Finalizada em: 15/10/2017
Contador:

Capítulo Único

estacionou o carro na garagem e desceu correndo para ajudar a se soltar do cinto de segurança, não sabia como a garota havia feito para se enroscar daquele jeito. Na realidade, ele não entendia muita coisa do que acontecia com ela. Por exemplo, não entendia como uma pessoa era um imã perfeito para desastre.
— Você não existe. — Ele sorriu, jogando o cabelo de lado para limpar seu campo de visão. A tempestade começou a cair mais intensamente, o vento estava forte demais e não adiantou nada a garagem ser coberta. A essa altura, ele sentia a camisa fina colada ao corpo e o vento gelado bater em seu rosto.
… — Ela suplicou por ajuda dentro do carro, ainda lutando com o cinto. — Eu não entendo o que acontece, me ajuda, por favor.
— Não entende, é? — Ele riu, divertido ao abrir a porta do carro.
Apesar da tempestade, ainda assim, ele estava animado em mostrar a casa de campo para ela. Lembrava vagamente das últimas férias que passara ali, com , e , o único lugar no mundo onde era possível ficar em paz, descansando de toda a confusão do dia a dia.
Com muita dificuldade conseguiu soltá-la e correram para as escadas que davam para a casa.
— Merda, trancada… — forçou o corpo contra a porta.
— Vamos ter que dar a volta. — passou a mão pelo corpo, com frio.
— Mas está chovendo. — a abraçou, protegendo do frio e da chuva.
Ele passou o braço pela cintura dela e contou até três para começarem a correr. pisou em falso em uma pedra que havia no caminho e se desequilibrou. Apoiou-se em para não cair, a dor foi imediata. Cambaleou um pouco para trás e levantou o pé, sentindo a dor subir.
— Meu pé. — Ela falou, parando e procurando algo onde se sentar. Não se importava mais com a chuva, já estava toda molhada mesmo. Tirou o casaco e o jogou longe. Não acreditava que era possível acontecer tudo com ela dessa maneira. Só podia ser conspiração do universo, mostrando que era errado estar naquele lugar, com ele.
— Vem, tem uma cadeira aqui. — a ajudou a andar para perto de duas cadeiras, no jardim perto da piscina.
— Não desista de mim. — abriu um sorriso, passando a mão pelo rosto dele. Com muita facilidade, a levou até uma das espreguiçadeiras na piscina e a apoiou para que sentasse sem se machucar.
— Não faria isso, nunca. — Ele respondeu, sentindo uma vontade louca de beijá-la ao vê-la toda molhada daquele jeito.
Respirou fundo e agachou-se para ver o pé dela, tirando com todo cuidado o sapato e começando a massageá-lo com carinho. Depois de alguns minutos, o elevou e começou a dar pequenos beijos, suaves e leves.
— Não faça isso… — olhou em volta, checando para ver se alguém estava observando por alguma janela das casas vizinhas. começou a subir os lábios por toda perna dela, até chegar à altura de seu rosto. Iniciou um beijo romântico, a chuva caia e as roupas de ambos ficavam cada vez mais encharcadas e pesadas.
resolveu tirar a blusa e , ao ver o peito nu dele e aquele abdômen definido, precisou respirar fundo algumas vezes para manter o controle da situação, complicada naquele momento.
— O que estou fazendo? — Agora ele estava sorrindo, provocando. Ele sabia como deixar a garota totalmente perdida. — Hum?
— Eu preciso… — tentou falar algo, mas tampou sua boca com o dedo e pressionou seu corpo para trás.
voltou a beijá-la, agora um beijo mais intenso e quente. Ainda entre beijos, ele afastou um pouco os lábios do dela e a fitou, abrindo um lindo e enorme sorriso.
nunca o vira sorrir daquele jeito, sentiu como se seu coração fosse sair pela boca, uma sensação e uma onda de calor foram invadindo ela por completo. Sem ao menos pensar, puxou o rosto dele para perto do seu de novo e começou a beijá-lo.
resolveu então explorar outras partes do corpo da garota, desceu os lábios pelo pescoço e começou a beijar, deu pequenas mordidas e passadas de língua ali. Com uma das mãos foi desabotoando toda a parte da frente da blusa dela e se deixou levar pelas carícias e pelos beijos.
Pareciam não estar se importando com o local e nem com a chuva que ainda insistia em cair.
