Finalizada em: 15/09/2019
Contador:

Capítulo Único

Chained to a love
But that don't mean much
Sensitive tough, you don't get enough
I've been drowning in you, lost in the rush
Faded, you stuck, I'll help you up


Eu realmente queria estar com você agora, sinto sua falta… x

Sorri ao ler a mensagem e logo ouvi as meninas entrando na sala. Mais um dia de ensaio e eu nem me lembrava mais do meu último dia de folga. Mentira, eu lembrava sim. Afinal, passei com e não tinha como esquecer os momentos que passei com ele, tudo tão intenso que eu nem me achava merecedora de tanta sorte. Acabamos nos encontrando algumas vezes antes da turnê dele começar, alguns jantares e noites incríveis, eu havia realmente ganhado na loteria.
Agora estávamos sem nos ver a quase dois meses e eu não pensei que realmente sentiria falta dele. Não estávamos em um relacionamento nem nada, era só uma coisa divertida que havia me despertado tantos sentimentos bons que pensei ser a única a sentir e que, quando a turnê dele começasse, eu seria jogada para escanteio rapidamente.
Imagine minha surpresa quando, quase todas as madrugadas, eu recebia uma chamada de vídeo e ficávamos conversando por horas?

Saí do banheiro enxugando o cabelo, a noite estava quente e eu ainda estava gargalhando pela foto que me mandou de fingindo ser uma das fãs que berravam o nome de fora do hotel. Os stories de mostravam alguns trechos do show e ele parecia tão animado, uma criança que cantava e dançava em cima do palco. Quando em um dos stories, ele tirou a camisa, eu realmente precisei de um banho.
De qualquer maneira, estava tão cansada, os ensaios estavam me consumindo de um jeito surreal, que nem eu, muito menos , estávamos com ânimo para fazer qualquer outra coisa. Chegava em casa por volta das onze da noite, tomava um banho e tinha preguiça até de comer, mas depois que terminava os shows e me ligava, eu comecei a dormir mais tarde e acabava fazendo alguma coisa para não dormir com fome.
Quando ouvi o toque do celular em cima da cama, parei de pentear o cabelo e corri pegar o aparelho luminoso.

– Hey! – Sorri assim que o rosto de apareceu na tela.
– Oi, babe! – O homem estava com os cabelos úmidos, parecia também ter acabado de sair do banho. – Tudo bem?
– Sim, estou esgotada, pra variar, mas o ballet começou a pegar certinho a coreografia. – Eu me ajeitei na cama. – E com você? Pelo que vi nos stories, está tudo incrível!
– Nem fale, estou até um pouco surpreso com o público, mal consigo baixar a adrenalina. – sorriu e senti meu coração um tanto acelerado demais. – Você não vai conseguir vir em nem um show mesmo?
– Vai ser bem difícil, estou com o ballet da turnê daquele grupo que te falei, preciso pegar bem pesado nos ensaios e estou praticamente sem dias de folga. – Torci o lábio e suspirei. – É uma pena.
– É… – se ajeitou na cama e mordeu o lábio inferior. – Vamos ter que dar um jeito nisso.
– Acredito que não resta muita coisa, a não ser esperar esse mês passar. No próximo mês, consigo dar uma escapadinha. – Dei de ombros e vi assentir. – Prometa não morrer sem mim, .
– Vou tentar. – Ele sussurrou e o arrepio pelo corpo foi imediato.
– Não sussurre. – Pedi e pude vê-lo sorrir maliciosamente. – Pelo bem da minha sanidade.
– Pelo visto, não sou apenas eu que preciso fazer promessas… – O homem acabou rindo.
Era inevitável, meu corpo clamava pelo dele e, mesmo através da tela, eu conseguia sentir que ele estava se controlando muito para não pegar o primeiro vôo e matar essa vontade que estávamos.

I don't care if we get too loud
Sexy, I want you now
Bet I could take you there
Whispering in your ear
What do you wanna feel?
Let's just enjoy the thrill
I'll take over the wheel
And give you the touch you're missing


