Última atualização: 01/09/2020

Capítulo Único

Esquilos gostam de avelã e Lobisomens de sentir a carne


As luzes do céu de Hogsmeade brilhavam mais que o normal naquela noite. Era meados de abril e o céu estrelado misturava-se perfeitamente com o clima nem tão frio e nem tão quente do local. Estava tudo em perfeito equilíbrio, se, não fosse um grupo de jovens marotos dentro do Três Vassouras.
Já havia se passado alguns minutos desde o toque de recolher de Hogwarts, mas ainda assim, Black, Potter e Pettigrew se divertiam bebendo Whisky de fogo. Aproveitando que teriam um dia folga das aulas e que conheciam todos os caminhos secretos para chegar até Hogwarts, sem serem percebidos ou pegos. Madame Rosmerta, a barman do local, se divertia servindo os garotos, sentindo a falta de apenas um deles. Remo Lupin.
Mal sabia ela que o jovem bruxo se encontrava ali pertinho, no banheiro do Três Vassouras.
Quando aluado aceitou o convite de seus melhores amigos naquele dia, ele não imaginava a tamanha confusão que havia se metido. Agachado pela segunda vez frente ao vaso sanitário, nunca se sentiu tão patético quanto naquele momento. O bruxo xingava mentalmente todas as vezes que sentia seu estômago revirar e jurou que a música que tocava lá fora, ainda era uma droga. Depois de mais uma investida contra o vaso o bruxo se sentou com as costas escoradas na parede, imaginando que aquele banheiro, havia se tornado seu melhor amigo.
Já havia posto água sobre o pescoço e comido alguns sapos de chocolate mas ainda assim, seu estômago estava determinado em puni-lo por tanto álcool que ele havia ingerido. E o motivo daquele exagero? Bem, ele tinha nome e sobrenome. Sirius Black.

Mas, Remo tinha sorte por saber o que ele deveria fazer em seguida.

ϟϟϟ


— Remo Lupin sobreviveu! - Black dizia entre a pausa dos soluços, levantando um copo do que Remo constatou ser cerveja amanteigada. Agora nada de álcool, hum? Pensou Remo.
— Deixei-o em paz, almofadinhas. - foi Potter que falou defendendo o outro amigo, mas ainda assim, estava tão tonto quanto o outro — Você já pegou pesado com ele antes.
— Hum, mas ele aceitou - Black riu dando de ombros e colocando os pés cruzados sobre a mesa de madeira. Madame Rosmerta o advertiu com apenas um olhar e no mesmo segundo, Sirius retirou o pé sorrindo.
— Não culpo o Sirius, pontas - Pedro pronunciou pela primeira vez — Penso que Remo já foi mais forte - Lupin revirou os olhos.
— Acho que devo arranjar novos amigos - cruzou os braços e logo em seguida, os quatro gargalharam. Após isso, Lupin colocou a mão em seu bolso e tirou alguns galeões que pôs sobre a mesa. Os outros três garotos se levantaram protestando pois já sabiam o que vinha a seguir — Foi muito bom a saideira rapazes, mas sinto que terei que ir.
E após mais protestos, Remo se direcionou para Hogwarts e o único lugar que acalmaria a noite com os marotos
ϟϟϟ


O banheiro dos monitores ficava no quinto andar de Hogwarts e devido a peculiaridade do local -que só podia ser usado por certos alunos-, Lupin tinha certeza que estaria vazio naquele momento.
A visão do local era a de sempre: deslumbrante. E a mesma grande banheira -que mais parecia uma piscina- permanecia no mesmo local. Ah, era tudo o que ele precisaria. Caminhou até a banheira ligando algumas das dezenas de torneiras que saiam água morna e pura. Assim que o aroma de água fresca encontrou suas narinas e a piscina preencheu-se de água e espuma colorida, Remo despiu-se se preparado para entrar em um relaxante banho.
Contudo, o que menos esperava aconteceu. Ouviu a porta do banheiro se abrir.

