Finalizada em: 20/05/2018
Contador:

Capítulo Único

“(...) Seus braços, seu calor, o seu coração.
Eu quero ver tudo, eu te imploro.
Até mesmo a brisa quente com aroma perfumado.
Até mesmo o céu, sem uma única nuvem.
Tudo parece frio e eu estou com medo do céu claro.
Se você não está aqui, eu sou apenas um cadáver então como eu posso respirar?
Isso dói, eu sempre choro, choro, choro.
Eu estou ficando louco, exausto sem você.
Eu penso em você sem parar.
Eu odeio tudo isso, eu odeio todos os dias (...)”


Estar de volta nesse ambiente me deixa em pedaços, tudo aqui me faz lembrar de . Já fazem 2 anos, mas eu acho que nunca vou conseguir superar. Ela tentou fazer sua partida não doer tanto, e eu tentei me agarrar nisso nos últimos meses de vida dela, só que estar aqui me fez não enxergar, mas aceitar que nunca foi e nem nunca vai ser menos dolorido.
Tentei por todos esses anos evitar voltar para lugares como esse. Hoje estou aqui pelo meu grande amigo e companheiro de palco. e celebraram seu casamento, que estava lindo, aqui em Busan, onde ele nasceu e cresceu, a praia foi um lugar que os uniu e por isso foi escolhido como cenário para esse momento tão lindo.
Casamentos e praias. Se eles não fossem um dos meus melhores amigos e eu não fosse o padrinho, tenho certeza que não estaria aqui sentado na beira desse mar, com uma garrafa de soju e duas das cartas mais importantes da minha vida no bolso.
Acontece que eu nunca contei pra ninguém a fobia que eu criei de praias, todo mundo que me conhece sabe da e o quanto ela significou e ainda significa na minha vida. Só que ninguém sabe da ligação dela com lugares assim, e nem da minha ligação por conta dela. Das mais variadas situações onde estar sentindo a brisa do mar me beijar ou a areia abraçar meus dedos dos pés, eu meio que fugi, sempre com alguma desculpa ou conversava para mudanças dos sets. Eu sempre soube que mexeria comigo, mas não sabia que seria a esse ponto.
Hoje o dia está perfeito para celebrar um casamento na praia, o céu está claro e sem nuvens, o sol está brilhando forte ainda, mesmo o dia quase finalizado, e a brisa está beijando os rostos tão perfeitamente, que até parece uma pessoa de verdade fazendo isso.
realmente adorava a praia, e por isso é tão difícil pra mim aqui.
Conhecemos-nos em uma praia, há muitos anos atrás quando a família dela tinha acabado de se mudar para a Coréia, eu lembro bem, tínhamos pouco mais que 9 anos e ela estava perdida na praia, foi engraçado, porque ela mal falava coreano e eu falava zero de português. Mesmo que falássemos a mesma língua, ela chorava tanto que eu não seria capaz de distinguir o que ela falava. Achei que a melhor solução era levar ela até o posto dos salva-vidas, dali em diante passamos a nos comunicar sempre e descobrimos que morávamos na mesma cidade.
Amores de férias nunca duram, foi o que eu ouvia dos meus amigos sempre. No início éramos crianças e nosso laço se firmou primeiro pela amizade, eu a ajudei na adaptação aos novos costumes, e a língua e ela também agregou seus costumes e a sua língua pra mim. A nossa ligação foi algo que aconteceu genuinamente e à medida que fomos crescendo, estávamos sempre um com o outro e quando fomos para o ensino médio, nossa amizade tinha se transformado em amor, ou se aceitado, acho que foi esse o sentimento certo. Namoramos por longos anos, ela estava do meu lado quando meu sonho de ser cantor se instalou na minha mente, depois estava ao meu lado quando eu fui atrás desse sonho e finalmente estava do meu lado quando eu consegui realizá-lo. Nosso relacionamento passou por momentos difíceis, mas quando enfim ela também realizou seu sonho de ser uma grande bailarina, pudemos juntar nossos sonhos e trabalhar para mesma empresa. Tudo em nossas vidas era algo discreto, levamos nosso relacionamento como tinha que ser, por trás das câmeras e isso era algo que a gente gostava, não tinha imprensa e ninguém metendo o bedelho no nosso relacionamento. Durante muitos anos os corredores da empresa, meu dormitório ou “nosso” apartamento eram nosso refúgio. conheceu em uma dessas reuniões no apartamento que compramos juntos, às vezes reunimos nossos amigos e fazíamos um pequeno evento, gostávamos disso, parecia que a nossa vida era normal, a sintonia dos dois aconteceu logo de cara, tinha se mudado há pouco para nosso prédio e como ela era brasileira também, não demorou muito para que ela e se tornassem as melhores amigas. A garota era, e ainda é, de uma aura incrível, seu coração é gigante e sua mania de pensar nos outros antes de si é algo que ela ainda precisa trabalhar, mas ela faz meu amigo feliz, fez a mulher da minha vida feliz, e me faz feliz também, eu sou grato por essa amizade.
Depois de seis meses que e estavam em um relacionamento firme, me pediu em casamento, foi algo inesperado. Não pelo fato de não estar pronto, mas pelo fato de àquilo ter realmente me surpreendido e não só àquilo como o fato de uma suspeita de gravidez que veio de brinde. Eu estava meio confuso com a possível chegada de um bebê, eu estava com medo do que aquele passo podia mudar na minha vida e na dela, eu acho que estava tendo uma premonição, só não tinha me ligado que toda aquela angústia e medo não eram por ter um filho ou por casar. Fizemos uma cerimônia íntima de noivado só com nossos pais e nossos amigos mais próximos enquanto esperávamos o resultado do exame de sangue para comprovar, aquele dia foi tão perfeito, o sorriso nos lábios de todos naquela sala, e o de , me fizeram sentir que aquele era o passo certo para que nossa vida e que o momento era aquele e eu queria passar o resto da minha vida ao lado daquela mulher, e só de pensar em ter um bebê nosso, era algo que realmente me fazia feliz. Nosso noivado e relacionamento seriam brevemente revelados para a mídia, assim que confirmássemos a gravidez um filho, era algo que não ia dar pra esconder por muito tempo, e os fãs não iam perdoar esconder uma coisa dessas. Três dias depois da nossa pequena festa, fomos até a obstetra que era a ginecologista particular de já há alguns anos, o resultado estava pronto, e estávamos ansiosos esperando a médica na sala dela, brincou vendo o quadro na parede do consultório, com uma imagem de um bebê enorme dentro da barriga e ficamos nos perguntando como um ser humano daquele tamanho saia de um lugar tão pequeno. Rimos sem resposta até que a médica chegou e nos deu a pior notícia que podíamos receber: ela não estava grávida e o ultrassom que ela fez, detectou uma massa na área pélvica. Só quem ia poder dar o diagnóstico era o médico responsável do assunto, mas a gente já sabia do que se tratava.