Ao desabotoar toda a blusa, parou por um segundo e olhou dentro dos olhos dela. Com ar de querer uma aprovação, jogou o cabelo de lado e voltou a beijá-la no pescoço. Passou do pescoço para seu colo, e sem perder tempo, deslizou seus lábios pela barriga de .
Sentindo que o clima estava ficando cada vez mais quente, parou para pegá-la no colo. Foi caminhando em direção a casa e adentrou com ela ainda nos braços.
o pressionou contra a parede do corredor. Inclinou-se como se fosse iniciar um beijo, chegou bem perto e virou o rosto.
Queria provocá-lo.
passou seus braços em torno da cintura dela, e a trouxe mais para de si, invertendo as posições com um único movimento, fazendo a garota ficar com as costas contra a parede. a fitou nos olhos, passou um de seus dedos na boca da garota e aproximou o rosto do dela, dando uma pequena mordida em seu lábio. Afastou-se um pouco e deu pequenos beijos no canto de sua boca e depois em todo o seu rosto.
tinha em mente provocá-lo, mas quem estava fazendo isso agora era ele e, querendo dar um fim aquelas provocações, ela o puxou para um beijo. hesitou um pouco, mas logo colou todo o seu corpo no dela. a beijava de um jeito devorador, os corpos e as bocas pareciam se mover no mesmo ritmo.
não o impedia de nada, pelo contrário, respondia com a mesma intensidade, levando a mão ao cabelo dele e começando a massagear sua nuca. Sua outra mão estava nas costas dele, ficou descendo e subindo, às vezes dava pequenos arranhões, o arrepiando. As mãos de estavam quentes demais, e em um movimento rápido, começaram a percorrer o corpo dela todo, do rosto até as costas, massageando e apertando. Ele deu leves mordidas em seu lábio e logo depois um selinho para finalizar o primeiro de muitos outros beijos.
— Vamos para o quarto… — Ele disse ofegante.
— Preciso tomar um banho antes. — falou um tanto ofegante também. concordou com um aceno de cabeça e deu outro longo beijo nela.
apenas sorriu e correu para o quarto.
Ele encostou-se na parede e começou a rir com aquilo, parecendo ter tido uma ideia. Deu um pulo em comemoração e correu para o andar de baixo da casa.
estava eufórica com aquilo tudo, mas também com medo. Tomou banho o mais rápido possível, vestiu um roupão que estava lá, passou de leve um perfume e respirou fundo antes de ir abrir a porta. Contou mentalmente até um certo número e criou coragem para abri-la.
Ao sair, percebeu a escuridão que estava e uma sombra se moveu um pouco mais à frente no quarto. Ela não vira quem era, mas só podia ser . De repente ela viu algumas velas sendo acesas, clareando pouco a pouco o quarto. Pôde ver na cama uma garrafa de vinho e duas taças.
estava parado ao lado dela, apenas de toalha e com o cabelo todo bagunçado.
— Gostei das velas.
— Você esperava outra coisa? — Ele perguntou, dando pequenos passos até onde ela estava.
— Bem, — ela mordeu o lábio. — Temos vinho e luzes de velas.
— Eu não iria querer isso de outra maneira. — Com um sorriso maldoso nos lábios, foi se aproximando dela, e, sem ao menos pensar muito a jogou contra a parede com força e começou a beijá-la.
… — se desequilibrou um pouco e caiu em cima do criado mudo que havia ali. Ele não parava de beijá-la, tentava ganhar espaço e fôlego para acompanhar o ritmo dele. Com uma das mãos começou a jogar no chão todos os objetos que estavam lá em cima e, com a ajuda do criado mudo, pressionou ainda mais seu corpo contra o dele. Rapidamente percorreu a extensão do seu pescoço, usando a língua para mostrar-lhe o que ele queria fazer com o seu corpo macio. Isso fez a garota perder o controle e rapidamente moveu suas mãos para baixo, puxando sua toalha expondo centímetro após centímetro o seu corpo.
— Shh… — Ele resmungou, procurando desesperadamente o nó do roupão, querendo livrá-la de uma vez daquela única peça que o impedia de sentir o calor dela e a garota gemeu, se inclinando para trás dando espaço para que ele pudesse explorar cada parte importante.
— Isso me deixa louco… — sem paciência com o tal nó, apertou com as duas mãos contra o roupão e o puxou com força, o fazendo abrir todo.
— Por favor. — Ela colocou as mãos em seu cabelo e puxou-o de volta para ela. Com um beijo quente, ele começou a deslizar os lábios por entre o corpo da garota. A cada toque e beijo dele, ela se contorcia e soltava pequenos gemidos.
