Finalizada em: 09/11/2017

Prólogo


De: Institutof Arts New York
Assunto: Seleção para o musical THE ROCKS
Data: 15 de novembro de 2013
Para:

Prezado Sr.
É com um imensurável prazer que venho informar através deste e-mail, que você foi selecionado para o teste final do musical THE ROCKS. Aguardamos sua confirmação até o final desta semana, sendo assim enviaremos o local e data do teste para seu comparecimento.

Atenciosamente,
Charlie McGounouth


leu o e-mail pela terceira vez só para ter a certeza de que não tinha entendido errado. , sua melhor amiga, que estava sentada ao seu lado na cama, puxou o notebook das mãos do garoto para ler também.
- ...Você foi selecionado para o teste final do musical The Rocks. – repetiu as mesmas palavras que havia lido algumas vezes.
- É inacreditável. – levou a mão até a boca, incrédulo.
- Você se esforçou muito, pequeno , é natural que tenha passado na seleção. – deixou o notebook de lado, segurando a mão do amigo. – Envia logo essa confirmação.
estava feliz, apesar de saber que teria de se mudar para Nova York em breve. Iria fazer o teste final e mesmo que por ventura não passasse, seus planos de morar em NY eram certos, iria realizar seu sonho de ser um grande cantor.
- Eu queria levar você. – o garoto afagou o cabelo de , não conseguia imaginar uma vida sem sua melhor amiga.
- Minha mãe não acredita que eu possa me sair bem no mundo da música, entende? Pra ela eu tenho que ficar aqui em Little Rock, me formar, casar e ter filhos... – choramingou, já tinha perdido as contas de quantas vezes tentara convencer a mãe de que ser cantora era o seu maior sonho.
- Dylan mora em Nova York, não é? Ele pode cuidar de você, o que acha? – o garoto perguntou esperançoso.
- Eu já tentei, , pedi pro meu irmão pra tentar convencer a mamãe, mas ela não cedeu. – a menina estava triste, sabia que não havia jeito de ir com seu melhor amigo.
- Eu prometo que quando eu for muito famoso, mando te buscar, tá bem? – era mesmo um garoto sonhador e o admirava por isso.
- Você nem vai lembrar de mim quando for famoso, eu aposto. – o garoto riu e apertou as bochechas rosadas da menina.
- Eu não só vou lembrar, como vou fazer questão de dizer pra todo mundo que você é a minha miss Little Rock. – o abraçou, beijando-lhe a boca em seguida. Não eram namorados, mas as vezes se tratavam feito qual.
- Você é meu melhor amigo, , e sempre vai ser.
pegou o notebook e enviou o e-mail de confirmação, prometeu para si mesmo que daria o seu melhor, ainda que o papel principal não fosse dele no fim das contas. Mas aquele era apenas o começo de uma história cheia de idas e vindas e é claro, regada a muita música.


Capítulo 1


Nova York – 3 anos depois...

segurou o copo de uísque com força, estava apreensivo. No rosto, uma expressão de tristeza com mistura de raiva, seus olhos azuis cintilantes encaravam a cidade através da vidraça. Nova York era incrível, lá tudo acontecia, sonhos se realizavam e ele era a prova viva disso. Uma banda no auge do sucesso, vários prêmios importantes, umas das discografias mais vendidas no mundo todo e fãs enlouquecidos que os seguiam vinte e quatro horas por dia. Visto de fora, tinha a vida perfeita, mas não era bem por aí.
Sempre tivera a fama de mulherengo, com um fundo de razão, era claro, mas sua perspectiva mudara desde a chegada de Lindsey Evans. A maldita modelo a quem havia entregado seu coração um ano atrás.
Eu amo você, mas não tenho certeza de que quero continuar.
Foram as últimas palavras que ouvira da boca dela, logo depois de entregar um anel de brilhantes e pedi-la em casamento. Era o anel mais caro da joalheria, mas isso era só um mero detalhe. Não importava mais. Nada fazia sentido, nem mesmo a porra da sua existência. andou até o bar que mantinha em seu apartamento no último andar do New York States, o edifício mais caro e requisitado de Nova York. Era um filho de uma puta sortudo, sabia bem, mas naquele exato momento toda a sua auto estima estava enterrada e a culpa era de Evans. Serviu-se de mais uma dose de uísque, deveria ser a vigésima naquele dia, mas só assim conseguia se manter anestesiado e longe dos pensamentos ridículos que pairavam sobre sua mente.Pegou o celular de cima da mesa de centro, faziam alguns dias que havia desaparecido das redes sociais, soube por Spencer, seu melhor amigo e companheiro de banda, que os fãs estavam preocupados. Não custava nada dar o ar da graça, mas se arrependeu nos segundos seguintes após ver seu nome e o de Lindsey nos assuntos mais comentados do twitter. Coisa boa não deveria ser, então resolveu então abrir um link que estava sendo compartilhado por milhares de pessoas.

Lindsey Evans é flagrada aos beijos com ator de Paraíso do amor.
A modelo Lindsey Evans (23) foi vista nesta noite de sábado com o ator Derek McGounouth (25) em um restaurante no centro de Nova York. Sem se incomodar com a presença de paparazzi trocaram carícias e palavras ao pé do ouvido após um beijo apaixonado. Derek ficou conhecido após interpretar um jovem viciado em drogas no filme Paraíso do amor, que ao conhecer o amor se regenera e o sucesso foi tanto que o galã foi indicado ao oscar por sua atuação.
Esse affair mal foi revelado pela mídia e já está dando o que falar pelo fato de Lindsey ter acabado de terminar o namoro de um ano com , vocalista da banda Diamonds. Dizem as más línguas que o gato está arrasado e não sai de casa há dias, podendo até cancelar a turnê mundial que iniciará na próxima semana.


atirou o copo cheio de uísque contra a tv de plasma pendurada na parede da sala, fazendo com que a tela trincasse por completo, estava fora de si. Será que isso acontecia quando eles ainda estavam juntos? Há quanto tempo era enganado? Eram tantas perguntas e nenhuma resposta.
O garoto colocou o celular no bolso, pegou as chaves do carro, saindo em disparada porta afora. Não iria deixar barato aquela traição descabida, estava sendo feito de palhaço diante do mundo todo, não iria admitir isso.
Ao chegar no estacionamento sentiu o celular vibrar no bolso, então o pegou e atendeu assim que viu o nome do melhor amigo piscar na tela.
- Me diz que você não abriu suas redes sociais hoje. – Spencer estava apreensivo, tinha medo da reação do amigo ao saber do que estava acontecendo por suas costas. – Por favor...
- Eu vou matar aquele filho da puta do Derek! Galãzinho de merda! – esbravejou. Entrou em sua mercedez, enfiando a chave de qualquer jeito na ignição, as mãos trêmulas batiam contra o volante violentamente deixando Spencer assustado do outro lado da linha.
- me ouve, você está alterado, bebeu além da conta e... – o garoto tentou argumentar sem sucesso.
- Não tente me falar o que devo ou não fazer, cara, estou certo de que preciso me vingar desse babaca! – ele arrancou bruscamente com o carro.
- Me deixe ir com você só pra evitar que você faça uma merda e coloque a imagem banda em risco, você precisa se acalmar. – riu descrente. Mal podia acreditar que seu melhor amigo estava mais preocupado com a imagem da banda do que com ele próprio.
- Dane-se você e a banda, eu fui traído descaradamente e isso não vai ficar assim! – encerrou a chamada, jogando o celular de qualquer jeito no banco do carona, seu sangue estava fervendo de ódio, podia sentir pulsando em suas veias.
Não sabia exatamente qual caminho seguir, mas Lindsey era tão previsível, a conhecia bem, o que o fez pensar onde os dois poderiam estar naquele momento.
Dirigiu em alta velocidade até o centro de Manhattan, mais precisamente na quinta avenida, estava anestesiado pelo álcool. Sentia cada veia do corpo pulsar, o coração acelerado pela adrenalina de estar prestes a cometer uma loucura. Avistou o Empire States e então soube que estava perto daqueles dois traidores de merda. Ah, como queria ver a cara daquela modelo miserável depois que cuspisse algumas verdades na cara dela.
Estacionou o carro de qualquer jeito do outro lado da rua, pegou a garrafa de uísque que havia levado consigo, bebericando direto do gargalo. atravessou a rua trocando pernas, sem se importar em ser reconhecido por ali.
- Senhor, posso ajudá-lo? – o segurança do Empire abordou na entrada ao verificar o estado do rapaz.
- Aquela cretina da Lindsey esta aí, quero vê-la agora! – gritou, atraindo a atenção de curiosos.
- O senhor está alterado, não posso deixá-lo entrar. – riu descrente, quem aquele babaca achava que era?
- Você sabe com quem está falando, seu idiota? – o garoto apontou o dedo para o segurança que já estava perdendo a paciência .– LINDSEY! DEREK, SEU CRETINO, APAREÇA!
Rapidamente pessoas começaram a se aglomerar no saguão, o falatório sobre o vocalista da banda Diamonds estar fazendo um escândalo rapidamente se instalou pelo local, fazendo com que mais pessoas chegassem a cada segundo.
- Nós só queremos evitar danos maiores, senhor , não nos obrigue a chamar a polícia. – o outro segurança chamado para reforço disse, tentando acalmar que estava muito alterado.
- Chama a droga da polícia, mas eu quero falar com a Lindsey agora. – atirou a garrafa de uísque quase seca no chão, então os seguranças foram obrigados a usar a força segurando o garoto pelo braço.
Em seguida, como se já previsse o acontecido, Derek McGounouth surgiu no saguão acompanhado de Lindsey, que estava horrorizada com a cena. Lindsey correu até , deixando Derek furioso.
- Soltem ele! – a modelo ordenou e os seguranças então soltaram .
- Tudo bem, é só uma mal entendido, é nosso amigo. – Derek disse com um sorriso no rosto. O escândalo estava saindo melhor que o esperado.
- Eu não sou seu amigo, seu estúpido, você roubou a mulher que eu amo. – avançou, sendo contido novamente pelos seguranças do hotel.
- , por favor... – Lindsey implorou baixinho, temia pelo estrago que o ex-namorado poderia causar.
- Eu te amei e você me traiu com esse babaca, como você pôde? – Derek riu com escárnio, queria mesmo tripudiar em cima da desgraça de .
- , eu acho que esse é um assunto que nós deveríamos tratar em particular. Que tal se fôssemos até nosso quarto até você se acalmar, hum? – Derek sugeriu.
Sem hesitar, partiu para cima de Derek, lhe golpeando no rosto, fazendo com que o ator caísse no chão. Rapidamente, o cantor montou em cima de Derek, desferindo vários golpes sem se importar com as pessoas ao redor. Estava furioso e precisava colocar a raiva para fora.
- LOGAN! PARE, PELO AMOR DE DEUS, PARE! – Lindsey gritou, atraindo mais ainda atenção das pessoas para si.
- Bate mais, seu babaca, mas nada me tira o gostinho de vitória! Lindsey é minha! – Derek balbuciou algumas palavras antes de apagar.
foi puxado depressa pelos dois seguranças que tentavam a todo custo contê-lo, mas o rapaz parecia ter a força de um touro com fúria prestes a destruir tudo ao seu redor.
- Alguém chama a ambulância, por favor. – a recepcionista gritava horrorizada, Derek estava desmaiado coberto de sangue.
- Você está encrencado, rapaz. – o chefe de segurança disse, indicando que os seus funcionários deveriam conduzi-lo até uma sala especial para que ele não fugisse do flagrante.
Em seguida ouviu-se um barulho de sirene, indicando a chegada da polícia.
- , meu Deus, o que você fez? – Spencer surgiu entre a multidão aglomerada em volta deles, estava horrorizado com o que via.
- Eu acho que matei Derek, me ajuda, Spencer! – choramingou, ainda sob o efeito do álcool, porém consciente do que acabara de fazer.
- Cara, a polícia chegou, mas calma, eu vou ligar pro Freddie e ver o que podemos fazer. – Spencer pegou o celular do bolso, já discando o número do empresário.
- ? – um policial se aproximou do cantor, querendo confirmar sua identidade.
- Sou eu. – respondeu receoso.
- Recebemos uma denúncia que o senhor estaria portando drogas em seu carro e agora verificamos que o senhor agrediu uma pessoa aqui neste hotel, procede? – olhou para Spencer buscando por ajuda, não sabia o que dizer.
- Drogas? Essa informação não procede, o carro dele está ali, vocês podem verificar. – Spencer respondeu com o máximo de cautela.
- Senhor , temos que revistar o veículo, as chaves por favor. – procurou pela chave do carro no bolso, entregando ao policial que estava sedento para colocar as mãos nele.
- O senhor está detido pela agressão a Derek McGounouth, agora reze para que a denúncia sobre as drogas não seja confirmada, se não o senhor estará muito encrencado. – o policial seguiu para a saída do hotel afim de revistar o carro de .
- Droga! O que eu fiz, Spencer? – o amigo encarou com raiva, poderia ter evitado tudo aquilo.
- Eu avisei, ! – ele respondeu. – Só não entendo essa denúncia absurda sobre as drogas, conheço você, fique tranquilo, Freddie irá acionar nossos advogado e... – Spencer foi interrompido pelo policial adentrando o recinto.
- o senhor está preso por tráfico de drogas e pela agressão a Derek McGounouth! Algemem ele!
Foram as últimas palavras conexas que conseguira ouvir, após isso os acontecimentos aconteceram como borrões em sua mente, como se uma nuvem negra o estivesse encobrindo. Ele de fato estava encrencado.


