direção à escada da casa, lá em cima ficavam os quartos, quando o celular de Cody tocou, então ele foi para o lado atender. Fiquei olhando algumas pessoas jogarem beer Pong e me deu vontade de jogar, e não ir lá pra cima com Christian. Então ele voltou com uma cara nada boa.

- Vou ter que ir pra casa, gata, meu pai chegou bêbado, tenho que ajudar minha mãe. - Ele falou, era como se tivessem escutado meus pensamentos e eu agradeci mentalmente.
- Ah, tudo bem, quer que eu vá com você? - Me ofereci, vai que ele precisa de ajuda.
- Não, linda, pode ficar, você não vai querer ver isso… me passa seu número, outro dia a gente continua. - Mesmo preocupado ele ainda tinha um sorriso lindo no rosto, passei meu número e ele correu pra saída.

Estava assistindo o jogo quando olhei pro lado, pude ver Dylan vindo em minha direção.

- O que acha de jogar, você e eu? - Ele perguntou e eu adorei a ideia.
- Vamos! - Falei animada, assim que quem estava jogando, parou.
- Está preparada pra perder pra mim? - Ele perguntou jogando sua primeira bolinha do outro lado da mesa e acertando em um copo.
- Você está confiante de mais… - Falei bebendo o copo de cerveja inteiro, mas ele só era cheio até um pouco antes da metade e logo jogando minha bolinha, a fazendo pular dentro de um copo e parar em outro.
- Eu sou muito bom nisso. - Ele falou jogando a bolinha e errando dessa vez me fazendo rir.
- Posso ver, mas eu sou muito boa também! - Falei acertando outro copo, vendo as pessoas se animarem ao nosso redor pra ver quem ganhava.

Estávamos jogando há uns 10 minutos e eu já tinha tomado 3 copos no máximo, e Dylan, 7, ele estava perdendo feio pra mim. Resolvi parar o jogo.

- Dylan, vamos parar. - Pedi rindo dele que estava se esforçando pra não perder.
- Tá com medo de perder pra mim, Hayes? - Perguntou desafiador.
- Não, só não quero mais jogar, acho que bebi demais… - Menti e então ele concordou.
- ganhou do Dylan, galera! - O cara que ficava vendo todos os jogos, como se fosse o juiz, gritou animado, fazendo com que todos gritassem animados também, uns zoando Dylan, outros me parabenizando. Sprayberry veio até mim, me abraçando.
- Parabéns, lindinha. - Ele riu.
- Obrigada, lindinho. - Falei e então ele pegou em minha mão e me levou pra parte de fora da casa, lá dentro estava abafado. O levei até o bar e eu ia tomar mais um blue sky, não sei o que aconteceu comigo, mas hoje eu estava bebendo muito e beberia muito mais. Agora eu já estava tomando mais devagar, aproveitando o gostinho amargo da bebida que descia queimando toda vez.
- A gente podia continuar onde paramos, né? - Ele perguntou e eu assenti, quando ele vinha me beijar, terminei a bebida e o beijei lentamente.
- Hm, já deu, né? - Alguém falou me tocando. Não pude reconhecer, pois já estava um pouco alterada por conta da bebida.
- Quê? - Perguntei, agora vendo Zayn segurando meu braço.
- Já bebeu demais. Vamos pra casa. - Ele pediu, ah não, agora que a festa estava ficando boa.
- Virou meu pai agora? - Falei sendo grossa, sempre com o Dylan tadinho. Eles devem ter algo contra ele, não é possível.
- Não, mas sou seu melhor amigo e acho que seu limite de álcool já está ultrapassado. - Falou e eu me dei por vencida, era verdade, eu não estava me sentindo bem mesmo.
- Desculpa, Dylan, depois a gente continua. - Falei piscando pro mesmo que sorriu e entendeu. Zayn me levou até o meu carro e eu estava bem pra dirigir, mas o mesmo não me deixou.
- , para de ser chata, vamos pra minha casa. - Zayn pediu, eu não queria ir pra casa dele, mas ele era teimoso e me levou pra casa dele, nem vi a hora que não estava mais com a gente, também nem me importei. A gente não tinha nada, pra que me preocupar com besteira? Chegamos à casa do Zayn e fomos direto pro banheiro, mesmo eu insistindo que estava bem e não precisava de um banho gelado. Me sentei na banheira e comecei a sentir a água gelada cair pelo meu corpo.
- Já está melhor? - Ele perguntou entrando no banheiro com a toalha e suas roupas que eu iria usar depois.
- Eu já disse que não estava tão mal, eu estou melhor, foi coisa do momento. - Falei e era verdade, já estava me sentindo bem melhor.
- Tá, e posso saber o porque você bebeu tanto essa noite? - Perguntou preocupado.
- Não tem um motivo, me descontrolei e foi isso. - Expliquei.
- Então não tem nada haver com ? - Sabia que tinha um ponto em que ele queria chegar.
- Claro que não, a gente ficou uma vez em um jogo, não tem nada a ver. - Ri. Tentando me fazer entender aquelas palavras também.
- Mas também teve depois do jogo… - ele completou.
- Tá, foi um lance de um dia, não é como se eu fosse me apaixonar, Malik. - Tudo o que eu estava falando estava me afetando, pelo menos um pouco, mas era tudo verdade.
- Tudo bem, ja tá na hora de sair! - Ele disse com a toalha e eu me levantei, desliguei o chuveiro e ele me enrolou na mesma. Fomos até o seu quarto e então coloquei as roupas que ele tinha me emprestado.
- Você vai dormir comigo, né? - Perguntei quando notei ele quase saindo.
- Posso fazer esse sacrifício por você. - Falou fechando a porta e já tirando a camiseta pra se deitar na espaçosa cama de casal.
- Eu sei que não era pra você estar passando essa noite cuidando de mim, me desculpa, de verdade. - Pedi sendo sincera, era pra Kim estar em meu lugar se não fosse pelo meu ciúme bobo.
- Está tudo bem, algum dia vou te dar o troco. - Ele riu e eu também.
- Já sei como te compensar. - Falei animada quase pulando na cama e ele se assustou, tive uma ótima ideia.
- Que foi, louca? - Ele perguntou se ajeitando na cama, olhando pra mim.
- Lembra da casa em Portland? Podemos ir pra lá essa semana, já que não teremos aula. - Falei pensativa.
- Você e eu? - Ele perguntou, ai, senhor, Malik às vezes é tão lento que me dói.
- Sim, mas com os nossos amigos também. - Ri e acho que ele gostou da ideia.
- Bom… - não o deixei terminar de falar.
- Aí vai ser um ótimo momento pra você ficar com a Kim, juro que não vou atrapalhar. - Prometi estendendo o dedinho pra ele que fez o mesmo.
- Ok, podemos resolver o resto amanhã? Estou caindo de sono. - Ele falou nem esperando minha resposta e me puxando para o seus braços quentinho, me aconcheguei e acabei dormindo super-rápido.

