Última atualização em: 10/09/2019

Epílogo

me mandou mensagem com um endereço pedindo para que eu fosse pega-lo numa festa. Meu querido irmão estava me pagando para ser sua motorista e devo acrescentar que me pagava muito bem. Entrei na festa procurando por ele. estava sendo segurado por dois caras enquanto ele bebia cerveja. Nossos olhares se encontraram e ele acenou completamente feliz, o conhecendo era simplesmente a bebida falando. Fiquei procurando pelo banheiro, enquanto meu irmão conversava com dois amigos. Eu era a estranha em uma festa que a única pessoa que eu conhecia era e sentar no banheiro durante festas apenas para ver o tempo passar ou fugir de tudo era a minha coisa.
- Gostei da sua t-shirt - comentou um cara assim que eu entrei na cozinha.
Opa, lugar errado.
Olhei para minha t-shirt do Venom reparando que ela era bonita mesmo.
- Obrigada – olhei para ele pela primeira vez e quase que eu perdi o fôlego.
Era bonito, tão bonito.
Meu coração bateu forte e resolvi ignorar aquelas batidas frenéticas.
- Acho que somos inimigos – ele comenta apontando para a sua t-shirt do homem aranha.
- O Venom é mais legal – digo o fazendo rir.
- O Peter é mais inteligente – ele comenta me fazendo assentir.
- Chris Hemsworth – ele estende as mãos e as aperto sentindo o seu toque firme.
- – digo dando um sorriso.
Ficamos conversando o restante da festa, Hemsworth era tão engraçado que eu passei a maior parte do tempo rindo sem parar.
- Hemsworth, pare de dar em cima da minha irmã – comentou irritado com as duas mãos apoiadas sobre o seu corpo.
- Vocês se conhecem? – pergunto sem acreditar.
Que mundo pequeno!
- Claro que sim, irmãzinha, somos melhores amigos – ele dá um tapinha nas costas do amigo me fazendo soltar um suspiro tristemente. - Ela é proibida.
- Eu estou aqui, cabeça – comentei irritada revirando os meus olhos.
- Relaxa, , sua irmã é como uma amiga para mim – Hemsworth responde se afastando.
- Fique longe dos meus amigos – ele me avisa.
- Se forem todos babacas como você, não vai ser difícil – respondo irritada.
- Vi o jeito como olhaste para ele – ele dá uma pausa. - Então nem pense em se apaixonar por ele - me avisa, reviro os meus olhos.
- Vamos logo que tenho aula amanhã cedo, cabeça.
Eu havia seguido o que eu prometera ao até o meu caminho cruzar com duas certas pessoas duas semanas depois, quando minha vida estava em um puro caos. Poderia ser pior, é claro, porém naquele dia, parecia que o mundo me odiava. Eu havia sido expulsa da minha fraternidade após minhas supostas irmãs terem descoberto que todas elas haviam caído no encanto de . Uma semana era o prazo que eu tinha e no meio do semestre ficava complicado arranjar um lugar decente para morar.
Passei duas horas tentando convencer minha mãe a alugar um apartamento para mim, mas a única coisa que ela aceitou foi que eu dividisse o flat com , o lugar que ele levava as suas vítimas. É claro que o meu irmãozinho fez um pequeno escândalo se negando a me receber, garantindo que ele não tinha nada a ver com o fato de que eu fora expulsa por seus atos vergonhosos.
Apesar de ser o irmão mais velho, meus pais o tratavam como se ele fosse o mais novo. As responsabilidades sempre acabavam sobrando para mim e dessa vez não seria diferente. Meus pais concordaram em ajudar a pagar um novo local, se eu arranjasse um emprego para demonstrar o quão responsável eu sou. Não tive outra saída a não ser aceitar, é claro. Passei a manhã toda jogada na cama comendo besteiras com música super alta, sem me importar com o que as chatas irmãs iriam pensar, procurando casas vagas perto do campus no jornal da UCLA. Eu tinha encontrado três lugares vagos dentro do orçamento dado pelos meus pais que eu poderia pagar sendo que um havia acabado de ser alugado, o segundo havia sido fechado por vendas ilícitas, sobrando assim a última casa que parecia um sonho.
Eu liguei marcando um encontro e havia conhecido o lugar. Era um casa típica de L.A grande, perto da praia, com uma casa de hóspedes perto da piscina. O meu quarto seria uma suíte e eu conseguia me imaginar em cada canto daquela casa. Só tinha um porque: eu precisava dividir o apê com três caras.
Roupas espalhadas por todos os cantos do meu quarto, pacotes de snacks abertos jogados no chão junto com latas de coca-cola, calças, pijamas, blusas, saias e um monte de comida acumulada em meu quarto. Estou vestindo a calça de um pijama e uma t-shirt larga velha cheia de furos que eu encontrara em meu armário, se minha mãe visse essa cena ela teria um ataque com certeza. Começo por atirar tudo em um cesto e coloco todo o lixo em saco de plástico enquanto Cage The Elephant está tocando em meus fones numa tentativa de simplesmente me isolar do mundo.
A lavanderia estava livre por passar das oito da noite. Há apenas dois caras que parecem demasiados entretidos em seus celulares para se preocuparem comigo. Deslizo as moedas ligando as máquinas de lavar me sentando vendo as roupas cheias de detergente virarem.
A porta se abre e dois caras entram rindo.
- ? – me viro encontrando um par de olhos azuis me fitando com um sorriso em seus lábios. O garoto do seu lado parece me estudar. - Não sei se você se lembra de mim, mas sou amigo do seu irmão – mordo os meus lábios me lembrando do nosso breve encontro quando eu fora pegar na festa mês passado.
- Oi, Peter Parker – eu digo sorrindo.
- tem uma irmã? Porque só estou descobrindo isso agora? – o seu amigo pergunta confuso - Sou Evans!
- Ah, meu irmão é um idiota – reviro os meus olhos e eles riem. - , prazer.
Nesse momento estou me amaldiçoando por ter vestido a pior roupa do meu armário.
- Mais educada que , com certeza – Evans diz abrindo um sorriso. – Chris e eu achamos que você deveria aparecer na festa que estamos organizando.
- É mais uma reunião com uns amigos – Chris diz com sorriso em seus lábios.
- Uma reunião divertida – Evans me garante se apoiando sobre os ombros do amigo que era visivelmente mais alto.
- Eu estou muito cansada – dou um sorriso e os dois ficam desapontados. – Obrigada pelo convite, meninos, fica para outro dia.
- Me passa seu número que eu chamo você para a próxima festa – assinto que sim, Evans se vira para o amigo. – Estou sem o meu celular, aponta aí cara.
- Quando você está com ele? – Chris reclama me fazendo rir. – Aqui, – ele estende seu celular e gravo o meu número em seu celular.
- Foi bom conhecer você, – Evans diz sorrindo. – Vê se não some.
- A gente se vê por aí, – Chris se aproxima despejando um beijo em minhas bochechas antes de desaparecer pela porta, seguindo o mesmo caminho que o amigo. Mordo os meus lábios encarando a porta agora vazia e dou um suspiro pesado abanando a minha cabeça. Chris mexia com qualquer mulher em sua sã consciência. Peguei em meu celular digitando uma mensagem para Chad.
“Quando posso me mudar?” – .


Um

Desço o morro tentando manter a minha respiração calma acompanhando os passos de Evans, sentindo o sol queimar a minha pele. Ele para e vira me encarando com um sorriso debochado em seus lábios. Quero socá-lo por ser tão irritante e fofo ao mesmo tempo. Todas as manhãs corríamos a mesma trilha perto de casa, era algo que já havia se tornado uma tradição. Quando não tínhamos tempo para correr durante a manhã, deixávamos a nossa corrida para o final da tarde. Era engraçado o quão próxima eu acabara ficando dos amigos de , opa meus amigos agora (não dependendo do meu querido irmão, é claro). Eu acabei dividindo o apê com os amigos de , coisa que eu fui descobrir depois de assinar o contrato, a contragosto do mesmo.
- Você precisa correr mais vezes – tem um sorriso divertido brincando nos lábios de Evans.
- Como você consegue ficar como se não estivesse fazendo nada? – pergunto recuperando a minha respiração aos poucos.
- Eu amo correr, – ele dá de ombros.
- Você tem tempo pra café da manhã? – ele pergunta olhando para o seu relógio em seu pulso. Me aproximo dele e vejo que eu apenas tinha tempo de tomar um banho e sair correndo para a aula. Depois da aula eu teria que correr para o meu estágio.
- Não – digo triste. - Se eu não me apressar, eu me atraso.
- Achei que você sempre se atrasasse - Evans está parado com as mãos em seu peito e eu reviro os meus olhos.
Sim, eu sempre me atrasava, mas eu juro que não é propositalmente. Na maior parte das vezes eu atrasava porque não ouvia o meu despertador. Entro logo após o Evans e nos despedimos com um aceno. Eu corro para o meu quarto e quando abro a porta do meu banheiro, vejo que o mesmo está trancado.
- Hemsworth – digo o seu nome e bato na porta do banheiro com mais força.
- , já estou saindo – ele grita dentro do banheiro. Acredito que ele não vai sair assim tão cedo.
- Por que você está usando o meu banheiro quando você tem o seu? - pergunto quando não ouço mais o barulho do chuveiro.
- Não está saindo água quente no meu banheiro – ele diz e eu reviro os meus olhos.
- Você poderia usar do Evans – estou mordendo os meus lábios impacientemente.
- Seu banheiro é mais arrumado – Hemsworth abre a porta apenas de toalha.
Encaro primeiro os seus pés e subo lentamente por seu corpo, chegando até ao seu rosto, ele tem um sorriso irritante em seus lábios que me faz ficar com raiva. Me sinto tentada a apreciá-lo mais uma vez, tem gotas de água em seus peitos largos e convidativos e fecho os olhos ignorando a bela visão na minha frente.
Hemsworth tinha aquela beleza que pedia para ser apreciada com calma.
- Desculpa a demora, kiddo – ele dá um sorriso amigável e morde os lábios.
- Tá desculpado, Hems, agora se você me der licença, eu vou tomar banho senão chego atrasada no trabalho.
- Quer carona? Eu saio em 15 min – eu queria poder dizer não.
Por quê? Porque Hemsworth me deixa nervosa.
- Sim, seria ótimo.
- Te vejo daqui a pouco – ele sai e eu começo a tirar a roupa.
Eu dividia o meu apê com três caras. Chris Evans, Chris Hemsworth e Chadwick Boseman, que estava visitando a família. Por que viver com três caras?
Eu não faço a mínima ideia, a verdade é que eu não mudaria nada disso. Viver com os meninos era a melhor coisa que havia acontecido comigo ultimamente. Hemsworth era o cara que mais me tirava do sério, mas ele sabia ser um fofo quando queria. Eu raramente o via pois ele vivia mais com a namorada do que outra coisa. Evans era o meu puxa saco, passámos tanto tempo juntos que somos bastante amigos. E Boseman era o cara divertido que sempre tinha os melhores conselhos. Tomei um banho rápido e coloquei uma calça jeans surrada, camisa branca e uns ténis brancos. Deixo os meus cabelos secarem naturalmente. Quando desço, Hemsworth está tomando café e mexendo no celular.
- Vamos? – pergunto assim que os nossos olhares se encontram.
- Claro – ele pega no molho de chaves e eu saio na sua frente. Hemsworth nunca estacionava o carro na garagem. Ele dizia que era uma questão de prática, mas era de preguiça.
- Não fica muito à esquerda você me deixar na revista? Eu não quero te dar muito trabalho.
- Você nunca me dá trabalho – ele destranca o carro e eu entro logo a seguir sem dar tempo de ele abrir a porta mim.
- Fiz chá pra ti – em suas mãos estava uma caneca, arqueio as sobrancelhas me sentindo confusa.
- Ah, não precisava – digo nervosa.
- De nada, kiddo.
Hemsworth entra no carro e liga o motor nos tirando de casa. Eu bebia o chá de erva doce e pelo sabor mais adocicado, eu cheguei a conclusão de que ele usou as ervas para realmente fazer o chá. Eu olhava alguns e-mails e respondia o que tinha que ser respondido no trabalho.
- Como anda o estágio? – Hemsworth perguntou depois de uns minutos de silêncio. Eu estava cursando o último semestre da universidade, sendo que eu havia feito todas as aulas presenciais e deixado o estágio por último.
- Correndo bem, mas sendo cansativo. E o seu trabalho? – pergunto.
- Não tenho muito para reclamar – ele dá de ombros. Hemsworth e Evans eram donos de um dos mais badalados restaurantes de L.A, segundo o US WEEKLY “The Duo é o lugar mais perto de te levar ao paraíso. A atmosfera é como um sonho e a comida é divina”. Boseman era publicitário e trabalhava em uma das mais conceituadas empresas do ramo. Eu? Eu estagio na revista Betches. Não era a Vogue, Cosmo ou Marie Claire, mas era a revista do meu coração. Hemsworth e eu ficámos conversando mais um pouco até ele parar o carro perto do meu edifício.
- Obrigada pela carona.
- Não precisas agradecer – ele pisca os olhos e eu senti algo derreter em meu peito. - O quê?
- Não consigo tirar o cinto – digo em resposta. Quero afundar o meu rosto em algum canto e desaparecer.
Não queria deixar tão na cara que ele mexia comigo.
Hemsworth se aproxima de mim, os nossos rostos estavam basicamente colados e ele tira o meu cinto.
- Viu só como foi fácil? – ele abre um sorriso.
- Seu carro me odeia – digo em resposta e ele solta uma gargalhada.
- Essa realmente é a sua desculpa? – ele não consegue conter outra gargalhada e a solta.
- Tchau, Christopher – saio finalmente do carro soltando o ar que ficou preso em meus pulmões.
Durante quanto tempo eu fiquei prendendo a respiração? Olhei para o meu relógio vendo que eu ainda tinha uns 10 minutos para me organizar. Passei pela segurança e subi para o meu prédio. O andar das Betches era o sexto. Logo que a porta do elevador se abriu, Julian estava sentado na recepção em seu posto trajando um fato cor de rosa.
- Julian.
- .
- Bom dia.
- Você chegou cedo – Sabrina diz desviando o olhar do board de tarefas para mim. - Bom dia.
- Hemsworth me deu carona.
- Aquele Deus grego? Como você conseguiu chegar viva aqui? – ela abanou a cabeça e se voltou para o board.
- Respirando, oras.
- Engraçadinha – ela diz e dá um sorriso.
- Beatrice quer que alguém vá no décimo andar – eu sabia o que aquilo significava.
- Ele solicitou alguém? – perguntei.
- Não foi apenas alguém. Foi você.
- Ah, que ótimo – digo nervosa.
- Pensei no mesmo quando ela me mandou o e-mail.
- Eu vou mais tarde. Tenho uma sessão fotográfica seguida de uma entrevista agora.
- De quem? – Sabrina vira me encarando com os seus olhos castanhos âmbar.
- Antoni Porowski – mal consigo conter o sorriso que nasce em meus lábios.
- Ah... Meu Deus. Eu te odeio, garota – ela grita me fazendo rir. - Tá explicado porquê que o Julian está todo emburrado hoje.
- Beatrice cedeu a entrevista pra mim – dei de ombros
- Vaca sortuda – ela dá uma pausa. - Ele vai cozinhar pra você?
- Para mim e para o parceiro.
- Se eu fosse homem, pegava o Antoni, na moral.
- Eu também, amiga.
Quando eram 10:30 peguei em minha bolsa e passei pela mesa de Julian.
Julian.
- .
- Normalmente eu não faço isso, mas eu preciso de alguém para gravar a entrevista - me debrucei sobre a sua secretária o vendo arregalar os olhos incrédulo.
- Ai Meu Deus – soltei uma risada.
- Vamos? Não podemos chegar atrasados.
- Ah, você é um amor – ele me abraçou forte.
A entrevista com Antoni Porowski correu bem, foi divertida e a conversa fluida. Antoni foi um amor de pessoa e o brunch estava uma delícia. Mark teve os seus momentos de crush que foram hilariantes. O vídeo e as fotos com Antoni ficaram uma graça. Quando voltei no escritório, Beatrice estava de salto altos e parada dando ordens. Ela se virou olhando para nós.
- Como correu a entrevista? – ela perguntou. - Chloe, preciso de um alfinete para ontem.
Chloe sai correndo para o closet da Betches.
- Correu bem – digo procurando Sabrina com o olhar. - Vou editar o material e envio ainda hoje.
- Não quero atrasos, – ela levanta o seu olhar encontrando o meu, tentei não piscar por uma fração de segundos falhando miseravelmente.
- Não atrasarei.
- Ótimo – ela diz se afastando.
Chloe sai correndo com caixa de acessórios em sua mão. Seu cabelo ondulado estava mais desarrumado que o normal, era possível ver suas olheiras evidentes de noites mal dormidas.
- John postou uma matéria sem revisão sobre Kim Kardashian e ela atacou a Betches – Sabrina diz quando Beatrice está em seu escritório.
- Entendo porque Beatrice está tensa.
- Você não faz ideia do estrago que causou.
- , preciso da matéria sobre os restaurantes – Beatrice sai da sua sala e diz olhando para mim.
Eu precisava escrever uma matéria sobre vários restaurantes e como eles me fizeram me sentir. Eu havia escolhido alguns restaurantes, incluindo o The Duo, que era o que faltava terminar para a minha matéria. Eu já havia conseguido falar com Evans noites atrás e faltava apenas a parte de Hemsworth.
- Estou trabalhando nisso.
- Gostaria de revisar a matéria até amanhã.
- Enviarei até amanhã – dou um pequeno sorriso e começo a trabalhar na matéria com Antoni.

: Oi.( Dígito a mensagem e espero pela resposta)
H: E aí, kiddo? (Mordo os meus lábios e solto um suspiro)
: Estou fazendo uma matéria sobre The Duo. Posso te entrevistar?
H: Hahahah
: Qual é a graça?
H: Você. Evans falou sobre a entrevista.
Sabe que eu topo, não é? Não precisava nem pedir.
: Precisava sim. E, ei, eu não sou uma piada.
H: Você sabe melhor.
(soltei um grunhido quando li)
: Você está livre hoje à noite?
H: Está me convidando para sair, ?

Estou.
: Sair com você? Nem morta.
Combinado então.
H: Vai ter que ser no restaurante.
Preciso resolver umas coisas por aqui.
: Tudo bem. Te vejo mais tarde.
H: See ya, kiddo.