– Ficou ótimo, pessoal! – Desliguei o rádio e aplaudi minha equipe. – No próximo ensaio, podemos já usar as roupas do show, assim teremos uma noção melhor de como ficará nas câmeras.
– Acha que vamos dar conta? – Jeremy suspirou. – Quero dizer, é a primeira vez que vamos fazer uma turnê completa.
– Claro que vão! O revezamento encaixou com as datas, vai ficar perfeito, Jer! – Coloquei a mão no ombro do rapaz, que assentiu.
– Dua Lipa vai ficar muito feliz com vocês, não se preocupem! – chegou com vários papéis em mãos. – , tá livre? Preciso ver com você umas coisas.
– Sim, tenho um tempo até a próxima turma. – Me despedi dos dançarinos e fui com minha amiga até a sala dela.
– Olha isso, essa proposta é incrível! – começou a me mostrar o mais novo projeto.
– Não temos tanto tempo para ensaiar uma turma para essa turnê, ! – Disse enquanto lia o contrato.
Era ótimo, com certeza!
– Ele tem metade do balé, meu amor! – A mulher começou a explicar. – Podemos estender seu prazo em um mês. Até lá, o pessoal dele dá conta e nós mandamos nossa equipe para pegar da metade da turnê!
– Bom… – Mordi o lábio inferior. – Nesse caso…
– Isso! – comemorou. – Vou retornar o e-mail então e formalizar o contrato!
– Certo. – Respirei fundo e comecei a massagear as têmporas. – Tem remédio para dor de cabeça?
– Tenho… – Ouvi a gaveta sendo aberta. – Você está bem quietinha nas últimas semanas.
– Amiga, não estamos tendo tempo nem para ir ao banheiro, tô exausta! – Peguei a cartela de comprimidos e me levantei.
– E com falta de sexo. – murmurou e a olhei rapidamente. – Quero dizer, saudade do !
– Isso não muda o fato de que estamos atoladas de trabalho, ! – Revirei os olhos, pegando um copo d’água no frigobar da sala. – também está em sua turnê e provavelmente já desci na lista de contatos.
– Ah, por favor! – riu. – Você está se acumulando em trabalhos para dar uma escapadinha no mês que vem só pra ter seu cantor bem pertinho!
– E eu tô errada? Olha aquele homem! – Disse um tanto alto demais enquanto mandava o comprimido garganta abaixo.
– Não consigo tirar sua razão. – A mulher torceu o lábio. – Vou me encontrar com essa semana, falando em homens bonitos…
– Você já decidiu quando vai transar com ele? – Dei mais um gole na água e olhei minha amiga, que estava fazendo uma careta. – , a tensão sexual de vocês bate com tudo na minha cara só de te ouvir falar sobre ele.
– Cara, mas é tão divertido isso, sabe? Vai que, depois que finalmente acontecer, a gente perde um pouco o encanto?
– Não perde. Confie em mim. – Sorri sem mostrar os dentes e minha amiga ficou me encarando.
– Não… Vocês não… – era minha melhor amiga, obviamente sabia tudo o que eu era capaz de fazer.
– Amiga, temos que dar um jeito às vezes. – Dei de ombros. – Só mandar nudes seria simples demais.
– Vocês são impossíveis! – A mulher balançou a cabeça. – Sexo virtual? Me conte mais.
, sério? – Coloquei uma das mãos na cintura. – Facetime, Skype, são tantas ferramentas…
– Você é podre, ! Podre! – começou a rir e a acompanhei em seguida.
Dispensei a última equipe e dei graças por conseguir chegar pelo menos trinta minutos mais cedo em casa. Precisava de outro banho. Os banheiros da agência eram bons, mas nada se comparava com o banheiro de nossa casa. E dormir. iria me perdoar, mas não poderia virar a noite apenas sentindo minhas partes íntimas clamarem por ele, eu iria realmente dormir e sonhar com isso. Droga!

Hey, babe! Como estão as coisas? Vou ter umas horas a mais hoje, o show foi adiado para mais tarde por conta do tempo…

O áudio de estava um tanto barulhento demais. Provavelmente, ele estava com sua equipe no local do show e sua voz animada me fez rir, era a primeira vez que eu ouvia um artista estar feliz por um adiamento.

Oi, , tudo bem por aqui e, pelo que vejo, com você também, né? Estou indo para minha casa, não vejo a hora de tomar um banho e desmaiar na cama…

Apertei o botão no volante que finaliza o áudio e enviei para o rapaz, estava me sentindo a mulher mais idiota do mundo por ficar feliz a cada notificação recebida de um cara que deve estar transando com qualquer fã maluca que se atira em cima dele. Ok, qual o motivo desse pensamento mesmo? Respirei fundo e fiz uma careta para mim mesma. “Apenas se desprenda, , você já sabe que está tudo bem, você não está transando com ninguém porque não quer”. Claro que o fato de ter tido uma conexão foda com não ajudava em nada quando encontrava outros caras aleatoriamente, mas vamos omitir essa parte.
Joguei minha bolsa no sofá e fui tirando meus sapatos, era muito bom estar em casa.
Fui até a cozinha e busquei um pouco de suco, estava pensando em fazer algo para comer, mas a preguiça era enorme.

Get low, get low
Hands on your waist, let's go
Get low, get low
Girl, you got the vibe, I'm up for the climb
Get low, get low
Hands on your waist, let's go
Get low, get low
Girl, you got the vibe, I'm up for the climb