Acordei porque nos esquecemos de fechar as cortinas e o sol estava entrando pela janela, fazendo queimar meus olhos, Zayn ainda dormia profundamente, e eu só queria estar dormindo assim também, se as cortinas tivessem um controle pra se fechar sozinha. Minha cabeça começava a doer como se um martelo estivesse me batendo, e sem contar que estava morrendo de sede e vontade de ir ao banheiro, tudo isso junto mais a preguiça de fazer qualquer coisa. Tentei me mexer, mas meu corpo me pedia para ficar parada e voltar a dormir, mas eu não podia e nem conseguia mais fazer isso, então levantei e fui direto para o banheiro, escovei os dentes e então me olhei no espelho, só pra dar uma checada em como meu rosto deveria estar um desastre e estava, meu rímel estava todo borrado e estava com algumas olheiras. Lavei o rosto e estava me sentindo melhor, voltei pro quarto e Zayn ainda estava dormindo, mesmo eu fazendo o maior barulho possível lá, ele tinha o sono muito pesado, peguei minhas roupas e desci indo direto pra cozinha, abri a geladeira e peguei a jarra de água, minha boca começava a salivar pedindo por aquilo, enquanto colocava um pouco no copo, bebi uns 3 copos e fui atrás das chaves do meu carro e de casa, não fazia ideia de onde estavam até olhar na mesinha de centro. Peguei e sai, estava louca pra voltar pra casa, tomar um banho e voltar a dormir e só acordar quem sabe na outra semana. Cheguei em casa e já não tinha ninguém, como sempre, mamãe saia muito cedo. Tomei um banho rápido e desci pra comer alguma coisa, chamei pra vir pra casa e provavelmente ela já estava chegando. Fui pra sala e comecei a assistir minha série que eu quase nunca conseguia ver, mas mesmo assim eu amava, Grey’s Anatomy.
- O Derek morre. - chegou já causando.
- Ai, não acredito. - Falei querendo matar a mesma, ela sempre fazia isso e eu odiava.
- Como foi a festa? Nem te vi indo embora. - Perguntou já se sentando ao meu lado.
- Legal, tirando a parte em que Zayn me fez tomar um banho mega gelado às 4 da manhã. - Falei e ela começou a rir muito.
- Então sobrou pra ele? - Perguntou rindo mais ainda e eu não entendi.
- Como assim? - Perguntei.
- Estava vendo já pra quem ia sobrar, ter que cuidar de você dando PT. - Ela disse.
- Ah, obrigada, , por não me dar um toque de que estava bebendo muito. - Fingi que estava brava.
- Ai, amiga, me desculpa, eu achei que você estava precisando de um porre. - Ela falou vindo me abraçar.
- Tudo bem! - Ri, e eu estava mesmo, fazia tempo que não fazia isso.
- Mas, e aí, me conta o que você queria me falar. - Pediu.
- Vamos pra Portland hoje à noite? - Pedi, quase implorando.
- Fazer o que, louca? - Perguntou confusa.
- Ah, sei lá, a gente chama a galera, vai ser legal. - Expliquei e ela assentiu.
- Já falou com todo mundo? - Perguntou e eu neguei.
- Estava esperando que você fizesse isso. - Fui sincera.
- Vaca! - Ela gritou já pegando o celular e avisando todo mundo.

Terceiro Capítulo


Eu amava chegar à Portland, me lembrava de minha infância quando meus pais ainda estavam juntos e vínhamos todos os finais de semana pra cá, pelo menos minha mãe e eu, porque John só vinha pra trabalhar e se esquecia da gente.

- Bem vindo ao Corbett Estate. - Amava ler essa placa do condômino sempre que vinha.
- Nossa, senhorita , você cresceu! - O porteiro Potter falou e eu ri, ele era um velhinho de cabelo branco.
- Quase nada. - Eu ainda era um pouco baixa.
- Tenha um bom final de semana. - Ele desejou e eu falei o mesmo, como era bom chegar aqui, me lembrava bastante de várias festas dadas ali, naquela casa gigante, que se via antes mesmo de entrar no condomínio de casas. Parei o carro em frente à porta para descarregar as minhas coisas e da , os outros estavam logo atrás da gente e fizeram o mesmo. Já estava bem tarde, o sol já tinha ido embora e agora a lua estava presente, peguei tudo que eu conseguia, que no caso eram duas malas minhas, e levei pra cima. A casa tinha três andares, cinco suítes com closet, uma sala de TV, uma sala de visitas, um quarto de empregados e duas piscinas, uma coberta aquecida e outra na parte de trás da casa.
- Nunca vou me acostumar com o tamanho dessa casa. - Kim falou olhando pra mesma, nem eu conseguia, ela era gigante, parecia um castelo, eu sempre me perdia quando menor.
- Uma hora você se acostuma. - Ri indo pra cozinha e encontrando Lupe na mesma, ela cuidava da casa enquanto estávamos fora e quando estávamos aqui, eu amava ela.
- , quanto tempo que não há vejo! - Ela sorriu e eu fui abraçá-la.
- Sim! Como estão as coisas aqui? - Perguntei.
- Normais, até você chegar, que supresa agradável. - Falou pensativa, não era normal eu vir, mas estava com vontade.
- Prometo que daqui pra frente venho mais. - Avisei.
- Vai até chover, vou arrumar seu quarto. - Ela avisou e eu assenti, abri a geladeira e não tinha nada, teríamos que ir ao mercado, provavelmente os garotos só trouxeram bebidas. Fui ao carro pegar uma última mala que tinha esquecido.
- Quer ajuda? - Ele perguntou e eu respirei fundo.
- Não. - Falei desviando dele, travando o carro e saindo.

