Contador:
Finalizada em: 02/02/2021

Capítulo Único

! - gritou do primeiro andar da casa, mas não esperou resposta da amiga para entrar.
— Aqui no quarto. - A mulher gritou, logo pôde ser ouvido o barulho de caixas caindo no chão do quarto. subiu a escada pulando dois degraus, chegando rapidamente no cômodo em que a amiga estava. Escorou o corpo no batente da porta e cruzou os braços, tentando não rir da cena que encontrou.
— Vai, pode rir. - Ela disse à contragosto.
estava sentada no chão do seu quarto, rodeada de caixas com os seus pertences. Em breve, sua nova casa seria Nova York e aquilo estava a assustando mais do que ela gostaria; contudo, estava feliz com a mudança.
— Eu não vou rir. Vamos lá, levanta daí. - Ele esticou o braço para a loira, puxando-a do chão. - Você não vai ficar trancafiada dentro desse quarto nos seus últimos dias.
— Você fala como se eu estivesse morrendo, credo! - bateu no braço do amigo, que tentou se desviar, mas não deu certo. - Eu só vou me mudar.
— Para uma cidade que fica a quarenta e duas horas daqui. É, literalmente, no outro lado do país. - disse, sério demais para alguém que estava feliz com toda aquela mudança.
— Eu sei. - Ela suspirou, cansada. - Vamos aproveitar esses últimos dias juntos, tudo bem?
— Tudo bem, você não vive sem mim mesmo. - abraçou a amiga pelos ombros, puxando-a para fora de casa.
O clima ameno do outono era perfeito para aproveitar a cidade, a época em que a cidade não costumava estar lotada de turistas, eles conseguiam passear pelas calçadas famosas da cidade sem ter que desviar a cada dois segundos de um turista doido tentando tirar fotos. Afinal, Los Angeles era o sonho de qualquer um, não é mesmo?
havia planejado fazer um tour pela cidade para que não se esquecesse de quão especial ela era. Estar em Los Angeles não era só estar na ‘cidade dos anjos’ e viver o glamour e tudo mais. e eram um pedaço de Los Angeles.
— Aonde vamos? - ela sorriu.
— Iremos para os melhores lugares do mundo! - ele sorriu.
— Por que você está fazendo isso?
— Para que você não se esqueça dessa cidade incrível e sucumba ao coração de gelo que Nova York trará. - ele brincou.
riu com o comentário do amigo-colorido e os dois entraram no carro de . O primeiro lugar era o restaurante favorito dos dois, lá comeram, conversaram e, óbvio, pararam para dar atenção a alguns fãs.
A primeira vez que os dois pararam em um tablóide fez com que eles se escondessem cada vez mais. preferia jantares em casa e preferia aproveitar os dias ensolarados em sua piscina. Conforme se acostumaram com a presença do outro, serem vistos em uma capa de revista de fofoca não era mais tanto problema, afinal, eram amigos, oras. No entanto, aqui vai um segredo: quando saiu em público com uma mulher – que, no fim das contas, era uma prima distante -, se mordeu de ciúmes.
A atriz até pensou em arranjar alguém para sair, mas logo desistiu quando, no fim do dia, bateu em sua porta com uma caixa cheia de donuts que fariam toda sua dieta semanal ir parar no lixo. E ela gostava dos padrões. Gostava de passar seu tempo com ela vendo futebol americano - assunto o qual nenhum dos dois entendia. No entanto, era apaixonada por hóquei. Passara, inclusive, seu amor pelo Los Angeles Kings para ele.
Era claro: os dois se gostavam muito. No início, tentaram fazer aquilo ser casual, mas ninguém entendia como e vice-versa. Ninguém compreenderia o quão importante para era que seus amigos aprovassem o que ele escrevia, ou ninguém entenderia a importância de atuar para como ele fazia.
— Próximo destino? - sorriu para o cantor.
— Hollywood Boulevard. - ele sorriu e soltou um gritinho animado. Aquele era seu lugar favorito no mundo. Era ali que ela queria estar daqui uns anos.
Os dois saíram do local que estavam e rapidamente adentraram o Tesla do músico. sentiria falta dela. Sentiria falta dos encontros que faziam na madrugada, das séries que assistiam e, principalmente, do cheiro de limão único de .
— Você ainda não tirou sua foto anual com a estrela do Ringo Starr, não é?
— Ah, meu Deus! Eu ia sair da cidade sem uma foto anual. - ela constatou o fato assustador.
tinha algumas manias desde que começara a se encantar pela cidade em que nasceu. Aos 15 anos tirou sua primeira foto com a estrela de um de seus músicos favoritos, Ringo Starr, ex-Beatle. A menina fez daquela sua tradição, pois acreditava no fundo do coração que um dia estaria ali. Desde então, ela vinha tirando fotos anuais com a estrela de seu grande ídolo da adolescência.
— E até lá iremos ouvindo Beatles. - ele abriu o Spotify e colocou a favorita de : Come Together. Além de ser uma música incrível, era uma das músicas que mais gostava de cantar.
Sempre que ela pedia, ele montava um repertório inteiro dos Beatles para fazê-la feliz ou fazê-la superar um dia ruim.
fez questão de registrar o momento - pela trilhonésima vez - de ver cantando sua música favorita. Todavia, a música que ele mais gostava de cantar era Day Tripper e o cantor sempre se esforçava para fazer a melhor performance para entreter os seguidores de .
, pessoal! - ela disse no vídeo. - Ele está me levando em uma tour por Los Angles. Duvido vocês acharem um guia mais lindo e talentoso que o meu.
— Eu aposto que ela me trocaria por um tal de Ringo Starr.
- riu e ela finalizou a gravação, adicionando em seus stories em seguida.
— Eu não te trocaria pelo Ringo Starr.
— Nem pelo Paul McCartney? - ele levantou a sobrancelha.
— De maneira alguma. - ela riu.
— Você é uma tola. Até eu me trocaria! - sorriu.
— Na verdade, eu te trocaria sim, mas eu não ia te falar para você não ficar magoado. - riu do biquinho que o músico fez ao ouvir sua declaração.
Quando chegaram na tão conhecida Calçada da Fama, os dois foram parados por fãs novamente e depois começaram a admirar as tão conhecidas estrelas da calçada. Quando chegaram na do ex-Beatle favorito de , o músico sacou o telefone do bolso para registrar o momento.
— Sorria, estrela de Hollywood. - ele disse e fez a mesma pose de sempre com o símbolo do rock feito pelas mãos. Assim que ouviu o barulho que informava que a foto foi tirada, a atriz puxou para se juntar a ela e tirar uma selfie. Quando ambos fizeram suas poses, continuaram caminhando e conversando sobre o impacto daqueles artistas na indústria.
A noite rapidamente chegou e os dois tinham percorrido por quase toda cidade. queria, acima de tudo, fazer com que se divertisse ao máximo.
— Obrigada pelo dia. — ela sorriu e o abraçou.
— Fico feliz que você tenha gostado, linda. - fez força e a pegou no colo. - Eu te amo, .
— Eu também te amo. - ela prendeu as pernas ao redor da cintura de . - Não se esqueça disso.