Quando o celular começou a tocar em cima da cama, rezei tão forte para não ser com mais trabalhos ou qualquer outra coisa que me fizesse ficar acordada até mais tarde que nem percebi quando comecei a sorrir ao ver o nome de na tela, solicitando uma chamada de vídeo.
– Hey! – Ele sorriu e ali eu já havia me esquecido de qualquer outra coisa.
– Olá, cantor feliz por terem adiado um show. – Zombei e ele ficou me olhando. – Desculpa, mas foi a primeira vez que vi algo assim.
– Tinha muita animação na minha voz, não tinha? – acabou corando um pouco e apenas assenti. – Amo meus fãs, de verdade, mas hoje eu queria mesmo umas horas a mais de descanso.
– E veio a calhar, estava esperando você responder meu áudio para dizer que infelizmente não poderia esperar seu show acabar hoje, vou dormir mais cedo antes que me dê outra turnê!
– Ouvi a voz de esses dias em uma chamada com . – deu de ombros. – Eles estão nessa ainda, né?
– Nessa qual? – Arqueei a sobrancelha e me joguei na cama. – Com a tensão sexual explodindo a cada encontro? Sim.
– Não quero estar por perto quando isso acontecer.
passou a mão pelos cabelos. Estranhamente, a câmera estava muito centralizada em seu rosto hoje.
– Onde você está? – Perguntei e pude vê-lo passar a língua pelos lábios.
– Agora? No hotel. – Disse rapidamente e desviou o olhar. – Está meio frio hoje e estou embaixo das cobertas.
– Ah… – Estiquei o braço e peguei meu copo de suco que havia deixado no criado mudo anteriormente – Frio, é?
– Sim, te falei que adiaram por conta do tempo, né? Risco de tempestade, nem sei se o show vai acontecer hoje.
– Bom que você descansa. – Eu me estiquei mais uma vez e coloquei o copo no criado mudo novamente.
– Não faz isso de novo. – pediu e seu rosto pareceu enrijecer.
– O quê? – Franzi o cenho.
– Você está de bruços, . A cada vez que estica esse braço, eu consigo ver seu colo através desse decote. – O homem fechou os olhos e prosseguiu. – E isso não me ajuda em nada.
– Ah, é? – Mordi meu lábio inferior. – E o que você pensa em fazer sobre isso, ?
… – O cantor abriu os olhos vagarosamente, aproveitei a deixa para esticar o braço mais uma vez.
– Sim? – Disse um tanto baixo, estava começando a gostar da brincadeira.
– Você não sabe o que está fazendo. – passou uma das mãos pelo rosto e pude ouvir um barulho estranho, como de uma janela sendo fechada, mas não dei relevância.
– Sabe, , eu queria muito estar com você agora. – Posicionei o celular entre os travesseiros e comecei a puxar minha regata pra cima, tirando a peça e ficando apenas de lingerie.
– Puta merda… – O homem praguejou enquanto podia notar ele engolir seco.
– Talvez só essas chamadas de vídeo não estejam sendo o suficiente. – Voltei a ficar de bruços na cama, apenas de sutiã.
– Você não faz ideia… – limpou a garganta, parecia estar tentando tomar o controle. – Mas e você, como se sente agora?
– Como me sinto? – Estranhei a pergunta.
– Você sabe que consigo fazê-la chegar lá apenas fazendo uma coisa. – Ele sorriu de canto e, por um momento, minhas pernas tremeram.
– Ah, é? Me conte mais sobre isso. – Tentei ser convincente.
– E eu preciso? – desceu a câmera um pouco, o suficiente para ver sua calça jeans com um volume e me fazer morder o lábio inferior mais uma vez.
… – Sussurrei e a câmera já estava em seu rosto novamente.
– Quero te ver, , agora. – Foi a vez dele de sussurrar, e ali eu já estava submissa o bastante para apenas obedecer.
Aproveitei o celular ainda entre os travesseiros e fiquei de joelhos na cama, abrindo minha calça e tirando devagar o bastante para ouví-lo murmurar alguma coisa que não me forcei a entender. Tirei a peça e minha calcinha minúscula o fez arfar, acabei rindo. Voltei a ficar de bruços na cama e as pupilas dilatadas de me fizeram apenas pegar o aparelho em mãos e ficar fitando o homem salivando através da tela.
– E agora? – Perguntei usando meu tom mais provocativo.
– Agora você vai descer essas mãos, sei o quanto está sentindo falta do meu toque, mas hoje você vai ter que seguir meus comandos, babe.
– Eu vou? – Desci minha mão livre até meu seio direito e apertei. – Posso não fazer.
– Ah, decidiu ser teimosa? Não é uma boa ideia.
– Você está muito focado em más ideias hoje, . – Brinquei um pouco. – Eu gosto disso.
– Eu sei. – Ele riu sem mostrar os dentes. – Você é uma má ideia pra mim, e eu não sei o que você viu em mim, mas eu adoro saber disso.
– Custo a acreditar que eu sou a má ideia. – Desci uma alça do meu sutiã e o homem continuou vidrado.
– Não negue tão rápido, você não sabe o que pode acontecer.
– E o que pode acontecer, ?
Naquele momento, a chamada travou, o rosto de perdeu toda a qualidade e a ligação simplesmente caiu. Justo agora. Tentei retornar a ligação, mas ela não completava, nem mesmo fora do aplicativo de mensagens. Praguejei alto, nem mesmo um orgasmo seria fácil aquela noite. Respirei fundo, derrotada, e optei por tentar depois. O hotel onde ele estava devia ter um sinal péssimo.
E, para melhorar, tudo ficou escuro em meu quarto, do nada, a única coisa que me permitia enxergar era a tela do celular. Ótimo, assim tudo ficava muito melhor. Banho gelado era o que precisava, sem dúvidas. Pensei em interfonar para o porteiro e perguntar se algo tinha acontecido já que, pela janela, era possível ver outros prédios com a iluminação normal, mas não faria diferença alguma no momento.
Respirei fundo e passei a mão pelo rosto, sentia a adrenalina no corpo inteiro fazendo a festa. Era esse o poder daquele cantorzinho de merda sobre meu corpo, e eu não estava sabendo lidar com isso agora.
Levantei-me e optei por ir enfim para meu banho. Quando finalmente a operadora de telefonia resolvesse me dar o ar da graça de ter pelo menos um sexo virtual, com certeza retornaria a chamada. Peguei minhas roupas espalhadas pela cama e caminhei até o banheiro, os passos pesados indicavam o tanto de raiva que estava acumulada por esse pequeno acontecimento estressante. Eu só queria poder pegar o primeiro vôo e ir até aquele cara.
Olhei-me no espelho antes de rir de mim mesma. Uma mulher com tesão acumulado é uma mulher nervosa demais, por Deus! Balancei a cabeça e abri o armário para pegar uma toalha, mas me lembrei no mesmo instante que todas estavam no guarda roupas, havia esquecido completamente de colocar algumas no banheiro. Abri a porta do cômodo e me amaldiçoei por ter deixado o celular em cima da cama. Agora, com tudo escuro, seria péssimo encontrar o aparelho.
Devagar, caminhei pelo quarto até sentir meu joelho encostar na cama. Abaixei e comecei a tatear o colchão até encontrar a única coisa que poderia usar de lanterna no momento. As luzes voltaram e agradeci mentalmente pela queda de energia ter sido coisa rápida, mas nem deu tempo de refletir sobre isso. Quando olhei para a ponta da cama, estava sentado na poltrona, me olhando e sorrindo maliciosamente.