Subi as escadas que pareciam não ter mais fim, e fui direto pro meu quarto, coloquei minha última mala dentro do closet que já estava com algumas das minhas roupas que Lupe arrumou, olhei aquele quarto por inteiro e então me joguei na cama cansada, mas me lembrei do lago, e eu queria ir lá nesse momento, então, foi o que fiz, nem chamei ninguém, era uma coisa só minha. Estava escuro, então só a lua refletia na água e o único barulho que tinha era o dos grilos. Era muito bom estar de volta.


Flashback on

- , Charlie está chegando e disse que irá te levar à uma caminhada. - Lupe disse.
- Eba! - Falei e então Lupe colocou meu tênis e sai correndo animada pela casa.

Já era um fim de tarde quando Charlie chegou no seu jatinho e me levou para o lago que tinha um pouco atrás da casa, não muito longe.

- Olha, minha filha, todas as vezes que você vier aqui, jogue uma pedra e faça um desejo! - Pediu me estendendo uma pedra.
- Desejo que meus pais fiquem juntos pra sempre. - Falei jogando a pedra que pingou algumas vezes e por fim, afundou.
- Você não pode falar seu pedido alto, há pessoas muito más no mundo que estão aqui só para te ver cair, agora vamos lá, faça outro pedido baixinho. - Explicou me dando outra pedra.
- Desejo que o vovô viva pra sempre. - Falei bem baixinho dessa vez, mas acho que ele ouviu do mesmo jeito.
- Sempre que você vier aqui, você vai lembrar de mim, mesmo que eu não esteja presente, eu sempre vou estar com você de alguma maneira. - Ele explicou me abraçando.

Flashback off


- Eu sinto sua falta, vovô. - Ri sozinha e peguei uma pedra que achei perdida, pensando em vários desejos que eu poderia fazer, mas só um vinha em minha cabeça: "Se for pra ser, deixa. Mas se não for, por favor, não me deixe me apegar tanto." Pedi mentalmente. E resolvi voltar para a casa, como todos estavam lá em cima, fui para o meu quarto também.
- , todo mundo está lá embaixo te esperando. - bateu na porta.
- Já estou indo. - Falei me levantando e saindo do quarto, porque não colocaram um elevador ao invés das escadas? Era tão cansativo.
- Temos que sair pra comprar comida. - Provavelmente olhou a cozinha.
- Cada um já escolheu seu quarto e com quem vai dividir? - Perguntei curiosa.
- Sim, Louis e Liam. e . e Kim. E por fim, Niall e eu. - Leah explicou.
- Beleza, a Lupe e um ajudante dela, eu acho, vão pôr as coisas de vocês no closet, se algum de vocês não quiserem que eles mexam na mala, só avisar. - Dessa vez eu expliquei e ninguém interviu.

Compramos milhares de coisas necessárias e desnecessárias pra casa e muita besteira, vários salgadinhos e mais bebidas. Quando chegamos em casa, ninguém quis jantar, estava bem tarde e já tínhamos comido algumas besteiras no caminho pro supermercado, então todos subiram e ficaram em seus quartos, amanhã o dia seria longo, então preferimos descansar ao fazer alguma festinha nessa madrugada. Provavelmente todos já estavam no quinto sono e eu estava fazendo nada no meu quarto, pois não conseguia dormir, levantei e fui tomar um banho rápido pra ver se conseguia dormir, mas não. Coloquei uma camiseta grande que ia até metade de minhas coxas e desci para beber água, estava tudo escuro e não tinha ninguém na cozinha, nem me importei de ligar a luz para ir até a geladeira e então abri a mesma iluminando tudo, mesmo a luz sendo bem fraquinha, peguei a garrafa de água e fui atrás de um copo em um dos armários. Peguei o mesmo fechando a porta, quando senti mãos na minha cintura quase dei um grito e derrubei o copo, fazendo com que ele se espatifasse no chão.

- Hey, eu poderia… - a pessoa não me deixou terminar de falar, me interrompendo com seus lábios em volta dos meus, dando início a um beijo, que eu já sentia falta. Ele me colocou em cima da bancada fazendo com que ele ficasse entre minhas pernas sem quebrar o beijo. Ele parou do nada e eu não conseguia ver se ele estava me olhando, mas estava segurando meu rosto com as duas mãos.