Um mês se passou desde o último dia de em L.A, e seu contato com cada vez diminuía mais. Enquanto ela estava gravando para seu novo filme, o homem estava ocupado gravando um novo álbum. Às vezes, por conta do fuso horário, recebia algumas mensagens do músico com as demos de suas novas faixas que eram excepcionais, como sempre. Além de uma pessoa bonita e gentil, era um compositor prolífico.
— Que horas são aí? - ele perguntou baixinho.
— Três e sete da manhã. - ela bocejou. Estava exausta.
— Merda, linda. Por que não me avisou? Aqui é meia noite! - ele disse, espantado.
— Você estava tão empolgado. - ela lhe deu um sorrisinho. - Não queria interromper.
— Tá bem, agora eu vou desligar. E você vai descansar. - sorriu. - Sinto sua falta.
— Eu também sinto sua falta, . - Seus olhos foram fechando involuntariamente. - Te amo.
E, naquela noite, os dois foram dormir com um sorriso no rosto. Desde que se conheceram, há quase dois anos, sabiam que seriam especiais um na vida do outro. entendeu no momento em que sentiu seu estômago embrulhar pela primeira vez ao ver o sorriso dela, todas as letras românticas que escrevera na adolescência.



Fazia duas semanas que não podia mais dar atenção a . Assim que o homem arranjou uma brecha em sua agenda, pegou seu carro, Spike - seu cachorro - e dirigiu até Nova York. Eram um pouco mais de quarenta horas de viagem, mas faria valer a pena todo o esforço. É claro que ele teve que parar para descansar um pouco, mas assim que pegou estrada novamente, decidiu que iria até Nova York o mais rápido que conseguisse. Morria de saudade de e não via a hora de vê-la novamente, o tempo parecia se arrastar quando eles não estavam juntos, os dias não eram mais os mesmos e queria ter um tempo com a sua melhor amiga de novo.
A grande metrópole era um verdadeiro pesadelo para , ele odiava dirigir pela cidade onde as pessoas não respeitavam as leis de trânsito. Até Spike, no banco de trás, parecia incomodado com aquilo, o cachorro resmungava a cada freada brusca de seu dono. O bairro em que estava morando, ao menos, era calmo. O trânsito ameno e as ruas vazias eram de fácil acesso e assim não precisaria de muito esforço para estacionar. Tirou o cachorro do banco traseiro, pronto para apertar a campainha da nova casa de sua amiga. Mas foi interrompido, quando a porta da casa abriu e saiu acompanhada, sendo abraçada pela cintura por outra pessoa. O sorriso no rosto de se desmanchou automaticamente. Sem saber como reagir, ele permaneceu por alguns minutos parado em frente à porta, até que notassem sua presença.
! - o abraçou, espantada ainda pela visita do amigo. não conseguiu esboçar nenhuma reação, por mais que sentisse saudade de sua amiga, ele não esperava vê-la com outra pessoa.
. - Ele tentou parecer tão animado quanto ela, mas foi totalmente em vão.
As peças do quebra-cabeça começaram a se encaixar, tornando a situação ainda pior. começou a se sentir péssimo, tinha viajado mais de quarenta horas e a pessoa que ele esperava ansiosamente para rever, estava vivendo muito bem com outra pessoa. Nem ao menos ela lembrou de mandar uma mensagem para ele, perguntando se estava tudo bem, enquanto ele já tinha perdido as contas de quantas mensagens sem resposta ele tinha enviado.
, esse é o Thomas. Thomas, esse é o , meu melhor amigo. - A situação era tão constrangedora que não sabia nem onde enfiar sua cara. Ele não tinha ido até lá para ser apresentado como melhor amigo, ele tinha outros planos para aquele final de semana. — Nós vamos ao teatro, você quer ir? - olhou para Spike, quando o cachorro latiu, se dando conta que não seria possível.