Capítulo 2


Três meses depois...

despertou algumas horas antes do previsto, estava cansada, mas ficar rolando na cama não iria adiantar. Olhou para a cama ao lado da sua onde – sua melhor amiga – dormia tranquilamente. Sentiu inveja, pois deveria estar fazendo o mesmo.
Estavam apenas há algumas horas em Nova York, e na segunda começariam a trabalhar no pub onde Dylan – seu irmão – trabalhava como gerente.
Após passar alguns minutos checando seus e-mails, resolveu preparar um café da manhã, já que nem lembrava quando havia sido sua última refeição de verdade. Ligou a pequena tv que seu irmão havia deixado na cozinha pois sabia que a garota amava cozinhar assistindo ao seu programa de tv favorito: Love music, que falava sobre o mundo da música. Enquanto ouvia Lexie – a apresentadora – falar sobre a maior premiação da música que ocorrera na noite anterior, a garota checava seu caderno de receitas herdados da avó, escolhendo o bolo de chocolate especial que ela e tanto gostavam de comer quando iam passar as férias na casa de Elizabeth, mas conhecida como vovó Beth e que ninguém mais sabia a receita.
separava os ingredientes, quando um vídeo que estava sendo exibido no programa chamou sua atenção. Era , vocalista da banda Diamonds e seu ex-melhor amigo. No vídeo ele estava cercado de seguranças, saindo da rehab onde havia ficado três meses internado por ter se envolvido com drogas e estar bastante alcoolizado no dia que quase matou o ator Derek McGounouth.
disse estar arrependido do ocorrido e que aqueles meses foram essenciais para colocar a mente em ordem. E quanto ao namoro de Lindsey, sua ex namorada e Derek, apenas disse não se importar mais e que prefere deixar aquele assunto no passado.
Diamonds ganhou o prêmio de melhor música na noite anterior, onde Spencer, guitarrista da banda e melhor amigo de , aproveitou o momento para agradecer o apoio dos fãs e anunciar que em poucos dias a banda voltará a sua formação original. E nós, é claro, estamos torcendo para o sucesso do grupo.

- Babaca! – resmungou enquanto colocava os ingredientes na batedeira.
- Um babaca muito bonito, devemos acrescentar. – apareceu na cozinha, jogando um beijo no ar para a amiga.
- Todas as merdas que ele fez anulam a beleza dele, na minha opinião. – revirou os olhos.
- era nosso amigo, , nós sabemos que ele não é isso que mostram. – acreditava que a essência de ainda era a mesma.
- Ele mudou quando a fama subiu pra cabeça e eu não o reconheço mais, . Você sim? – a outra negou em silêncio.
- Ele foi traído pela mulher que ele amava, quer tragédia maior que essa? – olhou incrédula para a amiga. Como ainda tinha coragem de defendê-lo? quase matou um cara.
- Esse idiota deformou o rosto do gato do Derek, estava embriagado e ainda por cima acharam drogas no carro dele. Já são motivos suficientes pra eu achar que ele se tornou um babaca. Se eu fosse da banda dele, jamais o aceitaria de volta! – disse convicta.
despejou o conteúdo da batedeira na forma, enquanto preparava torradas.
- Você costumava achar um bom cantor. – comentou, fazendo concordar.
- E acho. As composições dele são incríveis e tem uma presença de palco de dar inveja. Não que os outros não tenham, mas é autêntico, tem estilo próprio. Mas depois que ele começou a namorar a Lindsey começou a se envolver em escândalos por ciúmes e na maioria das vezes estava sempre bêbado. Lembra aquela vez que ele foi visto gritando com ela na saída de uma festa na casa do Robert Pattinson?
- Eu lembro. Mas você não acha que Lindsey pode ter despertado esse lado agressivo dele? Eu nunca fui com a cara dessa metida. – fez careta.
- Pode, claro, mas não propositalmente. Eu nunca a vi envolvida em escândalos, muito menos com drogas e álcool. Já ele...
concordou em silêncio. Estava com fome e aquele cheio de bolo vindo do forno não estava ajudando. Enquanto aguardavam o bolo ficar pronto e comiam torradas, as garotas conversavam sobre o emprego no pub e na tentativa de de entrar na universidade para cursar moda, seriam alguns meses se dividindo entre o trabalho e os estudos para conseguir entrar na universidade de Nova York. Já , prometeu a mãe que se em um ano não conseguisse solidar uma carreira como cantora, ela iria se dedicar aos estudos e escolher uma profissão para seguir. Sabia que não seria fácil, iria se matricular em uma escola de artes para aperfeiçoar as técnicas de canto e procuraria lugares para cantar nas suas noites de folga do pub e Dylan prometeu que usaria toda a sua influência para ajudar a caçula da família .

***


Horas mais tarde enquanto despejava todas as roupas da mala em cima de sua cama, aproveitava o tempo para compor e tocar violão, sonhando com o dia em que começaria a cantar profissionalmente pelas noites de Nova York.
- Eu preciso comprar roupas novas. O que eu tenho aqui não combina com o glamour desse lugar e você vai me ajudar a escolher. Que tal amanhã? – bateu palminhas empolgada com a ideia.
- Sabe que eu odeio sair pra fazer compras, . – respondeu, fazendo anotações em seu caderno de composições.
- Bela amiga você, hein? – a outra murmurou.
deu de ombros. Estava totalmente entregue a sua música, gostava de estar bem concentrada enquanto escrevia, era bem perfeccionista. Não poderia escrever canções fracas, pois um dia iria poder mostrá-las ao mundo. Os olhos de brilhavam quando pensava na possibilidade de se tornar uma cantora mundialmente conhecida, amava cantar e compor, não almejava a fama em si, o glamour e o dinheiro, mas sim poder conquistar o coração das pessoas com suas letras que falavam de amor.

