Última atualização: 19/08/2021

Capítulo Único

Spin-off de Business

Após um merecido banho, o casal desce até a cozinha para jantarem.

— Eu dei folga para os empregados, mas iremos jantar uma comida esplendorosa — diz enquanto pensa qual será o menu para o jantar de agora. está sentada no banco alto que cerca o balcão.
— Ah, o presidente do grupo irá cozinhar para mim? Que honra! — brinca rindo.

está de camisa regata o que realça seu corpo, faz muito calor naquela noite em Tóquio, o verão castiga a cidade. fica admirando e desejando o corpo do marido enquanto ele pega os ingredientes na geladeira, o simples movimento de agachamento que faz para pegar os temperos que ficam na parte debaixo na geladeira, faz suspirar e morder os lábios de desejo.
— Serei seu chef hoje, milady! — diz de volta e sorri. O rapaz cozinha muito bem. — O que deseja comer?
— Me surpreenda, chef — responde e dá um gole em sua água sem tirar os olhos do corpo dele.
— Você quem manda, senhorita.
Senhora — corrigi .
— Ah, uma linda moça não poderia estar solteira… — o homem larga a vasilha de tempero em cima da pia e se aproxima dela e a abraçando por trás. vira-se de frente para ele e o encara, ainda sentada na cadeira.
— Não, sou muito bem casada com um homem incrível.
— Então, eu sou incrível, não é?! — diz, sorrindo vaidosamente, e dá um beijo nela.

Um beijo tão quente quanto o que originou a última atividade deles antes de descerem para comer. se empolga e sobre suas mãos por dentro da camisa dele, erguendo a peça até que a tira por completo. Quando ele ia voltar a beijar a esposa, ela o empurra de leve, pondo a mão no peito nu do marido.

— Vai cozinhar, . Vai.
— Isso não se faz, senhora — o homem faz um bico com os lábios e solta uma gargalhada, satisfeita com o efeito de sua provocação.

O volta ao seu posto de chefe de cozinha, coloca o avental, ainda sem camisa, e começa a cortar os temperos. A concentração dele em fatiar os tomates e cebolinhas não permite ao homem perceber a aproximação de sua esposa, sorrateira como só ela sabe ser, com sua expressão de extremo desejo no rosto, as mãos rápidas da mulher entraram por dentro do avental do marido, apertando o tórax dele.

… — sussurra ele sentindo o corpo arrepiar-se ao toque de sua amada esposa. — Diga, meu amor… — ela sussurra de volta no ouvido dele.
, estou cozinhando, amor — ele diz já sabendo aonde a esposa quer chegar com tais carícias.
— Está me negando, ? — ela para de alisar o tórax dele e arqueia a sobrancelha. Ele larga a faca e se vira para ela, abraçando seu corpo pela cintura.
— Você me quer, minha preciosidade? — ela sussurra no ouvido dela — Só mais um round, hm? — os lábios de encostados no lóbulo de sua orelha faz soltar um suspiro tenso.
— Só mais um round, amor, por favor — pede ela dando um beijo no pescoço dele.

aperta com firmeza a cintura de e a beija ferozmente, mordiscando seus lábios em intervalos curtos durante o beijo. O corpo malhado do homem é o grande desejo de sua esposa, que se perde nas curvas definidas do corpo dele; os cabelos grande de , na altura das orelhas, são o instrumento favorito de que os usa como indicador de seu prazer, a cada movimento feito por ele, ela puxa seus cabelos e de acordo com a intensidade dos puxões, ele sabe o quanto sua esposa está gostando do round.
Após afastar a tábua de temperos para o lado, as mãos do homem erguem a esposa pela cintura e a coloca sentada no balcão da cozinha, ela ainda está com seu roupão de sede, o que facilita a vida dele. Devagar, retira a peça dos ombros dela, deixando à mostra os ombros dela, o deposita beijos molhados ali enquanto retira o roupão por completo. Ele desce seus beijos até o busto de fazendo a pele dela arrepiar-se novamente, suspirando de tesão; as mãos da mulher já estão entranhadas nos cabelos dele, puxando-os e conduzindo a velocidade e intensidade dos beijos que dá nos seios dela.