— Engraçado que você não teve tempo de me responder uma única mensagem, mas me apresenta uma pessoa como se nada tivesse acontecido. Eu dirigi mais de quarenta horas e só agora você lembra que eu sou o seu melhor amigo.
explodiu com tudo aquilo, ele não aguentaria sair da cidade sem falar o que estava guardado em seu peito, pelo menos uma parte do que ele vinha guardando.
— Calma, cara, eu não vou roubar sua garota. - O tal do Thomas resolveu se manifestar, mas o olhou como se o fizesse se arrepender de ter nascido.
— Quer saber? Vá se foder. - colocou o cachorro novamente no banco traseiro, entrou no carro e saiu cantando pneu pela rua vazia.
De cabeça quente, o cantor buscou um Airbnb próximo e o reservou por uma noite. Precisava, antes de colocar o pé na estrada, se acalmar e descansar. Quando adentrou o flat, ajeitou as coisas que havia trazido em um canto, pegou as tigelas de água e ração de Spike e ajeitou para o bicho. Enquanto se deixava levar pelo ciúme que sentia, foi direto tomar uma ducha para extravasar. Apesar do frio arrebatador da cidade, o músico escolheu um banho gelado e assim que a primeira gota caiu em suas costas, suas memórias vieram.



Depois de quase oito meses na estrada, chegou em casa. Sabia que Colbie estaria lá, pois eles haviam começado a dividir apartamento após um ano de namoro e a menina não estava mais em gravações. Colbie era sua namorada há quase quatro anos e meio e acreditava que seriam para sempre. No entanto, a atriz não sentia o mesmo por ele e todos ao seu redor já haviam lhe dito aquilo. Seu empresário e melhor amigo, inclusive.
Naquele instante, teve a certeza de que todos tinham razão. Ao abrir a porta de sua casa, o cantor se deparou com sua namorada e outro cara jantando juntos.
? - ela perguntou, assustada. - O que você está fazendo aqui?
— Você não tinha me dito que tinham terminado? - o homem que jantava com ela perguntou.
— Eu esqueci de avisá-lo, querido… - Colbie passou suas mãos no cabelo do cara e tentava assimilar a situação.
— Você esqueceu de me avisar que terminou comigo, foi isso mesmo que entendi? - ele sentiu a raiva corroer seu corpo. E quando prestou mais atenção, viu que aquele cara estranho vestia suas roupas. - E você está usando as minhas roupas?
, querido. Não é motivo para alarde. - Colbie tentou acalmá-lo.
— Pelo amor de Deus! - ele perdeu a cabeça completamente. - Você termina comigo e esquece de me avisar, traz um cara para dentro da casa que nós dividimos e ainda deixa ele usar as minhas roupas? Como você quer que eu me ACALME?
— Segura a onda, cara. - o homem disse.
— Michael, calado. - Colbie repreendeu seu acompanhante. - Você nunca gostou de mim, . - ela comentou. - Não é como se fosse doer.
respirou fundo para controlar a vontade de matar os dois que estavam em sua sala. Colocou a mão em seu bolso e tirou de lá a caixinha de veludo que havia trazido do Canadá. Assim que se recompôs, entregou-a para Colbie.
— Isso é o tanto que eu gostei de você. - ele disse e foi determinado até o quarto.
Minutos depois que Colbie se tocou da grande burrada que estava fazendo, ela correu atrás do músico.
— O que você está fazendo? - ela perguntou, com os olhos brilhando com as lágrimas, e ele a encarou.
— Procurando minha caixa de fotos e a carteirinha de vacinação de Spike. - ele respondeu, furioso. - Além disso, não quero mais nada desta casa.
… - quando ela tentou falar com o cantor, ele encontrou o que procurava e saiu do quarto. Michael comia calmamente e Colbie corria atrás do ex-namorado. Assim que o músico pegou o filhote no colo, encarou os dois.
— Vão se foder. - ele disse. - Isso é tudo.