Parando logo abaixo dos seios perfeitos, ele baixou a cabeça e provou quão perfeita ela era. Ele passou a língua sobre cada centímetro que exposto enquanto ela gemia, presa contra a parede.
tomou sua boca, aprofundando o beijo lentamente, até que seus joelhos fraquejaram e então a pegou no colo, a jogando na cama em seguida, ficando por cima dela.
Ele subiu os lábios novamente encontrando com a boca dela, ambos ofegavam levemente, com os lábios juntos e as pernas entrelaçadas, contribuindo para colarem ainda mais os corpos despidos e quentes.
riu, ele olhou para ela e perdeu seu coração. Seu cabelo estava espalhado sobre o lençol branco. Seus olhos castanhos estavam nublados e suas bochechas estavam vermelhas, fazendo seus lábios parecerem um tom mais profundo de rosa. A essa altura as coisas ficavam mais intensas, a cada toque, a cada carícia.
Com o calor que subia por todo o seu corpo, não pensou em mais nada e arrastou sua boca para baixo, seguindo o caminho com a língua, até que, finalmente, ele a passou sobre a pele sensível do seu pescoço, fazendo-a agarrar seu cabelo com força. Enquanto ele voltava o trajeto de beijos, desceu a mão pelas costas dele e foi até o seu quadril cravando as unhas e o fazendo soltar um gemido alto. Seus dedos foram rápidos, começando a explorar seus músculos, viajando mais baixo em seu abdômen, até que ela chegou em sua ereção.
Ela rapidamente correu a palma da mão sobre ele e encontrou seus olhos.
— Você é tão bom — Ela piscou.
Ele riu um pouco e balançou a cabeça.
— Eu sou louco por você. — Ele pegou a mão dela na sua e, em seguida, colocou a mão em seu comprimento. Ela se encolheu um pouco, mas quando ele moveu a mão, ela sorriu, o vendo jogar a cabeça para trás e gemer baixinho.
Os olhos de fecharam quando os dedos dele traçaram uma linha para baixo em sua pele, girando em torno de cada mamilo. Seus dedos se moviam para baixo sobre a barriga, mergulhando rapidamente em seu umbigo.
puxou levemente suas pernas e as separou.
prendeu a respiração quando os dedos mergulharam, correndo sobre sua pele sensível. Podia sentir a umidade entre suas pernas e, por um momento, se perguntou se ele sabia que ela estava quente para ele.
— Você está tão quente e úmida. — Ah, sim, ele sabia.
Ele se inclinou e beijou o lado do pescoço, enviando ondas de prazer por todo o corpo dela. Com as pontas dos dedos, tocou seus lábios, usando a umidade deles para mergulhar o dedo lentamente para dentro e para fora dela. Ela gemeu, tentando firmar a sensação que sentiu com aquele toque.
... — Ela suspirou quando ele chupou seu mamilo levemente, levando-o profundamente em sua boca em seguida, enquanto o dedo fazia movimentos circulares.
— Eu quero sentir você se soltar. — ele sussurrou contra seu ouvido. Seu dedo rapidamente foi ganhando velocidade para dentro e para fora, até que as unhas dela cravaram em seus ombros e ela gritou seu nome. sentiu como se estivesse caindo e imediatamente abriu os olhos, percebendo o quanto ele estava radiante com aquela explosão de reações. Ele rapidamente puxou as pernas todo o caminho para fora, em seguida, veio sobre ela enquanto abria suas pernas mais amplamente.
— Eu… — disse em seguida, mas, sem esperar ela completar o que estava dizendo, começou a beijá-la novamente. Não queria ouvir nada, não queria esperar por nada, exceto prazer. parecia tão perdida em sua boca e o que ele estava fazendo com ela, que quando ele deslizou para dentro, ela se esqueceu de tudo ao seu redor.
Tudo parecia tão bom e ele pegou sua perna esquerda e elevou. Suas estocadas ficaram mais fortes e, perdida naquele movimento, ela somente fechou os olhos, apreciando todo o toque e o prazer que ele estava proporcionando. Cada impulso, sua respiração ficou mais pesada e suas mãos agarraram seus quadris, ajudando-o a mover-se mais rapidamente.
Seus olhos se abriram, e ela notou que a observava. — Oh, você é maravilhoso. — disse ela.
Os olhos dele pareciam brilhar a luz das velas, e ele tinha um leve sorriso nos lábios até que ela agarrou sua cabeça e puxou-o de volta para seus lábios.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXX


Sem ao menos perceber que havia caído no sono, moveu-se na cama, tentando abrir os olhos, lutando contra a claridade que estava entrando pela janela. Não havia sol e muito menos calor, o tempo estava fechado e acinzentado, nem parecia que na noite anterior havia caído uma tempestade muito forte.
Ele sentiu a presença de alguém ao seu lado e não foi preciso nem explicar a sensação que teve ao vê-la tão serena, dormindo. , ao vê-la toda enrolada em um lençol aproximou lentamente o seu corpo ao dela, apoiou-se na cama com o cotovelo e com a outra mão acariciou o cabelo de , que parecia estar dormindo bem pesado.
— Como posso ter me apaixonado por você desse jeito? — Ele perguntou, sussurrando em seu ouvido. Em seguida olhou para o teto com uma expressão pensativa. — É muito cedo para saber como os fãs vão reagir ao saber desse namoro falso com a Krystal. Muito cedo para dizer ao mundo que a SM fez o grande marketing desse namoro para aumentar as vendas da f(x).
Com uma das mãos, ele tocou de leve o seu rosto e tirou uma mecha de cabelo, deslizou os dedos por entre as bochechas dela e deu um pequeno beijo ali.
— Vou lutar por você e por isso que estamos sentindo. Não vou deixar que eles destruam esse sentimento por causa de números e prêmios. — Ele falou bem baixinho, para não acordá-la. despertou e não entendeu muito bem o que estava acontecendo ali, mas ao ouvir a voz dele, lembrou-se da noite anterior. E aquilo fez com o seu coração batesse mais forte. — Meu coração cresce por você a cada minuto. Você completou o vazio que estava dentro dele e acreditou em mim quando todos os outros duvidaram. — Ela pensou em se levantar, mas queria escutar o que ele estava falando e fechou novamente os olhos, fingindo dormir.
— Eu consigo sentir que encontrei em você a pessoa que eu sempre procurei. Dentro dos seus olhos eu me vejo. — continuou falando e nem percebeu que ela estava acordada. — Como não me apaixonar? Como não entregar a esse sentimento que vem crescendo a cada dia? — se afastou um pouco e voltou a deitar a cabeça no travesseiro e a olhar para o teto. Com umas das mãos ainda ficou acariciando o cabelo da garota. Ele estava sentindo-se totalmente perdido com toda a confusão que estava acontecendo em Seul, queria que tudo fosse resolvido para que ele pudesse pela primeira vez ter paz para se apaixonar de verdade por alguém.
, você é diferente. — passou a mão no rosto e respirou fundo. — Eu precisava dizer tudo isso pra você, mas não tenho coragem porque eu sei o quanto é complicado pra nós dois esse relacionamento.
arregalou os olhos surpresa e abriu um sorriso de orelha a orelha, aquilo seria uma declaração? estava se declarando? Ele estava apaixonado por ela?
O seu estômago revirou de ansiedade com tudo isso.
— O que eu tô fazendo? Você dormindo e eu aqui falando coisas. — sentou na cama e levou a mão na cabeça. — Que idiota que eu sou, teria que ter falado isso com você acordada.
— Eu concordo. — riu, sentando-se na cama.
, ficou sem jeito, mordeu o lábio inferior e olhou para o próprio corpo. Virou-se lentamente, criando coragem para encarar que ria divertida com aquela reação.
— Que vergonha. — Ele disse constrangido.
— Por que?
— O quanto você escutou?
— O necessário também para dizer que eu estou perdidamente apaixonada por você.
arregalou os dois olhos, surpreso e assustado ao mesmo tempo com aquela confissão, não esperava que ela fosse tão direta.
— Isso é bom. — Ele conseguiu sorrir. — Eu quero você assim, todos os dias, todas as noites e em todos os anos. — engoliu em seco ao ouvir aquilo, não sabia o que falar para , na maioria das vezes ele apenas conseguia deixá-la sem graça. — Dê um tempo para que eu resolva com os meus assessores sobre esse namoro com a Krystal, não vou obrigar você a me esperar, mas eu preciso que você saiba o quanto eu estou perdidamente apaixonado por você, garota.
— Eu também estou perdidamente apaixonada por você. — Ela disse, beijando a ponta do nariz dele carinhosamente. — Vou esperar o tempo que for necessário para que você resolva todos esses problemas, não consigo ficar mais longe de você, .
— Hum. — Ele puxou o corpo dela para perto deixando o espaço menor. — Diz que me ama. — Ele pediu.
— Amo você. — Ela disse com o rosto muito perto do dele. — Amo a maneira que você me olha. Amo o jeito que você sorri. Amo a sua voz. Amo sua mão no meu corpo. Amo. Amo e amo.
— Amo você também. — Ele murmurou ao ouvido dela. passou as mãos pelo ombro e na sequência mordeu o lábio em sinal de provocação. levantou uma sobrancelha compreendendo o que ela estava querendo naquele momento.
— Quero você. — A garota sem poder resistir, deslizou a palma de sua mão sobre o peito dele, enquanto ele acariciava suas coxas. — Do meu jeito. — Ela delineou seu lábio inferior com a ponta do dedo provocando ele da maneira exata. reagindo por extinto puxando o corpo da garota contra o seu. Ele deslizou sua língua e a apertou contra seu peito, rodeando-a com seus braços. O que começou com um suave beijo, intensificou-se à medida que ele sugava os seus lábios.
podia sentir seu desejo por ele em todos os lados do seu corpo. O ar frio da manhã não tirava a temperatura do corpo dele contra o seu e respirava entrecortado, igual a ela. Ele estava desesperado. Estava completamente apaixonado e envolvido por essa garota. Tudo o que mais desejou. Tudo o que mais quis, estava hoje em seus braços. Mordiscou levemente o lábio superior dela em desejo. Louco. Completamente louco de desejo.
— Interessante. — Ele sussurrou, afastando-se dela.
Seus lábios se curvaram para cima de forma sedutora e sensual.
Ele deslizou sua boca para o pescoço dela, logo mordiscando e explorando o local. A língua deslizava intensamente contra o pescoço da garota, seduzindo, excitando.
estava cada vez mais segura de que era a pessoa que ela sempre buscou todo esse tempo. Apertou os dedos contra o peito dele e em seguida fechou os olhos, desejando que aquele momento nunca tivesse um fim.