Guardo o meu celular e o telefone toca no mesmo instante.
- Cat, você poderia subir agora? – Isabella pergunta do outro lado da linha.
- Estou subindo – pego na minha agenda e subo para o décimo andar. Quando saio do elevador, Isabella está com um sorriso em seus lábios.
- Desculpa ligar agora, mas ele só tem tempo agora.
- Sem problemas, Isabella – digo sorrindo. - Vou entrar agora.
Bato na porta e espero ouvir que posso entrar. Sebastian Stan se levanta assim que eu entro na sua sala.
- Oi – digo nervosa.
- Oi - ele responde se aproximando de mim.
- Como estás? – pergunto.
- Estou bem – mordo os meus lábios quando ficámos nos encarando.
- Vamos começar? – perguntei me afastando, abri a minha agenda e me sentei.
- Na verdade, eu te chamei para outra coisa – Sebastian disse se aproximando e fechando o meu caderno. Ele estendeu as mãos e eu me levantei me afastando.
- Sebastian, o que estás a fazer?
- Eu acho que um tempo é o que queremos – ele diz acabando com a distância entre nós. Se tem uma coisa que Stan sabe fazer melhor é me persuadir a fazer as coisas do jeito dele, usando o seu charme.
- Não – é tudo o que digo colocando as minhas mãos sobre o seu peito impedindo que ele se aproxime mais. Por Deus, alguém poderia chegar mais cedo e nos encontrar juntos.
Seus olhos se prenderam em meus lábios, fechei os meus olhos sabendo aonde aquilo nos levaria. Sebastian cola nos nossos lábios iniciando um beijo selvagem, minha resposta não havia sido nem um pouco convicta, eu sabia disso.
- Céus, eu senti a sua falta – ele diz após cortar o beijo.
- Eu também senti a minha falta.
- Tudo bem, você não sentiu a minha falta. Podemos deixar isso para outro dia – Sebastian se afasta de mim.
- Volta aqui.
- Volto se você dizer que sentiu a minha falta.
- Eu senti, agora me beija logo.
- Mandona – Sebastian colou os nossos lábios e me levantou me sentando em sua mesa.
- Você gosta quando eu sou mandona – arfei o ar quando ele mordeu o meu pescoço.
- Quanto tempo temos até todo mundo voltar?
- Uns vinte minutos – o puxo pela camisa e começo a abrir a mesma.
Meia hora depois, estou saindo do elevador com um sorriso em meus lábios. Sebastian era o meu rolo antigo/atual, agora um dos diretores da revista, motivo pelo qual tentamos miseravelmente terminar tudo. Quando começamos a nos envolver, ele era apenas o amigo dos rapazes. Mas quando ele foi transferido para à revista, seis meses atrás, resolvemos acabar com tudo. Relacionamentos entre funcionários é algo extremamente proibido na Betches e eu não quero acabar com tudo o que conquistei. Não que o que tivéssemos poderia ser considerado como um relacionamento, mas ainda assim nós estávamos envolvidos um com o outro. É casual e nada sério, é isso que digo a mim mesma todas as vezes que ficávamos juntos.
- Como correu? – Sabrina pergunta.
- Ele quer que eu faça o perfil dele para à revista.
- Só isso?
- Só – eu odiava esconder coisas de Sabrina, mas eu simplesmente não poderia contar sobre mim e Sebastian.
- Estou indo jantar com Eli hoje. Quer vir?
- Ah, que fofos. Infelizmente eu terei de fazer a minha matéria com o Hemsworth.
- Fica para a próxima. Beatrice tem pego muito no seu pé ultimamente.
- Eu sei, vou ter que passar a noite toda terminando a matéria – dei um suspiro só de imaginar o trabalho todo que eu teria.
Depois do erro de John, as Kardashian/Jenners decidiram atacar o Twitter da Betches. Julian, Sabrina e Beatrice estavam trabalhando em corrigir a situação. John estava com medo de perder o emprego e eu não sabia como consolá-lo. Havia sido um erro de principiante, todos na Betches sabem que precisam revisar os tweets com Bea.

No final do expediente, chamei um Uber até o The Duo. Eram por volta das sete e meia quando eu cheguei no lugar que se encontrava bem movimentado.
- ! Evans acabou de sair daqui – Scar diz se aproximando e me dando dois beijinhos.
- Na verdade, eu vim ver o Hemsworth.
- É mesmo? Ele não me avisou nada.
- Deve ter esquecido.
- Estamos tendo um dia daqueles – ela abana a cabeça negativamente.
- Eu também estou.
- Você chegou! - Hemsworth exclamou se aproximando, ele dá um beijo em minhas bochechas. - Roubando a minha convidada, Scar?
- Você esqueceu dela, Chris – ela o lança um olhar mortal.
- Eu não me esqueci de você – Hemsworth pressiona a minha cintura fazendo com que eu olhe para ele. Ele me esqueceu. Sei disso porque está me olhando do mesmo jeito que me olha quando quer pedir desculpas.
- Tudo bem – seu celular toca e ele faz sinal que precisa atender.
- O que tá rolando? – Hemsworth estava bem pela manhã e agora estava péssimo.
- Problemas no paraíso – ela deu de ombros.
- Ah, que pena.
- Aparentemente ele cancelou com ela pra ficar com você – Scar diz como não quer nada.
- Mas isso é trabalho – digo abismada. - Não entendo porque ela tem ciúmes de mim.
- Ela tem ciúmes de tudo que tenha um par de seios, de você realmente é outro nível.
- Eu nem vejo razão pra isso. Hemsworth e eu mal nos falamos.
- Vocês vivem juntos e isso pra ela já basta – reviro os meus olhos.
- Bem, ele vive mais com ela do que outra coisa.
- Falando nisso, minha casa está sofrendo uma renovação. Se importa se eu usar a casa de hóspedes de vocês? – Scar me olha esperançosa.
- Pode se mudar pra lá se quiser. É sempre bom ter outra mulher lá.
- Nem me imagino vivendo com esses caras. Não está dando conta?
- Hemsworth e o Evans pegam muito no meu pé – reclamo e Scar solta uma risada.
- Eu trabalho com os dois e sei como é.
- Eu ouvi isso – Hemsworth diz perto de mim e sinto um arrepio em todo o meu corpo. - , vou passar a pegar mais no seu pé.
- Eu realmente devo merecer isso.
- Eu sou o presente que pediste ao papai Noel.
- Você está mais pra encosto.
- Engraçadinha, sei que queres dizer outra coisa – ele puxa as minhas bochechas.
- Parem de todo o minimi e andem logo – Scar falou toda mandona.
- Sim, senhora – respondemos em uníssono.
- Vamos para a adega – não tive tempo de responder pois Hemsworth me puxou em direção a adega. Descemos as escadas entrando em um túnel, enquanto ele ligava as luzes, vi vários armários cheios de vinho. Hemsworth pegou duas taças e pousou na ilha da adega.
- Aqui é o meu lugar favorito da adega – ele dá uma pausa enquanto pega em uma garrafa de vinho tinto. - Sempre venho para aqui quando preciso pensar em alguma coisa.
- É um lugar bonito – O túnel tinha um estilo mais rústico e era cheio de luzes. Ele enche as nossas taças e me entrega uma.
- – um arrepio percorreu o meu corpo.
- À Dias mais tranquilos – bato as nossas taças e dou um pequeno gole.
- O que você achou? – ele perguntou.
- Achei frutado.
- Acho que combinaria muito com carne.
- Sim, senhor, estou trazendo.
- Relaxa Ravi, ela não morde – Hemsworth dá uma risada nasalada. O jovem, Ravi, coloca dois pratos na mesa.
- Sim, senhor.
- Oi, Ravi – digo o saudando com um sorriso em meus lábios.
- Boa noite senhorita. – Ravi faz uma reverência e eu solto uma risada. Hemsworth faz um toque para que Ravi se retire. Aproveito e devoro o prato à minha frente.
- Meu Deus, Christopher – digo quando acabo de comer piscando os meus olhos freneticamente.
- Presumo que estava uma delícia – ele piscou os seus olhos azuis fazendo com que o meu coração saltasse uma batida.
- Estava mesmo – digo.
- Você precisa cozinhar mais vezes pra mim.
- Só dizer o lugar e a hora.
- Agora.
- Assim tão rápido? – ele pergunta arqueando as suas sobrancelhas.
- Preciso de gravar um vídeo para à revista e tirar umas fotos de você cozinhando.
- Se eu não te conhecesse, eu acreditaria em você – dou um gole no vinho.
- Eu estou falando a sério.
- Eu faço o seu favorito com uma condição – ele diz e eu arqueio as minhas sobrancelhas.
Eu tinha a leve impressão de que algo bom estava por vir.
- O quê? – mordo os meus lábios nervosamente.
- Pare de se sentir nervosa.
- Ó! Eu não estou nervosa.
É claro que eu estava nervosa. Ficar nesse lugar lindo nesse clima romântico não estava me ajudando muito.
- Nem um pouquinho?
- Só um pouquinho – ele soltou uma risada.
- Vamos subir, vou cozinhar para ti.
Pego na garrafa de vinho e o sigo. Hemsworth cumprimenta todos os que encontra em seu caminho, aproveito e pego no meu material. Me dirijo para a cozinha enquanto o espero. E meu celular vibra no mesmo minuto.

S: Estás livre essa noite?
: Estou trabalhando em uma matéria.
S: Me avise quando estiveres livre.
: Sim, sim e sim.
S: Estás bêbada?
: Ainda não.
(respondi deixando claro as minhas intenções).

- Regra da minha cozinha: sem celular – faço uma careta ao ouvi-lo.
- Quem é a pessoa chata que inventou essa regra?
- Engraçadinha, seu celular fica comigo – ele diz guardando o meu celular em seu bolso traseiro do jeans.
- E se eu precisar falar com alguém?
- Falar com quem se você está comigo? – reviro os meus olhos e ele solta uma risada. - Vou entregar seu celular à Scar e qualquer chamada ela nos entrega. Okay senhorita?
- Sim, senhor eu-tenho-tudo-pensado – falo e me arrependendo logo a seguir. Hemsworth me lançou um olhar que fez com que eu bebesse todo o vinho que estava na minha taça. Enquanto ele entregava o meu celular à Ravi, eu fiquei o estudando.
Hemsworth era alto, tinha os ombros largos, era dono de um par de olhos azuis como o oceano. Sua voz era rouca e bonita daqueles que deixam qualquer mulher doida, seus lábios eram carnudos e rosados. Tá, vou parar de descrevê-lo.
Porque honestamente eu nunca vou chegar perto do quão lindo ele é.
- Outra regra da minha cozinha: todo mundo trabalha.
- Ah, não – digo negando. A última vez que eu entrara na cozinha eu tentei fazer panquecas e quase taquei fogo na casa e olha que era a minha especialidade.
- Eu vou ajudar-te no que for necessário – Hemsworth pegou em um avental e colocou em mim, o ajudei a colocar o dele.
- Tu e o Evans sempre fazem isso? – perguntei.
- O quê?
- Trazer garotas para o restaurante e fazer o tour.
- Tu sabes que não és como as outras garotas.
- Eu sou o quê? – o desafiei.
- Uma amiga – Hemsworth passa a mão em meu cabelo o bagunçando e eu faço uma careta. Ora para esconder a pequena deceção que crescia em meu peito, ora pelo cabelo.
O quê eu esperava mesmo?
Dei um gole em minha taça de vinho e fui lavar as mãos. Hemsworth colocou farinha de trigo sobre o balcão já limpo e pegou em um ovo.
- , cozinhar é algo muito básico – ele me entrega o ovo e se posiciona a minha atrás. Ele era tão alto que perto dele eu parecia tão pequena. - Cozinhar é algo que precisa ser feito com amor como partir um ovo.
- Você está de brincadeira – digo quando ele parte o ovo.
Hemsworth junta as nossas mãos e coloca sobre a farinha e começa a misturar. Enquanto a massa repousa por meia hora aproveito para gravar um vídeo de Chris que está distraído.
- Eu não estou brincando – nossas mãos coladas amassam a massa.
- De onde partiu o seu amor pela culinária?.
- Minha ex-namorada me fez ter aulas de culinária durante um mês.
- Acho que você deveria agradecê-la.
- Nosso relaciomento não deu certo, mas com a comida deu.
- Tirando sua ex, o que faz você ter prazer em cozinhar para outros?
- Cozinhar todos juntos sempre foi uma tradição que ninguém fazia questão de quebrar na minha família. Crescer nesse ambiente sempre teve um impacto positivo na minha vida.
- Como cozinhar te faz sentir?
- A única coisa que me faz sentir alguma coisa é ver como às pessoas se sentem quando comem algo feito por mim – ele dá uma pequena pausa e olha diretamente para a câmara e pisca os seus olhos azuis.
- Você nasceu para isso.
- Não vou discordar disso.
- Como você consegue ser convencido o tempo todo? – pergunto sem acreditar.
- O que eu posso dizer é que eu sou bom no que eu faço – pego na farinha e atiro em Christopher, ele me olha incrédulo.
- Você não deveria fazer isso – ele diz andando na minha direção.
- Hemsworth, não! – grito quando ele pega em minha cintura e me atira com toda a farinha de trigo.
- Você fica mais bonita desse jeito.
- Seu idiota – ele morde as minhas bochechas me fazendo soltar um grito agudo. Hemsworth faz carinho em minhas bochechas, noto que estamos muito próximos e que minha respiração começa a ficar mais pesada aos poucos.
- Quantos anos vocês têm? – Scar está na porta segurando uma risada. Nos afastamos rapidamente.
- Ela começou, Scar.
- Seu mentiroso – digo dando um tapa em seus braços.
- Christopher, telefone para você.
- Eu volto já – ele faz um carinho em meus ombros.
- Só trabalho, hein? – Scar diz com um sorriso maroto em seus lábios.
- Não começa. Só estávamos brincando.
- Achei que o seu crush pelo Chris tivesse passado.
- E passou – digo rapidamente - Somos só amigos – minha garganta ficou seca, me inclino sobre o balcão da cozinha e encho a minha taça entregando-a a Scarlett. Dou um gole na garrafa de vinho e ela ri.
- Estou vendo que sim – eu abro a boca para responder mas nada saiu. Scarlett foi embora me deixando sozinha.
- , o que você está fazendo? – Hemsworth está na minha frente me encarando enquanto eu arrumo o meu material.
- Preciso ir para casa escrever a matéria – digo para Hemsworth. Ele levanta às sobrancelhas mas não diz nada.
- Sinto muito, Chris.
- Tudo bem, eu preciso passar na Ava.
Eu assinto e ele me para.
- Nós podemos marcar um outro dia e eu te ensino alguns truques na cozinha.
- Nós somos muito ocupados – digo.
- Eu sempre tenho tempo para você – dizendo isso, Hemsworth beija a minha bochecha me deixando sozinha na cozinha. Eu abro os meus olhos quando vejo que ele já havia me largado sozinha. Sim, eu ainda tinha um crush por ele.
Sim, eu estava muito ferrada.


Dois

Eu estava de pijamas e descendo as escadas quando o intercomunicador tocou pela milésima vez. Me levantei às pressas e abri a porta. Scarlett estava com uma caixa e três malas parada na porta.
- Ela chegou – grito e ouço passos apressados.
- Porquê você ainda está de pijama?
- Não me julgue, hoje é sábado – pego na mala com rodinhas e a puxo para dentro de casa.
- Olha quem se juntou à gangue – Evans deu um abraço em Scar e pegou em uma mala.
- Hemsworth, deixei uma para você – ignoro o facto de que ouvir o seu nome faz o meu estômago revirar.
- Você não consegue carregar as duas? – ele pergunta a Evans.
- Pare de ser folgado e vem logo – Evans grita.
- Bem-vinda Scarlett. Mi casa es su casa – os dois trocam um abraço rápido.
- , agora eu entendo aonde vão parar as minhas t-shirts – Hems passa voando olhando para mim.
- É sua? Eu ia jurar que era do Evans – me viro para o Evans que está atacando os cereais. – Por que você falou que era sua? – sinto minhas bochechas queimarem de raiva.
- Porque se eu falasse que era do Hemsworth você ia parar de cheirá-la – ele falou piscando os olhos. Eu quis me enfiar em um buraco.
- Eu só estava fazendo isso porque cheirava muito bem – falei envergonhada.
- Ei, kiddo, ela fica melhor em você – Hemsworth diz comum sorriso irônico em seus lábios.
- Eu odeio vocês – aponto os meus dedos para os dois.
- Ande Scar, vou mostrar o seu aposento.
Passamos pelo quintal e pela piscina. Levo Scar até a casa de hóspedes e a deixo se instalar. Enquanto isso, tomo um banho longo, troco as minhas vestimentas por um short e uma t-shirt larga minha.
- Vai sair hoje? – Evans perguntou pra mim.
- Vou ficar em casa mesmo – dei de ombros. Abrir o armário procurando por alguma chá de infusão para preparar para mim.
- Estava pensando em fazermos um churrasco de boas vindas para Scarlett.
- Que ótima ideia – dou um soco em seus braços. - Você prepara tudo e eu fico relaxando na piscina.
- Como você é folgada. Vai colocar a mão na massa sim.
- Quem vai colocar a mão em quem? – Hemsworth perguntou se aproximando da cozinha.
- Sua princesinha vai nos ajudar no churrasco hoje.
- Christopher, quebra o meu galho, por favor – mordo os meus lábios implorando.
Ele me olha por uns segundos arqueando as sobrancelhas.
- Você deveria dizer não, Hemsworth – Evans fala abanando a cabeça negativamente.
- Por favor – me coloco na ponta dos pés e salto para beijar a sua bochecha. Nesse momento o seu rosto se vira e os nossos lábios roçam um no outro. Ignoro as malditas borboletas que fazem uma festa dentro de mim.
- Tá, tá bom – ele limpa a garganta e se afasta.
- Viu só? Você deveria ser mais legal comigo.
- Sou mais legal que o Hemsworth. – ele declara e eu rio - volte aqui e diga que eu sou mais legal.
- Nem a pau – digo e começo a correr subindo às escadas. Trombo em algo e caio no chão.
- Porra, – Hemsworth diz assim que caímos no chão. Suas mãos pressionam fortemente a minha cintura.
- Desculpa, desculpa – digo e ele dá uma risada. - Estava fugindo do Evans.
- Quando você não está fugindo dele? – Hemsworth perguntou rindo.
- Eu não sei – respondi rindo. O meu olhar caiu sobre os seus lábios rosados e carnudos.
Mordi os meus lábios numa tentativa frustrada de não o agarrar.
- Chris, o que vocês estão fazendo? – me levanto assustada vendo Ava parada no corredor de cara fechada.
Se ela não gostava de mim agora tenho certeza de que me odeia.
- Nós caímos, amor, é tão desastrada que não me viu no caminho – Chris se aproximou dela dando um beijo nas suas bochechas.
- É mesmo? – Ava perguntou me lançando um olhar de eu sei muito bem o que você está fazendo. Ele respondeu alguma coisa que eu não consegui decifrar.
- Vamos? Tô doido pra percorrermos a trilha.
- Meus pais vão encontrar a gente lá.
- Tá legal – ele deu um beijo nas mãos dela.
Eu desci às escadas enquanto Evans tomava café.
- Tá com essa cara emburrada por quê?
- Nada – respondi me atirando no sofá e colocando minha cabeça em seu colo.
- Sei... Sebastian confirmou sua presença.
- Tá me dizendo isso por quê? – perguntei.
- Porque sei como você fica nervosa quando ele e o Hemsworth estão no mesmo lugar.
- Eu não fico nem um pouco nervosa.
- Não acha que está na hora de contar sobre você e Sebastian?
- E dizer o quê? Ei, Hemsworth estou pegando um dos seus amigos.
- , eventualmente ele vai descobrir.
- Eu só preciso de mais um tempinho – digo dando um sorriso amarelo.
- Só espero que não seja tarde demais.
- Eu também espero – me sento no sofá e dou um beijo em suas bochechas. - Quer que eu compre alguma coisa para o churrasco?
- Olha só a princesinha se oferecendo para ajudar.
- Tá, Evans, pare com isso antes que eu mude de ideias.
- Vou fazer a lista rápido – ele se levanta me deixando sozinha.

?