- Eu senti falta disso. - falou se referindo ao beijo e eu ri.
- Uma pena, né. - Falei já saindo do meio de suas pernas e indo até o interruptor, mas sem antes pisar em um caco de vidro.
- . - Ele chamou.
- Merda. – Gritei, pois estava doendo. Então ele correu ao interruptor.
- Não se anda descalça quando tem vidro no chão. - Ele avisou e eu quis rir, mas me segurei.
- Ah, sério? Obrigada por avisar. - Falei irônica, dando impulso para levantar e ele me ajudou.
- Por que você está assim comigo? - Ele perguntou me colocando sentada de novo na bancada.
- Assim como? Eu estou normal. - Fui cínica.
- É por causa da Hilary? - Perguntou e eu me lembrei da cena que revirava meu estômago.
- Você é hipócrita, fala de mim, mas é idêntico. - Ignorei o que ele havia dito.
- O que eu fiz de mais? Também não é como se você gostasse de mim. - Ele falou e aos poucos foi percebendo o que realmente tinha falado.
- Não, eu não gosto. - Falei e esperava que tivesse acabado o assunto.
- Isso tá me cheirando ciúmes. - Ele brincou e eu bufei.
- Aí, , me leva lá pra cima, eu tenho uma pinça pra tirar isso. - Mudei de assunto, me referindo ao machucado que estava escorrendo sangue e dolorido.
- Tá, mas ainda não acabamos. - Ele falou me pegando no colo e já me levando pro meu quarto, meu Deus, ele era muito forte, ele subiu as escadas comigo no colo sem reclamar e me colocou sentada na cama. Seu rosto estava próximo demais e eu não resisti, o puxei pra mais perto e acabei o beijando, fazendo com que ele ficasse por cima de mim, minhas mãos iam de suas costas para sua nuca, puxando seu cabelo ora arranhando suas costas, o fazendo arfar. Eu não estava aguentando e precisava de ar e acho que ele também, então acabei o empurrando para o lado.
- Você me deixa louca, . - Admiti e ele riu gostoso. Levantei indo pulando com um pé só até o closet, pegando meu kit de primeiros socorros e voltando do mesmo jeito para cama.
- Deixa que eu cuido disso. - Ele pediu pegando a maleta de mim e indo até meu pé, ele tirou o caco gigante do mesmo e não sei como não precisei de pontos, mas mesmo assim ele passou iodo que doeu demais e eu mordi meu travesseiro para não gritar e acordar todos da casa, deu um ponto falso e depois enfaixou meu pé, ele era muito bom com isso.
- Obrigada. - Falei e então alguém bateu na porta a abrindo logo depois.
- , alguém quebrou um copo lá na cozinha, onde tem alguma coisa pra limpar aquilo? - perguntou sem olhar muito pro quarto, mas logo notou que também estava lá e sorriu safada.
- Hm, eu não sei também, teria que acordar Guadalupe pra saber. - Falei pensativa e me levantando, ainda sentia dor ao pisar, mas nada que eu não aguentasse.
- O que aconteceu com seu pé? Era seu o sangue lá? - Perguntou preocupada.
- Tá tudo bem, vamos limpar aquela bagunça. - Pedi puxando seu braço e descendo aquelas escadas sem fim que já estava até me acostumando.
- Vocês transaram na cozinha, né, safada? - Ela afirmou e eu ri.
- Antes fosse, eu tomei um susto com ele, acabei deixando o copo cair e quando fui acender a luz, pisei em cima. - Expliquei omitindo algumas partes, ela não precisava saber que fiquei com ele tão fácil depois dele ter ficado com Hilary na minha frente.
- O que está acontecendo aqui? - Guadalupe entrou na cozinha e eu me assustei, não sei nem o porquê.
- Não foi nada, Lupe, quebrei um copo. - Avisei.
- Ah, minha querida, podem ir, eu limpo! - Ela avisou nos expulsando da cozinha, tadinha, deviam ser umas cinco da manhã e ela limpando minha bagunça. Subimos e foi pro seu quarto e eu pro meu.


Pov

Queria de todos os jeitos fazer dela minha, mas sabia que isso iria demorar pra acontecer, ter ela ali e não poder fazer nada era ruim, eu sentia que tinha que falar algo, mas simplesmente não consegui, me concentrei em seu curativo e me perdi em meus pensamentos, quando bateu na porta, fiquei aliviado por um momento e por outro já esperando, as brincadeirinhas que viriam mais tarde. Ela pulou praticamente da cama e saiu com a mesma, aproveitei para guardar o kit e sair, não sabia se a bipolaridade dela ia gostar de me ver em seu quarto quando voltasse, para minha sorte, estava dormindo profundamente, fui ao banheiro lavar as mãos que estavam sujas de sangue e quando voltei, ele estava sentado na cama.

- Cara o que você estava fazendo acordado há essa hora? - Ele perguntou sonolento olhando o celular.
- Estava ajudando a . - Respondi indo para minha cama que ficava do outro lado do quarto na direção oposta à cama de .
- Ajudando em que sentido? - Ele perguntou.
- Você não estava dormindo? - Desconversei.
- Se não quer falar, é porque tem coisa aí. - Brincou.
- Não, ela machucou o pé por minha culpa e eu fui ajudá-la. - Expliquei.
- Beleza, amanhã eu quero saber mais dessa história, vai dormir, ! - Falou se virando para o lado e voltando a dormir, eu apenas ri.

Com toda certeza eu ia acordar acabado, mas valeu à pena. Fiquei pensando e cheguei à conclusão de que faria implorar pra me ter e eu vou fazer de tudo pra isso acontecer.


POV

Por um momento desejei que ELE ainda estivesse no meu quarto e dormisse o resto da madrugada comigo, mas não estava, me deitei pensando em tudo o que ele me fazia sentir e acabei dormindo profundamente, só acordando com várias batidas na porta.

- Bom dia, flor do dia! - Leah gritou animada entrando no quarto com as outras meninas.
- Que horas são? - Perguntei colocando o travesseiro em cima da cabeça.
- Oito e meia. - Kim falou e eu quis matá-las por um momento, mas não era culpa delas eu não ter dormido à noite.
- Ah, eu quero dormir! - Falei puxando o cobertor, senti alguma delas fazendo coceguinhas no meu pé e quase dei um grito.
- O que aconteceu aqui? - Leah perguntou olhando para o curativo e riu irônica.
- Sexo selvagem na cozinha enquanto estávamos dormindo. - falou brincando, mas Leah e Kim acreditaram.
- Ai sua safada. - Falaram em uníssono.
- É mentira, gente, quebrei um copo e pisei em cima depois, pois estava escuro. - Explique a história pensando quantas vezes mais eu teria que fazer isso hoje.
- Sei. - Leah falou desconfiada, obrigada, , muito obrigada.
- Vai se arruma logo pra gente fazer alguma coisa. - Kim falou pulando na cama, me fazendo desistir de ficar deitada e levantar para me arrumar.
- Vão ficar aqui me encarando enquanto eu me arrumo ou vão descer? - Perguntei confusa.
- Aí sua grossa. - Leah reclamou.
- Eu amo seu bom humor matinal. - completou e todas riram.

Fiquei olhando milhões de vezes para minhas roupas e eu não sabia qual vestir, então voltei pro quarto, olhei as meninas e voltei para o closet de novo, coloquei um biquíni preto por baixo, shorts jeans e uma regata coladinha. Descemos e os garotos só estavam nos esperando pra irem pra parte da piscina onde o café da manhã seria servido. Nos sentamos na mesa redonda já nos servindo. A mesa estava cheia de waffles, panquecas, bacon, ovos, muffins e essas coisas de café da manhã. Estava meio distraída quando ouvi me chamarem.

