Última atualização: 07/12/2017

Capítulo Único


Flashback…

All the underdogs in the world x Todos os perdedores no mundo
A day may come when we lose x Haverá um dia que perderemos


Todos estavam rindo e se divertindo à beça, quando ouviram umas batidas na porta. Jimin se recusou a ir abrir, dizendo que era, com certeza, alguém daquele grupinho que havia pedido o autógrafo mais cedo. Namjoon rolou os olhos e foi abrir a porta, pois a pessoa parecia estar ficando impaciente.
— Bon-hwa. — Namjoon exclamou ao abrir a porta e dar de cara com o responsável pelo comeback deles no próximo mês. Ele achou estranho, pois Bon-hwa nunca tinha ido procurá-los pessoalmente nos quartos, sempre mandava alguém fazer isso por ele. — Aconteceu alguma coisa?
— Receio que sim. — disse Bon-hwa e entrou no quarto. Na mesma hora, todos pararam de brincar e olharam para ele, sérios. — Precisamos conversar a respeito do Comeback. Reservei a sala e conferências do hotel, gostaria mesmo que vocês me acompanhassem até lá.
Todos se entreolharam, já sabendo que algo muito sério tinha acontecido. Por sorte, nenhum deles estava bêbado demais para não conseguir comparecer a uma reunião.
Os garotos acompanharam Bon-hwa até a sala.
— Gente, peço mil desculpas mesmo por ter estragado a noite de vocês. — Bon-hwa começou a falar, assim que eles se acomodaram na sala. Já estavam por lá todas as pessoas responsáveis de alguma forma pelo comeback, e isso preocupou os meninos ainda mais. — Mas aconteceu algo muito sério e não dava para esperar até amanhã para fazer o comunicado.
— Eu já tô em pânico... Fala logo! — Jimin falou inquieto. Ele não conseguia parar de se mexer na cadeira, estava muito nervoso, assim como todos os outros.
— Bom, o mini álbum Love Yourself: Her com certeza vai ser um sucesso, e estamos muito animados com o lançamento de “DNA”, mas… — Bon-hwa interrompeu, olhando de uma pessoa para outra.
— Eu temia que teria um “mas” no meio..." — Jin disse, e não tinha mais unhas para roer. Estava muito aflito.
— Mas, tivemos problemas com alguns contratos. — Bon-hwa falou e se levantou. — Eles se reuniram comigo e pediram para que eu atrasasse esse comeback um pouco.
— Como?! — Namjoon falou, levantando da cadeira. Aquela notícia o tinha pego totalmente desprevenido. — Como assim? Atrasar nosso comeback? Assim, sem mais nem menos?
— Bom, eles falaram que com certeza têm outros planos…
— Eu não estou entendendo onde querem chegar com isso. — Kook alterado levantou-se também, não controlando o nervosismo. — Pra que essa palhaçada toda? Avisar assim em cima da hora?
Todos estavam muito agitados com a notícia, afinal, eles estavam trabalhando duro muito tempo pra que tudo saísse dentro do prazo.
— Calma, Kook! — Namjoon disse, tentando controlar seus próprios sentimentos. — Vamos todos ter calma. Bon-hwa, temos alguma previsão então pro lançamento?
— Olha, Nam, ainda não temos maiores informações, mas assim que eu tiver vocês serão os primeiros a saber.
Ele se curvou e saiu da sala seguido do resto da equipe. Os meninos ficaram imóveis, o silêncio tomou conta do local e eles se entreolhavam .
— Mas que droga . — Yoongi foi o primeiro a quebrar o silêncio — O que tem de errado com essa empresa?! — Ele finalizou, encarando Nam.
— Primeiro foi o corte no orçamento para as promoções e para o MV, depois toda a produção que programamos foi reduzida a um mini álbum e agora isso? — Foi a vez de Hoseok se pronunciar, apontando os problemas que vinham tendo até ali.
— Eu ... Eu não tenho idéia , mas vamos descobrir — Namjoon disse, abaixando a cabeça.

But it is not today x Mas não é hoje
Today we fight! x Hoje, lutamos!


A uma semana do retorno aos palcos, ele conseguia ver o sorriso largo nos lábios dela a toda nova passada da coreografia. tinha mesmo feito um bom trabalho e Namjoon adorava o jeito como os olhos dela brilhavam e como depois de tudo, ela ainda estava com eles.
— Vocês são maravilhosos. — Ela disse, batendo palmas quando a musica finalizou.
— Tudo graças a você. — Hoseok devolveu o elogio, piscando.
— Olha aqui, senhor Hobi. Se eu fosse uma fã maluca já teria te agarrado. — riu.
— Mais stan Bangtan que você ta pra nascer. — Taehyung disse, se aproximando e dando um beijo no rosto dela.
Namjoon observava tudo quieto, só sabia sorrir. Adorava ver todo aquele entrosamento pairando pela sala de treinamento. Aquilo, era daquilo que ele, que o BTS era feito, união e palhaçadas.
— Chega com esses carinhos, eu vou ficar mal acostumada. — disse, batendo as mãos mais uma vez. — Cinco minutos e começamos de novo. — Ela finalizou saindo da sala.
— Namjoon chamou, no momento em que ela se virou no corredor ele sentiu um dejá vu percorrer seu corpo.