Depois do mercado, eu ajudei Evans a arrumar todas as bebidas. Eram por volta das cinco da tarde quando o pessoal começou a chegar. Eu havia colocado um fato-de-banho por baixo da minha roupa. Abri a geladeira e peguei em uma cerveja dando um gole nela em seguida.
- Você está cheirosa – Sebastian dá um beijo em meu pescoço.
- Oi – digo me virando e colando os nossos lábios.
- Oi, gatinha.
- Gatinha? Tá pensando que eu sou uma das suas amiguinhas?! – dou um tapa em seu braço enquanto Sebastian ria.
- não esquenta. Vem cá – Sebastian me puxou para um beijo sedento.
- Ficou doido? E se alguém ver a gente?
- Não estou nem um pouco preocupado com isso – dito isso ele me deu um selinho. - Na verdade, acho que deveríamos contar para os nossos amigos.
- Que estamos dormindo juntos? – dou um gole em minha cerveja.
- Você sabe que já passamos a fase de só sexo – meu peito começa a bater mais forte. - Sou doido por você, – fomos nos aproximando aos poucos até que um furacão passou por nós.
- Estou doido por uma cerveja gelada – Hemsworth falou abrindo a geladeira. - Estão fazendo o quê aqui no escuro?
- Fazendo um mini Stan – Hemsworth faz uma careta ao ouvir isso e me ignora completamente.
- E aí cara? Como vai? – ele e Stan trocam um abraço.
- Você sabe, curtindo o churrasco. Você parece péssimo – reviro os meus olhos constatando que Hemsworth parecia mais irritado do que o normal.
- Ava passou o dia todo pegando no meu pé – ele deu um suspiro pesado. - Não estou mais aguentando os ciúmes dela.
- Já pensou que você dá motivos para ela ter ciúmes? – Sebastian pergunta. - Quero dizer, que as inseguranças de uma mulher em relação a nós, muitas das vezes, é culpa nossa.
- Não dou nenhum motivo para isso – Hemsworth diz irritado. -Você conhece Ava, tem ciúmes até dos meus pais – reviro os meus olhos ouvindo aquilo. - E de – solto uma risada nervosa.
- Basta ter um par de seios que ela tem ciúmes – falo sentindo o olhar de Sebastian sobre mim.
- Sebastian cara, te achei – Evans entrou na cozinha descalço e sem camisa gritando pelo amigo.
- Não olhe assim para mim – digo quando sinto olhar pesado de Hemsworth na minha direção.
- Está meio impossível não olhar pra você.
- Sempre engraçadinho, Christopher – pego em minha cerveja e saio da cozinha o deixando sozinho.
Hiddleston, Jeremy, Liz e estavam sentados à beira da piscina. Scarlett estava nadando quando eu me aproximei.
- E olha quem apareceu.
- Cala a boca, – eu falei e todos riram.
- Tem certeza vocês têm o mesmo sangue? – Jeremy perguntou divertido.
- 100% positivo – respondi encarando o meu querido irmão. era dois anos mais velho e claro mais irritante do que eu.
- Saindo hambúrgueres agora – Hiddleston gritou e todos os saíram correndo.
- Só deixem cachorro quente pra mim – falei baixinho. Tirei a minha camiseta e o calcão ficando apenas em meu fato de banho. Entrei na água e fiquei nadando um pouco.
- Essa água não está gelada? – Hemsworth perguntou.
- Está ótima – ele deu um sorriso e tirou a camisa entrando logo em seguida na água.
- Cara, essa água tá fria – ele faz uma careta devido ao choque térmico.
- Para de mimimi, ela está ótima – digo revirando os olhos.
- Vou te mostrar o que é mimimi – Hemsworth se aproxima colocando suas mãos sobre a minha cabeça me empurrando no fundo da piscina molhando o meu cabelo.
- Seu imbecil – eu digo irritada. - Você vive só pra me irritar mesmo.
- Você fica mais bonita brava – Hemsworth diz com um sorriso debochado.
- Você é ainda mais idiota que o – dou um soco em seus braços, quando me preparo para dar o segundo, ele segura a minha mão me parando. Ficamos nos encarando em silêncio e tudo o que eu quero é beijá-lo. Abano a minha cabeça tentando espantar tais pensamentos da minha cabeça.
- Não sou nada como o seu irmão – ele reclama baixinho.
- Vou comer alguma coisa – eu digo saindo da água e fugindo dele. Me enxugo e amarro a toalha na minha cintura. Stan está virando uns hambúrgueres quando me aproximo. Quando me vê, o seu sorriso aumenta, não deixo de sorrir de volta.
- Sabia que não ias aguentar muito tempo – ele diz me fazendo rir.
Minha relação com a comida não era novidade nenhuma. Eu como quando estou feliz, eu como quando estou triste e como quando não estou sentindo absolutamente nada.
- Nadar me deixou com fome – abro um sorriso me aproximando. Peguei no pão que estava na mesa e coloco em um prato. Mordo os meus lábios quando vejo Sebastian virar a salsicha. Ele prepara o meu cachorro quente e me entrega.
- Se importa se eu passar a noite aqui?
- Eu adoraria – digo com um sorriso.
Conhecendo os meus amigos até o final da noite todo mundo estaria completamente bêbado para se importar com alguma coisa. Seria até mais fácil levar Sebastian às escondidas para o meu quarto.
- Só preciso me livrar do seu irmão – ele diz e eu reviro os olhos dando uma mordida em meu cachorro quente logo a seguir.
- , um ano para pegar um cachorro quente – está parado com as mãos sobre o peito nos encarando com as sobrancelhas erguidas.
- Estamos conversando, – digo saindo perto de Sebastian.
- Tá, vocês precisam estar assim tão perto um do outro? – pergunta irritado.
Ele estava com ciúmes. Conheço a peça que é o meu irmão. Não suporta a ideia de que caras possam olhar para a irmãzinha.
- Relaxa, – Sebastian diz para o meu irmão.
- Estarei quando você parar de estar na cola da minha irmã – ele respondeu e Sebastian me olhou. Me desculpei pelo olhar e passei pelo meu irmão o puxando comigo.
- Tem como você ser legal? – perguntei.
- Não tenho - ele respondeu.
- , você precisa esquecer isso.
- Esquecer que a minha irmãzinha foi desflorada por um dos meus melhores amigos bem debaixo do meu nariz? Nem a pau! – dei um suspiro pesado. - Na moral, , o que você pensou? Que eu ficaria feliz vendo vocês dois juntos?
- Não vou conversar sobre isso com você alterado desse jeito.
- Fique longe dele – gritou.
Ninguém havia ouvido , passo por todos indo em direção a casa pegar uma bebida. Vejo que Hemsworth está sentado na cozinha mexendo no celular.
- Veio pegar uma bebida? – ele pergunta quando me vê chegar.
- Vim – abro a geladeira e pego uma cerveja bem gelada.
- está enchendo o saco de novo?
- Tá – estou tão chateada que tudo o que dou são respostas monossilábicas.
- Vem cá, kiddo – ele me puxa para um abraço. Seus braços me envolvem e me deixo afundar neles, seu calor passa pelo meu corpo me aquecendo. - Seja o que for, vocês vão resolver.
Ele faz um carinho em seus cabelos me fazendo fechar os olhos.
- – ouço à voz de Sebastian e me afasto de Hemsworth automaticamente.
- Oi – digo nervosamente olhando de um para outro. Hemsworth continuava com a mesma feição serena de antes.
- encheu muito o saco? – ele perguntou se aproximando.
- Só um pouco. Não precisa se preocupar – digo e ele tranca a cara.
O celular de Hemsworth começa a tocar no mesmo instante. Ele faz sinal de que vai atender a chamada nos deixando sozinhos.
- Não precisa se preocupar? – ele dá uma pausa. - Lógico que preciso me preocupar. Vocês mal se falam e é culpa minha.
- Nossa culpa – o corrijo.
- Quer deixar hoje para outro dia? – ele pergunta, assinto que sim.
- Você se importa?
- Claro que não – ele cola os nossos lábios e faz um carinho em minhas costas.
Hemsworth se aproxima, me afasto automaticamente de Sebastian. Sei disso porquê ele me olha confuso e tranca a mandíbula.
- Desculpa a demora, pessoal – Hemsworth pega na minha cerveja a abre e dá um gole.
- Ei, folgado, não roube a minha cerveja.
- A sua ainda está intocada – Hemsworth diz dando outro gole e a estende para mim. - E está do jeito que eu gosto – ele pisca os olhos na minha direção. Sebastian está nos observando calado. Dou um gole na cerveja constatando de que minha vontade de beber havia se evaporado.
- Vai dormir aqui, mate? – Hemsworth pergunta do nada.
- Vou para casa – ele responde seco.
- Ah, que pena – ele termina a cerveja e a joga no lixo. -Vou tomar um banho.
Antes de sair, Hemsworth passa as mãos bagunçando o meu cabelo. Sorrimos um para o outro e Sebastian pigarreou incomodado.
- Quando você vai contar pra ele? – Sebastian perguntou cansado.
- Em breve.
- Você tem dito muito isso ultimamente – ele diz irritado. - Tá com medo de que ele não veja você mais do mesmo jeito?
- O quê? – pergunto confusa.
- Pare, , não queres contar sobre nós dois por que ainda gostas do Hemsworth? – engulo em seco não acreditando no que estou ouvindo.
- Você está se ouvindo? Isso é ridículo – me afasto para ir embora, mas Sebastian me trava.
- Vi o jeito como você fica perto dele. Você ainda tem sentimentos por ele e por isso não quer contar sobre nós. Tem medo de estragar sua chance com ele? – ele dispara me deixando sem reação.
- Isso foi três anos atrás – dei um suspiro. - Não acredito que está dizendo tudo isso. É patético.
- , patético é o que está fazendo.
- Não sinto mais nada por Hemsworth – digo por fim abanando a minha cabeça. Nem eu mesma entendia o motivo de não conseguir contar sobre o que tínhamos.
- O que há de errado com você? – sinto uma vontade de chorar, mas a engulo e deixo Sebastian sozinho na cozinha.
- ! – ele me chama. - , por favor, pare – Sebastian virou o meu corpo fazendo com que eu o encare. Estou tão chateada que sou capaz de socá-lo.
- Me desculpe, não sei o que deu em mim – ele diz me abraçando.
Não o abraço de volta.
- Tá – é tudo o que eu digo e o vejo me soltar derrotado.


Três

Estou vagueando pelo escritório quando vejo Karla, Mandi e Anne lendo a matéria sobre o The Duo, que estava bombando em todas as redes sociais. Eu passara a noite toda editando o vídeo do Chris porque acabei esquecendo de mandar para o pessoal da gráfica mas o resultado ficara bom e quase parecia feito por um profissional.
- Ele é tão lindo – Mandi suspira olhando para a foto de Evans.
- Ele é um deus grego – faltou simplesmente Anne entrar dentro do PC e agarrar Hemsworth à força.
- Oi, meninas – digo passando por elas com um sorriso. Eu sabia que os meus amigos eram bonitos e mexiam com qualquer mulher.
- Sua matéria sobre os restaurantes está sendo um estrondo – Beatrice aparece segurando uma caneca de chá e uma pasta de documentos em outra mão. Ela levanta o rosto e sorri para mim, seus cabelos loiros e curtos caiam sobre o seu rosto. - Meus parabéns, .
- Obrigada, Beatrice – digo sem conseguir conter o meu sorriso.
Ando saltitante até Sabrina, ela está sentada em sua cadeira giratória recém comprada no IKEA digitando algo em seu PC.
- Os garotos estão fazendo sucesso no Instagram do Betches – inclino para ver a publicação que tinha mais de 20k likes em apenas uma hora.
- Impossível ser diferente.
- Uma leitora pediu o Hemsworth em casamento – soltei uma gargalhada imaginando a sua reação.
- Bem isso é engraçado – eu pauso. - Quer ir lá em casa depois do expediente?
- Eu topo uma noite de meninas – assinto que sim e vou me sentar em minha secretária.
No horário do almoço pego em minha carteira e em meu celular. Julian está me esperando no saguão mexendo no celular distraído.
- Menina, nossa página está com tudo hoje – ele diz, levanto o olhar durante uns segundos.
- Evans tá solteiro? – solto uma risada.
- Por isso me convidou pra almoçarmos?
- Preciso arrancar essas coisas de você de qualquer jeito – le dá de ombros. - Poderíamos fazer um leilão com um dos seus amigos, ia ser um estrondo.
- Boa ideia – digo chamando pelo elevador.
- Todo o dinheiro arrecadado iria para à comunidade LGBT – ele diz me olhando de soslaio. Abro a boca por uns segundos e dou um suspiro. Era o mês da parada gay e precisávamos fazer algo diferente.
- Sua ideia é boa. Falou com Bea?
- Está aprovadíssimo. Só preciso de modelos – o elevador chegou, entramos no mesmo e Julian voltou a digitar em seu celular sem prestar atenção em mim.
- – Evans está parado no lado de fora do edifício de braços cruzados.
- O que estás a fazer aqui? – pergunto dando um beijo em suas bochechas.
- Viemos raptar você – arqueio a minha sobrancelha e me inclino vendo Hemsworth descer do carro. Ele está usando uma camisa branca com jeans surrados. Está sorrindo tão abertamente que o meu coração salta.
- Oi, – ele diz dando um beijo em minha testa.
- Oi lindos – Julian diz olhando de um para outro. Meus amigos responderam e foram logo abraçando Julian como se fossem amigos há anos.
- Seja qual for o lugar, eu quero comer bem – digo entrando no carro seguida de Julian.
Ava está sentada e me olhando com cara de poucos amigos. A cumprimento e ela faz questão de não responder de volta, reviro os meus olhos tendo em conta a sua atitude.
- , você não vai nem acreditar, mas nossas reservas estão esgotadas até o ano que vem. – Evans diz sorrindo.
- Sua matéria estava incrível – Hemsworth se vira e pisca os olhos para mim.
- Como você aguenta ficar perto desses dois homens? Eu estou aqui e nem me aguento. Julian comentou me fazendo dar uma risada baixa.
- Ela não fez nada mais do que o trabalho dela – Ava disse.
Limpei a minha garganta me segurando para não dizer nada e acabar com o clima harmonioso que nos encontrávamos. Julian puxou assunto sobre a semana da parada gay tentando aliviar o clima pesado que se instalou. Hemsworth e Evans toparam logo de cara participarem do leilão, o que deixou Julian mega feliz. O restaurante ficava meia hora da cidade sem trânsito. Era um restaurante japonês no estilo antigo, com direito a almofadas. Me sentei perto de Evans. Pedimos a barca e nossas bebidas.
- Por que tem um lugar vago? – perguntei me ajeitando sobre as almofadas. Antes que alguém respondesse alguma coisa Sebastian entrou pela porta, nossos olhares se encontraram e ele sorriu.
Eu não o via desde o churrasco e devo admitir ainda existia uma parte de mim que estava chateada. Mas, eu o entendia. Claro que o entendia. Só não sabia como largar aquela bomba à Hemsworth. Os dois se cumprimentaram com um abraço caloroso e Sebastian se sentou perto de mim o suficiente para nossas mãos se tocarem.
- Fico feliz que tenha vindo, Sebastian – Ava comenta, tenho uma vontade de revirar os olhos. Tudo o que ela diz parece ser treinado.
- Não perderia esse almoço por nada no mundo.
- Aí amor... Papai quer saber se vamos mesmo para Hampton no feriado da independência. Ava pergunta se virando para Hemsworth e ele assente.
- Essa comida está demorando um ano – Julian comenta fazendo todos rirem.
- Estamos bem? – Sebastian pergunta sem chamar à atenção de ninguém.
- Claro que sim - eu digo dando um leve tapinha em seu braço. Ele solta o ar aliviado.
- Odeio brigar com você . Eu estava bêbado e não medi as minhas palavras.
Conhecendo Sebastian Stan isso é o mais próximo de um pedido de desculpa que chegarei perto.
- Está tudo bem – digo sorrindo. Ainda estou chateada, mas, nesse ponto já não sei se estou chateada com ele ou comigo mesma.
- Querem ir com a gente? – Hemsworth pergunta do nada me obrigando a encará-lo. Ele nunca chamava ninguém para as viagens que ele fazia com Ava.
- Achei que seríamos só nós, amor – Ava tenta esconder toda a sua irritação.
- Ava, a casa é grande demais só pra nós os dois e será mais divertido.
- Vou fazer as malas hoje mesmo – Evans diz fazendo todos rirmos. Seria um longo feriado.
- Eu topo – dou de ombros e olho para Sebastian esperando a sua resposta. Ele apenas assente e Hemsworth solta um urro animado. Ava dá um gole em seu vinho tinto com a cara trancada. Ela com certeza tinha outros planos e acabamos de estragá-los. Tento me sentir culpada, mas não me sinto nem um pouco. Afinal esse convite havia vindo de seu próprio namorado.
Quando a nossa barca chega, estamos todos esfomeados para fazer qualquer cerimônia. Pego em pauzinhos e ataco a barca. Conversamos enquanto comemos, exceto Ava que só puxa assunto com Hemsworth. Sinto as mãos de Sebastian procurar pelas minhas embaixo da mesa, ele as entrelaçou e fez um breve carinho nelas.
- Quer correr depois do expediente? – Evans pergunta chamando a minha atenção.
- Eu adoraria – digo sorrindo.
- Infelizmente não poderei me juntar a vocês – Sebastian comenta distraído mexendo no celular.
- Ah, eu não poderei demorar muito tempo – falei e ele assentiu.
- Estou me sentindo ignorado por vocês os dois – Sebastian comenta.
- Estou livre para correr com você sempre que precisar, chefinho – Julian piscou os seus olhos na direção de Sebastian me fazendo rir.
- Nossa dupla não está aceitando mais ninguém – Evans comenta e Sebastian revira os olhos. – Sinto muito, cara.
- Vocês dois são malvados – Sebastian nos responde. – Vamos correr juntos, Julian.
Pedimos à conta e nos despedimos todos uns dos outros. Ava, Hems e Evans iriam em um carro e Sebastian, Julian e eu em outro.
É claro que depois de ter bebido demasiado chá, eu fora ao banheiro. Saí de lá dando de cara com Hemsworth.
Sorrimos um para o outro.
- Vestido novo? – ele pergunta e assinto. - Não é a minha camisa, mas você fica linda nele – sinto as minhas bochechas corarem no mesmo segundo.
- Camisa nova? – pergunto e ele ri. - Branco combina com você.
Qualquer cor combinava bem com Hemsworth, mas tinha qualquer coisa nele vestido de branco que fazia com que os meus cabelos se arrepiassem. Ele tocou as minhas costas carinhosamente me fazendo sorrir pra ele.
- Ei, casal, que tal andarem mais rápido – Evans pede nos fazendo rir.
Sebastian está com a cara toda trancada e Ava me lança um olhar assassino. Devo dizer que pelos dois anos em que a conheço estou vacinada.
Quando cheguei do trabalho troquei o meu vestido por leggings, um top e um casaco. Bato à porta do quarto de Evans que me atende falando no celular.
- Vamos? – pergunto reparando que ele ainda está com a mesma roupa de mais cedo.
- Surgiu um problema e não poderei ir.
- Ah, não. O que aconteceu? – ele deu um suspiro pesado se sentando na cama.
- Jen aconteceu.
Jen e Evans estavam namorando sério até quatro meses atrás quando ela decidiu terminar tudo com ele. Fora do nada e isso deixou meu amigo com o coração partido. - Ela encontrou algumas coisas minhas no apartamento dela. Preciso ir lá pegar.
- Entendi – digo fazendo um carinho em suas costas.
- O problema é que ela vai mudar de cidade e não quer levar o Billy – faço uma cara triste vendo o quão dececionado ele estava. - Dei aquele cachorro para ela – ele soltou um suspiro. - Achei que ela fosse querer cuidar dele, mas me disse que ele fica com uns amigos dela. Amigos dela, ! – não sei o que dizer então apenas o abraço.
- Vamos ficar com Billy e cuidar dele.
- Preciso ir até ao apartamento dela pegá-lo e ir até ao veterinário.
- Quer que eu vá com você? – pergunto mesmo sabendo já a resposta.
- Preciso ir sozinho – assinto e dou um beijo em sua bochecha.
Hemsworth está parado na cozinha bebendo um copo de água. Quando me vê, ele acena me fazendo me aproximar.
- Evans? – ele pergunta colocando o copo sujo na pia.
- Jen aconteceu – digo e ele faz uma careta.
- Seremos só os dois. Isso vai ser interessante – ele abre um sorriso e sorrio de volta.
Saímos de casa andando até o fim da rua. E começamos por acelerar o passo. Hemsworth é mais alto do que Evans e por consequência corre mais rápido, ele diminui o seu ritmo e corremos sincronizados, apesar do silêncio sua companhia é boa. Corremos uns quilômetros e voltamos andando para casa. Estou tão cansada que já não sinto os meus pés.
- Me lembra de nunca mais correr com você – digo e ele gargalha.
- Você já deveria estar acostumada – ele diz olhando para mim durante uns segundos.
- Não gosto de exercícios físicos. Não está vendo que estou gorda.
- , pare, você está linda do jeito que é. Hemsworth toca as minhas mãos me fazendo encará-lo. Ele se aproxima e faz um carinho em minhas bochechas. - Qualquer cara seria sortudo por tê-la.
- Tá – digo e ele revira os olhos.
- Gostaria que você se enxergasse do mesmo jeito que eu a enxergo – seu olhar para de relance em meus lábios, engulo em seco quando o vejo se aproximando.
- As meninas! – eu praticamente grito me afastando bruscamente. - Hoje é a noite das meninas. Eu digo.
- Ah, vamos – ele diz parecendo desapontado.
- Me carrega por favor – peço e Hemsworth levanta as sobrancelhas.
- Não – ele diz me deixando triste.
- Como você é tão mau.
- Como você é mimada – reviro os meus olhos ouvindo sua declaração.
- Eu mereci essa.
- Eu faço com uma condição.
- Qual? – pergunto.
- Me deixa ficar com vocês. Estou precisando de uma noite de meninas. Prometo cozinhar para vocês – seguro um sorriso em meus lábios.
- Feito – digo e ele sorri.
- Vem aqui no papai.
- Nojento – digo indo atrás dele e subindo em suas costas.
Passamos pelo supermercado para comprar queijos, vinho e alguns doces. Vamos o caminho todo de volta conversando sobre coisas aleatórias.
- Até que enfim você chegou – Scarlett diz olhando para à porta. Hemsworth está carregando sacolas de compras. - Vocês estavam juntos?
- Sim – respondemos juntos.
- Estou atrasada? – Sabrina está na porta segurando uma garrafa de vinho.
- Não, seja bem-vinda – a abraço e deixo ela entrar em casa. Hemsworth faz questão de ficar batendo papo com Sabrina e aproveito para tomar um banho rápido e colocar o meu pijama, um baby doll dourado de seda com uma pequena racha no lado direito dando um ar mais sensual.
Scar e Sabrina estavam sentadas na sala em frente a TV com suas taças de vinho.
- Vejo que já começaram – me sento no sofá ao lado delas. Uma regra básica dos encontros das meninas: pijamas. O nosso encontro na verdade era uma festa de pijamas com bastante vinho e queijo.
- Não existe esperar por alguém no que toca a bebida.
- Uma taça para a senhorita - Hemsworth me entrega uma taça e a enche.
Ele pisca assim que termina me deixando sem graça.
- Obrigada cavalheiro – eu digo. Quando ele sai, as meninas estão me olhando com sorrisos marotos em seus lábios.
- Não – é tudo o que eu digo antes de dar um gole em minha taça de vinho. - Parem com esse olhar, por favor.
- Não tenho culpa que vocês os dois passem a vida flertando um com o outro – Sabrina diz me deixando boquiaberta.
- Só não vê quem não quer – Scar diz como quem quer nada.
- Meninas, nada a ver – digo. - É só um flerte inocente. Além do mais, estamos saindo com outras pessoas.
- E se não estivessem? – Scar pergunta, solto um suspiro olhando em direção à cozinha.
- Eu não sei.
- Como assim saindo com alguém? – Sabrina pergunta arqueando as sobrancelhas.
Mordi os meus lábios e decidi largar logo a bomba de uma vez por todas.
- Estou saindo com o Sebastian Stan. Tem um tempinho já.
- Rá, eu sabia que aqueles olhares dele para você eram outra coisa – ela diz como se tivesse resolvido a última peça do puzzle.
- Tem mais – Scarlett a avisa me fazendo fechar os olhos. Dou um longo gole da minha bebida. - Hemsworth não sabe.
- Meus deuses – Sabrina dá um gole em sua bebida. Contei como tudo começou.
Três anos antes eu era completamente apaixonada por um dos melhores amigos do meu irmão, Hemsworth. Mas ele estava saindo com outra garota na época e sempre me viu como a irmãzinha do seu melhor amigo. Ele e a Ava nunca se largavam e iam para todos os cantos juntos e Sebastian estava por perto, acabamos ficando próximos um do outro. Nosso romance durou durante o verão todo até Sebastian se mudar para Oslo, sempre que nos víamos sempre ficávamos juntos. E, de três meses para cá nós estamos saindo.
- Eu não sei como contar para ele – dou de ombros e Scar dá um suspiro longo.
- Só conte do jeito que nos contou sem muitos detalhes e riscando a parte em que você era apaixonada por ele.
- Tá, isso vai ser moleza – tento me convencer de que seria.
- Sabe, eu entendo totalmente as inseguranças de Sebastian – Sabrina diz enchendo a minha taça de vinho.
- Você e Hemsworth têm muita química – Scar completa.
- Dê um desconto nele – ela me pede.
Assinto que sim e me levanto levando a minha taça de vinho. Estava cheirando divinamente e eu estava morrendo de fome.
- Oi – Hemsworth está segurando uma travessa e a coloca na ilha da cozinha.
- Morrendo de fome? – ele perguntou com um sorriso leve em seus lábios.
- Quase desmaiando – digo me aproximando sentindo o cheiro da comida.
- Quando você não está com fome?
- Eu estou sempre com fome – admito mordendo as minhas bochechas.
- Espero que gostem da minha pizza – ele vai cortando a pizza com tanta maestria que me perco simplesmente olhando para ele.
Estou parada perto da geladeira imóvel olhando para a pizza. Hemsworth termina e se levanta, tem vestígios de farinha em seu rosto e cabelo.
- , pega uma cerveja por favor – abro a geladeira e pego uma o entregando.
- Obrigado – ele diz olhando para mim de cima a baixo. Sinto um arrepio percorrer por todo o meu corpo.
Nossos olhares estão presos um no outro. Me inclino em sua direção pegando uma fatia de pizza.
- Se for a depender de vocês os dois vamos morrer de fome – Scar reclama ao entrar na cozinha.
- Pizza Marguerita, você conhece o meu estômago – Sabrina diz dando uma mordida em sua fatia.
- E aí como está? – ele pergunta.
- Eu acho que tive um foodgasm – Sabrina diz de boca cheia.
- Casa comigo, Hemsworth – é tudo o que Scar diz.
- Não daria certo. Somos muito parecidos – ele pisca os seus olhos nos fazendo rir.
- Você só se supera – eu digo dando um tapinha em seus braços.
- Estou morrendo de fome – Evans aparece voando e tirando um pedaço de pizza. Ele parece melhor do que a última vez em que o vi. - Porque vocês estão todos de pijama? – ele aponta para todos nós.
- Festa de pijama – dou de ombros.
- Vocês só dão festas de pijamas quando eu nunca estou por perto.
- É porque você acaba a comida toda – digo.
- Rá, vou vestir a vigor e já volto – ele avisa antes de sair.
- Vamos para a sala meninas. Tem mais garrafas de vinho nos esperando – as apresso saindo da cozinha.
- Tudo bem, eu fico aqui arrumando a louça – ouço Hemsworth reclamar.
Nos sentamos nó sofá, ligo a TV colocando música para ouvirmos.
- Estou pensando em levar Eli em uma viagem – Sabrina diz mordendo os lábios.
- Uma lua-de-mel para reanimar as coisas, gosto da ideia – Scar diz a encorajando.
- Acho que as coisas entre nós estão meia mortas – ela diz nervosamente. – E espero acender as chamas com essa viagem.
- Ah, sua safada – Scar atira uma almofada em Sabrina me fazendo rir.
- Guerra de almofada – Evans grita se jogando no meu colo.
- Sai daqui, Evans – grito segurando uma risada. Ele se levanta e atira uma almofada em Sabrina que grita o seu nome.
Quando Scar está quase a atirando uma almofada em mim, corro em direção a cozinha, nesse momento Hemsworth sai da cozinha levando uma almofada em sua cara.
- O que eu fiz para merecer isso? – ele pergunta.
- Muitas coisas ruins – almofadas são atiradas na nossa direção.
- Parem gente – peço.
- Vamos ver um filme? – Scar pergunta, já havíamos acabado quatro garrafas de vinho.
- Eu faço as pipocas – Sabrina diz se levantando.
- Eu ajudo – Scarlett se levanta a seguindo.
- Estou cansada – aviso me deitando no sofá.
- Olha só como essa menina é folgada – Evans diz sem acreditar. - Hemsworth, você está criando um monstro.
- Eu sou uma princesa – lembro Evans que faz uma careta.
- A minha princesa – Hemsworth fala distraidamente nos fazendo olhar para ele.
- Er... Vocês entenderam. Vou ligar para Ava e já volto.
- Como foi? O Billy? – pergunto.
- Não há volta, pela primeira vez eu me sinto bem com o fato de que as coisas não resultaram. Deixei Billy com o Scott, ele precisa dele mais do que eu.
- Nesse caso, há males que vêm para o bem.
- Obrigado por ser uma amiga paciente.
- Estou aqui para o que precisares – aviso e Evans dá um beijo em minhas bochechas.
- Pode ir logo largando estou com ciúmes – Hemsworth faz questão de sentar no meio nos separando.
- Oi, – ele diz olhando fundo em meus olhos.
- Oi, vamos procurar logo esse filme?
- Você procura – Evans diz atirando o controle no meu colo.
- Vou pegar uma cerveja quer uma mate? – Evans acena positivamente e Hemsworth nos deixa sozinho.
- É impressão minha ou vocês estão mais próximos?
- Não seja idiota, é impossível sermos mais próximos do que já somos.
- Aqui, o idiota vive com você 24/24.
- Vou contar antes do feriado – digo.
- Já era sem tempo.
- Pipoca chegando – Scar e Sabrina falam em coro
- Cerveja chegando – Hemsworth as imita dançando pelo caminho não consigo evitar uma risada.
Acabei escolhendo E.T como filme da festa de pijama, escolha essa que fora muito criticada pelos meus amigos. Preciso avisar que eu chorei junto com Sabrina na cena em que o garoto está falando sobre o amigo do outro planeta.
- Você não existe – Hemsworth sussurra quando nota que estou chorando.
- Me deixa em paz – o aviso. - Ei, Christopher, podemos fazer alguma coisa só os dois sábado?
- Sim, claro – ele dá uma pausa. - Preciso me preocupar com alguma coisa?
- Relaxa, só preciso conversar com você.
- Conheço um lugar ótimo para irmos.
- Estou tentando ver o filme e vocês os dois não se calam – Scar reclama.
Ela estava sentada no sofá conosco ao contrário de Evans e Sabrina que preferiam ficar sentados no chão .
- Desculpa – dissemos em uníssono, olhamos um para o outro e rimos.