Será que o tempo é capaz de apagar
o que restou de nós dois?
Será que um dia eu consigo seguir
sem pensar no que poderia ter sido?
Oh amor, me deixe ir
Oh amor, não me assombre mais


Capítulo 3


entrou pela primeira vez em seu apartamento desde a fatídica noite em que foi preso por bater em Derek e quase matá-lo. Suspirou fundo tentando afastar aquelas lembranças de sua mente, notou que a televisão havia sido trocada e tudo estava em perfeita ordem. Spencer cuidou de tudo, contratou uma diarista para ir até lá duas vezes na semana para fazer limpeza. Soube através de uma das muitas cartas que recebia do melhor amigo, já que não poderia usar seu celular no período em que estivera internado. Foi uma tortura não saber do que estava acontecendo lá fora, os dias passavam sem que pudesse estar em contato com seus amigos e fãs, mas sabia que poderia ter sido muito pior se Derek não tivesse aceitado o acordo com Freddie. O empresário da banda usou toda a sua influência para livrar da acusação de tráfico de drogas, mesmo o cantor tendo negado o envolvimento com as substâncias e dizendo não saber como aquela quantidade significativa havia ido parar em seu carro.
O cantor largou a mala na sala, precisava de líquido pois a garganta estava seca. Encarou o bar por alguns segundos desejando um uísque, mas a bebida já lhe causara problemas demais. Foi até a cozinha, abriu a geladeira e sorriu ao ver que ela estava cheia de comida de verdade, Spencer era mesmo um bom amigo. Abriu uma lata de refrigerante e retirou uma lasanha de micro-ondas para preparar. Parou ao ouvir passos vindo da sala, pensou que poderia ser o amigo ou a diarista, então foi verificar.
- Oi, querido. Que bom vê-lo de volta ao mundo real. – paralisou ao ver a personificação do diabo bem na sua frente. O cantor engoliu em seco antes de abrir a boca para responder.
- Como você entrou no meu apartamento? – perguntou entre dentes.
Lindsey estendeu o braço, mostrando um chaveiro a , que riu descrente.
- Eu sabia que um dia precisaria, por isso não devolvi. Você não iria abrir por vontade própria, iria? – a loira passou a língua pelos lábios vermelhos numa tentativa de sedução. No fundo sabia que no coração de havia resquícios de sentimentos.
- Veio tripudiar em cima da desgraça alheia, Lind? – deu um passo a frente e encarou a modelo com todo o desprezo que reuniu dentro de si.
- Eu senti saudade, . – ela disse docemente, deixando o garoto confuso.
- Sentiu saudade enquanto transava loucamente com aquele atorzinho de merda que acabou com a minha vida? – ele esbravejou sob o olhar assustado da loira.
- Você mesmo acabou com a sua vida quando agrediu McGounouth sob o efeito de álcool e drogas, docinho. Achou mesmo que não teriam consequências? – ele negou com a cabeça, mal podia acreditar naquelas palavras. Achava que aquela mulher o conhecia bem, mas estava enganado.
- Você sabe que eu nunca tive problemas com drogas e que eu não sei como aquela porcaria foi parar no meu carro. – a loira o olhou incrédula.
- você quase matou uma pessoa, estava fora de si e completamente bêbado, as drogas foram encontradas no seu carro. Diante dos fatos não há argumentos!
Ele tomou um gole do seu refrigerante, deixando a lata na mesa de centro. Parou um instante antes de prosseguir a conversa:
- Foi um caso isolado, nunca apelei pra violência, ou já? Eu fiquei louco de ciúmes quando vi você com aquele idiota e você provocou isso. Aliás, você sempre me provocava, não é? A mídia sempre me colocou como um bêbado idiota que não sabia lidar com o peso da fama. E você era a mulher perfeita que tentava a todo custo mudar a minha vida e sabe o que é pior? Eu acreditei nisso. – ele a encarou. Lindsey abriu a boca para argumentar, mas desistiu em seguida. – Derek McGounouth me provocou naquela noite e você sabe muito bem. Mas deixou ele se fazer de vítima pra acabar comigo.
- Me envolver com o Derek foi um erro. – ela se aproximou de , tocando seu rosto de leve. - Eu sempre amei você e deveria ter aceitado o seu pedido de casamento.
ficou algum tempo parado tentando digerir aquelas palavras. Será que aquele tempo que passou trancafiado naquela rehab afetou seus neurônios e ele estava realmente louco? Piscou algumas vezes esperando a imagem de Lindsey desaparecer, porém em vão. Ele estava sim em sã consciência e diante da mulher que partiu seu coração.
- Vai embora, Lindsey. Eu já encerrei esse capítulo da minha história, então me faz um favor e some! – se dirigiu até a porta, abrindo para que a modelo entendesse que a sua presença o incomodava.
- Eu vou. Mas você vai perceber que você ainda me ama e que nós podemos começar de novo. – ela atravessou a porta sem olhar para , que do contrário, não tirava os olhos da garota.
- Lindsey. – ele chamou quando ela já estava na porta do elevador. A modelo sorriu, esperando que ele tivesse voltado atrás. – Nem morto eu volto pra você!
O cantor bateu a porta, deixando Lindsey Evans com a maior cara de tacho, então sorriu vitorioso. A vida já havia sido cruel demais para que ele voltasse a cometer o mesmo erro.
voltou para o apartamento satisfeito com a sua atuação diante da ex namorada, tinha certeza que tinha sido bastante convincente.Era difícil admitir que ainda a amava, mesmo depois de tudo o que tinha acontecido. Existia uma vida antes da rehab da qual – em partes – não queria lembrar, não queria mais ser o rock star problemático e babaca que as pessoas falavam por aí, sua essência não era essa. A verdade era que o cantor não sabia como se permitira chegar nesse ponto,deveria ter pensado nas consequências que o seu descontrole traria para ele e principalmente para a banda.
Mas queria recomeçar, de verdade. Apesar de estar perdido depois desses três meses longe de tudo, já sabia por onde começar. Foram dias e incontáveis horas que o ajudaram a compor e não via a hora de mostrar pros amigos da banda e pros fãs.

Flashback
caminhava pelo jardim da clínica enquanto observava a movimentação. Alguns pacientes conversavam em grupos, outros permaneciam isolados lendo algum livro ou apenas encarando o nada. Teve vontade de sair correndo, voltar a sua vida normal, mas infelizmente não era uma opção. Não poderia complicar mais as coisas, se estar ali fazia parte de um acordo, ainda que fosse injusto, ele cumpriria sua parte.
Sentou em um dos bancos vazios, precisava tentar limpar a mente, os últimos acontecimentos vinham o atormentando demais. sentiu quando alguém sentou-se ao seu lado, mas permaneceu de cabeça baixa encarando os sapatos.
- . Que honra te encontrar aqui, meu rapaz! – o cantor virou para encarar quem quer que fosse aquele homem.
- Hum, eu deveria dizer o mesmo? – ele perguntou ironicamente.
- Oh, não. Afinal de contas não sou nenhum rock star do momento, certo? – assentiu.
- Sorte sua. – o cara grisalho deu uma risadinha engraçada que quase fez o cantor sorrir.
- Drogas? Vício em álcool? Escândalos? Aqui não temos tv, sabe como é. – o homem se ajeitou no banco como se quem fosse ouvir uma história muito interessante.
- Como posso chamá-lo? – perguntou.
- Richard!
- Não sou nenhum viciado, Richard. – ele deu ênfase no nome. – Estou aqui por causa de um acordo.
- Um contrato? Marketing? Celebridades sempre escondem uma carta na manga para chamar a atenção para si. Se esse é o seu caso, suponho que tenha dado certo, afinal, sua cara deve estar estampada em todos os meios de comunicação. – negou, mas por um momento desejou subitamente ser apenas uma estratégia para se manter sob os holofotes.
- Eu quase matei um cara. Por ciúmes eu quebrei a cara de um babaca metido a galã, minha ex-namorada me traiu com ele, aquela filha de uma puta desgraçada! – o garoto ficou vermelho de raiva ao lembrar daquele fato, parou para respirar fundo e Richard fez sinal para que ele continuasse. Parecia curioso. – Eu estava bêbado, quase não consigo lembrar de como cheguei até ele. Só sei que alguém chamou a polícia, eu fui detido e encontraram drogas no meu carro.
- Puxa, que enrascada você se meteu, garoto. Aposto que esse merdinha deve ter aproveitado a situação para acabar com você. Pelo menos você se assegurou de que ele precisará fazer algumas plásticas? – riu pela primeira vez em quatro dias.
- Ele não vai aparecer em público tão cedo, não pelo menos antes de ajeitar o nariz. – Richard piscou maroto, estava se divertindo com aquela história, mesmo que fosse um tanto quanto trágica – Mas o fato é que além de eu ter agredido uma pessoa, a polícia achou drogas no meu carro, em boa quantidade e mesmo eu tendo negado, fui indiciado.O meu empresário procurou o idiota pra tentar um acordo e além de pedir uma boa grana por danos físicos e morais, ele exigiu que eu fosse internado em uma rehab. De pronto Freddie achou um absurdo, mas depois de pensar bem e estar convicto de que Derek retiraria a queixa caso cumprisse as exigências, eu aceitei vir. Freddie também conseguiu que o caso das drogas não fosse adiante, mais um motivo para que eu viesse parar neste lugar, o delegado aceitou numa boa.Os meus companheiros de banda concordaram que eu precisava de um tempo, de uns meses pra cá eu só estava fazendo mal pra imagem do grupo.
Era verdade. Talvez ele fosse mesmo um cara problemático que não sabia lidar com o peso da fama e a mídia estava certa. Todos estavam certos.
- Sabe meu garoto... – Richard fez uma pausa e o encarou. – A fama nem sempre é só glamour e vocês acabam aprendendo da pior forma. Veja bem, você está aqui agora, certo? Lá fora você tem uma vida, uma banda bem sucedida, pessoas que te amam e te querem bem, não desperdice isso quando sair daqui. Recomece e mostre ao mundo que você merece o reconhecimento que tem!
sorriu, como era bom ouvir palavras de encorajamento. Talvez aqueles meses não fossem tão monótonos e solitários quanto ele pensava.

