Última atualização: 14/09/2020

Capítulo Um

Meus olhos pareciam pesar trinta quilos. Bocejei mais uma vez antes de repousar a cabeça contra a parede preta. As lâmpadas claríssimas pendendo do teto em formato de lótus me distraíram do tédio.
− A Patricia chegou! − Abri os olhos repentinamente e agradeci a recepcionista ao levantar-me da cadeira em um salto. Andei em meus saltos desconfortáveis até a sala ao final do corredor que eu conhecia como a palma de minha mão.
Ao virar à esquerda, observei o corpo esguio de Patricia coberto por um terninho da última coleção Armani (custava mais de três salários da recepcionista, tenho certeza). Ela gesticulava com a tela de seu celular, provavelmente falando com o marido ou com o presidente. As expressões de raiva e impaciência não possuíam nível hierárquico.
− Eu já te ligo. − Ela sorriu ao me ver pela parede de vidro. Empurrei a porta pesada e adentrei no escritório amplo e moderno. As paredes eram cinza e atrás da mesa preta polida, a vista de Los Angeles enchia o horizonte. O calor estava insuportável e o asfalto parecia querer tomar vida própria. − Como vai, querida? − Ela indicou a cadeira com um sorriso. Soltei minha bolsa na cadeira de couro com braços metálicos.
− Eu estou ferrada, Patricia! − Exclamei exasperada. Todo o sono que me tomava há alguns segundos deu lugar ao cansaço e estresse.
− Posso saber o motivo da ansiedade? − Ela estava calma. Os olhos pretos emolduravam uma pele negra bem cuidada, provavelmente fruto de processos estéticos que eu sequer conhecia.
− Você sabe o que é cair no flop, não sabe?
− Eu tenho quarenta, não noventa anos.
− Então, se você sabe o que é isso sabe também que eu estou a um passo de cair nesse buraco! − Bati com a mão na coxa esquerda e o estalo ecoou pela sala. Patricia sentou-se em sua cadeira imponente de CEO e assentiu, as unhas bem cuidadas estavam apoiadas no queixo.
− Isso é sobre aquela revista?
− Não.
Sim, era sim.
Há duas semanas e meia, eu havia sido a escolhida da semana pela Teen Vogue como uma atriz em ascensão com grande risco de queda. Eu tentei não dar ouvidos a tudo aquilo, mas eu sabia que era verdade. Nenhuma atriz negra e latina conseguiria se manter no topo, e a Teen Vogue fez questão de me relembrar o porquê.
− Vamos lá, … − Ela suspirou e pediu mais uma vez que me sentasse. A contragosto recostei-me contra o couro desconfortável. Não havia necessidade em ter uma cadeira confortável. Todos os clientes de Patricia assinavam seus contratos com ela antes de sequer se sentarem. Desconfio que as cadeiras são apenas um enfeite. − Você está agindo assim porque está há três meses sem fazer um teste, certo? − Tentei esconder o desconforto.
− Eu fiz vários testes durante a Pilot Season*, mas já estamos em junho, e só recebi recusas. − Confessei e encarei minhas mãos. − Sinto que meu momento estrela latina já passou.
− Querida, você acabou de chegar ao mundo da televisão. − Ela tirou os dois fones do ouvido e me encarou. Uau. Eu nunca a havia visto sem fones antes. Pisquei algumas vezes. − Sei que o mundo do teatro musical é diferente e que a televisão é bem mais cruel, mas vamos continuar procurando trabalhos para você. Já sabemos seu perfil, seu currículo é cheio, mas você sabe que showbusiness depende de sorte. E homens brancos tarados. Muitos deles. − Ela revirou os olhos antes de sorrir. − Você foi um achado e não vou deixar que caia nas mãos erradas.