Quatro

Caminho entre as pessoas segurando minha pequena bolsa de praia com os pés descalços tocando a areia quente do mar. Meus cachos soltos voam a minha frente tapando a minha visão. Eu havia acordado mais tarde do que esperava e nenhum dos meus amigos fizera questão de esperar por mim. A praia estava cheia de pessoas por conta da competição de surf que estava tendo naquele final de semana.
Avistei Ava em seu bikini conversando com Scarlett, seu cabelo estava mais loiro e mais curto do que a última vez que a vira evidenciando ainda mais a sua beleza. Ela era o padrão de beleza americano, loira, alta de olhos azuis exceto pelo sotaque espanhol fortíssimo.
- Finalmente você chegou – Scarlett se levantou andando na minha direção. - Mais cinco minutos e eu daria em doida.
- – Ava diz olhando para mim de cima para baixo com os seus óculos pretos escuros.
- Oi, Ava – digo a saudando brevemente. - Por favor me digam que a competição ainda não começou.
- Ainda não – Scarlett me respondeu. - Eles estão mais na frente – ela me puxa sem me dar tempo de dizer alguma coisa. Andamos pelas pessoas até avistarmos Evans conversando com Hemsworth e Sebastian.
- ! – Hemsworth deixa Evans falando sozinho andando na minha direção, seus braços me puxam para um abraço. - Fico feliz que tenha vindo.
- Não ia perder isso por nada no mundo – respondo sorrindo e Evans ri.
- Amor, você não vai acreditar no que aconteceu – Ava passou por mim como um furação se colocando bem a minha frente.
- Você se esqueceu da competição, não foi? – Evans pergunta.
- Me esqueci completamente – respondo. - Oi, Sebastian – dou dois beijos em suas bochechas e Evans ri abanando a cabeça.
- Não entendo porque que é assim tão importante a tua presença – Sebastian comenta.
- Hemsworth acredita que, se perder um campeonato, ele perde a competição. É como se ela fosse o seu amuleto da sorte.
- Mas eu não sou. Ele só ganha porque é bom nisso – dou de ombros e Evans concorda.
- Todo mundo sabe que você não é o amuleto da sorte dele – Ava comenta com um sorriso cínico em seus lábios. - Eu sou o amuleto.
- No entanto, você definitivamente é o meu – Sebastian sussurra nos meus ouvidos me fazendo rir.
- Quer que eu te ajude a passar protetor solar? – Sebastian perguntou com um sorriso pervertido em seus lábios. Assenti que sim tirando o meu short e entregando o protetor solar para ele que abriu e foi espalhando uma quantidade grande nas minhas costas.
- Não acredito que precise de ajuda até para passar protetor solar, – Ava revirou os seus grandes olhos azuis.
- Ele se ofereceu, não que seja da sua conta – respondi calando a minha boca.
- Quer que eu passe em você também? – Sebastian perguntou divertido para Ava que rolou os seus olhos.
- Tenho um namorado que faz isso por mim – seu olhar se fixa em mim. - E não sou uma criança que precisa de ajuda o tempo todo.
- Que diabos! – digo baixinho o suficiente para que apenas Sebastian ouça.
- Você fica tão bonita irritada – ele comenta terminando de passar o protetor solar e me entregando. - Se eu pudesse eu te beijaria – ele sussurrou a última parte me fazendo sorrir.
Olhei para Ava que estava demasiado entretida em seu celular para prestar atenção em nós dois. Ele se aproxima depositando um beijo estalado em minha bochecha esquerda. Naquele momento desejei que ele me beijasse.
- Vou contar hoje – os olhos de Sebastian brilharam com tal informação.
- O campeonato vai começar agora – Hemsworth falou aparecendo do nada me olhando de um jeito estranho.
- Boa sorte – Sebastian e dissemos em uníssono.
- Boa sorte meu amor – Ava o puxa beijando-o, viro o meu rosto automaticamente focando em outro ponto qualquer tamanho é o meu desconforto.
- Olha o que achamos – Scarlett diz sorrindo de ponta a ponta me entregando um picolé de limão
- Você é uma fofa, obrigada – digo sem esconder o sorriso que brotou em meus lábios.
- Achei que fosse te encontrar morta – Evans comenta direcionando o seu olhar em Ava.
- Tenho certeza de que ela teve vontade de me matar umas mil vezes e o sentimento é mútuo.
Não era segredo nenhum de que Ava e eu não nos dávamos bem. Eu tentava a todo o custo por respeito a Hemsworth ser simpática, mas tinha vezes que ela realmente sabia como me estressar. Eu ignorava a todo o vapor.
Prestamos nossa total atenção para Hemsworth que começou a sua competição. Ele tentava apanhar uma onda, mas essa acabou se quebrando. Aplaudimos mesmo assim e vimos ele se sentar na sua prancha esperando por uma onda maior. Íamos sempre conversando sobre os outros candidatos, os que tinham potenciais para ganhar a competição e quais seriam desqualificados. Aproveitei para tirar umas fotos para mostrá-lo mais tarde e guardei a máquina fotográfica na minha bolsa, focando a minha atenção no mar. Quando a competição terminou, Hemsworth saiu correndo do mar segurando a sua prancha.
- Você viu a onda que eu peguei? – Hemsworth perguntou levantando o meu corpo da areia quente. - Fiquei em segundo lugar – ele fala animado.
- Eu vi, foi incrível. Parabéns – digo quando ele me coloca no chão sentindo o olhar de Ava penetrando a minha pele como se fosse uma faca cortando cada pedaço meu. Estou completamente sem jeito porque eu fui a primeira pessoa que ele agradeceu literalmente se esquivando de Ava e se jogando em mim.
- Você realmente dá motivos para Ava – Evans comenta em meus ouvidos ao meu lado, vejo que Sebastian está com cara de poucos amigos.
Me coloco no lugar de Ava entendendo o porque dela simplesmente não ir com a minha cara. Mas, a culpa realmente era minha ou do seu namorado?
- Parabéns, cara – Evans se afasta abraçando o amigo que estava feliz da conta. Dou vários goles na minha garrafa de água, enquanto vejo Sebastian e Hemsworth conversavam.
- Relaxa, eles não vão se matar – Scarlett comentou rindo enquanto eu olhava para os dois agoniada.
- Você sabe como o Hemsworth é meio protetor – digo abanando a cabeça. - Parece que a minha mãe teve outro filho e esqueceu de me avisar.
- Ele é super protetor apenas com você – ela me relembrou debochada me fazendo revirar os olhos.
- Tá, que seja.
- Bem nós vamos indo que precisamos passar no restaurante – Evans finalmente largou o celular para me dar um pingo de atenção.
- Mas já? Achei que vocês fossem almoçar connosco – digo desapontada.
- Quando você vai contar sobre o seu casinho com o Stan? Nem morto! – olho feio para Evans me virando para a ruiva que apanhava as suas coisas e colocava os óculos de sol.
- Tenho umas coisas para resolver com um fornecedor – Scarlett me avisa sorrindo. - E se quer tanto um mediador, leva o Sebastian – ela me diz sorrindo diabolicamente.
Os dois se afastam largando beijos no ar até desaparecem pela praia me deixando sozinha naquele local cheio de gente. Coloco as minhas chinelas na areia as calçando andando até Ava que conversava com Sebastian. Ela piscou duas vezes quando viu que eu me aproximava.
- , a que devo a sua presença? – Ava perguntou debochada acabando com toda a minha vontade de chamá-la para o almoço.
- Vim me despedir do Sebastian – respondo gentilmente me virando para o romeno a minha frente que me encarava sem emoção nenhuma.
- Está namorando, Sebastian? – Ava me cortou antes que eu me pronunciasse.
- Pode se dizer que sim – ele respondeu sério a encarando. – Por quê?
- Só para avisar a ela para tomar cuidado com certas pessoas que são ladras de namorados. Tranquei a cara no mesmo segundo me preparando para dizer algumas coisas, quando as mãos de Sebastian me puxaram para atrás dele.
- Quanto a isto estou safo. Não gostaria que minha namorada ouvisse tais paranoias ou ela pode acabar como você – Ava resmungou algo e saiu disparada nos deixando sozinhos. Me pergunto como Hemsworth consegue namorar alguém tão detestável como ela. Sebastian toca o meu rosto chamando toda a minha atenção para ele.
- Você não deveria ligar para o que Ava fala – ele me alerta olhando para o caminho que a loira fez.
- Eu não ligo – digo suspirando cansada.
- Preciso ir, vou almoçar com os meus pais – antes de ir ele beija as minhas bochechas e me abraça antes de seguir o mesmo caminho que Ava seguiu.
Não demorou para Hemsworth chegar de banho tomado segurando a sua prancha nos braços.
- Vamos kiddo? – ele perguntou sorrindo.
- Vamos – respondi me aproximando dele.
Levei Hemsworth para almoçar em um restaurante havaiano perto de Malibu, o Duke’s Malibu, a combinação da decoração havaiana mais moderna e requintada com decoração costeira. Na entrada do restaurante, estava a estátua do surfista havaiano Duke Kahanamoku. O interior do restaurante era um contraste entre azul e amarelo gritando de tanta beleza. Fizemos os nossos pedidos e conversamos a maior parte do tempo. Tenho certeza de que várias pessoas nos olharam feio de tão alto que eu gargalhava.
- Tem mais alguma surpresa de que deveria saber? – Hemsworth perguntou enquanto andávamos a beira-mar.
- Não – respondo sorrindo.
- Caramba – ele gritou quando uma onda passou por nós e eu saltei no seu colo.
- Não ria – digo dando um tapa em seus braços. - Eu devo sempre parecer uma idiota do teu lado.
- Na maior parte do tempo, sim – ele revela me fazendo revirar os olhos.
- Idiota – dou um encontrão em Hemsworth que ri com o que eu digo. Andámos mais um bocado pela praia.
- Ser sequestrado por você não é uma péssima ideia, kiddo – Hemsworth sussurra perto do meu ouvido fazendo um arrepio percorrer o meu corpo. - Não vais mesmo me dizer para lugar estamos indo? – ele pergunta impaciente.
- Chegamos, sr. Eu não sou nada paciente – digo tirando o cartão da minha bolsa e passando duas vezes. Retirei a minha bicicleta enquanto eu esperava Hemsworth fazer o mesmo. Subi na bicicleta esperando Hemsworth fazer o mesmo.
Seguimos a trilha da praia durante vinte minutos até chegarmos ao lugar que eu queria e largamos as bicicletas no ponto trancando-as.
- Eu não sou impaciente – reviro os meus olhos segurando uma risada.
Duas quadras depois a entrada de Grom, a melhor sorveteria, jamais pareceu mais convidativa. Entramos e fizemos os nossos pedidos.
Enquanto eu me contentava com um cone de baunilha, Hemsworth devorava um cone de manga. Fala sério, quem gosta de sorvete de manga?
- Você escolheu sorvete de manga para não partilhar comigo? – perguntei sem acreditar no que eu estava vendo.
- Não é culpa minha que não gostes de coisas exóticas, – reviro os meus olhos terminando o meu sorvete enquanto andávamos em direção as mesas.
- A sua água, senhorita – o atendente me entrega a garrafa de água piscando os olhos na minha direção. Hemsworth em resposta passa um braço pelos meus ombros depositando- o assim enquanto as suas mãos livres entrelaçaram as minhas. Olho sem jeito para o garçom dando um sorriso amarelo.
- Obrigada – largo as suas mãos o olhando feio. - O que foi isso?
- Isso o que? – Hemsworth desconversa olhando para os meus olhos.
- Isso não foi legal – tento soar chateada.
- O cara tem no máximo dezessete anos. Estou te salvando de ser presa por pedofilia.
Inclino o meu corpo pousando a minha cabeça em seus ombros olhando para o garoto. Hemsworth tinha razão, o que só me deixa irritada.
- Você sabe que eu sei me defender sozinha, não é? – digo encarando os seus olhos azuis cristalinos.
- Apenas queria uma desculpa para tocar em você – ele pisca os seus olhos na minha direção, seguido de um sorriso maroto. Se não o conhecesse diria que estava flertando comigo, mas era apenas Chris Hemsworth sendo ele mesmo.
- Eu te mereço – falei e ele depositou um beijo nas minhas bochechas sorrindo.
- O que você queria falar comigo? – ele pergunta bebendo a minha água.
- Não é algo assim tão importante – me preparo para largar a bomba. Seu celular começa a tocar.
- Preciso atender – ele se levanta me deixando sozinha voltando com a expressão facial de preocupação. - Desculpa.
- O que aconteceu? – perguntei preocupada quando vi o seu olhar perdido e preocupado.
- Ava bateu com o carro – Hemsworth me avisa soltando o ar pesadamente. - Desculpa , mas eu preciso ficar com ela. Ela está muito abalada.
- Tudo bem eu entendo – respondo assentindo. - Me ligue se precisarem de alguma coisa.
Ele me olhou por uns segundos assentindo e voltou a atenção para o seu celular. Aproveitei para chamar um Uber e ir para casa aproveitar o restante do meu sábado fazendo absolutamente nada.


