Ele possui uma vida bem agitada, mesmo que aparentemente só leia livros e fume cigarros no carro. Ele divide o tempo entre manter seu número 1 do pódio da universidade e... Ajudar os mortos a encontrar a paz.
Com uma infância e adolescência repleta de situações conturbadas e nunca contadas, ele se vê diante de um problema um tanto incomum: ajudar uma suposta vítima de assassinato a encontrar a verdade. Porém, à medida que ele avança nas questões alheias dos mortos e conhece uma garota nada fácil de se livrar, ele começa a perceber que aquele caso, talvez, seja mais estranho e mais perigoso do que parece.


Contador:
Escrita por: Sial
Scriptada por: Ste | (Betada até o capítulo 16 por: Ste)

Capítulos 01 ao 15

Ele estava se divertindo com toda a situação, se divertindo em me ver falhar, se deliciando com a minha impotência. Igualmente ao meu sonho.
Uma onda de ódio me fez partir para cima dele de novo, dando socos aleatórios como uma criança, sem saber o que estava atingindo. Um rugido agudo escapou de minha garganta e soquei-o com mais força, descontrolado, sem estratégia. Não era mais por Margot e por tudo que ele estava fazendo com ela. Não era mais pela perseguição mortal em Lisa. Era por mim, pela minha vida, por coisas que eu não sabia e ele sim, por coisas que eu repeti a mim mesmo que não queria saber, por todos os sentimentos que ele estava arrancando de mim à força. Ele tinha de pagar por aquilo, por tudo aquilo, e eu pensei que meus socos seriam capazes de fazer todo o trabalho.

Leia

Capítulo 16 em diante

A imagem dela estava causando algo forte e vivo dentro de mim, mas não era real. Ela não era real. Mas suas palavras eram, pareciam tão reais quanto o suor acumulado na palma de minhas mãos. E eu sentia, em seus olhos brilhantes, o chamado para algo perigoso, mas libertador. O chamado para a verdade.
— Você vai, não é? — Ela quebrou o silêncio mais uma vez, e por um momento louco me perguntei se null estaria tendo o mesmo sonho. — Se não for, eu vou correr perigo e você vai ficar cego para sempre. Não se preocupe, podemos lutar juntos… Ou morrer juntos…

Leia