Assim que saiu do banho, a campainha tocou. No entanto, sem pressa, ele decidiu se vestir. Quem estava ali estava decidido a ser atendido, então ele teve que colocar suas roupas rapidamente para que Spike parasse de latir na porta. Quando se aproximou da porta, decidiu olhar pelo olho mágico e viu que estava ali. Depois de um minuto pensando, abriu.
— Como você me achou? - foi a primeira coisa que ele perguntou.
— Eu tenho contatos em Nova York. - foi tudo que ela disse.
— O que você quer? - ele foi direto.
— Conversar. - adentrou o flat com calma, e assim que ouviu a porta bater, virou-se para o músico.
— Você se lembrou agora de vir me comunicar que a gente tinha acabado? - ele perguntou, sarcástico. - Acho que estou tendo um dèja vu.
— Você nunca me compare com ninguém, . - disse, com raiva. - Ainda mais com ela.
— Você veio aqui só para isso? - ele perguntou.
— Vim entender seu motivo de raiva. - ela foi sincera e ele riu.
— Há quatro meses, quando você foi convidada para fazer esse maldito filme nesta maldita cidade, eu estava prestes a perguntar se você estava disposta a ter algo mais sério. - ele foi sincero. - Não o fiz porque tive medo de cenas se repetirem, de eu ficar tão omisso em sua vida como estive na de Colbie. Eu jamais te pediria para ficar ou não fazer o filme, então te deixei ir. Mas eu nunca te deixei ir no meu coração, .
, eu… - ela tentou dizer, mas ele a interrompeu.
— Eu não ficaria tão irritado se você estivesse saindo com alguém, de modo algum. - ele foi honesto e sentia que ele estava realmente triste. - Senti sua falta para um caralho e, assim que eu cheguei, você estava com outro. Eu só queria ser avisado.
— Você não é meu namorado, eu não preciso avisar. - ela respondeu e logo se arrependeu.
— Vai embora, . - ele pediu. Ela hesitou, mas assim que ele reforçou o pedido, acatou suas ordens. - Por favor.
— Desculpe, . - ela disse baixinho.
E assim que a porta bateu, se sentou no sofá e Spike veio até ele. O cachorro, que já estava velho, chorou em seu colo.
— É, cara… - ele acariciou seu melhor amigo. - Eu também gosto muito dela.
Horas se passaram e estava agoniado. Seu peito ardia e ele, por um instante, pensou que estava infartando, mas logo descartou a ideia de tão estúpida que era. Ansioso, o homem abriu o bloco de notas do celular e, sem fazer um único esforço, escreveu uma estrofe.

My only one
(Minha única)
My smoking gun
(Minha peça chave)
My eclipsed sun
(Meu sol com eclipse)
This has broken me down
(Isso me despedaçou)
My twisted knife
(Minha faça distorcida)
My sleepless night
(Minha noite sem dormir)
My winless fight
(Minha luta perdida)
This has frozen my ground
(Isso congelou meu chão)


Depois de muito tempo com a tela acesa, , em questão de minutos, terminou de escrever o que começou. Chocado ainda com aquela composição, começou a pensar na melodia. Pensou em comandá-la com piano, mas ele não tinha um agora. Nervoso, ligou para seu produtor.
Luke? - o músico chamou. Assim que ouviu a voz do amigo do outro lado da linha, pediu. - Reserve o estúdio para daqui três dias. Temos a faixa bônus do novo álbum.



Os dias frios em Nova York irritavam mais do que qualquer coisa. Ela odiava o tanto que nevava no fim do ano. As gravações do novo filme que ela estava gravando estavam a todo vapor e não podia voltar para casa. Talvez aquilo estivesse a consumindo mais do que o esperado. Além disso, estar longe de sua família era a pior coisa do mundo. Ainda mais quando tudo que ela queria fazer era chorar no colo de Missy, sua irmã mais velha.
Cansada de um dia lotado de takes, a atriz vagueava pela internet e, assim que abriu o Instagram, viu que havia feito um novo post. A foto era claramente atual, ele estava com um pouco de barba e usava o que mais gostava: moletom. Spike estava com ele também, mas dessa vez com um pequeno headphone.

@: Surpresa, pessoal. O novo álbum vem com uma faixa bônus incrível e muito especial para mim. Hoje gravei o vídeo cantando para a BBC Radio, o link da apresentação está na minha bio. Espero que gostem. xx
(Vocês não podem ver, mas o rabinho do Spike estava balançando bastante enquanto ele ouvia a música!)