Beautiful as you are, I wanna light up your dark
Maybe you don't believe in me
It's hard to know what you see in me
Don't be quick to say no
My chest is your pillow
Come out of the shadows, I know that you're fragile, yeah


? Mas como você… – Franzi o cenho e parei de falar quando ele apenas levou o dedo indicador até os lábios fazendo sinal para que eu ficasse em silêncio.
– Você é tão linda. – Ele me fitava como se eu fosse um prêmio que ansiava em ganhar.
– Eu acho que você é uma invenção da minha mente, olha que eu nem bebi! – Disse enquanto sentia meu coração quase saindo pela boca.
– Deite-se. – Ele ordenou e, vendo que fiquei parada, repetiu. – Deite-se, . De frente para mim.
– Olá, cara do whisky. – Chamei-o pelo nosso apelido particular.
Era esse cara que estava em meu quarto agora, aquele que conheci em uma festa. Sorri enquanto deixava o celular de lado e me ajeitava na cama.
– Merda… – Ele fechou os olhos rapidamente e logo estava medindo cada traço meu. – Abra as pernas, devagar.
Optei por não dizer nada e apenas obedecê-lo, seria idiota da minha parte dizer que eu não estava praticamente com uma cachoeira nas partes íntimas. Mas não ajudou em nada quando desceu sua mão direita até seu membro, apertando o mesmo na intenção de me mostrar como estava.
– Boa menina. – Deu seu melhor sorriso safado e prosseguiu. – Hora de baixar as luzes.
estava com meu controle nas mãos. Na última vez que estivera ali, se divertiu brincando com as luzes do cômodo, mal sabia que seria extremamente útil para hoje. O homem baixou a iluminação, deixando o quarto bem parecido com nossa primeira noite, mas era possível enxergar um ao outro.
– O que você quer de mim, ? – Chamei-o pelo sobrenome e pude vê-lo sorrir enquanto deixava o controle da iluminação perto da janela.
– O que você quer sentir, ? – Arqueou uma sobrancelha quando me rebateu. – Quer me sentir dentro de você?
– Sim… – Limitei-me a responder, seria um tanto constrangedor dizer que eu realmente queria que ele acabasse comigo de uma vez.
– E você sabe de que maneira pode conseguir isso. – Sussurrou e, ali, apenas fechei os olhos, era tentador demais. – Desça uma das mãos.
Obedeci rapidamente, minha mão direita desceu passando por meus seios e deslizando tranquila por minha barriga, parando apenas na barra da fina calcinha que estava usando no momento.
– Não mandei parar. – A voz firme me fez sorrir, adorava quando ele tomava o controle da situação, pelo menos, na cama.
Adentrei minha calcinha e comecei a tirar a peça. Desisti de tentar manter contato visual naquele momento, sabia o que queria e só agora a frase que ele disse durante a chamada fez sentido para mim: “Quero te ver, , agora.
Joguei minha calcinha no chão e voltei minha mão direita até minha intimidade. Comecei a passar os dedos bem devagar, estava tão molhada que meu corpo reagiu de imediato. Só de imaginar que, em pouco tempo, estaria dentro de mim fazia meu corpo explodir. Resolvi parar em meu clitóris e fazer movimentos circulares bem devagar, fechei os olhos e apenas curti o momento. Levei a mão livre até o fecho do sutiã, que era na frente, e abri a peça, deixando meus seios livres. Com o dedo indicador e médio, abri os grandes lábios e ouvi o homem arfar. Introduzi um dedo em minha intimidade, arqueando o corpo para frente e reprimindo um gemido. Sem pressa, continuei com os movimentos e me permiti espiar um pouco. Abri os olhos e a cena me fez contrair meus músculos no mesmo instante. O homem estava com as calças e cueca abaixadas e seu membro ereto pulsava enquanto ele se masturbava, me olhando sem pudor algum. Aquilo era demais para mim e, quando seu olhar cruzou com meu, nem ele mesmo conseguiu se controlar.
levantou-se e se livrou das roupas, meias e sapato. Continuei me satisfazendo enquanto meu olhar percorria cada centímetro daquele corpo. Seus olhos queimavam sobre minha pele, eu realmente poderia chegar lá apenas com isso.
Em passos lentos, ele levou sua mão até o membro e parou a centímetros da cama. Passou a língua pelos lábios e voltou a se tocar enquanto me olhava com total desejo. Eu o queria tanto, céus! Não conseguia entender como aquilo era possível, mas sentia que havia viciado completamente nele.

I don't care if we get too loud
Sexy, I want you now
Bet I could take you there
Whispering in your ear
What do you wanna feel?
Let's just enjoy the thrill
I'll take over the wheel
And give you the touch you're missing
Get low, get low
Hands on your waist, let's go
Get low, get low
Girl, you got the vibe, I'm up for the climb
Get low, get low
Hands on your waist, let's go
Get low, get low
Girl, you got the vibe, I'm up for the climb


