Contador:
Última atualização: 04/07/2020

Capítulo 1

Uma grande aglomeração de pessoas se formava na frente da academia. O sol queimava nossos rostos e várias mães já reclamavam da demora em abrir os portões. Esta é a primeira vez que tenho que lidar com crianças diferentes das que costumo ver, que são as da vizinhança enquanto brincamos de ninja todas as tardes. São rostos novos que me acompanharão durante anos e não sei o que esperar.
Será que virar uma kunoichi é tudo o que espero? Afinal, o legado do meu clã se fixa em minhas costas e o que todos esperam de um Sutsuki é a perfeição.
Minhas mãos não param de suar devido meu nervosismo e tento sempre lembrar das palavras de minha mãe me desejando boa sorte em um dia tão especial.
Meu pai, Sutsuki Ren, conversava animadamente com um amigo, que também era um shinobi, enquanto eu me escondia atrás de suas longas pernas.
- , esse é Hatake Kakashi e ele vai fazer parte da academia com você. Espero que vocês se tornem grandes amigos como eu e Sakumo somos. – meu pai me puxou para sua frente e passou a mão em minha cabeça. Olhei para o garoto de cabelos cinza parado em minha frente e analisei como ele é parecido com seu pai. Sua máscara preta cobrindo o rosto deixa uma curiosidade sobre sua aparência.
Não me lembro de ouvir esses nomes em nenhuma conversa de meu pai. Se Sakumo é tão amigo dele como diz, por que ele nunca apareceu para o jantar? Ou até mesmo no meu aniversário de cinco anos no ano passado?
Antes que eu pudesse dizer qualquer coisa, um homem que provavelmente é um chunnin chamou a atenção de todos e pediu para as crianças entrarem. Com certeza ele seria o nosso sensei. Meu pai deu um beijo em minha cabeça e se despediu, partindo com o Hatake mais velho.
A sala em que passaríamos muito tempo aprendendo sobre o mundo shinobi era grande e confortável para todos os alunos. O garoto de cabelos cinza se sentou na quarta fileira de mesas e cadeiras. Por ser o único rosto conhecido, sentei-me ao seu lado.
- Não é porque nossos pais são amigos que precisamos ser também. – ele disse em minha direção. Fiquei surpresa com tamanha grosseria, que foi totalmente desnecessária.
- Eu não me lembro de ter feito tal pedido, aliás, não preciso da sua companhia. – retirei-me da cadeira e passei a olhar procurando por um novo lugar. Vi um garoto que estava com a cabeça abaixada e sozinho, ele parecia estar deslocado assim como eu em comparação aos outros alunos. - Posso me sentar aqui? – perguntei ao menino que ajeitou seus óculos amarelos no rosto e abriu um largo sorriso.
- C-Claro, não tem ninguém sentado aqui, mas se tivesse teria o lugar da ponta que poderia ser seu também. Eu sou Uchiha Obito e você? – o garoto de cabelos pretos perguntou.
- Sou Sutsuki . – sentei-me e sorri para ele.
- Sutsuki? Seu pai é Sutsuki Ren? – Obito perguntou de forma curiosa.
- Sim. Você o conhece?
- Quem não o conhece? Ele é um dos melhores da folha. Todo mundo conhece suas habilidades em taijutsu e ninjutsu, ele é incrível. – os olhos do Moreno brilhavam ao falar de meu pai. – Será que ele pode me ajudar a despertar meu sharingan?
- O que é um sharingan? – perguntei.
- É um poder único do clã Uchiha e preciso dele para eu poder virar hokage um dia…
O sensei adentrou a sala, o que acabou interrompendo Obito. Ele trazia vários papéis em suas mãos e entregou para cada aluno presente. Quando peguei, vi que era uma ficha de dados para a academia que teríamos que preencher em casa e levar no dia seguinte.
- Pequenos prodígios, eu sou o Aoki-sensei, e a partir de hoje ensinarei tudo o que vocês precisam saber sobre o mundo shinobi. Para vocês se tornarem perfeitos shinobis, vocês têm que entender que konoha é uma grande família e a devemos amar acima de tudo. Konoha é nosso lar, é para onde voltamos depois de missões, onde encontramos nossos amigos e temos carinho de nossas famílias. Devemos cuidar do nosso lar, não só por nós, mas pela futura geração que agora são vocês e, daqui alguns anos, serão seus filhos. – disse Aoki-sensei em seu discurso motivacional. – Antes de vocês se tornarem genin, vamos estudar muito, e os estudos continuam em casa.
Alguns alunos reclamaram por terem que dar continuidade ao treinamento em casa, inclusive Obito, o que me fez dar uma risada abafada.
- Hoje é o primeiro dia de aula, olhem em volta e observem seus rostos. Vocês vão trabalhar muito em conjunto. Agora vamos parar de enrolação e dar início a nossa primeira atividade. Preciso que vocês formem duplas. Nossa primeira aula vai ser de taijutsu. – concluiu Aoki-sensei.
Ele nos levou para o lado de fora, um pátio de areia e fechado por uma cerca de arames, provavelmente para nenhum aluno tentar fugir ou matar aula. Obito não quis fazer dupla comigo porque não queria bater em uma garota, então ele acabou fazendo dupla com o grosso do Kakashi. Acabei fazendo par com uma garota de cabelos curtos e listras roxas em seu rosto, que se identifica como Rin.
Aoki-sensei deu todas as instruções de como seria a atividade e liberou para que pudéssemos fazê-la. Eu e Rin nós olhávamos sem saber por onde começar. Apesar de saber muita coisa sobre taijutsu que meu pai me ensinou, não queria a machucar, então achei melhor a ensinar primeiro e depois lutar com ela.
Rapidamente fomos interrompidas por gritos de histeria e inconformismo.
- Aoki-sensei, mude-me de dupla. Como posso lutar com um Uchiha fraco e sem sharingan? É a mesma coisa que lutar com um nada. – Kakashi falou e o sensei se aproximou.
- Kakashi, seja paciente. Vocês terão muito tempo para se aperfeiçoarem. Por enquanto, vocês aprenderão uns com os outros. – disse Aoki-sensei de forma paciente.
- Sensei, se o Kakashi quer lutar com alguém, eu me habilito. – surgi perto deles e falei de forma convencida. – Hatake Kakashi acha que não tem ninguém a sua altura, ele está completamente enganado.
- Sutsuki, o negócio não é com você. Não se meta! – Kakashi falou em um tom mais alto.
- Você está com medo de apanhar de uma menina?
Quando reparei, os alunos formaram um círculo em volta de nós três, e Sarutobi Asuma puxou o coro: “Briga, briga, briga”, fazendo com que os demais alunos tivessem a mesma atitude. Obito estava apreensivo e preocupado, seus olhos nem piscavam.
- , não precisa me defender, eu não ligo para o que ele pensa. Esquece isso. – o menino falou.
- Obito, apenas não gosto de pessoas que acham que são melhores que as outras. Defendo meus amigos, você querendo ou não. – respondi.
Aoki-sensei não parecia se importar com a situação, então ele saiu da roda e seu único conselho foi para que a gente não se matasse. É até justo vindo de um chunnin para dois projetos de genin sem nenhuma experiência, filhos de grandes shinobis. O sensei sabe que fomos preparados e que temos base de todas as técnicas.
“- , respire fundo. Você não precisa ficar nervosa, eu confio no seu potencial e em tudo que você é capaz. Você é muito nova para se fazer cobranças e autocriticar, mas não significa que você não tenha que ligar para o seu futuro. Vamos tentar mais uma vez? – meu pai disse depois de me dar um longo abraço quando me viu chorando por não conseguir fazer um jutsu pela milésima vez.
- . – foi a vez de minha mãe falar. – Acredite em você. Sabe como te vejo daqui alguns anos? Como uma linda e forte líder da ANBU. Estaremos aqui para te ajudar sempre.
As palavras ditas por meus pais me deram força para continuar meu treinamento caseiro. Sorri para os dois adultos que se encontravam em minha frente e fechei meus olhos, tentando me focar e fazer o jutsu que era o pioneiro do nosso clã.
- Meisaigakure no Jutsu. – E então ouvi os gritos e palminhas de felicidade de minha mãe. Meu pai a abraçou e a girou no ar.
- ELA CONSEGUIU! – Os dois falaram ao mesmo tempo. – Aika, ela conseguiu. – meu pai completou.”