Cinco

Joguei o meu corpo no enorme sofá deixando o cansaço dominar o meu corpo. O silêncio que predominava a casa era acolhedor. Fechei os meus olhos por uns segundos ouvindo passos na minha direção. Abri os olhos encontrando as iris de Evans me encarando.
- O que foi?
- Oi, Evans. Como você está? – ele falou em um tom retórico revirando os olhos se sentando ao meu lado.
- Oi – é tudo o que eu digo encarando a enorme TV ligada.
- Como foi? Desembucha logo – ele pede comendo pipoca tirando da vasilha grande em seu colo.
- Eu não contei.
- Você amarelou? – ele perguntou divertido.
- Ava bateu com o carro – ele fez uma expressão de choque que suavizou com a minha próxima fala. - Ela está bem, nada de ruim aconteceu.
- É como dizem, vaso ruim não quebra – olho para ele chocada e ele ri como resposta.
- Você é terrível – abano a minha cabeça roubando pipoca.
- Quer ver um filme? – ele me pergunta mexendo no celular.
- Quero – respondi tirando as chinelas cheias de areia.
- Evans, querido, cheguei – Scar falou animada. - Oi, pessoa. Como foi lá com o seu outro namorado?
- Scar! – grito fazendo cara feia enquanto a ruiva apenas ri divertida.
- Qual é! Estou à espera desse momento desde que vi você e Sebastian se agarrando na sua festa no ano passado – ela revela divertida.
- Ela não contou – Evans se apressou em dizer.
- É mesmo? Passa a grana pra cá, Evans.
- Não acredito que vocês apostaram – digo abismada enquanto Evans passa a nota de cem para Scarlett que pisca os olhos na minha direção.
- Não acredito que acabei de perder uma nota alta por sua causa – ele revela irritado.
- O que aconteceu dessa vez para você não contar? – ela pergunta curiosa se sentando entre nós os dois.
- Ava aconteceu – respondemos juntos.
- Não estou surpresa – ela comenta. - Você decidiu o filme? – ela pergunta para Evans que está bebendo sua cerveja. Faço uma cara de nojo pela sua combinação nada gostosa.
- Fui distraído pela senhora “eu só arrumo encrenca”.
- Ei, que feio isso – dou um tapa em seu ombro.
- Não sou o seu saco de batata.
- Eu escolhi Nothing Hill – Scarlett solta um suspiro apaixonado.
- Sim, por favor – digo colocando as minhas pernas na mesa de centro.
- O meu voto não conta? – ele pergunta.
- Meu voto e da Scarlett já são dois contra um – pisco os meus olhos ouvindo Evans reclamar.
- Vocês duas separadas não prestam, juntas são terríveis.
- Como eu fico feliz por ouvir isso, querido – Scarlett pisca os olhos em direção a Evans que fecha a cara automaticamente.
O filme começa e estou distraída no celular e quando volto a minha atenção a TV, o personagem de Júlia Roberts está na livraria pedindo ajuda para o personagem do Hugh Grant, que com o seu sotaque inglês estava um sonho. A medida que o filme rodava, Scarlett e eu trocamos suspiros apaixonadas. Nada melhor do que uma dose de comédia romântica para melhorar o dia de qualquer um. Quando o filme terminou já havia escurecido. As estrelas no céu e a lua estavam iluminando a noite. Levantei o meu corpo deixando Scarlett e Evans conversando. Eu nunca havia dito aos dois, mas meu sonho de consumo era ver os dois juntos.
Olhei para o meu celular vendo mensagens e chamadas perdidas de Sebastian. Ele com certeza não sabia o significado da palavra ocupada.


S: Como foi?
: Você poderia vir até aqui?
S: Chego em meia-hora.
: Okay.

Eu sabia que Hemsworth não ia dormir em casa presumindo que ele ia querer passar o tempo todo ao lado de Ava. Os pais de Sebastian estavam na cidade e lá não teríamos tanta privacidade.
Coloco AM, o álbum dos Artic Monkeys, para tocar. Enquanto desfaço o coque e tiro o short e o maiô.
Depois do banho, saio com o cabelo pingando. Coloco um pijama e desço as escadas ouvindo a campainha tocar.
Abro a porta vendo Sebastian me encarando com um sorriso em seus lábios.
- Oi, – ele se inclina selando os nossos lábios.
- Oi, Sebastian – digo sorrindo fechando a porta de casa. Evans estava na sala vendo notícias. - Te importas se ficarmos no alpendre?
- Não.
O alpendre da nossa casa estava cheia de flores e plantas a sua volta com um piso de madeira e um balanço de madeira com almofadas para as pessoas se sentarem. O teto era totalmente envidraçado permitindo olhar para as estrelas.
- Eu sei que eu disse que contaria hoje, mas não deu – comecei o meu discurso logo. A expressão de Sebastian mudou da água para o vinho.
- Por quê? – ele perguntou com a voz carregada de raiva. - Deixa adivinhar, você não conseguiu.
- Não foi isso que aconteceu.
- Ah, por favor, – ele abanou a cabeça se levantando. - Vai dizer que Hemsworth não aguentou a notícia e você não conseguiu dizer que estamos saindo.
- Independente do motivo, eu achei que você fosse compreender.
- Ser compreensivo é o que eu mais faço – ele respondeu irônico.
- Eu realmente ia contar – me defendi em vão.
- Você passou quatro horas com ele e não conseguiu contar. O que você espera que eu faça. Você quer que eu aplauda por finalmente tomar coragem para contar algo que já deveria ter contado? Não vou fazer isso, .
- Não é assim tão simples.
- Sabe porque é que não é assim tão simples , , porque você ainda gosta dele – ele grita me fazendo me encolher aonde estou.
- Eu já falei que eu não sinto mais nada – falei tentando me manter calma.
- Por favor, eu vi vocês os dois, o jeito como vocês se olham.
- Sebastian, não começa – aviso o cortando. - Você está vendo coisas que não existem. Já falei outras vezes, eu não sinto mais nada por ele – falei alterada, mas ainda sim em um tom de voz calmo.
Ele me lança um olhar frio na minha direção.
- Você não me deixa explicar o motivo pelo qual eu não contei. Você me ataca antes de sequer me ouvir.
- Me diga então porque não contou – ele pediu debochado. Respiro duas vezes tentando me manter o mais calma possível.
- Ava bateu com o carro – dou um suspiro pesado. - Eu não controlo o que acontece com outras pessoas – Sebastian pisca os seus olhos na minha direção se sentando.
- Eu não sabia.
- Porque você pensa que as coisas precisam ser do seu jeito – digo irritada. - Elas não são, Sebastian. Estou cansada de brigarmos sempre pelos mesmos motivos.
Cansada era pouco para descrever como eu me sentia. Eu me sentia saturada.
- Eu não ia adivinhar isso – ele me diz com uma expressão culpada em seu rosto.
- Você precisa confiar em mim ou nunca vamos dar certo.
- – ele me chama me fazendo olhá-lo.
- O que foi?
- Odeio ficar desse jeito com você – ele se aproxima acabando com toda a distância
entre nós.
Isso era o mais próximo de um pedido de desculpas que eu terei. Sebastian sendo leonino, jamais admitia o seu erro. O que realmente não facilitava as coisas entre nós.
- Eu também – digo sem esconder o fato de que estou chateada com ele. Aliás, provavelmente minha cara está trancada nesse momento.
- Vem cá – ele estende as mãos me chamando para me aproximar. Continuo parada quando ele se aproxima e entrelaça as nossas mãos e sela nos nossos lábios. Partimos o beijo quando ouvimos alguém limpar a garganta.
Puta merda!
Hemsworth está nos olhando com o semblante sério e Ava está com um sorriso em seus lábios nos olhando. Engulo em seco o encarando sem saber o que fazer ou dizer.
Silêncio.
O olhar de Hemsworth preso em mim e Sebastian me dava calafrios.
- Vocês estão juntos? – ele perguntou cravando o olhar em mim. Eu sabia que aquela pergunta era para mim, mas eu não conseguia responder.
- É claro que estão, amor – Ava deu um suspiro de felicidade que me fez querer revirar os olhos. Eu sabia bem o motivo da felicidade dela.
- Estamos sim juntos – Sebastian apertou a minha cintura me puxando mais perto dele.
- Sim – fora tudo o que eu dissera.
- Há quanto tempo?
- Estamos saindo tem seis meses – Sebastian diz brincando com os meus dedos.
- Seis meses – ele repete me olhando sério.
- Eu sabia que havia algo entre vocês os dois – Ava diz com um sorriso em seus lábios. - Eu falei para você, amor.
- É – Hemsworth limpa a garganta nos olhando e pega nas mãos de Ava. - Eu é que achei que meus melhores amigos me contavam tudo – Hemsworth saiu nos deixando sozinhos.
Meu coração apertou ao ouvir tal frase. Respirei fundo me virando para Sebastian que não conseguia esconder a sua felicidade.
- Poderia ser pior – Sebastian toca o meu rosto pedindo a minha atenção sobre ele, estou parada encarando a porta de casa confusa.
- Eu vou entrar – digo começando a me despedir.
- Te vejo amanhã, – ele toca os meus lábios e se afasta me encarando.
Entro em casa encontrando Ava e Hemsworth batendo um papo. Passo pelos dois indo para o meu quarto.
Estou nervosa! Estou tão nervosa que estou tremendo. Tento em vão me distrair, mas não resulta. Não sei quanto tempo eu fiquei jogada na cama encarando o teto com um aperto no peito. Estou faminta e pelo horário tenho a certeza de que todos estão dormindo. Desço às escadas e acendo a luz da cozinha procurando por algo comestível.
- – solto um grito e me viro encarando Hemsworth.
- Hemsworth, quer me matar do coração? – pergunto quando os meus batimentos cardíacos vão diminuindo.
- Não – ele responde seco. - Você está apaixonada por ele?
- O quê? – pergunto sem entender.
- Sebastian, – ele diz irritado. - Com todas as pessoas no mundo, você precisa mesmo namorar ele? – tranco a cara automaticamente não acreditando no que estou ouvindo.
- Você não pediu minha autorização para namorar Ava.
- Você escondeu de mim que estava saindo com Stan, tem ideia de como isso me magoa?
- Não preciso pedir sua autorização para sair com alguém – estou visivelmente irritada.
- Você não entende – ele diz tentando se explicar, nossos olhares estão presos um no outro e posso ter visto tristeza no seu.
- Então me explique – ele abre a boca, mas acaba desistindo.
- Deixa pra lá – ele diz abrindo a geladeira.
- Ah, não – toco em seu ombro chamando sua atenção, ele me encara por uns segundos e dá um suspiro. - Você poderia ao menos fingir que está feliz por mim.
- Eu estou – ele diz sério sem alguma emoção em sua voz.
- Você é um péssimo mentiroso.
- Não fui eu quem andou escondendo um relacionamento.
- Vai- se foder, Hemsworth – digo me retirando da cozinha.
Meu apetite estava reduzido a nada. Eu sabia que era a errada da história, mas ele simplesmente não facilitava as coisas para o meu lado.

?


Eu não via Hemsworth pela casa faziam exatamente três dias de puro desencontros. Era bom porque cada um ficava no seu canto. Sebastian andava mais feliz do que nunca e fazia questão de não o esconder. Betches estava uma zona com a chegada do baile para a parada o que sobrava muito trabalho para mim que aceitei a ideia de Julian.
Beatrice apenas concordou com a ideia desde que fossemos nós a organizar tudo. Entre encontrar modelos, encontrar o local perfeito e enviar os convites, tudo estava uma zona para nós os dois, o que resultava em uma semana passando mais tempo no trabalho. Fugindo o ambiente deprimido da Betches, Julian e eu estávamos sentamos no chão do seu apartamento fazendo a colagem para as mesas distribuindo lugares para cada convidado.
Betches era uma revista online com bastante visibilidade.
- Não aguento mais fazer nenhum recorte – ele comenta largando a tesoura na mesa de centro. Meu polegar estava doendo de tanto cortar papel.
- Nem eu estou – digo colando o último nome na penúltima mesa que era a que faltava.
- Vou te enviar as listas de convidados que confirmaram a presença deles.
- Você recebeu o meu e-mail com os nomes dos modelos?
- Sim, fiquei feliz que Antoni resolveu trazer o restantes dos Queer Eyes.
- Eu também. Isso anima mais pessoas – bato palmas animada.
- Ah, , você precisa ligar para a associação LGBT que vamos doar o dinheiro.
- Sobre isso, andei pensando em ajudarmos outras comunidades também. Sei lá, seria legal – dou de ombros e ele concorda.
- Dependendo do dinheiro que formos arrecadar, seria uma ótima ideia – levanto o meu corpo sentindo dores nas pernas de tanto tempo que eu fiquei sentada no chão. Sem contar que eu estava com fome. Meu estômago implorava por comida.
- Nos vemos amanhã – dou um abraço em Julian e pego nas minhas coisas saindo do seu apartamento.
Quando cheguei em casa, as luzes já se encontravam apagadas, andei pela cozinha abrindo a geladeira encontrando tacos intocados. Sorri agradecida pelo anjo que decidiu deixar jantar para mim aquecendo no micro-ondas e comendo logo em seguida.
Sentei na bancada enquanto comia tranquilamente quando Hemsworth entrou na cozinha vestindo apenas a calça do seu pijama. Quando os nossos olhares se encontraram senti uma sensação de saudade tomar conta do meu peito.
- Boa noite, kiddo – ele falou abrindo a geladeira e pegando uma garrafa de água.
- Boa noite, Chris – falei terminando os tacos que estavam uma delícia provavelmente, foram preparados pelo chef ao meu lado.
- Odeio brigar com você – Hemsworth comentou soltando um suspiro. - , por favor, fala comigo – ele implorou tocando o meu rosto. - Eu sei que você sente a minha falta do mesmo jeito que eu sinto a sua falta. Não falar com você está me matando.
- Uma morte lenta ou uma rápida? – pergunto mordendo os meus lábios olhando para os seus olhos.
- Tão lenta que dói – reviro os olhos com o seu drama, mas gostando da sua resposta.
- Me perdoa? – ele pediu depositando beijos pelo meu rosto.
- Para seu idiota – pedi sentindo seus lábios tocarem a minha testa, nos entreolhamos por uns segundos e Hemsworth beijou a ponta do meu nariz descendo para o meu queixo.
- Fala que você me perdoa ou eu continuo com os beijos – sua frase teve tamanho impacto em mim, que eu me arrepiei toda. Ainda rindo balancei a cabeça deixando a minha voz ganhar forças.
- Eu te perdoo, idiota – seus braços me puxam para um abraço desajeitado. Deixo os meus braços no seu pescoço apoiando a minha cabeça em seu peito ouvindo os seus batimentos cardíacos.
- Você sentiu a minha falta? – ele pergunta do nada me fazendo revirar os olhos com a sua pergunta. Estou me sentindo igual ao jardim de infância.
- Não – digo sentindo as suas mãos deslizarem pelos meus braços. Não estou mais pensando direito, a única coisa que penso é como será tocar os seus lábios. Limpo a minha garganta me afastando de Hemsworth o mais rápido possível. Se eu continuasse com aquela linha de pensamentos eu iria cometer uma loucura. Como um alarme minha mente se desperta enquanto Chris me encara e eu o encaro de volta descendo o meu olhar para os seus lábios carnudos.
- Vou para a cama – aviso descendo do balcão quando sinto as suas mãos me puxando para perto dele.
- O que foi? Você ficou pálida de repente – ele me olha preocupado.
Acontece que você é o meu problema, tem sido exatamente durante os três anos em que nos conhecemos e ficar perto, tão perto, não me ajuda em nada porque eu quero conhecer certos pedaços teus que não posso.
Ignorei tal pensamento abanando a cabeça numa tentativa de expulsá-los.
- Está tudo bem, acho que o jantar não me caiu bem – revelo dando um sorriso amarelo.
- Você quer água ou outra coisa?
- Não, obrigada – depositei um beijo em sua bochecha me despedindo. - Dorme bem, Chris.
- Fique bem, kiddo.
Tirei o casaco largando a minha bolsa e tirando os ténis ligando o meu MacBook iniciando depois uma chamada com Sebastian. Eu prometera que ligaria assim que chegasse a casa.
- Olhe esse rosto bonito – Sebastian comentou assim que a chamada começou.
- Como você é convencido – ri fraco para ele.
- Você não acha que está usando muitas roupas, ?
- Não é possível que você pense em sexo o tempo todo.
- Não o tempo todo, só quando fico muito tempo sem te ver – gargalho alto sem me importar se alguém iria ouvir.
- Fala logo o que tu queres.
- Vale lembrar quem ligou para quem – ele começou a falar.
- Simplesmente porque você me fez prometer que eu ligaria, Sebastian.
- Você tinha a opção de não me ligar, mas ligaste.
- Sim, porque eu não queria uma chuva de mensagens dizendo que eu não me importo com você.
- Ei, você está me chamando de dramático? – ele perguntou incrédulo.
- Eu nem preciso, todo mundo sabe que é a verdade – tento controlar uma risada, mas acabo soltando de qualquer jeito.
- Droga, preciso acabar com esse rumor.
- É um fato, senhor Sebastian.
- Ah, lembrei porque eu queria tanto falar com você – ele fala animado e sem esconder o sorriso que cresce em seus lábios. - , você me dá a honra de ir a um encontro comigo?
- Sim, sim – respondo animada.
Me lembrando que por sermos casuais, nunca tivemos um encontro de verdade. Estávamos sempre acompanhados de amigos ou colegas de trabalho. E nunca agíamos como um casal. Nossa relação era mais física e agora que Hemsworth sabia de que estávamos juntos, eu via outro rumo para as coisas entre nós.
- Tem apenas um porquê – ele me avisa triste.
- Qual ? – pergunto curiosa em saber o que era.
- Terá que ser depois da minha viagem a Londres – arqueio as minhas sobrancelhas tentando entender.
- Você vai para Londres a prazer ou trabalho?
- Trabalho e nem tente arrancar o que quer que seja de mim – ele abana a cabeça.
- Você não vai mesmo me contar o que é? – perguntei sem acreditar no que estava ouvindo. Sebastian balança a cabeça me fazendo morder os meus lábios com a ideia que eu tivera. Vou abrindo os botões da minha camisa branca vendo-o engolir em seco do outro lado da tela.
- Isso é golpe baixo – ele diz sem desviar o olhar do meu peito seguindo cada movimento meu enquanto tiro a minha calça jeans ficando apenas com a camisa aberta mostrando o meu sutiã preto rendado.
- Estou indo tomar banho, não tem nenhum golpe baixo aqui.
- Uhum – Sebastian sussurra me fazendo sorrir internamente com o fato de que mesmo longe, eu conseguia mexer com a mente dele.
- ? – ouço a voz de Hemsworth seguida de uma batida na porta.
- Nem pense em deslizar essa chamada – Sebastian me avisa entre dentes, mas já tarde demais, eu já fechei o MacBook abrindo a porta para Chris que está sem reação que olhando da cabeça aos pés.
- E-e-e-e-u preciso falar com você – ele fecha os olhos e retira o casaco colocando sobre o meu corpo. Não consigo evitar deixar um sorriso nascer em meus lábios.
- Não estou com frio, Chris – aviso retirando o casaco e o entregando.
Chris limpou a garganta me olhando de cima para baixo com os olhos cheios de desejo.
- Estou organizando uma festa surpresa para o , preciso da sua ajuda para mantê-lo distraído durante o dia todo.
- Eu posso fazer isso – respondo com um sorriso.
- Era isso, boa noite, .
- Sonhe comigo, Chris – faço questão de sussurrar o seu nome deixando-o pairar pelo ar.
Hemsworth se vira me encarando parecendo em uma luta interna para dizer alguma coisa. Aceno quando vejo ele entrar no seu quarto sem antes deixar de ouvir ele soltar um palavrão alto. Tiro a camisa entrando no quarto em direção ao meu banheiro lugar esse que eu tomaria um banho quente.