Flashback…
Geurae urineun extra x Yeah, somos extra
But still part of this world x Mas ainda fazemos parte deste mundo


Algumas semanas tinham se passado desde a reunião e tudo ainda estava muito tenso. Uma nota sobre o adiamento do comeback tinha sido lançada, o que movimentou as redes sociais e a falta de informações deixava as coisas mais sufocantes.
— Eu não consigo contato com ele. — Namjoon conversava aflito com Jin na sala de ensaio, enquanto esperavam os outros membros.
— Estou desanimado já. — Jin confessou. — E acho que os outros também estão.
Pela porta que estava aberta Nam viu um grupo de meninos com aparência de 14, 15 anos passando. Todos muito falantes, logo depois também passou na frente da porta, conversando com um dos meninos. Alguém da equipe do comeback, ele pensou, e deixou Jin falando sozinho, quase correndo pela porta.
?
Ele chamou em um tom alto que fez com que o grupo todo se virasse. sorria se despedindo dos meninos que seguiram seu caminho.
—Namjoon, quanto tempo. — Ela disse, se aproximando com o sorriso ainda nos lábios. — Algum problema com a coreografia? Você melhorou muito seus movimentos desde o Debut.
vinha sendo a coreografa deles desde sempre, ela era considerada um prodígio na dança, por ser tão jovem e tão cotada pelas empresas.
— Na verdade, eu estou com outro problema, eu não consigo contato com o Bon-hwa e estamos mais de um mês sem noticias. — ele disse meio sem jeito olhando para os próprios pés. A garota olhou confusa
— Bom, a última vez que tive contato com ele, não tem muito tempo ele está responsável pelo debut dos meninos que eu venho ensaiando, acho que eles debutam dentro de uma semana. — diminuiu o sorriso nos lábios.
Ele olhou nos olhos dela, como quem suplicasse mais alguma informação. devolveu um olhar triste para ele.
— Olha, eu sei que vocês estão aflitos com essa falta de informações, eu também só sei o que foi passado naquela reunião, eu sinto muito.
— Tudo bem, me desculpe te incomodar com meus problemas.
— Eu posso tentar conseguir mais algumas informações, eu te aviso pode ser? — Ela finalizou, colocando uma das mãos no ombro dele.
— Muito obrigado, Me desculpe mais uma vez, você deve estar ocupada, a gente se fala.
Ele sorriu fraco e se afastou dela, que ainda ficou parada por uns minutos até começar a se mover lentamente. De volta à sala Nam encontrou Yoongi e Jimin discutindo e Jin entre os dois.
— Posso saber o que está acontecendo aqui? — Nam disse num tom alto e firme que fez com que todos ficassem quietos e olhassem pra ele.
— Olha aqui, Namjoon, a culpa é toda sua. — Yoongi jogou as palavras na cara dele num tom alterado. — Como nosso líder você devia ter controlado as noitadas do Jimin e as faltas nos ensaios do Kook. Onde ele está falando nisso que não está aqui?! É POR ISSO QUE ESSA MERDA DE COMEBACK NÃO DEU CERTO. — Ele já estava gritando, com o rosto vermelho olhando fixamente para o líder.
Namjoon já tinha pensado milhares de vezes sobre isso, durante esse tempo todo, ele se culpava muito, mas não era o pai de ninguém para controlar, além de todos já serem maior de idade.
— Não vamos nós exaltar para não rolar arrependimento depois. — Tae disse, olhando para os todos os membros na sala.
— Que se foda! — Yoongi disse, dando um esbarrão em Namjoon que estava na passagem para a porta e saiu.
— Acho que o ensaio acabou por hoje. — Jin disse em voz alta, quando percebeu que Nam não havia de movido.
Algum tempo depois todos já tinham saído do local deixando apenas Jin e Namjoon. Jin percebeu que o amigo caiu nas lágrimas. Ele, mais que ninguém, sabia o quanto o garoto se cobrava e o quanto tudo aquilo era exaustivo.
— Vem cá. — ele disse, abrindo os braços para o amigo que se aproximou em meio aos soluços. — Você não desistiu do seu sonho quando o BTS quase não existiu uma vez. — Ele envolveu o amigo em um abraço e dava tapinhas nas costas dele. — Não vai ser essa situação que vai te fazer fraquejar agora, você é forte, aguente firme, vamos juntos, eu sempre vou estar ao seu lado.
Nam sabia disso, mas era dele toda cobrança, ele sempre foi assim e não sabia como deixar de se sentir dessa maneira. Jin sentia seu coração apertar, mas precisava ser forte para o amigo.

Sae sesang neodo wonhae x Você quer um novo mundo também
Oh baby yes I want it x Ah, amor, sim! Eu quero


