Capítulo Único

? It feels like we been living in fast-foward
Another moment passing by
The party's ending but it's now or never
Nobody's going home tonight

Don't even care about the table breaking
We only wanna have a laugh
I'm only thinking 'bout this girl I'm seeing
I hope she wanna kiss me back

Katy Perry is on replay
She's on replay
DJ got the floor to shake
The floor to shake
People going all the way
Yeah, all the way

I'm still wide awake
I wanna stay up all night
And jump around until we see the sun
I wanna stay up all night
And find a girl and tell her she's the one
Hold on to the feeling
And don't let it go
Cause we got the flow now
Get out of control
I wanna stay up all night
And do it all with you

Up all night
Like this, all night, hey!
Up all night
Like this, all night, hey!
Up all night ?


A festa de aniversário de já estava chegando ao fim, mas estava no meio da pista de dança, acompanhado dos amigos, se balançando discretamente ao som do ritmo e observando a mesma menina para quem tinha olhado quase a noite inteira, sem nem perceber que mais da metade dos convidados já tinha deixado a boate.
Parecia que a noite dele estava avançando no modo acelerado, pois já eram mais de três da manhã e ele não tinha sentido o tempo passar. Não tinha a menor vontade de ir para casa ainda! Na verdade, ele só pensava em se aproximar da tal garota, e torcia para que ela também quisesse beijá-lo, como ele estava louco para fazer, por horas e horas, até muito depois do amanhecer.
O DJ ainda fazia o chão tremer, colocando para dançar as pessoas mais animadas, enquanto outras iam para todos os lados, se jogando cansadas nas cadeiras, se pendurando no bar para pedir mais uma bebida, se rendendo ao cansaço e partindo para casa, ou rumando para outros lugares em busca de mais (ou de outro tipo) de diversão.
Firework tocou pela segunda vez e, alheios aos planos de de chegar na garota, que dançava não muito longe deles, , e começaram a pular, cantando a plenos pulmões o refrão da música de Katy Perry, e puxando o amigo para que se juntasse a eles. Os quatro passaram os braços pelos ombros uns dos outros, formando uma pequena roda, e ficaram ali, tirando os pés do chão, o máximo que podiam, até que a música chegasse ao fim.
Mais uma canção agitada começou, e riu, quando viu e subirem em uma mesa, e começarem a pular, feito malucos, sobre ela. O fato de terem-na quebrado, e quase caído de cara no chão, só fez com que risse ainda mais. Os dois amigos desastrados também gargalhavam sem parar, com todo o álcool em seu sistema tornando o próprio fracasso mais engraçado que a mais elaborada das piadas.
Recuperado do ataque de risos, procurou pela garota sem nome, que ele sabia apenas ser amiga de , irmã de . Era agora ou nunca!, pensou, mas, quando finalmente a encontrou, era a vez dela de subir na mesa, junto com . As duas rebolavam, de pé sobre a mesa, de um jeito sensual, mas logo começaram a rir também, encarando e , como se quisessem mostrar como se faz.
sorriu. Aquela , , linda era ainda melhor do que ele imaginara! Era divertida e tinha senso de humor, do jeitinho que ele achava que deveria ser uma garota! Do jeito exato que ele sabia que seria a garota que o conquistaria, um dia.
Então, pouco depois, o DJ passou a colocar músicas mais lentas e as luzes começaram a se acender, indicando que era definitivamente o fim da festa.
não podia acreditar que tinha perdido a oportunidade de conhecer aquela menina, de ouvir a voz dela e saber qual era o seu perfume. Não se perdoaria nunca por ter ficado a noite toda só olhando para ela, enquanto tomava cerveja e ria com os amigos. Ele adorava passar seu tempo com os caras, ficar meio bêbado, falar um monte de merdas, rir deles e de si mesmo, mas isto era algo que ele podia fazer sempre, e aquela gata... bem, talvez não fosse um caso perdido, já que ela era amiga das meninas.
Depois de pegarem mais uma cerveja no bar, ele, e foram ao encontro de , que esperava perto do carro. Ele tinha se oferecido para ser o motorista da rodada, pois sabia que, sendo aniversário dela, a namorada ia fazer questão de ficar doidona.
E ela estava mesmo!
“Eu não quero ir pra casa!” falava arrastado, fazendo biquinho, abraçada a pelo pescoço. Não era , afinal, o único que ainda não estava com um pingo de sono.
“E o que você quer fazer, babe?” Ele indagou, se mostrando bastante paciente. “A essa hora, não temos muitas opções.”
“Vamos pra praia, ver o sol nascer.” Sugeriu a irmã dela.
“Eu fecho!” comentou.
“Então, o que ainda estamos fazendo aqui, hein?” reforçou, percebendo que a amiga das garotas estava no grupo, e todos riram, antes de entrarem em dois carros – o de e um outro, dirigido por .