Capítulo 6

estava completando 27 anos, como tradição, passamos algum tempo juntos de modo a completar o vazio deixado pelo facto de que sentimos falta de casa. Passei em uma loja de decoração de festas comprando um balão do Mickey, preto e branco, que dizia parabéns. Se havia uma coisa que eu e partilhávamos, era amor pela comida mexicana. Nossa família costuma conhecer vários lugares sendo que um dos lugares que nossos pais fizeram questão de nos mostrar a beleza cultural e enriquecedora fora o México.
Meu irmão sorriu assim que abriu a porta e me viu segurando o balão enquanto eu cantava a conhecida canção parabéns a você.
- Feliz aniversário, cabeça – digo o abraçando.
Céus! Como eu sentia falta dele.
- Obrigado, irmãzinha – ele procura por algo antes de fechar a porta. - Cadê a sua calda?
- ! – o fuzilo com o olhar. - Pare de chamar o Sebastian desse jeito.
- Não vou – ele respondeu. Revirei os meus olhos sabendo que ele realmente não iria parar com o apelido nada carinhoso para o meu quase namorado e amigo dele.
- Ele está viajando. Não te avisou? – pergunto distraída.
- Deve ter avisado, não sei – ele deu de ombros e encarou a sacola que estava nas minhas mãos o tempo todo.
- O que é isso?
- Eu trouxe tacos – levanto a sacola e ele sorri.
- É ótimo saber que certas coisas não mudam – despenteia o meu cabelo me fazendo soltar um grunhido de raiva.
Pego em pratos no armário do seu apartamento e coloco na mesa do centro abrindo as sacolas. Eu estava morrendo de fome, apetite definitivamente era algo que fazia parte da família. Tiro um taco e o ataco sentindo o gosto familiar que eu tanto amava.
estava jogado no sofá comendo e mexendo no celular distraído.
Meu celular começa a tocar, ignoro a chamada de Sebastian e vejo o meu irmão abanar a cabeça.
- Saindo com alguma garota?
- Não – ele me responde. – Também não quero conhecer suas amigas do trabalho – ele me avisa, reviro os meus olhos o fazendo rir.
- Tá certo – digo emburrada.
- Pare de tentar ajustar a minha vida amorosa e resolve a sua.
- A minha está bem resolvida.
- É mesmo? – ele pergunta divertido. - Tá ignorando a chamada do seu namorado por quê?
- Porque hoje eu tirei o meu tempo só para você – digo e ele ri. – Além do mais, ele não é meu namorado.
- Sei bem, irmãzinha.
- Talvez eu também esteja fugindo do Sebastian.
- O que ele fez de errado?
- Nada – digo dando um longo suspiro e largo o meu segundo taco inacabado no prato. - Só quero um tempo para mim.
- E o Hemsworth?
- O que tem ele? – pergunto irritada.
- Aonde ele se enquadra nesse tempo?
- Você sabe que eu já não gosto dele – o lembro e ele revira os olhos. - Somos bons amigos, tá – digo sem muita firmeza.
- , seu lance com Sebastian é mesmo sério?
- Sério que tá me perguntando isso depois de todo esse tempo? – dou uma pausa. – Não estaria com ele se não fosse.
- Então você não deveria se importar com a opinião do Hemsworth do mesmo jeito como não se importou com a minha – ele abriu um sorriso maroto. - A não ser que você ainda sinta algo por ele… – dou um soco em o fazendo soltar um palavrão.
- Já falei que é passado.
- Não precisa ficar brava – ele diz passando as mãos sobre os seus braços doridos.
- Tá, cabeça – pego no meu taco e volto a comer.
- Céus, você é realmente minha irmã – diz me fazendo rir.
Passei o resto da tarde com jogando conversa fora, nos lembrando de quando éramos mais novos. reclamava a cada chamada de algum familiar o felicitando, me fazendo rir.
- Você está rindo porque não é você, . Sei que odeias aniversários tanto quanto eu.
- Touché, cabeça – digo me movimentando pela casa.
Seu celular começa a tocar no mesmo instante e o nome Mãe na tela. atendeu o celular colocando no alto-falante.
- Filho, feliz aniversário – ela saúda completamente feliz.
- Obrigada, mãe – ele responde feliz da conta. com certeza sempre seria o menino da mamãe.
- Oi, mãe, que saudade.
- Georgina, se tivesses saudades, me darias mais atenção – ela resmunga me fazendo revirar os olhos.
- Nós nos falamos de dois em dois dias, mãe.
- Não é suficiente para uma mãe – ela me avisa choramingando. - Você vai saber quando for uma.
- Vou ligar mais do que já ligo e vamos ouvir a respiração uma da outra – aviso e ela reclama.
- Pare de roubar o meu momento, - reclama me fazendo revirar os olhos. Sempre na saia da mamã parecendo um bebé.
- Hoje o dia é só do seu irmão – abano a cabeça largando os dois indo em direção a cozinha pegar água para mim. Aproveito e mando uma mensagem para Hemsworth para saber como andavam as coisas.

: Tudo pronto?
H: Quase tudo pronto.
: Beleza.
H: Ele está desconfiando de alguma coisa?
: Não, você sabe como ele é tapado para certas coisas.
H: kiddo, você não presta.
: Hahahah

- Estás com esse sorriso nos lábios por quê? – pergunta curioso levantando as suas sobrancelhas. Dou de ombros tentando me esquivar, eu definitivamente não queria admitir que estava a reler as minhas mensagens com o Chris como uma retardada. Para princípio da conversa, eu nem sabia porque estava fazendo aquilo.
- Nada de especial – dou um gole na minha água. - Apenas algo engraçado que vi na internet.
- Sei, irmãzinha – ele responde abanando a cabeça.

As luzes de casa estão todas apagadas indicando que ninguém estava em casa. Às acendo e um grupo de pessoas aparece cantarolando feliz aniversário, com Scar segurando um bolo de aniversário.
- Você não é – Mark diz desapontado.
- Temos o mesmo DNA, obrigada pelo bolo, minha gente - passo os meus dedos levando-os na boca logo a seguir.
- , se você tocar mais uma vez esse bolo, eu te mato – Scar me ameaça me fazendo ficar com medo.
- Tá bom, tá bom – levanto as mãos me rendendo.
- Todo mundo se esconde que tem carro chegando – Ben avisa apagando as luzes.
Caminho com certa dificuldade e me jogo no sofá. Não tem esconderijo melhor do que esse.
- Você é pesada – Evans reclama tirando os meus pés da sua cara.
- Não te vi – tenho certeza que ele fez uma careta. - Desculpa.
- Calem-se vocês os dois – Scar grunhiu de raiva.
As luzes se acenderam e todos começamos a cantar os parabéns para que se encontrava surpreso. Hemsworth estava a sua atrás com um sorriso em seus lábios.
- Feliz aniversário, cabeça – o abraçou assim que todos param de cantar os parabéns.
- Obrigado irmãzinha e todos os que tiraram o seu tempo para estarem comigo hoje – diz animado.
- Vamos logo comer o bolo – Ben grita e todos rimos.
ficou conversando com Mark, Robert e mais alguns amigos da universidade que eu só conhecia de vista. Seu sorriso transparecia toda a sua felicidade, o que me deixava feliz também.
- Deixa eu sentar, irmãzinha – eu estava molhando os meus pés na piscina. -Trouxe duas coisas para alegrar o seu dia.
- O quê?
- Eu e bolo – reviro os meus olhos o fazendo me olhar bravo.
- Sou o único cara que importa na sua vida.
Reviro os meus olhos e pego o garfo das suas mãos comendo um pedaço da fatia de bolo. Nós sempre dividíamos um pedaço de bolo nos aniversários, era uma tradição dos que nenhum de nós, os dois, fazíamos questão de quebrar.
- Não precisava organizar essa festa.
- Hemsworth teve a ideia, eu só ajudei – dei de ombros e ele ficou me encarando.
- Eu sabia.
- Você sabe, eu odeio aniversários – dando de ombros.
- Menos o meu.
- Uhum, você é o meu irmãozinho – empurro o seu corpo com os meus ombros. -Te amo, cabeça.
- Também te amo, irmãzinha – nos levantamos caminhando em direção à casa.

A festa de aniversário de era mais uma pequena reunião entre amigos, pois todo mundo tinha que trabalhar no dia seguinte. Logo que entro na sala de estar, vejo Ava agarrada à Hemsworth, seu olhar está na minha direção e Ava faz questão de chamar toda a sua atenção para ela, o que chegava a ser patético.
- Shots! – alguém gritou e vi soltar um berro de animação.
- Tequila para a minha irmãzinha – gritou me entregando um copo de shot de tequila. Levei tudo para baixo sentindo o gosto de álcool se misturar com a calda doce em um contraste entre o doce e o álcool.
- Que tequila é essa? – perguntei baixinho perto dele.
- Não sei, pergunta ao Chris – ele respondeu enchendo um copo de shot entregando a Lizzie que sorriu de felicidade.
Procurei por garrafas de tequila encontrando uma garrafa que chamava por mim. Corri atrás de Evans que conversava com Jeremy animado.
- Oi, Jeremy – dei dois beijos em seu rosto.
- Olha o quão animada você está – ele falou em um tom brincalhão.
- Hoje é dia de festa – falei rindo.
- O que é isso nas tuas mãos? – Evans perguntou levantando a garrafa nas minhas mãos.
- Evans, nós temos a missão de acabar essa garrafa – digo a levantando no ar.
- Vocês não trabalham amanhã? – Jeremy arqueou as sobrancelhas nos encarando.
- Do que adianta ser o chefe se você não pode faltar no trabalho quando quer – comecei o meu discurso que eu sabia que iria mexer com ele.
- , vale lembrar que você ainda não é dona da Betches – sorri ao ouvir Jeremy dizer isso.
- Eu posso me embebedar hoje – Evans recebeu a garrafa das minhas mãos abrindo-a lentamente e levando-a a boca. – Eu posso tirar folga quando quiser.
- Vocês dois – Jeremy abanou a cabeça.
- Amanhã eu tenho trabalho em campo portanto estou livre para um estrago – recebo a tequila das mãos de Evans dando um longo gole.
- Vamos fazer um jogo – Evans dá um sorriso sacana procurando por alguém no meio das pessoas.
- O quê? – pergunto curiosa mordendo os meus lábios.
- Um jogo de perguntas e respostas e quem errar paga um mico e dá shot – Evans continua me explicando a sua ideia divina. A essência do jogo era a pessoa beber de qualquer jeito.
- Acho que tenho esse jogo no meu celular – desbloqueio a tela entrando no jogo que pede pelos nossos nomes. - Pronto, agora é só fazermos o que o jogo mandar.
- Evans acho que o jogo te ama.
Eu não fazia ideia de quantas vezes o meu nome saiu no jogo, eu já estava muito animada
- precisa se declarar na pessoa que mais a detesta ou dar cinco shots de vodka pura.
- Ava! – a loira se virou me encarando com as sobrancelhas arqueadas me estudando como se eu fosse uma doente mental. - Gostei do seu vestido combina com você – a olho de cima para baixo e quando os nossos olhares se encontram. - Se eu estivesse a fim de meninas, pegaria você.
- Você é muito estranha, – ela diz com desdém se afastando.
Perdi a conta de quantos shots eu já havia dado. Evans sorriu quando me viu virar o último copo de tequila. Ah, sim nós acabamos com a garrafa e com o meu fígado. Eu teria a bela de uma ressaca no dia seguinte.
- Só tem mais uma pergunta – ele se pronuncia me olhando com aquele olhos que pareciam inocentes.
- Não entra mais álcool aqui – eu digo me levantando. Estou tão tonta que a minha cabeça começa a rodar. - Está tudo girando – digo rindo sem parar.
Evans se levanta e ri constatando o mesmo. Ele coloca as mãos na cintura me guiando. Com certeza nós dois parecíamos dois retardados de tão embriagados que nos encontrávamos.
- Seu jogo é um saco – falei me lembrando que eu praticamente bebi sozinha. Evans simplesmente era bom em quizzes sobrando para mim.
- Olha só vocês dois – Mark abana a cabeça rindo.
- Estou com vontade de tomar banho de piscina – revelo começando a tirar as minhas rasteiras.
- Eu também – Evans começou a tirar a camisa. A piscina nunca pareceu mais convidativa do que naquele momento.
- Não! Sem banhos de piscina para os dois – ele grita me segurando pela cintura. - Scarlett me ajude com esses dois aqui – Mark se vira gritando para a ruiva que estava tendo uma conversa animada com Lizzie.
- O que foi? – ela perguntou chamando toda atenção do Mark sobre si, aproveitei essa deixa e corri saltando na piscina.
- Me espera, – Evans grita antes de correr e saltar na enorme piscina.
- Eu não aguento esses dois bêbados – Mark diz irritado. - Parecem duas crianças.
- Porque são duas crianças – Scarlett ri.
- Tá fria – reclamo nadando até a borda da piscina, ouvindo Evans grunhir concordando comigo.
- Bem feito, crianças – Scarlett abana a cabeça e nos olha feio. – Isso tudo porque não me chamaram para a diversão.
- Hemsworth, precisamos de duas toalhas – Robert sai da festa segurando uma garrafa de água, ele ri quando me vê com Evans na água. - Vocês são demais.
Nadei um pouco até ver Hemsworth chegar com duas toalhas e um sorriso em seus lábios.
- Água tá gelada? – ele atira uma toalha na direção do Evans que a agarra e começa a se enxugar.
- Terrivelmente fria – digo abanando a cabeça. Ele abre a toalha cobrindo o meu corpo com a mesma.
- O que foi? – ele perguntou confuso me encarando. Foi quando percebi que eu estava o encarando sem sequer disfarçar.
- Eu gosto dos seus olhos, são bonitos – ele ri abanando a cabeça.
- Você bebeu muito, – ele responde esquivando ao meu elogio engolindo em seco.
- Seu sorriso e a sua voz são as coisas que eu mais gosto em você – revelo mordendo os meus lábios me aproximando sem desviar o meu olhar do dele.
- Acho que você não vai se lembrar de nada amanhã – ele disse fazendo um carinho em meus cachos molhados. E para não piorar as coisas, eu disse algo que iria me arrepender na manhã seguinte.
- Eu ainda penso em você – ele pisca os olhos me olhando atónico.
- Chris! O que você está fazendo? – Ava perguntou com a voz carregada de raiva. Ele pisca por uns segundos e se afasta.
Sinto o meu estômago embrulhar e tudo ir subindo, inclino o meu corpo tirando tudo despejando perto dos pés do Hemsworth que segurou o meu cabelo. Após isso tudo, pareceu um zumbido.
- Ela não está bem, Ava – ele responde irritado. - Você quer que eu faça o quê? A largue aqui sozinha passando mal?
- Ela já é crescida e pode se cuidar sozinha – Ava responde sem esconder toda a sua falta de compaixão.
- Eu estou bem – revelo quando parei de vomitar.
- Tem certeza? – ele pergunta arqueando as sobrancelhas. Antes mesmo que eu respondesse, inclinei o meu corpo voltando a vomitar.
- Falei para você não comer tantos tacos e beber tanta tequila – falou rindo. - Que combinação nojenta.
- Seu chato – resmunguei apenas para ele com o estômago ainda as voltas.
- Eu cuido dela, Chris – ele falou dando um tapa nas costas do amigo. - Pode ir, cara.
- Me chamem se precisarem de alguma coisa – Hemsworth falou olhando para mim. Se aproximou dando um beijo na minha testa, antes de desaparecer e seguir o mesmo caminho que Ava, que deveria estar uma pilha de raiva e ódio.
- A festa é minha e você é que a faz – faz um carinho nas minhas costas.
- Precisava festejar o nascimento do melhor irmão do mundo – revelei sorrindo.
- Bem, me sinto lisonjeado, mas você precisa de um banho – ele faz uma careta de nojo. - Lizzie vai te ajudar com isso enquanto eu separo um pijama.
Subimos as escadas sem chamar atenção das pessoas sendo seguidos por Lizzie.
- Como está se sentindo, ? – abano a minha mão mostrando como me sinto.
- Você vai melhorar – ela me avisa sorrindo. Com a ajuda de Liz, entrei no chuveiro começando por molhar o meu cabelo.
- Você não quer tirar a roupa, ? – ela pergunta atirando água no meu rosto.
- Não – respondi abanando a cabeça.
Depois de escovar os dentes e vestir, saio encontrando sentado na minha cama.
- Oi, irmãzinha.
- Oi, cabeça.
- Você quer que eu durma com você hoje? – ele pergunta preocupado.
- Não precisa, já me sinto bem melhor.
- Estarei lá embaixo com o pessoal, qualquer coisa grita e eu venho correndo – ele me avisa e eu assinto.
- Feliz aniversário, cabeça.
- Obrigado, se cuida irmãzinha – apaga as luzes do quarto antes de sair, agarro a almofada fechando os olhos.