parou, se virou e sorriu, aquele sorriso que sempre aqueceu o coração de Namjoon. Ele não sabia mais desde quando vinha sentindo aquilo, ele não podia estar apaixonado, não naquele momento. Mas o jeito com que esteve ao lado dele, de todos os meninos, a sua determinação em tudo que fazia, fez com que ele se identificasse e algo dentro dele acendesse.
— Ahn ... — ele disse meio sem jeito. — Obrigado.
Ele sorriu sem mostrar os dentes e suas covinhas ficaram visíveis, caminhou de volta a ele, olhou em seus olhos e colocou um dos dedos na bochecha dele onde a covinha tinha se formado.
— Você está agradecendo pelo que, Nam? — ela disse, sorrindo afastando o dedo do rosto dele.
— Ah por tudo, pela coreografia, por aguentar esses meninos. — Ele riu nervoso, esfregando as mãos. Ele queria dizer a ela tudo o que sentia, mas não sabia se era a hora ou o lugar pra isso.
— Não precisa me agradecer, é só o meu trabalho, eu fico muito feliz, vocês são realmente muito bons no que fazem quase não tenho trabalho. — Ela disse, agora passava a mão em um dos braços dele.
— Mas eu não quero te agradecer só pelo seu trabalho... — ele engoliu em seco. — Quero dizer muito obrigado por estar sempre ao meu, digo nosso lado, você nós deu apoio, você deixou algumas coisas pra trás para estar conosco e isso, eu nunca vou conseguir retribuir.
— Olha, Nam, eu estou com vocês desde o começo, eu me sinto parte do DNA do BTS. — Ela riu do trocadilho em menção a música que eles iam apresentar em breve. — Tudo que eu sou hoje foi graças a meu trabalho com vocês, e eu realmente os amo como meus irmãos, não tem o que agradecer.
— Eu também te amo, não acho que meu senti... — ele foi interrompido por Jungkook que o puxou pela camisa com toda força.
— Dá licença. — Kook disse, tirando Nam da frente de . — Eu preciso de ajuda com o inicio, eu estava treinando com o Jimin, mas não acho que está 100%. — ele disse, pegando as mãos de e fazendo uma carinha de bebê, a mesma que ele fazia quando queria muito que alguém fizesse algo pra ele.
— Tudo bem, eu só vou me hidratar e eu te dou uma atenção especial, pode ser? — Ela disse, piscando pra ele. — Nam, a gente pode terminar essa conversa mais tarde? Tenho certeza que o Kook não vai deixar de pentelhar como sempre faz. — Ela finalizou, passando a mão pelos cabelos do mais novo bagunçando ele todo.
— Tudo bem. — Namjoon sorriu e entrou para a sala de treinamento, ouvindo as vozes animadas de e Kook sumindo pelo corredor.

Flashback...

Extra plus ordinary x Extremamente ordinário
Geugeotto byeol geo anyeo x Isso não chega perto de ser especial


Jungkook estava de pé no grande saguão da SMTOWN, ele nunca imaginou em toda a sua vida estar ali. Ele conhecia todos os cantos do prédio da GYJ, sua atual agência e nada do que ele já tinha visto lá chegada perto daquilo. Eles estavam há mais de seis meses sem nenhuma notícia do retorno aos palcos, mal se encontravam no dormitório, a empresa não promovia mais programas especiais ou lives deles. Kook foi até lá depois de uma ligação que recebeu. Não se sentia bem em fazer isso, ainda mais pelas costas dos meninos, eles estavam há anos juntos, mas ele não queria deixar nenhuma oportunidade de carreira passar. As coisas não iam bem, todos sabiam disso e no final era só uma conversa, sem compromisso como lhe foi prometido no telefonema.
— Boa tarde, por gentileza Chung Dae, eu tenho horário marcado com ele. — Ele disse para a moça que estava atrás do grande balcão, escondendo o rosto com a mascara e o boné.
— Só um momento, por favor. — Ela pediu, passando os olhos por uma lista sobre a mesa. — Senhor Jeon? — Ela perguntou, levantando a cabeça e olhando para ele.
— Isso, isso mesmo. — Ele disse nervoso, desviando o olhar.
— Segundo andar, sala 235, ele já está te esperando.
Ela entregou um cartão de acesso pra ele e apontou para os elevadores com um sorriso grande e receptivo. O nervosismo acertou seu corpo assim que ouviu o sinal do elevador indicando que ele havia chegado no andar. Saiu do elevador escondendo o máximo possível seu rosto, não queria acordar no outro dia com a sua cara estampada nós jornais “Crise no BTS, maknae do grupo, passeia por agência da concorrência implorando por um contrato” Ele já podia imaginar o tipo de coisa maliciosa que a imprensa inventaria, e até conseguir provar alguma coisa um caos iria se instaurar. Chegou até a sala indicada pela recepcionista, respirou fundo e bateu algumas vezes.
— Pode entrar, está aberta. - uma voz surgiu meio longe, mas alta o suficiente para Kook ouvir. Ele entrou e se encaminhou até a mesa onde estava sentado um cara que não parecia muito mais velho que seu pai, com os cabelos tingidos de loiro e um terno azul marinho muito bem alinhado. Ele se curvou para cumprimentar o homem que logo apontou uma das poltronas brancas para que ele se sentasse.