delicadamente deitou-se sobre mim e aproximou seu rosto do meu o suficiente para apenas roçar nossos lábios. Ficou me olhando por um tempo enquanto baixava as alças do meu sutiã e se livrava daquela peça um tanto incômoda. Eu achava que não era possível ficar mais excitada do que já estava mas, quando o homem puxou minha mão que estava em minha intimidade e roçou seu membro no local, mordi meu lábio inferior com tanta força que cheguei a revirar os olhos tamanho desejo senti naquele momento.
Porra, ... – O homem sussurrou com os lábios colados nos meus e fechou os olhos. – Você está encharcada... – Passou a língua em minha boca e desceu os lábios até meu queixo. – Adoro o jeito que você se toca… – Mordiscou meu pescoço e continuou descendo, estava completamente trêmula enquanto sentia minha intimidade se contrair. – Não segure, eu quero sentir seu gosto…
Um gemido sôfrego foi o que consegui dar como resposta àquela voz sussurrando pra mim. Era completamente insano a maneira que eu me entregava à ele, a maneira como ele me fazia completa. Eu só queria cada vez mais daquilo.
Trilhou um caminho de beijos molhados por meu colo, uma das mãos brincava com meu mamilo esquerdo enquanto sua língua fazia movimentos circulares no outro, mas não se demorou nisso. Eu sabia o quanto ele estava ansiando por finalizar aquilo, mas ele daria seu jeito de me levar à loucura, mesmo que isso o torturasse.
Depositou algumas mordidas em minha barriga e continuou descendo. Eu já tinha o lençol entre os dedos, me preparava para chegar ao máximo de prazer que já pude chegar, nem sabia que era possível quase ter um orgasmo apenas me sentindo tão desejada como fazia comigo, mas era maravilhoso descobrir isso.
Sua respiração bateu com tudo em minha intimidade e fechei os olhos mais uma vez, parecia que eu não aguentaria muito se continuasse olhando para aquele monumento, e fechar os olhos me deixava mais mergulhada no prazer.
Mais beijos vieram a seguir. Com delicadeza, ele beijou cada parte de mim, uma espécie de tortura também, já que eu ansiava pelo momento de sentí-lo por completo, mas era delicioso sentir seus lábios em minha intimidade e o ouvir reprimir gemidos me deixava mais sedenta.
Gemi alto quando senti sua língua percorrer cada pedaço de mim. Sugou meu clitóris e desceu, fazendo movimentos com a língua, fazendo-me agarrar os lençóis com mais força e revirar os olhos, apenas aproveitando toda aquela explosão de sentimentos que me fazia sentir. Penetrou-me com a língua algumas vezes antes de usar o dedo indicador e médio para tal ato, entrava e saía lentamente. Pude sentir o gosto de sangue em meus lábios, já que não parava de tentar me controlar e o mordia. Enquanto introduzia seus dedos em mim, sua língua voltou a brincar com meu clitóris e eu não aguentaria mais, já estava no limite há muito tempo, então me permiti deixar todo aquele prazer vir de uma vez. Meu ventre formigava, pernas trêmulas e meu corpo se contraía sem controle. Quando senti os dedos dos pés se curvarem, uma onda de prazer veio com tudo e o gemido estupidamente alto que saiu de meus lábios deixou claro que havia chegado ao meu ápice de uma maneira que não imaginei que poderia ser possível.
Sentia o corpo leve, nas nuvens, por assim dizer. Abri os olhos vagarosamente, mas não ainda não havia acabado. Com o polegar, começou a massagear meu clitóris e minhas mãos chegaram a arder tamanha força que voltei a agarrar o lençol da cama. Ouvi um riso e rapidamente estava com o rosto bem próximo ao meu.
Beijou-me delicadamente, colocando a mão direita em meu rosto e depositando ali um leve carinho.
Ainda estava em êxtase quando o homem me pegou nos braços e caminhou até o banheiro. Segurei-me em seus ombros quando me movimentei para descer, e ele ficou parado me olhando, provavelmente esperando minha próxima ação.
As pernas ainda estavam um tanto fracas mas, ao notar a maneira que estava me olhando, dos pés à cabeça, senti meu corpo ansiando por mais e eu realmente esperava não estar sonhando. Dei um passo colando nossos corpos, pude vê-lo fechar os olhos e respirar fundo, colocando a mãos em minha cintura e me afastando dele.
Foi até o box e o abriu, ligando o chuveiro em seguida. Olhou-me rapidamente, e ali eu já sabia o que viria. Acabei sorrindo em satisfação.
Entrei no box e ficou na porta, apenas observando. De costas para o homem, deixei que a água quente caísse por meu corpo e, antes que pudesse abrir os olhos para brincar com e provocá-lo de alguma maneira, fui prensada bruscamente contra a parede, e a respiração ofegante do homem estava bem próxima ao meu ouvido. Ele não aguentava mais.

I like the way you take me there
I like the way you touch yourself
Don't hold back, I want that
When the water come down, I'mma get in that
Get low, get low
Hands on your waist, let's go
Get low, get low
Girl, you got the vibe, I'm up for the climb


Sentia o membro duro de roçar em mim. De imediato, levantei a perna direita e, rapidamente, o homem segurou-a, posicionando seu pênis na minha entrada, que já estava pulsando ansiosa para sentí-lo por completo.
Gememos juntos quando me penetrou vagarosamente, a água que caía em nossos corpos jamais estaria mais quente que nós. Cheguei a esquecer que o chuveiro estava ligado. ficou parado, sem se movimentar, apenas depositando beijos em meu pescoço, talvez tentando se controlar, não sei dizer. Foi naquele momento em que decidi agir, abaixei a perna e empinei a bunda, fazendo com que conseguisse ter um espaço e começasse a me movimentar. grunhiu, sabia o que viria a seguir. Ele ficou parado, os movimentos de vai e vem ficaram à cargo de meu corpo. Rebolei algumas vezes, fazendo-nos ter uma sensação única. Gemidos já eram incontroláveis a essa altura do campeonato, e o homem não perdeu mais tempo. Puxou-me pelos cabelos e começou a estocar forte e rápido. Com a mão livre, subiu até meu seio e apertou com certa força, palavras de baixo calão era o que estava preenchendo aquele banheiro estupidamente embaçado agora.
Eu estava com as mãos apoiadas na parede quando pegou-me pelos punhos e colocou meus braços para trás, colando meu rosto no azulejo e tirou todo seu membro de mim. Aproximou seu rosto do meu e sorriu maliciosamente antes de me penetrar de uma só vez, com força, fazendo-me jogar o pescoço para trás e gemer alto. Senti minhas pernas novamente bambas, contraí minha vulva e me deferiu um tapa na bunda com a mão livre, enquanto sua outra mão estava segurando meus punhos. Aquela era uma ótima sensação.
Afastei-me da parede quando soltou meus braços e, rapidamente, me virei de frente para ele. Provavelmente ele percebeu que minhas pernas não aguentariam tanto tempo, pegou-me no colo e foi a vez de minhas costas se apoiarem na parede enquanto o homem batia em mim com seu membro pulsando. Coloquei as mãos em seus ombros e o olhei nos olhos. O pouco de sanidade que pairou sobre mim fez-me sorrir para ele e, em resposta, me beijou com urgência. Acredito que aquilo foi para tentar amenizar a brutalidade com que me penetrou novamente, segurando firme em minha cintura enquanto minhas unhas desciam por suas costas sem pudor algum. A cada nova aventura com , as coisas acabavam saindo de controle de uma maneira diferente, mas era nítido como não dava certo passarmos muito tempo longe. O resultado estava sendo descarregar todas as energias de maneira dolorosa.
Eu me contraí mais uma vez quando abocanhou meu seio esquerdo, mordiscando meu mamilo. O resultado foi o homem gemer alto e me avisar que estava próximo de seu clímax. Não estava muito longe também. Mordi seu lóbulo e gemi baixo em seu ouvido. Meu corpo já dava seus espasmos, avisando-me que estava chegando lá. já conhecia esses sinais e uma de suas mãos foi diretamente para meu clitóris e começou a massagear o local. Com certeza, eu teria vizinhos reclamando no outro dia. Estávamos gemendo tão alto, apenas colocando para fora toda aquela onda de sensações e eu, mais uma vez, estava conhecendo o céu graças a .
Ele continuou estocando forte e rápido, apoiou o rosto na curva de meu pescoço e me mordeu na região, tentando abafar o gemido que saiu de seus lábios quando chegou ao ápice. Gemi de volta, a dor era excitante naquele momento.
não me soltou, estávamos ofegantes e o banheiro completamente tomado pela fumaça. A água ainda caia sobre nossos corpos e demorei alguns segundos para esticar o braço e desligar o chuveiro.