?


Eu me reviro na cama pela décima vez sem conseguir pregar os olhos. Cansada, me levanto e desço as escadas andando em direção à cozinha.
Eu havia acordado com bastante sede devido ao fato de que eu havia bebido todas na festa de aniversário de . Meu organismo implorava por comida e por água. Ficar desidratada após beber tanto não é uma das melhores das ideias. Scarlett me acordou uma hora depois de eu ter ido para a cama com um chá quentinho e uns biscoitos que eu mal toquei me concentrando em beber mais do que comer, mas agora meu estômago pedia por algo mais consistente.
Quando vejo Hemsworth apoiado na ilha da cozinha, dou meia volta indo embora quando ouço ele pronunciar o meu nome com aquela voz rouca.
Me lembro do que eu dissera antes do vomitar e quero sair correndo pela porta e nunca mais sair do meu quarto. Que merda eu havia feito?
- – ele me chama.
- Christopher – digo o olhando.
- Estás a fugir de mim? – ele pergunta divertido.
- Claro que não – respondo me aproximando. - Não sejas bobo.
- Não consigo dormir – ele comenta quando mordo os meus lábios nervosamente.
- Eu também não – passo por ele e abro a geladeira procurando por algo para comer.
Sinto o seu olhar sob mim e fiquei mais tempo olhando para a geladeira que estava praticamente vazia.
- Não tem nada comestível nessa casa.
- Tem eu – ele responde segurando uma risada. Me aproximo e mordo o seu braço.
- Você não é gostoso como eu pensei que fosse – comento o fazendo me olhar incrédulo.
- O quê? Sou sim.
- Não para mim, prefiro chocolate quente – falo fazendo bico. Nossos olhares estavam fixos um no outro.
- Pare de olhar assim para mim – ele pede desviando os olhos e olhando para outro canto da cozinha.
- Assim como?
- Deixa para lá – ele diz me fazendo revirar os olhos.
- Não vai mesmo me dar comida? – pergunto.
- Sebastian deveria alimentar você, nem sei como ele consegue te aturar desse jeito.
- Ele está viajando – digo dando de ombros. - E você tem mais paciência comigo.
- Por que você é como uma irmã – ficamos nos encarando em silêncio. Limpo a minha garganta tentando ignorar o fato de que aquilo havia me magoado profundamente.
Abro a geladeira e começo por preparar um sanduíche colocando o requeijão no pão, seguido de duas fatias de queijo. Se havia outra coisa que eu era boa na cozinha era queijo quente.
- Fale logo – digo quando noto que ele está nervoso com alguma coisa batendo com o seu pé no chão nervosamente.
- , vou me mudar para casa da Ava.
- O quê? – minha voz mal sai.
Hemsworth praticamente vivia com Ava, mas era completamente diferente quando ele as vezes dormia mais em casa.
- Eu passo mais tempo lá de qualquer jeito. Fica mais fácil para todo mundo se eu me mudar – dou de ombros fingindo que não me importo.
- Quando você se muda?
- Nesse final de semana.
- Tá certo, faz o que for conveniente para você.
- Estou fazendo – ele rebate me deixando triste.
- Fico feliz por você – digo mecanicamente engolindo em seco.
- Obrigado, kiddo – ele despenteia o meu cabelo e sai da cozinha me deixando sozinha. Ainda estou em choque com a notícia quando estou terminando o meu queijo quente divagando em meus pensamentos. Era uma questão de tempo até Chris e Ava afirmarem mais a relação dos dois. Agora mais do que nunca eu precisava arrancá-lo do meu coração. Ficava difícil convivendo com ele 24/7 mas agora com essa notícia, as coisas não teriam um caminho diferente. Eu já havia desistido de Chris anos atrás, mas ainda assim os sentimentos prevaleciam no mais íntimo do meu ser.
- Tá tudo bem, – digo para mim mesma me acalmando. - Sorria, , sorria.
Quando o céu amanheceu, eu já estava de pé e de banho tomado com a minha garrafa de água pela metade. Desci as escadas encontrando Evans e Hemsworth batendo um papo. Pela cara do Evans, eu presumi que ele havia contado as mais novas boas.
- Bom dia, meninos – digo sorrindo para os dois pegando leite e cheerios no armário despejando os dois numa bowl.
- Bom dia – os dois responderam me encarando.
- ! Você já sabe que Hemsworth está nos abandonando? – ele pergunta triste.
- Ela foi a primeira a saber – Evans pisca os olhos me encarando.
- Você não vai tentar fazê-lo ficar? – ele perguntou desacreditado.
- Não.
- Isso é loucura, cara, você está indo pelos motivos errados – Evans fala começando um sermão.
- Ava e eu decidimos que é o melhor para nós e já está na hora – ele revelou fazendo Evans revirar os olhos.
- Ela te deu um ultimato, isso para mim não é uma decisão – Evans falou irritado. -Você já se perguntou se está tomando a decisão errada?
- Evans, eu quero isso – Hemsworth respondeu irritado.
- ! Coloque juízo na cabeça desse homem.
- Evans, eu sei que você vai sentir a falta do Hemsworth, mas ele praticamente já mora com Ava – digo tentado levar um bocado de bom senso na sua cabeça.
- Tudo bem – ele deu um suspiro cansado. - Eu não concordo, mas eu te apoio – ele revela me olhando e eu assinto.
- Obrigado – Hemsworth agradeceu.
- Você precisa avisar Chad – digo me lembrando que ele chegaria em poucas horas de viagem.
- Já fiz isso – Hemsworth revelou dando um tapa no ombro do amigo.
- Porque eu sou sempre o último a saber das coisas? – ele reclama me fazendo segurar uma risada.
- Você sempre reage desse jeito, Evans – respondo e ele faz uma careta.
- Não estou me sentindo importante nas vossas vidas – ele revela dramático.
- Você é o meu confidente – pisco os meus olhos na sua direção.
- Que seja! Vamos caminhar – ele me pede como uma criança birrenta.
- Vou à feira comprar algumas coisas que faltam no estoque do restaurante.
- Tá cara, te encontro lá – Evans diz acenando e se vira me encarando.
- Como você está com essa notícia?
- Estou bem – dou de ombros o encarando. - Chris e eu somos só amigos, isso é uma certeza.
- , eu te conheço – ele diz abanando a cabeça.
- Vou ficar bem – dou um sorriso amarelo. - Além do mais, esse é o momento perfeito para focar mais nas coisas com o Sebastian.
Falando no romeno, ele chegaria de viagem no dia seguinte e teríamos o nosso primeiro encontro oficial. Eu precisava vestir algo mais bonito para a ocasião.
Decidimos caminhar no nosso bairro intercalando entre corrida e caminhada pela areia. O sol batia forte em nossos rostos e eu estava suando muito e com aquele nível estava muito fácil se desidratar. Evans e eu parávamos para recompor a respiração ou bebermos água. E assim se foi uma hora do nosso dia.

Quando cheguei no andar da Betches, vi que tudo estava uma calmaria que me deixou surpresa. Caminhei pelo escritório deixando a minha bolsa na minha secretária, descendo até ao 9º andar aonde modelos desfilavam.
- , que bom que você já chegou - Julian falou animado batendo palmas.
A minha frente estavam modelos de todos os tamanhos e beleza, o que me fez sorrir. O nosso baile seria um estrondo.
- Estou tão animada – digo e ele ri.
- Ah, minha flor, ainda precisamos dispensar alguns modelos – ele me avisa.
- Deixo essa parte contigo – ele me olha piscando sem parar.
- Posso saber bem o por quê?
- Você gosta de dispensar as pessoas e faz isso muito bem – Julian me olha com um sorriso nos lábios, aquilo para ele era um elogio.
Ah, doce Julian.
- Beatrice pediu para avisar que tem uma reunião com o pessoal – ele me avisa piscando os seus olhos na minha direção. Subo para o nosso andar e resolvo algumas coisas pendentes do baile. Aproveito para revisar uma das matérias que eu havia começado e respondo alguns e-mails importantes.
- Estou curiosa para saber sobre o que é essa reunião – Sabrina comentou se sentando ao meu lado em sua secretária.
- Não faço a mínima ideia do que possa ser.
- Estão dizendo que é sobre relacionamentos entre colegas de trabalho – Anne comenta se sentando a minha frente. Fico pálida no mesmo segundo.
- Caramba! – solto o ar respirando pesadamente.
- Minha amiga do último andar revelou que o RH fez ela assinar um documento dizendo com quem ela dormiu nos últimos meses.
- Isso é privado – Sabrina rebate.
- Não quando afeta o meio de trabalho – digo engolindo o bolão que se formou na minha garganta.
- Vocês não têm com o que se preocupar – ela nos avisa sorrindo. - Nenhuma está dormindo com peixe grande. – Sabrina ri e a olho feio.
- Isso mesmo nenhuma de nós – Sabrina comenta me olhando intensamente.
- Quero a atenção de todos vocês – Beatrice bate palmas chamando atenção de todo mundo. Mandi se levanta do seu lugar ficando mais perto dela. - Tenho um anúncio importante para fazer e quero todos na sala de reuniões em cinco minutos.
Todo mundo começa a se levantar e seguir para a sala de reuniões conversando alto como se estivéssemos no ensino médio.
Passados cinco minutos, Beatrice saiu carregando uma pequena pasta com papéis dentro dela. Me revirei quando o seu olhar passou por cada um de nós.
- Quero dizer a todos que sabemos que existem colegas de trabalhando mantendo uma relação fora daqui. Com isso, quero dizer que nós estamos cientes que muitos de vocês têm dormido uns com os outros mantendo um relacionamento que ultrapassa a vida profissional. Nós, os representantes da Betches, decidimos que apoiamos esses relacionamentos e queremos deixar claro que não queremos que uma vida apegue a outra. Desse jeito, pedimos que cada um de vocês preencham esses papéis quem estiver mantendo um relacionamento com um colega de trabalho. Seja romântico ou só sexo, esse papel precisa ser preenchido e entregue ao RH que entrará em contato para melhor instruí-los. Aviso contudo de que ninguém vai perder o emprego apenas queremos cuidar de vocês pois somos uma família unida, agora desandem daqui.
Beatrice avisa largando a pasta com os documentos encima da mesa de vidro saindo deixando todo mundo conversando alto.
- Por essa eu não esperava – Sabrina diz chamando a minha atenção.
- Nem eu – respondo assentindo.
Pego em meu celular que vibrou encontrando uma mensagem de Sebastian.

S: Gostou da boa notícia?
: Ainda estou em choque.
S: Foi isso que vim tratar em Londres.
: Não acredito.
S: Vou assinar os papéis assim que colocar os meus pés na empresa.
A única razão pela qual fiz isso foi para estarmos juntos.

Pisco os meus olhos relendo a mensagem sem acreditar nas palavras aí escritas. Fecho os meus olhos massageando as minhas pálpebras. Uma coisa era eu declarar que estou saindo com colega da redação, outra coisa diferente era declarar que eu estava saindo com um dos executivos da revista, eu seria taxada como oportunista e tudo o que eu conquistei até agora seria questionado.
Eu sabia que teria uma briga feia com Sebastian sobre esse assunto. Hemsworth mudando de casa era o menor dos meus problemas.

: Não sei o que dizer.
S: Sabia que te deixaria sem palavras.
A única coisa que você precisa fazer é assinar os papéis.
: Boa viagem, Sebastian.
S: Nem um “eu sinto sua falta?”.
Poxa, ! Que broxante.
: Volta logo estou com saudades.
Beijos.

Envio as últimas mensagens caminhando para a minha secretária encarando os documentos prontos para serem assinados e entregues ao RH, sentindo uma dor de cabeça só de olhar para eles.
- Decidindo se assinas ou não? – Sabrina perguntou.
- Meu caso é mais complicado.
- Eu sei e entendo a sua relutância toda – assinto desejando que Sebastian também entendesse o que eu poderia perder com tudo isso.
- O que farias? – pergunto me aproximando dela.
- Eu ficaria em um empasse – ela fez uma pausa. – Assinar esse documento é algo sério, uma vez assinado não há como voltar atrás.
- Eu sei – eu não me sentia preparada para assinar aquele documento e por outro lado tinha Sebastian me pedindo para tomar um pulo gigante como esse. Não era como sair por aí contando aos nossos amigos que estamos saindo juntos, era a minha vida profissional em jogo.


Capítulo 7

Olho pela janela vendo Liam e Christopher carregarem as suas coisas. Coloco o meu celular em meu bolso traseiro. Saio do quarto e me sento nas escadas ao lado de Evans.
Ele me dá um sorriso assim que dou um beijo em sua bochecha.
- Oi – Chad diz nos encarando.
- Oi – respondemos juntos. Chadwick se senta ao meu lado, coloco a minha cabeça em seus ombros olhando para os dois irmãos que fechavam o porta malas do carro.
- Oi, cunhadinha – Liam diz me fazendo sorrir. Se Ava estivesse por perto, teria nos lançado um olhar mortal.
- Oi, chato – dou um abraço em Liam.
- Ah, cara, sabe que ainda dá para voltar atrás – Evans diz ao amigo fazendo Chad rir.
- Não dá – Hemsworth responde.
- Boa sorte, mate – Chadwick diz o abraçando.
- Obrigado, mate – ele responde.
Nós nos encaramos durante uns segundos sem dizermos absolutamente nada. Apenas o silêncio predominando entre nós dois.
- Tchau, Hemsworth – abro o meu melhor sorriso e fico nas pontas dos pés para o abraçar. Seu abraço é tão quente e aconchegante que não quero largá-lo. Me afasto com um sorriso em meus lábios tentando não chorar.
- Tchau, kiddo – ele dá um sorriso e beija a minha bochecha.
Liam se despede de nós com um abraço. Saímos todos observando Hemsworth entrar no carro acompanhado do irmão.
- Agora somos só nós – Chadwick diz dando um suspiro.
- Achei que você fosse chorar, .
- Eu ia dizer o mesmo de você – respondo Evans que revirou os olhos.
- Engraçadinha – ele responde me fazendo rir.
- Só eu estou sentindo um enorme silêncio? – Chadwick pergunta brincalhão.
- Hemsworth fazia a festa da casa – digo soltando um sorriso amarelo. - Vocês querem alugar o quarto dele?
- Sem housemates novos pelos próximos meses – Evans avisa se jogando no sofá.
- Essa casa é grande para só três pessoas – Chadwick disse olhando para cada canto da casa.
- Hemsworth vai voltar, ele nos ama – Evans garante nos fazendo rir.
- Cara, acho que a Ava não o devolve mais – Chad abanou a cabeça.
- Vamos sequestrá-lo e mantê-lo contra a vontade dele – Evans propõe animado.
- Não quero ser preso por causa do Hemsworth.
- Eu vou estar bem longe daqui caso isso aconteça – declaro.
- , você é a minha parceira do crime - Evans diz soando triste.
- Eu serei a primeira pessoa que Ava vai procurar, estou fora dessa – aviso levantando as minhas mãos em sinal de paz. - Quero morrer de outro jeito.
- Tem uma coisa que faria ele voltar – Chadwick diz olhando para Evans e me olhando em seguida. - Doce .
- Não – nego me levantando.
- Você realmente não sabe porque ele foi embora? – Evans pergunta me olhando com curiosidade.
- Evans! – Chadwick o chama sério. - Pare com isso.
- Ela merece saber – vejo um sorriso diabólico crescer em seus lábios. - Foi por você, - Evans começa a rir me deixando irritada.
- Seu idiota – grito a frase me jogando na sua frente o batendo.
- Desculpe, mas a sua reação foi hilariante – atiro uma almofada em seu rosto e ele a agarra. A campainha tocou anunciando a chegada de alguém. Nos entreolhamos sem saber quem é que era naquela hora da manhã.
- Sua vez, – Chad diz mexendo no celular.
Que folgado!
- Vocês dois são uns preguiçosos – protesto me levantando em seguida.
Sebastian estava com as malas na porta de casa segurando um sorriso em seus lábios.
- ! Que saudades – ele falou me abraçando forte e me beijando logo em seguida.
- Está me machucando – falei sem respirar direito.
- Desculpa, amor, estava com saudades.
- Foram apenas três dias, Sebastian – revirei os meus olhos.
- Os três dias mais longos da minha vida – ri entrelaçando as nossas mãos.- Vamos lá pra cima matar as saudades.
- Preciso trabalhar, seu doido – ele ri e beija a minha bochecha.
- Cara, você só pensa em sexo – Evans falou no alto da escada segurando uma risada.
- Ei, mate - Sebastian o saudou animado.
- Como foi a viagem? – Evans perguntou.
- Só está chovendo em Londres – ele falou. Deixo os dois amigos conversarem e atendo a chamada de Julian.
- Alô, Julian – digo quando atendo o celular.
- , nós temos um problema – ele diz desesperado.
- O que aconteceu? – pergunto preocupada.
- A equipe de catering cancelou. Eu achei uma que fica em Claremont, mas estou preso tratando da decoração em West Hollywood.
- Me envia o endereço por mensagem – peço antes de me despedir e terminar a chamada.
- Sebastian, você precisa de carona? – pergunto para ele que conversava animadamente com Evans.
- Eu chamo um Uber depois – ele responde sem me dar muita atenção.
- Tchau, meninos – me despeço entrando no aplicativo do Uber e colocando o endereço, em Claremont, que Julian me enviou. Haviam sido 39 minutos mais longos da minha vida.
Pago a corrida quando o motorista a termina e saio do carro segurando a minha carteira nas mãos, quando ouço uma voz pronunciar o meu nome.
- ? – me virei encontrando um par de olhos castanhos me encarando.
- Tessa! Quanto tempo – a abraço praticamente a sufocando. Tessa foi a única garota que ficou com que eu posso chamar de cunhada.
- Vieste passar o verão aqui?
- Cansei de Chicago – ela falou animada. - Me mudei de volta para L.A – solto um grito de animação.
- Isso são boas notícias – digo animada e ela sorri. - Estás ocupada? – pergunto esperando pela sua resposta.
- Tenho uma reunião de negócios com Julian Fallon, mas acho que ele já não vem.
- Julian me mandou no lugar dele.
- Meu Deus, que mundo pequeno – ela ri.
- Ele me ligou muito desesperado.
- Estamos desesperados, o evento é para semana que vem – revelo e ela exclama sem acreditar.
- Bom é que a minha empresa está disponível.
- Você está de brincadeira – digo sem esconder a minha admiração. - Esse lugar é seu?
- Consegui juntar dinheiro trabalhando como sous-chef em Chicago e quando voltei para L.A, vi que era a oportunidade perfeita para ser a minha própria chefe.
- Isso é ótimo. Estou muito feliz por você.
Tessa e Hemsworth eram da mesma turma na universidade. Havia sido o mesmo quem apresentou Tessa ao e não demorou muito tempo para os dois começarem um romance.
Depois de longos seis meses, os dois terminaram com Tessa se mudando para Chicago. Nunca entendi bem o motivo do término, sempre se fechava quando ouvia o nome de Tessa ser pronunciado.
Tessa me mostrou o cardápio e suas opções como vegano, vegetariano e decidimos optar tanto pelo vegano e o cardápio normal. Decidimos o que seria feito em cada cardápio e ficamos batendo papo bebendo café como nos velhos tempos. Era bom poder colocar o papo em dia com uma amiga que não via há bastante tempo.
Consigo convencer Tessa a almoçar comigo em um restaurante em Santa Monica que Mandi havia me indicado, dizendo que a comida a lembrava o motivo pelo qual ela amava L.A.
Era um restaurante aberto como muitos em L.A, a luz solar iluminava o lugar que tinha um estilo mais bar e restaurante moderno.
- Kiddo, o que estás a fazer aqui? – levanto o meu olhar encontrando Hemsworth me encarando com um sorriso em seus lábios. Ele dá um beijo em meu rosto.
- Vim almoçar com a Tessa – falo animada apontando em direção da morena.
- Chris! Quanto tempo – ela exclama animada abraçando -o.
- Nos vimos semana passada – ele respondeu aéreo a olhando confuso.
- Espera, você sabia que Tessa estava de volta a L.A e não me avisou? – perguntei com as sobrancelhas erguidas.
- Eu pedi que ele não contasse a ninguém.
- Por quê? – minha boca lançou a pergunta antes mesmo que eu conseguisse travá-la.
- Na verdade, eu tinha medo que você contasse para – ela responde dando de ombros.
- Meu irmão vai ficar feliz por você estar de volta, eu tenho certeza disso – Tessa morde os lábios nervosamente assentindo.
- Se importam se eu me juntar a vocês – antes mesmo que respondêssemos, ele puxou uma cadeira de sentando ao meu lado bagunçando o meu cabelo.
- Idiota – reclamo fazendo uma careta e ele ri.
- Então, vocês estão juntos? – Tessa perguntou com um sorriso animado em seus lábios.
- Não! – respondemos juntos rindo em seguida.
- Nós estamos saindo com outras pessoas.
- Ah, desculpem, eu entendi tudo errado.
- O que você está fazendo aqui? – perguntei para Chris.
- Vim checar a competição – ele me responde na maior naturalidade.
- Isso é terrível.
- Acredite, é bastante comum no ramo gastronómico –Tessa me informa sorrindo.
- Me lembrem de nunca virar uma chef.
- Estamos a salvo das suas comidas - Hemsworth falou distraído e o olhei boquiaberta.
- Como é que é? – Tessa gargalhou do outro lado da mesa.
- Eu te amo, , mas quase morri de intoxicação alimentar a última vez que você cozinhou - faço uma careta ao ouvir o que ele disse. – Por isso é que nos damos tão bem, eu cozinho e você come, e nunca o contrário.
- Desavergonhado – digo logo de cara fingindo estar irritada.
- Vocês dois são engraçados – Tessa falou rindo.
O almoço percorreu com muitas risadas e lembranças de memórias antigas que pairavam em nossas mentes.