ligou o rádio e colocou o volume no máximo. Junto com , tentou acompanhar Rihanna, mas fracassaram ambos monumentalmente, fazendo e rir tanto, que o último até se preocupou em falhar na direção do carro. No outro automóvel, era quem cantava com , mostrando que tinha ritmo e voz suficientes para imitar Bruno Mars, mesmo depois de tantas cervejas. Da janela do Land Rover onde estava, ocupando o banco de trás, via sua sorrindo e balançando a cabeça em harmonia com a música, sentada no banco do carona do Honda Civic que seguia ao lado.
Quando chegaram à praia, os oito jovens tiraram seus sapatos e correram para a areia. Ainda era madrugada, mas havia iluminação artificial suficiente para que eles pudessem ver uns aos outros e enxergar onde ficava o mar, para o qual e correram, molhando os pés, antes de serem levantadas por e , que brincaram de ameaçar entrar na água com elas no colo. Os demais apenas riam, até que lançou um olhar na direção de , que correu de um lado para o outro até que o amigo desistisse de bancar o homem das cavernas com ela.
A essa altura, já tinha colocado no chão, e , dessa vez, tentava evitar que a namorada enfrentasse as ondas com seu vestido de festa. tirou a roupa, ficando de cuecas, e deu de ombros quando viu os olhos arregalados de , mas mostrou ter gostado da ideia, se livrando da própria roupa rápido, e correndo para o mar, depois de desafiar o amigo a chegar à água antes dele.
viu a por quem ficava cada vez mais atraído, na medida em que o vento desarrumava os cabelos dela e colava o vestido esvoaçante a seu corpo, se afastar, subindo em uma pedra, onde sentou, abraçando as próprias pernas. Era tentador ficar olhando o que parecia uma bela pintura, mas ficar só observando era algo que ele já tinha feito demais naquela noite, então ele também se afastou do grupo, que já estava quase todo molhado àquela altura, e subiu na mesma pedra escolhida por ela.
“Posso?” Apontou para o lugar ao lado da garota, querendo permissão para se juntar a ela.
“É claro.” Ela respondeu, dando um sorriso.
.” Ele disse, estendendo a mão.
.” Ela respondeu, segurando a mão dele, a fim de aceitar o cumprimento, apesar de um pouco formal, o que a fez soltar um risinho.
“A garota ganha um nome, enfim!” Disse, fingindo solenidade.”Eu te olhei a noite toda e, ainda assim, não adivinhei. É um nome bem melhor do que qualquer um dos que eu imaginei, na verdade.”
“Eu não pude jogar. Sabia o seu.” Ela brincou. “Então não temos um vencedor e, consequentemente, um perdedor.”
“Sabia, é?” Ele franziu a testa.
“Tem fotos suas com os meninos, a e a , no face delas, e elas sempre falam de vocês.”
“Falam bem, é claro.” Disse, se fazendo de pretensioso, e ela riu.
“Falam das baladas, das cantadas do , da cantoria do ...”
“Muito bom, mas você não disse o que elas falaram de mim, hum?” Ele deu uma empurradinha nela com o ombro, a fazendo sorrir.
“Principalmente que você é um gato, o que é verdade.” Falou, sem se mostrar tímida. “Mas também que você é gente boa, engraçado, inteligente... Várias coisas que eu ainda não posso confirmar se você é, porque você ficou só me olhando a noite toda, né?” Falou, com ar desafiador.
não resistiu a dar uma sonora gargalhada, jogando a cabeça para trás. A garota por quem ele ficara babando, durante as últimas horas, não era só linda, mas espontânea, direta, segura. Podia ficar melhor?
“Sabe... Eu acho que você é a garota pra mim.” Declarou e foi a vez dela de rir. “Eu sei, eu sei. Eu acabei de te conhecer e não teria como saber disso. Você deve estar achando que eu digo isso pra todas as garotas.”
“Uhum.” Ela respondeu, assentindo, mas seu sorriso pareceu ainda mais intenso.
“Não era uma cantada barata, mas, se fosse, acho que eu poderia dizer que ela funcionou.” Disse, confiante, acariciando o rosto dela e se aproximando.
O rapaz fechou os olhos, quando seus lábios tocaram os dela, bastante frios, por causa do vento gelado que soprava na praia. Sua língua, no entanto, recebeu a dele, quente, seu hálito era uma mistura de álcool com algo cítrico, e suas bocas se encaixaram de modo perfeito. Sim, podia ficar melhor! Ainda que parecesse impossível, segundos antes.
Eles se beijaram algumas vezes, antes de assistir ao nascer do sol, abraçados, em silêncio. E se beijaram mais algumas vezes, quando já era manhã, antes que alguém ficasse com sono e todos decidissem ir para casa.
Só com o tempo eles saberiam se ela era mesmo a garota para ele (e ele o cara certo para ela), mas, antes disso, eles, com certeza, ainda ficariam, muitas vezes, acordados a noite toda.




Fim.



Nota da autora: Desculpem pela fic minúscula, mas o meu apego a participar de tantos ficstapes ao mesmo tempo somado a compromissos de trabalho "de verdade" não permitiram que eu fizesse nada melhor.
Julguei que seria melhor escrever uma coisinha rápida do que furar e espero que não fiquem tristes comigo por isso... =/
Beijos mil a todas!! <3





Outras Fanfics:
SE NÃO HOUVER, APAGUE


comments powered by Disqus