foi até o perfil de e rapidamente abriu o link que estava ali e o YouTube abriu. Assim que a abertura do canal da rádio acabou, os acordes do piano se fizeram presentes. Sem ouvir a música, já sentiu que seria boa. No entanto, parecia ser triste.
A atriz estava hipnotizada com a capacidade de conseguir ser bonito, tocar piano e cantar uma música tão bonita quanto aquela. Ela estava arrepiada, de verdade. Talvez aquela música se tornasse sua favorita de em toda sua discografia — e ele tinha outras muito boas também. Quando chegou o bridge, se surpreendeu.
You know I left a part of me back in New York, you knew the hero died so what's the movie for? — ela passou a música. Colocou alguns segundos antes e ouviu novamente. E fez isso umas três vezes.
Depois que ela terminou a música, procurou na internet a letra e sintonizou no vídeo. Mais atenta, conseguia perceber a familiaridade da música. Falava sobre ela. Eles. Sempre soubera que o amor dos dois não era simples, muito menos carnal. A música era extremamente simbólica e poética e o jeito que ele falava sobre seu sentimento, bem… Dizia muito sobre o caminho que queria tomar. Entendeu o que ele quis dizer com “don't want no other shade of blue but you, no other sadness in the world would do”: amor verdadeiro.
Sem hesitar, abriu sua aba de contatos favoritos e apertou no ícone de . Apesar de ser tarde em Los Angeles, ela não ia deixar aquela chance passar. Eles tinham que conversar, caramba! Infelizmente, na tela apareceu que estava indisponível naquele momento, mas, do outro lado do país, ele apenas observava o telefone tocar.

: Ei, precisamos conversar. Quando você acordar pode me ligar?
: Não me importo que seja cedo. Nós precisamos falar.
: Aquela música, … Ela é linda.
: Me desculpe pelas coisas que falei dias atrás. Eu tinha sim que ter te falado.
: Durma bem. Eu amo você.





“O cantor lançou uma música um tanto emocional ontem. Todos estão orgulhos da profundeza da composição do músico, que, em alguns minutos, conseguiu incorporar várias versões de um amor só. Com frases marcantes, ele impressionou muitos críticos musicais que, em suas redes sociais, manifestaram sua parabenização.
No entanto, alguns fãs fizeram a análise da música e sobre a importância dela. Alguns trechos da canção fazem bastante sentido de acordo com as alegações. No Twitter, uma fã fez uma thread explicando versos importantes, e devemos dizer: foi muito perspicaz.
Há dois anos, o cantor foi visto com seu affair, , pela primeira vez. Nunca foi assumido um relacionamento, mas os dois sempre trocaram carícias em público e não foram vistos com outras pessoas. No entanto, a atriz se mudou para Nova York alguns meses atrás por conta da gravação de um filme, e alguns dias atrás, foi visto na cidade, e não é que o trecho da música diz que ele deixou uma parte de si em Nova York? As cicatrizes que ainda doem se referem ao seu longo relacionamento com sua ex-namorada e atriz, Colbie. Ainda assim, o cantor diz que alguém lhe fez algo tão sombrio quanto sua namorada. E aí, internautas? Quais são suas apostas?”

riu das teorias - que estavam certas - e saiu do site que seu empresário havia mandado. O músico estava atentamente interagindo com os fãs na rede social e todos os comentários sobre o álbum eram elogiosos. Na aba de contas verificadas, um tweet de aparecia o parabenizando pelo álbum - e pela faixa bônus. Ele apenas retweetou o comentário da atriz e guardou o telefone por um instante. Seu coração dizia para ignorar toda dor que sentia e ir falar com , mas ele só se deixava ser consumido por um trauma anterior.



