Última atualização: 23/11/2018
Contador:

Capítulo Único

22 de dezembro
- , ! – a menina andou rapidamente até o amigo, correndo o mais rápido que podia, sendo atrapalhada pelo casaco gigantesco que usava para aturar o frio que fazia na cidade londrina.
- Oi, ! – ele disse, andando até ela também, mas calmamente. – Tá tudo bem?
- Tá sim, eu senti sua falta! – a menina disse, sorrindo para ele.
- Como foi a viagem?
- Foi legal, é muito divertido na Disney. Eu vi o Mickey, a Minnie, a Cinderela, a Branca de Neve.
- Você viu a Bela? – perguntou, curioso, sabendo que a amiga tinha aquela como sua princesa favorita.
- Sim! Ela é linda! – os olhos da garota brilhavam quando ela se sentou nos degraus em frente à casa do menino, acenando para sua mãe que entrava na casa ao lado com as malas. – Mas eu queria que você estivesse lá comigo. Seria muito mais divertido com você. Não fiz amigos lá, só fiquei com o papai e a mamãe.
- Da próxima vez eu vou, eu prometo. – o menino cruzou os dedos em frente a boca, em juramento para a garota. – ! Minha mãe falou que o natal tá chegando! Ou seja, logo o Papai Noel vem!
- Ah, ! A gente vai esperar ele juntos né? Temos que fazer biscoitos, e deixar copos de leite! E não podemos esquecer de cenouras para as renas, tadinhas, elas viajam a noite toda com ele.
- Mamãe, mamãe! Eu e a podemos esperar o Papai Noel juntos? – perguntou quando se afastou da frente da porta para a mãe passar.
- Oi, ! – a senhora falou animada, se abaixando para deixar um beijo entre os cabelos da menina. – Claro que podem, vamos jantar na casa dos na noite em que ele virá, meu anjo.
- Oi, tia!
- Tudo bem de viagem, meu amor? Seus pais já entraram? – a garota assentiu, sorridente, para a mais velha. – Vou vê-los! , leve a para dentro e peça ao seu pai que lhes sirvam o bolo de chocolate que está em cima do balcão.

- ? – o menino falou, dando uma garfada em seu bolo quando seu pai os deixou comendo.
- Oi.
- Você acha que a gente vai ser igual o papai e a mamãe, e quando a gente crescer a gente vai morar junto? Imagina que legal? Não separar nunca. – ele disse, extremamente animado.
- Nossa, , imagina que incrível? A mamãe e o papai viajam juntos, então se a gente fosse pra Disney, ia ser juntos!
- Vamos fazer isso então? – ele esticou seu dedo mindinho para a menina, que sorriu e juntou o seu ao do amigo, fazendo daquela uma promessa silenciosa.

24 de dezembro
- Mamãe, brinca comigo! – a garota rodeava a mãe, pulando.
- , eu estou fazendo nosso jantar! – a mãe ria do modo como a filha parecia agoniada. – E se você colocasse o casaco, a bota e fosse chamar o pra brincar aqui no quintal? Vocês podem fazer anjos de neve pro Papai Noel ver quando chegar.
Antes mesmo de responder a mãe, correu para a porta, pegando todos seus agasalhos possíveis e vestindo-o uns por cima dos outros. A garota se sentou com as pernas esticadas e calçou suas botas preferidas de inverno de cor roxa, que havia ganhado da senhora .
voltou em passos rápidos até a mãe e esperou que a maior se abaixasse para lhe dar um beijo na bochecha.
- Aqui no quintal, tudo bem?
A menina assentiu e correu até a porta, sendo observada pelo pai que chegava. Edward ficara olhando enquanto a pequena corria até a casa ao lado e apertava a campainha, trocando o peso de um pé para o outro enquanto a porta não era aberta. O pai sorria ao ver a boca da filha se mexendo enquanto ela falava, já que suas mãos a acompanhavam. Ele então viu que era Ralph, seu amigo, quem a atendera. Quando menos se esperava, um passou correndo pela porta tomando a mão da menina entre as suas e correndo de volta até a casa de .
balançou a mão, acenando para Edward e então o empurrou até o canto da casa para que a atravessassem e saíssem na parte do quintal que ficava atrás da casa, de onde a mãe da menina poderia ver os dois pela janela da cozinha.