— Quem está aí? Me desculpe, mas o banheiro já está ocupado - foi seu primeiro instinto afinal, por conta da fumaça do lugar mesmo que forçasse seus olhos, não conseguia enxergar quem havia entrado.
— Não é que a grifinória tem mesmo as suas qualidades? - a voz ressoou travessa e passos cada vez mais próximos dele, foram ouvidos. Lupin gelou. Não por saber que alguém se aproximava cada vez mais dele e sim por ter reconhecido a voz de quem se aproximava.
Colocou rapidamente as mãos sobre o meio das pernas, tapando-o o mais rápido possível. E vindo entre o vapor, enrolada apenas em uma toalha branca, estava ela.
Lousy Lane, era o nome. Lux, como os íntimos a chamavam e o nome da garota era a própria definição de perigo. Remo sabia.
A cada novo passo, o aroma doce que ele tinha certeza que vinha dela preenchia suas narinas. Aquilo poderia facilmente alucina-lo.
E a resposta para aquilo era simples: desde o primeiro momento que o garoto botou os olhos em Lousy Lane, andando pelos corredores de Hogwarts ele tinha uma certeza, ela era problema.
Talvez fosse o jeito descontraído que tinha, talvez fosse a sua casa, ou talvez fosse aquele maldito sorriso de quem adorava quebrar regras.
Mas não, não era nenhuma daquelas coisas. Era aquele olhar. O maldito olhar que o prendera todos os dias durante o ano letivo e como se não bastasse, o prendia naquele próprio momento.
Aquele olhar que o fez se viciar em castanhas. Pois seus olhos castanhos claro, o deixavam louco.
— Importa-se em dividir? - Lousy perguntou frente a Remo que permanecia estático. Ela estava tão próxima que ele podia sentir o cheiro de menta vindo de sua boca. Merda. Pensou enquanto a jovem bruxa o observava sapeca — Bem, considerarei o seu silêncio como um sim.
E dito isso, foi que Lupin viu Lousy virar para banheira e ficar de costas para ele. Em instantes, a toalha que antes cobria seu corpo, caiu delicadamente sobre o chão.
— O que você está fazendo? - sua voz saiu embaçada. A realidade havia atingindo-o em cheio, já que antes permanecia quieto amargurado com seus próprios sentimentos. Manipulado por aqueles malditos olhos. E foi no vacilo em sua voz que Lousy soube que tinha conseguido. Então ela sorriu.
— Você deveria estar se perguntando, Remo, o que você vai fazer? - a garota estava submersa, apoiada na beirada da banheira com os braços cruzados e sua voz, ah, sua voz, soava marota. O bruxo xingou mentalmente pois sabia que não tinha mais saída.
Era seu instinto. Ela era sua presa. E era inútil ignorar a atração que sentia pela garota.
Então, ele entrou na banheira.
Lousy não perdeu tempo. Prendeu o cabelo em um coque frouxo e se aproximou de Lupin, sentando sobre seu colo. Segurou-o com os braços cruzados atrás de seu pescoço e então, um sorriso satisfeito se formou entre os lábios de Remo, sentindo puro ecstasy por seu desejo mais obscuro finalmente ter sido concretizado.
Afinal, estava finalmente sentindo o gosto da sonserina que deixava-o louco e despertava o seu lobo interior.




Fim!



Nota da autora: Eu juro solenemente não fazer nada de bom.
Eu sinto que esse especial está deixando muitas Potterheads de coração quentinho, não? Gostaria de dizer essa é a primeira Oneshot que escrevo e não sabia que precisava escrever algo com Lupin até ter feito ela. JÁ ME APAIXONEI.
Enfim, espero que tenham gostado e corram para a próxima fanfic desse especial MARAVILHOSO.
Abraços, G.K
Malfeito, feito.




Outras Fanfics:
Chosen Blood
Chosen Blood - The Veredict
Snow in Durmstrang


Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.


comments powered by Disqus