Flashback off

- Luke, meu querido! – atendeu o celular animado.
- Grande ! – o outro gritou do outro lado da linha.
deixou o violão de lado,estava com saudade de conversar com o amigo.
- Como estão as coisas, Luke? – ele perguntou.
- Estão voltando pro seu lugar. Sabe, pensei que não iríamos conseguir sem você, a gravadora exigiu muito da gente. E Freddie estava quase louco, precisávamos entreter nossos fãs enquanto você não estava e o cancelamento da turnê mundial não foi muito bem visto. – Luke suspirou.
- Eu deveria ter pensado em vocês, fui um egoísta. Nem sei se eu ainda deveria... – parou de falar, já havia pensado nela possibilidade, mas admitir em voz alta era como se milhões de facas o atingissem.
- Nem pense nisso, . Precisamos de você, nossos fãs precisam de você! Você é tão parte do grupo quanto nós. Errou feio, mas se estiver disposto a consertar, tudo bem, a gente vai recomeçar. E se prepara, porque a gravadora quer um cd novo no prazo de um mês. – o cantor sorriu fraco.
- Obrigada, Luke. Eu nem sei o que seria de mim sem vocês e os nossos fãs. E quanto ao cd, já tenho as composições, só preciso mostrar pra vocês!
- Ei, cara, quer me encontrar naquele pub perto daí? – pensou se seria uma boa ideia sair assim, mas o local era bem reservado pelo fato de ser frequentado por famosos, por isso era seu lugar favorito.
- Passo pra te buscar as nove! – Luke concordou encerrando a ligação.
As coisas poderiam dar muito errado na vida de uma pessoa, mas quando se tinha amigos de verdade, eles poderiam tornar tudo mais leve.

***


- , eu realmente preciso de você! – Dylan estava de pé em frente a irmã, as mãos juntas numa súplica desesperada.
- Sem chances maninho, eu vim pra ficar atrás deste balcão e não pra subir naquele palco. – ela virou de costas, ignorando o choramingo do irmão.
- E qual o problema de você cantar? – cutucou e Dylan sorriu contente.
- Eu não estou preparada, ok? – a menina bufou impaciente enquanto ajeitava o uniforme.
- . – Dylan atraiu a atenção da garota para si. – Eu nunca te pediria isso se soubesse que você não daria conta. Eu realmente preciso. Ava Bennett cancelou a apresentação dela aqui e eu não tenho outra ideia.
- Eu não ensaiei e não tenho repertório, Dylan, não é assim que as coisas funcionam! – levantou as mãos, sinalizando desistência e o garoto entendeu que não deveria mais insistir naquele assunto.
se sentiu mal por não poder ajudá-lo, mas a verdade era que estava insegura. Será mesmo que conseguiria subir num palco e cantar? Naquele momento todas as suas certezas desapareceram.

Quase meia hora depois, enquanto atendia um grupo de rockeiros no bar, e Dylan conversavam sobre as particularidades do local. O movimento naquela hora ainda era fraco, o que permitia o garoto explicar as suas duas novas funcionárias entre um atendimento e outro, algumas coisas sobre o trabalho.
- E por último, seja sempre discreta. Muitas pessoas famosas entram aqui, você sabe. Esse pub é o favorito das celebridades e isso é bem legal por um lado, mas a gente precisa manter a discrição sempre. – assentiu. – Sabe aquela sala reservada ali atrás?
A menina olhou para onde Dylan apontara.
- Geralmente é ali que eles gostam de ficar. É onde o dono mantém uma parede cheia de autógrafos e algumas dessas celebridades deixam algum objeto pessoal para exposição.
- Esse lugar é mesmo muito especial. Não é pra menos que as pessoas gostam de vir aqui. – sorriu.
- Oh, Céus! – encarou a porta, estava afoita e acompanhou o movimento.
Dylan que estava de costas não entendia nada, até virar-se e ver duas figuras bem conhecidas vindo em sua direção.
– Dylan, eu não sei se consigo. – correu para trás do balcão e rezou para que não a tivesse reconhecido.
- Dylan , meu garoto! – o cumprimentou com um toque de mão, estava feliz por estar novamente naquele lugar.
- ! Fico feliz em te ver de volta, cara! – apenas observava a cena petrificada.
- E eu? Só merece essa recepção calorosa? – Luke gargalhou.
- Não é como se você não viesse aqui sempre. – Dylan respondeu num tom divertido.
olhou para que rapidamente fingiu estar concentrada no caixa, mas a verdade é que estar de frente com o amigo de infância depois de anos era estranho. estalou os dedos bem próximo ao rosto de , estava surpreso em vê-la bem ali na sua frente.
- ! Minha nossa, quanto tempo! – , a abraçou deixando a menina sem saber o que fazer.
- Muito tempo. Achei que nem lembrava mais dos seus amigos de Little Rock. – a garota disse um pouco magoada, deixando sem graça.
, que estava abaixada atrás do balcão para não ser vista, riu baixinho.
- Eu e o precisamos falar sobre composições, por isso trouxemos o nosso bom e velho violão. Vamos ficar no nosso lugar de sempre, suponho que esteja vazio... – Luke se pronunciou, tentando amenizar o clima pesado que havia se instalado ali e Dylan assentiu.
- Vão querer o que pra beber? – perguntou receosa, mas era seu trabalho, afinal de contas.
- Coquetel de morango sem álcool. ? – Luke perguntou.
- O mesmo. E uma água. – anotou os pedidos sob o olhar atento dois três.
Dylan seguiu até a sala reservada com ao dois em seu encalço enquanto conversavam animadamente sobre a vida.
– Talvez você tenha razão, mas só talvez. - disse cabisbaixa e apenas revirou os olhos.
- Vai continuar idolatrando ? – virou para encarar a amiga que estava incrédula.
- Eu não vou discutir isso com você, . – saiu em direção ao garoto de óculos o qual ainda não sabia o nome ou não lembrava, deixando encarando o nada.
Alguns minutos depois Julian trouxe uma bandeja até que o olhou e dúvida.
- está atendendo. – ele apontou para onde a garotava conversava animadamente com três garotas. – As pessoas gostam dela.
riu. Ser simpática era o forte da amiga.
- E eu preciso levar essa bandeja até a mesa cinco da sala reservada, certo? – Julian assentiu sorrindo.

Flashback on
caminhava apressadamente até o final da rua, precisava encontrar o mais rápido possível, não queria perder sua melhor amiga. Ao chegar perto avistou a menina sentada no batente com a cabeça baixa entre as pernas, chegou mais perto só para ter a certeza de que ouvia soluços vindos dali.
- . – a chamou baixinho, mas a menina ignorou.
sentou ao lado da menina e afagou seus cabelos, odiava ver sua melhor amiga daquele jeito.
- Você não deveria estar aqui. – ela resmungou ainda sem olhar para o garoto ao seu lado.
- Você é minha melhor amiga, eu deveria sim. – ele sorriu de lado, sabia o quão orgulhosa era.
- Lucy é melhor do que eu, você deveria ir atrás dela. – riu. Sabia que no fundo tinha uma pitada de ciúme.
- Lucy é minha namorada, . Mas isso não significa que você tenha que deixar de ser minha melhor amiga. – ele beijou a bochecha molhada da garota.
- Eu tenho medo de perder você também, ... Assim como perdi meu pai. – ela soluçou, estava prestes a chorar novamente, mas a puxou para si.
- Eu acho que seu pai vai voltar um dia e você vai poder perguntar tudo o que quer saber. – ela o encarou, era sempre muito convicto das coisas.
- Promete que nunca vai me deixar? – sorriu.
- Prometo!

Flashback off

respirou fundo, não poderia se negar a atender clientes no trabalho, ainda que fossem ex-melhores amigos babacas. Encarou a bandeja, antes de finalmente tomar coragem de seguir. Atravessou o salão até a sala onde e Luke estavam, apenas os dois músicos estavam presentes no cômodo e conversavam animados enquanto dedilhava algumas notas no violão.
- Licença. – a voz de quase saiu num sussurro, mas ainda sim chamou atenção deles, principalmente a de . – O pedido dos senhores.
O garoto piscou algumas vezes pra ter a certeza de que era real e não um fruto da sua imaginação.
- Obrigado. – Luke observava a cena sem entender muita coisa.
- , eu... – levantou, fazendo a menina dar um passo atrás.
- Algo mais? – ela perguntou diretamente para Luke, ignorando completamente a presença de .
- Será que alguém pode me explicar algo? – perguntou Luke curioso.
- é a garota de Little Rock da qual eu falei. – explicou.
- Ah, claro, que cabeça a minha. É um grande prazer, fala muito sobre você, miss Little Rock. – cutucou o amigo por baixo da mesa.
- É um prazer também, Luke, pena não pode dizer o mesmo pra você, . Agora se me dão licença, eu preciso voltar pro trabalho, se precisarem de algo mais é só chamar. – disse, deixando cabisbaixo.
Era estranho reencontrar depois de tudo, sentia vontade de abraçá-lo, mas nada era como antes, ele principalmente havia mudado. E não pra melhor. Era melhor deixar no lugar de onde ele nunca deveria ter saído: do passado.