Algumas horas se passaram desde que ele saiu daquela sala, ele era incapaz de absorver todas aquelas informações, um contrato que era o triplo do que ele ganhava no BTS, aquela agência mundialmente famosa estava atrás dele para ser líder de um grupo que era a promessa da empresa para o próximo ano, um carro só pra ele, um apartamento perto dali, só de pensar que não teria mais que dividir o quarto com ninguém, nem de hora para chegar em casa, não teria ninguém controlando o que ele fazia em casa, poderia trazer seus pais para morar com ele se quisesse. Tudo era tão tentador, mas seu coração não conseguia parar de doer, ele não conseguia para de pensar nos meninos, em tudo o que tinham conquistado juntos, em todos os anos de convivência, em como a personalidade dele era um misto de tudo o que aqueles caras eram, de como ele foi muito bem cuidado, de como todos se amavam. As lagrimas começaram a escorrer pelo seu rosto, precisava se dar um tempo, tudo aquilo era informação demais para ele.
Ele tinha que conversar com alguém, mas quem?! Não podia ligar pro Jimin ou pro Taehyung, que vinham sendo seus melhores amigos todos esses anos. Ele sabia o discurso que a sua mãe faria, já o estava fazendo mentalmente e não estava funcionando. De repente ele se lembrou de . Uma vez no começo da carreira ele teve uma crise de ansiedade e ela o ajudou, ficou com ele, conversou, ele nunca tinha se sentido tão acolhido na vida, e desde então eles viram meio que melhores amigos em segredo, bom eles não escondiam de ninguém, mas a ligação deles era mais forte do que imaginavam. Com as mãos trêmulas alcançou o celular no bolso e discou para ela. O telefone tocou pouco mais de duas vezes.
— Kookizinho, meu bebê, o que aconteceu? — atendeu ao telefone com aquela energia toda que ela sempre tinha.
, como você atende minha ligação assim? — ele começou a rir. — se fosse alguém da mídia ou alguma fã maluca que tivesse roubado meu telefone? Estaríamos em uma fria.
não parava de rir do outro lado da linha. Nossa só a risada dela já o deixava mais animado, ele sentiu uma paz no coração enquanto ela perdia o fôlego de tanto rir. Aquilo o fez pensar se ele queria perder, não só seus melhores amigos, como a ligação que tinha com , ele com certeza perderia a amizade dela se ele magoasse os meninos. Ele a ouviu parar de rir e refazer a pergunta na mesma empolgação.
— Eu estava confuso com algumas coisas e queria conversar com você, você tem tempo agora?? — Ele disse, tentando esconder a ansiedade na voz.
— Daqui meia hora eu termino meu expediente. Naquele karaokê de sempre? — Ela estava com um tom mais sério, parecia que sentia o que estava acontecendo.
— Como você me conhece bem a ponto de mudar até o tom de voz? — Ele disse um pouco menos animado. — Eu chego lá em 20 minutos, te espero na sala de sempre.
— Tudo bem, bebê, não comece a beber sem mim, ok?! Beijo até mais.
Ela encerrou a ligação e ele foi atrás de um taxi, não estava muito longe do local, mas com certeza ele ia precisar de uma bebida para encontrar com ela.
Quando chegou, ele já estava na segunda lata de cerveja, com uma música muito alta aleatória tocando. Assim que a viu abriu um sorriso e se levantou. estava tão a vontade com que usava, às vezes ele sentia falta de sair na rua sem um disfarce digno de James Bond para não ser reconhecido, ele realmente amava o que fazia, mas não podia deixar de sentir inveja dela poder andar livremente sem aquelas coisas esquentando a sua cara.
— Está me esperando há muito tempo? — ela questionou, olhando as duas latinhas sobre a mesa.
— Que nada, eu estava com sede, foi só isso.
— O que meu Kookiezinho tem para me ligar tão aflito? — Ela se sentou do lado dele, deixando a bolsa em outro canto do grande sofá vermelho.
— Sabe, , pra mim é difícil até começar com isso. — Ele olhou para a latinha, passando o dedo na borda.
— Não, não me diga que você está apaixonado por mim? — disse numa voz de espanto tão forcada que teve que colocar a mão na boca para não soltar a gargalhada.
— QUÊ? — ele deu um grito de surpresa. — Não é isso, eu não gosto de você assim, quer dizer, não tem nada de errado com você eu só... — o interrompeu segurando os seus braços que não paravam de se mover. Ela ia começar a falar alguma coisa mais ela estava rindo tanto que mal podia respirar, ela sempre ria desesperadamente daquele jeito. Ele então explicou tudo o que estava rolando, e como ele se sentia com tudo aquilo. Eles ficaram umas boas horas bebendo e conversando ele não se lembra, pois estavam um pouco bêbados, que horas ouviu da boca dela as palavras que o fez decidir naquele momento o que ele queria da vida “Eu confio em você, você está do meu lado”.