Alguns dias depois fomos ver o médico, e o estado estava pior do que a gente imaginava. TRÊS. Três nódulos do tamanho de laranjas. Câncer. Câncer estágio quatro, meu mundo se perdeu todinho ali, ela pareceu não se abalar ao receber a notícia, ela sempre foi assim, sempre positiva, sempre calma e compassiva. Eu entrei em desespero, perguntando quais os métodos de cura, as chances, quando começavam as quimioterapias, o que a gente podia fazer, cirurgia, tudo, eu realmente pensei em tudo. O doutor muito calmo e competente me chamou para conversar e disse que as chances eram muito pequenas de recuperação, o nível em que a doença estava fazer quimio podia ser um perigo, ele ia optar pelo tratamento em coquetéis e se ela respondesse bem, aí sim a quimioterapia ou a cirurgia seriam aplicadas.
Eu entrei em desespero sozinho naquela sala branca por cerca de vinte minutos, o choro que saiu de mim poderia inundar uma represa. Tentei abafar meus soluços para que ela não se desesperasse também. Não era eu quem estava com aquela doença, mas vi a minha toda passando diante dos meus olhos e não sabia como ia seguir a vida se por acaso ela me deixasse.
Eu sabia que ela sabia, mas ela manteve a mesma postura positiva, a mesma postura quando começou o tratamento, quando o medicamento a deixou fraca demais para continuar dançando, quando ela iniciou uma terapia em grupo, quando ela desmaiou a primeira vez sozinha enquanto estava fazendo compras no mercado ou quando eu tive que viajar por duas semanas para Macau com o grupo, ela continuava a mesma, a mesma aura, o mesmo coração, o mesmo carinho. Todos a minha volta sabiam dessa situação e como eu quis passar todo o tempo que eu tinha livre ao lado da mulher da minha vida.
Eu tentei viver e fazer ela se sentir amada todos os dias até o dia que Deus escolheu que era o momento dela descansar. Nesse meio tempo, quando os remédios não surtiram efeito e o corpo dela só fazia ficar mais fraco, nós resolvemos levar a frente o casamento, escolhemos a decoração simples, nossos amigos mais próximos e o bolo, ela, mesmo fraca, fez questão de escolher cada detalhe. a ajudou a escolher um vestido simples e os acessórios, tínhamos marcado a pequena celebração para algumas semanas depois de tudo organizado. ainda queria passar algum tempo com sua família e eu estava cumprindo a agenda do grupo. A agência estava pronta para anunciar nossa união, isso foi algo que entramos em conflito pouco antes da decisão, eu precisava daquilo e meio sendo egoísmo da minha parte expor assim algo tão íntimo das nossas vidas, sentia que precisava gritar ao mundo que eu a amava, que ela era o motivo do meu sorriso por tantos anos e que eu era muito orgulhoso de poder chamá-la de minha esposa. Ela era totalmente contra, achando que isso poderia influenciar de maneira negativa a minha carreira, e destruir tudo pelo qual sempre lutei. Naquele momento a única coisa com quem eu me importava era ter ela pra mim e fazer ela feliz. Ao passar dos dias, eu há senti cada minuto mais fraca, ficou alguns dias internada, mas pediu para voltar para casa, e a súplica no seu olhar me fez ceder e trazê-la de volta. Infelizmente um dia antes de oficializar nossa união, Deus a levou para seu descanso merecido, ela tinha acordado pela manhã como sempre, só que com um sorriso fraco no rosto, eu levantei cedo, servi nosso café e ela só tomou o suco. Deixei um sanduíche próximo a ela na nossa cama e me despedi com um beijo em seus lábios selando eles nos meus e sentindo um arrepio pelo corpo todo, o qual fez meu coração acelerar e segurar as lágrimas que queriam sair de dentro de mim. Fui até o estúdio do estilista do grupo buscar meu terno e voltei para casa para organizar os últimos detalhes. Ao chegar, ela estava em um sono profundo, o mais profundo que ela pode chegar, cheguei perto dela, e quando beijei sua testa senti seu corpo gelado. As lágrimas que antes eu segurei agora rolavam livres pelo meu rosto escorrendo pelo meu pescoço e molhando a gola. Eu gosto de acreditar que ela teve uma partida sem dor e sem sofrimento, que ela só adormeceu e os anjos a vieram buscar pela mão e foi isso. Aquele com a maior certeza foi o dia mais difícil e doloroso da minha vida, não sei como consegui sair dele com alguma força para viver, sabia que não ia gostar se eu desistisse da minha vida dessa forma, ela viveu seus últimos momentos tão plena e mesmo com os mesmos medos e certezas que eu, ela continuou com a mesma luz, então por essa luz que ela trouxe a minha vida, que eu tive coragem e força para continuar.
A beira daquele mar, tomei um gole da bebida direto do gargalo e peguei o primeiro papel do meu bolso, eu devia ter enterrado aquele discurso fúnebre junto com ela, assim que começaram a jogar terra por cima do caixão, mas eu fui fraco, eu fraquejei naquele momento, na frente dela, e de todos os que nos amavam. Desculpo-me com ela todas as noites e sei que se ela estivesse aqui do meu lado estaria falando que está tudo bem, é normal se sentir assim às vezes, afinal, somos seres humanos. Abri o papel que já começava a ficar amarelado e reli as minhas próprias palavras como sempre fazia, não sei por que fazia, mas fazia mesmo assim. Enquanto eu passava os olhos no papel, comecei a ler em voz alta.