I'm right here, you know, when your waves explode
Escape the undertow
Know that you've been broken
Know that you've been hoping
Swimming in your ocean
A new life is floating
The stars were made to shine
Reach up and make a wish
It's a beautiful time
I hope you take a glimpse
We're the sound of lovers blowing crazy in the wind
You don't have to pretend
I don't care where you've been


deitou-me na cama e se deitou ao meu lado, os dois pelados e com os corpos úmidos. Mesmo passando alguns longos minutos no banheiro com o chuveiro desligado, nenhum dos dois pegou uma toalha, acredito que nem tínhamos forças para tal.
O homem me puxou para deitar em seu peito, não se incomodou em nada com meus cabelos molhados tocando sua pele. Apenas quis essa proximidade e achei maravilhoso.
… – Finalmente comecei a falar.
– Hm?
– O que diabos você está fazendo aqui? – Levei meu olhar ao dele e arqueei uma sobrancelha.
– É isso que você tem a dizer? – Torceu o lábio e sorriu. – Meu show foi adiado, eu te disse!
… – Fechei os olhos e balancei a cabeça.
– Ok… – Pude ouví-lo rir. – Está tenho um alto risco de tempestade em York e pela região. Como estávamos no fim dos shows naquela área, eu teria alguns dias em estúdio e resolvemos adiar, mas ainda não foi definido datas.
– Isso ainda não explica muita coisa.
– Quando me avisaram que não sabiam quais as novas datas, pedi para que me arrumassem, pelo menos, dois dias de folga e voilá! – O homem disse divertido quando abri os olhos e acabei rindo.
– Então quando você disse que estava no hotel…
– Estava dentro do carro, chegando aqui. – Completou. – Aliás, o show foi adiado pela manhã, avisei sobre isso.
? Espera…
Babe, seu trabalho está te deixando meio devagar. – Revirei os olhos ao ouví-lo. – Como você acha que entrei aqui?
– Aquela vaca tem uma chave do meu apartamento… – Murmurei. – Então é por isso que ela disse que veria o ainda essa semana…
– Bingo!
– Ridículo. – Dei-lhe um tapinha. – Ela estava te esperando aqui na porta?
– Sim, e me ajudou a fazer o porteiro apagar a luz do seu apartamento.
– Você é doido, ! – Balancei a cabeça. – Eu realmente nem desconfiei.
– E teria como? Nós dois estamos cada vez mais lotados, e você pode não acreditar, mas eu não aguentaria mais uma semana.
, não precisa se esforçar, ok? Você é um homem livre.
, por favor. – Pude vê-lo bufar. – Sem esse papo agora.
– E estou mentindo?
– Não entendo o porquê de tentar reafirmar isso de todas maneiras.
me calou, eu realmente não tinha motivos para ficar reafirmando aquilo para ele toda vez, podia continuar sendo louca sozinha e não tentar arrastar o moço. Não havíamos colocado rótulo nessa história que estávamos escrevendo, mal conversávamos sobre isso, mas eu sempre dava um jeito de dizer que era casual ou que ele poderia se aventurar com quem quisesse. sempre puxava outro assunto ou bufava, como agora.
– Estou aqui porque quero estar, ok? Não vim para nada além de passar um tempo com você.
– Certo. – Sentei-me na cama. – Está com fome?
– Muita! – Deu um riso. – O que você quer comer?
– Um hambúrguer vai bem, não é? – Disse e ele assentiu. – Vou pedir pelo meu celular.
– A propósito, disse que ela dá um jeito com a turma de amanhã, ok?
– Eu poderia negar, – Torci o lábio enquanto procurava meu celular pela cama. – mas estou tão cansada que vou te usar para ter um tempinho amanhã.
– Vou achar ótimo. – Senti a mão de em minhas costas. – Preciso pegar a estrada até o fim da tarde.
– Sem problemas. – Respondi.
Fiz o pedido no aplicativo e, em pouco tempo, e eu estávamos vestidos – ou, melhor dizendo, apresentáveis. Optei por vestir uma camisola e pegou um roupão e vestiu a cueca. Ajeitei a mesa enquanto o cantor falava sobre seus shows. Era tão divertido vê-lo animado, compartilhar esse momento incrível de sua carreira solo me deixava sorrindo à toa. Mal sabia explicar o que sentia nesses momentos, mas adorava ficar o escutando falar e ver seus olhos brilharem daquela maneira.
Enquanto comíamos, foi minha vez de falar que estava mais morando no estúdio do que em minha casa. Às vezes, sentia até falta de reclamar do barulho que fazia ali logo pela manhã, já que cheguei a dormir quase uma semana no estúdio para não perder nem um segundo com as turmas. parecia interessadíssimo e era ótimo compartilhar esses momentos com ele.