- Minha mãe falou pra gente fazer anjos na neve pro Papai Noel ver! Ele vem essa noite. – a menina falou animada, enquanto abria a boca tentando pegar alguns flocos de neve.
- Ele deve gostar né? – ela assentiu, se jogando no chão a uma certa distância do garoto.
se deitou também, deixando apenas o espaço necessário entre os dois para que abrissem e fechassem seus braços e pernas, marcando o quintal com seus corpos. Os dois faziam seus anjos, e então se levantavam escolhendo um novo lugar para fazer outros. Não era possível ouvir risadas, como era normalmente, as crianças levavam o trabalho de impressionar o Papai Noel a sério, até enrolar um bocado de neve em suas mãos e atirar em um deitado no chão desprotegido.
- ! – o garoto reclamou, gritando, e a menina lhe mostrou a língua, correndo quando o viu de pé, pronto para revidar. – Se prepare!
- Ah não, ! – ria desesperadamente enquanto rodava em volta da casa para fugir do amigo que a perseguia. Ela tentara se esconder por entre as tralhas do pai na garagem, mas a conhecia bem demais, ele sabia todos os seus segredos e todos os seus esconderijos. – Tudo bem, eu me rendo. – a menina disse, saindo de trás de uma bancada e se encontrando com o sorriso maldoso de logo ao seu lado. O garoto então jogou a bola de neve que carregava em sua mão no ombro da amiga, com delicadeza. – Ah, nem doeu. – ela riu.
- E porque eu faria pra doer, ? – ele perguntou, inocente. – Não quero te machucar.
- Ah, não sei. Todo mundo sempre joga forte. – ela deu de ombros.
- Nunca vou fazer isso com você, não quero ver você sentir dor, nunca. – ele sorriu para a menina, a abraçando.

- , a gente vai ser amigos pra sempre né? – a menina perguntou, sentada em frente a lareira com o garoto ao seu lado.
- Claro que vamos, . Igual nossos pais. – ele respondeu, começando a encher as meias para deixar para o Papai Noel que era tão aguardado pelas duas crianças.
- Que bom! Sempre vamos esperar o Papai Noel juntos! Acho que não teria graça sem você.

- Feliz Natal, . – o menino falou, deitando seu corpo cansado ao lado do da garota no chão da sala.
- Feliz Natal, . – ela esticou sua mão para tocar a do menino e eles então adormeceram depois de muito brincar. Ver o bom velhinho ficaria para o próximo ano.

- Acho que se um dia esses dois se separarem, vamos ter problemas. – Julie disse, pegando o filho do chão de forma carinhosa para que ele não acordasse.
- Nossa, prefiro nem pensar em algo assim. surtaria sem o , ela falou dele durante o dia todo em nossa viagem. Tudo que ela via, ela queria contar para ele. – a mãe de falou, sorrindo com a lembrança.
- quase surtou aqui. Dizia que não tinha ninguém para brincar, mesmo que mostrássemos a ele diversas crianças que se divertiam na rua, os filhos dos Walls, a filha do Wright, o filho da Johnson.
- Na próxima, viajaremos juntos. – Ralph disse, sem perceber que a pequena abrira seus olhos e prestava atenção na conversa.
- Que tal no próximo ano? Podemos começar a planejar. – Edward sugeriu e todos concordaram, caminhando até a porta e se despedindo, deixando uma animada para que contar aquela conversa para o amigo no dia seguinte.



Fim.



Nota da autora: Oi! Espero que tenham gostado! Se quiserem ler mais desses dois, leiam Spring, Summer e Fall <3





Outras Fanfics:
Something Blue (Em andamento - Futebol)
Two Worlds Collide (Em Andamento - Harry Potter e Percy Jackson)
Shorts:
04. She Will Be Loved
14. Maneira Errada (continuação de She Will Be Loved)
I Do (continuação de She Will Be Loved e Maneira Errada)
01. Dancing Queen
07. You're My Favorite Song


Nota da beta: Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.


comments powered by Disqus