- ! - Me virei e uma garota alta, de cabelo preto e olhos azuis me chamou e eu me lembrei dela, era Brittany, minha melhor amiga de Portland, agora não éramos mais tão próximas e não conseguia me lembrar o porque. Me levantei indo de encontro a ela e abraçando.
- Que saudades, Brit! - Falei animada.
- Você não vem pra cá há séculos, que milagre. - Observou.
- Senta com a gente, galera, essa é a Brittany. - Apresentei a mesma pra não ficar um clima chato e ela cumprimento todo mundo, se sentou e eu fiz o mesmo. Estava pegando algumas fatias de bacon e pude notar que me encarava, mas quando olhei de volta, ele disfarçou.
- Vocês se conhecem há quanto tempo? - ciumenta perguntou, provavelmente não tinha gostado dela.
- Hm, uns 10 anos. - Brit respondeu simpática tomando seu café.
- Então, o que vamos fazer hoje? - Perguntei.
- Acho que nós deveríamos estar te perguntando isso. - Louis falou e nós rimos.
- Bom, nós podemos ir pra ilha que tem aqui, de iate. - Falei pensativa.
- Querida, o John levou o iate pra Dubai. - Lupe advertiu e eu fiquei desanimada.
- Hm, então podemos ir de jetski, mas só tem três aqui, eu acho, se John não tiver levado também. - Falei.
- Ah, podemos usar os meus também, se forem duas pessoas em cada. - Brittany era a salvação da pátria.
- Isso, então, o que vocês acham de ir pra lá? Tem um restaurante também que eu me lembre. - Perguntei.
- Lupe, pede pros seguranças descerem os jetski da casa 17 e da 20, por favor? - Brittany pediu quando todos assentiram. Terminamos de comer e saímos da mesa, cada um indo para o seu quarto se arrumar, Brit foi pro meu, comigo.
- Amiga, você tem uns amigos bem gatos. - Falou fechando a porta enquanto eu ia atrás de um chapéu e meu protetor solar.
- Me fala qual e eu te apresento, menos o loirinho, ele namora. - Falei prendendo meu cabelo depois de achar tudo que precisava e colocar na bolsa.
- Aquele que tem uma tatuagem na mão, lá embaixo eu te mostro. - Falou pensativa então saímos e fomos as primeiras a chegar lá embaixo, na sala de entrada, que tinha tatuagem na mão? Só podia ser o ou o Liam.


Pov

Não tinha gostado muito de Brittany, pra mim, ela não era o que parecia ser, tinha algo nela que não me agradou, ela era linda, sim, eu admito, morena, alta, de olhos azuis e com corpão. Não era inveja e nem ciúmes, mas deixaria de lado pela diversão dos meus amigos, sem confusão, mas não sem antes perguntar se mais alguém teve esse pressentimento.

- Kim, você gostou daquela amiga da ? - Perguntei pra mesma que estava passando protetor e se olhando no espelho.
- Sim, achei ela bem simpática. - Falou e eu revirei os olhos, não podia ser que só eu não tinha ido com a cara dela.
- Hm. - Falei indo procurar meus óculos. Terminei bem rápido de colocar o biquíni e fiquei enrolando no celular.
- ? - Louis me chamou e eu fui até a porta.
- Oi, amor. – Respondi o abraçando, nós não namorávamos, mas às vezes ficamos, acho que somos o tipo amigos coloridos, nenhum dos dois queria algo mais sério, nós gostamos da nossa vida de pegar vários e no final sempre ter algum fixo.
- Vamos todos em casais pra ilha, vamos fazer o e a irem juntos sempre. - Explicou me tirando do meu pensamento.
- Isso está me cheirando a armação de . - Falei desconfiada e ele riu.
- Todos sabemos que eles só precisam de um tempinho juntos pra começarem a ter algo! - Falou e eu concordei.
- Mas e se a pedir pra ir comigo? Isso é bem provável. - Perguntei, não tinha como eu negar isso a ela, tenho certeza que se eu negasse ela ia se perguntar se eu estava contra ela.
- Você dá uma desculpa, fala que está com saudades de ficar comigo ou algo do tipo. - Falou convencido.
- Aí, Louis, só eu pra te aguentar mesmo viu. - Falei dando um selinho nele e já voltando pro quarto.
- Amiga, temos uma operação casal. - Falei quando voltei e Kim já estava pronta para sair.
- De quem? - Perguntou curiosa.
- e , né? Faça o possível pra deixar os dois juntos. - Pisquei para a mesma que sorriu animada e então fomos pra sala.

Quarto Capítulo


Pov

Quando chegamos à praia, os 5 jetskis já estavam nos esperando com um segurança do condomínio. Brit já tinha me mostrado qual dos garotos ela queria e o escolhido: era Liam, eu mentalmente pedi para que não fosse e acho que deu certo.