Get low, get low
Hands on your waist, let's go
Get low, get low
Girl, you got the vibe, I'm up for the climb
Get low, get low
Hands on your waist, let's go
Get low, get low
Girl, you got the vibe, I'm up for the climb


Já estávamos na cama quando me mostrou outros vídeos de no backstage fazendo alguma palhaçada. era a de , ele também tinha alguém que podia contar para tudo e era realmente muito bom ter uma amizade assim, ainda mais no meio em que ele vivia.
– Posso te perguntar uma coisa? – Eu me ajeitei na cama e ele apenas assentiu. – Hoje você mal me deixou te tocar. O que houve?
– O que houve? – deixou o celular de lado e se virou para mim. – Do jeito que eu estava, se você sequer chegasse mais perto com essa boca, eu não aguentaria dez segundos.
– Mas é de um exagero esse . – Fiz uma careta e ele riu.
– Estava ansioso para te tocar e te satisfazer, posso até dizer que estava com saudades disso. – Passou a mão por meu rosto e fitou meus lábios. – Caramba, cortou de verdade!
– O quê? Minha boca? – Perguntei. – Tô sentindo arder mesmo.
– Sua selvagem. – Brincou.
– Olha quem fala! – Mostrei a língua. – Tem certeza de que suas costas estão ok?
– Tenho. Tá ardendo também, mas nada demais. – Deu de ombros. – Só não posso ficar sem camisa nos shows por um tempo.
– Ah, e seus contatinhos? – Arqueei a sobrancelha.
– Não tenho contatinhos, mas minhas fãs gostam de me ver sem camisa e eu gosto de ficar sem, então…
– Entendi. – Notei sua feição um tanto mais séria.
, acho que não preciso falar isso, mas vou falar do mesmo jeito. – se ajeitou na cama e apoiou as costas na cabeceira. – Você sabe que eu não estou saindo com mais ninguém além de você, não sabe?
– Nossa… – Foi minha vez de usar a cabeceira da cama como apoio. – Você realmente não precisa falar isso.
– Faz um tempo que você está falando sobre contatinhos ou reafirmando que sou um homem livre e tal, sei lá, são coisas que não se encaixam no teor das conversas que temos ou no que estamos vivendo.
– Desculpe, , o que estamos vivendo? – Já que estávamos conversando sobre isso, era hora de sanar todas as dúvidas.
– Não demos um rótulo, mas acredito que estamos nos curtindo, nos conhecendo e, até algumas semanas atrás, tudo parecia tranquilo pra você quanto a isso.
– E continua tranquilo, . – Respirei fundo antes de continuar. – Eu só não quero que você esqueça que, se você quiser conhecer outra pessoa, dormir com outra pessoa ou…
, – O homem me cortou. – você está saindo com mais alguém?
– O quê? – Acabei rindo. – , eu não tenho tempo nem para ir ao banheiro ultimamente, quem dirá para flertar e tudo mais só para ter um orgasmo.
– Eu já sabia disso, mas só quis te perguntar para que você veja o quão desnecessário é isso.
, você conseguiu dois dias de folga e viajou quatro horas para chegar aqui no fim da noite, ter um sexo e ir embora amanhã. Tipo, isso é loucura!
– No mês que vem você não faria isso? – Arqueou a sobrancelha e ficou me olhando.
– Faria, mas não no impulso assim, como você fez…
– Porque você pondera mais as coisas, eu não, e isso é só um detalhe. – colocou sua mão sobre a minha. – Se eu não viesse para cá, estaria enfurnado no estúdio também, e convenhamos que sexo me inspira muito mais.
– E sua família? Seu filho?
– Guarda compartilhada é difícil nesse ponto, não posso simplesmente ir lá e falar para minha ex mulher que peguei dois dias de folga e quero passar com meu filho. Foi bem tranquilo entrarmos em um acordo, mas qualquer passo errado pode gerar um problema. Ela é uma mulher incrível, mas segue piamente tudo o que foi imposto. Quando fiz uma chamada de vídeo com ela para ver o bebê, ela tinha inúmeras coisas para fazer e eu não posso simplesmente querer que ela pare tudo para me dar os dias, sabe?
– Sim…
– E quanto a meus pais, eles estavam comigo semana passada. Te falei, lembra? Minha mãe iria preferir que eu adiantasse os trabalhos ao invés de me ver ficar em casa por dois dias.
– É… Vendo por esse lado... – Torci o lábio e comecei a ponderar.
– Me fale a verdade, o que te aflige?
Fiquei alguns segundos olhando para o homem à minha frente, nem eu mesma sabia o que estava se passando pela minha mente. Talvez as reações que ele me causava começaram a dar um arrepio diferente, no caso, em meu psicológico. Não queria passar por tudo novamente, não queria ter alguém comigo e continuar com um medo insano de me sentir dependente ou retraída demais. Sabia que não era meu ex, ele era muito mais compreensivo e aberto para conversarmos sobre tudo, mas era a primeira vez que uma bagunça começava a acontecer com tamanha intensidade em minha mente.
Não respondi, apenas puxei-o para mim e o beijei.