Too high we on teuraempeollin x Tão alto, estamos no trampolim
Too high nuga jom meomchugil x Tão alto, alguém nos pare


Namjoon estava em um café, quando sentiu o celular vibrar no bolso. Mais um dejá vu, ele pensou ao ver o nome de Yoongi na tela.
— Alô, Gi o que foi? — Ela, disse sorrindo ao atender.
— Por que você ta demorando tanto com esse café e porque você não pediu pra alguém fazer isso?! Você sabe como estamos precisando da sua calma agora?! — Yoongi soltou quase sem respirar.
— Se acalma, Yoongi. — Nam disse, pegando os pedidos e acenando com a cabeça para a atendente em agradecimento. — Eu precisava tomar um ar e vocês precisavam de café, só uni o útil ao agradável.
— Então corre que vamos ter que sair para a primeira coletiva em duas horas. — Yoongi desligou antes de qualquer outra resposta.

Flashback...

Throw it up! throw it up! x Jogue para cima! Jogue para cima!
Ni nun soge duryeoum ttawineun beoryeo x Jogue fora o medo em seus olhos.


Ele estava em uma mesa, com seu café fumegante que a atendente tinha acabado de servir. Com o rosto coberto por uma máscara preta e um chapéu estilo pescador que mal deixava os olhos dele a mostra, Namjoon esperava por que tinha marcado com ele dentro de vinte minutos, mas ele estava ansioso demais e acabou chegando muito cedo. Ansioso não só por ver ela, mas pra saber o que ela tinha de tão importante pra dizer que preferiu fazer isso pessoalmente ao invés de contar pelo telefonema que fez mais cedo pra ele. Sua segunda xícara de café chegou ao mesmo tempo em que passou pela porta do local. Ela olhava para os lados provavelmente a sua procura quando ele acenou um pouco mais frenético do que gostaria, não queria parecer ansioso ou que estava esperando por muito tempo. Linda, como ela podia ficar tão linda com aquele moletom preto uma blusa larga de frio e os cabelos presos num coque frouxo. Aquela era a visão preferida dele, ela tinha acabado de sair de um ensaio ou iria depois dali para um treino na academia, isso não importava, o que importava é que ela estava linda e isso vazia lembrar-se do que o grupo foi um dia antes de toda essa confusão.
— Namjoon?
já estava sentada na cadeira em frente à dele, e estava balançando a mão em frente a seu rosto tentando chamar a sua atenção, o tirando do transe.
— Namjoon, você está bem? — Ela perguntou em um tom de preocupação.
— Desculpa, , eu estava fora de órbita. — Ele riu, coçando a cabeça por cima do chapéu
— Percebi. — Ela riu junto, olhando as xícaras de café em cima da mesa. — Eu já estou atrasada? Nossa, desculpa, jurava que tínhamos marcado essa hora!
— Não, não se preocupe, eu que estava muito ansioso pelas notícias e acabei chegando muito cedo. — Ele disse, se arrumando na cadeira.
— Então ta bom! — Ela disse enquanto chamava a garçonete para fazer seu pedido.
— Ahn, você tem alguma novidade sobre o nosso comeback? — Nam disse, com os olhar cheio de ansiedade.
— Ah, sim, foi isso que eu vim te contar, descobri algo não muito legal sobre esse assunto. — Ela respondeu, olhando firme nos olhos dele.
Eles foram interrompidos pela chegada do pedido de , que tomou um longo gole de café para continuar a conversa. Nam esfregava um pouco as mãos em baixo da mesa, percebeu pelo olhar da menina que não ia gostar do que ia ouvir.
— Como eu posso começar, bom eu descobri que um dos maiores patrocinadores da GYJ Entertainment é tio de um dos meninos da Star Guys, sabe aqueles meninos que eu estava ensaiando para o debut ,que aconteceu algumas semanas da data que seria o comeback de vocês. — olhava para os olhos dele, ela tentava passar segurança e conforto no olhar.
— Sei sim, encontramos com eles algumas vezes pelos corredores, mas o que tem esse patrocinador e tudo mais? — Nam estava visivelmente ansioso e confuso, puxou um dos braços dele pra cima da mesa e pegou a mão dele, segurou firme e continuou a falar.
— O negocio é que esse patrocinador queria fazer algo grandioso para os meninos fazerem sucesso instantâneo e então os planos de comeback de vocês tiveram que ser adiados. E como eles ainda estão investindo forte nesse grupo, Bon-hwa vai querer adiar mais um ano o comeback de vocês, isso se ainda tiverem alguma chance de sucesso, por que eles não querem competição dentro da empresa com dois grupos fazendo sucesso ao mesmo tempo e o foco deles agora são os meninos mais novos. — soltou tudo de uma vez, olhando sempre nos olhos dele e fazendo carinho em sua mão.
— O quê?! Como você sabe de tudo isso?! Bon-hwa te disse isso?! Não é possível, damos lucro para agência, isso é muito estranho, tem certeza mesmo disso, ?
— Eu tenho certeza disso, fiz amizade com a assistente dele, que por sinal é uma grande fã do trabalho de vocês e está indignada com tudo isso, então ela me contou e disse ainda que ele deve pedir uma reunião com vocês ainda essa semana. Eu também perguntei para o Hwa sobre alguma data de retorno com a desculpa de voltar a ensaiar, ele disse que tinha outras prioridades no momento. Eu sinto muito, muito mesmo.
Antes que ele pudesse responder algo sentiu o celular vibrar em seu bolso, ele puxou levemente a mão, da mão de , e pegou o aparelho, olhando no visor identificou que era o numero de Yoongi. Pediu um minuto para e atendeu ao telefonema.
— Alô, Yoongi, o que foi?
— VOCÊ SABE AONDE O KOOK FOI? — Yoongi questionou quase gritando.
— Não, eu não sei, alias, não sei mais da vida de nenhum de vocês, mas porque a pergunta?
— Você não acessa mais a internet também agora?
— Olha aqui, Yoongi, eu estou ocupado com outra coisa agora, você ligou pra encher meu saco ou tem algum outro propósito?
— Oh! Quer dizer que o senhor sabichão, não está por dentro das novidades? Que piada, o Kook está certo de procurar outra agência, esse grupo já era. — Yoongi disse em um tom de deboche.
— Que, como assim outra agência?
— Está em todos os sites, imagens de “alguém muito parecido” com o Kook entrando na SM e saindo de lá depois de 3 horas, a essa altura já deve estar comemorando o novo contrato.
— Eu não acredito nisso, Jungkook não iria fazer isso, não sem conversar comigo antes.
— Não iria, não é? — Yoongi soltou uma risada sarcástica. — Se não acredita em mim, só vai ao twitter que vai saber se é verdade ou não. — ele então desligou o telefone.
Namjoon desceu o aparelho do ouvido com o olhar vidrado em um ponto na parede. Não podia acreditar, um escândalo desses era tudo o que eles não precisavam nesse momento. Depois de tudo o que acabou de escutar de , sobre a safadeza dos produtores, e agora essa do Jungkook, o assunto já devia ter virado Trand nas redes sociais. E como devia estar o fandom, ele pensou em como seus fãs deveriam estar passando um mau momento com tudo isso. Se é que eles ainda tinham um fandom, ele mal sabia se ainda tinha um grupo imagina os ARMYs o que eles estavam pensando.
— Nam, o que aconteceu? Porque você perdeu a cor de repente!
Ele ouvia a voz de no fundo de sua mente, mas não conseguia se concentrar sentiu seu rosto começar a queimar e o turbilhão de pensamentos começou deixar ele tonto. Percebeu seu coração desacelerar quando sentiu uma mão macia sobre a dele. Ele achou os olhos dela no meio de sua confusão interna e conseguiu aos poucos não surtar em público com toda aquela informação que recebeu em tão pouco tempo.
— Namjoon, quer que eu te leve no médico? Você está muito pálido. — disse quando percebeu que a atenção dele, estava nela no momento.
Ele notou a preocupação nos olhos dela, era quem cuidava de todos eles quando alguma crise emocional atacava, ela sempre teve esse poder de acalmar e passar proteção nos atos, uma coisa que Namjoon nunca conseguiria entender.
— Eu to bem, quer dizer, eu vou ficar bem, eu só preciso de ar e colocar minha cabeça no lugar. — Namjoon disse, apertando de leve a mão dela.
— Sozinho. Ponte MAPO. Estou certa? Eu sei que aquele é seu lugar preferido para lidar com as emoções, mas tem certeza que está com cabeça no lugar? — Ela perguntou em um tom gentil e fez carinho na mão dele, que o fez lembrar-se de sua mãe. Ele sorriu um pouco pela sensação de conforto que sentiu.
— Eu prometo que não vou fazer nenhuma bobagem. — Disse ainda olhando nos olhos dela.
— Eu confio em você!
Antes de deixarem o local o celular de tocou e ao olhar para a tela sua fisionomia mudou, Namjoon não pode deixar de perceber o olhar de preocupação novamente em seu rosto.
— Você pode me dar licença um minuto? — disse, se levantando da mesa e quando já estava a uma distância boa atendeu.