- Quem vai com quem? - perguntou nos olhando.
- A Brit vai com o Liam, e Niall vai com a Leah. - Juntei dois casais e eles foram já colocando os coletes.
- Eu vou com o . - Kim falou e os dois sorriram, Então só sobrou a pra ir comigo.
- A vai comigo. - Louis falou, pensei cedo demais.
- Sobrou você e eu, gatinha. - falou e por um momento eu pensei em afoga-lo.
- Eu vou dirigindo, gatinho. - Falei dando ênfase no gatinho, eu odiava que me chamassem assim e ele sabia, só fazia pra provocar. Nos ajeitamos em cima do jetski e eu e Brit éramos as únicas que estavam sentadas na frente, porque nós teríamos que guiar todos.
- Amiga, eu acho melhor ir eu na frente levando todos, e você atrás, caso alguém se perca. - Brit deu a ideia e eu não me importava de ir atrás, então assenti e vi-os indo e esperei um pouco e depois fui, seriam de 5 há 10 minutos até lá, dependo de sua velocidade, estava mega concentrada dirigindo com segurança quando senti lábios no meu pescoço.
- , para! Não consigo me concentrar. – Pedi, mas eu não queria que ele parasse e ele não parou.
- Mas é tão bom. - Ele sussurrou no meu ouvido, me deixando arrepiada, ele queria me provocar e estava conseguindo.
- Merda. - Falei parando o jetski, no meio do nada, mas já dava pra ver que estávamos chegando.
- O que houve? - Sorriu safado.
- Eu vou acabar causando um acidente e vai ser culpa sua! - Falei brava tentando evitar seus olhos, mas não tendo sucesso.
- Um beijo e eu paro. - Ele pediu, não era um acordo ruim.
- Promete? - Perguntei e ele assentiu, puxei ele pra mais perto, se era possível, e o beijei lentamente, deixando o beijo ficar mais profundo, mordi seu lábio inferior pra terminar o beijo e ele me apertou, me fazendo sentir seu volume e aquilo era muito bom. Mas se nós não atrasássemos, eles iriam ficar preocupados. Liguei o jetski de novo e não demoramos muito a chegar, mas todos já estavam lá, a nossa espera.
- Nem demoraram. - Louis reclamou e eu ri.
- Vamos começar a beber ou ainda está muito cedo? - Perguntei quando vi um dos funcionários vir até nós.
- Eu acho uma ótima ideia. - falou, então começamos a olhar o cardápio de bebidas.
- Vou querer uma mimosa. - Pedi para o garçom que estava anotando os nossos pedidos.
- Faça dela, duas. - Brittany pediu.
- Vou revisar o pedido: Três sex on the beach, duas mimosas, um Dry Martini, dois mojitos e dois Singapore Sling. - O mesmo perguntou e eu assenti.
- Ele vai achar que somos alcoólatras. - Leah riu.
- Acho que não, vários adolescentes fazem isso aqui. - Brit falou e então o garçom voltou com as nossas bebidas.
- Quem vai assinar? - Perguntou mostrando a comanda, eu não entendia muito bem como era aquilo, mas eu assinei.
- Como funciona essa comanda? - Perguntei por curiosidade.
- Todas as casas tem uma conta aqui, só pra termos o controle, pedimos para assinarem cada vez que pedirem algo, porque não aceitamos dinheiro vivo aqui. - Explicou e eu não entendi muito bem.
- Ah, sim. - Fingi que tinha entendido.
- Bom, se precisarem de mim, só chamar, sou Nick! - Avisou e se retirou.
- Amiga, no final eles vão pedir pra você assinar e vai cair na conta do seu pai, é isso. - Brittany explicou melhor vendo que eu não tinha entendido, não gostava quando chamavam John de "seu pai", ele não era isso.
- Obrigada - ri e comecei a pensar o que poderíamos fazer nessa ilha.
- O que acha de fazer a trilha de quadriciclos? - A menina de olhos azuis perguntou como se estivesse lendo meus pensamentos.
- Acho uma ótima ideia, o que vocês acham? - Perguntei.
- Eu topo. - Liam foi o primeiro a se posicionar.
- Por mim, tudo bem. - falou.
- Então vamos. - Pedi, andamos até a parte mais alta da ilha onde ficavam os quadriciclos, de novo teríamos que ver quem iria com quem.
- Os mesmos casais do jetski vão no quadriciclo? - perguntou olhando safado pra mim e eu torci para que dissessem que não, mas parece que todos estavam contra mim.
- Melhor. - Leah concordou e todos já foram para seus quadriciclos.
- Eu vou na frente dessa vez. - falou entrando na minha frente e eu só revirei os olhos, aquelas costas dele, Senhor.
- Então é assim, galera, isso não é uma trilha normal, como vocês podem ver, ela tem 10 caminhos diferentes, vocês têm que pegar todas as 5 bandeiras que acharem por ela, e cuidado, temos vários caminhos e vários atalhos, então é fácil se perder, mas nada perigoso, quando terminarem, vou estar esperando vocês no outro lado da ilha, aqui temos alguns GPS pra ajudar vocês, alguma pergunta? - Um instrutor explicou e aquilo parecia realmente divertido.
- Como vamos saber quem venceu? - perguntou.
- Quem conseguir pegar o maior número de bandeiras, ganha. - Avisou.
- Beleza, vai ser fácil! - Louis falou.
- Então é isso, boa sorte. - O mesmo instrutor desejou e então o farol começou com a contagem.
- Você sabe qual melhor caminho? - Perguntou e eu não fazia ideia, mas optei por um que parecia ser legal. Apontei pra um que tinha que entrar nas matas, nenhum dava pra ver direito o caminho antes de estar nele, então o farol ficou verde e ele acelerou para outro caminho.