— Ah.. — suspira , controlando a voz para não berrar de tesão. Divertindo-se, levanta o rosto, interrompendo os beijos e encara a esposa.
— O que quer que eu faça agora, meu amor? — a voz rouca dele só torna as coisas ainda mais sexy no ponto de vista de .
— Aquilo que você sabe fazer, meu bebê — diz ela, manhosa.

sorri de canto e morde os próprios lábios. O que mais gosta que ele faça já foi feito há menos de uma hora, mas ele sabe que sua esposa adora quando ele faz, então encara o pedido dela como uma ordem a ser cumprida. O beijo a seguir foi suave, calmo demais para o que virá depois, as mãos habilidosas de puxam com força a cintura de trazendo-o para mais perto dele que está de pé; ele desliza a mesma mão na coxa esquerda dela e aperta com força, sentindo seu corpo reagir num salto em seu próprio eixo; a mão deslizando desce pela coxa da mulher e puxa sorrateiramente a calcinha de renda rosa que usa, prevendo o que se sucederia, a mulher interrompe o beijo, ofegante e encara o marido, uma de suas mãos aperta o braço dele, enquanto a outra ainda faz carícias e dá puxões nos cabelos dele. Aos poucos, dois dedos de penetram a intimidade de , os olhos de ambos transmitiam o prazer daquele simples ato. Já com os dedos por completo dentro dela, o homem inicia os movimentos repetitivos, sincronizados com as reações de mudança de expressão na face de que geme baixinho com medo de acordar sua filha que dorme no andar de cima da mansão. Para o maior prazer dela, puxa mais o quadril de para frente e ergue as pernas da mulher apoiando-as em seus braços. Recomeçam os movimentos frenéticos e harmônicos, dessa vez com mais força.

— Está gostoso, meu amor? — questiona em meio aos movimentos, apenas confirma com um rápido movimento de cabeça, ofegante demais para emitir qualquer com com palavras. — Responde… — insiste ele em obter alguma resposta verbal da esposa que volta a confirmar com outro gesto. Sem desistir, tira sua mão livre e entrelaça seus dedos nos cabelos de fazendo-a olhar para ele. — Responde, meu amor… — sussurra ele e dá uma mordida de leve no lábio inferior de .
— S-S-Sim — responde com muita dificuldade em se concentrar em outra coisa que não fosse os dois dedos de seu marido dançando dentro dela.
— Melhorou… — o homem também mal consegue se concentrar em outra coisa que não seja em dar o prazer tão desejado por , sua preciosidade.
— Amor… — sussurra ela, encarando-o e gemendo.
— Diga.
— Põe ele em mim, agora, eu te peço… — implora ela, o olhar cheio de prazer e o corpo quase entrando em colapso.
— Você me quer em você, meu amor? — tem um sorriso safado nos lábios. assente com a cabeça — Fala comigo, … fala… —ele puxa os cabelos dela mais uma vez.
— Eu te quero, meu bebê, agora! — enfatiza ela, como uma ordem, dando um puxão nos cabelos dele.
— Seu pedido é uma ordem, senhora .

O homem intensifica os movimentos com seus dedos até o quase ápice de , antes disso ele pausa e retira os dedos de dentro dela; com rapidez, ambos estão sedentos por isso, sem mais demora, o homem tira sua cueca junto com os shorts que veste; arrumando seu membro, que já está preparado e enrijecido há muito tempo e o coloca na entrada da intimidade de , parando ali por um tempo sem se mexer.