Aquelas eram as últimas gravações do ano e estava odiando estar presa na cidade. Sua figuração estava pronta e o diretor estava testando os áudios, enquanto tentavam decidir a melhor música para a cena que gravariam. You Are In Love da cantora Taylor Swift começou a tocar, sem ter o que fazer enquanto era maquiada, prestou atenção a música.
E todas as vezes em que os dois passaram algum tempo juntos vieram à tona. Como realmente ela conseguia sentir . Não apenas quando ele estava presente, mas sentia ele em sua casa, em suas roupas, em sua vida, em seu coração.
A última vez que os dois passaram um tempo juntos foi antes de ela ir até NY e ele fez questão de levá-la aos seus lugares favoritos em LA para que ela não esquecesse de casa. No fundo, o cantor não sabia que ela jamais esquecia da cidade dos anjos, não apenas por sua magnitude, mas por ele. exalava a alma que ela tanto amava em Los Angeles. A arte, o sol, a música, o vento… Os sorrisos, o brilho no olhar. Aquela era a realidade. LA e se pareciam. Caóticos, lindos e, o mais importante, sua casa.
— Merda! - ela deu um pulo que fez a maquiadora errar o delineador e pulou da cadeira. - Me desculpe, Tracy. Eu preciso ir, eu vou levar seu demaquilante, ok? Eu juro que te compro uma caixa fechada com dez desses. Tchau! Obrigada!
Assim que saiu do camarim, o diretor e produtor do filme a encaravam, confusos. Ela se vestia como sua personagem e seu cabelo estava metade cacheado. Os olhos dela estavam arregalados e ela estava com o coração acelerado.
— Meninos, eu preciso ir. Eu juro que volto depois do feriado. - ela anunciou. - Me desculpem. Isso é muito importante.
, está tudo bem?
— Perfeitamente bem. Eu só preciso ir. Me desculpem. - a mulher colocou sua mochila nas costas e correu estúdio afora.
Ela era péssima em fazer duas coisas ao mesmo tempo, mas, enquanto queria chamar um táxi, tentava tirar sua maquiagem borrada. Tinha uma leve sensação de que estava piorando sua situação. Nova York, caótica como sempre e em época de Natal, estava lotada. Algumas pessoas a olhavam com a cara fechada, mas mal se importava! Dane-se todo mundo, apenas importava naquele momento. Um táxi rapidamente parou para a atriz entrar e ela gritou para que ele fosse para o aeroporto. A atriz pegou seu celular e reservou uma passagem até LA. Assim que resolveu esse problema, focou em limpar seu rosto. Apesar de estar pouco se lixando para sua cara naquele momento, era uma pessoa pública e sua agente a mataria se ela estivesse toda suja. O caminho não demorou nem quinze minutos e ela voou para fazer o check-in e ajeitar suas coisas. Havia chegado atrasada para o voo, mas estavam lhe esperando, pois ela havia comprado uma passagem da primeira classe.
Nervosa, avisou à família que estava, em três horas, chegando a Califórnia. Todos os sabiam que a primeira pessoa a qual procuraria seria, agora conhecido, o grande amor de sua vida. Quando finalmente adentrou o avião, ofegante, se deu conta que estava indo sem uma mísera peça de roupa além de roupas que não eram suas.
— Dane-se. - ela disse para si.
— Perdão? - a aeromoça falou.
— Estava falando comigo mesma, me desculpe. - ela deu risada. - Você sabe se vamos decolar logo? Preciso urgentemente ir ao banheiro.
— Não fomos autorizados pela torre ainda, talvez a senhora possa aproveitar e dar uma rápida ida ao banheiro. - a mulher sorriu para .
A atriz, em passos rápidos, correu até o banheiro do avião, e a primeira coisa que fez foi lavar seu rosto. O seu cabelo, que estava metade liso e metade cacheado, foi bagunçado a ponto dela desmanchar as curvas e preso num rabo de coque. Por sorte, a mulher teria um prendedor em sua necessaire em sua bolsa. Antes que a aeromoça batesse, abriu a porta e voltou ao seu assento.