- ! - Falei brava por ele ter feito isso.
- Desculpa, eu não achei esse caminho bom o suficiente. - Ele falou rindo e eu ri também.
- Ótimo, ótimo, da próxima vez eu nem respondo. - Fingi estar brava. Estávamos em uma parte da ilha que era só areia e o mar, só via o quadriciclo de Leah e Niall, mas eles estavam lá na frente, dessa vez quem iria provocar era eu, como estava sentada com os braços em volta de sua cintura, comecei a passar as unhas lentamente por suas costas largas, e dava para perceber seus pelos eriçados e as marcas vermelhas deixadas pelas minhas unhas, às vezes arriscava passar a mão em suas coxas, próxima ao seu membro que já estava dando sinal de vida.
- Ah. - suspirou, não se dispersando do caminho, avistei uma bandeira que estava bem fácil pra pegar em uma árvore. Teríamos que parar a brincadeirinha, infelizmente.
- , para. - Falei rápido e ele não entendeu nada.
- Mas eu não estou fazendo nada, louca. - Ele falou confuso.
- Não, idiota, o quadriciclo. - Falei e então ele parou bruscamente e eu desci indo pegar a bandeira.
- Você é louca. - Ele falou me abraçando pela cintura e me dando um beijo na bochecha, e então voltamos pro quadriciclo. Não iríamos ganhar, com certeza, não.
- Tenho quase toda certeza que já passamos por várias bandeiras e não pegamos nenhuma. - Observei.
- Você acha? - Ele perguntou como ele não havia notado, acho que já estamos até chegando à linha de chegada. O biquinho de triste dele era tão lindo, dava vontade de apertar e não soltar mais, era horrível saber que daqui a pouco já iríamos nos evitar de novo. Não conseguia parar de olhar em seus olhos maravilhosos.
- Hm, só precisamos prestar mais atenção. - Notei quebrando o silêncio.
- Eu não me importo de perder por tanto que eu esteja com você. - Ele soltou e eu não queria ter ouvido, ele era muito fofo, e aquele sorrisinho sem graça.
- Quem vê, pensa que você é fofo comigo. - Ri e ele não falou nada só voltou a dirigir quando finalmente chegamos e só estavam nos esperando.
- Quantas bandeiras? - O instrutor perguntou já a pegando.
- Uma. - falei.
- Eles estavam se importando mais em se pegar do que no jogo. - falou baixinho, mas todos ouviram.
- Antes fosse. - falou e era verdade, nem tínhamos ficado dessa vez, só não prestamos atenção.
- Suas costas que o diga, não, ? - perguntou desafiadora vendo os pequenos arranhões e ele não reagiu.
- Quem ganhou e quem perdeu? - Mudei de assunto rapidamente.
- Louis e ganharam e pra surpresa de vocês, Liam e Brittany perderam, pegando o total de zero bandeiras! - Leah disse debochada.
- Aí, vamos comer? - Perguntei quando meu estômago começou a fazer barulhos.
- Vamos. - falou e passou seu braço em volta do meu pescoço, voltaríamos andando, nem era tão longe, todos conversavam animadamente sobre a aventura que tiveram para pegar as bandeiras e eu não consegui prestar atenção, tudo que vinha na minha cabeça eram os olhos dele e as palavras que insistiam em martelar na minha cabeça: "Eu não me importo de perder por tanto que eu esteja com você", era mentira, não era? Me assustei quando alguém me chamou.
- Como vocês só acharão uma bandeira? - Perguntou Louis.
- Hm, eu acho que me esqueci de ficar olhando os pontinhos do gps. - Admiti e eles riram, notei que agora Liam e Brit não se soltavam e eles eram realmente muito fofos juntos.
- Estou muito cansado, vou voltar pra casa. - Liam falou se levantando de sua cadeira e Brit o acompanhou.
- Você também, Brit? - Perguntei sapeca, já sabia que os dois iam provavelmente ficar juntos e aquilo era só uma desculpa.
- Melhor eu mostrar o caminho pra ele, vai que se perde. - Ela falou e todos riram, ninguém tinha acreditado, mas quem éramos nós pra não deixá-los ir.

Comemos no restaurante da ilha mesmo e depois voltamos pra casa, todos estavam mega cansados, então ficamos na piscina da casa a tarde inteira até começar a ficar escuro, resolvemos ir descansar e depois iríamos para o centro em algum restaurante. Tomei um banho mega demorado para tirar todos os resquícios de areia e água salgada do meu corpo, coloquei um vestidinho soltinho vermelho e uma sapatilha, mas sem antes pegar o kit de primeiros socorros e ir até o quarto de e .

- ! - Bati na porta.
- Entra. - Ele falou e eu entrei, ele estava apenas de toalha, como ele me deixa entrar com ele desse jeito?
- Ah, eu volto depois, quando você estiver vestido. – Avisei, mas ele me impediu fechando a porta e ficando próximo demais e eu já podia sentir sua respiração com a minha.
- Não precisa, já veio até aqui, agora fala. - Pediu.
- Você pode fazer outro curativo? - Perguntei quase esquecendo o que realmente fui fazer naquele quarto.
- Aham, senta ali. - Ele pediu, me sentei na cama e fiquei meio sem graça com o jeito que ele me olhava.
- Cadê o ? - Perguntei eu não sabia o que falar, o silêncio estava péssimo.
- Tomando banho. - Falou já refazendo o curativo com cuidado.
- Hm. - Falei.
- Só isso? - Ele perguntou terminando e se levantando.
- Sim, hm, obrigada. - Agradeci, me levantei e eu não queria sair, mas tinha que recuperar minha sanidade após ter ajoelhado pra mim apenas de toalha na cintura e com as costas totalmente expostas antes de fazer alguma besteira, mas ele me puxou me jogando na cama, me beijou, não me deixando sair e eu agradeci mentalmente. Eu podia dizer que já estava adorando aqueles beijos desesperados e com saudade.
- Estou atrapalhando algo? - perguntou rindo e muito, nem ouvi quando ele saiu do banheiro, me fazendo tomar um susto.
- Hm, não eu já estava saindo. - Falei sem graça jogando pro lado e me levantando, já saindo e fechando a porta, porque as pessoas nessa casa insistiam em sair só de toalha pelo quarto?
- Aconteceu alguma coisa? - Kim perguntou, ela estava andando pelo corredor, se eu desse sorte, ela nem tinha me visto sair do quarto que não era meu.
- Não… Por quê? - Digo torcendo para que ela não note que minhas bochechas estão tão vermelhas quanto o meu vestido.
- Você está mais vermelha que um camarão. - Riu.
- Acho que tomei muito sol. - Menti.
- Ah sim, o quarto do deve estar bem sol. - Ela ironizou.
- Aí, senhor, ele só fez um curativo em mim. - Falei já descendo as escadas.
- Sim, ele estava curando sua vontade de beijar ele. - Falou. - Isso o quê? - Ela riu fingindo de desentendida.
- Ah, você sabe! - Falei irritada saindo de perto dela e indo pra cozinha procurar algo para enganar a fome, aqueles garotos pareciam meninas para se arrumar. Cheguei à mesma, e parece que teve a mesma ideia que eu, fazer um lanche antes de ir, peguei metade de seu sanduíche e me sentei em cima da bancada de frente pra ela, mesmo tendo uma cadeira para sentar ao seu lado.
- O que você está tendo com ? Não tô entendendo mais nada. - Ela perguntou.
- Nada… - falei e era verdade, sem querer a gente ficava e mais nada.
- Qual é, eu sei que tem alguma coisa acontecendo entre vocês, por que não quer me falar? Eu achei que fosse sua melhor amiga. - Fez drama e eu comecei a rir.
- É porque não estamos tendo realmente nada, sem querer a gente fica às vezes, mas nada demais, nós não falamos sobre isso. - Tentei explicar.
- Sabia! - Ela gritou e eu tentei acalmá-la para não chamar a atenção de ninguém.
- ! - Chamei brava.
- Me desculpa, honey, mas eu já shippo esse OTP bem antes dele se tornar realidade, então não tem como me conter. - Ela se explicou.
- Linda, não tem como shippar um OTP que nem existe. - Falei tentando dar fim àquela conversa ridícula. Senhor, acho que estou de TPM, não é possível.
- Ainda. - Ela falou terminando o assunto quando Louis entrou na cozinha e deu um beijo nela, roubando metade de seu sanduíche, eles são tão fofos, eu queria ter um namorado fofo assim, sai da cozinha deixando os dois lá fazerem o que eles quisessem fazer, todos já estavam prontos na sala, até Brittany estava lá.
- Vamos? - A mesma perguntou chamando minha atenção.
- Aham. - Falei indo atrás das chaves do carro que eu não encontrava em lugar algum.
- Tá procurando alguma coisa? - Leah perguntou percebendo o quão perdida eu estava.
- Minhas chaves. - Falei indo atrás de Lupe, ela deveria saber onde estariam.
- Ah, não, , eu estou morrendo de fome, vai no carro de alguém. - reclamou e eu desisti de procurá-las, também iria no carro dele.
- Eu vou no seu carro , e quando eu ficar cansada e quiser voltar, você vai ter que voltar! - Falei me fingindo de brava.
- Tudo bem, tudo bem. - Ele falou repetidamente com voz de tédio, mas eu realmente gostava de ir no meu carro para não ter que atrapalhar ninguém quando quisesse voltar, eu tinha minhas paranóias às vezes de querer voltar antes de todo mundo e me trancar no quarto e dormir. O caminho inteiro ficamos conversando sobre as coisas que aconteceram hoje.