Kakashi olhou para mim é se preparou para dar um soco, consegui ser mais rápida e utilizei o jutsu de camuflagem de minha família.
– Você pode me sentir, mas não pode me ver. – e assim dei meu primeiro golpe de taijutsu no garoto que cambaleou e ficou surpreso com minha audácia.
Kakashi tentava vários golpes e nenhum deles me acertava. Aoki-sensei estava olhando, com certeza analisando seus alunos e seus temperamentos, ele não esperava uma luta no primeiro dia de aula.
Fiquei por trás de kakashi e com um chute o joguei no chão, fazendo o menino arrastar por alguns centímetros e comer areia. Voltei a aparecer e me sentei em suas costas.
– Você não é o único especial aqui nem o melhor. Trate bem as pessoas, nem todos vão ser bonzinhos como eu fui.
Levantei-me e pude ver os alunos gritando, muito afobados, com o que acabaram de ver. Obito estava em êxtase e Rin surpresa, ela correu até o garoto no chão e usou seu ninjutsu médico nos arranhões do corpo de Kakashi.
- Você é demais. Você agora será minha sensei. – disse o garoto com um macacão verde e polainas laranjas. - Eu sou Maito Gai e serei seu seguidor até meu fim.
- Não exagere, só fiz o que era o certo. Esse é meu jeito ninja. – sorri para ele, que devolveu com um sinal positivo e um sorriso brilhante.
- , será que seu pai consegue despertar meu sharingan? – Obito perguntou.
- Podemos ver com ele e espero que ele te ajude. – disse e peguei Obito pela mão. – Você é meu primeiro amigo aqui, vou te ajudar no que eu puder.
O Uchiha agradeceu e me deu um abraço apertado.
– Eu te protegerei com a minha vida. Essa é a minha palavra.