Capítulo 3


Mesmo com tantos compromissos, a semana parecia ter se arrastado para . Era manhã de sábado, teria um ensaio no estúdio em duas horas, mas antes iria aproveitar para correr no central park, era uma das suas atividades favoritas e que ajudavam a limpar a mente. Estacionou o carro próximo do central, pegou sua garrafa de água, os óculos escuros e seguiu. Colocou o capuz da camisa de forma que não fosse reconhecido, não por ser um daqueles artistas que odeiam dar atenção para seus admiradores, mas sim por precisar daquele momento para si, afinal de contas a semana já havia sido cheia demais. Colocou ao fones de ouvido para esquecer o mundo ao redor e seguiu. Ou pelo menos tentar esquecer. Mas tudo o que conseguia pensar em no quanto o odiava e com toda a razão. Foram tantas promessas quebradas. prometeu que não a abandonaria, mas o fez, sem piedade. Logo com ela, que tanto havia feito por ele. Sua maior encorajadora para seguir adiante, sem a ajuda dela, jamais teria feito o teste para o musical e consequentemente não teria se tornado vocalista da Diamonds.
Sentir seu desprezo naquele dia no pub foi como sentir a pior das culpas, ainda maior do que a de quando foi preso por causa de Derek. A vida já tinha sido cruel demais, será que no meio disso tudo, ainda sobraria espaço pra felicidade? Tomara que sim.
parou de correr assim que avistou um rosto conhecido, então caminhou até a garota que estava sentada em um banco distraída.
- . – ele disse, sentando ao lado da garota.
Ela tirou um lado do fone do ouvido e encarou , estava surpresa que ele estivesse ali falando com ela depois de tê-lo tratado mal naquele dia no pub.
- Hm, oi. – ela respondeu baixo.
- Está bem? Parece assustada. – ele sorriu de lado.
- Estou, é só impressão sua. – ela riu da forma mais convincente que podia.
- Fico mais aliviado. Parece que a minha presença não te agrada... – fez uma pausa.
arqueou a sobrancelha em dúvida.
- Jura? – ela perguntou ironicamente.
- Nem parece que um dia fomos melhores amigos. - comentou.
– É como se não tivéssemos sido. - foi bem sincera e de certa forma não deixou chateado. – Não é como se você ainda fosse aquele garoto sonhador de Little Rock.
- E não sou. – enfim o encarou. – Mas você não pode me julgar somente pelo que vê por aí.
- Tarde demais pra refazer sua imagem, não acha? – ela rebateu, estava sem paciência para aquela conversa de .
- Você não acredita que pessoas possam realmente mudar? – ficou alguns minutos pensativa. Acreditava em mudanças sim, mas não daquele cara a quem ela carinhosamente chamava de babaca.
- Talvez eu esteja realmente errada e acredite: eu quero estar. E eu espero que você tenha mudado depois desse tempo na rehab, há pessoas que acreditam em você, sabe? Não as decepcione de novo – levantou e quando estava prestes a seguir o caminho sem olhar para , o garoto segurou em seu braço.
- Você é uma dessas pessoas? – ele perguntou esperançoso.
- Estou falando dos seus fãs. – ele murchou, mas ainda sim queria continuar aquela conversa. Havia tanto que queria saber, sentia saudades da melhor amiga e achava que ela deveria saber, ainda que não acreditasse.
- Ok. – levantou as mãos em redenção. – Mas agora falando de você, sei que veio pra cá em busca do seu sonho. Fiquei feliz de saber que você conseguiu convencer sua mãe de que seu sonho é importante, gostaria muito de te ajudar .
Ela parou subitamente. Não queria a ajuda dele.
- Eu realmente preciso ir , tenha uma boa vida e boa sorte. – seguiu caminho em passos rápidos. Olhou para trás vendo que permanecia no mesmo lugar, mas por um milésimo de segundo desejou que ele não tivesse desistido.

***


abre o coração sobre a rehab e o futuro da banda Diamonds

(24) vocalista da banda Diamonds após se envolver em um escândalo envolvendo Derek McGounouth (25), ficou internado três meses na rehab e agora prestes a voltar aos palcos com a Diamonds, o cantor falou sobre a sua recuperação e os planos para o futuro:
“Os dias que passei na rehab foram realmente muito úteis, só tenho a agradecer por todos que me ajudaram lá dentro e pra quem estava torcendo por mim aqui fora. E quanto ao que estar por vir, posso adiantar que em breve lançaremos um cd com músicas inéditas e daremos início a nossa turnê.”


- As pessoas deveriam odiá-lo! Cantorzinho de araque, eu não posso ter deixado ele destruir meu rosto por nada! – Derek esbravejava sob o olhar atento de Lindsey.
- já cumpriu com a parte dele no trato, Derek, você queria mais o quê? – a loira estava impaciente, não aguentava mais os ataques de fúria do namorado.
- Eu quero ver sem nada, entendeu? Quero esse cretino no fundo do poço! – Derek gritou, agarrando o braço de Lindsey que o olhou assustada.
- Você está me machucando, Derek! – ela gritou.
- E vou machucar mais se você não calar a porra dessa boca, entendeu? – o ator estava descontrolado.
- Você perdeu, Derek, sua tentativa de arruinar não deu certo! – Lindsey disse entre dentes, estava farta de toda aquela loucura.
- É só o começo, minha cara. Ou você acha que Derek MgGounouth desiste fácil do que quer? – ele riu com escárnio.
- Eu não vou fazer parte disso, Derek, não posso prejudicar de novo, tá me ouvindo? – ela gritou entre lágrimas.
- Você já me foi muito útil, Evans, seduzir você foi mais fácil do que pensei, sabia? Você só pensa em si mesma, nas vantagens que eu poderia te trazer, já que a imagem do merdinha estava sujando você também. Foi um prazer destruir o relacionamento ridículo de vocês, querida! – Derek praticamente cuspiu as palavras sobre a modelo que tentava absorver as palavras do ator. Como poderia ter sido tão burra?
- Foi você que mandou colocar drogas no carro do , não foi? – ela perguntou sem hesitar.
- FOI EU SIM, SUA ESTÚPIDA! Também sabotei aquele exame pra todo mundo pensar que estava drogado naquele dia. – Derek num acesso de raiva segurou a loira pelos ombros e a sacudiu. – E eu te proíbo de falar uma só palavra sobre isso, entendeu? Você não sabe do que eu sou capaz...
O cantor rapidamente retirou uma arma da cintura, deixando Lindsey horrorizada. Ele estava louco e sendo consumido pelo seu ódio.
- Eu não vou dizer nada, só me deixa ir embora, Derek, por favor... – a modelo implorou.
- Vai e some, sua vadia! E se eu sonhar que você contou sobre nosso segredinho pra alguém, eu mato você e o , entendeu bem? – ela juntou suas coisas rapidamente e saiu do apartamento batendo a porta. Mal podia acreditar no que estava acontecendo.
Derek odiava com toda a alma e esperava acabar com a sua vida, mas seu plano não tinha dado muito certo.
Atraí-lo até o escritório de Lindsey naquele dia havia sido mais fácil do que pensava, bastou mexer seus pauzinhos para que o seu encontro com a modelo saísse de imediato no maior site de notícias do mundo, sabia que em poucos segundos se espalharia e em algum momento chegaria em . Provocar o cantor até fazer ele perder a cabeça e ainda implantar drogas em seu carro havia sido melhor do que tirar doce de criança, fácil e torturante. Lindsey havia sido uma peça chave neste momento, seduzi-la e fazer com que ela terminasse com foi seu maior triunfo, sabia que a modelo era o amor da vida do cantor e perdê-la seria o começo da sua ruína. Mas parece ter voltado ainda mais forte, ainda ocupava seu lugar na banda e todos os holofotes ainda estavam sob ele, seria sorte ou força divina? Não saberia dizer, mas de uma forma ou de outra iria acabar com a raça dele.


Capítulo 4


Integrantes da banda Diamonds anunciam primeiro show para celebrar a volta de aos palcos
Acontecerá hoje a festa de máscaras organizada pelos integrantes da banda Diamonds. A festa é limitada apenas a amigos mais próximos, alguns jornalistas e fãs sorteados, além de uma coletiva de imprensa para revelar o futuro da banda com a volta de , a festa também contará com um show bem intimista da banda, e é claro que a nossa equipe estará presente para contar tudo nos mínimos detalhes. foi internado na rehab após o episódio de agressão ao ator Derek McGounouth, naquele dia estaria sob efeito de álcool e drogas.
Clique aqui para relembrar o caso em detalhes.