Três dias depois…

– Ok, Chelsea, tudo certo com seus documentos. Por favor, vê se não esquece de me mandar o contrato assinado assim que chegar na Itália, ok? – Respirei fundo e vi a garota corar.
– Desculpe por isso, , realmente foi uma correria e só me lembrei dos documentos quando estava na porta da agência. – Levantou-se e ficou sem graça.
– Tudo bem. Por sorte, o vôo foi cancelado e remanejado para mais tarde. – Peguei outra pasta de documentos e voltei a olhar a moça. – O ballet está te esperando no aeroporto, boa turnê pra vocês!
– Valeu, ! Até logo! – Despediu-se e saiu como um furacão.
Aquilo me fez rir. Em seguida, o furacão entrou na sala e meu riso murchou.
– Deu certo com ela? – Perguntou e assenti. – Você vai começar a outra turma hoje?
– Não vai dar, tenho essa papelada aqui para resolver, pedi para Tori me cobrir e faço isso amanhã. – Continuei com o olhar fixo nos papéis, sabia o que estava por vir.
– E o que vai fazer hoje à noite? – Ouvi sentar-se na cadeira à minha frente.
, não são nem seis da tarde, eu só quero terminar isso aqui. Depois tenho que ver se está tudo certo com o pessoal que está com a Katy Perry e finalizar os patrocinadores daquela outra turnê que você me arrumou. – Disse rapidamente, quase sem parar para respirar.
– Certo, e o entra em que ponto disso tudo? – Fechei os olhos ao ouví-la.
– Em nenhum, ! Eu já te disse que acabou, não deu certo. – Deixei a caneta cair sobre a mesa e olhei para minha amiga.
– Ok, , passar dois dias com o cara, deixá-lo ir embora todo contente e o fazer acordar bloqueado de tudo apenas com um textinho meigo dizendo que você não é a mulher certa para ele e desejar imensas felicidades não é lá uma maneira certa de dizer que acabou. Ele tem pelo menos o direito de resposta, sabia? – arqueou a sobrancelha.
– Pra quê? Para dizer que eu sou maluca?
– E ele estaria errado, mon amour? – inclinou o pescoço e sorriu debochada. – Você agiu como uma perfeita doida! Só porque está com medo do que pode sentir.
– Tá bom, … – Revirei os olhos e voltei minha atenção aos papéis.
não é o Mark, ok? Ele estava tranquilo, na mesma vibe que a sua, mas você deixou seu psicológico tomar conta e fez isso com um cara que só estava te mostrando que sua vida pode ser muito mais que isso.
… – Fechei os olhos mais uma vez e bufei.
– Eu estou terminando. – Levantou-se da cadeira antes de continuar. – Você mesma está barrando sua felicidade, , e seu medo de não resistir é tão grande que você bloqueou o cara e ele poderia fazer qualquer coisa quanto a isso, mas sabe o que ele fez? Me mandou mensagem apenas pedindo para que eu te diga que ele vai respeitar seu espaço, que você é uma mulher incrível e que ele não entende o que aconteceu mas que, quando quiser conversar, ele vai estar lá.
Levei meu olhar à que apenas respirou fundo antes de sair da sala, batendo a porta. Fiquei parada pensando nas verdades cuspidas diretamente na minha cara, busquei meu celular e pensei se teria alguma coisa não vista. Será que, ao perceber que estava bloqueado, mesmo assim mandou mensagem? Torci o lábio antes de ir até a lista de contatos e o desbloquear. Estava ansiosa. Automaticamente, comecei a balançar a perna, esperando que a internet colaborasse e tudo carregasse rápido.

, cheguei em York e adivinha? Está a maior chuva!

Era a primeira mensagem, meu coração já começou a doer ali.

Hey, acho que você está bem ocupada. Me ligue quando puder falar, ok?

Poucas horas depois, a terceira mensagem.

As mensagens estão apenas com um risquinho, acho que sei o que isso quer dizer… rs

Sei que você foi destruída
Sei que você tem esperado
Nadando no seu oceano
Uma nova vida está flutuando
As estrelas foram feitas para brilhar
Alcance e faça um desejo
É um momento maravilhoso
Espero que você tenha um vislumbre
Nós somos o som de amantes que ficam loucos no vento
Você não precisa fingir
Não me importo onde você esteve


Acabei de cantar essa música no estúdio e essa parte achei essencial te enviar, mesmo sabendo que você não vai ler. , não sei nem o que te dizer, não esperava, mas acho que entendo um pouco. Se cuida. Foi muito bom te ver…. xx

Uma lágrima. Uma porra de uma lágrima estava ali, rolando pelo meu rosto. Eu sabia o motivo, sabia tudo o que estava acontecendo, e aquela mulher empoderada que eu havia me tornado acabou se escondendo tamanha teimosia que eu tinha em achar que não era a pessoa certa para ninguém. Não me achava merecedora de nada, mesmo sabendo que o merda do Mark implantou isso perfeitamente em minha cabeça. Enquanto eu tentava afastar esses pensamentos, apareceu e, ao invés de deixar que ele me ajudasse no caminho, acabei afastando um cara incrível, simplesmente por achar que ele encontraria coisa melhor por aí.
Eu não estava pronta, mas quando nós sabemos que estamos prontos?
Mergulhei de cabeça achando que estava comandando tudo quando, na verdade, os dois se encontraram para se divertir e a diversão se tornou um vício.
Não estava pronta, mas estava perdidamente apaixonada por .

I like the way you take me there
I like the way you touch yourself
Don't hold back, I want that
When the water come down, I'mma get in that
Get low, get low
Hands on your waist, let's go
Get low, get low
Girl, you got the vibe, I'm up for the climb
Get low


Fim.



Nota da autora: "Oieee! Demorou, mas a continuação chegou e chegou com tudo, né non, migas? Essa PP bagunçou TUDO e será que tem conserto? Bom, a parte quatro desse casal chega em breve e aí vamos descobrir. Aguardo ansiosa ao seu comentário. Sigam-me nos links abaixo, e não deixem de entrar no meu grupo de autora no Facebook."



Outras Fanfics:
A Little Bit Longer
Chains
Dive
Familiar
Please Have Mercy
Strip That Down
Take Me Home, Baby!
The War


Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.


comments powered by Disqus