?


Beatrice havia me passado uma matéria falando sobre clube de livros para mulheres. Eu havia recebido o convite de uma das melhores amigas de Beatrice e uma das socialites mais famosas de L.A, depois das irmãs Kardashian é claro, Gwyneth para saber como as coisas funcionavam em suas leituras mensais. E a minha surpresa foi simplesmente ficar de queixo caído como aquilo era mais chique do que um clube de livros normais.
Gwyneth fez questão de escolher os melhores vinhos, champanhes e queijos para uma noite repleta de leitura. Nos sentamos todas, sendo nove mulheres no total no jardim da sua casa em pequenas almofadas lindas com estampas de cisnes.
O prato de frio estava praticamente intocado enquanto eu anotava algumas coisas importantes. Depois de lermos cada uma o seu trecho favorito do livro, fomos para a sua enorme sala de jantar com o candeeiro maior do que eu em todos os sentidos.
Na entrada da sala havia sacolas bonitas para cada convidadas que Gwyneth fez questão de entregar em mãos. O que só tornava tudo ainda melhor. É claro que os produtos noturnos e máscaras noturnas da Dior não me preveniram para o que aconteceu comigo no dia seguinte: ressaca.
Estou deitada perto da piscina bebendo uma garrafa de água mineral quando Sebastian apareceu em meu campo de visão.
- Melhorou? – ele perguntou fazendo uma careta.
- Não – respondi manhosa.
- Quer que eu fique aqui com você?
- Vai, vou ficar bem – respondo abanando a minha garrafa de água.
- Você não deveria ter bebido tanto assim – ele diz segurando um sorriso.
- Não bebi tanto assim – respondi irritada colocando o meu óculos de sol e deixando os raios solares fazerem o trabalho deles, me deixarem bronzeada.
- Vamos? – Evans está parado esperando por Sebastian. - Melhoras, .
- Obrigada – respondo sorrindo para Evans.
- Nos vemos daqui há pouco - Sebastian cola os nossos lábios rapidamente e os dois vão embora. Saio andando descalça pela casa e me atiro no sofá zapeando pelos canais da TV, quando vejo que não tem nada divertido, acesso a Netflix e coloco uma série qualquer para me distrair. Ava e Hemsworth estavam dando uma festa de boas-vindas visto que ele se mudou para o apartamento dela. Eu não estava com vontade nenhuma de ir e, bem, a minha ressaca também não ajudava, mas bendita é a minha ressaca.
Acabei adormecendo pouco tempo depois acordando com alguém sacudindo o meu corpo.
- – desperto assustada olhando para Hemsworth na minha frente. Ele sorri quando os nossos olhares se encontram.
- O que você tá fazendo aqui? – pergunto o encarando.
- Vim ver você – ele responde passando as mãos em seus cabelos loiros. - Melhorou? – ele perguntou me encarando.
Havia algo diferente em seu olhar.
- Sim, obrigada pela preocupação – me sentei no sofá. - Não precisava vir até aqui. Era só ligar.
- Eu liguei, você não atendeu.
- Eu adormeci.
- Reparei – ele respondeu andando pela cozinha, o segui indo pegar um copo de água.
- É, certas coisas nunca mudam – eu reclamo deitando a garrafa de água no lixo.
- Sempre desastrada, kiddo – ele respondeu andando pela cozinha. Reparei que ele estava usando uma camisa azul escuro, jeans claros e tênis brancos. Parei o meu olhar em seu rabo e mordi os meus lábios. Não era surpresa nenhuma que ele tinha um físico bonito. Hemsworth passava as manhãs surfando e aos fins-de-semana ele corria com Ava.
- Perdeu alguma coisa? – ele perguntou divertido.
- Não – respondi envergonhada.
Perdi mesmo foi a vergonha na cara.
- Percebi – ele respondeu com um sorriso irônico em seus lábios.
- Idiota – falei revirando os meus olhos.
Abri a geladeira pegando uma garrafa de água e bebi molhando o meu maiô. Hemsworth seguiu o meu olhar quando eu soltei um palavrão.
- Gosto desse teu jeito de atrapalhada, combina com você – ele tira uma mecha do meu cabelo do meu rosto, engulo em seco notando o quão próximos estamos, meu olhar desce para os seus lábios.
- E-e-eu lembrei que preciso pegar uma coisa lá em cima – gaguejo essas palavras me fazendo querer gritar de raiva. Saio da cozinha sem esperar que Hemsworth diga alguma coisa. Que merda foi aquela?
Estou trancada no banheiro me encarando no espelho. Mordo os meus lábios nervosamente, lavo o meu rosto e saio do banheiro.
- Hemsworth? – chamo por ele chegando à conclusão de que eu estava novamente sozinha em casa.
Sim , eu preferia mil vezes fingir que eu não sentia mais nada pelo Hemsworth do que ter que lidar com o caos dos meus sentimentos tendo certeza de que quando eles viessem, seriam como levar um avalanche. Algo que eu não me sentia nem um pouco preparada.
Como minha mãe vive me dizendo, existem sentimentos que devem permanecer intocados, guardados, e eu achava que os meus por Hemsworth eram desse tipo.
Afundo no sofá olhando para a enorme TV ligada passando um reality show. Troco os meus famosos pijamas por roupas de ginásio e saio pela porta da frente sentindo o sol bater na minha cara.
- Caramba, que sol – reclamo assim que sinto toda a luz solar bater em meu rosto.
- Está um dia lindo – Anthony Mackie, o vizinho da casa ao lado que só o vejo no verão, revelou me fazendo virar o meu rosto para ele.
- Mackenzie, quanto tempo! – exclamo vendo uma careta se formar em seu rosto.
- Corta o Mackenzie – ele fala irritado.
- Estás ocupado agora? – pergunto ouvindo Pluto, seu cachorro, latir pedindo por atenção.
- Vou dar uma caminhada com Pluto.
- Ótimo, vou com vocês.
- Olha Pluto, quem decidiu fazer uma caminhada hoje com a gente – ele começa andando na minha direção controlando Pluto pela coleira.
- Isso mesmo, a nossa vizinha insuportável, , que nós gostamos muito.
- Vou fingir que não ouvi a palavra insuportável.
- E ela fala demais, se prepare para ouvir um resumo da vida dela nos últimos meses.
- Mackie, sei que amas os meus dramas.
- Seus dramas são perfeitos com a torta de pêssego que Becky fez.
- Isso é um convite? – perguntei animada.
- Passe lá com os meninos, sentimos falta de vocês.
Sorri ao ouvir isso.
- Só dizer a hora que estou batendo na sua porta.
Mackie ri ao me ouvir, se agachando para soltar a coleira do Pluto.
- Já ia comentar que hoje é Sábado e nenhum dos rapazes estão fazendo confusão.
- Hemsworth se mudou para a casa da Ava e eles estão comemorando isso.
- Ele praticamente vivia lá! – ele exclamou confuso.
- Exatamente o que eu pensei.
- Vou mandar uma mensagem para Chris reclamando que não fui convidado para a festa.
Ele fala me encarando com uma sobrancelha erguida.
- O que foi?
- Tá fugindo de uma festa?
- Eu acordei com uma ressaca de champanhe horrível.
- Ah, ! Só você – ele abana a cabeça. - Você queria ir?
- Meu sofá é melhor do que a festa daqueles dois.
- Não estamos perdendo nada – ele me garante me abraçando pelo pescoço.
Tendo a certeza absoluta de que eram mais amigos de Ava do que outra coisa e que eu não estaria nem um pouco me divertindo. Seria eu e a minha cara de nojenta fazendo caretas quando ela dissesse algo demasiado fofo sobre os dois.
Ava e Hemsworth eram do tipo de casal que eu me perguntava como combinavam, mas ainda assim davam certo. Alguma coisa eles acertaram além da beleza.
A minha caminhada e de Mackie se resumiu em eu contando sobre as minhas aventuras enquanto ele e Becky estavam em Detroit.
Subimos o morro caminhando alheios ao nosso redor engatados em nossas conversas até chegarmos a vista que fazia tudo valer em conta. Pluto mijava em uma árvore quando o celular de Mackie tocou chamando a nossa atenção para a realidade.
Era tão bom ficar jogando conversa com Mackie. Caminhamos de volta para as nossas casas encontrando Becky com uma caneca de chá sentada nas escadas de casa com um livro intocado ao seu lado.
- Olha só quem resolveu dar as caras – ela olhou feio para Mackie me fazendo rir.
Mackie e Becky estavam juntos desde o High School e se tinha um casal que me fazia acreditar no amor, eram eles.
- fala demais – ele me acusa me fazendo soltar um gritinho de desaprovação enquanto o casal trocava um beijo rápido de saudação.
- , querida, quanto tempo! – Becky diz animada me abraçando forte.
- Tempo demais, precisamos jogar conversa fora.
- Já que você falou nisso, temos uma novidade para contar – ela levanta as mãos me mostrando um anel prateado com uma pequena pedra cintilante.
- Ah, não acredito que isso aconteceu – digo animada os abraçando. - Estou feliz por vocês.
- Obrigada, – ela agradeceu. – Entra, vamos comer torta e eu te conto como Mackie conseguiu não estragar o pedido de casamento.
Não existe combinação mais perfeita para terminar a tarde de um sábado do que torta de maçã com sorvete de baunilha. Fico mais uma hora jogando conversa fora com Becky e Mackie.
Era incrível ver como eles, depois de todos esses anos, ainda tinham aquele brilho de recém apaixonados em seus olhos.
Encontro Sebastian sentado no alpendre mexendo no celular. Ele levanta o olhar na minha direção.
- Oi, Sebastian – digo o saudando com um sorriso.
- Oi – ele me responde friamente.
Eu conseguia cheirar o drama se aproximando.
- Aconteceu alguma coisa?
- Fiquei sabendo que você não assinou a papelada como combinamos.
Deu um suspiro cansado pelo que se aproximava.
- Não.
- Não? E você fala nessa naturalidade! Qual foi o motivo dessa vez? – ele perguntou irritado.
- Eu me senti pressionada.
- Ninguém está te pressionando a nada. Eu achei que sem o RH na nossa cola, as coisas mudariam, mas pelos vistos eu me enganei.
- Você está me pressionando quando não me dá outra saída sem ser assinar o documento.
- É apenas um pedaço de papel – ele grita.
- Não é para mim – grito de volta me sentando. - Você sequer pensou em mim, só no que você queria.
- Estou fazendo isso por nós dois – Sebastian toca as minhas mãos, mas as puxo de volta.
- É mesmo? – pergunto sarcástica.
- Eu não sou o egoísta aqui – ele me acusa com o olhar.
- Ah, não, a culpa é sempre minha. Sabe o que vai acontecer quando o RH ver o seu nome no meu folheto? Todos vão assumir que cada matéria minha, eu ganhei porque estou dormindo com um executivo da revista, não pelo meu talento. Eu lutei tanto para chegar nesse patamar para ser colocada nesse rótulo.
- Eu não pensei por aí.
- Lógico que você não pensou. Não é você que vai ser tachado de vadia – engulo em seco abanando a minha cabeça. - Não é você que está na minha pele.
- , o RH serve para nos proteger.
- Você realmente acha que a notícia não vai vazar? – soltei uma risada irônica.
- O que você quer de mim, ? – ele pergunta em um tom amargurado.
- Eu só quero que você me dê um tempo para que pensar – suspiro alto.
- E sobre o que eu quero? Ele conta alguma coisa para você?
- Claro que conta.
- , eu quero poder sair de mãos dadas com você sem me preocupar se alguém da revista pode ver. Eu quero você por inteira, , você não é apenas um casinho de uma noite. Eu quero poder mostrar ao mundo que você é minha – ele beija as minhas bochechas e se afasta.
- Sebastian... – seu nome sai como um sussurro dentre meus lábios.
- Quero que dê uma chance para nós dois – seus lábios tocam os meus como se eu fosse uma boneca de porcelana e fosse partir a qualquer momento – fecho os meus olhos sentindo os meus batimentos cardíacos aumentarem.
- Eu vou... hum... pensar.
Ele ri e se afasta aos poucos.
- Boa noite, .
- Boa noite, Sebastian.

Quem é a doida que leva trabalho para casa em um final de semana? Eu mesma!
Termino a minha publicação sobre a minha rotina noturna, que produtos são os meus favoritos, quais eu uso no inverno e no verão. E, claro, os favoritos das famosas. Fecho o meu laptop me deitando na cama encarando o teto branco me encarando de volta.
Quando dou por mim, já estou descendo as escadas em direção à cozinha para mais um lanche noturno. Começo por fazer um chá de camomila.
- Ei, kiddo.
- Tá fazendo o que aqui intruso? – pergunto o fazendo rir.
- Vim pegar algumas coisas que deixei para trás.
- Com fome? – abano a cabeça negativamente.
- O que tem de errado? – ele pergunta me analisando.
- Nada.
- Agora eu tenho certeza que tem alguma coisa de errado. Fale logo, – ele falou soando como . Reviro os meus olhos continuando a soprar o meu chá.
Expliquei a situação para Hemsworth sentindo que era no máximo estranho conversar sobre Sebastian com ele por mais que fôssemos amigos.
- Você quer minha opinião? – ele morde um pedaço do queijo quente me encarando.
- Sebastian acha que estou sendo egoísta.
- Eu não te acho egoísta – ele fala calmo me encarando. - Você não quer perder tudo o que conquistou até agora o que é completamente normal, mas você precisa entender o lado do Sebastian. Ache um meio termo.
Dou um suspiro assentindo.
- Meio termo, o quão difícil deve ser? – pergunto para mim mesma encarando o nada.
- Do que você realmente tem medo, kiddo? – mordo os meus lábios fechando os meus olhos me negando a olhá-lo.
- Eu não estou com medo – limpo a minha garganta passando as minhas mãos freneticamente sobre o meu pijama. Chris toca as minhas mãos as parando.
- Então porque você tá nervosa? – ele pergunta calmo com um sorriso leve em seus lábios.
- Porque eu estou com medo de sair com o meu coração partido.
- Você não pode deixar de viver pelos seus medos e sim enfrentá-lo. – ele dá uma pausa.
- Não é assim tão fácil. Eu não sei lidar bem com amor não correspondido.
- Ninguém consegue – ele me responde aéreo. - Mas esse não é o teu caso e do Sebastian... ele gosta de você.
- O problema é que... – dou um suspiro concordando. - Eu preciso dar uma chance para ele, não é? – pergunto incerta.
- Porque você gosta dele, , e assinar o papel não vai mudar seus sentimentos por ele. Do que você realmente tem medo?
Me dou como derrotada.
Sim, eu gosto de Sebastian isso não é segredo nenhum. Se eu estava com um pé na nossa espécie de relacionamento, eu precisava estar com os dois pés. Faze-lo resultar e ver no que as coisas vão dar. Mas meu medo também era ainda nutrir algum sentimento forte por Hemsworth.
Porquê depois de tanto tempo eu ainda me agarrava aos sentimentos por ele simplesmente para lutar pelos sentimento que nutro por outra pessoa?
- Eu não faço ideia – desconverso me levantando.
Eu daria uma chance a Sebastian...eu daria uma chance a nós os dois.
- Obrigada, Chris – depósito um beijo em seu rosto me despedindo.
- De nada, kiddo – ele responde sorrindo.
Subo as escadas trocando o meu velho pijama por algo mais casual, chamo um Uber e coloco o endereço de Sebastian.
Durante o caminho, aproveito ensaiar um discurso que acabei esquecendo assim que Sebastian abriu a porta do seu apartamento.
- Oi, posso entrar?
- Oi, – ele dá um sorriso. - Entra.
Ele dá espaço para que eu entre em seu apartamento que tem o seu cheiro impregnado no ar.
- Eu também quero dar uma chance a nós dois – solto o ar aos poucos depois de soltar a bomba.
- , isso é maravilhoso. – ele me abraça pela cintura sorrindo, não deixo de sorrir de volta.
- Tudo o que eu consegui foi por mérito próprio e mais cedo ou mais tarde as pessoas vão se dar conta disso.
- Finalmente posso dizer que você é minha garota – sorrio antes de colar os nossos lábios iniciando um beijo calmo.
Sebastian sorri cortando o beijo. Meu coração dá um pulo de felicidade, me pergunto porque demorei tanto tempo.




Continua...



Nota da autora: Hello Docinhos. Eu sou uma pessoa muito esquecida e tento me lembrar de escrever a nota da autora para vocês mas acabo sempre esquecendo. Fico feliz que estejam gostando da fic. Cada vez que eu leio um comentário, fico super empolgada e quero mandar logo att para vocês lerem. A fic entrou no Top Fictions graças as vocês meus docinhos. Espero que gostem da att.

Nota de beta: Mas como assim o Chris sai da casa do nada?? Como assim ele aceita a Ava batendo o pé (ô mulher que me deixa fula)?? Como assim que a deixa ele ir depois de ter dito que sente alguma coisa por ele?? Sebastian que me perdoe, mas não sei se ele tá merecendo uma chance não, viu? Miles, adorei o capítulo, preciso urgetemente saber o que vai acontecer agora...
Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.
Para saber quando essa fic vai atualizar, acompanhe aqui.


comments powered by Disqus