Contador:
Última atualização: 11/11/2021

Prólogo

1987

— Cedrico! Espera! — A menininha loira gritava enquanto corria atrás do garoto nas redondezas da casa dos Diggory.

Cedrico não parou, mas olhou por cima dos ombros, de modo a confirmar que ela poderia o alcançar; nunca a deixaria para trás, mas, também, não a deixaria ganhar a corrida. O sol começava a se pôr e a brisa fresca do crepúsculo envolvia o lugar.
Um pouco mais à frente, a senhora Diggory e a senhora Macmillan saíam de dentro da casa aos risos, depois de uma tarde revigorante de chá. Elas eram amigas desde os tempos em Hogwarts e faziam questão de manter as crianças unidas desde o seu nascimento, o que não foi uma tarefa fácil, visto que Julien morava em um bairro trouxa na época em que era casada com o pai de , a garotinha que tinha cansado de correr atrás de Cedrico.

— Você poderia me deixar correr em paz uma única vez? — gritou para Cedrico, que já estava perto das duas mulheres.
— Você quer dizer que gostaria que eu deixasse você ganhar? — Ele riu e se pendurou em um galho baixo de uma das árvores que ficava próxima à sua casa.
— Eu consigo ganhar de você. — disse, chegando perto dele.
— Eu duvido! — Cedrico disse, se preparando para correr novamente, mas foi interceptado por sua mãe.
— Já está escurecendo, nada de correr por aí. — Lana disse, o abraçando de lado, para que o menino ficasse quieto.
— Lana tem razão, temos que voltar para casa. — Julien reforçou a fala da amiga. —Seus avós devem estar preocupados. — Disse a última parte para , que não conseguia disfarçar o descontentamento.
— Poderíamos ficar para o jantar e, então, ler alguma história. — disse, na tentativa de convencer as duas.
! Que feio se oferecer para jantar na casa das pessoas assim.
— Mamãe! — A garotinha choramingou.
— Não tem problema, Julien, Amos pode acompanhar vocês, se não quiser aparatar. — A outra mulher disse.
Houve um minuto de silêncio enquanto Julien decidia e as duas crianças se entreolharam, esperançosas. Odiavam ser filhos únicos e, quando tinham a oportunidade de passar o dia juntos, não queriam mais se desgrudar.
— Tudo bem. — Ela disse e os dois menores se abraçaram. — Mas antes de pegarem em qualquer coisa, quero que os dois lavem as mãos.
— E tirem os sapatos da terra. — A outra mulher completou.

Os quatro retornaram para dentro da casa e as crianças trataram de fazer tudo o que lhes foi instruído. Em pouco tempo, a senhora Diggory colocava o jantar à mesa e a senhora Macmillan a ajudava a servir os pratos. Amos Diggory não demorou a chegar em casa e seu semblante não negava que o dia de serviço no ministério tinha sido cansativo, mas ele nunca deixaria de ser simpático ou de brincar com as duas crianças depois do jantar, como sempre fazia quando as Macmillan ficavam mais um pouco. Ele adorava como a menina deixava Cedrico alegre e animado.

1989

Finalmente, o dia de ir para Hogwarts tinha chegado e Cedrico estava na plataforma esperando ansiosamente para embarcar no trem, mas estava atrasada e, ao passo que o tempo passava, ele ficava preocupado. Ele não conseguia imaginar como seria o ano letivo sem a amiga por perto, eles tinham feito tantos planos e, naquele momento, seus pais tentavam a todo custo convencê-lo de que tudo daria certo e que estava bem, só deveria ter perdido a hora ou lembrou que esqueceu algo no meio do caminho, mas nada disso deixava Cedrico menos nervoso. O apito para que entrassem no trem soou pela primeira vez e os Diggory começaram a se despedir, sem deixar de fazer várias observações sobre mandar cartas e se comportar, algo que o jovem garoto faria sem pensar, ele era bonzinho demais. Quando estava prestes a perder as esperanças, Cedrico escutou uma voz familiar o chamando ao longe, ao passo que duas cabeleiras loiras corriam em direção a eles. corria à frente da mãe, segurando a coruja e, quando chegou perto o suficiente, pulou em Cedrico, o abraçando apertado; ela tinha ficado com muito medo de não conseguir chegar a tempo.

— Desculpem o atraso, tive que deixar meus pais em St. Mungus, minha mãe adoeceu outra vez. — Julien disse aos Diggorys, depois que as duas crianças se afastaram.
— Espero que ela melhore, querida. — Lana disse.
— Eu também espero. estava muito receosa de deixar os dois. — Julien disse, afagando a cabeça da filha.

Sem demora, mãe e filha se despediram e embarcou no trem com Cedrico. Amos auxiliou-as com o malão e, sem demora, o trem saiu da estação. Dentro do trem, Cedrico segurava a mão de para que ela o acompanhasse na busca de um vagão livre.

— Eu pensei que teria que ir para Hogwarts sozinho, você não chegava nunca. — Ele disse, depois de um tempo, quando encontraram uma cabine vazia.
— Eu não deixaria isso acontecer, nem que pegasse a vassoura velha da mamãe. — Ela disse, sorridente. — Eu só fiquei preocupada com a vovó, não queria ir embora sem ver que ela estava bem.
— Você pode mandar cartas perguntando como ela está toda semana e voltaremos no Natal. — Ced tentou tranquilizá-la.
— Tem razão, Ced. — Ela disse.
— Então, acha que vai para qual casa? — Ele perguntou.
— Para a casa que você for.
— Até se eu for para a sonserina?
— Se isso acontecer, eu vou ter que repensar.

Depois de alguns minutos, que mais pareceram horas, os dois amigos foram interrompidos por mais alguns primeiranistas, com quem dividiram a cabine e aproveitaram para fazer amizade.



Continua...



Nota da autora: Muito obrigada por ter chegado até aqui e pela leitura. Queria agradecer tb às meninas da igrejinha por me incentivarem a fazer a continuação dessa história e espero que vocês a recebam de braços abertos. Vou deixar o link da história que deu início a essa long aqui embaixo. Super beijos 💛



Nota da beta: EBAAAAA! Fico muito feliz por você estar expandindo o universo de 07.Intermission: Flower e a história da Kate e do Cedrico, eu estou doida para conhecê-los melhor ❤️


Outras Fanfics:

➽ 07. Intermission: Flower (Shortfic - Finalizada)
➽ Falling (literally) by Fred Weasley (Shortfic - Finalizada)
➽ Loves In The Air (Longfic - Em andamento)
➽ The Scar Girl (Longfic - Em andamento)


Qualquer erro nessa fanfic ou reclamações, somente no e-mail.

COMENTÁRIOS:

Oi! O Disqus está um pouco instável ultimamente e, às vezes, a caixinha de comentários pode não aparecer. Então, caso você queira deixar a autora feliz com um comentário, é só clicar AQUI.


comments powered by Disqus