FIM.



Nota da autora: Primeira fanfic que eu escrevo com o EXO.

MEU DEUS DO CÉU A VONTADE DE PEGAR O KAI NA CHUVA!
Espero que tenham gostado e comentem!

Eu sempre quero agradecer a Thata por sempre ser maravilhosa comigo e me ajudar em todas essas fanfics.
Acho que não seria nada sem ela (L).
Maria, PELO AMOR DE DEUS...além de indicar todas as fanfics ela tem o trabalho de me aturar com as descrições.
Gabi, Brendha, Lays, Larys, Jozy, Mayh e Bruna. AMOR PRA VIDA!
AMO CÊS TUDO!



SHORTFICS:
01. Call Me Baby [Ficstape #062: EXO – Exodus]
03. Best Of Me [Ficstape #070: BTS – Love Yourself: Her]
03. This Is How I Disappear [Ficstape #068: My Chemical Romance – The Black Parade]
04. Permanent Vacation [Ficstape #067: 5SOS -Sounds Good Feels Good]
07. Let’s Dance [FICSTAPE #065: Super Junior – Mamacita]
Hug Me [Doramas – Shortfics]

EM ANDAMENTO:
Love Is Not Over [KPOP – Restritas – Em Andamento]
Let Me Know [KPOP – Restritas – Em Andamento]
I NEED U [KPOP – Restritas – Em Andamento]


Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.


comments powered by Disqus