e estavam paradas em frente ao prédio onde aconteceria o show fechado da Diamonds, o movimento era intenso, muitos fotógrafos e entrevistadores posicionados a espera de grandes furos. De fato era o acontecimento do ano. A primeira apresentação de com a banda Diamonds depois da rehab. E estava lá, não sabia exatamente o motivo, mas estava. Se sentia uma intrusa por ali mesmo tendo recebido um convite especial.
- Vamos, ? – era a mais animada, não queria perder nenhum segundo daquela festa.
- Eu acho que não quero entrar, você se importa se eu voltar? – perguntou.
- Eu me importo sim. E se você não quiser que te veja é só colocar essa máscara, fofa. Garanto que você vai passar despercebida. Então agora vamos que o motorista não tem a noite toda –assim que as duas pularam para fora do carro vários flashs estouraram, alguns fotógrafos cochichavam entre si querendo saber quem eram aquelas duas.
- Droga! – reclamou, odiava ser o centro das atenções, enquanto fazia caras e bocas, aumentando ainda mais as evidências de que elas eram do mundo artístico. puxou para dentro, estava tonta com tantas luzes brancas disparadas em sua direção, queria se livrar daquilo.
- Puxa, fofa, eu estava adorando meus cinco minutos de fama, viu? – reclamou, ajeitando o vestido.
- Nós não somos famosas, por Deus! – ajeitou a máscara de forma que não pudesse ser reconhecida se encontrasse .
- Mas podemos ser, você estraga a brincadeira, resmungou.
- Fale por você, fofa! – a amiga ironizou.
olhou por entre os tantos convidados ali presentes e era quase impossível reconhecer qualquer pessoa, já que todos ou a maioria estava de máscara. A música alta ecoava pelo salão, um pop dançante que ela não conseguiria identificar agora, mas que a deixava com vontade de mexer o corpo. Decidiu que naquele momento precisava urgente de uma bebida.
- , eu vou até o bar. Você vem? – a amiga negou com a cabeça, estava desejando se jogar na pista de dança.
- Te espero ali perto do DJ, está bem? – concordou.
A garota atravessou o salão em direção ao bar, estava quente e a garganta estava seca. De longe avistou Luke e Spencer conversando com uma garota, mas nem sinal de . apoiou-se no balcão onde um bonitão mascarado a atendeu.
- Uísque. – ela disse, fazendo o mascarado rir.
- Bebida forte? – virou para ver de onde vinha aquela voz. Um rapaz alto, bem vestido e com uma máscara bem enigmática parou ao seu lado. Ergueu o copo em sua mão para cumprimentá-la.
- Só uma dose pra começar a noite, sabe como é, preciso me animar. – ela disse, encarando o desconhecido.
- Está gostando da festa? – ele perguntou.
- Não sei nem o que estou fazendo aqui, mas já que vim, tenho que aproveitar. – ele riu.
O barman entregou o copo para que ao virar, sentiu a bebida queimar sua garganta e fez careta. Ao seu lado, o garoto apenas observava com cautela.
- Você não costuma fazer isso, certo? – ela demorou alguns segundos para encará-lo.
- Puxa, pensei que tinha me saído bem, cara, você me pegou. – virou em direção contrária ao bar e estava prestes a sair andando quando o garoto segurou em seu braço.
- Seu nome? – ele perguntou curioso.
- . !
Ele parou. Então ela tinha mesmo aceitado seu convite, apesar de não ter a total certeza de que deveria estar ali.
- Fico feliz de ter aceitado meu convite, foi o único no qual eu escrevi com minha letra. Eu precisava que você viesse. – tirou a máscara, deixando atônita. Onde estava com a cabeça quando achou que não iria cruzar com em sua própria festa?
- Agradeço por isso, , foi muita gentileza da sua parte. – ela fez uma reverência. não conseguia tirar os olhos daquela garota, havia esquecido do quanto ela era linda e estava disposto a recuperar o tempo perdido.
- . – ele a olhou em dúvida. – Será que podemos conversar?
A garota hesitou, queria mesmo era sair correndo e voltar pra casa, mas não poderia fugir de a vida toda. E antes que ele desistisse, segurou em sua mão e o seguiu até a parte detrás do salão.
Depois de caminharem algum tempo em silêncio, e sentaram em volta da piscina, a área estava fechada para acesso dos convidados o que possibilitaria de conversarem sem serem interrompidos.
- Primeiramente eu quero te pedir desculpas por ter sido um babaca, eu fui um péssimo amigo desde que saí de Little Rock atrás do meu sonho e você estava certa em me ignorar. – foi o mais sincero possível, pois se fossem recomeçar, que fosse do jeito certo.
- Eu senti sua falta, . – o abraçou forte, queria absorver aquele cheiro do qual ela sentiu saudade todo esse tempo. – É muito bom estar aqui de novo com você.
- Eu também senti a sua, miss Little Rock. – ela riu. adorava a chamar por aquele apelido por causa de um concurso de beleza que havia participado quando era criança.
- ... – a expressão de ficou séria, iria entrar em um assunto um tanto delicado, mas precisava esclarecer todos os fatos com o amigo. – Você e as drogas, isso é real?
Ele respirou fundo antes de responder a pergunta da amiga.
- Eu realmente não sei como aquela porcaria foi parar dentro do meu carro naquela noite nem como o exame que fizeram para verificar se eu estava sob efeito de drogas deu positivo. Eu bebi além da conta sim, aliás, eu sempre bebi além da conta e você provavelmente viu inúmeras fotos minhas bêbado nas festas por aí, eu me tornei um idiota e não me orgulho disso, mas drogas nunca foi a minha praia. – tocou o rosto dele com a palma da mão, estava gelado devido o vento frio que os envolviam naquela noite.
- Você ama tanto a Lindsey a ponto de acabar com a sua vida desse jeito? – ela perguntou e sentiu como se tivessem dado um soco em seu estômago.
- Não sei se foi amor. – suspirou aliviada, não esperava ouvir algo que indicasse que amava aquela mulher. – Talvez desejo, paixão e carência. Lindsey entrou na minha vida em um momento que eu estava carente e eu me apaixonei pelo modo que ela cuidava de mim. Mas eu achei que Lindsey me transformaria em uma outra pessoa, mais centrado. Mas eu só piorei, eu tinha um ciúme doentio por ela, então eu me afundei cada vez mais. Só que agora eu percebi que eu poderia me arrepender no futuro, caso viesse a me casar com ela.
- Eu sinto muito por tudo, . – uma lágrima rolou pela rosto de , então a abraçou, não queria vê-la chorar.
- Já passou, tá? Está tudo bem agora, tudo o que passei nos últimos meses serviram para que eu quisesse ser alguém melhor e você está aqui comigo. Deus não poderia ter sido mais generoso.– ela o encarou novamente e encostou seus lábios gelados nos dele.
ficou surpreso com o ato, porém feliz.
- Você foi a única garota por quem eu senti amor, e eu me arrependo muito de ter te deixado pra trás. Minha vida poderia ter sido diferente, sabe? – o coração da garota estava acelerado, mal podia acreditar no que estava ouvindo. não a havia esquecido como ela pensou todo esse tempo. Ele a amava também.
- eu... – foi interrompida por vozes que se aproximavam e olhou por trás da menina para saber quem era.
- ! – Spencer parecia nervoso, mas riu divertido. – Eu mato você por fazer eu te procurar por quase vinte minutos. Freddie está uma pilha, precisamos ir pra coletiva, cara!
deu um tapinha de leve na cabeça, havia esquecido de tudo, inclusive do nervosismo pelo show.
- Vem comigo! – levantou puxando, pela mão e seguiram Spencer.
- Spencer, te apresento a garota miss Little Rock, ! – disse, deixando o amigo boquiaberto. – E , te apresento meu melhor amigo, Spencer !
- É um prazer. Mas quanto ao melhor amigos acho que teremos que conversar. – riu, dando um tapinha nas costas do amigo.

***


estava nervoso, era sua primeira coletiva depois da rehab e ainda que fosse uma festa fechada só para os amigos e alguns jornalistas, era como se fosse a primeira vez. Desabotoou o primeiro botão da camisa pois estava se sentindo sufocado demais, o local já estava cheio, muitas pessoas conhecidas vinham cumprimentar ele e os garotos.
- ! – Riley acenou para ele do outro lado do salão e caminhou até ele. - Tá nervoso, cara? – Riley riu da cara de desespero do amigo.
- Vai se catar, Clarke! – o cantor mostrou o dedo do meio para o amigo.
olhou em volta, estava procurando por e , haviam prometido que assistiriam a entrevista bem de perto.
- Quem foi o idiota que inventou essa festa de máscaras? – Spencer gritou, chegando perto de onde eles estavam, – Acabou com o meu visual!
- Cala a boca, Spencer, foram quatro votos a um, portanto enfia essa máscara nessa sua cara feia e aproveita a festa. – Riley disse, dando um tapinha nas costas do amigo.
- Alguém viu o Luke? – Spencer perguntou e todos negaram. – Eu vou verificar, temos apenas cinco minutos para nos posicionarmos no painel da coletiva.
- Luke está vindo, posicionem-se agora. – Freddie disse, surgindo ao lado deles.
seguiu para o painel com Riley, Spencer e Luke em seu encalço. Vários fotógrafos e jornalistas já estavam posicionados em seus respectivos lugares para entrevistá-los, a platéia composta por amigos e poucos fãs sorteados para prestigiar a banda gritava enlouquecidamente. Assim que os garotos sentaram nas cadeiras direcionadas a eles, as luzes do local de apagaram por completo, deixando todos os presentes sem entender o que estava acontecendo.
- Alguém pode me dizer o que tá rolando? – Luke gritou em meio ao falatório, mas ninguém ali sabia explicar.
De repente, apenas uma luz se acendeu focando em , que tentava a todo custo enxergar algo a sua frente. No telão atrás dos garotos, uma imagem apareceu, parecia ser uma gravação clandestina. ficou surpreso ao ver Derek e Lindsey nas imagens.

- As pessoas deveriam odiá-lo! Cantorzinho de araque, eu não posso ter deixado ele destruir meu rosto por nada! – Derek esbravejava sob o olhar atento de Lindsey.
- já cumpriu com a parte dele no trato, Derek, você queria mais o quê? – a loira estava impaciente, não aguentava mais os ataques de fúria do namorado.
- Eu quero ver sem nada, entendeu? Quero esse cretino no fundo do poço! – Derek gritou, agarrando o braço de Lindsey que o olhou assustada.
- Você está me machucando, Derek! – ela gritou.
- E vou machucar mais se você não calar a porra dessa boca, entendeu? – o ator estava descontrolado.
- Você perdeu, Derek, sua tentativa de arruinar não deu certo! – Lindsey disse entre dentes, estava farta de toda aquela loucura.
- É só o começo, minha cara. Ou você acha que Derek MgGounouth desiste fácil do que quer? – ele riu com escárnio.
- Eu não vou fazer parte disso Derek, não posso prejudicar de novo, tá me ouvindo? – ela gritou entre lágrimas.
- Você já me foi muito útil Evans, seduzir você foi mais fácil do que pensei, sabia? Você só pensa em si mesma, nas vantagens que eu poderia te trazer, já que a imagem do merdinha estava sujando você também. Foi um prazer destruir o relacionamento ridículo de vocês querida! – Derek praticamente cuspiu as palavras sobre a modelo que tentava absorver as palavras do ator. Como poderia ter sido tão burra?
- Foi você que colocou aquelas drogas no carro do , não foi? – ela perguntou sem hesitar.
- FOI EU SIM, SUA ESTÚPIDA! – Derek num acesso de raiva segurou a loira pelos ombros e a sacudiu. – E eu te proíbo de falar uma só palavra sobre isso entendeu? Você não sabe do que eu sou capaz...
O cantor rapidamente retirou uma arma da cintura deixando Lindsey horrorizada. Ele estava louco e sendo consumido pelo seu ódio.
- Eu não vou dizer nada, só me deixa ir embora, Derek, por favor... – a modelo implorou.
- Vai e some sua vadia! E se eu sonhar que você contou sobre nosso segredinho pra alguém, eu mato você e o , entendeu bem? – ela juntou suas coisas rapidamente e saiu do apartamento batendo a porta. Mal podia acreditar no que estava acontecendo.
- Eu vou ferrar com a sua vida , vou tomar seu lugar na banda e tudo o que é seu! – Derek gargalhou. – Eu roubei aquela vadia de você, foi tão fácil fazer você vir até mim e fazer aquele estrago. Você é tão tolinho!