Urin hal suga eopseotdanda shilpae x Não podemos falhar
Seoroga seorol jeonbu mideotgie x Porque nós acreditamos um no outro


— Isso é realmente incrível, você não acha, Yoongi? - ele ouviu uma voz feminina calma e conhecida ao seu lado. Sentiu-a passar um dos braços sobre seus ombros e apertar ele em um meio abraço. Sorriu, sem tirar os olhos da grande janela.
— Nós nunca vamos merecer isso, ! — Yoongi respondeu, colocando sua mão sobre a dela que descansava em seu ombro, fazendo carinho.
— Nós nunca desistimos de vocês, nosso amor pelo Bangtan é maior que qualquer dificuldade. — respondeu dando um longo suspiro, encostando a cabeça na dele. Olhando a mesma coisa que ele notou aquele mar de gente com grandes cartazes, que gritava tão alto pelos meninos que era possível sentir toda aquela vibração do outro lado do oceano.
— Por isso temos que dar o nosso melhor hoje. — Hoseok chegou ao lado de , passando um braço pela cintura da garota. — Por nossa fã numero 1 temos que fazer o mais lindo retorno de nossas vidas.
— Hoseok, você está atrapalhando o momento intimo deles, não percebeu? — Taehyung disse, parando ao lado do amigo e bagunçando o cabelo dele.
— Sai daqui, Tae! — Yoongi disse, olhando para o garoto que abriu seu sorriso quadrado. não parava de rir, ela sempre ria deles com esses joguinhos.
— Poxa, Hoseok, o Gi tava quase se declarando pra mim. — fingiu uma voz de desapontamento, segurando a risada. — Só faltam ele e o Namjoon, para fechar a minha lista dos BTS’s afim de mim. — Ela não aguentou muito tempo e soltou uma risada.
— Mas você me ama mais não é? — Jimin entrou entre ela e Yoongi, passando seus braços pelos ombros de ambos, o que fez abaixar seu braço para acomodar a cabeça dele entre os dois.
— Sai, Jimin, vai jogar seu charme barato em outro lugar! — Kook disse quase gritando, do outro lado da sala, enquanto acabava de ser maquiado.
— Calma, bebês, não briguem por mim. — mal conseguiu terminar a frase de tanto que ria. Ela ia falar uma besteira, todo mundo já sabia que ia sair alguma bobagem da boca dela, ela sempre ria descontroladamente quando isso ocorria. Quando conseguiu recuperar o fôlego voltou a falar.
— A semana tem sete dias, eu tenho tempo pra todos vocês.
A sala se invadiu por risadas, tanto dos meninos quanto da equipe que os acompanhavam sempre. Uma paz invadiu o coração de Yoongi naquele momento, que agora segurava a mão da garota, que tinha abaixado o braço para deixar Jimin mais confortável.
— BTS, vocês entram em cinco minutos.
Uma voz forte preencheu a sala e os meninos se reuniram para uma ultima conversa e algumas orações.

Flashback...

Seungniye nakkaji (fight!) x Até chegar o dia da vitória (lute!)
Mureup kkulchi ma muneojijima x Não ajoelhe-se, não renda-se