“Te perder tão prematuramente me estilhaçou, ninguém estava esperando por isso e mesmo que estivéssemos, a dor seria a mesma. Eu odeio o fato de que não aproveitei da maneira certa o tempo que eu tive ao seu lado. Sabe aquele ditado que diz que só damos valor quando perdemos? Eu acho que isso é meio verdade, eu te dei valor, e te dei todo o meu amor que eu tinha dentro de mim, mas nunca foi o suficiente pra mim, nunca foi a quantidade certa que você merecia. Eu deveria ter mostrado mais, todos os dias, o quanto eu te amava e o quanto importante e essencial sua vida era pra mim. Acordar e se dar conta de que nunca mais irei ver seu rosto, sentir seu cheiro e sua pele, ou ouvir sua voz, é algo com que eu vou ter que conviver, mas que a cada segundo vai me matando também. Queria que voltasse, nem que fosse por 5 minutos pra poder ouvir da minha boca o quanto eu não sou nada sem você, como sua vida foi e é essencial e importante, não só pra mim, mas para todos que te amavam, dizer que o amor que sinto por você é a maior força que eu tenho no meu corpo, de como foi especial, querida e muito amada dessa terra. Pra mim, pelo menos, vai continuar sendo. Se eu pudesse, daria a minha vida para que você não sentisse a dor que eu tenho certeza que sentiu durante todo esse processo, ou que pelo menos pudesse dividir ela comigo para que os dias fossem melhores. Eu sei que agora você está em um lugar melhor e vai olhar as muitas mancadas que ainda vou dar nessa vida. Prometo que vou dar o meu melhor de agora em diante por você e por tudo o que representa na minha existência. Espero que esteja tendo a paz e o descanso merecidos. Eu sempre vou te amar, e não importa quanto tempo passar, seu lugar no meu coração sempre vai ser SEU. Espero que a gente se encontre em breve novamente, meu amor. Minha eterna, minha, minha vida.”