… — sibila com raiva.

tem a mania de fingir que fará algo e fazer o contrário ou interromper no meio do caminho, assim como ele faz agora. Com um sorriso divertido, joga os cabelos para trás e empurra seu membro de uma vez na intimidade úmida de que, distraída em intimidar com seu olhar reprovatório, não percebe o movimento arteiro do marido. Logo, ela agarra as costas dele com força, arranhando sua extensão alcançável. Após penetrar sua esposa, pôde ocupar suas mãos com outra coisa, uma delas pressiona a cintura de para mais perto dele, enquanto a outra retira o sutiã dela, deixando livre os seios macios de sua amada mulher. Ágil, o homem deita o tronco lateralmente e passa a língua no bico do peito direito de que logo geme de prazer. Uma simples lambida vira uma sugada no seio dela, as mãos de estão sem rumo, ora passando pelas costas de ora pela nuca e cabelos do homem. E que homem! sabe exatamente o que, como e quando gosta, a sincronia deles é realmente intensa e exala perversão, luxúria e o mais intenso prazer.
O roundestá prestes a findar-se e aproveita para trocar de seio, indo para o esquerdo e o sugando com força. Em protesto, puxa a cabeça dele através dos cabelos, fazendo-o parar e erguer o tronco novamente. precisa beijar os lábios carnudos e macios de imediatamente após o seu ápice de prazer e é exatamente isso que ela faz. Toda a luxúria e tesão sentido ali foi transferido para o beijo que mais parece, aos olhos externos, uma discussão entre bocas de quem sente mais desejo pelo outro. E nessa briga, não há um vencedor. Quem ganha, são ambos. O colapso que o orgasmo proporciona, percorre todo o corpo de que mal consegue se manter de pé após o ato. Ofegante, suado, cansado, mas satisfeito em todos os âmbitos, ele recosta a cabeça no busto de , os cabelos bagunçados colados na nuca e por parte de seu rosto. também está cansada, suada e ofegante e também muito satisfeita. Ela joga os próprios cabelos para trás e solta um longo suspiro, sorrindo em seguida. Repousa as mãos nos ombros de e afaga a nuca dele, puxando de leve os cabelos que nascem ali perto. Manhoso, o homem solta alguns gemidos baixinhos, encosta o queixo ali e beija a cabeça dele.

— Amor… — diz ela baixinho. ergue o tronco e olha para ela, seus olhos castanhos e brilhantes transmitindo doçura nesse momento.
— Será que eu posso concluir nossa janta? — provoca ele com um sorriso. — Agora você pode sim — responde e dá um beijo apaixonado nele. — Quero comer algo que seja mais gostoso que você, meu bebê — solta uma risada divertida.
— Difícil… — ele diz, dando de ombros e rindo em seguida.
— Convendido! — dá um tapa no ombro dele.
— E eu não sou gostoso?
— Ah, você é muito gostoso, meu bebê! E que bom que você é só meu — volta a beijá-lo com desejo, empolgado, quase inicia outro round. — Não… hora de jantar, chefe .

o empurra de leve e mantém o bico com os lábios. Vencido, o homem retira seu membro de dentro dela e se veste, dessa vez, pondo sua camisa. também se veste e a ajuda a descer do balcão.
Essa noite poderia ter terminado dessa forma gostosa e prazerosa para ambos, porém, a visita inesperada do melhor amigo de e na mansão balançaria a vida de todos na Seven. Muita coisa vai acontecer.

"Eu ainda estou sem encontrar a resposta.
Eu tenho um coração inspirador.
Tendo um sentimento inabalável.
Vou queimá-lo com a luz
Dos meus sentimentos"


Burn, FLOW.



Fim.



Nota da autora: Olha, se não fossem a Raquel e a Ray me incentivando a escrever, acho que Burn não sairia! Kkkkkkkk essa hot gostosinha que eu precisei escrever, né?! A cena pedia....
Se você ainda não lê Business, por favor, renda-se ao charme do sr. Asakawa, presidente do grupo Asakawa e comandante da maior organização de Tóquio!

Não se esqueçam de comentar ❤️😏





O Disqus está um pouco instável ultimamente e, às vezes, a caixinha de comentários pode não aparecer.
Então, caso você queira deixar a autora feliz e deixar seu amor em forma de comentário, é só clicar aqui.
Eu não escrevo essa fic, apenas a scripto, qualquer erro de layout somente no e-mail.


comments powered by Disqus