Yoongi olhava pela janela da sala de reuniões. Ainda faltavam Hoseok, que tinha sumido a semana toda e Jungkook que deveria estar de ressaca depois de comemorar sua nova carreira. Bon-hwa estava andando de um lado pro outro da sala e isso estava irritando Yoongi, ele estava nervoso desse jeito por quê? Há quanto tempo ele se preocupa com algum deles? Ele mal sabe se estão comendo ou doentes, por onde andam e com quem conversam, ele não pode chegar e querer marcar uma reunião em um sábado de manhã e querer todos eles lá no horário. Namjoon tinha contato para eles o papo que teve com no dia anterior e a certeza daquela reunião acabar em disband era nítida. Alguém tinha vazado na mídia sobre a reunião, o local e o horário, Yoongi conseguia ver seu “exército” pela janela do local. O nó em sua garganta apertou ainda mais e as lagrimas de estar decepcionando quem sempre esteve ao seu lado começaram a rolar pelo seu rosto, um choro tímido e quase imperceptível aos demais, ele colocou a mão nos olhos tentando se conter.
— Vai ficar tudo bem, Gi.
Ele sentiu uma mão na sua, e a voz de Jin entrar pelos ouvidos.
— Não, Jin. Não vai ficar tudo bem. O meu sonho, o nosso sonho, tudo vai acabar aqui, nesse local, nesse dia.
Jin apertou a mão do amigo, em solidariedade ao sentimento.
— Confie em mim, estou do seu lado — Jin cantarolou para o amigo, depois de um longo tempo em silêncio.
Hoseok havia chego ao local com os cabelos bagunçados e grandes óculos escuros, Bom-hwa não disse nada, apenas soltou um grande suspiro de desaprovação e resolveu se sentar em uma das cadeiras vazias. Quando Kook finalmente chegou, ele estava acompanhado de , ambos com cara de quem não haviam dormido ainda. Namjoon percebeu que a garota usava a mesma roupa do dia anterior. Presidente, CEO, conferentes, manager, todo o pessoal responsável de alguma forma pelo grupo na empresa estava lá naquela sala. Todos olharam assim que o menino passou pela porta, Kook exibia um sorriso e perdeu assim que notou os olhares, assim que se sentaram Bom-hwa começou o seu discurso.
— Já que estamos todos aqui, vamos começar. — Ele se levantou de onde tinha acabado de sentar. — O negócio é o seguinte, eu realmente não entendo o que aconteceu com vocês. Porque andam tão inconsequentes, saindo para as baladas, visitando nossos concorrentes isso é inadimissi... — Ele interrompeu seu raciocínio quando uma voz passou por cima da sua.
— VOCÊ NÃO SABE? TEM CERTEZA, BON-HWA? — Namjoon tinha se levantado e bateu com as duas mãos na grande mesa de carvalho que ocupava o centro da sala. — Você adiou nosso comeback, sem nenhuma explicação, ignorou nossas tentativas de contato, você preferiu se focar no sucesso de um grupo por interesse e deixou todos os outros artistas de lado. Foi isso, só isso que aconteceu com a gente. Eu não tenho mais condições de trabalhar em uma empresa mercenária que só liga pra dinheiro. E os nossos fãs? E as pessoas que acreditaram que esse seria um lugar onde apoiariam seus sonhos? Isso tudo é uma grande mentira. Eu não quero vincular mais meu nome, nem meu talento a isso. — Namjoon foi falando sem parar, sem espaço para qualquer tipo de resposta, sei rosto estava vermelho. — Eu estava muito irritado com o Jungkook, mas eu refleti na noite passada e ele tem razão de procurar uma nova agência, a GYJ não está mais aqui pra gente, e nós de alguma maneira não estamos mais aqui pra vocês, estamos vivendo nossas próprias vidas, focando nas coisas importantes para cada um. — As mãos dele tremiam em cima da mesa, e as veias do pescoço começaram a ficar expostas. — Eu não quero mais fazer parte disso e se esse grupo for continuar nessa empresa, será sem mim.
O silêncio tomou conta do local, muitas bocas estavam abertas com as ultimas palavras do líder, que saiu da sala assim que finalizou seu discurso. As últimas coisas que todos viram passar pela porta foram os logos cabelos de que tinha corrido atrás do garoto.
— Namjoon, espera! - chamou e o menino parou no corredor, desabando no chão. Ela saiu correndo até ele e envolveu seu corpo encolhido em um abraço, passando a mão na cabeça dele que estava encostada em seu peito.
— Tá tudo bem, bebê. — Ela disse com a voz calma. — Seu talento é maior que isso tudo.
Namjoon não conseguia parar de chorar.
— Se lembre quando as portas se fecham, ainda temos as janelas e isso não vai acabar aqui.
No momento que ele subiu seu rosto para olhar pra ela, avistou Jin e Jimin se aproximando, percebeu acenar com a mão pra que eles não se aproximassem, ela sabia que ele precisava sentir aquilo sozinho.
— Tudo bem! — Ele disse, se afastando dos braços dela e os meninos vieram até eles.
— Bom-hwa está falando sobre um possível disband, quebras de contrato e essas coisas, mas nós estamos com você, Nam. Eu já estou cheio desse lugar, desse clima, aqui não é mais lugar para o BTS. — Jimin disse, se abaixando e colocando a mão na perna do amigo.
Namjoon abaixou a cabeça, sentindo outra onda de choro invadir seu corpo.
— Eu acho que o BTS não existe mais para ter um lugar. — As lágrimas começaram a escorrer pelo seu rosto novamente.
— Quem te disse uma barbaridade dessas, Namjoon? — A voz de Yoongi invadiu o corredor.
— Eu quero matar esse desgraçado. — Dessa vez foi Tae quem disse.
— Quem foi o babaca que fez meu Moni chorar?! — Hoseok se aproximou do líder, se jogando em cima dele, fazendo com que caíssem deitados no chão.
— Haverá um dia que perderemos, mas não é hoje. Hoje, lutamos! — Kook saiu da sala cantando uma parte de not today, e todos viraram as cabeças para ele.
— Ele escolheu vocês, ele escolheu a família Bangtan, o Kook não vai para a SM. — disse, exibindo um grande sorriso.
— Vamos! — Kook disse, estendendo a mão para Nam se levantar. — Vamos lá acabar com essa palhaçada e continuar nosso grupo longe daqui. — O maknae finalizou, olhando nos olhos de Nam.