As lágrimas sempre apareciam quando eu lia essa despedida, e eu concordo sempre com cada palavra que eu escolhi naquela época, a razão de todo meu trabalho e esforço tem nome e sobrenome, senti que esse era o momento e o lugar certo de “enterrar” essa tortura que eu vinha fazendo com meu psicológico esses anos. Dei um último beijo no papel dobrado, o rasguei em muitos pedaços, cavei um buraco na areia até chegar à parte úmida, coloquei os pedaços de papéis por lá e o cobri novamente. Aquela brisa estava realmente agradável, o sol já estava baixo e as cores do entardecer pintavam lindamente aquele céu. Aquela visão maravilhosa fez meu coração se apertar e as lágrimas rolaram mais uma vez pelo meu rosto.
Como eu poderia viver um momento tão lindo desses sem ela, eu sei que a vida ia seguir sem ela, já devia ter seguido, mas é algo no qual eu não posso conviver ainda.
O aperto doeu mais e a essa altura eu já estava em prantos, soluçando, encostei a cabeça nos joelhos e os abracei. Sabia que aquela dor tinha que ser sentida, mais cedo ou mais tarde, mas não fazia idéia que doeria tanto. O choro parecia que não ia cessar nunca e dentro de mim talvez não quisesse mesmo que cessasse, nem todo choro do mundo ia fazer aquela dor insuportável passar.
Senti uma mão afagar meu ombro e um corpo parar próximo ao meu, pelo soprar do vento sentindo um tecido, talvez uma espécie de véu roçar de leve a minha pele, pressupus que fosse . A última coisa que eu queria era fazer qualquer um dos noivos saírem da festa a minha procura, mas naquele momento agradeci mesmo sem ver quem era, agradeci por poder ser , ela mais que ninguém próximo a mim sabia, ou conseguia entender a dor que eu estava sentindo, não que nossos outros amigos não sentissem a perda, mas acho que a nossa dor é similar. Nosso amor pela era bastante similar.

ㅡ Será que ela está feliz por mim, ? ㅡ disse com a voz embargada, sentando-se ao meu lado.

Levantei o rosto e virei em direção a ela, consegui controlar minhas lágrimas por um minuto, mas sabia que não ia aguentar mais tanto tempo.

ㅡ Ela está. Olha esse por do sol, se não é abençoando e sorrindo por essa união, eu não sei o que é. ㅡ Disse engolindo em seco, segurando meu sentimento para não desmanchar em lágrimas.
ㅡ Às vezes eu me sinto mal, eu sei que não deveria me sentir assim, e ela não gostaria disso. ㅡ abriu um sorriso sem humor, tentando deixar o clima daquela conversa menos tensa. ㅡ Eu me sinto mal por ser tão feliz, e ver a minha vida tão boa, e não ter ela aqui para vivenciar isso comigo.

Os olhos dela estavam cheios de lágrimas e os meus também, segurei suas mãos e comecei a fazer carinhos de leve.

ㅡ Sabe, , eu me sinto do mesmo jeito, eu tento meu melhor em tudo e eu tento seguir a minha vida, mas é algo tão difícil. ㅡ As lágrimas voltaram a ensopar meu colarinho. ㅡ Ela não ia estar feliz com a forma com que venho levando a minha vida, e estar aqui hoje, me fez ver que se eu quero fazer alguma coisa por ela, essa coisa é ser feliz. ㅡ Alcancei meu paletó com uma das mãos e entreguei um lenço para ela. ㅡ Então, não se sinta mal por sua felicidade e por suas conquistas. te amava muito e amava muito o . A última coisa que ela pediu pra gente, para todos nós que convivíamos com ela, foi para que fossemos felizes e nada menos que isso.