Três horas e meia depois, a atriz estava em solo californiano. O inverno no estado não era tão severo quanto em Nova York e a brisa que batia em seu rosto chegava ser agradável. O tempo na cidade era favorável à roupa que vestia: um vestidinho florido com uma jaqueta jeans por cima. Ela até poderia vestir roupas assim, mas não com aquela estampa, mas aquela roupa era algo que Claire - sua personagem -, claramente vestiria. Assim que chegou à área de saída, um táxi esperava por ela. Sem saber o que fazer, deu o endereço do apartamento de . Torcia, com todas as suas forças, para que ele estivesse em casa.
Em vinte minutos chegou ao prédio do cantor. O porteiro nem mesmo se deu o trabalho de avisar a chegada da atriz, pois sua presença era sempre permitida, palavras do morador da cobertura. Os doze andares do edifício pareciam ser os maiores do mundo, de modo que o elevador se arrastasse até lá em cima, deixando cada vez mais nervosa. Quando ouviu o plim, rapidamente saiu e tocou a campainha da casa de . Ainda era cedo em Los Angeles, e, por isso, ela havia acabado de acordá-lo. coçou os olhos para ver se estava enxergando direito e, quando se deu conta, já estava em sua sala de estar com Spike pulando ao seu redor.
— Ei, meu amor. Eu também senti saudades. - ela se abaixou e beijou o focinho do bicho. — Eu preciso conversar com o seu pai e eu prometo que vou te dar toda atenção, tá bem?
Como se lhe dissesse “ok”, Spike voltou para sua caminha e apenas observava os dois. , ainda assustado com a presença dela, a encarou. estava elétrica, então começou a falar mais rápido que um foguete.
— Eu sei que eu não devia ter aparecido sem te avisar, mas eu me toquei que eu sou completamente apaixonada por você, . Eu preciso de você todos os dias da minha vida e eu faria quaisquer sacrifícios precisos para tê-lo. Eu não ligo se isso implica comigo vindo todo final de semana para Los Angeles ou a gente casando amanhã e indo morar juntos, mas eu te amo e me recuso a negar mais isso. - ela disse tudo de uma vez e estava confuso.
— Eu acabei de acordar… Você pode repetir? - sua voz rouca fez a espinha de se eletrizar. - E devagar, dessa vez.
— Eu amo você, . - ela suspirou. - E não poderia ser ninguém mais. Aquela música que você fez… Eu…
Assim que ela levantou o pulso, mostrou a palavra ‘Hoax’ tatuada na lateral. arregalou os olhos e encarou a atriz. estava hesitante pela primeira vez desde que entrou no apartamento.
— Ninguém além da pessoa que mais me conhece no mundo poderia ser o grande amor da minha vida. - ela engoliu em seco. - Me desculpe por demorar tanto para perceber que você era o cara certo para mim.
, eu… - ele ficou sério. - Estou apaixonado por alguém.
— Ah. - o rosto dela murchou e lágrimas apareceram em seus olhos. - Tudo bem.
— Ela é a mulher mais teimosa do mundo. - ele sorriu. - Determinada, no entanto. Ela tem um sorriso lindo, você deveria ver. Ela adora vinho como eu e gosta de ir à praia, ultimamente tomou decisões erradas, mas eu sei que nós éramos pra ser.
— Fico feliz que você se sinta assim, de verdade. - uma lágrima solitária escorreu pelo seu rosto.
— Ela tem até uma mania estranha… - ele comentou. perguntou se ele fazia aquilo apenas para machucá-la de volta. - Anualmente ela tira fotos com a estrela de Ringo Starr na calçada da fama.
Quando ouviu aquilo, todo peso de seu coração foi dissipado, no entanto, a atriz desabou em lágrimas. Lágrimas essas que eram de alívio. , entretanto, ficou assustado e a abraçou.
— Me desculpe. - ele pediu, desesperado. - Foi uma brincadeira sem graça.
— Eu não estou triste. - ela soluçou. - Estou chorando porque você me ama de volta.
— Eu sempre te amei de volta, . - ele beijou o topo de sua cabeça. - Principalmente porque você mente para mim, dizendo que não me trocaria pelo Paul McCartney, com todos sabendo que você me trocaria sim.
— Você é um idiota.
— E você está apaixonada por mim. - ele sorriu e a sentou na bancada da cozinha. - E eu aceito casar com você amanhã, se você ainda quiser.
— Então você me entendeu! - ela lhe deu um tapa no braço.
— Em alto e bom tom. - ele sorriu. - E agora eu quero casar.
— Fala sério? - seus olhos brilharam.
— Claro que não, idiota. - ele riu. - Você merece o pedido de casamento mais especial de todos. Não vai ser fácil assim.
— Tudo bem, eu prometo que virei todo dia livre para Los Angeles. - ela entrelaçou suas mãos.
— Ou eu posso ir para aquela cidade fria e horrorosa. - ele beijou a parte de cima da mão de .
— Você faria isso por mim? - ela lhe encarou nos olhos.
— Faria até se você tivesse me pedido há três meses. - ele a puxou para si. - Você é minha melhor amiga, linda.
— Você também é meu melhor amigo, lindo. - ela sorriu. - E eu amo você para caramba.
— Eu também amo você para caralho. - ele riu.
— Sua boca é muito suja. - ela revirou os olhos e ele sorriu.
— E você me ama mesmo assim… - ele se aproximou devagarinho do rosto da atriz e a beijou.
Embora não fosse o primeiro beijo dos dois, foi totalmente diferente do que esperavam. e abriam, na sala de estar do cantor, um novo episódio da série de amor da vida deles. E, para sorte dos mocinhos, eles tiveram um final mais que feliz.