POV

Comemos em um restaurante de frutos do mar e depois fomos para o deck, onde não tinha quase ninguém e o mínimo barulho era o das ondas.

- Você é namorado da ? - Brittany perguntou vendo que estávamos afastados de todos.
- Não. - Falei.
- Hm, então você é solteiro? - Ela perguntou mordendo o lábio.
- Sim. - dava respostas curtas, pois não estava gostando muito do rumo da conversa, me chame de convencido, mas eu sabia onde ela ia chegar e ela era gostosa, mas não teria nada com ela, ela tinha muita cara de vadia.
- O que você acha de depois que o Liam dormir nós ficarmos no sigilo. - Perguntou baixinho e piscando pra mim, logo entrelaçando nossos braços. Eu tinha uma ótima intuição, sabia que ela era desse tipo.
- Não, obrigado, não curto esse tipo de coisa. Liam cuida da sua garota aqui! - Pedi apontando para a mesma e chamando a atenção de todos e saindo de perto dela, vendo me olhar confusa e vir até mim.
- Você gostou dela? - Perguntou.
- Não… Não curto bronzeamento artificial. - Respondi e ela riu.
- Sobre o que vocês estavam falando? - Perguntou curiosa.
- Hm, ela me perguntou se eu queria ficar no sigilo com ela depois que o Liam dormisse, e eu falei que não curtia isso. - Expliquei.
- Eu sabia que não ia com a cara dela, deixa a e o Liam saberem disso. - Ela falou prestes a ir contar pra que estava tirando foto com Brit.
- Espera, não vamos estragar essa noite, se ela fizer de novo, a gente faz alguma coisa. - Pedi, todos estavam se divertindo nessa viagem pra tirar o peso que é o último ano do colegial e eu não iria estragar isso.
- Beleza, mas se você cair na dela, … Eu juro que acabo com você. - Ela disse seria.
- Relaxa, baixinha. - Falei abraçando a mesma.
- Agora vamos que você vai me comprar um algodão-doce. - Afirmou me puxando para o carrinho de algodão-doce em que todos estavam parados.

POV

Não gostei muito de ver Brittany tão perto de , mas resolvi ignorar, tirei algumas fotos com pra me distrair e vimos duas barraquinhas, uma de algodão doce e outra de sorvete, uma ao lado da outra, comprei um sorvete de bolo de chocolate, ele tinha duas fatias de bolo e no meio sorvete de creme, enquanto todos compraram algodão doce, parecíamos crianças pela primeira vez na praia.

- Está sujo aqui! - falou limpando o lugar com a língua.
- ! - Falei o afastando e rindo.
- De nada, chatinha. - Falou irônico.
- Que nojo. - brincou colocando um pouco de seu algodão-doce na boca e se sujando.
- Tá sujo aqui. - Louis falou repetindo o ato de alguns momentos atrás e ela riu
- Obrigada, amor. - Ela disse.
- Agora não é nojento. - Falei rindo.
- Hm, não. - brincou lambendo a bochecha de Louis.
- Credo, amor. - Ele falou limpando a baba de sua bochecha.
- Casal, vamos embora? Tô com sono. - Pedi pros dois que me olharam e assentiram, mas sem antes reclamar. Senti um braço passando pelo meu pescoço e notei que era , eu achei bem fofo isso, não ia reclamar, ainda mais porque ele estava quentinho e como estava ventando bastante, ele ajudava.
- A bebê já está com sono? - Louis brincou.
- Criança tem que dormir cedo, né, Lou? - Dessa vez falou e eles fizeram um toquinho besta.
- Amanhã será um longo dia. - Falei bocejando.

Continua...



Nota da autora: (05/06/2017) Sem nota.




comments powered by Disqus




Qualquer erro nessa atualização são apenas meus, portanto para avisos e reclamações somente no e-mail.
Para saber quando essa linda fic vai atualizar, acompanhe aqui.



TODOS OS DIREITOS RESERVADOS AO SITE FANFIC OBSESSION.