...


Já estava na hora de ir embora e Kakashi estava com um galo enorme na cabeça, segurando um saco de gelos para diminuir. Encontrei meu pai e corri em sua direção, ele me pegou no colo e em seguida em seu ombro.
- Como foi seu primeiro dia de aula? Quero saber de tudo! – ele perguntou.
- Antes de te contar, quero te apresentar meu mais novo amigo: Uchiha Obito. – falei e o garoto logo se aproximou.
- Honorável Sutsuki, é um prazer te conhecer. – o jovem Uchiha falou. – lutou muito bem hoje.
- Kon'nichiwa, Obito. Fico feliz que já fez amizades.
- Pai, eu estava pensando, Obito precisa despertar o seu sharingan e talvez o senhor possa ajudar. – falei entusiasmada.
- Obito, sinto muito, mas com isso eu não consigo ajudar. O despertar do sharingan é complexo para alguém de fora do clã Uchiha. Você precisa procurar alguém do seu clã. – meu pai falou e a tristeza na cara de Obito era clara, ele estava decepcionado.
- Entendo. De qualquer forma, agradeço suas palavras. Sutsuki-sama. Agora eu tenho que ir, minha avó deve estar me esperando. Te vejo amanhã, . – o garoto saiu andando sem eu ter a chance de me despedir. Algumas metros à frente, ele parou para botar colírio em seus olhos e colocou novamente seus óculos amarelos.


*


- … Então o Aoki-sensei pediu para que a gente fizesse nossa primeira atividade de taijutsu. Eu tinha formado dupla com a Rin, até comecei a ensinar algumas coisas para ela. – falei depois de dar uma golada em meu copo com água.
- E ela se saiu bem? – minha mãe perguntou curiosa.
- Ela estava indo bem até aquele garoto chato começar a desmerecer o Obito. Ele se acha. – falei em um tom revoltado.
- Que garoto, minha filha? – meu pai perguntou.
- Aquele que estava com o seu amigo. Hatake Kakashi. Ele não é melhor que ninguém e eu dei uma lição nele.
Meu pai riu tanto ao ponto de chegar a lacrimejar, como se tivesse acabado de ouvir uma piada super engraçada. Ele deu leves tapas na mesa e minha mãe o encarou furiosa, reclamando que ele ainda iria quebrar sua mesa nova.
- . Jamais imaginei que esse garoto seria Kakashi. Seu coração é muito bom em querer defender seu amigo, mas o pobre Kakashi não merecia. – meu pai falou chamando minha atenção sobre a surra que dei no menino mais cedo.
- Mas pai... Ele não é melhor que ninguém. Ele não pode agir assim. – tentei achar razões para justificar minha atitude. – Até comigo ele foi rude.
- Eu sei, querida, eu sei. Mas vocês são só crianças, não será você que irá o mudar. Aliás, já fez seu dever de casa?
- Ainda não.
- Então acabe logo seu jantar e faça seu dever de casa. Sem enrolar. E quando você acabar, direto para a cama. – minha mãe falou.
Terminamos o jantar e fui direto para meu quarto. Mesmo com a porta fechada, pude ouvir trechos da conversa de meus pais. Eles se divertiram com minha história do meu primeiro dia de aula, e também ouvi meu pai falar sobre Kakashi e seu pai, sobre a solidão deles dois e como Sakumo era conhecido como o canino branco da folha, um dos shinobis mais temidos pelas Nações.
Tentei me concentrar no dever, mas em minha cabeça só pensava em Uchiha Obito. Eu farei de tudo para o ajudar com seu sharingan ou não me chamo Sutsuki .




Continua...



Nota da autora: Sem nota.



Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.


comments powered by Disqus