Depois das festas, retornou à Nova York com sua nova — nem tão nova assim — família. , e Spike continuaram em Nova York até os trabalhos da atriz, finalmente, finalizarem. passou pela fase de fim de gravação, entrevistas, festas de pré-estreia mais ansiosa para que acabassem do que qualquer coisa. Os três, mais que tudo, sentiam saudade de Los Angeles. , no entanto, estava ansioso para seu último dia na cidade que nunca dorme. Não apenas porque ele finalmente havia chegado, mas sim porque grandes emoções o esperavam.
Quando terminou de empacotar sua última caixa de sapatos, a abraçou por trás. A risada da atriz lhe deu uma grande paz no coração e ele a apertou mais ainda. Assim que o abraçou, ele capturou seus lábios.
— Eu sei que você vai odiar muito ir comigo num compromisso que arranjei de última hora, mas sua companhia é muito importante. - ele disse.
— O que houve? - ela franziu a sobrancelha.
— Um amigo meu está fazendo um show aqui perto. O estilo dele é country, eu sei que você não curte muito, mas será que você poderia ir comigo?
— E precisa perguntar? - ela sorriu. - Eu iria com você até o fim.
— Te amo, linda. - ele sorriu. - Agora, vá se arrumar. Temos que estar lá em meia hora.
soltou um gritinho e correu até sua suíte, enquanto seu namorado ia tomar uma ducha. rapidamente tomou seu banho e escolheu uma roupa, enquanto a mulher andava de calcinha e sutiã pelo quarto. Ele a encarou por um instante e se certificou, pela trilhonésima vez, o quanto ela era linda e o quanto ele a amava.
— Linda, anda! Ponha aquela sua blusa dos Beatles linda, a calça preta e uma bota. - ele sorriu. - Vai estar perfeita de qualquer jeito.
— Você quer que eu vá com uma blusa de uma banda de rock para um show country? - ela levantou uma sobrancelha.
— É só uma blusa e só um show. Vamos nos atrasar. - ele riu e terminou de se vestir. o obedeceu, afinal, ela amava usar aquela blusa.
Em dez minutos, o casal saiu do apartamento. estava distraída no caminho porque estava cantando algumas músicas de Paul McCartney para ela e aquele momento era sagrado. cantando era perfeito de se ver, mas cantando Paul McCartney? A oitava maravilha do mundo.
Assim que o carro parou, olhou ao seu redor. Eles estavam perto do Madison Square Garden, local onde seria o show de… Não, não podia ser!
— ESTAMOS INDO VER O SHOW DO PAUL? - ela deu um grito e ele gargalhou.
— Pode apostar, linda! Temos até entrada VIP.
— Você não fez isso. - ela saltou do carro saltitante e foi até ele.
— Fiz! - ele sorriu. - Existe algum jeito de encerrar nossa jornada nesta cidade senão com McCartney?
— Como você conseguiu? - ela perguntou. - Eu tentei comprar esses ingressos há meses, quando ele anunciou a turnê do McCartney III.
— Eu conheço um cara muito legal, vamos dizer. - ele sorriu.
Quando os dois entraram na arena, o show de abertura já estava quase acabando. Em poucos minutos, as luzes se apagaram e o inglês apareceu no palco em toda sua glória. , sem medo algum, gritou como a grande fã que era. riu ao ver que ela parecia bastante com os seus fãs eufóricos.
— Não consigo acreditar que estamos tão perto dessa lenda. - ela sorriu. - Obrigada.
— Agora vamos prestar atenção e torcer para que ele cante Deep Deep Feeling.
— Você aprendeu as músicas do novo álbum?
— Tudo por você, linda. - ele sorriu. Antes que pudesse responder, Paul McCartney soltou a voz, cantando algumas músicas antigas e algumas novas de seu novo álbum.
Quase no fim do concerto, o músico cantou Deep Deep Feeling e, nesse momento, agarrou-se ao namorado e cantou a música inteira olhando em seus olhos.
— Você também faz meu coração quase explodir, linda. - ele riu da performance desafinada de .
Em todos os outros shows, Deep Deep Feeling foi a última música do concerto. — Paul falou. - Mas um cara muito apaixonado pediu que eu cantasse uma música para a namorada para que ele fizesse um pedido especial.
— Aposto que ela vai ser pedida em casamento. - ela comentou, risonha. sorriu ao ouvir aquilo.
O pianista de McCartney deu vida à ‘Hoax’ e deu um pulo. Quando se virou para o namorado, estava ajoelhado com uma caixinha de veludo na mão. Seus olhos marejaram na hora.
… — ela tentou falar, mas não conseguiu. Todos ao redor viraram para o casal e os holofotes rapidamente os rastrearam. As câmeras de todos que participavam do show estavam viradas para eles.
, você aceita se casar comigo? - criou coragem e pediu. Rapidamente, a atriz se ajoelhou e ficou na mesma altura que o músico.
— Eu aceitaria mil vezes se preciso. - ela o beijou e todos gritaram ao redor.
— Eu te amo, linda. - ele disse assim que pararam.
— Eu te amo para caralho, . - ela sorriu. E ele arregalou os olhos por causa do palavrão que ela falou. - Você percebe que você está me corrompendo?
— Você percebe que faz minha vida mais feliz a cada segundo?
— Eu percebo que você faz isso na minha. - ela levantou e estendeu a mão a ele para que ele se levantasse também.
— Você é a luta que eu mais gostei de perder, . - ele a abraçou.
— E você é o meu melhor plano.
Quando McCartney terminou, parabenizou e desejou felicidades ao casal. Aquele assunto renderia a muitas conversas sobre como Paul McCartney sabia o nome de . E enquanto os olhos dela brilhavam e seu sorriso estava no rosto, enfrentaria qualquer obstáculo por ela. E, em paralelo, enquanto ele fosse a razão de seu sorriso, faria de tudo para tê-lo a seu lado para sempre.

My only one
(Meu único)
My kingdom come undone
(Meu reino desfeito)
My broken drum
(Meu tambor quebrado)
You have beaten my heart
(Você acabou com o meu coração)
Don't want no other shade of blue but you
(Não quero nenhum tom de tristeza além de você)
No other sadness in the world would do
(Nenhuma tristeza no mundo serviria)



Fim!



Nota das autoras: Oi, gente! Esperamos que vocês tenham gostado. Nós desenvolvemos esse plot com muito carinho e ficou do jeitinho que queríamos. Esperamos que vocês gostem!

Caixinha de comentários: A caixinha de comentários pode não estar aparecendo para vocês, pois o Disqus está instável ultimamente. Caso queira deixar um comentário, é só clicar AQUI



Nota da beta: EU AMEIIIIIIIIIII! Aí, vocês duas em parceria tá sendo tudo para mim! Vocês são duas autoras maravilhosas e deram vida para uma história tão incrível quanto! Amei os personagens, amei o plot, amei como vocês usaram a música, amei tudo! Vocês são demais 💙

Qualquer erro nessa atualização ou reclamações somente no e-mail.


comments powered by Disqus