− Eu não sei se já disse isso, mas mudar de agência foi uma ótima decisão. − Patricia não escondeu o sorriso convencido em seu rosto. − Eu só queria saber como me portar melhor nesse mundo televisivo. Meu mundo é o do teatro musical. Ainda não estou acostumada com tudo isso. − Patricia pareceu ponderar algo por um tempo.
− Talvez nós possamos arranjar alguém para te ajudar.
− Quem?
− Já ouviu falar de ? − Arqueei a sobrancelha.
− Quem nunca?
− Pois é. Acho que posso colocar vocês em contato, o que acha?
− Acho que seria ótimo, mas ele não sumiu da mídia? Como um homem que sumiu do foco das câmeras pode sequer me ajudar a me adaptar a elas?
é um dos homens mais talentosos que eu conheço. − Patricia afirmou categoricamente, os olhos negros sérios. − Qualquer pessoa teria sorte em aprender algo com ele.
− Se você diz… − Dei de ombros e desconversei. − Bom, temos alguma audição em vista?
− Eu estava pensando em te chamar para um comercial. Não paga muito bem, mas é algo a mais para o seu currículo.
− Qual a marca?
− A Mom&Baby. Você só vai aparecer dando banho em um neném, seu rosto não vai estar na câmera.
− Pode marcar a audição.
− Espera, você sabe dar banho em bebês? − Questionou com a sobrancelha arqueada. Dei de ombros.
− Eu posso aprender. Vou comprar uma boneca no caminho para casa e ver vídeos no YouTube. − Patricia maneou com a cabeça e gargalhou.
− Você realmente quer o estrelato, não é?
− Quem não quer pagar suas contas? − Questionei com um sorriso e dei de ombros. − Vou aguardar informações sobre o local e horário. Obrigada por tudo, Patricia. − Pisquei para minha agente e despedi-me rapidamente. Acenei para a recepcionista na saída e desci até o subsolo. Coloquei o capacete da moto e me pus a andar pelas ruas de Los Angeles até meu apartamento na Washington Blvd, próxima à praia de Venice. Acenei para o porteiro ao adentrar pela garagem.
Larguei meu capacete no sofá ao chegar em meu apartamento. As paredes creme eram enfeitadas com plantas trepadeiras, tapetes caros e um sofá confortável de algum estilista. Eu havia ganhado de um colega de equipe de aniversário. Boa parte do meu apartamento era patrocinado, na verdade. A parte boa de ser uma atriz com dois trabalhos famosos é que a visibilidade é grande, portanto, os mimos são proporcionalmente grandes também.
− Pepper! − Abracei minha cadela quando ela correu em minha direção e pulou em meu colo. Deixei que ela lambesse minha bochecha e enfiasse as patas em meu cabelo. − Coisa linda da mamãe! − Beijei seu pelo negro e coloquei-a no chão. Eu havia achado Pepper próxima ao estúdio de gravação do meu primeiro filme, uma comédia romântica da Netflix chamada “99% Mine” baseada em um livro da Sally Thorne.
Peguei meu celular e fui ao YouTube pesquisar como dar banho em bebês. Não poderia ser difícil, certo? Eu precisava de todo trabalho que pudesse agarrar. Eu não faria minha fama sendo fresca. Se o dinheiro entra na conta, eu dou conta. Preciso dar conta.

*Pilot Season - a época entre janeiro/fevereiro (normalmente) em que há contratação de elenco para séries novas.





Continua...



Nota da autora: Hola, guapíssimos! Espero que tenham gostado desse pequeno gostinho que vai ser essa fic. É um desafio. Não costumo escrever fanfics engraçadas ou de romance apenas, então tenham paciência.
Até a próxima!




Nota da beta: Arrasou só com esse início, hein, Ana! Maravilhosa essa pp, essa agente, já estou amando tudo e ansiosa pela continuação! <3

Lembrando que qualquer erro nessa atualização e reclamações somente no e-mail.
Para saber quando essa linda fic vai atualizar, acompanhe aqui.


comments powered by Disqus