A conversa com a volta de todos para a sala de reuniões era que eles iriam sim se desligar da empresa, mas com direito de continuar promovendo como BTS, mesmo em outra agência. Alguns dias depois uma nota oficial da agência foi divulgada para a imprensa, mas as informações lançada aos fãs era diferente da combinada “Agradecemos todos esses anos que vocês estiveram ao lado do BTS, todo amor e carinho, mas infelizmente hoje eles não fazem mais parte da GYJ Entertainment e nem se apresentarão mais como um grupo. Espero que todos vocês continuem conosco dando apoio a nossos novos artistas.”
Quando leu aquilo ficou sem reação, quando eles concordaram em se separar? Por que ela não estava sabendo de nada? Pelo que presenciou essa não era uma opção, alguém ia ter que explicar pra ela. Seu telefone tocou no momento seguinte.
— Alô! — Ela atendeu seca, o telefonema do Jin.
, ta tudo bem? — Ele questionou confuso, ela nunca atendia ao telefone daquela maneira.
— Por que os bonitos não me disseram nada sobre o disband? — Ela disse com a voz dela estava embargada, segurando o choro.
— Ai meu Deus! Você leu essa nota horrível. — Jin disse, fazendo uma voz fofa de preocupação. — Calma, linda, não é nada disso que está acontecendo, a GYJ achou que iria abalar nossos fãs com essa nota, mas estamos sempre nos comunicamos com eles. Mas não foi por isso que eu te liguei. — Ele disse sorrindo. — Nós temos uma surpresa pra você, pode nos encontrar no nosso apartamento provisório, tipo agora?
— Como assim, um apartamento provisório? O que está acontecendo, lindo?
— Vou te passar o endereço por mensagem, por favor, não demore.
Jin era realmente bom em fazer surpresa, desligou o telefone antes de qualquer outra pergunta da garota. pegou sua bolsa, as chaves do carro e assim que recebeu a mensagem com o endereço se encaminhou ao local, ela sempre foi muito ansiosa.
— Será que ela vai aceitar? — Tae questionou o grupo em voz alta.
— Bom, ela rompeu recentemente com a GYJ também e os convites de empresas maiores não vão faltar, pela carreira dela. — Jimin disse meio frustrado.
— Tudo bem ela sempre vai ser nossa amiga, independente da escolha que fizer. — Kook finalizou o assunto.
Algum tempo depois a campainha tocou, todos ficaram atentos ao que Namjoon foi atender a porta.
— Oi, bebê! — disse ao velo, logo o envolveu em um abraço apertado. — Você está realmente bem? — ela sussurrou no ouvido dele.
— Sim, eu estou muito bem, melhor agora que você chegou. — Ele respondeu no mesmo tom.
— Ô Namjoon, deixa a entrar de uma vez! — Kook disse, passando a língua pela parte interna se sua bochecha, revirando os olhos.
— Vixi, Kook, não precisa sentir ciúmes, todos nós sabemos que a não quer nada com nenhum de nós. — Hoseok disse rindo e acertando uma almofada no menino.
— Vocês com esse papo de ciúmes de novo, eu já disse que tenho tempo pra amar todos vocês. — disse rindo também, ao entrar no apartamento.
— Eu acho que não terá tanto tempo livre daqui pra frente. — Yoongi disse, abrindo um pequeno sorriso.
— Como assim? — olhou direto para o garoto que estava sentado no grande sofá.
— Melhor você se sentar primeiro, bebê. — Kook disse e todos na sala exceto a garota olharam pra ele.
— Eu estou nervosa, falem logo o que está rolando aqui! — Ela pareceu não ouvir o comentário de Kook, ou apenas não queria que se focassem em outro assunto naquele momento.
— Ta bom, a gente resolveu te contar em primeira mão antes de sair na mídia amanhã. — Jin começou a falar se aproximando dela e a fazendo sentar no sofá com ele ao lado de Yoongi. — Nós recebemos uma proposta da Big Hit, você já ouviu falar? — Ele continuou.
—Nossa, sei sim, inclusive eu adoro o Hitman Bang, ele é uma pessoa incrível, eu não acredito que vocês vão assinar com eles, nossa, eu estou muito feliz com a notícia, vocês vão pra lá, né? — estava com um sorriso largo olhando para o rosto de um por um.
— Não. — Tae disse em um tom serio e todos ficaram calados por uns minutos. — Vocês não... — ele continuou de vagar. — Nós vamos, nós o Bangtan completo, incluindo nossa coreografa pessoal, que já vem ensaiando a música nova conosco há MUITO tempo. O que você acha, você aceita?
— Como assim, Taehyung? — Ela estava incrédula.
— É isso mesmo, . — Namjoon sentou-se na mesa de centro em frente para ela. — Nós vamos assinar com a Big Hit e a nossa única condição foi que queríamos a nossa “coreografa particular”, e quando citamos o seu nome eles disseram que quem vai sair ganhando são eles, que inclusive já estavam de olho no seu trabalho.
— Além de conseguirmos levar nosso projeto de Love Yourself, eles vão abraçar todas as nossas idéias originais e o single de retorno continua o mesmo. — Yoongi disse, sorrindo um pouco mais agora.
— Vamos trabalhar duro então. — disse com os olhos cheios de lágrimas. — Eu amo vocês! — Ela finalizou.

Hamkkeraneun mareul mideo x Nós acreditamos no mundo, juntos!
Bangtaniran geol mideo x Nós acreditamos que somos o Bangtan


— AAAARMY!!! Foi muito bom estar novamente com vocês, obrigado por estarem ao nosso lado, e não desistirem de nós. — Namjoon finalizou o discurso de agradecimento no palco onde tinham acabado de gravar seu comeback show.


Fim.



Nota da autora: AI MEU DEUS, eu estou super nervosa, meu primeiro ficstape isso é tão emocionante nossa ❤, Bom queria dizer que foi difícil escrever essa fanfic, escrever qualquer coisa com o BTS é difícil, mas essa tem meio que um peso maior, já pensou Kook indo pra SM? Suga brigando com RM? nossa chega me tremo toda haha.
Quero deixar um beijo pra linda da Vivi, que jogou esse plot no meu colo ❤❤ e as meninas que aguentaram meus mini surtos enquanto eu escrevia hahahaha é isso espero que gostem e não deixem de comentar ❤❤





Outras Fanfics:
Baby How You Like That
Baby I Loke You
Eyes Nose Lips


Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.


comments powered by Disqus