A imagem foi pausada e as luzes acenderam novamente. continuava a encarar o telão como se buscasse explicações para aquelas imagens. Quem teria colocado aquilo ali? Estava furioso, queria achar Derek McGounouth e acabar com a vida dele.
- , você tá bem? – Riley segurou o amigo que estava prestes a explodir.
- Esse filho de uma puta acabou com a minha vida, como eu deveria estar agora? – rapidamente se viu cercado pelos amigos e jornalistas que gritavam palavras desconexas em sua mente.
- Boa noite, pessoal, peço a compreensão de todos neste momento pois iremos apurar os fatos, portanto peço que aguardem aqui no salão pois a qualquer momento voltaremos com a nossa programação normal. – Freddie anunciou enquanto uma equipe de seguranças conduzia os membros da banda até uma sala reservada.
e observavam a cena de longe, estavam petrificadas com tudo o que tinham acabado de ver e ouvir, todo esse tempo era uma armação e pagou bem caro pelas mentiras daqueles dois.

Flashback on
estava sozinho em seu quarto, o silêncio era desesperador e cada segundo que se passava parecia uma eternidade. Tinha a sensação de que as coisas lá foram estavam indo bem sem ele. E deveriam estar.Pensava a todo momento no quanto queria estar em turnê fazendo o que mais gostava e lhe dava prazer: cantar.
- ? – ouviu uma batida na porta e alguém chamar pelo seu nome.
- Pode entrar. – respondeu deixando o seu caderno de anotações de lado.
A ruiva bem vestida e gentil adentrou com um sorriso no rosto deixando o garoto aliviado, era o terceiro encontro com q psicóloga desde que chegara por ali. Era confortante conversar com alguém real, porque já estava cansado de debater com a sua própria mente.
- Como se sente hoje? – Lis perguntou, se acomodando na poltrona ao lado da cama de .
- Melancólico. – ele pegou o caderno do criado mudo, abrindo na página que havia rabiscado minutos atrás.
- Você tem escrito músicas novas? – ele hesitou um pouco. Pensou se deveria falar sobre aquele assunto, mas talvez ajudasse a aliviar aquele sentimento de culpa que sentia.
- Alguns rabiscos talvez. Mas um em especial: a garota de Little Rock. – ele sorriu involuntariamente. Era assim que acontecia sempre que lembrava de .
- É alguém do seu passado? – ela quis saber.
- Minha melhor amiga. Ou pelo menos era, deixamos de nos falar um pouco depois que cheguei em Nova York. Eu me perdi nessa ilusão de fama, dinheiro e glamour, eu mudei e ela tinha toda a razão. Mas eu nunca a esqueci e agora mais do que nunca tenho pensado que eu gostaria de tê-la aqui, sabe? Sei que devem estar falando coisas horríveis a meu respeito e eu queria me explicar... Você acha que eu deveria procurá-la quando sair daqui? –Lis o encarou, era a primeira vez que perguntava algo, sempre apenas respondia as perguntas feitas por ela.
- Qualquer ação que faça você se redimir com seu passado será válida . Lembre-se: você está aqui pra limpar a mente e consequentemente se tornar alguém melhor, de quem você, principalmente, irá se orgulhar. Você está disposto a recomeçar? – Lis fez uma anotação em sua prancheta, voltando sua atenção ao garoto sentado na cama.
- Estou disposto. Quero minha vida de volta Lis e eu sei que posso ser alguém melhor. – ele respondeu pegando o violão que estava encostado na parede, posicionando-o em sua perna.
- Ótimo. Era isso que eu gostaria de ouvir. – Lis sorriu, o encorajando para prosseguir.


Eu te devo um pedido de desculpas
E eu irei fazer
Só não pense que é fácil, oh garota
Mas eu iria até o fim por você

Eu quero recuperar o tempo perdido
Mas tenho medo de você fugir
Eu sei quem eu me tornei
E não me orgulho disso
Me dá uma chance? Oh garota

Eu vou te escrever canções
Eu vou te declarar ao mundo
Porque seu amor me fez forte
E eu penso em você a cada segundo

Oh querida garota de Little Rock
Eu iria até o fim por você
Flashback off

andava de um lado para outro impaciente, esperava por notícias de quem havia divulgado aquele vídeo sórdido antes da coletiva, queria se pronunciar ao público e finalmente se livrar daquela culpa maldita que carregava com si.
- Ao que tudo indica Lindsey esteve aqui. – Freddie entrou na sala chamando a atenção dos presentes. – Ela se passou por assessora de vocês e entregou o material na cabine de som e vídeos dizendo que era um vídeo que deveria ser exibido antes da entrevista.
- Essa desgraçada não podia jogar essa bomba e sumir assim, Freddie, precisamos achar a Lindsey agora! – estava inquieto, não iria sossegar até esclarecer todos os fatos.
- E não vou. – a modelo surgiu na porta deslumbrante num vestido vermelho decotado que marcava suas belas curvas, deixando todos perplexos. – , desculpe estragar a festa, mas eu precisava desmascarar o Derek.
- Lindsey haviam outras formas de você fazer isso, poderíamos ter ido na delegacia e entregar essa filmagem. O que Derek fez foi absurdo demais, pagou caro pela loucura dele e você o ajudou. –Spencer se pronunciou e todos concordaram.
- Eu não sabia, mas desconfiei quando Derek começou a ficar fissurado em quando ele saiu da rehab, por isso instalei uma câmera no quarto do Derek e consegui uma confissão. – ela se aproximou de que a olhava com um certo desprezo. – E eu só divulguei aqui por causa das ameaças dele, imaginei que se isso viesse a público, talvez o Derek não fizesse nada contra você.
- Derek acabou comigo, Lindsey, foram três meses longe da minha vida, dos meus amigos e dos meus fãs por um capricho ridículo do seu namoradinho. – segurou o braço da garota, quase fazendo ela tombar pra trás. – ME DIZ PORQUE!
Luke e Riley seguraram o amigo a fim de conter suas emoções, não poderia perder a cabeça diante dos fatos.
- Você fez Derek perder o papel no musical do The Rock, não propositalmente, é claro. Mas você é autêntico , tem brilho próprio, lógico que ia conseguir o papel principal e além disso, Charles McGounouth, diretor do musical e pai de Derek, te abriu todas as portas e praticamente viu em você o filho que Derek nunca foi. E ainda, depois daquele sucesso todo com o musical, você foi chamado pelos seus amigos de banda pra ser vocalista da Diamonds quando Noah saiu, esse era o sonho de Derek. – estava surpreso assim como todos que ouviam Lindsey esclarecer os fatos. Então era isso?
- Que história mais maluca. Derek não é ator? – Luke perguntou ainda sem entender.
- Sim. Mas Derek almejava a carreira de cantor. A carreira que construiu com muita personalidade. – Freddie estava embasbacado, queria ele mesmo colocar as mãos naquele idiota.
- Isso parece história de novela! – Riley riu, recebendo olhares sérios dos amigos. – Ok, é bem trágico. Mas não da pra negar que Derek é um babaca!
- Eu quero me desculpar por toda essa confusão, a cópia das imagens estão aqui. Você pode limpar sua imagem agora, . – a modelo entregou um pen drive nas mãos do garoto.
- Obrigado, Lind, de verdade. Você fez o que era certo e apesar de tudo eu te agradeço. – beijou a bochecha da garota.
- Bom, garotos, se me permitem dizer, tem uma festa rolando lá fora e convidados esperando uma explicação. Estão preparados? – Freddie olhou no relógio, fazendo sinal para que os garotos o seguissem.
tinha muito o que dizer naquela noite, só não imaginava que de novo, Derek faria o rumo da história mudar, só que agora, pra bem melhor.


Capítulo 5


Dois meses depois...

Estúdio Love Music
, o que você sentiu naqueles meses confinado na rehab?

: Medo, principalmente. De sair e não encontrar meus amigos e meus fãs, de ter que pagar um preço caro pelo meu erro de ter agredido Derek a ponto de quase matá-lo. Me senti só em alguns momentos, mas encontrei algumas pessoas lá em quem pude confiar.

Em algum momento vocês pensaram em tirar da banda?
Riley: Jamais. Sabíamos que seria um período difícil, mas estávamos certo de que voltaria e daria o seu melhor.
Spencer: é nosso garoto prodígio, você acha mesmo que continuaríamos sem ele?
(a platéia riu)

O novo cd é quase todo composto por músicas escritas por , inclusive Trough With You, dueto com , ela muito diz a respeito do seu relacionamento anterior?
: Minhas composições costumam dizer muito sobre mim, gosto de escrever sobre todas as situações pelas quais já passei. Trough with you foi escrita quando eu estava na rehab, eu ainda estava ligado a ela, mas sabia que ela estava com outra pessoa e era assim que eu me sentia, cansado.

Em uma parte da música diz algo como “eu liguei pra saber que estou cansado de você, estou cansado de você...”, você realmente fez isso ?
(a platéia riu)
: Eu fiz (ele gargalhou). Em algum momento eu fiz. Bom, minhas canções costumam ser bem reais, vocês sabem.
Spencer: É, ele fez. E eu estava com ele, eu o encorajei.
Luke: Eu não acredito que vocês fizeram isso. (Luke estava incrédulo)
Riley: Porque vocês nunca me convidam pra esses momentos?

Em poucos dias a Diamonds entra em turnê. O que vocês esperam desse show?
Riley: Muitos gritos, estamos com saudades.
: Pra mim é como se fosse um reencontro, com meus amigos no palco e com nossos fãs. Espero que estejam com nosso setlist na ponta da língua, iremos cantar muitas músicas do novo cd.
Spencer: Muito agito e principalmente muito amor. Passamos muito tempo sem encontrar nossos fãs, então, estamos cheios de amor pra dar!
Luke: Chocolates e muitas cartas!