Retirei o segundo papel do meu bolso, esse era em um tom rosado e a letra delicada nele não era a minha, mas eu conhecia muito bem.

deixou isso aqui em um livro que ela estava lendo antes de partir. Tudo escrito aqui é pra todos nós e eu sinto que estou a decepcionando muito com as minhas atitudes. ㅡ Coloquei o papel nas mãos de , e fechei os dedos em volta do papel. ㅡ Esse é um presente de casamento para você, eu já devia ter feito antes, mas eu fui muito egoísta em querer essa última recordação só pra mim, me desculpe.
ㅡ Eu nunca iria me chatear com você por causa disso, meu amigo, você sabe disso. ㅡ Ela sorriu e passando uma das mãos no meu braço.

Ela abriu o papel e começou a ler em voz alta.

“Queridos, eu os amo e essa é a primeira coisa que eu tenho para falar para vocês, eu os amo e sempre até meu último fio de vida, eu vou amar, e mesmo depois que a vida não caber mais a meu corpo, eu vou continuar amando vocês. Eu sei que estou partindo e que esse momento não é fácil, não é pra mim e não é para vocês. Eu preciso, por favor, que nesse momento de luto, vocês continuem juntos, todos unidos e apoiando uns aos outros. Não quero que minha ida seja o momento alto da minha vida, então, por favor, se lembrem com felicidade de mim, vivam suas vidas felizes e tomem a felicidade da vida de vocês como se fosse a minha felicidade. Quero dizer que toda a minha alegria nessa vida veio por meio de vocês, e não quero que por mim a alegria na vida de vocês simplesmente suma, então, por favor, por mim, sejam felizes. O meu último desejo é esse, FELICIDADE. Como comecei essa mensagem eu vou terminar dizendo que os amo, muito obrigada por tudo.”

Os nomes, começando pelo meu, e passando por cada um de nossos amigos estavam listados naquele papel passando pela família dela e finalizando na melhor amiga, ouvir aquelas palavras na voz de outra pessoa, não só na minha, me fez ver o quanto podia tocar as pessoas, finalizou a mensagem com um sorriso grande no rosto.

ㅡ Obrigada por isso, . ㅡ Ela disse com lágrimas escorrendo sobre o sorriso.
ㅡ Obrigado você, , por tudo, por mim e por ela.

Levantei-me da areia, sacudi minha roupa, peguei meu paletó e dei um beijo no topo da cabeça de , me virando logo em seguida em direção à entrada do evento. Deixei a garota sozinha para assimilar tudo o que a amiga quis passar naquelas palavras.

Precisava viver por mim, e por , aproveitar a minha vida em dobro. Fazer de mim a coisa que ela queria ser. A única coisa que queria ser nesse mundo era Feliz.


“(...) Você ainda brilha.
Você ainda é como uma flor perfumada (...)”





Fim



Nota da autora: Oi meuzamores, como estamos? Eu mesma estou em um poço de lagrimas com essa fanfic, eu tive que revisar essa estória em dois momentos diferentes, porque eu não parava de chorar kkkkkk eu sou uma autora muito péssima que fica chorando como uma idiota nas próprias coisas hahahahaha.
Eu espero que as minhas amigas que eu sei que vão me xingar me perdoem, mas a primeira coisa que eu senti lendo essa letra foi sentimento de perda, de negação e de dor, e ai eu e todas nós do kword passamos por uma perda muito difícil e isso me serviu um pouco como um desabafo, não sei se desabafo é a palavras, mas como uma válvula de escape para chorar e externar a minha dor.
Por favor, não deixem de amar as pessoas e principalmente de dizer isso a elas, o tempo é algo suscetível e quando menos esperamos, podemos estar chorando um remorso de um amor mal vivido (isso em qualquer âmbito da vida), e não chorando uma lembrança de o quanto aquela pessoa foi e é amada em nossos corações. (olha eu chorando de novo)
Espero que gostem, não deixem de comentar, e não esqueçam eu amo vocês <3 <3.





Outras Fanfics:
Baby how you like that
Eyes nose lips
Baby, I Like you
16. Not Today
MV Beautiful Liar
MV Darling
MV Sexy Trip

Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.


comments powered by Disqus