Podem falar algo sobre o show de abertura da turnê?
Luke: é uma cantora incrível que irá abrir nossos shows dessa turnê, estamos trabalhando com ela a pouco tempo, mas ela esta se saindo bem.
: e eu temos uma história muito parecida, ambos viemos de Little Rock em busca de um sonho, somos melhores amigos e apesar de termos nos afastado por um tempo, reencontrá-la foi muito gratificante. Desde quando cantamos juntos na festa de máscaras, as pessoas não param de perguntar sobre ela, então decidimos chamar para trabalhar em nossa gravadora, então, por uma decisão conjunta, decidimos que ela iria abrir nossos próximos shows.
Riley: É um talento nato, vocês vão amar o que vem por aí.

Eu quero agradecer a vocês pela participação aqui no Love Music, desde o início estamos acompanhando a carreira de vocês e nós só temos o melhor a desejar. E voltem logo viu?
: Nós é que agradecemos o carinho e compreensão, você é incrível Lexie, uma grande amiga.
Luke: Você é muito fofa e eu amei seu cabelo verde.
Riley: Obrigado pelo carinho e pelo espaço.
Spencer: Tá livre hoje a noite? (risos no estúdio) Hum, brincadeiras a parte, muito obrigado por tudo. Nos veremos em breve.


sorriu, mal podia acreditar que o que estava acontecendo era mesmo real. Depois que Lindsey havia desmascarado Derek as coisas finalmente voltaram ao lugar de onde nunca deveriam ter saído. As pessoas enfim acreditaram que , apesar dos escândalos, não usava drogas e que Derek armou tudo nos mínimos detalhes para que pudesse perder a cabeça e partir pra agressão. Derek foi processado, condenado a prestar serviços comunitários e obrigada a ressarcir o dinheiro que Freddie pagou a ele para que retirasse a queixa contra . Mas o pior mesmo foi ter a sua carreira interrompida precocemente, afinal de contas ninguém queria ter a sua imagem ligada a de um psicopata feito ele. Já Lindsey, recebeu uma proposta irrecusável para trabalhar no Brasil, em uma agência no Rio de Janeiro.
ainda estava trabalhando no pub com Dylan, mas sem deixar de lado os estudos para conseguir entrar no curso de moda. E , bem, a garota estava prestes a realizar o maior sonho da vida dela, sair em turnê com a banda Diamonds. Tudo havia acontecido rápido demais, mas estava feliz e grata por tudo. Desde o dia em que , seu melhor amigo, quase implorou para que subisse no palco e cantasse sua música favorita, as coisas começaram a acontecer. Entrou em estúdio para gravar algumas versões de músicas já famosas e inéditas, que ela mesma havia escrito. Mas um em especial, ela havia guardado, não sabia se deveria mostrar a um dia, pois a canção falava sobre ele.
Talvez o jantar de hoje fosse a ocasião certa para isso, então antes de colocar a travessa de lasanha no forno, a garota correu até o quarto para escolher o que vestir.

Uma hora mais tarde, enquanto comiam sentados na sala, e conversavam animadamente sobre a entrevista no programa de Lexie.
- Eu sempre assisto enquanto cozinho e hoje não foi diferente. – disse servindo-se de vinho.
- O que você achou da entrevista de hoje? – perguntou animado.
- Vocês me pareceram mais maduros. Sabe, tudo o que aconteceu mudou vocês de certa forma e eu achei bem legal a forma que cada um encarou tudo isso. – a garota sorriu sincera.
- E sobre você? – ele perguntou fazendo abrir o maior sorriso.
- Tá brincando? Eu achei o máximo! Ver vocês falando de mim e me elogiando... Eu vim pra cá atrás de um sonho, mas não imaginei que ele se realizaria assim, tão rápido. – ela levantou pegando o prato das mãos de e levando até a cozinha.
- Você é talentosa, , eu sabia que o dia que ouvissem você cantar, as pessoas iriam adorar. – seguiu a menina dando um beijo estalado em sua bochecha.
- Tem uma coisa que eu quero te mostrar. Senta aí, vou pegar o violão e já volto. – ele concordou voltando para a sala, estava curioso.
sentiu o coração disparar, estava nervosa, era uma música especial, afinal de contas. Pegou o violão em cima da cama e voltou para a sala. Sob o olhar atento de , abriu o caderno de composições e dedilhou algumas notas antes de começar.

Será que o tempo é capaz de apagar
o que restou de nós dois?
Será que um dia eu consigo seguir
sem pensar no que poderia ter sido?
Oh amor, me deixe ir
Oh amor, não me assombre mais

Arrumei as malas, estou indo pra New York
Dizem que é onde tudo acontece
E se eu te encontrar, terei coragem de dizer?
Que a sua ausência me machuca
Mas a dor que você me causa
Não é páreo pra saudade que eu sinto

Me pegue nos braços e diga que está tudo bem
Que dessa vez vai ser pra sempre
E que juntos iremos longe
Oh amor não me deixe ir
Jamais


esteve atento a cada palavra, sem dúvidas havia escrito para ele. Não sabia o que dizer, então sorriu e a puxou para um beijo.
- Você gostou? – perguntou em dúvida.
- É incrível. Deveríamos gravar em estúdio, sabia? – ela concordou.
- Fiquei em dúvida se deveria te mostrar ou não, afinal, fala sobre você. – ele riu.
- Garota de Little Rock fala sobre você e eu fiz questão de incluir no cd!
- Mas as pessoas estão dando mais importância para Trough With You, que foi escrita pra Lindsey. – fez careta, odiava ouvir aquela música idiota.
- Pelo fato dela ser um dueto com , o cara é um mito da música. E porque as pessoas conhecem a minha história com a Evans. Chega a ser cômico, sabia? Acho que as pessoas se identificaram com o fato de levar um pé na bunda. – gargalhou. – Garota de Little Rock vai virar single, sabia?
A garota corou, ele estava mesmo falando sério?
- Jura? – ela se jogou em cima de , fazendo com que o garoto caísse do sofá a puxando consigo.
- É a letra mais verdadeira que eu já escrevi. Preciso que o mundo saiba que meu coração pertence a uma certa garota de Little Rock, porque ela é a minha maior inspiração. – olhou fundo nos olhos de , podia sentir as batidas do coração da menina contra seu peito. Se sentia o homem mais sortudo do mundo naquele momento.
- Obrigada. – ela disse, distribuindo beijos pelo rosto do garoto fazendo ele sorrir. – Por ser o melhor .
- Garota de Little Rock, quer namorar comigo? – sorriu, piscou algumas vezes para ter certeza de que aquela cena era real, até lhe dar um beijo e tirá-la do transe.
- Só se você prometer que agora é pra sempre...
- Pra sempre!
Naquele momento não havia nada que fizesse pensar que quebraria sua promessa, mesmo com todos os contratempos, a vida deu um jeito de mostrar que tudo o que é verdadeiro permanece.

Eu vou te escrever canções
Eu vou te declarar ao mundo
Porque seu amor me fez forte
E eu penso em você a cada segundo

Oh querida garota de Little Rock
Eu iria até o fim por você


***


Um ano depois...

Diamonds ganha o prêmio de melhor música e melhor banda no MTV Awards

Na noite de ontem (16) em Los Angeles aconteceu uma das maiores premiações do mundo: MTV Awards. Muitos artistas concorreram a várias categorias, entre elas, Justin Timberlake como melhor cantor e como cantora revelação. Mas o destaque da noite foi para a banda Diamonds que levou dois prêmios, sendo eles: melhor música para Garota de Little Rock, música escrita por para sua namorada e melhor banda, que até então é a categoria destaque da premiação.


anuncia turnê mundial
A cantora revelação , revelada no ano passado pela banda Diamonds, anunciou hoje em sua coletiva de imprensa a sua primeira turnê internacional que passará por dez países. Após cumprir a agenda de divulgação do seu primeiro cd, a cantora revelou que está ansiosa para fazer shows pelo mundo todo. falou também sobre o seu relacionamento com o cantor : “Estamos bem, cheios de planos pro futuro e compondo juntos. Vou sentir saudade de , mas prometemos nos falar todos os dias pelo telefone”.

e estão morando juntos, afirmam fontes confiáveis
O casal sensação do momento e também cantores, foram vistos saindo de um condomínio de luxo em Manhattam. Fontes seguras afirmam que o casal acabou de comprar uma mansão no local e já teriam se mudado. Assessores de ambos os artistas confirmaram a informação dizendo que e estão muito felizes.

e anunciam noivado
Há seis meses morando juntos, os cantores e reuniram os amigos mais íntimos em sua mansão na noite de ontem para oficializar o noivado. Com vestido deslumbrante desenhado e confeccionado por sua melhor amiga , recebeu de um anel de diamantes avaliado em 100 mil dólares. O casal disse em entrevista a revista Glamour que estão felizes e que pretendem subir ao altar em breve. acaba de lançar uma música em parceria com a cantora Camila Cabello.


Fim.



Nota da autora: Ufa. Sobrevivi ao prazo final pra emtrega do ficstape... Confesso que sou uma autora desnaturada que mesmo com um prazo de dois meses, só começou a escrever com uns 6 dias antes do prazo final. Bom, desde já quero me desculpar se a fic não ficou tão boa (como eu esperava) e vocês que curtem a música Trough With You e em minha defesa eu digo que: é a minha primeira fic finalizada e postada no site, então relevem ta? Hehehe Eu sei que vai faltar cenas e eu realmente queria contar cada detalhezinho desse casal que eu já amo, mas quem sabe se vocês gostarem, eu não escrevo uma segunda parte? Enfim. Obrigada se você leu até aqui e lembrando que críticas construtivas são sempre bem vindas! Até a próxima 
Com amor, Ray.

Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.


comments powered by Disqus